You are on page 1of 52

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA

Departamento de Estudos Básicos e Instrumentais Colegiado do curso de Química Química Analítica Qualitativa

Preparo e Padronização de Soluções

Prof. Amisson dos Santos Nunes 2012/2

Soluções

São misturas homogêneas de duas ou mais substâncias.
2

Soluções
Componentes: Soluto: substância dissolvida (disperso). O componente da solução que, freqüentemente, se apresenta em menor quantidade.

Solvente: meio em que foi promovida a dissolução (dispersor).

Solução
Sólida

Soluto
Sólido

Solvente
Sólido

Exemplo
Liga metálica Cu – Ni

Líquido
Gasoso Sólido Líquido Gasoso

Sólido
Sólido Líquido líquido Líquido

Hg em Cu (amálgama de cobre)

H 2 dissolvido em Ni NaCl em H O 2
Álcool em H O 2

Líquida

CO2 dissolvido em H 2O
Poeira no ar atmosférico

Sólido

Gasoso

Gasosa

Líquido

Gasoso

Água no ar atmosférico
Ar atmosférico

Gasoso

Gasoso

Soluções
Solução Diluída: contém pequenas de soluto. proporções relativamente

Solução Concentrada: contém proporções relativamente alta de soluto.

Solução Saturada: é aquela em que as moléculas do soluto em solução estão em equilíbrio com o excesso de moléculas não dissolvidas.

Concentração das Soluções Refere-se à quantidade de soluto em uma dada quantidade de solução. 6 .

Percentagem em massa: relação da massa do soluto por 100 g de solução (% m/m).Concentração de uma Solução concentração: refere-se à quantidade de soluto em uma dada quantidade de solução. . Percentagem em volume: relação de volume do soluto (mL) por 100 mL de solução (% v/v). Percentagem massa/volume: relação da massa do soluto por 100 mL de solução (% m/v). Concentração Comum: relação entre a massa do soluto por unidade de volume de solução em litros (g/L).

500 g Adicionar água destilada Tampar Agitar 500 mL 500 mL 500 mL 500 mL 8 .: Preparar uma solução aquosa 5 g/L de cloreto de sódio (NaCl) NaCl 2.Concentração (C) É o quociente entre a massa do soluto e o volume da solução msoluto C Vsolução Ex.

Densidade de solução versus concentração comum Densidade: inclui a massa da solução. . Concentração comum: inclui apenas a massa do soluto.

Vsolução msoluto g  50 . msoluto C Vsolução msoluto  C.: Qual a massa de cloreto de alumínio (AlCl3) necessária para preparar 150 mL de uma solução aquosa de concentração igual a 50 g/L.Ex.15L  7.5g L 10 .0.

Concentração Molar ou Molaridade (M) É o quociente entre o número de moles do soluto e o volume da solução em litros (M = mol/L ou mol L-1) nsoluto M Vsolução (litros) como m n PM msoluto M PMsoluto.Vsolução (litros) 11 .

1L.: Preparar 1 litro de uma solução 0.5  20 g mol L 12 .Ex.Vsolução (litros).5 M Na = 23. O = 16.Vsolução (litros) M = 0. H = 1 PMsoluto = 40 g/mol Vsolução = 1 litro msoluto  PMsoluto.5 M de NaOH msoluto M PMsoluto.M msoluto g mol  40 .0.

Ex.000 g Adicionar água destilada Tampar Agitar 1000 mL 1000 mL 1000 mL 1000 mL 13 .: Preparar 1 litro de uma solução 0.5 M de NaOH msoluto = 20 g Vsolução = 1 litro NaOH 20.

2  30 g mol L 14 .: Preparar uma solução aquosa 2 M de ácido acético (CH3COOH)? msoluto  PMsoluto. fica a critério de cada um escolher o volume da solução.Vsolução (litros). O = 16.25L. Neste caso vamos preparar 250 mL de solução.M M=2M C = 12. msoluto g mol  60 . Assim um balão volumétrico de 250 mL deverá ser usado.25 L msoluto = ? g Como não foi fixado o volume de solução que deve ser preparado.Ex. H = 1 PMsoluto = 60 g/mol Vsolução = ? = 0.0.

0010 mol de ácido clorídrico (HCl). existem 0. A molaridade dessa solução é dada por: Estômago .10 L) de suco gástrico produzido pelo estômago durante o processo de digestão.Concentração Molar ou Molaridade  Em cada 100 mL (0.

é um dos mais utilizados nas indústrias químicas e farmacêuticas: . que relaciona as massas de soluto e solução.Título (T) (). Porcentagem em massa e ppm Esse tipo de concentração.

9%. que existem 0.9 g de soluto (NaCl) em cada 100 g de solução: m1 = 0.9 g e m = 100 g.Título (T) (). . ou seja.  O rótulo do soro fisiológico indica que a porcentagem em massa é 0.

esta relação é indicada em ºGL (Gay-Lussac): .Título (T) (). a concentração de suas soluções é freqüentemente expressa em porcentagem em volume. • Título em volume e porcentagem em volume (V) Como é fácil medir o volume dos líquidos. No álcool comum e nas bebidas alcoólicas.

