You are on page 1of 6

I Simpósio Brasileiro de Recursos Naturais do Semiárido – SBRNS

“Pesquisa e Transferência de Tecnologia Contextualizada ao Semiárido” IFCE Campus Iguatu - CE - Brasil 22 a 24 de maio de 2013

ANÁLISE DAS ATITUDES DOS TURISTAS DOMÉSTICOS COM RELAÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DA ENERGIA EÓLICA NO LITORAL CEARENSE
Rogério César Pereira de Araújo1, Ana Maria Maurício Araújo2.
1

Eng° Agrônomo, Prof.° Associado, Depto de Economia Agrícola, Universidade Federal do Ceará,UFC, Fortaleza – CE, Fone: (0XX85) 3366 9716, rcpa@ufc.br. 2 Engenheira de Pesca, Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Ceará, UFC, Fortaleza – CE.

Apresentado no I Simpósio Brasileiro de Recursos Naturais do Semiárido - SBRNS 22 a 24 de Maio de 2013 - Iguatu - CE, Brasil

RESUMO: A energia eólica é reconhecida como o único recurso natural que reúne um conjunto de aspectos favoráveis à sustentabilidade do setor energético. Porém, embora pouco investigado, a geração de energia eólica também é responsável por uma variedade de impactos ambientais negativos, dentre elas a externalidade negativa associada às desamenidades visuais causadas pelas turbinas eólicas instaladas nas paisagens altamente valorizadas. Esta pesquisa analisa as atitudes dos turistas domésticos com relação ao desenvolvimento da energia eólica no litoral cearense. Para isto, foram utilizados dados primários coletados a partir da aplicação de um questionário a 117 turistas que se encontravam visitando os dois mais importantes destinos turísticos do Ceará, a praia de Canoa Quebrada (Aracati, litoral leste) e a praia de Jericoacoara (Jijoca de Jericoacoara, litoral oeste). Utilizando a estatística descritiva das variáveis de demográficas e atitudes dos turistas domésticos, identificou-se o perfil do turista doméstico típico das praias pesquisadas e suas atitudes com relação ao desenvolvimento da energia eólica no litoral cearense. Constatou-se que a maioria dos turistas é favorável ao desenvolvimento da energia eólica, tem uma percepção dos impactos socioambientais causados pela usinas eólicas em nível moderado e considera as turbinas eólicas mais um atrativo turístico das praias. PALAVRAS–CHAVE: Energia eólica; atitude e comportamento ambiental; externalidade visual. ANALYSIS OF THE ATTITUDES OF DOMESTIC TOURISTS WITH RESPECT TO THE DEVELOPMENT OF WIND ENERGY IN COASTAL CEARENSE SUMMARY: The wind power is recognized as the unique natural resource that gathers a set of favorable aspects related to the sustainability of the power sector. However, even though poorly investigated, the wind power generation is also responsible for a variety of negative environmental impacts, among them the negative externality associated with the visual desamenities caused by the wind turbines installed in the highly valued landscape. The aim of this research is to analyze the tourists’ attitudes towards the development of the wind power in the coastal zone of Ceará. It was used primary data gathered by questionnaire application to 117 tourists that were visiting the two most important touristic destination in Ceara, the Canoa

Desta forma.Quebrada beach (Aracati. visual externality. distúrbio no comportamento dos pássaros devido às restrições de acesso aos habitats essenciais à alimentação e reprodução. etc. we identified the typical domestic tourist profile in the beach surveyed and its attitudes towards the wind power development in the Ceará coast. a poluição visual provocada pelo agrupamento de torres e aerogeradores que altera a paisagem natural. Uma das externalidades negativas associada com o desenvolvimento da energia eólica é a desamenidade visual causada pelas turbinas eólicas instaladas nas paisagens valorizadas por sua beleza natural. 2009. Por outro lado. Using the descriptive statistics of the demographic and attitudinal variables of the domestic tourists. INTRODUÇÃO A geração de energia eólica tem uma contribuição importante na redução das emissões de gases de efeito estufa. televisão. podendo resultar em mudanças nas preferências dos turistas por destinos de praia. A geração de energia eólica também tem sido acusada de ser responsável por uma variedade de impactos ambientais negativos. 2009). 2008. a saber: a poluição sonora causada pelos ruídos dos rotores. No Brasil. como é o caso da indústria do turismo. a interferência eletromagnética nos sistemas de comunicação (rádio. lest coast) and the Jericoacoara beach (Jijoca de Jericoacoara. No Nordeste do Brasil. pouco se sabe sobre a atitude e comportamento dos atores sociais com relação ao desenvolvimento da energia eólica.. We found that the majority of the tourists is in favor of the wind power development. na redução da demanda pela construção de usinas hidroelétricas. ALVES. preservando a biodiversidade e os recursos naturais das comunidades ribeirinhas (ANEEL. mortalidade de pássaros por colisão nas pás. 2011). e a ocupação e mudança no uso da terra (SNYDER. . as usinas eólicas estão sendo instaladas ao longo do litoral. a população em geral não tem manifestado oposição à expansão da energia eólica na Zona Costeira. KEYWORDS: Wind power. a alteração da paisagem costeira pode representar uma depreciação deste ecossistema. 2008). ANEEL. west coast). environmental attitude and behavior. o desvio de rotas migratórias de animais voadores. este tipo de externalidade negativa pode significar prejuízos significativos (KRUEGER et al. em áreas de dunas por possuírem o maior potencial eólico.). principalmente daqueles que têm uma ligação direta com os recursos naturais envolvidos como é o caso do setor do turismo. Em áreas onde a beleza paisagística tem um papel relevante para a economia. she has perception of the socio-economic impacts of the wind farms at moderate level and considers the wind turbines as one more touristic attraction at the beaches. KAISER.

Os questionários foram aplicados por alunos de pós-graduação treinados para realizar pesquisa de valoração econômica ambiental.5%) questionários em Canoa Quebrada e 52 (44. O IMPIS é calculado pela média aritmética dos escores atribuídos pelo indivíduo aos fatores de percepção de impacto. sendo 65 (55. Em Canoa Quebrada. Dois índices agregados são propostos como variáveis: Índice Médio de Desenvolvimento da Energia Eólica (IMDEE). em um total de oito. elas permitem reunir uma amostra de turistas que escolheram visitar uma praia cuja paisagem foi marcantemente alterada pelas usinas eólicas (Canoa Quebrada) com aqueles que escolheram visitar uma praia cuja paisagem ainda se encontra inalterada (Jericoacoara). em um total de oito. RESULTADOS E DISCUSSÃO A Tabela 1 apresenta a estatística descritiva das variáveis demográficas.4%) questionários em Jericoacoara. passarelas e calçadões de acesso à praia. MATERIAL E MÉTODOS Esta pesquisa foi conduzida com uma amostra de turistas e visitantes domésticos das praias de Canoa Quebrada. e de Jericoacoara. de experiência turística. no município de Aracati (litoral leste). uma preferiu não participar da pesquisa. em Jericoacoara. de cada dez pessoas convidadas. Foi utilizado um único questionário para a coleta de dados nas duas praias selecionadas. e o Índice Médio de Percepção de Impacto Socioambiental (IMPIS). os questionários foram aplicados nos dias 29 e 30 de outubro de 2011 e. . O IMDEE é calculado pela média aritmética dos escores atribuídos pelo indivíduo aos fatores de atitude. atitude política e percepção dos impactos socioambientais da energia eólica da amostra de turistas domésticos. A taxa de rejeição dos respondentes ao questionário foi da ordem de 10%. no município de Jijoca de Jericoacoara (litoral oeste). Foram coletados 117 questionários válidos. Os questionários foram aplicados em dois finais de semanas consecutivos. Embora esses dois destinos não sejam representativos da diversidade paisagística existentes no litoral cearense.Esta pesquisa tem seu foco na análise das atitudes declaradas pelos turistas sobre o desenvolvimento da energia eólica no litoral cearense a fim de identificar os fatores determinantes dessas atitudes. ou seja. Os respondentes foram abordados na faixa de praia e também nas ruas. tendo-se trabalhado um final de semana em cada praia. nos dias 5 e 6 de novembro de 2011.

solteira. a variável latente (não observada) de atitude individual política se expressa a atitude ou posição (favorável ou contrária) do com relação ao desenvolvimento da energia eólica. pelo menos a 10% de nível de significância. com média de 2. . percepções e ações) do indivíduo. ir à praia com freqüência e permanecer nela por dois ou mais dias.20.9 a 3. Pressupõe-se que é determinado por um conjunto de variáveis observáveis e não-observáveis que descrevem as características demográficas e comportamentais (valores.367. do sexo feminino.8. sua atitude com relação aos fatores de desenvolvimento da energia eólica variar entre 1.4 (em uma escala de 1 a 4). seja entre médias ou proporções. possuir nível superior ou pós-graduação completa ou incompleta. Isto demonstra que as amostras têm elevada probabilidade de serem originadas de uma mesma população. Fazendo a adaptação do modelo proposto por Ladenburga e Möllerb (2011). Desta forma. A posição de neutralidade não é considerada neste modelo. migração de dunas e restrição de acesso às comunidades. quando a significância com relação à hipótese H0 de média igual a zero e da igualdade das proporções.Os testes de médias (teste t de Student) e proporções (teste qui-quadrado e binomial) das variáveis contínuas e categóricas. mostraram que quase todas as variáveis se mostraram significativas. Portanto.2 e 3. O perfil típico (médio) do turista doméstico é caracterizado por ser a favor do desenvolvimento da energia eólica na Zona Costeira. uma vez que se posiciona positivamente com relação a esta política e percebe um nível moderado de impacto socioeconômico das usinas eólicas.2 (em uma escala de 1 a 5).7. com média de 2. respectivamente. e não filiada a uma organização ou movimento ambientalista. sendo um parâmetro de valor que o indivíduo possui para distinguir sua posição positiva (favorável) da posição negativa (contrária). Um indivíduo é a favor à e contra se . e sua percepção de impacto com relação aos fatores de impacto variar entre 2. sem filhos. ter renda média mensal entre R$ 5. tendo as variáveis um grau satisfatório de homogeneidade. Quase todas as variáveis não mostraram diferenças significativas entre as amostras obtidas nas duas praias. com exceção de dois fatores de percepção de impacto relacionados com a poluição visual e sonora. ter idade média de 35 anos. as duas amostras podem ser reunidas e tratadas como uma amostra única. o turista doméstico típico tem uma posição favorável ao desenvolvimento da energia eólica. com exceção de três fatores de percepção de impactos: morte acidental de pássaros.

9* 34.6 2.2 5.5 6.2 2.90 58.7*** 2.8 Total 117 71.00) Educação superior ou pós-graduação completo ou incompleto (%) Visita a praia raramente (%) Canoa Quebrada 52 76.7 2.0 2.9 2.8 2.01.7* 2. Este resultado suporta a tese de que a maioria dos turistas .9 3.6 2. CONCLUSÕES Os resultados revelaram que a maioria dos turistas domésticos é a favor do desenvolvimento da energia eólica no litoral e que as variáveis de sexo.5 2.5 3.20* 65.2* 41.5* 4.7* Frequencia de visitas a Visita a praia de vez em quando (%) praia Visita a praia frequentemente (%) Permanência na praia Permanência por dois dias ou mais (%) Usina eólica é fonte de energia limpa (k=1) Gosto de ver turbinas eólicas (k=2) Usina eólica não prejudica o meio ambiente (k=3) Atitude com relação ao desenvolvimento da energia eólica na zona costeira (média) Prefiro paisagem com usina eólica (k=4) Usina eólica é atrativo turístico (k=5) Usina eólica atrai turista (k=6) Prefiro perder paisagem do que ficar sem energia elétrica (k=7) Comunidades afetadas pelas usinas eólicas não devem ser compensadas (k=8) Índice médio de desenvolvimento da energia eólica por indivíduo Obstrução da vista (f=1) Poluição visual (f=2) Poluição sonora (f=3) IMDEE Percepção do Impacto socioambiental Mortandade da fauna e flora (f=4) Morte acidental de pássaros por colisão (f=5) Migração das dunas (f=6) Prejuízo ás comunidades locais (f=7) Restrição de acesso às comunidades (f=8) Índice médio de percepção de impacto IMPIS socioambiental Nota: (*) Significa p < 0.1 2.8* 23.2 94.5 1.8 2.6 2.8 61.6 1. percepção de impactos socioambientais e atitude geral com relação ao desenvolvimento da energia eólica são significativas.4 34.4* 3.6 2.367.8 2.2 2.6* 3.2 32.4 64.5 87.5 63.9 5. (**) Significa p < 0.4 3.4 3.Tabela 1 – Estatística descritiva das respostas do turista doméstico distribuída por destino de praia e amostra total Variáveis Total da Amostra Posição política (Q) Idade Gênero Estado civil Número de filhos Filiação Renda média mensal Escolaridade Definição Total de respondentes entrevistados por praia Respostas favoráveis (%) Média de idade dos respondentes (anos) Feminino (%) Solteiros.1 2.0* 2.7 46.1* 56. (***) Significa p < 0.3 61.0 2. nível de escolaridade.8 35. divorc.8* 2.6 Jericoacoara 65 65.5 26.2 35.5* 3.7 3.6* 1.8 2.8 67.0* 2.105.2* 2.4 38.576.0 21.4*** 1.5 2.1 3.4* 2.2 3.77 75.5 3.9* 90.9* 2.6 2.8* 2.10 Fonte: Dados da Pesquisa.05.1* 61.5* 2.4 3.1* 3.6* 2.6 50.5 61.1 2. separados.9 2.2 3.2 2.9 2.7*** 2.3* 5.8 2.6* 3. ou viúvos (%) Sem filhos (%) Filiados a organização/movimento ambientalista (%) Renda média mensal (R$ 1.9 35.

ANEEL. REFERÊNCIAS ALVES J. Renewable Energy 34: 1567-1578..4%). SNYDER. Valuing the Visual Disamenity of Offshore Wind Projects at Varying Distances from the Shore. v. Disponível em http://www. SP. 2009. Embora tais impactos não sejam suficientes para trazer impactos negativos significativos ao setor do turismo. Isto evidencia que a ocupação do litoral pela energia eólica pode resultar em alguma perda de benefícios (custos externos) que está sendo repassado para o setor do turismo e comunidades locais. Observando-se uma maior aprovação dos turistas de Canoa Quebrada (76. Ao todo.. KAISER.. e FIRESTONE. Taubaté. Isto pode significar que é pouco provável que o desenvolvimento da energia eólica no litoral venha a resultar em impactos significativos ao setor do turismo no litoral cearense. seu desenvolvimento rápido e acelerado pode resultar em perdas acumuladas significativas no longo prazo. naquilo que se refere às mudanças no comportamento e experiências turísticas.br/publicacoes/download/atlas_eolico/Atlas%20do%20Potencial %20Eolico%20Brasileiro. Brasil. o desenvolvimento da energia eólica na zona costeira cearense.pdf. Acesso em 28 de março de 2013. George R. onde não existem turbinas eólicas instaladas. n. Ecological and economic cost-benefit analysis of offshore wind energy. .cresesb. Do ponto de vista político. Andrew D. p.9%).8% dos turistas domésticos se manifestaram favoráveis ao desenvolvimento da energia eólica na zona costeira do Ceará. sendo esta oposição manifestada por um pequeno percentual de turistas. Land Economics. verificou-se que os turistas acreditam que as turbinas eólicas podem ser mais um atrativo turístico e que não afastará os turistas das praias. B. Essa divergência no percentual de aprovação pode ser determinada pelo fato dos destinos de praia atrair turistas com diferentes preferências com relação à experiência turísticas. segundo a percepção geral dos turistas domésticos. PARSONS. Atlas de Energia Elétrica do Brasil. KRUEGER. 71. May de 2011. não esta ocorrendo sem impactos socioambientais. comparado aos turistas de Jericoacoara (65. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. Jeremy. Ainda apoiando este resultado. M. jan-abr/2010. 2008. Os turistas de Jericoacoara podem ter uma preferência maior por paisagens naturais intactas. onde existem turbinas eólicas instaladas. Análise Regional da Energia Eólica no Brasil.domésticos não mantém uma atitude negativa com relação ao desenvolvimento da energia eólica na zona costeira. ANEEL.cepel. 6. portanto possuindo uma atitude preservacionista mais evidente do que os turistas de Canoa Quebrada. 87 (2): 268–283. 165-188. 1.