Glossário International Paper

Chambril Premier 90 g/m²

a a
Prezado Amigo,

presentação

Este Glossário International Paper que você tem em mãos faz parte da filosofia da International Paper do Brasil em ser, mais que uma empresa fornecedora, uma verdadeira parceira do Profissional Gráfico Brasileiro. Ele foi desenvolvido para acompanhá-lo no dia-a-dia do mercado, tirando dúvidas, oferecendo sugestões e sendo um importante material de consulta diária. Além disso, você vai encontrar amostras de todos os produtos da Linha Gráfica e Editorial International Paper, cuja versatilidade e alta qualidade estão sempre à sua disposição. Esperamos que este Glossário seja de grande utilidade para você!

Atenciosamente,

Armando J. S. Santiago
Vice-Presidente de Papéis Imprimir e Escrever

Mauro A. Cerchiari
Vice-Presidente Sênior de Papéis Revestidos

Chambril Premier 90 g/m²

Chambril Premier 90 g/m² mogi guaçu . sendo elas: Unidade de Papel Imprimir e Escrever.a a presentação Unidade de Imprimir e Escrever A International Paper foi constituída em 1898 e é a maior companhia de papel e de produtos florestais do mundo. Administra suas florestas sob os princípios do programa SFI (SM) (Sustainable Forestry Initiative) da American Forest & Paper Association.sp . CT. espalhadas estrategicamente no país. em Stamford. e exporta para mais de 130 países. que assegura proteção da vida animal. A administração mundial está localizada nos Estados Unidos. A companhia tem operações em 50 países nos continentes Americano. Unidade de Papel Revestido e Unidade de Produtos Madeira e Recursos Florestais. No Brasil. a empresa está dividida através de três unidades de negócio. Europeu e Asiático. da flora e do solo e a qualidade do ar e da água.

a a presentação A International Paper iniciou suas atividades no Brasil no município de Mogi Guaçu em 1960. Mato Grosso do Sul. A empresa é uma das maiores proprietárias de plantações florestais no Brasil. em 1998. tendo expandido seus negócios para outras regiões do país: em 1988 iniciou um grande projeto florestal na região de Três Lagoas . passou a controlar a única empresa da América Latina a produzir papel revestido de baixa e média gramaturas para suprir o mercado gráfico nacional e internacional. no estado do Amapá. É uma das maiores produtoras de mudas florestais no país.pr . com três viveiros florestais. possuindo terras em cinco estados do país: São Paulo. Amapá. produzindo cerca de 40 milhões de novas árvores por ano. Paraná e Minas Gerais. Unidade de Papel Revestido Chambril Premier 90 g/m² arapoti .MS. em 1996 adquiriu o controle acionário de uma grande indústria de produtos florestais.

produz os papéis da linha Chambril. As do Paraná possuem o Certificado Cerflor. A International Paper tem expressiva participação no mercado brasileiro de papéis revestidos e não revestidos. A unidade de Papéis de Imprimir e Escrever. Arapoti . tendo considerável parcela das exportações de papel do Brasil. tendo como princípios a ética.SP . Na unidade de Papel Revestido localizada em Arapoti .a a presentação As florestas da empresa nos estados de São Paulo e Amapá são certificadas conforme as normas ISO 14001. preservação ambiental e o desenvolvimento social.200 pessoas em suas unidades. Máquina de Papel. o que garante que a matériaprima de um produto florestal é oriunda de uma floresta manejada de forma ecologicamente adequada. localizada em Mogi Guaçu . socialmente justa e economicamente viável. Empregando aproximadamente 3. integrado ao Brasil e integrado em todos os processos produtivos.PR / Máquina de Papel =6. Ao longo de mais de 45 anos no país.SP Chambril Premier 90 g/m² . Mogi Guaçu . parceria com clientes e fornecedores.PR. o grupo brasileiro assumido pela International Paper se firmou como um grupo de sucesso. a International Paper também é comprometida com a segurança e qualidade de vida de seus funcionários e suporte às comunidades onde trabalham ou residem. produz os papéis Inpacel LWC CoatLight e Inpacel CoatStar.

Produtos .

Papel Offset Chambril Chambril Premier 90 g/m² .

Além disso. para atender suas necessidades em uma grande variedade de aplicações. com disponibilidade em resmas e bobinas. Sua alta brancura e resistência superficial oferecem melhor aproveitamento de impressão. são 60 opções de tipos e gramaturas.Os papéis alcalinos Chambril da Linha Gráfica e Editorial International Paper são perfeitos para quem busca versatilidade e qualidade superior em seus trabalhos. maior produtividade e um resultado surpreendente. Chambril Premier 90 g/m² .

por tipo. gramatura e acabamento 45 48 50 56 60 63 70 75 80 90 100 120 130 150 180 210 240 Chambril Premier Chambril Laser Check Chambril Form Chambril Coating Base Chambril Self Adhesive Base Chambril Carbonless Base Chambril Book Chambril Tablet Chambril Laser Print Chambril Envelope BOBINAS RESMAS SKIDS .Disponibilidade de papéis Chambril.

120. estabilidade dimensional e alta brancura ACABAMENTO Bobinas. cheques. vale-refeição. 90. 80. tablóides. pôsteres. CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset convencional e seco APLICAÇÃO Impressos de segurança. 75. malas diretas. flexográfico e impressoras de impacto APLICAÇÃO Impressões em geral como: folhetos. alta resistência superficial. Skids e Resmas GRAMATURA (g/m²) 56. 210 e 240 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta.PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset. Skids e Resmas GRAMATURA (g/m²) 90 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. calendários. estabilidade dimensional e alta brancura ACABAMENTO Bobinas. 63. etc. etc. 60. CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. curvatura e umidade controladas. dados variáveis. Chambril Premier 90 g/m² . 70. alta resistência superficial. 150. relatórios anuais. 180. 100.

80 e 90 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. passagens aéreas. 75. talonários. 63.PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset (convencional e seco). Chambril Premier 90 g/m² . estabilidade dimensional e alta brancura ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m²) 50. CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. tais como: blade coaters. 70 e 75 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. etc. alta resistência superficial. gramatura e espessura uniformes. livre de imperfeições superficiais. folhas de pagamento. transfer roll coaters e outros APLICAÇÃO Base para papéis revestidos do tipo couché e outros do gênero CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. air knife coaters. 56. capacidade de absorção adequada e alta brancura ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m²) 63. PROCESSO DE REVESTIMENTO Compatível com todos os processos de revestimento. flexográfico e impressoras rotativas a laser APLICAÇÃO Formulários contínuos como: notas fiscais. 70. 60. talão zona azul.

laminação pré-adesivada. laminação por extrusão. capacidade de absorção adequada e alta brancura ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m²) 50 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. capacidade de absorção adequada e alta brancura ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m²) 63. laminação com adesivos ultravioleta e outros APLICAÇÃO Base para etiquetas auto-adesivas CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. base água. 70 e 75 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. PROCESSO DE REVESTIMENTO Aplicação de microcápsulas através de rolo aplicador e faca de ar como sistema de equalização APLICAÇÃO Base para papel autocopiativo CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. Chambril Premier 90 g/m² .PROCESSO DE LAMINAÇÃO Compatível com os diversos processos existentes. tais como: laminação por adesivos base solvente. gramatura e espessura uniformes. adesivos sem solvente de dois componentes. gramatura e espessura uniformes.

60. PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset e flexográfico APLICAÇÃO Cadernos. Skids e Resmas GRAMATURA (g/m²) 50. Chambril Premier 90 g/m² . 180 e 240 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. 150. 150. 100. 70. 63. 70. 210 e 240 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. 60. alta resistência superficial. estabilidade dimensional e alta brancura ACABAMENTO Bobinas. 120. 56. 80. alta resistência superficial. Skids e Resmas GRAMATURA (g/m²) 50. 63. 75. 180. opacidade adequada e alta brancura ACABAMENTO Bobinas. revistas e periódicos CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. 56. agendas e blocos CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. 80. 90. 90. 120. 75.PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset e flexográfico APLICAÇÃO Papel imune para impressão de livros.

excelente opacidade. curvatura e umidade controladas. alta resistência superficial. Chambril Premier 90 g/m² .PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset (convencional e seco) e flexográfico APLICAÇÃO Pré-impressos para posterior impressão a laser e pré-impressos em geral CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. estabilidade dimensional e alta brancura ACABAMENTO Bobinas. PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset e flexográfico APLICAÇÃO Envelopes CARACTERÍSTICA Excelente formação das fibras. alta resistência superficial. estabilidade dimensional e alta brancura ACABAMENTO Bobinas. umidade compatível com equipamentos a laser. 90 e 100 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. Skids e Resmas GRAMATURA (g/m²) 75 e 80 ALVURA 97o GE Especificações fora dos padrões mencionados mediante consulta. Skids e Resmas GRAMATURA (g/m²) 75. corpo adequado.

Papel Revestido Inpacel Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .

60. 70 e 80 ALVURA 76% ISO OPACIDADE % 88. 95 e 96 BRILHO 50% Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . catálogos. alvura adequada e resistência superficial ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m2) 54. 89. tablóides. É uma importante alternativa de utilização do impresso em baixa gramatura para otimização de peso de correio CARACTERÍSTICA Alto brilho de impressão. papel de presente e "liner" de auto-adesivo. folhetos. 91. encartes.PROCESSO DE IMPRESSÃO Rotativas offset com secagem forçada (HSWO) e flexografia APLICAÇÃO Impressos nos quais há exigência de ótima impressão e de rápido consumo. definição de impresso. opacidade e brilho seja determinante Sua utilização é ideal para revistas. cujo custo/benefício envolvendo gramatura.

realçando a beleza do impresso. 80 e 90 ALVURA 92% ISO OPACIDADE % 94. revestido nos dois lados. relatórios anuais e materiais promocionais CARACTERÍSTICA Alta alvura. Recomendado para uso em revistas. catálogos. 95 e 96 BRILHO 50% 2 GLOSS Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² Acabamento brilhante que destaca a impressão.PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset APLICAÇÃO Papel couché. baixa reflexão de luz. alta opacidade. encartes. máxima definição de cores e imagem. bulk (corpo) elevado ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m ) 70. . indicado para impressão de qualidade no sistema offset. malas diretas. alta resistência superficial. folhetos.

indicado para impressão de qualidade no sistema offset. máxima definição de cores e imagem. permitindo ótima leitura da área de texto. alta resistência superficial. relatórios anuais e materiais promocionais CARACTERÍSTICA Alta alvura. malas diretas. 95 e 96 BRILHO 35% 2 SILK Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² Acabamento com brilho intermediário que evidencia a impressão das imagens. bulk (corpo) elevado ACABAMENTO Bobinas GRAMATURA (g/m ) 70. catálogos. revestido nos dois lados. 80 e 90 ALVURA 94% ISO OPACIDADE % 94. alta opacidade. baixa reflexão de luz.PROCESSO DE IMPRESSÃO Offset APLICAÇÃO Papel couché. . Recomendado para uso em revistas. folhetos. encartes.

.

Ver também: Processo de cores subtrativas <subtractive color process>. tais como: dobra. Termo alternativo: <K&N absorptivity>.[1] <binding> . o corte. {b} Fase final de produção de um clichê. Termos alternativos: <absorption of water>. Chambril Premier 90 g/m² . corte do revestimento <slitting covering material>. a celulose é bastante absorvente. a fim de imitar madeira. para compensar a tendência do papel ao encolhimento quando tensionado. grampeação. v {d} Em seu estado natural. encapamento <casing-in>. a retificação. ou fazendo o mesmo com os aparadores do esquadro frontal da mesa de alimentação da impressora. que consiste em aplicar um filme espesso de uma tinta especial não secativa sobre corpos-de-prova dos papéis que estão sendo comparados.Remover a embalagem de uma bobina de papel. {c} Quantidade relativa de tinta absorvida pelo papel durante o processo de impressão. originando uma reprodução fora-de-registro. o refilo e a embalagem. Termo alternativo: <machine-finish>. isto pode afetar a qualidade de impressão e deve ser compensado no processo de pré-impressão.[1] <to fan the sheets> . incluindo dobra. {b} Característica dos materiais celulósicos. costura <sewing>. como o papel-jornal. o efeito pode ser reduzido regulando-se as pinças do cilindro de contrapressão em forma de arco. Ventilar o papel <wind sheets>. <water absorbency>. deixar a tinta em contato com os papéis durante um tempo específico. e medir a absorção relativa da tinta empregando um densitômetro de reflexão. Absorção <absorption> . costura. causada por absorção excessiva de umidade ou devido à orientação incorreta do sentido de fibra. a montagem etc. alceamento. [2] <web spreading> . Abrir o papel . a escolha etc. causada por absorção de umidade ou estiramento mecânico durante a impressão. arredondamento <rounding and backing>. Entretanto. {b} Nível de brilho ou grau de planicidade de uma superfície impressa. couro. Absorção de água <water absorption> . v {a} A água absorvida pelo papel enfraquece as ligações entre as fibras de celulose. {f} Seção de uma processadora automática de chapas.Método de inspeção ou escolha do papel. montagem da capa <case making>. Ver também: Rolo curvo <bowed roll>.Aumento da largura de um papel em bobina.Tipo de acabamento que se dá ao papel em calandra.{a}Penetração de uma substância na massa de outra substância. colocação do cabeceado <headbanding>. Termo alternativo: penetração <strike-in>. Acabamento fosco <matte finish> . estampagem <die stamping>. refilo <trimming>. {b} Diz-se de um papel com superfície sem brilho. {c} Processo final de preparação do papel para distribuição. Termo alternativo: <silk finish>.{a} Diz-se de uma superfície fotográfica não-reflexiva e sem brilho. corte-e-vinco.Processo que consiste em estirar a tira de papel. Acabamento gofrado <embossed finish> . douração etc. Termos alternativos: <dull finish>. para não prejudicar a transferência da tinta da próxima unidade. Absorção de tinta K&N <K and N ink absorbency> . Acabamento . embalagem <packaging> e expedição <shipping>.Tipo de acabamento de papel caracterizado por apresentar alto ou baixo relevo. Abeto <fir> . {d} Propriedade do papel de embeber-se em líquidos como água. menos indicada para reprodução fotomecânica do que o acabamento brilhante. a partir de folhas impressas.{a} Características da superfície do papel resultantes do acabamento e das matériasprimas utilizadas na sua fabricação. <semidull finish>. [4] <sheet work> Termo genérico que inclui todas as operações pós-impressão. incluindo o rebobinamento.Operações finais que completam o produto impresso. Acabamento em máquina <machine finish> . v {e} A absorção é nula ou muito fraca quando o meio é transparente. medida por: (1) tempo necessário para absorver um determinado volume de líquido. Ver também: Estreitamento da bobina <fanning-in of web>. prensagem <pressing>. no sentido transversal às fibras.Método de alisamento da superfície do papel. inclui operações como: corte <cutting>. (2) altura que o líquido sobe em uma tira de papel mergulhada no mesmo.[1] <fanning> . num período de tempo determinado.Expansão da contrapinça de uma folha de papel. remover o excesso. que consiste em levantar os cantos e os lados das folhas. fazendo com que as próximas cores sejam impressas de forma mais estreita. colagem da lombada <back gluing>. Abertura em leque <fan-out> . a supercalandragem.O mesmo que ventilar o papel. geralmente. refilo. v [3a] O processo completo de produção de livros. no qual a porção mais fluida do veículo é absorvida pelo papel. incluindo a fresagem. incluindo o rebobinamento. deixando a superfície com a textura do cetim. Abrir em leque <fanning> . as tintas de impressão absorvem parcialmente a luz incidente e o restante é refletido pelo suporte. {d} Conjunto de operações que acontecem após a fabricação do papel-base. colocação da sobrecapa <jacketing>.a a A Abertura do papel . idealmente. <low finish>. tais como o papel e o cartão. devido ao excesso de pressão do cilindro de contrapressão. reduzindo a sua resistência à tração e aumentando a probabilidade de quebra de bobina. alceamento <gathering>. aplicação do reforço <lining-up>. encadernação. (3) quantidade de líquido absorvido por uma determinada área do papel num certo período de tempo. Abrir a bobina <to open the roll> .{a} Propriedade do papel de absorver água durante o processo de impressão ofsete. incluindo o revestimento. Ver também: Rolo curvo <bowed roll>. fazendo-o passar entre rolos de calandra na própria máquina de fabricar papel. v A abertura do papel causada por estiramento mecânico ocorre. corte do cartão <board cutting>.Árvore conífera cuja madeira é utilizada na fabricação do papel. causada por absorção de umidade durante a impressão da primeira cor. o papel deve absorver rapidamente a solução de molhagem transferida durante o processo ofsete. usando um rolo curvo. no sentido transversal. principalmente com papéis não colados. A absorção do papel é maior ou menor dependendo da colagem. a gofragem etc. Termo alternativo: apronta. dobra <folding>. do centro para as extremidades. soluções e produtos químicos. de absorver água do ambiente quando existe um diferencial de umidade relativa. com nível de brilho inferior a 55%. cada uma das tintas de escala deveria absorver um terço do espectro e refletir os outros dois terços. encadernação etc. em forma de leque. colagem. {e} Conjunto de operações pelas quais o papel passa após sair da enroladeira da máquina de papel. a calandragem. Abertura em leque da bobina <fanning-out of web> . {c} Tipo de acabamento que se dá ao papel cuchê. dotada de um rolo ou uma escova que aplica goma ou solução de pós-tratamento à superfície das chapas. [3] <finishing> {a} Termo genérico empregado para descrever todas as formas de completar o produto gráfico. geralmente com o emprego de um rolo curvo. para evitar a formação de rugas.Teste prático empregado para comparar a taxa de absorção de diferentes papéis. Acabamento acetinado <satin finish> . removendo ou marcando as folhas danificadas. Termo alternativo: pinheiro. {e} Termo óptico que indica transmissão seletiva ou supressão parcial da luz. [2] <finish> . Ver também: Abrir <to fan>. o corte. {b} Primeiro estágio do processo de secagem das tintas de impressão.Expansão que o papel sofre na contrapinça ou nas laterais da folha. [2] <spreading> Procedimento que consiste em estender ("abrir") a tira de papel.

O valor do pH do papelbase varia. Termo alternativo: <coating accumulation>. dependendo do processo de colagem. Termos alternativos: <blanket loading>. conforme norma TAPPI T435. Fantasma de acúmulo <piling ghosting>. tendendo a absorvê-los.Preparação de um equipamento para produzir um trabalho. do corte etc. Termos alternativos: <satin finish>. empregando um tecido de linho. Acúmulo na blanqueta <blanket piling> . secagem muito rápida). na chapa ou na blanqueta. de tinta ou de verniz na superfície da blanqueta. sendo o papel umedecido antes da prensagem.0 a 10.Depósito de partículas de papel ou tinta nas áreas de grafismo da blanqueta ofsete. da dobra. prejudicando a emenda. lembrando o cetim. Termo alternativo: <crash finish>. da chapa ou dos rolos de uma impressora ofsete. hoje realizado por gofragem. pela pegajosidade da blanqueta. na superfície da blanqueta ofsete.Tipo de acabamento que se dá ao papel.Tipo de acabamento que se dá ao papel para deixar sua superfície intensamente brilhante. Acerto . contaminando a blanqueta e prejudicando a qualidade do impresso. causado por milking. Ver também: pH <pH>. O acúmulo de tinta pode ocorrer quando a tinta seca prematuramente nos rolos. ou por deficiência da tinta (excesso de secante. Ver também: Medidor de envelhecimento <fadeometer>. para conferir-lhe características especiais. causado por interação da camada do papel com a solução de molhagem. <plating>. <plater finish>.Problema que ocorre na impressão ofsete devido ao desprendimento de partículas superficiais do papel. Termos alternativos: acumulação <accumulation>.0 e pode ser determinado por raspagem da camada cuchê e dissolução em água. prejudicando a transferência da tinta e a qualidade da impressão.Tipo de acabamento que se dá ao papel cuja textura é constituída de linhas paralelas uniformemente espaçadas. Ver também: Acúmulo <piling>. antioxidantes. Acúmulo .Tipo de acabamento que se dá ao papel. Termos alternativos: acetinação.{a} Fenômeno associado à tensão superficial e ao ângulo de contato entre um líquido e um sólido. do registro de cores. Papel gofrado <embossed paper>. <piling on the blanket>. nas áreas de grafismo ou de contragrafismo.[1] <plate finish> . v [4a] O acúmulo pode se causado por partículas soltas na superfície da folha (pó de corte ou de refilo) ou arrancadas (fibras ou camada cuchê) da superfície do papel pela tinta.[1] <makeready> . por um período de tempo especificado e. estampando-o com um padrão imitando a textura do tecido de linho. desde a troca das chapas ou matrizes até o início da produção de folhas ou cadernos bons para o acabamento. numa prensa de platina. avaliando as alterações de resistência e cor. obtido por supercalandragem. Ver também: Gofragem <embossing>. partículas do revestimento do papel ou pó solto na superfície do papel. produtos repelentes à água etc. a fim de assegurar a uniformidade e a qualidade durante a tiragem. [4] <piling> {a} Problema que ocorre durante a impressão devido à deposição de partículas de papel. ou ainda devido à falha de transferência da tinta de uma superfície para outra causada por insuficiência de pressão de contato entre elas. prejudicando a qualidade do impresso. em 1757.Diz-se de um papel que apresenta acabamento liso e brilhante. Ver também: Acabamento inglês <English finish>. Termo alternativo: <negative build-up>. Empoeiramento <dusting>.Problema que ocorre na impressão ofsete. tal como partículas soltas. conforme norma TAPPI T529. Ação capilar <capillary action> . [2] <supercalendered finish> . Ver também: Papel acetinado <satiny paper>. [3] <linen finish> . fixam-se à superfície da blanqueta ofsete. evaporação do solvente) ou por aumento da temperatura dos rolos. ou ambas. visíveis contra a luz. utilizado em artigos de papelaria. produzido por gofragem. Branqueamento <whitening>. causado por limpeza inadequada ou infreqüente. caracterizado por contaminação da blanqueta por material proveniente do papel. Ver também: Acúmulo do revestimento <coating pile>. de 4.0 (colagem ácida) até 7.Materiais adicionados ao papel ou cartão. fazendo-o passar entre os rolos de uma supercalandra. tais como: fungicidas..Depósito que se desenvolve quando fibras fracamente ligadas à superfície do papel. o mesmo que desenhou os tipos Romanos de Transição. Termo alternativo: ascensão capilar <capillary rise>.0 (colagem alcalina) e pode ser determinado com reagentes químicos gotejados diretamente na superfície da folha. [3] <ink cuff> Acumulação de tinta seca nas extremidades dos rolos do sistema de tintagem de uma impressora ofsete. nas áreas de grafismo ou de contragrafismo. o revestimento (camada cuchê) é sempre alcalino. antes de iniciar a impressão. Ver também: Acúmulo <piling>. Ver também: Preparação <preparation>. [5] <swarf> . mal ligadas ou arrancadas da superfície da folha. {b} O mesmo conceito aplicado às máquinas de acabamento e conversão. {b} Ação que o papel exerce sobre os líquidos. O pH do revestimento varia entre 7. Acetinado <satiny> .Tipo de acabamento que se dá ao papel lembrando a textura do tecido de estopa. Ver também: Capilaridade <capillarity>. Acabamento vergê <laid finish> . retardantes de chama.Valor do pH do papel-base ou do revestimento avaliado com instrumentos ou por meio de substâncias reagentes. Acúmulo do revestimento . da pressão. [2] <collecting> .Depósito de partículas metálicas causado por desgaste da faca de corte-e-vinco. pela secagem prematura da tinta ou pela falha na transferência da tinta devido à falta de pressão entre a blanqueta e o suporte. tais como a solução de molhagem e os componentes mais fluidos de uma tinta.Tipo de acabamento que se dá ao papel. {b} Deposição de partículas de tinta seca na superfície de clichês flexográficos ou do rolo de contrapressão rotogravura.Acumulação de poeira de papel na superfície do rolo bailarino do sistema de alimentação de bobinas de certas impressoras rotativas.Depósito de partículas de papel ou de tinta nas áreas de contragrafismo da blanqueta offset.0 e 10. [2] <coating piling> . Termo alternativo: preparo <set up>. [2] <lawn finish> .Método que permite predizer as características de envelhecimento de papéis. Acetinagem <satining> . através de exposição à luz em ambiente controlado. então.[1] <coating pile> . obtido por pressão das folhas umedecidas com chapas metálicas polidas. tintas e outros materiais.a a tecido ou outra textura. <superglazed finish>. produzido por prensagem do tecido intercalado às folhas de papel. Termo alternativo: <sludge>. Ver também: Acúmulo <piling>. {c} Processo de preparação e correção de todas as chapas flexográficas. Acabamento-linho . entre placas metálicas.{a} Conjunto de todas as operações necessárias para preparar a máquina para a impressão (ajuste da alimentação. supercalandrado <super calendered>. Termo alternativo: <make-ready>. ou dissolvidas pela solução de molhagem. {d} Trabalho de colocação da forma na prensa. <coating piling>. dependendo do processo de colagem interna.Processo de acabamento da superfície do papel por calandragem ou prensagem entre placas metálicas. <caking>. que promove a rápida penetração do veículo da tinta nos poros do papel. v O primeiro a acetinar o papel foi John Baskerville. Acúmulo nas áreas de contragrafismo <nonimage area piling> . provenientes do papel. v O pH do papel-base pode ser ácido. a fim de torná-la lisa e brilhante. [2] <set up> .5 a 5. sob pressão.Acumulação de partículas soltas. supercalandragem <supercalendering>. neutro ou alcalino. Acabamento supercalandrado . plastificantes. originalmente produzido por prensagem contra um tecido de linho.). Chambril Premier 90 g/m² . Branqueamento <whitening>.[1] <build up> . Acelerador de envelhecimento <aging accelerator> . ou gofragem com rolos de calandra gravados com estampa imitando este tecido. causado por deficiência do papel (baixa resistência ao arrancamento) ou da tinta (tack elevado. Aditivos do papel <paper additives> . Termos alternativos: <plate glazed>.[1] <burlap finish> . Acidez do papel <paper acidity> . Acúmulo nas áreas de grafismo <image area piling> . em tal quantidade que prejudica a qualidade do impresso. Ver também: Engrossamento <thickening>.

Pó antidecalque <antisetoff spray>. Alvejante óptico <optical brightener> . quando a temperatura do papel é menor do que a temperatura ambiente. a fim de prevenir ou retardar a precipitação do carbonato de cálcio na impressão de papéis alcalinos. derivada do alvejante óptico..Estiramento que o papel sofre ao ser submetido a uma força de tração. geralmente com vapor direto durante 15 a 20 minutos. Termo alternativo: <optical whitener>. v Quando o papel apresenta umidade relativa maior do que a do ar da sala de impressão. Branqueamento óptico <optical bleaching>. {c} Refletividade de uma folha de papel ou de celulose a uma luz específica azulada.Produto químico.Introdução de dados na memória interna de um computador. geralmente utilizado na impressão de livros de poucas páginas. Ambientação de papel <conditioning of paper> . Ver também: Porta-bobinas <roll stand>. para aumentar a espessura da lombada. fator de refletância difusa do azul <diffuse blue reflectance factor>. {b} Substância adicionada a uma tinta serigráfica para promover a sua adesão ao náilon. Ver também: Decalque <setoff>. [2] <hopper> . Ver também: Baixo-corpo <low bulk>. característica do vegetal de onde é obtido. Separador de folhas <sheet-separation unit>. como ocorre nas impressoras rotativas.Deformação por unidade de comprimento resultante da aplicação de uma força. pelo nome do fabricante do instrumento principal. utilizada na composição do adesivo aplicado na colagem superficial de papéis não-revestidos.{a} Trabalho de alimentar uma impressora com pilhas ou bobinas de papel ou outro suporte de impressão.Gaveta localizada nas máquinas de acabamento (alceadeiras. resultando em variação de registro de cores. que absorve radiação ultravioleta e a emite como radiação visível. Alongamento . na prensa de colagem ou na calandra. Alcalinidade <alkalinity> .{a} Condição de alcalino. este perde umidade para o ambiente nas regiões externas das resmas e bobinas. [3] <loading> . {c} Dispositivo que causa o avanço dos cadernos.Propriedade do papel de recuperar suas dimensões originais após cessar a força de tração que causou o alongamento. retornando ao seu estado original quando a força cessa. a fim de evitar que ocorra decalque. Ver também: Brancura <whiteness>.Substância que fixa a emulsão de um material fotográfico à base durante o revestimento. <feeding head>.[1] <feeder> . aparelho. tal como a deformação do papel causada por estiramento quando tracionado. como os amidos de milho e de mandioca. Ver também: Alvura <brightness>. tais como: dobradeiras. Termos alternativos: quelante <chelant>. Termos alternativos: <blueness>.Valor do máximo alongamento que o papel suporta antes de romper. [2] <bonding agent> . Ver também: Alimentador contínuo <continuous feeder>. expressa em quilonewtons por metro (KN/m). {c} Condição de uma solução aquosa cuja concentração de íons hidroxila (OH-) é maior do que a concentração de íons hidrogênio (H+). {b} Porcentagem de refletância do papel. em um instrumento calibrado. tal como o amido ou materiais sintéticos em solução. {b} Trabalho de alimentar com folhas ou cadernos uma máquina de acabamento. de corte e de dobra.{a} Substância obtida de cereais. utilizado na fabricação do papel. adicionados à massa na ordem de 2% a 3% . é utilizado para lavar os rolos e as blanquetas. encartes etc. medida em condições padronizadas. [2] <strain> . deixando as bordas retesadas em relação ao centro.{a} Percepção subjetiva da intensidade de uma sensação luminosa. Alongamento elástico <elastic elongation> . evitam a precipitação dos compostos de cálcio e magnésio em água e. Ver também: Alongamento <elongation>. na saída das máquinas ofsete. O ácido acético (vinagre) retarda o acúmulo de carbonato de cálcio e. azuis e suas derivadas). seqüestrante <sequestering>. {b} Hidrocarboneto presente em quase todos os vegetais. a deformação é permanente.{a} Aditivo da tinta e do papel cuja função é melhorar as características de adesão. Entretanto. aplicado ao papel. depois de cozidos.{a} Anilina incolor. v O agente seqüestrante. expressa através do valor de pH (pH superior a 7 é considerado alcalino).Processo de acondicionamento do papel de modo a deixá-lo nas mesmas condições de temperatura e umidade relativa do ar da sala de impressão. {b} Mecanismo semelhante acoplado a máquinas de acabamento. Porta-bobinas <rollstand>. nas duas situações. em temperaturas em torno de 65°C a 70°C. nesta condição pode ocorrer fora-de-registro e rugas próximo do centro das folhas e das bobinas. quando o esforço ultrapassa o limite elástico. através de um sistema de encadernação em-linha. sendo sua principal função aumentar a retenção de carga mineral e dar ao papel melhores características de toque e de brilho. Ver também: Colagem superficial <surface sizing>. {b} Sistema que controla a tensão da bobina antes da primeira unidade de impressão das máquinas rotativas. ocorre absorção de umidade do ambiente nas laterais das resmas ou das bobinas até o estado de equilíbrio. {c} Pó fino e seco. v [1] O papel sofre estiramento elástico quando submetido a uma certa tração. neste segundo caso. apenas na região do azul. Amido <starch> . geralmente chamada alvura GE. por isso. Alvura <brightness> . Chambril Premier 90 g/m² . a revelação. Ver também: Revestimento pigmentado <pigmented surface size>. v A presença de alvejante óptico no papel impõe uma reflexão predominante na região azul do espectro. até que esta alcance os margeadores frontais. as folhas são margeadas lateralmente sobre a mesa de margeação por um guia lateral e. Pilha de alimentação <feeding pile>. Termo alternativo: estiramento <stretching>. para reduzir a penetração de líquidos (aumentando o ângulo de contato ou reduzindo a molhabilidade) e aumentar a resistência ao arrancamento.a a Agente de colagem superficial <surface sizing chemical> . a fixação e a lavagem. não é possível compensar durante o processo de seleção de cores a emissão suplementar de azul. vermelhos e suas derivadas). {b} Produto adicionado à massa do papel para aumentar a sua alvura. por isso. então. conforme descrito na norma TAPPI T494. influenciando positivamente a reprodução de cores frias (verdes. aplicado sobre as folhas impressas. Alimentador .[1] <binding agent> . variando de luminoso e brilhante até escuro. Alongamento ao ponto de ruptura <stretch at breaking point> . introduzidas na primeira unidade de impressão. cuja forma pura é um pó branco. Agente de ligação . de granulação uniforme. alaranjados. v Quando o papel apresenta umidade relativa menor do que a do ar da sala de impressão. para promover resistência ao arrancamento <pick>. o papel torna-se mais úmido nas laterais do que no centro das resmas ou bobinas.[1] <feeding> . colecionadoras e insertadoras) onde os cadernos impressos são empilhados. Ver também: Mesa de alimentação <pile board>. tal como o carbonato de sódio ou o silicato de sódio.{a}Mecanismo das impressoras ofsete planas que separa.{a}Substância que evita ou retarda a precipitação de compostos de cálcio e magnésio da solução de molhagem ofsete. máquinas de corte-e-vinco e outras. levanta e faz avançar cada uma das folhas individuais do topo da pilha para a mesa de margeação.[1] <elongation> . porém interferindo negativamente na reprodução de cores quentes (amarelos. com pico no comprimento de onda de 457 nm (nanômetros). {b} Medida da concentração de produtos alcalinos numa solução.{a} Seção das impressoras ofsete planas onde acontece a transferência das folhas do margeador da mesa de alimentação para o primeiro cilindro de contrapressão. Unidade dosadora <metering unit>. {b} Reagente químico adicionado a uma solução para remover íons indesejáveis por meio da formação de complexos ou quelatos estáveis. Agente seqüestrante <sequestering agent> . desenvolvendo ondulações que podem ocasionar forade-registro e rugas durante a impressão. ocorre condensação de umidade nas bordas das resmas e bobinas. Alto-corpo <high bulk> . Alimentação . [2] <infeed> . Termos alternativos: alimentador automático <automatic feeder>.Tipo de papel que tem espessura maior do que outros papéis de mesma gramatura. é adicionado à solução de molhagem offset.

Apara branca <white waste> . regulador de altura da pilha (apalpador).Fragmentos de papel resultantes do refilo. Ver também: Apara suja <printed waste>.Sobras de refilo geradas quando o papel é cortado em vários formatos.[1] <dandy pick> .Papel recoberto num dos lados com uma película de adesivo que proporciona uma colagem instantânea ao ser aplicado sobre uma superfície. conforme atesta a equação de Stefan.Mecanismo de entrada de folhas das impressoras ofsete planas. Aparelho de saída <layboy> . v [2a] O arrancamento de fibras ou de partículas da superfície do papel pode ser eliminado ou reduzido diminuindo-se o tack das tintas com pasta. causada por enfraquecimento superficial do papel umedecido pela solução de molhagem. considerada a porção nobre pelos aparistas. Termos alternativos: <bleed through>. contadas. <pressure sensitive adhesive>.Extensão com que o papel retarda ou impede a penetração do filme de tinta recém-impresso. Ver também: Arrancamento a seco <dry picking>. proporcionam maior risco de decalque.[1] <fuzziness> . <surface lifting>. Arrepelamento . <pick-outs>. Apagabilidade <erasability> . [2] <lifting> . Arrancamento a seco <dry picking> .Defeito que ocorre na impressão caracterizado pelo levantamento de fibras ou partículas superficiais do papel. prejudicando a qualidade de impressão. Ver também: Arrancamento a úmido <wet picking>. reduzindo-se a velocidade da impressora. quando esta é elevada o suficiente para superar a força de ligação interna das fibras ou do revestimento ao papel-base. sem danificar-lhe a superfície. utilizada na composição de papéis reciclados na proporção de até 75%.Qualquer sobra de papel gerada após a sua fabricação ou como resultado dos processos de acabamento e conversão.Empilhador mecânico acoplado a uma guilhotina ou a uma folhadeira. Chambril Premier 90 g/m² . [2] <picking> . Ver também: Aparas <dry mill broke>. Apara de encadernação <binders waste> . Termos alternativos: levantamento de fibras. Apara de conversão <converting waste> . figurinhas etc.Retalhos de papel em branco. Ver também: Refugo <wastepaper>. Aparelho alimentador de folhas <sheet feeding mechanism> . margeadas e arrumadas sobre um estrado. prejudicando a legibilidade do texto e alterando as cores das imagens impressas no verso.[1] <scrap> . v As tintas que secam por oxidação produzem a melhor ancoragem sobre papéis microporosos. <wet mill broke>. detector de folha dupla e outros.a a Ancoragem da tinta <ink holdout> .Penetração profunda da tinta no interior do papel. colagem). {b} Remoção de partículas do filme de tinta impresso numa unidade pela tinta da blanqueta ou do clichê da próxima unidade de impressão. v [2b] O arrancamento da tinta pode ser eliminado ou minimizado aumentando-se o tack (com verniz mordente) ou a taxa de secagem da primeira tinta impressa.Diz-se de qualquer sobra de papel resultante do próprio processo de fabricação. Termos alternativos: arrancamento da superfície <surface picking>. [3] <plucking> Rompimento da superfície do papel causado pela força de tack da tinta ou da blanqueta. transpasse. <break-through>. Ver também: Decalque <setoff>. Termos alternativos: autocolante. onde as folhas cortadas são empilhadas. refilados durante o corte trilateral de livros. Desperdício de papel <paper waste>. Atravessamento <strike-through> . divisão ou rasgo das fibras da superfície do papel que ocorre quando o tack da tinta ultrapassa a resistência superficial do papel.Ruptura e desprendimento de partículas da superfície de um papel durante a impressão. succionadores (chupetas).Defeito do papel caracterizado por fibras que se projetam da superfície da folha. prejudicando a qualidade da impressão. etiquetas. a ponto desta migrar para o outro lado da folha. v Este problema é freqüentemente confundido com o decalque. embora as causas sejam completamente distintas: o decalque acontece principalmente devido à demora na secagem da tinta. <pick>. geralmente utilizado para imprimir rótulos. manuscrita ou datilografada. Termo alternativo: retenção <holdout>. causado por ação do tack das tintas quando as fibras ou partículas estão apenas parcialmente presas ao papel-base. Termo alternativo: <shred>. enquanto o atravessamento deve-se à condição de baixa viscosidade da tinta ou às propriedades de absorção do suporte (porosidade. [2] <trim> Etapa do processo de encadernação que consiste em refilar as bordas dos livros ou revistas em guilhotina linear ou trilateral. Teste das ceras Dennison <Dennison wax test>. Apara pós-fabricação <post-mill waste> . Ver também: Unidade de entrega <sheet delivery unit>. Arrancamento a úmido <wet picking> . Termo alternativo: <dandy roll pick>.Ruptura e desprendimento de partículas da superfície de um papel durante a impressão. Ver também: Arrancamento <picking>.Ver: Aparas <dry mill broke>. entretanto. na ausência de água. Apara .Apara de papel proveniente da manta removida da bobina e do toco de bobina que sobra no tubete após a emenda.Defeito do papel caracterizado por marcas causadas por acúmulo de fibras no rolo dândi. Apara de guilhotina <cutter broke> . reduzindo-se a viscosidade da tinta com óleo ou aumentando-se a espessura do filme de tinta (corte com verniz branco transparente).Propriedade dos papéis de escrever relativa à facilidade com que se pode remover a tinta impressa. Arrancamento . além de incluir elementos estranhos (fantasmas) às imagens impressas daquele lado. Auto-adesivo <self-adhesive> . Apara pré-consumo <preconsumer waste> . que separa automaticamente cada uma das folhas da pilha de papel e as alimenta na mesa de margeação. Ver também: Receptividade à tinta <ink receptivity>.{a} Desprendimento de partículas causado por delaminação. constituído de um dispositivo separador de folhas (soprador). seja proveniente de papel revestido <coated soft white shavings> ou não-revestido <hard white shavings>. e formam filmes brilhantes. sem arrancamento.

de folha para folha. Blanqueta vincada <engraved blanket> . <turning bay>.[1] <barrier coat> . agente de colagem interna ou uma combinação destes. [2] <padding> . ou habilidade de resistir à ação das tintas. para evitar o atrito do papel impresso. as blanquetas podem durar cerca de 12 a 15 milhões de impressões. constituintes do revestimento. Termo alternativo: talonagem . bem como combiná-las para atender à ordem de paginação dos cadernos antes da entrada na dobradeira. Barba <barb> .{a} Adesão indesejável das folhas de papel ou camadas adjacentes de uma bobina. Ver também: Embalagem com barreira à umidade <moisture barrier wrapper>. enrolada uniformemente em torno de um eixo ou de um tubo de papelão. É recomendável que todas as blanquetas de uma impressora sejam do mesmo tipo e do mesmo fabricante. de um equipamento de conversão ou de uma máquina de acabamento. selante <sealer>. desde que a espessura do remendo seja igual à depressão do tecido da blanqueta. Ver também: Branqueta <blanket>. Blocagem . blanqueta com depressão <blanket low spots>.[1] <paper roll> . barra diagonal. aos óleos e a outros líquidos ou vapores. a qual é revestida num dos lados com uma camada de borracha sintética retificada. ou resistência ao amassamento. {b} Condição que ocorre quando as folhas impressas grudam entre si devido à deficiência ou demora na secagem do filme de tinta. ou seja. ou na entrada das máquinas rotativas. que corresponde à extensão na qual a blanqueta mantém as suas dimensões originais após sofrer compressão. Nas impressoras rotativas.[1] <blocking> .Planta da família das gramíneas. Blanqueta amassada <smashed blanket> . v A blanqueta amassada ou vincada pode ser recuperada tratando-a do seguinte modo: removê-la da máquina e limpar completamente sua superfície com solvente e pó de pedra-pomes. papel ou goma-arábica. tendo como principais características o diâmetro externo. numa rebobinadeira. para remover qualquer resíduo de tinta.b b B Bambú <bamboo> . umedecer o tecido do verso ou mergulhá-la num tanque durante algumas horas. coladas entre si com adesivo emborrachado para formar a carcaça. Barra angular <angle bar> . [2] <spool> .4 mm de comprimento (entre as madeiras mole e dura). Chambril Premier 90 g/m² . enxugar o verso com um pano seco e pendurá-la estendida num varal para que seque. v {c}As blanquetas ofsete são constituídas de lonas de tecido de algodão.Dispositivo localizado sobre a mesa de alimentação das impressoras ofsete planas. que usam duas blanquetas no cilindro.{a} Revestimento aplicado ao papel. As blanquetas modernas são revestidas com borracha sintética (Buna N ou neopreno). Termo alternativo: blanqueta viciada. contendo amaciantes para aumentar a resiliência e outros materiais para endurecer a superfície. v {c}Quando bem cuidadas. Bobina .Revestimento aplicado à face do papel. <tie coat>. a facilidade com que o papel é liberado após o ponto de impressão. Termo alternativo: <feather>. [2] <barrier material> . pode-se colar sob uma das folhas de calço da blanqueta pedaços de papel de seda. <weak blanket>. Ver também: Amassado <smash>. {c} Tecido emborrachado que reveste o cilindro de uma impressora ofsete. Ver também: Flã <flan>. Barra antiestática <antistatic device> . a fim de formar um bloco quando a cola secar. gases. Termos alternativos: barra de reversão <turning bar>.Papel ou cartão produzido em tira contínua. {e} Setor de uma empresa gráfica onde se fazem blocos de papel. esta pode ser recuperada sendo mergulhada num recipiente com água durante cerca de 12 horas e pendurada em local fresco. reproduzindo com baixa densidade de tinta nestas áreas. Termo alternativo: rolo <roll>. feltro ou borracha. às gorduras. dependendo da espessura da blanqueta. {d} Operação de acabamento que consiste em fazer blocos de papel a partir de folhas soltas. após alguns dias. entre a carcaça e a superfície pode ou não existir uma camada de tecido emborrachado compressível.O mesmo que carretel. Blanqueta <blanket> . Os produtos de limpeza não devem causar inchamentos ou deixar resíduos que causem vidrado na superfície das blanquetas.Blanqueta acidentalmente danificada e apresentando áreas com espessura (altura) insuficiente para promover a pressão necessária contra a chapa e/ou o papel. Ver também: Eletricidade estática <static electricity>. água. as blanquetas devem ser substituídas aos pares. e a resistência química. Ver também: Dobradeira de tiras <ribbon folder>. a fim de promover maior opacidade e/ou evitar a migração do adesivo para a superfície e melhorar a ancoragem do adesivo. recortados segundo a geometria do defeito reproduzido. As barras angulares são normalmente perfuradas e ar frio é soprado do interior das barras. cromada e polida. {f} Problema que ocorre no acabamento quando os livros grudam uns aos outros devido à pegajosidade do filme de cola aplicado. após longas tiragens. Termos alternativos: borracha. {b} Material resiliente empregado na estereotipia e na eletrotipia para produzir o molde quando pressionado contra uma fôrma tipográfica. Termos alternativos: blanqueta baixa <low blanket>. usada como fonte de fibras na fabricação de celulose pelo processo soda. <sealer coat>. do cartão ou do filme plástico tratado. causada por umidade. {d} Tecido emborrachado que reveste o cilindro de contrapressão das impressoras rotogravura alimentadas por folhas. Eliminador de estática <static eliminator>. a largura (formato) e o diâmetro interno do canudo (tubete). <smash marks>. seco e escuro durante cerca de 4 a 5 dias. paliativamente. revestido ou laminado para torná-lo impermeável à água. o número de lonas pode variar de 1 a 5. ambas devem ser trocadas no caso de danos numa delas.Barra metálica. Algumas considerações importantes na avaliação da blanqueta envolvem o desprendimento. utilizada no processo tipográfico como base do suporte de impressão.{a} Folha de cortiça. para torná-lo impermeável ao vapor. cuja função é receber a imagem entintada da chapa e transferi-la para o suporte.Rolo de qualquer suporte que passa continuamente através de uma impressora rotativa. cuja função é virar ou desviar a direção das tiras de papel. camada de ancoragem <anchor coat>. de folha para folha. ou conservação das características dimensionais ao longo do tempo. num livro ou revista refilado.{a} Variação de registro de posicionamento da imagem impressa. causando fantasma mecânico no trabalho posterior. frisa. de rápido crescimento. Termos alternativos: base <primer>. a resiliência. {c} Termo empregado para designar a operação de montar ou pregar a fôrma de impressão sobre blocos permanentes de madeira. Barreira . dos solventes de limpeza e de outros produtos químicos com os quais tem contato. temperatura. v Quando o amassado não chega a cortar o tecido da blanqueta. constituída de fibras de cerca de 2. geralmente na impressão de cartão ou papel de alta gramatura. posicionada a 45° em relação à direção de deslocamento do papel nas impressoras rotativas.Operação que consiste em aplicar um adesivo flexível numa das bordas de um maço de folhas soltas. Ver também: Carretel <reel>.Condição que resulta quando a superfície da blanqueta ofsete fica rebaixada na área correspondente ao formato do suporte. <blanket pattern>. [3] <web> . {b} Irregularidade de posicionamento da área de mancha. cuja função é dissipar a carga eletrostática acumulada no papel. a durabilidade. Termo alternativo: <reel>. Nas máquinas de dupla largura. Neutralizador de estática < film static neutralizer>. óleos e outros líquidos. a blanqueta terá recuperado sua espessura original. {b} Diz-se do papel. que ocorre durante a impressão ofsete devido à má regulagem das pinças do cilindro de contrapressão ou a variação dimensional do papel. caucho <caoutchouc>.

o hipoclorito de sódio ou de cálcio. Bolacha . Braço da bobina <reel arm> .Equipamento que faz a bobinagem de uma tira contínua de papel. [3] <whitening> . <foam mark>.Problema que ocorre na impressão ofsete.Condição na qual as camadas de papel grudam entre si. centro frouxo <slack center>. conforme a solicitação do usuário.[1] <edge protector> . que podem ser adicionados à massa. <roll operator>. causando ovalizações ou faces planas. Branqueamento .Margens de resmas ou bobinas de papel que sofreram encolhimento devido à perda de umidade causada por exposição em ambiente cuja umidade relativa ou temperatura era menor do que a do papel. Ver também: Bobina telescópica <telescoped roll>. côncova ou convexa.Cada um dos discos de papelão ondulado que protegem as laterais de uma bobina de papel. <jumbo roll>. ficando estas em torres de retenção apropriadas. bobina mole. Termos alternativos: <baggy paper>. em vários estágios. Ver também: Bobinador <winder>. Termos alternativos: <pencil point roll>. ponta-de-lápis <pencil point>. Termos alternativos: <air bubble>. < out-of-round roll >.Problema do papel caracterizado por elevação de parte da superfície da folha ou da camada de revestimento. <paper machine winder>. à pasta mecânica depois do desfibramento ou. operador de porta-bobinas. de modo a melhorar a alvura. Bobina colada . dotado de mandris. de formato oval bem definido. a fim de remover ou alterar as substâncias coloridas presentes. o conteúdo de umidade do papel e carga de tinta elevada coincidente em ambos os lados do papel. {b} Tratamento químico. Bobinadeira <winder> . sobretudo com papéis alcalinos. causado por uma associação de variáveis. [3] <steam blister> .Diz-se de uma bobina de papel que sofreu choque ou queda durante o transporte ou o manuseio.Defeito superficial do papel causado por formação de espuma durante a aplicação do revestimento. Ver também: R ebobinadeira <rewinder>. às aparas após a desagregação. causada por excesso de solução de molhagem absorvida pelo papel ou por ação do tack da tinta que tende a fazer o papel grudar e acompanhar a blanqueta nas impressoras ofsete planas. [2] <wet roll> . lateral frouxa <slack edge>. geralmente. v O rolo jumbo é cortado. com uma lavagem por lavadores a vácuo entre cada estágio. Termos alternativos: bobina máster. uma bobina-mãe pode originar três bobinas no sentido do diâmetro e sete ou mais bobinas no sentido do comprimento. Termo alternativo: <dishing>. apresentando planicidade ou excentricidade. Bobina ovalada <out-of-roundness roll> . opera o suporte de bobinas de uma impressora rotativa e. a estabilidade química e a permanência do papel. <log roll>.[1] <stuck web> . Bobina desalinhada <dished roll> . rugas ou quebras durante a impressão.[1] <bleaching> . duplagem. Ver também: Bordas retesadas <tight edges>.Dispositivo do sistema de alimentação de bobinas de certas impressoras rotativas. {c} Área da capa de um livro encadernado em que o revestimento não adere ao cartão das pastas. Dependendo da largura da máquina de papel. <log>. o peróxido de hidrogênio.Bobina formada ao final da máquina de fabricar papel. <reeler>. {d} Defeito de um filme fotográfico caracterizado por pontos vazios onde a emulsão separa-se da base do filme devido a uma deficiência de processamento ou em função do emprego de excesso de ácido no fixador. como resultado de irregularidades de tensão durante o bobinamento. que acontece em ambos os lados do papel quando este passa pelo forno de uma impressora rotativa ofsete. Ver também: Excentricidade <eccentricity>. podendo causar problemas de registro. Termos alternativos: <egg shaped roll >. Bobina-mãe <master roll> .Gíria usada pelos bobineiros para designar o círculo de papelão ondulado que protege a lateral de uma bobina de papel. Termos alternativos: estrelista. com facas circulares. ou recebeu alguma pancada durante o transporte e o manuseio.[1] <air bell> . incluindo: a porosidade do papel. [2] <blister> . <rollman>. devido ao acúmulo de partículas de carbonato de cálcio nas áreas de contragrafismo da blanqueta. em bobinas menores (no diâmetro e na largura). em alguns casos. Borda em gancho <tail-end hook> . a depuração e a lavagem. Bobina telescópica <telescoped roll> . e pode ser evitado ou minimizado adicionando-se Chambril Premier 90 g/m² . ou excessivamente pressionada pelo grampo <clamp> da empilhadeira. <slipped roll>.Curvatura que se desenvolve na contrapinça de uma folha de papel. Bolha .Diz-se de uma bobina de papel que exibe as bordas progressivamente desalinhadas. <parent roll>. <bubble>.{a} Tratamento químico de purificação da pasta de papel. muito usados para alvejar a pasta mecânica. que são inseridos no tubete para manter a bobina fixa na posição durante a preparação da emenda. [2] <roll header> .Margens de resmas ou bobinas de papel que sofreram distorções devido à expansão das fibras causada por absorção de umidade ao ficarem expostas em ambiente com umidade relativa ou temperatura superior a do papel. Bordas onduladas <wavy edges> . v [3] O acúmulo de carbonato geralmente ocorre devido ao amolecimento da camada do papel causado por excesso de solução de molhagem ou à baixa resistência do papel à umidade. Termo alternativo: roda. <roll tender>. resultante de deslizamento durante a bobinagem ou devido a um golpe paralelo ao seu eixo. ou por apresentar deficiência de tensão de rebobinamento ou por estar com as laterais frouxas devido à exposição em ambiente com umidade relativa elevada. [2] <color stripping> Processo de remoção da tinta do papel reciclado. Termos alternativos: enroladeira. que se dá à celulose após o cozimento.Bobina de papel que apresenta as bordas alternadamente desalinhadas para dentro e para fora.Diz-se de uma bobina de papel que foi excessivamente pressionada ou sofreu algum choque durante o transporte ou o manuseio. Ver também: Bordas onduladas <wavy edges>. ou por agentes redutores como o hidrossulfeto de zinco. causado por vapor ou ar armadilhado entre a superfície e o corpo da folha. Bobineiro <roll stand operator> . em vários estágios. v [1a] É considerada branqueada a pasta cujo grau de alvura é igual ou maior do que 80°GE e semibranqueada quando o seu grau de alvura situar-se entre 59 e 79°GE.Auxiliar de impressão que prepara a emenda. {b} Ponto falho ou vazio que se manifesta em áreas do produto impresso nas quais o material empregado no acabamento (verniz. Bobina esmagada <crushed roll> . Termo alternativo: <milking>. Bordas retesadas <tight edges> . Termo alternativo: alvejamento. aumentando a alvura do produto final. Bobina frouxa <baggy roll> . <mill roll>. Ver também: Canudo amassado <crushed core>. feito pela ação de agentes oxidantes como o cloro. faz o controle do papel. causada por umidade. adesivo etc.{a} Defeito de impressão. <rolltender>.Defeito que ocorre com papéis em bobina caracterizado pela adesão de diversas camadas entre si devido ao contato com água. abrangendo a largura útil total da máquina.Diz-se de uma bobina de papel que adquiriu a forma oval em virtude de ter sido estocada na horizontal. o dióxido de cloro. deixando-a esbranquiçada.Diz-se de uma bobina de papel que desenrola com tensão desuniforme. na direção oposta ao lado impresso.b b Bobina amassada <smashed roll> . com a finalidade de descolorir ou remover os materiais corantes não-celulósicos existentes na massa. plástico) não está ancorado ao suporte. Termo alternativo: protetor lateral.

Método empregado para conferir lisura e brilho superficial ao papel. geralmente uma folha composta de várias páginas. para formar uma seção de livro ou revista. Em alguns casos. Ver também: Supercalandra <supercalender>. Caixa de entrada . fazendo-o passar entre uma série de rolos metálicos Chambril Premier 90 g/m² . [2] <finishing stack> . variando-se a altura hidrostática de líquido no interior da caixa. escoando-a através de uma fenda num fluxo uniforme. Ver também: Seção <section>. Calandra .[1] <calender> . [3] <section> . [4] <signature> . {b} Conjunto de rolos horizontais. Ver também: Calandra <calender>.[1] <headbox> . {b} Dispositivo localizado ao final da seção seca ou antes da prensa de colagem da máquina de fabricar papel cuja função é alisar a superfície da folha. consequentemente.Cada uma das partes em que se divide um livro. Ver também: Reflexão especular <specular reflection>. para absorver o dióxido de enxofre (SO2) e formar o sulfito ácido de cálcio (licor de cozimento).bc c b um agente quelante à solução de molhagem . calandra de máquina <machine calender>. Conforme a velocidade da máquina. Todas as partes em contato com a massa são construídas em material não-corrosivo. Termos alternativos: <calendering rolls>.Dispositivo localizado no final da seção seca ou antes da prensa de colagem da máquina de fabricar papel. Ver também: Reflexão especular <specular reflection>. a parede frontal com o lábio superior pode ser movimentada. para permitir a regulagem do ângulo de incidência do jato de massa sobre a tela.Tanque localizado no início de uma máquina de fabricar papel onde a polpa é armazenada e agitada antes de ser espalhada sobre a tela. Abreviatura: cad <sig>.Folha impressa contendo uma ou mais dobras. chamada de reflexão especular. e aplica-se pressão ou vácuo para regulagem desta altura hidrostática. em um forno de cal.Seção de um livro. localizado ao final da máquina de fabricar papel. A saída de massa sobre a tela é feita entre os lábios inferior fixo e superior móvel. o nível é constante. regula-se a velocidade de saída da massa. extraído por calcinação do carbonato de cálcio mineral ou proveniente da recuperação deste da lama de cal. na caustificação da lixívia verde (carbonato de sódio) nos sistemas de recuperação de produtos químicos em processos alcalinos. [2] <gathering> . Brilho do papel <paper gloss> . a fim de ser alisado. <paper calender>.Relação entre a intensidade luminosa refletida pelo papel e a reflexão de um padrão arbitrário. As velocidades de fluxo da massa são calculadas para não permitir a sedimentação da massa em nenhum ponto. em múltiplos de quatro páginas. formando depósitos de sujeira. a fim de ter a lisura e o brilho superficial aumentados. Em alguns casos. [2] <stuff-chest> . usam-se rolos distribuidores para manter as fibras em suspensão.{a} Máquina constituída de um conjunto vertical de cilindros metálicos polidos e cilindros revestidos com tecido de fibra sintética alternados. lisa <stack>.Grau com que a superfície de um papel reflete a luz incidente em raios paralelos. por entre os quais passa a tira contínua de papel. este último provido de parafusos em intervalos pequenos.{a} Parte de uma máquina de fabricar papel que alimenta e distribui sobre a tela uma dispersão de fibras em água. Cal <lime> . Termo alternativo: <flow box>. <machine stack>. Nas máquinas modernas de alta velocidade as caixas são fechadas. derivado do carbonato de cálcio empregado na fabricação do papel. {b}Produto impresso numa única revolução do cilindro da chapa de uma impressora rotativa e dobrado ao final da linha. Brilho especular <specular gloss> . a espessura em toda a largura da folha de papel. Calandra de máquina <machine calender> .{a} Folha impressa e dobrada. entre os quais passa o papel sob pressão. Calandragem . ou lavando-se a blanqueta e os rolos com ácido acético (vinagre). C Caderno . <smoothing calender>. arredondados e polidos para evitar a aderência da massa. empregada no processo sulfito na torre de absorção. Termos alternativos: <calender-machine>. que permitem regular a abertura e. Termos alternativos: <calender stack>. {b} Dispositivo da máquina de papel dotada de uma caixa de construção hidrodinâmica especial que controla e distribui continuamente o fluxo de alimentação de massa diluída em toda a largura da mesa plana. cuja função é alisar a superfície da folha.[1] <calendering> . num ângulo de reflexão igual ao ângulo de incidência.{a} Conjunto de rolos horizontais localizado ao final da máquina de fabricar papel cuja função é aumentar a lisura e o brilho superficial da folha.Óxido de cálcio (CaO). um a revista ou um jornal. <plater>.[1] <folder> .

3 mm ou mais) e rígido. possivelmente. Termos alternativos: <duplex boxboard>.{a} Fenômeno de tensão superficial no qual a porção da superfície de um líquido que estabelece contato com um sólido é aumentada ou reduzida dependendo das propriedades coesivas ou adesivas do líquido. <limestone>. os cartões ondulados são constituídos de papel kraft ondulado contracolado em uma ou nas duas faces com um papel de cobertura. rígido. sobretudo com papéis de baixa gramatura. Cartão . com adição de pasta mecânica ou aparas. Chambril Premier 90 g/m² . geralmente com espessura superior a 0. o dióxido de titânio. [3] <paperboard> .[1] <duplex mill wrapper> . composta de celulose branqueada. segundo a gramatura. Rolos de calandra <calender rollers>.Defeito de papel em bobina caracterizado pela excentricidade do tubete. ou reage com ácidos.{a} Capa de livro constituída de tiras retangulares de papelão coladas a um revestimento de papel. Termo alternativo: <bowl grazing>. v [1] A calandragem melhora a ancoragem da tinta. após a refinação.Fibra obtida de cordas ou da planta de mesmo nome que cresce na América Central e nas Filipinas. o corpo e as propriedades de resistência são reduzidas. e a camada inferior. o conjunto é fixado ao miolo do livro. Canudo amassado <crushed core> . sendo a camada superior. couro ou outro material nas posições correspondentes às pastas e à lombada. Capilaridade <capillarity> . portanto. Termos alternativos: <body wrapper>. [2] <plating> . Cânhamo <hemp> .Papel resistente e impermeável utilizado para embalar bobinas e resmas. compressibilidade e rigidez adequadas à produção de embalagens.Cartão feito de polpa de madeira. [2] <card> . o que pode derivar numa bobina ovalada.{a} Capa de um livro ou de uma revista impressa em papel flexível. Capa dura <hardcover> . a opacidade. geralmente de gramatura superior ao papel do miolo. {b} Papel espesso utilizado para imprimir índices. o carbonato de cálcio e outros pigmentos brancos. caixas e similares. Livro de capa dura <casebound book>. tal como o caulim. lisura.Papel kraft reforçado e impermeável usado para embalar bobinas. reduz a brancura. a porosidade. Capa de bobina .Equipamento da máquina de papel. {b} Método de encadernação de livros no qual o revestimento da capa é colado sobre peças de papelão rígido e. v [1a] Embora as cargas minerais melhorem as características de printabilidade do papel. chamada suporte. acabamento monolúcido ou escovado e. a rigidez e o corpo do papel.{a} Termo genérico que designa os cartões compostos de duas camadas diferentes em cor ou composição. [3] <roll wrapper> . Termo alternativo: capa flexível <flexible cover>. [2] <mill wrapper> . Capa mole <soft cover>. <mill wrapper>. <marble>. o cartão de enroladeira é fabricado sobre uma mesa plana ao fim da qual a folha úmida é enrolada sobre um cilindro. <duplex pasteboard>.Carga mineral. Carga . v O papel calandrado em máquina apresenta nível de brilho inferior àquele acabado em supercalandra. máquina de dupla tela) ou por deposição da suspensão fibrosa sobre um cilindro. inspeção. [2] <load> . formado e compactado em máquina. com ou sem revestimento cuchê no forro. <loading>. causado por choque ou queda. Ver também: Extensor <extender>. Cartão dúplex <duplex board> .Amostra de papel removida da bobina-mãe para análise. As máquinas de cartão funcionam por projeção de jato (máquina de mesa plana. podendo comprometer a produtividade. tal como a superfície de um papel ou de um cartão. de absorver líquidos com os quais entra em contato. utilizada na composição de papéis alcalinos. [3] <loading> . entretanto. é menos compactado e. empregada na fabricação do papel. Termos alternativos: <filler clay>.Papel de gramatura elevada. Ver também: Bobina ovalada <out-of-roundness roll>. causando acúmulo na superfície de blanquetas e rolos do sistema de tintagem. Termo alternativo: calandra mole. brancura. <cardboard>. Carga alcalina <alkaline filler> . espesso (0. Termos alternativos: <casebound>. tecido. produzindo compactação uniforme da folha e acabamento similar ao da supercalandra.Processo de acabamento do papel que consiste em passar maços de folhas intercaladas com tecido ou outro material. Termos alternativos: <chalk>.Força total aplicada ao corpo de prova durante os testes de resistência à compressão e à tração do papel ou de cartão. o talco. {b} Substância inerte utilizada na composição das tintas de impressão.{a} Pigmento branco luminoso utilizado como carga na fabricação de papéis alcalinos ou como pigmento na formulação do revestimento do papel. {b} Folha composta de camadas de papel coladas entre si (cartão de colagem) ou fabricada diretamente na máquina cilíndrica (cartão de moldagem) classificada. chamada forro.15 mm e gramatura superior a 224 gramas/m2. Ver também: Capa dura <hardcover>. Ver também: Ação capilar <capillary action>. Ver também: Branqueamento <whitening>.c c polidos sob pressão.[1] <board> . estabilidade dimensional. <express paper>. Ver também: Colagem alcalina <alkaline sizing>.Matéria mineral utilizada na fabricação do papel. a lisura e o brilho. Termos alternativos: <paperback>. incluindo os discos laterais.{a} Forma abreviada de cartão de expansão. imerso ou não. Termo alternativo: tubete amassado. em seguida as folhas são prensadas e secas. os cartões para uso industrial são geralmente fabricados em enroladeira. papelcartão. {b} Habilidade de uma superfície porosa. alvura. Termos alternativos: <reel sample>. a rigidez. Encadernação em capa dura <case binding>. <tear-outs>. {b}Encadernação na qual o miolo de um livro ou de uma revista é encapado com papel ou cartão flexível. porém. Ver também: Calandra <calender>. a fim de aumentar o corpo e a opacidade e. v {a} O carbonato de cálcio (CaCO3) tende a reagir com a solução de molhagem ofsete em meio ácido (pH inferior a 4). {b} Papel-cartão fabricado a partir de celulose química. entre rolos de calandra. a absorção de tinta. Carbonato de cálcio <calcium carbonate> . com duas ou mais camadas. cuja função é alisar o papel.{a} Papel encorpado. <mill heads>. presa à lombada por meio de grampos ou de adesivo. a fim de produzir efeitos de textura na superfície.{a} Nome que se dá aos materiais inorgânicos não-fibrosos de origem mineral. Ver também: Brochura <brochure>. Campeão <grab sample> . <hardbound>. menos sujeito à marmorização.[1] <filler> . apresentamdo boa colagem interna e superficial. absorção de tinta e outras propriedades ópticas e superficiais. para modificar-lhe certas propriedades. Ver também: Cartão tríplex <triplex cardboard>. <paperbound>. Produzido nas gramaturas de 200 g/m2 a 600 g/m2. [4] <pulpboard> . Livro de capa mole <paperback>. tal como o carbonato de cálcio. então. composta de celulose não-ranqueada. Papel alcalino <alkaline paper>. Termos alternativos: <board stock>. que causa uma reação alcalina em presença de água. v Os cartões utilizados para embalagem e acondicionamento são constituídos de uma ou várias camadas. <whiting>. teste ou ensaios de qualidade. dotado de um rolo metálico e outro revestido com material elastomérico. muito utilizado na impressão de embalagens. etiquetas etc. em cartolina ou papelão. com ou sem adição de caulim. Capa mole <softcover> .Embalagem de uma bobina de papel. sob pressão. v As matérias-primas mais utilizadas na fabricação do cartão são as pastas de papel recuperado. espessura uniforme. absorção de água e tinta compatíveis com o processo ofsete. <express fiber>. entre as principais características destacam-se: elevada resistência superficial. <duplex cardboard>. reduzir o custo. adicionados à formulação do papel. Calandra macia <soft calender> . Ver também: Cartão de expansão <expansion card>. {b} Pigmento branco empregado como extensor em lugar do dióxido de titânio na formulação de tintas de impressão. geralmente no tanque de mistura. assegurando o esgotamento (máquina de fôrma redonda). a fim de promover opacidade. a compressibilidade.

a celulose alfa. Celulose <cellulose> .[1] <packet> . as curvas de moagem.c c Cartão tríplex <triplex cardboard> . produzindo um diferencial de absorção de tinta e aparência manchada ou marmorizada. produtos de higiene e limpeza e outros. [2] <paper box> . utilizado como carga na fabricação de papéis e tintas de impressão ou como pigmento da camada de papéis e cartões. Casca-de-laranja . Visto que não estão firmemente presas à superfície do suporte. principal material sólido constitutivo da madeira e certos vegetais fibrosos. <kaoline>. em menor escala. Cartolina . <folding paper box>. Chambril Premier 90 g/m² . cumulativamente. Ver também: Chapa wipe-on <wipe-on plate>. pratos etc.Grupo de cartões fabricados em máquina cilíndrica. desagregam-se e absorvem água. denominada suporte.Defeito do papel caracterizado por uma superfície irregular. Ver também: Marmorização <mottle>. tais como caixas. v As principais características da celulose são o peso.Sistema de acabamento de livros revestidos com uma capa dura colada à lombada. Cartucho .[1] <block color> . formado e compactado em máquina. geralmente empregada para embalar alimentos. usualmente com espessura igual ou superior a 0. Casca de tinta [1] <coating hickey> .Pequeno dispositivo do alimentador de uma impressora ofsete plana ou de uma dobradeira. denominada miolo. jogos. Ver também: Crateras <craters>. Gradualmente. {c} Silicato de alumínio. rotogravura. Ver também: Cartão <board>. <kaolin clay>. pastas. v Os cepilhos podem ser constituídos de cerdas metálicas ou de fibras sintéticas.Cor impressa com 100% de ponto.{a} Textura do papel que lembra a casca da laranja. Ver também: Teste da cera <wax test>.Papel revestido que apresenta uma textura relativamente áspera. copos. Chapa pré-sensibilizada <presensitized plate> . Termo alternativo: escamas de calandra <calender scales>. Cavaco <chip> . em três ou mais camadas. produzido nas gramaturas de 250 g/m2 a 500 g/m2. a holocelulose e a hemicelulose. torna-se gradualmente vazio. [2] <coating lump> . a madeira contém hemicelulose e lignina.Folha de metal.Cartão fabricado a partir de celulose química. Cartão dúplex <duplex cardboard>. desprendendo-se da lâmina aplicadora. Termos alternativos: <trimming>. aceitam a tinta e reproduzem um caroço circundado por um halo branco. composta de celulose branqueada.Defeito de impressão caracterizado por um caroço circundado por um halo branco que. agentes de colagem e ligantes em dispersões de pigmentos. obtida por gofragem. Caulim <kaolin> . Ver também: Elemento sólido de imagem <solid image element>. são arrancadas pela tinta de impressão e se fixam às blanquetas. {c} Material fibroso obtido da madeira e de outros vegetais fibrosos depois que grandes quantidades de lignina e outros carboidratos não celulósicos foram removidos por operações de cozimento e branqueamento.{a} Material adesivo ou agente de colagem empregado no revestimento do papel cuchê. <folding carton>. a viscosidade. lembrando a casca da laranja. Cartonagem .Defeito do papel ou do papel-cartão caracterizado por marcas causadas por partículas de pigmento ou fibras que aderem ao rolo da calandra. {b} Defeito do papel causado por irregularidades no revestimento. a fim de evitar a alimentação de folhas duplas. {b} Proteína obtida do leite utilizada para produzir adesivos. <paper clay>. {b} Carboidrato de alto peso molecular. corte-vincada. Caseína <casein> . é também chamada de polpa e pasta química. Termo alternativo: <paper tube>. estando a viscosidade da tinta muito elevada. Teste das ceras Dennison <Dennison wax test>. {b} Embalagem feita de uma só peça de cartão ou cartolina impressa. denominada forro. duras e quebradiças presentes na superfície da camada cuchê. Chapado . que são removidas quimicamente no processo de produção da pasta. papel ou material plástico fornecida com a camada fotossensível já aplicada e pronta para a copiagem a partir de filme positivo ou negativo.Defeito de impressão causado por uma partícula de tinta seca que adere à superfície da chapa ou da blanqueta ofsete e reproduz a sua própria imagem circundada por um halo branco. Termos alternativos: <separator brush>. Termos alternativos: <boxboard>. {c} Tipo de marmorização que ocorre na impressão flexográfica. Termos alternativos: <bristol board>. causado por uma partícula proveniente da camada do papel cuchê. [3] <ink hickey> . que constitui o principal componente das paredes das células das fibras da madeira e de outros vegetais utilizados na fabricação do papel. Marmorização <ink mottle>. brilhantes. <light cardboard>. Ver também: Pinta <hickey>. Termo alternativo: caroço de tinta. {b} Material natural. o comprimento de fibra.{a} Substância inorgânica utilizada como pigmento branco na formulação de tintas tipográficas e rotogravura. imitando a casca do ovo.[1] <orange peel> . resultando em papéis com diferentes características. [2] <film splitting> . isto é. estampando a sua forma na superfície do papel. de estrutura complexa. metalográfica e serigráfica. cuja função é separar a primeira folha da pilha. cosméticos. Num primeiro momento. com ou sem adição de caulim.Conjunto de bastões de cera de pegajosidade graduada empregado na avaliação da resistência superficial de papéis nãorevestidos. <folding box>. Ceras Dennison <Dennison wax> .Processo de fabricação de objetos de cartão. próprios para impressão. localizado próximo dos cantos da contrapinça das folhas. [2] <solid> . Termo alternativo: <film split pattern>. contendo abas para fechamento na tampa e no fundo. Termo alternativo: <presensitized printing plate>. a branqueabilidade. apresentando as mesmas características do cartão dúplex. causada por desuniformidade de espessura do filme de tinta.[1] <bristol> . Sólido <solid>. <wood shaving>. [2] <mill bristol> . confeccionada em diversos estilos.Lasca de madeira da qual se extrai as fibras de celulose usadas na fabricação do papel.{a} Caixa de cartão corte-vincada.[1] <boarding> . Ver também: Fibra de celulose <cellulose fiber>.Termo genérico que designa as empresas gráficas especializadas na produção de embalagens de cartão. cuja textura lembra a casca da laranja. composta de celulose não-branqueada. branco e fino. a fim de aumentar a qualidade do papel.Diz-se de uma cor impressa sólida. composta de celulose branqueada. causado quando a camada do revestimento é dividida entre o rolo aplicador e a superfície da folha. com adição de aparas de primeira. o algodão constitui a forma mais pura da celulose e. v A qualidade do papel depende diretamente do tipo e do conteúdo de celulose. [3] <manufacturer of paper boxes> . sem gradações ou nuanças e com maior densidade e opacidade do que as áreas reticuladas. sendo a camada superior. o comprimento e a forma das fibras variam conforme o tipo de madeira.Saco de papel. a celulose gama.{a} Polímero natural. caindo na superfície do cartão. Cepilho <finger> .Papel de impressão de gramatura elevada. produzindo um vazio. [2] <bookbinding> . empregado como carga e como pigmento do revestimento do papel. a alvura. com adição de aparas recicladas. <cardboard tube>. Termos alternativos: <china clay>. formatos e tamanhos. fora da área de aplicação. e a camada inferior. <separator finger>. a camada intermediária. Ver também: Cartão cromo. a celulose Cross e a Bevan. a madeira contém cerca de 50% a 90% de celulose em peso. Casca de calandra <calender scabs> . rígido. Além da celulose. portanto. colada ou encaixada. a umidade. ao absorver umidade. plástico quando úmido e duro quando seco por ação de calor.15 mm. medicamentos. é empregada na produção dos melhores papéis. Reticulado <screened>. <wood chip>. v [1] A ocorrência pintintas está geralmente associada ao sistema de aplicação com lâmina e secagem IR. a celulose beta. Casca-de-ovo <eggshell finish> .Defeito do papel caracterizado por partículas descoradas. A tinta cuchê seca e torna-se quebradiça.

em função da sua densidade aparente. ao vinco. O maior inconveniente é a tendência ao milking (acúmulo de carbonato de cálcio na blanqueta) quando o pH da solução de molhagem ofsete é muito baixo. {c} Ato de adicionar cola à massa do papel. Ver também: Colagem ácida <acid sizing>. a resistência ao arrancamento. a fim de evitar atolamento ou outros problemas de alimentação. as camadas de cobre e de cromo eletrodepositadas são removidas para aproveitamento do cilindro em outros serviços.Processo de adição de ligante ao papel durante a fase de formação da folha. que consiste em revestir a folha acabada. concentração e temperatura.Mistura de materiais fibrosos e não-fibrosos. Resiliência <resiliency>. Climatização <climatizing> . tais como maior alvura. maior opacidade. ou sobre outros materiais. alumínio ou material plástico que suporta a camada gravada. do conteúdo de umidade e da calandragem ou supercalandragem. R igidez <hardness>. o tipo luva exige que o eixo seja fixado ao ser montado na impressora. Termo alternativo: <curling>. Cilindros resfriadores <chill rolls> .Tipo de chapa ofsete constituída de um metal-base revestido com um polímero sensível ao calor. aos óleos e a outros fluidos. em suspensão aquosa. Ver também: Colagem <sizing>. de um ou de ambos os lados. do grau de refinação. v O papel produzido com colagem ácida tem menor permanência do que o papel alcalino.Ventosa da barra de sucção do sistema de alimentação de uma impressora ofsete plana ou de uma dobradeira de bolsa cuja função é separar a primeira folha da pilha de papel e fazê-la avançar em direção à mesa de margeação.. tais como: viscosidade. a cola é precipitada sobre as fibras pela adição posterior de sulfato de alumínio. Termo alternativo: <sucker>.{a} Propriedade que expressa a extensão na qual a espessura de uma blanqueta ofsete é reduzida quando submetida à pressão de impressão. expresso em quilômetros. o cilindro-base é revestido com uma camada de cobre eletrodepositado em célula galvânica.Processo de impermeabilização controlada do papel de impressão. agentes de colagem e corantes. <pulp furnish>. Colagem alcalina <alkaline sizing> . além de outras propriedades. a fim de aumentar a resistência à água. caso não sejam resfriadas abaixo do seu ponto de amolecimento (32°C). Termos alternativos: colagem externa <external sizing>. Cilindro rotogravura <gravure cylinder> . para a fabricação do papel ou cartão. Ver também: Resistência à tração <tensile strength>. feita com colas sintéticas e carbonato de cálcio. Colagem interna <internal sizing>. após a gravação. atravessamento para o outro lado da folha e riscos ao contatar os elementos da dobradeira. que consiste em impregnar ambos os lados do papel com um adesivo. Ver também: Barra de sucção <suction bar>. da largura do corpo de prova e da gramatura do papel. Comprimento de ruptura <breaking length> . para aumentar-lhe a resistência à água. seu valor é calculado a partir da resistência à tração. [2] <top-sizing> . a fim de aumentar-lhe a resistência à penetração de líquidos polares. num meio com pH inferior a 7. <suction feed>. suspenso verticalmente. durante a fabricação. o resfriamento do papel acontece por troca de calor com água refrigerada que circula pelo interior dos cilindros resfriadores. para evitar o desprendimento de fibras e de partículas de carga mineral durante a impressão. a ancoragem da tinta. no tanque de mistura. a fim de reduzir a absorção de líquidos. {b} Força de atrito dividida pela força perpendicular à superfície de contato entre dois sólidos. Termos alternativos: composição da pasta. Termo alternativo: <hardsize>. Ver também: Resina de colagem <rosin sizing>. a fim de aumentar a sua resistência ao atrito. v A configuração do cilindro rotogravura pode ser do tipo luva <sleeve> ou tipo eixo <shaft>. selar as fibras superficiais e aumentar a resistência da superfície. podem penetrar profundamente no papel e causar problemas de transparência no impresso. o corpo do cilindro compreende uma base oca de aço. Cilindros secadores <drying cylinders> . v As tintas heatset são formuladas com resinas termoplásticas que fundem ao passar pelo forno. de modo a garantir o assentamento das tintas heatset. tais como: cargas. Ver também: Sistema de resfriamento <cooling system>. promover lisura. autotípico ou semiautotípico) ou eletromecânicos. num meio com pH superior a 7. Compressibilidade <compressibility> . e colagem superficial.{a} Propriedade do papel resultante da alteração das características superficiais das fibras através de dois processos: colagem interna. pela pressão da prensa e pelas características do adesivo.[1] <surface sizing> .Conjunto de tambores metálicos aquecidos. v O papel produzido com colagem alcalina tem maior permanência do que o papel ácido. na prensa de colagem da máquina de fabricar papel. gravada em baixo-relevo por processos químicos (convencional. Coeficiente de atrito <coefficient of friction> . Colagem ácida <acid sizing> . excesso de colagem impermeabiliza a superfície do papel e favorece a ocorrência de decalque. maior estabilidade dimensional e melhor printabilidade. Ver também: Impressora rotogravura <gravure printing press>.c c Chapa térmica <heat-sensitive plate> . proteína de soja) à superfície do papel. reduzir a porosidade. Termo alternativo: secadores <dryers>. a qual é copiada com laser infravermelho em vez de luz ultravioleta. Chambril Premier 90 g/m² . localizados na seção de secagem de uma máquina de fabricar papel. C ondicionamento <conditioning>. a fim de promover resistência à água. Teste de colagem por imersão em água <water immersion size test>. {b} Tratamento interno e/ou superficial de um papel com produtos químicos. Composição da massa <furnish> . feita com cola de breu e sulfato de alumínio. importante para o processo de impressão ofsete. Colagem superficial . aumentar a resistência ao arrancamento e melhorar a printabilidade. Tinta heatset <heatset ink>. o cilindro recebe uma camada de cromo. com os quais o papel contata alternadamente os lados tela e feltro. na holandesa ou no desagregador.Comprimento de uma tira de papel. a rigidez e o acabamento superficial do papel. {b} Aplicação de ligantes (amido. o que o torna menos absorvente à água e aos líquidos aquosos.Processo de impermeabilização controlada do papel de impressão. Chupeta <suction cup> . sofrendo amarelamento (reversão de alvura) e redução de suas propriedades de resistência mecânica com o tempo. Ver também: Maciez <softness>. aplanar as folhas etc. Termo alternativo: <cooling rollers>. a fim de reduzir o seu conteúdo de umidade.Matriz de impressão rotogravura. em uma prensa de colagem localizada entre o segundo e o terceiro terço da bateria de secadores. antes da formação da folha. <tub-sizing>. {c} Porcentagem de redução da espessura de uma folha de papel sob pressão. revestida com uma camada de cobre por processo de eletrodeposição. que consiste em remover a umidade. {b} Propriedade que designa a extensão na qual o papel perde espessura por ação da pressão de impressão. após a impressão. caseína. configurando todos os grafismos (traços e meios-tons) com pequenas células que são preenchidas com uma tinta fluida a ser transferida por contato direto com o suporte de impressão. em impressora de computador. a superfície é retificada e polida antes da gravação.{a} Medida da facilidade relativa com que uma folha de papel desliza sobre outra. geralmente amido modificado. v Falta de colagem reduz o brilho do papel e favorece o arrancamento de partículas da superfície da folha pelo tack das tintas.Processo de preparação do papel para impressão.{a} Tratamento superficial que se dá ao papel. pela colagem interna. capaz de causar o rompimento do papel devido ao seu próprio peso. dando ao papel pronto a propriedade de colagem. a absorção do adesivo é afetada pelo grau de umidade da folha. Ver também: Colagem alcalina <alkaline sizing>.Conjunto de cilindros localizado logo após o forno de uma impressora rotativa cuja função é resfriar o papel até que este alcance a temperatura ambiente. Ver também: Ambientação de papel <conditioning of paper>. que consiste em tratar a massa. a fim de reduzir a absorção de líquidos. Colagem <sizing> . à abrasão.

adicionada durante a fabricação para aumentar a opacidade. principalmente a rigidez.Sistema eletrônico de editoração acoplado a uma impressora digital. {d} Volume específico aparente de uma folha de papel numa pilha. Ver também: Direto para o suporte <direct-to-print>. Termo alternativo: <prekissing>. Contador de folhas <sheet counter> . mas que envolve outras propriedades incluindo o comprimento e a tixotropia. Termos alternativos: <conditioning of board>. inserindo pequenas tiras de papel a cada quantidade predeterminada. [3] <cross-grain> . <cross machine direction>. máquina copiadora <copying machine>. v As condições ideais para ambientação do papel são 22°C e 60% de umidade relativa. <conditioning of paper>. a ponto de prejudicar a qualidade de impressão. quanto maior a espessura para uma mesma gramatura. <reproduction machine>. v Nas impressoras ofsete planas. excluindo as guardas e a capa. a alvura e a brancura do papel. previamente montada no cilindro da impressora. revistas etc.Contato do papel com a blanqueta ofsete antes de alcançar o ponto de impressão <nip>. jornais. Termos alternativos: <paper counter>. {b} Relação entre a gramatura e a espessura de um papel de impressão. no momento em que a contrapinça da folha se aproxima do ponto de impressão. a qual tende a voltar à condição plana depois de ser envergada pelo cilindro de contrapressão. o número de corpo é avaliado segundo a norma TAPPI T500. medida sob um a pressão especificada. Termos alternativos: copiadeira. Contra a fibra .Equipamento de acabamento dotado de um mecanismo que coleciona e empilha cadernos.Dobra ou corte orientado em ângulo reto em relação às fibras do papel.Sistema localizado após os cilindros resfriadores de uma impressora rotativa ofsete. Condicionamento do papel <paper conditioning> . o comprimento ou a fluidez de uma tinta ou de um verniz de impressão. simulando a compressão que um livro sofre durante a encadernação. Termo alternativo: <ct-plate>. acima dessa temperatura. sem a necessidade de chapas. Copiadora . Condicionamento <conditioning> . sob pressão especificada. [2] <printer> . Termo alternativo: <bulking thickness>. pode ocorrer contato prematuro durante a impressão de suportes pesados. em quantidades predeterminadas. Termo alternativo: teor de cinzas. o índice de corpo é usado para comparar papéis de mesma gramatura.Sistema eletrônico de editoração acoplado a um sistema de cópia de chapas a laser. <sheet counting machine>. as resinas termoplásticas das tintas termoassentáveis permanecem no estado semifluido e podem manchar ou riscar o impresso ao contatar as barras diagonais e o funil da dobradeira.Defeito do papel caracterizado por corrugações diagonais que formam um cordão em torno da bobina. ao deixar o último cilindro resfriador. dotado de um sensor infravermelho cuja função é monitorar e controlar a temperatura do papel e ajustar a temperatura do forno quando ocorrem variações.Máquina ou empresa que faz reproduções diretamente a partir de materiais gráficos por processos eletrofotográficos (xerográfico) ou outro método de impressão sem impacto.Dobra orientada em ângulo reto em relação à lombada do livro ou em relação ao sentido das fibras do papel. Controle de temperatura da bobina com infravermelho <infrared web temperature control> . {b} Aumento da viscosidade do veículo de uma tinta causado por polimerização de óleos secativos em altas temperaturas. Termo alternativo: miolo. Computer-to-press . livros. v O papel de impressão contém cerca de 15% a 20% de cinzas (dióxido de titânio. v A temperatura do papel.[1] <copier> . Contaminação da blanqueta <blanket contamination> . <copying press>. devido à rigidez da folha. Contato prematuro <pre-kissing> . que tende a fazer com que o papel acompanhe a blanqueta que contiver a maior área entintada ou cuja tinta apresentar o maior valor de tack.. Chambril Premier 90 g/m² . Ver também: Índice de corpo <bulking index>. que permite reproduzir um arquivo de dados de descrição de páginas diretamente sobre uma chapa de impressão.{a} Espessura de uma resma de papel contendo um número exato de folhas.Sistema eletrônico de editoração acoplado a uma impressora digital. Ver também: Número de corpo <bulking number>. Controle de tensão da bobina <web tension control> .Equipamento de uma impressora rotativa dotado de dispositivos responsáveis pelo controle e pela estabilidade da tensão da tira de papel.[1] <body> . Abreviatura: (CTP). v Nas impressoras rotativas ofsete. e expressa o número de páginas por polegada (ppi) quando multiplicado por 2. Ver também: Direto para a impressora <direct-to-press>. causada pelo tack da tinta. representando o seu conteúdo de carga mineral. <cross direction>. resultando em duplagem. maior o corpo do papel. Ver também: Direto para a chapa <directto-plate>. dotado de um programa de imposição. não deve ser superior a 32°C. Computer-to-print . Concavidade <dishing> . que permite reproduzir um arquivo de dados de descrição de páginas diretamente sobre um suporte de impressão.Operação que consiste em ambientar o papel até que este atinja a condição de equilíbrio de temperatura e umidade relativa com o ar da sala de impressão. geralmente causada por absorção de umidade.Equipamento que faz a contagem de uma pilha de folhas impressas. a consistência. Corda <rope mark> .Acúmulo de partículas provenientes do papel na superfície da blanqueta ofsete. Corpo . submetendo-o a combustão completa a 925°C para eliminar os componentes orgânicos e pesando o resíduo. {c} O inverso da densidade do papel.Equipamento próprio para a reprodução de filmes fotográficos. <against-the-grain>. carbonato de cálcio e outros). que permite reproduzir um arquivo de dados de descrição de páginas diretamente sobre uma chapa de impressão especial. {d}Bloco de folhas ou de cadernos que compõem o miolo de um livro. a determinação é feita pesando-se um corpo de prova. <cross-grain direction>. [2] <bulk> . o papel pode contatar prematuramente a blanqueta devido à vibração da tira entre duas unidades de impressão. {c} Expressão empregada para descrever a viscosidade. Termos alternativos: <across grain direction>. [2] <against grain direction> . Termo alternativo: consistência <consistency>. dotado de um programa de imposição. Conteúdo de cinzas <ash content> .c c Computer-to-plate . a fim deixá-lo em equilíbrio com a temperatura e a umidade relativa da sala de impressão. e corresponde à relação da espessura dividida pela gramatura de uma folha de papel.Condição na qual uma pilha de papel apresenta as bordas mais altas do que o centro. dotado de um programa de imposição.{a} Termo relativo que descreve a consistência de uma tinta ou de um verniz. Termos alternativos: <caliper>. Termo alternativo: <ct-press>. expressa em porcentagem da massa original do corpo de prova. Ver também: Climatização <climatizing>. v [2a] O corpo é importante quando se trata de papéis para impressão de livros. Termo alternativo: <ct-print>.Direção perpendicular ao alinhamento das fibras do papel. como o cartão. causado por variação de espessura localizada e estiramento durante o rebobinamento e a calandragem. <hand>. prejudicando a alimentação da impressora ou da máquina de acabamento. Contador-empilhador <counter-stacker> . Termo alternativo: cordão.Resíduo da combustão completa do papel em temperatura elevada.Operação preliminar à impressão que consiste em expor o papel a uma atmosfera que apresente características adequadas de temperatura e umidade relativa.[1] <across-the-grain> .

Incisão profunda. o número de corrugações por unidade de comprimento e a altura das caneluras. <die sinking>. Corte de fibra <fiber cut> .[1] <corrugated> .Incisão curva e lisa que ocorre no papel em bobina causada por um fio do feltro incorporado ao papel quando este passa através da calandra. permitindo apenas um corte transversal. Corte de cabelo <hair cut>. Termos alternativos: <die cutting>. Mancha de calandra <calender spot>. [3] <skating> . geralmente papel-cartão. Corte de calandra <calender cut>.c c v [2b] O corpo do papel depende de uma série de variáveis do processo de fabricação.{a} Máquina de cortar papel.[1] <die cut> . causada por acúmulo de papel na entrada do nip. folhadeira <roll sheeter>. Estrias de calandra <calenderblackened streaks>. Ver também: Corte de bolha <blister cut>. com padrões diagonais que lembram marcas de pneu ou corda. No segundo. {c} Máquina usada para cortar rolos de papel. empregando facas de aço afiadas e moldes de filetes cortantes incrustados numa placa de madeira. Corte de cabelo <hair cut>. No primeiro caso. Ver também: Corte de cabelo <hair cut>. incluindo a refinação. Termos alternativos: <corrugating material>.[1] <corrugating> .Operação de acabamento que consiste em cortar e vincar um material impresso. Mancha de calandra <calender spot>. em folhas. de acordo com o tipo de papel. Corte de calandra <calender cut>. Corte de cabelo <hair cut> . permitindo simultaneamente cortar parte do papel em um formato e parte em outro. Corte de calandra <calender cut>. a calandragem e a relação entre o conteúdo de fibras e cargas. Corrugação . as folhas são cortadas por facas rotativas. Corte de múltiplas bobinas <multiple-roll sheeting> . muito lisa. em faixas de largura relativamente uniforme em torno da sua circunferência. reta e bem definida. marcas de corrente <chain marks>.Ondulação que ocorre nas camadas superficiais de uma bobina de papel. [2] <diecutting> . utilizado na produção de rótulos. executado numa corrugadeira.[1] <cutter> . as folhas são cortadas por um ou dois facões. Corte de bolha <blister cut> . principalmente quando localizada próximo da borda da bobina e orientada contra as fibras.Incisão que ocorre no papel em bobina. geralmente diagonal à direção de fabricação. Corte de fibra <fiber cut>. Corte-e-vinco . em formatos específicos. Sempre são cortados refilos laterais. Termos alternativos: marcas de corda <rope marks>.Termo genérico que designa os cartões utilizados para conversão em corrugados do miolo das pranchas de papelão ondulado. Estrias de calandra <calenderblackened streaks>. curta. No sentido transversal. Estrias de calandra <calender-blackened streaks>. é chamada dúplex. que é o seu limite de corte. Corte de fibra <fiber cut>. [2] <corrugating medium> .Ver: Papelão ondulado <corrugated paper>. Corte de lâmina <blade cut> . bobinas ou bobinões. Mancha de calandra <calender spot>. etiquetas. Ver também: Corte de bolha <blister cut>.Processo no qual o papel ou o cartão é recortado em formatos específicos. v Os materiais corrugados são classificados por letras: A. Corte de fibra <fiber cut>. [2] <trimmer> . Chambril Premier 90 g/m² .Processo de conversão de uma folha de cartão ou de papel kraft numa folha do miolo da prancha de cartão corrugado. geralmente vários rolos de uma só vez. Ver também: Guilhotina <guillotine cutter>. totalizando um certo número de gramas por metro quadrado. <diecutting>. B.Transformação de bobinas de papel em folhas de formato pré-determinado numa folhadeira alimentada com diversas bobinas simultaneamente. Estrias de calandra <calender-blackened streaks>. diz-se que a cortadeira é simplex.Defeito do papel caracterizado por estriamento que se desenvolve sobre a tela plana. Ver também: Corte de bolha <blister cut>. Termos alternativos: <dead-bed cutter>. paralela à direção das fibras. <fluting medium>.Método de corte do papel em folhas usando uma faca reciprocante. que constitui a faca de corte-e-vinco de uma prensa especial. geralmente causado por uma ruga formada na entrada da calandra ou da supercalandra. paralelas à direção de fabricação. Corte de calandra <calender cut> . Ver também: Corte <sheeting>. C e E. [2] <corrugation> . Corte de cutelo <chop cut> . No sentido longitudinal. Cortadeira .Incisão reta. causada na superfície do papel por uma partícula presa à lâmina durante o processo de revestimento. plissado <accordion pleats>. Corrugado . causada no papel em bobina por um feixe de fibras quando este passa através da calandra. Mancha de calandra <calender spot>. v O corte de fibra pode causar quebra de bobina durante a impressão em máquinas rotativas.Incisão diagonal que ocorre no papel em bobina. <flutting>. causado por irregularidade no fluxo de massa. diagonal à direção de máquina. cartuchos e outros produtos impressos com formatos especiais. empregando facas de aço. a pressão úmida. {b} Lâmina rotatória ou reciprocante utilizada para converter uma bobina de papel em folhas.Aparelho utilizado pelo tipógrafo para cortar entrelinhas e filetes.

mármore etc. por diferença de espessura das folhas. com aquecimento direto ou indireto. ou de avarias causadas durante o trasporte ou manuseio <handling and transit waste>. Ver também: Litografia direta <direct lithography>. porém. Dilatância <dilatancy> . {b} Arrancamento de grandes áreas da superfície de um papel de impressão. {b} Diâmetro do tubete de uma bobina de papel ou de outro suporte. impressos sobre um suporte especialmente preparado. Termos alternativos: dilatabilidade <dilatability>. {b} Método de impressão que permite imprimir duas cores num dos lados do papel. Existem aditivos antidecalque que são incorporados às tintas. Detector de folha dupla <double-sheet detector> . ou de uma dobradeira. particularmente com suportes pesados. por secagem irregular etc. No ponto de desprendimento. numa única unidade de impressão blanqueta-blanqueta. à medida que a pilha é compactada devido ao peso das folhas acumuladas. Termos alternativos: <scaling off>.). que reduzem a tendência ao decalque. Ver também: Revisão batida <collating proofreading> [2] <setoff> .Equipamento que exerce uma ação mecânica sobre a madeira. Termo alternativo: <dilitho>. Chambril Premier 90 g/m² . Diâmetro do tubete <core diameter> . eletrônico. Ver também: Engolfamento <jam>.{a} Diâmetro da circunferência do corpo de um rolo ou de um cilindro. <furnish pulper>. sob condições específicas de temperatura e pressão. fazendo o papel passar entre a chapa e a blanqueta e entre as duas blanquetas ao mesmo tempo. Ver também: Blanqueta de desprendimento rápido <quick release blanket>. ocasionado pela heterogeneidade demasiada entre os materiais que constituem as camadas. {c} Separação parcial ou total das camadas de um laminado. As blanquetas de rápido desprendimento <quick releasing> liberam o papel logo após o ponto de contato entre a blanqueta e o cilindro de contrapressão ou entre as duas blanquetas.D. prensa de polpa <pulp grinder>. repinte <offsetting>. <batch digester>. para o verso de outra folha na pilha de saída de uma impressora.Aparelho que se presta a medir a resistência de um papel à passagem de ar (porosidade) de acordo com o tempo necessário para passar 100 cm3 de ar através de 1 cm2 do papel. a fim de convertê-la em pasta mecânica para a fabricação de papel. v O papel tende a grudar e acompanhar a blanqueta por ação do tack da tinta. imprimindo diretamente sobre o suporte sem o emprego de uma blanqueta. Desfibrador <grinding stone> . {b} Aparelho apropriado para o cozimento da celulose. vidro. onde se coloca o material a ser cozido e os produtos químicos. Termo alternativo: decalcomania. triturador. Abreviatura: (I. ou pó borrifado sobre as folhas. espessímetro <thickness gauge>. moedor de polpa. causado por ação do tack das tintas ou por deficiência de ligação interna do suporte. em presença de produtos químicos.{a} Vaso no qual os cavacos de madeira e outros materiais fibrosos são cozidos. <sheet delamination>. o papel sofre uma brusca inflexão. Termos alternativos: blocagem <blocking>. Delaminação . se isso não ocorrer.{a}Separação entre a camada superficial do papel e a do papel-base. Densômetro Gurley <Gurley densometer> . cuja função é interromper a alimentação quando a unidade de separação de folhas deixar passar duas ou mais folhas simultaneamente. forma-se um colchão de ar que as mantém flutuando por um período de tempo suficiente para que a tinta assente no papel. O efeito é mais intenso quanto maior for o tack da tinta. [3] <ply separation> . v {b} A chapa que contata diretamente o papel deve ser copiada com a imagem ilegível. Decalque . detector de folha extra <extra-sheet detector>. Desprendimento <release> .Defeito do cartão de tina caracterizado pela separação localizada entre as camadas.Característica de uma blanqueta ofsete de liberar prontamente o papel após a passagem pelo ponto de impressão. Termos alternativos: cálibre de duas folhas <two-sheet caliper>. digestor de celulose <cellulose digester>. para liberar as fibras de celulose no processo de produção de polpa química. fotoelétrico ou ultra-sônico localizado na entrada da mesa de margeação de uma impressora ofsete plana. quando as folhas impressas são empilhadas na mesa de entrega de uma impressora ofsete plana. a tinta cantata e transfere-se parcialmente para o verso da folha sobreposta. Termo alternativo: <splits>. {b} Propriedade de uma tinta de impressão e de outros fluidos de aumentar a sua viscosidade aparente como aumento da tensão de cisalhamento. sobra ou manta de bobina.). cozinhador <boiler>. o contrário de tixotropia.Operação de remoção dos cadernos que embolaram na dobradeira de uma impressora rotativa. formando um ângulo agudo que pode causar arrancamento e encanoamento. Termos alternativos: <defibrator>. o papel tende a acompanhar as duas blanquetas ao mesmo tempo. sob pressão e calor. maculatura. utilizado na decoração de porcelana. Ver também: Tixotropia <thixotropy>. [4] <splitting> . constituindo o que se chama de falso corpo. <kneader>. estacionário ou rotativo. <ink setoff>.d d D Dailito <di-litho> .{a} Processo de impressão que utiliza uma chapa ofsete numa impressora tipográfica. ainda úmida. podendo sofrer delaminação e ocasionar a vibração da tira e conseqüente duplagem.D.{a} Fenômeno de aumento da viscosidade da tinta cuchê como aumento da taxa de cisalhamento aplicada. geralmente em forma de V. Abreviatura: (O.Separação entre as folhas que compõem um cartão multicamadas.{a} Processo de transferência de desenhos ou ilustrações. Diâmetro interno <inside diameter> . Termos alternativos: plágio. {b} Desprendimento do plástico aplicado à superfície de um suporte impresso em processos de plastificação ou laminação. Nas impressoras rotativas. causada por ação do tack da tinta de impressão ou pela pegajosidade da superfície da blanqueta ofsete.Medida interna do eixo de uma bobina de papel ou outro suporte de impressão. responsável pela ocorrência de estrias e riscos de faca no revestimento do papel.Transferência indesejável da tinta recém-impressa.{a} Diâmetro da parte interna do corpo de um rolo ou de um cilindro. para outras superfícies. <offset> <erroneamente empregado>.[1] <blowing> . Desengolfamento <unjamming> . Diâmetro externo <outside diameter> . [2] <delamination> . A curva de compensação de ganho-de-ponto deve considerar um ganho 10% superior ao normal.Refugo de produção classificado de acordo com o tipo em: apara branca <white waste> proveniente de toco. <surface peeling>. Desperdício de papel <paper waste> .{a} Separação das camadas de um papel ou cartão multicamadas. podem causar outros problemas. Digestor <digester> . detector de duas folhas <two-sheet detector>. {b }Diâmetro da circunferência de uma bobina de papel. <shear thickening>. madeira. Ver também: Porosímetro <porosimeter>. {b} Cópia de um desenho feita em papel transparente colocado sobre o original. Ver também: Força de ligação <bonding strength>. e apara impressa <printed waste> proveniente do acerto <makeready waste> ou do virando <running waste>.{a}Dispositivo mecânico. Termos alternativos: autoclave. moinho de pasta <pulp mill>. <tracing>. v [2] O decalque geralmente ocorre por inadequação da tinta ao papel.[1] <decal> . o risco aumenta quanto ocorre acúmulo de eletricidade estática.

d d
Dímero alquil ceteno <alkyl ketene dimer> - Molécula complexa obtida da mistura de ácidos palmítico e esteárico, que reage parcialmente com os grupos hidroxil celulose enquanto deixa os grupos hidrófobos na superfície das fibras de celulose, tornando-as resistentes à penetração de líquidos polares, como a água e o álcool, utilizada na forma de dispersão aquosa catiônica como agente de colagem na fabricação de papéis alcalinos. Abreviatura: (AKD). Ver também: Anidrido do ácido alquenil succínico <alkenyl succinic acid anhydride>. Dióxido de titânio <titanium dioxide> - {a} Pigmento inorgânico (óxido do metal titânio), opaco, muito branco, utilizado na composição do revestimento de certos tipos de papel, para aumentar a brancura e a opacidade. {b} Pigmento branco opaco utilizado na formulação de bases para impressão de embalagens flexíveis e metálicas. Direção de fibra <grain direction> - Sentido de orientação das fibras do papel, paralelo à direção de fabricação. Termo alternativo: direção de máquina <machine direction>. Ver também: Direção contrafibra <cross-direction>. v Na impressão, diz-se que o papel tem as fibras do lado maior <grain-long> se a direção das fibras for paralela à maior dimensão da folha; o papel é dito ter fibra curta <grain-short> se estas forem paralelas à menor dimensão da folha. Na impressão ofsete plana, as folhas devem ser alimentadas com o sentido de fibras paralelo aos cilindros da impressora, a fim de evitar problemas incontroláveis de fora-de-registro. Na encadernação, a direção das fibras das páginas dos cadernos e da capa deve ser paralela à lombada do livro, a fim de evitar a deformação do produto e garantir que o livro permaneça plano quando aberto. Disco de bobina - [1] <butt roll> - Bobina estreita que sobra das extremidades do rolo-mãe, descartada quando o pedido não completa a largura <trim> da máquina de papel. Termos alternativos: cabeça de bobina; queijo. [2] <siderun> - Bobina estreita cuja largura difere das demais bobinas cortadas do rolo-jumbo. Dobra - [1] <fold> - Vinco formado numa folha de papel por processos manuais ou mecânicos. [2] <folding> - Processo de transformação de uma folha impressa num caderno. [3] <sheet room> - Seção de acabamento onde é realizada a dobragem das folhas em cadernos. Dobradeira <folder> - {a} Máquina de acabamento dotada de facas e roletes que realizam a dobragem de folhas impressas conforme as especificações do produto. Termo alternativo: dobradeira de papel <paper folder>. {b} Sistema acoplado a uma impressora rotativa que corta e dobra a bobina impressa, produzindo cadernos prontos para a encadernação. Termo alternativo: <folding machine> Dobradeira de tiras <ribbon folder> - Dobradeira de uma impressora rotativa ofsete que corta a bobina de papel, no sentido longitudinal, em tiras de largura adequada ao formato do produto. As tiras passam através de um conjunto de barras angulares (diagonais) e são intercaladas e alinhadas antes de entrarem na seção de dobra de morcete. As tiras são cortadas no sentido transversal e saem da impressora sob forma de cadernos. Termo alternativo: <angle-bar folder>. Ver também: Barra angular <angle bar>. v Alguns acessórios que executam a colagem, o vinco, a serrilha, a grampeação etc., podem ser acoplados a uma dobradeira de tiras, a fim de complementar as operações de acabamento. Dry-back - [1] <dryback> - Fenômeno que se manifesta pela mudança de cor, brilho ou densidade de um filme de tinta, logo após a impressão, durante a fase de assentamento da tinta no papel. [2] <ink dry back> - Perda de densidade óptica, cor e brilho que pode ocorrer devido à penetração da tinta no papel. Termo alternativo: <gloss-back>. v Os suportes de impressão porosos imobilizam parcialmente o filme de tinta impresso por meio da absorção dos constituintes mais fluidos do veículo da tinta. As partículas de pigmento mais finas são parcialmente arrastadas pelo veículo da tinta para o interior do papel; portanto, para se obter a densidade "seca" correta, a tinta deve ser impressa com uma densidade "úmida" ligeiramente mais elevada. O dryback pode ser avaliado a partir de medições densitométricas de uma tira de controle feitas a intervalos regulares após a impressão. Dupla-face - [1] <flip-top> - Tipo de prensa de contato dotada de dois chassis, permitindo a montagem de uma chapa ou filme enquanto outra está sendo exposta; após a cópia, o chassis é girado 180° para iniciar um novo ciclo de cópia. [2] <twosidedness> - Característica de alguns papéis que apresentam diferença apreciável de textura, aparência, cor ou printabilidade entre as duas faces da folha: tela e feltro. Duplagem <doubling> - Defeito de impressão que se manifesta na forma de um segundo ponto impresso com menor densidade (fantasma) e ligeiramente fora-deregistro em relação ao ponto primário de uma retícula de meio-tom. Termos alternativos: <dot doubling>; dublagem; <duplation>; ponto duplo. v A duplagem é um problema complexo que pode ter diferentes causas: {a} o suporte contata prematuramente a blanqueta ofsete antes do ponto de impressão; {b} a tinta impressa na primeira unidade de impressão é parcialmente transferida para a blanqueta da segunda unidade e, ao rebater na próxima folha, é impressa forade-registro em relação à impressão da primeira unidade; {c} a blanqueta ofsete está frouxa e desliza sobre a superfície do cilindro; {d} desgaste mecânico causando imprecisão durante o transporte da folha através da impressora; {e} o papel desliza nas pinças do cilindro de contrapressão; {f} a tira de papel desloca-se lateralmente numa impressora rotativa ofsete; {g} o papel sofre variação dimensional diferente de folha para folha devido à umidade absorvida durante a impressão; e outros. Dúplex <duplex> - {a} Método de reprodução de ilustrações que emprega duas chapas de meio-tom, geralmente uma para a impressão do preto e a segunda para a impressão de outra cor. {b} Impressora reversível que imprime os dois lados do papel numa única passada. Ver também: Simplex <simplex>. {c} Unidade de impressão dupla, ou dois em um. {d} Impressora perfecting que imprime os dois lados do suporte num a única passada. {e} Papel impresso com uma cor diferente de cada lado. {f} Termo tipográfico empregado para descrever um método de simplificar a determinação da largura de um caractere. {g} Matriz de uma compositora linotipo constituída de dois moldes de tipo integrados na mesma peça de latão. Termos alternativos: matriz dúplex; <twofold>. {h} Papel ou cartão que apresenta diferentes cores, acabamentos ou composições nos dois lados. Termo alternativo: <two-layer>. Ver também: Papel dúplex <duplex paper>. {i} Canal de comunicação que permite a transmissão de dados simultâneos em ambas direções. Termo alternativo: canal dúplex <duplex channel>. Durômetro de bobina <roll hardness tester> - Equipamento utilizado para medir o grau de tensão de bobinamento de papéis ou a firmeza com que uma bobina de papel foi enrolada.

Chambril Premier 90 g/m²

e e E
Efeito mola <springback> - Tendência do papel ou do cartão de retornar à sua condição plana após ter sido dobrado. Eficiência da superfície do papel <paper surface efficiency> - Medida da printabilidade de um papel. Ver também: Printabilidade <printability>. Eixo da bobina - [1] <coreshaft> - Cilindro metálico dotado de dispositivos pneuméticos que prendem o tubete da bobina de papel e a sustenta no porta-bobinas das impressoras rotativas. Termo alternativo: <air shaft>. [2] <paper roll chuck> - Eixo que suporta a bobina de papel no mecanismo de alimentação de uma impressora rotativa, dotado de mandris que evitam o seu deslocamento lateral. Termos alternativos: <airless shaft>; <roll shaft>. Eletricidade estática <static electricity> - Acúmulo de elétrons em materiais dielétricos, como o papel, quando sujeitos à fricção, à pressão ou à separação repentina, entre duas superfícies, dificultando a separação entre as folhas e a sua movimentação através da impressora. Ver também: Barra antiestática <antistatic device>. v O acúmulo de carga eletrostática no papel é favorecido quando a umidade do papel e a umidade relativa do ambiente da sala de impressão estão em níveis muito baixos; quando o papel sofre ressecamento ao passar através do forno de uma impressora rotativa ofsete, ou quando a umidade relativa do ar cai abaixo de 30% , a situação torna-se crítica; os principais problemas compreendem: {a} alimentação de duas ou mais folhas devido à atração entre elas; {b} desuniformidade na arrumação da pilha de entrega devido à atração entre as folhas ou devido à repulsão entre as páginas dos cadernos; {c} decalque causado por atração entre as folhas; {d} risco de incêndio na impressão rotogravura devido à descarga de centelha entre duas fitas paralelas de papel passando próximas entre si; {e} alimentação deficiente de folhas e cadernos nas máquinas de acabamento. v A carga eletrostática do papel pode ser dissipada por meio de barras antiestáticas instaladas próxima à mesa de alimentação de uma impressora ofsete plana ou de uma dobradeira, ou pela reumidificação do papel quando este atravessa o dispositivo aplicador de silicone de uma impressora rotativa, ou ainda pela reumidificação do ar da sala de impressão empregando um vaporizador. Eliminador de estática <static eliminator> - {a} Substância química ou dispositivo elétrico que dissipa o acúmulo de eletricidade estática da superfície de filmes, de papéis fotográficos, de papel-pigmento etc., a fim de evitar o acúmulo de pó na superfície desses materiais durante o processamento. Termo alternativo: neutralizador de estática <film static neutralizer>. {b} Dispositivo adaptado a uma impressora ou a uma máquina de acabamento, a fim de reduzir a quantidade de eletricidade estática que se desenvolve devido à baixa umidade relativa e ao atrito do papel com superfícies metálicas, os quais podem causar problemas de alimentação do papel e decalque da tinta. Termos alternativos: dispositivo antiestática <antistatic device>; neutralizador de estática <static neutralizer>. Ver também: Barra antiestática <antistatic device>; Eletricidade estática <static electricity>. Eliminador de pó <web cleaning equipment> - Dispositivo dotado de uma escova e de um sistema de vácuo, localizado no setor de alimentação de uma impressora rotativa, cuja função é aspirar as partículas soltas na superfície do papel. Embolsamento <embossing> - Efeito indesejável de alto-relevo que acontece na impressão ofsete ao imprimir motivos que se repetem periodicamente numa folha de papel, tais como rótulos, etiquetas etc., causado pelo tack das tintas, durante o desprendimento do papel da blanqueta. Termos alternativos: bossagem; <relief images>; <waffling>. Emenda - [1] <butt> - Porção de uma bobina de papel que não pode ser utilizada. [2] <butt splice> - Junção das extremidades de dois materiais, como duas bobinas de papel. [3] <emendation> - {a} Erro indicado na prova pelo revisor. {b} Correção de erros de um arquivo digital ou de uma matriz tipográfica de acordo com as marcações assinaladas na prova pelo revisor. Termos alternativos: <amend>; <amendment>; correção <correction>; <proofreader's correction>; <redress>. [4] <paster> - Caderno ou parte de uma bobina de papel rejeitada por conter uma emenda de fábrica. [5] <revise> - Instruções ou material necessário para fazer uma alteração no texto de uma composição. [6] <splice> {a} Ponto no qual duas bobinas de papel se juntam para formar um único rolo. {b} Junção das extremidades de duas fitas de papel ou de outro suporte de impressão. v [6] A emenda das bobinas pode ser feita com cola ou com fita adesiva dupla-face. Emenda de fábrica <mill splice> - Emenda feita numa bobina de papel pelo próprio fabricante. v Existe, na indústria gráfica, um certo nível de tolerância com respeito ao número máximo de emendas por lote de bobinas, uma vez que essas podem causar quebras e aumentar o desperdício de papel durante a produção; na maioria dos países, admitem-se 2 emendas em 100 bobinas, ou seja, 2%. Emenda defeituosa <bad splice> - {a} Deficiência de colagem entre duas bobinas, que pode originar quebras e, conseqüentemente, desperdício elevado de papel. {b} Falha no processo de colagem de uma bobina, durante a operação de rebobinamento, causada por deficiência da fita adesiva, por falta de paralelismo entre as tiras, rugas ou outro motivo operacional. Termos alternativos: <defective mill splice>; <mis-splice>. Emendador de bobinas <splicer> - Dispositivo do sistema de alimentação de impressoras rotativas onde se faz a emenda de uma nova bobina àquela que está sendo consumida. Termos alternativos: colador; desbobinador <paper unwind stand>. Ver também: Porta-bobinas <roll stand>. Emendador de dois braços <two-arm splicer> - Tipo de emendador de bobinas de impressoras rotativas dotado de um suporte móvel que pode comportar duas bobinas de papel ou de outro suporte. Termo alternativo: <two-arm paster>. Emendador de três braços <three-arm splicer> - Ver: Emendador tipo estrela <three-arm paster>. Emendador dinâmico <flying paster> - Dispositivo automático, localizado na seção de alimentação de uma impressora rotativa, que permite emendar uma nova bobina à bobina que está sendo impressa sem parar a impressora; a bobina a ser emendada é rotacionada até que a sua velocidade superficial se iguale à velocidade da bobina que está sendo impressa, para então processar a emenda. Termos alternativos: <flying splicer>; <flying splice unwinder>. Ver também: Emendador estacionário <zero-speed splicer>. Emendador estacionário <zero-speed splicer> - Dispositivo automático, localizado na seção de alimentação de uma impressora rotativa, que permite emendar uma nova bobina àquela que está sendo impressa sem parar a impressora. Ver também: Emendador dinâmico <flying paster>; Festão <festoon>. v Nesse tipo de aparelho, a nova bobina mantém-se parada durante o ciclo de emenda, e só depois é acelerada. Enquanto isso, a impressora é alimentada a partir do papel acumulado num festão. Emendador tipo estrela <three-arm paster> - Dispositivo automático dotado de três braços dispostos a 120°, localizado na seção de alimentação de uma impressora rotativa, que comporta a bobina de papel (ou de outro suporte) e permite executar a emenda sem ter que parar a impressora. Termo alternativo: emendador de três braços <three-arm splicer>.

Chambril Premier 90 g/m²

e e
v Este tipo de aparelho é dinâmico, ou seja, a nova bobina é acelerada por correias até alcançar a velocidade da impressora, antes da colagem.
Empilhadeira <stacker> - Máquina destinada a transportar e a arrumar as resmas ou as bobinas de papel no armazém onde o papel é estocado, assim como movimentar os estrados de folhas ou de cadernos impressos do setor de impressão para os setores de acabamento. Termo alternativo: <stacher>. Empilhadeira de braçadeira <clamp tractor> - Tipo de empilhadeira, dotada de uma espécie de grampo de aperto, utilizada para transportar bobinas. Termos alternativos: <clamp truck>; empilhadeira de bobinas. Ver também: Marcas de braçadeira <clamp marks>. v Uma válvula regulável permite ajustar a pressão da braçadeira de acordo com o peso da bobina, reduzindo o risco de ocorrer amassamento e ovalização. Empilhadeira de garfo <fork-lift truck> - Equipamento dotado de duas hastes reguláveis, empregado no transporte de papel e de outros produtos. Termo alternativo: <fork tractor>. v Este tipo de empilhadeira não é adequado para o transporte de bobinas, a menos que estejam arrumadas em estrados. Encadernação <binding> - {a} Processo ou arte de encadernar livros. {b} Junção das páginas de um produto impresso pelo emprego de determinadas operações, tais como: grampeação, colagem, costura etc. {c} Método de acabamento de livros que consiste em colecionar e fixar as folhas com grampos, pentes, espiral, linha, adesivo etc. {d} Termo genérico empregado para descrever todas as operações de acabamento de um livro. Termo alternativo: <bookbinding>. v A encadernação substitui a capa simples das brochuras por uma capa cartonada que adere mais solidamente aos cadernos do miolo e apresenta maior resistência ao uso. A capa dura leva, eventualmente, um revestimento de tecido, de couro ou de papel especial colado numa armadura de papelão, composta de dois retângulos ou pastas de espessura variável, conforme as dimensões e o peso do volume; tais retângulos são ligeiramente maiores do que o miolo, ultrapassando-o em 3 mm na cabeça e no pé, e em 5 mm no lado oposto à lombada para formar as seixas. A lombada deve ser suficientemente flexível para moldar-se à forma e às dimensões do bloco de cadernos. v Há quatro processos básicos de encadernação conhecidos por: encadernação sem costura <perfect binding>, encadernação com grampo a cavalo <saddle-stitch binding> ou encadernação com grampo lateral <side-wire stitching>, costura <thread sewing> e encadernação mecânica <mechanical binding>. Encadernação com adesivo - [1] <adhesive binding> - Método de acabamento que consiste em aplicar cola fria ou hot-melt na lombada fresada ou lixada dos cadernos ou nas bordas das folhas impressas; a capa do livro ou da revista, composta de uma única peça, é aplicada diretamente sobre o adesivo ainda pegajoso. Termos alternativos: encadernação arráfica; encadernação patente; encadernação sem costura <perfect binding>. Ver também: Encadernação em lombada quadrada <square back binding>. [2] <burst binding> - Método de encadernação que consiste em perfurar o papel, durante a impressão em máquina rotativa, para produzir pequenos cortes na lombada dos cadernos, de modo que a cola possa penetrar através dos furos e atingir todas as páginas do caderno durante a encadernação. [3] <double-fan binding> - Método de encadernação que consiste em colecionar um bloco de folhas soltas ou cadernos de quatro páginas, fixar o bloco pelo centro, flexionar as folhas formando um plano inclinado e aplicar cola à lombada, em duas direções, cujo resultado é um volume que se mantém plano quando aberto. [4] <notch binding> - Processo de encadernação que consiste em serrilhar a lombada dos cadernos com cortes denteados e preenchê-los com adesivo, a fim de prender as folhas do livro ou da revista. [5] <slot binding> - Método de encadernação que consiste em puncionar pequenos cortes retangulares na lombada dos cadernos, a fim de aumentar a área de contato com o adesivo. Encanoamento - [1] <back-edge curl> - Curvatura que se desenvolve na borda de uma folha impressa, pelo processo ofsete, por causa da impressão de elevada carga de tinta próxima da contrapinça, ou em razão do excesso de solução de molhagem absorvida pelo papel. Termo alternativo: <tail-endhook>. Ver também: Desencanoador de folha <sheet decurler>. [2] <curl> - {a} Distorção causada por diferenças estruturais dos lados tela e feltro de uma folha de papel ou de papelcartão. {b} Ondulação irregular das bordas de uma folha de papel causada pelo diferencial de umidade relativa existente entre o papel e o ar da sala de impressão. Termo alternativo: <CD curl>. [3] <curling> - Condição na qual a capa de um livro enverga após a secagem do adesivo. [4] <roll-set curl> - Curvatura permanente do papel, no sentido perpendicular à direção das fibras, adquirida quando uma bobina é estocada durante um longo período de tempo. Termos alternativos: <core curl>; <reel curl>; <roll curl>; <roll set>; <wrap curl>. v [2] O encanoamento desenvolve-se quando os dois lados do papel apresentam diferenças estruturais, isto é, diferentes orientações de fibra, conteúdos de cargas ou de finos, composições químicas ou diferença de umectação ou calor. Isto faz com que o papel se contraia ou se expanda de formas diferentes. v [4] O encanoamento geralmente se desenvolve em folhas de cartão cortadas das regiões próximas ao tubete da bobina. Encanoamento estrutural <structural curl> - Curvatura resultante de diferenças estruturais entre os lados tela e feltro de uma folha de papel. Encanoamento viscoelástico <viscoelastic curl> - Curvatura que se desenvolve quando o papel ou o cartão é bobinado com excesso de tensão, próximo do tubete, adquirindo uma deformação permanente. v Existem equipamentos chamados desencanoadores <curl breakers> que, instalados nas impressoras, eliminam a curvatura do papel antes da impressão. Encavografia <intaglio printing> - Termo genérico associado a qualquer processo de impressão cujo grafismo é gravado ou escavado na superfície de uma chapa ou de um cilindro metálico de modo que, quando entintado e raspado com uma lâmina para remover o excesso, a tinta permaneça no recesso e seja transferida para o suporte, tal como na rotogravura e no talho-doce. Termo alternativo: em cavado. Encolhimento - [1] <creep> - Variação dimensional do papel após sofrer deformação elástica, instantânea ou retardada, recuperando parcialmente a sua dimensão original quando a força que o mantinha tracionado é cessada; também conhecido como fluxo a frio <cold flow>. [2] <shrinkage> - {a} Retração sofrida por um papel exposto em ambiente mais seco devida à perda de umidade para o ar ambiente. {b} Retração da capa de um livro ou de uma revista em relação ao miolo devida a variações de umidade relativa ou a diferenças estruturais entre os papéis da capa e do miolo. Termo alternativo: retração. {c} Redução da largura da tira de papel ao passar da seção úmida para a seção seca da máquina fabricadora, dependendo da gramatura, do grau de refinação, do tipo de fibra e da tensão da folha. {d} Redução das dimensões do papel expressa em porcentagem das dimensões originais. Enfardadeira <baling press> - Prensa que faz o empacotamento e a amarração das aparas de papel. Termo alternativo: <baling machine>. Enrugamento - [1] <crazing> - {a} Defeito de impressão caracterizado por irregularidades, na superfície do filme de tinta, causadas por contração em razão da evaporação muito rápida do solvente. {b} Encolhimento irregular de um filme de óleo de tungue sob certas condições de secagem. Termos alternativos: <checking>; <gas crazing>. [2] <lifting> - Defeito que ocorre na impressão serigráfica caracterizado por irregularidades no filme de tinta impresso causadas por penetração da segunda tinta na primeira. v [1a] O enrugamento ocorre principalmente na impressão de suportes plásticos sensíveis aos solventes das tintas, mas pode ocorrer também em virtude da formulação incorreta da resina da tinta.

Chambril Premier 90 g/m²

pichasso. Ver também: Marca d'água <watermark>. [4] <swell> . groexpansividade <hygroexpansivity>. Para evitar troca de umidade com o ambiente. Ver também: Baliza <guide>. Termo alternativo: relevo seco. que completa ou substitui uma impressão propriamente dita. comprometendo o registro de cores. o método a úmido é o que mais se aproxima da condição natural.Termo que descreve a precisão de corte do papel. Espessura . servindo-se de prensas especiais que utilizam matrizes macho e fêmea pressionadas contra o suporte. A estabilidade dimensional do papel pode ser avaliada com um expansímetro. que pressionam o suporte para produzir relevo nas áreas entintadas. Termo alternativo: <movable back gage>. <waffling>.[1] <bulk> . empregado na decoração da capa ou da lombada de um livro encadernado. pintado ou não. a estampa pode ser feita com tinta ou com laminado metálico. por meio de punção quente.Ato ou efeito de estampar.{a} Deterioração das propriedades do papel com o tempo. O valor de espessura do papel é utilizado para acertar a pressão do cilindro de contrapressão de uma impressora ofsete.Diz-se de um papel que recebeu marca d'água por meio de uma chapa de metal ou de borracha. [2] <die-stamping> . num ponto da máquina de papel onde a folha contém umidade suficiente para tornar-se plástica. e pela medição da perda de resistência.). {b} Alteração de cor. de corte etc. Termos alternativos: <alfa>.{a} Processo de acabamento que emprega chapas de latão ou de outro metal para estampar a capa de livros. em capas de livros e revistas. Impressão em relevo <embossing>. Fantasma mecânico <mechanical ghosting>. seu diâmetro expande e o papel sofre dilatação. Termo alternativo: <ageing>. ou pelo método a úmido <moist method>. Esquadrado <squared> . Visto que as fibras de celulose fazem o papel deteriorar mais rapidamente em presença de água. Termos alternativos: estampagem da blanqueta <blanket embossing>. {c} Efeito indesejável de alto-relevo que acontece na impressão ofsete quando se imprimem motivos que se repetem periodicamente numa folha de papel. as bordas do papel tornam-se onduladas e pode ocorrer a formação de rugas próximo da contrapinça das folhas. Ver também: Micrômetro <micrometer>. Termo alternativo: bater esquadro. Ver também: Blanqueta gravada <engraved blanket>. predominantemente no sentido perpendicular à direção das fibras. selos etc. sem alterar as suas dimensões originais. causado durante o desprendimento do papel da blanqueta. Estabilidade dimensional <dimensional stability> . Ver também: Amarelamento <yellowing>. {b} Método de avaliação antecipada das características de solidez de uma tinta pela exposição em ambiente controlado. Guia <landmark>. utilizando prensas especiais ou máquinas tipográficas adaptadas para estampagem a quente.[1] <back gage> . Ao ganhar umidade. quando feita sem tinta recebe o nome de estampa cega <blind stamp>. <Spanish grass>. timbragem.{a}Método de avaliação antecipada das características de permanência de um papel pela exposição em ambiente controlado.Processo de acabamento que emprega moldes de aço ou de latão gravados. {b} Processo a entalho que consiste em pressionar o papel ou o cartão com moldes de aço ou de cobre. etiquetas. [3] <embossing> {a} Impressão de textos e de desenhos sobre diversos suportes empregando anilinas e pressão. de estrutura. de brilho ou de outra propriedade de um produto impresso. de suportes diversos por meio de moldes. [3] <squareness> .{a} Acertar o esquadro ou empilhar as folhas de papel de modo que suas bordas fiquem em ângulo reto. impressão a seco <dry printing>. [4] <stamping> . e é avaliada segundo a redução de suas propriedades de resistência (rasgo. [2] <fading> . Ver também: Permanência <permanence>. para garantir que as folhas apresentem lados retos e em ângulo reto. Estampado em máquina <machine imprinted> . {b} Cortado em ângulo reto. {b} Dispositivo localizado próximo à mesa de alimentação de uma impressora ofsete plana.{a} Instrumento empregado para medir a espessura de chapas. de blanquetas e de folhas de papel de calço durante o processo de acerto das alturas das chapas e das blanquetas ofsete em relação às guias dos respectivos cilindros.Distância vertical entre os dois lados de uma folha de papel. Cores fugitivas <fugitive colors>. <esparto grass>. Ver também: Permanência <permanence>. utilizada como fonte de fibras de celulose para a fabricação de papel de livro. empregado na impressão de cartões. aplicadas durante os processos de impressão e acabamento. a fim de evitar a alimentação de mais de uma folha. as bordas do papel tornam-se retesadas e pode ocorrer rugas próximo do centro das folhas.{a} O mesmo que corpo de um livro. de compressão e de umidade relativa. {e} Processo de decoração por pressão. o papel deve ser mantido embalado até o momento de entrar em máquina. Esparto <esparto> .Barra móvel da guilhotina de cortar papel. assim como entre uma entrada e outra. dobra etc. Termos alternativos: <edge cutter>.{a} Extensão na qual um papel é capaz de manter as suas dimensões originais quando sujeito a condições variáveis de temperatura. {b} Relevo. [2] <guide> . v Quando as fibras de celulose absorvem umidade. Esguicho <squirt> . numa prensa especial.{a} Processo de impressão em baixo-relevo.e e Envelhecimento . regulado segundo a espessura do papel.{a} Alteração da força ou da cor de um impresso por ação da exposição à luz.Termo que descreve a grossura precisa da lombada de um livro.[1] <aging> . {d} Processo de gravação de uma imagem em relevo sobre uma superfície impressa.[1] <bulker> . Ver também: Gravação a seco <dry-stamping>. Estampagem . {c} Processo que emprega folhas metalizadas ou coloridas para imprimir textos ou desenhos.Espécie de gramínea de fibra curta. {b} Distância vertical do corte de um livro. Termos alternativos: <copper engraving>.O mesmo que baliza.Distância vertical entre os dois lados de uma folha de cartão. o contrário ocorre quando o papel perde umidade para o ambiente da sala de impressão. [2] <thickness gauge> . em altas temperaturas. durante um certo período de tempo. <trim jet>. {b} Grau no qual um papel resiste às variações de umidade e de tensão.[1] <die embossing> . expressa em milésimos de milímetro ou de polegada. em alto ou baixo-relevo.. ao calor ou outras influências. para estampar o papel ou o cartão com desenhos em relevo. avaliado pela perda de resistência e pela reversão de alvura. {b} Inchamento localizado da superfície de uma blanqueta ofsete causado por absorção dos solventes da tinta de impressão. [3] <thickness> . {c} Saco de papel que assume a forma de um paralelepípedo quando aberto. Espessímetro . Esquadro . {b} Mudança gradual da cor do papel causada pela luz. medida com micrômetro. Ver também: Encolhimento <creep>. a quente ou a frio. Ver também: Detector de folha dupla <double-sheet detector>. Esquadrar <to square> . que cresce no norte da África e na Espanha. uma tinta ou um papel ao longo do tempo. durante um período especificado. tais como: rótulos. de dobra.Jato d'água que refila as bordas do papel nas extremidades da tela da máquina fabricadora. ao perder umidade. Envelhecimento acelerado <accelerated aging> . v {a} O envelhecimento de um papel pode ser estimado pelo método a seco <dry method>. Termo alternativo: <hot stamping>. <steel engraving>. {b} Cortar as folhas de papel a ser impressas em ângulo reto. incluindo a capa. [5] <swagging> . <trim squirt>. no qual uma amostra é colocada num forno a 105°C. Termo alternativo: esquadriado. <squirt trimmer>. Termos alternativos: bossagem.{a} Diz-se de um papel cujas folhas foram refiladas para garantir ângulos retos. em prensas especiais. [2] <ply> . {d} Riscado em quadrinhos. v [3c] O papel tente a colar na superfície da blanqueta ofsete devido à ação do tack Chambril Premier 90 g/m² . <squirt jet>. <waffling>. <relief images>. no qual a amostra é submetida a 90°C e 25% de umidade relativa. <esparto needlegrass>. Termo alternativo: <caliper>. Termos alternativos: gofragem <embossing>.Instrumento empregado para verificar a espessura de papéis de impressão. sob condições especificadas.

selos. Termo alternativo: <blinding in>.Rompimento do papel causado por ar aprisionado entre duas camadas de uma bobina durante o bobinamento. isso pode ser compensado pela instalação de reumidificadores entre as unidades de impressão. num aparelho especial. <hot-foil blocking>. na direção paralela ao sentido de fibra. Ver também: Abertura em leque da bobina <fanning-out of web>.Ruptura do papel causada por formação de rugas no sentido longitudinal. Estiramento a úmido <damping stretch> .. é repuxado e deforma-se nas áreas entintadas. transferindo a imagem apenas nas áreas correspondentes ao alto-relevo da matriz. quebra.Acúmulo de carga elétrica na superfície de um material isolante ou semicondutor. {b} Ruptura de uma bobina de papel causada por tensão excessiva. principalmente quando o conteúdo de umidade do papel e a umidade relativa do ambiente são muito baixos (30% ou menos).Alongamento reversível correspondente ao ponto de ruptura do papel. Ver também: Marcas d'água <wash marks>. a frio. como na rotogravura. [3] <blind tooling> . esse efeito é mais pronunciado na impressão de motivos que se repetem na folha.Defeito do papel caracterizado por listras finas. v {a} O processo hot-stamping é muito utilizado para decorar embalagens e imprimir títulos em capas de livros e de revistas. [2] <stretching> .Defeito caracterizado por listras escuras na superfície de um papel. como rótulos.e e da tinta de impressão.Medida da resistência do papel à ruptura provocada pela pressão aplicada em uma de suas faces. freqüentemente utilizada para quebrar o padrão de acabamento do material de revestimento antes da estampagem com tinta ou com laminado metálico.[1] <blind embossing> . {b} Processo de estampagem de alguns tipos de plástico como emprego de calor. Estampagem a quente <hot stamping> . Estrago <spoilage> . a superfície da blanqueta [3b] também está sujeita a esse efeito.Condição que resulta quando o papel é submetido a uma força de tração próxima do ponto de ruptura. segundo método determinado. v O acúmulo de carga eletrostática ocorre por atrito do papel com as partes metálicas da impressora (barras angulares. causadas por algum desajuste do sistema de impressão. [3] <caliper shear burst> . Termo alternativo: alongamento <elongation>. [2] <burst> . [2] <striation> .Marcas que aparecem numa folha impressa. o papel perde parte de sua umidade original e sofre uma contração proporcional à quantidade de umidade evaporada. Mancha de calandra <calender spot>. Estrias verticais <vertical streaks>. Termos alternativos: blackening>. em prata ou em outras cores.Defeito do papel caracterizado por faixas mais claras que aparecem no sentido das fibras quando a folha é observada contra a luz. que consiste em gravar ou pressionar um molde em relevo contra um suporte. <leaf stamping>.[1] <stretch> . Estática <static> . Ver também: Desperdício <waste>.[1] <air shear burst> .Defeito de impressão caracterizado por estrias finas e paralelas. de modo semelhante. Corte de fibra <fiber cut>. Termo alternativo: <blanking>. imprevisível porém evitável visto ser causada por descuido. <calenderblackened spots>.Variação dimensional do papel quando sujeito a um ambiente úmido. [2] <blind-stamping> Impressão feita na capa de um livro. no teste de tração. causado durante a fabricação devido a um diferencial de gramatura no sentido transversal. Termos alternativos: <foil stamping>.{a} Processo de estampagem pela utilização de decalque a quente.{a} Alongamento que o papel sofre ao ser tensionado. [4] <Mullen> . de modo que as cores subseqüentes saiam impressas mais largas do que as anteriores.[1] <drag spots> . produzindo uma deformação permanente que prejudica o registro de cores na impressão. desuniformidade de velocidade em algum ponto de contato entre dois cilindros. Estrias de calandra . no sentido perpendicular à direção de fibra. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>.[1] <barring> . Estiramento . [3] <stripping> . {b} Relevo gravado no papel ou no cartão através de moldes ou intaglio. geralmente devido a um perfil desuniforme de espessura. ao desprender-se da blanqueta. expressa em quilos por centímetro quadrado. Estria de lâmina <blade streak> . danificadas ou defeituosas que não podem ser aproveitadas no acabamento. paralelas aos eixos dos cilindros de uma impressora ofsete. figurinhas etc. v Nos processos de impressão em que a secagem das tintas ocorre por aquecimento. Estrias d'água <water streaks> . acompanhado de redução de espessura. Termo alternativo: <nongear streaks>.Redução de largura de uma bobina de papel após a impressão de uma das cores.{a} Folhas mal impressas. Ver também: Estrias de engrenagem <gear streaks>. quando tensionada durante a montagem no cilindro da impressora. porém sem relação de distância com os dentes das engrenagens. devido a um deslocamento lateral das camadas adjacentes resultante de falta de uniformidade de tracionamento da tira.Defeito do papel caracterizado por marcas causadas por bolhas de ar ou excesso de água na entrada do rolo filigranador <dandy roll> da máquina de papel. [3] <streaks> . expresso em porcentagem do comprimento original do corpo de prova. realizado em prensas tipográficas especiais ou adaptadas. sem aplicar tinta ou corante. Estrias .Incisão causada na superfície de um papel cuchê. {b} Quantidade de papel perdida durante a tiragem.{a} Técnica empregada na encadernação e no acabamento. sem o uso de tinta ou de laminado. Termo alternativo: marca de lâmina <blade mark>.{a} Separação irregular ou ruptura do papel devido a uma das seguintes causas: ar aprisionado durante o bobinamento. Corte de bolha <blister cut>. como o papel de impressão. empregando calor e pressão. diminui a produtividade e causa efeito desmoralizante. Termos alternativos: perdidos. Estriamento . por uma partícula grande. Termo alternativo: <permanent stretch>. variação abrupta da espessura da folha na direção perpendicular às fibras. aumentando o custo.Método de decoração de capas de livros encadernados que consiste em cobrir a capa com uma folha de papel desenhado e traçar o desenho com um instrumento aquecido. presa sob a lâmina que nivela a camada. Estampagem cega . a matriz de impressão é um clichê tipográfico de latão aquecido que pressiona a tira metalizada contra a superfície a ser estampada.Defeito do papel caracterizado por faixas claras e escuras regularmente espaçadas. Estrias horizontais <horizontal streaks>. Ver também: Assentamento da blanqueta <blanket compression set>. Ver também: Eletricidade estática <static electricity>.[1] <calender-blackened streaks> . [2] <calender streaks> - Chambril Premier 90 g/m² . durante o processo de revestimento. <hot-foil stamping>. [2] <snailing> . Estouro . causadas por aglomerados de massa que aderem ao lábio da caixa de entrada da máquina de papel. {c} Alongamento da blanqueta ofsete. Ver também: Corte de calandra <calender cut>. {b} Defeito de impressão que se manifesta em forma de faixas paralelas ou perpendiculares à direção de impressão. Estiramento permanente <non-returnable stretch> . mesa do funil).{a} Condição anormal que ocorre no sistema de distribuição de tinta de uma impressora ofsete quando não há a aderência da tinta aos rolos metálicos. Estreitamento da bobina <fanning-in of web> . {b} Deformação de uma chapa ofsete ao ser excessivamente tensionada quando da sua montagem no cilindro da impressora. causado por umidade. a partir de tiras metalizadas em ouro. Corte de cabelo <hair cut>. gerado durante o processo de calandragem. tensão de bobinamento excessiva. etiquetas. durante o bobinamento.

que corta o papel por ação de cisalhamento. (y) a quantidade de tinta transferida para o suporte. <fly knife>.Valor que expressa a quantidade de tinta que se imobiliza no papel durante o contato tinta/papel. Feltro <felt> . em forma de cilindro contínuo. Falha no revestimento <skipped coating> . [3] <slitter> . faca longitudinal <longitudinal knife>. Termos alternativos: <machine clothing>. em diferentes formatos.x + i(1 . v O fator de imobilização pode ser calculado pela expressão: y = i + s(x .Árvore de madeira dura. relativo à quantidade de tinta livre existente entre o papel e a blanqueta antes da separação. Ver também: Fator de separação <separation factor>. a fim de dividir o papel. Esmagamento <sheet crushing>. (y) a quantidade de tinta transferida para o suporte.Número que expressa a quantidade de tinta que acompanha o papel. Chambril Premier 90 g/m² .i) = s. Felpa <fuzz> .x + i(1 . navalha <knife>. madeira e borracha utilizada para cortar. especialmente tablóides.s). {b} Lâmina rotativa afiada instalada acima do funil da dobradeira de uma impressora ofsete ou numa dobradeira de bolsa.{a} Lâmina rotativa afiada instalada numa rebobinadeira cuja função é dividir uma bobina de papel.Defeito de papel caracterizado por listras na direção de fabricação. Eucalipto <eucalyptus> . Termos alternativos: <score cutter>.s). chapa de corte-e-vinco. causadas por desuniformidade de pressão e de umidade no sentido transversal. [2] <shear slitter> . Fator de separação <separation factor> . Termos alternativos: <cutting die>. onde (x) é a quantidade de tinta sobre a blanqueta antes da impressão (quantidade total).Manta de tecido. a fim de auxiliar a remoção de umidade. Extração da polpa <pulping> . causando arrancamento e acúmulo nas blanquetas ofsete. Estrias de umidade <damp streaks> . vincar.i) = s.Conjunto de duas lâminas circulares. Faca circular . polpação semimecânica <semimechanical pulping> e polpação química <chemical pulping>.ef f e Defeito do papel caracterizado por listras contínuas de coloração escura. onde (x) é a quantidade de tinta sobre a blanqueta antes da impressão (quantidade total). Ver também: Lado feltro <felt side>.Defeito do papel caracterizado por descontinuidade na aplicação da camada cuchê. as quais são facilmente arrancadas por ação do tack das tintas. (i) a quantidade de tinta imobilizada pelo suporte (fator de imobilização) e (s) o fator de separação. Termos alternativos: <circular cutter>. cuja função é sustentar a folha úmida de papel e pressioná-la contra um cilindro metálico. Faca de corte-e-vinco <steel-rule die> . orientadas no sentido paralelo às fibras. F Fábrica de papel <paper-mill> .Fibras fracamente ligadas à estrutura superficial de um papel de impressão. <press felt>. Termo alternativo: polpação <pulping>. v O fator de separação pode ser calculado pela expressão: y = i + s(x . em movimento. em tiras mais estreitas. a pasta de celulose pode ser produzida em instalação integrada ou não à própria fábrica de papel. riscar e perfurar embalagens de cartão. para refilar a borda dos cadernos.[1] <dinky slitter> . (i) a quantidade de tinta imobilizada pelo suporte (fator de imobilização) e (s) o fator de separação. para reduzir o conteúdo de lignina. após a separação do papel da blanqueta ofsete. afiado em ângulo adequado ao corte de diferentes tipos de papel. Ver também: Fator de imobilização <immobilization factor>. Termos alternativos: faca <knife>. <cutting wheel>. <slitter wheel>. Ver também: Penugem <fluff>. causadas por esmagamento ou escurecimento devido à pressão ou à secagem desuniforme durante a fabricação.Complexo industrial onde se fabrica o papel a partir de polpa de celulose.Etapa do processo de produção de celulose em que a pasta é tratada com produtos químicos. Termo alternativo: lanugem. Ver também: Enegrecimento <blackening>. <disc knife>. Termo alternativo: <paper factory>. v Os processos mais conhecidos são: polpação mecânica <mechanical pulping>. antes da calandragem.Lâmina rotatória instalada na saída de uma impressora rotativa. Fator de imobilização <immobilization factor> . Extração da lignina <delignation> .Lâmina reta de metal cujo bisel é constituído de outro metal.Ferramenta constituída de aço. montada no setor de prensa úmida de uma máquina de fabricar papel. <papermakers felt>. <press felt>.Processo de separação da celulose da madeira ou de outros materiais fibrosos na etapa que antecede à fabricação do papel. Tecido <clothing>. que se constitui na principal fonte de matéria-prima para a fabricação de pasta de celulose e de papel de fibra curta. <score slitter>. em bobinas mais estreitas. Vestimenta <clothing>. Faca da guilhotina <paper knife> . cujo crescimento é rápido. em movimento. superior e inferior.

Termo alternativo: <grainshort>. para transferir indiretamente a imagem do clichê flexográfico para o suporte. Filigranado <filigreed> . v O papel destinado ao processo ofsete deve possuir elevada resistência superficial. de pigmento e de fibras de celulose drenadas com a água através da tela da máquina de fabricar papel. Flexofsete <offset flexo> .. por exemplo). Ver também: Papel filigranado <filigreed paper>.Fibra de celulose proveniente de madeira mole (pinus. dentre elas: a madeira (eucalipto. de modo que a impressora possa continuar operando enquanto uma nova bobina é emendada (colada) e acelerada até alcançar a velocidade da impressora. Fibra de celulose <cellulose fiber> .Diz-se de um papel que apresenta orientação de fibras paralela à maior dimensão da folha. apenas algumas espécies mostraram-se economicamente viáveis. visto que estes apresentam maior rigidez no sentido perpendicular às fibras. significando a ação de esgarçamento das paredes das fibras. o sisal. teoricamente. [3] <long-grain sheet> . proporcionando maior área de contato entre elas.[1] <fiberizing> . ou através de marcas d'água. Termo alternativo: fibrilhação. tais como letras. Fibra curta . a fim de suportar a ação do tack das tintas de impressão.Material fibroso que permanece após a remoção dos componentes não-fibrosos da madeira.Diz-se de um papel que tem filigranas. presentes na massa refinada. Ver também: Rolo filigranador <dandy roll>. v Este defeito de impressão ocorre principalmente com papéis LWC usados na impressão de revistas e tablóides. numa impressora ofsete plana.Fibra de celulose proveniente de madeira dura (eucalipto. Ver também: Fibra curta <grain short>. Ver também: Celulose <cellulose>. brasões etc.{a} Letra capitular. em 1270. {b} Etapa do processo de refinação da pasta de papel que promove a liberação dos elementos filamentosos das paredes das fibras. as fibras que não estão firmemente presas à superfície do papel são arrancadas durante o processo de impressão.Fibra fracamente ligada à estrutura superficial do papel em razão da insuficiência de colagem superficial ou da deficiência do ligante utilizado no tratamento da superfície. {c} Desenho translúcido produzido no papel por pressão de um rolo filigranador. caso isto não ocorra. deixando o lado tela com características superficiais diferentes das do lado feltro.f f Festão <festoon> . não-reproduzíveis. cujo comprimento é cerca de 3 mm. o cânhamo e outras. Termo alternativo: <brushing out>. Ver também: Linha-d'água <water line>. Ver também: Capitular <initial letter>. first-out> . Abreviatura: (LF). incluindo partículas de carga mineral e de outros materiais adicionados à massa. numa série de rolos paralelos.{a} Processo de redução de agregados fibrosos em fibras individuais. [2] <short fiber length> . Fibrilação . vistas contra a luz. Termo alternativo: absorção seletiva <selective absorption>. que imprime Chambril Premier 90 g/m² . Uma das vantagens é a possibilidade de imprimir com qualidade ofsete em papéis de qualidade inferior àquela normalmente conseguida na flexografia. como no processo ofsete.[1] <grain short> . {b} Processo de liberação de fibrilas durante a refinação da pasta de papel. as fibrilas entrelaçam-se e conferem elevada resistência mecânica ao papel. contaminando rolos e blanquetas e causando diversos problemas de printabilidade. Ver também: Ruga <wrinkle>.Sistema de organização de estoque num armazém de papel em que a ordem de consumo coincide com a de entrada do material: o primeiro a entrar é o primeiro a sair.Dispositivo da seção de alimentação de bobinas de algumas impressoras rotativas ofsete que permite acumular uma quantidade relativamente grande de papel.Elemento filiforme que se ramifica das paredes das fibras de celulose por ação do processo de refinação. v A celulose constitui a espécie vegetal mais abundante na natureza. e o clichê é copiado com a imagem legível. podendo distinguir-se dois tipos: de mesa plana <dandy roll> e de fôrma redonda <mould made>.Diz-se do papel que apresenta orientação de fibras paralela à menor dimensão da folha. em equipamentos mecânicos chamados refinadores. por meio de fios metálicos.Processo de assentamento de uma tinta polidispersa num papel microporoso. que ocorre durante a passagem do papel pelo forno de uma impressora rotativa ofsete. visto que é necessário um certo tempo para que este relaxe e se acomode à sua dimensão original antes de ser alimentado na primeira unidade de impressão.Folha de papel cuja menor dimensão é paralela à orientação das fibras. caracterizado pelo uso de matrizes flexíveis de borracha ou de polímero com as áreas de grafismo em alto-relevo e tintas fluidas voláteis. Fibra longa .Cilindro da máquina de papel responsável pela reprodução de marcas d'água na folha em formação. figuras. a fim de permitir compensar a variação dimensional que ocorre predominantemente no sentido perpendicular à orientação das fibras. Fibrila <fibrilla> . incorporadas ao papel durante a fabricação. {b} Partículas de material celulósico não-fibroso ou de pedaços de fibras. logotipos.[1] <grain long> . Flexografia <flexography> . Papel filigranado <filigreed paper>. no qual os óleos não-secativos da tinta penetram nos poros do papel deixando na superfície os pigmentos e os componentes filmógenos. v O cilindro da blanqueta é montado entre o cilindro da chapa e o cilindro de contrapressão. para propósitos de identificação ou segurança. ornamentada em diversas cores. pela ruptura das paredes das fibras de celulose. v O festão é muito importante no caso de papéis bobinados com muita tensão de bobinamento. Marca d'água <water mark>. v O papel em folhas deve ser alimentado com o sentido de fibra paralelo aos cilindros da impressora. cujas folhas apresentam as fibras orientadas no sentido paralelo à menor dimensão.Método de impressão tipográfico rotativo. Ficha <wrinkle> . sobretudo quando a temperatura do forno é muito elevada. [2] <long fiber length> . o bambú.Folha de papel cuja maior dimensão é paralela à orientação das fibras. [2] <fibrillation> {a} Termo usado em refinação da celulose para papel. Ver também: Fibra longa <grain long>. utilizado como principal componente na fabricação do papel. desenhada a bico de pena nos antigos manuscritos. fabricado com pasta mecânica. Abreviatura: (SF). Termo alternativo: <fibril>. Ver também: Emendador estacionário <zero-speed splicer>. o registro de cores será comprometido. responsáveis pelas ligações fibra-fibra. FIFO <first-in. Termo alternativo: grinalda. cujo comprimento é cerca de 1 mm. exceto quando se trata de papéis de baixa gramatura. Ver também: Fibra curta <grain short>. Filigrana <filigree> . por exemplo). Fibra inchada <fiber puffing> . v {d}As filigranas foram inventadas na primeira fábrica italiana de papel.{a} Pequenas partículas de carga. pinho). Ver também: Tinta de assentamento rápido <quicksetting ink>. Termo alternativo: <grain-long>. Filtração seletiva <selective filtering> . de maneira a permitir maior ligação entre as fibras no papel pronto.Sentido de alimentação do papel. <longgrain>.Efeito de rugosidade ou aspereza da superfície de um papel cuchê. para servir como elementos de segurança ou de controle. Fibra solta <loosely bonded fiber> . [3] <short-grain sheet> . qualquer vegetal poderia ser usado como fonte de fibras para a produção do papel. {d} Marcas. de secagem rápida.Processo híbrido que incorpora uma blanqueta ofsete numa impressora flexográfica. {b} Fio metálico que produz a linha-d'água no papel. entretanto. Filigranador <dandy> .Ruga que se desenvolve no papel durante o processo de fabricação. Fibra invertida <short-grain> . as figuras eram chamadas de marcas e indicavam o formato do papel. Finos <fines> .

Conjunto de 50 a 100 folhas. Termo alternativo: <out-of-square>.{a} Dispositivo acoplado em-linha a uma impressora de formulários contínuos.. Folhas de mala <book> . pontos faltantes <missing dots>. Ver também: Chapa em relevo <relief plate>. o processo é também bastante adequado para imprimir etiquetas. v As principais causas de fora-de-registro envolvem o papel e a regulagem da impressora. em especial do material fibroso. rótulos.Força perpendicular à superfície de uma folha de papel necessária para delaminar uma unidade de área do papel. {c} Termo utilizado pelo fabricante de papel para designar a bobina em formação. Quando o papel é fechado (microporoso). {b} Defeito que ocorre na impressão rotogravura. Ambas as situações exigem do papel elevada força de ligação interna. <out-of-register>. Fora-de-esquadro <off square> . {c} Força com que as fibras de um papel de impressão aderem umas às outras e resistem ao arrancamento e à delaminação. Ver também: Força de delaminação <plybond strength>.. e uma blanqueta ofsete é montada no cilindro da chapa. que aparecem nas áreas sólidas do impresso por causa do emulsionamento excessivo entre a solução de molhagem e a tinta ofsete. essa pode ser avaliada por meio de testes que submetem um corpo de prova. Flexogravura <flexo gravure> . sobre as folhas brancas. o papel é aquecido e a água. de formato definido. verniz ou adesivo fixa-se à superfície do suporte de impressão após a secagem.f f diretamente sobre o suporte. usado para imprimir. ou quando as imagens são impressas fora de posição em relação às bordas do papel. Delaminação <delamination>. {d} Força com que o revestimento do papel adere ao papel-base. ou ainda quando o posicionamento das imagens impressas na frente e no verso da folha não coincidem. causado por falta de contato entre o suporte e a tinta do interior das células do cilindro. É possível predizer a resistência do papel ao blister através de testes de laboratório. geralmente avaliada visualmente através da luz transmitida por uma folha. tendência à ondulação. força de ligação superficial <surface bonding strength>. polipropileno etc. {e} Força com que as camadas de um cartão ou de um laminado aderem entre si. desta. <snow>.{a} Característica da folha de papel determinada pelo grau de uniformidade de seus componentes sólidos. [2] <sheeter> . Termos alternativos: força de ligação interna <internal bond strength>. {b} Força com que uma camada de tinta. destacando-se a impressão de embalagens flexíveis de celofane. força de tensão na direção z <zdirectional tensile strength>. Formação do papel <paper formation> . a uma força perpendicular (direção z).{a} Defeito de impressão caracterizado por pequenos pontos brancos. Chambril Premier 90 g/m² . em impressoras rotativas ofsete equipadas com forno. e elevar a temperatura até que as bolhas ocorram. a quantidade de solução de molhagem absorvida pelo papel durante a impressão e a temperatura do forno.{a} Tipo de impressão ofsete-gravura executada numa impressora flexográfica. até que ocorra a delaminação. Impressão em altorelevo <relief printing>.Condição que ocorre na impressão quando as diferentes cores não coincidem umas sobre as outras. Ver também: Adesão entre camadas <ply adhesion>. representando cerca de 30% da indústria gráfica. <misregistration>. para o suporte. julgada pela aparência visual da folha quando olhada por transparência. Ao passar pelo forno de uma impressora ofsete rotativa. Ver também: Bobinafolha <rollto-sheet>. Termos alternativos: distribuição de massa. Ver também: Flexografia <flexography>.Dispositivo que se presta a cortar uma bobina de papel em folhas e alimentá-las na impressora. podendo causar bolhas. Folhadeira . empilhamento correto. {b} Processo híbrido que combina as características da flexografia e da rotogravura. Termos alternativos: força de ligação <bonding strength>. Flocos de neve <snowflaking> . Impressora flexográfica <flexographic printing press>. Força de ligação interna <internal bond strength> .5% e a temperatura do forno ultrapassa os 200°C. que consiste em mergular um corpo de prova num banho de silicone. Termo alternativo: impressão à anilina <aniline printing>. <poor registration>.{a} Suporte de papel. de formato retangular. reduzindo-se a viscosidade da tinta. caracterizado pela ocorrência de pontos brancos (não impressos) nas áreas de meias-tintas e mínimas. formação <formation>. proporcionando elevada qualidade de impressão. {c} Dispositivo separado de uma impressora serigráfica que corta bobinas de tecido ou de outros suportes em folhas. com espessura superior a 0. alinhamento no alimentador e ajuste de todos os elementos da impressora responsáveis pelo transporte do papel. a probabilidade de ocorrer bolhas aumenta. Tipografia <letterpress>. causado pelos vapores de água e de solvente que não conseguem escapar pela estrutura porosa do papel quando os dois lados da folha são impressos com elevada carga de tinta coincidentes na mesma área. a carga de tintas.[1] <roll sheeter> . Ver também: Registro <register>. O excesso de alimentação de solução de molhagem ofsete causa inchamento das fibras e conseqüente variação dimensional. aliado à longa durabilidade do cilindro rotogravura. Ver também: Tack <tack>. formação da folha. a fim de reduzir o desperdício no acerto de um novo trabalho. comprometendo o registro de posicionamento da imagem na folha.Desempenho do papel durante o processo de impressão. evapora de modo explosivo. quando o filme de tinta é dividido entre a blanqueta e o suporte. plástico. distribuição do papel. Formação de bolhas <blistering> . v Durante a impressão. Tem influência na maioria das características e propriedades do papel. ligação interna <internal bond>. <skips>. seu conteúdo de umidade é superior a 5. mesmo em suportes de difícil impressão em rotogravura. Termo alternativo: cortadeira <cutter>. listas telefônicas e jornais.{a} Habilidade de um filme de tinta de resistir à divisão durante o processo de impressão. colado entre duas placas metálicas.Problema que ocorre durante a impressão de papéis revestidos. Folha <sheet> . no qual o rolo anilox é substituído por um cilindro rotogravura. as gotas de água emulsionada na tinta são expostas produzindo os pontos brancos.Diz-se de uma folha de papel ou de cartão que foi cortada ou refilada de tal modo que um ou mais cantos desviam do ângulo de 90° exatos. Termos alternativos: <mealiness>. o papel sujeita-se às forças de tack das tintas e tende a grudar na superfície das blanquetas ofsete. e o resultado é expresso em libras por polegada quadrada (psi) ou kilopascals. v {b}A tinta deixa de transferir para o suporte por falta de contato causado por irregularidades superficiais do suporte. por secagem prematura da tinta no interior das células do cilindro ou por formação de um menisco côncavo na superfície da tinta. <off-register>. absorvida durante a impressão. alterando-se o ângulo da racle. O papel sofre variação dimensional quando exposto a condições de um idade e temperatura diferentes das suas. sobretudo quando o conteúdo de umidade do papel e a temperatura do forno são muito elevados. {d} Unidade em que é cortado o papel plano. produtos de sacaria. Força de ligação <bonding strength> . provenientes do estrago de outros trabalhos. Termo alternativo: <web>. o qual depende dos seguintes requisitos: planicidade.15 mm. Ver também: Electroassist <electrostatic assist>. empilhadas na mesa de alimentação. metal etc. {b} Propriedade que descreve a uniformidade de distribuição de fibras e cargas de um papel de impressão. Termos alternativos: fuga de registro. Fora-de-registro <misregister> . v A flexografia é um dos mais importantes processos de impressão. Arrancamento <picking>. Fluxo do papel <flow of paper> . O problema pode ser eliminado ou minimizado aumentando-se a pressão do rolete de contrapressão. {b} Equipamento de saída de uma impressora rotativa que corta a bobina impressa em folhas individuais. não impressos. a fim de converter uma bobina de papel em folhas. utilizando-se solventes mais lentos para cortar a tinta ou instalando-se equipamentos de auxílio eletrostático. a imagem legível do cilindro é transferida para a blanqueta e. v As bolhas se desenvolvem por uma conjunção de fatores envolvendo: a porosidade e o conteúdo de umidade do papel. {b} Jornal constituído de um só caderno. Termo alternativo: coesão <cohesion>. podendo sofrer delaminação. polietileno.

Ver também: Formação <formation>. {b} Formato de livro igual a 14 x 21 cm. é vedado pelas laterais da caixa. Formato básico <basic size> . elefante (58. Formato AA <AA size> .7 x 134. Ver também: Formato máximo de impressão <maximum printing area>.Formato de caderno de 16 páginas. Formato BB <BB size> . cuja proporção largura/altura é sempre constante. por exemplo: A1 (594 x 841 mm).Ver: Formato italiano <Italian format>.Formato de papel igual a 33 x 44 cm (o dobro do formato ofício).841 x 1.Formato de papel igual a 760 x 1120 mm. A4 (210 x 297 mm).5 x 71 cm). em baixa concentração. Termo alternativo: cilindro formador.{a} Largura da bobina de papel antes do refilo. utilizado para definir a gramatura do papel.Dimensões finais de uma página ou de um produto impresso acabado. Existem dois tipos: fôrma direta e fôrma em contracorrente. para desenhos. A3 etc. produzido na dobradeira de cutelo de uma impressora ofsete rotativa.Dimensões de uma folha de papel. Ver também: Formato básico <basic size>. Formato mínimo do papel <minimum paper size> . onde: os dois primeiros números referem-se às dimensões da folha (em polegadas) e o último expressa o número de folhas numa resma. Termo alternativo: <well-closed formation>. Formato carta <letter size> . são os submúltiplos de 660 x 960 mm (folha inteira). e A4. os formatos intermediários (séries B. Double elephant <desenho e escrita> (26¾’' x 40'' ou 68. {c} Formato do papel em folhas a partir do qual se determina o peso de uma resma. Série A <A series>. geralmente de madeira ou de material nãocorrosivo.6 cm). Abreviatura: (AM).f f Formação fechada <close formation> . os formatos mais comercializados. cujo eixo está suportado nas laterais. Formação grosseira <wild formation>.{a} Formato de papel igual a 87 x 114. Formato máximo de impressão <maximum printing area> .2% e 0. para laudas. construído em estrutura de material não-corrosivo.5 cm> (76 x 96 cm). Termo alternativo: <basic sheet size>. A1 e A2. ou 760 x 1120 (folha inteira). Ver também: Formato bruto <untrimmed size>. Ver também: Formatos de papel <paper sizes>. Alguns formatos padronizados incluem: AA (76 x 112 cm). Formato padrão <standard size> .5 x 11 polegadas (216 x 279 mm).Ver: Dimensões nominais <nominal dimensions>. v Nos EUA. Formato de papel <paper size> .Sistema internacional de padronização de formatos de papel de impressão. adotado em 1922. v A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) estabelece o formato básico do papel de acordo com a padronização DIN (Deutsche Industrie Normen).cm. pressionado por um rolo compressor de borracha. a partir de um formato original (A0) que constitui um retângulo de um metro quadrado (0. Formato A4 <A4 size> . Formato acabado <trimmed size> . os submúltiplos (A1. A2 (420 X 594 mm). Dentro da caixa gira o tambor.{a} Formato no qual o papel é cortado segundo as normas de padronização existentes.A menor dimensão da superfície impressa que uma determinada máquina impressora pode assegurar. Formato nominal <nominal size> . A3. C. Formato oblongo <oblong format> . a série A compreende os seus submúltiplos. Almaço <o dobro do formato ofício> (33 x 44 cm).Termo que descreve a estrutura de um papel cujas fibras de celulose apresentam distribuição uniforme. Ver também: Formato mínimo do papel <minimum paper size>.Formato padrão de papel equivalente a 8.) são obtidos dobrando-se ao meio a folha de formato imediatamente superior. muito utilizado em impressoras de computador.9 cm). 3B0 etc. Gramatura <basis weight>. Série B <B series>. imperial (56 x 76 cm).7 cm).6 x 101.Formato internacional de papel de escrever igual a 21 x 29.Formato de uma folha. A4 <formato internacional> (21 x 29. Formato mínimo de impressão <minimum printing area> .189 m). {b} Dimensões de uma folha de papel após o refilo. {b} Parte da máquina de fôrmas onde a folha é formada. constituída de duas laterais de ferro entre as quais existe uma caixa de fundo circular.7 cm. Nas extremidades.{a} Defeito do papel caracterizado por formação irregular ou má distribuição de fibras. 500 folhas. Termo alternativo: <cut-off size>. D) têm a mesma proporção (2A0. Formato almaço <foolscap size> . para reprografia.6 x 27.{a} Cilindro formador da máquina de fabricar papel.500. ofício <metade do formato almaço> (22 x 33 cm). BB (66 x 96 cm). com aspecto marmorizado quando observado contra a luz. revestido por uma tela.A menor dimensão de uma folha de papel que uma determinada máquina impressora pode alimentar.). Termo alternativo: largura bruta. A água passa através da tela para o interior do tambor.6 cm). Formação grosseira <wild formation> . A massa é distribuída uniformemente por toda a largura do cilindro. e a folha aparenta homogeneidade quanto à rugosidade ou à porosidade quando observada contra a luz. Termo alternativo: formato revista. aprovado pela ISO. expresso em polegadas ou em metros.{a} Largura da bobina de papel após o refilo. geralmente entre 0. Ver também: Formato mínimo de impressão <minimum printing area>. Ver também: Formato máximo do papel <maximum paper size>. pela parte externa. para adequação às máquinas impressoras e aos produtos impressos.Formato de papel igual a 660 x 960 mm.Ver: Formato magazine <magazine format>. {c} Largura máxima da folha de papel que a máquina pode produzir na enroladeira. Quando o tambor gira. que tem por base o sistema métrico. Americano <livro refilado de 14 x 21 cm> (87 x 114 cm). Ver também: Dobra um quarto <quarterfold>. Ver também: Formato de papel <paper size>. Ver também: Formato de papel <paper size>. v No Brasil. ou seja.5 x 20. Formato americano <American size>.4%. Formato máximo do papel <maximum paper size> . 480 x 660 mm (meia-folha) e 330 x 480 (um quarto de folha). Francês <livro refilado de 13. 560 x 760 (meia-folha) e 380 x 560 (um quarto de folha).5 x 11" (21. {b} Dimensões de uma folha de papel antes do refilo. Formato revista . formando uma folha sobre a superfície da tela. o formato básico é especificado segundo o exemplo: 25 x 38 .Formato de papel igual a 22 x 33 cm. Ver também: Formato acabado <trimmed size>. antiquário (78. Formato magazine <magazine format> . .A maior dimensão da superfície impressa que uma determinada máquina impressora pode assegurar. na Alemanha. Formato ofício . A2. o formato A0 é geralmente empregado para a impressão de mapas. Formato bruto <untrimmed size> . Fôrma redonda <wire-covered cylinder> . Ver também: Formato almaço. e exprime-se com este valor o peso da folha por unidade de área. {b} Termo que descreve a estrutura de um papel cujas fibras de celulose encontram-se distribuídas de maneira desuniforme. igual a 8. Formato refilado <trim size> . Termo alternativo: <cloudy formation>. A3 (297 x 420 mm).A maior dimensão de uma folha de papel que uma determinada máquina impressora pode alimentar. a partir de um retângulo de 1 m2 medindo 841 x 1189 mm (formato A0). {b} Formato de papel igual a 540 x 30 mm. Formato DIN <DIN size> . a folha é recolhida continuamente na parte superior pelo feltro pegador.

devido às características do papel. A1.414) é constante para qualquer múltiplo ou submúltiplo. [2] <print gain> .Papel liso. sem brilho. ou o aumento mecânico de tamanho dos pontos de meio-tom que ocorre no processo de transferência da imagem para a chapa.Padrão internacional de formatos de papel cuja relação largura : comprimento (1:1. relevo seco.Diz-se de uma bobina de papel que sofreu estiramento permanente e não pode mais recuperar o seu comprimento original. Série B <B series>. permitindo medir diretamente a gramatura do papel (g/m²). G Ganho-de-ponto . [2] <glassine> .{a} Aumento óptico do tamanho dos pontos de uma retícula de meio-tom que ocorre durante os processos de pré-impressão. Ver também: Gofragem <embossing>. tremonha. Furos . [2] <tabloid size> . ligeiramente irregular. feito de polpa química altamente refinada. Termos alternativos: <cambric finish>. apresentando afrouxamentos em áreas localizadas que não podem ser adequadamente tensionadas. {d} Diferença entre o valor teórico e o valor real de um ponto de retícula de meio-tom medido no bloco de 50% de uma escala de controle de impressão. igual a 17 x 22" (43.). no sentido longitudinal.[1] <pinholes> . Ver também: Formato de papel <paper size>. Ver também: Afinamento de ponto <undercutting>. Ver também: Papel glassine <glassine paper>.Formato de caderno de 4 páginas. montada sob o Chambril Premier 90 g/m² . tal como o sistema ISO empregado na maioria dos países.fg g f Formatos de papel .Imperfeições causadas no papel pelo feltro da prensa úmida da máquina fabricadora.Dimensões de um produto impresso equivalente à metade do formato jornal (aproximadamente 30 x 40 cm).Diz-se de uma bobina de papel desuniformemente tensionada.[1] <bag> . Formato volante <broadsheet format> . entretanto. duplagem e quebras durante a impressão. conseqüentemente.{a} Prensa de gravar em relevo. o ajuste da rolaria da impressora ofsete. Termos alternativos: mesa do funil <former board>. {c} Pequenas covas na superfície do papel cuchê causadas por bolhas. Impressão a seco <dry printing>. [2] <stock sizes> . v O processo de gofragem envolve uma matriz em alto-relevo. expansão de ponto <dot spread>. Em condições normais de reprodução. da tinta e da impressora. cuja função é dobrar a tira de papel ao meio. {b} Poros em papéis muito delgados. Fourdrinier . Formatos ISO de papel <ISO paper sizes> . distorcendo a informação por ele representada. [2] <baggy> . Gofrador <embosser> .[1] <embossing> . produzido na dobradeira de morcete de uma impressora ofsete rotativa. Furo de tela <wire hole> .Máquina automática de fabricar papel que forma uma tira contínua sobre uma tela horizontal em contínuo movimento. <cardboard finish>. a maior variação ocorre nas áreas de meia-tinta (entre 40% e 60% de ponto). [3] <push backs> . absorção). {b} Variação de tamanho dos pontos de retícula de meio-tom que ocorre durante a confecção dos filmes.Pequenas imperfeições causadas por deficiência de drenagem da tela durante a formação da folha sobre a mesa plana ou outras deficiências de fabricação do papel. Ver também: Dobra de funil <former fold>. para a blanqueta (no processo ofsete) e para o papel.{a} Diz-se de um papel ou de um papel-cartão estampado ou gravado em relevo. de formato triangular. Glassine . Ver também: Furo <clean hole>. aprovado pela ISO. {b} Profissional ou artista gráfico que opera gofradeira ou que faz gofragem em papel ou em cartão impresso. [2] <pin holes> .[1] <tabloid format> . pode ser compensado durante o processo de seleção de cores uma vez conhecida a curva característica de uma determinada combinação papel-tinta-máquina. a blanqueta (compressibilidade e estado da superfície). embalagens de alimentos etc. <matt>. produzido na dobradeira de corte de uma impressora ofsete rotativa. Termo alternativo: <Fourdrinier machine>.[1] <paper sizes> . a letra indica a série e o algarismo indica o número de vezes que a folha é dobrada ao meio. Fosco <matte> . Gofrado <embossed> . localizada próximo da entrada da dobradeira de uma impressora rotativa. o balanço água-tinta. Termos alternativos: aumento do valor tonal <tone value increase>. vítreo. a fim de formar a primeira dobra do caderno.{a} Defeito do papel caracterizado por pequenos buracos causados por partículas estranhas que são esmagadas durante a calandragem.[1] <embossed glassine> . muito resistente à umidade e às gorduras. aumentando a largura das barras e. os papéis (lisura. igual a 11 x 17" (27. pela pressão contra chapas ou cilindros gravados.Peça metálica lisa.Dimensões internacionalmente convencionadas para papéis cortados em folhas. Formato tablóide . A3 etc. visto que interfere na cor da reprodução. devendo ser compensado no filme máster <bar code master>.Diz-se dos formatos mais comuns de papéis e de cartões estocados pelos fabricantes. {b} Impresso que recebeu gofragem. a lineatura da retícula. Termo alternativo: <embossing machine>. Ver também: Bobina frouxa <baggy roll>.1 x 55. Termos alternativos: mate. baseado em duas séries de formatos (A e B ). que consiste em produzir um efeito ondulado ou granulado.Tipo de papel supercalandrado e decorado em calandra de gofragem. Papel gofrado <embossed paper>. Perda de ponto <ink shrinkage>. as tintas (viscosidade. a geometria dos pontos de retícula e o interrelacionamento dessas variáveis. Funil <former> . Termos alternativos: cristal. deixando drenar a massa naquele ponto. espalhamento da tinta <ink spread>. podendo prejudicar o registro de cores e causar rugas.Suporte de impressão que se caracteriza por apresentar superfície plana. as quais são subdivididas ao meio do lado maior para produzir o próximo formato (A0. diversas variáveis do processo afetam o ganho-de-ponto. a cópia das chapas e a impressão. Ver também: Estampagem <stamping>. tack).Processo de decoração de papel ou de cartão com texturas em relevo. v [1] O ganho-de-ponto é uma das variáveis mais importantes a ser considerada nos processos de reprodução gráfica.Processo de acabamento de papel impresso. mantendo as proporções constantes da folha.2 cm).Formato de caderno de 8 páginas.Defeito do papel causado por um buraco na tela formadora da máquina de papel. {c} Aumento inevitável de tamanho dos pontos de meio-tom que ocorre durante o processo de impressão. Termo alternativo: formatos internacionais de papel <international paper sizes>. Série A <A series>. a pressão de impressão. pergaminho. [2] <pebbling> .[1] <dot gain> . que causa a dispersão da componente especular da luz. semitransparente.Defeito que ocorre na impressão de um código de barras. dentre elas: o processamento dos fotolitos e das chapas de impressão. A2. o ganho-de-ponto pode variar entre 10% e 35%. Frouxa . dotada de dois rolos gravados (macho e fêmea) por entre os quais o papel ou o cartão passa para receber a textura. utilizado para imprimir sobrecapas de livros.9 cm).9 x 43. o formato A0 (1189 x 841 mm) tem 1 m² de área. distribuidores ou consumidores. Termo alternativo: <embossment>. Ver também: Estampagem <embossing>. este aumento de ponto aumenta a densidade e torna as cores mais intensas. nas áreas onde os espaços entre as fibras não são preenchidos pelos finos. Gofragem . <triangular former plate>.

uma das quais é colada à parte interna da capa do livro. sobretudo quando se processa papéis pesados e folhas de grandes formatos.Dispositivo de proteção localizado em pontos de um equipamento que representam algum tipo de risco ao operador ou ao próprio equipamento. Os esquadros laterais são estacionários (fixos).[1] <basis weight> . [2] <trimmer> Equipamento dotado de uma faca de aço afiada. Termos alternativos: aparadores frontais <front stops>. <trimming machine>. empregada na fotogravação e cópia de chapas metálicas para refilar folhas de cobre.Massa de um papel medida sob as condições ambientais reais existentes. ou para cortar o excesso de eletrótipo ou estereótipo. Grampo lateral <side-stitch> . um balancim (calcador). cortado no formato básico. e a outra permanece solta. para papel de escrever. <substance>. 22° e 24°. Ver também: Salvaguarda <safeguard>.[1] <flat cutter> . expresso em libras. Termos alternativos: <endleaf>. no qual os cadernos são abertos ao meio. uma folha é colada à capa frontal e outra à capa traseira. Guia de bobina <web guide detector> . <cross cutter>. e convertida em libras por resma multiplicando-se o peso em onças por 4 e adicionando-se 2. separam a capa do miolo. enquanto o esquadro traseiro é móvel. <substance weight>. Guias frontais <front edge guides> . {b} Faca de aço pesada.Método de encadernação de livros e de revistas em lombada quadrada. Guilhotina linear . para torná-lo impermeável e próprio para a embalagem e o transporte de mercadorias. O uso indevido implica em queda de qualidade do corte. cuja função é comandar o mecanismo responsável pelo posicionamento lateral do papel ao longo do sistema de impressão.{a} Dispositivo manual ou automático dotado de uma faca longa e pesada que desce sobre uma mesa. enquanto falta de pressão pode comprometer a qualidade do corte. Gramatura nominal <nominal basis weight>. <fancy end>. Grampo em sela <saddle stitch> . colecionados junto com a capa e grampeados com fio de arame através da linha de dobra da lombada.Máquina utilizada para refilar as bordas dos livros. Termos alternativos: alcatroado. <front lays>.Método de encadernação de livretos. dotado de um cilindro gravado que pressiona o papel contra um cilindro compressível. Após o corte. a gramatura dos cartões é expressa em libras por 1000 pés quadrados. <end page>. resguardo. Embora não exista um ângulo adequado a todo tipo de material. Gramatura nominal <nominal basis weight> . a qual pode diferir da gramatura nominal em decorrência das variações do processo de fabricação e da influência do conteúdo variável de umidade. A faca tem um bisel cujo ângulo deve ser adequado ao material a ser cortado. betumado. Algumas guilhotinas têm sistema automático de remoção de . Termos alternativos: peso básico.Varões localizados na entrada da mesa de alimentação de uma impressora ofsete plana. <tarred brown paper>. {b} Papel resistente. guarda branca <flyleaf>. v Os componentes básicos das guilhotinas incluem: uma faca. quando pressionadas. grampo a cavalo <horse-staple>. <front guides>. um esquadro lateral e um esquadro traseiro. nas encadernações de luxo. Termos alternativos: cortadeira. {b} Peso. os cadernos são apoiados em suportes chamados "selas" enquanto são transportados para o grampeador.Célula fotoelétrica posicionada nas bordas da bobina. 6 ou 8).Tipo de papel tratado com betume. O balancim é uma barra metálica. operada por pedal ou automaticamente. fabricado segundo requisitos específicos. A resma de papel é encostada nos esquadros e presa pelo balancim (para evitar que se movimente durante o corte). as guardas podem ser impressas com desenhos ornamentais e. <endsheet>. para controlar a posição e o alinhamento das folhas em relação ao cilindro de contrapressão.[1] <cutter> . <substance number>. que desempenha duas funções: remover o ar armadilhado entre as folhas e prender firmemente a pilha de papel durante o corte. o formato de uma resma é 17 x 22 . Gramatura . Termo alternativo: gramagem. Goudronné <asphalt paper> . As guilhotinas modernas compensam automaticamente a pressão do balancim. esquadrejando-as antes do corte. grampo cavalete. é chamada de gravação a seco <debossing>. Termo alternativo: <nominal weight>.{a} Folha de papel resistente. A mesa da guilhotina pode ser dotada de um sistema de colchão de ar. desgaste prematuro das facas e queda de produtividade. Excesso de pressão do balancim pode marcar o papel. para acomodar os diversos comprimentos de corte. cuja função é abaixar os cantos da contrapinça das folhas de papel. Ver também: Peso equivalente <equivalent weight>.Dispositivos localizados ao final da mesa de margeação de uma impressora ofsete. dobrada para formar duas folhas. incluindo as tolerâncias. recebe o nome de estampagem laminada <foil embossing>. uma regra geral estabelece que materiais macios exigem ângulos menores do que os materiais mais rígidos (duros). v Nos EUA. Guias de folha <sheet guide rods> . Ver também: Cortadeira <cutter>. [2] <flatbed cutter> . de uma resma (500 folhas) de papel de um determinado tipo. Termo alternativo: <guard>. <end paper>.500 (aproximadamente 1300 pés quadrados). [2] <safeguard> . <endpaper>. montada sobre o suporte.{a} Massa de uma folha de papel expressa em gramas por metro quadrado (g/m²). antes da impressão. os ângulos devem ser 19°. usado para prender e segurar o corpo do livro à capa.g g suporte a ser estampado. quando a matriz e a contra-matriz são invertidas para produzir uma imagem em baixo-relevo no suporte. no qual os cadernos dobrados ou as folhas soltas são grampeados ao longo do seu lado. a gramatura do papel de parede é especificada em onças. Termos alternativos: <paper cutter>. respectivamente. e o produto não permanece plano quando aberto. [3] <guillotine cutter> . [2] <grammage> . utilizada para cortar e refilar resmas de papel.Peso de uma folha de papel cuja medida é um metro quadrado de área. proteção <safekeeping>. as páginas restantes (4. Quando não emprega tinta ou cor. de panfletos etc. um sensor avalia e ajusta automaticamente a pressão. utilizada para cortar ou fazer o pré-refile do papel. Gramatura real <actual basis weight>.Máquina dotada de uma única faca reta utilizada para cortar resmas de papel ou refilar livros. expresso em gramas. próximo da lombada. operada por pedal ou automaticamente. quando combinada com laminados. Ver também: Gramatura <grammage>. expresso em polegadas. paralela à faca. Gramatura real <actual basis weight> .Máquina provida de uma lâmina afiada utilizada para cortar papéis. bem como a curvatura da margem de pinça das folhas. zinco ou magnésio. feitas do mesmo papel resistente. Guarda . geralmente de cor diferente e ornamentada. é chamada de estampagem cega <blind embossing>. Ver também: Gramatura <grammage>. podem ser de seda ou de couro. v A gofragem feita no papel durante o processo de fabricação envolve um equipamento semelhante a uma supercalandra.Gramatura de especificação do papel correspondente à gramatura real (média) de fabricação. uma mesa plana. por exemplo: para papéis finos. produzem uma imagem em alto-relevo no suporte. A estampagem pode ser feita a quente ou a frio. para facilitar a movimentação das resmas. Guilhotina . Termo alternativo: <side-wire>. Termos alternativos: <straight cutter>. Termos alternativos: <guillotine>. as páginas do produto encadernado desse modo não podem ser totalmente abertas. de brochuras. [4] <guillotine trimmer> Máquina automática utilizada para cortar bobinas de papel em folhas de formatos variados. em diversos pontos de uma impressora rotativa. <saddle wire>.. <paper knife>. e uma contra-matriz em baixo-relevo que se encaixa perfeitamente à primeira. papéis de escrever e cartolinas. Termos alternativos: costura com arame <wire stitch>. Os esquadros laterais e traseiro posicionam as folhas precisamente sob a faca.[1] <end leaf> .

{a} Habilidade do papel de absorver umidade do ar quando as condições atmosféricas variam. demoram mais tempo para acompanhar as mudanças das condições ambientes. mais alto na saída do cilindro. O papel deve ser fabricado em condições controladas e embalado com material impermeável. [2] <five-knife trimmer> . Guilhotina trilateral . Termos alternativos: batedor <beater>. {c} Tratamento das fibras durante o processo de refinação. geralmente revestido de azulejos.{a} Processo de tratamento da pasta de papel. Higrômetro de espada . durante a preparação da massa. Todos esses fatores são indicativos de que a faca deve ser afiada. Para facilitar a circulação de massa. Holocelulose <holocellulose> .[1] <three-knife trimmer> . para evitar encanoamento. numa só operação.Tipo de guilhotina de três facas empregada no acabamento para refilar os três lados externos de um produto encadernado. ou ser ambientado antes do uso. Hidratação <hydration> . as folhas grudam entre si e o corte parece mais escuro. no qual as fibras de celulose são suspensas em água. em-linha ou não com uma encadernadora. deve ser eliminada antes da preparação da massa. aumentar sua resistência física e reduzir a opacidade. O cilindro. acompanhando as mudanças de umidade relativa do ar ambiente. rugas etc. Holandesa <Hollander> . <pulp engine>. Estas máquinas são hoje substituídas por refinadores contínuos. expressa em porcentagem.Tipo de refiladora dotada de cinco facas. por reduzir a permanência do papel. Higroexpansividade <hygro-expansivity> . Quando a faca torna-se cega. que usam menos energia elétrica e mão-de-obra. o fundo do tanque tem um declive. que aumenta a retenção de água pela massa. {b} Tratamento das fibras de celulose. dá às fibras o tratamento mecânico chamado refinação. menos complexo do que a celulose e facilmente hidrolizável. Termo alternativo: <hygroexpansivity>. fora-de-registro. H Hemicelulose <hemicellulose> .{a} Antigo desintegrador de trapos e refinador de pasta. caso contrário. Os papéis mais colados e fabricados com massa mais refinada são menos higroscópicos.Termo que designa toda a fração de carboidrato do material celulósico após a remoção da lignina. dependendo do seu histórico prévio de umidade. para aumentar-lhe a retenção de água e. mesas vibratórias e outros. que a converte em polpa para a fabricação do papel. dificultando seu desaguamento.Ver: Espada higrométrica <hygrometer> Higroscopicidade <hygroscopicity> . dotado de um cilindro ou tambor provido de facas de material duro e resistente. Por causa da histerese. ou de uma pedra especial de lava-basalto. girando compressão sobre uma platina ou encosto. que geralmente está em uma concentração de 5% a 8% . conseqüentemente.Polissacarídeo constituinte da madeira que liga as fibras de celulose. do mesmo material. Ver também: Extração da polpa <pulping>. o conteúdo de umidade de equilíbrio do papel (quando condicionado para uma umidade relativa especificada) será diferente. {b} Máquina de refinação de massa que consiste essencialmente de um tanque retangular de concreto ou de alvenaria. Termo alternativo: refilador trilateral. cilindro holandês. as bordas das pilhas tornam-se rugosas (irregulares).Contração ou expansão que o papel sofre devido às mudanças no seu conteúdo de umidade. indicadores de linha de corte. para refilar e separar livros produzidos em duplo paralelo. colocada no fundo do tanque. {b} Propriedade do papel em mudar seu grau de umidade com maior ou menor facilidade. o corte torna-se impreciso e serrilhado. Chambril Premier 90 g/m² . ocorrerá acúmulo de partículas de papel nas blanquetas das impressoras ofsete. Histerese <hysteresis> . isto é. Alguns equipamentos auxiliares incluem: mesas de ar de baixa pressão. durante a refinação.Diferença no conteúdo de umidade de um papel indicada por curvas de umidade relativa ascendentes ou descendentes.h gh g aparas. elevadores de pilha.

mas são condutores quando expostos à radiação eletromagnética. Ver também: Impressora digital <digital printer>. a chapa é tratada fotoquimicamente. e a parte sólida (pigmentos e resinas) se imobiliza na superfície. geralmente a partir de um arquivo de dados processado em sistema eletrônico de editoração. ou com compostos que apresentem o mesmo comportamento químico. utilizado para embalar produtos alimentícios. encadernação. plástico etc. coberto por um estêncil que bloqueia as áreas de contragrafismo. Ver também: Fator de imobilização <immobilization factor> v A velocidade de imobilização da tinta no papel depende da microporosidade do papel e da reologia da tinta. a partir do qual a tinta do interior das células é transferida por contato direto com o suporte. Ver também: Impressora ofsete <offset printing press>. ou seja: a imagem é primeiro transferida da chapa para uma blanqueta. por ação capilar. álcool isopropílico e ácido fosfórico. {b} Processo de impressão em máquinas alimentadas com bobinas de papel ou de outro suporte. relevo. madeira. Termo alternativo: dactilograma. conferindo um elevado impacto visual ao produto. com vinil. {b} Impressão feita a partir de uma chapa plana. os constituintes mais fluidos da tinta penetram rápidamente nos poros do papel. <web printing>. de laminação etc. na qual as áreas de grafismo e de contragrafismo são tornadas receptivas à tinta e à água. sericitipia. é o único processo que envolve água. Termo alternativo: <waterproofing>.Método de produção de um número seleto de documentos. isto é: as áreas de grafismo e de contragrafismo encontram-se no mesmo plano.Processo de impressão que emprega um cilindro gravado. Ver também: Papel-pergaminho <greeting card parchment>. envernizamento. <silkscreening>. No momento do contato tinta-papel. O filme de tinta impresso tem cerca de 60µ de espessura. receptivas à tinta e à água. em superfícies planas ou curvas (tubos. hot-stamping etc.[1] <demand printing> . Termo alternativo: eletrostatografia <electrostatography>. cujo produto final é um caderno dobrado. Termos alternativos: impressão de plano. [4] <fingerprinting> .Reprodução dos detalhes da pele das pontas dos dedos de uma pessoa. chamada solução de molhagem. garrafas.[1] <dactylogram> . para o suporte. e desta para o suporte. tem por base o princípio de que água e gordura não se misturam. os quais podem ser facilmente atualizados ou modificados sem aumentar excessivamente os custos. todo o processo é monitorado através de programas de gerenciamento de cores.. reproduzido por uma impressora de desktop. ou demorar muito para se completar. vidro. plastificação.Técnica de gerenciamento de cores que consiste em reproduzir um original padrão (alvo de calibragem IT8). dobra. [3] <fingerprint> . a tinta atravessa as áreas abertas de grafismo e forma a imagem sobre o suporte. resistente. impressão planográfica. cujo princípio tem por base a atração mútua entre partículas que receberam cargas elétricas de sinais contrários. incluindo: impressora laser.{a} Impressão feita em impressora digital. [2] <digital printing> . realizar a impressão em máquina impressora e fazer avaliações espectrofotométricas da prova e da folha impressa.Teste realizado numa impressora. Ver também: Impressão plana <planographic printing>.Processo de impressão no qual uma racle (rodo) força a tinta através da malha porosa de um tecido de seda. no caso de chapas de alumínio. Impressora rotativa < rotary press>. fabricado com formação grosseira para imitar o veludo japonês. goma ou piroxilina. <web press>. Sistema de gerenciamento de cores <color management system>. inclinada). geralmente impressos em impressoras eletrônicas sem- Chambril Premier 90 g/m² . enquanto as áreas de grafismo são constituídas de materiais naturalmente receptivos às gorduras. que depende da luz ou de outra energia eletromagnética e de foto-semicondutores que não conduzem eletricidade no escuro. Termos alternativos: <fabritecture>. sucessor da litografia. {b} Tratamento do verso do tecido. sintético ou metálico. depois. {c} Processo de impressão sem contato. Ver também: Impressão rotativa <rotary printing>. que permite identificá-la por técnicas dactiloscópicas. Litografia <lithography>. Ver também: Prova digital <digital proof>. cuja função é evitar que a tinta se deposite nas áreas de contragrafismo da chapa. Impressão eletrostática <electrostatic printing> . a fim de produzir áreas de grafismo e de contragrafismo. ou melhor. impressora ofsete digital etc. Ver também: Impressora eletrostática <electrostatic printer>. v O processo ofsete. com pequenas células de profundidade e/ou área variável.). imprimir uma prova. mecânica ou quimicamente.Tipo de papel que imita o pergaminho vegetal (não o pergaminho animal). seritipia. incluindo: tecido. como a eletrofotografia.ii I Imitação de pergaminho <imitation parchment> . fabricado com pasta química. por processos de envernizamento. Impressora ofsete plana <sheetfed offset press>. respectivamente. as partículas são fundidas no suporte para formar uma imagem permanente. impressora a jato de tinta. horizontal.Estado de imobilidade que uma tinta experimenta ao ser impressa. metal. de plastificação. Se isso não acontecer. num determinado período de tempo. como é o caso do cobre e de alguns polímeros. Imobilização <immobilization> . Ver também: Impressora rotogravura <gravure printing press>. moderadamente resistente às gorduras. {b} Método de impressão sem-impacto no qual partículas de corante carregadas eletricamente são transferidas de um transportador de imagens para o suporte em movimento. a fim de proceder à calibragem do scanner de seleção de cores. a fim de evitar a migração da cola.Método de impressão indireto no qual a imagem entintada da chapa é primeiro transferida para uma blanqueta e. Impressão rotogravura <rotogravure printing> . frascos. por isso.Tipo de papel de impressão. a aceitação <trapping> e outras características de impressão. Ver também: Impressora serigráfica <screen press>. a fim de determinar o nível de ganho-de-ponto. uma solução aquosa à base de gomaarábica. v O processo ofsete apresenta três características que o distingue dos demais processos de impressão: a matriz é planográfica. Termos alternativos: rotoimpressão. além de atrasar as operações de acabamento (corte. a dessensibilização das áreas de contragrafismo é feita com uma solução de goma-arábica acidificada com ácido fosfórico. pode ocorrer decalque na pilha de entrega. ou uma folha cortada.{a} Processo de impressão sem-contato (indireto) que utiliza diversos métodos baseados em princípios eletrostáticos. em decorrência do aumento de viscosidade causado por absorção dos constituintes mais fluidos pelo suporte. a partir de dados digitais. Ver também: Gerenciamento de cores <color management>. por um processo chamado de dessensibilização. Impressão ofsete <offset printing> . corte-e-vinco. a chapa é quimicamente tratada para tornar-se receptiva à água nas áreas de contragrafismo. a impressão é indireta. Impressão rotativa <rotary printing> . de acordo com o resultado impresso. Impermeabilização <impermeabilization> .{a} Impressão tipográfica que ocorre entre duas superfícies cilíndricas. Impressão plana <planographic printing> . ou ainda outra bobina. <sheet-fed printing>. <silkscreen printing>. bolas etc. {b} Qualquer método de impressão no qual a imagem é gerada a partir de um arquivo digital. as densidades das tintas. Ofsete seco <dry offset>.) e em qualquer posição (vertical. Termo alternativo: <offset lithographic printing>. Impressão serigráfica <screen printing> . do monitor de visualização do sistema de tratamento de imagens e da impressora de provas. Pergaminho artificial <artificial parchment>. empregado no revestimento da capa dura de livros encadernados. respectivamente. Impressão sob demanda . e receptivas a uma tinta gordurosa nas áreas de grafismo. <serigraphic printing>. visto que pode imprimir virtualmente sobre qualquer material.{a} Impressão litográfica feita a partir de duas superfícies planas: a pedra e o suporte. v A serigrafia é o processo de impressão mais versátil.{a} Recurso utilizado para tornar o papel ou o cartão impermeáveis. Impressão digital . Imitação de veludo japonês <imitation Japanese vellum> .

