You are on page 1of 1

O Coletivo Quebrando Muros vem através desta manifestar solidariedade @s estudant@s da ocupação do campus da Unesp de Araraquara, assim como

gostaríamos de expressar solidariedade @s estudant@s em greve nas Unesp's de Marília, Ourinhos, Bauru e Assis. Sabemos que as condições de estudo são precárias, e a falta de assistência universitária contribui para a exclusão d@s filh@s da classe trabalhadora, funcionando como um segundo vestibular, na medida em que @s estudantes não conseguem se manter na universidade por falta de recursos financeiros. A organização dos estudantes é a única forma de fazer avançar a luta em prol de uma universidade pública, gratuita e de qualidade; exigindo melhores condições de ensino, bolsas, moradias universitárias, creche para as mães/alunas/funcionárias/professoras, e muitas outras demandas interna aos próprios estudantes. Assim como a ação coletiva e organizada d@s estudantes é a única forma de fazer recuar a repressão imposta pelo Estado. Nós do coletivo Quebrando Muros atuamos nas greves de 2011 e 2012 na Universidade Federal do Paraná, guiados por alguns princípios como ação direta, autogestão, federalismo, solidariedade classista, conseguimos intervir e ajudar na organização dos estudantes no qual o protagonismo da luta fosse dos mesmos. Organizados por local de estudo, conseguimos arrancar da burocracia algumas conquistas como creche para as mães da comunidade universitária, aumento na quantidade e o valor das bolsas, acessibilidade @s comp@s com algum tipo de deficiência, restaurante universitário em tempo integral (café, almoço e janta em todos os dias da semana), entre outras demandas. Em 2012, tocamos uma greve longa de 3 meses e ocupamos a reitoria por 19 dias. Foi a partir da ação direta dos estudantes e organização por local de estudo (na base) que conseguimos força para arrancar da burocracia todas estas conquistas. Com isso gostaríamos de dizer para @s comp@s em greve e que estão ocupando as reitorias que somente a luta e organização dos estudantes vai impor derrotas ao Estado, um dos responsáveis por aplicar a agenda política imposta pela classe dominante. Assim saudamos a luta d@s estudantes e manifestamos todo o nosso apoio, pois como dizem os zapatistas, “si tocan a uno, nos tocan a tod@s”. Arriba l@s que luchan! Coletivo Quebrando Muros, 09/05/13