You are on page 1of 10

21/02/2011

Estrutura e Função Prof.: Alexandre F. C. Cardoso
Estrutura e Função
Prof.: Alexandre F. C. Cardoso
Introdução O corpo humano contém mais de 400 músculos esqueléticos, os quais representam cerca de
Introdução
O corpo humano contém mais de 400 músculos
esqueléticos, os quais representam cerca de 40-50% do
peso corporal total.
O
músculo
esquelético
realiza
três
funções
importantes:
 geração de força para a locomoção e a respiração
 geração de força para a sustentação postural
 produção de calor durante períodos de exposição ao frio

21/02/2011

As várias funções do sistema muscular são desempenhadas por apenas três tipos de músculos: 
As várias funções do sistema muscular são desempenhadas por
apenas três tipos de músculos:
 Liso: também denominado músculo involuntário, pois ele não está sob
controle consciente diretamente. É encontrado nas paredes da maioria dos
vasos sanguíneos e nas paredes dos órgãos mais internos.
 Cardíaco: é encontrado apenas no coração, representando a maior parte
da estrutura cardíaca. O músculo cardíaco controla-se a si mesmo, com
alguns ajustes sendo realizados pelos sistemas nervoso e endócrino.
 Esquelético: é denominado músculo voluntário, recebe o nome de músculo
esquelético porque a maioria se fixa ao esqueleto e é responsável por seu
movimento.
recebe o nome de músculo esquelético porque a maioria se fixa ao esqueleto e é responsável

21/02/2011

A ESTRUTURA DO MÚSCULO ESQUELÉTICO Se você dissecar um músculo, primeiramente vai seccionar o tecido
A ESTRUTURA DO MÚSCULO ESQUELÉTICO
Se você dissecar um músculo, primeiramente
vai seccionar o tecido conjuntivo externo (
epimísio ), ele envolve todo o músculo,
mantendo-o unido. Ao seccionar o epimísio,
você observará pequenos feixes de fibras
envoltas por uma bainha de tecido conjuntivo,
esses feixes são denominados fascículos, e a
bainha de tecido conjuntivo que o circunda é o
perimísio. Finalmente, ao seccionar o perimísio
poderemos observar as fibras musculares, cada
fibra muscular é recoberta por uma bainha de
tecido conjuntivo denominada endomísio. Obs: A célula muscular é conhecida como
fibra muscular
A ESTRUTURA DO MÚSCULO ESQUELÉTICO ORGANIZAÇÃO DA FIBRA MUSCULAR
A ESTRUTURA DO MÚSCULO ESQUELÉTICO
ORGANIZAÇÃO DA FIBRA MUSCULAR

21/02/2011

A FIBRA MUSCULAR  O SARCOLEMA: membrana plasmática que envolve a fibra muscular.  O
A FIBRA MUSCULAR
 O SARCOLEMA: membrana plasmática que envolve a fibra muscular.
 O SARCOPLASMA: substância gelatinosa que preenche os espaços
entre as miofibrilas. Contém principalmente proteínas, minerais,
glicogênio e gorduras dissolvidas, além das organelas necessárias.
 OS TÚBULOS TRANSVERSOS: são extensões do sarcolema que
passam lateralmente através da fibra muscular. Permitem que os
impulsos nervosos sejam rapidamente transmitidos às miofibrilas.
Provêem vias de acesso para as partes mais internas para as
substâncias transportadas nos líquidos extracelulares
A FIBRA MUSCULAR  O RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO: serve como local de armazenamento de cálcio, o
A FIBRA MUSCULAR
 O RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO: serve como local de armazenamento de
cálcio, o qual é essencial para a contração muscular.
 AS MIOFIBRILAS: são os elementos contráteis do músculo esquelético.
 O SARCÔMERO: é a menor unidade funcional de um músculo.
 BANDA I
 BANDA A
 ZONA H
 LINHA M
 LINHA Z

21/02/2011

21/02/2011 A FIBRA MUSCULAR  FILAMENTOS DE MIOSINA: cada molécula é composta por dois filamentos protéicos
A FIBRA MUSCULAR  FILAMENTOS DE MIOSINA: cada molécula é composta por dois filamentos protéicos
A FIBRA MUSCULAR
 FILAMENTOS DE MIOSINA: cada molécula é
composta
por
dois
filamentos
protéicos
retorcidos conjuntamente.
 FILAMENTOS
DE
ACTINA:
embora
denominado simplesmente de filamento de
actina, na realidade é formado por três
moléculas protéicas diferentes: actina(forma a
estrutura de suporte do filamento),
tropomiosina( proteína em forma de tubo que se
retorce em torno da actina) e a troponina( se
fixa em intervalos regulares, tanto aos
filamentos de actina quanto aos de
tropomiosina).

21/02/2011

JUNÇÃO NEUROMUSCULAR Cada célula muscular esquelética está conectada ao ramo de uma fibra nervosa originária
JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
Cada célula muscular
esquelética está conectada ao
ramo de uma fibra nervosa
originária de uma célula
nervosa. Essas células
nervosas são denominadas
motoneurônios e se estendem
para fora a partir da medula
espinhal.
JUNÇÃO NEUROMUSCULAR O motoneurônio e todas as fibras musculares que ele inerva formam a unidade
JUNÇÃO NEUROMUSCULAR
O motoneurônio e
todas as fibras musculares
que ele inerva formam a
unidade motora. O local onde
o motoneurônio e a célula
muscular se encontram é
denominado junção
neuromuscular. Nessa junção
o sarcolema forma uma bolsa
denominada placa motora.
Quando o impulso nervoso atinge a
extremidade do nervo motor, a acetilcolina é
liberada na fenda sináptica. Isso aumenta a
permeabilidade ao sódio, resultando numa
despolarização denominada potencial de
placa motora (PPM).

21/02/2011

A Contração Muscular A contração muscular é um processo complexo que envolve diversas proteínas celulares
A Contração Muscular
A contração muscular é
um processo complexo que
envolve diversas proteínas
celulares e sistemas de produção
de energia. O resultado é o
deslizamento da actina sobre a
miosina, fazendo com que o
músculo encurte e desenvolva
tensão. O processo contrátil é bem
mais explicado pelo modelo do
filamento deslizante.
A TEORIA DO FILAMENTO DESLIZANTE Quando as pontes cruzadas da miosina são ativadas, elas se
A TEORIA DO FILAMENTO DESLIZANTE
Quando as pontes cruzadas da miosina são ativadas, elas se ligam
fortemente a actina, resultando numa alteração da conformação da ponte
cruzada, a qual faz com que a cabeça da miosina se incline em direção ao
braço da ponte cruzada e tracione os filamentos de actina e de miosina em
direções opostas. A tração do filamento da actina sobre o de miosina resulta
no encurtamento e na geração de força. Imediatamente após ocorrer a
inclinação da cabeça da miosina, ela se separa do sítio ativo, retorna à sua
posição inicial e se fixa a um novo sítio ativo mais distante ao longo do
filamento de actina. Esse processo continua até as extremidades dos
filamentos atingirem as linhas Z. Durante esse deslizamento, os filamentos
de actina são trazidos mais próximos uns dos outros e formam uma
protrusão na zona H, onde, finalmente eles se sobrepõem, fazendo com a
zona H deixe de ser visível.

21/02/2011

Para um melhor entendimento VÍDEO
Para um melhor entendimento
VÍDEO
TIPOS DE FIBRAS O músculo esquelético pode ser dividido em várias classes com base nas
TIPOS DE FIBRAS
O músculo esquelético
pode ser dividido em várias
classes com base nas
características histoquímicas ou
bioquímicas das fibras individuais.
(1) Fibras rápidas
 Tipo IIb (glicolíticas rápidas)
 Tipo IIa (glicolítica oxidativa rápida)
(2) Fibras lentas
Ainda
que exista
 Tipo I (oxidativas lentas)
algumas confusão sobre a
nomenclatura dos tipos de fibras,
historicamente, ela foram
classificadas em duas categorias
gerais:

21/02/2011

Características Bioquímicas e Contráteis do Músculo Esquelético Bioquímicas Capacidade Oxidativa - N° de
Características Bioquímicas e
Contráteis do Músculo Esquelético
Bioquímicas
Capacidade Oxidativa
- N° de mitocôndrias
- N° de capilares
- N° de mioglobina
Tipo de isoforma da miosina ATPase
Contráteis
Produção de força máxima
Velocidade de contração
Eficiência da fibra muscular
Tipos de Fibra e Desempenho Composição Típica da Fibra Muscular dos Atletas de Elite representando
Tipos de Fibra e Desempenho
Composição Típica da Fibra Muscular dos Atletas de Elite
representando Diferentes Esportes e dos Não-Atletas
Esporte
% de fibras lentas
% de fibras rápidas
Corredores de distância
70-80
20-30
Corredores de curta distância
25-30
70-75
Halterofilistas
45-55
45-55
Não Atletas
47-53
47-53
“ O sucesso do desempenho atlético deve-se a uma completa interação de
fatores psicológicos, bioquímicos, neurológicos, cardiopulmonares e
biomecânicos”

21/02/2011

Alterações dos Tipos de Fibra Muscular pelo Treinamento Físico “Estudos indicam que a alteração induzida
Alterações dos Tipos de Fibra Muscular pelo
Treinamento Físico
“Estudos indicam que a alteração induzida pelo treinamento no tipo de
fibra ocorre de forma gradual”
Alterações do Músculo Esquelético
Relacionadas à Idade
 1ª FASE: 25-50 anos (10% de perda da massa muscular)
 2ª FASE: 50-80 anos (40% de perda da massa muscular)