os caracteres são formados por uma matriz de pontos. e podem atingir velocidade próxima de 17000 folhas por hora. O transporte das folhas pela impressora é realizado por diversos conjuntos de pinças localizados nos cilindros de contrapressão e nos cilindros de transferência (ou carrinhos no caso de máquinas de castelo). nas impressoras laser. dependendo do número de unidades disponíveis. O suporte de impressão pode ser papel. Ver também: Impressão tipográfica <letterpress>. dispostos sobre barras ou tambores. sem a necessidade de intervenção do impressor. nas impressoras a jato de tinta. [2] <press> . <typographic printing>. {b} Mecanismo ou máquina que produz uma saída impressa de caracteres alfanuméricos a partir de um arquivo digital. A mais comum consiste de uma unidade de impressão para cada cor a ser impressa. a principal desvantagem é o comprimento fixo de corte. grampeação etc. Impressora eletrostática <electrostatic printer> . da blanqueta e de contrapressão). os caracteres. nas impressoras de agulha ou matriciais. e pressionada diretamente contra o suporte. As impressoras modernas são equipadas com dispositivos automáticos que executam diversas funções. e a impressão é realizada por impacto das agulhas sobre uma fita entintada. um sistema de molhagem . atraindo partículas de toner carregadas com carga de sinal contrário que são transferidas para um suporte. envernizamento. A velocidade das impressoras roto aproxima-se de 70 mil cadernos de até 96 páginas por hora. acerto de registro lateral e circunferencial a partir do painel de comando. Impressora rotogravura <gravure printing press> . outra configuração consiste de duas unidades de impressão montadas em torno de um cilindro de contrapressão comum. além de admitirem recursos para numeração. controle de corte e de dobra.Impressora sem impacto que emprega uma fonte de luz. um cilindro parcialmente imerso na tinta.Dispositivo mecânico que aplica tinta sobre um suporte. lavagem automática da blanqueta e do cilindro de contrapressão e outros. um sistema de tintagem e uma superfície plana ou cilíndrica cuja função é conduzir e pressionar o suporte contra a matriz de impressão. para imprimir textos e imagens em alta velocidade e com qualidade elevada. v [3] Nas impressoras de impacto. Estação de transferência <transfer station>.[1] <autoprinter> . [3] <printer> . onde são assinalados os erros de digitação. plástico. um rolo de contrapressão que pressiona o suporte contra o cilindro de impressão e um sistema de secagem da tinta por ação de sopro de ar. celofane e outros suportes flexíveis. plástico. com as unidades dispostas em fila. dentre outras. metal. A principal vantagem do processo rotativo em relação às impressoras planas.Máquina automática de provas de fotocomposição. Além do que foi dito para as impressoras planas.{a} Processo de impressão a partir de estereótipos curvos (telhas). Termos alternativos: <letterpress printing>. Abreviatura: (POND). a folha é virada automaticamente por um tambor especial. reproduzindo o motivo da matriz de impressão. v As principais configurações de impressoras flexográficas são: em-linha e satélite. todas as folhas são impressas num dos lados e. Termo alternativo: prensa tipográfica <printing press>. colagem. vinco. Termo alternativo: <offset lithographic press>.Qualquer método de impressão cuja tiragem é quantificada segundo a necessidade do cliente.Máquina cuja configuração básica inclui três cilindros (da chapa. Impressão eletrostática <electrostatic printing>. Impressora laser <laser printer> . o qual é carregado com carga eletrostática apenas nas áreas de grafismo. ou cuja carga é dissipada apenas nas áreas de contragrafismo expostas à luz. um cilindro anilox cuja função é dosar a quantidade de tinta transferida do cilindro do tinteiro. {c} Empresa que opera máquinas de impressão. serrilha. as rotativas podem ser equipadas com dispositivos automáticos para controle de diversas funções.Impressora cuja configuração básica compreende uma mesa plana ou um cilindro que comporta a matriz. controle de tensão do papel desde a alimentação até a saída. Impressora flexográfica <flexographic printing press> . <relief printing>. um feixe laser. Impressora tipográfica <typographic printing press> . máquina impressora <printing machine>.. Ver também: Tipografia <typography>.Impressora sem-impacto dotada de um cilindro semicondutor. quando e onde ele precisa". São utilizadas na impressão de revistas de alta tiragem e de embalagens flexíveis e semi-rígidas.Equipamento de impressão cuja configuração básica inclui: um tinteiro que comporta uma tinta fluida. um espelho giratório e uma série de lentes. um cilindro gravado em baixo-relevo parcialmente imerso na tinta do tinteiro. frente-e-verso <perfect> e satélite (CIC). um raio de luz excita uma superfície de selênio que se torna eletrizada e atrai uma tinta especial nas zonas atingidas. geralmente empregado para imprimir jornais. um dispositivo de alimentação de folhas ou de bobinas e um dispositivo de saída de folhas ou de cadernos dobrados. [4] <printing press> .ii impacto. Dependendo da aplicação. Nas impressoras mais comuns. isso permite a impressão dos dois lados numa única entrada de máquina. Impressora . que reproduz o texto em papel de formulário contínuo. utilizada para a impressão de dados variáveis em impressos de segurança e para a reprodução de provas ou de filmes em sistemas eletrônicos de editoração. Ver também: Eletrofotografia <electrophotography>. cartão. Ver também: Impressão rotogravura <rotogravure printing>. [2] <typographic printing> . listas telefônicas etc. acerto da distribuição de tinta por controle remoto. um cilindro porta-matrizes sobre o qual os clichês são fixados e um cilindro de contrapressão cuja função é pressionar o suporte contra a matriz. Impressão tipográfica . entintada com rolo nas áreas elevadas. Impressora ofsete <offset printing press> . v As impressoras ofsete planas podem ter diversas configurações. ponto por ponto. é produzir cadernos dobrados prontos para a encadernação. dependendo do tipo de produto que se deseja imprimir. capazes de alimentar mais do que uma bobina ao mesmo tempo.Impressão feita a partir de uma fôrma metálica gravada em alto-relevo que transfere a tinta das áreas elevadas diretamente para o suporte. Termos alternativos: prelo <printing press>. "o que ele deseja. prensa <press>.[1] <letterpress> . Ver também: Impressão flexográfica <flexographic printing>. As impressoras planas podem imprimir diversos tipos de suporte (papel. A saída da impressora pode ser equipada com dobradeira. O alimentador de bobinas geralmente é do tipo estrela (emenda dinâmica) e a saída pode ser equipada com uma ou mais dobradeiras ou rebobinadeiras.Máquina que faz a impressão.{a} Qualquer dispositivo de saída de um computador que reproduz imagens legíveis sobre um suporte.Impressora cuja configuração básica inclui: um tinteiro que comporta uma tinta fluida. a qual. secagem induzida por radiação ou por calor etc. uma racle cuja função é remover a tinta da superfície do cilindro. gotículas de tinta são borrifadas diretamente sobre o suporte sob o comando de um computador. v As impressoras ofsete rotativas podem ter três configurações básicas: em-linha. as impressoras podem ser equipadas com forno e com sistema de refrigeração. Termos alternativos: duplicador eletrostático <electrostatic duplicator>. Chambril Premier 90 g/m² . é transferida por contato para o papel. A velocidade das impressoras rotativas pode ultrapassar 70000 revoluções por hora. A alimentação pode ser feita por alimentadores tipo estrela (emenda dinâmica) ou tipo festão (emenda estacionária). [2] <ondemand printing> . Ver também: Impressão variável de segunda geração <second-generation variable printing>. as folhas são viradas para a impressão do verso. impressora xerográfica <xerographic printer>. alimentada por fita magnética ou por disquete. são reproduzidos pelas batidas de um martelete sobre uma fita entintada. incluindo recursos de serrilha. folhadeira ou rebobinadeira. Nas impressoras reversíveis. v As impressoras rotogravura são configuradas em linha e podem imprimir diversas bobinas ao mesmo tempo. {b} Método de impressão utilizado para imprimir textos ou ilustrações a partir de uma fôrma de impressão em alto-relevo. cuja função é evaporar os solventes das tintas e assentar a tinta no suporte. tecido) em gramaturas que variam entre 30 g/m2 e 600 g/m2. O número de cores impressas em cada entrada de máquina depende do número de unidades de impressão disponíveis ou do número de vezes que o mesmo lado da folha passa pela impressora. um sistema de tintagem. tais como: acerto da pressão do cilindro de contrapressão de acordo com a espessura do papel. respectivamente. além da velocidade. depois que as tintas estiverem secas. em seguida. cartão. Termos alternativos: máquina de impressão <printing machine>. formando um conjunto chamado de castelo. tais como: controle de quebra da tira de papel comandado por fotocélulas.

<burst ratio>. expressa em gramas por metro quadrado. expressa em quilopascal. dividida pela gramatura (expressa em gramas por metro quadrado). Termos alternativos: <burst factor>. Serve também para desmanchar aglomerados de fibras presentes na massa. adaptação da xilografia. utilizada na fabricação de papéis resistentes e duráveis. que cresce na Índia e no Paquistão. o índice de corpo é usado para comparar papéis de mesma gramatura.Tipo de refinador cônico. Chambril Premier 90 g/m² . Juta <jute> . Termo alternativo: <bulking index>. Índice de corpo <bulk index> .j iij v A invenção da prensa tipográfica nasceu da fusão de diversas tecnologias conhecidas muito antes de Johannes Gutenberg: adaptação da prensa de rosca <screw-type press> usada na produção de vinho e de óleo de oliva. J Jordan . determinado pelo valor da espessura de uma folha. desenvolvimento de um sistema de moldes que permitiu a produção em massa dos tipos móveis. quase sempre localizado após o tanque da máquina de papel.Valor numérico resultante da divisão da resistência do papel ao estouro. sendo a ação de corte o aspecto mais importante.Fibra obtida de planta de mesmo nome. e expressa o número de páginas por polegada (ppi) quando multiplicado por 2. Índice de estouro <burst index> . índice de rebentamento. e corresponde à relação da espessura dividida pela gramatura de uma folha de papel. pela sua gramatura. medida em milímetros. desenvolvimento da produção em massa do papel. Volume específico aparente <apparent specific volume>. desenvolvimento de tintas à base de óleos.Valor numérico que expressa a relação entre a espessura e a gramatura de um papel de impressão. os quais podiam ser reutilizados após a impressão. avaliado segundo a norma TAPPI T500. v O índice de corpo é importante no cálculo da lombada de livros e de revistas. com a finalidade de dar o acabamento final da refinação. conhecidas desde o século X para impressão xilográfica. simulando a compressão que um livro sofre durante a encadernação. conhecida na Europa desde o século XIII. Ver também: Corpo <bulk>. Ver também: Refinador cônico <conical refiner>.

régua. maior o brilho do papel. Lambreta <lump-breaker> . freqüentemente utilizado para produzir sacos e papel de embrulho. assim como a probabilidade de ocorrer decalque. Arrepelamento <lifting> Ligante da camada <coating binder> . de um modo geral. é um material amorfo. apresentam um teor de lignina de 26% a 34% . natural ou sintética. predominantemente aromático.{a} Valor que expressa o nivelamento superficial de um papel de imprimir.Capa de bobina constituída de um filme de polietileno entre duas folhas de papelão kraft. menor o ganho-de-ponto e maior a lineatura de retícula que pode ser utilizada.Papel espesso. expressa em minutos por 100 mililitros. Ver também: Papel kraft <kraft paper>. Kraft-polietileno-kraft <kraft-polyethylene-kraft> . foram removidos. empregada na formulação de elastômeros que revestem os rolos e as blanquetas ofsete.Rolo curvo da máquina de papel cuja função é abrir o papel e eliminar as ondulações da folha. Lignina <lignin> . {b} Constituinte complexo que dá consistência à madeira. unindo as fibras de celulose. para tornar a celulose o mais alva possível. enquanto as madeiras duras têm entre 16% a 24%. Termo alternativo: nivelamento <levelness>. Quanto maior a lisura. {c} Parte da composição do vegetal que não é um carboidrato. usualmente determinada como resíduo deixado pela hidrólise com um ácido forte do material vegetal. A lisura pode também ser expressa em PPS <Parker Print-Surf>. cuja função é unir o pigmento ao papel-base e conferir à camada propriedades como: resistência ao arrancamento. v A presença de lignina. {b} Valor que expressa o nível de irregularidade superficial de um papel. causa amarelamento e reduz a permanência do papel. o papel tende a grudar nas blanquetas ofsete. aumentando o risco de arrancamento de partículas e encanoamento. tanino etc. de alto peso molecular. usada na fabricação do papel como adesivo do pigmento da camada cuchê ou como barreira. entretanto. Lisura <smoothness> . com a celulose. tais como ceras. v Kraft é um termo alemão que indica resistência. {b} Dispersão coloidal de polímeros de alto peso molecular.. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . Ver também: Arrancamento <picking>. os quais indicam o fluxo de ar que passa entre a superfície de um corpo de provas e o cabeçote do aparelho. proteína de soja) ou produzido sinteticamente. brilho e resistência ao blister.{a} Substância orgânica que. Termos alternativos: faca. aumentando a qualidade do impresso. que mede a rugosidade da superfície da folha. {c} Substância leitosa.Faca da caixa de entrada da máquina de fabricar papel que regula o fluxo de massa despejada sobre a tela plana. derivada da borracha. Ver também: Lisura do papel <paper smoothness>. ou cartão.k ll k K Kraft <kraft> ..{a} Emulsão aquosa de resinas e de borracha sintética utilizada na formulação da camada cuchê do papel de imprimir. de fibra longa. resistência à água. geralmente pardo. As coníferas. Representa cerca de 25% do peso de uma árvore e confere às fibras nãobranqueadas coloração castanha. <headbox slice>. feito de polpa de madeira sulfato não branqueada. ou porque foi mal colado ou devido ao tack excessivo das tintas. L Lábio <slice> . flexibilidade. v A lisura dos papéis e dos cartões é avaliada com instrumentos chamados medidores de lisura. Pelas seqüências de branqueamento.Componente da formulação do revestimento do papel. Ver também: Garrincha <curved roll>. é descolorida ou quase totalmente removida. receptividade à tinta. ao passo que na fabricação de pasta mecânica ela permanece intacta. conforme normas TAPPI específicas. Látex <latex> . associada à acidez (pH). Rolo curvo <bowed roll>. nome do equipamento desenvolvido pela Testing Machines Inc. derivado de fontes naturais (caseína. forma o tecido principal da madeira e representa uma das impurezas no processo de fabricação da polpa. resinas. A lignina é removida no processo de cozimento. depois que outros extratos.Defeito que ocorre na impressão quando o papel ou o cartão não suporta a ação do tack das tintas. Abreviatura: (KPK). Levantamento de fibras <lifting> .

o texto ficaria em alto-relevo.[1] <a lithograph> .Defeito do papel caracterizado por pequenas marcas causadas por flocos de papel coletados na calandra de máquina. Litografia .Estampa obtida pelo processo litográfico. quando sua mãe pediu-lhe para anotar o rol da lavanderia e. escreveu com lápis de cera sobre uma pedra calcária e imaginou que. v A litografia foi inventada acidentalmente por Alois Senefelder. sem filtração seletiva. Ver também: Lisura <smoothness>. de duas páginas. v Os papéis macroporosos têm diâmetro de poro cerca de 30 vezes maior do que o diâmetro dos poros dos papéis microporosos. se pudesse gravar com água-forte as áreas não escritas.Defeito do papel causado por cristais de alume não dissolvidos. para que as áreas de contragrafismo se tornem receptivas à água (solução de molhagem) e rejeitem a tinta. Lisura Bendtsen <Bendtsen smoothness> . Macarrão .Madeira derivada de árvores coníferas. O ofsete é um processo fotomecânico derivado da litografia. Termos alternativos: <chemical printing>. solteira. Mancha de lodo <slime spot> . esmagando a folha nos pontos mais espessos.Valor da lisura de um papel ou de um cartão avaliada no equipamento Bekk. [2] <lithographer's shop> Estabelecimento comercial onde se imprimem ou se vendem litografias. expressa pelo tempo necessário para que um certo volume de ar flua entre a superfície do papel e a superfície do cabeçote do aparelho. sob condições padronizadas. expressa pelo tempo necessário para que um certo volume de ar flua entre a superfície do papel e a superfície do cabeçote do aparelho. das quais se obtém a polpa de fibras longas. Teste de lisura Bekk <Bekk smoothness test>. utilizada na fabricação de papéis de imprimir e de escrever. filete. causada por outro material. Maciez <softness> . Macroporosidade <macroporosity> . Corte de fibra <fiber cut>. gerados durante o processo de calandragem.2% em número de poros. Hoje em dia.Defeito do papel caracterizado por pintas peroladas. Madeira dura <hardwood> . {b} Propriedade do papel que designa a sua compressibilidade ou a sua capacidade de conformar-se à superfície com a qual mantém contato. [3] <lithography> . utilizada na fabricação de certos tipos de papéis.Arte ou processo de impressão no qual a matriz que leva a imagem é tratada quimicamente. Mancha de branqueamento <bleach scale> .Bobina estreita utilizada para a impressão de encartes de duas páginas de jornal.Madeira derivada de árvores do gênero eucalipto. Teste de lisura Sheffield <Sheffield smoothness test>. {c} Símbolo de Mega (um milhão).{a} Símbolo romano de 1000. Estrias de calandra <calender-blackened streaks>. expressa pela taxa de fluxo de ar que passa entre a superfície de medição do equipamento e a superfície do papel. [2] <narrow web> . são muito absorventes. {d} Sinal usado na pré-impressão para identificar os fotolitos e as chapas do magenta. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .Defeito do papel caracterizado por pontos transparentes e brilhantes. meia-banda. a superfície da pedra é tratada para que as áreas de contragrafismo aceitem água e rejeitem tinta e a impressão ocorre por contato direto da matriz com o suporte. M M . {b} Caderno menor. litogravura <lithograph>. Dois anos de tentativas levaram-no a descobrir que poderia imprimir o texto em plano.Defeito do papel caracterizado por pontos vitrificados e translúcidos. viúva. e apenas 0. não encontrando papel. exigindo tintas que secam exclusivamente por óxido-polimerização. Ver também: Lisura <smoothness>. acrescentada às folhas duplas de quatro páginas de um jornal.[1] <calender spots> .Valor da lisura de um papel ou de um cartão avaliada no equipamento Sheffield. Lisura Sheffield <Sheffield smoothness> . por isso. impressão litográfica <lithographic printing>. enquanto as áreas de grafismo aceitam a tinta e rejeitam a água.{a} Falta de resistência relativa de um material à incisão. Ver também: Microporosidade <microporosity>. Termos alternativos: gravura em plano <planographic print>. das quais se obtém a polpa de fibras curtas. acrescentado a uma publicação.[1] <insert> . <stone printing>. [2] <calender-stack crumbs> . Corte de cabelo <hair cut>. causado por fragmentos de papel grudados nos rolos da calandra e pressionados sobre a folha a cada revolução dos rolos. causado por pequenos flocos de papel que aderem ao rolo da calandra e são pressionados sobre a folha. tal como a resistência de uma chapa ofsete ou de um cilindro rotogravura à ação abrasiva do pigmento da tinta de impressão. a litografia é empregada apenas por alguns artistas para a impressão de tiragens limitadas de trabalhos artesanais.Furo ou ponto frágil num papel de imprimir causado por organismos bacterianos. ou de folhas menores que a dos outros cadernos. causado por resíduos insolúveis não removidos no processo de branqueamento. Ver também: Lisura <smoothness>. Corte de calandra <calender cut>. Madeira mole <softwood> . que demoram mais para secar. Manchas de calandra .Valor da lisura de um papel ou de um cartão avaliada no equipamento Bendtsen. esmagados durante as operações de secagem e de acabamento do papel. Ver também: Madeira mole <softwood>. marrom-claras. Ver também: Corte de bolha <blister cut>. Ver também: Madeira dura <hardwood>. [4] <stone lithography> .{a} Folha solta. em 1796.Método original de impressão ofsete no qual a imagem é desenhada com lápis de cera <crayon> sobre uma pedra calcária porosa. {b} Um milheiro de folhas de papel. Mancha de calandra <calender spot> . Ver também: Ofsete <offset>. embora possam ser catalisadas com secantes. Manchas de alume <alum spots> .m ll m Lisura Bekk <Bekk smoothness> . litografado <lithoprint>. Teste de lisura Bendtsen <Bendtsen smoothness test>. Termo alternativo: <litho>.Característica de papéis e de cartões de impressão que apresentam poros capilares de diâmetro relativamente grande e. Termos alternativos: bandinha.

Marca de tela <fabric spot> . para fins de identificação. Ver também: Marca d'água <watermark>. causado por fragmentos de casca de madeira não removidos durante a preparação da massa. Um terceito método envolve uma matriz flexográfica de borracha montada na primeira prensa da máquina de papel. Manchas de cera <wax spots> . Marcas de crimpagem <crimp damage> . <genuine watermark>.Defeito do papel causado por arrancamento de partículas da folha ou do revestimento. Termo alternativo: <wire spot>.{a} Fibra usada na fabricação de papéis rígidos e resistentes. Ver também: Marca d'água <watermark>. <strip waste>. Manchas de ferro <iron specks> . [2] <felt marking> {a} Desenho estampado no papel pelo feltro da prensa úmida.Problema que ocorre na impressão ofsete.{a} Revestimento com que se cobre a matriz de estereotipia. tornando-se visível quando o papel é observado contra a luz. Marcas de braçadeira <clamp marks> . portanto.Defeito do papel caracterizado por marcas translúcidas. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . recebendo a designação de <shadecraft watermark>. {b} Papel feito de abacá. impressão e acabamento. Marcas de arrancamento <dryer pick marks> . aderindo ao cilindro secador. pelas dobras da embalagem. tal como uma marca d'água. durante a fabricação. Ver também: Marcas de sombreamento <shadow marks>. portanto. Termos alternativos: corrugação <corrugation>. caracterizado por densidades baixas ou desuniformes nas bordas anteriores das imagens impressas. lembrando a textura de uma corda.Padrão quadriculado que aparece do lado tela do papel. [2] <wash marks> . provocada pela marcação do tecido do feltro sobre a folha. Termos alternativos: filigrana <filigree>.Irregularidade do papel causada por uma imperfeição na tela formadora da máquina fabricadora. Ver também: Bolha <air bell>.Defeito superficial do papel causado por depressão ou protuberância no rolo apoiador da máquina de revestimento.{a} Parafuso controlado manualmente ou por computador. de cor âmbar.Dano causado numa bobina de papel. Marcas d'água . refilo. <rope marks>. obtida de cordas ou diretamente da planta sisal (juta) que cresce nas Filipinas. causado por formação irregular. devido causada por excesso de vácuo.[1] <smothered watermarks> . {c} Fibra de juta que imita a fibra de abacá. <shade-craft watermark>.m m Manchas de casca <bark specks> .{a} Alteração na formação e na opacidade do papel. deixando as áreas correspondentes ao relevo da matriz com poucas fibras e. Marcas de corrente <chain marks> . produzindo as marcas do lado tela da folha. Termo alternativo: estrias d'água <water streaks>. mais opacas.). furos.Depressões produzidas no corpo de uma bobina de papel pelas braçadeiras da empilhadeira utilizada no transporte ou no manuseio.Defeito do papel caracterizado por manchas transparentes causadas por partículas de cera não dispersas. {c} Tecido emborrachado que reveste o chassi de uma prensa de contato. {b} Feltro da prensa de talho-doce cuja função é forçar o papel contra os entalhes da fôrma.Defeito do papel caracterizado por manchas escuras. [2] <slab> . Marca de feltro . quando apresenta deficiências (rugas. Bolhas de ar <air bels>. enquanto úmido. quando a pressão do clamp é excessiva ou devido a manuseio incorreto.Defeito do papel caracterizado por pequenos pontos escuros causados pela resina da madeira usada para fabricá-lo. mais translúcidas. Ainda outro método envolve gofragem ou impressão do papel seco com compostos que o torna transparente. causado por excesso de água sobre a chapa. {d} Cor e acabamento do papel similar ao papel fabricado com cânhamode-manilha.Defeito do papel causado por fungos ou por bactérias que se desenvolvem na massa.Defeito do papel causado por bolhas na superfície da folha em formação sobre a tela plana. ou na superfície da camada cuchê durante o revestimento. <tying wires>. Ver também: Pintas de cola <size specks>. Manchas de lodo <slime spots> . vergões de umidade etc.[1] <blanket> . Outro método envolve uma matriz em baixo-relevo que deixa mais fibras nas áreas da folha correspondentes ao entalho e. [2] <watermark> . {b} Defeito do papel caracterizado por pontos causados por sujeira que se fixa ao feltro da prensa úmida da máquina fabricadora. Marca da tela <wiremark> . <rubber mark>. Ver também: Crimpagem <crimping>. Termos alternativos: manta de bobina. no sentido longitudinal. Manchas de piche <pitch spots> . linha d'água <water line>. ocasionada geralmente quando este está gasto demais ou é do tipo inadequado para o papel em questão. {b} Linha ou desenho translúcido estampado no papel. quando muito acentuado. cobrindo toda a superfície da folha de papel. Manípulo <slice screw> . originando um diferencial na quantidade de camada aplicada na área defeituosa em relação ao restante da folha.{a} Defeito do papel caracterizado por faixas corrugadas. feltros inadequados ou falta de alisamento no ponto de contato do papel com a tela da máquina de fabricação. de fibras muito fortes. Marca de rolo apoiador <backing roll mark> . nas faces laterais.Defeito do papel caracterizado por fragmentos de ferro ou ferrugem na superfície da folha. causado por um rolo ou um a matriz de bronze em alto-relevo. cortes. amassados.[1] <felt mark> . causado por excesso de vácuo no rolo succionador da mesa plana ou da prensa da máquina fabricadora. {b} Espécie de volante que controla a válvula de abertura do lábio da caixa de entrada da máquina de papel. linha-d'água <water line>. <twists>. Ver também: Marca do feltro <felt mark>. Manchas de resina <rosin specks> . para mover o lábio superior <top lip> em relação ao lábio inferior <botton lip> da caixa de entrada da máquina de papel. causado por emulsificação incompleta da resina de colagem ou sua precipitação antes de ser dispersa na massa. Ver também: Papel manilha <manila paper>.{a} Padrão estampado no papel pelo feltro da prensa úmida. Marca d'água . {c} Rugosidade característica que aparece em uma das faces do papel. {b} Defeito do papel causado pelo padrão da malha do feltro da máquina fabricadora. <slab off>. Termo alternativo: <dandy mark>. Manilha <manila> .[1] <patch mark> . {b} Faixas largas e espaçadas que aparecem na superfície de uma bobina de papel devido à distribuição desuniforme de umidade. Manuseio de papel <paper handling> . Termo alternativo: cânhamo-demanilha <manila hemp>. Marca de rolo succionador <suction roll mark> . antes de montá-la na impressora rotativa. a fim de controlar a descarga de massa localizadamente e acertar a gramatura do papel naquela zona. a armazenagem e a manipulação do papel durante os processos de ambientação.Tipo de marca produzida no papel pela tela ou pelo rolo filigranador da máquina de papel. Ver também: Empilhadeira de braçadeira <clamp tractor>. Marcas de bolha <ring marks> .Conjunto de linhas muito próximas. Manta .Porção removida das voltas externas de uma bobina de papel. na América Central e na América do Sul. Termos alternativos: <chain lines>.Defeito do papel caracterizado por um padrão de pontos em forma de matriz. pode causar moiré na impressão. <rubber-stamp mark>.Conjunto de operações que envolvem o transporte.

causada por variações de espessura do filme de tinta. após a secagem da tinta. expressa pelo tempo necessário para que 100 cm3 de ar atravesse uma polegada quadrada de papel.{a} Equipamento de controle de qualidade utilizado para medir a resistência do papel à passagem do ar. que passa entre a superfície do papel e o anel do cabeçote do aparelho. [5] <sinkage> Defeito de impressão caracterizado por uma aparência manchada do filme de tinta. {b} Condição que ocorre quando certas áreas de uma tela serigráfica não se separam adequadamente do suporte. num ângulo determinado (15°. Ver também: Alvura <brightness>. Ver também: Marmorização <mottle>. pronta para ser alimentada sobre a tela da máquina de fabricar papel. papéis etc. Termos alternativos: <galvanized solids>. {d} Técnica de decoração de papéis fantasia que consiste em colocar uma folha de papel em contato com uma superfície com desenhos feitos com tinta a óleo sobre uma gelatina de algas.Polpa úmida. {b} Efeito produzido no papel por branqueamento irregular das fibras recicladas. Abreviatura: (BTM). sob condições controladas e reproduzíveis. caracterizado por manchas irregulares nos sólidos. flua entre a superfície do papel e o anel do cabeçote do aparelho. Quando envolve o papel. semelhante à marmorização. na China.Defeito do papel caracterizado por um padrão quadriculado causado pelo feltro do secador da máquina fabricadora. <ink film mottle>. que passa entre a superfície do papel e o anel do cabeçote do aparelho. [4] <mottling> . Massa .Equipamento de laboratório utilizado para avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões pela taxa de fluxo de ar. Ver também: Feltro do secador <dryer felt>. {b} Aparelho que emite luz semelhante ao espectro ou à luz solar. pela iluminação e pelo umedecimento periódico das amostras. de papéis (norma TAPPI T452) e de outros materiais. que. e diferem do moiré devido ao espaçamento entre as manchas.m m Marcas de feltro <dryer fabric marks> . coincidente com os furos do rolo succionador. <unevenness>. sob condições padronizadas. Ver também: Brilho <gloss>. principalmente se for revestido a lâmina e supercalandrado. sob pressão especificada.[1] <paper stock> .Equipamento de laboratório que se presta a avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões pela taxa de fluxo de ar. Ver também: Lado tela <wire side>. deixando o impresso com aparência marmorizada ou com um efeito parecido com o moiré. [2] <shadow marks> . devido ao baixo tensionamento do tecido da tela ou à pouca distância de contato. conforme método TAPPI T518. sobretudo com tintas de assentamento rápido e papel cuchê. Ver também: Marmorizador <mottler>. sem simetria. devido a uma deficiência na fabricação do papel. expressa em minutos por mililitro (min/ml). [2] <paste> . <stock>.{a} Padrão de trama reproduzido pelas malhas do tecido de uma tela de impressão serigráfica. o resultado permite expressar analiticamente a porosidade e a lisura do papel. flua entre a superfície do papel e a placa lisa do aparelho. Ver também: Lisura <smoothness>.Suspensão aquosa constituída de pigmentos e de outros materiais insolúveis que entram na composição do revestimento do papel.Defeito de impressão que ocorre em impressoras bicolores ou quadricolores.Defeito do papel caracterizado por desuniformidades superficiais resultante de falha no ajuste do lábio da caixa de entrada da máquina fabricadora. Quando envolve as tintas. a causa mais provável deve-se à má formação do papel-base. [5] <stuff> . em várias regiões do espectro visível.[1] <back trap mottle> . causadas por remoção muito rápida do papel em formação sobre a tela. [2] <wire marks> . Termo alternativo: <fade-ometer>. 20° ou 75°). [2] <ink mottle> . sob pressão especificada. Ver também: Lisura <smoothness>. Medidor de alvura do papel <color-brightness tester> . Termo alternativo: <fabric marks>. devido à fluidez inadequada da tinta. sob pressão especificada. em decorrência da absorção irregular da tinta pelo suporte. Ver também: Douração do corte <edge staining>. {c} Defeito do papel causado por formação irregular. e posterior secagem.{a} Efeito visual que ocorre quando uma imagem é superfocada. Marcas de lábio <slice marks> . [3] <mottle> . visto que cada trabalho reproduz um padrão único. cujo padrão ocorre ao acaso. v As marcas de sombreamento diferem da marmorização devido à regularidade de sua geometria (coisa que não ocorre com aquela). Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .[1] <screen marks> . Termos alternativos: <mass>. v [3b] A marmorização é um problema complexo que tem diversas causas. porém apresentando um padrão simétrico. [2] <weather-ometer> Instrumento utilizado para simular o efeito da luz e da umidade sobre amostras impressas.Matéria-prima para a fabricação do papel. Medidor de lisura Sheffield <Sheffield smoothness gauge> . a causa mais provável deve-se à deficiência de aceitação <trapping> ou à rebatida <back trapping> na blanqueta da unidade de impressão seguinte. conforme norma TAPPI T442. Medidor de lisura Bendtsen <Bendtsen smoothness gauge> . utilizado para testar o efeito da luz sobre materiais impressos. <porridge>. Medidor de envelhecimento .[1] <couch marks> .Padrão em relevo produzido na superfície do papel pela tela da máquina fabricadora. {b} Equipamento de laboratório que se presta a avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões pelo tempo necessário para que um determinado volume de ar. Ver também: Lisura <smoothness>. a solidez das tintas e de outros materiais. envolvendo o papel. causado por excessiva penetração da tinta no papel. e ocorre principalmente com papéis de alta gramatura (acima de 150 g/m2) nas áreas chapadas do impresso.{a}Manchas causadas no papel devido à diferença de umidade entre os furos de sucção do rolo couch e das prensas de furo cego <dry press>. ou por excesso de emulsionamento de água em tinta durante o processo de impressão ofsete. Marcas de sombreamento . Marcas de tela . Termo alternativo: <dryer felt mark>. Termo alternativo: marcas de malha <mesh marks>. variações de absorção ou receptividade irregular da tinta pelo papel. podendo ocorrer tanto nas áreas chapadas quanto nos meios-tons.{a} Tipo de tratamento decorativo das bordas refiladas de um livro encadernado. [4] <slurry> . quando os pixels individuais são visíveis ou devido à granulação do filme fotográfico. conforme método TAPPI T479. a causa mais provável é o excesso de emulsionamento com as tintas e ocorre principalmente nas áreas reticuladas. conforme método TAPPI T479.{a} Instrumento utilizado para medir a permanência de papéis. Quando envolve a solução de molhagem. v [4d] A arte a marmorização é conhecida desde o século VII.Defeito do papel caracterizado por manchas superficiais com o mesmo padrão dos furos do rolo de sucção <couch roll>. além de adorno. causado pelo contato do filme de tinta impresso com a tinta da blanqueta da unidade seguinte. Medidor de lisura Bekk <Bekk smoothness gauge> . {b} Defeito que ocorre na impressão.Mistura de elastômeros e de cargas minerais utilizada na preparação do revestimento de rolos emborrachados das impressoras e de outros equipamentos.Aparência não uniforme do produto impresso.[1] <fadeometer> . tintas. Medidor de lisura Gurley <Gurley smoothness gauge> . refinada e dispersa. sob condições controladas. expressa em minutos por mililitro (min/m l).Instrumento utilizado para medir a reflectância especular da superfície do papel ou de uma superfície impressa. Ver também: Lisura <smoothness>. a tinta e a solução de molhagem ofsete. Marmorização . sob pressão especificada. conforme método TAPPI T535. caracterizada por diferenças de densidade ou de cor. Ver também: Casca-de-laranja <orange peel>. {b} Aparência manchada.Instrumento fotoelétrico designado para medir a reflectância da luz. Medidor de brilho <glossmeter> . Ver também: Casca-de-laranja <orange-peel>.O mesmo que pasta de papel. martelada ou galvanizada do filme de tinta impresso. servia como uma espécie de selo de procedência para cartas e documentos.Equipamento de laboratório que se presta a avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões pelo tempo necessário para que um determinado volume de ar. [3] <pulp> .

Propriedade que descreve a curvatura permanente de uma folha de papel ou de cartão que ficou enrolada durante certo tempo. semelhante a um compasso. entre as quais a folha é formada com igual drenagem de ambos os lados. Termo alternativo: <top-wire former>. v O ângulo de contato é aquele formado entre a superfície do papel e a linha tangente à gota que parte do ponto onde a gota contata o papel. O milking pode ocorrer tanto com papéis ácidos quanto com papéis alcalinos. sendo depois transferido por meio de calhas ou manualmente para as máquinas de refino. capacidade de umectação da chapa.[1] <forming board> . O material é desfibrado por esmagamento. Milking .Tipo de máquina de fabricar papel dotada de duas telas formadoras. ligeiramente umedecido. vidrado de blanquetas e de rolos. para espaçar as lavagens de blanqueta. presença de cálcio solúvel no papel. pH da solução de molhagem. pasta mecânica ou aparas. ou da colagem interna. ponto oco <hollow dot> e neutralização da solução de molhagem (o pH sobre a chapa pode alcançar uma unidade acima do pH da solução).Dispositivo da máquina de papel no qual o jato proveniente da caixa de entrada é dirigido entre duas telas convergentes. contribuindo para a ocorrência de marmorização.m m Medidor de ovalização <radivarius> . Ver também: Método da opacidade difusa <diffuse opacity method>. Molassa <wood grinder> . Método do indicador seco <dry indicator method> . Tela <wire>. que se encaixa no tubete da bobina. aplicar peróxido de hidrogênio (água oxigenada) com uma esponja ou um pano limpo. quase sempre em concreto. dificuldade de manter a solução de molhagem sob controle. Método do ângulo de contato <contact angle method> . reduzir a temperatura da solução de molhagem e da água de resfriamento dos rolos vibradores (bailarinos) dos sistemas de molhagem e tintagem. conforme norma TAPPI T458.Aparelho. adicionar glicerina à solução de molhagem (10 ml/litro). Ver também: Método da razão de contraste <contrast ratio method>. favorecendo a filtração seletiva e a secagem das tintas. Mesa formadora de dupla tela <twin-wire former> . com um eixo vertical rotativo no centro. utilizado para avaliar graficamente a condição de ovalização de bobinas de papel a partir das variações no diâmetro. Termos alternativos: branqueamento <whitening>. que se fixam às blanquetas deixando sua superfície "leitosa". variações de cor. para eliminar a cegueira da chapa (rejeição da tinta). envelopes. pressão blanqueta/papel. conseqüentemente. Os problemas mais graves ocorrem na impressão ofsete plana. vidrado e endurecimento dos rolos e. As partículas de carbonato de cálcio misturam-se com a tinta na rolaria. é recomendável utilizar solução de molhagem altamente tamponada e em concentração acima do normal. Ver também: Mesa do funil <former board>. filtrar a solução de molhagem para remover as partículas de carbonato de cálcio (filtro de 2 µ). respectivamente. rejeição da tinta. Ver também: Memória do papel <paper memory>. O acúmulo nas áreas de contragrafismo da blanqueta pode causar desgaste da chapa (sobretudo das chapas eletrostáticas de papel) e velatura. com as chapas e com as tintas. O acúmulo nas áreas de grafismo deteriora a qualidade da imagem impressa. geralmente de granito. as chapas e os rolos. tal como deve ocorrer em sobrecapas. condutividade da solução de molhagem. posteriormente substituídas pelos desagregadores ou pulpers. Opacidade <opacity>. polimento da chapa em torno dos textos. Mesa formadora . manter a condutividade da solução de molhagem sob controle (o carbonato de cálcio endurece a água da solução. capacidade de umectação do papel. O carbonato de cálcio solubilizado na solução de molhagem pode reagir com esta. Não deve ser confundido com arrancamento a seco.Primeiro elemento de drenagem localizado sob a tela da máquina de fabricação de papel. e de um braço ajustável.Teste que determina a resistência de um papel à água. mas o pH pode permanecer constante se a solução for tamponada). v Os papéis microporosos têm diâmetro de poro cerca de 1/30 do diâmetro dos poros dos papéis microporosos. para desfibrar a matéria-prima fibrosa. para evitar ou retardar o acúmulo na rolaria. devido ao umedecimento sucessivo do papel durante a impressão. Método da opacidade difusa <diffuse opacity method> . o qual é mais pronunciado na primeira unidade de impressão e deve-se ao desprendimento de partículas do amido usado na colagem superficial do papel <sizing>. a partir da segunda unidade de impressão. Ver também: Memória de dobra <crease retention>. conforme norma TAPPI T433. a fim de manter a chapa limpa usando pequeno volume de solução.Característica de papéis e de cartões de impressão que apresentam poros capilares de diâmetro relativamente pequeno.Deslocamento do ligante do revestimento do papel para a superfície. bulas etc. menor a umectação do papel pelo líquido.Método indicativo do grau de colagem superficial de um papel. e calcular a relação entre os dois valores encontrados. [2] <gap former> . e esta é colocada em contato com a água do lado oposto. Pode ocorrer devido ao enfraquecimento da ligação do carbonato de cálcio ao papel causado pela solução de molhagem . dotado de um eixo fixo. exigindo lavagem das blanquetas a cada 20 minutos (cerca de três a quatro mil folhas). v Uma anilina solúvel em água é colocada num dos lados de uma amostra do papel. mas tende a ser pior com papéis alcalinos devido à reversão de colagem. Ocorre predominantemente nas áreas de contragrafismo da blanqueta. calcificação. Ver também: Ligante <coating binder>. evitar que o pH da solução de molhagem caia abaixo de 4. Memória do papel <paper memory> . e a mesma amostra colocada sobre uma folha de papel preto. Memória de dobra <crease retention> .5. durante a fase de secagem. Ver também: Ângulo de contato <contact angle>. Microporosidade <microporosity> .Antiga máquina. isto é: celulose. e 500 a 1000 vezes o número de poros. expressa pelo tempo de contato e da aparência do papel no lado oposto. antes da lavagem com solvente. podendo causar secagem prematura da tinta nos rolos. ou a qualidade da sua colagem interna. que consiste em medir o ângulo que uma gota de água forma quando colocada em contato com a superfície do papel. distribuição irregular da tinta. quanto maior o ângulo de contato. Método da flotação em tinta <ink flotation method> . pela absorção que um corpo de prova sofre ao flutuar na superfície de uma tinta colorida. Algumas ações corretivas incluem: lavar os rolos com ácido acético (vinagre) e água morna.Problema que ocorre na impressão ofsete com papéis alcalinos.Característica do papel ou do cartão de manter-se dobrado após a operação de dobra. o ângulo é 0° quando a gota é totalmente absorvida pelo papel. acertar o balanço água-tinta de modo a alimentar a mínima quantidade possível de solução de molhagem.Método de avaliação da opacidade de um papel por meio da relação entre a luz refletida por uma amostra colocada sobre um maço de folhas brancas do mesmo papel. otimizando o processo de assentamento das tintas por filtração seletiva.Teste de avaliação da resistência de um papel à água. nas áreas de 30% de retícula. As causas potenciais de problemas incluem: conteúdo de carbonato de cálcio no papel. v O milking refere-se ao desprendimento de partículas de carbonato de cálcio do papel. pelo tempo que um líquido leva para penetrar completamente o papel. Migração do ligante <binder migration> .Teste de avaliação da opacidade de um papel que consiste em medir a reflexão de luz numa amostra colocada sobre fundo preto e sobre fundo branco. blanquetas quick releasing (desprendimento rápido) ajudam a reduzir o milking. sem auxílio de adesivos. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . reduzindo a dupla-face e melhorando a formação do papel. podendo causar cegueira da chapa. Consiste essencialmente de uma cuba redonda. o tempo decorrido até que a anilina começe a exibir coloração pronunciada é considerado o tempo que a água leva para penetrar o papel. usada no início do processo de fabricação do papel. alcança a saturação e se deposita sobre as blanquetas. Método da razão de contraste <contrast ratio method> . sensibilidade das tintas ao cálcio. que se apóia na sua superfície. Ver também: Macroporosidade <macroporosity>. onde são fixadas duas pesadas pedras circulares. com tintas magenta e ciano. Termo alternativo: <making board>.

Número de reversão de alvura <post color number> .4 mm) de espessura. constituído de espadas metálicas.Valor que expressa a qualidade de dobragem de um cartão e determina a sua adequação à conversão em caixas. sem interromper o processo. quando multiplicado por 2. Número de flexão <bending number> . utilizada na impressão de pequenas tiragens. Ver também: Colado <sized>. {b} Valor que expressa o conteúdo de lignina na pasta de papel. com coloração ligeiramente marrom. em condições padronizadas de tempo. geralmente impressos padronizados e material de escritório.{a} O mesmo que resistência ao estouro. expresso pela relação: PC = (100 .{a} Acessório de algumas impressoras ofsete planas. visto que cada folha contém duas páginas. Termo alternativo: <K number>. mais estável a alvura. Ver também: Corpo <bulk>. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>. Neutralizador de estática <film static neutralizer> . equivalente ao número kapa/0.n mn m Mullen . o número de corpo corresponde ao número de páginas por polegada (ppi). manualmente ou fotograficamente. que permite formar diversas pilhas de papel impressas. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . sem parar a impressora. Non-stop . determinado pelo número de mililitros de uma solução décimo normal de permanganato de potássio absorvido por um grama de celulose isenta de umidade. quanto menor o número. {b} Pequena impressora ofsete cuja chapa pode ser diretamente preparada por datilografia. {b} Instrumento que se presta a avaliar analiticamente a resistência de papéis de impressão ao estouro. Termo alternativo: <rotoprint>. de pequenoformato. na saída da impressora.Diz-se de um papel que não recebeu acabamento em calandra ou supercalandra. Termo alternativo: <PC numer>.R2)2/2R2 . Ver também: Barra antiestática <antistatic device>. onde R1 corresponde à alvura antes do envelhecimento e R2 à alvura após o envelhecimento. sem romper no vinco ou delaminar as camadas. Eliminador de estática <static eliminator>. independentemente da alvura original.(100 -R1)2/2R1.Valor que expressa a perda de alvura do papel. temperatura e acidez. Não-calandrado <uncalendered> . fabricada pela AddressographMultigraph Co. Ver também: Revestido <coated>. Termo alternativo: não-cuchê.Diz-se de um papel que não recebeu tratamento impermeabilizante durante a preparação da massa ou na prensa de colagem. assim chamado em razão do nome do instrumento de teste utilizado para avaliar a resistência do papel ao estouro. Ver também: Reversão de alvura <brigthness reversion>. N Não-branqueado <unbleached> .{a} Marca registrada de uma máquina de impressão fotoofsete. Número de permanganato <permanganate number> . cuja função é permitir alimentar uma nova pilha de folhas. v O número de corpo dá uma indicação da espessura do miolo de um livro e serve para projetar a lombada da capa de livros encadernados. fabricados com polpa que não recebeu tratamento de branqueamento.66. Não-revestido <uncoated> .Termo empregado para designar papéis. Teste de Mullen <Mullen test>. Número de corpo <bulking number> .Quantidade de folhas contidas em uma resma de uma polegada (25. Multilite <multilith> . Ver também: Branqueado <optical whitened>. Não-colado <unsized> .{a} Método de exprimir a branqueabilidade da celulose. medido sob pressão especificada. {b} Acessório de algumas impressoras ofsete planas. Ver também: Calandrado <calendered>.Aparelho que se presta a eliminar a carga eletrostática acumulada na superfície de filmes e de bases de montagem de fotolitos.Papel sem aplicação de camada cuchê. constituído de uma prancha de metal ou de madeira.

v {a}Um papel completamente opaco não permite a passagem da luz. empregando o método da opacidade difusa ou o método da razão de contraste. Ofsete-gravura <offset gravure> . revestidos ou não. é o processo mais difundido no mundo. Os produtos impressos em ofsete incluem jornais. o controle da temperatura da tinta é crítico e. <waterless lithography>. Termos alternativos: rotofsete. <waterless printing>. as fibras de celulose são transparentes por natureza. {c} Relação entre a intensidade da luz incidente e a quantidade de luz transmitida ou refletida pelo original. importante na impressão de livros para determinar a legibilidade do texto. desta. Termos alternativos: impressão tipográfica indireta <letterpress indirect printing>. Ver também: Impressão a seco <dry printing>. tipografia indireta <indirect letterpress>. Ofsete baixogravado <deep-etch offset>.[1] <piping> . A impressão por esse processo. Impressão ofsete <offset printing>. tipofsete <letterset>. Rugosidade <roughness>. o que prejudica a leitura e altera as cores. Ver também: Bordas onduladas <wavy edges>. madeira e. {b} Dobradura que ocorre nos cantos das páginas de um livro ou de uma revista. <letterset dry offset>. não necessitando de solução de molhagem para repelir a tinta das áreas de contragrafismo.[1] <dry offset> . {b} Aparelho que mede a opacidade do papel pela luz refletida. Opacímetro <opacimeter> . folhas ou bobinas). Termo alternativo: litografia ofsete <offset lithography>. v O sistema de impressão indireto foi inventado por Rubel.{a} Defeito que ocorre na dobradeira de máquinas rotativas. impressos de segurança. variando desde pequenos duplicadores de formato A4 (210 x 279 mm) até o formato 7B (1200 x 1600 mm). conforme norma TAPPI T519. as cargas minerais (caulim. Ondulação . Os suportes de impressão mais utilizados são os papéis e os cartões. Termos alternativos: <driography>. embalagens flexíveis. gerando produtos semiacabados (cadernos. Opacidade <opacity> . listas. a partir do princípio da litografia. As impressoras rotativas são configuradas em-linha (unidades enfileiradas) ou do tipo satélite (com um cilindro de contrapressão comum a diversas unidades) e podem imprimir um ou ambos os lados do papel. indireto. embalagens. ofsete alto-relevo <relief offset>. As tintas são pastosas. rotogravura indireta <indirect gravure>. conforme norma TAPPI T519. [2] <waterless> . {b} Habilidade de uma tinta de ocultar a superfície sobre a qual foi impressa. feita numa impressora ofsete convencional. Ver também: Impressão ofsete <offset printing>.Processo de impressão planográfico.{a} Condição que se desenvolve numa folha de papel quando exposta a um ambiente com umidade relativa superior à umidade do papel. livros. {b} Relação determinada por um opacímetro por comparação entre a luz refletida por uma folha de papel colocada sobre um fundo preto. Litografia <lithography>. Ver também: Papel ofsete <offset paper>. carbonato de cálcio. [2] <waviness> .Processo de impressão que utiliza chapas planográficas cuja emulsão fotossensível é feita de borracha siliconada que. Ver também: Poder de cobertura <covering power>. elimina a necessidade de uso da solução de molhagem. associado à flexografia. Orelha-de-cachorro <dog-ear> . Termo alternativo: opacidade difusa <diffuse opacity>. cujo resultado é um defeito no produto acabado que não pode ser corrigido no refilo. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . fabricado especificamente para ser usado no processo de impressão ofsete. Opacidade de impressão <printing opacity> . catálogos. revistas. Hoje. As impressoras planas podem ter diferentes formatos. Transparência <transparency>. em 1904. pegajosas e possuem viscosidade inversamente proporcional à velocidade das impressoras. dióxido de titânio) aumentam a opacidade do papel. Papel revestido <coated paper>. no qual um cilindro rotogravura transfere a imagem entintada para uma blanqueta ofsete. após copiada e revelada. Ver também: Razão de contraste <contrast ratio>. Ver também: Razão de contraste <contrast ratio>. e diminui com o aumento da refinação e da calandragem.{a} Aparelho fotométrico utilizado para medir a opacidade da pasta de papel. embora promovam redução das propriedades mecânicas. só aceita a tinta nas áreas de grafismo. material promocional e uma ampla variedade de outros produtos.Tipo de papel que apresenta elevada resistência ao arrancamento.{a} Extensão com que a luz é barrada ao atingir o suporte ou o filme de tinta. configuradas com uma a 12 unidades de impressão.{a} Relação entre a refletância difusa de uma folha de papel apoiada sobre fundo preto e a refletância difusa da mesma folha apoiada contra fundo branco.Enrugamento ou nervura que se desenvolve no papel em bobina devido ao tensionamento ou à secagem. caracterizado por deixar o canto de uma ou mais páginas do caderno virado para dentro ou para fora.o o O Ofsete <offset> . quando tem baixa opacidade. material de papelaria.Processo de impressão híbrido. Ofsete seco . Translucidez <translucency>. Termo alternativo: engilhamento. Termo alternativo: <dogear>. Ver também: Opacidade <opacity>. a opacidade aumenta em função da gramatura e do corpo do papel. a imagem impressa num dos lados interfere no resultado impresso no verso da folha. as impressoras são equipadas com sistema de resfriamento especialmente desenvolvido. que a transfere para o suporte. Nesse processo. as máquinas reversíveis permitem imprimir os dois lados das folhas numa só entrada. As impressoras ofsete podem ser planas (alimentadas por folhas) ou rotativas (alimentadas por bobinas). ficando maior do que as demais páginas após o refilo. para isso. no qual a tinta depositada nas áreas de grafismo da matriz de impressão (chapa) é transferida para uma superfície emborrachada (blanqueta) antes de imprimir no suporte.Processo de impressão que emprega chapas em alto-relevo para transferir a imagem entintada para uma blanqueta e. talonários. Ofsete revestido <coated offset> . porém causam a difusão da luz que atravessa a folha de papel. utilizado imprimir suportes metálicos. {b} Característica da superfície de um cilindro rotogravura que descreve o grau de uniformidade do trabalho de retífica e polimento. devido a sua flexibilidade. para o suporte. com gramaturas variando de 30 g/m2 até 500 g/m2 ou mais. Ver também: Intáglio <intaglio>. e a luz refletida pela mesma folha colocada sobre diversas folhas brancas do mesmo papel.

com ou sem linhas d'água. lasca <chip>.{a} Plataforma de carga. incluindo operações de acabamento em-linha como: dobra. resistência (à dobra. Papel autocopiativo <carbonless paper> . formada sobre uma tela a partir de uma suspensão aquosa de fibras de celulose. sendo que as cápsulas do doador rompem-se por impacto e reagem com o receptor. corrugado de dupla parede <double-wall corrugated>. com espessura igual ou superior a 0. <knit>. classificada de acordo com o processo de fabricação. produzido nas gramaturas de 50 g/m² a 90 g/m². porosidade.[1] <binder's board> . fabricado com pasta química branqueada (acetinado de 1ª).) e outras.{a} Material rígido usado para confeccionar as pastas da capa dura de livros. corrugado de parede tripla <triple-wall corrugated>. ou fabricado com pasta mecânica ou aparas em várias camadas da mesma massa. Termos alternativos: <fiber bundle>. Pergaminho vegetal <vegetable parchment>. Paletização . sua introdução na Europa aconteceu a partir do século XII (Espanha) e século XV (Inglaterra) e só depois veio para as Américas (final do século XVII).Papel de imprimir alisado. datilografadas ou impressas por impacto. utilizado para embalagem. ao rasgo etc. porém deve conter carbonato ou silicato de sódio para aumentar o pH da solução. o acabamento superficial e a destinação. {b} Tipo de papel-cartão pesado fabricado com fibra reciclada e pasta mecânica. O papelão ondulado é utilizado para fabricação de caixas para transporte de alimentos. plano e resistente ao encanoamento. brilho. rigidez. Papel apergaminhado <parchment paper> . cada uma dessas variáveis depende da composição fibrosa e não-fibrosa. Papel acetinado <satiny paper> . constituído de uma camada de corrugado faceado com folhas planas de ambos os lados. <corrugated carton>.Papel fabricado em meio alcalino (pH superior a 7). deve receber colagem superficial. podendo receber a inclusão de pasta mecânica branqueada e aparas (acetinado de 2ª). Papel <paper> . fabricado com pasta química branqueada. visuais e printabilidade superiores às do papelbase.{a} Papel revestido numa das faces com cera contendo um corante que transfere por impacto. conferindo-lhe propriedades táteis. para atender aos requisitos dos processos de impressão e de acabamento. {b} Ferramenta usada para decorar a lombada de livros encadernados. em 1890 foi instalada a primeira máquina tipo Fourdrinier. <corrugated pasteboard>. alisado por igual em ambas as faces na própria máquina fabricadora. quando pressão é aplicada contra duas folhas em contato.Feixe de fibras de celulose que não se desintegrou durante o processo de cozimento da madeira. fragmento. cargas minerais e outros produtos. constituído de duas camadas de corrugado intercaladas entre três folhas planas. na década de 90 o país alcançou a 8ª posição. {b} Papel revestido num dos lados com um produto químico receptor. opacidade e brancura. na confecção de caixas e de suportes de cartazes. ou não digeridas durante o cozimento. utilizado na encadernação de livros. a solução de molhagem não deve conter goma como agente dessensibilizante. na qual se empilha o papel para transporte com em pilhadeira de garfo e para estocagem.[1] <palletization> . [4] <millboard> . utilizado para cópias. vincagem. Termo alternativo: <skid>. papel calandrado <calendered paper>. Papel alcalino <alkaline paper> .15 mm. papel sulfite. à tração. quando destinado à impressão ofsete. v Os papéis alcalinos exigem o uso de solução de molhagem com acidez ligeiramente mais elevada (pH entre 5 e 6) do que os papéis ácidos. os Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . desenhar etc. impressas em flexografia. <knot>. a natureza das fibras. escrever. cerâmica. corpo.Papel de escrever. do produto e das condições de uso do produto impresso. constituído de diversas folhas alternadas de papel plano e papel corrugado. Termos alternativos: <enamel paper>. mas só a partir de 1970 o volume de produção cresceu a ponto de classificar o Brasil como o 11° produtor mundial de papel e de papel-cartão.p p P Palete <pallet> . resinas e cargas. no Egito). Papelão ondulado <corrugated paper> .{a} Papel grosso e rígido empregado em processos de encadernação. embora apresente a inconveniência de reagir com a solução de molhagem ofsete em meio ácido. v O papel de imprimir pode ser revestido com uma tinta à base de látex e pigmentos. Produzido nas gramaturas de 50 g/m2 a 150 g/m2. cujas propriedades são adaptadas para atender os requisitos do processo de impressão. embalar. calandrado. utilizado para confeccionar caixas. <corrugated linerboard>. produzido nas gramaturas de 500 g/m2 a 1400 g/m2. As caixas de papelão corrugado são. a invenção do papel é atribuída aos chineses (ano 105). {d} Papel especial para reprodução de cópias duplicadas manuscritas. obtido por processamento em supercalandra fora de máquina. o papel começou a ser fabricado em 1809.Papel grosso. vidro etc. usado para cópias datilografadas. o papel ou outro material de revestimento é colado. fabricado em máquinas de mesa plana ou cilíndrica. utilizada para imprimir. usado na confecção da capa dura de livros. [2] <shive> . {b} Cartão de alta gramatura cuja espessura é medida em pontos.15 mm. [3] <chipboad> . sólido ou laminado. Ver também: Papel apergaminhado <parchment paper>. {b} Folha fina. um doador e um receptor. para fins de transporte. sem o uso de papel-carbono. recebe o nome de cuchê <coated>. e aos requisitos do produto. envelopes e almaços. com apenas um lado do papel corrugado revestido com uma folha plana. quando revestido. Termos alternativos: papel bonde <bond paper>. rígido. <mill board>. colado internamente e sem colagem superficial. contendo cerca de 10% de carga mineral. assim como um agente seqüestrante para evitar a precipitação dos compostos de cálcio e de magnésio. geralmente em torno de 200 libras por polegada quadrada. à luz.Feixe de fibras de celulose não desfibradas durante o processo de dispersão. corrugado de parede simples <single-wall corrugated>. lisura. [5] <paperboard> . <corrugated cardboard>. posteriormente separado nos depuradores rotativos. com espessura igual ou superior a 0. com resinas sintéticas (ASA.Sistema de acondicionamento de papéis e de produtos impressos. opaco. e do método de acabamento aplicado durante ou após a fabricação. para fins de transporte. corte-e-vinco e colagem. Papelão sólido <solid board>. No Brasil. Papelão . absorção. v O papel é uma evolução do papiro feito de junco (300 a.{a} Material constituído de uma pasta de fibras de celulose.Papel grosso. utilizado para formar a estrutura da capa dura de um livro. [2] <palletizing> . AKD) e carbonato de cálcio. rígido. usado para reprodução por transferência química. colado internamente. maciez. feita de madeira. {c} Estampa indicando o nome do encadernador na capa interna de um livro. O papel NCR é revestido na frente e no verso com dois produtos químicos microencapsulados. produzindo uma imagem. utilizado para imprimir cadernos.C. {c} Papel revestido num dos lados com dois produtos químicos. indicado para impressão tipográfica.Material constituído de camadas de folhas de papel laminadas. de plástico ou de m etal. Ver também: Papelão laminado <filled board>. v O papel corrugado é fixado às pranchas <liner board> de quatro modos: corrugado simples <singlefaced corrugated>. a partir da embira. Ver também: Papel ácido <acid paper>. constituído de três camadas de corrugado intercaladas entre quatro folhas planas. Palito . brancura. [2] <board> Cada um dos retângulos que formam a estrutura da capa dura de um livro encadernado. em 1841 instalou-se uma fábrica de papel-jornal a partir de troncos de bananeira. caixas etc. apresentando elevada permanência. sobre as quais o tecido. geralmente. cartão ondulado. O papelão corrugado deve ter elevada resistência ao estouro <bursting strength> medida pelo teste de Mullen. Ver também: Papel acetinado <satiny paper>. O setor experimentou um importante período de desenvolvimento entre 1920 e 1930. Termos alternativos: <board paper>. apresentando um certo grau de brilho em ambas as faces. Termos alternativos: cartão corrugado <corrugated board>. com ou sem aparas. o papel deve reunir uma série de propriedades.[1] <chop> . incluindo: opacidade. com conteúdo de carga mineral em torno de 16% .. em forma de folhas ou de bobinas.Processo de acondicionamento de papéis em estrados. {c} Pasta refinada de fibras vegetais. visto que o carbonato de cálcio reage com soluções ácidas dando origem a produtos que causam estrias nos rolos e acúmulo nas blanquetas ofsete.

Papel bonde . selos. papel revestido.Tipo de papel bonde ou de escrever. utilizado na impressão de formulários contínuos multivias. <Oxford Bible paper>.6 x 33 cm) e 8½ x 14" (21. tais como: cupons. Papel-bíblia <Bible paper> . produzindo uma imagem visualmente semelhante àquela formada pelo papel-carbono. numa máquina de escrever ou numa impressora matricial.Papel de imprimir ou de escrever. Papel cortado . [3] <cut-size paper> . Termos alternativos: <Cambridge Bible>. Ver também: Papel encorpado <high-bulk paper>. registrando os caracteres na frente e transmitindo-os para a próxima folha. [3] <body stock> . de baixa gramatura.Tipo de papel de escrever de baixa gramatura. resistente. poroso e encorpado. Visto serem reativos. vermelho ou azul. usado na encadernação como substituto da pele animal. produzido nas gramaturas de 35 g/m2 a 50 g/m2. [4] <release paper> . usado na impressão de obras volumosas. por isso. a partir do qual se perfura pequenos discos que são utilizados na produção de papel-moeda. não-acetinado (apenas um leve alisamento em máquina). em balados em pacotes de 500 folhas. [4] <parchment bond> . fabricado com pasta química branqueada e inclusão de aparas limpas ou pasta de fibra longa. resistente ao rasgo. boa resistência à dobra e rápida secagem das tintas. apergaminhado. é revestida na frente com um produto químico revelador do corante.p p químicos encapsulados se rompem e misturam-se.Tipo de papel especialmente fabricado para impressão de selos da receita do governo dos EUA. A4 etc. cortado em formatos padronizados. tratado com produtos químicos especiais que facilitam a identificação de falsificações ou de qualquer adulteração em cheques e em outros documentos legais. originando a imagem.3 x 25. as primeiras vias têm melhor qualidade.Papel muito fino. fabricado com fibras de algodão ou pasta química branqueada. utilizado para imprimir bíblias. Ver também: Formato de papel <paper size>. com boa colagem interna e superficial. letras.Diz-se de qualquer tipo de papel cortado em folhas individuais para uso em impressoras a laser de alta velocidade. Papel-base .{a} Papel de imprimir ou de escrever. resistência à tração. Termo alternativo: <featherweight paper>. cuja espessura é menor do que outro de mesma gramatura. Termos alternativos: <carbonless copy paper>. produzido nas gramaturas de 60 g/m2 a 120 g/m2. podendo receber acabamento brilhante em supercalandra. utilizado na impressão de material de propaganda. esses papéis não admitem rasuras e devem ser armazenados em temperatura abaixo de 38°C e umidade relativa entre 45 e 65%. Ver também: Papel autotípico <autotype paper>. ou à ação de produtos químicos. branco.[1] <application tape> . Papel de baixo corpo <low-bulk paper> . acabamento uniforme e boa formação. enciclopédias e obras volumosas em geral.Tipo de papel de escrever. apresentando boa printabilidade.6 x 27. é empregado na reprodução de trabalhos de elevada qualidade (rótulos. <Oxford India paper>. contendo elementos de segurança fluorescentes (UV) incluídos durante a fabricação. por isso. pode existir duas ou mais folhas CBF.Tipo de papel de impressão fino e opaco. enciclopédias etc. fios de segurança. Papel bufã <bouffant paper> . [3] <flat bond> . {b} Variedade superior de papel branco usado em papelaria.Papel leve. brancura elevada.Papel convertido a partir de papel-base. Termos alternativos: <anti-falsification paper>. quando utilizados como primeira via. <nocarbon. Termo alternativo: <boxed papers>.9 cm). correspondências sociais e em processos de copiagem.Tipo de papel produzido apenas com fibra de madeira. ausência de pó ou de impurezas. portanto. com elevada qualidade. podendo incluir apara mecânica ou manta de jornal (bufã de 2ª). cujos revestimentos CB e CF são aplicados na mesma face. durável e resistente. como dicionários. <safety coupon paper>. é revestida nas duas faces. sem colagem interna ou superficial e. Ao receber impacto. texturizado (gofrado) ou mate. com filigrana.6 cm)}e comercializado em pacotes de 500 folhas. o revestimento CB deve estar voltado para baixo e o CF para cima.[1] <boxed writings> . boa printabilidade. permanente e durável. para evitar falsificações.6 x 35. fabricado com pasta química branqueada. malas diretas.).Papel tratado para permitir a fácil remoção de etiquetas autoadesivas. impressos comerciais. Termos alternativos: <cheque paper>. na máquina de revestir ou na própria máquina que faz o papel-base. [3] <safety paper> . Ver também: Base <body stock>.6 x 27. denominados <self contained>. devem possuir o revestimento CB no verso. [2] <bond paper> . isento de fluorescência. [5] <safety-ticket paper> Tipo de papel ou de cartão cuja superfície apresenta marcas especiais ou foi tratada Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . revistas. revestido de um ou de ambos os lados com cargas minerais aglutinadas com ligantes. sem nenhum conteúdo de algodão. os dois em contato. 8½ x 13" (21. à perfuração e à dobra. Termos alternativos: <art paper>. papel-pluma <featherweight paper>. A intensidade de cópia dos papéis autocopiativos depende da pressão.6 cm). denominada CB <coating back>. originalmente designado para impressão de títulos e documentos legais. para uso em escritórios.Papel utilizado para suportar materiais autoadesivos. proteção química. assim como não devem sofrer impacto ou exposição à luz solar ou fluorescente. utilizado na impressão de formulários comerciais. papel da Índia <India paper>. [4] <safety-paper base stock> . <Cambridge Bible paper>.{a} Papel refilado em formatos padronizados {8 x 10" (20. Termos alternativos: papel bufon.{a} Papel fabricado com pasta química ou mecânica. dependendo do número de vias do formulário. Existem papéis autocopiativos. {b} Suporte de impressão fabricado com 100% de fibras de algodão. utilizado na impressão de impressos de segurança. durável. <Cambridge India paper>.required>. fabricado com pasta química branqueada e cerca de 20% de cinzas. produzido nas gramaturas de 60 g/m2 a 160 g/m2.Diz-se de qualquer suporte destinado a processo de laminação. Papel de baixa gramatura <lightweight paper> . as microcápsulas se rompem e reagem com o revelador. fabricado com pasta química. <raw stock>. muito absorvente. <postal money-order paper>. Papel cuchê <coated paper> . com revelador na frente e com microcápsulas no verso. <body paper>. Papel de segurança . <self-duplicating paper>. brancura elevada. caracterizado por apresentar lisura e formação uniformes. 8½ x 11" (21. tratado com produtos químicos reagentes.Papel fino e com superfície alisada. utilizado para imprimir ou duplicar. Por apresentar ótimas características de nivelamento superficial. missais.9 cm) e 8½ x 14" (21. semelhante ao pergaminho. liso e uniforme. [5] <register bond> . a via intermediária. tíquetes. <safety bristol>.[1] <bond circular paper> . passes etc. portanto. <India Bible>. opaco e resistente. utilizado na mimeografia e na impressão tipográfica de livros e talonários. cerca de 20% de carga mineral. fabricado com pasta química branqueada (bufã de 1ª). Ver também: Papel não-revestido <uncoated paper>. Produzido nas gramaturas de 70 g/m2 a 270 g/m2. é revestida no verso com microcápsulas contendo corantes. <prayer-book paper>. Termos alternativos: <base paper>. utilizado para imprimir bíblias. papel sem carbono <sincarbon paper>. v A primeira via do papel autocopiativo. <safety check paper>. rígido e acabado com superfície aveludada.Suporte especialmente produzido para receber o revestimento cuchê.[1] <internal revenue stamp paper> . Termo alternativo: <poster parchment>. existe limitação no número total de cópias. <India Oxford Bible>.Termo empregado para designar os papéis cortados nos formatos 8½ x 11" (21. produzido nas gramaturas de 25 g/m2 a 59 g/m2. <security paper>. papel couché. [2] <base stock> . apresentando boa apagabilidade. encartes etc. <coating raw stock>. dicionários.4 cm). denom inada CBF <coating front and back>. [2] <planchette paper> . com acabamento colado. Revestimento do papel <paper coating>. 15% de cinzas e acabamento alisado em máquina. denominada CF <coating front>.) por processos de impressão ofsete plana ou rotativa. <register paper>. Termo alternativo: <application paper>. apresentando elevada permanência (não amarela e não envelhece). papel fiduciário. [2] <cut-sheet paper> . <coated stock>. a última via. fabricado com fibras de algodão e pasta química branqueada. estampagem etc. apresentando acabamento aveludado.6 x 35. com colagem interna e superficial. com ou sem linhas d'água. {b} Papel folhado em formatos padronizados (66 x 96. Termos alternativos: papel autográfico <autographic register paper>. enciclopédias e outras obras que requerem baixo corpo. dicionários.Tipo de papel fino. papel gessado <gypsum paper>. papel estucado <clay-coated>.

Tipo de papel ofsete laminado sobre outro papel de cor diferente. fios de costura (mono.[1] <manila paper> . porém apresentando receptividade à tinta. calandrado ou supercalandrado. Papel L1 .Papel fabricado com alta porcentagem de celulose. v Na impressão com papéis macroporosos.Papel fino.p p com produtos químicos reagentes que dificultam as fraudes. que deve resistir à deterioração prematura.[1] <bright enamel> . produzido nas gramaturas até 32 g/m2.Papel de impressão de jornais e periódicos. Prensa de gofrar <embosser>. usado para produzir sacos. utilizado sobretudo para correspondência e segundas vias de notas fiscais. não ocorre filtração seletiva da tinta e. {b} Papel resistente. Papel macroporoso <macroporous paper> .semelhante ao anterior. revestido fora de máquina com 8 g/m2 a 19 g/m2 de tinta cuchê em cada face. papel-macarrão. papel machê <paper-mâché>. Papel florpost <florpost paper> .Tipo de papel de capa. as tintas para a impressão desse tipo de papel devem ser do tipo monodispersas. o processo de óxido-polimerização (secagem) é mais demorado. calandrado em calandra macia <soft calender>. porém com menor resistência mecânica.Tipo de papel fabricado com 50% de pasta mecânica e 50% de pasta química. Ver também: Papel-jornal <journal paper>. obtida por passagem da bobina entre dois cilindros: um metálico gravado (macho) e outro macio. Papel gofrado <embossed paper> . (d) kraft de 1ª . acabado em máquina. muito resistente. holográficos. alisado em máquina. [4] <rope manila paper> . Termos alternativos: <kraft wrapping>. fabricado com pasta mecânica e/ou semiquímica e aparas de papel. sacos de açúcar e de farinha. ancoragem. [3] <railroad manila> . fabricado com 50% ou mais de pasta química e gramatura superior a 40 g/m2. Ver também: Macroporosidade <macroporosity>.papel de embalagem. por isso. usado para saquinhos. [2] <coated-oneside paper> . imagens latentes. filigranas <stamp pad/instant verification> que reagem com tinta de carimbo ou de caneta e mudam de cor. acabamento alisado ou monolúcido. com inclusão de pasta de resíduos agrícolas. papel de parede. banda holográfica (elemento óptico variável bi ou tridimensional).Tipo de papel resistente e durável. sacolas. utilizado na impressão de suplementos de jornais e de revistas. Termo alternativo: <two-layer paper>. visíveis a olho nu.Tipo de papel utilizado para decalque. Papel dúplex . Ver também: Papel antifosqueante <antitarnish paper>. Ver também: acabamento gofrado <embossed finish>. imitando madeira. nas gramaturas entre 30 g/m2 e 150 g/m2. papel de embrulho. colorido ou não. nas gramaturas de 80 g/m2 a 90 g/m2. com ou sem linhas d'água no padrão fiscal.Papel fotográfico ou papel de impressão revestido e sem brilho. semelhante ao papel-imprensa..{a} Papel sem acidez e sem resíduos químicos da produção. Termos alternativos: <canary writing>. similar ao kraft natural. revistas etc.Tipo de papel cujo acabamento lembra o tecido de linho. de volantes. [2] <matte paper> . v Os papéis kraft podem ser classificados em: (a) kraft natural para sacos multifolhados-fabricado com pasta química sulfato não-branqueada de fibra longa. produzido nas gramaturas de 30 g/m2 a 90 g/m2. monolúcido. fibras e confetes de segurança (visíveis a olho nu ou sob luz UV). resistente ao rasgo e ao estouro. fabricado com celulose química branqueada. Ver também: Papel leve <lightweight paper>. de segundasvias datilografadas etc. magnetizados. [3] <duplex offset blotting paper> . Papel manilha . produzido especificamente para impressão de etiquetas. pigmentos iridescentes <couchage> que não podem ser reproduzidos por escaneamento. proteção química (produtos adicionados à massa do papel que sofrem reação com diversas substâncias). monolúcido. com 45 g/m2 a 56 g/m2 . produzido nas gramaturas de 40 g/m2 a 100 g/m2. metalizados.{a} Papel de embalagem. utilizado na impressão de tíquetes e passes. Termo alternativo: <double paper>. usado para embrulhos e embalagens em geral.[1] <mat stock> . usado na fabricação de sacos e de embalagens industriais de grande porte.Papel cuja estrutura física é constituída predominantemente de poros de diâmetro relativamente grande. Ver também: Manilha <manila>. imprimir capas de panfletos etc. em diversas cores. que apresenta superfície fosca e alvura relativamente elevada. Termo alternativo: <linens>. microcápsulas fluorescentes <hilites> coloridas visíveis sob a ação de luz UV. {c} Papel para registro permanente.Papel revestido apenas num dos lados. Ver também: Papel alcalino <alkaline paper>. usado na impressão de formulários contínuos. com resistência mecânica similar ao anterior. com ou sem colagem superficial. envelopes e outros produtos que requerem resistência mecânica.Tipo de papel fabricado com pasta de tecido de linho. com acabamento sem brilho. <super news>. tecido. (e) kraft de 2ª . Papel mate . monolúcido ou não. pôsteres etc. à tração e ao estouro. microimpressos). Papel-linho . fios de segurança (coloridos. supercalandrado. <railroad writing>. [2] <printing manila> . geralmente utilizado em trabalhos de elevado padrão de qualidade onde se deseja realçar as imagens impressas. v Os principais recursos de segurança incluem: ausência de fluorescência (não se utilizam branqueadores ópticos na composição). fabricado com cânhamo-de-manilha. com boa colagem interna e sem colagem superficial. sacolas e embalagens em geral. além dos recursos tradicionais como marcas d'água. usado na impressão de panfletos e de formulários contínuos. [2] <duplex enamel book> . [3] <split-colored paper> .Papel revestido e calandrado apenas num dos lados. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . utilizado na impressão de catálogos. causando redução de densidade no impresso <dry back>. (b) kraft natural ou em cores-fabricado com pasta química sulfato não-branqueada de fibra longa.Papel com superfície texturada (em relevo). usado para montar fotografias. parte da tinta penetra no papel. rótulos. de contrapressão (fêmea). monolúcido ou não. Termo alternativo: papel de imprensa. usado para fabricar sacos de pequeno porte. Papel livre de ácido <acid-free paper> . utilizado em aplicações em que a acidez pode prejudicar o conteúdo. Termos alternativos: papel LD. <mat paper>. <manila writing>. compressibilidade e maciez adequadas ao processo rotogravura. Papel-jornal roto <roto news paper> . que mudam de cor sob luz UV). {b} Papel de embalagem ou protetor.Papel revestido dos dois lados com diferentes cores ou diferentes acabamentos (brilho).Papel fabricado com pasta mecânica.Papel revestido em máquina com lâmina <blade coater>. em copiadoras ou impressoras coloridas. embalagens individuais de balas etc. que secam exclusivamente por polimerização oxidativa. fabricado principalmente com pasta mecânica ou mecanoquímica. Termos alternativos: <rotonews>. envelopes etc. resistente à dobra. Termo alternativo: papel de segundas-vias <copy paper>. nas gramaturas de 30 g/m2 a 150 g/m2. Papel MFC <machine finished coated> . usado como folha externa em sacos multifolhados.Tipo de papel que apresenta um lado colorido e o outro não. resistente. cartazes. acabamentos ou superfícies em cada um dos lados da folha.Papel de embrulho. Termos alternativos: <dull paper>. Papel-imprensa <newsprint> . Papel LWC <lightweight coated paper> . não-branqueada.[1] <duplex decal paper> . [2] <linen paper> . fabricado com pasta química sulfato de fibra longa. além disso. Papel kraft <kraft paper> . usado na impressão de malas diretas dobradas de modo a exibir os dois lados ao mesmo tempo. bi ou tricromáticos. porém com menor resistência mecânica. fabricado com pasta kraft não branqueada ou branqueada. utilizado na confecção de etiquetas. com elevada resistência ao rasgo. (c) kraft branco ou em cores-fabricado com pasta química sulfato branqueada de fibra longa. [2] <duplex paper> . Papel microporoso <microporous paper>. favorecendo a penetração da tinta.[1] <linen-faced paper> .Papel que apresenta diferentes cores.Tipo de papel de escrever fabricado com pasta mecânica misturada com pasta química de fibra longa. couro ou outros padrões. de cor parda.

[4] <parchment writing> . Papel ofsete <offset paper> . rótulos.Tipo de papel espesso.Papel fabricado com pasta química branqueada (monolúcido de 1ª). utilizado na impressão de revistas. sem colagem. resistência à água. revestido com 15 a 20 g/m2/face. mate.[1] <envelope paper> . caracterizado por apresentar elevada permanência. usado para imprimir revistas. Termos alternativos: <offset book paper>. [2] <super news> . resistência ao arrancamento. filtrando os componentes das tintas polidispersas. que assentam por filtração seletiva e secam por óxido-polimerização.[1] <plate paper> . corrugações etc). boa resistência.Papel de impressão. que absorve líquidos por capilaridade. catálogos. umidade relativa controlada. cuja superfície foi tratada com cola animal. conforme o uso. casca-de-ovo. papéis fantasia.Papel fabricado com fibras de juta. acabamento e formação uniformes. supercalandrado.{a}Termo genérico que designa os papéis usados para confeccionar envelopes. Papel para decalcomania . usado na impressão de diplomas.Papel cuja estrutura física é constituída predominantemente de poros de diâmetro relativamente pequeno e em número elevado. Termos alternativos: <gravure paper>. utilizado na impressão de revistas e suplementos de jornais. [2] <decalcomania paper> . {b} Papel cuchê fabricado com celulose química branqueada. ligeiramente colado. <process coated paper>. estabilidade dimensional. <SC paper>. papel litográfico <lithographic paper>. Ver também: Microporosidade <microporosity>. dióxido de titânio) e ligantes. Papel MWC <mediumweight coated paper> . < rotonews >.Tipo de papel vegetal fabricado com fibras de algodão e/ou pasta química. <plate-finished paper>. boa rigidez e tendência ao encanoamento reduzida. não ocorrerá a transferência da tinta e o impresso exibirá pontos brancos conhecidos por flocos-de-neve <snowflaking>.Papel cuja camada cuchê é aplicada na própria máquina fabricadora. Termo alternativo: <paper stock>. Papel supercalandrado . brilhante etc). <surface sized paper>. Papel revestido <coated paper> . v Os principais atributos exigidos pelo processo ofsete são: elevada resistência superficial (para suportar o tack das tintas). caso contrário. adequado para a impressão rotogravura.Papel que recebeu acabamento acetinado em supercalandra. revestido com uma camada composta de pigmentos (caulim. catálogos e impressos comerciais de alta qualidade.Tipo de papel absorvente. não é recomendado para impressão ofsete por não apresentar colagem superficial. apresentando diferentes requisitos de aparência e de acabamento.Termo genérico empregado para descrever um grupo de papéis de categoria superior ao papel de imprensa. Papel para livros <bookpaper> . liso e com pouco brilho. Papel-pergaminho . Papel macroporoso <macroporous paper>. desentintado e branqueado. conteúdo de carga mineral entre 10% e 15% . Papel rotogravura . à bolha <blister>. a fim de garantir o contato com a tinta no interior das células do cilindro. boa colagem interna e superficial. nas gramaturas entre 80 e 240 g/m2. No caso de impressoras rotativas. incluindo papéis revestidos e não-revestidos em diversas gramaturas. Termos alternativos: <MC paper>.Papel fabricado com pasta química de madeira e fibras de algodão. usado para confeccionar envelopes.Tipo de papel-jornal calandrado em máquina. revestido ou não.Diz-se de um papel tratado na prensa de colagem <sizepress> ou pigmentado com menos de 10 g/m2 por face. o revestimento melhora a uniformidade da superfície.{a} Papel similar ao LWC.Tipo de papel produzido com pasta química branqueada. <surfaced paper>. lembrando o pergaminho animal. [3] <parchment paper> . deixando na superfície apenas as resinas e os pigmentos. Ver também: Papel cuchê <coated paper>. Termos alternativos: <machine glazed paper>. planicidade. [2] <supercalendered paper> . uniforme e resistente à umidade.Tipo de papel translúcido. Papel SC <SC paper> . à prova de gorduras. utilizado na decoração de cerâmica e em outros processos de transferência. [2] <greeting card parchment> .<microporous paper> . Termos alternativos: papel não-cuchê. as tintas para impressão desse tipo de papel são do tipo polidispersas. cerca de 10% de cinzas. com boa colagem interna e brilho num dos lados produzido por cilindro monolúcido na própria máquina fabricadora. cores e acabamentos (antigo. macio. Papel para envelopes . Papel revestido em máquina <machine coated paper> . ou a partir de aparas de impressão ou de conversão. utilizado na rotogravura para impressão de encartes de jornal. que absorve a tinta mais rapidamente e produz uma impressão menos saturada. com superfície lisa. com ou sem revestimento. utilizado na impressão de quadricromias de alta qualidade. fabricado com fibras de algodão combinadas com pasta química.Tipo de papel durável e permanente. Papel não-revestido . além destas. a reflexão da luz e a ancoragem da tinta.Ver: Pergaminho vegetal <vegetable parchment>. produzido nas gramaturas de 60 g/m2 a 90 g/m2 para impressão de sacolas. Papel reciclado <recycled paper> . produzido nas gramaturas de 60 g/m2 a 150 g/m2 com requisitos específicos para o processo ofsete. com ou sem calandragem. fabricado com pasta química branqueada. < magazine news >.Tipo de papel similar ao papel-jornal calandrado. Ver também: Papel acabado em máquina <machine-finished paper>. lembrando o pergaminho animal. revestida com uma solução de decalque sobre a qual é impressa a imagem por serigrafia. caracterizado por apresentar lisura. {b}Papel fabricado com requisitos específicos para corte-e-vinco e dobra de envelopes em máquinas envelopadeiras de alta velocidade. livros de arte e material de propaganda.[1] <document parchment> . as tintas sofrem filtração seletiva dos constituintes mais fluidos. utilizado na impressão de trabalhos de alta qualidade a partir de chapas gravadas de cobre ou de aço. podendo conter pasta mecânica e aparas de 1ª (monolúcido de 2ª). Ver também: Papel de transferência <transfer paper>. ou por processos xilográfico e litográfico. opaco e resistente. [2] <uncoated paper> . revestido com duas ou três camadas.Papel sem camada superficial. à tração e ao calor.[1] <decalcmania paper> . utilizados para imprimir livros e uma ampla variedade de aplicações comerciais. utilizado na impressão rotogravura. fabricado com ou sem pasta mecânica. feitos de diversos tipos de fibras virgens ou recicladas. carbonato de cálcio. de superfície irregular comparada ao papel revestido. < rotogravure paper >.Tipo de papel não-revestido. Termos alternativos: <glazed paper>. favorecendo a secagem e proporcionando elevado nível de brilho ao impresso. Ver também: Papel cuchê <coated paper>. Papel monolúcido <monolucid paper> . Termos alternativos: papel cuchê. usado na impressão de documentos. <uncoated free sheet>. supercalandrado. Ver também: Papel não-revestido <uncoated paper>. [3] <superstandard news> . com acabamento brilhante ou fosco. fabricado com pasta de alto rendimento. seu conteúdo de umidade deve ser menor (no máximo 5%) e as bobinas devem ter poucas emendas e ausência de ovalizações e defeitos (furos. força de ligação interna (para resistir à delaminação). revestido com uma solução de goma-arábica. [2] <jute envelope paper> . etiquetas e laminados.Papel fabricado a partir de polpa de papel usado. Papel revestido <coated paper>. <offset sheet>. v Na impressão com papéis microporosos. <monoclear paper>.[1] <roto stock> . Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .Tipo de papel de imprensa com acabamento liso. rasgos. caracterizado por apresentar lisura elevada obtida por supercalandragem. utilizado na impressão de cartões.[1] <non-coated paper> . durabilidade e resistência. revistas etc. Termo alternativo: <ceramic transfer paper>. o papel deve ter elevada resistência à dobra. v O requisito básico para impressão em rotogravura é que o papel tenha elevada lisura e maciez.p p Papel microporoso . apresentando boa formação e printabilidade.

utilizado para correspondência. e separadores centrífugos para remoção de areia. <chemical woodpulp>. polpa química. a madeira é forçada contra uma superfície abrasiva.Tipo de papel bonde fabricado com pasta química.{a} Material obtido da madeira por processos puramente mecânicos. Abreviatura: (GWD). caracterizado por apresentar marcas d'água vergê. impede a dissipação da energia liberada durante a reação térmica e serve de barreira. porém tem baixa resistência mecânica. geralmente soda cáustica. Termo alternativo: polpa mecanoquímica. estável ao calor e ao encanoamento. <mechanical woodpulp>. [3] <verge paper> . Pasta mecânica refinada <refined mechanical pulp>. após o cozimento.{a} Polpa mecânica obtida por processos convencionais. próprio para cópias reproduzidas pelo processo xerográfico. pestapes. Algumas instalações possuem depuradores rotativos que funcionam em baixa concentração e removem os palitos. geralmente sintética.Suporte de impressão dotado de linhas horizontais ou verticais produzidas por fios metálicos ou rolos filigranadores. por processos sulfato <kraft>. [2] <folder> . Após a separação das fibras de celulose dos outros constituintes da madeira. soda e outros. por isso sofre amarelamento em presença de luz. utilizado para fax. onde as toras de madeira receberam previamente uma impregnação com um produto químico. do tipo de pedra ou disco e do modo como a moagem é efetuada. mecânica. algodão ou uma combinação destas. documentos etc.Capa retangular de couro usada para proteger livros. o comprimento das fibras determina as propriedades de resistência e de printabilidade do papel de impressão: fibras longas produzem papéis mais resistentes. v [5] Existem diversos processos de produção da pasta de papel a partir de fibras de celulose: no processo mecânico.{a} Polpa de celulose dispersa. solvente ou plastificante. {c} Tipo de cartão adequado para dobrar e vincar. a segunda camada é responsável pela reação térmica. O processo é empregado especialmente para madeiras duras. Pasta química <chemical pulp> . liso. utilizada na produção de papel. carbonato de sódio e sulfito de sódio. o que poderia destruir a imagem. obtido por processos mecânicos ou químicos.Polpa de madeira tratada em refinador de disco. opacidade e absorção elevados. atingindo o grau ROE 28 ou maior. a madeira é cozida sob pressão na presença de substâncias químicas que dissolvem a lignina e a hemicelulose. atingindo o grau ROE 10. {b} Polpa produzida a partir de troncos de madeira descascados e moídos na presença de água.{a} Suporte no qual uma imagem é formada como resultado de uma reação química irreversível. com conteúdo máximo de lignina em torno de 10%. em diversos estágios. utiliza-se água no processo para lavar as fibras e evitar danos devido ao calor e à abrasão. [4] <pastedown> . a impregnação é quase sempre feita em pressões elevadas. Ver também: Vergê <laid>.Tipo de papel de escrever fabricado com pasta química ou fibras de algodão. anilinas. Abreviatura: (RPM). que ocorre por ação do calor. Em alguns casos. causado por partículas de impurezas misturadas à massa. papel estriado. {b} Polpa úmida em qualquer estágio do processo de fabricação do papel. no Brasil. sulfito. Termo alternativo: papel termocopiativo.Suporte que exibe marcas de tela <laid> ou de corrente <chain> quando observado através da luz. Parte úmida . a terceira camada <undercoating> funciona como um isolante térmico. Termos alternativos: pasta de celulose <cellulose paste>. originais e outros pertences de um trabalho. polpa mecânica. por digestão química ou cozimento. o calor gerado no processo amolece a lignina em alguma extensão. a limpeza. o grau de desaguamento e a resistência das fibras. com umidade controlada e elevado grau de resistividade elétrica. o processo tem alto rendimento (80 a 90% ). Termos alternativos: papel avergoado. originando uma pasta de alto rendimento (86 a 93% ). o papel térmico (também chamado de papel químico) é constituído de diversas camadas: a camada superficial <overcoating> protege o revestimento térmico contra água. para dissolver a lignina que liga as fibras da madeira. As características principais da pasta são a uniformidade. [2] <laid writing> .Cada um dos retângulos de cartão sobre os quais se aplica um revestimento de papel.Tipo de papel bonde fabricado com pasta química. a principal fonte de fibras de celulose provém de madeiras resinosas (pinus). refinada. Papel termográfico <thermographic paper> . v [5] Na América do Norte e na Europa. a pasta passa por um depurador plano.Produto constituído de fibras de celulose. Ver também: Pasta semiquímica <semichemical pulp>. [2] <xerographic paper> . é pressionada contra uma pedra rotativa. Partículas estranhas <foreign particles> . usado na confecção de cartuchos. equivalente ao número de Permanganato (TAPPI) 140 ou maior. onde se origina a imagem a partir do calor emitido pela cabeça térmica da impressora. programas ou outras pastas na mesa de trabalho. por processos de cloração. onde são removidas as lascas e os pedaços de madeira. tratada com agentes de colagem. v No processo de obtenção de polpa mecânica. Após deixar o moinho.Tipo de papel reativo. pronta para formar o papel. Pasta . Termos alternativos: celulose. combinam-se a ação mecânica e a ação química para produzir uma pasta de médio rendimento (60 a 75%). cargas etc. estas podem ou não sofrer branqueamento.Envelope grande utilizado para guardar filmes. produzindo uma pasta de baixo rendimento (46 a 55% ). óleo.[1] <xerocopy paper> . baixa alvura e pouca permanência. polpa. evitando que adesivos hot-melt prejudiquem o revestimento térmico devido à migração do plastificante ou do solvente através do papel-base. Termo alternativo: polpa mecânica refinada. que recebe um tratamento superficial com corantes e reagentes químicos.Defeito do papel caracterizado por pontos opacos. v A pasta química é classificada como semiquímica quando. fibras recicladas. Termo alternativo: plano. [3] <job envelope> . evitando que o revestimento térmico penetre no papelbase.{a} Polpa obtida com o emprego de produtos químicos e calor. de tecido ou de couro. Ver também: Impressão térmica direta <direct thermal printing>. a fim de liberar as fibras de celulose. Papel xerográfico . Termo alternativo: <bender>. A pasta é também branqueada em instalações convencionais com peróxido de hidrogênio ou hidrossulfeto de zinco ou de sódio. descascada e limpa. Pasta mecânica <mechanical pulp> . tratamento alcalino. os valores indicam uma pasta mais dura. v Dependendo da aplicação. {b} Suporte no qual uma imagem é formada como resultado de mudanças físicas que ocorrem numa fina camada do revestimento. às vezes com auxílio de calor. no processo químico. Papel vergê . equivalente ao número de permanganato (TAPPI) 50. no processo semi-químico. as quais são ditas moles e dão origem a fibras longas (cerca de 3 mm). [5] <pulp> . {b} Folha de cartolina dobrada para formar uma bolsa. etiquetas e impressão térmica. ou em janelas de diretório.p p Papel térmico <thermal paper> . A qualidade final da pasta depende da madeira.. pela mesa plana e pelas prensas da máquina de papel. a cor. a polpa é obtida pela ação mecânica de desfibradores. procede-se a um ligeiro alvejamento para melhorar a cor.[1] <brief case> . pasta de papel. em máquinas chamadas moinhos de pasta. oxidação com ozônio ou hipocloritos.{a} Local reservado para guardar documentos. utiliza-se principalmente o eucalipto. a quarta camada <back barrier> serve de barreira. sensível ao calor. para formar a capa dura de um livro.[1] <laid paper> . <groundwood pulp>. pasta de madeira. {b} Polpa obtida da madeira ou de outras fontes vegetais. onde a madeira cortada em toras de tamanho adequado. [6] <stock> . Termos alternativos: <groundwood>. Pasta mecanoquímica <mechanico-chemical pulp> . que é mais duro do que o pinus e origina fibras curtas (cerca de 1 mm). {b} Polpa de materiais lignocelulósicos obtida por processo de desfibramento e posterior tratamento químico. derivando uma pasta que substitui a pasta mecânica convencional de coníferas. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . o papel produzido a partir de pasta mecânica apresenta corpo. em sistemas eletrônicos de editoração. especialmente para uso em fotocopiadoras e impressoras a laser. ou processada em refinadores ou moinhos de disco na forma de cavacos. porém as fibras curtas proporcionam melhor printabilidade. como ocorre na recepção de fax.Conjunto formado pela caixa de entrada. destinado à fabricação do papel. usada principalmente na produção de papel de imprensa e de papel para livros de menor classe.

solvente) de ser absorvido pelo suporte.Variação da força de caracteres tipográficos: claro. móvel em toda a largura da folha.Termo que designa a quantidade de papel.{a} Habilidade de um papel de imprimir de conservar suas propriedades durante o período de estocagem. Pergaminho artificial <artificial parchment>.Polpa obtida por tratamento de cavacos de madeira. um solvente ou um verniz é absorvido pelo suporte. descontado o peso do tubete. para adquirir a aparência do pergaminho. com uma camada de tinta em torno de 6 g/m2 a 10 g/m2 por face.Categoria de papel revestido em máquina. os valores indicam uma pasta mais dura. Perfil de umidade <moisture profile> . produzido por passagem da folha através de um banho de ácido sulfúrico. força <strength>. Termo alternativo: <moisture vapor permeability>. de uma resma (500 folhas) de papel de um determinado tipo. expressa em quilogramas.g. isento de produtos químicos residuais (soda. verniz. Penetração . Termo alternativo: <glassine>. Permanência <permanence> . Peso de revestimento <coat weight> . a máxima permanência é obtida com papéis feitos com fibras de celulose branqueadas e pH neutro ou ligeiramente alcalino.Pasta de celulose que apresenta grau de alvura GE igual ou superior a 80% .Massa. {c} Diploma ou certificado impresso em papel que lembra o pergaminho. Permeabilidade ao ar <air permeability> . Abreviatura: (TMP). {b} Papel fabricado com celulose pura. Permeabilidade <permeability> .[1] <penetration> . seguido de desfibramento mecânico. importante quando se considera papéis para embalagem. permite formar uma tira ou ponta. ao rasgo etc. tubetes de bobina etc. Estabilidade <stability>. delimitam a largura da folha e os refilos laterais que caem no poço do rolo de sucção. de materiais lignocelulósicos previamente tratados com reagentes químicos. Peso do papel <weight> . Ver também: Permeabilidade ao vapor <vapor permeability>. produzindo um material fisicamente resistente mas com baixa opacidade. Peso básico <basis weight> . cortado em formato padrão. Termos alternativos: pasta mecanoquímica <mechanico-chemical pulp>. [2] <strike-in> .Propriedade do papel de permitir a passagem de ar pressurizado.Propriedade do papel que expressa a sua resistência à penetração de fluidos. pela umidade. Ver também: Gramatura <basis weight>. com elevada resistência à umidade. em prensa de colagem. calculada segundo a expressão: A. atingindo o grau ROE de 10 a 28. polpa semiquímica. Ver também: Celofane <cellophane>.Quantidade de quilos de papel em branco que sobra numa bobina. incluindo a embalagem e o tubete. após o cozimento. Permeabilidade <permeability>. posicionados sobre a tela da máquina de papel. no qual os cavacos são impregnados com sulfito de sódio e aquecidos em alta temperatura num digestor. sob condições especificadas. Peso <weight> . pela luz e por agentes químicos.Termo comumente empregado na impressão para designar o modo como o suporte absorve o veículo da tinta. Pergaminho <parchment> .Polpa produzida por cozimento químico brando dos cavacos de madeira. Porosidade <porosity>.Massa total de uma pilha de papel. desperdiçada ou estragada durante as operações de manuseio. álcalis e outros produtos químicos. para sulfonação da lignina.{a} Extensão com que o veículo de uma tinta. cloro). Pasta termomecânica <thermomechanical pulp> . sob pressão. a fim de fundir suas fibras numa massa homogênea que lembra o pergaminho. avaliada a partir da taxa de fluxo de ar que atravessa a folha. Ver também: Absorção <absorption>. chamado formato básico. sob pressão. Ver também: Durabilidade <durability>.n/1000.p p Pasta quimimecânica <chemimechanical pulp> . obtida por desfibramento em pressão atmosférica. Termo alternativo: pergaminho animal <animal parchment>. Ver também: Permeabilidade ao ar <air permeability>. {b} Habilidade de um líquido (tinta. Peso do toco <core strip weight> . Termo alternativo: papel-pergaminho <parchment paper>. expressa em quilos. Pasta semiquímica <semichemical pulp> .Polpa obtida por desfibramento em refinador de disco. Ver também: Desperdício <waste>. Ver também: Profundidade de campo <depth of field>. {b} Polpa de materiais lignocelulósicos previamente tratados com reagentes químicos. v {a} A permanência é uma propriedade relativa que depende do ambiente onde o papel é estocado e da sua composição química. que é o início da passagem do papel pela máquina. Ver também: Penetração <penetration>. em refinador de disco. impressão e acabamento.Propriedade do papel ou do papel-cartão de permitir a passagem de vapor através da folha. O terceiro jato.{a} Processo de separação das fibras de celulose da madeira. Pichasso <squirt> . Abreviatura: (BCTMP). A permanência é avaliada pelo amarelamento e pela perda de resistência original (à dobra. A permanência do papel refere-se particularmente à conservação das suas propriedades de uso mais significativas. Ver também: Peso líquido <net weight>. pré-aquecidos com vapor saturado. a fim de amolecer e remover parcialmente a lignina. entre as caixas de sucção e o rolo de sucção. Termos alternativos: <font weight>.Papel à prova de gordura. v A pasta semiquímica é classificada como mecanoquímica quando. conferindo à folha características de printabilidade superiores às de um papel ofsete. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . Termo alternativo: papiro <papyrus>. tais como: resistência à dobra e solidez à luz. Pasta quimitermomecânica <chemithermomechanical pulp> . {c} Propriedade dos pigmentos empregados na formulação de tintas de impressão de resistir ao sangramento em presença de ácidos. por exemplo: as tintas usadas na impressão de jornal "secam" por absorção. Permeabilidade ao vapor <vapor permeability> . tratado com ácido sulfúrico e lavado com amoníaco. Peso bruto <gross weight> . avaliada sob condições de pressão. Pasta quimitermomecânica branqueada <bleached chemithermomechanical pulp> . sendo afetada pela temperatura. um de cada lado. Termo alternativo: polpa termomecânica. usada na produção de cartão corrugado. negrito. no sentido transversal à direção de fabricação. {b} Propriedade de uma tinta de impressão que define a sua característica de retenção da força corante em função do tempo e da exposição à luz. transporte. de temperatura e de umidade relativa padronizadas.Nome que se dá ao conjunto de jatos d'água de alta pressão. Peso de caractere <character weight>. Pergaminho vegetal <vegetable parchment> .Quantidade de camada cuchê aplicada por unidade de área do papel ou do papel-cartão. Abreviatura: (CMP). expressa em gramas por metro quadrado por face. dois jatos fixos. Ver também: Gramatura <basis weight>.) conforme norma TAPPI T453. redondo.Peso total de uma bobina de papel. em períodos prolongados de tempo. Ver também: Marginadores <edge cutters>. onde A é a área da folha expressa em m². Pigmentado <film coating> . Ver também: Pergaminho vegetal <vegetable parchment>.{a} Folha fina e translúcida feita de pele curtida de ovelha ou de cabra. Abreviatura: (CTMP). expressa em quilos ou em toneladas. g é a gramatura do papel expressa em g/m² e n é o número de folhas da resma ou do palete. Perda de papel <paper loss> .Gráfico que indica as variações no conteúdo de umidade do papel. derivando uma pasta de alto rendimento. equivalente ao número de Permanganato (TAPPI) de 50 a 140.

Ver também: Absorvência <absorbency>. quase sempre. v As tintas rotogravura são muito voláteis e perdem solvente entre o ponto de contato da racle com o cilindro e o ponto de impressão <nip>. nesse ponto. prejudicando a qualidade do impresso. v O papel tende a grudar na blanqueta devido ao tack da tinta.Acessório de uma impressora ofsete plana onde se faz o empilhamento das folhas de papel.Defeito de impressão caracterizado pela presença de pingos de tinta ou de sujeira dentro do espaço do símbolo do código de barras. Termo alternativo: pulverulência da tinta <ink chalking>. Pontos quebrados <speckle>. Pirulito <cigarette roll> . Ver também: Alimentador <feeder>. que são arrancadas por ação do tack da tinta e acumulam sobre as chapas.Mecanismo de alimentação de impressoras rotativas que comporta a bobina de papel e permite fazer a preparação da emenda de uma nova bobina durante a impressão. indicando má qualidade da colagem superficial do suporte. Ver também: Pintinha <pinholing>. causada por deficiência na distribuição da tinta. <wash coating>. desprende-se formando um certo ângulo. {b} Condição na qual a tinta torna-se pulverulenta. maior a ancoragem da tinta.{a} Falta de adesão de uma tinta ofsete à superfície sobre a qual é impressa. da densidade e da distribuição da folha de papel. Termo alternativo: <powdering>. O problema pode ser resolvido com o uso de solventes mais lentos ou o emprego de equipamentos de auxílio eletrostático <helioklischograph>. deixando a parte sólida (pigmentos e resinas) na superfície. <pigmented surface size>. Termo alternativo: pasta. Nas células menores. Ver também: Empoeiramento <dusting>. Ponto de inflexão <inflection point> . [2] <cockling> . Polpa <pulp> . mais agudo quanto maior a distância entre o ponto de desprendimento e o nip. [2] <spots> .Substância produzida por processos mecânicos e/ou químicos a partir de materiais contendo fibras de celulose. <speckle>. enquando aquele originado por deficiência de corte ocorre na borda da folha e em qualquer porção da resma. ao ser puxado pelas pinças do cilindro de contrapressão. para uso na fabricação do papel. Podragem . Pintas . Pré-empilhador <temporary stock receiver> . Se o tack da tinta impressa num dos lados do papel não for reduzido. flocos de neve <snowflaking>. Ver também: Pó de corte <cutter dust>. fixando-se próximo das bordas das bobinas por atração eletrostática. tinta e materiais sintéticos de colagem. [3] <stickies> Defeito do papel causado por contaminantes. sobre a superfície do papel. Pó . acompanhando o seu trajeto além do ponto de impressão. seguida de enrolamento em espiral da porção delaminada. excesso de tinta. acumulam na superfície das blanquetas ofsete. prejudicando a qualidade de impressão. proporcionando elevada força corante. Pó de corte . v A porosidade do papel governa a velocidade de absorção das tintas e da água aplicada durante o processo de impressão. Termos alternativos: falha de fechamento. Termos alternativos: esbabado. o pirulito geralmente danifica as blanquetas ofsete. A porosidade depende principalmente do grau de refinação da massa. causada por deficiência de colagem superficial da folha. a partir do tempo que um certo volume de ar leva para atravessar uma superfície determinada do papel. aumentando o risco de ocorrer atravessamento. a porosidade pode ser avaliada com equipamentos chamados densômetros ou porosímetros. atinge apenas a última folha da resma. [2] <crocking> .[1] <dust> . aumenta-se a refinação.[1] <cockles> . fitas. ou seja. acabamento ou uso.Defeito de impressão que ocorre no processo rotogravura devido à falta de contato entre o suporte e a tinta contida no interior das células gravadas. v O pó de corte é causado por uma faca cega. Poeira do papel <paper lint> .Fibras ou partículas. resultante da rápida absorção do veículo da tinta pelo suporte ou devido à secagem lenta da tinta. Pontos faltantes <missing dots> . resultando numa reprodução granulada ou "arenosa".{a} Defeito do papel caracterizado por pequenas irregularidades causadas por absorção não uniforme de umidade. a tira pode vibrar excessivamente e causar duplagem ao contactar a blanqueta da unidade seguinte antes do ponto de impressão <nip>.{a} Remoção do pigmento da camada do papel ou do papel-cartão. prejudicando a qualidade do impresso. sem ligante suficiente para unir as partículas de pigmento. <coal specks>. fracamente ligadas à superfície do papel. Quando excessivo. as blanquetas e os rolos de uma impressora ofsete. Quanto mais agudo o ângulo. por uma tinta cujo tack é excessivo ou devido ao corte com faca cega ou serrilhada. Termos alternativos: felpa <fuzz>. o papel tende a acompanhar as duas blanquetas ao mesmo tempo.p p Termos alternativos: <film coated>. a tinta pode até mesmo secar. {b} Espalhamento lateral de uma tinta à base de água. Emendador de bobinas <splicer>. Nos papéis comuns. impressão. antes de alimentá-las na impressora. <skips>.{a} Irregularidade observada nas bordas de textos ou nos contornos de imagens impressas. apenas a parte fluida da tinta consegue penetrar nos poros.[1] <carbon spots> . originado do desprendimento de pequenas partículas de carga mineral ou material fibroso. causado por fragmentos de cinzas ou de pó de carvão. Termos alternativos: <cinder specks>.Delaminação do papel. porém. poeira.Pó que se solta do papel durante a impressão. penugem <fluff>. v Os papéis microporosos absorvem as tintas polidispersas de modo seletivo. Plumagem <feathering> . maior a probabilidade de ocorrer encanoamento e arrancamento de fibras ou de partículas superficiais. mais rápida a absorção. o qual pode ser evitado ou reduzido aplicando-se a colagem superficial durante a fabricação do papel. o papel apresenta a maior tendência ao arrancamento de partículas superficiais. durante a impressão.[1] <cutter dust> . Termo alternativo: <prestacking frame>. brilho elevado e secagem rápida. quanto maior a ação capilar do papel. [2] <slitter dust> . acumula-se nas blanquetas e mistura-se com as tintas.Ondulação Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .Propriedade de um papel ou de um cartão de permitir a permeação do ar e a penetração dos constituintes mais fluidos da tinta. prejudicando a leitura. em condições específicas de diferença de pressão. durante o corte. maior a probabilidade de ocorrência de decalque e bolhas. [2] <lint> .Pequenas partículas de fibras destacadas durante o corte do papel. adiciona-se amido cozido à massa e reduz-se a carga mineral. Porosidade <porosity> . podendo sofrer delaminação se a sua resistência interna não for suficiente para suportar a ação do tack das tintas. quanto menor a porosidade.Defeito do papel caracterizado por pequenas manchas superficiais.Partículas de papel acumuladas nas áreas de contragrafismo de uma blanqueta ofsete. v O pirulito causado por deficiência do papel geralmente acontece próximo do centro da folha e. Ver também: Pulverulência <crocking>. papéis que apresentam porosidade grosseira tendem a absorver profundamente as tintas. responsável pela adesão das folhas entre si.Ângulo formado entre o suporte e a blanqueta ofsete quando ocorre o desprendimento deste da blanqueta. partículas de borracha. causado por abrasão. Vazios <spots>. mal fixada ao papel. Termo alternativo: pó de refilo. aderindo às bordas das folhas e das bobinas por ação eletrostática e. tais como: adesivos. Pregas . {b} Condição na qual uma tinta impressa mancha ou risca facilmente. Porta-bobinas <roll stand> .[1] <chalking> . Permeabilidade ao ar <air permeability>. <wicking>. riscando facilmente. inadequação da tinta ao papel ou emulsionamento excessivo de água em tinta. Nas impressoras rotativas blanqueta-blanqueta <perfecting>. {c} Condição na qual partículas de pigmento do papel desprendem -se durante os processos de conversão. formando um menisco côncavo no interior das células e dificultando o contato com o suporte.Pequenas partículas de fibras ou de revestimento que se desprendem do papel. {b} Aglomerados de fibras formados no tecido de uma tela serigráfica. Permeabilidade <permeability>.

{a} Dispositivo da máquina de papel dotado de um rolo de borracha e outro de material duro. Termo alternativo: <film coat>. dotada de dois rolos cuja função é aplicar à superfície da folha um agente de colagem. secagem da tinta. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . legibilidade do texto. expressa em quilogramas por centímetro quadrado. compressibilidade. localizado logo após a tela plana da máquina de fabricar papel. v Nas impressoras ofsete. opacidade. compacta o papel e deixa as fibras em íntimo contato. valores superiores causam ganhode-ponto excessivo. {c} Seção da máquina de fabricar papel. geralmente micro-rock. As máquinas de baixa velocidade não requerem prensa de sucção. tack. amarelamento (reversão de alvura do papel). Termo alternativo: <wet press>. Ver também: Desempenho <runnability>.Tratamento e modificação das fibras de celulose. <prime coat>. quando os cilindros são calçados de acordo com as recomendações do manual de operação da máquina. ponto corrido. Prensa de gofrar <embosser> . pirulito (papel mal colado ou folhas refiladas com faca cega) e outros.[1] <impression pressure> . influenciando o corpo e o acabamento. secagem e cor. {b} Conjunto de características de qualidade que realçam a reprodução de um original por qualquer processo de impressão.08 mm e 1. <metering size press>. Problemas com os papéis <paper problems> .Quantidade de força necessária para trazer os cilindros da chapa e da blanqueta de uma impressora ofsete em contato. [3] <printing pressure> . revestida de borracha. prensa de estampagem <embossing press>. Preparação da massa <stock preparation> . para apressar a eliminação da água da folha em formação.Dispositivo da máquina de papel dotado de dois rolos e um par de cabeçotes que aplicam o revestimento ao papel-base.2 mm. v Este processo nivela a distribuição de umidade. superior ou inferior. localizado ao final da tela plana da máquina de fabricar papel. [3] <size press> . cuja função é aplicar uma quantidade controlada de revestimento ao papel. v Os principais atributos de printabilidade do papel incluem: uniformidade de cor. prensa úm ida <press section>. que auxilia a remoção de água da folha em formação. texturadora. geralmente realizado na própria máquina fabricadora.[1] <precoat> . Pré-revestimento . geralmente localizada entre as duas seções de secagem. bolhas (papel muito fechado e muito úmido). onde é feita a colagem superficial e. Papel gofrado <embossed paper>. Printabilidade <printability> . Ver também: Calandra de gofragem <embossing calender>. a folha ainda conserva cerca de 80% a 85% de umidade. dependendo das características superficiais do suporte e da compressibilidade da blanqueta. utilizado para fazer a gofragem do papel. Ver também: Colagem superficial <surface sizing>. {b} Tipo de prensa úmida da máquina de papel onde um dos rolos.Dispositivo da máquina de papel dotado de seis rolos. Nas de alta velocidade. decalque (papel muito liso e muito fechado). Pressão de impressão . <undercoating>. Ver também: Bordas onduladas <wavy edges>. expressa pela altura da chapa e da blanqueta em relação às guias dos respectivos cilindros. por diversos métodos. impressão granulada (papel grosseiro). hoje substituída pelo rolo de sucção. receptividade à tinta. uniformidade de transferência da tinta. o revestimento do papel. [2] <preloaded pressure> . Termos alternativos: m anchão. rugas (folhas mal cortadas ou bordas das folhas onduladas ou retesadas). a refinação e a mistura com materiais não-fibrosos em proporção adequada.p p que ocorre na superfície do papel quando este é exposto ao ambiente da sala de impressão cuja umidade relativa é diferente da umidade relativa do papel.Camada de revestimento muito fina aplicada ao papel ou ao cartão como preparação para o revestimento final. duplagem (lateral mole da folha ou da bobina). com diferentes durezas e velocidades. instalado depois do segundo terço da bateria de secadores. necessária para transferir a imagem para o suporte. Termos alternativos: <gluingpress>. Termo alternativo: pressão de contrapressão <back pressure>. valores inferiores prejudicam a transferência da tinta para o papel. [4] <squeeze> .Dispositivo constituído de dois cilindros. quebra de bobina (ovalização. utilizam-se prensas de sucção na primeira e às vezes na segunda prensa. isto inclui a pressão entre a chapa e a blanqueta e a pressão entre a blanqueta e o cilindro de contrapressão (ou entre as duas blanquetas nas impressoras rotativas). de impressão e de acabamento.Unidade da máquina de papel. necessária para transferir a imagem entintada da matriz para o suporte.Equipamento constituído de dois cilindros gravados. Prensa de aparas <wastepaper baling press> .{a} Conjunto de atributos dos papéis e das tintas de impressão relativos à qualidade do produto impresso ou à sua adequação ao processo. Pressão <impression>.{a} Dispositivo constituído de um cilindro perfurado acoplado a um sistema de vácuo. [3] <skin coat> . A printabilidade dos papéis e das tintas pode ser avaliada em laboratório. Cilindro de gofragem <embossing cylinder>. o Prüfbau e outros. fibra inchada (papel com pasta mecânica e temperatura do forno muito alta). Prensa de sucção <couch roll>.Força. arrancamento de partículas do papel e outros problemas. a fim de torná-las adequadas à fabricação do papel. {b} O mesmo que contrapressão. nas impressoras que trabalham com as guias em contato. saturando a folha. cujo corpo é construído de uma camisa perfurada de bronze fosforoso. Prensa de sucção <couch roll> . granito. Gofragem <embossing>. estonite. no processo ofsete (litografia). cor e resistência ao encanoamento. rigidez. Fichas <wrinkles>. nas máquinas que trabalham sem contato de guias. resultando numa impressão lavada. marmorização ou moiré (marcas de tela na folha). três de cada lado da folha. onde se processa a colagem superficial. furos ou baixa resistência à tração).Prensa montada na mesa da máquina de papel. grau de dispersão (moagem). Ver também: Feltro <felt>. lisura. Pressão chapa-blanqueta <plate-to-blanket squeeze>. [4] <surfacesize press> . fora-de-registro (papel ondulado ou instável à umidade). encanoamento (papel muito liso ou com dupla-face acentuada). Prensa de manchão <wet press> . por meio de pressão. incluindo a dispersão. v Após passar pela prensa de sucção. e altura menos distância entre as guias. cuja função é remover água da folha por meio de sucção. picotes. [2] <precoating> . Termos alternativos: prensa de gofragem. antes da seção de prensa. Termos alternativos: <base coating>.[1] <gate roll size press> . Prensa de colagem . a pressão do nip faz a tinta migrar para o interior do papel. é um rolo de sucção. as chapas e as blanquetas devem ser calçadas com folhas de papel ou de plástico calibradas. molde e contramolde. em alguns casos.Processo de revestimento do papel.Compressão entre os cilindros da chapa e da blanqueta de uma impressora ofsete. tais como: acúmulo de partículas (pó ou falta de resistência superficial do suporte). Ver também: Contrapressão <impression cylinder pressure>. ebonite ou ferro revestido de cromo duro ou cobre. com equipamentos como o IGT. <prime coating>. o papel torna-se mais liso.Equipamento que faz o enfardamento das aparas provenientes dos processos de refilo. o mesmo valor deve ser adotado para a pressão de contato entre os cilindros de contrapressão e da blanqueta. localizada entre os dois conjuntos secadores.Camada preliminar aplicada ao papel para impermeabilizá-lo e proporcionar uma boa base de ancoragem ao revestimento. Termo alternativo: imprimibilidade. Prensa úmida <press section> . melhorando a ligação entre elas e a resistência do papel. de modo que a pressão de contato resultante encontre-se no intervalo entre 0.Defeitos que ocorrem na impressão ofsete causados por deficiência dos papéis ou dos cartões.{a} Força aplicada entre os cilindros da blanqueta e de contrapressão de uma impressora ofsete. {b} Dispositivo da máquina de papel dotado de dois rolos entre os quais a folha passa para receber a colagem superficial. Os principais atributos de printabilidade das tintas incluem: viscosidade. bronze. [2] <pond size press> . antes da aplicação da segunda camada de revestimento <top coat>.

retesando o papel.Imagem de meio-tom reproduzida a quatro cores. Termo alternativo: <wet proof>. para mostrar a qualidade ou a condição do trabalho durante a execução do processo. para fins de revisão geral. Ver também: Prova de cores <color proof>. principalmente. A prova serve de amostra para o cliente e de guia para o impressor. Termos alternativos: <repro>. Ver também: Bicromia <duotone>. cujos traços servem de guia para o artista. respingos de tinta ou de água. [7] <proof sheet> .[1] <audit trail> . Pulverulência <crocking> . tinta com tack excessivo.Impressão tirada geralmente em papel brilhante. [6] <proof-sheet> Folha de prova tipográfica. a partir de dados digitais (prova de pré-impressão).8 kN/m). de dobra.Rompimento da tira de papel causada por excesso de tensionamento. [2] <press proof> . v Durante a impressão. [3] <printmaking> . provas heliográficas. o papel é sujeito a uma força de tração de cerca de 0. Prova . Termos alternativos: <four-color process>. emenda malfeita. tirada apenas para verificação de erros tipográficos. Ver também: Podragem <chalking>. Tricromia <tritone>.Reprodução fotomecânica de imagens multicoloridas. prelo etc. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . Termo alternativo: processo kraft <kraft process>. Ver também: Prova de prelo <press proof>.{a} Folha impressa na própria máquina impressora. obtido por processo fotomecânico. com fidelidade adequada para reprodução fotográfica.pq q p Problema superficial <surface problem> . provas fotomecânicas. de corte etc. por sobreposição de quatro retículas. [5] <proofing> . ou outra deficiência que sujeita o papel a um esforço além daquele que pode suportar. {b}Primeira revelação de um negativo fotográfico. a partir de filmes e corantes. {c} Folha impressa na própria máquina impressora. Quebra de bobina <web break> . para avaliação de cor e acerto da máquina impressora. a partir de um conjunto de cilindros de teste. como por exemplo um excesso de temperatura no forno. <full-color printing>. usado para testar propriedades do papel.Aparelho de laboratório muito versátil. Processo de branqueamento <bleachout process> . Ao passar pelo forno das impressoras rotativas ofsete.{a} Diz-se de um filme de tinta ou de verniz muito rígido. dispostas em ângulos convenientes. As quebras acontecem devido a defeitos localizados ou picos de tensão ou. Prova de pré-impressão <prepress proofing>. furos no papel. a causa provável é o ajuste incorreto ou inadequado da impressora <web press break>. Nesse caso. em condições normais de impressão. a partir de chapas (prova de prelo). portanto. com tintas à prova de água. {b} Última prova de uma página de jornal tirada antes da clichagem das fôrmas. pequenos cortes na lateral da bobina. [3] <quads> .Condição na qual o filme de tinta impresso risca ou borra facilmente quando atritado. geralmente bissulfito de cálcio. Q Quadricromia . cada uma representando uma das cores primárias subtrativas. [2] <quadratone> . Prova de máquina . [11] <stone proof> .Termo empregado na pré-impressão para designar.O mesmo que prova de impressor.Impressão tirada da composição tipográfica. para revisão de montagem. tais como Cromalin. para revisão de texto. enquadramento de imagens e composição de páginas. utilizam-se provas a laser ou jato de tinta. Prova de prelo <press proof>. ou eletronicamente.. Pressmatch. Prüfbau . da tinta e do seu inter-relacionamento. Processo sulfato <sulfate process> . manchas e outros.Impressão feita com chapa gravada. Matchprint. magenta.Impressão feita na pré-impressão. deixando apenas o desenho na superfície do papel. pintas. que reduz a qualidade do produto impresso. Ver também: IGT.Prova impressa em rotogravura. diagramação. {b} Característica de certos papéis e cartões que expressa a sua tendência de rachar quando dobrados. amarelo e preto. tal como ciscos. Os cartões devem ser corte-vincados com ferramentas de espessura e comprimento proporcionais à espessura da folha.[1] <four-color process> . [8] <readers> . os filmes de seleção de cores: ciano.Método de obtenção de polpa de celulose por digestão de cavacos de madeira num licor alcalino composto de soda cáustica e sulfato de sódio. o papel pode ressecar se a temperatura for muito alta. devido a condições impróprias. [9] <repro proof> . utilizando o mesmo suporte e a mesma tinta do trabalho final.Método de obtenção de desenhos a traço em fotografias e impressos prata. v [5a] Em geral. colocando-se um aplanador sobre o papel e martelando-o com um malho.Método estabelecido para acompanhar as alterações feitas em textos ou em dados pictóricos durante cada fase do processamento. como excesso de solução de molhagem ou respingos de água nas bordas da bobina. fotoquimicamente. que racha facilmente quando dobrado. furos. como ocorre com alguns vernizes ultravioleta excessivamente curados. coletivamente. de paginação. sobretudo quando ressecados. impressão em quadricromia <four-color printing>. ainda sobre o mármore. não deveria quebrar.[1] <ink preproofing> . v {b}Os papéis espessos e. para fins de aprovação do cliente antes de começar a produção. Quando o papel quebra sempre na mesma posição da máquina. com baixa resolução.Defeito da superfície de um papel. isto é. obtida por sobreposição de quantidades especificadas de tintas amarela. Quebradiço <brittleness> .{a}Impressão realizada para fins de revisão e de correção de erros. um esforço muito menor do que pode suportar (acima de 1. ciano e preta.Impressão tipográfica tirada enquanto os tipos ainda estão no mármore. [10] <slip> . deve ser reumedecido ou vincado na linha de dobra. sem flexibilidade. tetracromia <tetra-chromy>. <reproduction proof>. sendo posteriormente removidos por branqueamento. principalmente.Método de obtenção de polpa de celulose por digestão de cavacos de madeira num licor ácido composto de ácido sulfuroso e um sal. magenta. os cartões tendem a rachar na dobra. para ser submetida à aprovação antes do início da produção. [2] <beaten proof> .Impressão tipográfica. Processo sulfito <sulfite process> .3 kN/m. {c}Impressão preliminar para correção de erros de composição. encaminhada à revisão para conferência das emendas assinaladas na prova anterior e para verificação da paginação. [4] <proof> Protótipo de um trabalho a ser impresso.

relação de contraste. no rotor e no estator. Estabilidade dimensional . Refilo . hidratação e corte. Termos alternativos: bobinadeira. revestidos de lâminas ou facas de aço não-corrosivo de elevada dureza. {b} Unidade de informação a ser transferida entre a memória principal e um dispositivo periférico de um sistema computadorizado.{a} Habilidade de um papel de absorver a solução de molhagem da blanqueta ofsete. Ver também: Bobinadeira <winder>. no sistema de perfuração da lombada. às vezes substituídas por pedra lavabasalto. Ou pode ser um circuito contínuo. avaliada nas direções paralela e perpendicular às fibras. Refinador cônico <conical refiner> . a fim de acertar o formato. a fim de aumentar a área superficial das fibras e facilitar o seu entrelaçamento. {b} Resistência física do papel medida no aparelho Elmendorf. numa holandesa ou num desfibrador. bobinosa. Ver também: Resistência ao rasgo <tearing resistance>.Propriedade do papel de aceitar a tinta da matriz ou da blanqueta ofsete. Opacidade do papel <paper opacity>.Relação entre a resistência de um papel ao rasgo. provida de um freio. de dimensões específicas. Ao atingir o grau de refinação desejado. feito em máquinas denominadas holandesas ou refinadores. cuja função é rebobinar o papel impresso. à medida que essa desenrola.{a} Equipamento que corta uma bobina. ou em paralelo. montado em linha a uma máquina impressora. Razão de contraste <contrast ratio> . e uma unidade de desenrolamento. {c} Equipamento auxiliar.Tipo de refinador empregado no processo de refinação da pasta de papel. o registro pode ser avaliado pela coincidência das cruzes de registro sobreimpressas. os furos da base de montagem dos filmes coincidem com aqueles da chapa e da impressora. embora também indique a precisão de corte e de dobra dos cadernos. Termo alternativo: rasgamento. Ver também: Esguicho <squirt>. é passada para o tanque de massa pronta. Receptividade à água <water receptivity> . respectivamente.Coincidência de posicionamento das imagens impressas na frente e no verso de uma folha.[1] <burst binding> . Termo alternativo: <rerolling>. até um a porcentagem mínima. para um suporte transparente. {d} Diferença entre o máximo e o mínimo valores de luminosidade de uma imagem. quando a massa é forçada pela bomba através dos refinadores e volta para o mesmo tanque. Retenção <holdout>. Rebobinamento <rewinding> . com dois estatores e dois rotores. montados em paralelo. a fim de garantir o registro. refinagem . {b} Habilidade de uma tinta ofsete de absorver a solução de molhagem. [2] <tear> . causando delaminação de porções da camada da folha ou da bobina.{a} Operação de acabamento da fabricação do papel que consiste em cortar a bobina-mãe em bobinas menores. {b}Operação de transformação de uma bobina em outras de largura ou de diâmetro menor. [4] <trimout> .{a} Propriedade que designa a aceitação de óleos. de alta rotação. Ver também: Fora-de-registro < misregister >. depois de cortado pelas facas rotativas. especialmente o alinhamento de duas ou mais cores sobrepostas num trabalho multicor. [3] <tearing> . Ver também: Batedor <beater>. Nos tipos modernos.{a} Medida da opacidade de um papel variando desde 100%.Equipamento utilizado para a refinação da pasta de celulose. impresso sobre um suporte preto com refletância igual ou inferior a 5% . onde o rotor e o estator têm o formato cônico. antes da segunda dobra. [2] <register> . {c} Medida da opacidade do papel pelo método TAPPI da razão de contraste: razão da refletância difusa de uma folha de papel colocada sobre fundo preto. removida pelas quarta e quinta facas de uma guilhotina. pressiona-se o rotor contra o estator. por um jato d'água. Os tipos mais usados são o refinador cônico. as tiras de controle e as instruções.[1] <shave> . [2] <squirt trim> . discos paralelos. de água ou de outro líquido pela superfície do papel. Refinador <refiner> .Corte feito por ferramenta instalada na impressora rotativa ofsete. [3] <trim> . em perfeito sincronismo com o corte. {b} Máquina de acabamento que desenrola os rolos saídos da máquina de papel. Receptividade à tinta <ink receptivity> . é enrolado em condições controladas. comparado à porcentagem de refletância do mesmo material. nas extremidades da tela plana da máquina de papel. a fim de formar bobinas de largura e de diâmetro menores. {b} Ação mecânica aplicada às fibras de celulose. Termo alternativo: refile. por uma distância determinada.{a} Processo de refilar. O circuito de refinação pode ser em batch ou intermitente. Ver também: Absorvência <absorbency>. Refinação <refining>. para um suporte totalmente opaco.[1] <alignment> . o de discos e o de refugo. onde é colocado o rolo bruto saído da máquina de papel. o número e a disposição das facas pode variar. dotado essencialmente de um rotor e um estator. Termo alternativo: <registration>. sem a retirada de qualquer pedaço do papel.Corte de uma pequena porção do papel das bordas de um livro ou de uma resma. em três ações distintas: fibrilação. <Jordan>.r r R Rasgo .{a} Ruptura do papel devida à ação do tack da tinta. aplicado de maneira idêntica. evitando o acúmulo de água sobre a chapa. Ver também: Teste de absorção de óleos <castor-oil test>. Refinador de discos <disk refiner> . Opacidade de impressão <printing opacity>.Área entre dois livros. Termos alternativos: <cone breaker>. Refinação <refining> . <fiber cutting>.Tipo de refinador que emprega. {b} Propriedade do papel que designa a penetração de líquidos por ação capilar. Durante o trabalho pode-se variar o fluxo e a consistência da massa. Receptividade à tinta <ink receptivity>. Registro . Ver também: Opacidade <opacity>. Termos alternativos: <beating>.{a} Qualquer posição para onde a informação foi transferida para processamento num sistema computadorizado. Rebobinadeira <rewinder> . Por meio de um dispositivo manual ou hidráulico. Ver também: Máquina de Jordan <Jordan machine>. {d} Apara de papel removida das bordas das bobinas ou das resmas durante a fabricação. pode haver recirculação ou retorno de parte da massa. {b} Refletância total de um filme seco de tinta ou de verniz. Podem ser montados em série. na montagem. As máquinas mais recentes têm discos duplos. variando-se apenas a pressão entre rotor e estator. ou entre as áreas de sombra e de luz. cortando-os no sentido longitudinal e enrolando-os novamente em bobinas prontas. durante a impressão. os refinadores são sempre alimentados por bomba. correspondente à força média necessária para continuar o rompimento de uma tira de papel. {b} Excesso de área de uma página onde são impressas as cruzes de registro. a largura. {d} Coincidência entre as áreas de mancha impressas dos dois lados de uma folha. {e} Concordância global de posicionamento dos detalhes impressos. numa rebobinadeira. dotados de facas ou lâminas que procedem à refinação. quando a massa é bombeada através dos refinadores diretamente para o tanque de massa pronta. ou vice-versa. A rotação. as bases são perfuradas e montadas em pinos. A consistência e o fluxo da massa são mantidos mais ou menos constantes. pela refletância da mesma folha colocada sobre fundo branco. Termos alternativos: opacidade de contraste. e a pressão entre o rotor e o estator. onde o papel. quando a massa passa sucessivamente por cada refinador. de maneira uniforme. {c} Corte trilateral de livros e de revistas executado após a encadernação. sobre um suporte com 80% de refletância. na lombada do caderno.{a} Tratamento mecânico dado às fibras de celulose com a finalidade de melhorar a formação e a resistência mecânica do papel. {c} Conjunto organizado de dados relacionados tratados como uma única unidade em sistema computadorizado. Receptividade <receptivity> . quando a massa é dividida entre eles. durante a fase de preparação da massa do papel. Neste último caso. com a entrada de massa pelo lado de menor diâmetro e a saída pelo de maior diâmetro.Corte ou ruptura do papel. Consta essencialmente de uma desenroladeira. Razão de rasgo <tear ratio> . a qual é cortada após a encadernação.Corte produzido na folha.

[3] <flexural stiffness> . um corpo de prova é ambientado e imerso num banho de óleo. Ver também: Manta <slab>.. Termo alternativo: <stripping>. e o valor da resistência é expresso pelo número de dobras que o papel suportou. perpendicular a sua superfície. [2] <crock> Medida da resistência ao atrito de um filme de tinta impresso sobre tecido. em ausência de umidade. antes da sua inspeção. Ver também: Teste de abrasão do papel <abrasion test of paper>. avaliada pelo teste de esmagamento <ring crush test> ou pelo teste de compressão <short span compression test>. Termos alternativos: <abrasive resistance>.Valor que expressa a resistência do papel ou do cartão. v [2] O teste de resistência à dobra consiste em submeter um corpo de prova sob tensão a sucessivas dobras duplas.Propriedade do cartão corrugado de resistir à compressão aplicada paralelamente ao plano da folha. e para papéis de escrever. atuando paralelamente ao plano da folha. v A avaliação da resistência de um papel à formação de bolhas envolve dois testes: no primeiro. Termo alternativo: <scuff resistance>.[1] <frictional resistance> . Termo alternativo: <compression resistance>. resistência superficial <surface strength>. expressa pela perda de massa de um corpo de prova submetido ao teste de abrasão. sem comprometer a penetração de óleos ou de tintas de impressão. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>. papel-toalha etc.Propriedade do papel ou do cartão que expressa a sua qualidade de dobragem. é uma característica particularmente importante no caso de cartões de embalagem. no segundo. expresso em kPa(SI) no equipamento Mullen. v [1b] A resistência à abrasão é importante no caso de papéis e de cartões para embalagem. camadas coladas etc. {b} Propriedade de um laminado de papel ou de cartão de resistir à umidade prolongada. Resistência à compressão . sem rachar na dobra ou delaminar as camadas. pode ocorrer arrancamento de partículas ou delaminação. e aumenta quanto maior for o grau de refinação do papel. delaminação. Resistência de coluna <column strength>.Resistência de uma caixa de cartão ou de papelão a forças compressivas. causado pelo tack da tinta. Resistência à dobra . Resistência ao decalque <block resistance> . Resistência ao arrebentamento <bursting strength> .Propriedade de um papel revestido (cuchê) de resistir ao repinte ou à blocagem. após haver sido umedecido. Resistência à abrasão .Número de dobras duplas que um papel suporta. e colocada numa estufa por um determinado período de tempo.Ver: Resistência à abrasão <abrasion resistance>.Propriedade do papel relativa a sua habilidade de resistir à fricção estática e cinética.r r <dimensional stability>. gerando grande desperdício.Resistência de um papel ao arrancamento. Pino de registro <register pin>. em direções opostas. sob tensão. Resistência à chama <flame resistance> . Ver também: Rigidez <stiffness>. Resistência à água <water resistance> .Resistência do papelão ondulado ao estouro. rugas. Ver também: Colagem interna <internal sizing>. servindo de referência para estimar a durabilidade da tinta impressa. Ver também: Bolha <blister>.[1] <compression strength> . Ver também: Arrancamento <picking>. Arrancamento do papel <paper picking>. isso só se justifica quando o papel exibe defeitos que causam quebras ou danos às blanquetas. Resistência ao atrito . sob condições padronizadas. [2] <rub resistance> . Teste das ceras Dennison <Dennison wax test>. para determinar a partir de que temperatura a bolha ocorre.[1] <folding endurance> .Teste empregado para avaliar a resistência de um papel revestido à dobra. como veios de umidade. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . [2] <tensile-at-the-fold> .[1] <abrasion resistance> . Ver também: Resistência ao esmagamento <edgewise crush resistance>. Resistência ao arrancamento a seco <dry pick resistance> .{a} Habilidade de um suporte de inibir a deterioração ou a destruição causada por fricção. v [1] A resistência de um papel à dobra é maior no sentido paralelo às fibras. Termo alternativo: <resistance to wear>. Os papéis cuchê formulados com álcool polivinílico são mais propensos ao arrancamento a úmido.Propriedade do papel-cartão e do papelão corrugado de resistir à deflexão quando suportado pelas extremidades e sujeito a uma carga aplicada no centro da folha.Propriedade de um papel tratado com produtos químicos que evitam a propagação de chama após a ignição. a adição de carga mineral (cinzas) reduz a resistência do papel à dobra. até que se rompa. Ver também: Aparelho para teste de arrancamento <pick tester>. através de testes de perda de peso de uma amostra sujeita à ação de um material abrasivo específico. [2] <flexural resistance> . Remoção da manta <slabbing> .Habilidade de um papel revestido de resistir à formação de bolhas ao passar pelo forno de uma impressora rotativa.Resistência de um papel ao arrancamento. Registro de imagem <image fit>. Teste da cera <wax test>. de peso definido. como furos.Operação que consiste em remover a camada externa (cerca de um centímetro) de uma bobina de papel. quando o suporte apresenta baixa resistência superficial e as tintas de impressão possuem tack muito elevado. visto que devem resistir às forças abrasivas durante o manuseio e o transporte. essa característica é ajustada pela colagem interna. Resistência ao cisalhamento <shearing slitter> . v A resistência ao arrancamento pode ser avaliada pelo método das ceras Dennison ou pelo teste de printabilidade no equipamento IGT. Resistência ao arrancamento a seco <dry pick resistance>. quando esta apresenta danos causados durante o transporte. em geral papel de parede. v Existe o hábito generalizado de remover o papel das primeiras voltas da bobina sempre que esta apresenta qualquer irregularidade superficial. depois de passar pelo forno de uma impressora ofsete rotativa. Teste de compressão de caixa <box compression test>. cortes. manchas etc. causado pelo tack da tinta. visto que o álcool é solúvel na solução de molhagem ofsete.[1] <bending strength> . deixando a blanqueta esbranquiçada <whitening>. numa certa freqüência e padrão de movimento. Termos alternativos: <pick strength>. Teste de arrancamento <pick test>. ao desgaste por atrito. Resistência à flexão . [2] <edgewise compression strength> . Entretanto. [3] <registering> Trabalho de registrar. Resistência ao arrancamento a úmido <wet pick resistance>. em condições especificadas. sob condições padronizadas. em diferentes temperaturas. revestido ou não. Perfurador de pré-registro <register punch>. Resistência à bolha <blister resistance> . Resistência ao arrancamento <pick resistance> . {c} Habilidade de um filme de tinta impresso de suportar os efeitos do atrito. pirulito. kN/m2. A avaliação da resistência à abrasão é feita em laboratório. Força de ligação <bonding strength>. Termo alternativo: <folding strength>. lbf/pol2 ou kgf/cm2. Ver também: Arrancamento <picking>.{a} Propriedade do papel de retardar ou de dificultar a penetração de água. ondulações.Resistência de um papel ou de um cartão à força de divisão ou de ruptura do filme de tinta. antes que se rompa na linha de dobra.Força máxima de cisalhamento necessária para causar danos ao papel ou ao cartão. Resistência ao arrancamento a úmido <wet pick resistance> . que devem suportar o atrito da borracha de apagar. Ver também: Teste de abrasão <abrasion test>. ou de outros fluidos. {b} Resistência da superfície de um papel ou de um cartão ao atrito. Fibra inchada <fiber puffing>. sem reduzir a força de ligação do adesivo. resistência ao atrito <rub resistance>. a amostra é coberta com uma espessa camada de laquê. [3] <dry rub resistance> .Propriedade de um papel ou de um cartão de resistir a uma força de dobramento aplicada. <mar resistance>. v O arrancamento a úmido ocorre predominantemente nas áreas de contragrafismo. avaliado em equipamentos especialmente designados.

a fim de produzir o papel cuchê.Valor da resistência de um papel à tração perpendicular ao plano da folha. v A resistência química de uma tinta está diretamente associada à qualidade do pigmento. Termos alternativos: cuchê <couché>. deixando a superfície lisa e com espessura uniforme. Resistência a úmido <wet strength> . ao calor. expressa em N /cm. A resistência dos papéis ao envelhecimento pode ser testada em laboratório pelas normas TAPPI T453 e TAPPI T544.Método de revestimento de papel que consiste em aplicar um excesso de camada ao papel-base e. avaliada sob condições padronizadas. adesivos e pigmentos em uma ou ambas as faces do papel base. visto que esta causa a reversão de alvura (amarelamento) e a degradação da resistência mecânica. geralmente expressa em porcentagem <percent tensile> ou quiloNewtons por metro (kN/m). Resistência à tração a úmido <wet tensile strength>. Termo alternativo: <coating slip>. [4] <torsion tearing resistance> . Ver também: Número de reversão de alvura <post color number>. usado para medir a força de ligação interna. [2] <edgewise crush resistance> Máxima força compressiva. [2] <lined> . então. presença de oxigênio. principalmente ao contato com substâncias alcalinas. cobertura.Resistência de um papel determinada pela tensão a úmido ou pela resistência ao estouro a úmido. ao estouro etc). a taxa depende da composição química da pasta e das condições ambientes. de umidade. após o rasgo haver iniciado. [2] <internal tear resistance> . Teste de Elmendorf <Elmendorf test>. Resistência na direção z <z-direction tensile strength> . as pastas contendo elevada porcentagem de lignina. <trailing blade coating>. Resma <ream> . v A resistência química de um papel está diretamente associada à sua acidez (pH). Ver também: Revestimento à lâmina <blade coating>.Diz-se de um papel ou de um cartão coberto em uma ou em ambas as faces com uma camada à base de substâncias minerais e aglutinantes. Revestimento à faca de ar <air-knife coating> . Revestimento <coating> . à tração. lisura e opacidade. gorduras e solventes. Resistência à tração <tensile strength> .Propriedade do papel que mede a sua habilidade de resistir ao rasgo a partir de um corte feito na borda de uma folha ou de uma bobina. Revestido . Termos alternativos: camada. Ver também: Fator de estouro <burst factor>. de resistir à deterioração por exposição ao oxigênio. {c} Camada à base de substâncias minerais (carbonato de cálcio. vernizes ou outros produtos protetores ou selantes ao suporte. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>. ao envelhecimento e à descoloração em contato com a umidade. Termo alternativo: <zdirectional strength>.Método de revestimento que emprega uma lâmina flexível. na direção da canelura. cor. Ver também: Teste de esmagamento <concora test>. responsável pela reversão de alvura (amarelamento) e pela perda de resistência mecânica (à dobra. o resultado é expresso em miliNewtons multiplicando-se a força por 9.Habilidade de uma substância. que um corpo de prova retangular de papelão ondulado suporta sem amassar. e descreve a extensão com que esse irá resistir ao sangramento. que foram alvejadas apenas com tratamento redutor. é uma propriedade importante quando se trata de embalagens. dióxido de titânio) e de ligantes aplicada ao papel. ao rasgo. suportada por um rolo macio. <printer's ream>. Termos alternativos: <flexible blade coating>. Resistência à tensão de ruptura <tensile breaking strength> . avaliada sob condições padronizadas ou determinada a partir da resistência à tração. v Todo material celulósico sofre amarelamento (perda de alvura) com o passar do tempo. <surface coated>. após haver sido saturado com água. para espalhar e nivelar a camada de substâncias minerais aplicada à superfície do papel. com ou sem alisamento em calandra. Resistência ao estouro <bursting strength> . Tensão na direção z <z tensile strength>.Prancha de cartão ondulado ou papelão recoberta com folha de papel plano contracolada. Revestimento à lâmina <blade coating> . v A resistência ao estouro diminui como aumento do conteúdo de cargas e aumenta com a colagem superficial e o conteúdo de fibras longas do cartão. Resistência ao esmagamento . a fim de repor a umidade perdida ao passar pelo forno de uma impressora rotativa. qualidade e intensidade da iluminação. num determinado ângulo em relação à superfície da folha. Termo alternativo: <internal tearing resistance>. v O máximo alongamento do papel devido ao estresse de tração é expresso como porcentagem do seu comprimento original.Resistência de um papel ou de um cartão à ruptura quando sujeito a uma força perpendicular à superfície da folha.{a} Processo de aplicação de uma mistura de substâncias minerais. Termo alternativo: reversão de cor <color reversion>.Teste de cartão corrugado cuja amostra é presa por pinças e torcida. Termos alternativos: pacote.Propriedade de um papel que indica sua habilidade de resistir a uma força de estiramento sem romper. Termo alternativo: permanência <permanence>. o termo também se aplica aos papéis envernizados e laqueados. {b} Propriedade geral do papel que descreve a sua habilidade de resistir ao rasgo ou à delaminação. acidez ou alcalinidade.[1] <crushing strength> . mas também refere-se à resistência da tinta como um todo. remover o excesso soprando um jato de ar sobre a camada ainda fluida. de formulários contínuos e de impressoras rotativas. Termos alternativos: <tearing strength>. ácidos. Termo alternativo: <pop strength>. adesivos.Força necessária para rasgar um papel. Termos alternativos: <air-jet coating>. tais como: temperatura. Reversão de alvura <brightness reversion> . como no caso de embalagens de sabões e de detergentes.Ver: Resistência à compressão <compression strength>. tal como um filme de tinta. Revestimento a rolo <roll coating>. o papel apresenta maior resistência no sentido paralelo às fibras.Habilidade de um papel ou de uma tinta de suportar a ação de produtos químicos. {c} Tensão necessária para separar a folha de papel da camada de cola. Resistência ao rasgo . Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>.Perda de alvura ou amarelamento do papel com o tempo. a fim de melhorar as propriedades de aparência e de printabilidade. {d} Filme transparente aplicado na superfície de papéis e de cartões. a fim de conferir-lhe boas características de printabilidade.[1] <edge tearing resistance> .{a} Habilidade do papel de suportar tensão. {b} Processo de conversão que consiste em aplicar ceras. sendo uma importante consideração no caso de papéis de embalagem. avaliada por intermédio de dois métodos: resistência interna <internal tearing resistance> e resistência de borda <edge tearing resistance>. <air-doctor coating>. Redutores <reductants>. {b} Quantidade de estresse necessário para romper o papel.807. v A permanência dos papéis depende principalmente da sua acidez. <knife coating>. Teste de Mullen <Mullen test>. <tear strength>.Dispositivo dotado de uma série de rolos que aplicam água ou solução de silicone no papel. numa distância fixada.[1] <coated> . Ver também: Aparelho para teste de Elmendorf <Elmendorf tester>. revestimento à lâmina de ar. à luz ou à ação química interna. um suporte ou um produto impresso.Resistência das caneluras de uma prancha de papelão ondulado à força de esmagamento perpendicular à superfície. Resistência a úmido <wet strength>. são particularmente sujeitas à reversão de alvura. [3] <tearing resistance> . Reumidificador <remoisturizer> . tais como: sabões.Pacote com 500 folhas de papel (ou 20 mãos).r r Resistência ao envelhecimento <age resistance> . Ver também: Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . com os quais mantém contato. para conferir-lhes propriedades de barreira. Resistência química <chemical resistance> .{a} Força necessária para rasgar o papel sob condições padronizadas. [3] <flat crush resistance> . durante um tempo específico.

Rolo filigranador . durante o manuseio. formando a imagem. Em alguns casos.[1] <couch roll> . Calandragem <calendering>. por intermédio de rolos emborrachados.{a} Rolo da máquina de papel. Termo alternativo: rolos de passagem.Cilindro perfurado. {b}Incisão muito fina que ocorre na camada do papel. rolo lambreta <lumpbreaker roll>. localizado sob a tela plana da máquina de papel.Cilindro oco da máquina de fabricar papel cuja função é uniformizar a polpa úmida. localizado na prensa de colagem. existe ainda um rolo de retorno da tela. a remoção de água da folha em formação. [2] <gusseting> . Rolo de sucção . a prensa lava-fletro de sucção. localizado acima da tela da máquina de fabricação de papel. Revestimento a rolo <roll coating>. próxima do ponto onde a folha úmida desprende-se da tela e passa para o feltro da primeira prensa. por meio de vácuo. Termos alternativos: rolo entintador <ink form roller>. após o rolo de sucção.{a}Defeito superficial do papel. Termos alternativos: <dandy roller>. <suction roll>. Ver também: Gravura <gravure>. [2] <laid dandy roll> . principalmente rotogravura e ofsete de grande formato. ou simplesmente para encostar a folha contra o feltro na entrada das prensas. lacalizado sobre a mesa formadora da máquina de papel num ponto onde a consistência da folha encontra-se entre 2% e 5% . cuja função é remover água.r r Revestimento à faca de ar <air-knife coating>. Rolo-lambreta <lumpbreaker roll> . Rigidez .{a} Enrugamento severo próximo da cabeça e da lombada de cadernos dobrados.Cilindro das prensas úmidas da máquina de papel. [3] <web-under roller> . por meio de vácuo.Cilindro-esqueleto revestido com tecido. Heliogravura <heliogravure>. rolo banana. a fim de melhorar a formação da folha e imprimir marcas d'água na folha úmida recém-formada. dependendo do conteúdo de umidade do papel quando esta é Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .Cilindro de sucção instalado na primeira e na segunda prensas da máquina de papel. paralela às fibras. localizado próximo à saída da caixa de entrada da máquina de fabricar papel de dupla tela.[1] <handling stiffness> .Rolos de uma impressora rotativa que guiam a bobina de papel por baixo das unidades de impressão ou de outra parte que se deseja desviar. Termos alternativos: <suction press roll>. na forma de corrugações longitudinais. auxiliado por um rolo de contrapressão. instalado num ponto onde a folha úmida faz uma inversão brusca. [3] <stiffness> Habilidade de um papel ou de um cartão de suportar o seu próprio peso. Rolos condutores de bobina . Termos alternativos: cilindro de sucção <suction cylinder>. {b} Deformação do papel que ocorre próximo do tubete. instalado na última posição da mesa plana da máquina de papel.{a} Vinco produzido no papel durante a fabricação ou em operações de conversão. sem sofrer envergamento. em toda a sua extensão. Rolo curvo <bowed roll> . o cilindro é parcialmente imerso em tinta. a maioria das impressoras ofsete tem um ou dois rolos molhadores e três a cinco rolos entintadores.Cilindro emborrachado da máquina cilíndrica de fabricar papel cuja função é remover água da folha ainda em formação sobre a tela.Cilindro revestido de borracha macia.[1] <rotograph> . {b} O mesmo tipo de rolo instalado em impressoras rotativas. na direção das fibras. Diz-se que a tinta dorme no tinteiro. cuja função é auxiliar. <watermarking dandy roll>. na seção seca ou na bobinadeira (enroladeira). garrincha <curved roll>.[1] <forming roll> . ou a tinta. Rolo formador . na forma de pequenas células escavadas.[1] <dandy roll> .Processo direto de impressão que emprega uma matriz cilíndrica. Rotogravura . Rolo de sucção da tela . coberto com uma tela metálica ou de tecido. a prensa de sucção. [2] <rigidity> . Termos alternativos: <bent bar>.Tipo de rolo dândi dotado de fios uniformemente espaçados e paralelos ao seu eixo. Ver também: Rolo curvo <boewd roll>. Revestimento à lâmina <blade coating>. Ver também: Resistência à flexão <flexural stiffness>. vedada com pressão nas duas extremidades. classificado como ruga seca ou ruga úmida.Termo que descreve as propriedades de fluxo de uma tinta de impressão. a mínima força necessária para produzir fluxo. Rolo de sucção do feltro . <marking roll>. revestido com material elastomérico.Cilindro sólido ou gravado.Resistência de um papel à dobra e à flexão. cuja função é abrir o papel para eliminar as ondulações e evitar a formação de rugas. Revestimento a rolo <roll coating> . e o excesso de tinta é raspado por uma lâmina metálica flexível (racle).Cilindro cujo corpo é construído com uma camisa de bronze centrifugado.Gravura obtida por processo de impressão que emprega matrizes em baixo-relevo para transferir a tinta diretamente para o suporte. acoplado a um sistema de vácuo. em certos casos dotado de uma caixa de sucção interna. Ver também: Pé-de-galinha <crow's-foot>. ou uma força de dobra aplicada. dotado internamente uma caixa ajustável. possibilitando a entrada da tela ou do feltro. [2] <form roller> . instalado em vários pontos da seção úmida da máquina de papel. Rolo dândi <dandy roll> .[1] <buckle> . geralmente construído em bronze centrifugado e revestido de borracha. com um dispositivo cantilever. [2] <web-over rollers> . Termo alternativo: heliogravura <heliograph>. sem revestimento. com as áreas de grafismo gravadas em baixo-relevo em relação às áreas de contragrafismo. como quando se usa um sistema pegador. ocorre a transferência da tinta. rolo molhador <water form roller>. tais como a tela. Rolos de calandra <calender rollers> . que permite a suspensão da extremidade do lado da frente da máquina. de um cilindro oscilante para a chapa.Ondulação ou dobradura que se forma na parte superior das páginas internas de um caderno fechado na cabeça. montado sobre o rolo de sucção da tela da máquina de papel com o objetivo de prensar os eventuais aglomerados de fibra que aparecem na folha contínua. [4] <yield value> . Em alguns casos é também utilizado para transferir a folha de um feltro para outro. {b} Cilindro oco e perfurado. Rolo de sucção da prensa .Rolos não-engrenados que sustentam a tira de papel conforme esta se desloca pela impressora.Rolos metálicos que comprimem e alisam o papel no final da máquina fabricadora. perfurado. causada por uma partícula presa à lâmina durante o processo de aplicação da camada cuchê. Processo de impressão rotogravura <gravure printing process>. [2] <extractor couch roll> . ou segmentos de curva montados sobre rolamentos. quando o suporte contata o cilindro de impressão. Rolo succionador <suction couch roll> . Ruga . medindo cerca de 3 mm de largura e vários metros de comprimento. especialmente aqueles localizados entre as unidades de impressão. [2] <rotogravure> .Método de aplicação de um filme dosado de revestimento ao papel-base. causada por falta de tensão de bobinamento. <spreader roll>. antes da folha ser transferida para a seção de prensa úmida. evitando quebras posteriores do papel. Ver também: Revestimento à faca de ar <air-knife coating>.{a} Cilindro de bronze. Termo alternativo: risco de faca. Termo alternativo: <gravure>. de modo a ficar aderida ao feltro.Rolos de uma impressora rotativa que guiam a bobina de papel por cima das unidades de impressão ou de outra parte que se deseja desviar. o pick-up e o rolo de sucção do feltro. localizado sob a mesa plana de uma máquina de fabricar papel. Ver também: Calandra <calender>.[1] <web-lead rollers> . dotado de um eixo curvo e de uma luva metálica flexível. v [4] Tintas muito rígidas deixam de alimentar e causam impressão lavada.Habilidade de um papel ou de um cartão de suportar o seu próprio peso. <pressure couch roll>. quando manuseado. causado durante o processo de revestimento. cuja função é melhorar a uniformidade e a formação da folha. Termo alternativo: <gusset>.Cilindro que transfere a solução de molhagem. [3] <wrinkle> . Risco de lâmina <blade scratch> .

localizada logo após o desbobinamento e a alimentação.s rs r formada.{a} Seção da máquina de fabricar papel onde a água é removida. Termo alternativo: <after section>. de grande diâmetro. Ver: Sabugo amassado <smashed core>. Ver também: Mesa <forming section>. [2] <shaft> .Cilindro de secagem.[1] <dryer> .Eixo dos rolos de molhagem e de tintagem de uma impressora ofsete. Termo alternativo: <former>. Secador ianque <yankee dryer> . causada por ondulações resultantes do desequilíbrio entre o conteúdo de umidade do papel e do ambiente da sala de impressão. Ruga de calandra <calender wrinkle> . Seção de desbobinamento <reelroom> . onde ficam os porta-bobinas. Seção de impressão <printing section> . Cilindro secador <drying cylinder>.Defeito de papel causado pelos rolos da calandra.Cavalete ou engradado onde se colocam as folhas impressas para secar.Tubete de bobina que perdeu a forma cilíndrica devido à compressão causada pelo grampo <clamp> da empilhadeira ou pelo peso de outras bobinas. que produz um acabamento brilhante do lado do papel que o contata durante a fabricação.Parte horizontal da máquina de fabricar papel sobre a qual é depositada a suspensão fibrosa. Seção de calandra <calender section> .Parte de uma máquina de fabricar papel onde a água é removida da folha. [2] <wet wrinkles> . Termos alternativos: canudo <tube>.Seção da máquina de papel. que engloba todas as unidades de impressão. [2] <drying section> .[1] <core> . Forno <dryer>. localizada após a prensa de colagem <size press> e antes da calandra. Secador monolúcido <monolucid dryer> . responsável pela remoção da água adicionada à folha no processo de colagem superficial.[1] <after dryer section> . {b} Vinco produzido no papel em bobina. Termo alternativo: cilindro lustrador.Seção da máquina de fabricar papel constituída de cilindros aquecidos que promovem a evaporação da água da folha. o rompimento da tira ou o seu afrouxamento. Termo alternativo: ficha. particularmente das impressoras de jornais. responsável pelo alisamento da folha. Seção de desbobinamento e alimentação <unwind and infeed section> . S Sabugo . prensa úmida. aquecido por vapor d'água. [2] <drying rack> . <wet press>. Termos alternativos: <fourth press>. a fim de formar a folha. devido ao excesso de água aplicada à folha ou à desuniformidade de tensão da tira.Tubete de bobina que perdeu a forma cilíndrica devido a choque. Sabugo esmagado <crushed core> .Grande cilindro polido da máquina de fabricar papel que lustra a superfície da folha. tubete. Rugas de umidade . Termo alternativo: sabugo esmagado <crushed core>.Parte de uma impressora flexográfica alimentada por bobina onde o suporte é desenrolado e a tensão é controlada. Termo alternativo: cilindro-monolustro <yankee cylinder>.Parte da máquina de papel onde se encontra instalada a calandra. Ver também: Ambientador <conditioning rack>. tarugo. durante a impressão. {c} Dobra produzida próximo do centro ou da contrapinça de uma folha impressa. pela passagem da Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . Ver também: Calandra <calender>.[1] <moisture wrinkles> . Termo alternativo: secaria. Seção de formação <forming section> . Seção de prensa <press section> . Ver também: Papel monolúcido <monolucid paper>. por meio de pressão e sucção.Ver: Veios de umidade <moisture welts>. Termos alternativos: <wire end>.Parte de uma impressora flexográfica. prensa inclinada <inclined press>. Secador . Seção de secagem . Sabugo amassado <smashed core> . a fim de evitar a formação de rugas.Eixo da bobina de papel. mesa de fabricação.Defeito do papel caracterizado por fichas ou marcas produzidas na seção úmida da máquina fabricadora. <tandem press>.Área separada de uma impressora rotativa. ao passar entre os cilindros da blanqueta e de contrapressão de uma impressora ofsete.

localizada entre duas unidades de impressão ou após a seção de impressão.{a} Habilidade do pigmento de uma tinta ou de um suporte de resistir à deterioração (envelhecimento. sendo que a área varia entre dois formatos sucessivos segundo um fator 2 ou 1/2. Ver também: Série A <A series>. couro. cuja função é produzir acetinagem e brilho elevado no papel.{a} Composto químico que constitui o principal ingrediente no processo sulfato de obtenção de polpa química para a fabricação do papel. utilizado como carga ou como pigmento do revestimento do papel. Sulfato de bário <barium sulfate> . Geralmente é adicionado no final da preparação da massa. por isso. pela redução.Papel que resta no tubete da bobina e é descartado. usado para precipitar a cola de breu sobre as fibras que compõem o papel.Termo empregado pelos papeleiros para designar a parte da máquina de papel que inclui a secaria. Em contato com a umidade (do ar.Prensa plana ou reversa da máquina de papel. baseada em frações do metro quadrado. sendo as fibras de qualidade inferior.Produtos celulósicos que apresentam grau intermediário entre a polpa e o papel reciclado. plano ou curvo. rebobinado ou cortado em folhas. de plástico ou de metal.[1] <color fastness> .Composto químico (BaSO4) obtido a partir de minerais naturais de barita ou por reação química (branco fixo. {b} Parte da máquina de papel. Sulfato de alumínio <aluminum sulfate> . cujos rolos são normalmente um revestido de borracha e outro de material mais duro. consistindo de formatos intermediários da série A. Substitutos da polpa <pulp substitutes> . que não requerem tratamento para remoção da tinta. Série B <B series> . para atingir o suporte.{a}Planta cujas folhas fornecem fibras de celulose empregadas na fabricação do papel. porém. sobre a qual a tinta é espalhada e forçada por uma lâmina de borracha através das malhas abertas. brindes. descoramento. particularmente a presença de lignina que causa o amarelamento do papel. identificação de frota de veículos. Supercalandra <supercalender> . uma desenroladeira e uma enroladeira. camisetas.{a} Calandra separada da máquina de fabricar papel ou da máquina de revestimento. lá. por exemplo: B0 (1000 x 1414 mm).Processo industrial de impressão serigráfica. {b}Seção de formação da máquina de fabricar papel. que serve de parâmetro para determinar a gramatura do papel. {b} Máquina de acabamento que alisa e dá brilho às duas faces do papel ou cartão.) o papel sofre maior deformação no sentido perpendicular às fibras e. a relação entre o comprimento e a largura da folha é constante. B1 (707 x 1000 mm). bronze centrifugado. roupa de cama e mesa. Termos alternativos: resistência à luz. Segunda prensa <second press> . os processos químicos de branqueam então têm a finalidade de remover a lignina da polpa da madeira.[1] <screen-process> .s s bobina sobre cilindros aquecidos. Sulfato de sódio <sodium sulfate> . por exemplo: A0 (841 x 1189 mm). Sentido de fibra do papel <paper grain direction> . Termos alternativos: branco permanente <permanent white>. v [2b] Diversos constituintes do papel contribuem para o seu envelhecimento. branco-pérola ou branco permanente). localizada entre a caixa de entrada e a seção de secagem. é um processo versátil que permite imprimir sobre diferentes tipos de materiais e em superfícies irregulares ou curvas. do calor ou às condições normais de estocagem. Sisal <sisal hemp> . vidro. é reduzido em presença de carbono. painéis de equipamentos. {c} Parte de uma impressora flexográfica.Processo de impressão que utiliza uma matriz constituída de uma moldura e uma tela de tecido. a pasta mecânica contém uma grande quantidade de lignina. paralelo à direção de fabricação. as fibras de celulose tendem a orientar-se na direção paralela ao movimento da tela da máquina de papel. Seção úmida <wet end> . sobre os quais se aplica pressão. aquecidos a vapor. Ver também: Permanência <permanence>. Ver também: Branco fixo <blanc fixe>. como granito. da solução de molhagem ofsete. após a prensa úmida. a calandra e a enroladeira. os produtos encadernados com adesivo sofrem menor deformação e têm maior resistência quando o sentido de fibra do papel é paralelo à lombada dos cadernos.{a}Parte da máquina de papel que inclui a caixa de entrada e a seção de formação da folha. amarelamento) causada pela luz do sol ou artificial. <fast white>.Sal obtido da dissolução da bauxita (óxido de alumínio hidratado) com ácido sulfúrico. Termos alternativos: direção de fibra do papel. sentido de fabricação do papel. em alguns casos invertida quando o feltro fica do lado do rolo superior (rolo de sucção). constituída de rolos de aço alternados com rolos revestidos de papel ou de tecido. A1 (594 x 841 mm). {b} Produto formado na caldeira de recuperação no processo sulfato. as folhas devem ser alimentadas na impressora com as fibras paralelas aos eixos dos cilindros. conforme o tipo de papel e o acabamento que se deseja. {b}Vegetal nativo do Nordeste do Brasil cujas fibras são usadas na indústria têxtil. forma com o hidróxido de sódio a lixívia branca ou licor de cozimento do processo sulfato. Secaria <dry end> . cuja função é secar a tinta. {b} Propriedade de um papel que define a extensão na qual a sua cor original será mantida quando exposto à luz. em presença de carbono. <screen printing>. permeável à tinta nas áreas de grafismo e impermeabilizada nas áreas de contragrafismo. São intercalados rolos duros de ferro fundido coquilhado e rolos macios de papel ou Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . branco rápido. respeitando a mesma relação entre o comprimento e a largura da folha nos diferentes formatos. A2 (420 x 594 mm) e assim por diante até o formato A8 (52 x 74 mm). Série A <A series> . Sulfeto de sódio <sodium sulfide> . elevando o conteúdo de sólidos do papel de 40-50% até cerca de 95%. que tem este nome por sua causa. dotada de uma série de rolos superpostos. ebonite ou microrok. dos adesivos usados na encadernação etc.Produto residual das fábrica de raion. sentido de fabricação. v Durante a fabricação.Seção da máquina de fabricar papel constituída de cilindros aquecidos que promovem a evaporação da água da folha. e assim por diante até o formato B10 (31 x 44 mm).Propriedade do papel de resistir à ação da luz. formando o sulfeto de sódio e desprendendo o gás carbônico.Série padronizada de formatos de papel no sistema métrico. B2 (500 x 707 mm. Ver também: Grão <grain>. cuja função é secar a folha pelo contato com cilindros aquecidos. o número de rolos varia de 8 a 14.Alinhamento predominante das fibras do papel. Ver também: Seção de prensa <press section>. solidez <colorfastness>. Seção seca <dry end> . Ver também: Série B <B series>. [4] <silkscreen process> . empregando máquinas de tela plana ou rotativa. tecido). É muito utilizado na impressão de placas de circuito impresso. Serigrafia . do sulfato de sódio. Ver também: Refugo <waste paper>. v O processo serigráfico permite imprimir virtualmente sobre qualquer tipo de suporte (papel. usado na caldeira de recuperação para recompor as perdas no processo sulfato. Solidez à luz . sem mudar de cor. Ver também: Secador <dryer>. Termos alternativos: <mitography>. baseada em frações do metro quadrado. As operações de corte e dobra de uma folha são favorecidas quando executadas na direção paralela às fibras do papel. [2] <serigraph> . denominadas buchas do campo. metal. Sobra de bobina <core waste> . [2] <lightfastness> . [3] <serigraphy> Reprodução fina de uma arte original impressa pelo processo serigráfico.Impresso feito pelo processo serigráfico. a solidez à luz do papel é avaliada com equipamentos chamados medidores de envelhecimento <fade-ometer>.Série padronizada de formatos de papel no sistema métrico. cartão. etiquetas auto-adesivas etc. empregadas em escala industrial para a fabricação de celulose soda de alta resistência.

Taxa de estouro <burst ratio> . T Tampografia <pad transfer printing> . vidros.Dispositivo da máquina de fabricar papel que comporta duas telas convergentes. sob pressão. Geralmente os rolos de ferro são ocos. Ver também: Resistência ao arrancamento a seco <dry picking resistance>.Mecanismo que sustenta a bobina de papel enquanto desenrola e é alimentada numa impressora rotativa. Tensão na direção z <z tensile strength> . depois da descarga. onde. produzido na própria máquina de papel. Supercalandragem <supercalendering> . para permitir a extração da massa por meio de bomba. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>. o teor de umidade do papel deve estar correto e o teor de cinzas deve ser bem elevado. com um agitador vertical no fundo. com auxílio de pressão e calor.Acabamento feito pela calandra da máquina de papel.Resistência de um papel ou de um cartão ao estouro. {b} Diferença de velocidade superficial entre os cilindros resfriadores e o cilindro da blanqueta da última unidade de uma impressora rotativa ofsete. Para uma boa operação de calandragem. tais como: tampas metálicas. Termos alternativos: <machine-glazed poster>. Ver também: Calandra <calender>. deixando a outra rugosa. v Este teste é adequado para papéis não-revestidos.Recipiente que recebe. além de bolhas e variação de corte e dobra. Supercalandrado em máquina . Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² . que consiste em submeter um corpo de prova à ação do tack de bastões de cera de pegajosidade graduada. v O processo tampográfico permite imprimir uma ou mais cores sobre superfícies planas ou irregulares.Temperatura alcançada pelo papel ao passar pelo forno de uma impressora rotativa. com acabamento altamente polido num dos lados. é feita a lavagem por difusão. Supercalandrado <supercalendered> . No processo sulfito.Diz-se de um papel alisado em supercalandra. produzindo brilho elevado numa das faces do papel.Ensaio dinâmico realizado para determinar a resistência ao atrito a seco <dry rub>. v Quando excessiva. causando rachaduras na dobra e acúmulo de carga eletrostática.{a} Método de obtenção de uma superfície de alto brilho num papel.Medida da força necessária para romper o papel na direção perpendicular à sua superfície. Taxa de tração <draw rate> . porém. na parte inferior é injetada água de diluição.st t s algodão com amianto impregnados.Processo de impressão que emprega um tampão de borracha sintética para fazer a transferência de imagens. Suporte de bobinas <roll stand> . tecidos. Termo alternativo: <zdirection tensile strength>. expressa em pontos por libra. a descarga dos cozinhadores. Teste das ceras Dennison <Dennison wax test> . Termos alternativos: acetinagem. Temperatura do papel <web temperature> . Tensão da bobina <web tension> .[1] <machine glazed> . Termo alternativo: <blow-pit>. permitindo a aplicação de vapor. feito de chapa de aço. Tela-dupla <twin-wire former> . <super finish>. <MG litho>.Tipo de papel fabricado com pasta química e/ou fibras recicladas. <supercalender finish>.Puxada aplicada a um a bobina de papel ao longo de uma impressora rotativa. Abreviatura: (SC).. Termo alternativo: teste da cera <wax test>. são muito usados os tanques com fundo perfurado. o papel pode amarelar e tornar-se ressecado. de uma matriz gravada em baixo-relevo para a superfície a ser impressa. Teste de abrasão do papel <abrasion test of paper> . os quais são fundidos e fixados à superfície do papel. calandragem. dotado essencialmente de um corpo cilíndrico. fazendo-o passar sob pressão por uma série de rolos metálicos aquecidos intercalados com rolos macios. Termo alternativo: porta-bobinas. ao sangramento a úmido <wet bleed> e às qualidades de resistência de um papel ou de um cartão. e saída de vapor e gases na parte superior. Ver também: Resistência à abrasão <abrasion resistance>. {b} Acabamento acetinado que se dá ao papel fazendo-o passar por uma supercalandra. o valor da resistência do papel é o número do bastão de cera de maior graduação que não causa arrancamento de partículas da superfície do papel. ao atrito a úmido <wet rub>. não é recomendado para papéis revestidos contendo ligantes termoplásticos. geralmente da ordem de 20% a 30%. onde adquire brilho nas duas faces e maior transparência. de acordo com a norma TAPPI T459. de fundo cônico. entre as quais a caixa de entrada injeta a suspensão fibrosa.Ensaio rápido de avaliação da resistência superficial de um papel. interior de xícaras etc. visto que o tampão pode assumir qualquer forma. Tanque de descarga <blow-tank> . geralmente de madeira. podendo variar de 120 a 180°C. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>. [2] <machine glazed litho> .{a} Quantidade de tração exercida sobre a tira de papel pelos cilindros resfriadores de uma impressora rotativa ofsete.

particularmente quando a reflexão superficial pode interferir na legibilidade do texto impresso.[1] <Cobb test> .Ensaio de laboratório para avaliar quantitativamente a printabilidade de papéis e de tintas de impressão. v A lisura do papel é expressa em minutos por 100 mililitros (min/100 ml). a uma força de compressão aplicada perpendicularmente. Teste de odor <odor test> . Teste de compressão de caixa <box compression test> .t t Teste de absorção de óleos <castor-oil test> .Ver Teste de Mullen <Mullen test>. [2] <edge crush test> . a partir do tempo necessário para que uma gota de óleo seja absorvida e produza uma mancha translúcida. através do fluxo de ar que passa sob pressão constante entre a amostra e um dispositivo constituído por dois anéis concêntricos do aparelho de medição. Teste das ceras Dennison <Dennison wax test>. e cheirar para verificar o odor residual. Teste de imersão em água <water immersion test> .Método empregado para avaliar a resistência de um papel ao estouro Termos alternativos: <pop test>. que consiste em colocar uma amostra impressa num vidro e submetê-la ao calor. Ver também: Resistência ao esmagamento <edgewise crush resistance>.Ensaio de laboratório destinado a avaliar a receptividade de um papel às tintas à base de óleos. Teste de adesão <adhesion test> . Teste de absorção de tinta <vanceometer test>. pela aplicação de ceras ou tintas com diferentes valores padronizados de tack. Teste de colagem . Termo alternativo: <blocking test>. Ver também: Resistência superficial <surface strength>. e observar o espalhamento da tinta conforme esta é absorvida pelo papel. v A lisura do papel é expressa em m inutos por 100 mililitros (min/100 ml). v A lisura do papel é expressa em minutos por 100 mililitros (min/100 ml). Teste de printabilidade <printability test> . Ver também: Teste de penetração de óleo <oil-penetration test>. Teste de absorção de tinta K&N <K and N ink absorbency test> . ou o grau de colagem de um cartão. Teste de lisura Bendtsen <Bendtsen smoothness test> .Método empregado para avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões. Termo alternativo: <short column test>. durante algumas horas. Termo alternativo: <feathering test>. Termo alternativo: <crosshatch test>. o gamut de cores etc. feito pela aplicação de um filme espesso de tinta não-secativa em amostras de diferentes papéis revestidos.Ensaio de laboratório realizado para determinar a Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .[1] <concora test> . incluindo: o ganho-de-ponto. Ver também: Estouro a úmido <wet Mullen>. IGT e Huck. conforme normas TAPPI T459 e TAPPI UM591.Ensaio designado para avaliar o brilho de papéis não-revestidos ou foscos. simulando as condições reais do processo. pesar o corpo de prova úmido e calcular o ganho de umidade. v A printabilidade pode ser avaliada objetivamente a partir de diversos atributos.Ensaio realizado para medir o grau de resistência superficial de um papel à água.Ensaio de laboratório que determina a resistência de cartões corrugados ao esmagamento.Ensaio de laboratório realizado para determinar a resistência de um papel à água. Ver também: Resistência ao estouro <bursting strength>. que consiste em pesar um corpo de prova.Método empregado para avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões. Ver também: Teste de absorção de óleos <castor-oil test>. Teste de rasgo <tear test> . por intermédio de aparelhos como: Prüfbau. Ver também: Lisura Bendtsen <Bendtsen smoothness>.Ensaio de laboratório para determinar a resistência de uma caixa de papelão ondulado ao esmagamento. expressa como a máxima força ou a máxima resistência antes de deformar-se. Teste de colagem Cobb <Cobb size test> .Método de avaliação da absorção de papéis colados.Ensaio empregado para avaliar o odor da tinta e do suporte de impressão utilizados em embalagens de alimentos. Teste de absorção de tinta <vanceometer test> . v A lisura do papel é expressa em minutos por 100 mililitros (min/100 ml). Teste de lisura Sheffield <Sheffield smoothness test> . teste de estouro <bursting test>. Teste de arrancamento com cera <wax pick test> . montada e vazia. num determinado período de tempo. a partir do fluxo de ar que passa sob pressão constante entre a amostra e o cabeçote do aparelho de medição. Teste de esmagamento . Teste de brilho constante <constant gloss test> . após o qual o excesso de tinta é removido. a densidade de impressão. empregando uma tinta à base de água. que consiste em desenhar linhas num corpo de prova.Ensaio de laboratório que se presta a avaliar a absorção de tinta de um papel a partir do brilho produzido por um óleo aplicado à sua superfície. sob pressão e durante um certo período de tempo. durante um tempo especificado.Ensaio de laboratório que mede a resistência de uma caixa de papelão. a fim de avaliar a resistência ao arrancamento de fibras ou de partículas superficiais. a partir de uma amostra impressa colocada em contato com uma amostra do papel em branco.Ensaio de laboratório que consiste em submeter o papel à ação de diversos bastões de cera com pegajosidade calibrada. Teste de lisura Bekk <Bekk smoothness test> .Método de determinação da aderência de uma tinta ou de um verniz a um suporte de impressão (teste de adesão de tinta ASTM D 3359). Ver também: Blocagem <blocking>. a partir da massa de água absorvida sob condições específicas.Método empregado para avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões. Teste de penetração de óleo <oil-penetration test> .Ensaio que visa determinar a probabilidade de um determinado par tinta-papel sofrer decalque após a impressão.Método empregado para avaliar a lisura superficial de papéis e de cartões. a transferência da tinta para o papel. conforme norma TAPPI UM519. Ver também: Resistência ao arrancamento <pick resistance>.Ensaio de laboratório para avaliar o tempo que um papel leva para absorver os óleos das tintas de impressão. mergulhar em água por um determinado período de tempo. Ver também: Cobb. Ver também: Lisura Gurley <Gurley smoothness>. Teste de Mullen <Mullen test> .Método de determinação da resistência de um papel a uma força de divisão ou de ruptura de fibras ou de partículas superficiais. pela massa de água absorvida num determinado intervalo de tempo. o brilho de impressão. Teste de estouro <bursting test> . Teste de lisura Gurley <Gurley smoothness test> . a intensidade da mancha indica a absorção relativa de tinta. Teste de blocagem <block test> . a transparência do impresso. a partir do fluxo de ar que passa sob pressão constante entre a amostra e o cabeçote do aparelho de medição. a partir do fluxo de ar que passa sob pressão constante entre a amostra e o cabeçote do aparelho de medição. Teste de arrancamento <pick test> . Ver também: Teste de penetração de óleo <oil-penetration test>. [2] <sizing test> .Método de avaliação do grau de colagem de um papel ou de um cartão. Ver também: Lisura Sheffield <Sheffield smoothness>. Ver também: Lisura Bekk <Bekk smoothness>. Termo alternativo: <taint test>. o contraste relativo.Método prático comparativo da taxa de absorção de uma tinta em diferentes papéis. v A resistência de um papel ou cartão ao estouro é geralmente expressa em porcentagem <percent Mullen>.

no estágio de preparação da massa ou na caixa de entrada.Vibração da tira de papel ao longo de uma impressora rotativa. Ver também: Opacidade <opacity>. Termos alternativos: canudo. Transmitância <transmittance>. Lisura <smoothness>. Tubete chanfrado <chamfered core> . Tubete amassado . Ver também: Acabamento < finish >. o registro de cores e ocasionar quebras.Ensaio de laboratório que avalia a força necessária para rasgar um corpo de prova. Tubete <core> .{a} Detalhe superficial de uma imagem bidimensional. Teste de Schopper <Schopper test> .Eixo m etálico (de ferro ou de alumínio) em torno do qual a bobina de papel é enrolada. [2] <stub roll> . após umedecido. <fiber core>. e desprende-se do corpo da bobina. {c} Elemento do design empregado para criar "sensação" visual numa superfície. em relação à lombada do livro ou ao sentido de fibra do papel. revelando a textura e a formação da folha. Tubete saliente <long core> . a fim de destruir o agente de branqueamento residual e remover os íons metálicos que poderiam causar perda de alvura e degradação das fibras. Transversal às fibras . esta característica está diretamente relacionada à falta de opacidade do papel e/ou à excessiva fluidez da tinta.Ensaio de laboratório que se presta a determinar a resistência à dobra do papel. impermeabilização etc. visto que a polpa tende a amarelar quando exposta à luz ou ao ar.t t direção de fibra ou a resistência de um papel ao rasgo. Tingimento da massa <beater dyeing> . estimulando uma resposta tátil quando tocada. como criar um am biente com pH favorável à alvura e à estabilidade do papel. em oposição à pintura superficial feita após a formação da folha.Diz-se da condição na qual uma bobina de papel não apresenta uniformidade no início do enrolamento.Tubo de papelão em torno do qual a fita de papel ou de outro material é enrolada para formar uma bobina. prejudicando a legibilidade. ácido sulfúrico ou ácido clorídrico.Ver: Tubete <core>. Textura <texture> . cujo efeito pode afetar a tensão da tira. {c} Registro fotográfico positivo de uma imagem em diapositivo ou em filme.Sobra de papel que permanece numa bobina após a emenda. com tendência ao desalinhamento. Formação < formation >. {b} Característica de certos papéis de imprimir que permite a passagem de luz através da folha. Tubete curto <short core> . [2] <cross grain> . expressa em termos de porcentagem da quantidade total de tinta disponível sobre a matriz de impressão (chapa ou blanqueta). Trepidação da bobina <web weave> . Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .Dobra em ângulo reto.[1] <across grain direction> . Ver também: Resistência ao rasgo <tearing resistance>. [2] <poor core start> .Defeito que ocorre com bobinas de papel quando o tubete sofre retração.Diz-se de uma bobina de papel de pequeno diâmetro ou que contém uma pequena sobra de papel. [2] <transparency> .Ver: Canudo amassado <crushed core>. sabugo. nos sentidos paralelo e perpendicular às fibras. Ver também: Resistência ao rasgo <tearing resistance>. {e} Característica superficial do suporte de impressão relativa à aparência e a sua qualidade tátil. Tubete solto .Diz-se de qualquer tipo de acabamento que se dá ao papel com finalidade estética ou funcional.Tubo de papelão cujas extremidades internas são desbastadas. {d} Diapositivo para projeção por meio de diascópio. conforme normas TAPPI T414.Defeito do papel caracterizado por um tubete cujo comprimento é menor do que a largura da bobina. tubete descartável <nonreturnable core>. Termo alternativo: <core-iron>.[1] <show-through> . causada por uma bobina excêntrica. indesejável na maioria das situações. Teste de resistência a umido <wet rub test> . a fim de facilitar a inserção do eixo que sustenta a bobina durante a alimentação de uma impressora rotativa. aplicado à polpa após o estágio final de tratamento com dióxido. hipoclorito ou peróxido de cloro. Tubete descartável <nonreturnable core> . Teste de tração <tensile test> .Diz-se de uma folha de papel cujo lado maior encontra-se em ângulo reto ou contra as fibras do papel. Ver também: Cópia de transmissão <transmission copy>. {c} Aparência do papel quando observado contra a luz. T496 e T470.Quantidade de tinta depositada num suporte. Transferência de tinta <ink transfer> . indicando a máxima tração suportada antes do rompimento da tira de teste. Toco de bobina . Tratamento superficial do papel <surface treatment of paper> . tal como envernizamento. Ver também: Resistência à dobra <folding endurance>.Termo que descreve a condição na qual uma imagem impressa num dos lados do papel é vista do outro lado da folha. Termos alternativos: cromo <chrome>. visto que o texto impresso do lado oposto desvia a atenção do leitor. Termo alternativo: <butt roll>.Método de coloração do papel por meio da adição de anilinas. Termo alternativo: <lookthrough>. Tratamento ácido <acid treatment> . Transparência . Ver também: Modelação <modeling>. {f} Variação dos valores tonais que formam os detalhes de uma imagem. Teste de resistência ao rasgo <tearing strength test> .Processo de tratamento do papel com dióxido de enxofre.Defeito do papel caracterizado por um tubete cujo comprimento é maior do que a largura da bobina. Cromo <chrome>. Tubete de ferro <iron core> . expresso em quilonewton por metro (KN/m). Termo alternativo: <poor start>.Ensaio normalizado pela TAPPI (T404 e T494) para avaliar a resistência do papel ao alongamento sob tensão.Ensaio de laboratório que visa avaliar a resistência de um papel à abrasão. geralmente contendo apenas algumas voltas em torno do tubete.{a} Qualidade de uma superfície ou de um objeto que permite a passagem de luz através dele. devido à perda de umidade.[1] <loose core> . <centre>. {d} Característica de dureza de um pigmento em sua forma seca. tarugo. Ver também: Vibração da tira <sheet flutter>. <tranny>. {b} Característica visual e/ou tátil resultante do modo como a tinta é ancorada à superfície do suporte.[1] <core remainder> .

utilizado para imprimir certificados. <speckles>. Termos alternativos: rugas de umidade <moisture wrinkles>. usada comercialmente para calcular o peso seco ao ar e o peso seco absoluto. Pontos faltantes <missing dots>. [2] <paper web dampening> .Defeito do papel caracterizado por vergões na direção de fabricação. causados durante o bobinamento devido à expansão não uniforme da folha ou devido à variação de um idade ou tensão excessiva. Variação de gramatura <basis weight variation> . causadas por partículas higroscópicas (não receptivas à tinta) que se fixam à chapa ou à blanqueta ofsete ou por irregularidades (depressões) na superfície do papel. fabricado no Japão à base de fibras nativas. podendo evoluir para rugas ou simplesmente desaparecer. Veios . especialmente em bobinas. segundo método de amostragem e precisão determinados.Pontos faltantes ou não transferidos das células de um cilindro rotogravura para o papel.Sistema tubular das células individuais de certas árvores de madeira dura. v [2] As principais causas de vazios estão associadas aos papéis (pó. Ver também: marcas de corda <rope marks>. Ver também: Pinta <hickey>.uv uv U Umidade da celulose <cellulose humidity> . [3] <voids> Defeito de impressão caracterizado pela ausência indesejável de tinta nas barras do símbolo de um código de barras. V Vaccuum-foil .[1] <missing dots> . em forma de ondas.Graphos .Pequenas pintas brancas (não impressas) que aparecem nas áreas de grafismo. Veios de umidade <moisture welts> . marcas de corrente <chain marks>. com coloração creme ou natural. a fim de aumentar a umidade relativa do ambiente. formação nublada.Pulverizador que umidifica o papel durante a operação de calandragem. boa rigidez e durabilidade.Deformações alongadas. causadas por absorção de umidade do ar. <skips>. Vazios .Glossário de termos técnicos em comunicação gráfica. que ocorrem no sentido paralelo às fibras do papel. <snow>. Ver também: Veios de umidade <moisture welts>. montado em uma caixa fechada onde se aplica vácuo. às tintas (tack) e à solução de molhagem (emulsão com as tintas). [2] <winder welts> . na direção de fabricação. <void hickeys>. caracterizado por apresentar resistência elevada. Vaso <vessel> . vergões de umidade. de Sérgio Rossi Filho. Termo alternativo: papel pergaminho japonês <Japanese parchment paper>. Veludo japonês <Japanese vellum> . Umidificador . Termos alternativos: <breaks>.Aparelho que pulveriza vapor no ar da sala de impressão.Desvio de peso de um papel em relação ao peso médio de amostras tomadas ao longo da largura de uma bobina. Inpacel CoatStar Gloss 90 g/m² .[1] <welts> .[1] <humidifier> .Bandas em forma de ondas ou rugas macias que aparecem próximas às extremidades de uma bobina de papel.Tipo de papel espesso. Material extraído da obra .Diferença entre o peso da amostra e o peso da mesma amostra seca em estufa até peso constante. ou no ambientador de papel.Conjunto de foils da máquina de papel. arrancamento). Ver também: Segmentos de vaso <vessel segments>. em condições padronizadas. [2] <spots> .