You are on page 1of 5

SUCESSÃO DOS DESCENDENTES.

Na mesma linha, se existirem vários herdeiros no mesmo grau, a sucessão será por cabeça, isto é, cada herdeiro receberá partes iguais. Exemplo; irmãos recebem iguais quinhões. Se na mesma linha existirem herdeiros de graus diferentes, a herança será dividida tantas quantas forem as cabeças e as estirpes. As cabeças e as estirpes terão igual valor. Os sucessores do herdeiro falecido na sucessão de outros herdam por representação, isto é, herdam aquilo que seu antecessor receberia se estivesse vivo. o falecido teve dois filhos, A e B. A está vivo no momento do falecimento do pai e B já havia morrido, porém tem dois filhos vivos. A herança é dividida em duas partes iguais de 50% cada. A, filho vivo do autor da herança, herdeiro por cabeça, por direito próprio recebe sua parte de 50%. Os filhos de B (herdeiro pré-morto), netos do autor da herança, herdam por estirpe, pelo direito de representação, recebendo cada um 25% que totalizam os 50% que seria a parte do pai. Os descendentes de grau mais próximo excluem os mais remotos. Assim, se houver filhos, os netos não herdarão. O cônjuge herda junto com os descendentes se for casado com o falecido nos regimes da separação convencional de bens, da comunhão parcial de bens com bens particulares e na participação final dos aquestos com bens particulares. Se concorrer com descendente de qualquer grau, caberá ao cônjuge uma cota parte igual ao daqueles que sucederem por cabeça. Se o cônjuge concorrer com 4 ou mais descendentes comuns, deverá ser reservada ao cônjuge a quota de ¼ da herança dividindo-se o remanescente entre os descendentes do falecido.

SUCESSÃO DOS ASCENDENTES. Eles só herdam se não houver descendentes e o grau mais próximo exclui os mais remotos. Na ordem ascendente não há o direito de representação. O cônjuge concorre com os ascendentes do falecido independentemente do regime de bens do casamento. Se o cônjuge concorrer com os dois ascendentes de primeiro grau do falecido, herdará 1/3 da herança e o remanescente (2/3) será dividida de forma igual na linha materna e paterna. Se o cônjuge concorrer com um único ascendente de primeiro grau do falecido ou com outros ascendentes de grau mais remoto, caberá ao cônjuge metade da herança dividindo-se o remanescente para as linhas materna e paterna que têm o mesmo peso. Se não houver descendentes, o cônjuge herda sozinho.

1

Se concorrer com colaterais até o 4º grau herdará 1/3 assim como na regra anterior. o companheiro recolherá a integralidade da herança. Obs. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA. (exclusivos).: O STJ está discutindo a constitucionalidade deste dispositivo. Não concorrendo à herança o irmão bilateral. caberá ao companheiro 1/3 da herança. Só herdarão se não houver descendentes. os irmãos unilaterais herdam em partes iguais. (ou por parte de pai ou mãe). os sobrinhos aproximam-se um grau. herdam uma cota dobrada. Os filhos dos irmãos germanos e dos unilaterais podem herdar por representação e herdarão na medida do direito do ascendente uni ou bilateral. são preferidos em relação aos tios. Havendo tios e sobrinhos. tocar-lhe-á uma cota igual a que couber a cada filho (a mesma regra se todos os filhos fossem comuns). por fixação legal. Se concorrer com ascendente do falecido. no entanto. SUCESSÃO DO COMPANHEIRO. isto é. Os colaterais. isto é. destinando-se o restante aos ascendentes (2/3). ascendentes ou cônjuge.SUCESSÃO DOS COLATERAIS.) e unilaterais. (o artigo não faz distinção se são companheiros do mesmo sexo ou sexo distinto). descendentes. enquanto os unilaterais recebem uma cota simples. destinando-se esses 2/3 aos colaterais independentemente do número destes. (dos mesmos pais. Se concorrer com descendentes exclusivos e comuns ao autor da herança. serão chamados se o cônjuge sobrevivente estava separado judicialmente do falecido ou se separado de fato por mais de 2 anos por culpa do sobrevivente. ascendentes e colaterais. Se o companheiro concorrer com filhos comuns. (UNIÃO ESTÁVEL). Se não houver parentes suscetíveis do companheiro. 2 . terá dinheiro a uma quota igual ao dos filhos. Se há irmãos germanos. O companheiro somente herda os bens adquiridos onerosamente na constância do casamento. Os colaterais mais próximos excluem o de grau mais remoto. portanto. passando a 2º e. tocar-lhe-á metade do que couber a cada um daqueles filhos. os irmãos germanos tem maior peso da sucessão do outro. Se o companheiro concorrer com descendentes só do autor da herança.

isto é. Portanto. Os que não estão em pleno discernimento naquele momento. O casamento pode ser realizado por procuração com poderes especiais. ATENÇÃO. porém. No entanto. O testamento não conterá apenas questões patrimoniais.. ele não poderá ser revogado. se ele casar até tal data). Somente basta a vontade dele (artigo 1863). pode ser feito testamento com beneficiários recíprocos. se ausentes herdeiros necessário. deve ser feito em documentos distintos (Ex: Marido e mulher). SOLENE: existe uma forma excessivamente rigorosa e deve ser respeitada. isto é. TESTAMENTO NUCUPATIVO: é a exceção da solenidade. Todavia. os incapazes.Se houver herdeiros necessários. É ato personalíssimo. reconhecer paternidade. duas ou mais pessoas. poderá ser revogado a qualquer momento. realizar o testamento. Somente o testador poderá realizá-lo. Poderá. A doutrina diz que é vedado o testamento conjuntivo (testamento em conjunto). ESSENCIALMENTE REVOGÁVEL. o autor poderá dispor apenas de 50% de seu patrimônio. o militar é atingido e informa ao colega de farda como GRATUITO: O testador não ganha nada quando realiza o testamento. Os maiores de 16 anos podem testar se estiverem em pleno gozo de seu discernimento. NEGÓCIO JURÍDICO UNILATERAL: A manifestação de vontade é exclusiva do testador. 3 . O testamento é um documento revogável. REGRA GERAL. estabelecer a criação de uma fundação. o testamento será irrevogável (neste aspecto). etc. Somente poderá ocorrer em militares (Ex: na guerra. Nesta linha de raciocínio. Todavia. ATO “CAUSA MORTIS”. se houver o reconhecimento de paternidade. DIREITO DAS SUCESSÕES. TESTAMENTO. enquanto o testador estiver vivo o testamento não poderá ser executado. Em relação ao reconhecimento da paternidade. Nem a capacidade superveniente tem a capacidade de convalidar o testamento e nem a incapacidade superveniente tem a capacidade de invalidar o testamento. alguns ônus não desnatura a característica da gratuidade (Ex: Deixo tal bem ao meu filho. num mesmo documento. o testador poderá dispor de todo o seu patrimônio. sem a necessidade de assistência de seus representantes legais. Porque ele somente produzirá efeitos após a morte do testador. Embora seja gratuito. OBS. O testamento é um ato + solene que o próprio casamento. o testamento também poderá ser realizado por procuração? Não é possível. resolver questões sobre velório. Não podem testar. CAPACIDADE DE TESTAR. por exemplo.

Outra consequência é o fato de que o herdeiro que sobrevive ao de cujus. – sucessores a título particular. 4 . A sucessão testamentária decorre da expressa manifestação de última vontade. a qual consiste em uma universalidade de bens sem personalidade jurídica. enquanto os legatários a título singular. Entende-se que. – e legatário. se falecer em seguida. – sucessores a título universal. a sucessão abre-se no exato momento do falecimento. etc. Temos duas espécies de sucessão. tendo em vista que não se concebe direito subjetivo sem titularidade. A legítima deve ser destinada aos herdeiros necessários. tais como o reconhecimento de filho. O testamento. é possível a partilha dos bens por ato entre vivos. Herança de pessoa viva. imposição de cláusula restritivas se houver justa causa. A personalidade tem inicio com o nascimento com vida e termina com a morte. em se tratando de disposições patrimoniais. 50 por cento de seus bens. Portanto. O direito à sucessão aberta é considerado imóvel. o testador tem liberdade para dispor de todo o seu patrimônio. Aberta a sucessão. Todavia. e a testamentária. por força do princípio da saisine o próprio falecido transfere aos seus herdeiros o domínio e a posse da herança. instituição de fundação. não se pode perder de vista que o testamento também poderá conter disposições não patrimoniais. substituindo-a na titularidade de determinados bens. transmite-se a herança automaticamente aos herdeiros. constante de testamento ou codicilo. a legítima. herda os bens por ele deixados e os transmite aos seus sucessores. não pode ser objeto de contrato. Herdeiros são as pessoas que sucedem a título universal.Sucessão significa o ato pelo qual uma pessoa passa a ocupar o lugar de outra. sendo representada ativa e passivamente pelo inventariante. somente pode ter por objeto a parte disponível dos bens do testador. Também é em razão deste princípio que a lei que regula a sucessão é aquela vigente no momento da abertura da sucessão. razão pela qual eventual cessão sobre tais direitos deverá ser feita por meio de escritura pública. ou seja. (Pacto de Corvina). (pessoa constante do testamento que receberá coisa certa ou direito determinado. sem solução de continuidade. que permite a instituição de herdeiros. tem legitimidade ad causam. mas dos fungíveis somente após a partilha. Todavia. Todavia. reabilitação do indigno. nomeação de tutor para o filho menor. A massa patrimonial deixada pelo de cujus é chamada de espólio. adquirem a propriedade dos bens infungíveis desde a abertura da sucessão. Não havendo herdeiros necessários. ainda que por um instante. Os legatários.

na presença de duas testemunhas. O cego somente poderá optar pelo testamento público. pois isso é uma espécie de pacto sucessório que viola a característica da revogabilidade. produz efeitos somente após a morte. o testamento será irrevogável. É negócio jurídico personalíssimo. O analfabeto também só poderá utilizar esta forma de. admissível somente como espécie de testamento militar. não visa à obtenção de vantagem. ou cerrado. só terá validade se for observada a forma legal. Público. ou por alguém a seu rogo. O estabelecimento de encargo ao beneficiário não retira esta característica. Testamentos especiais. sem testemunhas. É ato de última vontade destinado a disposições de pequeno valor. de acordo com as declarações do testador. da mesma forma como o cego. Cerrado. o testamento será publicado em juízo. nem o testamento do incapaz se valida com a superveniência da capacidade. no ato de fazê-lo. 1. o testamento não poderá ser cumprido. Só não podem testar os incapazes e os que. datado e assinado pelo testador. Quem não sabe ler e os surdos-mudos não podem utilizar este modelo de testamento. o qual assinara o escrito após a leitura na presença de três testemunhas. Negócio jurídico unilateral. poderá ser confirmado pelo juiz. (secreto ou místico). sendo o testamento elaborado de próprio punho pelo testador e por ele assinado. Excepcionalmente. É negócio jurídico solene. Não se exige formalidades. é proibido o testamento conjuntivo. O inteiramente surdo lerá o seu testamento. e militar. 3. Morto o testador. É Ato de efeito causa mortis. Pode utilizar-se de forma semelhante ao público. Formas ordinárias de testamento. 2. Marítimo. Se faltarem as testemunhas. a qual é essencial ao testamento. é escrito pelo próprio testador. Particular. É escrito pelo tabelião em seu livro de registro. com citação dos herdeiros legítimos. Aeronáutico. É escrito pelo testador. 5 . não tiverem pleno discernimento.Características. bastando que seja escrito. na presença de duas testemunhas. por circunstâncias declaradas na própria cédula. Codicilos. Podem testar os maiores de 16 anos. O surdo-mudo não pode utilizar esta forma de testamento. que também o subscreverão. É Essencialmente revogável. com (registro no diário de bordo). A incapacidade superveniente do testador não invalida o testamento. na parte em que houver reconhecimento de filho. somente terá eficácia após o auto de aprovação lavrado por tabelião. todavia. Como exceção temos o testamento nuncupativo. É Gratuito.