1/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

Origem: Departamento Estadual de Trânsito do Estado da Paraíba – DETRAN/PB Natureza: Transferência de cargos - Verificação de Cumprimento de Acórdão. Interessados: Amaury Freitas Pinto, Francisco Farias Batista, Genésio Araújo Neto, Linézio da Costa Meira, João Eudes de Souza, Thania Maria Feitosa da Costa, Leônia Cristina Soares Gomes, Edilene Medeiros de Santana, Francimar Soares Lavor, João Ferreira Furtado Neto, Severino Neri de Sousa Júnior, João Batista de Figueiredo, John Kenned Ferreira, Ana Cristina de Azevedo Nóbrega, Antônio Olegário Neto, Edjane Luna Silva, Elivânia de M. C. Souza, Eliane Abrantes S. Souza, José Gerônimo Ricarte, Magnani Antônio de Figueiredo, Maria Cely de Andrade, Maria de Fátima F. de Domingues, Maria do Socorro F. de Vasconcelos e Rodrigo Augusto Carvalho Costa Relator: Conselheiro André Carlo Torres Pontes VERIFICAÇÃO DE CUMPRIMENTO DE DECISÕES. PROVIMENTO DERIVADO DE CARGOS IMEDIATAMENTE APÓS A CONSTITUIÇÃO DE 1988 PELA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA. MAIS DE VINTE ANOS TRANSCORRIDOS. ESTABILIDADE DAS RELAÇÕES JURÍDICAS. PRECEDENTES DO STF, DO TCU E DESTE TRIBUNAL. CUMPRIMENTO PREJUDICADO. CONCESSÃO DO REGISTRO. Em razão do tempo já transcorrido entre a data dos provimentos e os dias atuais, situação que autoriza a consolidação da relação jurídica constituída, é de se conceder registro aos atos. Precedentes. ACÓRDÃO APL-TC 00253/13 Os presentes autos foram constituídos com a finalidade de verificar o cumprimento dos Acórdãos TC 38/92, 39/92, 43/92, 45/92, 46/92, 47/92, 48/92, 49/92, 50/92, 51/92, 52/92, 59/92 e 60/92, através dos quais esta Corte negou registro a atos de transferências de cargos concedidas a diversos servidores do Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN (fls. 06/446), conforme tabela a seguir:

2/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

Nome do servidor Amaury Freitas Pinto Francisco Farias Batista Genésio Araújo Neto Linézio da Costa Meira João Eudes de Souza Thania Maria Feitosa da Costa Leônia Cristina Soares Gomes Edilene Medeiros de Santana João Ferreira Furtado Neto Severino Neri de Sousa Júnior João Batista de Figueiredo Francimar Soares Lavor John Kenned Ferreira

Cargo anterior/cargo transferido Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Mecanógrafo/Tec. Nív. Médio Aux. de Administração/Programador Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Tec. Nív. Médio/ Tec. Niv. Superior Tec. Nív. Médio/ Tec. Niv. Superior

Portaria 0313/90-DS 0258/90-DS 0162/90-DS 0256/90-DS 0149/90-DS 0148/90-DS 0150/90-DS 0151/90-DS 0156/90-DS 0153/90-DS 0155/90-DS 0152/90-DS 0157/90-DS

Data 10/08/90 12/06/90 02/04/90 05/06/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90

Processo 4779/91 4780/91 4781/91 4782/91 4783/91 4784/91 4785/91 4786/91 4789/91 4790/91 4791/91 4787/91 4792/91

Acórdão 50/92 51/92 52/92 45/92 46/92 47/92 59/92 38/92 48/92 49/92 60/92 39/92 43/92

Data 06/05/92 06/05/92 06/05/92 15/04/92 15/04/92 15/04/92 29/04/92 08/04/92 15/04/92 15/04/92 29/04/92 08/04/92 06/05/92

Em relatório de fls. 01 a 04, datado de 16 de março de 1998, a Auditoria, com base nos contracheques relativos ao mês de novembro de 1997, informou em resumo que o DETRAN não adotou nenhuma medida visando o cumprimento dos Acórdãos acima mencionados. Frisou ainda, o Órgão Técnico, que de acordo com informações do Departamento os servidores continuavam a receber a remuneração no novo cargo por força de decisão judicial. Tal informação foi embasada em documentos anexados aos autos, datados de 10 de junho de 1992, pelos quais o Desembargador Mário da Cunha Moreno determinou ao Superintendente do DETRAN abster-se da prática de qualquer ato contra os impetrantes, em decorrência das decisões deste Tribunal, a exemplo do constante à fl. 10. Tal decisão, no entanto, foi revertida com o julgamento de mérito do processo, ocorrido em 16 de dezembro de 1992, tendo a decisão sido publicada em 09 de março de 1993. Constam nos autos, à fls. 81/82, a Portaria 877/91, datada de 20 de setembro de 1991, tornando sem efeito a Portaria 152/90 – DS, concessiva de transferência de cargo ao servidor FRANCIMAR SOARES LAVOR, e Portaria 878/91, também daquela data, exonerando o citado servidor. Foi ainda anexada aos autos a Portaria 904/95 – DS de exoneração do servidor JOHN KENNEDY FERREIRA, em 19 de outubro de 1995. Embora conste a informação em ofício do DETRAN à fl. 470 sobre a exoneração do Senhor JOÃO BATISTA DE FIGUEIREDO, o mesmo continua em atividade conforme fl. 985. Foram encartadas ao processo várias cópias do relatório da Auditoria, a exemplo das fls. 97/103, referentes ao Processo TC 08187/90, sobre denúncia a respeito de falta de critérios em concessão de diárias e transferências de cargos, do qual os processos acima elencados foram

3/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

desentranhados e anexados aos presentes autos, conforme se pode verificar nos pareceres da Procuradoria desta Corte juntados a cada um dos processos anexados a este, conforme o contido às fls. 105/106. No relatório da Auditoria referente ao Processo TC 08187/90 tem informações sobre o Processo TC 03602/89, relativo à apreciação, por parte deste Tribunal, de pedidos de transferências de cargos de mais nove servidores pertencentes ao quadro de pessoal daquela Autarquia. Informou o Órgão Técnico sobre a anexação ao Processo TC 08187/90 de cópias dos nove processos sobre os pedidos, bem como das portarias de concessão das transferências dos servidores: (1) ANTÔNIO OLEGÁRIO NETO, (2) EDJANE LUNA SILVA, (3) ELIVÂNIA DE M. C. SOUZA, (4) ELIANE ABRANTES S. SOUZA, (5) JOSÉ GERÔNIMO RICARTE, (6) MAGNANI ANTÔNIO DE FIGUEIREDO, (7) MARIA CELY DE ANDRADE, (8) MARIA DE FÁTIMA F. DE DOMINGUES e (9) MARIA DO SOCORRO F. DE VASCONCELOS. Os atos referentes a estes servidores não foram objeto da análise por parte da Auditoria neste processo. Em busca realizada pela Assessoria do Gabinete junto à Divisão de Arquivo desta Corte não foram localizados os Processos TC 08187/90 e TC 03602/89. Cumprindo despacho da Presidência deste Tribunal (fl. 447v.), datado de 16 de dezembro de 1998, o Consultor Jurídico Chefe informou sobre decisão definitiva do Superior Tribunal de Justiça, datada de 10 de julho de 2003, negando aos servidores o direito de permanecerem no cargo para o qual foram respectivamente transferidos (fls. 448/449). Acostou, a CONJUR, os documentos comprobatórios de fls. 450/463. Após encarte dos documentos de fls. 470/504, a Auditoria desta Corte, em relatório de fs. 505/507, datado de 30 de novembro de 2004, informou que dos treze Acórdãos proferidos, constantes do processo sob exame, a Direção do DETRAN cumpriu apenas um, sendo outro cumprido, mas por ação do servidor que pediu exoneração do cargo e concluiu que dez remanesciam com irregularidade. Os servidores cujos atos são objeto de análise neste Processo foram devidamente notificados, apresentando documentos e justificativas de fls. 540/874 os Senhores e Senhoras GENÉSIO ARAÚJO NETO, LINÉZIO DA COSTA MEIRA, THANIA MARIA FEITOSA DA COSTA, LEÔNIA CRISTINA SOARES GOMES, EDILENE MEDEIROS DE SANTANA, JOÃO EUDES DE SOUZA e SEVERINO NERI DE SOUSA JÚNIOR.

4/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

Ao analisar a matéria a Auditoria assim se manifestou sobre o mérito das defesas apresentadas: “Os interessados alegaram, em síntese, a ausência de ampla defesa e do contraditório, em razão de que não foram chamados aos processos nos quais foram tomadas as decisões para desfazimento das transposições, bem como a segurança jurídica, porquanto estão exercendo as novas funções há mais de vinte anos, o que, por se tratar de matéria eminentemente jurídica, deveria ser objeto de pronunciamento do Ministério Público Especial”. Instado a se pronunciar o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas opinou pela citação do atual Superintendente do DETRAN-PB, para conhecimento formal do processo, se pronunciando sobre a matéria ou demonstrando a restauração da legalidade que pende há anos, por meio da exoneração das pessoas declinadas pela Unidade Técnica de Instrução e, no caso de flagrante ilegalidade, na transposição dos cargos, por meio da determinação de retorno dos servidores aos cargos originários. Após esta manifestação, foi determinada a notificação do atual Superintendente do DETRAN para se pronunciar sobre a matéria ora posta ao seu crivo, tendo o Gestor, através dos documentos de fls. 925/927, solicitado a prorrogação do prazo de 90 (noventa) dias para a adoção das medidas necessárias ao cumprimento dos Acórdãos. O processo foi agendado para esta sessão com as intimações de estilo, tendo aportado documentos de diversos interessados após o agendamento, em resumo: • Documento TC 10.416/13 (fls. 928/942), subscrito pela viúva do servidor AMAURY FREITAS PINTO, pelo servidor aposentado por invalidez JOÃO EUDES DE SOUSA e por outros servidores ainda na ativa, fazendo algumas justificativas e requerendo ao final o posicionamento pela regularidade dos atos de transposição dos cargos. Saliente-se que foi concedido registro por este Tribunal ao ato aposentatório do servidor JOÃO EUDES DE SOUSA. • Documento TC 10.432/13 (fls. 943/985), subscrito pela servidora EDNALVA MEDEIROS DE SANTANA, no qual informa ter sido contemplada com a transferência do cargo de Assistente Administrativo para o de Técnico de Nível Superior, em 12 de março de 1991, conforme Portaria 0193/91-DS, acostada aos autos, e que, sem qualquer ato formal, a direção do DETRAN “desfez no final do exercício de 1991, ‘rebaixando’ a requerente para o cargo de Assistente de Administração”, suscitando, ao final, o reconhecimento da regularidade da

5/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

transposição do cargo de Assistente Administrativo para o de Técnico de Nível Superior, oficializando-se à atual administração do DETRAN desta decisão. • Documento TC 10.738/13 (fls. 992/993) – procuração em nome do Advogado JOSUÉ GUEDES BARBOSA NETO. • Documento TC 10.958/13 (fls. 994/1059) - documentação sobre a atual situação funcional dos servidores mencionados neste Processo e relacionados ao Processo TC 03602/89, conforme quadro a seguir:
Nome do servidor Antônio Olegário Neto Edjane Luna da Silva Eliane Abrantes da Silva Sousa Elivânia de Menezes Chianca Souza José Gerônimo Ricarte Magnani Antônio de Figueiredo Maria Cely de Andrade Maria de Fátima Farias Domingues Maria do Socorro Florêncio de Vasconcelos Cargo anterior/cargo transferido Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Datilógrafo/Tec. Nível Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Tec. Nível Médio./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Situação Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Falecido Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Portaria 0139/90 - DS 0140/90 - DS 0142/90 - DS 0147/90 - DS 0145/90 - DS 0141/90 - DS 0143/90 - DS 0144/90 - DS 0146/90 - DS Data 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90

Adicionalmente, informe-se que, além dos treze servidores relacionados no quadro constante no início do presente relatório, o Tribunal, através do Acórdão 148/92 (Processo TC 04788/91), também negou registro ao ato de transferência do cargo de Agente de Atividade Administrativa para Técnico de Nível Superior da Servidora ANA CRISTINA DE AZEVEDO NÓBREGA, através da Portaria 154/90 – DS, revogada posteriormente “ao final do exercício de 1992”, sem ato formalizador, segundo a própria servidora que compareceu aos autos através dos documentos de fls. 986/991, requerendo ao final o reconhecimento da regularidade da transposição do cargo de Assistente Administrativo para o de Técnico de Nível Superior e oficialização da decisão à atual administração do DETRAN. Cabe observar, ainda, a informação contida na Resolução RC2 225/2004, (Processo 03644/93), dando conta de que o Gabinete da Presidência do Tribunal, ao tomar conhecimento da tramitação, no âmbito da Justiça Estadual, de ação dos servidores do DETRAN, abrangidos pelas decisões desta Corte, objetivando garantir e manter as promoções que lhe foram concedidas, encaminhou àquela Autarquia o Ofício GAPRE 171/92, comunicando-lhe que aguardaria a decisão judicial correspondente (tal ofício consta do primeiro volume do Processo TC 03644/93, não encontrado pela DIARQ. Também não foi encontrado o ofício no GAPRE). Não há notícia nos autos sobre encaminhamento de novo ofício deste Tribunal ao DETRAN, suspendendo a orientação após a decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba, publicada em 09 de março de 1993.

6/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

VOTO DO RELATOR Dentre os princípios que norteiam a Administração Pública ancora-se o do controle, cuja finalidade atrela-se à própria natureza do Estado, que lhe limita a atividade e busca conformar necessariamente o desenvolvimento de suas ações à ordem jurídica. Destarte, objetiva o controle, para a defesa da própria administração e dos direitos dos administrados, bem como para assegurar a cada ente da federação o pleno exercício da sua missão constitucionalmente outorgada, uma atuação da administração pública sintonizada com os princípios constitucionais que a norteiam, a saber: da legalidade, moralidade, publicidade, impessoalidade e eficiência. É finalidade, pois, do controle, avaliar a aplicação de recursos públicos sob os focos da legalidade (regularidade formal) e da conquista de bons resultados (aplicação com eficiência, eficácia e efetividade). No contexto da legalidade e da eficiência emerge a figura do concurso público, como meio de admissão de pessoal de natureza democrática, porquanto oportuniza a qualquer do povo, detentor dos requisitos legais para o exercício do cargo, participar do certame, bem como concretiza o princípio da moralidade, uma vez proporcionar o ingresso de pessoal no serviço público apenas pelo critério de mérito, nos moldes da lei. Daí a Constituição Federal sublinhar, em dispositivo sob o manto da legalidade, moralidade, publicidade, impessoalidade e eficiência, que os requisitos de preenchimento obrigatório pelos eventuais candidatos são aqueles estabelecidos em LEI e a forma de realização do concurso público também deve seguir a LEI – e não outro ato normativo ou administrativo qualquer sem qualquer respaldo legal: CF/88. Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: I - os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei; II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração; § 2º - A não observância do disposto nos incisos II e III implicará a nulidade do ato

7/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

e a punição da autoridade responsável, nos termos da lei. Envidado o concurso, de acordo com os critérios legalmente definidos, os candidatos aprovados fazem jus a compor a respectiva relação classificatória à luz do mérito alcançado (classificação por ordem decrescente de pontos), ficando no aguardo de uma futura nomeação enquanto o certame vigorar. Eis a dicção constitucional: CF/88. Art. 37. (...) III - o prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período; IV - durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação, aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira; Não é sem razão o conjunto de garantias constitucionais na direção da concretude desse instituto. Fazer um concurso público, notoriamente, não é fácil. Exigem-se conhecimentos variados dos candidatos. A dedicação, a abstinência, a renúncia a outras atividades profissionais e sociais, inclusive familiar, é traço marcante de quem se propõe a tal desiderato com seriedade e denodo. Num universo de candidatos concorrentes a vagas, aquele aprovado a espera de uma futura convocação, durante o prazo mínimo de dois anos de validade do certame, ver sua pretensão sucumbir, diante de procedimentos alheios a sua vontade, é no mínimo um retrocesso no regime democrático de acesso aos cargos públicos e um atentado à dignidade da pessoa. Reconhecendo a necessidade do concurso público, a jurisprudência já se consolidou no sentido de rechaçar provimentos derivados, sem submissão a concurso público, em respeito ao decantado preceito constitucional. Vejamos a decisão do Supremo Tribunal Federal na ação Direta de Inconstitucionalidade 231-7/RJ: “EMENTA - Ação direta de inconstitucionalidade. Ascensão ou acesso, transferência e aproveitamento no tocante a cargos ou empregos públicos. - O critério do mérito aferível por concurso público de provas ou de provas e títulos e, no atual sistema constitucional, ressalvados os cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração,indispensável para cargo ou

8/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

emprego público isolado ou em carreira. Para o isolado, em qualquer hipótese; para o em carreira, para o ingresso nela, que só se fará na classe inicial e pelo concurso público de provas ou de provas títulos, não o sendo, porém, para os cargos subsequentes que nela se escalonam até o final dela, pois, para estes, a investidura se fará pela forma de provimento que e a ‘promoção’. - Estão, pois, banidas das formas de investidura admitidas pela constituição a ascensão e a transferência, que são formas de ingresso em carreira diversa daquela para a qual o servidor público ingressou por concurso, e que não são, por isso mesmo, ínsitas ao sistema de provimento em carreira, ao contrario do que sucede com a promoção, sem a qual obviamente não haverá carreira, mas, sim, uma sucessão ascendente de cargos isolados. - O inciso II do artigo 37 da constituição federal também não permite o ‘aproveitamento’, uma vez que, nesse caso, há igualmente o ingresso em outra carreira sem o concurso exigido pelo mencionado dispositivo. Ação direta de inconstitucionalidade que se julga procedente para declarar inconstitucionais os artigos 77 e 80 do ato das disposições constitucionais transitórias do estado do rio de janeiro”. (STF. Tribunal Pleno. ADI 231-7/RJ. Relator: Ministro Moreira Alves. Decisão: 05/08/1992. Publicação DJ: 13/11/1992). Com tais observações de caráter geral, passemos à análise dos fatos dos autos. De início, calha timbrar não haver indicação nos processos anexados, cujos atos estão sendo objeto de verificação de cumprimento, de chamamento dos servidores interessados, corroendo, assim, a figura do devido processo legal. Sobre o tema, assinalou o Conselheiro Arnóbio Alves Viana, ao proferir seu voto nos autos do Processo TC 06384/01, integrado ao Acórdão APL – TC 00045/13, publicado no Diário Eletrônico do TCE/PB em 21/02/2013: “O Supremo Tribunal Federal já firmou o seguinte entendimento: “Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado, excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria, reforma e pensão”. (Súmula

9/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

Vinculante 3). Este processo ingressou no Tribunal como denúncia contra atos praticados pelo então Prefeito de Conde, sobre gestão de pessoal. Apurados os fatos, o Prefeito foi citado, mas em nenhum momento do processo houve a citação da servidora LEILIANE GOMES DOS SANTOS MEDEIROS, embora tenha tido seu ato de admissão julgado irregular e negado o registro, incorrendo-se, dessa forma, em nulidade processual. Para a hipótese, eis as decisões dos Tribunais: “DIREITO ADMINISTRATIVO. ANULAÇÃO DE ATO ADMINISTRATIVO CUJA FORMALIZAÇÃO TENHA REPERCUTIDO NO CAMPO DE INTERESSES INDIVIDUAIS. PODER DE AUTOTUTELA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. NECESSIDADE DE INSTAURAÇÃO DE PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO SOB O RITO DO DEVIDO PROCESSO LEGAL E COM OBEDIÊNCIA AOS PRINCÍPIOS DO CONTRADITÓRIO E DA AMPLA DEFESA. EXISTÊNCIA DE REPERCUSSÃO GERAL.” (STF. Tribunal Pleno. RE 594.296-1/MG. Rel. Ministro Menezes Direito. Julgamento: 13/11/2008). “PROCESSO CIVIL. ADMINISTRATIVO. TRIBUNAL DE CONTAS ESTADUAL. NEGATIVA DE REGISTRO DE ADMISSÃO DE CANDIDATOS APROVADOS EM CONCURSO PÚBLICO REALIZADO POR MUNICÍPIO. PROCESSO ADMINISTRATIVO. DIREITO AO CONTRADITÓRIO, À AMPLA DEFESA E AO DEVIDO PROCESSO LEGAL. SÚMULA VINCULANTE 03/STF. RATIO ESSENDI. 1. O procedimento administrativo realizado por Tribunal de Contas Estadual, que importe em anulação ou revogação de ato administrativo, cuja formalização haja repercutido no âmbito dos interesses individuais, deve assegurar aos interessados o exercício da ampla defesa à luz das cláusulas pétreas constitucionais do contraditório e do devido processo legal. Precedentes do STJ: RMS 21176/PR, DJ 01/10/2007 e RMS 11032/BA, DJ 20.05.2002.” (STJ. Primeira Turma. RMS 21929/SP. Rel. Ministro Luiz Fux. Julgamento: 16/12/2008). Ultrajados os princípios do contraditório e da ampla defesa, a circunstância é de

10/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

nulidade absoluta, podendo ser declarada de ofício pelo julgador, inclusive em qualquer grau de jurisdição e em qualquer tempo. Nesse ponto, é firme a doutrina: “as nulidades absolutas são aquelas que causam patente prejuízo para o acusado, carecendo de prova para sua demonstração e podendo ser declaradas de ofício pelo juiz, em qualquer tempo e grau de jurisdição, independentemente de provocação das partes.” (BRINGEL, Izabella Belúsio dos Santos. Nulidades do Processo Administrativo Disciplinar. www. jus.com.br). Assim, as nulidades absolutas não precisam de provocação. O próprio julgador pode reconhecê-las de ofício. Quando houver nulidade na citação, por exemplo, poderá anular todo o processo, determinando novamente a citação da parte, caso a matéria tenha sido julgada à sua revelia. Desnecessário, todavia, retomar o processo desde a origem se a nova decisão se apresentar favorável à interessada.” Os relatórios da Auditoria integrados aos Processos Anexados (vide cabeçalho) revelam ter a investigação derivado de denúncia (fls. 97, 123, 150, 173, 214, 241, 266, 294, 321, 347, 374, 402 e 428), em cuja apuração foram identificadas transferências de cargos nos idos de 1990, em benefício dos servidores aqui referenciados, restando, assim, configurada a mesma hipótese ventilada no destacado voto, atraindo, dessa forma, a sua aplicabilidade ao caso. No quadro a seguir, resume-se a situação atual de cada servidor cujos atos são objeto de análise neste Processo (fls. 961/985):
Nome do servidor Amaury Freitas Pinto Francisco Farias Batista Genésio Araújo Neto Linézio da Costa Meira João Eudes de Souza Thania Maria Feitosa da Costa Leônia Cristina Soares Gomes Edilene Medeiros de Santana João Ferreira Furtado Neto Severino Neri de Sousa Júnior João Batista de Figueiredo Francimar Soares Lavor John Kenned Ferreira Cargo anterior/cargo transferido Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Mecanógrafo/Tec. Nív. Médio Aux. De Administração/Programador Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Tec. Nív. Médio/ Tec. Niv. Superior Tec. Nív. Médio/ Tec. Niv. Superior Situação Falecido Em atividade Retornou ao cargo de origem (fls. 962 e 979) Aposentado Aposentado Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Exonerado Exonerado

11/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

Todavia, a decisão do Tribunal sobre a matéria também deve abranger os 09 (nove) pertencentes ao quadro de pessoal da Autarquia objeto de análise no Processo TC 03602/89, não localizado nesta Corte. São eles:
Nome do servidor Antônio Olegário Neto Edjane Luna da Silva Eliane Abrantes da Silva Sousa Elivânia de Menezes Chianca Souza José Gerônimo Ricarte Magnani Antônio de Figueiredo Maria Cely de Andrade Maria de Fátima Farias Domingues Maria do Socorro Florêncio de Vasconcelos Cargo anterior/cargo transferido Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Datilógrafo/Tec. Nível Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Tec. Nível Médio./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Situação Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Falecido Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Portaria 0139/90 - DS 0140/90 - DS 0142/90 - DS 0147/90 - DS 0145/90 - DS 0141/90 - DS 0143/90 - DS 0144/90 - DS 0146/90 - DS Data 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90

As decisões do Tribunal sobre os casos ocorreram ainda no exercício de 1992, mais precisamente, nos meses de abril e maio daquele ano e se houvesse a pronta verificação do cumprimento dos atos, certamente o deslinde da questão seria outro. Porém, por força de decisão liminar de 10 de junho de 1992, conforme é noticiado e comprovado nos autos, os cumprimentos e as consequentes verificações foram suspensos, inclusive com comunicação desta Corte ao DETRAN através do Ofício GAPRE 171/92, não havendo notícia sobre outra comunicação àquela Autarquia sobre a revogação do comunicado contido no ofício. Tal decisão liminar, entretanto, caiu em decorrência do julgamento do mérito processo, negando razão aos servidores, conforme decisão publicada em 09 de março de 1993. Com isso, os servidores recorreram às instâncias superiores e os sucessivos dirigentes do DETRAN, alegando estar a situação sub judice, não cuidaram de cumprir os Acórdãos desta Corte. A decisão primeira no Superior Tribunal de Justiça, confirmando a decisão da justiça paraibana, foi publicada em 15 de setembro de 2003 e após rejeições de embargos e negativa de seguimento a outros recursos, seguiu ao STF, que em decisão publicada em 16 de maio de 2012 desproveu recurso de agravo de instrumento impetrado naquela Corte e declarou o processo como transitado em julgado, devolvendo os autos ao STJ em 06 de junho de 2012 que os baixou ao TJPB, sendo recebido na nossa Corte de Justiça em 28 de junho de 2012. Como visto, quase vinte anos se passaram entre a impetração no TJPB (08 de junho de 1992) e a última decisão do STF em 16 de maio de 2012, bem como mais de vinte anos entre a lavratura dos atos e os dias atuais.

12/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

Sobredita matéria - obrigatoriedade da realização de concurso público na admissão de pessoal pelas entidades da administração indireta - já foi alvo de debates nas hostes do Supremo Tribunal Federal (Mandado de Segurança nº 21.322-1) e do Tribunal de Contas da União, havendo aquele decidido pela aplicabilidade do instituto do concurso público também da seara da indireta administração e este pacificado o entendimento no sentido de admitir como regulares admissões anteriores ao deslinde da questão. Vejamos a orientação do TCU: Identificação: Acórdão 110/1993 - Plenário “... em relação ao Levantamento "in loco" realizado na INFRAERO e a Inspeção Ordinária realizada na Diretoria Regional da ECT/PB (TC 007.670/89-3, Anexo II da Ata nº 15 - Plenário, de 16.04.91), adotar Decisão no sentido de "deixar assente que as contratações de pessoal sem concurso, realizadas pela ECT/DR/PB e pela INFRAERO, por terem ocorrido anteriormente à Decisão deste Tribunal de 16 de maio de 1990 (Proc.TC 006.658/89-0, Ata nº 021/90, Anexo II, publicada no D.O.U. de 06 de junho seguinte, págs. 10.834 a 10.846) não são passíveis de anulação, visto que a matéria, na época, necessitava de definição jurídica em decorrência da polêmica que suscitou ...” Identificação: Acórdão 8/1998 - Plenário Prestação de Contas. NITROFERTIL. Pessoal. Recurso de revisão contra decisão que determinou a regularização das admissões de pessoal sem concurso público, após 06.06.90. Comprovação de que não houve admissão, mas reintegração determinada por decisão judicial. Provimento. Em razão da natureza da matéria é recomendável a adoção do posicionamento do órgão federal de controle externo, notadamente tendo em vista o tempo já transcorrido entre as admissões e os dias atuais, fato que autoriza a consolidação da relação jurídica constituída, consoante jurisprudência do Supremo Tribunal Federal: “Acórdão do Tribunal de Contas da União. Prestação de Contas da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária – INFRAERO. Emprego Público. Regularização de admissões. Contratações realizadas em conformidade com a legislação vigente à época. Admissões realizadas por processo seletivo sem concurso público, validadas por decisão administrativa e acórdão anterior do

13/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

TCU. Transcurso de mais de dez anos desde a concessão da liminar no mandado de segurança. Obrigatoriedade da observância do princípio da segurança jurídica enquanto subprincípio do Estado de Direito. Necessidade de estabilidade das situações criadas administrativamente. Princípio da confiança como elemento do princípio da segurança jurídica. Presença de um componente de ética jurídica e sua aplicação nas relações jurídicas de direito público. Concurso de circunstâncias específicas e excepcionais que revelam: a boa fé dos impetrantes; a realização de processo seletivo rigoroso; a observância do regulamento da Infraero, vigente à época da realização do processo seletivo; a existência de controvérsia, à época das contratações, quanto à exigência, nos termos do art. 37 da Constituição, de concurso público no âmbito das empresas públicas e sociedades de economia mista. Circunstâncias que, aliadas ao longo período de tempo transcorrido, afastam a alegada nulidade das contratações dos impetrantes." (MS 22.357, Rel. Min. Gilmar Mendes DJ 05/11/04). Nessa mesma linha decidiu a egrégia Segunda Câmara desta Corte, através do Acórdão AC2 – TC 01186/10, no âmbito do Processo TC 06402/99, ao analisar provimentos assemelhados pela FUNDAC. No caso das servidoras ANA CRISTINA DE AZEVEDO NÓBREGA e EDNALVA MEDEIROS DE SANTANA não há como reconhecer a estabilidade das relações jurídicas pelo decurso do tempo porquanto inexiste situação consolidada passível de ser reconhecida. Descabe, ainda, conceder registro aos atos dos servidores exonerados (FRANCIMAR SOARES LAVOR e JOHN KENNED FERREIRA) e daquele que retornou ao cargo de origem (GENÉSIO ARAÚJO NETO). Ante o exposto, VOTO no sentido de que este Tribunal reconheça a estabilidade das relações jurídicas decorrentes dos atos de transferência analisados para (1) declarar prejudicado o cumprimento dos Acórdãos TC 38/92, 39/92, 43/92, 45/92, 46/92, 47/92, 48/92, 49/92, 50/92, 51/92, 52/92, 59/92 e 60/92; e (2) conceder o competente registro aos atos, conforme ANEXOS I e II.

14/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

DECISÃO DO TRIBUNAL PLENO DO TCE/PB Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC 02838/98, referentes, nessa assentada, à verificação de cumprimento de decisão e pedido de prorrogação de prazo, ACORDAM os membros do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), à unanimidade, nesta data, conforme voto do Relator, em DECLARAR a estabilidade das relações jurídicas decorrentes dos atos de transferência analisados (ANEXOS I e II) para: (A) CONSIDERAR PREJUDICADO o cumprimento dos Acórdãos TC 38/92, 39/92, 43/92, 45/92, 46/92, 47/92, 48/92, 49/92, 50/92, 51/92, 52/92, 59/92 e 60/92; e (B) CONCEDER o competente REGISTRO aos atos, conforme ANEXOS I e II. Registre-se e publique-se. TCE - Sala das Sessões do Tribunal Pleno. Plenário Ministro João Agripino. João Pessoa, 15 de maio de 2013.

Conselheiro Umberto Silveira Porto Presidente em exercício

Conselheiro André Carlo Torres Pontes Relator

Subprocuradora-Geral Elvira Samara Pereira de Oliveira Representante do Ministério Público junto ao TCE/PB

15/15

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 02838/98
Processos Anexados: 04779/91, 04780/91, 04781/91, 04782/91, 04783/91, 04784/91, 04785/91, 04786/91, 04789/91, 04790/91, 04791/91, 04787/91, 04792/91

ANEXO I
Nome do servidor Amaury Freitas Pinto Francisco Farias Batista Linézio da Costa Meira João Eudes de Souza Thania Maria Feitosa da Costa Leônia Cristina Soares Gomes Edilene Medeiros de Santana João Ferreira Furtado Neto Severino Neri de Sousa Júnior João Batista de Figueiredo Cargo anterior/cargo transferido Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Aux. de Administração/Programador Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Situação Falecido Portaria 0313/90-DS 0258/90-DS 0256/90-DS 0149/90-DS 0148/90-DS 0150/90-DS 0151/90-DS 0156/90-DS 0153/90-DS 0155/90-DS Data 10/08/90 12/06/90 05/06/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90

Em atividade
Aposentado Aposentado Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade

ANEXO II
Nome do servidor Antônio Olegário Neto Edjane Luna da Silva Eliane Abrantes da Silva Sousa Elivânia de Menezes Chianca Souza José Gerônimo Ricarte Magnani Antônio de Figueiredo Maria Cely de Andrade Maria de Fátima Farias Domingues Maria do Socorro Florêncio de Vasconcelos Cargo anterior/cargo transferido Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Datilógrafo/Tec. Nível Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Tec. Nível Médio./Tec. Niv. Superior Ag. Ativ. Adm./Tec. Niv. Superior Situação Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Falecido Em atividade Em atividade Em atividade Em atividade Portaria 0139/90 - DS 0140/90 - DS 0142/90 - DS 0147/90 - DS 0145/90 - DS 0141/90 - DS 0143/90 - DS 0144/90 - DS 0146/90 - DS Data 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90 02/04/90

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful