5. Estabeleça relações entre arte, linguagem e conhecimento.

A arte pode ser encarada como uma forma de linguagem, pois traduz ou representa uma experiencia de vida, uma impressão, uma concepção do mundo, através de um conjunto de sinais, signos ou símbolos, sejam sons, palavras, linhas, cores, volumes… Estes elementos representativos – símbolos – em que o artista materializa a sua intenção, remetem para múltiplos referentes, pois poderemos associá-los a objectos ou situações muito diversas. Na arte os símbolos remetem para múltiplos referentes e podemos associá-los a objectos ou situações muito diversos pois uma obra, mesmo depois de largamente contemplada pode continuar a revelar-nos alguns dos seus segredos. A linguagem artística usa signos abertos, isto é, sinais que não possuem um significado preciso e unívoco (polissémicos) convidando um receptor a recriar-lhe um significado. Partindo da sua própria experiencia de vida e sensibilidade, o público recria ou constrói o significado da obra. Por essa razão, podemos dizer que cada obra contem um potencial de significação que confere à arte a sua vitalidade e actualidade, permitindo-nos admirar obras muito antigas, apesar da evolução da cultura, das concepções estéticas e respectivos cânones de beleza. A arte pode alargar o nosso conhecimento do mundo pois representa uma diversidade de experiencias que pode de certa forma influenciar a forma como olhamos o mundo. 6. Caracterize cognitivismo estético, simbolo e polissemia O cognitivismo estético Refere-se à tese segundo a qual a arte pode alargar o nosso conhecimento, por representar a diversidade da experiencia e influenciar a maneira como olhamos o mundo. Podemos valorizar a arte em função da sua capacidade de alargar e compreensão da nossa experiencia, isto não significa que a arte o faça sempre, ou que seja a única razão para a valorizar. O símbolo é um sinal ou elemento representativo que está em lugar de outra realidade, tendo o poder de a evocar. Estes elementos representativos – símbolos – em que o artista materializa a sua intenção, remetem para múltiplos referentes, pois poderemos associá-los a objectos ou situações muito diversas. A Polissemia é a característica dos signos (da arte) de terem múltiplos significados ou interpretações. A linguagem artística usa signos abertos, isto é, sinais que não possuem um significado preciso e unívoco (polissémicos) convidando um receptor a recriar-lhe um significado. 7. Aponte as consequências da industrialização da estética na sociedade contemporânea. Uma das consequências da industrialização e do progresso foi a tendência para a valorização dos bens materiais e para a transformação dos bens culturais em bens de consumo. Nas sociedades tecnologicamente desenvolvidas, a arte tornou-se uma mercadoria

e. servem-se da publicidade.o lucro: transaccionar obras é uma forma segura e rentável de investimento . dos meios de comunicação de massas para divulgar determinadas obras e condicionar os padrões de gosto. a aquisição de obras de arte pode ter duas motivações principais: .a promoção social: a posse de obras de arte é um indicador de estatuto social. objecto de especulação económica e indicador de estatuto social. Os padrões de gosto dominantes condicionam a procura e a oferta. O comercio da arte obedece às leis do mercado: os especialistas e as multinacionais de arte. Na verdade. fazendo inflacionar os preços. . como tal.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful