Ações Cíveis Eleitorais A inelegibilidade pode ser reconhecida na ação de impugnação de registro de candidatura (AIRC).

Depois do registro, pode ser também reconhecida em representação ou ação de investigação judicial eleitoral (AIJE). Após a diplomação, pode ser reconhecida por meio de ação de impugnação de mandado eletivo (AIME - art. 14, § 10 da C.F.) e recurso contra a expedição de diploma (RCED - art. 262 C.E.). A seguir, serão tratadas, an passant, as principais ações passíveis de ocorrerem no âmbito eleitoral. Ação de impugnação de registro de candidatura A Ação de Impugnação de Registro de Candidatura (AIRC) tem por meta impedir o deferimento da candidatura do impugnado, motivando-se em função de sua inelegibilidade (inata ou cominada) ou por ausência de algum documento essencial. Três são as espécies de fatos que podem motivar a AIRC: a) a inelegibilidade inata, em consequência da não existência de alguma condição de elegibilidade; b) a inelegibilidade sanção, ocorrida em função de algum ato ilícito praticado e previsto pela legislação eleitoral; e c) a inexistência de documento legalmente exigível para o pedido de registro, não fornecido em tempo hábil. Ação de investigação judicial eleitoral A AIJE trata de casos de inelegibilidade não previstos na norma constitucional e tem por escopo apurar e punir os ilícitos eleitorais (não penais), visando a proteger a legitimidade e a normalidade das eleições, de modo a mantê-las revestidas de lisura. Podem propor a AIJE os partidos políticos, as coligações, os candidatos e o MPE.

os legitimados possuem 5 dias para ajuizar a AIRC. nas eleições municipais. coligações e Ministério Público são legitimados para propor AIJE. argui-se a sua inelegibilidade (inata ou cominada). Almeja-se. e a cominação da sanção de inelegibilidade para os três anos seguintes. É possível ajuizar AIJE após o pedido de registro de candidatura até a diplomação dos eleitos. com a declaração da inelegibilidade do candidato para essa e para os próximos três anos. AIJE A Ação de Investigação Judicial Eleitoral é o remédio jurídico apto a combater os abusos do poder econômico e/ou político perpetrados por candidatos. Pretende-se com o ajuizamento da AIRC a declaração negativa do direito público subjetivo do précandidato ao registro. ou a ausência de algum documento exigido na legislação. coligações e Ministério Público são legitimados para propor AIRC. partidos políticos. Com o ajuizamento da AIJE busca-se a declaração da ocorrência do fato jurídico ilícito do abuso do poder econômico ou do abuso do poder político. Após a referida publicação. São eles: decretação da inelegibilidade. nas eleições gerais. perante o corregedor-geral. partidos políticos. para essa eleição. Segundo o art. A investigação judicial busca oferecer aos envolvidos no processo eleitoral condições de normalidade e legitimidade das eleições. candidatos. candidatos. proteger a legitimidade das eleições. Segundo o art. nas eleições presidenciais. 3º da Lei Complementar 64/90. cassação do registro do . bem como resguardá-los de práticas abusivas tendentes a macular a lisura do pleito. com vistas a influenciar o resultado do certame eleitoral. apenas podendo dirigir representação ao órgão do Ministério Público. que caso entenda fundada as alegações ajuizará o referido remédio jurídico.AIRC A ação de Impugnação de registro de candidatura (AIRC) é o remédio jurídico adequado para atacar pedido de registro de candidatura. para tanto. Será competente para apreciar a AIRC. A AIJE tem seus efeitos previstos no art. A AIJE será proposta perante o juiz eleitoral. 22 da Lei Complementar 64/90. pretensamente. Cumpre destacar que a AIRC trata-se de ação declaratória pela qual o Judiciário é provocado a se pronunciar acerca de situação preexistente que. tornaria inelegível o candidato impugnado. O eleitor é parte ilegítima para manejar AIRC. 22 da Lei Complementar 64/90. o órgão jurisdicional responsável pelo processamento do registro impugnado. portanto. perante o corregedor-regional. É possível ajuizar AIRC a partir da publicação do edital que dê ciência do aforamento do pedido de registro de candidatura.

41-A da Lei no 9. podendo ser manejado no prazo de até três dias após a diplomação. Tal remédio jurídico. contagem de votos e classificação de candidato. de modo que não atinge o diploma tampouco o registro. De acordo com o disposto no art. RCED O Recurso Contra a Expedição de Diploma (RCED) é o remédio jurídico apto a combater condutas perpetradas por candidatos. Caso a sentença seja prolatada após a diplomação os autos deverão ser enviados para o Ministério Público para que esse ajuíze recurso contra a expedição de diploma ou AIME. haja vista que o art. coligações e os partidos políticos. Será competente para conhecer a AIME o órgão jurisdicional que expediu o diploma impugnado. São legitimados para propor esse remédio jurídico.erro de direito ou de fato na apuração final. 262 do Código Eleitoral: o recurso contra expedição de diploma caberá somente nos seguintes casos: I .504. embora equivocadamente classificado como recurso pelo legislador.errônea interpretação da lei quanto à aplicação do sistema de representação proporciona. e do art. mas tão-somente faria com que o segundo colocado assumisse o cargo disputado. III . candidatos. nas hipóteses do art. de 30 de setembro de 1997.candidato diretamente beneficiado. Será competente para conhecer o RCED o órgão jurisdicional que expediu o diploma impugnado. ou a sua contemplação sob determinada legenda. São legitimados para propor essa ação todos os eleitores. a fim de sustar a eficácia do diploma emitido.inelegibilidade ou incompatibilidade de candidato. Apelação eleitoral Em regra os recursos eleitorais são recebidos somente em seu efeito devolutivo. A AIME possui como efeito a desconstituição do mandato eletivo. AIME A Ação de Impugnação de Mandato Eletivo tem por escopo desconstituir o mandato eletivo obtido pelo candidato diplomado. II . quanto à determinação do quociente eleitoral ou partidário. ao mesmo tempo em que não anula os votos do candidato impugnado. IV . a AIME não gera inelegibilidade. o Ministério Público Eleitoral. o Ministério Público Eleitoral e os partidos políticos. com vistas a influenciar ilicitamente o resultado do certame eleitoral. 222 desta Lei. possui natureza jurídica de uma verdadeira ação destinada a impugnar diplomas em primeiro grau pelos tribunais.concessão ou denegação do diploma em manifesta contradição com a prova dos autos. 257 do Código Eleitoral estabelece que esses . de modo que a procedência da ação não implicaria em uma nova eleição. O dies a quo para ajuizar o RCED é a data da diplomação. Assim sendo.

Recurso inominado O Recurso Inominado é o meio apto para impugnar sentença proferida em todas as ações processuais de primeira instância. devendo a outra parte ser intimada para recorrer. por oportuno. . 15 da LC 64/90 prescreve que enquanto não transitar em julgado a decisão que declarar a inelegibilidade do candidato continuará válido registro e o diploma do candidato demandado. ou para apresentar contra-razões. competente para conhecê-lo e julgá-lo. poderá o juiz eleitoral exercer o juízo de retratação. que o art.expedientes não terão efeito suspensivo. em caso de manutenção. É de se destacar. Após sua interposição. com pedido de retratação ou de reforma da decisão pela instância superior. em caso de modificação do julgado.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful