You are on page 1of 21

Roteadores

Ênfase em redes I Prof. MSc. Alaor José da Silva Junior

Roteadores
é um equipamento usado para fazer a comutação de protocolos a comunicação entre diferentes redes de computadores provendo a comunicação entre computadores distantes entre si. Roteadores são dispositivos que operam na camada 3 do modelo OSI de referência. A principal característica desses equipamentos é selecionar a rota mais apropriada para repassar os pacotes recebidos. Ou seja, encaminhar os pacotes para o melhor caminho disponível para um determinado destino.

O administrador pode fazer a configuração estática das rotas para a propagação dos pacotes ou através de processos dinâmicos executados nas redes. .Funcionamento Os roteadores iniciam e fazem a manutenção de tabelas de rotas executando processos e protocolos de atualização de rotas especifica os endereços e domínios de roteamento atribui e controla métricas de roteamento.

Tabela de Rotas .

Segurança rígida.Roteamento estático As principais vantagens do roteamento estático são: Redução da carga de processamento na CPU do roteador. Não há uso da banda para troca de informações entre os roteadores. .

Roteamento estático E as principais desvantagens do roteamento estático são: Necessário profundo conhecimento da rede pelo administrador de rede. onde existam diversas redes e ambientes distintos. Não é viável em grandes ambientes de produção. . será necessário adicionar manualmente informações sobre ela na tabela de roteamento. A cada nova rede adicionada ao conjunto.

Z R1 – X.Y.Z .Z.X.X R2 – Y.Z.Z.Y.Y R1 R2 R1 R2 R3 – Z.Z.ESTÁTICO R2 – Y.Y.Y.Y R3 – Z.X.

com várias redes e ambientes diferentes. Viável em grandes ambientes de produção. .Roteamento dinâmico As principais vantagens do roteamento dinâmico são: Simplifica o gerenciamento da rede.

. Consome processamento da CPU do roteador. o que resulta em menor segurança do ambiente. Menor controle.Roteamento dinâmico As principais desvantagens do roteamento dinâmico são: Utiliza larga de banda da conexão para troca de informações sobre roteamento entre os roteadores.

Z.DINÂMICO VAZIA R2 – Y.Y.X.Y.Y.Z R3 .Y R2 R3 R1 – X.Z R2 – Y.X.Y.Z.Z.Y R3 – Z.X R2 R3 R2 R3 – Z.Z.

Sistemas autônomos .

Protocolos de roteamento O processo de roteamento dinâmico utiliza protocolos para encontrar e atualizar tabelas de roteamento de roteadores. BGP (Border Gateway Protocol) BGP usa uma única métrica para determinar a melhor trajetória para uma dada rede. Esta métrica consiste de número arbitrário que especifica o grau de preferência de um enlace em particular e é atribuído pelo administrador da rede . Os quatro principais protocolos de roteamento são: RIP (Routing Information Protocol) IGRP (Interior Gateway Routing Protocol) EIGRP (Enhanced Interior Gateway Protocol) OSPF (Open Shortest Path First).

Protocolos de roteamento Os protocolos de roteamento utilizados em redes pertencem a duas categorias: IGP (Interior Gateway Protocol) RIP. que é uma coleção de redes sob um mesmo domínio administrativo. OSPF EGP (Exterior Gateway Protocol) BGP Protocolos IGP são usados para troca de informações entre roteadores pertencentes a uma mesmo Sistema Autônomo. EIGRP. . IGRP. Já protocolos EGP são utilizados para comunicação entre roteadores pertencentes a Sistemas Autônomos diferentes.

IGRP. EIGRP. Exemplo de protocolo de roteamento: RIP. permitindo o roteamento dos pacotes de um protocolo roteável. Protocolo roteável é aquele que fornece informação adequada em seu endereçamento de rede para que seus pacotes sejam roteados. . como o TCP/IP e o IPX. Protocolo de roteamento possui mecanismos para o compartilhamento de informações de rotas entre os dispositivos de roteamento de uma rede. etc.Protocolos de roteamento É importante ressaltar a diferença entre protocolo de roteamento e protocolo roteável. OSPF.

Exemplo: RIP e IGRP. Estado do link – Protocolos de roteamento classificados nessa categoria utilizam diversos fatores do nó. processamento. Exemplo: OSPF e IS-IS. Exemplo: EIGRP. Híbrido – Protocolos de roteamento classificados nessa categoria possuem características de ambas as classes anteriores. A distância é medida de acordo com o número de roteadores que o pacote percorre até o destino (hop). por exemplo. . para identificar o melhor caminho. como banda disponível.Protocolos de roteamento Os protocolos de roteamento podem ser de três classes: Vetor distância – Protocolos de roteamento classificados nessa categoria utilizam a distância à uma rede para definição do melhor caminho.

VETOR DISTANCIA R1 R5 56 k 56 k 8M 8M 8M 8M .

ESTADO DE LINK R1 R5 56 k 56 k 8M 8M 8M 8M .

Protocolos de roteamento .

o sistema tem uma última opção: a rota padrão.Rota padrão Quando um sistema local precisa fazer uma conexão a um sistema remoto. ele verifica a tabela de roteamento para determinar se existe um caminho conhecido. Se o sistema remoto estiver em uma das subredes que já sabemos como alcançar (possui rota). . então o sistema verifica se pode se conectar por aquela interface. Se falharem todos os caminhos conhecidos. Esta rota é um tipo especial rota de saída. ou gateway (normalmente a única presente no sistema).

o próximo salto. DSL. por exemplo. então a rota padrão será a máquina gateway localizada no seu Provedor de Serviços Internet (PSI). este gateway é configurado para qualquer máquina que tenha uma conexão direta para o mundo exterior (seja via enlace PPP. Se você estiver configurando a rota padrão em uma máquina que esteja funcionando como o gateway para o mundo exterior. .Rota padrão Para sistemas em uma rede local. modem a cabo. T1 ou outra interface de rede).

Z.Z R4 – K.K.Z.K.Y.Y.ROTA PADRÃO ROTA PADRÃO DE R1 ENVIE PARA R2! R1 – X.Y.K R2 – Y.Y R1 ? R1 ? ????? ESTÃO ONDE = ROTAR3 PADRÃO E R4? ENVIE PARA R1! .X R2 – Y.Y R3 – Z.K R4 – K.K.Y R2 – Y.K.Z.Y R3 – Z.Z R1 R4 R3 R2 – Y.X.Y.X.Y.Z.Y.Y.Y.