MERCADO DE FERRO DE FORTALEZA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA E ARQUITETÔNICA

CARDOSO JR., Raul de Castro Graduando em Arquitetura e Urbanismo COSTA, Patrícia Chagas da Graduando em Arquitetura e Urbanismo HOLANDA, Sarah Emille Campos de Graduando em Arquitetura e Urbanismo ROCHA, Karla Jéssica Oliveira Graduando em Arquitetura e Urbanismo

RESUMO A seguinte pesquisa tem por objetivo analisar a arquitetura do Mercado de Ferro de Fortaleza, trazido para a capital em 1897, com projeto da empresa francesa Guillot Pelletier, de Orleans. Primeiramente é realizada a contextualização do objeto no processo de desenvolvimento da tecnologia a caráter mundial, chegando à análise particular da obra. Em seguida, são analisados separadamente a implantação,

composição volumétrica e organização espacial, a fim de investigar a função que cada parte cumpre, isolada e em conjunto com as demais. Cada um desses elementos será submetido à luz dos conceitos tratadistas de Vitrúvio, a saber: Função, Solidez e Função. Palavras-chave: Mercado de Ferro, Análise Formal, Análise Social.

ABSTRACT The following research aims to analyze the architecture of the Mercado de Ferro de Fortaleza (Iron Market of Fortaleza), brought to the capital in 1897, with the project of the French company Guillot Pelletier, from Orleans. Firstly, is realized the contextualization of the object in the process of developing of the technology around the world, reaching the particular analysis of the work. Next, the volumetric composition and spatial organization are analyzed separately, in order to investigate

podemos afirmar que. frente o caos. são usados como guia do conceito arquitetônico. no século I da era précristã. nem mesmo Deus conseguiu resistir à ordem. Esse algo é o método. A Construção de um Método para a Arquitetura. . “os métodos são construídos no encontro da necessidade com a razão ” 1. 01. Beatriz. e sintetiza todo o conhecimento teórico que o período em questão possuía do assunto. Iron Market. aprimorá-lo ou descartá-lo. então uma nova funcionalidade se agrega ao também novo método de vida. Vê-se uma tentativa de suprimir o instinto frente à necessidade. Tendo em vista que o gênesis reflete o pensamento de uma sociedade muito antiga. São Paulo. enquanto enumera-se e organiza-se um controle das funções para suprir essas necessidades. 2002. INTRODUÇÃO Segundo o mito ocidental da criação. vemos o desenvolvimento de algo no seu esforço. influenciando e sendo influenciada por ela.04. Segundo escreveu a Prof. namely: Form. Social Analysis. depois passa a plantar e a colher. p. O conceito de ordem esteve em constante mudança.ª Dr. 1 OLIVEIRA. o homem tem a noção do método e da ordem. tenta buscá-lo. Vitrúvio elaborou um compêndio de obras que formalizam o método de construção e análise de obras. Ele desejou a ordem e criou as leis do universo. Firmness and Function. alone and in conjunction with the other. O homem neolítico é o modificador da natureza. Portando. Quando se fala de construção e arquitetura. Esses tratados possuíam uma carga de conhecimento tamanha que. Keywords: Formal Analysis. Mas foram necessários muitos séculos até ver-se surgir a primeira formalização do método. podemos citar o pioneiro do estabelecimento do método como Marcus Vitruvius Pollio. ainda nos dias de hoje.ª Beatriz Oliveira. Quando o homem paleolítico sai a caçar e vive de maneira nômade. Each of these elements will be submitted to the concepts of the Vitruvius treatises. seguindo a sociedade. desde tempos imemoriais. mas sempre o tem em sua temporalidade.the role that each party meets.

A teoria vitruviana estabeleceu basicamente três princípios nos quais toda construção de arquitetura deve se sustentar. Há mesas no teto. além da análise do caráter social e psicológico. Os cidadãos e os profissionais da arquitetura são representados pela diarista. como e quando se fará qualquer coisa se. PREMISSAS HISTÓRICAS a. o conjunto do Mercado de Ferro de Fortaleza será visualizado sob a ótica desses três princípios. cumpridora assídua das obrigações que seu ofício lhe exige. Preocupação Estrutural. Essas diretrizes correspondem à Preocupação Formal e Estética. A casa representa a área de atuação. 02. Ela não conhece os padrões sociais e culturais daquele homem. e ela aprendeu as “normas” sociais e culturais que definem o quão bom ou ruim é o modo de se fazer determinados serviços. Ela viu-se então diante de um problema. aspectos não explorados pela obra de Vitrúvio. e finalmente. ela percebe algo estranho. embora se esforce o máximo. ou o trabalho a ser executado. não existir o conhecimento sobre o objeto de intervenção? Independente da área à qual se pertença. O que pode ser feito. tarefa esta que ela aceita prontamente. animais empalhados no chão. esse conhecimento é imprescindível para qualquer movimentação. portanto. Os padrões diferem de tudo o que ela aprendeu. Na análise contida no presente trabalho. cadeiras nas paredes. mas essa experiência lhe mostrou como fazer bem o trabalho. caso não a conheçamos. Ela levou muito tempo. . no original em latim Venustas. não fará um bom serviço. ela é então convidada para realizar uma tarefa de organização na casa de um senhor estrangeiro. etc. antes. Preocupação Funcional ou Utilitas. Chegando ao local. livros empilhados de várias formas diferentes. Firmitas. O senhor estrangeiro representa o contratante ou o requerente do serviço. Mas. Justificativa à abordagem histórica Imagine uma secretária do lar. pois a casa é completamente diferente do que ela já viu em sua vida. Ao longo da história podem ser vistos os diversos estilos artísticos enfatizando um ou outro desses princípios.

o choque de ver levantar-se uma enorme estrutura esbelta atravessando o rio deve ter sido impactante. . com as arcadas de pedras maciças. sediada em Paris. se perderam sob os escombros da Segunda Guerra. moldando-se para qualquer forma artística. quando antes. na Inglaterra. partindo do geral até o individual e particular. A vantagem do ferro fundido era a trabalhabilidade do material. Isso não aconteceu na América e na África. uma visão partindo da evolução da arquitetura do ferro em caráter mundial. b. era usado para pequenas decorações e cabos tensionados. A Ironbridge2 foi a pioneira no uso do ferro para resistir a esforços de tração e compressão.O conhecimento histórico requerido é de vital importância para todos os que estão contidos no cenário. é necessário um aprofundamento no conhecimento histórico. A Arquitetura do Ferro Apesar dos significativos avanços da tecnologia construtiva na Revolução Industrial. Acostumados às robustas construções neogóticas inglesas. No caso da presente pesquisa. É o nome da primeira ponte de ferro construída na Europa. Era o início do uso do ferro fundido para formar grandes estruturas. Nesse contexto. Um século depois. teve uma grande surpresa no ano de 1779. bem como sua capacidade de vencer maiores vãos em relação às estruturas convencionais de madeira. As construções da Arquitetura do Ferro pela Europa. até o contexto da chegada do Mercado de Ferro a Fortaleza. que comemorava o centenário da Revolução. principalmente da França e da Inglaterra. selou a superioridade do material. antes de qualquer análise. a população de Shropshire. os engenheiros demonstravam estruturas faraônicas para provar a supremacia do ferro sobre qualquer outro tipo de estrutura. a monumental construção da torre gigante de ferro de Gustave Eiffel. 2 Literalmente “ponte de ferro”. descrita anteriormente no texto. em sua grande maioria. Na Grande Exposição Mundial de 1889. que entre 1880 e 1910 foram os grandes importadores de edifícios préfabricados de ferro.

encontra-se em avançado estado de deterioração no bairro da Aerolândia. visto que a maioria era de clima tropical. Façamos então a enumeração destes princípios e a parcela de . então prefeito de Fortaleza. Em 1938. na praça Marquês de Herval. 03. e desenvolveram um tipo de desenho adequado às condições desses países. Guilherme César da Rocha. a cidade de Fortaleza decidiu que deveria importar também uma das novas construções de ferro da Europa. fica atualmente no bairro da Aldeota. segundo diz a teoria vitruviana. e o pórtico central que as unia perdeu-se. ANÁLISE ARQUITETÔNICA DO CONJUNTO A análise arquitetônica utilizada neste estudo leva em consideração os princípios arquitetônicos estabelecidos por Vitrúvio. abrigava o mercado de carnes da cidade. Cada princípio deve ser pesado igualmente para uma construção satisfatória. onde ficou conhecido como o Mercado dos Pinhões. c. No dia 18 de Abril de 1897. o principal tipo de prédio construído para exportação eram os mercados públicos. Cada um deles tem a sua parcela para a construção e a análise. na França. unidas por um pórtico central chamado avenida. em Orleans. Uma das metades. A segunda metade. Além das ferrovias. para a qual existe um projeto de restauração ainda não iniciado. O prédio é composto por duas partes iguais. O Mercado de Ferro de Fortaleza Nesse contexto. É de fundamental importância compreender que esses princípios não compõem individualmente a obra em si. como o Mercado Central de Paris.Escritórios inteiros na Europa se especializaram nesses edifícios que os países americanos e africanos importavam. visivelmente baseados no design dos grandes centros comerciais. A estrutura veio da fábrica Guillot Pelletier. restaurada pela Prefeitura de Fortaleza em 1998. apenas oito anos após levantarem a Torre Eiffel. um decreto de lei separou as duas metades. inaugurou o Mercado de Ferro de Fortaleza.

participação de cada um na construção da arquitetura do Mercado de Ferro de Fortaleza. finalmente. a parte civil. feita do mesmo material. As colunas são fundidas numa . o edifício apenas repousa sobre as bases. O pavilhão central. As fundações do conjunto são externas no seu perímetro. e a outra parte formada pela construção metálica. seu envoltório físico. e de sapatas independentes para as colunas internas. e 28 colunas exteriores e perimetrais de 2. como aterramento do edifício. drenagem e instalações hidro-sanitárias. a. As fundações perimetrais são executadas com uma camada niveladora inicial de tijolos. é composto de uma nave central e duas naves laterais. Esta solução funciona engenhosamente também. Firmitas: Preocupação quanto à firmeza Este princípio refere-se aos sistemas estruturais do edifício. Na parte superior desse bloco existe um orifício cilíndrico onde se encaixa a espiga de ancoragem da coluna de ferro fundido. já que sua estrutura está encaixada em base de mármore. Este elemento tem também a função de parapeito. fazendo parte do muro/fundação. piso. As fundações independentes dos pilares internos são feitas de blocos de mármore de 50x50x60 centímetros. Nas linhas dos módulos da estrutura metálica. A estrutura vertical está composta de 16 colunas internas de ferro fundido com 7. que sobressaem ligeiramente do plano vertical. protegendo-o contra as descargas elétricas. são encontrados blocos de mármore. assentados sobre uma base de nivelação feita de tijolos. Tecnicamente. às tecnologias e à qualidade dos materiais utilizados. depois um muro de tijolos e. composta pelas fundações. como uma gaiola sobre o piso.80 metros de altura. O edifício foi executado em dois sistemas distintos. acentuando e marcando a modulação.30 metros de altura. que estão dispostas em duas linhas longitudinalmente e oito linhas transversalmente. um arremate terminação em mármore branco com forma prismática. compondo com a grade o fechamento do edifício ao nível da rua. aproximadamente. em cada uma das metades do mercado.

única peça e vazadas no seu interior. fazendo parte dela os suporte para as venezianas de madeira. O programa que cumpria era de um padrão europeu de mercado público. com grandes vãos vencidos entre os pilares. aparafusadas às colunas. e como eles atendem aos requisitos físicos e psicológicos do fim para o qual foi criado. A utilização do ferro como material estrutural permitiu criar treliças extremamente esbeltas e vãos grandes. Estão distribuídas em três linhas. à imagem dos grandes mercados da Europa. mas após a restauração da metade que se encontra na Praça dos Pinhões. Em cada uma das arestas da planta há um portão de entrada. em 1998. A estrutura horizontal transversal é concebida por tesouras semi-elítpticas de ferro laminado. o que denota a grande perícia técnica dos seus fundidores. era deveras comum. O conjunto forma um sistema estrutural extremamente competente. Utilitas: Preocupação quanto à funcionalidade O princípio trata da composição dos espaços. que nesta posição fixam as barras de ferro chato de contraventamento da mesma no seu interior. facilitando o fluxo de um número grande de . sem comprometer com isso. e até se pode chamar a tendência de modismo. que ao mesmo tempo funcionam como vitrais. A coberta inicialmente era de fibrocimento. A planta é composta por uma forma retangular. A estrutura horizontal longitudinal de contraventamento do edifício é composta por vigas retas. construídas a semelhança das tesouras e se encontram nas fachadas laterais. simetricamente invertidas. fim para o qual se destinava. O conjunto de cada linha horizontal é composto por quatro dessas tesouras que formam um pórtico. foi substituída por um telhado metálico ondulado. O Mercado de Ferro de Fortaleza foi desenhado nos escritórios da França para cumprir com um programa de necessidades que. As tesouras são formadas no seu perímetro por cantoneiras duplas. b. a resistência às condições impostas pelas ações do uso ou esforços naturais. como o Mercado Central de Paris. Isso torna possível a instalação de inúmeros boxes de exposição e venda no interior do edifício. à época.

Uma das metades. em 1938. eles abusavam das curvas artísticas em suas peças. o mercado foi desenhado para países de clima tropical. Venustas: Preocupação quanto à estética Esse princípio refere-se às preocupações estéticas ao se projetar. permitindo a circulação de ventilação. pórtico central coberto entre as duas metades do mercado. o Mercado de Ferro foi feito com elementos particulares.pessoas dentro do recinto. estava funcionando até que a Prefeitura de Fortaleza interditou para começar obras de restauração. A ‘avenida’. Construído em 1897. tornava possível transitar entre os dois lados. c. na parte mais alta. Mesmo em condições precárias. pouco abaixo do telhado. A segunda metade está totalmente deteriorada. Apesar de ser feito sob a encomenda de um desenho de catálogo. Os mercado Europeus são praticamente lacrados. O art-nouveau era a principal influência dos . não por esquecimento ou falta de uso. que vendiam produtos diferentes. sob a proteção de um teto. como é o caso do Brasil. Apesar de ter sido projetado e construído na Europa. hoje está em Fortaleza há mais de um século. para funcionar como exaustor do ar quente que ainda insistir em ficar. tendo apenas as aberturas de entrada e saída de pessoas. e seus elementos são proporcionados de acordo com os princípios da simetria. até o momento não iniciadas. a beleza está presente quando a aparência da obra é agradável e de bom gosto. Para Vitrúvio. com apresentações culturais variadas. Para esse fim também cumpre muito bem o seu papel. Essas venezianas também existem perto do ápice da cumeeira. existe um grupo de venezianas de madeira que correm por toda a dimensão longitudinal. o clima da capital cearense tornaria o ar dentro do edifício sufocante. foi totalmente restaurada e hoje funciona como um centro de artes. o Mercado dos Pinhões. portanto. Além das grades. mas por não ter sofrido nenhuma intervenção de restauração desde sua montagem no novo local. A própria idade do conjunto prova a sua utilidade e importância para a cidade. O ferro fundido possibilitava aos fundidores darem qualquer forma aos materiais. devido ao frio cortante do Hemisfério Norte. O Mercado de Ferro tem o seu fechamento lateral feito com grades de ferro laminado. Caso não houvesse essa livre circulação.

há um semicírculo radiado por peças de ferro laminado. que adornam perimetralmente todo o conjunto. As laterais também possuem vitrais encimando e embasando as venezianas. como altamente trabalhado. Sem dúvidas. criando um vitral que transita entre as cores vermelho e amarelo. O edifício conta com três faixas de vitrais. e circundam todo o edifício. e o Mercado reflete justamente os recursos do estilo. arrematadas ao centro por uma flor de quatro pontas fundida. dois na fachada e um no lanternim. As mãos francesas que encimas os pilares são trabalho da mais alta serralharia. Está ricamente adornado com várias composições de ferro fundido fixadas por parafusos. mas com trabalhos de adornos executados em serralharia. Eles tem o desenho de uma grega simples. o conjunto do edifício classifica-se positivamente no quesito estético. formada por ferros chatos cruzados em X. No centro do frontão. Tem uma composição simples de barras verticais fixadas horizontalmente em barras de ferro chato perfuradas cilindricamente por ação mecânica. afora os meio-rosetões no centro dos frontões. As pontas de lanças são aparafusadas na parte superior mantendo na posição e embelezando as barras verticais. fixada no cruzamento por um parafuso.projetistas europeus do período. Ele é encimado por um para-raios não só funcional. Esse vitral toma grande parte do frontão e concentra nele grande parte da atenção do conjunto. As grades são feitas com ferro doce de seção circular. A peça mais notável do conjunto. indubitavelmente. demonstrando todo o bom gosto do art-nouveau. exibindo curvas fantásticas e belas. . sendo executados com a mesma técnica. Os portões completam o fechamento do edifício. é o grande frontão que faz o fechamento das fachadas principais. criando uma forma artística de curvas belíssimas. lineares e estreitos.

São Paulo: Editora 34. 2008. A obra arquitetônica não é vista tão somente como objeto de arte. . suas cidades. e com a mudança de tipos de uso. e sustentará a sua silhueta por mais um século. provando através de um século de vida. Bruno. pp. São Paulo: Martins Fontes. Fortaleza. escritas há mais de quarenta anos. 166-167) As palavras de Hall. mostram uma preocupação antiga da relação entre o homem e a sua relação psicológica com o ambiente. que atende aos requisitos funcionais impostos. economicamente e espacialmente. BIBLIOGRAFIA       ZEVI. em sua obra mais reconhecida. 05. fossem algo diferente. Além disso. que de certa forma engloba os mesmos fatores de análise de uma obra de arte. entendido como arquitetura e como obra de arte. Guia Arquitetônico de Fortaleza. com suas curvas trabalhadas. Arquivo Pessoal. as premissas psicológicas de estética que cada estilo possui intrínseca em si. ROSSI. São Paulo: Martins Fontes. 1966. 2006. (E. Arquitetura da Cidade. Segundo Zevi. pode-se dizer que a conclusão obtida da observação e análise é perfeitamente satisfatória dentro dos parâmetros estabelecidos para uma boa arquitetura. Saber Ver a Arquitetura. José. 2000. filosoficamente. algumas maneiras de interpretação da arquitetura. Tendo em vista todos os elementos que fazem parte do Mercado de Ferro. Hall. Jacqueline. nem somente como espaço físico destinado a um fim específico. A Pintura. uma parte importante de sua história. 2002. LICHTENSTEIN. Aldo. O arquiteto Bruno Zevi descreve. Expressa.04. relembrando à cidade de Fortaleza. um edifício pode ser interpretado politicamente. além de variações desses conceitos básicos. ou sua língua. Acervo Secretaria Municipal de Infraestrutura. NIREZ. CAPELO. CONCLUSÕES É um erro agir como se os homens fossem uma coisa e sua casa. possui mais que o necessário para manter a firmeza que se espera. sua tecnologia. cientificamente.