. existem 96 mL de álcool (etanol) em 100 mL de solução: O álcool comum ou álcool etílico hidratado pode ser usado como combustível e desinfetante.  O álcool comum apresenta uma porcentagem em volume de 96%.Título (T) ().ou seja.

usa-se a unidade partes por milhão. representada por ppm. .  Assim. para indicar concentrações extremamente pequenas. da terra e da água. principalmente de poluentes do ar.Partes por milhão (ppm)  Atualmente. uma solução 20 ppm contém 20 gramas do soluto em 1 milhão de gramas da solução.

Diluição .

.Tem-se 600 mL de solução 1.Ex.(02).2 mol/L de cloreto de cálcio (CaCl2). Calcule a molaridade dessa solução quando seu volume tornar-se 1500 mL através da adição de água.(01). Qual a concentração desta nova solução ? Ex.Uma solução contendo 5 mL de NaCl 1mol/L é diluída com água suficiente para atingir o volume de 500mL.

Considere as seguintes soluções: 250 mL de solução de KOH.20 mol/L e 750 mL de solução da mesma base. de concentração 0. de concentração 0. da mesma base ? M1V1 + M2V2 = M3V3 Ex. Qual a concentração. da solução obtida pela mistura das duas soluções .(03).Ex. em mol/L.40 mol/L.(04).Qual a molaridade de uma solução de NaOH formada pela mistura de 60 mL de solução 5 mol/L com 300 mL de solução 2 mol/L.

Pesagem .

.Pesagem Verificar o nível da balança. usar uma pinça.  As mãos do operador devem estar limpas e secas Nunca pegar diretamente com os dedos o objeto que vai pesar. Conforme o caso. luvas ou uma tira de papel impermeável.

Pesagem Objetos a serem pesados devem está na temperatura ambiente. Durante as pesagens as portas laterais devem ser mantidas fechadas.  Proteja a balança contra corrosão. .

. usar sempre a mesma balança. Mantenha a balança e seu gabinete meticulosamente limpos.Pesagem Para sucessivas pesagens no decorrer de uma análise.

buretas e balões volumétricos.Medida de volumes Medidas Exatas: usam-se pipetas volumétricas. Medidas não exatas: utilizam-se provetas e pipetas graduadas. .

que são utilizadas em limpezas mais drásticas e de uso pouco comum. por último. com jatos de água destilada. A maioria dos materiais pode ser limpa simplesmente lavandoos com detergente. para que os resultados das medidas possam ser reprodutíveis. Existem soluções de limpeza.  Água régia (mistura de ácido nítrico com clorídrico concentrados na proporção 1:3)  Solução alcóxida (mistura de hidróxido de sódio em álcool etílico) . enxaguando-os com água da torneira e.Limpeza e secagem de material volumétrico As vidrarias volumétricas devem estar perfeitamente limpas. tais como:  Solução sulfocrômica (dicromato de sódio ou potássio em ácido sulfúrico concentrado).

Nunca utilize material volumétrico para aquecimento direto. • Uma secagem mais rápida pode ser obtida após enxaguar o material com álcool ou acetona. ar aspirado por uma trompa de água ou expelido por um secador de cabelo. pode-se usar: • Secagem comum. pois isto faz com que o mesmo perca sua aferição. • Secagem em corrente de ar. por exemplo. por evaporação à temperatura ambiente. . Material volumétrico não deve ser seco em estufa.Limpeza e secagem de material volumétrico Para secagem de material volumétrico.

Tomar conhecimento dos perigos potenciais das substâncias utilizadas de modo a reduzir a possibilidade de contaminações ou acidentes. Passar todo o material com água destilada.Como Preparar uma Solução? A. B. 1. Decidir qual o volume de solução a preparar. Medir a massa de soluto necessária. 2. . 3. Secar cuidadosamente a espátula e o vidro de relógio. Realizar os cálculos necessários. C.

primeiro com o pisset e depois com conta-gotas. lavando o béquer. . com auxílio de um funil. Verter a solução para o balão volumétrico. 5. 7. Completar até a marca de aferição. 8. o bastão de vidro e o funil com solvente para arrastar todo o soluto. Colocar a tampa e homogeneizar a solução invertendo várias vezes o balão volumétrico. 6. Dissolver todo o soluto utilizando apenas um parte do solvente agitando com um bastão de vidro.Como Preparar uma Solução? 4. Transferir o soluto para um béquer lavando o vidro de relógio com solvente de modo a arrastar todo o soluto.

Como Preparar uma Solução? .

Condicionamento .

Condicionamento .

Condicionamento .

Leitura do volume .

A leitura deverá ser feita de modo a que a direção do olhar coincida com a linha tangente à parte interna do menisco se este for côncavo (ex: água). . Erros de paralaxe – Erros associados à incorreta posição do observador. ou à parte externa do menisco se este for convexo (ex: mercúrio).Ajuste do menisco Menisco: consiste na interface entre o ar e o líquido a ser medido.

Montagem da bureta .Uso de Buretas • Antes de usada a bureta deve estar muito limpa e a torneira lubrificada com graxa especifica. • Montar a bureta em suporte adequado de maneira que a torneira fique voltada para baixo e para o lado direito.

tomando cuidado para que este não absorva o conteúdo do líquido na ponta da bureta. abaixe o nível do líquido até a marca do “Zero”. e permitindo. • Manusear a torneira com a mão esquerda como a figura abaixo. Adicione 5 a 10 mL do titulante e cuidadosamente rode a bureta para molhar seu interior completamente. • Então encha a bureta bem acima da marca do “Zero”. Após enxuga-se a extremidade externa da ponta da bureta com papel absorvente.Uso de Buretas • Certifique-se que a torneira esteja fechada. Finalmente. Deixe o líquido escoar através da torneira. Libere as bolhas de ar que existam na ponta da bureta rodando rapidamente a torneira. Repita este procedimento pelo menos duas vezes. . assim que pequenas quantidades do titulante passem pela ponta e arraste o ar.

Uso de Buretas Manuseio correto da torneira da bureta .

Leitura de volume em uma bureta menisco Erro de paralaxe Leitura de menisco .

formação de complexos e precipitação.Análise Volumétrica Análise volumétrica: consiste na medida do volume de um reagente que é usado para reagir completamente com um analito através de uma reação conhecida. . A partir desse volume e da estequiometria da reação calcula-se a quantidade de analito existente na amostra. Titulação: Determinação da concentração de uma solução a partir da quantidade e concentração de uma solução conhecida São baseadas em reações: ácido-base. oxidação-redução.

Titulação THE NEXT/CID THE NEXT/CID THE NEXT/CID Alíquota de volume conhecido (20 mL) e concentração em mol/L desconhecida Acrescidas gotas de fenolftaleína. . que adquire coloração rósea em meio básico.

mas reaparece com a agitação. Ocorreu viragem do indicador. . a solução básica contendo o indicador fenolftaleína é rósea.A titulação ácido-base THE NEXT/CID THE NEXT/CID THE NEXT/CID Antes do ponto final. a solução permanece incolor após agitação. a cor rósea desaparece e o ácido é adicionado. À medida que se aproxima do ponto final. No ponto final.

A titulação ácido-base em nível microscópico . . . .

: 5H2C2O4 + 2MnO4 + H+  10CO2 + 2Mn2+ + 8H2O analito ácido oxálico titulante Permanganato (incolor) (púrpura) . Ex.Análise Volumétrica Ponto de Equivalência: é alcançado quando a quantidade de titulante adicionado é a quantidade extada necessária para uma reação estequiométrica com o analito (o titulado).

• Monitorização da absorbância da luz pelas espécies química na reação. • Observação na mudança de cor de um indicador.Análise Volumétrica Ponto Final: indicado pela mudança súbita em uma propriedade física da solução. Métodos para detecção do Ponto Final: • Detecção de uma mudança súbita na diferença de potencial ou na corrente elétrica entre um par de eletrodos. .

Titulação em branco: é executado o mesmo procedimento de titulação sem a presença do analito.Análise Volumétrica Indicador: é um composto com propriedade física (normalmente a cor) que muda abruptamente quando a titulação é completada. Erro de titulação: é a diferença entre o ponto final e o ponto de equivalência. .

Na2C2O4. KCl. nãoreativo com CO2 atmosférico). • Possuir massa molar elevada (para minimizar erros de pesagem).9% ou mais) • Estável durante a secagem (não higroscópico. Requisitos de um Padrão Primário: • Elevada pureza (99. não oxidável.: Na2CO3.Solução Padrão Solução Padrão: é aquela cuja concentração é exatamente conhecida. NaCl. • Facilmente solúvel. . Ex.. biftalato de potássio. Padrão Primário: é um composto ultrapuro que serve como material de referência para métodos volumétricos de análise.

. Padronização: é o procedimento de titular um padrão para determinar a concentração do titulante.Solução Padrão Padrão Secundário: é um composto cuja pureza pode ser estabelecida por análise química e que serve como material de referência para os métodos volumétricos de análise.

. Hurley. Tradução da 8ª edição Norte-americana. C. 4ª edição. Jones. 2009...Atkins. LTC. 5 – Masterton. 6ª edição. C. D. . W. A.. 2 – Harris.Referências 1 – Skoog. 1982. LTC. West. Editora Moderna. M. L. Química. 2004. Thomson. Crouch. Explorando a Química Analítica.. D. LTC. R. 2006. Fundamentos de Química Analítica.. N. Bookman. Princípios e Reações. Química Analítica Quantitativa. J. Princípios de Química: Questionando a Vida Moderna e o Meio Ambiente. C. Análise Química Quantitativa. F. 6. D. S. J. Holler. L. P. 2009. L. Sartorio. 3 – Harris. 2005. D.. 4 – Kobal Jr.