REQUERIMENTO N°

, DE 2013

Requeremos, nos termos do artigo 13, § 2° da Constituição do Estado de São Paulo e do artigo 34A da XIV Consolidação do Regimento Interno, a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, composta por 9 (nove) Deputados, com a finalidade de, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, investigar eventuais ilegalidades nas licitações, contratos e execuções contratuais além de apurar a ocorrência de relações ilícitas entre sócios do Grupo Scamatti composto, dentre outras, pelas empresas: Demop Participações Ltda, Empreendimentos Imobiliários Villa Lobos Ltda, LC Seller &Cia Ltda, Métodos Administração de Obras e Incorporação Ltda, Mineração Scamatti Ltda, Miotto e Piovesan Engenharia e Construções Ltda, Noromix Concreto Ltda, Scamatti & Seller Infra-Estrutura Ltda, Scamatti & Seller Investimentos O2 Ltda e Sueli Aparecida Seller & Cia Ltda, relacionadas na Operação Fratelli, deflagrada pela Polícia Federal empresas essas que seriam utilizadas para dar uma aparência de legalidade e legitimidade aos procedimentos administrativos além de investigar a possível participação de agentes públicos estaduais favorecendo essas empresas em licitações, contratos e execuções contratuais, do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio do DER, DAESP, CODASP, SABESP e CESP no período de 2003 a 2013.

1

JUSTIFICATIVA

No início do mês de abril deste ano a imprensa noticiou amplamente os desdobramentos da denominada “Operação Fratelli”, realizada pela Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público, com a finalidade de investigar empresas acusadas de fraudar licitações em prefeituras do interior paulista ligadas ao denominado “Grupo Scamatti” integrado, segundo a imprensa, pelas empresas: Demop Participações Ltda, Dual Logística e Transportes Ltda, Empreendimentos Imobiliários Villa Lobos I a IX e XI Spe Ltda, Gold Union Empreendimentos e Participações S/A, G.P. Pavimentação Ltda, LC Seller &Cia Ltda, Liderpet Indústria e Comércio de Embalagens Plásticas Ltda, Métodos Administração de Obras e Incorporação Ltda, Mineração Água Amarela Ltda, Mineração Água Vermelha Ltda, Mineração Grandes Lagos Ltda, Mineração Noroeste Paulista Ltda, Mineração Scamatti Ltda, Miotto e Piovesan Engenharia e Construções Ltda, Mirapav - Mirassol Pavimentação Ltda, Mult Ambiental Construções Ltda, Noromix Concreto Ltda, Noromix Tubo Ltda, Porto de Areia Saara Ltda, Scamatti & Seller Infra-Estrutura Ltda, Scamatti & Seller Investimentos O2 Ltda, Sueli Aparecida Seller & Cia Ltda, Union Diamond Empreendimentos e Participações S/A, Usinalto Usina de Asfalto Ltda.

Matéria veiculada pelo jornal O Estado de São Paulo aos 29 de abril de 2013, intitulada “ Inquérito afirma que empreiteira da Máfia do Asfalto se infiltrou no DER” revela que no período de 2008 a 2010 a denominada “máfia do asfalto” teria ampliado seu raio de ação para o Departamento de Estradas e Rodagem – DER, autarquia estadual vinculada à Secretaria de Estado de Logística e Transportes.

2

Consta da matéria que um relatório do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) de São José do Rio Preto destacou que a quadrilha mantinha contatos frequentes com engenheiros do DER além de acesso a “informações privilegiadas” e ainda que “As informações evidenciam que a área de influencia do grupo investigado vai muito além das prefeituras, instalando-se em um órgão com a importância do DER”, afirma que a investigação aponta como suposto contato de Scamatti no DER um homem identificado como “Délcio” nos grampos destacando ainda que, no período de 2007 a 2011, o DER fora dirigido pelo engenheiro Delcio José Amador, que também acumulou a presidência da Dersa na gestão de José Serra.

Importante que seja investigado por esta CPI se, no período de 2003 a 2013, os contratos e pagamentos realizados pelo Governo do Estado de São Paulo por intermédio dos entes da Administração Indireta (DER, DAESP, CODASP, SABESP e CESP) à Demop e algumas empresas do Grupo Scamatti (Mineração Grandes Lagos, Noroeste Paulista e Noramix Concreto) que atingiram mais de seiscentos milhões de reais, observaram os limites legais.
AUTARQUIA /EMPRESA PÚBLICA DER DER-mineração grandes Lagos/ noroeste paulista/noramix concreto DAESP-aeroportos CODASP - contrato 2002-2012 2011-2012 2007 R$ R$ R$ R$ SABESP CESP - homologado em março 2013 Total 2012 2013 R$ 230.000 19.233.727 9.921.386 2.290.800 114.999 PERÍODO 2003-2013 VALOR R$ 570.718.619

R$ 602.394.532

3

Se considerarmos somente os contratos da DEMOP com o DER1 constatase que aproximadamente 95% dos contratos firmados pela Administração Indireta do Governo do Estado estão concentrados no DER. Vejamos,

ANO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013

TOTAL 304.826 605.890 2.020.318 4.845.457 7.636.009 75.243.997 48.026.074 179.248.749 162.472.233 89.407.770 1.270.394

Analisando o levantamento realizado é possível concluir, do que já apuramos, que os contratos firmados pelo DER com a DEMOP superaram os valores contratados em percentuais muito superiores àqueles permitidos na Lei Federal 8666/93. Citamos, a seguir, alguns exemplos de contratos do DER citados nas interceptações telefônicas da operação Fratelli:

1

levantamento realizado com informações do SIGEO- Sistema de Informações Gerenciais de Execução Orçamentária do Estado de São Paulo e Imprensa Oficial

4

I.

SP 461 Birigui – Obra inaugurada no ano passado pelo Governador Geraldo Alckmin

Apesar de, aparentemente, não terem sido imputados a Delson José Amador atos ilícitos, verifica-se, pelos documentos e informações veiculadas pela imprensa que Scamatti possuía informações privilegiadas de licitações a cargo do DER. É o que revela a degravação publicada pelo jornal, decorrente de interceptação telefônica de 19 de agosto de 2008 ocorrida entre Scamatti e seu irmão Pedro “sobre uma reunião que Olívio teve no DER com uma pessoa de nome Délcio, que foi uma boa reunião”.

A matéria aponta ainda que o mais vultoso contrato com o DER nasceu de um edital de 2008, que se transformou em um contrato em 2010, para obras na SP 461, rodovia que passa por Birigui, por cerca de 38 milhões de reais em valores atualizados.

Essa obra na SP 461 foi inaugurada no dia 04 de agosto de 2012 pelo governador Geraldo Alckmin conforme notícia veiculada no site do DER aos 06 de agosto de 2012.
“Entre 2007 e 2011, o DER foi dirigido pelo engenheiro Delson José Amador, que também acumulou a presidência da Dersa na gestão José Serra (PSDB). A Polícia Federal e o Ministério Público não imputam nenhum ato ilícito a Amador. As citações a seu nome são feitas sempre por terceiros, alvos das interceptações. Em 19 de agosto de 2008, Scamatti e seu irmão Pedro caíram no grampo conversando "sobre uma reunião que Olívio teve no DER com uma pessoa identificada como Délcio, que foi uma boa reunião". Scamatti diz que "Birigui (município do interior) aumentou R$ 5 milhões do valor que era fechado". Faz menção a "outros bons negócios".

5

“O mais vultoso contrato da Demop com o DER nasceu de um edital de 2008, que se transformou em um contrato, em 2010, para obras na SP-461, rodovia que passa por Birigui. A empreiteira recebeu R$ 38,7 milhões pela duplicação da estrada, em valores atualizados. ...

Esse contrato da Demop, assinado aos 17 de dezembro de 2008 com o DER2, teve seu valor fixado em R$ 31.557.449,11 e o prazo de vigência fixado de 16 meses. Porém, pesquisa realizada junto ao SIGEO – Sistema de Informações Gerenciais de Execução Orçamentária do Estado de São Paulo aponta que os valores pagos à Demop referentes a esse contrato chegam à absurda cifra de R$ 84.450.542,24.

É de suma importância que, tanto a regularidade do processamento da licitação, quanto a correspondente execução contratual sejam auditadas, uma vez que caso seja constatado o favorecimento à empresa Demop os agentes públicos e empresários devem ser devidamente responsabilizados.

II.

SP 320 Rodovia Euclides da Cunha - Contrato firmado em período de campanha eleitoral ao Governo do Estado

A matéria do jornal “O Estado de São Paulo” aponta ainda que em outra escuta de 29 de junho de 2008, Scamatti diz que está em São Paulo e que encontrou-se com o “Dr. Delcio, com quem tem uma aproximação boa”. Scamatti afirma que “estão indo uns negócios grandes para a região de Votuporanga”.
Contrato 16.002-7 - Contratante DER – Processo 248.309/DER/2008-8º Volume. - Contratada Demop Participações Ltda. - Edital 089/2008-CO - Lote 01 – Assinatura 17/12/2008 - Valor R$ 31.557.449,11 - Objeto Execução das obras e serviços de recapeamento da pista, pavimentação dos acostamentos e implantação de trechos duplicado e de dispositivo em desnível na SP 461, trecho urbano do Município de Birigui, sob jurisdição da Divisão Regional de Araçatuba - DR- 11, compreendendo o Lote 1 - entre os km 16,00 ao km 20,90, com extensão de 4,90 km. - Vigência 16 meses. Valor pago- Sigeo - R$ 84.450.542,24
2

6

Dois meses depois, Scamatti conversa sobre a duplicação da Rodovia 320, “liberada pelo DER e que vai custar R$ 1,2 bilhão” e que o amigo deles teria confirmado o fato quando saía do Palácio”.

As interceptações telefônicas revelam ainda que Scamatti e seu irmão Pedro sabiam, quase dois anos antes da publicação do edital, de detalhes sobre a obra.

