Cerezo Barredo, Mural da catedral de S.

Félix de Araguaia, Brasil

2. A dimensão estética - análise e compreensão da experiência estética

Companhia Nacional de Bailado Contemporâneo

Sumário
O problema da definição da natureza da arte Teorias acerca da arte  arte como imitação (mimesis)  arte como expressão (expressivismo)  arte como forma significante (formalismo)

Problema

O que distingue os objectos artísticos dos objectos que não são arte? O que é a arte?

Gustav Klimt, O Beijo (1862 -1918)

Há imensas formas de arte (escultura, música, pintura, literatura, teatro, ópera, dança, fotografia, arquitectura, e cinema) O que é que todas têm em comum? Um dos objectivos fundamentais da Estética é responder à pergunta:

O que faz com que um objecto possa ser considerado obra de arte?
Milo, Vénus, deusa do amor (130 a. C.)

A estética é a área de investigação que analisa a experiência estética em geral, discutindo problemas relativos à beleza (teoria do belo), ao gosto (teoria do gosto) e à natureza da arte (filosofia da arte)
Chagall, Vitrais

Estudaremos três respostas

Teorias sobre a natureza da arte
Teoria da imitação Teoria da expressão Teoria formalista


As obras de arte são imitação


As obras de arte são expressão de emoções


As obras de arte são objectos dotados de forma significante

Miguel Ângelo, A Criação, Capela Sistina, Vaticano

A tese defendida pela teoria da arte como imitação, é uma das teorias mais antigas Afirma que uma obra é arte quando é produzida pelo Homem como imitação da Natureza e da acção

O conceito fundamental é mimesis (imitação da acção) Para Aristóteles, todas as formas e obras de arte são imitações, mas cada uma distingue-se de todas as outras por usar
meios diferentes: cores e figuras (pintura), ritmo (dança), harmonia (música), palavras (literatura) modos diferentes de usar os meios: os meios referidos podem ser usados de modo vário: por exemplo, o ritmo na música, na poesia ou na dança imitar coisas diferentes: no teatro, enquanto a tragédia imita as acções dos heróis, a comédia imita as acções dos Homens comuns. (Texto 1)

As obras de arte imitam alguma coisa?

A teoria da arte como imitação prolongou-se no tempo e foi aceite pelos que consideravam a arte como uma espécie de espelho que reflectia a imagem da natureza, fixando-a numa forma artística

Objecções O que é que a pintura abstracta não figurativa imita? A música ou a literatura também são imitações?

A. Warhol, Beethoven, Pink Book

O que é que esta pintura imita?

V. Kandinsky, Amarelo, vermelho, azul

O escritor russo L. Tolstoi, no livro O que é a arte?, concebe a arte como uma

forma de expressão

Segundo a concepção expressivista, uma obra é arte quando expressa e comunica intencionalmente um sentimento vivido pelo artista e quando provoca no público esse mesmo sentimento

Leon Tolstoi (1828 – 1919)

Assim, segundo o expressivismo de Tolstoi, • só é arte, a obra que expressa uma emoção sentida pelo artista que é partilhada pelo seu público • não há arte se o público não sente qualquer emoção ou quando as emoções do artista e do público não são idênticas
Eduard Munch, O grito

É fácil encontrar exemplos de expressão emocional na poesia, na ópera ou no teatro, mas há obras e formas de arte que seriam excluídas à luz do expressivismo.
Exemplos: Obras de arquitectura, e inúmeras manifestações da arte contemporânea (a música de Cage, as obras de Mondrian e Vasarely, que exploram os efeitos visuais da composição, ou a Pop’Art.

Mondrian, Composição em Vermelho, Amarelo e Azul

O artista expressa emoções vividas ou explora os efeitos visuais
Victor Vasrely, Ambigu-B, 1970

da composição?

Objecções
Do ponto de vista do artista Pode haver criação de obras de arte sem intenção de comunicar As obras criadas com tristeza não são necessariamente tristes É possível expressar na obra uma emoção diferentes da que sentimos Do ponto de vista do público Estando alegres, podemos perceber a tristeza do artista A comunicação criador/público não exige comunhão de sentimentos.

Picasso, D. Quixote

A marca da arte está na capacidade para imaginar uma emoção e no talento para expressá-la

Catedral de Reims, século XIII

Catedral de Oakland (maqueta) Calatrava, século XX

Clive Bell, crítico de arte, propôs (1914) a teoria da forma significante (Texto 4) Partiu de um pressuposto acerca da natureza da arte: uma obra de arte é um objecto que provoca emoções estéticas no seu público Para tal, a obra tem de ter alguma característica especial. Clive Bell chama-lhe forma significante
P.Mondrian, New York City

A forma significante é uma característica da estrutura da obra que decorre da relação estabelecida entre as partes que a constituem A teoria formalista é usada sobretudo para a pintura, onde a forma significante é definida como uma certa combinação de formas, linhas e cores Bell considerou o critério aplicável a todas as formas de arte, mas não explicou como se aplicaria Em vez disso, afirmou que essa propriedade indefinível seria reconhecida intuitivamente

F. Leger, Woman with a cat

Composition with Gray and Light Brown

O que faz a singularidade da pintura (de Mondrian) é a harmonia entre as cores puras, as formas e dimensões de seus rectângulos? É isso a sua forma significante?

Usa um raciocínio incorrecto: define
a forma significante a partir da emoção estética, e a emoção estética a partir da forma significante (erro lógico chamado petição de princípio ou argumento circular) Pressupõe uma relação de causalidade entre a forma significante e emoção estética, que é precisamente o que deveria demonstrar Ao fazer depender a definição da arte da intuição e da sensibilidade dos críticos, impede a sua refutação
Alfred Gockel, Swing to the Music II

O formalismo define obra de arte como o objecto que provoca emoções estéticas no seu público
A obra tem de ter alguma característica especial designada forma significante

Não clarifica o conceito de forma significante para cada uma das formas de arte A teoria formalista baseia-se num raciocínio circular, pois define forma significante como aquilo que produz emoção estética e emoção Wasarely, Vega nor estética como aquilo que a forma significante provoca. Não explica por que razão as obras não provocam emoção em todas as pessoas Faz depender a o juízo estético sobre o objecto da sensibilidade dos críticos Por estas razões, a teoria da forma significante não fornece um critério aceitável para distinguir arte da não arte

Uma vez que no mundo da arte surgem constantemente obras originais que não se ajustam à concepção institucional da arte, é necessário um alargamento constante do conceito para incluir a inovação
S. Calatrava, Fundação Cidade das Artes e das Ciências

É por isso que, para alguns autores, a arte é um conceito aberto

Conceito aberto é um conceito cujo significado vai sendo alargado, integrando novas características de modo a incluir na sua extensão novos objectos
Sendo assim, o conceito de arte terá de ajustar-se à evolução da própria arte, e ir integrando continuamente novas significações

O problema da definição da natureza da arte Teorias Teoria da imitação Aristóteles
O que é uma obra de arte?

Teoria da expressão ou expressivismo L. Tolstoi

Teoria da forma significante ou formalismo Clive Bell
Um objecto dotado de forma significante que provoque no público receptor uma emoção estética A capacidade de provocar emoções estéticas nos críticos sensíveis

Imitação Expressão e comunicação da natureza ou intencional de um sentimento das acções vivido pelo artista para provocar o mesmo sentimento no público receptor A capacidade de comunicar e de suscitar a mesma emoção no público receptor

Critério de O grau apreciação de do valor fidelidade da da arte representação

O problema da definição da natureza da arte Teorias
Objecções/ limitações
Teoria da imitação Aristóteles • Há inúmeras obras de arte que nada imitam (obras musicais, arquitectura romance, pintura abstracta) Teoria da expressão ou expressivismo L. Tolstoi Exclui do mundo da arte • a arquitectura, a música aleatória e manifestações da arte contemporânea • as obras de arte produzidas sem intenção de comunicar • as que não são expressam sentimentos vividos pelo artista • as que expressam sentimentos do artista mas não suscitam esses sentimentos no público • as que exprimem sentimentos imaginários • as que não exprimem sentimentos Teoria da forma significante ou formalismo Clive Bell • o conceito de forma significante não foi definido com rigor • baseia-se num raciocínio incorrecto • faz depender o valor da arte da sensibilidade dos críticos

Ninguém está dispensado de responder ao questionário do Exercício Estética 2 As respostas podem ser dadas: 4.On-line (através do “Moodle”) 5.Em papel (fornecido pelo professor) O exercício será feito em sala de aula.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful