You are on page 1of 5

COMENTÁRIO DO FILME SURPLUS Surplus, documentário sueco, dirigido pelo italiano Erik Gandini em 2003, trata do consumismo abusivo

das sociedades, principalmente, desenvolvidas. Em seu documentário, Gandini coloca dois lados opostos em evidência: o alto consumismo dos EUA, em que as pessoas consomem mesmo sem necessidade, e o socialismo de Cuba, em que a população local consome apenas para o necessário para sua sobrevivência. Aparece também, a visão de John Zerzan, escritor que defende o primitivismo e a igualdade social, para ele é de grande mediocridade, as pessoas trabalharem com o intuito de poderem consumir, tornando-se o trabalho apenas uma fonte para o poder do consumo. O documentário possui uma visão negativista da sociedade, crendo que com a continuidade do consumismo excessivo, o mundo se destruirá, e hoje nada poderia ser feito para concertar todos os estragos causados pela sociedade consumista.

Uma odisséia visual intensa filmada ao longo de três anos em oito países. Desde os confrontos explosivos das manifestações em Gênova, 2001, as bonecas para uso sexual de 7000 dólares, Surplus explora a natureza destrutiva da cultura consumista. Sobre um pano de fundo onde coabitam os líderes mundiais mais cínicos e lideres do pessoal das grandes empresas e fanáticos da Microsoft, o filme foca-se no controverso guru da antiglobalização, John Zerzan, cujo apelo à provocação de danos sobre a propriedade inspirou muita gente à intervenção direta nas ruas.

O filme Surplus produzido por Erik Gandini faz uma crítica ao consumismo e ao grande problema social e econômico criado pela sociedade capitalista, faz uma comparação a países pobres e países ricos. Por exemplo, mostra o isolamento do rapaz Sueco com a sociedade consumista, um milionário que gasta seu dinheiro de forma leviana. Embora não lhe falte nada material, há um enorme vazio. Em contrapartida mostra uma cubana que adquire um desejo insaciável por todo este consumismo, é nítido como ficou encantada com um BIG MAC e ao mesmo tempo com a diversidade que a mídia oferece, dizia o quanto

. o que direciona a manipulação da consciência da massa social. Uma das cenas interessante e curiosa que vale ressaltar também é a produção de bonecos feitos de silicone. enfatiza a indução para o consumismo. fazendo-a acreditar que a felicidade está no consumismo.. A televisão. é um meio que transmite excessos de informações o tempo todo. no caso da sergunda personagem citada há a formação de um conjunto de ideias e crenças. A mesma coisa com a mídia. Esses bonecos possuem órgãos genitais feitos com materiais bem realísticos. assista a Gobo. gaste mais. de forma que os consumidores sejam completamente alienados. A indústria produz enormes quantidades de um único produto. ao assistir o filme. nos sentimos desconfortáveis com todas aquelas cenas e mixagens rítmicas om as falas.”.. para satisfação e prazer tanto masculino quanto feminino. algo que fixe na mente do telespectador “compre mais. MTV.achou maravilhoso o fato de poder comer e ao mesmo tempo trocar os canais da televisão. O filme Surplus une um conjunto de ideias similar ao da escola teórica de Frankfurt. Considerados uma inovação do mercado do sexo. acreditando que a indústria cultural padroniza os produtos para vender. Assim como gerado no consumidor em geral. e todo meio midiático é também algo persistente no filme a forma com que o capitalismo controla e manipula a sociedade contemporânea. em Surplus fica claro a ideia da robotização e alienação da sociedade que é afetada diretamente pela mídia. compre no McDonald’s. a mídia é um sistema problemático culturalmente. em apenas trinta segundos numa propaganda que induz o individuo obter o desejo do consumo. Esses são fatores que passam desapercebidos pela sociedade porque já existe um costume sob essas ações. tome coca-cola. que tem como conceito o ser humano unidimensional. Fica explicito que o próprio humano criador de objetos que podem substituí-lo em qualquer situação. atendendo o objetivo de que a ideia fixe em nossas mentes. movimentos e expressões. Surplus nos coloca a pensar sobre o processo de globalização com suas imposições ao mundo atual. logo várias pessoas compram deste mesmo produto. e consequentemente atinge a cultura padronizando e moldando-as para fazer parte dos padrões da sociedade consumidora. . várias pessoas tem acesso àquela mesma informação ao mesmo tempo.

na forma usada para induzir o consumidor a gastar de forma exacerbada. como o ser humano pode ser moldado. . na criação dos produtos. mas porque a sociedade se submete a trabalhar mais e ser manipulada. Surplus. além de fazerem dívidas em créditos. consome o que pode e o que não pode. com imagens e sons que praticamente transformam o filme em um vídeo-clipe. Erik Gandini nos apresenta um filme bastante intrigante no qual ele usa de uma estética diferente e moderna. Esse consumismo cresce cada vez mais. apontam produtos dos quais não existem motivos de ser consumido. pois trabalham por mais tempo. mostra uma realidade cada vez mais aterrorizante que está totalmente banalizada nos dias de hoje. se deixa levar pela mídia. o filme mostra como o meio ambiente vem sendo destruído para que as indústrias continuem a produzir cada vez mais e assim maximizem seus lucros. recebe seu salário. A de que o homem transformou-se em uma máquina de consumo e ganância que está destruindo o mundo e o tornando cada vez mais afásico e amoral. principalmente o público jovem. mas através de propagandas. E é exatamente isso que o comunista Karl Marx ressalta. trabalha. gastam exatamente o que ganham. às vezes ganham mais.Surplus retrata bem esse processo de massificação. uma produção de 2003 do diretor Erik Gandini. Com uma visão bem forte da realidade atual. Além desta questão ambiental Erik Gandini mostra também como a publicidade hoje está sendo distorcida pela indústria cultural para impor suas vontades às pessoas que perante esta situação acabam sendo influenciadas a comprar coisas totalmente supérfluas. para que a mensagem seja apresentada de uma forma objetiva e clara desta situação da sociedade contemporânea. e se dispõem a trabalhar mais e mais para alimentar este vício chamado consumismo crescente. tornando-o visualmente interessante o que prende a atenção das pessoas. logo o consumismo aumenta gradativamente. e transformado em máquinas. Este é um enorme circulo vicioso: O ser humano sem perceber se coloca apto. o consumidor sente a necessidade de ter aquele determinado produto para suprir um desejo que foi criado através da própria mídia.

um defensor da idéia de que os problemas da humanidade só serão sanados com a desindustrialização da sociedade e com o abandono da tecnologia. Surplus apesar de ser bastante pessimista. mesmo que sem necessidade. que no filme é abordado mostrando a vida de algumas pessoas de várias partes do mundo. ele apresenta criticas ao capitalismo como o consumo desenfreado. O filme SURPLUS apresenta a realidade dos dias de hoje. e que o homem virou uma maquina de consumo e destruição. Uma questão muito marcante nesta sociedade de consumo é o dinheiro. O cineasta italiano Erik Gandini viaja durante três meses pelos EUA. como um garoto europeu que ficou milionário. onde milhões de pessoas assistem. mas que prefere ter sua vida simples e sem muito dinheiro de volta.Outra parte marcante do filme é a entrevista com o filósofo e anarco-primitivista americano John Zerzan. ou a garota Cubana que em uma viagem descobriu e ficou deslumbrada com o mundo consumista que existe fora de Cuba. E durante todo o filme trechos da entrevista de Zerzan são mostrados. Ou também os trabalhadores Indianos que ganham a vida desmontando navios. fazendo um comparativo entre o que ele pensa e o que de fato anda acontecendo no mundo. Tudo isto para exemplificar esta particularidade do capitalismo que deixa poucas pessoas com muito e muitas pessoas com pouco. onde as pessoas estão sendo manipuladas. juntamente a uma visão crítica e a um uso extensivo do recurso de repetição que foi arquitetado o documentário “Surplus”. pode ser encarado como um alerta para todas as pessoas do mundo de que chegou a hora de alguns valores da sociedade serem repensados e algumas atitudes em relação ao meio ambiente serem tomadas com certa urgência. Cuba e Índia para captar formas de como a sociedade atual tem sido seduzida a fim de consumir exacerbadamente. através de propagandas e publicidades. A partir de imagens e relatos captados nesta jornada. . e acabam sendo influenciadas a comprar coisas totalmente supérfluas.

para que aquele produto chegasse até nossas mãos. formas. e mostra que estamos cada dia mais dependentes delas. . o mesmo acredita que os problemas da humanidade serão resolvidos. No filme também e feito criticas ao uso da tecnologia. quando o mundo decidir viver. com o corpo. onde a riqueza é totalmente mal dividida. onde os pobres são explorados e ganham uma minoria.. sem indústrias. pois sabem que pode acabar sendo morta. e que houve trabalho praticamente que escravo em algum lugar do mundo. onde o cliente pode escolher sua boneca. estão trabalhando para ganhar muito pouco. mostra que o esse sistema é desleal. No filme também e apresentado as idéias de Jonh Zerzan. no filme foi mostrada uma fabrica de bonecas sexuais. onde as pessoas não têm liberdade de escolhas. e mostra um pouco de como esse sistema funciona em cuba. E por fim. as mesmas têm que seguir a um sistema. para só encher os bolsos dos maiores. cabelos.O filme também faz criticas ao sistema socialista. o mostra que o capitalismo é um sistema.. e os ricos acabam ficando com a maior parte que é o lucro. como somos individualistas. e que crianças que deveria estar na escola. o que nos tornam pessoas mais individualistas. somos que nem fantoche. onde as pessoas não têm liberdade de manifestar suas opiniões contrarias. ou seja. somos manipulados pelo sistema que nos cerca. da forma que o mesmo quiser. sem tecnologias. onde o país é governado por Fidel Castro. e que para essa tecnologia chegar ate a gente. onde tiramos sem pensamos nas conseqüências. Essa fabrica nos representa no capitalismo. ouve exploração de recursos naturais.