Consta ainda que o Procurador da República Thiago Lacerda Nobre anotou em seu relatório que “ O grupo criminoso mantém relação ilícita, ou no mínimo espúria, com vários servidores públicos, nas mais diversas esferas de poder, municipal, estadual e federal”.

A licitação de duplicação e restauração de pista – trechos entre os KM 453+000 e Km 477+120 da Rodovia Euclides da Cunha foi dividida em 8 lotes com valor total sem atualização de 687,9 milhões de reais. A homologação da licitação se deu aos 10 de setembro de 2010.

A contratação, no final de 2010 foi amplamente divulgada na imprensa e o destaque à época foi de que o Governo do Estado tinha interesse de iniciar as obras o quanto antes, uma vez a duplicação era promessa eleitoral do então candidato ao Governo do Estado, Geraldo Alckmin.

7

A licitação referente às obras e serviços de duplicação e restauração da Rodovia Euclides da Cunha – SP 320 foi dividida em 8 (oito lotes) tendo como vencedoras as empresas: Constroeste Construtora e Participações Ltda (lotes 1 e 2), Conter Construções e Comércio S/A (lote 3), Consórcio Bandeirantes Redran (lote 8) e Consórcio Serveng S/A (lotes 5 e 7). Necessário que se verifique se os valores pagos superam os valores contratados, em percentuais superiores aos permitidos na legislação que regula a matéria.

Recente matéria intitulada “Duplicação da Euclides com brita da Demop apresenta falhas e será revisada” relaciona a empresa Demop a irregularidades na execução de serviços na Rodovia Euclides da Cunha.
Dois meses depois, Scamatti conversa sobre a duplicação da rodovia 320, "liberada pelo DER e vai custar R$ 1,2 bilhão". O empreiteiro diz que "o amigo deles de São Paulo confirmou o fato quando saía do Palácio". Outro áudio pegou Scamatti e o irmão Pedro falando da duplicação da rodovia Euclides da Cunha, "demonstrando que já sabiam, quase dois anos antes da publicação do edital, detalhes sobre a obra, como a quantidade de desapropriações". Ao denunciar Scamatti e outros 18 investigados, o procurador da República Thiago Lacerda Nobre anotou no relatório: "O grupo criminoso mantém relação ilícita, ou no mínimo espúria, com vários servidores públicos, nas mais diversas esferas de poder, municipal, estadual e federal"

Também aqui, é necessário que sejam realizadas auditorias, no processamento da licitação e execuções contratuais, de forma a se investigar se as informações privilegiadas a que tiveram acesso e que estão demonstradas pelas interceptações telefônicas propiciaram vantagem indireta, uma vez que segundo a matéria veiculada, a Demop foi subcontratada pela empresa Serveng.

8

O Tribunal de Contas do Estado3 no processo que tratou da análise das Contas do Governador referente ao exercício 2009, em auditorias técnicas realizadas constatou defeitos nas obras realizadas pelo DER pelo Programa Ampliação, Recuperação e Modernização da Malha Rodoviária que consiste em garantir rodovias em bom estado de manutenção, de forma a proporcionar um transporte confortável, seguro e econômico de bens e pessoas na malha rodoviária. As ações selecionadas se referem à execução de obras de pavimentação e/ou recuperação e ampliação de capacidade em estradas vicinais e em rodovias estaduais, bem como, reforma de terminais rodoviários municipais.

Segundo o Relatório do TCE- SP: “As Unidades Regionais constataram a existência de casos que vão desde uma ocorrência isolada ao longo de todo o trecho (36% deles) até o aparecimento de deformidades por toda a extensão da estrada (apenas 4%), indicando, nesses casos, a existência de severos problemas na execução dos trabalhos – seja em virtude das deficiências dos projetos de engenharia, seja da qualidade intrínseca dos materiais e serviços incorporados à obra, ou de qualquer outro fator relevante.”

Desta forma, é imperiosa e urgente a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para que sejam investigadas eventuais ilegalidades nas licitações, contratos e execuções contratuais além de apurar a ocorrência de relações ilícitas entre sócios do Grupo Scamatti composto, dentre outras, pelas empresas: Demop Participações Ltda, Empreendimentos Imobiliários Villa Lobos Ltda, LC Seller &Cia Ltda, Métodos Administração de Obras e Incorporação Ltda, Mineração Scamatti Ltda, Miotto e Piovesan Engenharia e Construções
3

TC 02685/026/09 Contas do Governador

9

Ltda, Noromix Concreto Ltda, Scamatti & Seller Infra-Estrutura Ltda, Scamatti & Seller Investimentos O2 Ltda e Sueli Aparecida Seller & Cia Ltda, relacionadas na Operação Fratelli, deflagrada pela Polícia Federal empresas essas que seriam utilizadas para dar uma aparência de legalidade e legitimidade aos procedimentos administrativos além de investigar a possível participação de agentes públicos estaduais favorecendo essas empresas em licitações, contratos e execuções contratuais, do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio do DER, DAESP, CODASP, SABESP e CESP no período de 2003 a 2013.

São Paulo, 21 de maio de 2013

Luiz Claudio Marcolino Líder da Bancada do PT

10

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful