Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Matemática e Estatística Disciplina: Álgebra Linear Professora: Priscilla Fonseca de Abreu

Aula 06 (14/09)
3. Espaços Vetoriais
3.1 Definição Um espaço vetorial real é um conjunto V, não-vazio, com duas operações: soma, VxV -> V, e multiplicação por um escalar, RxV -> V, tais que para quaisquer

u , v, w ∈ V e a, b ∈ R , as propriedades a seguir são satisfeitas:
i) (u + v) + w = u + (v + w). ii) Existe um elemento de V , indicado por 0v, tal que Ov + u = u + Ov = u , para qualquer u de V. iii) Para cada elemento u de V , existe um elemento –u tal que u +(-u) = O. iv) u + v = v + u. v) a(u + v) = au + av. vi) (a +b)u = au + bu. vii) (a . b)u = a(bu). viii) 1 . u = u ,onde1éumescalar. Os elementos de um espaço vetorial são denominados vetores e os números reais serão chamados escalares. Obs.: Além das oito propriedades vistas, é necessário que as propriedades a seguir sejam verificadas: a) ∀ u, v ∈ V , u + v ∈ V b) ∀ λ ∈ R e v ∈ V , λ v ∈ V Os seguintes teoremas são úteis na utilização das propriedades para verificação de espaços vetoriais: Teorema 1: O elemento neutro é único. Teorema 2: Para quaisquer v, u , w ∈ V , se v+u = v + w então u=v. Teorema 3: O elemento simétrico é único. Teorema 4: Para quaisquer v, u ∈ V , se v + u = v então u= 0v.

de grau n. . x2) + (e1. pois a soma de dois polinômios de grau n nem sempre é um polinômio de grau n . (x2 + e2)) ≠ (x1. p1 + p2 = (a0 + b0 ) + (a1 + b1 ) x + ⋅ ⋅ ⋅ + (an − 1 + bn − 1 ) x n − 1 não é um polinômio de grau n. se v + u = 0v então u = -v. V = [aij ] | aij ∈ R. ai ∈ R} com as operações usuais de adição de polinômios e multiplicação por escalar não é um espaço vetorial. v = 0v.y) + (z. x2) + (y1. 1 ≤ j ≤ n 5) O conjunto V = R2 com as operações: { } é um espaço vetorial. u ∈ V . Teorema 7: Para todo k ∈ R . Por exemplo.t) = (x+z.0). x3 ). x2) = (kx1 . considere p1 = a0 + a1 x + ⋅ ⋅ ⋅ + an x n e p2 = b0 + b1 x + ⋅ ⋅ ⋅ − an xn . Pn = {a0 + a1 x + ⋅ ⋅ ⋅ + an xn . xi ∈ R} é um espaço vetorial real. (x1. 4) O conjunto das matrizes m x n com as operações usuais. não é um espaço vetorial. (x1.y) = (kx. O elemento neutro da adição 0v é o par ordenado (0.Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Matemática e Estatística Disciplina: Álgebra Linear Professora: Priscilla Fonseca de Abreu Teorema 5: Para quaisquer v. 2) R2 com as operações: (x. Teorema 6: Para todo v ∈ V . 0v = 0v. y2) = (1. 3) O conjunto dos polinômios. pois não existe o elemento neutro para a adição. pois os oito axiomas acima são verificados. x2). x2 . (x. ky) É um espaço vetorial. ou seja. kx2).2 Exemplos: 3 1) O conjunto dos vetores do espaço V = R = {( x1 . onde k é um número real. 0 . e2) = (1. y+t) K . 1 ≤ i ≤ m. com coeficientes reais. k . x2 + y2) e k(x1. 3.

y) = (kx. (S) .y+t) e k(x. -ky) k(x. (x.ky) (N) 2) Verifique se o conjunto {( a.y)= (kx.2a.y)+(z.t) = (x+z.t) = (x-z. para as operações definidas abaixo: a. a ∈ R} é um espaço vetorial.y)+(z. (x.y)+(z. 0) (N) (N) c.Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Matemática e Estatística Disciplina: Álgebra Linear Professora: Priscilla Fonseca de Abreu Exercícios 1) Mostre que os exemplos apresentados anteriormente são espaços vetoriais. (x.t) = (x+z+1.3a ). y-t) e b.y) = (-kx. y+t+1) e k(x. 2) Verifique se R2 é um espaço vetorial.