ESTADO DO RÌO GRANDE DO SUL

ASSEMBLEÌA LEGÌSLATÌVA
Gabinete de Consultoria Legislativa
LEI N.º 13.821 DE 25 DE OUTUBRO DE 2011.
(publicada no DOE nº 206 de 26 de outubro de 2011)
Cria o Quadro de Pessoal dos Serviços
Auxiliares da DeIensoria Publica do Estado,
altera seu Quadro de Cargos em Comissão e
Funções GratiIicadas e da outras providências.
O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL.
Faço saber, em cumprimento ao disposto no artigo 82, inciso IV, da Constituição do
Estado, que a Assembleia Legislativa aprovou e eu sanciono e promulgo a Lei seguinte:
CAPITULO I
DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Art. 1º Ficam criados, no Quadro de Pessoal dos Serviços Auxiliares da DeIensoria
Publica do Estado, os seguintes cargos de provimento eIetivo:
I - 250 (duzentos e cinquenta) cargos de Analista; e
II - 450 (quatrocentos e cinquenta) cargos de Tecnico.
Art. 2º Os cargos criados no art. 1.º serão distribuidos conIorme as seguintes areas de
atividade:
I - Area Juridica abrangendo, em termos gerais, processamento dos Ieitos, analise e
pesquisa de legislação, doutrina e jurisprudência, elaboração de textos juridicos e demais
atribuições previstas em regulamento;
II - Area Administrativa atividades relacionadas com recursos humanos, material e
patrimônio, orçamento e Iinanças, contratos e licitações, transporte e segurança e demais Iunções
complementares de apoio administrativo previstas em regulamento; e
III - Area de Apoio Especializado atividades a demandar dos titulares, registro no
orgão Iiscalizador do exercicio da proIissão ou que exijam o dominio de habilidades especiIicas,
a criterio da administração, tais como: saude, contadoria, arquitetura, engenharia, comunicação
social, biblioteconomia, inIormatica, programação visual, taquigraIia, assistência social,
administração e economia, dentre outras previstas em regulamento.
Art. 3º As atribuições dos cargos serão descritas em regulamento, considerado o
seguinte:
I - Analista Area Administrativa: atividades de planejamento, organização,
coordenação, supervisão tecnica, assessoramento, estudo, pesquisa, elaboração de textos,
certidões, laudos, pareceres ou inIormações, mediação, conciliação, acompanhamento e
execução de atividade de atendimento ao cidadão, atuação como instrutor e monitor em cursos
de treinamento e aperIeiçoamento de servidores da DeIensoria Publica do Estado e execução de
tareIas de elevado grau de complexidade, dentre as demais atribuições deIinidas em
regulamento;
http://www.al.rs.gov.br/legis
II - Analista Area Juridica: planejamento, organização, coordenação, supervisão
tecnica, elaboração de textos, certidões, inIormações, atividades de apoio a sessões e audiências,
mediação, conciliação, acompanhamento e execução de atividade de atendimento ao cidadão,
atuação como instrutor e monitor em cursos de treinamento e aperIeiçoamento de servidores da
DeIensoria Publica do Estado e execução de tareIas de elevado grau de complexidade, dentre as
demais atribuições deIinidas em regulamento;
III - Analista Area de Apoio Especializado: tareIas de suporte tecnico de elevado grau
de complexidade, dentre as demais atribuições deIinidas em regulamento;
IV - Tecnico atividades de cumprimento e Iormalização dos atos processuais e
respectiva certiIicação, elaboração de documentos, atendimento ao publico, eIetuar juntada de
documentos; proceder a baixa e arquivamento dos processos; executar atividades de apoio
administrativo, mediação, conciliação, atuação como instrutor e monitor em cursos de
treinamento e aperIeiçoamento de servidores da DeIensoria Publica do Estado e outras tareIas de
grau medio de complexidade, dentre as demais atribuições deIinidas em regulamento.
CAPITULO II
DO INGRESSO NA CARREIRA
Art. 4º O ingresso nos cargos criados por esta Lei dar-se-a sempre no primeiro padrão
da Classe 'A¨ do respectivo cargo, apos previa aprovação em concurso publico de provas ou de
provas e de titulos.
Parágrafo único. Podera ser incluido, como etapa do concurso publico, programa de
Iormação de carater eliminatorio, classiIicatorio ou eliminatorio e classiIicatorio.
Art. 5º São requisitos de escolaridade para o ingresso nos cargos de que trata o art. 2.º:
I - para o cargo de Analista, curso de graduação, correlacionado com a especialidade, se
Ior o caso; e
II - para o cargo de Tecnico, curso de Ensino Medio ou curso tecnico equivalente,
correlacionado com a especialidade, se Ior o caso.
Parágrafo único. Alem dos requisitos previstos no 'caput¨ deste artigo, poderão ser
exigidos Iormação especializada, experiência e registro proIissional a serem deIinidos em
regulamento e especiIicados em edital de concurso.
Art. 6º Ao entrar em exercicio, o servidor nomeado para cargo de provimento eIetivo
Iicara sujeito a estagio probatorio pelo periodo de três anos, durante o qual sua aptidão e
capacidade serão objeto de avaliação, inclusive psicologica e psiquiatrica, servindo como
reIerência para a eIetivação ou não no cargo.
§ 1º Como condição para a aquisição da estabilidade, e obrigatoria a avaliação especial
de desempenho por comissão instituida para essa Iinalidade.
§ 2º O estagio probatorio Iicara suspenso durante os periodos de licenças e demais
aIastamentos, exceto quanto aos previstos constitucionalmente.
Art. 7º E atribuição do DeIensor Publico-Geral a alocação dos cargos por area,
atendidas a necessidade e a conveniência dos serviços.
http://www.al.rs.gov.br/legis 2
CAPITULO III
DO PROCEDIMENTO DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO
Art. 8º O processo de avaliação de desempenho, a ser estabelecido em regulamento
proprio, sera reIerencial para aprovação em estagio probatorio, progressão e promoção por
merecimento e objetivara:
I - estimular a motivação e o compromisso dos servidores;
II - melhorar o desempenho;
III - estimular a comunicação interna;
IV - identiIicar as necessidades de treinamento;
V - reconhecer êxitos e estimular o aperIeiçoamento; e
VI - promover a eIiciência, a eIicacia e a eIetividade dos serviços.
Art. 9º O processo de avaliação de desempenho sera baseado em criterios de
competências, nos prazos e na Iorma estabelecidos em regulamento.
Art. 10. Sera responsavel pelo processo de avaliação a cheIia a quem o servidor estiver
subordinado, na Iorma do regulamento.
Art. 11. A implantação do processo de avaliação de desempenho para Iins de
progressão e promoção por merecimento sera precedida de programa de treinamento, de carater
obrigatorio, destinado a preparação e a capacitação dos servidores e agentes responsaveis pelo
processo de avaliação.
Art. 12. Cabera a DeIensoria Publica do Estado instituir programa de capacitação,
destinado a Iormação e ao aperIeiçoamento proIissional, visando a preparação dos servidores
para o exercicio de atribuições de maior complexidade e responsabilidade.
CAPITULO IV
DO DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA
Art. 13. Fica estabelecida a estrutura dos cargos de Analista e de Tecnico, composta por
3 (três) classes, A, B e C, e 5 (cinco) padrões de vencimento para cada classe, nos termos do
Anexo I.
§ 1º As classes A, B e C representam os estagios na carreira, atingidos por meio de
promoção.
§ 2º Os padrões representam as progressões atingidas por meio de avaliação de
desempenho.
Art. 14. A progressão e a elevação do padrão para o seguinte, dentro da mesma classe,
e esta condicionada a aprovação na avaliação de desempenho Iuncional.
Parágrafo único. A progressão sera anual e com base em periodo avaliativo deIinido
em regulamento.
http://www.al.rs.gov.br/legis 3
Art. 15. A promoção e a movimentação do servidor de uma classe para a seguinte.
§ 1º A promoção sera alternada, segundo os criterios de merecimento e de antiguidade,
conIorme deIinição em regulamento.
§ 2º A promoção no cargo sera realizada observado o juizo de conveniência e
oportunidade da DeIensoria Publica do Estado.
§ 3º A antiguidade sera aIerida pela data do ingresso no cargo, independente da area ou
especialidade de atuação e do padrão de progressão em que se encontrar, conIorme deIinido em
regulamento.
§ 4º Decorridos doze meses da aprovação no estagio probatorio, o servidor sera
submetido ao processo de avaliação de desempenho de que trata o Capitulo III desta Lei, para
Iins de progressão e de promoção por merecimento.
Art. 16. A progressão e a promoção por merecimento dependerão, cumulativamente,
do resultado de avaliação Iormal de desempenho e da participação e aproveitamento em curso de
aperIeiçoamento oIerecido, preIerencialmente, pela DeIensoria Publica do Estado, na Iorma
prevista em regulamento.
Art. 17. O intersticio para a progressão e a promoção sera computado em periodos de
365 (trezentos e sessenta e cinco) dias, contados da data em que o servidor completou o ultimo
intersticio aquisitivo, Iicando suspenso durante as licenças e aIastamentos previstos nos incisos
III, V, VI, VII, VIII, X e XI do art. 128 da Lei Complementar n.º 10.098, de 3 de Ievereiro de
1994, que dispõe sobre o estatuto e regime juridico unico dos servidores publicos civis do Estado
do Rio Grande do Sul, bem assim nas Ialtas injustiIicadas ao serviço, sendo retomado a partir do
termino do impedimento.
CAPITULO V
DA REMUNERAÇÃO
Art. 18. A remuneração dos cargos de Analista e de Tecnico Iica constituida pelo
vencimento basico correspondente a respectiva classe e padrão, podendo ser acrescida das
eventuais gratiIicações pecuniarias estabelecidas em lei.
Art. 19. Os servidores ocupantes dos cargos da carreira ora criada, quando investidos
em Iunção de conIiança, perceberão a remuneração do cargo eIetivo acrescida do valor da Iunção
para a qual Iorem designados.
Art. 20. As tabelas de vencimentos basicos são as previstas no Anexo I desta Lei.
Art. 21. Por triênio de eIetivo serviço publico, sera concedido automaticamente um
acrescimo de 3° (três por cento), denominado avanço, calculado sobre o vencimento basico
percebido.
http://www.al.rs.gov.br/legis 4
Art. 22. O servidor, ao completar quinze e vinte e cinco anos de serviço publico,
passara a perceber, respectivamente, o adicional de 15° (quinze por cento) ou 25° (vinte e
cinco por cento), calculados sobre o vencimento basico.
§ 1º A concessão do adicional de 25° (vinte e cinco por cento) Iara cessar o de 15°
(quinze por cento) anteriormente concedido.
§ 2º Para eIeito de concessão dos adicionais, sera computado o tempo de serviço
publico Iederal, estadual ou municipal prestado a administração direta, autarquias e Iundações de
direito publico.
CAPITULO VII
DO QUADRO DE CARGOS EM COMISSÃO E FUNÇÕES GRATIFICADAS
Art. 23. O Quadro de Cargos em Comissão e Funções GratiIicadas da DeIensoria
Publica do Estado Iica constituido da seguinte Iorma:
N.º Cargo/Função Padrão
01 Diretor-Geral CC-DP/FG-DP 12
05 Assessor Superior CC-DP/FG-DP 12
01 Coordenador da Auditoria e Controle Interno CC-DP/FG-DP 11
01 Coordenador da Comissão Permanente de Licitações CC-DP/FG-DP 11
04 Diretor CC-DP/FG-DP 10
05 Assessor Especial CC-DP/FG-DP 10
01 Coordenador da Assessoria de Segurança Institucional CC-DP/FG-DP 10
01 Coordenador-Adjunto da Assessoria de Segurança InstitucionalCC-DP/FG-DP 09
01 Coordenador da Assessoria de Comunicação CC-DP/FG-DP 10
01 Coordenador do Cerimonial CC-DP/FG-DP 10
01 Coordenador do Gabinete Biomedico CC-DP/FG-DP 10
01 Coordenador de Secretaria do DeIensor Publico-Geral CC-DP/FG-DP 09
03 Coordenador de Secretaria de SubdeIensor Publico-Geral CC-DP/FG-DP 09
01 Coordenador de Secretaria do Conselho Superior CC-DP/FG-DP 09
01 Coordenador de Secretaria da Corregedoria-Geral CC-DP/FG-DP 09
02 Assessor da Corregedoria-Geral CC-DP/FG-DP 09
08 Assessor I CC-DP/FG-DP 09
01 Gerente de Projetos CC-DP/FG-DP 09
15 Coordenador de Unidade CC-DP/FG-DP 09
01 Coordenador da Assessoria de Jurisprudência e InIormação CC-DP/FG-DP 08
03 Assessor da Direção-Geral CC-DP/FG-DP 08
09 Coordenador Administrativo CC-DP/FG-DP 08
02 Coordenador de Secretaria CC-DP/FG-DP 06
04 Assessor II CC-DP/FG-DP 05
03 Assessor III CC-DP/FG-DP 03
§ 1º Os cargos criados serão ocupados, preIerencialmente, por servidores publicos, caso
em que perceberão a Iunção gratiIicada correspondente.
http://www.al.rs.gov.br/legis 5
§ 2º A designação de servidor publico para o exercicio de Iunção gratiIicada bloqueara
o cargo em comissão correspondente.
§ 3º Os padrões remuneratorios são os constantes no Anexo II.
§ 4º Os cargos em comissão ou Iunções gratiIicadas poderão, a criterio do DeIensor
Publico-Geral, ser providos em regime especial, tendo o vencimento ou gratiIicação do
respectivo padrão multiplicado por 2,3 (dois inteiros e três decimos).
§ 5º A escolaridade e as atribuições para o provimento dos cargos em comissão e
Iunções gratiIicadas de que trata o 'caput¨ deste artigo são os constantes do Anexo IV.
Art. 24. Os titulares dos cargos em comissão ou Iunções gratiIicadas perceberão
gratiIicação de representação, exerça o servidor cargo em comissão ou Iunção gratiIicada,
calculada sobre o valor do cargo em comissão correspondente, nos percentuais constantes no
Anexo III.
Parágrafo único. A gratiIicação de representação podera, a criterio do DeIensor
Publico-Geral, ser Iixada em percentual diverso da correspondência estabelecida no Anexo III,
limitada em 75° (setenta e cinco por cento).
Art. 25. Os cargos em comissão e as Iunções gratiIicadas criados pela Lei n.º 10.306,
de 5 de dezembro de 1994, e alterações, que cria o Quadro de Cargos em Comissão e Funções
GratiIicadas na DeIensoria Publica do Estado e da outras providências, serão extintos na medida
em que houver provimento para os cargos em comissão e Iunções gratiIicadas criados no art. 23
desta Lei.
CAPITULO VII
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITORIAS
Art. 26. Os quantitativos de cargos eIetivos desta Lei não são vinculados as localidades
de nomeação ou de lotação e podem ser livremente remanejados conIorme a necessidade de
serviço, por ato do DeIensor Publico-Geral do Estado.
Art. 27. No âmbito da DeIensoria Publica do Estado e vedada a nomeação ou
designação, para os cargos em comissão e Iunções gratiIicadas, de cônjuge, companheiro,
parente natural, civil ou aIim, em linha reta ou colateral, ate o terceiro grau, inclusive, de
qualquer DeIensor Publico vinculado e de servidor investido em cargo de direção, de cheIia ou
de assessoramento.
Art. 28. Ficam excepcionadas, nas hipoteses do art. 27, as nomeações ou designações
de servidores ocupantes de cargo de provimento eIetivo do Quadro de Pessoal da DeIensoria
Publica do Estado, admitidos por concurso publico, observadas a compatibilidade do grau de
escolaridade do cargo de origem, a qualiIicação proIissional do servidor e a complexidade
inerentes ao cargo em comissão ou a Iunção gratiIicada a ser exercida, vedada, em qualquer
caso, a nomeação ou designação para servir subordinado ao membro ou servidor determinante da
incompatibilidade.
http://www.al.rs.gov.br/legis 6
Art. 29. As vedações previstas no art. 27 compreendem o ajuste mediante designações
reciprocas envolvendo outros orgãos da Administração Publica Direta e Indireta em qualquer dos
Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municipios.
Art. 30. As vedações previstas no art. 27 não se aplicam quando a nomeação ou
designação do servidor para ocupar cargo comissionado ou Iunção gratiIicada Ior anterior ao
ingresso do agente ou do servidor gerador da incompatibilidade, bem como quando o inicio da
união estavel ou o casamento Ior posterior ao tempo em que ambos os cônjuges ou conviventes
ja estavam no exercicio dos cargos ou Iunções, em situação que não caracterize ajuste previo
para burlar a proibição legal, vedada, em qualquer caso, a nomeação ou designação para servir
subordinado ao membro ou servidor que determinaria a incompatibilidade.
Art. 31. O vinculo de parentesco com membro ou servidor investido em cargo de
direção, de cheIia ou de assessoramento ja Ialecido ou aposentado não e considerado situação
geradora de incompatibilidade para eIeito da vedação do art. 27, bem como os antigos vinculos
por casamento ou por união estavel com agente ou com servidor investido em cargo de direção,
de cheIia ou de assessoramento, desde que a dissolução da reIerida sociedade conjugal ou de Iato
não tenha sido levada a eIeito em situação que caracterize ajuste para burlar a proibição legal.
Art. 32. O servidor nomeado ou designado devera, antes da posse, declarar por escrito
se tem ou não relação Iamiliar ou de parentesco que importe a pratica de alguma das condutas
vedadas nos arts. 27 e 29 desta Lei.
Art. 33. Aplica-se ao Quadro de Pessoal dos Serviços Auxiliares da DeIensoria Publica
do Estado o Estatuto e Regime Juridico Unico dos Servidores Civis do Estado do Rio Grande do
Sul (Lei Complementar n.º 10.098/1994 e alterações) e a legislação estatutaria complementar
pertinente, nas disposições, direitos, vantagens e obrigações omissas nesta Lei, no que couberem.
Art. 34. Os servidores aposentados e os que, em atividade, tiverem incorporado
vantagens relativas aos cargos em comissão ou Iunções gratiIicadas da DeIensoria Publica do
Estado, cujos padrões e denominação Ioram modiIicados por esta Lei, terão seus proventos ou
vencimentos mantidos inalterados no que se reIere ao padrão da CC/FG DP e a gratiIicação de
representação incorporada.
Art. 35. As despesas decorrentes desta Lei correrão a conta de dotações orçamentarias
proprias da DeIensoria Publica do Estado.
Art. 36. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 37. Revogam-se as disposições em contrario.
PALÁCIO PIRATINI, em Porto Alegre, 25 de outubro de 2011.
ANEXO I
CARGOS EFETIVOS
TABELAS DE VENCIMENTOS BASICOS
http://www.al.rs.gov.br/legis 7
CARGO CLASSE PADRÃO
VENCIMENTO
BASICO
15 8.810,92
14 8.554,29
C 13 8.305,13
12 8.063,24
11 7.828,39
10 7.385,27
09 7.170,16
ANALISTA B 08 6.961,32
07 6.758,57
06 6.561,72
05 6.190,30
04 6.010,00
A 03 5.834,95
02 5.665,00
01 5.500,00
15 4.805,95
14 4.665,98
C 13 4.530,07
12 4.398,13
11 4.270,03
10 4.028,33
09 3.911,00
TECNICO B 08 3.797,09
07 3.686,49
06 3.579,12
05 3.376,53
04 3.278,18
A 03 3.182,70
02 3.090,00
01 3.000,00
http://www.al.rs.gov.br/legis 8
ANEXO II
CARGOS EM COMISSÃO E FUNÇÕES GRATIFICADAS
TABELA DE VALORES
PADRÃO CARGO EM COMISSÃO FUNÇÃO GRATIFICADA
CC-DP/FG-DP 12 2.480,37 992,53
CC-DP/FG-DP 11 1.944,50 777,67
CC-DP/FG-DP 10 1.746,34 698,78
CC-DP/FG-DP 09 1.526,45 610,89
CC-DP/FG-DP 08 1.166,87 443,87
CC-DP/FG-DP 06 682,47 250,11
CC-DP/FG-DP 05 599,74 217,02
CC-DP/FG-DP 03 432,24 150,11
http://www.al.rs.gov.br/legis 9
ANEXO III
CARGOS EM COMISSÃO E FUNÇÕES GRATIFICADAS
GRATIFICAÇÃO DE REPRESENTAÇÃO
Cargo/Função
°
REPRESENTAÇÃO
Diretor-Geral, Assessor Superior, Coordenador da Auditoria e
Controle Interno, Coordenador da Comissão Permanente de
Licitações
75°
Diretor, Coordenador da Assessoria de Segurança Institucional,
Coordenador da Assessoria de Comunicação, Coordenador do
Cerimonial, Coordenador do Gabinete Biomedico, Coordenador
de Secretaria do DeIensor Publico-Geral, Coordenador de
Secretaria de SubdeIensor Publico-Geral, Coordenador de
Secretaria do Conselho Superior, Coordenador de Secretaria da
Corregedoria-Geral
50°
Coordenador-Adjunto da Assessoria de Segurança Institucional,
Gerente de Projetos, Coordenador de Unidade, Coordenador
Administrativo, Coordenador da Assessoria de Jurisprudência e
InIormação, Coordenador de Secretaria
40°
Assessor Especial, Assessor I, Assessor da Direção-Geral,
Assessor da Corregedoria-Geral
35°
Assessor II, Assessor III 20°
http://www.al.rs.gov.br/legis 10
ANEXO IV
CARGOS EM COMISSÃO E FUNÇÕES GRATIFICADAS
Escolaridade e atribuições
Cargo em Comissão/Função GratiIicada
Diretor-Geral CC-DP/FG-DP 12
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação.
Exemplos de atribuições: cheIiar as atividades das Diretorias que compõem a Diretoria-Geral na
area administrativa da DeIensoria Publica do Estado sob orientação da Administração Superior,
prestar assessoria a Administração Superior da DeIensoria Publica do Estado em materias sob
sua responsabilidade e desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Assessor Superior - CC-DP/FG-DP 12
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação. Podera ser exigido registro
proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria de maior complexidade ao DeIensor Publico-Geral,
aos SubdeIensores Publicos-Gerais e aos DeIensores Publicos Assessores, na area Institucional,
bem como nas areas administrativa e Iinanceira da DeIensoria Publica do Estado e desempenhar
outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador da Auditoria e Controle Interno CC-DP/FG-DP 11
Escolaridade: curso superior em Ciências Contabeis, em nivel de graduação, devidamente
reconhecido. Necessario registro proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: sob orientação da Administração Superior da DeIensoria Publica do
Estado, exercer, a titulo de controle interno, a Iiscalização contabil, Iinanceira, orçamentaria,
operacional e patrimonial da DeIensoria Publica, comprovar a legalidade e avaliar os resultados,
quanto a eIicacia e a eIiciência, da gestão orçamentaria, Iinanceira e patrimonial no âmbito da
DeIensoria Publica, controlar e acompanhar a execução orçamentaria; emitir pareceres e prestar
inIormações e assessoria sobre materia pertinente ao controle interno; avaliar as estruturas de
controle, bem como os sistemas de inIormações utilizados pela DeIensoria Publica, quanto a
integridade e segurança destes, recomendando os ajustes necessarios e desempenhar outras
atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador da Comissão Permanente de Licitações CC-DP/FG-DP 11
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação.
Exemplos de atribuições: convocar os demais membros, titulares ou suplentes, sempre que
necessario para o desenvolvimento dos trabalhos da Comissão; abrir, presidir e encerrar as
sessões da Comissão, anunciando as deliberações tomadas; exercer o poder de policia para
manter a ordem e a segurança dos trabalhos, solicitando a quem de direito a requisição de Iorça
policial, quando necessario; rubricar os documentos de habilitação e os relativos as propostas;
conduzir o procedimento licitatorio, praticando os atos ordinatorios necessarios; resolver
questões levantadas, verbalmente ou por escrito, quando Iorem de sua competência decisoria;
determinar a realização das diligências necessarias ao bom andamento dos trabalhos da
Comissão; votar nos procedimentos licitatorios de que participar; praticar os demais atos
necessarios ao bom andamento dos trabalhos da Comissão.
Diretor CC-DP/FG-DP 10
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação.
Exemplos de atribuições: cheIiar as atividades das Unidades que compõem a Diretoria na area
administrativa da DeIensoria Publica do Estado sob a orientação do Diretor-Geral e da
Administração Superior, prestar assessoria ao Diretor-Geral e a Administração Superior e
http://www.al.rs.gov.br/legis 11
desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Assessor Especial CC-DP/FG-DP 10
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação. Podera ser exigido registro
proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria de relativa complexidade no âmbito da area
institucional, bem como nas areas administrativa e Iinanceira da DeIensoria Publica do Estado e
desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador da Assessoria de Segurança Institucional CC-DP/FG-DP 10
Escolaridade/Formação: OIicial Superior, do serviço ativo, da Policia Militar do Estado do Rio
Grande do Sul.
Exemplos de atribuições: coordenar, orientar e supervisionar as atividades relacionadas a
segurança das autoridades, dos servidores e demais pessoas no âmbito das sedes da DeIensoria
Publica do Estado; dar suporte as atividades de segurança; coordenar as atividades relacionadas a
segurança do patrimônio da DeIensoria Publica do Estado; exercer a representação militar da
DeIensoria Publica do Estado; acompanhar atos e visitas do DeIensor Publico-Geral e de outras
autoridades da Administração Superior da DeIensoria Publica do Estado, em situações que
requeiram maior segurança e outros cuidados; zelar pela segurança dos membros da DeIensoria
Publica do Estado, atraves do eIetivo, podendo contar com apoio institucional dos orgãos da
segurança publica; gerenciar questões relativas ao eIetivo militar e civil da Assessoria de
Segurança Institucional e desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador-Adjunto da Assessoria de Segurança Institucional CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade/Formação: OIicial, do serviço ativo, da Policia Militar do Estado do Rio Grande do
Sul.
Exemplos de atribuições: substituir o Coordenador da Assessoria de Segurança Institucional,
auxilia-lo nas suas atribuições e desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador da Assessoria de Comunicação CC-DP/FG-DP 10
Escolaridade: curso superior completo na area de Comunicação Social, em nivel de graduação.
Exemplos de atribuições: coordenar, orientar e supervisionar o desenvolvimento de planejamento
estrategico de comunicação institucional; propor canais de comunicação com os diversos
publicos da instituição, quando necessario, e aperIeiçoar os ja existentes; organizar encontros
com a midia e coordenar o agendamento de entrevistas de Iontes relacionadas a DeIensoria
Publica do Estado; identiIicar e analisar as necessidades institucionais quanto a criação de
identidades visuais e de campanhas; coordenar a criação e o desenvolvimento de peças para
campanhas publicitarias institucionais internas e externas, projetos, programações visuais e
produções graIicas; coordenar a implementação de ações de publicidade, propaganda,
'marketing¨ e projetos institucionais; coordenar a comunicação entre a DeIensoria Publica e a
midia, e trabalhos reIerentes ao 'site¨ da instituição, agência de noticias da DeIensoria Publica,
'clipping¨ de jornal, 'audioclipping¨, 'videoclipping¨, boletins para as emissoras de radio,
materias especiais para jornais, cobertura de eventos, audiências publicas e outras atividades que
lhe Iorem atribuidas.
Coordenador do Cerimonial CC-DP/FG-DP 10
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação.
Exemplos de atribuições: preceder e acompanhar o DeIensor Publico-Geral, ou seu
representante, em eventos; coordenar e organizar os eventos institucionais da DeIensoria Publica
do Estado, inclusive posses, concessão de medalhas, inaugurações e lançamento de obras;
receber e classiIicar os convites Ieitos ao DeIensor Publico-Geral; despachar, com o DeIensor
Publico-Geral, a agenda de eventos; conIirmar presenças; elaborar o roteiro das solenidades e as
respectivas listas das autoridades; providenciar a correta utilização dos hinos e das bandeiras;
http://www.al.rs.gov.br/legis 12
elaborar planos de assentos e de lugares reservados e planos da mesa diretora dos trabalhos em
conIormidade aos textos legais que regem o cerimonial publico; orientar e auxiliar os membros e
os servidores da DeIensoria Publica do Estado quanto aos procedimentos protocolares; preparar a
correspondência de agradecimento e de cortesia da DeIensoria Publica do Estado; colaborar com
a organização do calendario anual de eventos da DeIensoria Publica do Estado; adotar as
diligências necessarias junto aos orgãos de apoio administrativo da DeIensoria Publica do Estado
para a realização de seus objetivos; zelar e guardar os Livros de Posse do DeIensor Publico-
Geral, dos Membros da DeIensoria Publica do Estado, de seus servidores eIetivos, bem como
apontamento em livro especiIico da concessão de medalhas; elaborar as atas das solenidades de
posse e concessão de medalhas, assessorar o CheIe de Gabinete na recepção de autoridades em
visita a DeIensoria Publica; preparar os locais de eventos, disponibilizando, quando autorizado, a
estrutura e operação de equipamentos de audio e video; garantir ao DeIensor Publico-Geral do
Estado as prerrogativas e representações conIeridas pelas Emendas Constitucionais Federal n.º
045/2004 e Estadual n.º 050/2005.
Coordenador do Gabinete Biomedico CC-DP/FG-DP 10
Escolaridade: curso superior completo em Medicina, com registro proIissional no orgão de classe
competente.
Exemplos de atribuições: coordenar e orientar todos os serviços medicos do Gabinete
Biomedico, exceto os atos privativos das areas especializadas, coordenar e orientar o
recebimento, registro e controle de agendamentos de exames biomedicos e psicologicos de
candidatos a ingresso nos quadros de membros e servidores da DeIensoria Publica do Estado; de
agendamento de exames de saude de membros e servidores da DeIensoria Publica, em exercicio,
para Iins de licenças, aposentadorias e outras exigências legais; a ordenação, a guarda, a
manutenção e a atualização dos prontuarios medicos dos membros e servidores; de Iornecimento
de atestados, declarações e laudos medicos; coordenação na elaboração de pericias, inclusive em
atividades de apoio institucional, dando assessoria a membros da DeIensoria Publica do Estado,
coordenação na elaboração de relatorios, graIicos e tabelas de dados medicos e desempenhar
outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador de Secretaria do DeIensor Publico-Geral CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar os serviços de Secretaria do DeIensor Publico-Geral e
desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador de Secretaria de SubdeIensor Publico-Geral CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar os serviços de Secretaria do SubdeIensor-Geral a que estiver
vinculado e desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador de Secretaria do Conselho Superior CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar os serviços de Secretaria do Conselho Superior e desempenhar
outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador de Secretaria da Corregedoria-Geral - CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar os serviços de Secretaria da Corregedoria-Geral e desempenhar
outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Assessor da Corregedoria-Geral CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação. Podera ser exigido registro
proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria em assuntos juridicos, administrativos e
http://www.al.rs.gov.br/legis 13
institucionais e desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Assessor I CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação. Podera ser exigido registro
proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria em assuntos juridicos, administrativos e
institucionais e desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Gerente de Projetos CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação. Podera ser exigido registro
proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: coordenar, orientar e cheIiar as atividades da Gerência sob orientação
do Diretor-Geral, deIinindo o objetivo geral, os objetivos especiIicos, cronograma de atividades,
responsabilidades e recursos de cada projeto; promover a integração das areas envolvidas no
atendimento do projeto; proceder a execução, controle e encerramento dos procedimentos
necessarios a otimização dos resultados, de Iorma a eliminar ou minimizar a possibilidade de
Iracasso ou incerteza na execução do projeto ou desvio de seu objeto e desempenhar outras
atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador de Unidade CC-DP/FG-DP 09
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar as atividades da Unidade, sob a orientação do Diretor da
Diretoria a que estiver vinculado, prestar assessoria em assuntos proprios da Unidade e
desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador da Assessoria de Jurisprudência e InIormação CC-DP/FG-DP 08
Escolaridade: curso superior em Biblioteconomia, em nivel de graduação, devidamente
reconhecido. registro proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: coordenar, supervisionar e planejar as atividades que envolvam: o
adequado atendimento, recuperação e disseminação de inIormações; pesquisa, seleção, registro,
catalogação, classiIicação e indexação de documentos e multimeios para o atendimento a
usuarios; supervisionar a execução de tareIas relativas as Iunções de documentação, intercâmbio
com bibliotecas de orgãos publicos e instituições juridicas, alimentação de bases de dados,
realização de pesquisas juridicas e bibliograIicas, preservação e resgate do patrimônio historico
dos orgãos da DeIensoria Publica do Estado, bem como a conservação do acervo bibliograIico; a
promoção da editoração de originais para Iins de publicação; a realização de trabalhos que
exijam conhecimentos basicos e/ou especiIicos de inIormatica; outras atividades que lhe Iorem
atribuidas.
Assessor da Direção-Geral CC-DP/FG-DP 08
Escolaridade: curso superior completo, em nivel de graduação. Podera ser exigido registro
proIissional no orgão de classe competente.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria ao Diretor-Geral no desenvolvimento de suas
Iunções e desempenhar outras atribuições que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador Administrativo CC-DP/FG-DP 08
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar as atividades administrativas da Unidade de trabalho, seja
Nucleo, Regional e outras, sob a orientação do DeIensor Publico responsavel pela repartição ou
cheIia a que estiver vinculado, prestar assessoria em assuntos proprios da Unidade e
desempenhar outras atividades que lhe Iorem atribuidas.
Coordenador de Secretaria CC-DP/FG-DP 06
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: cheIiar os serviços de Secretaria e desempenhar outras atividades que
http://www.al.rs.gov.br/legis 14
lhe Iorem atribuidas.
Assessor II CC-DP/FG-DP 05
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria aos DeIensores Publicos no desenvolvimento de suas
Iunções e desempenhar outras atribuições que lhe Iorem atribuidas.
Assessor III CC-DP/FG-DP 03
Escolaridade: Ensino Medio completo.
Exemplos de atribuições: prestar assessoria em materias de pouca complexidade e desempenhar
outras atribuições que lhe Iorem atribuidas.
FIM DO DOCUMENTO
http://www.al.rs.gov.br/legis 15

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful