You are on page 1of 7

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/CAPES CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

DISCIPLINA: QUÍMICA ORGÂNICA III PROFESSORA COORDENADORA: DRA. MÔNICA REGINA SILVA DE ARAÚJO PROFESSOR(A) TUTOR(A): MARIA DO CARMO GOMES LUSTOSA ACADÊMICO: SEBASTIÃO MAIA DA SILVA MATRICULA: 10L10181 ATIVIDADE II

1) Defina os seguintes termos em cromatografia: a) suporte O suporte cromatográfico pode ser apresentado como camada plana, para a cromatografia de camada plana e enchimento de uma coluna, na cromatografia em coluna. b) fase estacionária Pode ser um sólido (adsorvente na cromatografia de adsorção, permutador de ions na cromatografia de permuta iónica) ou uma película líquida depositada entre as partículas deste sólido (cromatografia de partição). c) fase móvel ou eluente Contém as substâncias que se pretendem investigar, deve ser um líquido não miscível com a fase estacionária, em outras palavras, é o material que se desloca pela fase estacionária, arrastando os componentes da amostra. E com isso, após transitar pela fase estacionária, por um percurso de distância adequadamente escolhida, os componentes da amostra se separam. d) revelador ou agente criogênico São as substancias responsáveis pelo aparecimento e/ou modificação de cor quando interagem com alguns grupos funcionais de determinadas espécies química; com intuito de facilitar a sua identificação e posterior classificação e são bastante usados em CCD. e) frente da fase móvel É o material que se desloca pela fase estacionária, arrastando os componentes da mistura. É como se fosse a “frente” em si do eluente, para depois fizemos a diferença da distância percorrida. f) câmara ou cuba cromatográfica

A polaridade da fase móvel não se altera ao longo do tempo. sendo muito importante em CCD. n) fator de retenção É a razão entre a distância percorrida pela substância em questão e a distância percorrida pela fase móvel (solvente). Comparações do valor de Rf da amostra com o de um padrão é um método qualitativo usado na identificação de um composto. a fase móvel desloca-se através da fase estacionária por ação da capilaridade ou sob a influência da gravidade. j) fase reversa Como o próprio nome sugere.Recipiente de vidro com tampa fechada hermeticamente. Nesse caso. baseada na capacidade de . 2) Qual o tipo de mecanismo de separação envolvido na cromatografia em camada delgada e em coluna de gel de sílica? Explique o mecanismo de separação da cromatografia por exclusão. na fase reversa a fase móvel é mais polar. m) gradiente de eluição Neste tipo a composição da fase móvel se altera ao longo do tempo. a composição da fase móvel permanece inalterada durante toda a análise. g) cromatograma É o registro (visualização) gráfico de uma análise por um método cromatográfico. No caso da fase reversa. Útil em separação de compostos polares. depois de alcançado o equilíbrio. É uma técnica de partição entre duas fases. de troca iônica e por bioafinidade. Neste registro gráfico é possível visualizar a separação dos componentes da mistura. não deixando escapar vapores da FM (líquido ou mistura que fluem através do papel arrastando os solutos) e onde se coloca o papel cromatográfico. h) saturação da cuba Distribuição uniforme no interior da cuba da fase vapor da FM (líquido ou mistura que fluem através do papel arrastando os solutos). a polaridade da fase móvel diminui ao longo do tempo. l) eluição isocrática Neste tipo de eluição. Neste mecanismo a fase estacionária é suportada sobre uma placa plana ou nos poros de um papel. Em coluna de gel sílica tem-se o Mecanismo de Cromatografia em Coluna. i) fase normal Basicamente a fase estacionária é mais polar que a fase móvel. Em CDD tem-se o Mecanismo de Cromatografia Planar. sólida e líquida. para aumentar a afinidade entre as fases estacionária e móvel. e pelos tempos de retenção e pelas áreas dos picos podemos determinar a concentração de cada substância na mistura termos sua formula molecular.

3) Ordene as seguintes substâncias conforme a atividade cromatográfica em gel de sílica: R-CH=CH-R. R-COR. Comente sobre algumas aplicações da CLAE. R-OCH3 R-CO2H > R-CO2R > R-OH > R-NH2 > R-CHO > R-OCH3 > R-COR > R-SH > RCH=CH-R 4) O que é CLAE? Esquematize um cromatógrafo para CLAE. R-CO2R. R-CO2H. Na cromatografia de bioafinidade ocorre uma ligação molecular específica e reversível entre o soluto e um ligante imobilizado na fase estacionária. moléculas grandes não penetram no interior do suporte (partículas porosas de gel) e movem-se mais rapidamente ao longo da coluna de onde emergem primeiro. O detector mais utilizado para separações por CLAE . O soluto interage com as fases estacionária e móvel por adsorção. enquanto as moléculas pequenas apresentam velocidade de deslocamento retardada porque penetram no gel. É uma técnica analítica usada para separar e quantificar componentes numa mistura líquida. partição. sendo que os mais utilizados são a sílica gel (SiO2) e alumina (Al2O3). geralmente na forma de pó. são deslocados para a fase móvel. A cromatografia de exclusão molecular separa os componentes segundo o tamanho efetivo (raio hidrodinâmico) das moléculas.líquido) ou ambos. exclusão molecular. assim. emergem da coluna mais tardiamente. partição (separação líquido. CLAE – Cromatografia Líquida de Alta Eficiência. R-SH. A afinidade entre os íons da fase móvel e o suporte pode ser controlada por alteração do pH e da força iônica do eluente. Na cromatografia de troca iônica a separação ocorre devido a diferentes tendências dos componentes iônicos ou ionizados permutarem com íons da fase estacionária. Utiliza-se esta técnica especificamente para separar produtos biológicos como. A utilização de suportes com partículas diminutas são os responsáveis pela alta eficiência desse método de cromatografia. R-CHO. R-NH2. A fase móvel (líquida) movimenta-se continuamente através da coluna contendo a fase estacionária (sólido). por exemplo. que. portanto. troca iônica. isto é. ligações enzimas-substratos e anticorpos-substratos. O sólido deve ser um material insolúvel na fase líquida associada.adsorção e solubilidade. R-OH. As separações em CLAE podem se dar por adsorção (separação sólido-líquido).

é o detector de ultravioleta (Absorção da luz na faixa UV – visível). Os picos com maior tempo de retenção eram referentes aos sesquiterpenos. A temperatura do injetor foi de 1500C e a temperatura da interface: 2800C. indicando a massa molecular e o padrão de fragmentação. além da separação dos componentes (identificação dos compostos individuais através do tempo de retenção relativo da amostra). 60C min-1. ESQUEMA BÁSICO PARA A CLAE: 5) Uma amostra de óleo essencial foi analisada por CG/EM e o cromatograma de íons totais apresentou 10 picos referentes a 6 monoterpenos e 4 sesquitepenos. de indíce de refração. e eletroquímicos. sendo também empregados detectores de fluorescência. obtém-se espectros de massas da cada pico. entre eles dois ficaram com tempo de retenção muito próximos. c) Por que os monoterpenos eluíram primeiro na coluna? É porque todos os monoterpenos apresentam o máximo de absorbância a 200nm. a) O que significa a sigla CG/EM? Cromatografia gasosa-espectroscopia de massa b) Por que os óleos essenciais podem ser analisados por cromatografia gasosa? É porque na CG/EM. da coluna (DB-1): 750C (8 min). d) Qual o tempo de duração da análise? 6) As seguintes substâncias foram isoladas do extrato diclorometânico de uma alga denominada Lyngbya majuscula através de cromatografia em coluna de Sephadex LH- . 2000C (4 min). que também podem ser comparados com espectros de massas de padrões ou com espectros constantes na literatura ou na biblioteca do equipamento. A programação de T temperatura usada foi a seguinte: Temp. entre outros.

diclorometano. F e N) intramoleculares aumentam as interações com o composto dado como eluente (intermolecular). acetona. 7) Considere as substâncias relacionadas abaixo. usando como elunete CH2Cl2-CH3COCH3 como eluente. butanol. as quais são usadas como solventes em separações de compostos orgânicos e/ou realizações de medidas: clorofórmio.20-(Cromatografia por exclusão). tetracloreto de carbono. Qual deverá ser a ordem de eluição das substâncias da coluna? Como as Pontes de hidrogênio (fazem-se ligações com O. temos que a ordem de eluição do maior para o menor é: I>III>II. hexano. a) Escreva a estrutura destas substâncias clorofórmio diclorometano tetracloreto de carbono éter etílico acetato de etila hexano butanol . acetato de etila. éter etílico. metanol e etanol.

etanol metanol acetona b) Coloque em ordem crescente de polaridade Eis abaixo: hexano. metanol. Logo o fator de retenção é: 9) Como é feita a revelação das placas em CCD? Quais os principais reveladores utilizados? Na cromatografia de camada delgada a fase líquida ascende por uma camada fina do adsorvente estendida sobre um suporte. A placa coberta e seca chama-se "placa de camada fina". diclorometano. hexano.35 para o componente mais rápido na placa. sendo que o melhor sistema é aquele que dê um valor de Rf na faixa de 0. Sobre a placa espalha-se uma camada fina de adsorvente suspenso em água (ou outro solvente) e deixa-se secar.7 cm com uma frente de solvente igual a 13 cm. diclorometano. acetona. clorofórmio. Eis os principais reveladores e suas classes. Portanto. clorofórmio. acetato de etila. Éter etílico. 8) Calcule o Rf de uma mancha que se desloca 5. acetato de etila. Quando a placa de camada fina é colocada verticalmente em um recipiente fechado (cuba cromatográfica) que contém uma pequena quantidade de solvente. tetracloreto de carbono. este eluirá pela camada do adsorvente por ação capilar. A revelação é feita em uma série de placas em sistemas de diferentes polaridades com a mistura a ser separada. c) Quais destes solventes formam duas fases quando misturados com água? Éter etílico.25-0. O suporte mais típico é uma placa de vidro (outros materiais podem ser usados). na tabela baixo: CLASSE Triterpenos e esteróides REVELADOR Reagente de Liebermann-Burchard . tetracloreto de carbono. etanol e butanol.

Boa estabilidade química e térmica levando a uma maior durabilidade da coluna. Pouco viscosa.  Separações rápidas.  Automação do procedimento analítico e do manuseio dos dados  Alto custo. Desta forma.  Medidas quantitativas acuradas. Disponível em elevado grau de pureza com colunas reprodutíveis. não reage com componentes da amostra. Características cromatografia liquida de alta eficiência:  Alto poder de resolução. Facilidade de registrar dados Separação de várias classes de compostos em uma análise Compostos termicamente estáveis Técnicas auxiliares para identificação dos compostos.Flavonóides Alcalóides Compostos insaturados Solução de cloreto de alumínio Reagente de Dragendorff Vapores de iodo 10) Quais as vantagens e desvantagens da cromatografia gás-sólido? E da Cromatografia Líquida de Alta Eficiência? Características gás-sólido (de forma geral):          Ampla faixa de temperaturas de uso maior garantindo uma flexibilidade na otimização da separação. É usada em substâncias que possam ser volatilizadas sem sofrer decomposição e não voláteis que possam ser convertidas em derivados voláteis. ausência de picos “fantasma” nos cromatogramas.  Análises repetitivas e reprodutíveis com a mesma coluna. . tendo colunas mais eficientes (menor resistência à transferência do analito entre fases). a cromatografia líquida de alta eficiência é mais versátil que a cromatografia com fase gasosa porque ela não está limitada a amostras voláteis e termicamente estáveis e porque a escolha de fases estacionárias e móveis é mais ampla.  Monitoramento contínuo do eluente.