ANATOMIA PALPATÓRIA Utilização do tato para investigar e obter informações, ou para completar as já obtidas por outros meios.

Extraem-se informações de estruturas situadas abaixo da pele e da fáscia. REGIÕES: OBJETIVOS: • • • • • • • Avaliar a ADM = Amplitude de Movimento. Avaliar a simetria de estruturas. Ver alterações na forma, textura, elasticidade, contornos ósseos e musculares. Perceber tensão tecidual. Sentir temperatura, umidade, tumefação e crepitação. Compreender pontos desencadeantes de dor. Determinar posicionamento adequados em pós operatório e após traumas. ANATOMIA Anatome – do grego = cortar em pedaços ou separar. (Aristóteles – 384-322 a.C.) Dissecare – do latim = cortar em pedaços. Anatomia tem como interesse o estudo da forma mas para uma compreensão real a forma deverá sempre estar relacionada com a função. ANATOMIA REGIONAL - TOPOGRÁFICA Estuda o corpo humano por segmentos ou partes, sendo as mesmas divididas em regiões ou zonas. Ex: Cabeça →face →nariz ANATOMIA de SUPERFÍCIE Estudo de estrutura situada sob a pele e perceptíveis ao toque. Através da observação e da palpação. A palpação é uma técnica clínica para exame da anatomia no corpo vivo. TECIDO ÓSSEO Do grego: Osteon = osso + Logus = estudo Do latim: Os = osso Forma elástica de tecido conjuntivo semirrígido que forma partes do esqueleto onde ocorre movimento. Diáfise (corpo) Epífises (extremidades) Metáfises (entre as regiões acima) Cartilagem articular FUNÇÕES: Proteção – Sustentação – Fixação Depósito de Ca e P e produção das células do sangue

Tubérculos. Meatos. Foramens. ESQUELETO AXIAL • • • • Cabeça (crânio e face) Coluna vertebral Hióide Ossos do tronco (esterno e costelas) .PARTES: Substância óssea Cavidade medular Osso Trabecular TIPOS: • • • • • • Longo Curto Plano Irregular Sesamóide Pneumatico ESQUELETO APENDICULAR ACIDENTES: DEPRESSÕES – Fossas. Fissuras. Trocânteres ABERTURAS – Incisuras. Espinhas. Canais. Impressões SALIÊNCIAS – Processos. Linhas. Cristas. Sulcos.

III.CARPO 8 ossos em 2 fileiras Fileira proximal: escafóide. V COLUNA 7 vértebras cervicais (atlas. Afasta as faces anteriores ou posteriores de 2 segmentos. distal) 14 falanges: dos 2°ao 5°dedos: Falange proximal. III. medial e distal Polegar: Falange proximal e distal PÉ E DEDOS 7 ossos em 2 fileiras Fileira proximal: calcâneo e tálus Fileira distal: navicular. medial e distal Hálux: Falange proximal e distal MOVIMENTOS GERAIS FLEXÃO – movimento que diminui o ângulo de uma articulação. semilunar.7 pares verdadeiros. piramidal. MEMBRO SUPERIOR Braço – úmero Antebraço – rádio (lateral) + ulna (medial) Punho – Carpo (8 ossos) Mão – metacarpo (dorso) + falanges (proximal. trapezóide. . II. axis) 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 5 vértebras sacrais (fundidas) 4 vértebras coccígeas (fundidas) TORAX 1 ESTERNO – Manúbrio. intermédia. IV. V 14 falanges: dos 2°ao 5°dedos: Falange proximal. cuneiforme medial. cubóide. Fileira distal: trapézio. corpo e processo xifóide COSTELAS . II. IV. capitato. Aproxima as faces anteriores ou posteriores de 2 segmentos. cuneiforme intermediário (médio) e cuneiforme lateral 5 ossos metatarsianos numerados em I. hamato MÃO E DEDOS 5 ossos metacarpianos numerados em I. 3 pares falsos e 2 pares flutuantes. pisiforme. EXTENSÃO – movimento que aumenta o ângulo de uma articulação.

extensão. É a combinação da flexão. Além da posição anatômica.CIRCUNDUÇÃO – movimento circular de um membro que descreve um cone. Como em uma abdução. Superfície anterior gira para fora. ARTICULAÇÃO DA COLUNA FLEXÃO LATERAL – qualquer dos segmentos da coluna afastando-se da linha média em movimento lateral para a direita ou para a esquerda. ADUÇÃO – movimento que aproxima da linha mediana. ROTAÇÃO EXTERNA ou LATERAL – movimento rotatório em torno do eixo longitudinal no sentido contrário ao da linha mediana. REDUÇÃO – Retorno à posição anatômica. adução e abdução. ROTAÇÃO INTERNA ou MEDIAL – movimento rotatório em torno do eixo longitudinal no sentido da linha mediana. HIPEREXTENSÃO – ultrapassar o ângulo da extensão. INCLINAÇÃO LATERAL . Superfície anterior gira para dentro. ABDUÇÃO – movimento que afasta da linha mediana.

elevar o ombro. ROTAÇÃO DESCENDENTE ou PARA BAIXO rotação da escápula com seu ângulo inferior dirigindo se medialmente e para baixo. ROTAÇÃO ASCENDENTE ou PARA CIMA – rotação da escápula com seu ângulo inferior dirigindo-se lateralmente e para cima. Voltar a posição anatômica.rodar externamente o antebraço girando a palma da mão para cima. Adução das escápulas. INCLINAÇÃO LATERAL DA PELVE SUPINAÇÃO . ELEVAÇÃO DEPRESSÃO – Movimento Movimento superior inferior da da cintura cintura escapular.R ARTICULAÇÃO DA CINTURA ESCAPULAR PROTRAÇÃO – afastamento da linha média das escápulas. ROTAÇÃO ou INCLINAÇÃO PARA FRENTE – espinha ilíaca ânterosuperior projeta-se à frente.U . ARTICULAÇÃO RADIOULNAR PRONAÇÃO – rodar internamente o antebraço girando a palma da mão para baixo. escapular. FLEXÃO ULNAR ou DESVIO ULNAR – Adução do punho. afastando da linha média. Abdução das escápulas. ARTICULAÇÃO DO OMBRO ABDUÇÃO HORIZONTAL ou EXTENSÃO HORIZONTAL – movimento do membro superior no plano horizontal afastando-o da linha mediana do corpo. RETRAÇÃO . aproximando da linha média. ADUÇÃO HORIZONTAL ou FLEXÃO HORIZONTAL– movimento do membro superior no plano horizontal aproximando-o da linha mediana do corpo.aproximação da linha média das escápulas. ROTAÇÃO ou INCLINAÇÃO PARA TRÁS – espinha ilíaca ântero-superior projeta-se para trás. D. D. ARTICULAÇÃO DO PUNHO FLEXÃO RADIAL ou DESVIO RADIAL – Abdução do punho.ARTICULAÇÃO DA PELVE INCLINAÇÃO LATERAL – Depressão ou Elevação de uma crista ilíaca em relação à outra. Sair da posição anatômica. deprimir o ombro.

costela na inspiração forçada.ARTICULAÇÃO DO POLEGAR OPOSIÇÃO – Movimento diagonal do polegar. Arthron = juntura Logos = estudo Músculos – Coluna Cervical – ESCALENOS ESCALENO ANTERIOR Origem: Processos Transversos de C2 a C6. SUPINAÇÃO – rotação. ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO E PÉ FLEXÃO DORSAL ou DORSOFLEXÃO (FLEXÃO) trazer a ponta do pé em direção a região anterior da tíbia. ARTICULAÇÕES Articulações ou junturas são as uniões funcionais entre os diferentes ossos do esqueleto. PRONAÇÃO – rotação. Ficar na ponta dos pés. FLEXÃO PLANTAR ou PLANTIFLEXÃO (EXTENSÃO) – a ponta do pé afasta da região anterior da tíbia. Ação: Flexão lateral da coluna cervical e eleva a 1ª. Costela no tubérculo escaleno. Ficar no calcanhar. ESCALENO MÉDIO Origem: Processos Transversos de C2 a C6. Costela próximo ao sulco do subclávio. planta do pé para a direção externa. Do Grego. . REPOSIÇÃO – Movimento contrário. Inserção: 1ª. Ação: Flexão lateral da coluna cervical e eleva a 1ª. Inserção: 1ª. INVERSÃO – girar a planta do pé para dentro ou medialmente. EVERSÃO – girar a planta do pé para fora ou lateralmente. indo em direção aos outros dedos da mão. costela na inspiração forçada. planta do pé para a direção interna.

Inserção: subclávio. Segunda costela. Porção Média = Adução da cintura escapular. Ação: Porção Superior = Elevação e Rotação Superior da cintura escapular. Ação: Flexão Lateral da coluna cervical e eleva a segunda costela na inspiração forçada. acrômio e espinha da escápula. Inserção: Osso occipital.C.T.ESCALENO POSTERIOR Origem: Processos transversos de C4 a C6. posterior ao sulco TRAPÉZIO Origem: base do crânio e processo espinhoso de C7 a T 12. . Porção Inferior = Depressão da cintura escapular. a 6 V. Inserção: borda posterior da clavícula. e processo transverso da 7 V.C. SEMIESPINHAL DA CABEÇA Origem: Processo articular da 4 a 6 V. Ação: Extensão e Flexão Lateral da coluna cervical.

Ação: Abdução e Rotação superior da cintura escapular.ELEVADOR DA ESCÁPULA Origem: Processo transverso C1 a C4 = vértebras cervicais. abdução e rotação inferior da cintura escapular. Ação: Elevação da cintura escapular. Músculos Articulações da Cintura Escapular SERRÁTIL ANTERIOR Origem: Superfície externa das 9 costelas na face lateral do tórax. quarta e quinta costela.da espinha ao ângulo superior. adução e rotação inferior da cintura escapular. Inserção: Borda medial. ROMBÓIDE Origem: Processo espinhoso de C7 a T5 . Ação: Elevação. Inserção: Borda medial da escápula. Inserção: Superfície externa da terceira. Ação: Depressão. . Inserção: Borda medial da escápula . PEITORAL MENOR Origem: Processo coracóide da escápula. ângulo superior e inferior da escápula.

DE GRAN REDONDO MENOR Origem: Superfície dorsal da escápula. Ação: Extensão. INFRA . Ação: Rotação Externa e Adução do ombro.ESPINHAL Origem: Fossa supraespinhal Inserção: Tubérculo maior do úmero Ação: Abdução do ombro. sacro. Inserção: Sulco intertubercular do úmero. na borda lateral – ângulo inferior. Rotação Interna e Adução do Ombro. Ação: Extensão.Músculo da Articulação do Ombro GRANDE DORSAL Origem: Processo espinhoso de T6 a T12 e as 5 lombares. Inserção: Tubérculo maior do úmero. REDONDO MAIOR Origem: Superfície dorsal da escápula. SUPRA . crista ilíaca e 3 últimas costelas. Adução e Rotação Interna do ombro. . na borda lateral.ESPINHAL Origem: Fossa infraespinhal Inserção: Tubérculo maior do úmero Ação: Rotação Externa e Extensão Horizontal do ombro. Inserção: Tubérculo menor do úmero.

Porção esternal: extensão e adução do ombro. flexão horizontal e rotação interna do ombro. Ação: Rotação interna do ombro PEITORAL MAIOR Origem: clavícula. Inserção: Sulco intertubercular do úmero Ação: Porção clavicular: flexão . SUBESCAPULAR .SUBESCAPULAR Origem: Superfície costal da escápula. reforçar a cápsula articular e resistir ativamente e deslocamentos da cabeça do úmero. REDONDO MENOR. INFRAESPINHOSO. Junção dos músculos: SUPRA-ESPINHOSO. Inserção: Tubérculo menor do úmero. MANGUITO ROTADOR A função principal deste grupo é manter a cabeça do úmero contra a cavidade glenóide. esterno e cartilagem das 6 primeiras costelas.

crista do púbis e linha alba. sexta e sétima cartilagem costal Inserção: Crista e sínfise púbica. Ação: flexão da coluna e flexão lateral para o mesmo lado e rotação para o mesmo lado da coluna. Inserção: Oitava. Ação: Flexão da coluna e flexão lateral do mesmo lado e rotação para o lado oposto da coluna.Músculos – Articulação da Coluna Torácica e Lombar OBLÍQUO INTERNO Origem: Fáscia toracolombar e crista ilíaca. . Flexão lateral da coluna para o mesmo lado. Parte superior fixa realiza a retroversão da pelve. Músculos – Articulação da Coluna Torácica e Lombar RETO ABDOMINAL Origem: Quinta. Ação: Parte inferior fixa realiza a flexão da coluna. nona e décima cartilagem costal e linha alba. OBLÍQUO EXTERNO Origem: Sete últimas costelas. Inserção: Crista ilíaca.

Inserção: Vértebras lombares superiores e borda inferior da última costela. Ação: Inspiração por elevação das costelas. Inserção: Fáscias dos músculos peitoral maior e INTERCOSTAL EXTERNO Origem: Borda Inferior da Costela Suprajacente. Ação: Deprime a mandíbula e traciona o lábio inferior.QUADRADO LOMBAR Origem: Crista ilíaca e processo transverso das quatro vértebras lombares inferiores. PLATISMA Origem: Face inferior da mandíbula e pele inferior da face e canto da boca. Inserção: Borda Superior da Costela Infrajacente. A M IS AT PL . deltóide. Ação: Flexão lateral da coluna para o mesmo lado.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful