You are on page 1of 12

DISCIPLINA DIREITO DO TRABALHO PROFESSOR: JOÃO AMARAL

FORMAS DE EXTINÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

FLÁVIO LEMOS LOPES

SERRA Junho de 2012

Quando há descumprimento do contrato. art. de uma ou de ambas as partes. pois. Um exemplo clássico é a rescisão indireta (artigo 483). Do que se vê. Rescisão é uma palavra com plurissignificados. de cláusula do contrato de trabalho. por uma das partes. por pelo empregador (artigo 483 da CLT). quando há. 473 . Exemplificando: justa causa por parte do empregado (artigo 482 da CLT) ou. A RESOLUÇÃO do contrato se opera quando uma das partes se vale do Poder Judiciário para colocar fim à relação de emprego. podendo inclusive ter o significado de resolução em caso de inadimplemento. CC). Há também o sentido de ser a extinção do contrato em caso de nulidade ou seja. pois na resilição as partes apenas não querem mais prosseguir. Revela-se como resolução. se não vejamos: Resolução é o meio de dissolução do contrato em caso de inadimplemento culposo ou fortuito. descumprimento das cláusulas contratuais. RESCISÃO do contrato se opera quando há lesão contratual. pelo empregador. o artigo 483 da CLT pode ser considerado exemplo de resolução e rescisão contratual. . Resilição é o desfazimento de um contrato por simples manifestação de vontade. Ressalte-se que não pode ser confundido com descumprimento ou inadimplemento. 472 . CC) ou unilateral (denúncia. e. A resilição pode ser bilateral (distrato. pois se fundamenta no descumprimento. pode ser considerado hipótese de rescisão.Neste Trabalho verificaremos algumas modalidades de cessação de contrato de trabalho. ele deve ser tecnicamente resolvido. bem como as características. o empregado se vale da via judicial para ter a falta grave do empregador reconhecida. art.

B) Extinção por morte do Empregador. A CLT. art. 20. Falecendo o empregado e deixando herdeiros. art. há direitos trabalhistas que serão e outros que não serão transferíveis aos herdeiros.FORMAS DE EXTINÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO I) Extinção do Contrato de Trabalho: A) por morte do Empregado. art. quando foi o caso. dispõe que. A morte do empregador. art. é facultado ao empregado rescindir o contrato de trabalho". o aviso prévio por motivo igual. comprovada por declaração escrita da empresa. 477).036. art. § 2º. as férias proporcionais se o tempo de casa é superior a um ano (CLT. pessoa física por si não interfere na extinção do contrato se o negócio prosseguir com outros titulares. de 1990. § único) e o 13º salário proporcional (Lei nº 4. e as férias proporcionais se o tempo de casa é inferior a um ano.036. de 1990. 483. suprida. art. autoriza o empregado a sacar os depósitos do Fundo de Garantia. . 3º).090. São intransferíveis outros direitos sobre os quais o empregado tinha mera expectativa de direito e cujo pressuposto é a dispensa sem justa causa (CLT. por decisão judicial transitada em julgado. 146. "No caso de morte do empregador constituído em empresa individual. Nesse caso. IV). É claro que são transferíveis também os direitos adquiridos desvinculados da causa ou forma de extinção de salário e a remuneração das férias vencidas. pessoa física . sempre que a morte do empregador individual implique rescisão do Contrato de Trabalho. a Lei 8. Interfere se houver extinção da empresa. de 1962. II. 20. São direitos transferíveis o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (Lei 8.

caberá ao mesmo conceder ao . II) Do rompimento por iniciativa do empregador: O Empregador poderá dispensar o empregado do serviço sem ou com justa causa (art. salvo direitos já adquiridos. de trinta dias. como férias vencidas não gozadas e o saldo de salário. tudo o mais poderá ser negociado no acordo.036. de 1990. 8. n o caso de contrato a tempo indeterminado ou pagamento de uma indenização correspondente. além das denominadas "verbas rescisórias". Exceção feita às verbas salariais e às férias vencidas. se houver. não existe obrigação de pagar indenização do trabalhador (CLT. que englobariam o 13. Na segunda hipótese nada será devido ao empregado.D) Extinção por iniciativa de ambos: (acordo) Nada impede que empregado e empregador negociem um acordo para pôr fim à relação de emprego. no caso dos contratos por prazo indeterminado. II) Do rompimento por iniciativa do empregado: Se a iniciativa do rompimento do vínculo empregatício for do empregado. de um modo de extinção do contrato de trabalho que resulta da livre disposição dos interessados e desde que seja o desejo de ambos. não é autorizada a utilização do fundo de garantia (Lei nº. e fornecimento das guias para percepção do benefício do Seguro Desemprego. 482 da CLT). como é obvio. Nos casos de acordo. 20). portanto. Não será demais também advertir que nenhuma empresa está obrigada a fazer acordo com empregados. art. 477).º salário proporcional. Nesse caso. se não desejar que o empregado preste serviço nesse período. saldo de salário. Trata-se. art. Na primeira hipótese deverá arcar com o ônus decorrente do exercício do seu direito. liberação do FGTS acrescido da multa de 40%. as férias proporcionais acrescidas de 1/3. consubstanciado na obrigatoriedade de concessão do aviso prévio.

o que chamamos de despedida indireta. Nessa hipótese. sob pena de se proceder com a compensação desse valor quando do pagamento das verbas rescisórias. ao pagamento do 13. esse direito não foi estendido a essa categoria profissional pela Atual Constituição Federal. IV) As ocorrência de força maior A outra forma seria a ocorrência de força maior. a indenização referente aos depósitos fundiários fica reduzida a metade. a decretação de falência . III) Do contrato de trabalho a prazo determinado contrato de trabalho pode se extinguir naturalmente.479 da CLT). por acaso. o empregador estará obrigado a arcar com o pagamento das parcelas rescisórias. como se tivesse despedido o empregado. Não é considerada força maior. o empregador despedir seu empregado antes do prazo estabelecido. o mesmo diga-se em relação ao empregado. quando for celebrado por prazo determinado e a data nele fixada for atingida. também de trinta dias. No caso do empregado doméstico o empregador estará dispensado de depositar e liberar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. todavia.º salário proporcional. ficando facultativo ao empregador o depósito de tal verba. O obreiro não terá direito de movimentar a sua conta vinculada do FGTS. isto é. terá que pagar uma indenização equivalente à metade da remuneração a que teria direito o mesmo até o término do contrato (art. mas fará jus ao recebimento das férias vencidas e proporcionais. caso o mesmo não cumpra com as obrigações instituídas pela Lei ou pelo próprio contrato de trabalho nos termos do art. um evento imprevisível ou inevitável que dificulte a continuação do contrato de trabalho. ou seja. Também poderá denunciar o contrato por justa causa do empregador. contudo. 483 da CLT. Seria uma das espécies de extinção do contrato de trabalho por motivo não imputável aos contratantes.seu empregador. Terá direito. ou seja. tendo em vista que. mesmo assim. aviso prévio. 20%. Se.

Mas. mediante aceitação do empregador. Fará jus ao 13º salário proporcional ( En. espontaneamente ou não. evitáveis e decorrentes do risco econômico assumido única e exclusivamente pelo empresário (art. V) Por pedido de aposentadoria espontânea: Se a rescisão se der por motivo de aposentadoria do empregado. Aposentando-se. 3 do TST) e às férias proporcionais. autorizado pelo INSS.ou concordata do empregador. é consagrada a extinção do contrato de trabalho com a aposentadoria. o empregador optante pode. o empregado não tem direito ao aviso prévio. A aposentadoria ainda é um tema bastante divergente nos meios doutrinários. mesmo aguardando o deferimento do pedido da aposentadoria. mas predomina a orientação de que é uma forma de cessação do contrato de trabalho. Assim. férias e a liberação do FGTS. por se tratar de contrato bilateral. é o que reza a alínea b. 503). só fará jus ao pagamento do 13. no que tange à sua natureza. apresentando-se como a melhor teoria. se tiver mais de um ano de serviço. O art. sem o acréscimo da multa.213/91. Logo. posto serem perfeitamente previsíveis. caso este continue trabalhando. desse entendimento. 8. sé é permitida. 49 da Lei. a continuação da prestação de serviço por parte do empregado na empresa. mas não terá direito o empregado de receber a indenização de 40%. observamos o nascimento de uma nova relação jurídica entre empregador e empregado. pelo fato de não ter sido dispensado. O Trabalhador poderá continuar trabalhando. A CTPS do empregado terá baixa a partir do dia anterior ao dia do .º salário. A aposentadoria é um ato complexo. 452 da CLT impede a soma do tempo de serviço do aposentado que para o mesmo empregador volta o elaborar. quando a iniciativa da cessação não for do empregador. celebrando-se novo contrato de trabalho. No mesmo entendimento. sem esquecer as férias vencidas. do inciso I do art. movimentar livremente sua conta relativa ao FGTS. e não instantâneo no que se refere a forma de cessação do contrato de trabalho.

No caso da aposentadoria ser requerida pela empresa. 477 da CLT. porém. permitindo-o a sacar tal fundo. Empregados de empresas públicas e sociedade de economia mista. Quanto aos aposentados de serviço ligados a agentes nocivos a saúde. não poderia ser readmitido VI) do Factum principis: . XVI. acrescido da indenização de 40%. salvo quando houver compatibilidade de horários. podem ser readmitidos. para obter aposentadoria por tempo de serviço ou idade. 33 da Lei nº 8. se houver interesse das partes. caso a aposentadoria seja espontânea. que é relacionada ao tempo pelo qual este não foi optante do FGTS. cargos públicos. alem do pagamento de aviso prévio. segundo o art. que também indica indiretamente que o contrato de trabalho. devem prestar concurso público e não poderão acumular. onde será anotada. 37.213/91. remuneradamente. A cessação do contrato de trabalho. visto que a iniciativa da cessação do contrato de trabalho ser dada pelo empregador. o empregado tem direito à indenização. Também. conforme art. terá seus contratos rescindidos. pois. dár-se-á a partir do momento em que o empregador comunica ao empregado o deferimento de seu pedido junto ao INSS. e este readmitido no dia subseqüente. 453 da CLT. o rompimento do pacto laboral será considerado a partir do dia anterior ao do início da aposentadoria. é cessado com a aposentadoria espontânea do empregador. é o que reza o art. Logo. o § 1º. continue no exercício destas atividades e operações. do art. se não. originada da aposentadoria. 13º salário e férias proporcionais. O rendimento do trabalho do segurado é substituído pela renda mensal do beneficiado. caso. o que é equiparado à despedida sem justa causa. faz alusão a tal rescisão.início da aposentadoria. da Constituição Federal.

D) causalidade – que tenha nexo com o trabalho. c) gravidade da conduta – em face da análise do agente . impossível prosseguimento da relação. assim. seu comportamento e resultado. A justa causa é aplicada pelo em pregador. Justa causa é todo ato doloso ou culposamente grave. simplesmente indicar os seus efeitos. arcando com a indenização competente. tornando. o empregado poderá questioná-la perante o judiciário. (art. estadual ou federal der causa ao rompimento do contrato. bem como. contudo a expressão é utilizada para aqueles que possuem garantia de emprego. A Dispensa por Justa Causa por parte do Empregador.Quando a autoridade pública. Esse é um dos pontos importantes. mesmo sendo nossa lei seguidora do critério taxativo e não possuindo maior importância definir justa causa aquela contida em lei. ao tomar conhecimento da ocorrência o empregador deve aplicar a pena sob pena de não o fazendo caracterizar o perdão. sem defini-la. 482.enquadramento taxativo nas hipóteses previstas no art. ensejando a sua caracterização ou não. A lei limita-se a definir justa causa ou. 2. que faça desaparecer a confiança e a boa-fé existente entre as partes. contudo. . municipal. A falta grave tem o mesmo sentido. b) imediatidade – ação x reação. 486). para sua caracterização mister sejam atendidos os seguintes requisitos: a) tipicidade .

apenas enumera as figuras que autorizam a extinção da relação de emprego. na hipótese de falta cometida pelo empregado. contudo. 482 da Consolidação das Leis Trabalhistas. tais como advertência. A legislação. suspensão. o direito de puni-lo.Do poder potestativo: O empregador tem o poder de comando da empresa. observados. verbal ou escrita. . dispensa com ou sem justa causa. cabendo-lhe. e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado. constituem justa causa para a rescisão do contrato de trabalho pelo empregador: • ato de improbidade (desonestidade voltada ao patrimônio do empregador ou de terceiros). no entanto. vez que a demissão em si já é uma pena. sem. para caracterização da justa causas os critérios examinados adiante. ou for prejudicial ao serviço (negociações no ambiente de trabalho). passada sem julgado. • condenação criminal do empregado. especificar os elementos que possam estabelecer os critérios de punição. caso não te nha havido suspensão da execução da pena (ausência pela prisão). Causas da Rescisão com justa causa Segundo o Art. • incontinência de conduta( desregramento voltados ao comportamento sexual) ou mau procedimento (ofensas ao bom viver). • negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador.

salvo em caso de legítima defesa. • ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa. ou ofensas físicas. nas mesmas condições. • embriaguez habitual ou em serviço ( a lei não pune o ato de beber. • violação de segredo da empresa (conteúdo de cunho técnico ou profissional que não pode ser divulgado). salvo em caso de legítima defesa. • ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e superiores hierárquicos. própria ou de outrem (calúnia. desinteresse com o trabalho). própria ou de outrem. injuria e difamação.• desídia no desempenho das respectivas funções (descaso. • ato de indisciplina (descumprimento de ordem geral) ou de insubordinação (descumprimento de ordem profissional). • prática constante de jogos de azar (jogos em que o fato sorte seja a referência). • abandono de emprego (asuência silente e prolongada). . em seu parágrafo único. E ainda. Causas da rescisão indireta – Afastamento do Empregado (Justa causa do empregado ao empregador). devidamente comprovada em inquérito administrativo. assim como ofensas de cunho físico). mas a falta de discernimento). de atos atentatórios contra a segurança nacional. diz que constitui igualmente justa causa para dispensa de empregado a prática.

é o que reza o enunciado de número 14 do Tribunal Superior do Trabalho. observando-se a culpa de ambos em juízo. ao empregador. a iniciativa do empregador dispensar o empregado. contrários aos bons costumes. sendo este por peça ou tarefa. o segundo. reduz-se à metade.Art. férias proporcionais e 13º salário proporcional. 484 da CLT. Rescisão do Contrato de Trabalho por Culpa Recíproca. 483. de forma a afetar sensivelmente a importância dos salários. ato lesivo da honra e boa fama. • o empregador reduzir o seu trabalho. as faltas referentes aos atos graves. • praticar o empregador ou seus prepostos. No caso de culpa recíproca. Por culpa recíproca. não possuindo direito o empregado ao aviso prévio. salvo em caso de legítima defesa. defesos por lei. segundo o art. contra ele ou pessoas de sua família. • não cumprir o empregador as obrigações do contrato. própria ou de outrem. onde o primeiro refere-se ao empregado. que originam a rescisão contratual pela culpa recíproca. a indenização devida ao empregado. e. • o empregador ou seus prepostos ofenderem -no fisicamente. ou alheios ao contrato. • for tratado pelo empregador ou por seus superiores hierárquicos com rigor excessivo. . Estão capituladas nos artigos 482 e 483 da CLT. O empregado poderá considerar rescindido o contrato e pleitear a devida indenização"quando: • forem exigidos serviços superiores às suas forças. • correr perigo manifesto de mal considerável.

além de se apresentarem iguais. Logo. o juiz não poderá concluir que a segunda partiu. faz-se necessário que a falta motivadora da resolução seja proporcional à culpa anterior do outro contratante. A intensidade das culpas. assim. proporção. da primeira. . deve trazer em seu bojo. para que tal acontecimento se realize. carecendo o nexo causal. é necessários que as culpas dos contratantes sejam concomitantes e ainda determinantes da rescisão do contrato laboral. uma gravidade capaz de ocasionar a rescisão contratual de trabalho. necessariamente. Mas. E.Para que se consagre a figura da culpa recíproca. ou seja. caso não venha existir tal equivalência. não poderá ser feito um juízo de valor. não existirá culpa recíproca.