Relatório Anual 2007

“Queremos melhorar a vida das pessoas, facilitar o desenvolvimento dos negócios e contribuir para o progresso das comunidades onde operamos, proporcionando-lhes serviços inovadores baseados nas tecnologias da informação e da comunicação.” Espírito de Progresso

Nosso Corpo

Solidez

Liderança

Inovação

Escala

Mais de

228 milhões de acessos de clientes

169 milhões de acessos de telefonia móvel 42 milhões de acessos de telefonia fixa
Mais de

10 milhões de acessos de Banda Larga

1,7 milhões de acessos de TV por assinatura
Presente em Mais de

24 países

56.400 milhões de euros em receitas

63% das receitas têm origem fora da Espanha
Um lucro líquido superior a

8.900 milhões

42% de rentabilidade para o acionista em 2007 106.067 milhões de euros de capitalização bursátil 8.027 milhões de euros de investimentos anuais (CapEx)
Mais de Mais de

4.350 milhões de euros investidos em P&D&i 248.000 profissionais

totais de acessos
Milhões
Dez 2007 Dez 2006

distribuição de receitas por negócio
Porcentagem
2007 2006

+12,5%
203,2

228,5 37% 37% 36% 34% 26% 25%

1% 4% 2006 2007 Espanha América Latina Europa Resto

Geografia
Oferece serviços em 20 países e tem presença indireta em outros quatro A Telefónica está presente em 24 países

Clientes
Mais de 228 milhões de acessos de clientes em 2007

Valor da Companhia
106.067 milhões de euros de capitalização bursátil

Resultados
Melhorou em todos os parâmetros

A Telefónica é a maior operadora integrada do mundo por número de acessos de clientes

Em 2007, a rentabilidade para o acionista situou-se em 42%

A Telefónica alcançou um novo recorde de resultados em 2007, com um lucro líquido de 8.906 milhões La Compañía cumplió un año más con todos sus objetivos financieros fijados para el ejercicio, y fue la operadora integrada que generó mayor beneficio neto a nivel mundial. El importe neto de la cifra de negocios (ingresos) en 2007 alcanzó los 56.441 millones de euros, con un incremento interanual del 6,7%. El resultado operativo antes de amortizaciones (OIBDA) alcanzó los 22.825 millones de euros y el margen sobre ingresos se situó en el 40,4%. La inversión (CapEx) se situó en 8.027 millones de euros. Además, el flujo de caja operativo ascendió a 14.797 millones de euros, un 33% más que en 2006; y redujo los niveles de deuda en 6.861 millones.

Por geografias, a Telefónica tem o perfil mais equilibrado de todas as operadoras de telecomunicações, já que os países externos ao mercado doméstico contribuem com 63% para as receitas consolidadas do Grupo. Em 2007, a Telefónica colocou em prática seu modelo de organização regional centrado em três grandes regiões geográficas: Espanha, América Latina e Europa.

A Telefónica encerrou o exercício passado com mais de 228 milhões de acessos de clientes e um crescimento em relação ao ano anterior de 12,5%, graças ao elevado ritmo de atividade comercial. O principal aumento de clientes ocorreu nos serviços de Banda Larga, telefonia móvel e TV por assinatura. Por regiões, a América Latina apresentou um maior crescimento, 16,9% em relação ao ano anterior

Durante o ano de 2007, a Telefónica consolidou-se como a operadora européia incumbente que oferece a melhor combinação de crescimento e rentabilidade para o acionista no setor; e ocupou a quarta posição do ranking mundial de operadoras de telecomunicações por capitalização bursátil. O lucro por ação aumentou 43,5% durante o exercício, até 1,872 euros por título, completando quatorze trimestres de crescimento ininterrupto. A ação da Telefónica registrou uma valorização de 37,8%, superior aos 14,6% do setor de referência na Europa (DJ Stoxx Telecomunicações), aos 7,3% do Ibex-35 e aos 6,8% do Eurostoxx-50.

inovação tecnológica
Milhões de euros

volume de compras
Milhões de euros

4.301

4.384 25.240

24.179 2.900 15.690

2005

2006

2007

2005

2006

2007

Funcionários
Oferece trabalho, direta e indiretamente, a mais de meio milhão de pessoas A Telefónica gera emprego direto para mais de 248.000 profissionais

Inovação
Investiu 594 milhões de euros em I+D

Infra-estruturas
A transformação da rede continuou com a fibra óptica e as tecnologias 3G e 3,5G A Telefónica oferece serviços móveis através de 80.499 estações base

Fornecedores
Espanha e Brasil, os países com maior volume de compra

A Telefónica alcançou um novo recorde de resultados em 2007, com um lucro líquido de 8.906 milhões No ano passado, a Telefónica foi a quarta operadora mundial por esforço de investimentos em P&D, de acordo com os critérios da OCDE, e a primeira empresa espanhola por este conceito. Baseou seu trabalho em uma rede de inovação aberta, que conta com o apoio dos negócios do Grupo, e um programa de Inovação Corporativa fortalecido pela Telefónica I+D. Além disso, participou em 190 projetos promovidos por Administrações Públicas espanholas e européias, e colaborou com 920 instituições. A Companhia lançou mais de 600 produtos e serviços no ano passado em todo o mundo.

A Telefónica adjudicou mais de 25.000 milhões de euros a seus fornecedores

Por regiões, a América Latina representa 66% do quadro de funcionários total. A Espanha é, com 22%, a segunda região por tamanho e a Europa constitui 12%. A Atento, com mais de 123.000 profissionais, é a Companhia que aporta um maior número de profissionais ao Grupo Telefónica.

A Telefónica começou a introduzir fibra óptica nas residências (FTTH), sendo pioneira neste aspecto. Com relação aos acessos móveis, avançou para generalizar em todas as operadoras as tecnologias 3G e 3,5G, para oferecer assim maior capacidade nas conexões de dados móveis. No fim de 2007, o Grupo contava com 80.499 estações base. Em 2007, a Telefónica continuou seu processo para ampliar as arquiteturas convergentes fixo-móvel, para poder potencializar assim os serviços convergentes. Os trabalhos concentraram-se em Espanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Peru, Reino Unido, Alemanha e República Checa.

O total de fornecedores adjudicatários em 2007 superou 28.000. O maior item foi a categoria de “Serviços e Obras” que, junto com “Produtos de Mercado” (que inclui os terminais móveis) e “Infra-estrutura de Redes”, correspondem a mais de 80% das compras. A parte restante é distribuída entre “Sistemas de Informação”, “Publicidade e Marketing” e “Conteúdos”. A negociação telefônica alcançou 87% do valor de compra nas operadoras de Espanha e América, em mais de 33.000 processos de negociação, dos quais mais de 4.100 correspondem a leilões eletrônicos.

Nossa Alma

Visão

Valores

Princípios

Políticas

36.000 funcionários com formação sobre os Princípios de Atuação,
aprovados em 2006; e em 2008, mais de 1.000 fornecedores serão avaliados pela Normativa de Extensão dos Princípios à Cadeia de Fornecimento Cerca de milhões de euros em ação social e cultural com mais de milhões de pessoas beneficiadas pelas iniciativas de 2007 Cerca de

90

39,8

19.000 funcionários são Voluntários Telefónica

Mais de crianças afastadas do trabalho infantil e escolarizadas na América Latina graças ao programa Pró-criança

50.000

6,84 (sobre 10) de Índice de Satisfação do Cliente no fim de 2007 65% de índice de satisfação do funcionário
das empresas de celulares certificadas ambientalmente Mais de conforme a ISO 14.001

50%

A Fundação Telefónica destinou 51.1 milhões a mais de 700 projetos. Assim. 81% das empresas e filiais do Grupo ratificaram os Princípios de Atuação.686 1. que contempla ações tanto internas como relacionadas com os serviços que oferece aos clientes. para apoiar a implantação dos Princípios. foram realizadas ações de comunicação interna. de acordo com a metodologia LBG. a Companhia está construindo uma nova cultura corporativa. o que representa 25. que quantifica e soma os aportes da companhia. realizou 15.500 Fundação Telefónica 51.167 medições dos níveis de emissão radioelétrica e investiu mais de 5. que define critérios mínimos de acessibilidade em 13 âmbitos.7701 13. Com base na Visão e nos Princípios de Atuação. Voluntários Telefónica. Também se destacam os 13 milhões de euros dirigidos a favorecer a integração de pessoas com incapacidade através da ATAM. Nota: Não inclui Atento.988 4. e após sua aprovação pelo Conselho de Administração. assim como Comissões Regionais para executar um Plano de Ação de Meio Ambiente 2008-2012. o tempo dedicado pelos funcionários e as contribuições em espécie. desenhou um modelo que inclui a autoavaliação dos fornecedores com base em critérios de RC. mais de 81% de nossos 102 milhões de clientes de serviços móveis na América Latina utilizavam produtos prépago. Durante 2007. terminais telefônicos. a contribuição líquida da companhia para a universalização dos serviços de telecomunicações foi de 161 milhões de euros na América Latina. A Telefónica melhorou sua Normativa Telefónica Acessível. A Telefónica lançou uma estratégia para lutar contra as mudanças climáticas. Fórum (iniciativa para gerar conhecimento no ambiente da Sociedade da Informação). e Arte e Tecnologia. Inclusão digital Para contribuir para a redução da desigualdade digital A Telefónica destinou cerca de 90 milhões de euros a iniciativas de ação social e cultural durante 2007 Com o objetivo de medir e avaliar melhor sua ação social. A Companhia criou em 2007 uma Direção Corporativa de Meio Ambiente. em 2007 foram aprovadas a Norma de Extensão dos Princípios de Atuação para a Cadeia de Fornecimento e a Norma de Compras para Fornecedores Sociais.ação social e cultural da telefónica Em mil euros funcionários treinados sobre os princípios de atuação Negócio Telefónica América Latina Negócio Telefónica O2 Europa Negócio Telefónica Espanha Outros Negócios Atividades sociais O2 4. já que dispõe de diferentes planos de treinamento sobre os Princípios de Atuação dirigidos aos teleoperadores.8 milhões de pessoas.039 88. Além disso. Além disso. que beneficiaram 39. EducaRed (orientado a melhorar a educação com as novas tecnologias). os custos de gestão. Além disso.228 Total ATAM 4. Em fins de 2007. São considerados patrocínios sociais e culturais todos os que têm um impacto positivo na sociedade. o número de linhas fixas de pré-pago e controle do consumo superou os 6 milhões. Ação Social e Cultural Com a Fundação Telefónica como principal motor Responsabilidade Corporativa Incluída nos principais índices: DJSI e FTSE4good A Telefónica publicou 14 Relatórios de Responsabilidade Corporativa em 17 de suas operações Para ampliar seus Princípios de Atuação à cadeia de fornecimento. . A Telefónica investe em infraestruturas.2 milhões para minimizar o impacto visual de suas infraestruturas.801 Patrocínios sociais e culturais2 28.9% de nossas instalações de acessos fixos na América Latina. serviços adaptados a baixas rendas e pessoas com incapacidade Em 2007.054 16.423 1 2 De acordo com a metodologia LBG. Mais de 1.000 serão avaliados em 2008. através fundamentalmente destes programas: Pró-criança (dirigido a erradicar o trabalho infantil na América Latina). na cultura e na arte. Princípios de Atuação A formação chegará a mais de 80% do quadro de pessoal em 2008 36.000 funcionários do Grupo Telefónica já receberam treinamento sobre os Princípios de Atuação A Telefónica aprovou em 2006 os Princípios de Atuação. lojas e atendimento ao cliente. começou sua difusão interna e iniciou sua aplicação nos âmbitos de acessibilidade web. a Telefónica adotou no ano passado a metodologia internacional LBG.

7% 1.635 2.786 Fornecedores 2.430 Acessos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos 0.1% 0.839 Fornecedores 3.117 936 3.139 4.506 834 309 378 281 111 94 7 0. Receitas correspondentes a todas as unidades de negócio da Telefónica no país.3 15 2.005 (68.585 836 128 302 360 281 173 24 48 60 1. O % entre parênteses representa o % adjudicado a fornecedores locais (porcentagem de adjudicações realizadas a fornecedores domiciliados no país sobre o total de adjudicações.4%) Acessos 12. Receitas TEF / PIB: Proporção entre as receitas da Telefónica (aporte do país ao consolidado de receitas do Grupo Telefónica) e o PIB estimado para o país (Fonte: FMI).142 Funcionários 1.646 Funcionários 13. Fornecedores: Fornecedores que foram adjudicados no país em 2007. baseado no volume de adjudicação).4% 1.539 466 29 850 966 365 108 114 117 7.049 Fornecedores 481 (87.377 Funcionários 6.451 (95%) Acessos 19.613 Fornecedores 1.430 961 135 652 370 1.493 Fornecedores 1.5%) Acessos 1. Empregos: Funcionários diretos do Grupo Telefónica no país (quadro de pessoal físico em 31 de dezembro de 2007).374 Acessos 2.6% 1.240 (98.2% 1.369 Fornecedores 1. Acessos: Equivale ao número de acessos fixos + móveis + ADSL + TV (em milhares).617 Fornecedores 824 (92.231 (99.087 587 300 54 78 133 1.221 Fornecedores 7.148 Acessos Funcionários 6.538 Funcionários 14.554 Fornecedores 2.974 Acessos Funcionários 773 Fornecedores 390 (80%) 2.825 988 231 248 418 1.2%) 8.368 905 413 470 289 8.8%) Acessos 12. compras e investimentos (Capex) em milhões de euros.589 Fornecedores 1. pagamento de impostos no país.806 7.381 RECEITAS/PIB MAGNITUDES Funcionários 53.8%) 1.430 (89. gastos com pessoal.3% 0.453 Funcionários 9.300 Fornecedores 4.711 2.5% EUROPA ALEMANHA IRLANDA REINO UNIDO REPÚBLICA CHECA Inclui Eslováquia Receitas Pagamentos 3.130 (89%) 10.728 (90.4%) 10.233 373 255 438 281 0.179 (94%) Acessos 13.519 1.792 5.425 Funcionários 14.0% 0.9% Funcionários 21.582 Acessos Funcionários 16.5% 0.143 (89.571 1.111 (93.7%) Acessos 9.0% AMÉRICA LATINA ARGENTINA BRASIL AMÉRICA CENTRAL CHILE COLÔMBIA EQUADOR MÉXICO PERU URUGUAI VENEZUELA Receitas Pagamentos 2.065 (87.Contribuição para o progresso ESPANHA ESPANHA Receitas Pagamentos IMPACTO ECONÔMICO 20. .7%) 46.2%) 49.3%) Acessos 5.471 Funcionários 75.002 167 120 230 1.3% 0.413 3.174 Funcionários 250 Fornecedores 445 (72.560 1.000 Acessos Funcionários 5.2% 2.873 Fornecedores 1.6%) Acessos 18.9% 1.280 780 597 832 2.517 Acessos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Compras Salários Impostos Investimentos Nota: Receitas.101 Fornecedores 2.8% Funcionários 5.

A. .Relatório Anual 2007 Telefónica S.

.

Carta do Presidente Descrição do Grupo Estrutura do Grupo Conselho de Administração Equipe Diretora 10 14 15 16 17 Nosso Corpo Países Clientes Valor da Ação Resultados Compromissos com investidores 2007-2010 Fluxo de Caixa Social Funcionários Inovação Infra-estruturas de Rede Produtos e Serviços Fornecedores 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 Nossa Alma Princípios de Atuação Satisfação dos Funcionários Satisfação dos Clientes Governança Corporativa e Transparência Gerações Interativas e Proteção do Menor Mudanças Climáticas Meio Ambiente Implementação de Rede Responsável Ação Social e Cultural 50 41 52 53 54 44 46 47 48 Nosso Setor Um Setor Dinâmico Posição da Telefónica Liderar o Progresso Inclusão Digital 62 66 68 72 Nossos Resultados Resultados Gestão de Riscos 76 132 História Cronologia 142 146 .

.

o lucro por ação cresceu 43. o que implica em um aumento do dividendo de 25% em relação ao do exercício anterior. excluindo os efeitos de taxa de câmbio e as mudanças no perímetro de consolidação. foi alcançado um novo recorde histórico de resultados que demonstram. impulsionado pelos acessos móveis e pela banda larga.5% em 2007. As receitas por operações foram em 2007 de 56. e com uma credibilidade contrastada pelo cumprimento recorrente de todos os nossos compromissos com o mercado. para manter e inclusive ampliar a liderança da Telefónica.0%.700 milhões de euros. 19.3% e 42.3%. Reforçamos a remuneração aos nossos acionistas No exercício de 2007. Telefónica S. No fim de 2007. em um incremento muito positivo de nossa base de clientes de 12. e compartilhar as grandes oportunidades oferecidas pelo novo ambiente digital.441 milhões de euros. Prezado acionista. o que situa a Telefónica como a operadora integrada com maior lucro líquido em nível mundial. quero aproveitar esta oportunidade para compartilhar com você a nossa ambição de continuar nos superando. até alcançar o recorde de 8. Neste exercício. o lucro líquido aumentou 43%. Este crescimento ocorreu em todos os itens da demonstração de resultados. Em conclusão. 28. Ao mesmo tempo.9% e 64. e propôs a distribuição de um dividendo por ação de 0.600 milhões de euros em sinergias durante o exercício. os resultados conseguidos demonstram que somos uma companhia de crescimento.7 milhões de clientes de TV por assinatura. respectivamente.A. 36% da Telefónica América Latina e 26% da Telefónica O2 Europa. propusemos Telefónica. foi de 7.4%. O forte crescimento de nossos resultados fundamenta-se. com contribuição positiva de todas as unidades de negócios.2 milhões de clientes de telefonia móvel. sobretudo.906 milhões de euros. Em conseqüência.5%. Para mim.Carta do Presidente César Alierta Presidente Executivo. uma vez mais.872 euros. sua capacidade de execução e sua visão dentro do setor de telecomunicações. a Telefónica Espanha de 4. Neste ano. A Telefónica América Latina apresentou um crescimento orgânico das receitas em relação ao ano anterior de 13.6% e a Telefónica O2 Europa de 4. a Telefónica finalizou o programa de recompra de ações próprias para cancelamento por 2.6%. Além disso. o avanço da gestão integrada de nossos negócios resultou na geração de mais de 1. 10. a evolução favorável de nossos negócios nos permite reforçar a política de remuneração aos nossos acionistas para 2008. é uma grande satisfação poder apresentar nesta carta um breve balanço da gestão da Telefónica durante o exercício de 2007. procedendo 37% da Telefónica Espanha.7%. Além disso. O crescimento orgânico das receitas. no mês de outubro de 2007. | Relatório Anual 2007 11 . Os melhores resultados de nossa história 2007 foi um ano histórico para a Companhia.5%.75 euro. um setor em pleno crescimento. contávamos com 169. S. até alcançar praticamente 229 milhões de acessos. que registraram crescimentos em 2007 de 16. Esta evolução evidencia o potencial de crescimento orgânico da Telefónica. o alto valor da diversificação por geografias e negócios.A. e completando quatorze trimestres de crescimento ininterrupto. o perfil diferencial de nossa Companhia.797 milhões de euros. situando-se em 1. com escala global e foco regional e local.1%. Tanto as receitas como o resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) e o resultado operacional (OI) registram em 2007 crescimentos significativos de 6. respectivamente.3 milhões de clientes de banda larga varejista e 1. a evolução positiva das operações em 2007 nos permitiu incrementar o fluxo de caixa operacional (OIBDA-Capex) em 33% até alcançar 14. Desta forma. e a eficiente estrutura de custos. Além disso.

representativas de aproximadamente 2. as oportunidades aumentam porque os clientes têm mais e novas necessidades: há uma demanda crescente de personalização dos serviços e de estar “sempre conectados”. a Telefónica aportou 80% do crescimento do IBEX 35 neste ano. desfrutou da maior valorização em bolsa em 2007 entre suas comparáveis de Europa e EUA. e mais do que duplicou a reavaliação anual do Dow Jones Telco.351 milhões de euros em 31 de dezembro de 2007. No contexto do mercado espanhol. Nosso desafio: continuar sendo líderes no longo prazo Nos próximos anos. Ao anterior. Telefónica. Porém. Esta situação de liderança atual nos permite abordar o futuro a partir de uma posição de vantagem. a adoção dos acordos societários oportunos. A Telefónica conseguiu um avanço progressivo neste ranking na última década. já que em 2007 a Telefónica se situava entre as 50 companhias maiores do mundo por capitalização em bolsa. Assim. empresa líder em nível mundial Nossa visão e a eficácia de nossa execução permitiram que nos tornássemos um dos líderes do setor de telecomunicações. Em primeiro lugar. índice de referência do setor em nível mundial. É a segunda operadora integrada por valor de ativos em nível mundial. tanto por tamanho. Uma vez mais. Além disso. como por valorização em bolsa e rentabilidade para o acionista. Desta forma.0 euro por ação com lançamento no exercício de 2008. a Telefónica proporcionou a maior rentabilidade total para o acionista (RTA) entre suas comparáveis da Europa e dos EUA no período 2006-2007. na ocasião adequada. as residências e as empresas estão cada vez mais digitais e conectadas. por um total de 100 milhões de ações. E é a operadora integrada que gerou o maior lucro líquido em nível mundial em 2007. e que estará vigente durante o exercício de 2008 e o primeiro semestre de 2009. a Companhia adianta o compromisso anunciado em maio de 2006 de duplicar o dividendo para o exercício de 2009 em relação ao de 2005. com um RTA de 86. como líder do setor. E. com um valor de 151. a Telefónica. S. com uma valorização da cotação de sua ação de 37. por fim. passando da posição número 198 em 1995. | Relatório Anual 2007 . anunciado em 27 de fevereiro de 2008. o que implica em um incremento de 33% em relação ao do exercício anterior e para cujo efeito será proposta. a Companhia melhor capacitada para transformar um elevado crescimento orgânico em rentabilidade e maior valor para o acionista. É a operadora que registrou maior crescimento orgânico de receitas em 2007 entre suas comparáveis na Europa e nos Estados Unidos.095% do capital social. distribuição e promoção de conteúdos. em qualquer momento. destacando a América Latina como a região em que se esperam maiores crescimentos no futuro próximo. e o cliente converteu-se no motor do extraordinário potencial de crescimento do setor. a liderança da Telefónica vai além do setor de telecomunicações. Também foi lançado um novo programa de recompra de ações próprias. e onde a Telefónica tem um posicionamento sólido. assim como o tempo dedicado ao trabalho.a distribuição de um dividendo de 1.8%. em qualquer lugar e através de todo tipo de dispositivo. ritmo de crescimento e resultados. as telecomunicações se ampliam e sua base de clientes cresce.A. disporá de grandes oportunidades de crescimento. Por fim. com ambições renovadas e uma meta clara: continuar sendo líderes no longo prazo. 12 Telefónica. Nossa Companhia. a Telefónica: É a primeira operadora integrada do mundo por número de clientes. à informação ou ao lazer. com 229 milhões de clientes. para a número 72 no ano 2000 e a número 37 no fim de 2007.1%. agrega-se o maior envolvimento dos clientes na geração. demonstramos que na Telefónica trabalhamos para continuar sendo a melhor opção de investimento do setor.

Para alcançar este objetivo. Eu gostaria de aproveitar. Neste sentido. conteúdos e modelos de negócios que vão sendo criados nesta nova etapa do setor. como chave para construir nosso espaço no novo ambiente digital. A Telefónica. de protagonizar o progresso das sociedades em que operamos. S. Estamos preparados para alcançar o próximo nível de liderança. Nossas redes e serviços de nova geração vão melhorar a qualidade de vida das pessoas. e estamos seguros de que a evolução tecnológica de nossas redes fixas e móveis nos permitirá satisfazer com excelência as expectativas de nossos clientes e introduzi-los nos benefícios do novo ambiente digital. capaz de atrair e reter o melhor talento. além disso. nos próximos anos. como ferramenta imprescindível para oferecer uma oferta integrada excelente e eficiente. tanto própria como com terceiros. como líder global que trabalha em um setor-chave para o desenvolvimento das sociedades. Telefónica. que está integralmente expressa nos valores que nos regem como Companhia. aplicações. somos líderes em tecnologia e conectividade. vamos designar os nossos recursos nos próximos anos a quatro grandes prioridades: Oferecer a melhor experiência de serviço aos nossos clientes. esta é a nossa ambição e o nosso compromisso. Continuar avançando na transformação de nosso modelo operacional. A partir de nossa posição de liderança. Para conseguir isso. Posso garantir que. E conseguir que a Telefónica se torne o melhor lugar para trabalhar. as sociedades vão experimentar um progresso sem precedentes. e o nosso entendimento das expectativas de nossos clientes para atender às suas necessidades com ofertas segmentadas que agreguem valor. Impulsionar a inovação. um ano mais.A. simultaneamente. temos a oportunidade e a responsabilidade. não vamos deixar de aproveitar. em que ofereceremos aos nossos clientes todo o nosso esforço e dedicação.A. aproveitando ao máximo as novas oportunidades de crescimento que este oferece. mas faz com que se sinta no centro. César Alierta Presidente-Executivo. assume esta responsabilidade social. esta ocasião para agradecer o apoio e a confiança de nossos acionistas para abordar este futuro pleno de oportunidades que temos à frente. continuaremos avançando em nossa transformação para garantir que materializamos as grandes oportunidades que as novas dinâmicas do setor nos oferecem. com uma posição única e grandes oportunidades à frente que. transformando-os em uma organização que não apenas tem o cliente como centro. Telefónica S. na Telefónica. contamos com o acesso físico e comercial ao cliente. A Telefónica tem à sua frente a possibilidade de capturar grande parte do crescimento do aumento de acessos e. Temos a oportunidade de liderar o progresso das sociedades No futuro. onde as Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC) serão a chave para esse desenvolvimento acelerado. a competitividade das empresas e a eficiência das administrações públicas. o grande percurso dos novos serviços. | Relatório Anual 2007 13 . Em resumo. temos a melhor Telefónica da história. melhoraremos o atendimento e o serviço.Carta do Presidente Na Telefónica. posso garantir. a confiança no futuro permitiu o nosso comprometimento com os mercados para aumentar fortemente nossa base de clientes até alcançar mais de 290 milhões de clientes no fim de 2010.

Telefónica O2 Europa A principal atividade da Telefónica O2 Europa é a exploração de serviços de telefonia fixa. Reino Unido.telefonica. Perfil organizacional Centro Corporativo O Centro Corporativo da Telefónica é responsável pela estratégia global e pelas políticas corporativas. Nova estrutura A nova estrutura da Telefónica permite aproveitar o valor nos diferentes níveis de ação. Colômbia. El Salvador. República Checa. móvel e banda larga no país.A. Eslováquia Nível Local . El Salvador. Irlanda. Chile. Equador. a estrutura corporativa da Telefónica permite aproveitar melhor as oportunidades que sua escala internacional e sua diversidade oferecem. Outras Sociedades A Atento presta serviços de atendimento ao cliente através de contact centers. ESTRUTURA Nível Global Telefónica Nível Regional Telefónica Espanha Telefónica América Latina Telefónica Europa Espanha Argentina. nos Estados Unidos. A t-gestiona dedica-se a oferecer serviços de apoio à gestão em questões econômico-financeiras. Guatemala. através de alianças com a China Netcom e a Telecom Itália. buscando a integração de serviços e tecnologias em cada país. a Telefónica desenvolve atividades complementares em Porto Rico e nos Estados Unidos. no Chile. Guatemala. no Marrocos. global. na Argentina. S. no México. Atualmente tem sede na Espanha. Peru. na Colômbia. Uruguai e Venezuela. logística 14 Telefónica. Panamá. e impulsionar a convergência Para obter mais informações: www. Telefónica Espanha A Telefónica foi fundada na Espanha em 1924 e hoje continua sendo seu principal mercado. México. no Brasil. regional e local: As ações são implementadas localmente. Telefónica América Latina A Telefónica América Latina oferece serviços de telecomunicações em 13 países através das marcas Telefónica e Telefónica Movistar: Argentina. Por outro lado. Nicarágua. na República Checa. Nicarágua. na República Checa e na Eslováquia. no Brasil. na América Central. Chile. na Argentina. na Irlanda. Equador. no Brasil e no México. no Peru. a organização implementada permite otimizar a gestão das operações comerciais e técnicas. | Relatório Anual 2007 e serviços. e inclui os investimentos no Marrocos (através da Meditel). Colômbia. em Porto Rico. América Latina e Europa O propósito da estrutura organizacional da Telefónica é potencializar a proximidade ao cliente e aproveitar a escala da Companhia para ampliar sua vantagem competitiva no setor.Descrição do Grupo O objetivo é facilitar a integração dos negócios de telefonia móvel e fixa. Esta unidade de negócios opera no Reino Unido. A Telefónica I+D é a companhia da Telefónica que se dedica às atividades de pesquisa e desenvolvimento. móvel e banda larga na Europa. Panamá. A principal atividade da Telefónica Espanha é a exploração de serviços de telefonia fixa. Em nível regional. Dispõe de centros na Espanha. México. Venezuela Alemanha . Globalmente. pela gestão das atividades comuns e pela coordenação das atividades das unidades de negócios. a Telefónica tem presença indireta na China e na Itália. na Alemanha. Uruguai . com o objetivo de oferecer o melhor atendimento ao cliente. Perú. Brasil. A empresa desenvolve atividades na Espanha.es/acercadetelefonica As operações do Grupo Telefónica são organizadas em três regiões geográficas: Espanha. no Chile e no Peru. de recursos humanos. Além disso. no Uruguai e na Venezuela. Brasil.

A Telefónica Móveis Chile aumentou o capital em maio e. possui 1.9%.00 TELEFÓNICA AMÉRICA LATINA % Part OUTRAS PARTICIPAÇÕES % Part Telesp1 Telefónica do Peru Telefónica da Argentina TLD Porto Rico Telefónica do Chile Telefónica Telecom Telefónica EUA T. Sociedades participadas direta e indiretamente por Telefónica Móveis Espanha.00 100.A. (Chile) 1 2 3 87. A Telefónica de Contenidos. através da Telco.89 52.18 1 2 3 Group 3G (Alemanha)3 Telefónica O2 República Checa Telefónica O2 Eslováquia2 Sociedade participada através da Telefónica S.00 100. como resultado.00 100. Considerando as ações próprias da sociedade portuguesa e sem considerar os acionistas minoritários. Públicas 100.51% e a Telefónica DataCorp 7.97 6. a porcentagem de participação do Grupo Telefónica seria 8.00 50. Joint Venture que consolida pelo método de consolidação integral a filial Vivo.01%.00 100. possui 15. S. Móveis Peru T.00 51.00 100. Móveis Uruguai Telefonía Celular Nicarágua T.00 100.10 16.00 42.10 China Netcom Group4 BBVA Amper 100.00 100.00 100.95 98. detalhadas em unidades de negócios A informação atualizada é publicada nos resultados trimestrais www.23 8.36 13. Intern.92 32. Porcentagem efetiva do grupo Telefónica. S. S.03 100. a porcentagem de direitos de voto do Grupo Telefónica alcançaria 9.A.00 100. Se incluirmos as ações de poupança (azioni di risparmio).00 32.00 100.32%.00 100.A.00 100.20%. Wholesale Serv. A Telefónica.00 1 T.Estrutura do Grupo Participações mais significativas do Grupo Telefónica.18 98.00 50.00 2 3 4 5 4 Participação efetiva 88. Sociedade participada pela Telefónica América Latina.00 100.A.00 100.08 100. a participação indireta da Telefónica na Telecom Itália seria de 6. Móveis El Salvador T. A Telefónica possui uma participação indireta no capital ordinário (com direito a voto) da Telecom Itália.79 IPSE 2000 (Itália)1 Lycos Europa Sogecable2 Mobipay Espanha Hispasat Portugal Telecom 3 1 13. Soluciones de Informática y Comunicaciones da Espanha Iberbanda Medi Telecom 100. Móveis México Telefónica Móveis Chile4 T.30 43.59% e a Telefónica.00 100.A.00 100.es/accionistaseinversores TELEFÓNICA ESPANHA % Part TELEFÓNICA O2 EUROPA % Part Telefónica de Espanha Telefónica Móveis Espanha Telyco Telefónica Telecomunic. | Relatório Anual 2007 15 .00 100.04 98. Móveis Soluciones y Aplicac.A.telefonica.00 O2 Reino Unido O2 Alemanha1 O2 Irlanda Manx Be 100. Móveis Colômbia Otecel (Equador) T. 69. possui 92. que não conferem direitos políticos.00 98. Móveis Argentina T. Móveis Panamá T.69 39. S. (TIWS)2 Brasilcel3 T. de aproximadamente 10%. passou a ser o único acionista da Telefónica Móveis do Chile que foi dissolvida em 1º de julho de 2007.00 100.41 100.00 1 3G Mobile AG (Suíça) Grupo Atento Telefónica de Contenidos Mobipay Internacional Telco SpA (Itália)5 Tempos 21 1 100.00 99.49%.00 0. Sociedade participada através de O2 Alemanha.53 100. S. através de uma participação na Vivo Participações. Sociedade participada por Telefónica O2 República Checa. Sem considerar as participações minoritárias. S.00 100.A.16%.00 44. Telefónica. Móveis Guatemala Telcel (Venezuela) T.21 5.

Responsabilidade Boa Governança Corporativa Regulamentação Qualidade do Serviço e Atendimento Comercial Assuntos Internacionais César Alierta Izuel (Presidente) Isidro Fainé Casas (Vice-presidente) Vitalino Manuel Nafría Aznar (Vice-presidente) Julio Linares López (Conselheiro Delegado) José María Abril Pérez José Fernando de Almansa Moreno-Barreda José María Álvarez-Pallete López David Arculus María Eva Castillo Sanz Carlos Colomer Casellas Peter Erskine Alfonso Ferrari Herrero Luiz Fernando Furlán Gonzalo Hinojosa Fernández de Angulo Pablo Isla Álvarez de Tejera Antonio Massanell Lavilla Francisco Javier de Paz Mancho SECRETÁRIO NÃO CONSELHEIRO Ramiro Sánchez de Lerín García-Ovíes VICE-SECRETÁRIA NÃO CONSELHEIRA María Luz Medrano Aranguren Nota: dados em 31 de março de 2008 Executivo Dominical Independente Outros Conselheiros Externos 16 Telefónica. são encomendados o exame e o acompanhamento de alguma área de especial relevância para a boa governança da Companhia. | Relatório Anual 2007 . O Regulamento do Conselho de Administração configura-o. Reputação e Nomeações Remunerações. O Conselho reserva-se determinadas competências com caráter indelegável e tem competência exclusiva sobre matérias como: as políticas e estratégias gerais. e os investimentos estratégicos. de suas Comissões e de seu Presidente.A. COMPOSIÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E SUAS COMISSÕES Taxa de Conselheiro Comissão Delegada Auditoria e Controle Recursos Humanos. ou a análise monográfica de algum aspecto de transcendência. a nomeação de Altos Executivos. como um Órgão de supervisão e controle da atividade da Companhia. assim como a remuneração dos Conselheiros e Altos Executivos. basicamente. S. encomendando a gestão ordinária de seus negócios em favor dos órgãos executivos e da equipe de direção.Conselho de Administração Em março de 2008. a avaliação do Conselho. estava composto por 17 Conselheiros O Conselho de Administração da Telefónica apoia-se em seis Comissões Consultivas para garantir a boa governança Às Comissões Consultivas ou de Controle.

Este. reportam-se diretamente ao Presidente-Executivo: o Diretor-Geral de Finanças e Desenvolvimento Corporativo.Equipe diretora Com o objetivo de aproveitar a escala e aprofundar o foco no cliente A Companhia aprovou um novo esquema organizacional em dezembro de 2007 A estrutura definida contempla responsáveis únicos para os negócios de fixo e móvel. por sua vez. e a Técnica da Presidência.A. | Relatório Anual 2007 17 . Álvarez Pallete* *Membros do Comitê Executivo Telefónica. Além do Conselheiro Delegado. e as duas Secretarias Gerais: a Jurídica e do Conselho. PresidenteExecutivo César Alierta* Finanças e Desenvolvimento Corporativo Santiago Fdez. A estrutura organizacional do Grupo Telefónica inclui três Direções Gerais regionais (Telefónica Espanha. S. Valbuena* Secretaria Geral Jurídica e do Conselho Ramiro Sánchez de Lerín Secretaria Geral Técnica da Presidência Luis Abril Conselheiro Delegado Julio Linares* Telefónica Espanha Guillermo Ansaldo* Telefónica O2 Europa Matthew Key* Telefónica América Latina J. responde ao Presidente-Executivo da Telefónica.M. Telefónica O2 Europa e Telefónica América Latina) que se reportam diretamente ao Conselheiro Delegado da Companhia. que definem estratégias para cada uma das três áreas regionais.

18 Telefónica. | Relatório Anual 2007 .A. S.

A. S.Nosso Corpo Países Clientes Valor da Ação Resultados Compromissos com investidores 2007-2010 Fluxo de Caixa Social Funcionários Inovação Infra-estruturas de Rede Produtos e Serviços Fornecedores 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 Telefónica. | Relatório Anual 2007 19 .

283 Clientes de TV Paga: 220 Uruguai Funcionários: 250 Fornecedores: 445 Acessos Móveis TEM Uruguai: 1.129 Clientes de TV Paga: 640 Chile Funcionários: 14. Telefonia Fixa T.telefonica.231 Ac.582 Brasil Funcionários: 75. Dados e Internet Terra ISP: 2 Accesos Móveis TEM México: 12. | Relatório Anual 2007 . Dados e Internet T. de Argentina: 4. Peru: 623 Acessos Móveis T. S.130 México Funcionários: 16.484 Clientes de TV Paga: 231 Ac.148 20 Telefónica.554 Fornecedores: 2.493 Fornecedores: 1. Chile: 2. Telefonia Fixa Telesp: 11. Peru: 2. Peru: 8.es/accionistaseinversores A Telefónica está presente em 24 países* Por geografias.Países Oferece serviços em 20 países e tem presença indireta em outros quatro Para obter mais informações: www. Em 2007.734 Terra ISP: 982 Acessos Móveis VIVO: 33. já que os países externos ao mercado doméstico contribuem com 63% para as receitas consolidadas do Grupo.A. Dados e Internet T. Dados e Internet T.960 Ac. Telefonia Fixa T.451 Ac.278 Equador Funcionários: 773 Fornecedores: 390 Acessos Móveis TEM Equador: 2. Venezuela Funcionários: 6.172 Ac. América Latina e Europa.111 Ac. Telecom: 200 Acessos Móveis TEM Colômbia: 8. Telecom: 2.728 Ac. Dados e Internet Telesp: 3.telefonica.538 Colômbia Funcionários: 6. de Argentina: 1.430 Peru Funcionários: 14.589 Fornecedores: 1.613 Fornecedores: 1.es/acercadetelefonica www.329 América Central Funcionários: 5.578 Ac.005 Ac.369 Fornecedores: 1.839 Fornecedores: 3. Dados e Internet T. a Telefónica colocou em prática seu modelo de organização regional centrado em três grandes regiões geográficas: Espanha.430 Ac.150 Acessos Móveis TEM Argentina: 13. Chile: 687 Acessos Móveis T.782 Ac. Dados e Internet: 22 Acessos Móveis: 5. a Telefónica tem o perfil mais equilibrado de todas as operadoras de telecomunicações. Telefonia Fixa T. Telefonia Fixa: 125 Ac.372 Clientes de TV Paga: 73 Acceso Móveis TEM Venezuela: 10. Telefonia Fixa T. Chile: 6.786 Fornecedores: 2.289 Argentina Funcionários: 21.873 Fornecedores: 1.143 Ac.

A.240 Ac. **A Telefónica.. *Dados em 31 de dezembro de 2007.646 Ac. Telefónica. Checa: 2.400 milhões de euros de receitas 42% de rentabilidade para o acionista em 2007 1.Países Presença em Mais de 24 países 169 milhões de acessos de telefonia móvel 42 milhões de acessos de telefonia fixa 10 milhões de acessos de Banda Larga Mais de Mais de 228 milhões de acessos de clientes 56. República Checa Marrocos Funcionários: 1. | Relatório Anual 2007 21 .069 Ac. Portugal Participação de 8.000 profissionais 106.695 Fornecedores: 391 Ac. S. Telefonia Fixa Negócio Fixo: 15.22%.382 Alemanha Funcionários: 5.153 Funcionários: 8.898 Ac. com a qual a participação do Grupo Telefónica na CNC passaria a ser aproximadamente de 7.125 O2TV: 73 Espanha Funcionários: 53. Dados e Internet Negócio Fixo: 5.300 Fornecedores: 4.221 Fornecedores: 7. S.179 Irlanda Funcionários: 1.350 milhões de euros investidos em I+D+i 248. através de sua filial TELEFÓNICA INTERNACIONAL. Checa: 573 Acessos Móveis TO2 Rep. Dados e Internet O2 Alemanha: 75 Acessos Móveis O2 Alemanha: 12.A. Checa: 5.472 Eslováquia Funcionários: 354 Itália Fornecedores: 90 Acessos Móveis TO2 Eslováquia: 565 China** Participação de 5% no China Netcom Group. de 9.067 de milhões de euros capitalização bursátil Reino Unido Funcionários: 13.U.065 Ac.7 milhões de acessos de TV por assinatura Mais de Mais de 63% das receitas têm origem fora da Espanha 4. alcançou em 18 de janeiro de 2008 um acordo para a aquisição de uma participação adicional na CHINA NETCOM (CNC).98%.617 Fornecedores: 824 Acessos Móveis O2 Irlanda: 1.827 Clientes de TV Paga: 511 Participação indireta da Telefónica com direito a voto da Telecom Itália. Telefonia Fixa TO2 Rep. S.32% na Portugal Telecom.646 Fornecedores: 442 Acessos Móveis Marrocos: 6.101 Fornecedores: 2. Dados e Internet O2 Reino Unido: 71 Acessos Móveis O2 Reino Unido: 18.p..A. S.A. Dados e Internet TO2 Rep.279 Acessos Móveis Negócio Móvel: 22.

recebeu a pontuação mais alta entre os diferentes ISPs em uma pesquisa realizada apenas dois meses após o lançamento do serviço.0 -13. além do acesso fixo tradicional.3%) permitiu compensar a menor base em países como Argentina.telefonica.A. A participação de mercado manteve-se estável em torno a 81%.3% Total 41. a maior parte deles na República Checa.035.5%. o que oferece alternativas de comunicação para os clientes. os acessos de telefonia fixa situaram-se em 23. | Relatório Anual 2007 . com retrocessos entre 1.6 América Latina 23.6 milhões.2 -0. continuando com um forte ritmo de crescimento em relação ao ano anterior (+33. Por regiões.2 milhões de clientes no encerramento do exercício de 2007. De fato.5% Europa 670.946. com uma diminuição de 14% em relação ao ano anterior. Chile ou Colômbia.5%. Na Espanha.2%).1% América Latina 5.974. graças ao esforço comercial de todas as operadoras. A Telefónica encerrou o exercício com cerca de 42 milhões de acessos fixos administrados.3 +48.es/acercadetelefonica www. Brasil. Os acessos de varejo de Internet de banda larga superavam 10. Além disso.277. Os serviços móveis e a Banda Larga foram as principais alavancas da evolução. Banda Larga A Telefónica tem uma posição sólida para aproveitar as oportunidades que o novo ambiente digital apresenta. Na Europa.571. ACESSOS DE TELEFONIA FIXA Dados em milhares de acessos / Evolução 06-07 Espanha 15. S. Na Espanha.1% +22. Na América Latina. 16.9% em relação ao ano anterior. a Telefónica demonstra uma importante força competitiva no mercado de Banda Larga.9% em relação ao ano anterior. A evolução notável da quantidade de acessos no Peru (+11. no encerramento do exercício passado.901 linhas. o melhor dado anual desde 2001.898.3% ACESSOS DE BANDA LARGA VAREJISTA Dados em milhares de acessos / Evolução 06-07 Espanha 4.telefonica.2% Europa 2.2% e 1. como conseqüência do processo de substituição fixo-móvel.9 +33. a América Latina apresentou um maior crescimento. em linha com 2006. graças ao elevado ritmo de atividade comercial. Na República Checa.9% 22 Telefónica.3 +0.Clientes A Companhia incorporou 25 milhões de novos acessos de clientes em 2007 Para obter mais informações: www. a proposta de banda larga no Reino Unido teve uma excelente acolhida. a Telefónica superava 670. Os acessos varejistas de Internet na América Latina superavam 5 milhões.9 milhões. os acessos varejistas de banda larga alcançavam 4.3%. o número total de acessos de telefonia fixa foi 2.es/accionistaseinversores A Telefónica é a maior operadora integrada do mundo por número de acessos de clientes A Telefónica encerrou o exercício passado com mais de 228 milhões de acessos de clientes e um crescimento em relação ao ano anterior de 12.130. mantendo sua participação de mercado estimada acima de 56%.0 -0. a Telefónica conteve a perda de linhas fixas até 0.9% Total 10.000 acessos de banda larga. o que implicou em um retrocesso de 0. em um mercado maduro como o da telefonia fixa. com uma redução acumulada de acessos em 2007 de 51.8 +28.1 milhões. Telefonia fixa O mercado de telecomunicações está mudando nos últimos anos. No fim de dezembro.

ADSL.6%) e no Peru (+58.946.2 56.3 1 2 3 4 5 Nota: Os Acessos móveis.163.826.6 47 22.5%).9 Europa 73. Na Espanha.748. o número total de clientes da O2 TV aumentou até 73. oferecido através das linhas de banda larga. Na Espanha. na Argentina (+22.8 +8.4% América Latina 101. 5 Total de Acessos 225.263.8 4.6% Telefónica. no Chile e na Colômbia.3 7.3% Total 169.7 42.8 23. satélite.3 41.1 2. e desde o terceiro trimestre de 2007 no Brasil. Acessos de telefonia fixa e Acessos de dados e internet incluem os clientes de MANX. Na América Latina. Acesso Primário RDSI Acessos Digitais 2/6 x30.4% Total 1.4 41. após o lançamento de novos produtos em pacotes. a Telefónica superou 22.2 milhões de clientes de TV por assinatura via cabo ou satélite.6%). modem a cabo e circuitos de banda larga.2 44.8 157.000 no fim de 2007.2 134. RTB (incluindo TUP) x1. um mercado muito competitivo. a Telefónica alcançou 1.6% +22. encerrou o exercício de 2007 com um lucro líquido de 24 milhões de acessos e um crescimento em relação ao ano anterior de 16.3 38.1 1. os acessos móveis foram quase 102 milhões (+22.9 3.907. Na República Checa. alcançava uma participação de mercado estimada por baixo de 13% do mercado em fins de 2007. ACESSOS DE TV POR ASSINATURA Dados em milhares de acessos / Evolução 06-07 Espanha 511. Na Europa.4 145. Inclui circuitos alugados pela Telefónica Deutschland.532.0 228.4% em relação ao ano anterior).8 1. S.954. Inclui circuitos cujo cliente final são operadoras. Europa 38.6%. superando meio milhão de acessos.041. com mais de 50.826. o terminal que foi vendido mais rapidamente no país e que oferece um ARPU 30% superior ao de um usuário regular de contrato.2 2130 734. que opera no mercado de telefonia móvel através das marcas Movistar e O2. sendo significativas no México (+46.2 46.263. TV por assinatura A distribuição de conteúdos é um dos serviços de valor agregado sobre os quais a Telefónica quer construir sua oferta de valor integrada para o cliente.4 101. O desdobramento por regiões geográficas não inclui o Marrocos.9 103. foi realizado o lançamento do iPhone na Irlanda.6 América Latina 1. cabe destacar o êxito do iPhone no Reino Unido.0 2.219. Telefonia móvel A mobilidade é uma grande alavanca de crescimento da Telefónica.6 134.4 2.9 1.898 5.2 12.8 73.8 +74.1 1.7 12.9% +6. com elevadas taxas de crescimento praticamente em todos os países.340.9 15. | Relatório Anual 2007 23 . representando quase 60% do total de clientes. o serviço imagenio.6 670. No ano.A.4% ACESSOS DE TELEFONIA MÓVEL Dados em milhares de acessos / Evolução 06-07 Espanha 22.6 5.7 7.279.859.219. Acesso Básico RDSI x1.974.201.035. Na América Latina. destacou-se a progressão do contratos (+12.1 +33.6 511.180.4 203.997.3 660. A Companhia.7 +16.064.976.2 706.125.374.4%).170. fibra óptica.910.8 198.3 200. com operações no Peru.514.3 6.7 169.277.976.2 41.7 milhões de clientes e uma penetração de 111%. Inclui autoconsumo.9 10.538.974.8 62.700.628.8 milhões de linhas.479.Clientes ACESSOS DE CLIENTES DO GRUPO TELEFÓNICA Dados não auditados (em milhares) 2007 2006 Espanha Distribuição geográfica América Latina Europa Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros 3 Acessos móveis TV por Assinatura Acessos Atacadistas 4. Em março de 2008.163.1 +64.7 1.968.2 n.571.748.s. Restante de circuitos varejistas que não são de banda larga.815.104.

a ser implementado no exercício de 2008 e durante o primeiro semestre de 2009. Remuneração ao acionista O valor total dedicado durante o exercício de 2007 à remuneração do acionista. acordou submeter à próxima Assembléia Geral de Acionistas. A RENTABILIDADE DA AÇÃO EM 2007 Rentabilidade por ação em 2007 Nº de Ações Valor bruto em euros Valor de 100 ações em 1 de janeiro de 2007 Dividendo em dinheiro (17 de maio de 2007) Dividendo em dinheiro (14 de novembro de 2007) Valor de 100 ações em 1 de janeiro de 2008 Valor total da carteira composta por 100 ações Rentabilidade 100 100 100 100 1.468 ações próprias. em fevereiro de 2008. Adicionalmente.telefonica. Em 17 de março de 2008. a ser realizada em abril de 2008. até 1.222 2. Na Sexta Conferência de Investidores. O pagamento deste dividendo será realizado em duas parcelas: uma no segundo semestre de 2008 e outra no primeiro semestre de 2009.es/accionistaseinversores Em 2007. o Conselho de Administração. Adicionalmente. S. a rentabilidade para o acionista situou-se em 41.A.75 euros brutos por ação. a companhia anunciou o lançamento de um novo programa de recompra de ações por um volume total de 100 milhões de ações.35 euros brutos por ação com lançamento no exercício de 2007.287 41. condicionado ao preço da ação e à geração de caixa.40 euros brutos por ação com lançamento nos lucros do exercício de 2007.500.30 euros brutos por ação que haviam sido pagos em 10 de novembro de 2006.612 30 35 2. o dividendo total pago pela Companhia com lançamento no exercício de 2007 é de 0. foi pago um dividendo provisório de 0.Valor da Ação A capitalização bursátil da Telefónica no encerramento de 2007 era 106.872 euros por título.9% Durante o ano de 2007. em sua sessão do dia 27 de fevereiro de 2008.067 milhões de euros.745% do capital social atual da Companhia. o pagamento de um dividendo complementar de 0.313. a Telefónica consolidou-se como a operadora européia incumbente que ofereceu a melhor combinação de crescimento e rentabilidade para o acionista no setor.30 euros brutos por ação. que representam 1. Neste sentido. tanto como pagamento de dividendos como ao programa de recompra de ações. a Companhia anunciou que pagará um dividendo de 1 euro bruto por ação com lançamento no exercício de 2008. realizada em Londres em 11 de outubro de 2007.9% 24 Telefónica. ocupando a quarta posição no ranking mundial de operadoras de telecomunicações Para obter mais informações: www. | Relatório Anual 2007 . O lucro por ação aumentou 43. 33% a mais do que o pago com lançamento no exercício anterior.200 milhões de euros.5% durante o exercício.000 que se encontram em tesouraria. com a finalização durante o exercício de 2007 do programa anunciado de 2.700 milhões de euros. que completava os 0. foi de 5. Assim. a posição de ações em tesouraria da Telefónica era de 83. a companhia acordou submeter à próxima Assembléia Geral de Acionistas a redução do capital social mediante a amortização de ações próprias de 68. que será pago no próximo 13 de maio de 2008. Em 14 de novembro de 2007. Em 17 de maio de 2007. a Companhia procedeu ao pagamento de um dividendo complementar dos lucros do exercício de 2006 de 0.

na Bolsa de Lima e na Bolsa de São Paulo. A forte subida da Telefónica ocorreu fundamentalmente por seu melhor comportamento em relação ao setor em termos de crescimentos orgânicos (clientes.4 milhões de títulos de 2006.5%.00 150.00 200. Assim. (BBVA). após a redução de capital social em junho de 2007 mediante amortização de ações próprias (no valor de 147. Bilbao e Valência). até 1.000.A. ocupando a quarta posição no ranking mundial de operadoras de telecomunicações.000. Em outubro de 2007.5%.5 milhões de acionistas em 29 de fevereiro de 2008. com 5. a ação da Telefónica registrou uma valorização de 37. S. Cada ação tem um valor nominal de 1 euro. na Bolsa de Londres.000.00 EVOLUÇÃO BURSÁTIL EM 2007 Fonte: Bloomberg PREÇO Ações 300. segundo registros individualizados a favor de pessoas físicas e jurídicas.6% do setor de referência na Europa (DJ Stoxx Telecomunicações).00 90 10.3% do capital social.912 euros). na Bolsa de Tóquio. Participações significativas A Caja de Ahorros y Pensiones de Barcelona (La Caixa) e o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria.00 0 80 Evolução da ação Durante o exercício de 2007. Deutsche Telecom +8. A capitalização bursátil da Telefónica no encerramento de 2007 era 106. | Relatório Anual 2007 3-10-07 3-11-07 3-12-07 3-1-07 3-2-07 3-3-07 3-4-07 3-5-07 3-6-07 3-7-07 3-8-07 3-9-07 25 .00 50.5%.000 150 TELEFÓNICA IBEX-35 DJ TELCO DJ EURO STOXX 22. S.000. superior aos 14. Outros dados de interesse Bolsas A Telefónica é negociada no Mercado Contínuo Espanhol (no seletivo Índice Ibex-35) e nas quatro Bolsas de Valores espanholas (Madri. com a apresentação da estratégia e as expectativas de crescimento para o período 2007-2010. superior aos 53.2%).000. ao 7.8% do Eurostoxx-50. Número de acionistas 1. a Telefónica voltou a obter resultados recordistas.633.5% e 6.067 milhões de euros. S.00 250. Compensação e Liquidação de Valores (Iberclear). pela revisão para cima dos objetivos determinados para o exercício de 2007.000 140 20.A.000 130 120 110 100 12.000.5% e Telecom Itália -7. Barcelona.485 euros.Valor da Ação PREÇO / VOLUME Fonte: Bloomberg NÚMERO DE AÇÕES Euros 24.872 euros por título (1. Todos estes atributos foram ainda mais reforçados a partir do dia 11 de outubro. junto com a alta diversificação de ativos. e a cada vez mais atraente remuneração ao acionista. na Bolsa de Buenos Aires. rentabilidade e geração de caixa).2 euros por ação. os mercados de renda variável apresentaram uma evolução positiva.7%. somando assim quatorze trimestres de crescimento ininterrupto. iniciou os trâmites para a exclusão da cotação de suas ações das Bolsas de Paris e Frankfurt. na Bolsa de Nova York.00 100.000 14. O volume médio diário de negociação em 2007 da Telefónica no mercado contínuo espanhol foi de 61. respectivamente (dados em 31 de dezembro de 2007). a Telefónica.000 16.3% do Ibex-35 e ao 6.496. com uma melhoria do lucro básico por ação de 43. Telefónica. France Telecom +17.A.773. receitas. com eficácia durante o primeiro trimestre de 2008.8% até 22. e de acordo com a informação da Sociedade de Gestão dos Sistemas de Registro.304 euros por ação em dezembro de 2006). data de realização da Conferência de Investidores.8 milhões de ações. BT -9. Capital social 4. 1-1-07 12-1-07 23-1-07 3-2-07 14-2-07 25-3-07 8-3-07 19-3-07 30-3-07 10-4-07 21-4-07 2-5-07 13-5-07 24-5-07 4-6-07 15-6-07 26-6-07 7-7-07 18-7-07 29-07-07 9-8-07 20-8-07 31-8-07 11-9-07 22-9-07 3-10-07 14-10-07 25-10-07 5-11-07 16-11-07 27-11-07 8-12-07 19-12-07 30-12-07 Lucro para o acionista No exercício de 2007. A Telefónica também superou neste período as suas operadoras comparáveis na Europa (Vodafone +32.000 18.

3 8.683 20.825 8. Além disso.977 1.861 milhões de euros em 2007. S.A. | Relatório Anual 2007 . com um lucro líquido de 8. para 45.telefonica.3%. O crescimento orgânico1 das receitas foi de 7.8 n.421 15.901 4.7 11.368 milhões de euros. Nota: O OIBDA dos negócios de telefonia fixa na América Latina é apresentado depois dos gastos com administração. n. Estas margens excluem os ganhos de capital de Airwave e Endemol. S.900 309 99 9.4% e se caracterizou pela contribuição positiva de todos os negócios: A Telefónica América Latina apresentou uma melhoria de 13.9 (35. Deutschland (janeiro-dezembro). a Telefónica América Latina aportou 35.571 3. a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007. estes dados não incluem o montante da variação da “provisão de carteira de controle” registrados pela Telefónica.067 3.284 milhões de euros.7%.388 6.4% (35.9%.4%.6 22. 19.es/accionistaseinversores A Telefónica alcançou um novo recorde de resultados em 2007. Por negócios.0%.0 9. o aporte da Telefónica Espanha para o OIBDA foi de 46. o OIBDA do ano de 2007 foi impactado pelos esforços da Telefónica em seus planos de adequação do quadro de funcionários. Rentabilidade do negócio* O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) do Grupo2 aumentou 19.8) 6.5%. a consolidação da Airwave no período abril-dezembro de 2006 e a consolidação da Endemol no período julho-dezembro de 2006.2 n. 42.2% do ano anterior). Por negócios.078 14.708 200 19. T. 26 Telefónica.458 1.168 13.591 1.089 13.113 2.7 9.4 34.6% e a Telefónica O2 Europa de 4.278 22.159 1. frente aos 36. Por tipo de atividade. apresentando o perfil mais equilibrado de todo o setor de telecomunicações. que resultarão em melhorias de eficiência nos próximos anos.903 52.825 milhões de euros.750 18. a informação auditada está incluída nas contas anuais. 2 Inclui o ganho de capital da Airwave por 1.906 milhões A margem de OIBDA sobre as receitas foi 40.Resultados Melhoraram as receitas. GRUPO TELEFÓNICA RESULTADOS POR UNIDADES DE NEGÓCIO Dados não auditados (milhões de euros) IMPORTE NETO CIFRA DE NEGOCIO 2007 2006 % Var OIBDA 2007 2006 % Var janeiro-dezembro RESULTADO OPERATIVO 2007 2006 % Var Telefónica Espanha Telefónica América Latina Telefónica O2 Europa1 Outras sociedades e eliminações2 Total do Grupo 20.797 milhões de euros. O fluxo de caixa operacional (OIBDA . * Para uma análise pormenorizada das demonstrações financeiras consolidadas do Grupo Telefónica. Telefónica Telecom e Iberbanda em janeiro-dezembro de 2006. o valor líquido do volume de negócios (receitas) em 2007 foi 56. Receitas* Como resultado da expansão da base de clientes do Grupo.296 milhões de euros e o ganho de capital da Endemol por 1. Para o OIBDA e o Resultado Operacional.3% e a Telefónica O2 Europa. Por outro lado. 25. à diversificação e à gestão integrada Para obter mais informações: www. Grupo O2 (fevereiro-dezembro) e O2 Alemanha (fevereiro-dezembro).562 1.1 1 2 Nota: Os resultados de 2006 foram apresentados considerando a Atribuição do Preço de Compra da O2 desde fevereiro de 2006.221 56. a margem sobre as receitas foi de 40.s.7% sem considerar os ganhos de capital de Airwave e Endemol. a contribuição da Telefónica Espanha para o negócio representou 36. enquanto a Telefónica América Latina representou 35.s.6%. com um aumento em relação ao ano anterior de 6.126 9.647 6.CAPEX) foi 14.6% e a Telefónica O2 Europa. 1 Pressupondo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação de Grupo O2.441 milhões de euros.s.6%.3 7. a Telefónica Espanha de 4.121 4. o OIBDA e o resultado operacional graças à escala. Exclui a consolidação da Telefónica O2 Eslováquia em janeiro-dezembro de 2007. Números de OIBDA excluindo brand fee. 18.448 7. 33% superior a 2006. as receitas de serviço móvel e banda larga foram as que impulsionaram o crescimento orgânico.3% em relação ao ano anterior e alcançou 22. A Telefónica O2 Europa inclui em 2006: Telefónica O2 República Checa (janeiro-dezembro).A.441 19. O nível de dívida reduziu-se em 6.

861 milhões de euros com relação à dívida consolidada em fins do exercício de 2006 (52. Este incremento foi compatível com os investimentos no exercício (8.512 milhões de euros. é necessário acrescentar 1. A rentabilidade para o acionista foi de 41.A.145 milhões de euros). acima da rentabilidade do índice DJ EuroStoxx Telecommunications (19.113 e 3. o Grupo consolidouse como a operadora européia incumbente que oferece o melhor crescimento e a maior rentabilidade para o acionista no setor. S. devido fundamentalmente à venda de Airwave.472 milhões de euros de redução da dívida por variações da taxa de câmbio. 3 OIBDA-CapEx. | Relatório Anual 2007 27 . mudanças de perímetro e outros efeitos sobre as contas financeiras.027 milhões de euros).9%. Lucro para o acionista* No exercício passado. O2 Europa 26% T. 42. España 47% T.A. Telefónica.296 milhões de euros e da Endemol por 1. Assim.368 milhões de euros. a Telefónica foi a operadora integrada que gerou o maior lucro líquido em nível mundial. Isto projeta uma redução total de 6. Endemol e à participação adquirida da TELCO.284 milhões de euros. durante o exercício.304 euros por ação em dezembro de 2006). situando a dívida financeira líquida do Grupo Telefónica no encerramento de 2007 em 45. España 37% T. as sinergias. Geração de caixa* Em 2007.3%).076 milhões de euros foram dedicados a compras de ações em tesouraria e distribuição de dividendos da Telefónica.847 milhões de euros. sendo este o 14º trimestre consecutivo com crescimento. respectivamente. e 781 milhões de euros ao cancelamento de compromissos adquiridos pelo Grupo. o lucro líquido consolidado da Telefónica foi de 8. a otimização de custos e a diversificação permitiram que a Telefónica alcançasse um fluxo de caixa operacional 3 de 14. O lucro líquido básico por ação aumentou 43. dos quais 2. Considerando que os desinvestimentos financeiros no período corresponderam a 2.389 milhões de euros. fundamentalmente derivados de programas de redução do quadro de pessoal. Em 2007.9% mais do que no mesmo período do exercício anterior. a dívida financeira reduziu-se em 5. situando-se em 1. O2 Europa 18% T. América Latina 36% DISTRIBUIÇÃO DE OIBDA POR NEGÓCIO** T. S. 33% mais do que em 2006.. O fluxo de caixa livre acumulado em 2007 foi de 8.906 milhões de euros.797 milhões de euros. América Latina 35% Nota: Dados comunicados à Comissão Nacional do Mercado de Valores ** Considerando que o OIBDA consolidado do Grupo Telefónica de janeiro-dezembro de 2007 exclui o ganho de capital da Airwave por 1. Adicionalmente.872 euros por ação (1.5%.Resultados DISTRIBUIÇÃO DE RECEITAS POR NEGÓCIO Outras Sociedades 1% T.

000 14.0%.000 CRESCIMENTO DO OI EX2004 EX2005 EX2006 EX2007 PROJEÇÕES RESULTADOS DA TELEFÓNICA *Exercício fiscal de 2008.000 10.000 30.0% / +14. Oportunidades de crescimento orgânico De acordo com os critérios utilizados para a determinação dos objetivos financeiros para 2008.0% / +8.0%. Apesar da incerteza existente em um setor muito dinâmico.0%-19.0% / +16. 65.000 35.telefonica.0%.000 11.000 8.000 CRESCIMENTO DO OIBDA EX2004 EX2005 EX2006 EX2007 12. Telefónica O2 Europa: +4.000 16.0% / +6.A. Telefónica América Latina: +12.000 CRESCIMENTO DAS RECEITAS O crescimento anual do Resultado Operacional antes de Amortizações (OIBDA) em 2008 situe-se na faixa de 7. Os investimentos (CapEx) em 2008 em torno a 8.000 50.0%-8. | Relatório Anual 2007 . e diferente de outras companhias. Telefónica Espanha: +6.000 60. Telefónica América Latina: +11. O crescimento anual do Resultado Operacional (OI) em 2008 situe-se na faixa de 13.000 18. depois de gerado.0%.0% / +3.0% / +7. 22. O Fluxo de Caixa será destinado.0%. às seguintes prioridades: Remuneração ao acionista (Dividendo por ação em 2008: 1 euro*) Redução de dívida (Dívida líquida + Compromissos de caixa/OIBDA=entre 2.Compromissos com investidores 2007-2010 Na VI Conferência de Investidores realizada em Londres Para obter mais informações: www. a ser pago no segundo semestre de 2008 e no primeiro semestre de 2009. Telefónica Espanha: +2.0%.0-2. os resultados da Telefónica sempre superaram as projeções publicadas pela Companhia. 28 Telefónica.000 7. S.000 9.0%.000 40.000 20.000 45.5%.000 12. EX2004 EX2005 EX2006 EX2007 Telefónica O2 Europa: +2.5x) Aquisições seletivas para potencializar o crescimento nos mercados atuais Uma trajetória de cumprimento de compromissos A Telefónica caracterizou-se nos últimos anos por ser uma companhia que adiantou suas projeções de resultados aos analistas e investidores.600 milhões de euros.es/accionistaseinversores A Telefónica anunciou um dividendo de 1 euro por ação com lançamento no exercício de 2008 A excelente execução do negócio junto com a utilização disciplinada do Fluxo Livre de Caixa permite à Telefónica revisar para cima os seus compromissos prévios.0%. Sua credibilidade baseia-se em um cumprimento recorrente e sistemático do que promete aos mercados.5%-11. o Grupo Telefónica prevê que em nível consolidado: O crescimento anual do montante líquido do volume de negócios (receitas) em 2008 situe-se na faixa de 6.

será distribuído um dividendo de 1 euro por ação com lançamento no exercício de 2008.87¤ por ação de 2006). 1 2 Os resultados básicos de 2007 excluem Airwave e Endemol e incluem 3 meses de consolidação da TVA em 2007. O CapEx da Telefónica exclui os Programas de Eficiência Imobiliária.550 20. que em 2006 foi de 1.A. Como conseqüência.304¤. Telefónica.027 55. O resultado operacional crescerá anualmente a taxas compostas (CAGR 2006-2010E) entre 16% e 20%.467 7.304 2. garantias de um futuro cumprimento. BPA reportado Fluxo de Caixa Livre disponível para remunerar os acionistas da Telefónica. oito meses da Telefónica Telecom (consolidada desde maio de 2006).Compromissos com investidores 2007-2010 GRUPO TELEFÓNICA Dados não auditados (milhões de euros) 2007 2007 (Ajus. TVA e Deltas (República Checa).304¤). Para considerar as projeções. alcançando 2. 07-10E < 33. O pagamento será realizado em duas parcelas: uma no segundo semestre de 2008 e outra no primeiro semestre de 2009. O Fluxo de Caixa Livre por Ação (FCFS)2 também espera um crescimento de um euro em 2010 em relação a 2006. S. O crescimento anual de receitas (CAGR 2006-2010E) oscilará entre 5% e 8%. Todos os valores excluem mudanças de consolidação diferentes da aquisição da Telemig (50% através da ação da Telefónica na Vivo). Espanha estão ajustadas pelo novo modelo de negócios dos serviços de Telefonia de Uso Público. | Relatório Anual 2007 29 . os resultados de Endemol e Airwave são excluídos da base de 2006. Em termos de cálculo de objetivos. que poderiam determinar que os desenvolvimentos e resultados finais difiram materialmente dos manifestados nessas intenções. é agregado um novo programa de recompra de ações próprias. expectativas ou previsões.87 2. permitirá um aumento dos lucros e da disponibilidade de caixa. O OIBDA apresentará taxas de crescimento anual agregado (CAGR 2006-2010E) entre 7% e 11%. No ajuste para a comparação também foram excluídas dos valores quaisquer outras receitas/despesas excepcionais.095% do capital social.)1 CAGR06-10E2 Receitas OIBDA OI Capex 56. Política de remuneração ao acionista A Telefónica adianta o compromisso anunciado em maio de 2006 de duplicar o dividendo para o exercício de 2009.87¤ por ação (em relação aos 1. Os resultados de 2008 incluem TVA. as receitas do Grupo estão ajustadas seguindo este novo modelo. OIBDA e OI não incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007. A capacidade de execução do crescimento orgânico. O lucro por ação (BPA). Os números considerados como base em 2006 incluem onze meses do grupo O2 (consolidado desde fevereiro de 2006). incertezas e outros fatores relevantes. Assim. anunciado em 27 de fevereiro de 2008. está previsto como um euro maior em 2010 (chegando a 2. por sua própria natureza.441 22.000 mill.304 1. representativas de aproximadamente 2. DPS 0. O Capex exclui qualquer investimento associado ao Plano de Eficiência Imobiliária. para proteger os níveis de solvências e acomodar a flexibilidade estratégica.825 13.87 NOTA IMPORTANTE: Estas manifestações de futuro ou previsões não constituem. com um aumento do resultado líquido superior ao crescimento das receitas.5€ x2 1€ GRUPO TELEFÓNICA 2006 2010E BPA ( )1 FCF por ação2 1 2 1. junto com uma gestão financeira adequada. A este dividendo anunciado no último mês de outubro. As receitas da T. seis meses da Iberbanda (consolidada desde julho de 2006) e três meses de perdas derivadas do lançamento na Eslováquia. Conversão do crescimento em caixa As projeções oferecidas pela Telefónica em outubro de 2007 conduzem a um elevado crescimento orgânico. e que estará vigente durante o exercício de 2008 e o primeiro semestre de 2009. Os valores de OIBDA e OI excluem receitas/despesas extraordinárias não esperáveis em 2007E – 2010E. por um total de 100 milhões de ações. Os crescimentos facilitados para os objetivos de 2008 pressupõem taxas de câmbio constantes de 2007. O número de acessos terá uma taxa de crescimento anual composta superior a 9%.388 8. encontrando-se condicionadas por riscos. As previsões de crescimento anual CAGR 06-10E pressupõem taxas de câmbio constantes equivalentes às de 2006. Deltax e Telemig (desde abril de 2008).975 5% / 8% 7% / 11% 16% / 20% Acum.863 11.

As informações foram calculadas pelo regime de caixa. que poderiam produzir modificações em seu conteúdo.458 Administrações Públicas 9. tecnológico e social dos países onde opera Em 2007. 9. Este é o efeito de criação de riqueza.Fluxo de Caixa Social Em 2007.164 milhões a seus fornecedores.895 milhões às Administrações Públicas.500 milhões a seus acionistas. o volume de vendas e negócios da Companhia correspondeu em 2007 a uma média de 1.197 Acionistas 5. enquanto as informações da página seguinte são expostas de acordo com o princípio de competência contratada. a Companhia criou riqueza no valor de 67.458 milhões a seus funcionários. 32. a informação auditada está incluída nas contas anuais.274 Organizações financeiras (líquido) 6.telefonica.484 milhões de euros Para obter mais informações: www.895 Capex 7. Os dados mencionados podem ter sido afetados por acontecimentos posteriores e efeitos evolutivos. Telefónica.000 milhões de euros de seus clientes. Desinvestimentos 198 Outras receitas 124 Fornecedores 32.162 67.164 Clientes 67. Esses recebimentos permitiram gerar pagamentos no valor de 6. S. e contrastada com o verificador do relatório de RC. a Companhia recebeu mais de 67.es/acercadetelefonica A Telefónica é um motor de desenvolvimento econômico. | Relatório Anual 2007 30 .484 Funcionários 6.A. Para uma análise pormenorizada das demonstrações financeiras consolidadas do Grupo Telefónica. Além disso. e cerca de 5.2% do PIB dos países onde opera.496 1 Nota: dados em milhões de euros A informação publicada nesta página foi obtida de fontes internas da evolução de caixa do Grupo Telefónica.

539 466 29 850 966 365 108 114 117 7.8%) Acessos 1.7%) Acessos 9.3 15 2.300 Fornecedores 4.087 587 300 54 78 133 1.111 (93.369 Fornecedores 1.0% AMÉRICA LATINA ARGENTINA BRASIL AMÉRICA CENTRAL CHILE COLÔMBIA EQUADOR MÉXICO PERU URUGUAI VENEZUELA Receitas Pagamentos 2. S. Receitas correspondentes a todas as unidades de negócio da Telefónica no país. compras e investimentos (Capex) em milhões de euros. gastos com pessoal.179 (94%) Acessos 13.974 Funcionários 773 Fornecedores 390 (80%) Acessos 2.000 Funcionários 5.049 Fornecedores 481 (87.471 Funcionários 75.374 2.493 Fornecedores 1.3%) Acessos 5.101 Fornecedores 2.1% 0.4%) Acessos 10.7% 1.873 Fornecedores 1. Empregos: Funcionários diretos do Grupo Telefónica no país (quadro de pessoal físico em 31 de dezembro de 2007). | Relatório Anual 2007 31 .792 5. baseado no volume de adjudicação).571 1.728 (90.4%) Acessos 12.613 Fornecedores 1. Receitas TEF / PIB: Proporção entre as receitas da Telefónica (aporte do país ao consolidado de receitas do Grupo Telefónica) e o PIB estimado para o país (Fonte: FMI).646 Funcionários 13.7%) Acessos 46.377 Funcionários 6.3% 0.589 Fornecedores 1.5%) Acessos 1.280 780 597 832 2.711 2.560 1.143 (89.8% Funcionários 5. pagamento de impostos no país.585 836 128 302 360 281 173 24 48 60 1.430 (89.506 834 309 378 281 111 94 7 0.368 905 413 470 289 8.005 (68.8%) Acessos 12.430 Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos 0.9% 1.617 Fornecedores 824 (92.554 Fornecedores 2.517 Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Receitas Pagamentos Compras Salários Impostos Investimentos Nota: Receitas.065 (87.2% 2.806 7.430 961 135 652 370 1. Acessos: Equivale ao número de acessos fixos + móveis + ADSL + TV (em milhares).130 (89%) Acessos 10.451 (95%) Acessos 19.240 (98.413 3.233 373 255 438 281 0.381 RECEITAS/PIB MAGNITUDES Funcionários 53. O % entre parênteses representa o % adjudicado a fornecedores locais (porcentagem de adjudicações realizadas a fornecedores domiciliados no país sobre o total de adjudicações.139 4.2%) Acessos 8.582 Funcionários 16.5% EUROPA ALEMANHA IRLANDA REINO UNIDO REPÚBLICA CHECA Inclui Eslováquia Receitas Pagamentos 3.142 Funcionários 1.174 Funcionários 250 Fornecedores 445 (72.6% 1.Contribuição para o progresso ESPANHA ESPANHA Receitas Pagamentos IMPACTO ECONÔMICO 20.635 2.538 Funcionários 14.425 Funcionários 14.839 Fornecedores 3.A.519 1. Fornecedores: Fornecedores que foram adjudicados no país em 2007.4% 1.5% 0.2%) Acessos 49.825 988 231 248 418 1.117 936 3.002 167 120 230 1.221 Fornecedores 7.0% 0.3% 0.231 (99. Telefónica.453 Funcionários 9.148 Funcionários 6.2% 1.6%) Acessos 18.9% Funcionários 21.786 Fornecedores 2.

Evolução do quadro de funcionários No encerramento do exercício de 2007. indica que 41% dedicam-se a funções comerciais. a América Latina representa 66% do quadro de funcionários total. foi reduzido em 7% devido ao Expediente de Regulamentação de Emprego (ERE) realizado na Telefónica da Espanha. Baixa de Sociedades.231 1.983 1. a maioria correspondente a subcontratação de atividades para empresas colaboradoras. o Grupo ofereceu trabalho. sendo a idade média de 31.900 2005 60. 48. de acordo com a reorganização geográfica do Grupo em três grandes regiões. sem considerar a Atento. A antigüidade média dos funcionários do Grupo Telefónica é de 5.326 131.3% dos profissionais da Companhia são mulheres. com 22%. Na Espanha. Na Europa.3% devido à venda de Endemol (Europa) e Airwave (Reino Unido).641 % CREC (07/06) -6. cuja equipe experimentou um aumento de cerca de 15%. O número total de funcionários aumentou devido à geração de emprego por Atento (+16%) e t-gestiona (+37%). 45% a produção e 14% a serviços de apoio.041 234. a mais de meio milhão de pessoas Para obter mais informações: www. 32 Telefónica. durante 2007 foram criados mais de 225. é a empresa onde são registrados maiores níveis de temporalidade no Grupo Telefónica. com mais de 123.000 profissionais. a segunda região por tamanho e a Europa constitui 12%.058 33. mais de 90% do quadro de funcionários equivalente têm um contrato fixo ou indefinido no Grupo Telefónica*. o quadro de funcionários foi reduzido em 13. Perfis profissionais A distribuição do quadro de funcionários da Telefónica por funções.9% (7% em 2006).300 29.9 58. Com relação à temporalidade. dada a rotatividade natural do negócio. o Grupo Telefónica contava com um quadro de funcionários com mais de 248. integrando as operações fixas e as móveis. As mudanças mais significativas que afetaram o quadro de funcionários durante o exercício são: Variação do quadro de funcionários.8 anos.968 942 207. | Relatório Anual 2007 .telefonica. o que representa um aumento de 5. Este aumento do grau de hierarquização explica-se pela incorporação das empresas da Telefónica O2 Europa.es/rc07/empleados A Telefónica gera emprego direto para mais de 248. é a Companhia que aporta um maior número de profissionais ao Grupo Telefónica. sendo a quantidade restante funcionários com contrato temporário.6 -13.A. porcentagem que chega a 61.3 14. A Atento.646 248. A Atento.310 164.8 * Os dados não incluem a Atento **Fórmula de cálculo: Custo total de contratações no exercício / custo médio por funcionário próprio do quadro.000** postos de trabalho na Espanha e na América Latina.78% em relação ao ano anterior. Europa e América Latina. QUADRO DE FUNCIONÁRIOS POR REGIÕES 2007 Espanha Europa América Latina Resto do mundo Total do Grupo Telefónica 53.405 14. Integração de Linhas de Negócios.5% na Atento. A Espanha é.000 profissionais Por regiões.3 anos*. A área com maior crescimento em relação a 2006 foi a América Latina. onde 30% do quadro de funcionários equivalente dispõe de um contrato fixo. o grau de hierarquização está em 11. Emprego indireto Em relação ao emprego indireto gerado.Funcionários Em 2007. S. A menor antigüidade é registrada na Atento. direta e indiretamente.1 5. Estes dados incluem Espanha.000 profissionais. Redução do quadro de funcionários.487 2006 57. com uma média de 2 anos e uma idade média de 27 anos. No Grupo.818 142.

a 30 km de Barcelona.3% sobre o quadro de funcionários total.2% 975 Novas formas de trabalho A tecnologia facilita a plena conectividade para que os profissionais possam trabalhar quando e onde precisarem.242 47.Funcionários INDICADORES DE FUNCIONÁRIOS EM 2007 Com Atento Sem Atento Número total de funcionários Espanha Europa América Latina Resto do Mundo Geração de emprego Nº de inclusões Nº de saídas voluntárias Nº de demissões Rotatividade externa Desenvolvimento profissional Total de gastos com treinamento (em mil euros) Horas de treinamento totais Diversidade % de mulheres Nº de funcionários com incapacidade 248. as lesões e as doenças laborais que estejam associados com nossa atividade profissional através do cumprimento rigoroso de todas as regulamentações em matéria de Segurança e Saúde.838 35.000 dispuseram de planos de treinamento individualizados.646 146.600 em mobilidade.68% 59. UGT e CCOO durante o ato de assinatura do novo código.3% em relação a 2006. No ano passado. Segurança e Saúde A Telefónica estabelece os mecanismos adequados para evitar os acidentes. do campus definitivo em La Roca del Vallés. S.310 55. dando proteção a todos os trabalhadores do Grupo. | Relatório Anual 2007 33 .62% 53.000 profissionais e diretores da Companhia. No fim de 2007.A.419 5. firmado em 2001.284 29. mais de 135. Assim.834 8.231 1.700 avaliações de riscos sobre a saúde dos funcionários. a Universidade iniciou 39 programas de alto nível e implementou um campus virtual para fomentar a relação entre os profissionais que passaram pelo centro. Telefónica e o diálogo social Durante dezembro de 2007. Eles receberam mais de 14 milhões de horas de treinamento e cerca de 100. a Companhia firmou. o que significa um crescimento absoluto de 36. durante 2007 foram realizados mais de 500 simulações de emergência. Telefónica.201 17.292 78.895 40.414 48.430 4.685 50. a Telefónica compromete-se a manter os direitos sindicais e trabalhistas em todas as nossas operações.675.487 53.538 124. junto com UNI.3% 1. Desenvolvimento profissional Durante 2007. Representantes de Telefónica. dedicamos 59 milhões de euros à formação de nossos funcionários. independentemente do país onde trabalhem.143 14. mais de 1. UGT e CC.300 29. UNI.350.683 11. o que representa 15. Por este acordo.310 164. um ano de transição até a inauguração. A Universidade Corporativa da Telefónica A Universidade Corporativa da Telefónica começou a funcionar em 2007. prevista para fins de 2008.000 funcionários com condições de teletrabalho e mais de 8.OO. o novo código de conduta que substitui o anterior. a Telefónica contava com cerca de 30.000 funcionários participaram de avaliações médicas e foram realizadas cerca de 2.

com o objetivo principal de fortalecer o crescimento orgânico do negócio da Telefónica. calculado de acordo com os critérios estabelecidos pela OCDE. Open Movilforum e Living Labs Novos sistemas. e um programa de Inovação Corporativa fortalecido pela Telefónica I+D. entre as quais se incluem 169 universidades. Pesquisa Os projetos de pesquisa aplicada (Expertise Building) da Telefónica permitiram em 2007 desenvolver e identificar o uso de tecnologias e novos modelos de negócios. o Catálogo de Soluções Movilforum da Telefónica Espanha incorporou 193 novos produtos desenvolvidos por 67 das 119 empresas participantes. a Movilforum América Latina definiu um portfólio de soluções móveis regionais. com o apoio dos negócios do Grupo. O projeto. Desenvolvimento Desenvolvimento de produtos e serviços O Grupo aumentou o número de registros de propriedade industrial e intelectual para 3.A.790 milhões de euros Investimento em inovação tecnológica. modos de comercialização e produtos e serviços Inovação Corporativa: Capital de Risco. mas também na hora de entender suas necessidades reais no contexto do desenvolvimento de novas idéias para produtos e serviços. o programa mais relevante de fomento da P&D empresarial na Espanha. Conta com uma rede de inovação aberta. Entre as iniciativas com financiamento público da Administração espanhola. a Telefónica dedicou mais de 4. S.telefonica. Neste âmbito.A.es/acercadetelefonica Em 2007. Movilforum Em 2007. participou de 190 projetos promovidos por Administrações Públicas espanholas e européias. a partir da Corporação. radicado em 13 países. e colaborou com 920 instituições de 41 países. sendo a quarta operadora mundial por esforço neste conceito e a primeira empresa espanhola Para obter mais informações: www.Inovação Investiu 594 milhões de euros1 em pesquisa e desenvolvimento.327 no ano passado. 34 Telefónica. não apenas para aumentar a satisfação. Pesquisa Programas de Pesquisa Aplicada (Expertise Building Projects) Programas públicos de P&D + Desenvolvimento Desenvolvimento de sistemas.350 milhões de euros à Inovação Tecnológica A Companhia lançou mais de 600 produtos e serviços no ano passado em todo o mundo. Idéias de Funcionários e Alianças 61 milhões de euros 1 533 milhões de euros Total 4. agrupa mais de 50 desenvolvedores e conta com 170 produtos. Participa em 190 projetos promovidos por Administrações Públicas espanholas e européias. REDE DE INOVAÇÃO ABERTA DA TELEFÓNICA UNIDADES DE NEGÓCIO TELEFÓNICA I+D + TELEFÓNICA S. produtos e serviços em colaboração Movilforum + pesquisa Novos modos de chegar perto dos clientes: Campus Party. | Relatório Anual 2007 . é importante destacar a participação no “Programa Marco” da União Européia. com a incorporação de 267 desenvolvidos pela Telefónica I+D. Projetos de Inovação Corporativa. Em 2007. Inovação Corporativa Durante o ano passado.384 milhões de euros 3. A Telefónica I+D é a empresa européia do setor TIC com maior participação em iniciativas deste tipo. foram lançadas uma série de iniciativas dentro do programa de Inovação. a Telefónica fortaleceu ainda mais seu foco no cliente. e colabora com 920 instituições. Inovação Em 2007. Além disso. destaca-se no início de 2007 a participação no desenvolvimento de 5 projetos CENIT.

Projetos de Inovação Corporativa A Telefónica financia.000 de outras empresas e instituições. foram firmados ou ampliados acordos com empresas (Apple. no Peru e no Reino Unido. além de convênios de colaboração com entidades de reconhecido prestígio. Programa de “Incubação de Empresas”. Huawei. Programa de Venture Capital. Open Movilforum A Telefónica Espanha lançou em 2007 a Open Movilforum. foram analisadas mais de 1.902 10% P&D 14% Treinamento e marketing 2% 2003 1 2004 2005 2006 2007 Inovação tecnológica segundo a definição do Instituto Nacional de Estatística e da OCDE. na Espanha. trabalharam 1. Ericsson. Começou em outubro. a Companhia integra os clientes no processo de inovação. com foco em serviços para a saúde e o bem-estar.tv ou Kyte (plataforma convergente de User Generated Content).800 funcionários do Grupo (1. ALU. como Massachussets Institute of Technology (MIT). com a participação da alta administração do Grupo Telefónica e de empresas líderes em inovação (Nike. nas atividades de P&D da Telefónica. uma comunidade aberta para que desenvolvedores e programadores tenham acesso aos serviços da rede da Telefónica e os integrem em suas aplicações (mash-ups). realizou investimentos por 10 milhões de euros através de participações minoritárias em decentral. Nasceu em 2007 com o objetivo de identificar e agrupar funcionários relacionados de forma direta ou indireta com a inovação.900 2. um programa destinado a promover a transformação de idéias em projetos comerciais. Durante o ano. Barcelona e Granada. esta iniciativa reúne quase 400 pessoas do Grupo. Huesca. Atualmente. Destes.384 milhões de euros) 4. concretizadas em 35 projetos. Valladolid. Alianças com líderes em inovação. e alguns já começaram a gerar receitas em sua fase pré-comercial. a Telefónica criou um programa de Capital de Risco para investimento em participações minoritárias em empresas líderes com o objetivo de ampliar as capacidades de inovação em áreas estratégicas.301 4. Motorola. Telefónica.285 da Telefónica I+D) e quase 5. | Relatório Anual 2007 35 .). Philips…).Inovação INVESTIMENTO TOTAL EM INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA TELEFÓNICA1 (Dados em milhões de euros) DISTRIBUIÇÃO DO INVESTIMENTO DE 2007 (Dados em % sobre 4. Telefónica I+D A Telefónica I+D é a filial do Grupo dedicada à pesquisa e ao desenvolvimento mais estratégicos. Starbucks. como laboratórios vivos. foram financiados projetos no Brasil. Em paralelo. destacou-se a notável atividade dos Centros de México DF e São Paulo. testando os serviços nos lares. Durante 2007. a partir da Corporação. a Telefónica iniciou.384 Equipamentos Aquisição de outros conhecimentos 13% Design e planejamento 61% 2. a Telefónica I+D continuou consolidando seus centros em Madrid. Em 2007. S. no México. Os últimos são especializados (Barcelona em Internet e Multimídia. incorporou profissionais dos centros de pesquisa e das universidades mais importantes do mundo. com o apoio da Junta da Andaluzia. GestureTek (especializada em interfaces gestuais) e Amobee (especializada em soluções de publicidade para celulares). Sony. 174 corresponderam à Telefónica Espanha. Nokia. e Granada em Telemedicina e Teleassistência).000 idéias. assim como novos modos de comercialização (pacotes). Novos produtos e serviços A inovação é medida por seus resultados: A Telefónica lançou em 2007 mais de 600 produtos e serviços novos. ‘Living Labs’ A Telefónica I+D implementou em 2007 o primeiro Living Lab em Granada. Em meados de 2007. Em 2007. com um investimento total de 23 milhões de euros. lar digital…) desenvolvidos e executados a partir da Telefónica I+D. No ano passado. projetos de áreas estratégicas (Internet. com um evento para multidões realizado em Madri. na Irlanda. etc. Em 2007. Ao longo de 2007.A. Durante 2007. com um fundo inicial de 2 milhões de euros. Neste laboratório. foram iniciadas atividades em colaboração com China Netcom Labs. “Ambassadors for Innovation”.398 1. Em nível internacional.

360 23. NÚMERO DE ESTAÇÕES BASE POR REGIÕES 33.499 estações base A Companhia continuou transformando a rede em 2007. Em 2007. e o processo vai se intensificar em 2008 no Grupo.5G. a Telefónica avançou para generalizar em todas as operadoras as tecnologias 3G e 3. Chile. a Telefónica continuou seu processo para ampliar as arquiteturas convergentes fixo-móvel. Argentina. de voz. o espectro está compartilhado por várias tecnologias que coexistem no tempo). Peru. para assim aumentar sua capacidade de negociação com os fabricantes e reduzir o TTM (Time To Market). Os trabalhos concentraram-se em Espanha. Brasil. Na área de dispositivos. em oposição a CDMA. a Telefónica continuou trabalhando no âmbito do Lar Digital para configurar uma oferta personalizada e ser uma referência não apenas em conectividade. levando a fibra óptica aos lares e ampliando as tecnologias móveis 3G e 3. portáteis…). a Telefónica continuou priorizando a implementação da tecnologia GSM. | Relatório Anual 2007 .215 23.499 estações base.telefonica. O objetivo de tudo isso é fortalecer sua liderança como operadora integrada. Uma iniciativa destacável neste tópico foi a consolidação do Centro de Competências em IPTV do imagenio. Convergência fixo-móvel Em 2007. Reino Unido. acessos de cliente (acessos fixos. mas também para potencializar as sinergias entre as diferentes companhias do Grupo. camada de controle ou supervisão (onde é centralizada a inteligência da comutação das redes e serviços) e camada de serviços (onde reside a lógica dos serviços que são oferecidos aos clientes através das redes). a Telefónica começou a introduzir fibra óptica nas residências (FTTH). Colômbia. Em 2007.A. não apenas para incrementar a capacidade e a cobertura. etc. na América Latina. móveis. transporte (conectividade e core). vemos os principais marcos de 2007 nestas áreas: Ambiente Pessoal Digital Em 2007.). No fim de 2007. para poder potencializar assim os serviços convergentes. a Companhia continuou transformando a rede para aumentar sua cobertura e capacidade. Isso ocorreu na Espanha e em menor medida na América Latina. comuns a todas as empresas do Grupo. sendo pioneira neste aspecto. conforme vá aumentando o espectro disponível (atualmente.5G. A idéia é ampliar a cobertura 2G. Outro foco de ação foi criar especificações de serviços comuns a todo o Grupo para reduzir o Time To Market (tempo para lançamento no mercado). um Centro de Serviços Avançados criado em fins de 2006 e cuja principal missão é coordenar e administrar as ações necessárias para garantir uma resposta eficaz aos clientes. para oferecer assim maior capacidade nas conexões de dados móveis. Controle Um dos marcos mais significativos do ano passado foi o acordo estratégico com a Ericsson para implementar a tecnologia IMS Infra-estruturas de rede As iniciativas do Grupo em infra-estruturas de rede cobriram todos âmbitos ou “camadas da rede”: Ambiente Pessoal Digital ou dispositivos do cliente (terminais fixos e móveis. Transformação da rede No ano passado.es/acercadetelefonica A Telefónica oferece serviços móveis através de 80. A seguir. Quanto aos acessos fixos. o Grupo contava com 80. mas também em serviços finais e conteúdos para o lar. S.924 Espanha América Latina Europa 36 Telefónica. de dados. a Telefónica continuou trabalhando em diferentes frentes para ampliar e melhorar suas infra-estruturas e seus equipamentos.Infra-estruturas de Rede A Área de Infra-estruturas de Rede acelerou a convergência fixo-móvel Para obter mais informações: www. obter economias de escala e aproveitar as oportunidades de crescimento em negócios adjacentes. Alemanha e República Checa. Com relação aos acessos móveis. a Telefónica também trabalhou para gerar especificações para os terminais móveis.

003 janeiro-dezembro % var 3. Estas interfaces são necessárias para que o aumento da capacidade das redes permita oferecer na prática novos serviços de Banda Larga.811 2. foram compartilhadas as melhores práticas em diferentes âmbitos: desde a implementação de novas áreas de serviços FTTH (fibra óptica) até a economia de energia em climatização em cabines de rádio e edifícios de central com a realização de workshops internos com a participação de todo o Grupo.027 2006 2. a Companhia analisou novas interfaces de alta capacidade. e em modo piloto na Espanha e no Brasil. mais eficientes e com melhor relação custo-capacidade. Infra-estruturas básicas A Companhia realizou no ano passado os primeiros estudos de viabilidade de tecnologias FuelCell para fornecer energia nas estações base. Além disso. melhorar o Time To Market para os novos serviços. A Telefónica O2 Europa inclui em 2006: Telefónica O2 República Checa (janeiro-dezembro). como complemento ao anterior.4 18. como alternativa às baterias convencionais de metal ácido (chumbo.304 2. Além disso. que permitem desenvolver serviços mais rapidamente. Transmissão Em 2007. que são mais contaminantes. Espanha T. O2 Europa (1) Outras sociedades e eliminações Total do Grupo Telefónica 2007 2. Serviços A Telefónica concentrou-se na implementação de serviços de Voz sobre IP e soluções para empresas tipo IP-Centrex. Deutschland (janeiro-dezembro). Esta mudança de serviço não teve custo algum para os clientes nem repercussão alguma na fatura mensal. Esta tecnologia permite controlar as redes. América Latina T. Além disso.3 1 Nota: CapEx do Grupo Telefónica a taxas de câmbio médio acumulado. | Relatório Anual 2007 37 . GPON na parte de acesso). Todos os segmentos de clientes foram beneficiados por esta ação. A mudança permitiu multiplicar por três a velocidade do serviço de referência do acesso de Banda Larga da Telefónica. continuaram pagando o mesmo valor que pagavam pelo serviço ADSL de 1Mb. com o objetivo de introduzir as primeiras de 40 Gb/seg em 2008.125 178 8. oferecer serviços convergentes. Grupo O2 (fevereiro-dezembro) e O2 Alemanha (fevereiro-dezembro). Este fato permitiu que 90% das instalações varejistas passassem a desfrutar desta velocidade ou outra superior.). Telefónica.1) 0. a Companhia trabalhou na análise de arquiteturas SDP (Service Delivery Platform).343 2.9 (16. multiplicando a velocidade de maneira transparente para o usuário. etc. T.Infra-estruturas de Rede CAPEX POR UNIDADES DE NEGÓCIO Dados não auditados (milhões de euros) T.A. incluindo funcionários e clientes do coletivo Club Senior. incluindo os serviços ADSL de conectividade com ou sem Dúo e Imagenio. Dois milhões de clientes do serviço ADSL já passaram de 1Mb a 3Mb A Telefónica Espanha concluiu em 2007 a migração de velocidade de 1Mb para 3Mb de cerca de 2 milhões de clientes do serviço ADSL varejista. S.381 3. etc. a Telefónica continuou ampliando as tecnologias de transmissão ópticas (DWDM e CWDM. (Internet Multimedia Subsystem) em todas as operadoras.7) (47. todos eles comuns para as diferentes operadoras do Grupo.552 336 8. cádmio.

Como parte de “Resposta Empresários”. Comunicação convergente O primeiro serviço de comunicação convergente também viu a luz em diversos países (Chile. a Companhia também lançou o USB HSPA Novatel MC950D. etc. com comunicação ilimitada. primeiro do mercado em formato memory stick. servidores e aplicações).es/ www. comunicações de voz (linhas. Seu portfólio enriqueceu-se com serviços de Banda Larga e telefonia móvel. criando um grupo fechado de usuários por cada cliente. a Telefónica apresentou na Espanha a “Uno Pymes”. Do mesmo modo. a Telefónica lançou em 2006 o “Resposta Empresários”. evolução de geração de telefonia móvel (3G). ciberentradas. Neste âmbito. gerando. Em 2008. no Brasil e na Argentina. rede de área local cabeada ou sem fio. em 2007 foram lançados diferentes serviços: o Escritório Profissional. Permite criar um grupo fechado de usuários. terminais e pequenas centrais) e de dados (acesso a Internet. Convergência Uma resposta integral para os empresários Para se converter no gestor integral de todas as necessidades de TIC das pequenas e médias empresas.telefonica. a Telefónica começou a implementar a tecnologia HSPA (High-Speed Packet Access). e com funcionalidades avançadas como um PBX em rede para locais que não contam com um PBX próprio. prevê iniciar a fase comercial desta nova rede de Banda Larga de alto rendimento. primeira tarifa convergente para este segmento. | Relatório Anual 2007 . “Resposta Empresários” ampliou-se para a América Latina. Além disso. oferta de conteúdos… NOVA TECNOLOGIA Mais velocidade para Internet Em 2007. Nova tecnologia para o lar A Companhia implementou em teste o projeto ‘Fibra até o lar’ (FTTH). S.) em 2007: integrou as redes de telefonia tradicional com serviços IP.Produtos e Serviços Nestas páginas. Novidades para os celulares A Telefónica lançou um sistema de localização de pessoas através do celular. etc. Terminais avançados: o fabricante chinês ZTE começou a desenvolver celulares de terceira geração para a Telefónica. etc. acelerou a navegação por Internet na Espanha. Colômbia. periféricos. é incluída apenas uma amostra das novidades do exercício Para obter mais informações: www. a Companhia fornece e mantém todas as tecnologias de um centro de trabalho: equipamento de informática (PC. Produtos para empresas A Telefónica lançou na Espanha o Ibercom IP e o Corporate IP. por exemplo. que mobiliza o local de trabalho em um ambiente de convergência. Por um valor mensal. composto por linhas fixas e móveis dentro de uma empresa para falar a 0¤/ minuto. com exclusividade no mercado britânico A O2 começou a vender em novembro de 2007 o iPhone com exclusividade no mercado britânico. Peru.A. 38 Telefónica.es/rc07/clientes A Telefónica lançou mais de 600 produtos e serviços em 2007 A Companhia aproveitou as novas tecnologias e potencializou a convergência em suas propostas para particulares e empresas. que melhoram a comunicação das empresas com soluções de telefonia IP. A Telefónica apresentou em Mundo Internet 2007 os códigos bidimensionais (pictogramas que funcionam como “chaves de acesso” sem necessidade de teclar) que permitem ampliar as funcionalidades do celular. e redes corporativas). permitindo aos clientes descarregar informação até 10 vezes mais rápido. O iPhone. com tecnologia adaptada pela Telefónica I+D. Com isso.telefonica. a manutenção do equipamento de informática e da rede de dados das empresas. negócios e profissionais na Espanha.

A Telefónica levou a televisão ao celular. permitindo aos usuários de movistar fazer download de músicas de um catálogo com mais de 750. Além disso. compartilhem e comentem seus vídeos. a Companhia começou a comercializar a versão móvel do “Pixbox”. potencializou o download de música no celular e no PC com a primeira tarifa fixa. começou com 76 canais e pacotes personalizados. A Telefónica aliou-se com Yahoo! para que seus clientes acessem a Flickr. ofereceu um total de 42 canais com tarifa fixa. Comercialização Ofertas duplas e triplas No exercício passado. Além disso. com um serviço de vídeo: “Te lo Perdiste”. seu serviço para que os clientes de pré-pago estejam sempre comunicados (“Quieren Hablarte”. facilitando a comunicação nos dois sentidos com seus clientes. No Chile. um serviço para que os usuários de telefones celulares acessem programas de TV ao vivo. Posteriormente. Na Argentina. Neste mercado. a Telefónica O2 República Checa lançou o serviço Dúo-Móvil. atendimento técnico…) com a finalidade de impulsionar a venda de computadores junto com o serviço ADSL. Proposta de baixo custo Na Alemanha. através da devolução de chamadas de outros usuários. Neste mesmo país. S. avançar a imagem… No Chile. como Argentina ou México. a Telefónica decidiu liderar a transformação da Internet na América Latina. Na Espanha. comercializou uma nova versão de “m-Play” para download de temas musicais completos diretamente ao telefone celular. na Europa. lançou uma nova modalidade para o correio (Blackberry e Mail Movistar). na Espanha. Tarifas fixas A Companhia continuou impulsionando as tarifas reduzidas e fixas: na Espanha.A. | Relatório Anual 2007 39 . a Telefónica estreou a televisão digital em países como o Brasil. fornecedores e funcionários. comercializando de modo conjunto o acesso à rede em Banda Larga e voz por uma tarifa única ao mês. ofereceu a seus clientes um “Fotolog” com capacidade ilimitada para subir até 10 imagens por dia. tarifas fixas para videochamadas e para Internet móvel de alta velocidade por cada dia de conexão. que permite aos clientes visualizar conteúdos emitidos em vários canais de TV. Publicidade e mais conteúdos para o celular A Telefónica converteu-se no exercício passado na primeira Companhia a oferecer aos anunciantes o telefone celular como suporte publicitário. criou a primeira comunidade de vídeos em celulares. “Llámame. Oferta para os lares A Telefónica Espanha lançou no exercício passado a oferta “Easy PC” para os lares (financiamento. Serviços para clientes de pré-pago A Movistar ampliou para novos países. uma das comunidades líderes para compartilhar fotos online. para enviar e receber mensagens curtas multioperadoras. Também na Espanha. Serviço de mensagens integral A Companhia começou a oferecer em dezembro de 2007 o serviço “Mensageria de Negócios”. Isso resultou em pacotes e diferentes ofertas duplas e triplas para clientes residenciais em vários mercados. garantia de dois anos. Telefónica. etc. o Grupo subscreveu com a Nokia um acordo de intercâmbio de conteúdos através de seu novo portal de Internet. Além disso.Produtos e Serviços Conteúdos Televisão digital No ano de 2007. E.). no tengo saldo”. lançou “Geração multimídia”.000. podendo parar. também lançou um sistema de vídeo (PVR ou Personal Video Recorder) para a TV digital. a Companhia enriqueceu o Imagenio. sua proposta de televisão IP. a Telefónica O2 Europa lançou em agosto de 2007 a marca econômica Fonic.

República Checa e. dos quais mais de 4. Siemens e Nokia Siemens. Guatemala. Sony Ericsson. considera-se que a utilização de ferramentas sobre Internet proporciona maior eficiência operacional.240 15. e cumprimento mútuo dos compromissos com fornecedores.adquira. Além disso.690 12.100 correspondem a leilões eletrônicos. | Relatório Anual 2007 . não apenas para as compras da Telefónica. Brasil.179 25. assim como de fomento de uma série de valores como profissionalismo. Alemanha e Irlanda.030 10. Panamá. Venezuela. Os dez principais fornecedores por volume de adjudicação são: Nokia. combinada com a transparência. internos e externos.000 processos de negociação. mas também para o mercado em seu conjunto. México. Nicarágua. contrato. transparência. a acessibilidade a um amplo mercado de fornecedores. Peru. Alcatel. Modelo de Compras da Telefónica A Telefónica desenvolve a função de compras de forma coordenada mediante um modelo de gestão implantado há dez anos que se baseia nos princípios de: agregação de necessidades.000 os fornecedores da Telefónica incorporados a este mercado eletrônico. em mais de 33. de maneira incipiente. o comércio eletrônico constitui um meio real de desenvolvimento de Internet e da sociedade da informação nos mercados onde a Telefónica opera. Brightstar. nota de entrega. Além disso. Argentina.com A Telefónica adjudicou mais de 27. Ericsson. Em dezembro de 2007. A Telefónica classifica suas compras em seis linhas de produto. o que é muito saudável.telefonica.Fornecedores O total de fornecedores adjudicatários superou 28. junto com “Produtos de Mercado” (que inclui os terminais móveis) e “Infra-estrutura de Redes”.200 2002 2003 2004 2005 2006 2007 40 Telefónica. Reino Unido. resulta em um aumento real do público e da concorrência. objetividade e unanimidade nas decisões. Chile.es/rc07/proveedores www. tanto ao comprador como ao fornecedor. que abarca 16 países: Espanha. A parte restante é distribuída entre “Sistemas de Informação”. honestidade e objetividade nos acordos e nas operações comerciais. vocação de serviço aos clientes.000 10. recebimento e fatura. pedido. “Publicidade e Marketing” e “Conteúdos”. igualdade de oportunidades. correspondem a mais de 80% das compras. S. VOLUME DE COMPRAS (Dados em milhões de euros) 24. Colômbia. O maior item em 2007 foi a categoria de “Serviços e Obras” que.A. LG. A Telefónica já negocia de forma eletrônica 87% do valor de compra nas operadoras de Espanha e América. Motorola. Samsung. eram quase 16. considerando que todas ficam vinculadas eletronicamente: negociação. Comércio eletrônico Na Telefónica.000 no ano de 2007 Para obter mais informações: www. uma maior transparência e um melhor controle de todas as operações de relação com fornecedores.000 milhões de euros a seus fornecedores em 2007 A distribuição de compras por países mantém Espanha e Brasil como os países com maior volume de compras. El Salvador.

no valor de 6.519.A.767 8.47%.987 740 2003 2004 2005 2006 2007 Além do processo de negociação. Assim. as operações eletrônicas disponíveis são: a formalização eletrônica de compromissos mediante contrato. O mercado eletrônico no qual a Telefónica realiza estas operações com seus fornecedores é o da Adquira Espanha. a pesquisa foi dirigida a uma amostra de 7. Modelo de compras > Processo e tomada de decisão transparente > Promoção e defesa da concorrência > Igualdade de oportunidades > Funcionamento homogêneo em todos os países Administração do comprador > Ética e honestidade do comprador > Capacitação em aspectos técnicos da compra > Comunicação do resultado quando são adjudicatários Relação operacional com a Telefónica > Consideração das recomendações dos fornecedores > O leilão é uma forma de contratação transparente Comércio eletrônico > Implantação de ferramentas para a formalização eletrônica de compromissos > Conveniência das ferramentas de comércio eletrônico da Telefónica Responsabilidade Corporativa > Não houve práticas que podem ser consideradas pouco éticas > A Telefónica exige o cumprimento de padrões trabalhistas mínimos Aspectos que podem ser aperfeiçoados Modelo de compras > Tempo de gestão dedicado a cada processo de compra Relação operacional com a Telefónica > Comunicação do resultado quando não são adjudicatários Responsabilidade Corporativa > A Telefónica preocupa-se com o cumprimento de padrões ambientais pelos fornecedores Telefónica. Na Adquira. para os fornecedores. Em 2007.327 12. a Telefónica criou em 2007 a Telefónica Compras Electrónicas (TCE). administrando a plataforma de suporte de negociações. também é uma vantagem o acesso comum a uma parte de sua carteira de clientes.094 fornecedores e a participação foi de 13. Além disso. que se realiza a partir dos próprios dados do pedido. desenvolvendo sobre ela novas funcionalidades adaptadas às necessidades da Telefónica e completando a implementação dos processos eletrônicos para a compra de todos os produtos e serviços. Telefónica Compras Electrónicas Como complemento ao mercado eletrônico da Adquira e para potencializar o desenvolvimento do comércio eletrônico internamente nas mais de 140 companhias do Grupo. envio por parte do fornecedor da nota de entrega eletrônica. também operam grandes companhias como BBVA. Iberia e Repsol. As principais conclusões foram: 16. Isso permite compartilhar com elas os recursos e os custos da parte comum: a infra-estrutura do mercado de fornecedores. e faturamento eletrônico. contratos e pedidos. S. carta de adjudicação ou pedido. e outras de menor tamanho. o número de formalizações realizadas eletronicamente em 2007 foi de 111. Esta filial prestará o serviço de comércio eletrônico a todas as companhias do Grupo.264 Aspectos avaliados positivamente 3.Fornecedores Pesquisa de Satisfação dos Fornecedores EVOLUÇÃO DE COMPRAS NEGOCIADAS ATRAVÉS DE E-SOURCING (Dados em milhões de euros) A cada dois anos. | Relatório Anual 2007 41 . recebimento da mercadoria/serviço. a Companhia realiza uma pesquisa confidencial com seus principais fornecedores adjudicatários para determinar o grau de satisfação com o Modelo de Compras da Telefónica.411 milhões de euros. após o recebimento da mensagem de recebimento da mercadoria.

42 Telefónica. S.A. | Relatório Anual 2007 .

S. | Relatório Anual 2007 43 .A.Nossa Alma Princípios de Atuação Satisfação dos Funcionários Satisfação dos Clientes Governança Corporativa e Transparência Gerações Interativas e Proteção do Menor Mudanças Climáticas Meio Ambiente Implementação de Rede Responsável Ação Social e Cultural 50 41 52 53 54 44 46 47 48 Telefónica.

Nicarágua.telefonica. e foi publicada uma página na Intranet. Com base na Visão e nos Princípios de Atuação.801 Negócio Telefónica América Latina Negócio Telefónica O2 Europa Negócio Telefónica Espanha Outros Negócios Não 5% 4. incorporando-os como seu código de conduta e revogando os códigos existentes. no encerramento de 2007. | Relatório Anual 2007 . Colômbia. a Telefónica iniciou uma atividade de treinamento online obrigatória para todos os funcionários com os objetivos de: Divulgar a relação entre a Visão. exceto na República Checa.039 13. No resto da Europa.000 funcionários do Grupo Telefónica já receberam treinamento sobre os Princípios de Atuação A Telefónica aprovou em dezembro de 2006 seus Princípios de Atuação. em fins do exercício. foram mantidos os cursos existentes na O2. disponível em inglês. Comunicação interna A difusão interna dos Princípios de Atuação começou com uma comunicação pessoal aos funcionários. a cultura e o clima. Treinamento Em 2007.686 1. A primeira região do Grupo que lançou o curso. Envolvimento Ratificação Durante o ano de 2007. sendo o objetivo formar mais de 80% dos profissionais durante 2008 (exceto o pessoal de teleoperação). espanhol e português. O texto online.Princípios de Atuação O objetivo é ampliar o treinamento para mais de 80% dos funcionários em 2008 Para obter mais informações: www.000 downloads.es/rc07/principiosdeactuacion 36. cada uma das empresas e filiais do Grupo ratificaram os Princípios de Atuação em seus próprios Órgãos de Governo. em alguns países.A. S. distribuída a todo o Grupo. os Valores e os Princípios de Atuação. foram lançadas campanhas de sensibilização. a Companhia está construindo uma nova cultura corporativa. El Salvador. foi a América Latina. Equador. foram publicados artigos na revista interna “SOMOS”. Em seguida. % DE EMPRESAS DO GRUPO QUE RATIFICARAM OS PRINCÍPIOS DE ATUAÇÃO Sim 91% NS/NC 4% FUNCIONÁRIOS TREINADOS SOBRE OS PRINCÍPIOS DE ATUAÇÃO 16.423 Nota: Informação obtida através da avaliação do controle interno sobre o relatório financeiro exigido pela Seção 404 da Lei Sarbanes-Oxley Nota: Não inclui Atento. Além disso. onde México. Explicar a importância de seguir Princípios Básicos de Atuação. onde a formação começou em fevereiro de 2008. começou sua implantação no restante dos países e na Espanha. de modo progressivo. em que se destacava a importância de conhecer e aplicar os Princípios de Atuação. Como reforço. já que dispõe de diferentes planos de treinamento sobre os Princípios de Atuação dirigidos aos teleoperadores 44 Telefónica. 81% das Companhias da Telefónica contavam com os Princípios de Atuação como Código de Ética. Indicar como beneficiam a imagem de marca. estabelecimento de políticas que garantam seu cumprimento e controle interno. O modelo de gestão dos Princípios de Atuação baseia-se em três pilares: envolvimento dos funcionários. teve mais de 50. 35. Assim. e após sua aprovação pelo Conselho de Administração. Panamá e Guatemala iniciaram o treinamento em junho de 2007.949 funcionários do Grupo Telefónica já haviam recebido treinamento sobre os Princípios de Atuação. Desta maneira.

Em relação aos fornecedores sociais. Este questionário permite à Telefónica medir com maior precisão os riscos em Responsabilidade Corporativa.es/rc07/comprasresponsables Controle interno O último pilar do modelo de gestão dos Princípios de Atuação é o controle do cumprimento e a verificação do grau de implantação em todo o Grupo. recebeu cerca de 213 comunicações. Outras linhas em que o Grupo está trabalhando são: proteção de dados. posteriormente. e Secretaria Geral Técnica da Presidência da Telefónica. Secretaria Geral e Jurídica. Telefónica América Latina e Telefónica O2 Europa. etc. já existia este mecanismo para os Business Principles da O2.calcula que em 2008 serão avaliados mais de 1. foram investigadas 10 comunicações sobre descumprimentos e foram realizadas cerca de 300 ações disciplinares. | Relatório Anual 2007 45 . Outro mecanismo empregado para a gestão do risco na cadeia de fornecimento é a auditoria presencial das instalações. o objetivo é realizar a certificação do grau de cumprimento do treinamento e. Na Europa. Neste sentido.453 fornecedores no fim de 2007. com normas que ajudam a desenvolver condutas concretas. além de implementar uma normativa específica. a Telefónica impulsionou em 2007 o treinamento e a auto-avaliação para seus fornecedores. acorda planos de melhoria com os fornecedores que apresentam riscos de descumprimento dos Princípios. entre outras medidas. administra as perguntas ou alegações de funcionários. Durante 2008. durante 2007 foi aprovada em nível corporativo a “Normativa de Extensão dos Princípios de Atuação à Cadeia de Fornecimento” e a “Normativa de Contratação para Fornecedores Sociais”. Nos casos em que for necessário. a Telefónica propõe. Assim. Durante 2007. Em todos os casos. Além disso. e na América Latina também foram criados escritórios em quase todos os países em que há operações significativas. Além disso. Telefónica. as principais queixas e perguntas. cuidado ambiental e fomento do uso responsável das telecomunicações por parte dos menores. sobretudo para pedir informações e. Escritório e Caixa Postal de Princípios de Atuação O Escritório de Princípios de Atuação é integrado pelas áreas corporativas de Recursos Humanos.2. Estas consultas chegam de modo anônimo ou pessoal. O escritório ocupa-se. assim como o cumprimento das normativas corporativas derivadas.A. além de identificar aqueles que fornecem produtos ou serviços classificados como de risco em RSC . e das políticas e controles para seu cumprimento. a aprovação de normativas. em alguns casos. Extensão dos Princípios de Atuação aos Fornecedores A Telefónica prevê em seus Princípios de Atuação.000 fornecedores. e dispensá-los das taxas pela utilização da plataforma de comércio eletrônico. o escritório monitorou o treinamento. oferecer-lhes direito de preempção no processo de adjudicação (nos países em que não existe impedimento legal para outorgá-lo). respectivamente. através da Caixa Postal dos Princípios de Atuação. ou quando forem adjudicatários de algum produto ou serviço de risco. S. em matéria de responsabilidade na cadeia de fornecimento. para garantir que seus fornecedores compartilhem seus Princípios de Atuação. publicidade responsável. para comunicar inobservâncias no tratamento de clientes ou na adjudicação a fornecedores. e que os fornecedores devem preencher online quando fizerem a inscrição ou renovação no Catálogo de Fornecedores da Companhia. de divulgar os Princípios. fornecedores e sócios. equivalentes a menos de 5% do total .Princípios de Atuação Normativas associadas A Telefónica quer que os Princípios de Atuação influam na forma de atuar da Companhia frente a seus diferentes grupos de interesse. Em nível local.telefonica. A avaliação mencionada é realizada através de um Questionário de Auto-avaliação elaborado pela Telefónica. Até agora. o seguinte: “Solicitaremos que nossos fornecedores desenvolvam seu negócio aplicando Princípios semelhantes aos indicados nestes Princípios e exigiremos o cumprimento das leis e dos regulamentos existentes em cada país. Para obter mais informações sobre os fornecedores: www. e um representante de Telefónica Espanha. a Argentina publicou o Manual de Convivência. e para concretizar os Princípios. Na Telefónica O2 Europa. a verificação das normativas aprovadas. a Companhia também fará um acompanhamento pessoal ou telefônico.” Para isso. Auditoria Interna. a composição dos escritórios é semelhante à corporativa. entre outras coisas.

A Telefónica já começou a ver alguns resultados nos rankings das melhores empresas para trabalhar: A Colômbia tem a primeira posição do país.6%. 200 trabalhadores participaram em programas de rotatividade internacional e a rotatividade interna alcançou 1. Durante 2007. | Relatório Anual 2007 . Com a Promessa. no ano passado a Companhia continuou trabalhando em um de seus projetos emblemáticos.A. É um dos objetivos do projeto “Promessa ao Empregado”. Fomentar o talento global A Telefónica dedica atenção especial ao desenvolvimento das pessoas com maior potencial. Isso implica em avaliá-lo de forma correta e transparente. gênero. Desenvolvimento de um programa de treinamento com a Universidade Corporativa da Telefónica sobre orientação ao cliente e liderança. fomentado e premiado adequadamente. ofereçam a melhor experiência de serviço a nossos clientes. Além disso. formas de pensar. elaborado para obter que a Telefónica seja o melhor lugar para trabalhar em 2010.es/rc07/climalaboral O índice de satisfação dos funcionários ficou em 65%. Durante 2007.telefonica. 70% do quadro total. A implementação de práticas que facilitem o equilíbrio vidatrabalho e bem-estar. aumentando as oportunidades de mobilidade como motor de intercâmbio de idéias e melhores práticas. Distrito C. segundo os resultados da Pesquisa de Clima Laboral. e conseguir 95% de retenção do talento global no Grupo. Desafios para 2008 Alguns dos desafios na gestão da Telefónica como o melhor lugar para trabalhar em 2008 são os seguintes: Impulsionar um programa de rotatividade internacional. para que se desenvolvam e no futuro sejam os líderes do Grupo. E a Telefónica O2 Europa na República Checa recebeu o prêmio “Most Desired Employer” em 2007. mais de 1. que inclua mais de 300 funcionários participantes.600 funcionários. aspiramos a converter nossos funcionários em fãs para que. Uruguai Móveis e Reino Unido estão entre as cinco primeiras companhias.626 funcionários foram avaliados por objetivos no Grupo. etc. que registrou uma participação de 67. cada região conta com sua própria promessa ao empregado. S. tais como as novas formas de trabalhar no Campus da Telefónica em Madri. “Promessa ao Empregado”. Colocar em funcionamento as rotas profissionais para a promoção do desenvolvimento. Durante 2007. “Promessa ao Empregado”: projeto-chave em 2007 Para melhorar o índice de satisfação e compromisso das equipes e ser o melhor lugar para trabalhar. a satisfação dos funcionários da Telefónica melhorou mais de dois pontos e meio porcentuais em relação a 2006. Equador Móveis. adaptada à sua cultura e estratégia. A partir de uma metodologia baseada na pesquisa e na melhor prática externa.000 profissionais participaram em pelo menos um programa estratégico da Universidade Corporativa da Telefónica.Satisfação dos Funcionários O objetivo é ser o melhor lugar para trabalhar em 2010 Para obter mais informações: www. investiu em treinamento 59 milhões de euros e os funcionários receberam mais de 14 milhões de horas de treinamento presencial. 174. Pertencer a uma empresa internacional A Companhia quer avaliar sua dimensão e internacionalidade. EVOLUÇÃO DO CLIMA LABORAL Total empresa Gerentes intermediários Colaboradores 2005 2006 2007 58% 62% 65% 79% 80% 85% 64% 70% 76% 57% 60% 62% 46 Telefónica. Todas as promessas compartilham uma série de prioridades comuns: Consolidar uma cultura de alto desempenho A Telefónica quer continuar transformando-se para ser uma empresa em que o desempenho é valorizado. 3 pontos acima de 2006 Proporcionar uma oferta de valor aos funcionários para aumentar seu grau de compromisso com a Companhia. a promessa ao empregado começou a ser testada na Telefónica O2 Europa. Impulso do projeto global de diversidade e ações para favorecer a inclusão de culturas. através de sua satisfação laboral. Na data de publicação deste relatório. Além disso. Em 2007.

com uma melhoria de 4%. Quanto ao negócio móvel. em comparação com 6. Telefónica.84 sobre 10 pontos. Uma iniciativa essencial para alcançar essa meta é o programa “Experiência do Cliente”. ocorreu uma progressão significativa Para obter mais informações: www. o negócio fixo apresentou uma melhoria moderada.A. S. trackings especializados. grupos de foco. em 2008 a Telefónica lançará iniciativas de melhoria dos processos-chave e dos planos de comunicação interna. o que permitiu à Companhia manter sua condição de líder em satisfação do cliente no mercado britânico. no encerramento do quarto trimestre.30 pontos em relação à concorrência. Por sua vez. o programa deseja aumentar a satisfação do cliente e. liderado pelo Comitê Executivo da Companhia. de 6. o Índice de Satisfação de Clientes (ISC) global da Telefónica foi.es/rc07/clientes A satisfação do cliente em 2007 ficou em 6.78 no ano anterior O compromisso do Grupo Telefónica é ser líder no Índice de Satisfação de Clientes em todos os negócios antes do fim de 2009.84. * Expressa o grau de satisfação do cliente em relação com o serviço prestado pela Companhia. Na América Latina. foi mantida uma diferença superior a 0. aumentar os níveis de fidelização. Linhas de atuação em 2007 As atividades principais realizadas neste projeto incluem a identificação dos touchpoints ou pontos de interação dos clientes com a Companhia. a Telefónica empreendeu o programa “Experiência do Cliente”.78 6. e fomentará o intercâmbio de melhores práticas entre empresas do Grupo. Baseia-se em uma melhor prática da Telefónica O2 Europa e é uma iniciativa global. em uma escala de 1 a 10. em que 1 significa nada satisfeito e 10 significa totalmente satisfeito. 6. A contribuição do negócio móvel foi fundamental para conseguir este avanço. dirigido a aumentar seu grau de fidelização. Para cumprir as “Promessas ao Cliente”.67.78 de 2006 e 2005. etc. | Relatório Anual 2007 47 . EVOLUÇÃO DA SATISFAÇÃO GLOBAL* “Experiência do Cliente”: programa-chave em 2007 Em 2007. frente a 6. com uma tendência de alta sustentada ao longo do ano em todas as operadoras. No ano de 2007. Em termos comparativos.78 2005 2006 2007 O ISC da Telefónica España em 2007 foi 6. e a definição de promessas para satisfazer suas expectativas.84 6.Satisfação dos Clientes Na América Latina. em conseqüência. destacando a melhoria nos segmentos de clientes residenciais de telefonia fixa e de grandes empresas. Internamente. impulsionado pela trajetória no Reino Unido. continuou se destacando o grau de satisfação dos usuários na Europa. que no ano passado voltou a melhorar.telefonica. a Telefónica apoia-se em pesquisas de satisfação. o ISC apresentou uma evolução positiva em 2007. Ao longo do processo.

telefonica. Princípios de Governança Corporativa Em relação com o interesse social O Conselho de Administração desenvolve suas funções em conformidade com o interesse social. A nomeação de Altos Executivos. evitando em particular as manipulações e os abusos de informação privilegiada. o Conselho de Administração reserva-se determinadas competências com caráter indelegável e tem competência exclusiva sobre. os Estatutos Sociais da Telefónica prevêem que o Órgão seja composto por no mínimo cinco e no máximo vinte Conselheiros. encomendando a gestão ordinária de seus negócios em favor dos órgãos executivos e da equipe de direção. 3 executivos. 8 independentes e outros 2 classificados como “outros Conselheiros externos”. e para promover a formação correta dos preços das ações da Companhia. Sua organização e funcionamento são definidos no Regulamento da Assembléia. Em relação com seus acionistas O Conselho de Administração.A. entendido como o interesse da Companhia e. em sua condição de veículo de vínculo entre a propriedade e a gestão. atua para garantir sua viabilidade a longo prazo e para maximizar seu valor.es/accionistaseinversores Governança Corporativa e Transparência na Telefónica As regras fundamentais de Governança Corporativa da Telefónica estão contidas em seus Estatutos Sociais. O Conselho de Administração O Regulamento do Conselho de Administração configura-o. A avaliação do Conselho. o Conselho de Administração estava integrado por 17 Conselheiros.es/publicaciones www.Governança Corporativa e Transparência A Companhia cumpre os padrões máximos para proteger os direitos de seus acionistas Para obter mais informações: www. Assembléia Geral de Acionistas A Assembléia Geral de Acionistas é o órgão supremo deliberante através do qual se manifesta a vontade dos acionistas. neste sentido. de suas Comissões e de seu Presidente. o Conselho de Administração compromete-se a garantir um tratamento igualitário em suas relações com os acionistas.telefonica. Os investimentos estratégicos. Em março de 2008. 48 Telefónica. as seguintes matérias: As políticas e estratégias gerais da Companhia. Além disso. públicos ou privados. assim como a remuneração dos Conselheiros e Altos Executivos. basicamente. assume a obrigação de arbitrar os procedimentos necessários para conhecer as propostas que os acionistas possam formular em relação com a gestão da Companhia. 4 dominicais. que convergem no desenvolvimento de toda atividade empresarial. no Regulamento da Assembléia Geral de Acionistas e no Regulamento do Conselho de Administração. Em relação com o mercado O Conselho compromete-se a realizar quantos atos forem necessários e a adotar quantas medidas forem precisas para garantir a transparência da Companhia perante os mercados financeiros. Em particular. S. | Relatório Anual 2007 . ponderando também os interesses plurais legítimos. como um Órgão de supervisão e controle da atividade da Companhia. No que se refere à composição do Conselho de Administração. entre outras.

em particular. a Comissão de Regulamentação. > “Prêmio Transparência Informativa”. o Conselho de Administração da Telefónica tem constituídas várias comissões consultivas ou de controle (concretamente. tanto no Relatório Anual como no Relatório de Governança Corporativa. exceto as jurídica.A. líder em RSC na Espanha. > A Telefónica é uma das três empresas do IBEX 35 que melhor informam sobre responsabilidade social. Direitos e obrigações O Regulamento do Conselho descreve com amplitude os direitos e as obrigações dos Conselheiros. no caso dos Conselheiros independentes. Reputação e Responsabilidade Corporativa. a Companhia elaborou pela primeira vez um Relatório sobre a política de remunerações em que são expostos os critérios e fundamentos para determinar as remunerações dos Conselheiros correspondentes ao exercício em curso. fidelidade e lealdade dos Conselheiros. | Relatório Anual 2007 49 . Remunerações e Boa Governança e. premiada por sua transparência informativa > “Prêmio de Boa Governança Corporativa”. concedido por “Mi Cartera de Inversión”. segundo o estudo do Observatório de RSC. A eleição dos membros do Conselho de Administração que vão configurar a composição da Comissão Delegada deve contar com o apoio de. > A Telefónica destaca-se como uma das melhores companhias espanholas por sua eficácia nas relações com os investidores. estatutária ou regulamentariamente indelegáveis. seis). às quais são encomendados o exame e o acompanhamento permanente de alguma área de especial relevância para a boa governança da Companhia.Governança Corporativa e Transparência Telefónica. Telefónica. a Comissão de Nomeações. segundo um estudo da UGT. e a Comissão de Assuntos Internacionais. Estas comissões são as seguintes: a Comissão de Auditoria e Controle. os possíveis conflitos de interesse. Os Conselheiros Nomeações As nomeações dos Conselheiros são submetidas à decisão e aprovação da Assembléia Geral de Acionistas. tem delegadas expressamente todas as suas faculdades e atribuições. da correspondente proposta. > A Telefónica do Peru recebe o “Prêmio ProCapitales” pelo melhor Relatório Anual. As relações entre o Conselho de Administração e sua Comissão Delegada baseiam-se em um princípio de transparência. sempre de acordo com as disposições legais vigentes. a Comissão de Recursos Humanos. contemplando. > Telefónica. concedido por jornalistas de mais de 100 meios de comunicação espanhóis. em uma Comissão Delegada com capacidade decisória de âmbito geral. em conformidade com os critérios estabelecidos para cada documento. pelo menos. dois terços do Conselho de Administração. As Comissões Consultivas ou de Controle do Conselho de Administração Além disso. detalhando os deveres que derivam das obrigações de diligência. Política de remuneração A Companhia fornece anualmente a informação relativa à remuneração recebida pelos membros de seu Conselho de Administração. > Os relatórios de RSC da Telefónica são finalistas nos prêmios para os melhores relatórios de Accountability ou na Global Reporting Initiative. na categoria de companhias negociadas em bolsa. as propostas de nomeação são precedidas pelo correspondente relatório da Comissão de Nomeações. A Comissão Delegada do Conselho de Administração O Conselho de Administração. ou para a análise monográfica de algum aspecto ou questão cuja transcendência ou grau de importância assim aconselhe. de forma que o Conselho tem sempre conhecimento pleno das decisões adotadas por esta Comissão. através do semanário “El Nuevo Lunes” . a Comissão de Qualidade do Serviço e Atendimento Comercial. S. Remunerações e Boa Governança. o aproveitamento de oportunidades de negócios e o uso de ativos sociais. e conforme disposto pelo Regulamento do Conselho de Administração da Companhia. Além disso. segundo a classificação elaborada pela empresa britânica de consultoria Institutional Investor Research Group. o dever de confidencialidade.

filtro de conteúdos Babysitter Móvel. plano de economia e gestão de celulares. Imagenio manteve seus controles dos pais (os pais bloqueiam com um PIN o acesso a canais para adultos. etc. para crianças de 8 a 14 anos. o ensino oferecido na Espanha junto com a ONG Protégeles sobre normas de segurança para navegar na Internet e normas para usar o celular beneficiou 100. chamadas a cobrar. a Telefónica O2 Europa desenvolveu o programa “Champions”. a Telefónica promoveu em 2007 uma regulamentação interna para garantir uma oferta adequada. a Telefónica lançou o Projeto Gerações Interativas para promover um uso responsável das TIC entre crianças e jovens. bloqueio de acesso a conteúdos para adultos. a Companhia tem nas lojas folhetos sobre roubos de terminais.es/consejosparapadres www. propostas e ferramentas para os menores e os pais: Desenvolveu com Imaginarium o CAM1. a Telefónica trabalhou no desenvolvimento de terminais móveis. promovido pela Comissão Européia. Adicionalmente. pelo qual as empresas se comprometeram a colaborar no controle e na classificação dos conteúdos que oferecem. Além disso. S. assinou com as principais operadoras móveis européias um Acordo Marco. para crianças a partir de 6 anos. Realizou a quarta edição de Play Pack. estão sendo 50 Telefónica. ou impedem que as crianças comprem filmes sem seu consentimento) e a Telefónica O2 Europa também ofereceu controles para seus serviços. Desafios educativos e sociais”. etc. convênio que na Espanha gerou um Código de Conduta Nacional. um modelo mais avançado do Mo1. Produtos e serviços Em 2007. a Telefónica O2 Europa colabora com a ONG Childnet International.000 crianças em 2007 Para obter mais informações: www. Na América Latina. Ações educativas para pais e menores Em 2007. Na data de publicação deste relatório. Por outro lado. Lançou o Gestão Familiar. Na Europa. Entre as funcionalidades que oferece. que inclui câmera fotográfica e MP3. patrocinado pela Comissão Européia. | Relatório Anual 2007 .917 pesquisas. Para fomentar um ambiente em que os menores possam usar as novas tecnologias de forma segura. a Telefónica continuou colaborando com o Projeto Safer Internet Plus. serviço de localização. opção para definir limites de consumo com avisos de superação. etc. haviam sido realizadas 28. Crianças e adolescentes frente às telas.co.A. Em paralelo.uk A Telefónica redobrou seu compromisso em 2007 para fomentar um ambiente em que os menores possam usar as novas tecnologias de forma segura A Telefónica ofereceu a pais e menores mais ferramentas e recomendações para garantir um uso responsável de seus produtos e serviços.telefonica. um plano de formação de voluntários sobre proteção de menores sobre o uso das novas tecnologias. A Telefónica O2 Europa ofereceu a seus clientes números de telefone e endereços de Internet para apresentar inquietações ou informações sobre ações inadequadas de terceiros no uso de seus serviços.da Telefónica serviu ao clientes para pedir conselhos se um filho for perseguido na escola. o escritório de consultas -Nuissance Call Bureau. com uma linha gestora e até um máximo de linhas dependentes (contrato ou pré-pago). No Reino Unido.o2. impulsionado pela Telefónica e desenvolvido pela Universidade de Navarra e Educared.000 crianças de 400 centros educativos. Assim.Gerações Interativas e Proteção do Menor A Companhia realizou ações de ensino para 100.protectourchildren. com a qual lançou programas educativos. chamadas indesejadas. Um euro de cada pack é doado à ONG Aldeias Infantis. O eixo central do projeto é a realização do estudo “Gerações Interativas na América Ibérica. estão as listas restritas de chamadas. prevenção da perseguição escolar. ou fornecer informações úteis para colégios.

um projeto transversal a todo o Grupo. Localização e Gestão de Frotas > Otimização de rotas e deslocamentos.A. > Redução do gasto de combustível. > Controle do meio natural mediante sensores e dispositivos de vigilância. tanto em edifícios de escritórios como nas operações.6 milhões de Ton CO2. a Telefónica emitiu um pouco mais de 1. que serão reforçadas em 2008 com um Plano que incluirá objetivos concretos. junto com 152 outras empresas. a Companhia lançou internamente o Plano Estratégico de Mudanças Climáticas. o “Caring for Climate”. > Supressão das necessidades de entrega de correio e dos custos logísticos associados. | Relatório Anual 2007 51 . o que implica em cerca de 7 kg de CO2 por acesso. As TIC. Identificar riscos associados a futuras restrições de gases do efeito estufa e oportunidades para a redução. a partir de padrões reconhecidos (Protocolo GHG. uma iniciativa do Pacto Mundial pela qual se comprometeu a trabalhar ativamente na luta contra as Mudanças Climáticas. Além disso. a estratégia da Telefónica passa por colaborar ativamente com as associações mais reconhecidas. Durante 2007. a Companhia realizou seu primeiro inventário global de Gases de Efeito Estufa com base em uma normativa baseada em padrões reconhecidos como o Protocolo GHG Em 2007. > Instrumento do uso das energias renováveis. S. > Otimização da gestão interna. emitimos um pouco mais de 1. Para cumprir com estes compromissos. Se agregamos ainda o potencial do setor quanto a redução de emissões mediante a desmaterialização ou a economia de deslocamentos. a Companhia implantou medidas encaminhadas à economia energética. * Para obter um valor relativo para a atividade. a metodologia para quantificar as emissões de gases do efeito estufa. Neste sentido. Telefónica.telefonica. a Telefónica subscreveu em julho de 2007. e assim somar esforços. como ETNO (European Network Operator Association) e GeSI (Global eSustainability Initiative). parte da solução (Movilforum) Mobile Marketing > Redução de consumo de papel. o setor de telecomunicações é considerado como “Carbon Light”. Elaborar um Plano de Eficiência Energética. que permitam melhorar o índice de comportamento ambiental da Telefónica. é utilizado o número de acessos. A Telefónica elaborou em 2007 um procedimento de trabalho interno que tem por objetivo estabelecer. Ampliar a cultura da luta contra as Mudanças Climáticas e a economia e eficiência energética na Telefónica. > Melhorias da gestão comercial. é possível dizer que é “parte da solução para o problema das Mudanças Climáticas”.6 milhões de Ton CO2 equivalente. o que implica em cerca de 7 kg de CO2 por acesso*. Ajuda à produtividade > Redução de consumo de papel. cujos objetivos são: Compilar e homogeneizar os dados de emissões de gases do efeito estufa de todos os países e sociedades da Telefónica. A estratégia da Telefónica frente às Mudanças Climáticas Por sua escassa contribuição aos Gases de Efeito Estufa. Conscientizar os agentes sociais e econômicos na luta contra as Mudanças Climáticas. > Trabalho em mobilidade e teletrabalho.es/rc07/cambioclimatico No ano passado. No ano passado. Calcular as emissões de gases do efeito estufa evitadas pelos produtos e serviços comercializados pela Telefónica. IPCC e Norma ISO 14064-1).Mudanças Climáticas A Telefónica também lançou um programa com ações internas para lutar contra as Mudanças Climáticas Para obter mais informações: www. Sistemas de Telecontrole e Domótica > Redução dos deslocamentos. > Gestão racionalizada da energia.

Implementação de Rede Responsável.861 932. a Telefónica avançou na elaboração de normativas internas que garantem a gestão do meio ambiente. CONTROLE DE ASPECTOS AMBIENTAIS NA TELEFÓNICA 2007 2006 Eletricidade das operações (MWh) Eletricidade dos escritórios (MWh) Água (Ml) Combustível das instalações (Ml) Combustível para veículos (Ml) Consumo de papel (t) Resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos (t) 1 3.290 2. e Telecomunicações e Desenvolvimento Sustentável.001 e a Móveis Espanha. e impacto visual. Implementação de Rede Responsável. resíduos perigosos (baterias). a Companhia criou em 2007 a Direção Corporativa de Meio Ambiente. Neste mesmo ano. foi atualizada a Norma de Requisitos Mínimos de Meio Ambiente.A.telefonica. Gestão de Resíduos.A. assim como Comissões Regionais para executar o programa em todas as operações Para obter mais informações: www.294 23. desenvolveu um modelo organizativo funcional.354. Sistema homogêneo em todo o Grupo Para garantir o desenvolvimento de uma política e a gestão de meio ambiente homogênea em todo o Grupo Telefónica. Gestão de Resíduos. o Grupo Telefónica abordará um Plano de Ação de Meio Ambiente que inclui cinco âmbitos: Mudanças Climáticas. | Relatório Anual 2007 .549. com outras específicas para as linhas de negócios.131.016 67. que se estrutura em 5 grandes eixos: Mudanças Climáticas. Telecomunicações e Desenvolvimento Sustentável. considerando as percepções sociais na implementação das instalações fixas e móveis.230. acústico. a Companhia aprovou o “Plano de Ação e Objetivos Ambientais da Telefónica 2008-2012”. com Comissões Ambientais formadas por equipes multidisciplinares nos diferentes países. no ano passado foi fortalecida a gestão ambiental nas operações da América Latina: A Móveis Colômbia foi certificada segundo a ISO 14. Para 2008. sendo neste sentido fundamentais o planejamento e a manutenção das instalações. Melhorar a eficiência energética dos processos.508. aprovada em 2005. ruído de instalações. como a Norma de Verificação de Requisitos Legais. Gestão Ambiental.281 5.251 3. para identificar a legislação ambiental que se aplica à atividade do Grupo Telefónica. na área da Secretaria Geral Técnica da Presidência.646 5. Sobre eles. o controle atmosférico. resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos.Meio Ambiente A Companhia criou em 2007 uma Direção Corporativa de Meio Ambiente. que será substituída pela Norma Geral de Gestão de Meio Ambiente.320 3.001 Para os próximos 4 anos.838 8. Além disso. Gestão ambiental.661 12.375.9051 10. S. Controle de aspectos ambientais Os aspectos ambientais mais significativos para a Telefónica por seu impacto no ambiente ou relevância social são os relacionados com: o consumo energético. Através de convênios e acordos internacionais com órgãos credenciados.0621 12.477 Não se dispunha de dados de todas as operações em 2006. Garantir os critérios ambientais. Além disso. a Companhia realiza um controle preventivo e corretivo.908 925. Gestão Ambiental Durante 2007. ou a prevenção de catástrofes naturais. a Telefónica desenvolverá um Sistema de Gestão Ambiental Global. emissões eletromagnéticas. Potencializar os serviços de telecomunicações que contribuam para a economia energética. a Móveis Peru. e potencializar os serviços de telecomunicações com o objetivo de reduzir as emissões de CO2. Homogênea e integrada em todas as operações e na cadeia de fornecimento. por mandato do Conselho de Administração da Telefónica S. Assim.es/rc07/gestionambiental A Telefónica tem mais de 50% de suas operações móveis certificadas ambientalmente conforme a ISO 14. MWh = Megawats/hora Ml = Mil litros t= tonelada 52 Telefónica. a Móveis México e a Móveis Equador foram aprovadas nas correspondentes auditorias de monitoramento.

167 medições . o Grupo Telefónica realizou 862 estudos de impacto ambiental. Além disso.441 euros para corrigir e minimizar este aspecto. Embora corresponda a apenas 2% do total das emissões de radiofreqüência. Em 2007.who. usando um parâmetro denominado “Fragilidade Visual” (FV). com um investimento de 941. determinaram.268. registrou 38 queixas e fez 54 adequações. junto com a Comissão Internacional para a Proteção contra Radiações Não Ionizantes (ICNIRP). para evitar assim novas construções. | Relatório Anual 2007 53 .688 novas localizações. Neste sentido. Por outro lado. é o ruído gerado pelas instalações (redes de telefonia móvel e fixa).A. não há nenhuma prova científica convincente de que os fracos sinais de RF procedentes das estações de base tenham efeitos adversos sobre a saúde. Em meados dos anos 90. em 2007. Ao longo de 2007. portanto. com um investimento de 5. Este determina a necessidade de adequar as infra-estruturas em função de seu impacto visual. a Telefónica mantém um diálogo contínuo com seus grupos de interesse.795 euros. a Telefónica realizou 980 medições acústicas. a Companhia trata de integrá-la o máximo possível na paisagem. Além disso.Implementação de Rede Responsável A Telefónica realizou 15. a Companhia conta com 6.es/rc07/despliegueresponsable A Companhia investiu em 2007 mais de 5.telefonica. e outras entidades.em 2007. e documentação de órgãos oficiais com competências em Saúde e Telecomunicações. com freqüências entre 900 (GSM) e 2000 MHz (UMTS). fornecendo informações avalizadas e contrastadas pela comunidade científica.para garantir a segurança de suas instalações. foram realizadas 413 adequações em infra-estruturas com alto impacto. para instalar novos locais. Outra prática habitual consiste no compartilhamento de infraestruturas entre diferentes operadoras. realizou 15. a Companhia conta com vários canais: as páginas de Internet e participação em jornadas informativas em colaboração com Associações de Consumidores e Usuários.376 locais com infra-estruturas compartilhadas.int) afirmou que.2 milhões para minimizar o impacto visual de suas infra-estruturas A Telefónica aplica critérios ambientais e de sustentabilidade nos processos de planejamento. principalmente torres de telecomunicações. Outro aspecto ambiental que pode provocar impactos locais e que. é controlado. Telefónica. foram evitadas 4. Integração no ambiente A Telefónica desenvolveu nos últimos anos práticas que buscam reduzir o impacto de suas infra-estruturas sobre o meio ambiente. em 2007.167 medições dos níveis de emissões radioelétricas Para obter mais informações: www. A primeira destas práticas consiste na utilização de infra-estruturas existentes. Quando uma nova infra-estrutura é implementada. Desta forma. construção e manutenção de sua rede global. e de emissão de potência de antenas de estações base e telefones celulares. há uma inquietação na sociedade em relação às antenas das estações. para responder às solicitações de informações. e cumprindo os requisitos legais. Atualmente. procurando assim que suas atividades sejam o mais respeitosas possível com o ambiente em que se localizam. alguns padrões internacionais de exposição a campos eletromagnéticos. entre outros. Radiofreqüência e níveis de emissão A telefonia móvel é uma tecnologia sem fio baseada em uma ampla rede de antenas fixas ou estações de telefonia móvel que transmitem informação com sinais de radiofreqüência (RF) ou ondas de rádio. A Telefónica controla e monitora os níveis de emissão radioelétrica de suas infra-estruturas . S. a Telefónica desenvolveu uma metodologia para avaliar o impacto visual gerado pelas torres. a Organização Mundial da Saúde ou OMS (www. sobre os efeitos a longo prazo que poderiam ter sobre a saúde. Diálogo e transparência Com base na premissa fundamental de transparência. considerando os níveis muito baixos de exposição e os resultados de pesquisas reunidos até o momento.

8% América Latina 37. 12.427 532. | Relatório Anual 2007 . públicas e privadas: no ano passado.3% 32.2% Arte e cultura EducaRed. A Fundação Telefónica continuou sendo o motor da ação social estratégica: destinou 51.309 39. Peru e Venezuela.963 inclui 52.9% Saúde e incapacidade 6.5% 10. Esta metodologia quantifica conceitos que até agora a Companhia não considerava.496 AÇÃO SOCIAL E CULTURAL POR ATIVIDADE Metodologia LBG .5% * 66. Seu objetivo estratégico. sociais e culturais. Em 2007. 95% se beneficiaram através do uso das TIC TOTAL DE PESSOAS PARTICIPANTES/BENEFICIADAS DIRETAMENTE PELA ATIVIDADE DA FUNDAÇÃO TELEFÓNICA EM 2007 Área Número de pessoas Fundação Telefónica: mais de 700 projetos sociais A Fundação Telefónica foi criada em 1998 com o objetivo de articular a ação social e cultural da Telefónica. o investimento foi de 88.000 pessoas com incapacidade Para obter mais informações: www.es A Telefónica destinou cerca de 90 milhões de euros à ação social e cultural durante o exercício de 2007 Com o objetivo de medir e avaliar melhor sua ação social. histórico e tecnológico da Telefónica. 6. Por sua vez.Dados em porcentagem Educação e Meio ambiente juventude 1.Dados em porcentagem Espanha Europa 57. a associação ATAM beneficiou cerca de 4. Em 2007. incluindo Equador. No total.000 crianças na América Latina. como.fundacion. Guatemala. o programa que divulga a cultura e a arte contemporâneas relacionando vanguarda e inovação tecnológica. Seu portal recebeu cerca de 60 milhões de visitas em 2007.991 crianças. tem foco na educação através das TIC. combinando recursos online para professores e alunos com eventos presenciais que permitam dinamizar a educação.408 horas no exercício passado.112.8 milhões de pessoas.com www. El Salvador. que beneficiaram 39. escolarizou mais de 52. México. administra o patrimônio artístico. a Fundação Telefónica apoia-se em entidades educativas.6% Gastos com comunicação e gestão da Fundação Bem-estar social 19. entre os quais se destacam: Pró-criança. Espanha.8 milhões de euros. cujo objetivo é contribuir para erradicar o trabalho infantil pela via da escolarização. Chile.7% 4. 54 Telefónica.465 agentes sociais. S. Para cumprir seus objetivos.842 2. revisado em 2005.900. Destas.812.656 66. a Telefónica adotou no ano passado a metodologia internacional LBG.telefonica.atam. Panamá e Uruguai. com mais de 164.A. embora a ação social que desenvolve através de programas como Pró-criança ou Voluntários Telefónica se estenda a 14. Fórum. Voluntários Telefónica. Nicarágua. que atende à geração do conhecimento no ambiente da Sociedade da Informação e seu impacto social. Colômbia.507 professores e educadores. Arte e Tecnologia. programa que busca o fomento e a participação dos funcionários em atividades de ação social.4% Desenvolvimento econômico 17.Ação Social e Cultural Cerca de 19.000 funcionários participaram do programa de Voluntariado Corporativo em 2007.963* 246. e 7. continuou trabalhando em diferentes programas.299 953. Educared Pró-criança Voluntários Fórum Arte e Tecnologia Outros Programas Total 35. por exemplo.1% AÇÃO SOCIAL E CULTURAL POR REGIÕES Metodologia LBG . Brasil.1 milhões a mais de 700 projetos. Além disso. A Fundação Telefónica está presente em 8 países: Argentina. o tempo de Voluntariado Corporativo dos funcionários. orientado a melhorar a educação por meio das novas tecnologias. colaborou com 416 organizações.

elaborar um plano de treinamento para os Voluntários Telefónica e ajudar a aperfeiçoar as ajudas técnicas de Retadis.986 pessoas de diferentes modos: dispõe de um sistema de ajudas econômicas diretas. etc. Saragoça (Aragão) e Palma de Mallorca (Baleares). com uma dedicação por parte dos funcionários superior a 164. durante as quais os funcionários ajudaram em escolas do Pró-criança (o desafio para 2008 é envolver os voluntários da América Latina e da O2 nestas férias). uma rede nacional de computadores acessíveis. Voluntariado Corporativo Cerca de 19. e desenvolve trabalhos de avaliação e diagnóstico da incapacidade. que permitiu arrecadar recursos para o projeto.500 2.Ação Social e Cultural AÇÃO SOCIAL E CULTURAL DA TELEFÓNICA Metodologia LBG desde 2007. | Relatório Anual 2007 55 . e de jovens em risco de abandonar os estudos. na cultura e na arte. Oviedo (Astúrias). oferece um serviço de integração laboral (orientação. Telefónica. e as Férias Solidárias. a ATAM ampliou sua rede de atendimento ao sócio.054 4. idosos. São considerados patrocínios sociais e culturais todos os que têm um impacto positivo na sociedade. pessoas necessitadas.571 0 36. Foram ajustadas as quantidades de anos anteriores. Adicionalmente. criou um sistema de controle de qualidade para verificar a idoneidade do serviço e a opinião dos sócios através de diversos mecanismos (pesquisas. S. através de uma equipe multidisciplinar de profissionais. não foram reajustadas as quantidades. Também foram desenvolvidas iniciativas em apoio a pessoas com incapacidade.500 1. corresponderam 443 iniciativas. A associação também formalizou diversos acordos com a Fundação Telefónica com o objetivo de assumir a direção técnica do portal de emprego Mercadis. caixas de sugestões.427 crianças. por sua vez. 2 O modelo LBG ajuda as empresas a melhorar a gestão. Na Espanha. beneficiaram 246. nasceu a figura do Cibervoluntário. busca de emprego e acompanhamento posterior). cooperando nos programas educativos de “Junior Achievement”. a medição e a informação de sua colaboração e compromisso com a comunidade. a ATAM colaborou com o Grupo Telefónica na elaboração de um Manual de Princípios Conceituais e Normas Metodológicas de Atuação para a integração laboral de pessoas com incapacidade na Companhia. Hoje. No ano passado.988 4.228 88. Marcos em 2007 Durante o exercício de 2007.4% por todos os funcionários da empresa). A Associação finalizou 2007 com mais de 60. e na Irlanda entregou os prêmios “The Volunteer of the Year” e “Fundraiser of the Year”. Vai além das contribuições pontuais.608 2. a metodologia LBG não permite contabilizar as contribuições dos 60. mais de 150 empresas internacionais líderes aplicam o modelo em todo o mundo. o Dia Internacional de Voluntários Telefónica foi dedicado ao Pró-criança. envolvidos em desastres naturais.493 41. Europa Quase 900 funcionários da Telefónica O2 Europa também realizam várias iniciativas de voluntariado nos diferentes países em que a Companhia opera.999 4.616 28.770 33. Beneficiou 3. prêmios com o objetivo de incentivar e reconhecer a colaboração dos funcionários de todo o Grupo com a sociedade.000 funcionários que colaboram com a ATAM nem o gasto dedicado a beneficiar pessoas com incapacidade que sejam parentes de funcionários. Entre os projetos em 2007. No total. Dados em mil euros Fundação Telefónica ATAM1 Patrocínios sociais e culturais2 Atividades sociais O2 Total 1 2007 2006 2005 51. cabe mencionar as ações para apoiar o Pró-criança: a campanha do Euro Solidário. para incluir a gama completa de contribuições destinadas à comunidade (tempo dos funcionários. abrindo novos escritórios em Sevilha e Granada (para atender a toda a Andaluzia). a Telefónica O2 Europa realizou a quarta edição dos “Global Community Awards”. serem formadores. para denominar aqueles voluntários que receberam formação sobre as TIC para. apoiadas por uma rede de escritórios de atendimento presencial.9 milhões de euros (cada sócio contribui com dois por mil de seu salário mensal e a Companhia paga 0. inspeções. Pela primeira vez.500 28. para premiar aqueles que se destacaram por coletar recursos para alguma causa solidária. Além disso. desenhou uma nova metodologia de atendimento para incorporar o diagnóstico clínico ao processo de atendimento. A este programa. colaborando nas atividades esportivas da “Fundação Também” e Special Olympics. Por outro lado. contribuições em espécie e dinheiro). ATAM ATAM (Asociación Telefónica para Asistencia a Minusválidos) é o projeto social do Grupo Telefónica e seus trabalhadores que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência. de acordo com os critérios da metodologia LBG.015 4. formação. Em 2006 e 2005. dentro do programa de Voluntariado Corporativo administrado pela Fundação Telefónica. O modelo foi desenvolvido por um grupo de companhias em 1995 como uma ferramenta interna de avaliação e como uma forma de garantir maior consistência e comparabilidade da informação publicada.070 Em 2007. etc).A.000 funcionários do Grupo Telefónica realizaram ações solidárias no ano passado na Espanha e em 13 países da América Latina.408 horas. e valoriza os resultados reais para a comunidade e a empresa.000 sócios e contribuições de 13.

Fortalecimento sócio-institucional A Fundação utiliza a força institucional da Telefónica para garantir a sustentabilidade a longo prazo da intervenção para avançar nestas frentes: Geração e divulgação de conhecimento sobre o trabalho infantil e seu impacto nas crianças.000 crianças escolarizadas em 2007 e se prevê alcançar 100.000 beneficiários em 2008. O principal marco do Pró-criança em 2007 neste tópico foi a realização pela primeira vez do Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil. A evolução do Pró-criança em 2007 não teria sido possível sem a colaboração das ONGs – o número multiplicou-se durante o exercício. No tópico de qualidade educativa.com/pronino/ O Pró-criança cumpriu em 2007 seu objetivo de escolarizar mais de 50. Brasil. Nicarágua.991 meninos. S. Em outro nível. Venezuela e Uruguai. estão previstas numerosas sinergias com EducaRed em 2008: Aplicação aos centros educativos. a qualidade educativa e o fortalecimento sócio-institucional.000 crianças em 2008 Para obter mais informações: www. o Pró-criança utiliza as Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC) para alcançar a inclusão digital dos menores e de todo o seu ambiente. Equador. com atividades em todos os países. cujos eixos são a proteção integral das crianças. das escolas. Criação de redes de intervenção e prevenção que possam cuidar do problema. Qualidade educativa Além de melhorar as infra-estruturas dos centros. 56 Telefónica. o Pró-criança beneficiava de forma direta 52. de toda a experiência acumulada na matéria. os Voluntários Telefónica continuaram exercendo um papel fundamental. Guatemala. Eixos estratégicos No ano passado.telefonica. Sensibilização social e institucional para promover compromissos de atuação. implementação de Salas de Aula Fundação Telefónica e o desenvolvimento do canal EducaRed do educador Pró-criança. Portanto. México. Fortalecimento dos atores que devem se envolver no combate ao trabalho infantil. Peru.000 meninos e meninas em 13 países da América Latina A Fundação Telefónica contribui para erradicar o trabalho infantil através deste programa.fundacion. através da introdução de EducaRed nestes centros. em suas famílias e na comunidade.Ação Social e Cultural Pró-criança O objetivo é beneficiar mais de 100. em que os nossos meninos e meninas são escolarizados. Em 31 de dezembro de 2007. conseguindo que permaneçam na escola. mediante dotação de conectividade. Difusão dessas aplicações a ambientes sociais mais amplos para melhorar a educação em situações de vulnerabilidade social. O Pró-criança é o programa de ação social administrado pela Fundação Telefónica para contribuir para erradicar o trabalho infantil na América Latina através da escolarização de qualidade dos menores. Panamá. | Relatório Anual 2007 . Chile. até chegar a 93 – com as quais trabalha diretamente. Colômbia. participando em diversas atividades.A. como única via para assegurar oportunidades reais de desenvolvimento e um acesso digno ao mundo laboral. obtendo uma erradicação progressiva para desvinculá-los do ambiente laboral. instituições públicas e privadas em colaboração com as comunidades em que as crianças vivem. aportando tempo e talento. El Salvador. o Pró-criança baseou sua atividade nos três eixos estratégicos apresentados em abril de 2007 em Bogotá e que continuarão orientando seus passos em 2008: Proteção integral de menores em situação de trabalho infantil Os meninos e as meninas são atendidos em seu ambiente familiar e comunitário. meninas e adolescentes de Argentina. foi cumprido o objetivo de superar 50.

os níveis de sensibilização frente ao problema do trabalho infantil.379 3.1 milhões de meninos e meninas. que trabalham no mundo. etc. a assistência.200 1. A redução do trabalho infantil nos últimos anos deve-se ao trabalho de Estados e de diversos agentes sociais envolvidos. A utilização adequada das bolsas. Os critérios gerais são: 1) Meninos e meninas de 4 a 18 anos. junto com os pais e as crianças. e entre os quais se encontra o Pró-criança Como o programa funciona? Quanto à seleção dos beneficiários. meninas e adolescentes) 1. através dos órgãos de Defesa do Menor.291 1.991 meninos. etc. nocivos ou degradantes. o trabalho infantil continua sendo um dos defeitos mais preocupantes de nossa sociedade. são demarcadas algumas diretrizes específicas ajustadas à realidade de cada lugar. 5) Crianças com irmãos que tenham abandonado o sistema educacional.500 5. aspectos como o rendimento. em sua casa ou fora.364 6.324 2.000 6. etc. 2) As ONGs.A. através de seus “agentes de campo”. dos centros tutelares.514 2. 4) Que apresentem atraso escolar ou baixo rendimento por motivos de trabalho. 2) Menores em situação de exploração laboral remunerada ou não.119 escolas e 310 centros de atendimento) Telefónica. 3) Que estejam em situação de risco de abandono da escola por fazer algum trabalho.877 120 centros educativos 234 centros educativos 12 centros educativos 111 centros educativos 581 centros educativos 26 centros educativos 76 centros educativos 39 centros educativos 50 centros educativos 19 centros educativos 82 centros educativos 33 centros educativos 46 centros educativos Beneficiários diretos (52. dos incentivos e dos demais apoios que o Pró-criança oferece aos beneficiários é monitorada com visitas domiciliares de supervisão de compromissos por parte dos promotores da ONG e dos responsáveis pelo Pró-criança.991 13 PAÍSES 93 ONGs 11. atualmente há 211 milhões de meninos. identificam os casos de crianças que trabalham ou estão em risco.339 13 PAÍSES 35 ONGs 2005 2006 2007 CRIANÇAS ATENDIDAS EM 2007 Argentina Brasil Chile Colômbia Equador El Salvador Guatemala México Nicarágua Panamá Peru Uruguai Venezuela Totais 2. E se calcula que na América Latina e no Caribe trabalham 5. | Relatório Anual 2007 57 . e que sejam perigosos. e 8) Que a família se comprometa a colaborar. que prejudiquem seu desenvolvimento normal e os impeçam de estudar. que fazem qualquer trabalho que uma pessoa adulta deveria executar. e aquelas que poderiam ir à escola mas não contam com os recursos econômicos.242 5.540 10 PAÍSES 19 ONGs 25. 6) Disposição por parte das crianças para participar da proposta Formativo-Pedagógica.297 2. tribunais de menores. existem alguns critérios gerais para todos os países em que o programa está implementado e. Concretamente.035 5. com entre 5 e 17 anos. neles. meninas e adolescentes. e 3) As instituições. reconhecidos pela OIT. 7) Que tenham pais ou tutores. S. demonstrem cansaço. são avaliados. as dificuldades para o cumprimento dos compromissos. O processo de seleção dos beneficiários do programa pode ocorrer através de três vias: 1) As autoridades educativas apresentam uma lista de escolas que se ajustam aos critérios do programa. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho Infantil (OIT).Ação Social e Cultural Um problema de todos… Apesar dos avanços registrados nos últimos anos.968 8. CRIANÇAS BENEFICIADAS 52.429 centros educativos (1. informam ao coordenador do Pró-criança ou à ONG sobre a existência de um menor trabalhador e solicitam sua entrada no Programa.

A um “clique”… O portal EducaRed. o EducaRed tem dois objetivos: contribuir para a melhoria da qualidade da educação e fomentar a igualdade de oportunidades através das novas tecnologias. Além de implementar os novos portais do EducaRed na Colômbia e no México. Para 2008. para premiar os melhores projetos de integração das TIC na docência. 10. Fomentar a colaboração com órgãos. Potencializar as atividades presenciais. alunos.educared.9 milhões de pessoas. um portal com ferramentas. Consolidar o EducaRed como um programa internacional.Ação Social e Cultural EducaRed Com este programa. com uma tutorização posterior. o IV Congresso Internacional EducaRed incluiu a figura do país convidado. o EducaRed foi implementado no México e na Colômbia. Brasil. o desafio se chama “Portal Global: EducaRed 2. ferramentas e cursos sobre Internet. junto às principais organizações da comunidade educacional. EducaRed. a enciclopédia EducaRed. etc. a Fundação Telefónica beneficiou 35. os portais dos diferentes países registraram cerca de 60 milhões de visitas (em 2006 foram mais de 40 milhões). Marcos em 2007 Impulsionar a inovação em EducaRed. dando lugar a um global.). cursos online. ampliando assim sua presença a sete países e beneficiando 35. foi sendo agregado o ensino presencial. em 2008 foi firmado um convênio com a Microsoft para estender a toda a América Latina o “Professores Inovadores”. etc. e o acordo com a OIT. comunidades virtuais de trabalho.net O EducaRed já está presente em 7 países O programa da Fundação Telefónica para promover o uso educativo das Tecnologias da Informação e das Comunicações (TIC) no ensino desenvolveu uma atividade educativa presencial. Também é necessário mencionar a entrada do EducaRed na Relpe (Rede de Portais Latino-Americanos).330 horas em 2007 para professores.A. implementando programas na Espanha e na América Latina. Neste tópico. Consolidar o projeto de Centros Modelo (escolas em que o EducaRed trabalha para impulsionar a inovação tecnológica e metodológica). deveres…) e pais (informações para acessar a Universidade. online e mista de 395. Chile. Em 2007.0 (para a gestão e a comunicação).net inclui recursos para professores (notícias de uso didático. Em 2007. Incorporará os recursos mais recentes oferecidos pela Internet e unificará os portais de todos os países. | Relatório Anual 2007 . compartilhando estratégias e projetos. foi potencializada a colaboração entre todos os EducaRed. cabe mencionar o EducaRed Innova.net com duas ferramentas que serão lançadas em 2008: EducaLab 2. experiências…). Brasil. Seu valor diferencial é sua capacidade para oferecer as ferramentas e os recursos mais inovadores a professores.net.0 (para a criação coletiva de conhecimento) e o Navegador 2. concebido para dar aos professores do território espanhol uma formação mais profunda sobre o uso das novas tecnologias para que possam aplicá-las à sua matéria. pais e centros educativos. com a inauguração do quarto na Espanha. 58 Telefónica. alunos. Para isso. S. ao núcleo central do programa. ferramentas de trabalho. software educativo.8 milhões a mais do que no ano anterior. Colômbia. México e Peru. alunos (propostas extra-escolares. para que os professores aproveitem as novas tecnologias em seu trabalho. Em paralelo. Além disso. e registrou cerca de 60 milhões de visitas em seus portais de Espanha. o que permitiu criar uma rede em que serão extraídas em 2008 as melhores práticas para levá-las a outras escolas.que inclui os portais dos Ministérios de Educação de praticamente todos os países da região. Colômbia.0”. bolsa de emprego.. Criado na Espanha em 1998. Chile e Espanha. Argentina. pais e outras pessoas. portal integrado no EducaRed e já existente na Espanha e no México. com conteúdos e aspectos tanto globais como locais.9 milhões de pessoas em 2007 Para obter mais informações: www. ou com Universia. através de acordos como os subscritos em 2007 com a Organização de Estados Ibero-americanos (OEI). e foi realizado o Primeiro Concurso Internacional Educared entre professores e alunos de Argentina.

itsyourcommunity. e as Ruínas de San Ignacio Miní. com o objetivo de melhorar as vidas de pessoas com autismo: em 2007. a iniciativa foi lançada oficialmente em julho de 2007 com um orçamento de 1 milhão de libras. a primeira na Europa após a morte do artista coreano. inaugurado em 1992.fundacion. O relançamento do Concurso Internacional Vida Artificial.0 alcançou um total de 172 participantes de 32 países. apresentando seu ponto de vista do futuro. Telefónica. Assim.uk).947 libras (são doados valores entre 100 e 1. Entre seus conteúdos estão a Catedral de Burgos. cinética. na Argentina. It’s Your Community estimula a realização de ações com este lema: “Se você pudesse mudar algo do lugar onde vive. bioinformática.000 libras).773 visitantes ao dia .uk Mais de 2 milhões de pessoas desfrutaram das atividades de arte e tecnologia da Fundação Telefónica Na Europa.com www. com um recorde de presença diária . foi inaugurado o primeiro centro da Irlanda dedicado à avaliação e diagnóstico. Colaboração com a Irish Autism Action (IAA). para contribuir para o desenvolvimento e a manutenção do ambiente. Durante o exercício. entre outros. arsVIRTUAL O programa arsVIRTUAL é um projeto da Fundação Telefónica que permite a seus usuários visitar. O âmbito dos projetos inclui desde ajudar a criar jardins e espaços compartilhados para a comunidade ou consertar bicicletas doadas por vizinhos. Em 2007. o concurso Vida e arsVirtual.com www. até apoiar um clube de pesca para jovens. Após um piloto de um ano. (www. Me . Outras iniciativas da Telefónica O2 Europa Programa de mentoring Just Ask Me. S. o Grupo Telefónica apoiou mais de 500 iniciativas sociais através do programa It´s Your Community.arsvirtual. criado no Reino Unido com a organização beneficente Weston Spirit para ajudar os jovens a se desenvolverem. a Companhia apoia economicamente as iniciativas individuais ou de grupos para promover mudanças positivas na comunidade local. em 3D e de forma interativa. Apoio da campanha Prison. Colaboração na Alemanha com Schola-21.co. exposições.telefonica.A.No Way!. cultural e histórico espanhol. Arte e Tecnologia O programa Arte e Tecnologia da Fundação Telefónica continuou avançando em 2007 em suas quatro linhas de atuação: coleções. na Espanha. destacaram-se os seguintes marcos: A exposição de Luis Ramón Marín .pmnw. dirigida a ajudar os jovens em risco: funcionários da O2 visitaram 34 escolas do Reino Unido em 2007. | Relatório Anual 2007 59 . latino-americano e marroquino.e a retrospectiva de Nam June Paik. 50 monumentos significativos do patrimônio artístico. a Fundação aproveitou o décimo aniversário do concurso para relançá-lo. Com este projeto. It´s Your Community It’s Your Community (É a Sua Comunidade) é o programa da Telefónica O2 Europa para contribuir para o desenvolvimento e a manutenção das comunidades e do meio ambiente no Reino Unido.um projeto que envolveu três anos de trabalho na recuperação de um arquivo inédito.Ação Social e Cultural Ação Social e Cultural Outros projetos A O2 destinou 4. criado para premiar a originalidade artística em robótica. foi fechado no fim de 2007 para iniciar sua renovação. pai da videoarte. o programa já apoiou mais de 500 iniciativas com uma doação total de 362. Patrimônio O patrimônio artístico do Grupo Telefónica é considerado um dos mais importantes da Europa: Coleção de Arte Espanhola Contemporânea Coleção de Arte Cubista Coleção de Fotografia Contemporânea Arquivo Histórico-Fotográfico da Telefónica Coleção “Telos” O Museu das Telecomunicações. o que seria?” Assim. etc. Vida 10. plataforma baseada na Internet para melhorar a qualidade do ensino.co.2 milhões de euros a projetos sociais em 2007 Para obter mais informações: www.

S.A.60 Telefónica. | Relatório Anual 2007 .

A. | Relatório Anual 2007 61 . S.Nosso Setor Um Setor Dinâmico Posição da Telefónica Liderar o Progresso Inclusão Digital 62 66 68 72 Telefónica.

Alguns exemplos são os seguintes: A demanda dos clientes por personalização implicará em uma explosão do número de canais e produtos para responder a cada uma das necessidades. o aumento da largura de banda e os movimentos e acordos globais são uma prova disso. sendo a América Latina a região de maior crescimento anual esperado no período de 2006-2010. As demandas dos clientes mudam de forma muito rápida. o que implica uma maior exigência para as operadoras. qualidades aportadas e preços. as dez maiores operadoras do mundo acrescentaram 200 milhões de acessos. Livre na escolha da empresa que vai fornecê-los. CRESCIMENTO ESPERADO TOTAL DA PENETRAÇÃO Banda larga fixa DE MERCADO 06-10E (VI Conferência de Investidores – Londres 2007) Móveis Europa ocidental América Latina +22p. Mais pessoais Oferecer serviços em um mercado global é hoje em dia distinguir e personalizar os serviços de forma quase individualizada. nos encontramos em um momento histórico e essencial para o negócio. alcançando 2. a revolução nos terminais e equipamentos. +27p. imigrantes ou lares monoparentais. conhecedor dos serviços que demanda. Isso é conseqüência de duas tendências: Por um lado. A polarização das necessidades dos clientes entre produtos básicos e o uso dos últimos serviços disponíveis implicará no posicionamento de marcas e serviços como “premium” ou como “low-cost” O envolvimento dos consumidores na criação.1 bilhões. Há uma crescente facilidade para mudar de operadora.p. Mais clientes A cada ano.es/sociedaddelainformacion Os clientes.A. S. distribuição e promoção de conteúdos e serviços implicará na conectividade permanente. +13p. Essas exigências se repetem tanto se falamos de um cliente residencial. 62 Telefónica. +20p. além disso.p. Clientes. como idosos. Clientes O número de clientes de telecomunicações no mundo vai continuar crescendo e os clientes farão um uso maior das possibilidades que a tecnologia oferece. Mais exigente pelo dinheiro que paga pelos serviços. sobretudo se estes são os considerados de mais valor. O ano de 2007 respondeu sem dúvida a esta afirmação de momento histórico: o aumento de acessos. somam-se milhões de novos clientes ao setor de telecomunicações. atendendo e satisfazendo suas necessidades Para obter mais informações: www. Mais conectados As novas necessidades e demandas dos clientes estão oferecendo novas oportunidades à indústria.telefonica. o que exige das companhias uma organização orientada ao cliente e com grande agilidade.p. São necessárias campanhas personalizadas para segmentos específicos e variedade de tarifas e pacotes. as novas tecnologias e o ambiente competitivo estão dinamizando o setor das telecomunicações A análise do setor das telecomunicações leva historicamente os analistas a repetir que. serviços. já não é possível adotar o planejamento das campanhas monolíticas clássicas nem os preços únicos. Por outro lado. Do ponto de vista comercial. Mais exigentes Os clientes vão melhorando drasticamente seu conhecimento dos produtos. a cada ano. ambiente tecnológico e ambiente competitivo são as bases que determinam a análise do contexto do setor e que. no estabelecimento de redes sociais e no aumento do tráfego. de uma pequena empresa ou de um grande cliente: Em geral. surgem novos segmentos de consumidores de telecomunicações. Informado sobre as últimas tendências tecnológicas. requerem cada vez mais um estudo conjunto das inter-relações que estão sendo criadas.p.Um Setor Dinâmico As oportunidades para o setor procedem da capacidade para ser relevantes para nossos clientes. | Relatório Anual 2007 . são incorporados consumidores de novos países. Apenas no último semestre de 2007.

Nos últimos cinco anos. os jogos ou os blogs às aplicações que usam diariamente. S.4 Mbs para download e até 2Mbs em upload. embora de uma perspectiva tecnológica seja possível independentizar os equipamentos da rede que oferece o serviço. Mais acessível para o cliente Os clientes estão adotando e visualizando esta mudança tecnológica através de produtos e serviços concretos como os serviços de televisão digital via IP. Banda larga estendida: enquanto o número de conexões de banda larga multiplicou-se por 13 no período 2001-2006. todavia. Crescimento significativo de penetração em Banda Larga e celular. Os novos dispositivos abrem a experiência do cliente a novos serviços que requerem uma crescente cooperação entre fabricante e operadora para responder à expectativa gerada no cliente. Tecnologia Aumento da largura de banda (FTTH. sendo destacável que mais de 90% do tráfego é IP. WiMAX (Worldwide Interoperability for Microwave Access) é um padrão de transmissão sem fio para dados que proporciona acessos em áreas de até 48 km de rádio e a velocidades de até 70 Mbps. Colaboração com setores adjacentes. LTE…). Novos modelos de desenvolvimento de serviços. Essas ondas. o consumidor final não entende essa divisão e quer uma solução integral. os dispositivos móveis para a conexão de computadores portáteis à banda larga. O aspecto mais visível para os clientes é o surgimento de novos terminais e dispositivos de usuários. Mais tecnologia No ambiente tecnológico. também conhecida como 3. Em conclusão. e baseada na utilização de cabos de fibra óptica para a distribuição de serviços avançados de banda larga. Tecnologia O aumento da largura de banda disponível e o surgimento de dispositivos convergentes e mais potentes oferece ao setor o potencial de novas ondas de crescimento. Telefónica. a mudança tecnológica vai oferecer maiores oportunidades às empresas que sejam capazes de inovar em: Novos produtos e serviços. Concorrência Concorrentes regionais mais consolidados. e os usuários de telecomunicações acrescentam as mensagens multimídia. Certa incerteza na Europa.A. integrando os concorrentes locais. Novos modelos comerciais e operacionais NOVAS TECNOLOGIAS DE REDE 2007/2008 HSPA (High-Speed Packet Access) é uma tecnologia posterior e complementar à 3ª geração de telefonia móvel (3G). Dispositivos mais potentes e convergentes.5G. A tecnologia de telecomunicações FTTH (Fiber To The Home). Maior uso das telecomunicações. É importante comentar que. as comunidades online. há quatro tendências: A evolução das redes de serviços para a tecnologia “tudo-IP”. Third Generation Partnership Project Long Term Evolution é o nome que foi dado ao projeto para desenvolver os padrões de comunicações móveis nos próximos anos. a largura de banda dos serviços multiplicou-se por 60. HSPA. exigirão maior inovação. Admite velocidades de até 14. sendo cada dia mais necessárias para a sociedade. colocam a expectativa da experiência do cliente em padrões muito altos. criados e distribuídos com políticas comerciais muito ambiciosas. Convergência fixo-móvel: com um crescente número de aplicações e serviços acessíveis a partir de qualquer tecnologia e dispositivos com capacidades de conectividade multitecnologia.Um Setor Dinâmico OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SETOR EM 2008 Ambiente macroeconômico Clientes Ambiente macroeconômico positivo na América Latina. | Relatório Anual 2007 63 . o tráfego que atravessa as redes da Telefónica multiplicou-se por 25. também conhecida como fibra até o lar. Convergência com as tecnologias da informação: há quase 200 milhões de computadores pessoais nos mercados onde operamos. as possibilidades de conectividade dos consoles de videogames ou a maior velocidade média dos acessos de banda larga. dependendo da rede e da implantação da tecnologia. Esses dispositivos.

Mais concorrência no mercado tradicional Uma análise do contexto competitivo dos serviços de acesso e banda larga nos leva à conclusão de que as operadoras de telecomunicações já se movem em ambientes globais com clientes e tecnologias globais e. como conseqüência das menores barreiras de entrada. A grande especialização de muitas empresas que oferecem serviços através das redes das operadoras torna inviável uma concorrência direta com elas. leis de concorrência e uma variedade de regulações adicionais. Enquanto uma configuração de mercado centrada no acesso tradicional e na voz permitia a existência de um reduzido número de operadoras. S. já que continuam representando uma parte fundamental das receitas das operadoras. sendo a telefonia fixa tradicional sujeita a uma maior regulação. A concorrência e a participação de mercado pelos serviços tradicionais continuará sendo dura.Um Setor Dinâmico Concorrência O processo de transformação do setor das telecomunicações provocou uma mudança no ambiente competitivo. etc. Como operadora de telecomunicações. que pode ter impacto direto e relevante sobre o desenvolvimento dos negócios. diversos analistas concluíram que empresas como Microsoft. Google. mas é fundamental também contar com uma grande variedade de aliados e acordos que permitam oferecer aos clientes uma carteira variada de produtos. ao mesmo tempo. mantêm uma forte dependência local.A. passou-se a um ambiente marcado pela colaboração pontual em determinados serviços e a concorrência em outros. PARTICIPAÇÃO DE MERCADO GRUPO TELEFÓNICA Por regiões Por serviços Espanha Europa América Latina 53% 18% 36% Celulares Fixo Banda Larga TV 29% 73% 20% 14% 64 Telefónica. Yahoo. as oportunidades de desenvolvimento de conteúdos e serviços oferecidas pela banda larga levam ao surgimento de novos atores. No último ano. existe uma grande oportunidade para. a convergência das TIC (tecnologias da informação e da comunicação) propiciou a colaboração das operadoras com os provedores de serviços. em particular em países que favorecem uma intervenção regulatória. Porém. Estas empresas souberam aproveitar muito bem as redes que as operadoras colocaram à disposição de todos para se converter em autênticos fornecedores globais de serviços e conteúdos. potencializar o mundo da Banda Larga. | Relatório Anual 2007 . O grau de aplicação dos regulamentos de telecomunicações depende diretamente da natureza das atividades em um país. Para as operadoras. A implementação de uma rede com investimentos caros requer que os produtos e serviços estejam liderados pelas operadoras. De um ambiente de previsível concorrência e confronto. a Telefónica está sujeita a uma regulação específica ao setor das telecomunicações. representariam uma séria concorrência para as companhias de telecomunicações. considerando que sua própria evolução de negócio pode fazê-las evoluir e desaparecer em breves espaços de tempo. Os setores adjacentes: concorrência No ano de 2004. o controle dos produtos e serviços que passam por suas redes será um ponto de trabalho em 2008. Apple. através de acordos e alianças com estas empresas.

O Fórum também realiza um importante trabalho de difusão do conhecimento: criou a Coleção Fundação Telefónica com a Editorial Ariel. Espanha A ação institucional para o desenvolvimento da Sociedade da Informação na Espanha é marcada pela implementação em 2005 do Plano Avança no marco do programa INGENIO 2010. As grandes empresas de mídia e Internet promovem movimentos de concentração 4. Europa O mercado TIC europeu representa aproximadamente 30% do total global. Neste sentido. essencialmente definidas pela União Européia (por exemplo. Continua a revolução da televisão e o setor da música se transforma.A. o que implica atualmente em mais de 200 novos produtos e serviços orientados a satisfazer as demandas relacionadas com Internet. ENTER) 1. dirigida principalmente à convergência digital). 5. | Relatório Anual 2007 65 . protagonizado especialmente pelo crescimento da telefonia móvel ou de banda larga. A web torna-se móvel com o «mobile 2. Após a recessão de 2001. S. e do fomento do debate sobre o estado das novas tecnologias. Adicionalmente. e o boletim “Sociedade da Informação” www. Os fabricantes buscam novas categorias de terminais 6.0». A inclusão digital como via de desenvolvimento através da cooperação público-privado 4. e uma série de iniciativas específicas para cada país. está voltando a avançar: A política TIC comunitária inclui iniciativas pan-européias. assim como outras em escala regional.2002. com o conteúdo das jornadas e congressos que organiza. Além disso. tanto no mercado empresarial como no residencial. Cresce o número de internautas e o uso intensivo de serviços 2. De acordo com o estudo DigiWorld para América Latina (Enter). na página de Internet da Fundação. DESAFIOS PARA A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO NA AMÉRICA LATINA (DIGIWORLD LATAM. Assim.fundacion. A Banda Larga melhora de forma progressiva e se estende à áreas rurais 3. a análise e o debate com agentes de primeiro nível. o que as transformou em uma das ferramentas prioritárias das políticas nacionais.Um Setor Dinâmico Fórum é o programa da Fundação Telefónica que promove e coordena a pesquisa. América Latina A fase de crescimento da região latino-americana tem reflexo no desenvolvimento das TIC. A integração regional dos mercados 2. uma maior dinamização do mercado por parte das Agendas Digitais dos Governos favoreceria sem dúvida um maior desenvolvimento. Edita numerosas publicações sobre temas relevantes e conta com a revista Telos. os desenvolvimentos positivos na evolução das TIC na América Latina estão em processo de aceleração. a Comissão Européia lançou “i2010”. em junho de 2005. os serviços digitais mostram uma clara progressão. O compromisso dos atores líderes na região 5. a região exibe atualmente sub-regiões de porte importante (que tipicamente incluem os centros urbanos) com índices de desenvolvimento tecnológico comparáveis aos dos países industrializados. Além das taxas de penetração totais das diferentes tecnologias. Banda Larga.com/forum A Sociedade da Informação: tarefa de todos As novas tecnologias são uma peça-chave como motor de desenvolvimento das sociedades e principal potencial de crescimento de todos os setores produtivos. encontra-se Fórum em Rede. A configuração de um marco regulador adequado 3. CONCLUSÕES SOBRE A SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO NA ESPANHA EM 2007 1.telefonica. O impulso às políticas públicas e às Agendas Digitais Telefónica. um referencial dos estudos sobre comunicação que aborda 2008 renovada e com mais temas. na promoção da igualdade social e regional. Porém. a Companhia apoiou a Sociedade da Informação desde sua origem através de múltiplas iniciativas de desenvolvimento e difusão. voz e serviços móveis. para impulsionar a Sociedade da Informação. O objetivo fundamental deste plano é conseguir a utilização adequada das TIC para contribuir para o êxito de um modelo de crescimento econômico baseado no aumento da competitividade e da produtividade. e na melhoria do bem-estar e da qualidade de vida dos cidadãos. a Telefónica desenvolve uma ativa colaboração com os órgãos que promovem o desenvolvimento da sociedade da informação através da publicação de estudos e análises.

Sua credibilidade baseia-se em um cumprimento recorrente e sistemático do que promete aos mercados. a Telefónica desenvolveu uma progressão espetacular que se manifesta pelos seguintes indicadores: Os países com presença passaram de 4 em 1997 a 24 em 2007. a Telefónica encerrou o exercício com a espetacular trajetória de crescimento de receitas e resultados que vem marcando há vários exercícios. As receitas cresceram mais de 7% anualmente. Por sua escala e diversidade A capacidade de execução e visão de futuro situou a Telefónica entre os líderes do setor.11/02/08) 369 256 252 229 176 170 160 157 146 131 AT&T China Mobile Vodafone Telefónica France Telecom Deutsche Telekom Verizon América Móvil NTT Telecom Italia 197 185 155 137 104 96 92 78 75 73 Fonte: Relatórios das companhias 66 Telefónica.000. enquanto o resultado líquido disparou 42%.000 a 248. O número de profissionais passou de 92. | Relatório Anual 2007 Fonte: Bloomberg . e diferente de outras companhias.5. pelos analistas e por sua evolução nos últimos anos Para obter mais informações: www.31/12/07) China Mobile China Telecom Vodafone Telefónica Deutsche Telekom France Telecom China Unicom América Móvil AT&T CNC VALOR DA COMPANHIA (Dados em bilhões de euros . os resultados da Telefónica sempre superaram as projeções publicadas pela Companhia. As receitas multiplicaram-se por 4 e os ativos por 3.telefonica. fazem da Telefónica a empresa melhor preparada para liderar o futuro. Apesar da incerteza existente em um setor muito dinâmico.es/accionistaseinversores A Telefónica está na melhor posição para liderar o progresso do setor O número de clientes que confiam na Telefónica. Os mercados fora da Espanha representam mais de dois terços das receitas. a Telefónica situa-se como a quarta operadora mundial por número de clientes. tanto por valor de Companhia como pelo número de acessos em nível mundial.Posição da Telefónica Reconhecida pelos rankings. Com mais de 228 milhões de acessos administrados.A. junto com uma excelente posição financeira e capacidade de gestão. Nos últimos dez anos (1997-2007). S. TOTAL DE ACESSOS (Dados em milhões de euros . O número de acessos multiplicou-se por 6: de 36 a 228 milhões. Por sua trajetória de resultados Em 2007. Por sua credibilidade: cumpre o que promete A Telefónica caracterizou-se nos últimos anos por ser uma companhia que comunicou seus objetivos de resultados aos analistas e investidores. multiplicando-se a cifra por 2. posição que compartilha no ranking de valor de empresa.

A Telefónica O2 Europa tem a oportunidade de fortalecer sua posição competitiva: Taxas de crescimento superiores à média do setor.0 +6.300 milhões de habitantes e que tem um importante potencial de crescimento.0 +4.22% estão com fechamento pendente. como conseqüência do aproveitamento das sinergias derivadas da escala e do esforço contínuo por melhorar nossa eficiência.0 +10. A Telefónica España pretende manter seu excelente desempenho a longo prazo e de forma sustentável. Neste sentido: É a unidade de negócio de referência da Telefónica.0 +8. Deste valor. Esta aliança industrial representa uma presença combinada em 9 países europeus. Alavancando a escala e a dimensão de todo o Grupo para ganhar eficiência.22% na China Netcom. Telecom Itália A Telefónica constituiu-se em um acionista de referência da Telecom Itália. O maior crescimento orgânico da Telefónica não provocou uma redução da rentabilidade. Móvil Telefónica +40. com China Netcom e Telecom Itália.A. China Netcom Por suas oportunidades de crescimento Oportunidades de negócio em todos os mercados A equipe de administração da Telefónica nas três regiões de referência demonstrou sua capacidade de execução nos últimos anos e continuará demonstrando com as oportunidades de crescimento que existem atualmente. A Telefónica mantém um investimento estratégico de 7. Telefónica.0% Telmex + A.0% AT&T Verizon Deutsche Telekom +30. 2.0 +2. Alianças estratégicas e setoriais A Telefónica está desenvolvendo novas opções de crescimento através de alianças estratégicas e setoriais. realizar negócios com clientes globais ou a compra conjunta de tecnologia. A aliança estratégica da China Netcom com a Telefónica está permitindo desenvolver conjuntamente novos serviços. S. nos mercados onde ocorre esta circunstância. Tem um bom posicionamento para capturar o crescimento futuro e obter maiores participações de mercado. Os indicadores operacionais estão melhorando em todos os negócios. | Relatório Anual 2007 67 . A Telefónica América Latina é o motor do crescimento do Grupo. concretamente.0% Telecom Italia France Telecom Vodafone +35.0% -4.Posição da Telefónica NOSSA LIDERANÇA É SINÔNIMO DE CRESCIMENTO E EFICIÊNCIA 2007E margem OIBDA +45.0% BT +25. com uma participação de mercado na Europa dos 25 membros próxima a 22%. A China Netcom opera mais de 130 milhões de acessos em um país com mais de 1.0 Crescimento orgânico de receitas 9M07 Fonte: Merrill Lynch Por seu crescimento e eficiência O posicionamento da Telefónica entre as empresas do setor é o de maior crescimento e eficiência de todas as empresas do setor.0 -2. Aproveitando as oportunidades de ser uma operadora integrada. Existe uma importante demanda de serviços de telecomunicações no país. Progride de forma importante na orientação ao cliente. contando com uma clara mentalidade de liderança. porque: Existe uma crescente demanda de serviços de telecomunicações. combinada com as melhores perspectivas macroeconômicas que a região nunca teve.

| Relatório Anual 2007 . defendendo o negócio tradicional e captando o crescimento e a maior penetração no negócio móvel. a principal fonte de crescimento.es/accionistaseinversores A estratégia da Telefónica: “Liderar o Progresso” O presidente da Telefónica lançou uma mensagem clara: “Temos a melhor Telefónica da história e nos convertemos em um dos líderes de nosso setor. Um novo tipo de liderança Tudo isso implica em um novo tipo de liderança. Estratégia de liderança Os líderes de telecomunicações poderão aproveitar grandes oportunidades nos próximos anos. com necessidades crescentes e envolvidos na geração. em um mundo onde a banda larga adquire cada vez mais protagonismo. S.telefonica. criando e satisfazendo suas expectativas com um foco especial no acesso e na voz. O cliente é o motor deste potencial. mais pessoal. O crescimento da Companhia depende: Do negócio de conectividade (voz e Banda Larga). ESTRATÉGIA DE LIDERANÇA UM NOVO TIPO DE LIDERANÇA Novo negócio em desenvolvimento < Negócio principal Extensão do negócio principal > Uma Telefónica: Pessoal Acessos fixos e móveis Conectividade de banda larga fixa e móvel Serviços de valor agregado Conteúdo e serviços digitais Inovadora Comprometida < Penetração móvel e uso 68 >< 50% de crescimento Serviços e conectividade de banda larga fixa e móvel > > Aberta Telefónica. graças à nossa visão e à nossa capacidade de execução. mais aberta e mais ágil. mas alcançar o próximo nível de liderança e torná-lo sustentável no tempo”.A. por isso. Mais aberta (envolver os clientes na inovação e colaborar com terceiros em toda a cadeia de valor). a chave do êxito está em ser mais relevantes para nossos clientes. Esta estratégia requer ter uma equipe forte que reflita sua motivação nos clientes. serviços de PC. Uma visão mais ambiciosa da Companhia que queremos ser. distribuição e promoção de conteúdos. De novos negócios. e impulsionando os serviços e conteúdos digitais com bom posicionamento em soluções TIC para empresas. Mais ágil (administrar os negócios com agilidade e eficiência. aproveitando ao máximo nossa escala global). fundamentalmente serviços e conteúdos digitais. Mais motivadora (equipe comprometida e compromisso com a sociedade). A Telefónica de 2011 terá que ser: Mais pessoal (com melhor conhecimento do cliente e uma oferta multissegmentada). serviços de TV e conteúdos móveis. Para obter mais informações: www. Por isso. impulsionando a Banda Larga móvel de maneira decidida e continuando o desenvolvimento da Banda Larga fixa.Liderar o Progresso O objetivo é que a Telefónica seja uma Companhia mais motivadora. derivadas da maior personalização da oferta e uma base de clientes cada vez mais ampla. nosso desafio já não é apenas ser líderes. obter sua cumplicidade nos processos de inovação e ser capazes de oferecer-lhes mais produtos e serviços.

que reforçaram a idéia da necessidade de liderar o progresso. Prioridades estratégicas A Telefónica aborda 2008 com prioridades claras. obter sua cumplicidade nos processos de inovação e ser capazes de oferecer-lhes mais produtos e serviços. Ao longo da jornada intervieram.” Espírito de Progresso III Reunião de Cúpula de Altos Executivos: “Liderando o Progresso” Madri. 28 e 29 de fevereiro de 2008 A Telefónica encerrou uma etapa e começa outra nova. Em clientes: cobrindo todas as suas demandas e melhorando os índices que medem seus níveis de satisfação. crescimento.500 executivos dos 24 países onde a Companhia opera. Estes objetivos requerem ter uma equipe forte que reflita sua motivação nos clientes. É preciso aproveitar o crescimento de setores tradicionais e intensificar as entradas em negócios adjacentes e a inovação. E são a expressão da força da Companhia. qualificados como espetaculares pelo presidente da Telefónica. sinônimo de crescimento. são um aval da liderança da Telefónica. O objetivo é que a Telefónica seja uma companhia mais motivadora. em que vamos protagonizar o progresso da sociedade no futuro e ser líderes de forma duradoura no tempo. além do presidente. será necessário: acelerar a integração operacional em nível local. facilitar o desenvolvimento dos negócios e contribuir para o progresso das comunidades onde operamos. alinhadas com sua estratégia a médio prazo: em clientes. e conseguindo o exigente nível de eficiência comprometido. Melhorar a eficiência. Em crescimento: aproveitando as oportunidades atuais e criando outras novas. mais aberta e mais ágil. Ampliar o número de novos acessos. o conselheiro delegado e os membros do comitê executivo. Os resultados de 2007. eficiência e equipe humana. Em eficiência: continuando a evolução do modelo operacional. é necessário acelerar o crescimento e a transformação. Cesar Alierta. Os objetivos para o presente exercício são: Melhorar os índices de satisfação.A. Melhorar a satisfação das equipes terá um grande impacto na relação com os clientes e no cumprimento de objetivos. S. | Relatório Anual 2007 69 .Estratégia Líder do Setor “Queremos melhorar a vida das pessoas. converter o cliente no centro de nosso negócio e melhorar a satisfação do funcionário como premissa fundamental para aumentar também o grau de satisfação dos clientes. Aumentar a participação de mercado. que reuniu quase 1. Esta é uma das conclusões da III Reunião de Cúpula de Altos Executivos. “a satisfação do cliente deve ser nosso guia permanente”. avançar na obtenção de sinergias e revisar o modelo operacional para uma adaptação rápida às mudanças de comportamento dos clientes e à evolução tecnológica. eficiência e credibilidade. tanto dos colaboradores como dos clientes. Telefónica. para transformar a Companhia mais rapidamente. Para isso. que nos permitirá crescer mais. Em equipe humana: compartilhando e entusiasmando todos os profissionais da empresa com o projeto. Em resumo. mais pessoal. obtendo a receita média prevista por cada um deles. proporcionando-lhes serviços inovadores baseados nas tecnologias da informação e da comunicação. em um mundo onde a banda larga adquire cada vez mais protagonismo. Para 2008. realizada em 28 e 29 de fevereiro.

| Relatório Anual 2007 .A. Para colocar em prática esta filosofia. Ao conseguir o objetivo de considerar o cliente no centro de toda a atividade. mas que os funcionários estejam convencidos deles e sejam capazes de transferi-los para suas equipes no trabalho diário: Resolvendo as necessidades básicas dos clientes quanto à oferta de serviços. a visão global da Telefónica tem como eixo dois aspectos fundamentais: Clientes.Liderar o Progresso As quatro alavancas do negócio apresentadas na III Reunião de Cúpula de Altos Executivos foram: clientes. em dezembro de 2009. o Grupo Telefónica dedicou em 2007 aos projetos de inovação 4.000 profissionais comprometidos com iniciativas pioneiras. Toda esta aposta em inovar permitiu que a Telefónica seja capaz de configurar o setor e liderar o ranking do crescimento orgânico em receitas de operadoras integradas. O novo desafio em inovação é envolver mais pessoas para obter novos êxitos comerciais. de 7% a 11% em OIBDA e de 16% a 20% em OI. é preciso que a liderança se ajuste a estes objetivos. crescimento. Cumprindo as promessas feitas ao cliente. Melhorar a contribuição da Telefónica para a sociedade em todos os países onde opera. S. Crescimento e inovação Em conjunto. se desenvolvia em quatro pilares: Melhorar a perspectiva do cliente com o desenvolvimento de produtos e serviços. Para o período 2006-2010.500 milhões de euros e mais de 2. Desta forma. O objetivo de tudo isso é obter que a Telefónica seja. Nosso modelo de inovação. definimos um objetivo de crescimento de 5% a 8% para todo o Grupo em receitas. A campanha da Telefónica O2 Europa para “converter os clientes em fãs” foi adotada por toda a Telefónica como parte essencial de sua estratégia de negócios. é possível aumentar o valor da empresa para os acionistas e impulsionar a demonstração de resultados. a operadora com maior satisfação de todos os países onde opera. Colaboração com terceiros. assim como estreitar laços pessoais com ele. Compartilhando com outras linhas de atuação as práticas mais recomendáveis. funcionários e acionistas satisfeitos. que implementou a estratégia em todo o grupo. eficiência e equipe humana A relação pessoal com o cliente A chave para consolidar a liderança da Telefónica em todos os mercados em que opera e melhorar os resultados financeiros é manter o cliente como ponto de mira em todas as nossas ações. Cultura de inovação. 70 Telefónica. Fortalecer nossa diversidade e nossa escala. Foi criado um Comitê Diretivo do projeto “De clientes a fãs”. “distribuído e no DNA de todos”. A chave não é que os conceitos sejam conhecidos.

Em cada uma destas frentes. Compartilhar o talento global. “Leading for Total Engagement” na Europa. em uma gestão do desempenho consistente e eficaz. Compromisso com as pessoas As pessoas que integram a Telefónica são um dos pilares essenciais da estratégia da Companhia. Em 2008. no entusiasmo pelo trabalho individual e em equipe. o lançamento de “Commercial Wings” e o impulso do e-learning. Este desafio passa por compartilhar uma cultura baseada no orgulho da participação na empresa. para administrar melhor os recursos técnicos. são vários os desafios a alcançar: avançar no plano Integra. Uma concorrência agressiva que cada vez administra melhor e ameaça a liderança da Telefónica. Neste contexto. a Telefónica deve se apoiar em três alavancas: A integração: com foco de todos os esforços no cliente. que a mobilidade internacional seja uma realidade superando as 190 designações a longo prazo realizadas em 2007 ou conseguir 95% de retenção de Talento Global no Grupo. Na implantação desta nova cultura e modelo de liderança. vem sendo desenvolvida a Promessa ao Empregado. A TELEFÓNICA SERÁ UMA EMPRESA AINDA MELHOR… O que a Telefónica não deverá ser O que a Telefónica deverá ser Uma companhia que depende de aquisições para crescer Uma operadora com uma posição defensiva frente a concorrentes de setores adjacentes Uma operadora com foco em instalar-se em escala regional Uma organização centralizada Uma companhia eficiente apenas onde seja necessário defender margens Uma empresa com foco em oferecer o catálogo mais amplo de produtos e serviços Uma empresa de serviços públicos muito eficiente Uma companhia que tem crescimento orgânico. As oportunidades oferecidas pelas mudanças que estão ocorrendo no negócio: A chegada de novas tecnologias e sua adoção deverão ser aproveitadas para revisar nossos processos e alcançar um maior grau de automatização. Pertencer a uma empresa internacional. o que também contribui para melhorar a experiência de seus clientes e fazer da Telefónica a melhor empresa do setor para trabalhar em 2010. Telefónica. a Universidade Corporativa da Telefónica.Estratégia Líder do Setor EM 2010. Consolidar uma cultura de alto desempenho. S. Integrando em uma única área Tecnologia. diversidade e orientação ao cliente. mas global Uma organização ágil e capacitada com mentalidade internacional Uma companhia que antecipa as possibilidades da eficiência para superar os concorrentes Um grupo com foco em ser o líder em satisfação de cliente e inovação A melhor combinação de crescimento e rentabilidade do setor Um modelo operacional para ser mais eficientes É necessário continuar na transformação do modelo operacional da Telefónica para fazer frente a: Um cenário de negócios complexo e em constante evolução em que todos os participantes pedem mais. Para transformar seu modelo operacional. | Relatório Anual 2007 71 . Integrando processos transversais para ter uma visão de ponta a ponta de nossos clientes. em 2006 a Companhia definiu um objetivo ambicioso: converter seus funcionários em fãs. a chave está em conseguir identificar iniciativas comuns que permitam avaliar tanto a escala global da Companhia como sua diversidade. foram impulsionadas distintas iniciativas. e ConóceTE na Espanha.A. destacando os Princípios de Atuação em nível global. entre outras. adaptada a cada região da Telefónica. e também na responsabilidade. flexibilidade. em quatro áreas prioritárias: Transformar os empregados em admiradores. tanto em mercados emergentes como em desenvolvidos Uma companhia que captura o crescimento dos setores adjacentes Uma empresa que se beneficia não apenas da escala regional. Satisfazer a alguns acionistas que desejam melhor remuneração. Integrando os negócios fixo e móvel nos países em que opera nos dois mercados. o programa Reconóceme na América Latina. Operações e Sistemas. O conceito de uma “Telefónica Única”: em nível regional e global.

Inclusão Digital Em 2007. está converter-se em uma empresa plenamente acessível em todos os seus processos. Telefónica Acessível Entre os objetivos da Telefónica. implementou em 2004 o Plano Integral “Telefónica Acessível”. somaram-se em 2007 novos acordos com FEAPS. | Relatório Anual 2007 . a Companhia voltou a reconhecer. Além disso. Na América Latina. Em fins de 2007. São a eficiência. Brasil. as melhores práticas das organizações na inclusão das pessoas com incapacidade na Irlanda. etc.telefonica. Ainda não foi avaliado o custo líquido de 2007. Além disso. Colômbia e Venezuela. Fundação ONCE e Fundação CNSE. a avaliação realizada pela Telefónica Espanha para 2006 é de 131 milhões de euros. Neste contexto. Adicionalmente. e serviços adaptados a baixas rendas e a pessoas com incapacidade A Telefónica considera que a melhor maneira de contribuir para diminuir a desigualdade digital é fazer o seu trabalho o melhor possível. Turismo e Comércio prorrogou-a por um ano. que deverá ser repartido entre as distintas operadoras de telecomunicações. terminais telefônicos. a obrigação da Telefónica de España de prestar o Serviço Universal terminava em 31 de dezembro de 2007. trabalhou em novos desenvolvimentos desde centros da Telefónica I+D. começou sua difusão interna e iniciou sua aplicação nos âmbitos de acessibilidade web. e contribuir ativamente para a plena igualdade de oportunidades das pessoas com incapacidade. a Telefónica realizou uma contribuição líquida de 161 milhões de euros aos Fundos de Universalização de Argentina. 2004 e 2005. SERVIMEDIA. lojas e atendimento ao cliente. a Telefónica aumentou a sua oferta de produtos e serviços acessíveis. S. a Companhia realizou melhorias em sua Normativa Telefónica Acessível. contribui através da Fundação Telefónica. as empresas da Telefónica colaboram com as diferentes iniciativas públicas de universalização do serviço. Peru. À colaboração com a ATAM. como o de Granada. dedicado exclusivamente ao âmbito sócio-sanitário.A. Serviço Universal Na Espanha. fazer desenvolvimentos formativos. manifestou no “II Encontro IberoAmericano de TIC e Objetivos do Milênio” que é urgente que os Estados que coletam os Fundos de Universalização os dediquem efetivamente a projetos de inclusão digital. a Companhia reforçou a colaboração com organizações de referência. na Europa. Por outro lado. que define critérios mínimos de acessibilidade em 13 âmbitos. Neste sentido. a Telefónica. para reduzir as barreiras que impedem o acesso aos serviços. Em 2007. mas o Ministério de Indústria. Para isso. ASPAYM. 72 Telefónica. e com o Plano Integral Telefónica Acessível.es/rc07/accesible A Telefónica contribui para a redução da desigualdade digital com investimentos em infra-estruturas. e incorporou também um número considerável deles ao canal de lojas. a eficácia. A Telefónica aderiu ao “Ano Europeu de Igualdade de oportunidades para todos 2007”. no ano passado. para promover estudos. Em 2007. através dos O2 Ability Awards. a inovação e o investimento na implementação de redes que permitem oferecer mais serviços em mais lugares e a menores preços. validar produtos. Para tratar de garantir que as necessidades das pessoas com incapacidade estejam sendo satisfeitas adequadamente. na América Latina continuaram sendo impulsionadas iniciativas dentro do projeto “Telefónica Acessível”. a CMT reconheceu um custo líquido pela prestação do Serviço Universal por parte da Telefónica de Espanha de 284 milhões de euros para os anos 2003. realizou uma contribuição líquida de 161 milhões de euros para a universalização dos serviços de telecomunicações na América Latina Para obter mais informações: www. junto com AHCIET e Regulatel. E. e se renovaram os já firmados com CERMI e FIAPAS.

beneficiando mais de 62.513 Cobertura de população 88% % Fixa pré-pago % Móvel pré-pago Telefones públicos 1 2 25% 64% 22% 81% 7% 75% 2% 79% 12.a. Ainda que. 81% n.209 n.392 32% 93% - 8% 70% 39. Além disso. graças às novas tecnologias e em especial à implementação da rede móvel. Graças a esta iniciativa.9% das suas instalações de acessos fixos na América Latina.000 telefones públicos.447 20% 85% n. 15% 65% n.804 251. n.a. Aliança público-privada para dar telefonia a 62.a. 199.a. Telefónica. durante 2007 o Grupo Telefónica desenvolveu diversas iniciativas como a comercialização do serviço Dúo ADSL para zonas rurais na Espanha. Quanto à desigualdade econômica. 80% 77% n. Dispunha também de cerca de 595. nos termos do acordo subscrito pela Telefónica com o Ministério de Transportes e Telecomunicações.969 n. na América Latina é muito freqüente que haja grupos sociais ou zonas rurais que não têm acesso à tecnologia. 88% n. Esta homenagem é concedida pela Universidade Peruana de Ciências Aplicadas. 94% n.a. Esta iniciativa social da Telefónica nasceu em setembro de 2006 e até o momento permitiu o acesso aos serviços públicos de telecomunicações a mais de 180 localidades em todo o Peru. n. 49% 80% n. não seja viável oferecer o serviço ADSL. a implementação de redes GSM continuou favorecendo o acesso a terminais em condições mais econômicas. 89% n. no encerramento do exercício de 2007. mais de 81% dos 102 milhões de clientes da Telefónica de serviços móveis na América Latina utilizavam produtos pré-pagos que permitem ter um controle adequado do consumo. S. 12% 68% 9.Inclusão Digital Acessível PRINCIPAIS MAGNITUDES DE INCLUSÃO DIGITAL NA AMÉRICA LATINA EM 2007 Argentina Inclusão geográfica Brasil1 Chile Colômbia Equador El Salvador Guatemala México Nicarágua Panamá Peru Uruguai Venezuela Cobertura geográfica Provisão acumulada2 Inclusão econômica 30% 9. devido à baixa densidade populacional. à orografia da região ou aos custos elevados que implica.300 habitantes.a. 85% - 108.a. Adicionalmente. permitirá estender a banda larga. o lançamento do “Projeto IRIS” no Peru com o objetivo de ampliar os níveis de cobertura do serviço de telefonia fixa através da tecnologia sem fio. Por outro lado. 84% 52. Joint Venture com Portugal Telecom.000 22.300 pessoas no Peru “Intégrame” é um programa desenvolvido no Peru para ampliar os serviços de telefonia e Internet em áreas rurais isoladas através de alianças público-privadas que geram uma integração e desenvolvimento das comunidades rurais através das TIC. Este programa ganhou o “Prêmio de Criatividade Empresarial” 2007.a.a.a. pouco a pouco tenha sido facilitado o acesso de zonas isoladas às TICs. banda larga. baseado em tecnologia LMDS/Wimax e satélite.a.027 n. Aportes ao fundo de universalização (em mil euros). n. 92% 62% 89% n.a. Enquanto na Europa a densidade de população e o nível econômico tendem a assegurar a disponibilidade dos serviços em todo o território.a. cobrindo uma população de mais de cem mil usuários. 17% 94% 18.000 habitantes na Espanha Em 2007.700 núcleos disseminados. as soluções permitem dar no mesmo acesso voz e Internet. Além disso. | Relatório Anual 2007 73 .a.745 13% 91% 84.a. 83% n. nas populações em que.a. A experiência de mais de 18 anos da Telefónica na região lhe permite entender a desigualdade digital de dois modos: Como a barreira que impede que as comunidades com menos recursos econômicos tenham acesso à telefonia celular.500 populações e em mais de 8. n.a.a. ampliará a cobertura em 6.441 65% 80% n.a. n. em fins de 2007.a. terminais… pelo custo dos serviços. na categoria de serviços públicos. com velocidades de até 2Mb.a. 60% 68% n.514 Dados de coberturas para telefonia móvel correspondentes a VIVO.A. ou a instalação no Chile de uma radiobase a cada seis meses até 2010. Inclusão econômica e geográfica A América Latina é uma das regiões com maiores desigualdades sociais do mundo. que correspondiam a 25. para promover a expansão telefônica em zonas rurais e aproximar as pessoas através da comunicação. O novo serviço. a Telefónica começou a comercializar o Serviço de Banda Larga Rural Sem Fio para os clientes das áreas rurais e isoladas que não dispõem de cobertura ADSL. Iniciativas para as comunidades rurais Novo serviço de banda larga para 100. a Companhia contava com mais de 6 milhões de linhas fixas de pré-pago e de controle do consumo. Como a barreira que impede o acesso às zonas rurais porque o custo de levar o serviço a elas é maior. 27% 88% n.

S. | Relatório Anual 2007 .74 Telefónica.A.

| Relatório Anual 2007 75 .Nossos Resultados Resultados Gestão de Riscos 76 132 Telefónica.A. S.

617 Agentes: 824 Acessos Móveis O2 Irlanda: 1.278 España Empregados: 53.782 Ac. Telecom: 2.382 Alemanha Empregados: 5.582 Chile Empregados: 14. Dados e Internet Terra ISP: 2 Acessos Móveis TEM México 12.153 Acessos Móveis: 5.472 Peru Empregados: 14. Dados e Internet Telesp: 3.613 Agentes: 1.484 Clientes de TV Paga TV digital: 231 República Tcheca Empregados: 8.873 Agentes: 1.179 Ac. Chile: 6. Tcheca: 5. Dados e Internet O2 Alemanha: 75 Acessos Móveis O2 Alemanha: 12. Telefónica Fixa T. Dados e Internet T.231 Ac. Telefónica Fixa T.646 Acessos Móveis O2 Reino Unido: 18. Peru: 623 Acessos Móveis T.289 Terra ISP: 982 Acessos Móveis VIVO: 33. Telefónica Fixa: 125 Ac.430 Marrocos Empregados: 1.372 Clientes deTV Paga TV digital: 73 Venezuela Empregados: 6.101 Agentes: 2. Telefónica Fixa T. Peru: 8.125 O2TV: 73 Uruguai Empregados: 250 Agentes: 445 Acessos Móveis TEM Uruguai: 1.279 Acessos Móveis Negocio Móvel: 22.283 Clientes de TV Paga TV digital: 220 Argentina Empregados: 21.A. | Relatório Anual 2007 .646 Agentes: 442 Acessos Móveis O2 Marrocos: 6.005 Ac. Dados e Internet T.898 Ac.430 Ac. Tcheca: 2. Dados e Internet: 22 México Empregados: 16.493 Agentes: 1.Resultados Janeiro Dezembro 2007 Grupo Telefónica Reino Unido Empregados: 13.130 Acessos Móveis TEM Venezuela: 10. Tcheca: 573 Acessos Móveis TO2 Rep. Dados e Internet T. Telefónica Fixa Negocio Fixo: 15. Chile: 687 Acessos Móveis T.172 Ac.221 Agentes: 7. Peru: 2.839 Agentes: 3. Telefónica Fixa T. Dados e Internet TO2 Rep.240 Ac.451 Ac.150 Acessos Móveis T.589 Agentes: 1.069 Ac. Dados e Internet T.695 Agentes: 391 Ac. Chile: 2. Dados e Internet Negocio Fixo: 5.369 Agentes: 1.065 Ac.129 Clientes de TV Paga Cable Mágico: 640 Eslováquia Empregados: 354 Agentes: 90 Brasil Empregados: 75.300 Agentes: 4.538 Colômbia Empregados: 6.728 Ac. Telefónica Fixa Telesp: 11.786 Agentes: 2.148 Acessos Móveis TO2 Eslováquia: 565 Equador Empregados: 773 Agentes: 390 Acessos Móveis TEM Ecuador: 2.111 Ac. Telefónica Fixa TO2 Rep. Telecom: 200 Acessos Móveis TEM Colômbia: 8. de Argentina: 13. de Argentina: 4.578 Ac. de Argentina: 1.734 Nota: Dados em millhares. S. Datos e Internet O2 Reino Unido: 71 América Central Empregados: 5.554 Agentes: 2.329 Ac.960 Ac.143 Ac. 76 Telefónica.827 Clientes de TV Paga Imagénio: 511 Irlanda Empregados: 1.

368 milhões de euros. – Os acessos varejistas à Internet de banda larga superam ao final do exercício 2007 os 10.084 milhões de euros em 2006) e 900 milhões de euros no quarto trimestre de 2007 (651 milhões de euros em 2006).4% com relação ao exercício 2006.5%. Circuitos cujo cliente final são operadoras. Telefónica.7 1.7 7.7 169.7 12.3 200.0 1.5 656.6% e a Telefónica Europa de 4.974. 12.296 milhões de euros e o ágio da Endemol no valor de 1.6 (0. a consolidação da Airwave no período abril-dezembro de 2006 e a consolidação da Endemol no período julho-dezembro 2007.9 10. no conjunto do ano foram registradas provisões por estes conceitos no valor de 1.5) 16.7 42.8 198.797 milhões de euros.1 1.340. que se traduz em um significativo incremento ano-a-ano dos acessos totais (+12.4 962. a Telefónica España de 4.2 12.7%). – Desta forma.Dezembro 2007 GRUPO TELEFÓNICA ACESSOS Dados não auditados (Mil) 2007 2006 janeiro-dezembro % Var Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros 3 Acessos celulares TV paga Acessos atacado Última milha alugada Última milha Compartilhada Última milha Desagregada ADSL atacado 4 Outros5 Total Acessos 1 2 3 4 5 225. – O OIBDA do ano 2007 está impactado de forma significativa pelos esforços realizados pela companhia em seus planos de adequação de base de empregados. a otimização de custos e a crescente diversificação permite alcançar um fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEx) de 14.5%.3 41. | Relatório Anual 2007 77 . o OI (+42.219.1%) e o lucro líquido (+42.1 2.0 2. Elevado ritmo de atividade comercial como resultado do êxito das campanhas comerciais de captação e retenção de clientes. o OIBDA (+19.4 620.2 527. graças à força dos acessos móveis e de banda larga: – A base de clientes móveis administrados se situa em 169.5 RTB (incluindo TUP) x1. Assumindo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação do Grupo O2.304 euros por ação até dezembro de 2006).968.9 (20.0 228. a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007.7 (55.532. sendo o décimo quarto consecutivo com crescimento.7 milhões (+64. Outros circuitos varejo que não são banda larga.4 145.1 47.199 milhões de euros (1. tanto geográfica como por negócios.479.5 776. 16.396.538.872 euros por ação (1. que aumentam 7.277.4 2. apoiados na forte diversificação do Grupo.288. Inclui uso próprio.628.9) 6.6 (36.2 milhões. Nota: Os Acessos celulares.6) 28.700. satélite.9 3. Acessos de telefonia fixa e Acessos de dados e internet incluem os clientes de MANX.3% ano-a-ano). Grupo Telefónica Principais aspectos a destacar Os aspectos de maior destaque dos resultados do Grupo Telefónica no exercício 2007 são os seguintes: As receitas (+6. Obtenção de um lucro líquido consolidado de 8.5 1. Inclui última milha alugada pela Telefónica Deutschland.s.9061 milhões de euros: – O lucro líquido básico por ação cresce 43.Resultados Janeiro . Inclui o ágio da Airwave em um valor de 1. situando-se em 1.7 434. Telefónica Telecom e Iberbanda no período janeiro-dezembro de 2006. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.180.3%). ADSL. Forte crescimento orgânico2 das receitas.170.974.0%. Acesso Básico RDSI x1. S. Neste sentido.1 575.3) n.2 12.9%) em 2007 apresentam significativas taxas de crescimento com relação ao exercício 2006.748.3 6.997.6 203.6 64.910.5 milhões. Exclui a consolidação da Telefónica O2 Eslováquia no período janeiro-dezembro de 2007. entre os quais se inclui fundamentalmente o cancelamento antecipado do contrato de roaming com a T-Mobile na Alemanha.6 228.1 42.9% com relação ao exercício 2006. A obtenção de sinergias através da gestão integrada das operações.A. em 2007 foram contabilizados outros gastos por reestruturação das operações que alcançam 199 milhões de euros (16 milhões de euros em 2006). o que significa um incremento de 28. que se traduzirão em melhoras de eficiência nos próximos exercícios.5%) atingindo 228. – Os clientes de TV paga se situam em 1.8 157.0 45. a Telefónica Latinoamérica apresenta um crescimento orgânico ano-a-ano das receitas de 13. 1 2 – Por regiões.6% superior ao registrado até dezembro de 2006.2 milhões de clientes. fibra ótica e circuitos de banda larga.125.064.

Como conseqüência. A favorável evolução dos negócios permite anunciar sólidas perspectivas de crescimento para o exercício 20084 e reiterar os objetivos de crescimento a longo prazo anunciados em outubro de 2007.8%. cumpriu com todos os seus objetivos financeiros3 fixados para 2007: – O crescimento do valor líquido da cifra de negócios (receitas) se situa em 9. anunciado no mês de outubro passado. 78 Telefónica. Em termos de cálculo de objetivos.600 milhões de euros.975 milhões de euros.095% do capital social. por um total de 100 milhões ações. A Companhia prevê para 2008: – Crescimento das receitas consolidadas na faixa de +6. OIBDA e OI não incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007. três meses de perdas pelo início das operações na Eslováquia e excluem os resultados da Endemol e Airwave. As cifras base de 2007 excluem a Airwave e a Endemol e incluem 3 meses de consolidação da TVA em 2007.8% frente à faixa comunicada de 8%-10%. oito meses de Telefónica Telecom (consolidado desde maio de 2006). na parte alta da faixa anunciada (10%-13%). as receitas do Grupo se encontram ajustadas seguindo este novo modelo.0%/+19. – OIBDA consolidado: 20. O CapEx não Inclui o relativo aos Planos imobiliários. Os objetivos para 2007 assumem taxas de câmbio constantes de 2006 e excluem mudanças no âmbito de consolidação (TVA). As cifras de 2008 incluem TVA.6% acima da faixa divulgada ao mercado (19%-23%). representativas de aproximadamente 2. – O Resultado Operacional no comparativo ano-a-ano aumenta 27. – Espera-se que o investimento se situe em torno de 8. Em termos de cálculo de objetivos. Deltax e Telemig (desde abril de 2008). 3 4 As cifras base de 2006 Incluem onze meses do Grupo O2 (consolidado desde fevereiro de 2006).A. assim como os Planos Imobiliários.0%.0%.550 milhões de euros.0%.Os resultados do Grupo Telefónica demonstram mais uma vez o perfil diferenciado da companhia que. Os Programas de Reestruturação da base de empregados. OIBDA e OI não Incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007. Para efeitos comparativos. As receitas da T. – Crescimento do OIBDA consolidado na faixa de +7. – O crescimento do Resultado Operacional antes de Amortizações (OIBDA) alcança 12. e que estará vigente durante o exercício de 2008 e o primeiro semestre de 2009. España se encontram ajustadas pelo novo modelo de negócio dos serviços de Telefonia de Uso Público. – Crescimento do OI consolidado na faixa de +13. O CapEx da Telefónica exclui os Programas de Eficiência Imobiliária. seis meses de Iberbanda (consolidado desde julho de 2006). Os crescimentos facilitados para os objetivos 2008 assumem taxas de câmbio constantes de 2007.087 milhões de euros. anunciado em 27 de fevereiro de 2008. estão incluídos como receitas/gastos operacionais com exceção dos decididos posteriormente à comunicação dos objetivos financeiros no princípio do ano. se une um novo programa de recompra de ações próprias.467 milhões de euros. S.100 milhões de euros.863 milhões de euros. – O investimento (CapEx) se situa em 8.5%/+11. as receitas/gastos extraordinários equivalentes registrados em 2006 também foram deduzidos das cifras reportadas. – CapEx: 7. uma vez mais. A Companhia reforça sua política de retribuição ao acionista: – Ao dividendo de 1 euro por ação com relação ao exercício de 2008. Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: – Receitas Consolidadas: 55. – OI consolidado: 11.0%/+8. | Relatório Anual 2007 . frente a um objetivo de investimento inferior a 8.

A. determina que a estrutura jurídica das sociedades não seja relevante para a apresentação da informação financeira do Grupo. Telefónica Latinoamérica e Telefónica Europa.A. O2 Alemanha e os resultados da Telefónica O2 República Tcheca. Para efeito de apresentação da informação por segmentos foram excluídos dos resultados operacionais de cada segmento do Grupo. aqueles gastos e receitas derivados do uso da marca e que não tem impacto nos resultados consolidados do Grupo. Dentro da epígrafe Outras sociedades e eliminações. inclui-se o Negócio de Conteúdos e Mídia onde foram integrados os resultados da participação direta da Telefónica.V. Telefónica España.Resultados Janeiro . Desta forma. no capital social da Endemol Entertainment Holding. móvel. Em linha com esta reorganização de seus segmentos operacionais. a Telefónica O2 Europa compreende os resultados do Grupo O2. toda a informação correspondente aos negócios de telefonia fixa. cabo e Internet. apresentam-se os resultados operacionais de cada uma das citadas unidades de negócio. Telefónica. de acordo com o novo modelo de gestão regional e integrado. Neste sentido. S. N.Dezembro 2007 Grupo Telefónica Resultados consolidados A reestruturação organizacional do Grupo Telefónica por unidades de negócio. a Telefónica incorporou na Telefónica España e na Telefónica Latinoamérica. | Relatório Anual 2007 79 . S. com independência de sua estrutura jurídica.

seis meses de Iberbanda (consolidado desde julho 2006).3% acima que o apresentado há um ano.300 e 97.1%) e o lucro líquido (+42. já contando com operações na Espanha.5%). situando-se em cerca de 42 milhões.837 clientes.2 milhões (+16.9%) em 2007 apresentam significativas taxas de crescimento com relação ao exercício 2006. República Tcheca. O efeito negativo das taxas de câmbio diminui 1.500 clientes. frente a um objetivo de investimento inferior a 8.5 p. a favorável evolução dos negócios permitiu ao Grupo Telefónica cumprir com todos os objetivos financeiros1 fixados para o exercício 2007.8 milhões de clientes (+6. o OI (+42. e o aumento dos clientes de TV paga. que cresce quase 75% com relação a 2006. S. oito meses da Telefónica Telecom (consolidado desde maio de 2006).5 milhões na Espanha (+22. especialmente no segmento contrato. ao crescimento das receitas (-1. Em um contexto de forte expansão da base de clientes (+12. na América Latina os 5. a março). as receitas (+6. Durante o quarto trimestre de 2007 acelerou-se o ritmo de atividade comercial no Grupo Telefónica.0% com relação ao mesmo período de 2006). o que representa um crescimento de 12. impulsionados pelo crescimento da base de clientes móveis e de banda larga. em setembro.8 p.4 p. por mais um ano. O Resultado Operacional (OI) se incrementa ano-a-ano 27.7%.7 milhões ao final do trimestre. como resultado do êxito das campanhas comerciais de captação e retenção de clientes.087 milhões de euros. acima da faixa fornecida ao mercado (19%-23%). O fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEX) é superior em 33.6% até situar-se em cerca de 38.9 p. frente aos 332. cuja queda ano-aano se situa em níveis mínimos desde 2001 (-0.0 p. +16. o alto valor da diversificação por geografias e negócios. Os Programas de Reestruturação da planta de empregados.2 p.5 p. Os objetivos para 2007 assumem taxas de câmbio constantes de 2006 e excluem mudanças no âmbito de consolidação (TVA). Peru.6% com relação a dezembro de 2006). enquanto que as mudanças no âmbito de consolidação contábil contribuem com 0.2% ano-a-ano) e na Europa os 670. o ganho líquido trimestral situou-se em 406. registrando um crescimento ano-a-ano de 28. sustentado pela sua capacidade de execução e pelo contínuo cumprimento dos objetivos financeiros fixados.0 milhões (+33. que registra no quarto trimestre uma nova máxima de ganho líquido (7.000 (+48. fator que segue sendo chave para o desenvolvimento do mercado de banda larga e para a fidelização da nossa base de clientes.9% ano-a-ano). De acordo com os critérios aplicados para a fixação dos objetivos anunciados para 2007: O crescimento do valor líquido da cifra de negócios (receitas) se situa em 9.1% ano-a-ano). | Relatório Anual 2007 . estão incluídos como receitas/gastos operacionais com exceção dos decididos posteriormente à comunicação dos objetivos financeiros no princípio do ano. o valor líquido da cifra de negócios (receitas) em 2007 alcança 56.797 milhões de euros (+9. graças ao forte 1 crescimento da banda larga.2 milhões de acessos varejistas à Internet de banda larga. impulsionado pela boa evolução do negócio celular. Os acessos de TV paga superam os 1. OIBDA e OI não Incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007. Em termos de cálculo de objetivos. 80 Telefónica. na parte alta da faixa anunciada (10%-13%). O CapEx não inclui o que se refere aos Planos imobiliários.A. em junho. Continua a boa aceitação da oferta de serviços por pacote de voz. os clientes cresceram 8. o OIBDA (+19. a favorável evolução do negócio de telefonia móvel. Chile. 5.p. o Grupo Telefónica supera os 10.0% ao registrado em 2006 alcançando 14.Grupo Telefónica Resultados consolidados Os resultados do Grupo Telefónica correspondentes ao exercício 2007 demonstram uma vez mais o perfil diferenciado da Companhia. Como resultado da expansão da base de clientes do Grupo.6 milhões de clientes). assim como os Planos Imobiliários.p. a eficiente estrutura de custos e a materialização de sinergias através da gestão integrada da Companhia.1% excluindo os ágios da Airwave e Endemol). em setembro. Na Europa.p.5 milhões de acessos totais. ADSL e TV. O total de acessos varejistas da Internet de banda larga supera os 4. Desta forma.441 milhões de euros.3 milhões.7% em sua base de clientes. +4. A Telefónica Latinoamérica acelera o crescimento de seus acessos totais (134. três meses de perdas pelo início das operações na Eslováquia e excluem os resultados da Endemol e Airwave. o que representa um incremento ano-a-ano de 6.4% com relação a dezembro de 2006). A Telefónica España conta com 46. -1. O investimento (CapEx) se situa em 8. As cifras base de 2006 Incluem onze meses do Grupo O2 (consolidado desde fevereiro de 2006). o que permitiu finalizar o exercício com 228. alcançando 169. assim como pela contenção na perda de linhas fixas. quase se multiplicando por 7 com relação ao mesmo período de 2006) e México (cerca de 1. Ao final de dezembro. destacam os ganhos líquidos trimestrais registrados pelo Brasil (2. -2. Por tipo de acesso.3%).0% acima dos registrados até dezembro de 2006. A Telefónica Europa apresenta um crescimento de 8.8% frente à faixa comunicada de 8%-10%. respectivamente. situando-se a base de clientes administrados em mais de 22.5 milhões de clientes. +9. Colômbia e Brasil.p. as receitas/gastos extraordinários equivalentes registrados em 2006 também são deduzidos das cifras reportadas. Na Espanha. 64. superando as cifras alcançadas nos últimos três trimestres.7%).3%).6%. os sólidos crescimentos registrados em 2007 demonstram o potencial orgânico do Grupo. ao citado crescimento (+1.9%. os acessos móveis do Grupo Telefónica aceleram seu crescimento ano-a-ano com relação a setembro de 2007.8%. Na América Latina. depois de registrar um ganho líquido no trimestre de 1.4 milhões de acessos. Para efeitos comparativos.1 milhões.0 milhões de clientes.p. em junho.2 milhões de clientes.500 na América Latina e Europa.p.3%). Na Espanha registrou-se um ganho líquido trimestral de cerca de 227.6 p. +32.100 milhões de euros.p.p.5% com relação a dezembro de 2006. O crescimento do Resultado Operacional antes de Amortizações (OIBDA) alcança 12. Assim.

as receitas acumuladas até dezembro de 2007 crescem 2. as receitas apresentariam um crescimento de 13. as receitas acumuladas até dezembro de 2007 alcançam os 12. a Telefónica España.5% em euros constantes). já que às maiores receitas procedentes da banda larga (+45. as receitas de serviço móvel e de banda larga são os que impulsionam o crescimento orgânico.6% das receitas consolidadas) registra receita de 20. as receitas registram uma queda de 1.6% (+4. 3 Assumindo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação do Grupo O2. 7.9%) e da Argentina (11. respectivamente.2%.7% no comparativo ano-a-ano até alcançar os 17. Os gastos com fornecedores acumulados no exercício 2007 crescem 7. Os gastos com pessoal se situam em 7.1% e de 22.6%. Telefónica. Dentro dos países que mais contribuíram para este crescimento em moeda constante. Excluindo também as mudanças no âmbito de consolidação.6% em euros constantes). No Brasil se destaca a Vivo (receitas +16. iniciado em 2007.9% com relação a 2006.052 empregados. com 3. que são beneficiadas pelo bom comportamento das receitas de clientes (+8. a contínua expansão da base de clientes e 2 do ARPU explicam o sólido crescimento das receitas.078 milhões de euros em 2007.Resultados Janeiro . situando-se em 127.. com 36. o Brasil continua sendo o maior contribuinte com 38.401 milhões de euros. destacam-se o México e a Venezuela.458 milhões de euros) às receitas totais do Grupo Telefónica no período janeiro-dezembro de 2007 é de 25. a Telefónica Telecom e a Iberbanda no período janeiro-dezembro de 2006. com um crescimento ano-a-ano de 3. as receitas acumuladas até dezembro de 2007 atingem 9. procedentes fundamentalmente de: Telefónica España: 667 milhões de euros. Na Telefónica O2 República Tcheca. o crescimento seria de 9. Reino Unido e Irlanda.9% em moeda local frente ao mesmo período do ano anterior.7% em moeda local) se une a fortaleza do negócio tradicional (+5.5% em moeda local). em um mercado de forte pressão competitiva. | Relatório Anual 2007 81 . dado que o crescimento do tráfego não pode compensar as fortes diminuições de preços realizadas durante o ano. Do ponto de vista orgânico3 .6%.0%. A contribuição da Telefónica Europa (14.893 milhões de euros. os maiores contribuintes a este crescimento orgânico. a Telefónica España registra em 2007 receitas de 20. Entre as operadoras fixas da região.4%. Telefónica Latinoamérica: 318 milhões de euros de provisões contabilizadas pelos programas de adequação de base de empregados realizados em diversas companhias do Grupo. incluindo o ERE 2003-2007 e o novo plano de adequação de base de empregados para 2008.5%). a TASA é a que melhor se comporta.7% superiores às obtidas no período janeiro-dezembro de 2006. A base de empregados média do período alcança os 244.102 empregados. Assumindo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação da Telefónica Telecom no período janeiro-dezembro de 2006. No Reino Unido. o número médio de empregados do Grupo Telefónica praticamente se mantém com relação ao exercício 2006. com um aumento líquido de 16. Convém recordar que as receitas da Telefónica Europa em 2006 incluíam os ativos do Grupo O2 no período fevereiro-dezembro de 2006 e os da Telefónica Deutschland e Telefónica O2 República Tcheca no período janeiro-dezembro de 2006. S.Dezembro 2007 em março). Exclui a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007. A Telefónica Latinoamérica (35.9% em moeda local. 4.p.4% em moeda local).915 pessoas pela maior base de empregados do Grupo Atento e pela incorporação de novas empresas ao âmbito de consolidação. que se traduziram em melhoras de eficiência nos próximos exercícios. com um crescimento ano-a-ano de 5.693 milhões de euros. Em 2007 os gastos operacionais do Grupo Telefónica totalizam 37. Exclui a consolidação da Telefónica O2 Eslováquia no período janeiro-dezembro de 2007.0% acima dos obtidos em 2006.6 p. dos serviços de Dados e TI.3%). com crescimentos ano-a-ano de 11. em um ambiente de mercado altamente competitivo. cujos resultados refletem as distintas medidas de gestão realizadas ao longo de 2006 e 2007 para lograr um crescimento com rentabilidade e uma maior satisfação dos clientes.p. o crescimento orgânico2 das receitas alcançaria os 7. Na O2 Alemanha. Em termos de contribuição às receitas da Telefónica Latinoamérica em moeda corrente.907 milhões de euros (9.1 p. a consolidação da Airwave no período abril-dezembro de 2006 e a consolidação da Endemol no período julho-dezembro de 2006.0%). Por conceito. que contribui com 4. Sem considerar a base de empregados do Grupo Atento. Telefónica Europa: 158 milhões de euros procedentes de programas de adequação da base de empregados realizadas na Alemanha. correspondentes a planos iniciados em 2007 e com vigência ao longo de 2008.0% eliminando o efeito da taxa de câmbio).4% em moeda local).431 milhões de euros.0% acima do apresentado em 2006 em euros correntes (+14. em menor medida. o maior esforço comercial na América Latina e Europa e o impacto dos planos de adequação de base de empregados e de operações anunciados pela Companhia. Os gastos com adequação da base de empregados do Grupo Telefónica situaram-se em 2007 em 1. em menor medida.2 p. 11. a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007. em termos comparáveis. ao crescimento e. Este maior nível de custos se explica fundamentalmente pelas mudanças no âmbito de consolidação. +9. sustentado no bom comportamento dos serviços de Internet e Banda Larga e.084 milhões de euros em 2006).199 milhões de euros (1. sem esquecer a favorável evolução das receitas de Voz e Acesso Tradicional. e 3. Desta forma.7%.683 milhões de euros. explicado fundamentalmente pelos maiores gastos de interconexão da Telefónica Latinoamérica da O2 Reino Unido. com um crescimento de 9.6% das receitas totais. No Negócio Fixo da Telefónica España.5% em moeda local em termos comparáveis frente a 2006.p. Em termos absolutos. a Telefónica España é o maior contribuinte às receitas do Grupo Telefónica.p. sendo a Telefónica Latinoamérica. Desta forma.4 p.4%.2%. Com respeito ao Negócio Móvel da Telefónica España. seguido da Venezuela (11. com uma contribuição de 1. o que representa um crescimento ano-a-ano de 3. apoiados na favorável evolução das receitas de serviço (+4. respectivamente. já que à manutenção do negócio fixo se une o crescimento do negócio móvel (+4.A.

a Telefónica Latinoamérica e o Negócio Fixo da Telefónica España são os que explicam principalmente este comportamento. a Venezuela é o maior contribuinte para o crescimento do OIBDA com 5. a amortização do imobilizado apresenta um decréscimo de 2.8%. afetada pela contribuição negativa da operação na Eslováquia. A Telefónica España e a Telefónica Latinoamérica. Na Telefónica Latinoamérica. o resultado por alienação de ativos atinge no exercício 2007.5%.977 milhões de euros ao final de 2007. Excluindo estas provisões. Telefónica España (46.A. Exclui a consolidação da Telefónica O2 Eslováquia no período janeiro-dezembro de 2007. o OIBDA do quarto trimestre do exercício 2007 apresenta uma diminuição ano-a-ano de 77. totaliza 3. seguido do México (3.296 milhões de euros e no terceiro trimestre o ágio pela venda da Endemol.3% superior ao registrado no período janeiro-dezembro de 2006.9 p. Com respeito à rentabilidade. S.. cifra que inclui o ágio pela venda da Airwave pelo valor de 1.3% ao OIBDA7 total do Grupo Telefónica.5% frente aos 28.2% (+9. inclui a amortização do valor atribuído aos ativos no processo de alocação de preço de compra do Grupo O2 no valor de 4 5 6 7 Assumindo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação do Grupo O2.5 milhões na área de TI e Tecnologia com o objetivo de capturar eficiências no futuro.Os gastos com serviços de terceiros (9.3 p.368 milhões de euros.3% acima do registrado no mesmo período do exercício anterior.7% sem considerar os ágios da Airwave e Endemol frente aos 36. somente cabe recordar o registrado no segundo trimestre do exercício pelo desinvestimento da participação de 6. e pelos gastos de derivados do plano de adequação da base de empregados iniciado no segundo trimestre do exercício. são as linhas de atividade que contribuem em maior medida para esta queda das Amortizações do Grupo.1 p. superior à obtida há um ano. o crescimento ano-a-ano do OIBDA se situa em 10. No acumulado do ano 2007.).448 milhões de euros. A margem OIBDA da Telefónica Latinoamérica no exercício 2007 atinge 35. Em termos orgânicos4 acumulados.368 milhões de euros. 82 Telefónica. a margem OIBDA acumulada no exercício 2007 situou-se em 40. Com relação ao deságio. a margem se situaría em 37.991 milhões de euros) apresentam um crescimento ano-a-ano de 8. a consolidação da Airwave no período abril-dezembro de 2006 e a consolidação da Endemol no período julho-dezembro 2006.9%5 do OIBDA consolidado) apresenta ao final de 2007 um OIBDA de 9.825 milhões de euros. o crescimento do OIBDA da Telefónica Latinoamérica aumenta 11. Por países.2% registrados no mesmo período do exercício anterior.296 milhões de euros e o ágio da Endemol no valor de 1.p. seguido por Venezuela (14. Considerando que o OIBDA consolidado do Grupo Telefónica de janeiro-dezembro de 2007 exclui o ágio da Airwave no valor de 1.437 milhões de euros. a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007.296 milhões de euros. o crescimento do OIBDA no exercício 2007 teria sido de 5.8% ano-a-ano até alcançar 9.9% na CANTV pelo valor de 45 milhões de euros.7%. Excluindo este gasto.1 p. Telefónica Telecom e Iberbanda no período janeiro-dezembro de 2006. depois de contabilizar no segundo trimestre o ágio pela venda da Airwave. superior à do exercício de 2006).5% em moeda constante). pelo valor de 1.9%.296 milhões de euros) e do OIBDA acumulado do Grupo o ágio da Airwave no valor de 1. mostrando um crescimento ano-a-ano de 8.4%.708 milhões de euros. 19. 2.p. 0. Exclui a consolidação da Telefónica O2 Eslováquia no período janeiro-dezembro de 2007. A margem sobre receitas se situa em 45.121 milhões de euros) representa 35. Excluindo os ágios gerados pelas vendas da Airwave e Endemol.p.3% do OIBDA do Grupo no exercício 2007.2% do ano anterior). o OIBDA teria se mantido praticamente estável com relação ao exercício anterior.9% em moeda local. Ao final de dezembro.1% (0. o OIBDA da O2 Reino Unido apresenta uma diminuição ano-a-ano de 4. a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007.296 milhões de euros e o ágio da Endemol no valor de 1.6%. no valor de 1. afetado pelas provisões de adequação de base de empregados citada anteriormente.2 p. Em termos absolutos. com reduções em suas alocações de amortização de 6. explicado fundamentalmente pelo registro de gastos não recorrentes no valor de 151 milhões de euros. explicado pelo registro de um gasto de adequação da base de empregados de 20. o Brasil é o maior contribuinte para o OIBDA da Telefónica Latinoamérica com 43.p. A margem OIBDA excluindo o ágio da Airwave se situa em 25. Do ponto de vista orgânico.9 p.0% e de 3. inferior ao de 2006. Excluindo da Telefónica Europa o ágio da Airwave (1. | Relatório Anual 2007 . em sua maior parte procedentes do cancelamento antecipado do contrato de roaming nacional com a T-Mobile mencionado anteriormente.1%. A Telefónica Europa contribui com 18.4% ano-a-ano. o crescimento do OIBDA atingiria os 20. com um decréscimo ano-a-ano de 0. o resultado operacional antes de Amortizações (OIBDA) alcança 22.4% (35.766 milhões de euros. 9. a consolidação da Airwave no período abril-dezembro de 2006 e a consolidação da Endemol no período julho-dezembro de 2006. A Telefónica Europa. O OIBDA da Telefónica Europa reportado em 2006.8% (+6.p. Na O2 Alemanha.p. No quarto trimestre isolado.368 milhões de euros.5%. Em euros constantes. Assumindo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação do Grupo O2. registrado no segundo trimestre do exercício. incluindo os ativos do Grupo O2 no período fevereiro-dezembro e os da Telefónica O2 República Tcheca e Telefónica Deutschland no período janeiro-dezembro. Em termos orgânicos6. o OIBDA (7. 1. eliminando estes ágios). em dezembro de 2007 a Telefónica O2 República Tcheca reduz sua margem OIBDA em 1. totalizando um OIBDA de 4. Telefónica Telecom e Iberbanda no período janeiro-dezembro de 2006. respectivamente.1%).4%. Por sua parte. Por outro lado. explicado em parte pelo cancelamento antecipado do acordo de roaming na Alemanha com a T-Mobile ocorrida no quarto trimestre do exercício. pelo incremento da atividade comercial.9%) e Argentina (11.0%.

8 Assumindo taxas de câmbio constantes e incluindo a consolidação do Grupo O2.224 euros por ação. 2. o que significa um incremento dos gastos financeiros de 207 milhões de euros. No exercício 2007.59% sobre a dívida líquida média total e 5.076 milhões de euros foram dedicados à compra de ações em tesouraria e distribuição de dividendo da Telefónica S. o resultado operacional teria crescido 13.3% acima do registrado no quarto trimestre de 2006. Telefónica Telecom e Iberbanda no período janeiro-dezembro 2006. o que implica numa taxa de impostos de 14. alcançando os 8. frente aos 0. O fluxo de caixa livre gerado pelo Grupo Telefónica acumulado em 2007 atinge 8. c. No quarto trimestre isolado.A. situando a dívida financeira líquida do Grupo Telefónica ao final de 2007 em 45. cifra 42 milhões de euros inferior à acumulada até dezembro de 2006. o que implica que a mesma seja significativamente reduzida. A cifra de gastos financeiros acumulada em 2007 significa um custo médio de 5. Esta melhora é explicada fundamentalmente pela Portugal Telecom e pela Lycos Europe depois da venda em abril de seu investimento no provedor de portal à Internet baseado na República Tcheca Seznam. A provisão de impostos contabilizada no exercício 2007 totaliza 1.872 euros por ação.Resultados Janeiro . fundamentalmente derivados de programas de redução de base de empregados.512 milhões de euros devido fundamentalmente à venda da Airwave.z.61% se excluímos os resultados por taxa de câmbio.4 p.5% devido principalmente pela fusão por absorção da Telefónica Móveis por parte da Telefónica S. o resultado das participações por equivalência patrimonial se incrementa 83.0% superiores aos do mesmo período de 2006. O lucro líquido básico por ação cresce 43. apresentando uma queda ano-a-ano de 38. a Sogecable e The Link também contribuem para esta melhora.472 milhões de euros de redução da dívida por variações da taxa de câmbio e variações no âmbito e outros efeitos sobre contas financeiras. sendo a Telefónica España e a Telefónica Europa as linhas de atividade que contribuem em maior medida para esta queda. O forte crescimento do OIBDA. o investimento (CapEx) cresce 0.7%.65% no ano.058 milhões de euros. Telefónica.847 milhões de euros. 4.389 milhões de euros. A participação dos minoritários da Telesp e da Telefónica O2 República Tcheca são os principais contribuintes em termos absolutos ao total dos resultados atribuídos a sócios externos. que implicou num deságio fiscal. Este efeito se compensa por uma redução de 200 milhões de euros produzida pelo decréscimo da dívida média total em 2007.388 milhões de euros. a consolidação da Airwave no período abril-dezembro de 2006 e a consolidação da Endemol no período julho-dezembro de 2006.0% (+18.213 euros por ação obtidos no quarto trimestre de 2006. unido ao decréscimo das Amortizações levam o resultado operacional (OI) do período janeiro-dezembro de 2007 a crescer 42.3% com relação ao mesmo período do ano anterior.5% atingindo 1. fundamentalmente pela operação de venda da Endemol.9% acima que no mesmo período do exercício anterior. a reforma fiscal na Inglaterra que implicou numa diminuição dos passivos diferidos e pela venda da Airwave. Isto leva a uma redução total de 6. Este incremento resulta fundamentalmente do maior custo médio da dívida do Grupo devido à subida das taxas na Europa e à maior proporção de dívida na América Latina. dos quais 2.284 milhões de euros.844 milhões de euros. o lucro líquido consolidado acumulado até dezembro atinge 8. 42.p.3% até alcançar os 140 milhões de euros. em julho de 2006.027 milhões de euros.A.906 milhões de euros. | Relatório Anual 2007 83 . A variação orgânica acumulada da amortização do imobilizado do Grupo Telefónica cairia 3. A gestão do valor atual dos compromissos derivados dos EREs e de outras posições igualmente contabilizadas a valor de mercado rendeu lucros de 84 milhões de euros.Dezembro 2007 802 milhões de euros e da Telefónica O2 República Tcheca no valor de 158 milhões de euros. S. Neste exercício de 2007 a taxa de impostos foi afetada por várias questões. Endemol e pela participação adquirida da TELCO.1% excluindo os ágios gerados pela venda da Airwave e Endemol). alcançando um valor absoluto de 13. ao deixar de consolidar por este método durante o quarto trimestre de 2006.A. Como conseqüência de todas as rubricas explicadas anteriormente. que não teve impacto fiscal.113 e 3. o resultado líquido se situa em 1. Sem considerar os ágios procedentes das vendas da Airwave e Endemol. Adicionalmente.145 milhões de euros). Ao final de dezembro de 2007. Por outro lado. O efeito das taxas de câmbio diminui 1.1% ano-a-ano.861 milhões de euros com relação à dívida consolidada ao final do exercício 2006 (52. Os resultados atribuídos a sócios externos diminuem 213 milhões de euros ao lucro líquido acumulado até dezembro de 2007.565 milhões de euros. de crescimento.8%. Os custos financeiros anuais acumulados de 2007 atingiram 2. O crescimento orgânico8 do resultado operacional se situaria em 47. enquanto que o lucro líquido por ação atinge 0. respectivamente e 781 milhões de euros para o cancelamento de compromissos adquiridos pelo Grupo. a dívida financeira líquida foi reduzida em 5. a consolidação da TVA no período outubro-dezembro de 2007. todavia estão pendentes de utilizar. Exclui a consolidação da Telefónica O2 Eslováquia no período janeiro-dezembro de 2007. enquanto que a saída de caixa para o Grupo Telefónica será mais reduzida na medida em que se compensem bases negativas de impostos geradas nos exercícios passados e que. Dado que os desinvestimentos financeiros líquidos no período atingiram 2. deve-se considerar 1.

O crescimento anual do Resultado Operacional (OI) em 2008 se situa na faixa de 13. | Relatório Anual 2007 .975 milhões de euros).0%-8.0%/+16.0%/+6. Como conseqüência. – Telefónica Europa: +2. O CapEx da Telefónica exclui os Programas de Eficiência Imobiliária.078 milhões de euros).0%/+3. Deltax e Telemig (desde abril de 2008).600 milhões de euros (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 7.358 milhões de euros). Os crescimentos facilitados para os objetivos 2008 assumem taxas de câmbio constantes de 2007. Em termos de cálculo de objetivos.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 20. OIBDA e OI não incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007.0%/+14.863 milhões de euros).635 milhões de euros).974 milhões de euros).0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 55.0%/19. – Telefónica Latinoamérica: +12. As receitas da T. as receitas do Grupo se encontram ajustadas seguindo este novo modelo.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 20.0%/+7.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 9.5%-11.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 3. Por regiões: – Telefónica España : +6.Objetivos Financeiros para 2008 De acordo com os critérios utilizados para a fixação dos objetivos financeiros para 20089.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 11.536 milhões de euros). O crescimento anual do Resultado Operacional antes de Amortizações (OIBDA) em 2008 se situa na faixa de 7. Por regiões: – Telefónica España : +2. 9 As cifras base de 2007 excluem Airwave e Endemol e incluem 3 meses de consolidação da TVA em 2007. – Telefónica Latinoamérica: +11. o Grupo Telefónica prevê que do ponto de vista consolidado: O crescimento anual do valor líquido da cifra de negócios (receitas) em 2008 se situa na faixa de 6. O investimento (CapEx) em 2008 em torno de 8. 84 Telefónica.0%/+8.408 milhões de euros).467 milhões de euros). S.550 milhões de euros).5% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 20.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 14. España se encontram ajustadas pelo novo modelo de negócio dos serviços de Telefonia de Uso Público. As cifras de 2008 incluem TVA. – Telefónica Europa: +4.A.0% (Bases de 2007 para Objetivos Financeiros: 7.

552 336 8.125 178 8. Nota: O OIBDA dos negócios de telefonia fixa na América Latina se apresentam depois dos gastos de gerenciamento. 56.7) (47.126 9. Deutschland (janeiro-dezembro).9 43.168 6.764 6.8 n.562 1. | Relatório Anual 2007 85 . 1 A Telefónica Europa inclui em 2006 a Telefónica O2 República Checa (janeiro-dezembro).126 19.441 22.221 19.799.977 1.304 2.4) Nota: Os números de 2006 estão apresentados considerando a Dotação de Preço da Compra da O2.304 4.900 309 99 15.159 1. 1 A Telefónica Europa inclui em 2006 a Telefónica O2 República Checa (janeiro-dezembro).3 8.381 3.758.388 9.113 2.903 4.901 19.7 19.027 2. Deutschland (janeiro-dezembro).684 8. desde fevereiro de 2006.708 200 9.591 1.5 (0.906 1.s.448 7.233 1. a média ponderada de ações em circulação durante o período é o resultado da aplicação das disposições da NIC 33 "Lucro por ação".683 20. GRUPO TELEFÓNICA RESULTADOS POR UNIDADES DE NEGÓCIO Dados não auditados (Milhões de euros) VALOR LÍQUIDO DA CIFRA NEGÓCIOS 2007 2006 % Var OIBDA 2007 2006 % Var janeiro-dezembro RESULTADO OPERACIONAL 2007 2006 % Var Telefónica España Telefónica Latinoamérica Telefónica Europa1 Outras sociedades e eliminações2 Total Grupo 20. estes dados não incluem o valor da variação da "provisão de carteira de controle" registrados pela Telefónica.067 3.750 18.1 Nota: Os números de 2006 estão apresentados considerando a Dotação de Preço da Compra da O2.3 13.3 42.A.421 6. Nota: Para efeitos do cálculo do lucro líquido básico por ação.0 42.441 52.2 n.7 52.4 34.278 8.s. desde fevereiro de 2006. CAPEX POR UNIDADES DE NEGÓCIO Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 janeiro-dezembro % Var Telefónica España Telefónica Latinoamérica Telefónica Europa1 Outras sociedades e eliminações Total Grupo 2.571 3.089 13. S.1) 0.3 Nota: CapEx do Grupo Telefónica à taxa de câmbio média acumulada. S. a T.121 4.6 22.A.078 14.7 22. Valores do OIBDA excluindo "brand fee".7 11. 2 Para o OIBDA e o Resultado Operacional.825 19.0 9. o Grupo O2 (fevereiro-dezembro) e O2 Alemanha (fevereiro-dezembro). 7. Portanto.4 18.Resultados Janeiro .343 2.s.421 41.825 13.9 (16.8) 9.003 3.0 6. não são consideradas como ações em circulação a média ponderada de ações em tesouraria durante o período. Telefónica.388 10.647 6. n.1 58.811 2.901 6.9 (35.Dezembro 2007 Dados Financeiros GRUPO TELEFÓNICA DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 janeiro-dezembro % Var Valor líquido da cifra dos negócios (Receita) Resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) Resultado operacional (OI) Resultado antes de impostos Lucro líquido Lucro líquido por ação Número médio ponderado de ações ordinárias em circulação (milhões) 56.872 4. o Grupo O2 (fevereiro-dezembro) e O2 Alemanha (fevereiro-dezembro). a T.458 1.

718.962 16 (805) 1.907) (7.304 43.872 1.766 (17) 22.510) 1.704) 9.3 n.230) (609) (905) 346 236 (81) 19.6 1.125 34 (749) 1.5) 7.426 211 (10.995) (16.409 (294) 1.6 8.472 (2.1 83. | Relatório Anual 2007 .983 1."Provisões de tráfego" se encontra reclassificada desde "Outras receitas (despesas) líquidas" até "Gastos operacionais".7 52.421 77 (2.7 3.431) (17.5) 2.6 n.9 0.5) 42.844) 10.3 4. 86 Telefónica.901 719 (34.5 7.3 (2.622) (9.GRUPO TELEFÓNICA RESULTADOS CONSOLIDADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 janeiro-dezembro 2006 % Var 2007 outubro-dezembro 2006 % Var Valor líquido da cifra dos negócios Capitalização de despesas 1 Gastos operacionais Provisões Despesas com pessoal Serviços de terceiros Variações de provisões de tráfego Tributos Outras receitas (despesas) líquidas Resultado da venda de ativos Amortização do ágio e ativos fixos Resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) Depreciação e Amortizações Resultado Operacional (OI) Resultados com equivalência patrimonial Resultados financeiros Lucro antes de impostos Impostos Resultado do exercício de operações em continuação Resultado de operações em descontinuação Participação dos minoritários Lucro líquido Número médio ponderado de ações ordinárias em circulação (milhões) Lucro líquido básico por ação 56.645) (2.596 (346) 6.779.0) 20.s.0 58.437) 13.825 (9.565) 9.653) (2.8) 1.781) 4. (79.5 11.2 n. desde fevereiro de 2006.381) (4.119 0 (213) 8. (7. Portanto.4) 14.991) (666) (974) 358 2.s.3 3.684 (1.126 (9.7 3.115 0 (57) 1.3) 8.035 4.893) (9.441 708 (37.9 (0.578) (125) (224) 127 12 (66) 4.233 4.421) (2.s. Nota: Para efeitos do cálculo do lucro líquido básico por ação.629) (7. (94.5 0.0 (12.853.s.577 (2.992) (4.108 0 (73) 1. (22.2 6.388 140 (2.764 (1.3 n.452) 2.771) (130) (249) 192 132 (4) 4.0 7.s.7 (1.906 4.3 (2.4 51.5 3.758.213 5.734) 6.3 (2.s.2 n.196 195 (9.2) 19.4 7.A.172 (64) 1. 0. 1 Inclui obras em andamento.5) 2.2 9.1) 83.0 n.578) (2.058 4.2 Nota: Os números de 2006 estão apresentados considerando a Dotação de Preço da Compra da O2.6 8.8) 42. S.224 0. (38.0 6.5 14. a média ponderada de ações em circulação durante o período é o resultado da aplicação das disposições da NIC 33 "Lucro por ação". não são consideradas como ações em circulação a média ponderada de ações em tesouraria durante o período.

3 (2. desde fevereiro de 2006.644 50.823 62.382 8.700 6.145 (13.7 (10.758 21. taxas e contribuições de curto prazo Provisões a curto prazo e outras dívidas não comerciais Dados financeiros Dívida financeira líquida1 87.2) Nota: Os números de 2006 estão apresentados considerando a Dotação de Preço da Compra da O2.125 2.Aplicações financeiras temporárias .4) (0.7) (9.s.739 33.974 6.841 6.792 9 108.012 9.9 45.6 n. 1 Dívida financeira líquida = Dívida financeira de Longo Prazo + Outros credores de Longo Prazo + Dívida financeira de Curto Prazo .065 132 105.337 8.855 20.4) 33.622 5.9) 14.044 46.533 2.2) (11.469 9.0) 4.3 17.662 1.873 22. taxas e contribuições de longo prazo Provisões de longo prazo Contas a pagar de longo prazo Passivo circulante Dívida financeira de curto prazo Contas a pagar Impostos.888 6.3) (7.2) (16.942 3.Caixas e bancos .580 (4.0) (35.7) 2.1) (4.478 987 9.284 52.666 1. (2.2 (3.183 8.3) (7.926 6.829 18.Resultados Janeiro .010 1.3 (24.4) (16.1) 7.269 20.Dezembro 2007 GRUPO TELEFÓNICA BALANÇO CONSOLIDADO Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 janeiro-dezembro % Var Ativo permanente Intangíveis Ágio Imobilizado líquido Imobilizados Financeiros e outros ativos de longo prazo Ativos diferidos Ativo circulante Estoque Contas a receber Impostos a receber Aplicações financeiras temporárias Caixa e equivalentes Ativos permanentes destinados à venda Total Ativo = Total Passivo Patrimônio líquido Acionistas Minoritários Exigível a longo prazo Dívida financeira de longo prazo Impostos.713 1.730 58.679 3.161 1. S.0) (3.395 18.178 2.001 17.015 24.A.157 7.0) 3. Telefónica.555 1. | Relatório Anual 2007 87 .102 91.986 8.702 17.4 (5.5) (2.2) 45.675 4.Aplicações financeiras e outros ativos de Longo Prazo.320 19.007 7.729 2.982 20.287 982 26.770 32.

s.003) (830) (2.284 18.2) Inclui cobrança de dividendos de filiais que não consolidam globalmente.373 781 (307) 8.578 (7.205) 8.097) (1.766) 1.383 (5.373 129 2.457) 15.Resultado por venda de ativos -Investimento em ativo circulante e outras receitas e despesas diferidas =Fluxo de caixa operacional retido + Cobrança por desinvestimento em ativos materiais .600 830 (514) 8. | Relatório Anual 2007 .7 1. no qual se reflete o cash flow disponível para remuneração ao acionista da matriz Telefónica S. janeiro-dezembro 2007 2006 Fluxo de caixa operacional retido + Pagamentos por outros passivos .496) 5.939 8.600 24 (21.126 (8.542) (18.CAPEX apurado no período . proteção dos níveis de endividamento (dívida financeira e outros passivos) e flexibilidade estratégica.824 (2.6) c.Pagamentos líquidos por investimento financeiro .0 (2.916 4.Pagamento líquido de dividendos e operações com ações próprias = Fluxo de Caixa Livre depois de dividendos 22.758.100) 15.574) (5.A. e pagamentos de dividendos a minoritários pelas filiais consolidadas globalmente e operações com ações próprias.100) (236) 1.859 8.Pagamentos por outros passivos .389 19.A.145 6. RECONCILIAÇÕES DO FLUXO DE CAIXA COM OIBDA MENOS CAPEX Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 janeiro-dezembrro % Var OIBDA .492) 19.373 129 2.496) 5..574) (5.0 1.132 (3.3 (2.383 (5.9 1.145 45.6) c.097 30.828) 8.s.779. como conseqüência da recirculação de fundos dentro do Grupo.389 (819) (653) 52.Pagamento de juros financeiros líquidos .296) (1.296) (1.A. (13.GRUPO TELEFÓNICA FLUXO DE CAIXA E VARIAÇÂO DA DÍVIDA Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 janeiro-dezembro % Var I II III A=I+II+III B C=A+B D E F G=C+D+E+F H I J K=J-G+H+I 1 2 Fluxo de caixa operacional Pagamento de juros financeiros líquidos 1 Pagamento de impostos sobre sociedades Fluxo de caixa líquido operacional antes de investimentos Pagamentos por investimentos em ativos materiais e não materiais Fluxo de caixa operacional retido Cobrança líquida por desinvestimento em ativos materiais Pagamentos líquidos por investimentos financeiros Pagamentos líquidos de dividendos e operações com ações próprias 2 Fluxo de caixa livre depois de dividendos Efeitos da taxa de câmbio sobre a dívida financeira líquida Efeitos de variação do critério sobre a dívida financeira líquida e outros Dívida financeira líquida no início do período Dívida financeira líquida no final do período 20. Pagamentos de dividendos da Telefónica S.428 (6. Nota: Utilizou-se o conceito de "Fluxo de Caixa Livre".825 (8.676 8.027) (781) (3.542) (18.600 24 (21.Imposto pago das Sociedades . S.866 88 Telefónica.Pagamento de dividendos a acionistas minoritários = Fluxo de caixa livre Número médio ponderado de ações ordinárias em circulação (milhões) = Fluxo de caixa livre por ação 8. As diferenças com o "Fluxo de caixa operacional" da tabela anterior devem-se a que o "Fluxo de caixa livre" é calculado antes da amortização de outros passivos (por redução no quadro de pessoal e garantias) e depois do pagamento de dividendos para minoritários.457) (2.492) (511) 4.067 52.097) (1.847 4.

031 4.756 714.827 4.472) 3.269 6.255 0. Importe incluso na conta de balanço "Imobilizado Financeiro".906) 45. Tcheca (Coroa Tcheca/Euro) Chile (Peso Chileno/Euro) Colômbia (Peso Colombiano/Euro) El Salvador (Colón/Euro) Guatemala (Quetzal/Euro) México (Peso Mexicano/Euro) Nicarágua (Córdoba/Euro) Peru (Nuevo Sol Peruano/Euro) Uruguai (Peso Uruguaio/Euro) Venezuela (Bolívar/Euro) 1 Demonstrativo de Resultados e CapEx 1 jan .672 4.685 4.620 731. Telefónica.065) (3.284 365 365 5.703 4.608 26.368 0.724 3.861 2 Estas taxas de câmbio são utilizadas para converter as contas dos demonstrativos de resultados e o CapEx das sociedades estrangeiras do Grupo. Valor presente nas economias tributárias que resultarão dos pagamentos futuros por amortização dos outros passivos por redução do quadro de pessoal.857 2. GRUPO TELEFÓNICA TAXAS DE CÂMBIO APLICADAS Estados Unidos (Dólar USA/Euro) Reino Unido (Libra/Euro) Argentina (Peso Argentino/Euro) Brasil (Real Brasileiro/Euro) Rep. "Provisões Técnicas" e "Provisão para o Fundo de Pensões de outras Sociedades".853 10.637 2.dez 2007 jan-dez 2006 dezembro 2007 Balanço 2 dezembro 2006 1.816 27.881 11. Taxas de câmbio nos dias 31/12/07 e 31/12/06. de moeda local para euros.977 9.336 2.949.183 2. Previdência Social e Desvinculações".033 2.338 665.004 14.996 27. "Seguro Coletivo".837.974 10.548 13. Correspondem fundamentalmente a investimentos em Valores de renda fixa e Depósitos a longo prazo. que cobrem a materialização das provisões técnicas das sociedades asseguradoras do Grupo.165.965. excluindo o resultado por venda de ativos.938 2.695.928 12.Dezembro 2007 DÍVIDA FINANCEIRA LÍQUIDA MAIS OUTROS PASSIVOS Dados não auditados (Milhões de euros) dezembro 2007 A B C A+B+C Credores a LP Emissões e dívidas com entidades de crédito a CP Tesouraria Investimentos financeiros a CP e LP 1 Dívida financeira líquida Garantias outorgadas à IPSE 2000 Outros passivos por garantias Outros passivos brutos por redução de quadro de pessoal 2 Valor de ativos a longo prazo associados 3 Impostos deduzíveis 4 Outros passivos líquidos por redução de quadro de pessoal Dívida total + Outros passivos Dívida financeira líquida / OIBDA 5 Dívida total + Outros passivos / OIBDA 5 47. Esta cifra aparece refletida dentro da conta de balanço "Provisões para Riscos e Gastos" e é obtida como soma dos conceitos de "Pré-aposentadorias.126 11.728 28.234 15.201 2.282 32.661 27.262 2. cujo valor aparece incluso no balanço na conta de "Imobilizado Financeiro". | Relatório Anual 2007 89 .3x 2.317 0.418 1.108 30.502 14.289 48.330 23.636 2.4x 1 2 3 4 5 Investimentos financeiros temporários e certos investimentos em ativos financeiros com vencimento a mais de um ano.949.101 2.254 1. S. Calculado a partir do OIBDA Dez 07.437 (676) (1.942.015 1.263 2.A.409 31.472 2.524 10.986 (5.664 22.495 701.229 4. epígrafe "Outros Créditos".733 4.682 3.205 32. Fundamentalmente na Espanha.832.853 11.472 0.Resultados Janeiro .953 25.

tendo-se registrado a correspondente provisão nos resultados do exercício 2007. com uma queda ano-aano que se reduz a 0. com importantes investimentos em ADSL e Serviços IP (Imagenio). com um custo associado de 345 milhões de euros em 2007. com manutenção da participação de mercado estimada acima de 56%. O resultado operacional antes de Amortizações (OIBDA) cresceu 9.7% em termos acumulados) baseado no bom comportamento dos serviços de Internet e Banda Larga e. apresentando um crescimento de 3. Destaca-se especialmente o lançamento do processo de transformação das redes fixa e móvel.381 milhões de euros em 2007. | Relatório Anual 2007 .870 empregados.3% (dezembro 2007 frente a dezembro 2006) e um ganho líquido no quarto trimestre de 2007 de 32. A finalização do Expediente de Regulação de Emprego (2003/2007).Resultados Janeiro Dezembro 2007 Resultados por unidades de negócio Telefónica España Em um ambiente de forte atividade e concorrência.5%.400 milhões de euros.683 milhões de euros e superando assim o objetivo anunciado de crescimento entre 3. O custo estimado destes planos atinge 322 milhões de euros (168 milhões no Negócio Fixo e 154 milhões no Negócio Móvel). O esforço de investimento foi dedicado principalmente para o crescimento dos negócios de Internet e Banda Larga. a Telefónica España consolida sua fortaleza competitiva e cumpre todos os objetivos financeiros anunciados para o exercício 2007. S.1% do OIBDA subjacente em 2007 (exclui efeitos pontuais como são os derivados do plano de adequação da base de empregados. A fortaleza competitiva no mercado de Banda Larga. O valor líquido da cifra de negócio (receitas) cresceu 4.4% com relação ao ano 2006. com uma adesão durante os cinco anos de vigência do mesmo de um total de 13. programa Imobiliário ou subvenções). nos serviços de Dados e TI.3% atingindo os 9. o que situa a margem em 45. cumprindo-se assim o objetivo revisado para cima em julho de 2007.6%. resultando no melhor dado anual desde 2001.901 linhas.067 milhões de euros. O investimento (CapEx) alcança 2. Para efeito de comparação com o objetivo comunicado de crescimento do OIBDA em 2007 entre 9% e 11%. o crescimento do OIBDA se situa em 11.801 acessos. Neste sentido e no marco de integração proposto. Em 2007 a Telefónica España gerou um fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEx) de 7. uma vez incluídos os efeitos considerados em sua fixação. segue-se realizando esforços de adequação de base de empregados que foi modelado na aprovação dos correspondentes planos já iniciados em 31 de dezembro de 2007. que não inclui o investimento associado ao plano de eficiência imobiliário.A. No Negócio Fixo da Telefónica España cabe destacar: O sustentado crescimento de receitas (+3. O objetivo de CapEx para 2007.7%. com um crescimento de 11. era de realizar investimentos inferiores a 2. A Telefónica adotou durante o último trimestre do exercício 2007 decisões de caráter organizacional encaminhadas com o intuito de favorecer um esquema que facilite a convergência tecnológica e de prestação de serviços nos negócios nos quais opera. O crescimento de 5. A contenção na perda de linhas fixas. O valor total dos custos por estes conceitos durante o exercício de 2007 na Telefónica España atinge assim 667 milhões de euros (551 milhões de euros no quarto trimestre do ano).102 empregados no último ano de vigência do mesmo.4%.448 milhões de euros. A perda acumulada de acessos no ano 2007 alcança as 51.E 2003-2007) do Negócio Fixo da Telefónica España. 90 Telefónica.7% no ano alcançando os 20.R. cabe destacar sua finalização com uma adesão de 1.5% e 4. Ao final de dezembro a planta de acessos varejistas de banda larga de Telefónica alcança os 4.6 milhões. em menor medida. Em referência ao Expediente de Regulação de Emprego (E.

superando ligeiramente o objetivo anunciado de alcançar um incremento entre os 2. com um crescimento superior a 70% em 2007. O mercado de acesso de telefonia fixa na Espanha experimenta ao longo do ano um crescimento estimado de 1.Resultados Janeiro .7%.401 milhões de euros no ano 2007. e de comercialização de terminais (6.1% no período janeiro-setembro de 2007). a participação de mercado estimada de tráfego do Negócio Fixo da Telefónica España se mantém estável em entorno de 65%.5%.8 milhões de linhas e destacando especialmente a progressão da base de clientes contrato (+12. ao compensar o crescimento das receitas de interconexão de 12. apresentando uma margem sobre receitas de 45. As linhas pré-selecionadas mantém sua tendência decrescente.696 acessos).795.0%). que apresenta um crescimento trimestral de 17.395 milhões de euros em 2007. superando os 22.5% em 2007.4%).Dezembro 2007 No Negócio Móvel da Telefónica España destaca: O Sólido crescimento das receitas de serviço de 4. S.9% impulsionados pela Banda Larga varejista. que diminuem ligeiramente no primeiro caso e se mantêm estáveis no segundo. Manutenção do churn em um ambiente de maior pressão competitiva em 1. que representa o melhor dado desde o primeiro trimestre de 2001. apresentando as receitas de conectividade. As receitas por acesso tradicional alcançam os 2.3% (-0. frente ao mesmo período do ano anterior. que já representa quase 60% do total. O OIBDA alcança os 4.8%. No exercício 2007 as receitas de Internet e Banda Larga se incrementam 15.0% da assinatura mensal da linha telefônica básica e na diminuição da perda de linhas frente a 2006. depois de registrar-se no quarto trimestre do ano um forte incremento de receitas. associado ao maior tráfego internacional de entrada e carrier cursado.5% no comparativo ano-a-ano. destacando a boa evolução das receitas de clientes (+8.4%).1% no ano. e apresentam uma queda de 1.5%.1%).801 acessos e reduzir assim o ritmo de queda ano-a-ano até os 0.A. As receitas de Internet e Banda Larga cresceram no quarto trimestre 11. sem esquecer a favorável evolução das receitas de Voz e Acesso Tradicional. Este crescimento se sustenta no bom comportamento dos serviços de Internet e Banda Larga e dos serviços de Dados e TI. Negócio fixo O valor líquido da cifra de negócio (receitas) se situa em 12. com uma redução de 110.4% em 2007 vs. O crescimento acumulado até dezembro se situa em 3.3%.5% sob o critério de objetivos financeiros comunicados (excluindo o plano de adequação da base de empregados). a melhor evolução. as quedas das receitas por tráfego de saída (-1. situando-se ao final de dezembro em 1.4% frente ao final de 2006. com um incremento de 0. apoiando-se na subida de 2. No quarto trimestre de 2007 as receitas por serviços de voz se mantêm estáveis frente ao quarto trimestre de 2006. depois de ganhar no trimestre 32.901. permite situar a perda acumulada de acessos no ano 2007 em 51. Incremento da base de clientes de 6. | Relatório Anual 2007 91 .859 linhas em 2007. Crescente contribuição das receitas de dados (+12.9%. As receitas por serviços de voz mantiveram a tendência positiva de trimestres anteriores.7% em setembro de 2007). 2006).966 ao final de 2007. Aumento do OIBDA a um ritmo de 6. Estas cifras transformam 2007 no melhor ano desde 2001 no que diz respeito à evolução de acessos. nível similar ao de 2006.6% em 2007 (-2. A participação de mercado de acesso de telefonia fixa estimada da Telefónica se mantém estável frente a setembro de 2007.7%.5% e os 3. conseguindo uma ligeira redução de churn de contrato até 1.660 linhas Em linha com a positiva evolução das receitas. A positiva evolução dos acessos no trimestre.772 milhões de euros.4%. 3. A planta de acessos de telefonia fixa da Companhia se situa em 15. melhorando os resultados obtidos em 2006 (-185. Telefónica.897.0%. em 81%.

642 milhões de euros. Os gastos operacionais do Negócio Fixo da Telefónica España atingem 7. mais 168 milhões de euros do novo programa iniciado em 2007 e para 2008.4% no último trimestre de 2007 está associada ao menor ganho líquido de acessos de Banda Larga varejista registrada em 2007 frente a 2006 (-19.6% no conjunto de 2007 frente aos 2006.9% no conjunto do ano.9% inferior à do mesmo período de 2006. mantendo a liderança de mercado com uma participação estimada acima de 56%. e do novo plano mencionado anteriormente.A. ao aumento das receitas do Negócio Fixo da Telefónica España. Os aluguéis de última milha aumentaram sua participação estimada de mercado de acessos fixo à internet de banda larga até quase 17% (14% em 2006).R.8% no quarto trimestre. O ganho líquido trimestral foi de 116. 42.3% inferior à do mesmo período do ano anterior. ligeiramente superior à de 2006.5% no acumulado até dezembro de 2007. que experimentam um decréscimo de 47.2% no acumulado até dezembro. atingindo assim 511. e ágios pela venda de imóveis e outros no valor de 162 milhões de 92 Telefónica. A desaceleração no crescimento destas receitas ao longo do ano até os +17. pelo maior nível de atividade comercial e gastos com TUP (Telefonia de Uso Público). a multa imposta pela União Européia registrada no segundo trimestre e outros.Os serviços de Banda Larga varejistas mantêm um forte ritmo de crescimento no ano.p. Este crescimento é determinado por: i) o crescimento de 8. S.940 acessos. fundamentalmente aos maiores gastos por adequação de base de empregados registrados no último trimestre de 2006 (588 milhões de euros frente aos 397 do quarto trimestre de 2007). Os serviços atacadistas também atingem um significativo 22.8 p. 14.480 conexões.3% correspondem à modalidade de última milha compartilhada.249 milhões de euros e apresenta um crescimento ano-a-ano de 14.5% dos gastos por serviços exteriores atingindo 1. último ano de vigência do plano.3% no acumulado. que alcança 5.337 milhões de euros no ano e registram uma queda de 4.002 unidades. As receitas de serviços de dados no quarto trimestre do ano incrementaram sensivelmente seu ritmo de avanço. alcança uma planta total ao final de dezembro de 4.1% frente a uma taxa acumulada até setembro de 2007 de 5.599 acessos. 29. 2003-2007 de 1. frente a uma taxa acumulada até setembro de 2007 de 6. Excluindo a totalidade dos gastos associados por este efeito em 2006 e 2007 e pela revisão atuarial.088 acessos. e iii) o crescimento de 0.087 de planta ao final de dezembro de 2007.181 milhões de euros. o mercado total estimado na Espanha alcançava os 8. depois de ter registrado um ganho líquido negativo no quarto trimestre de 13. subvenções. que se situam em 3.1 milhões de acessos. pela migração de ADSL atacadista para aluguel de última milha. situando-se a planta total em 1. que experimenta um crescimento de 12.E. 18. O serviço ADSL atacadista segue suavizando seu ritmo de queda no quarto trimestre de 2007 pela menor migração de aluguel de última milha.1%) devido. do programa Imobiliário. causado principalmente.129 milhões de euros. dos quais 57. excluindo o efeito da totalidade dos gastos de adequação de base de empregados.4 milhões de acessos. A aceleração se atribui ao bom comportamento das receitas derivadas do serviço de Rede Privada Virtual. com um ganho líquido de acessos varejistas à Internet de Banda Larga no quarto trimestre de 227.2% de outros gastos com pessoal (sem incluir a totalidade dos gastos de adequação de base de empregados) atingindo os 2.0% no quarto trimestre de 2007 pelo impulso que está tendo as RPV’s de Fibra e ADSL. aportando 3. as receitas de Banda Larga Atacadista diminuem 11. junto com os menores gastos por este conceito.020 novos clientes.7%.1%.4 milhões de acessos no quarto trimestre do ano. especialmente devido aos gastos associados à Internet e Imagenio. e alcançam os 2.0%). determina a evolução do resultado operacional antes de Amortizações (OIBDA). As receitas por serviços de TI registram um crescimento de 11. os gastos operacionais crescem 2. ii) o crescimento de 1. No trimestre outubro-dezembro de 2007 o OIBDA alcança 1. depois de crescer 3.8%. Eliminando do OIBDA efeitos pontuais como são os derivados do E. resultando em um ganho líquido estimado em 2007 ao redor de 1.008 milhões de euros. O crescimento das receitas acima dos gastos.2% dos gastos com fornecedores. (frente à provisão real de 513 milhões de euros). | Relatório Anual 2007 .353.E.8%. A planta total ao final de dezembro era de 499.571.R.6%. Os gastos com pessoal caem 14. O ganho líquido estimado do mercado de acessos Fixos a Internet de Banda Larga foi de 0.5% no trimestre. o OIBDA subjacente no acumulado até dezembro de 2007 situa seu crescimento em 5. Ao final de dezembro de 2007. pelo efeito já mencionado da menor provisão.792. Estes gastos se dividem em 345 milhões de euros associados à adesão de E.263 acessos. Cabe destacar que mais de 80% dos acessos de banda larga varejista da Companhia estão incluídos dentro de algum pacote de dupla ou tripla oferta ao final de 2007 (mais de 70% em dezembro de 2006). Em paralelo. Para efeitos de comparação com os objetivos financeiros comunicados.413 milhões de euros. A planta total de Duos e Trios se situa ao final de dezembro de 2007 em 3. A Telefónica. incluindo-se uma provisão de 630 milhões de euros por adequação de base de empregados.102 empregados em 2007.658 acessos. Esta redução se deve aos menores gastos de adequação de base de empregados (513 milhões de euros em 2007 frente aos 980 milhões de 2006). +24. A Telefónica continua liderando o desenvolvimento do mercado de televisão paga na Espanha alcançado uma participação estimada de mercado abaixo de 13% (10% ao final de dezembro de 2006) depois de incorporar no quarto trimestre.0% com relação ao ano anterior. muito superior ao registrado no mesmo período de 2006 (+47.

5 milhões.9 milhões de euros imposta pela União Européia se considera um gasto não previsível e como conseqüência não está incluído como parte dos objetivos financeiros).8 euros.7%. o ARPU total no quarto trimestre se situa em 31.p. o ganho líquido de clientes no quarto trimestre de 2007 alcança 406.3 euros. No âmbito da portabilidade no quarto trimestre de 2007.p.837 linhas (426. Durante o último trimestre do ano a atividade comercial se incrementa frente ao mesmo período de 2006 em 4. o MoU alcança os 161 minutos no acumulado de 2007 (+3. apoiado no bom comportamento em termos de valor.380.027 no ano de 2006).6% frente ao quarto trimestre de 2006 e de 1.8 euros.596 linhas (1. o volume de tráfego administrado durante o trimestre apresenta um crescimento de 6.4% no conjunto de 2007. o quarto trimestre de 2006). o ganho líquido de portabilidade é ligeiramente positivo (494 linhas).9% maior que durante o ano de 2006.Resultados Janeiro . O ARPU de voz sainte do ano de 2007 apresenta uma ligeira diminuição no acumulado atingindo 22.Dezembro 2007 euros (frente aos 163 milhões de euros registrados).8%. Em termos acumulados no ano de 2007. dezembro de 2006). No que diz respeito ao Negócio Móvel da Telefónica España.4%.0% em relação ao ano de 2006).1 euros). com uma penetração estimada em 111% (superando em mais de 6 p. O menor crescimento do ARPU de dados no quarto trimestre do ano foi afetado pela desaceleração que se vem observando nos serviços de conteúdos. Uma vez mais as trocas voltam a ser chave na evolução do churn.0% em termos acumulados. Por outro lado.). No acumulado do ano. que em dezembro de 2006). o quarto trimestre de 2006 e uma variação ano-a-ano de 7. o mesmo trimestre do ano anterior vem afetado pelas distintas modalidades de promoções realizadas durante ambos os períodos.8% (+5.9 euros (-1. situando-se em 5. o churn do ano de 2007 se situa em 1. situando-se na parte superior da faixa de objetivo de crescimento de 13. que se apóia em campanhas de fidelização.7 euros. Assim. com um crescimento no conjunto do ano de 4.500 milhões de minutos) e de 11. assim como a multa da União Européia registrada no segundo trimestre de 2007. O menor MoU no quarto trimestre de 2007 vs. O tráfego on-net registra por sua vez um crescimento de 7. impulsionado pelas receitas de conectividade (com crescimentos superiores a 70% vs. o nível de 2006).7 milhões de linhas.6% sainte). Negócio móvel O mercado de telefonia móvel espanhol fecha o ano de 2007 com 50. Assim.501. que se situa em 1.5% a 16% anunciada (a multa de 151. o que significa uma penetração de 16% da base excluindo máquina a máquina. Em relação ao consumo. apoiada fundamentalmente no ritmo de crescimento da base de clientes pós-pago (+12. a margem teria experimentado uma melhora ano-a-ano de 1.0% no acumulado do ano. mantendo-se nos níveis de 2006 apesar da maior Telefónica. atingindo os 47.4% vs. que representa no final de 2007 praticamente 60% da base total (mais de 3 p.556.8% no acumulado do ano atingindo 32.9% em termos acumulados) assim como pela regulação das tarifas de roaming na União Européia. com um crescimento ano-a-ano de 12. | Relatório Anual 2007 93 .9 milhões de ações. ao alcançar um ganho líquido de 36.2% sainte) alcançando 4.1 p.2% em relação ao quarto trimestre de 2006 (mais de 15.0%. Por sua vez. pressão competitiva.3% maior que o acumulado em 2006). fator último recentemente esclarecido.800 linhas (4. Destaca o crescimento das adesões de pós-pago. o OIBDA teria apresentado um crescimento de 15.320 linhas.A.p. obtémse um saldo positivo.8% atingindo 27.3 p. A margem OIBDA no acumulado até dezembro de 2007 alcança os 42. e conseguindo inclusive uma ligeira redução do churn de pós-pago (-0.p.5% no acumulado do ano (mais de 63. mostram um crescimento de 7. o ARPU sainte do ano de 2007 se manteve em níveis similares aos de 2006 (27. a base de clientes supera 22. alcançando no ano mais de 11.235 no quarto trimestre de 2006) superando as cifras registradas nos últimos três trimestres. favorecido por um processo pontual de reestruturação no setor e pela incerteza regulatória.5% inferior ao do mesmo trimestre de 2006 impactado fortemente pela redução das tarifas de interconexão de abril e outubro (14.p. 4.8 milhões de clientes (+6. o ARPU de dados excluindo as receitas de conteúdos tanto no quarto trimestre de 2007 como no conjunto do ano de 2007 cresceria a um ritmo superior a 6%. Por sua vez. enquanto que no quarto trimestre de 2007 registra uma queda de 2.4% no quarto trimestre e de 14.4% vs.p.3 euros. O bom comportamento das altas (+3% em 2007 vs. 2. S. a mais do que ao final de 2006. sendo relevante a melhora experimentada no segmento pós-pago com 1. No final de dezembro os dispositivos UMTS/HSDPA em mãos dos clientes da Telefónica España superaram 3.3 p. melhorando sua participação de ganho líquido neste segmento em um contexto de maior agressividade comercial.). o ganho líquido se situa em 1.8% (+2. mostrando uma redução de 3.p.9% e se situa em 22.6 euros. 10 p. Assim.0 euros.3%.8%. com um ganho líquido no segmento pós-pago de 238.8% vs. dezembro de 2006). inferior ao do terceiro trimestre de 2007 (-0. O ARPU de voz se situa no último trimestre em 26. Por outro lado.) e ao do quarto trimestre do ano anterior (-0.0%). o ARPU de dados no quarto trimestre do ano alcança um crescimento ano-a-ano de 1. a Telefónica España liderou claramente a captação de linhas pós-pagas no mercado espanhol. limitando-se em termos anuais a queda de 2.593 linhas pós-pagas. excluindo o efeito dos gastos de adequação de base de empregados e a revisão atuarial em ambos os anos.300 milhões de minutos). Destaca-se o bom comportamento do churn de pré-pago no último trimestre.03 p. Com tudo isso. 2006) e a contenção do churn favorecem os resultados positivos da estratégia comercial da companhia.

0% em 2007 (+5. atingindo 8. As receitas de interconexão caem 8. Assim. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do ano 2007 atinge 9.1% no acumulado do ano.8% no quarto trimestre de 2007 motivado pelo impacto da queda nas tarifas de interconexão.2% vs.8% no trimestre).6% no quarto trimestre.4% frente ao acumulado de 2006). como conseqüência da tendência para a queda nos preços atacadistas.5%. alcançando 4. Por componentes de receitas convém destacar: As receitas de serviço crescem no quarto trimestre do ano de 2007 2. superando amplamente o objetivo anunciado de alcançar um crescimento entre 4. o OIBDA excluindo o evento mencionado alcança 1. os gastos se situam em 5. para o conjunto do ano de 2007 o resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) cresce 2. As receitas por venda de terminais alcançam no ano de 2007 1. O custo estimado destes planos atinge 154 milhões de euros.541 milhões de euros. segue-se realizando esforços de adequação da base de empregados que foram moldados na aprovação dos correspondentes planos já iniciados em 31 de dezembro de 2007. que passa a contabilizar-se pelo líquido. havendo-se registrado a correspondente provisão nos resultados do último trimestre do exercício de 2007.395 milhões de euros. A Telefónica adotou durante o último trimestre do exercício de 2007 decisões de caráter organizacional para favorecer um esquema que facilite a convergência tecnológica e de prestação de serviços nos negócios em que opera. o Negócio Móvel da Telefónica Espanha e da Telefónica Europa anunciaram em 14 de janeiro passado.Resultados por unidades de negocio Com relação ao roaming de dados.6% no acumulado de 2007 e 10.3% no trimestre). 94 Telefónica. favorecidos por uma maior eficiência nos custos e afetados pela provisão mencionada. S.3% frente a 44.9% e 7. impactado pela regulação das tarifas de roaming na UE desde setembro de 2007) atingindo 6. Este crescimento se explica fundamentalmente pela boa evolução das receitas de clientes.378 milhões de euros no quarto trimestre).8% frente ao ano de 2006 alcançando 4.0%.693 milhões de euros (+5. e a contabilização das receitas/gastos por encaminhamento de trânsito de portabilidade. Por sua vez. No quarto trimestre de 2007 atingem 1.4% no acumulado do ano (-6. Convém recordar que desde 1 de janeiro de 2007 realizou-se uma modificação no critério de contabilização das comissões de venda e recarga de pré-pago. | Relatório Anual 2007 . apesar da maior atividade comercial em um entorno de forte competição.6% superiores aos do ano de 2006.241 milhões de euros. que dão importantes descontos entre 42% e 61% em relação ao custo atual.6% frente a 2006 (+1.0% no mesmo período de 2006). com um aumento ano-a-ano de 11. em 43.407 milhões de euros (+3.0%. com um crescimento de 4. No quarto trimestre.9% em 2006.184 milhões de euros.056 milhões de euros e apresenta um crescimento ano-a-ano de 5. uma gama de novas tarifas de Internet em roaming pensadas para os usuários que viajam pela Europa.387 milhões de euros em 2007 (1. Excluindo o evento anteriormente mencionado o OIBDA teria crescido 6.9% (43.5% frente ao ano de 2006.8% no trimestre.0% e 5. que passam a serem contabilizadas como menores receitas ao invés de gasto.0% e 5. que registram um crescimento de 8. alcançando em termos acumulados 45. Neste sentido e no marco de integração proposto. as receitas de roaming-in se reduzem 12. Excluindo esta provisão. O quarto trimestre apresenta um OIBDA de 902 milhões de euros.A.3%. Os gastos operacionais atingem no acumulado do ano 5. enquanto as receitas neste trimestre teriam crescido a um ritmo ano-a-ano de 2. uma redução ano-a-ano de 10.1% em relação ao último trimestre de 2006.0%.531 milhões de euros crescendo 13. O efeito líquido desta mudança é neutro no OIBDA.6% e no ano 4.861 milhões de euros. alcançando no quarto trimestre de 2007 2. o quarto trimestre de 2006).9% excluindo o impacto das citadas mudanças de critérios e 5. dentro da faixa do objetivo anunciado de alcançar um crescimento entre 4. 7.509 milhões de euros. situando-se a margem OIBDA do quarto trimestre.

1) 6.756.2 466.4 (0.8 13.8 12.2 1.9 15.7 411.5 45.s.4 798.2 916.750 215 (11.5 44.7 2.9 6.7 7.237. Circuitos ponto a ponto.3 736. 72.261.071.7 c.8 1.6 1.647 (2.531.505) (71) 137 (17) 9. TELEFÓNICA ESPAÑA RESULTADOS CONSOLIDADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 janeiro-dezembro 2006 % Var 2007 outubro-dezembro 2006 % Var Valor líquido da cifra dos negócios Capitalização de despesas1 Gastos operacionais Outras receitas (despesas) líquidas Resultado da venda de ativos Amortização do ágio e ativos fixos Resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) Depreciação e Amortizações Resultado operacional (OI) 20.067 19.158.2 1.182.3) 12. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.419.3) 1.7 9.707.222 59 (3.9 12.1 40.4 (1.4 21.963.642.s.1 50.382) 7.529. satélite.5 530.0 22.4 577.2 15.1 1.8 44.8 21.030 65 (3.4 44.5 0.7 22.9 776.0 5.6 499.2 5.1 1.7 58.8 450.571.4) 5.344.6 43.859.919.9 4.198. Nota: Não inclui os acessos da Iberbanda.757.7 511.5 7.476 5.533) 6.4 45.8 15.4 52.0 (36.s.9) (5.102.6 43.3 4.3 586.0 1.2 605. n.6 5.4 33.8 (9.5 524.6 1.2 5.5 505.9 383.906.0 3.303.920.8 4. Inclui uso próprio.640.4 44.170.826.0) 15.742.366) 8 145 (3) 2.6 9.5 3.113 4.0 13.2 15.3) 9.0 9.683 220 (11.508.9 418.152.7 (5.992.A. Inclui obras em andamento.5 4.181.1) 26.5) 22.9 713.0 46.3 6.0 22.644.048.4 512.6 47.279.949.7 469.Dezembro 2007 TELEFÓNICA ESPAÑA ACESSOS Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros 3 Acessos telefonia móvel Pré pago Pós pago TV Paga Acessos Atacado Última milha alugada Última milha compartilhada Última milha desagregada ADSL Atacado Outros 4 Total Accesos 1 2 3 4 42. (41.7) 15.283. Circuitos atacado.4 6. ADSL.0 1.1 (20.446.7 54.4 (14.620.4 21.9 1.2 47.0 527.0 43.885. S.813.064 (587) 1.2 4.7 9.1 9.115.783 (619) 1.0 RTB (incluindo TUP) x1. | Relatório Anual 2007 95 .3 660.353.429) 48 80 (17) 8.Resultados Janeiro .216.328) 25 (3) (5) 1. Telefónica. Acesso Básico RDSI x1.3 (6.142.0 561.164 3.8 15.448 (2.8 1.0 12.8 1 Nota: "Provisões de tráfego" se encontra reclassificada desde "Outras receitas (despesas) líquidas" até "Gastos operacionais".374.2 n.1 4.040.898.842.131. fibra ótica e circuitos de banda larga.0 664.514.7 9.865.8 939.

3% 1. RDSI e Serviços Corporativos) e recarga em cabines públicas.1) 11.0 (1.5 (33.1) 5.6 688 1.4 (10.1p.TELEFÓNICA ESPAÑA NEGÓCIO FIXO: DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 janeiro-dezembro 2006 % Var 2007 outubro-dezembro 2006 % Var Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 12. GigADSL e aluguel de última milha.A. Inclui Megabase.2% 1.2) 13. | Relatório Anual 2007 .572 38.p 3. longa distância (intra-estadual.5 (6. Inclui receitas por tráfego de entrada fixo-fixo e móvel-fixo.7 47.2) 14.1% 552 3.361 318 1.6 17. fixo-móvel.2) 0.9 (30.555 3.0 (3.792 2.4) 18.260 1.7 14. 9.921 4 2.772 4.6 24.768 4.775 95 2.8 3.6) (3.964 4. Serviços Especiais Cobrados. bonificações e outros. assim como por operadoras e trânsitos.076 392 0. desde o primeiro trimestre de 2006.868 3.p.4) 12.1 (2.1 (1.160 437 1 2 3 4 5 6 Nota: Os resultados da Telefónica España incluem os resultados da Terra España. Receitas por assinatura e habilitação (RTB.1 TELEFÓNICA ESPAÑA NEGÓCIO FIXO: DETALHE DE RECEITAS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 janeiro-dezembro 2006 % Var 2007 outubro-dezembro 2006 % Var Acesso Tradicional Serviços de Voz Tradicionais Tráfego 2 Interconexão 3 Comercialização de terminais e outros Serviços Internet e Banda Larga Banda Estreita Banda Larga Varejo 5 Atacado 6 Serviços de dados Serviços TI 1 2.249 42.203 729 237 237 716 18 698 624 74 309 133 689 1. Serviços de varejo ADSL e outros serviços de Internet.0) 952 918 2. Inclui Serviços Gestionados de voz e outras linhas de negócio.070 803 26.014 907 947 2.183 1.1% 506 3.1 11.8 4.8 11.901 359 1.2 (11. Megavía. serviços IRIS. Serviços de Informação (118xy). S.1) 15.614 11. Tráfego metropolitano.403 143 2. inter-estadual e internacional).203 740 211 252 640 26 615 532 83 270 136 (0.401 5.3) 7. TUP.679 2.0p.181 37. 96 Telefónica.

Resultados Janeiro - Dezembro 2007

TELEFÓNICA ESPAÑA NEGÓCIO CELULAR: DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS
Dados não auditados (Milhões de euros) 2007

janeiro-dezembro 2006 % Var 2007

outubro-dezembro 2006 % Var

Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx

9.693 4.241 43,8% 767

9.199 4.128 44,9% 750

5,4 2,8 (1,1p.p.) 2,4

2.407 902 37,5% 257

2.333 1.002 43,0% 341

3,2 (10,0) (5,5p.p.) (24,6)

TELEFÓNICA ESPAÑA NEGÓCIO CELULAR: DETALHE DE RECEITAS
Dados não auditados (Milhões de euros) 2007

janeiro-dezembro 2006 % Var 2007

outubro-dezembro 2006 % Var

Receitas de serviço Receitas de clientes Interconexão Roaming-in Outros Terminais

8.509 6.861 1.372 220 57 1.184

8.142 6.353 1.500 251 38 1.058

4,5 8,0 (8,6) (12,4) 49,5 11,9

2.111 1.718 333 44 17 296

2.058 1.623 373 47 15 275

2,6 5,8 (10,8) (6,3) 13,2 7,6

TELEFÓNICA ESPAÑA NEGÓCIO CELULAR: DADOS OPERACIONAIS
Dados não auditados

2006 dezembro março junho setembro

2007 dezembro % Var Anual

Clientes celulares (mil) Pré-pago Pós-pago

21.446,0 9.303,0 12.142,9
4T

21.813,7 9.283,8 12.529,9
1T

22.102,7 9.182,9 12.919,8
2T

22.419,7 9.158,0 13.261,7
3T

22.826,6 9.181,8 13.644,7
4T

6,4 (1,3) 12,4
% Var Anual

MoU (minutos) Pré-pago Pós-pago ARPU (EUR) Pré-pago Pós-pago ARPU de dados % Receitas nâo-P2P SMS s/receitas dados

157 66 228 33,0 15,9 45,7 5,0 45,3%

160 74 224 31,7 14,9 44,3 4,6 48,1%

159 67 225 32,8 15,7 45,1 4,6 49,5%

168 89 223 33,1 16,5 44,8 4,9 48,4%

156 64 218 31,8 15,0 43,2 5,0 47,7%

(0,8) (2,8) (4,4) (3,6) (5,7) (5,6) 1,8 2,4p.p.

Nota: O MoU e o ARPU são calculados como a média mensal do trimestre.

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

97

Telefónica Latinoamérica
De acordo com a nova estrutura do Grupo, os resultados da Telefónica Latinoamérica atingem os resultados das operadoras fixas e móveis do Grupo Telefónica na região da América latina. Por outro lado, as cifras do Grupo Telefónica Latinoamérica incluem os resultados da Telefónica Telecom desde 1 de maio de 2006. Em dezembro de 2007, o Grupo Telefónica Latinoamérica administra 134,1 milhões de acessos, 16,9% a mais que em dezembro de 2006, graças ao crescimento registrado pelos clientes de telefonia móvel que, com um aumento ano-a-ano de 22,4%, se situam em quase 102 milhões, após haver registrado no quarto trimestre seu maior ganho líquido trimestral, com 7,3 milhões de novos clientes. Destacam as elevadas taxas de crescimento registradas em praticamente todos os países no negócio móvel, sendo significativo o crescimento de clientes no México (+46,6% ano-aano), que já superam os 12,5 milhões de clientes, Argentina (+22,6%), com mais de 13,7 milhões de clientes, e Peru (+58,5%), com 8,1 milhões de clientes. Os acessos de telefonia fixa se situam em 23,9 milhões, mantendo-se em linha com os administrados no final de 2006, destacando a notável evolução da Telefónica do Peru (+11,3%) que permite compensar a menor planta em serviço em outros países. Os acessos varejistas à Internet de banda larga do grupo continuam com um forte ritmo de crescimento superando os 5,0 milhões, o que significa um crescimento ano-a-ano de 33,2% graças ao esforço comercial que se vem realizando em todas as operadoras. Em relação aos acessos de TV paga, a Telefónica Latinoamérica já conta com quase 1,2 milhões de clientes, com operações no Peru, Chile, Colômbia e desde o terceiro trimestre de 2007 no Brasil, inicialmente com a licença de TV via satélite da Telesp, que se complementa com a incorporação da TVA no quarto trimestre de 2007. No comparativo ano-a-ano, as moedas dos países em que opera a Telefónica Latinoamérica se depreciaram frente ao euro, exceto o real brasileiro e o peso colombiano, cujas taxas de câmbio médio mostram uma apreciação de 2,5% e de 3,7%, respectivamente. Isto se traduziu em um impacto negativo no crescimento de receitas e de OIBDA de 3,5 p.p. e 3,2 p.p. respectivamente, embora a tendência ao longo dos trimestres fosse decrescente (-3,7 p.p. em receitas e -3,5 p.p. de OIBDA nos nove primeiros meses do ano, e 5,0 p.p. em receitas e -4,9 p.p. em OIBDA no primeiro semestre de 2007).

Em 2007 a Telefónica Latinoamérica registrou um valor líquido da cifra de negócios (receitas) de 20.078 milhões de euros, 11,0% a mais que no mesmo período de 2006 em euros correntes. Em euros constantes o crescimento de receitas se eleva para 14,5%, dentro do faixa de crescimento comunicado ao mercado de +13% a +16%1. As mudanças no âmbito de consolidação colaboram em 1,5 p.p. para o crescimento em moeda constante das receitas da Telefónica Latinoamérica. Dentro dos países que mais contribuíram para este crescimento em moeda constante, destacam-se o México e a Venezuela, com 3,2 p.p. e 3,1 p.p. respectivamente. Em termos de contribuição às receitas da Telefónica Latinoamérica em moeda constante, o Brasil continua sendo o maior contribuinte com 38,2%, seguido da Venezuela (11,9%) e da Argentina (11,3%). O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) se situa em 7.121 milhões de euros em 2007, com um crescimento de 8,4% em euros correntes. Em euros constantes o crescimento do OIBDA da Telefónica Latinoamérica aumenta atingindo 11,5%. As mudanças no âmbito de consolidação colaboram em 1,0 p.p. para o crescimento em moeda constante do OIBDA da Telefónica Latinoamérica. Por países, a Venezuela é o maior contribuinte ao crescimento do OIBDA com 5,2 p.p., seguido do México (3,1 p.p.). Em termos absolutos, o Brasil é o maior contribuinte ao OIBDA da Telefónica Latinoamérica com 43,1%, seguido pela Venezuela (14,9%) e Argentina (11,1%). O crescimento do OIBDA da Telefónica Latinoamérica diminuiu no quarto trimestre do ano (+13,8% em euros constantes até setembro) como conseqüência do registro de 258 milhões de euros no trimestre no conceito de provisão de planos de adequação da base de empregados em distintas companhias do Grupo, ao ter acelerado a execução de planos já vigentes, e ter antecipado o lançamento de planos adicionais. No conjunto de 2007, o gasto registrado para adequação da base de empregados atinge 318 milhões de euros, dos quais 105 milhões de euros correspondem para a saída de 1.684 pessoas em 2007, enquanto que 213 milhões de euros correspondem a planos que terão vigência ao longo de 2008 e afetam principalmente a base de empregados da Telesp, Telefónica do Peru, Telefónica de Argentina, Telefónica Telecom e Telefónica Móveis Colombia. Quanto aos objetivos comunicados ao mercado, o OIBDA da Telefónica Latinoamérica registra um crescimento de 15,5%, dentro do faixa de 14% a 17%1 prevista pela companhia, no que não se contemplavam os gastos de adequação da base de empregados reunidos no quarto trimestre de 2007. A margem OIBDA da Telefónica Latinoamérica no exercício de 2007 se eleva a 35,5%, 0,9 p.p. inferior à de 2006, afetada pelas provisões de adequação da base de empregados mencionadas anteriormente. Excluindo estas provisões, a margem se situaria em 37,1% (0,3 p.p. superior a do exercício de 2006).

1

Os valores base de 2006 incluem oito meses da Telefónica Telecom (consolidada desde maio de 2006). Os objetivos para 2007 assumem taxas de câmbio constantes e não incluem mudanças no âmbito de consolidação. Para efeitos do cálculo de objetivos, o OIBDA não inclui receitas e gastos excepcionais não previstos em 2007. Os planos de adequação da base de empregados, assim como os planos imobiliários estão incluídos como receitas/gastos operacionais, com exceção dos decididos com posterioridade para a comunicação dos objetivos financeiros no início do ano. Para efeitos comparativos as receitas/gastos não previstos equivalentes registrados em 2006 também se deduziram da base de 2006.

98

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

Resultados Janeiro - Dezembro 2007

O investimento (CapEx) do grupo Telefónica Latinoamérica no final do mês de dezembro se eleva a 3.343 milhões de euros, com um crescimento ano-a-ano de 18,9% (+23,0% em euros constantes). Este aumento se produz fundamentalmente pela maior atividade comercial no negócio fixo, tanto em Banda Larga como em TV, assim como pela expansão da cobertura e capacidade das redes GSM no negócio móvel e aquisição de espectro na Venezuela, Brasil e Panamá para dar uma maior cobertura e assegurar a qualidade do serviço nas áreas de maior tráfego. Em 2007 a Telefónica Latinoamérica gerou um fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEx) de 3.778 milhões de euros, com um crescimento de 0,5% em euros correntes (+3,0% em euros constantes).

Em 2007, o mercado de banda larga manteve um forte ritmo de crescimento (+36% em relação a 2006). A Telesp captou aproximadamente 56% deste crescimento, incrementando sua base de clientes de banda larga varejistas em 28,7% ano-a-ano até superar os 2 milhões de acessos. Ao longo do ano produziram-se importantes acontecimentos, dos quais se destacam: o lançamento do Trio Telefónica em 12 de agosto, com diferentes opções quanto à velocidade e seleção de conteúdos de televisão; em 1 de outubro a companhia incluiu em sua oferta de TV os conteúdos GloboSat; e no quarto trimestre se efetivou a compra das operações de MMDS da companhia TVA. O tráfego de voz cursado pela Telesp no ano (71.140 milhões de minutos) registrou um aumento ano-a-ano de 1,5%, principalmente pelo crescimento do tráfego de longa distância entre acessos móveis SMP (+36,2%) como reflexo da estratégia de promoção conjunta com a Vivo. O tráfego local finalizou o ano em valores similares aos de 2006 apesar da redução da base de acessos de telefonia fixa. É especialmente relevante a evolução do tráfego Fixo-Móvel (-4,4% ano-a-ano), reflexo da forte migração que está ocorrendo para as redes móveis. A Telesp seguiu impulsionando a venda de pacotes de tráfego, tanto de linhas com pacotes (mensalidade e tráfego local fixo), como de pacotes de tráfego de Longa Distância, Fixo-Móvel e Banda Estreita. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) de Telesp em 2007 alcançou 5.619 milhões de euros, com uma diminuição de 1,5% em moeda local em relação a 2006. Esta evolução se explica fundamentalmente pelas menores receitas do negócio tradicional (-3,1% ano-a-ano em moeda local), influenciada pela perda de planta faturável de telefonia básica, a mudança na composição da planta, com uma maior penetração de linhas com controle de consumo, o reajuste negativo de tarifas de julho de 2006 e a redução de 20% nas tarifas de interconexão local no mês de janeiro. O crescimento de receitas de banda larga (+16,2% em moeda local) foi inferior ao aumento de planta pela maior competição no mercado, não podendo compensar totalmente a evolução do negócio tradicional. Em meados de outubro a operadora realizou um reajuste de tarifas no serviço de ADSL ao mesmo tempo em que se lançava uma melhora do portifólio de velocidades para os novos ADSL. As receitas do negócio de Internet (banda estreita + banda larga + TV) já representam 9,9% das receitas da companhia (8,5% em 2006) e aceleram seu crescimento (+14,1% ano-a-ano em moeda local, vs. +10,3% até setembro), pelo maior aumento das receitas de banda larga, e pela incorporação das receitas da TVA correspondentes ao quarto trimestre. Os gastos operacionais mostram um crescimento ano-a-ano acumulado de 5,9% em moeda local, afetado pelo maior nível de inadimplência, com um aumento na provisão para devedores duvidosos de 65,5% em moeda local em relação a 2006. O nível de inadimplência sobre receitas se situa em 3,6%, inferior aos 3,9% registrado até setembro, produto das medidas realizadas para conter esta taxa, relacionadas tanto com filtros de entrada mais rígidos e

Brasil A Telefónica Latinoamérica conta ao final de 2007 com cerca de 49 milhões de acessos no Brasil, 9,5% maior que em dezembro de 2006 graças ao crescimento registrado na base da Vivo (+15,2% ano-a-ano), e em menor medida pela expansão da banda larga da Telesp e a incorporação dos clientes de televisão paga MMDS da TVA contrabalançada pela menor base de acessos de telefonia fixa da Telesp e pelo ajuste no critério de contabilização de acessos à Internet de banda estreita realizado no segundo trimestre de 2007. Em 2007, a Telefónica Latinoamérica no Brasil registrou um valor líquido da cifra de negócios (receitas) de 7.662 milhões de euros, 3,2% superior em moeda local para a cifra alcançada no ano anterior, graças ao significativo aumento das vendas da Vivo, que compensam as menores receitas da Telesp. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) se situa em 3.026 milhões de euros, 3,8% inferior ao de 2006 em moeda local devido aos menores resultados registrados pela Telesp, em parte explicados pelo registro em 2006 de recuperações de impostos, assim como pelas maiores provisões por adequação da base de empregados em 2007 (que explicam 0,8 p.p. desta redução), que não são compensados pela notável melhora nos resultados da Vivo. Por sua vez, o investimento (CapEx) registrada no presente exercício atinge 1.087 milhões de euros, superior em 3,1% em moeda local ao volume de 2006, devido fundamentalmente pelos maiores investimentos realizados pela Telesp para os negócios de crescimento (banda larga e televisão). TELESP Ao final do exercício, a Telesp administra 15,5 milhões de acessos de telefonia, banda larga e TV, 1,2% inferior à cifra de 2006, devido tanto ao menor número de acessos de telefonia fixa, dado o forte crescimento da telefonia móvel registrado no país, como ao estabelecimento de um critério mais restritivo (baseado em atividade) para a contabilização dos acessos à Internet de banda estreita. Os acessos de telefonia fixa se situam ligeiramente abaixo dos 12 milhões (-1,2% ano-a-ano), dos quais em torno de 22% são linhas pré-pagas com limite de consumo. Assim mesmo, em dezembro de 2007 foram incorporados 196.300 acessos MMDS de TV da empresa TVA (recentemente adquirida), que se somam aos 34.600 acessos de TV DTH lançada em agosto de 2007.

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

99

3%. Estes planos.4 milhões de clientes.2% em moeda local. A base da Vivo se situa em 33. 2006. dentro da área de atuação da companhia. produto principalmente da boa aceitação das promoções de incentivo ao tráfego. 11. explicado pelos maiores investimentos em banda larga e TV paga. | Relatório Anual 2007 . e desde outubro. dezembro de 2006) em um mercado que alcança uma penetração de 65. o que significa um crescimento em relação a dezembro de 2006 de mais de 10 p. 9. Além disso.4%. o crescimento das receitas do serviço se situaria em 10. com uma participação de ganhos líquidos superior a 38% em sua área de atuação). Há que destacar a boa aceitação por parte do mercado da rede GSM da Vivo. é importante seguir destacando os planos Vivo Escolha como a ferramenta através da qual instrumentalizou o foco contínuo na captação e manutenção da base de clientes de valor.5 milhões de clientes (+15. Em termos trimestrais. e a margem teria se situado em 44. inferior ao do mesmo trimestre de 2006) e no nível anual atinge 2.438 milhões de euros.7% em moeda local. A Vivo segue mantendo no trimestre a liderança tanto em nível de participação de mercado como de adesões em sua área de atuação. Excluindo os gastos por adequação da base de empregados o OIBDA da Telesp teria caído 8. acelerando ainda mais o crescimento no quarto trimestre (+15. inferior a de 2006.5% ano-a-ano em moeda local). Também influem no crescimento dos gastos os maiores custos por serviços de terceiros (+5. a Vivo vem oferecendo campanhas convergentes com combos de minutos para chamadas móveis. A margem OIBDA se situa em 43. conseguindo no trimestre 85% das adesões nesta tecnologia. continua uma boa evolução dos resultados no segmento pré-pago. produto principalmente de maiores tráfegos com interconexão associada (especialmente SMP).2% ano-a-ano. 34% da base total. Adicionalmente.4 p.0% ano-a-ano em moeda local. após ter sido a líder do mercado quanto à captação de clientes no mês de dezembro (1.4% vs. afetada pelos fatores mencionados anteriormente. resultando em um significativo aumento da base de clientes e do ARPU.2% (frente a +8. assim como pelo aumento no roubo de cabos refletido nos últimos três trimestres.9 euros. O MoU acumulado total aumentou em 3.9%. próximo de 2. além disso.7 milhões acima do mesmo trimestre de 2006 (+66. Os gastos com pessoal aumentam 5. destacase o fato de que em setembro de 2006 se contabilizaram recuperações de impostos (Pis/Cofins).com um maior nível de ações de cobrança. afetados em grande parte pelas maiores receitas de interconexão.7% inferior ao registrado no ano anterior em moeda local. o que leva a companhia a acumular um ganho líquido no ano superior aos 4. fixas e Internet e dos pacotes móvel – fixo. melhorando o ARPU acumulado total em 14. o que gerou um crescimento do MoU de saída pré-pago de 22. ajudaram a aumentar o grau de permanência dos clientes. com um aumento do ARPU de saída acumulado de 22. que conseguiram melhorar substancialmente a percepção da oferta comercial por parte do mercado. S.2% maior que o registrado em 2006 em moeda local.2% vs. As receitas de serviço em moeda local crescem 18. Isto é reflexo dos altos níveis de atividade comercial. representando assim um dos maiores níveis dos últimos exercícios. devido às menores receitas do negócio tradicional. derivada dos planos “Vivo Escolha”. apesar da redução de 20% na tarifa de interconexão local. a liderança na capilaridade comercial. assim como pela continuidade de promoções de incentivo ao tráfego pré-pago e pela melhor capacidade de captação de póspago. Os gastos com fornecedores aumentam 3. O valor total das provisões atinge 54 milhões de euros. acentuados ainda mais neste último quarto trimestre. Ao final de 2007.1% nos nove primeiros meses do ano).0% em moeda local pelas provisões associadas aos programas de adequação da base de empregados.2 milhões de adesões. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) acumulado da Vivo em dezembro alcança 588 milhões de euros.5% ano-a-ano em moeda local atingindo os 11.6%. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) da Telesp em 2007 alcança 2.7% em relação ao quarto trimestre do exercício anterior e no conjunto do ano crescem 47.8% ano-a-ano em moeda local nos nove primeiros meses do exercício). O CapEx do exercício atinge 729 milhões de euros.7%. Este fato permitiu alcançar no ano 11.9%.3% (frente a 2. 3. conseqüência da supressão da regra Bill&Keep em julho de 2006.1% (0. No segmento de clientes pós-pago. às maiores provisões por inadimplência e aos maiores gastos por adequação da base de empregados. caracterizada pela forte competição no mercado produto da campanha de natal iniciada em novembro. Neste último trimestre a Vivo alcançou um volume de 4.396 milhões de euros (+16.p. VIVO Os bons resultados da Vivo no ano de 2007 refletem as distintas medidas de gestão realizadas ao longo de 2006 e 2007 para alcançar um crescimento com rentabilidade e uma maior satisfação dos clientes. Da mesma forma. dado que o churn total do quarto trimestre se situa em 2.4 milhões de clientes. que em 2007 afetou 800 empregados.3 milhões de clientes GSM. Este bom desempenho está impactado pela maior variedade de terminais. Os gastos com pessoal excluindo estas provisões caem 1. pela maior atividade comercial registrada na companhia).p. 100 Telefónica. dos quais cerca de 22 milhões de euros correspondem a planos que se realizarão nos primeiros meses de 2008. obtendo um crescimento do ARPU sainte de 8.5%).A. Descontando este efeito. É importante destacar o ganho líquido da Vivo no quarto trimestre.4% em moeda local. o quarto trimestre mantém a boa evolução observada durante todo o ano. 1.9 p.p.9% do exercício de 2006). 42% da base de pós-pago se encontra aderindo aos planos Vivo Escolha. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do ano atingiu 2.2 milhões de novos clientes. As adesões em pós-pago aumentam 39..9% frente ao mesmo período do ano anterior.

1.3% atingindo 819.7 milhões de acessos. No conjunto de 2007.6% em moeda local em relação a 2006 devido principalmente ao aumento dos gastos com pessoal (+68.5 milhões de acessos. As receitas do negócio de Internet e Banda Larga mostram um crescimento em 2007 de 34. Sem levar em conta o impacto da eliminação da regra de Bill & Keep.000. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) do exercício de 2007 alcança 773 milhões de euros. que alcançam 819.1% maior que em dezembro de 2006.3% ano-a-ano em moeda local). A boa evolução do negócio de Banda Larga é impulsionada pelo lançamento no último trimestre de 2006 do pacote DUO (minutos de voz e banda larga).8% vs. 2006). impactados pelos maiores custos de Argentina A Telefónica encerra o ano de 2007 na Argentina liderando o mercado em sua zona de influência. se destaca sua estabilidade frente ao ano de 2006 apesar da forte expansão do negócio móvel no país. Os gastos operacionais apresentam durante 2007 um crescimento de 30. do tráfego (principalmente de interconexão móvel-fixo). Em 2007 a companhia conseguiu alcançar a cobertura nacional. Excluindo-se estas provisões. A melhora das receitas de interconexão provém fundamentalmente do tráfego gerado pelas operadoras móveis e pela entrada internacional. o gasto registrado para a adequação da base de empregados atingiu 90 milhões de euros (67 milhões de euros no quarto trimestre de 2007). Estes maiores investimentos se devem ao desenvolvimento da banda larga e novos negócios. 2006) refletem a boa evolução dos pacotes de minutos. apesar da Vivo já ter acordado no mês de dezembro a venda para a Telemar das ações da Amazônia Celular. 2006. A margem OIBDA do ano se situa em 24.5% em moeda local vs.8% em relação a 2006. e a margem se situaria em 27. o negócio de Internet 40% e o resto os negócios de dados e tecnologia da informação.4% em moeda local vs.7% em moeda local em relação a 2006 até situar-se em 2.6 p. contribuindo o negócio tradicional em 45% deste crescimento.8% vs. com 819. que compensa em grande parte o aumento nos gastos comerciais. alcançando 25.000 e permitem compensar a ligeira perda de acessos de telefonia fixa (-1.A.1% vs. no quarto trimestre.0% em moeda local.8% em relação a dezembro de 2006. enquanto que 40 milhões de euros correspondem a planos que terão vigência nos próximos meses. As receitas de pacotes crescem apoiados nos pacotes locais fixo-fixo devido à grande aceitação da tarifa plana por chamada.7 p.7% em moeda local vs. como conseqüência principalmente das maiores receitas de redes privadas virtuais. 58. assegurar a qualidade do serviço nas áreas de maior tráfego.p.Dezembro 2007 30.9%. O investimento (CapEx) atinge 289 milhões de euros frente a 243 milhões de euros em 2006. Os negócios de dados e tecnologias da informação de 2007 mostram um aumento de 20. dos serviços de valor adicionado e da comercialização de equipamentos. | Relatório Anual 2007 101 . os gastos operacionais teriam crescido 14. o crescimento do OIBDA do ano de 2007 teria sido de 30. de projetos chave em mão e serviços por satélites.9% em moeda local em relação a 2006. Esta boa evolução operacional se reflete nos dados financeiros.3% em moeda local. o que representa um crescimento de 9. apoiado em uma boa evolução dos acessos varejistas de banda larga. 2.6% vs. As receitas do negócio tradicional em 2007 (+5. o que permite ainda.8% em moeda local vs. especialmente pela redução da inadimplência (-49. permitindo que o valor líquido da cifra de negócios (receitas) cresça 15.8% superior ao mesmo período de 2006 em moeda local. 2006) pelos aumentos salariais e as provisões associadas aos programas de adequação da base de empregados iniciados na segunda metade de 2006 e que se aceleraram significativamente na segunda metade de 2007. 2006). Esta evolução reflete o bom desempenho das receitas. sendo a melhora ano-a-ano da margem de 5. ao alcançar 19. lançada em meados de 2006. evolução do tráfego de interconexão móvel-fixo (+27.3% a mais que em 2006. um crescimento ano-a-ano de 8. que já representa 34% da planta de banda larga. que crescem 58.264 milhões de euros. situando-se a margem OIBDA em 32.3%). tanto local (-5. um crescimento de 15. com uma melhora de 2. Os gastos com fornecedores em 2007 aumentam 22. frente ao registrado em 2006. demonstrando o melhor controle realizado sobre os novos clientes captados nas campanhas.5%. O tráfego de rede inteligente mostra uma melhoria ao longo de todo o ano de 2007 (+51. As quedas do tráfego fixo-fixo.3% vs. 2006) como de interconexão (-4. com a aquisição de treze dos quinze lotes de licenças 1900 leiloados em setembro. Por outro lado. segue pendente a aprovação final por parte de Anatel para a aquisição da Telemig. representando 14% das receitas totais. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) de 2007 se situa em 984 milhões de euros. cujo comportamento em 2007 superou as expectativas. que aumentam 22. assim como ao aumento de capacidade na rede móvel.6%. 2006 e os de pessoal 18.7 milhões. Quanto ao tráfego total de voz. e pelos acessos de banda larga. e com a sentença da totalidade da banda J no leilão de licenças 3G realizado pela Anatel no mês de dezembro passado. Este aumento vem motivado pela forte captação de clientes móveis. que vem acompanhado pelas melhoras nos gastos de gestão de clientes.p.6 vezes os de dezembro de 2006.000 usuários no final do ano. que permite compensar a queda do negócio de banda estreita. dos quais 50 milhões de euros correspondem para a saída de 741 pessoas em 2007. 2006) são compensados pela boa Telefónica. 2006).Resultados Janeiro . S.7%.6%. A fonte principal deste crescimento em 2007 é o negócio de Banda Larga (+45. dezembro de 2006 e já superam os 13.4% vs. Telefónica de Argentina A Telefónica de Argentina administra no final de 2007 5. 2006) enquanto que o tráfego de telefonia pública registra quedas no acumulado de 2007 (-20.4%.6% vs.

Chile A Telefónica Latinoamérica administra no Chile. que compensam a queda do negócio de telefonia fixa tradicional.5% em relação a 2006. As receitas continuam impulsionadas pelos fortes crescimentos nos negócios de telefonia móvel. 9. o OIBDA teria crescido 6. encerrando o ano com a maior penetração da região. ao final do ano de 2007. O investimento (CapEx) do ano atinge 123 milhões de euros.4% atingindo 220. permite incrementar o resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) no ano em 36. publicidade. a companhia encerra o ano com cerca de 13.2 milhões. Os serviços de terceiros. A Telefónica Latinoamérica continua realizando um forte investimento no país. 9. com um crescimento de 7. impulsionado pelo crescimento dos acessos móveis (+10.6% atingindo 646.9 milhões em 2006). o foco na captação de clientes pós-pago. representando o ganho líquido de pós-pago no quarto trimestre de 2007 maior que 58% do total.9% em 2007.3% em moeda local. A planta pré-paga com limite de consumo representa 25% do total. a margem OIBDA de 2007 se situaria em 38. frente a quase 29.353 milhões de euros no ano de 2007 apresentando um aumento em moeda local de 18. que não conseguem compensar as economias alcançadas em outras rubricas (gastos gerais e trabalhos temporários). com um crescimento ano-a-ano de 32.p.2% em moeda local em relação ao ano anterior. o que significa um crescimento de 8.7% (39. com uma participação estimada de 65%. 13.p. e 1. que compensa os menores resultados do negócio fixo. enquanto que os de telefonia fixa caem 1.7% frente a 2006.p.9% em 2006). 2006). apoiado no bom comportamento das receitas do serviço.6% atingindo 6. que crescem 21. frente ao ano anterior. 102 Telefónica.700 no terceiro). O investimento (CapEx) se situa em 165 milhões de euros. Telefónica Chile Ao final de 2007.3 pontos percentuais vs.7 milhões de clientes.3% em moeda local. e. em relação a dezembro 2006). | Relatório Anual 2007 .p. alcançando no conjunto do ano um ganho líquido de 1.4% em moeda local frente a 2006.3 milhões). o que significa um crescimento de 7. acima do nível de 2006 devido a menores cobranças durante os dias de folga no período de crise sindical. -0. Os acessos de telefonia fixa da Telefónica Chile caem 1.aluguel de meios e de compra de equipamentos para sua venda. com um crescimento ano-a-ano de 14.1 milhões de clientes (+68. refletem os maiores custos comerciais associados para a maior atividade (serviços de atenção a clientes.000) e de TV paga (+133. O crescimento das receitas.5 milhões de ganho líquido (quase 2. ADSL e Televisão Paga.2% vs.5% em moeda local.9% das receitas do ano.9% (39. pelo crescimento do OIBDA do negócio móvel.1 milhões de acessos.4 p. o que significa alcançar 418 milhões de euros e situar a margem OIBDA em 30.3% menor em moeda local em relação ao ano anterior. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) acumulado no ano da Telefónica Latinoamérica no Chile alcança 1. a Telefónica Chile administra um total de 3.A. A companhia se mantém como a líder do mercado de linhas no país. menores gastos de gestão de clientes e de rede.6% maior que em dezembro de 2006. Os principais investimentos continuam sendo nas áreas com maiores crescimentos: telefonia móvel. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) alcança 1. Assim. A provisão para devedores representa 0. devido principalmente aos maiores gastos com pessoal explicados anteriormente. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) de 2007 alcança 716 milhões de euros.1% registrado no acumulado em setembro de 2007. embora se observe uma redução na perda trimestral de acessos de telefonia fixa (somente 300 acessos no quarto trimestre.000 no segundo. comissões e logística e distribuição) e os aumentos de preços de serviços tais como aluguéis.000 no primeiro. TEM Argentina Durante o ano de 2007 o mercado móvel argentino mantém um alto ritmo de crescimento superando 97% de penetração estimada em dezembro de 2007 (+20 p.000).7%.269 novos clientes.3% em moeda local. 0. energia ou fornecimento de energia. Excluindo-se o impacto dos gastos com adequação da base de empregados.4 milhões de acessos.7% em moeda local em relação a 2006.6% frente ao ano anterior. 3. Banda Larga e TV. No conjunto do ano cabe destacar a boa evolução do churn. em menor medida.5% atingindo 2.5% vs.2% superior em moeda local em comparação com o investimento do ano anterior. A margem OIBDA de 2007 se situa em 30. Contudo. Excluindo os gastos com adequação da base de empregados registrados. vs. melhorando 4. superior à realizada em 2006.5% (+13.814 milhões de euros. 30. pelo aumento dos acessos à Internet de Banda Larga varejista (+30.0% em 2006). S. dezembro de 2006).3 p.1 p. o que permite superar os 2. unido aos menores custos comerciais unitários. O peso da base GSM sobre o total da base de clientes já alcança 86. motivado pelo aumento de capacidade da rede realizado ao longo do ano. o ano 2006). a boa gestão realizada durante estes últimos meses permitiu reduzir a taxa de 1. Assim. O ganho líquido da TEM Argentina no quarto trimestre de 2007 atinge 656. diminuindo ligeiramente seu peso frente a trimestres anteriores. Convém destacar ao longo de 2007 e com especial ênfase no quarto trimestre do ano. que se situa em níveis inferiores ao ano anterior (1.5% em relação ao ano anterior. 33. um aumento da base de 22. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) da Telefónica de Argentina no ano de 2007 alcança 356 milhões de euros. o investimento (CapEx) em 2007 alcança 418 milhões de euros. destinando-se fundamentalmente ao crescimento da banda larga e novos negócios. 2006 em moeda local.

as receitas de serviço crescem 23.6% em dezembro de 2006). Desta maneira. e ao “upgrade” dos planos e venda de pacotes de minutos e SVAs.1% em moeda local. o aumento da base de clientes pós-pago (24. apoiado principalmente no processo migratório para GSM. Telefónica.8 p. convertendo-se na primeira empresa em oferecê-lo na América Latina.6% (+7.5 milhões (+31. de seu serviço de Televisão sobre IP. que continua acelerando seu ritmo de crescimento trimestre após trimestre (+8. reconhecendo o bom comportamento das receitas. com um crescimento de 4. compensando as menores receitas do negócio tradicional (-5.000 clientes ao final de 2007.7%). TEM Chile O mercado móvel chileno continuou com um crescimento agressivo durante 2007. o lançamento de IPTV. alcançando 6. Em junho de 2007 a companhia anunciou a disponibilidade. Os gastos com pessoal aumentam 4. já que o peso do crescimento associado aos custos por conteúdos para TV e espaço satelital. e colaboram com mais de 60% do ganho líquido do exercício. principalmente pela entrada em vigor da nova Lei de Subcontratação. Ao final de 2007 a Telefónica Chile administra 646. Excluindo os gastos por adequação da base de empregados. superior a de 2006.8%.p.5% frente ao ano anterior em moeda local.1% em moeda local.4% em moeda local. continua compensando a queda do negócio fixo tradicional com um aumento das receitas por serviços de Banda Larga e Televisão Paga.9% sobre receitas. Os clientes pós-pagos atingem 1. A Telefónica Chile continua impulsionando o crescimento do negócio de Televisão Paga. a Telefónica Chile se consolida como o segundo operador de TV Paga do país. 17 p.5%.5% do total das receitas da operadora.5% da base de clientes total em dezembro de 2007 frente a 20. A Telefónica Chile.2% até setembro). o que reflete a evolução positiva do ARPU em moeda local (+12. atingindo 90%. enquanto que as receitas do negócio tradicional reduzem seu peso atingindo 75% (-7.3% inferior ao de 2006 em moeda local.p vs o ano anterior). O investimento (CapEx) de 2007 alcança 220 milhões de euros. com uma participação de mercado estimada em 50%. os gastos com pessoal crescem 13.0% ano-aano em moeda local. durante os últimos meses do ano foram lançados novos serviços para a plataforma de televisão DTH. S. A margem OIBDA em 2007 alcança 37. que aumentam o ARPU do cliente final. o valor líquido da cifra de negócio (receitas) de 2007 alcança 974 milhões de euros.457 clientes no ano. 7.p.Resultados Janeiro . e alcança 220. O forte crescimento dos serviços de TV via Satélite (DTH).4% ano-aano no primeiro trimestre. O valor líquido da cifra de negócio (receitas) de 2007 mostra um crescimento ano-a-ano em moeda local de 25. maior que em 2006. o que representa um crescimento em moeda local de 30. alcança os 348 milhões de euros. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) de 2007 atinge 368 milhões de euros.p. em determinadas zonas de Santiago. associados pela maior atividade comercial e as melhoras na qualidade de serviço e na atenção ao cliente. O lançamento dos serviços de TV em junho de 2006 e o crescimento da penetração de Banda Larga permitem um crescimento das receitas de Internet e Banda Larga de 79.1% frente ao ano anterior. frente a +2.8 p.5%. alcançando 930 milhões de euros.000 acessos a Internet de Banda Larga varejista.5 p.7% até setembro). Além disso. baseados em novos decodificadores com funcionalidades de gravação (PVR: Personal Video Recorder). após registrar um ganho líquido de 602. 0. embora no último trimestre acelerou o crescimento da base de clientes pré-pago (+5. com foco na fidelização de clientes finais em torno da oferta de pacotes DUO e TRIO. A Telefónica Móveis Chile mantém a liderança do mercado. Por sua parte. O gasto pela provisão de devedores alcança 2. Desta forma. | Relatório Anual 2007 103 . Os fornecedores crescem 2.p. As receitas de Internet e Banda Larga representam em 2007 18.3 milhões de clientes no final de 2007. especialmente o ligado ao tráfego fixo-móvel. Após um ano e meio de operações. graças a maior eficiência e apesar do maior esforço comercial realizado pela agressividade do mercado e pelas ações derivadas da migração tecnológica e de segmento. Os principais aumentos se produzem em serviços de terceiros (+19. reduz o custo por interconexão. mantendo-se assim como líder do mercado de Banda Larga no Chile. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA). com uma estratégia centrada no lançamento do Triple Play para incrementar o número de serviços contratados pelos clientes assim como seu ARPU. o crescimento da planta ADSL e as ações dirigidas para a melhora da qualidade da rede continuam sendo os principais impulsores da maior atividade de investimento. Destaca em dezembro de 2007 o lançamento da rede 3G.7% em moeda local em relação a 2006.8% em moeda local). período em que a penetração estimada aumentou em 8 p.5% no segundo e +11. o crescimento ano-a-ano da base de clientes aumentou atingindo 10.9% frente ao mesmo período do ano anterior. pela mencionada lei. com um crescimento ano-a-ano em 2007 de 27. 5.3%). alcançando os clientes nesta tecnologia 89% da base total. com um crescimento de 34.0% em moeda local frente a 2006. com uma participação de mercado estimada de 17%. +10.2% ano-a-ano. maior que em dezembro 2006.6% no terceiro). Os gastos operacionais mostram um crescimento em moeda local de 8. As adesões em GSM impulsionam o crescimento da base móvel. O cenário competitivo da telefonia no Chile reflete uma forte substituição dos serviços de telefonia tradicional pelo tráfego móvel.3% em moeda local. que caem 65.A.Dezembro 2007 A operadora continua crescendo em termos de acessos de Banda Larga e Televisão Paga.4% ano-a-ano). O investimento (CapEx) acumulado atingiu 198 milhões de euros.

O investimento (CapEx) se situa em 126 milhões de euros com um decréscimo de 0. Pelo contrário. Telefónica do Peru A Telefónica do Peru alcança uma planta total de acessos de 4.0% em moeda local em relação ao exercício anterior. com um crescimento ano-a-ano de 13. pela queda do OIBDA na operadora fixa (-28. fruto da maior penetração da telefonia móvel. Os aumentos dos gastos diretamente relacionados com a maior atividade comercial foram compensados pelos menores crescimentos registrados em gastos com pessoal sem incluir os relativos à adequação da base de empregados e pelos gastos com fornecedores de interconexão e aluguel de meios. cabe destacar também o aumento da provisão para insolvências de tráfego (1.1 p. Adicionalmente.4%).2% ano-a-ano em moeda local. especialmente na modalidade de pré-pago.1 milhões de acessos. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) alcança 311 milhões de euros em 2007 apresentando um decréscimo ano-aano de 28. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) se situa em 469 milhões de euros ao final do exercício.8% das receitas) conseqüência da comercialização a grupos socioeconômicos com rendas mais baixas. S. compensado pelo aumento do tráfego fixo-móvel.7% em moeda local e a margem se situaria em 40. a queda do tráfego de longa distância nacional (-7. afetados pela redução das tarifas acordada com o governo em 2006 e pela queda das receitas de longa distância devido à eliminação da pré-seleção por defeito em outubro.031 milhões de euros. inferior ao registrado o ano anterior. registraram uma positiva evolução ao longo do ano devido fundamentalmente ao bom comportamento mostrado pelos acessos de Telefonia Fixa sem fio. o total de gastos operacionais mostraria um crescimento ano-a-ano acumulado de 2.584 linhas. e do menor tráfego de Telefonia de Uso Público. 104 Telefónica.045 usuários registrando um crescimento de 14.2%). 15.8%. ligeiramente abaixo do acumulado no mês de setembro (+8.8 milhões no final de dezembro (+11.p. tanto de origem móvel como internacional. o que significa que 55% do investimento está concentrado no negócio de celular. Os gastos operacionais em 2007 crescem em moeda local 19. graças ao impulso dos acessos de telefonia fixa sem fio e de banda larga.9%.6% inferior ao do ano de 2006 em moeda local.8%. 1. a planta de TV alcança 640. O investimento (CapEx) alcança 281 milhões de euros com um crescimento ano-a-ano em moeda local de 35. o OIBDA mostraria um crescimento ano-a-ano de 3.6% em 2006. explicado fundamentalmente pela redução das receitas da Telefonia de Uso Público (-28.5% em moeda local. Excluindo o efeito dos gastos de adequação da base de empregados. é destacável o forte crescimento que mantém os negócios de Banda Larga (+24.0 milhões ao finalizar o ano. Excluindo o efeito dos gastos com adequação de base de empregados. principalmente pelos clientes de DTH. cuja planta se situa em 228.3%).Peru O total de acessos da Telefónica no Peru se situa em 12. 2.6%). 10.5% registrado pelos acessos móveis. destaca-se o crescimento dos acessos do projeto comum Fixo-Móvel (IRIS). assim como os crescimentos registrados nos acessos de Banda Larga e TV. refletindo um decréscimo de 2.4%) como conseqüência da eliminação da pré-seleção por defeito no mês de outubro.2%. O tráfego de voz cresce no acumulado de dezembro 7. | Relatório Anual 2007 .2 milhões em dezembro de 2007.3%. No sentido contrário.6%) e pelas menores receitas de telefonia básica. apresentando um crescimento ano-a-ano de 39. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) alcança 1. se destaca o forte crescimento registrado pelo tráfego de entrada (+39.9% devido ao aumento dos gastos com pessoal. atingindo 8.2%. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) da Telefónica no Peru em 2007 se situa em 1.7 p. Não obstante. Este menor avanço é explicado pela ligeira queda do tráfego fixo- fixo (-0. que acentua sua queda (-34. lançado no mês de março com a finalidade de aumentar a penetração da telefonia fixa. o gasto registrado por adequação da base de empregados atinge 105 milhões de euros.7%).0% frente a 40.6% em moeda local. o OIBDA mostraria um decréscimo ano-a-ano de 4.513 milhões de euros.5%) devido à competição da telefonia móvel e aos telefones móveis informais. No conjunto de 2007.0% em moeda local).9% em moeda local) e Televisão (+24. que alcançam 2.p. Cabe destacar o importante esforço de investimento realizado para aumentar a capacidade da rede móvel devido ao maior nível de tráfego cursado. Os acessos de Banda Larga crescem 22. A margem OIBDA se situa em 2007 em 30. A margem OIBDA se situa em 2007 em 31.2% do total de receitas (20.9%. inferior ao registrado no ano anterior. conseqüência do maior gasto com adequação da base de empregados e do maior gasto comercial e do relacionado com contingências do tipo laboral e tributária.2% em moeda local e a margem se situaria em 37.088 usuários. Os acessos de telefonia fixa. Excluindo o impacto deste programa. situando-se em 572.0%. como conseqüência do registro 104 milhões de euros no trimestre no conceito de provisão do plano de adequação de base de empregados iniciada em 2007 e com vigência ao longo de 2008.5% superior ao registrado em 2006 em moeda local. que registram 105 milhões de euros em conceito de provisões associadas à adequação da base de empregados iniciada em 2007 e com vigência ao longo de 2008. As receitas de Internet e Banda Larga (Banda Larga + Banda Estreita + TV) registram no acumulado do ano 25. Os principais fatores do comportamento registrado nas receitas foram as receitas de saída de pré-pago no negócio móvel e os correspondentes aos serviços de Banda Larga e Televisão no negócio fixo.2% em 2006).1%. Adicionalmente.A. impulsionado pelo aumento de 58.

ao mesmo tempo em que reforçou sua posição nas zonas onde tem uma posição de liderança. As receitas de saída de clientes pós-pago crescem ainda que em menor medida (+14.6%).5% em relação a 2006 em moeda local.4% em moeda local como resultado do registro de uma provisão de 3. Adicionalmente. Os gastos operacionais acumulados em dezembro de 2007 apresentam um crescimento ano-a-ano de 16.4% ano-a-ano em moeda local) compensa as menores receitas do negócio de banda estreita (-22.3% ano-a-ano). alcançando 1. S.9%. Excluindo o impacto do plano de adequação da base de empregados.271 acessos no final de dezembro de 2007). Telefónica.Dezembro 2007 TEM Perú O mercado de telecomunicações móveis no Peru no ano de 2007 se caracterizou pela aceleração do crescimento.930 clientes de TV no final de dezembro de 2007. a Telefónica alcançou 11.9% em moeda local no acumulado de 2007).8% em moeda local) pela migração para a banda larga. O investimento (CapEx) no final do exercício de 2007 se situa em 155 milhões de euros. os gastos com pessoal teriam apresentado um crescimento de 13. Telecom se consolida no Grupo Telefónica a partir de maio de 2006. comercializando aumentos de velocidade no segmento empresas. com um crescimento ano-a-ano de 58. | Relatório Anual 2007 105 . produto. a margem OIBDA em dezembro de 2007 se situa em 30. A intensa atividade comercial realizada pela Telefónica Móveis Perú permitiu um forte ritmo de crescimento no nível de adesões registrado em 2007.230 acessos. as adesões e o ganho líquido do quarto trimestre se situam em máximos históricos. cuja planta praticamente triplicou frente ao final de dezembro de 2006 (alcançando um total de 200. O processo de migração de clientes para GSM continua. mostrando uma elevada elasticidade ante as promoções realizadas nas recargas de cartões pré-pago com as campanhas “Duplica” e “Triplica”. sendo destacável o avanço do segmento pré-pago.7 p.3% em moeda local ano-a-ano).2%. o OIBDA cresceria 16. ampliou-se a oferta.1 milhões de clientes. mostrando um crescimento de 8. frente a dezembro de 2006). vs. 2 T. o que representa um crescimento de 42.7% frente ao ano anterior.6 milhões no final de dezembro de 2007.8% em dezembro de 2007. O produto de TV via Satélite lançado no início do ano. Excluindo o impacto desta provisão. um produto chave que permite a Telefónica Telecom lançar ofertas “Trio” (Voz. explicado fundamentalmente pelo crescimento dos fornecedores e das provisões de devedores. principalmente.4%. Adicionalmente. o que representa um decréscimo de 2.7% em dezembro de 2006 contra 8.5%. aumentando a contribuição em relação ao total de receitas em 4. após a consolidação da Telefónica Telecom a partir de maio de 2006.0% em moeda local.9% em moeda constante frente ao ano anterior. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) em 2007 atingiu 485 milhões de euros.A.1% acima do ano anterior.5%.Resultados Janeiro . Cabe destacar as maiores receitas de serviço. respectivamente. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) alcança 158 milhões de euros. que impulsionadas pelo excelente comportamento que tiveram durante todo o exercício as receitas de saída de clientes pré-pago (+129. crescendo 92. representando os clientes GSM 77% da base total no final de dezembro frente a 42% em dezembro 2006.p. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do exercício de 2007 atinge 603 milhões de euros (+40. equivalente a um crescimento ano-a-ano de 16. o que representa um crescimento de 27. dezembro de 2006). Desta maneira. alavancado principalmente em uma forte aposta pela banda larga. do crescimento das receitas do negócio de Internet e Banda Larga (+100.1% em moeda local. O forte crescimento das receitas do negócio de banda larga (+165. Colombia No final de dezembro de 2007.2 p.p. Banda Larga e Televisão).569 milhões de euros. 7. como resultado da consolidação da Telefónica Telecom a partir de maio de 2006 e do forte crescimento tanto das receitas de Internet e Banda Larga como das receitas de serviço do negócio móvel.0 milhões de acessos na Colômbia com um crescimento de 7. No final do período a base da Telefónica Móveis Perú se situa em 8.5% em moeda local). sobre a do exercício anterior. Telefónica Telecom2 Os acessos totais da Telefónica Telecom se situaram em 2. e que compensou os menores acessos de telefonia fixa (-1. que cresce ano-a-ano acima de 66%.3% em moeda local em relação ao ano anterior e sendo destinado principalmente ao aumento de capacidade de rede. No acumulado de dezembro de 2007. alcançando uma penetração estimada ao final de 2007 de 48% (+16 p. Em dezembro 2007. As variações publicadas se calculam frente a 2006 proforma. as quais mostraram um aumento ano-a-ano de 74.3% ano-a-ano em moeda local apesar dos maiores gastos comerciais derivados da forte atividade comercial que impulsionou o aumento da planta. a companhia ampliou a cobertura de banda larga para novas cidades e municípios. conta com 72. crescendo 27. o valor líquido da cifra de negócios (receitas) dos negócios fixo e móvel alcançou 1. A Telefónica Telecom alcançou um resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) em 2007 de 299 milhões de euros.2 milhões de euros no quarto trimestre de 2007 no conceito do plano de adequação da base de empregados iniciada em 2007 e com vigência ao longo de 2008. crescem muito acima da base média. destacando o forte desenvolvimento da banda larga.0% em moeda local.p. A margem OIBDA se situa em 26.9% (+3. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do negócio de telefonia fixa atingiu 739 milhões de euros em 2007.6 milhões e 908. Os gastos com pessoal apresentaram um crescimento de 17.

As receitas de serviço mostraram um crescimento de 13. A Telefónica Móveis Colombia registrou uma provisão de 2.4% dos mesmos em GSM (+21.p.7 p. Deste modo.532 clientes.4% no acumulado de dezembro. O churn acumulado em dezembro foi de 3. alcançando praticamente no conjunto do ano de 2007 7.1% em comparação com o mesmo trimestre de 2006. a base de clientes da Telefónica Móveis México alcança no final de dezembro de 2007 12. o tráfego. Pelo lado do churn. Assim. vs. durante o quarto trimestre de 2007 registrou-se um ganho líquido de 820. que se refletiram durante este ano.8% em moeda local.7%. refletindo um crescimento em moeda local de 7. Quanto ao consumo. onde a companhia voltou a destacar o lançamento de produtos inovadores.7%. o OIBDA apresentaria um crescimento de 31. A margem OIBDA se situou em 21. México Em dezembro de 2007 a penetração estimada no mercado mexicano alcança 64% (+11 p.9% frente ao final de dezembro de 2006). O valor líquido da cifra de negócios (receitas) alcançou 869 milhões de euros em 2007.6 p. na depuração e reativação da base de clientes inativa. No acumulado do ano de 2007.4 milhões de clientes (+7. destinado principalmente ao desenvolvimento da banda larga e a projetos regionais de sistemas. ano-a-ano atingindo 2. O churn do quarto trimestre se reduziu em 1.0% em moeda local. 0. e o ARPU do quarto trimestre de 2007 cresce ano-a-ano em moeda local 5. TEM Colombia Na Colômbia o mercado de telefonia móvel. acima do dado de 2006.7% e a margem OIBDA teria se situado em 21. as adesões aumentaram 61.0% em relação ao mesmo período do ano anterior. especialmente de saída e on-net segue mostrando aumentos muito importantes com relação ao quarto trimestre de 2006. 106 Telefónica.4% atingindo 9. 42.7% maior que no ano 2006.0 p. crescendo acima da base média de clientes. Durante o quarto trimestre de 2007. alcançando uma penetração estimada de 75% em dezembro de 2007.5 milhões de clientes (dos quais 700. enquanto que o acumulado do ano de 2007. e passe a refletir o impacto da queda das tarifas de interconexão a partir do mês de dezembro de 2007.5 milhões de euros no quarto trimestre de 2007 em conceito de plano de adequação da base de empregados iniciada em 2007 e com vigência ao longo de 2008.p.p. o que significa um aumento de 32.p.6% em relação ao mesmo período do ano anterior.A.8 vezes o ganho líquido acumulado no exercício de 2006. ainda que ligeiramente menores aos de trimestres anteriores. o ganho líquido alcança quase 4. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) alcançou 186 milhões de euros em 2007. em dezembro de 2006. a notável melhora na qualidade das adesões captadas no exercício de 2007.4 p.p. O investimento (CapEx) acumulado em dezembro de 2007 atingiu 180 milhões de euros. o que significa um aumento de 56. que no marco da Campanha de Natal permitiu superar 2. Esta boa evolução da base está apoiada na introdução durante o quarto trimestre de 2007 de uma oferta comercial em pré-pago competitiva e flexível.p.. Excluindo o impacto do plano de adequação da base de empregados. Deste modo.“Movistar Pagamenos”. Da mesma forma. o que significa um crescimento de 46. e na ampliação do nível de cobertura GSM.p.000 correspondem a clientes pós-pagos). com um aumento da capilaridade e uma considerável melhora de produtividade. o que significa um aumento de 8 p. o que significa de novo um maior ritmo de crescimento ano-a-ano do mercado.6% em relação a dezembro de 2006.3 milhões de adesões no quarto trimestre de 2007. com 81.4% como conseqüência dos menores subsídios aplicados desde o último trimestre de 2006 depois das agressivas campanhas comerciais lançadas até o momento. dezembro de 2006). registrando um aumento em relação ao mesmo período de 2006 de 3. alcançando no conjunto do ano um crescimento de 15. alcançou 32. assim como a introdução de recargas de menor valor.4% em relação a 2006. convém ressaltar que apesar de já se cumprir mais de um ano desde o lançamento da oferta comercial que introduziu no mercado mexicano o conceito de “cobrança por chamada”. ainda que com um crescimento menor. Durante 2007 as atividades da companhia se centraram na reestruturação comercial. vs. 1.4% em moeda local frente a 2006. frente ao final de 2006). | Relatório Anual 2007 .5%.8 p.0 milhões. como resultado do impacto das baixas de clientes de baixo valor captados nas agressivas campanhas de 2006. situando-se no quarto trimestre de 2007 em 2. A atividade comercial da Telefónica Móveis México durante o quarto trimestre de 2007 esteve marcada pelo desenvolvimento da Campanha de Natal. 30. S.8% superiores às registradas no mesmo período do ano anterior. o quarto trimestre de 2006) e se mantenha estável frente ao terceiro trimestre de 2007.3 milhões. onde a base de dezembro de 2007 se situa em 8. Isto unido ao desenvolvimento de sua rede comercial e para as contínuas melhoras na qualidade da rede permitiram sustentar o forte crescimento de sua atividade comercial.5 milhões de clientes. (-0. permite que este continue sua tendência positiva. Como resultado da forte captação e da melhora de churn.5%.2 euros.3 milhões de clientes em 2007 e segue mostrando um forte aumento. o que significa um crescimento ano-a-ano de 30. se seguiu trabalhando em uma oferta comercial que equipara os preços independentemente do destino da chamada. conforme as expectativas de seus clientes. as adesões totais diminuem 8. o MoU no quarto trimestre de 2007 atinge 164 minutos. orientados para a consolidação de uma oferta comercial competitiva.O investimento (CapEx) em dezembro de 2007 atingiu 180 milhões de euros. o ganho líquido no quarto trimestre de 2007 se situa quase nos 1.

42. A favorável evolução das receitas de serviço se sustenta fundamentalmente na evolução das receitas de saída ainda que também nas de entrada.1% vs.3%. Destaca-se o bom comportamento do ARPU em termos acumulados (+1.5% em nível acumulado até totalizar 1. dezembro de 2006). vs. o mesmo período de 2006) como no conjunto do ano de 2007 (+65. assim como a promoção de novos planos para pré-pagos. pacotes adicionais com maior tráfego on-net. Deste modo.4 p. denominados “A tu medida”. apoiados ambos no efeito positivo da entrada em vigor do sistema “Quem teledona paga nacional” em novembro de 2006. ou descargas de dados em função de suas preferências. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) acumulado em dezembro de 2007 alcança 2. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) do quarto trimestre de 2007 reflete a boa evolução das receitas e das melhoras de eficiência alcançadas pela maior escala conseguida. Este crescimento está apoiado na boa evolução das receitas de serviço.4% em moeda local em relação ao mesmo período de 2006 e de 58. | Relatório Anual 2007 107 .431 milhões de euros. O investimento (CapEx) do ano de 2007 atinge 370 milhões de euros (232 milhões de euros em 2006).Dezembro 2007 Estes positivos resultados operacionais permitem que o valor da cifra de negócios (receitas) do quarto trimestre de 2007 atinja 420 milhões de euros e mostre um crescimento de 56.4% vs. o mercado móvel venezuelano alcança uma penetração estimada de aproximadamente 85%. os registrados em 2006) que seguem crescendo acima da base. o que significa uma expansão de margens de 8. representando a base GSM em dezembro de 2007 35% do total de linhas móveis. até situar-se no quarto trimestre de 2007 em 15. 2006 em moeda local). Deste modo. maior que em dezembro de 2006. o que representa uma margem de 12.4% no quarto trimestre de 2007 vs.7%. podendo acrescentar ao pacote de segundos on-net.p.6% no quarto trimestre de 2007. Apesar da intensa atividade comercial deste quarto trimestre.060 milhões de euros. SMS. tráfego para outras operadoras. o quarto trimestre de 2006 situando-se em 2.5%. o 61% das adesões se realizaram nesta tecnologia. o OIBDA de 2007 se situa em 179 milhões de euros. Assim. Venezuela Em dezembro de 2007. 15 p.Resultados Janeiro . mantendo-se em ambos os períodos acima do crescimento da base (+46.4%). frente aos 22 milhões de euros registrados no quarto trimestre de 2006.0% acima do obtido no mesmo período do ano anterior em moeda local. o exercício anterior.2% vs. derivado do importante esforço de investimento realizado tanto no comportamento da rede GSM como na aquisição de uma licença para prestar serviço na banda de 1900MHz por 88 milhões de euros.6 p.1% do ARPU de saída que consegue compensar o corte das tarifas de interconexão introduzido no mês de julho passado de 34%. enquanto que o crescimento acumulado em dezembro de 2007 atinge 82.p.A. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) para o conjunto do exercício alcança 1. permitindo que a margem OIBDA do ano de 2007 se situe em 44. o ano de 2006. As receitas de saída do quarto trimestre de 2007 moderam seu crescimento atingindo 67.8% vs. no final do exercício a base da Telefónica Móveis Venezuela supera os 10. 2006). como resultado do aumento de capacidade registrado para gerenciar os aumentos de tráfego alcançados. o OIBDA alcança 66 milhões de euros. uma expansão de margens de 4. vs. Durante o quarto trimestre do ano a Telefónica Móveis Venezuela baseia sua estratégia comercial em oferecer uma maior gama de terminais que seus competidores. graças ao crescimento das receitas e aos menores custos unitários dos terminais GSM. apoiado em um sustentado aumento ano-a-ano do tráfego on-net.p. A rápida migração da base de clientes GSM está atrás do aumento de churn em 0.p.7% em moeda local com relação ao quarto trimestre de 2006. O investimento (CapEx) acumulado no exercício de 2007 atinge 230 milhões de euros frente aos 180 milhões registrados no exercício de 2006. ofertando terminais em exclusividade.1%. As receitas de entrada.4 milhões de clientes (+18. S.9% vs. tanto do quarto trimestre de 2007 (+55. Isto permite ao cliente adaptar o plano conforme as suas necessidades.3 p.6 milhões de novas linhas no ano. Desde o lançamento da rede GSM no início do ano de 2007.392 milhões de euros (+27. após colocar em serviço o sistema “O que llama paga nacional”. suportado no crescimento de 4. registram um avanço ano-a-ano de 31. frente a uma perda operacional do exercício de 2006 de 11 milhões de euros.9% vs. registrando um ganho líquido de mais de 1. o quarto trimestre de 2006 e de 42.6%) e refletindo deste modo a maior qualidade e consumo da base de clientes. Telefónica. o fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEx) se situa em -51 milhões de euros o que significa uma significativa melhora em relação ao fluxo de caixa operacional registrado no exercício de 2006 de -191 milhões de euros. apoiado no crescimento das receitas de serviço (+27.

Como resultado da boa evolução comercial da companhia.9% em setembro de 2007) devido principalmente à melhora da receita de saída de pós-pago (+8. As receitas de serviço cresceram 0. sustentado pelo esquema promocional que incentiva o consumo do pré-pago e pela aplicação de uma tarifa única.1% (+3. Neste contexto. o que significa um crescimento de 36.681 clientes.8%.5% em moeda local em relação a 2006.9% em termos anuais em moeda constante. 25.A. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) em dezembro de 2007 atingiu 291 milhões de euros. mostrando uma alteração na tendência do seu comportamento (crescimento de 14. o que significa um crescimento de 37.530 clientes. explicado principalmente pelo aumento da capacidade e da cobertura na rede móvel da região. a penetração estimada no mercado da América Central alcançou 69% (+23 p. Este bom comportamento das receitas de serviço durante o exercício de 2007 apoiou-se principalmente na favorável evolução das receitas de saída (+28.3% de clientes em GSM (+18. o que significa um crescimento de 9 p.3%. com 70. o MoU de saída acumulado no final de 2007 aumentou em 18.1 p. destacando novamente a Guatemala.p. equivalente a um crescimento de 35% em moeda constante frente a 2006.5% frente a 2006. atingindo um ganho líquido durante 2007 de 1. as campanhas de Natal e do Dia das Mães. permitiram alcançar no quarto trimestre de 2007 um nível de altas na região 25% superior às registradas em 2006.6 milhões em dezembro de 2007. Cabe destacar o forte crescimento do número de clientes na tarifa “movistar” e “multicolor” (tarifas preferenciais para chamadas on-net e off-net. 10 vezes mais que o início do ano. A margem OIBDA situou-se em 40.3% em 2007. apresentando um crescimento de 16. 5. Adicionalmente.p. O investimento (CapEx) acumulado no final de 2007 alcançou 133 milhões de euros. frente a dezembro de 2006). alcançando cerca de um milhão de clientes em dezembro de 2007. El Salvador e Nicarágua) manteve o forte aumento de sua atividade comercial em relação ao mesmo período do exercício anterior. A base da Telefónica Móveis Equador atingiu 2. Equador O mercado equatoriano experimentou um forte crescimento em 2007 até alcançar uma penetração estimada de 70% no final do ano. o resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) alcançou 236 milhões de euros no período de janeiro-dezembro de 2007. atingindo 86 minutos. Guatemala. novamente.4% superiores ao mesmo trimestre do ano anterior. As receitas de serviços (+10. O investimento (CapEx) em dezembro de 2007 atingiu 68 milhões de euros.5 p. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) em dezembro de 2007 alcançou 73 milhões de euros.8 p. A margem OIBDA atingiu. em relação a 2006. no final de 2007. frente a 2006). S.1% no quarto trimestre de 2007 frente ao decréscimo ano-a-ano de 3. Do ponto de vista operacional. frente ao quarto trimestre de 2006) mantiveram a tendência positiva de trimestres anteriores.8% em moeda local em relação ao exercício anterior para fazer frente ao forte crescimento do tráfego que a operadora está vivenciando.230 clientes de póspago). em dezembro de 2007. Esta boa evolução da base se apóia na efetividade das campanhas comerciais realizadas ao longo do ano. mostrando um crescimento de 15.9% em termos constantes frente a 2006). 51.448. o ganho líquido no quarto trimestre alcançou 400. frente a 2006).p.9% em termos constantes em relação a 2006.7% superiores ao mesmo período de 2006 em termos constantes. em relação ao final de dezembro de 2006. no caso do Panamá.3 milhões de clientes (dos quais 268. muito econômica para os clientes.p. especialmente de saída. o forte crescimento de tráfego. Deste modo.2% em moeda local em comparação ao mesmo período do exercício anterior.América Central Durante o ano de 2007. a Telefónica Móveis de Centroamérica (Panamá. com ênfase nas promoções de minutos que aumentam o consumo.8% frente a 2006).186 correspondem a fixo-móvel e 381. pela melhora do tráfego on-net (+76. destacou-se. 26.8% em relação a dezembro de 2006. Em dezembro de 2007.p. Apesar do aumento da atividade comercial. | Relatório Anual 2007 . o que representa um aumento de 9.3% frente a 2006). o que significa uma melhora de 3. em dezembro de 2007 o valor líquido da cifra de negócios (receitas) atingiu 585 milhões de euros. respectivamente). 108 Telefónica. Desta forma. registrando um crescimento ano-a-ano em moeda local de 24. a base de clientes da Telefónica Móveis da América Central atingiu. sustentado pelo bom comportamento da rede.

o que representa um crescimento de 22. que cresceram 18. alcançando uma margem OIBDA de 31. Também cresceram fortemente as receitas acumuladas da venda de capacidade de largura de banda internacional (+46. no final do mês de dezembro.9%.A.0% em relação ao ano anterior em euros constantes. redes privadas virtuais internacionais (+32. S. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do acumulado em dezembro alcançou 275 milhões de euros. que atingiu 88 milhões de euros (+13.1% em euros constantes) e serviços de satélites (VSAT) (+27. Telefónica. Dentre as principais linhas de negócio da companhia.9% em euros constantes). em euros constantes.5% em euros constantes). importantes crescimentos nos principais parâmetros operacionais e financeiros. | Relatório Anual 2007 109 .Resultados Janeiro . as receitas de venda de IP Internacional.4% em relação ao exercício de 2006. em termos acumulados em dezembro.3% em euros constantes). a Telefónica Internacional Wholesale Services (TIWS) apresenta. alavancadas no crescimento da Banda Larga do Grupo Telefónica na região. alcançando 137 milhões de euros (50% do total de receita de TIWIS). O crescimento das receitas determinou uma melhora do resultado operacional antes de amortizações (OIBDA).Dezembro 2007 Telefónica international Wholesale Services Tal como vem ocorrendo ao longo do exercício de 2007. destacam-se.

4 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless TV Paga Acessos Atacado Total Acessos do Grupo 1 2 3 4 114.4 97. c.6 74.9 c.7 6.703.263.9 14.9 6.s.954.9 73.9 RTB (incluindo TUP) x1.045.773. Inclui uso próprio.7 1.0 24.705.1) 20.757.9 n.989.6 96.6 2.900 11.6 4.329.847 37 (3. Inclui ADSL.5) 33.946.5 3. da Terra Guatemala e da Terra México.8 62.035.9 9.671) 2.117.041.916.905.970.6 116.0 83.7 15.654.2 13.8 4. TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA RESULTADOS CONSOLIDADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 janeiro-dezembro 2006 % Var 2007 outubro-dezembro 2006 % Var Valor líquido da cifra dos negócios Capitalização de despesas 1 Gastos operacionais Outras receitas (despesas) líquidas Resultado da venda de ativos Amortização do ágio e ativos fixos Resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) Depreciação e Amortizações Resultado operacional (OI) 20.723.104.3 1.5 18. Inclui ISP de banda estreita da Terra Brasil e da Terra Colômbia.9 6.9 (5.3 130.8 5.1 77. S. | Relatório Anual 2007 . 110 Telefónica.9 17.9 83.9 114.3 116.894.712.6 59.4 1.s.1 64.6 64.162.3) 13.0 (4. Inclui ISP de banda larga da Terra Brasil.402 36 (3.112.A. circuitos de banda larga e ISP da TASA que presta serviços na zona norte do país.604.3 4.4 (4.487.6 134.670.384.434. n.1 134.8 1.380.027.1 665.610.4 67.615.000.089 109 (11.0 0.4 (35. 8.3 65.467. Acesso Básico RDSI x1.6 5.7 23.803.2 (20.4) 22.559) 3.9 103.5 99.4 17.761 (919) 841 11.4 2.010) 802 4.373.163.s.810.8 1.210.TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA ACESSOS Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita 2 Banda larga 3.1) 16. cabo modem. Inclui obras em andamento.0 23. n.422) 363 (3) 0 7.4 23.815. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.208.7) 1 Nota: “Provisões de tráfego" se encontra reclassificada desde "Outras receitas (despesas) líquidas" até "Gastos operacionais".121 (3.813.1 126.7 799. 2.8 (4.7 2.976.3 15.0 64.5 121.4 101.814) 227 13 (53) 6.837.0 880.4 23. fibra óptica.4 16.s.6 90.0 69. da Telefónica da Argentina.3 121.423.783) 163 (6) 0 1.5 126.562 18.379.0) 22.582.298.1 3.3 94.4 6.780.4 (3.7 85.315.9 1.571 (3.8 23.8 1.s.812 (1.078 105 (13.7 1.3 6.637.128) 42 14 (52) 1.5 700.

240.9) 58.6 RTB (incluindo TUP) x1.030.7 2.7 18.471.633.6 8.753.5 9.6 3.8 CHILE Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago TV paga Acessos Atacado Total Acessos 1 2 8.1 1.3) 18.813.591.8 18.382.963.9 2.8) 10.3 8.288.8 31.7 4.456.0 8.3 1.9 44.2 1.1 11.6 20.0 17.5 37.4 44.7 104.8 3.069.4 636.031.6 719.549.112.3 59.742.4 597.9 31.172.1 (25.553. fibra óptica.8 4.3 8.6 1.4 n.2 25.4 2.7 439.0 45.8 2.1 11.7 18.9 12.462.155.3 494.8 134.4 n.9 126.0 588.1 17.5 5.1 (40. Telefónica.7 1.7) 28.960.149.1 129.2 19. (22.9 9.8 1.691.5 1.0 528.6) 9.638.5) (37.8 4.471.0 38.3 12.4) 15.1 23.3) 9.3 9.464.926.8 11. cabo modem e circuitos de banda larga.4 46.3 2.107.169. Inclui uso próprio.2 92.320.072.112.4 7.172.680.069.927.4 15.653.6 1.5 4.6 (10.4 9.8 58.5 9.509.5) 23.1 0. | Relatório Anual 2007 111 .4 49.101.0 3.688.4 17.247.0 29.813.4 15.9 4.766.1 13.0 5.1 230.282.9 312.1 (28.2 4.2 517.690.578.6 63.6 1.5 574.5 2.6 171.A.077.236.535.836.2 4.1 17.4 686.7 53.973.2 557.2 418.7 (31.2 8.4 12.3 23.5 ARGENTINA Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless Acessos Atacado Total Acessos 16.0 4.199.608.543.120.821.507.174.0 3.812.1 8.172.9 1. S.2) 30.1 45.9 37.7 48.7 16.755.369.033.0 38.053.557.3 9.4 22.5 219.377.s.7 94.1 4.2 10.3 363.4 6.6 17.1 606.9 15.816.s.019.315.9 659.599.0 7.670.793.0 40.644.1 33.1 3.483.2) (7.636.0 52.9 6.2 19.9 8. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.633.0 38.3 44.5 46.734.2 1.206.3 59.538.259.361.2 7.7 18.051.377.410.1 4.5 8.8 8.1 1.3 18.000.5 197.558.4 5.6 30. Inclui ADSL.863.1 3.5 27.6 0.3 8.3 9.8 (1.556.5 10.1 29.Dezembro 2007 TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA ACESSOS POR PAÍSES (I) Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual BRASIL Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago TV paga Acessos Atacado Total Acessos 44.2 1. Acesso Básico RDSI x1.8 646.7 7. (2.0 5.5 392.3 3.716.6 17.4 13.540.3 19.0 6.7 13.809.515.4 114.344.7 12.2 31.6 5.3 17.6 (1.262.4 1.856.9 1.095.6 1.0 8.0 5.2 15.3 1.5 (1.Resultados Janeiro .1 4.5 24.9 18.077.3 16.0 58.4 5.607.627.925.1 12.201.3 973.4 4.023.1 9.1 9.251.1 4.177.2 819.5 1.409.460.786.7 656.2 0.1 8.8 5.8 28.909.742.9) 27.2 9.9 140.

8 2.4 46.724.5 2.3 533.2 469.2 18.5 12.A.2 0. n.5 0.7 581.840.498.s.3 39.8 2.8 7.5 4.6 10.5 10.0 58.446.199.2 71.4 2.0 600.6 12.8 28.973.0 10.6 8.5 125.537.389.1 0.5 0. Acesso Básico RDSI x1.3 17.887.0 0.0 70.9 622.8 9.340.1 40.684. | Relatório Anual 2007 .3 572.5 10.7) 22.0 11.2 67.9 8.TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA ACESSOS POR PAÍSES (II) Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual PERU Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless TV paga Acessos Atacado Total Acessos 8.4 9.5 94.9 2. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.960.6 2.3 167.7 700.0 5.724.238.6 9.537.6 8.8 10.4 880.429.1 46.553.7 9.4 3.328.2 9.s.2 547.5 5.9 68.0 8.7 MÉXICO Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless Total Acessos 8.759.4 42.7 10.100.0 7.553.1 6.810.4 555.319.2 5.710.900.2 5.520.612.9 1.2 2.0 0.3 497.0 10.4 70.781.605.2 561.8 9. S.0 167.8 COLOMBIA Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga 2 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago TV paga Acessos Atacado Total Acessos 10.0 10.7 12.6 47.611.2 8.826.0 0.0 125.330.129.711.4 5.9 10.8 11.345.392.8 2.2 7.3 0.5 9.365.545.9 (2.5 640.6 46.3 18.833.746.303.0 7.9 10.840.3 79.8 468.7 724.0 0.105.s.190.2 495.2 RTB (incluindo TUP) x1.4 13.6 (13. n.3 557.173.7 628.7 6.0 10. n.9 623.152. n.995.2 0.0 0.2 9.7 19.4 2.190.655.9 10.2 11.0 9.9 10.973.0 200.1 829.6 8.3 0. Inclui uso próprio.6 3.4 9.319.017.2 527.8 5.8 4.5 2.7 926.6 10.2 510.8 11.9 2.2 0.4 40.663.775.570.551.3 705.746.4 8.3 0.826.232.232.353. 7.1 474.4 836.1 608.4 1.5 12.7 5.153.5 66.429.0 2.2 39.105.882.372.759.072.095.s.5 9. 112 Telefónica.0 0.220.799.5 47.3) n.7 9.174.3 7.734. Inclui ADSL.7 995.7 763.6 10.0 2.0 94.s.0 10.2 7.2 9.7 7.8 9.995.9 18.072.2 574.5 525.100.6 11.0 7.7 8.346.531.1 10.4 70.9 2.3 711.199.3 9.0 8.9 0.5 200.7 (1.5 11.742.3 0.6 1.095.303.9 7.7 10.5 6.3 0.8) 14.1 16.2) n.6 (15. 7.8 44.3 937.0 0. fibra óptica.8 533.2 72.0 0.6 venezuela Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless Total Acessos 1 2 8.6 31.0 8.0 9.2 61.s.867. cabo modem e circuitos de banda larga.359.0 542.0 18.128.0 1.5 1.0 7.

0 4.019.1 1.9 14.469.8 957.047.0 140.2 20.042.5 403.1 315.133.8 376.1 1.7 259.1 13.9) 15.3 1.Resultados Janeiro .8 226.1 4.1 3.490.4 113. S.9 3.0 1.6 (21.0 2.4) (17.2 4.9 37. Acesso Básico RDSI x1.628.4 3.2 874.425. fibra óptica.5) 3.7 2. El Salvador e Nicarágua.582.0 24.9 94.6 1.1 844.8 363. Inclui ADSL.653.177.481.0 2.0 3.Dezembro 2007 TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA ACESSOS POR PAÍSES (III) Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual AMÉRICA CENTRAL3 Acessos de telefonia fixa 1 Acessos de dados e internet Banda larga 2 Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless TV paga Total Acessos 109.645.0 1.8 2.2 1.5 119.3 118.829.877.5 3.3 14.978.5 (15.0 19.4 4. Inclui uso próprio.2 268.7 2.A.0 2.604.5 2. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.0 777.3 22.2 0.116.8 47. cabo modem e circuitos de banda larga.4 EQUADOR Acessos celulares Pré pago Pós pago Fixed wireless Total Acessos 2.275.7 2.4 26.3 1.9 47.481.8 27.0 2.278.645.6 246.5 342.303.8 125.2 n.2 0.147.3 102.2 2.2 2.2 2.3 20.7 86.272.0 355.8 0. | Relatório Anual 2007 113 .0 2.472.0 24.6 366.Panamá.0 2.0 4.0 4.6 761.162.8 963.4 26.6 1.1 4.4 22.6 963.0 907.3 675.5 2.7 41. 36.582.8 1.1 379. Telefónica.653.047.4 2.2 368.1 20.7 0.s.856.0 5.6 2.2 5.147.7 2. Inclui Guatemala.3 2.6 381.3 22.3 874.1 120.490.4 3.0 190.8 40.240.7 RTB (incluindo TUP) x1.6 210.7 URUGUAI Acessos celulares Pré pago Pós pago Total Acessos 1 2 3 777.0 5.

9 (1.4 23.9% 389 5.7 (2.7) 11.7 1.438 43.1 25.662 3.5 0.5p.026 39.p.8 (10.0 31.396 588 24.1 16.3) (2.238 3. S.5% 358 7.3) 30.4 0.p.9% 176 6.5 1 114 Telefónica.5 9.9% 123 2.0 (0.7p.0% 140 1.3 18.9 7.1 14.5% 418 974 368 37.087 5.1% 243 989 453 39.163 792 35.p.) 21.2 CHILE Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx Telefónica Chile Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx TEM Chile Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx O OIBDA se apresenta depois de receitas com gerenciamento.6) (21. Margem sobre receitas inclui a interconexão fixo-móvel.006 417 41.p.p.1p. (8.) 23.TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS (I) Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 % Var janeiro-dezembro % Var M.005 438 21.7 (2.2 (3.632 47.5 15.7p.3 4. Local BRASIL Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx Telesp Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx Vivo Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 7. 1.9p.2) (11.068 42.4% 1.p.) 14.5 34.2p.353 418 30.7% 198 930 348 37.2) ARGENTINA Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx Telefónica de Argentina Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA 1 CapEx TEM Argentina Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 2.0 (7.8) 3.5% 220 1.2 16.5) (8.8 18.9% 102 4.0 19.1 2.9% 165 1.9% 289 984 356 30.028 5.7 8.5 33.4% 729 2.1 (1.4% 163 796 294 36.3% 639 2.p.0) 3.264 773 32.8) (3.1p.2 32.4) (2.619 2.7 36.A.3) 30.4) (3.) 5.p. 20.) 19.3 34.9p.5 27. | Relatório Anual 2007 .7% 339 1.5) (9.565 2.2 (3.814 716 39.2p.p.5 4.260 339 26.) 17. 25.5 30.3 8.9 (13.706 711 41.0 (5.5% 1.

Resultados Janeiro - Dezembro 2007

TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS (II)
Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 % Var

janeiro-dezembro % Var M. Local

PERU
Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx Telefónica del Perú 1 Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx TEM Perú Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 1.513 469 31,0% 281 1.031 311 30,2% 126 603 158 26,2% 155 1.428 579 40,6% 216 1.097 454 41,4% 132 447 129 28,9% 84 6,0 (19,0) (9,6p.p.) 30,3 (6,0) (31,5) (11,2p.p.) (4,3) 34,8 22,1 (2,7p.p.) 84,5 10,5 (15,6) 35,8 (2,0) (28,6) (0,2) 40,5 27,3 92,3

COLÔMBIA
Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx Telefónica Telecom 2 Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx TEM Colombia Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 1.569 485 30,9% 360 739 299 40,4% 180 869 186 21,4% 180 1.182 328 27,7% 333 417 189 45,4% 140 779 138 17,7% 192 32,8 47,9 3,2p.p. 8,3 n.c. n.c. (5,0p.p.) n.c. 11,5 34,9 3,7p.p. (6,4) 27,9 42,5 4,3 n.c. n.c. n.c. 7,4 30,0 (9,9)

MÉXICO
TEM México Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 1.431 179 12,5% 230 988 (11) (1,1%) 180 44,8 c.s. 13,7p.p. 27,8 58,5 c.s. 39,9

VENEZUELA
TEM Venezuela Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx

2.392 1.060 44,3% 370

2.041 815 39,9% 232

17,2 30,1 4,4p.p. 59,1

27,8 42,0 73,6

1 2

O OIBDA se apresenta depois de receitas com gerenciamento. A Telefónica del Perú inclui a CableMágico. A Telefónica Telecom (antes Colombia Telecom) começou a se consolidar, a partir do mês de maio de 2006, incluindo a Telefónica Data Colombia.

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

115

TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS (III)
Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 % Var

janeiro-dezembro % Var M. Local

AMÉRICA CENTRAL1
Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 585 236 40,3% 133 556 205 36,8% 108 5,3 15,3 3,5p.p. 22,5 n.c. n.c. n.c.

EQUADOR
TEM Ecuador Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 291 73 25,1% 60 290 64 22,0% 48 0,4 14,4 3,1p.p. 25,4 9,5 24,8 36,8

URUGUAI
TEM Uruguay Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx

104 28 26,6% 15

77 18 23,5% 13

34,4 51,9 3,1p.p. 12,6

42,9 61,6 19,7

TIWS
Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx
O OIBDA se apresenta depois de receitas com gerenciamento. Inclui Guatemala, Panamá, República de El Salvador e Nicarágua.

275 88 31,9% 54

232 79 34,0% 45

18,4 10,9 (2,1p.p.) 21,4

22,4 13,9 21,4

1

116

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

Resultados Janeiro - Dezembro 2007

Telefónica Europa
No final de dezembro de 2007, a base de clientes da Telefónica Europa alcançou 41,9 milhões de acessos, frente a 38,6 milhões contabilizados no final de 2006 (+8,7%). Em 2007, o valor líquido da cifra de negócios (receitas) da Telefónica Europa atinge 14.458 milhões de euros (+9,9% superiores ao ano anterior). O resultado operacional antes das amortizações (OIBDA) alcançou 4.977 milhões de euros, 34,2% a mais que em 20061. O OIBDA de 2007 inclui os custos de adequação da base de empregados e outros gastos não recorrentes, que totalizam 338 milhões de euros, em relação aos negócios do Reino Unido, da Irlanda e da Alemanha, assim como ao ganho de capital pela venda da Airwave (1.296 milhões de euros), já contabilizado no segundo trimestre. O resultado operacional (OI) do período de janeiro-dezembro se elevou a 1.592 milhões de euros, afetado principalmente pelo impacto das maiores amortizações de ativos derivadas do processo de Alocação de Preços de Aquisição (Purchasing Price Allocation PPA), que também impactou negativamente na cifra do OI em 309 milhões de euros registrada em 2006. O investimento (CapEx) da Telefónica Europa correspondente ao exercício de 2007 atingiu 2.125 milhões de euros (2.552 milhões de euros no período de fevereiro a dezembro de 2006). A O2 Alemanha com declínio ano-a-ano de 30,6% da sua cifra de investimentos, foi a principal responsável pelo declínio mencionado, ao adiantar os investimentos inicialmente previstos para 2007. O Fluxo de Caixa como parte do desenvolvimento da rede 3G. O Fluxo de Caixa Operacional (OIBDA – CapEX) para o acumulado do exercício foi 2.852 milhões de euros (1.156 milhões de euros no período de fevereiro a dezembro de 2006). A Telefónica Europa cumpriu os objetivos financeiros fixados para o exercício 20072: Crescimento das receitas em 11,7% em relação ao ano anterior (frente ao objetivo de 11% - 14%) Crescimento do OIBDA em 10,1% com relação ao ano anterior (frente ao objetivo de 7% - 10%) CapEx de 2.095 milhões de euros (frente ao objetivo de alcançar uma cifra inferior a 2.200 milhões de euros)

Cabe destacar os seguintes aspectos estratégicos e operacionais: Êxito do iPhone. O iPhone tem sido o terminal mais rapidamente vendido até o momento em O2 Reino Unido. O ARPU de um cliente de iPhone é 30% superior ao do usuário do pós-pago regular, o que demonstra qualidade na captação de clientes, com aproximadamente 60% dos usuários de iPhone procedentes de outras redes. Os níveis de satisfação do cliente são mais elevados do que todos os dispositivos que foram vendidos na O2 Reino Unido até essa data. A partir de 1 de fevereiro de 2008 aplicam-se três novas tarifas de iPhone conforme a nova e aprimorada estrutura de tarifas para clientes de pós – pago na O2 Reino Unido. Lançamento do iPhone na Irlanda. A O2 Irlanda será sócia da rede exclusiva do iPhone Irlanda a partir de 14 de março. A O2 Alemanha estabelece bases do seu futuro crescimento. Dentro do programa de investimentos de 3.500 milhões de euros para o período de 2007-2010 que foi anunciado em outubro de 2007, a O2 Alemanha selecionou seus provedores para a ampliação da cobertura de redes de tecnologia GSM e UMTS. A companhia contará com uma plataforma sólida para aproveitar as grandes oportunidades de crescimento na Alemanha, incluindo o novo seguimento corporativo, apoiando-se no alcance global da Telefónica para oferecer novas propostas a empresas multinacionais e em áreas do país que ainda não estão cobertas pela rede da O2. Dessa forma, a companhia cancelou seu acordo de roaming nacional com a T-mobile na Alemanha, que oferecia serviços de roaming aos clientes da O2 nas suas redes de telefonia móvel 2G e 3G. Os minutos de roaming disponíveis como parte do acordo mencionado continuarão a ser utilizados até o final de 2009. A O2 Alemanha também ampliará a sua rede de distribuição, dobrando seu número de lojas nos próximos anos, até alcançar os 1.000 estabelecimentos. Boa recepção da Banda Larga na O2 do Reino Unido. O serviço de Banda Larga da O2 no Reino Unido recebeu a pontuação mais alta dentre os principais ISP em cada uma das principais áreas de satisfação para o cliente, incluindo velocidade, confiabilidade serviçio ao cliente, na comparativa mensal realizada pela “thinkbroadband.com” em novembro e dezembro de 2007, apenas dois meses depois do lançamento do serviço. Novas ofertas de pacote na República Tcheca. A Telefónica O2 República Tcheca lançou uma nova oferta TRIO que inclui DSL, chamadas e televisão digital O2 TV. Anúncio de novas tarifas de roaming de dados. A O2 e o negócio de telefonia móvel da Telefónica na Espanha lançaram uma nova gama de tarifas de roaming de dados antes do verão de 2008 (na Espanha já o aplicará a partir de fevereiro), dirigidas aos clientes que viajam dentro da Europa, supondo importantes economias para os mesmos.

1

2

As cifras da Telefónica Europa de 2006 incluem a Telefónica O2 República Tcheca (janeiro-dezembro), T. Deutschland (janeiro – dezembro) e o Grupo O2 (fevereiro – dezembro) As cifras base de 2006 incluem onze meses do Grupo O2 (consolidado desde fevereiro 2006), três meses de perdas pelo início das operações na Eslováquia e excluem os resultados da Airwave. Os objetivos para 2007 assumem taxas de câmbio constantes em 2006 e excluem alterações no âmbito da consolidação. Em termos de cálculo de objetivos, OIBDA e OI não incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007. Os Programas de Adequação de base de empregados, assim como Planos Imobiliários, estão inclusos como receitas/gastos operacionais com exceção dos decididos posteriormente à comunicação dos objetivos financeiros no início do ano. Para efeitos comparativos, as receitas/gastos extraordinários equivalentes registrados em 2006 também foram deduzidos das cifras reportadas. O CapEx não inclui os investimentos associados aos Planos Imobiliários. Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007 117

e em 2007 foi 34. 63.923 milhões de euros. Em termos de cálculo de objetivos.5 milhões de euros com a finalidade de gerar eficiências no futuro.000 ( a mais alto do mercado). No trimestre. O OIBDA do trimestre antes dos gastos mencionados haveria permanecido sem alterações com respeito ao exercício anterior em moeda local.1% superior ao do ano anterior em moeda local. resultando no acumulado do ano em 158. o ganho líquido de clientes de pós-pago foi 276. as receitas/gastos extraordinários equivalentes registrados em 2006 também foram deduzidos das cifras reportadas.6 milhões de clientes. O ARPU total do Reino Unido no quarto trimestre. No final do período. e em 26. o OIBDA haveria crescido 10.9% do quarto trimestre do ano anterior. o que representa um aumento de 7. frente a 1. Essa diluição de margem foi devida aos custos associados ao lançamento do O2 Broadband.A. 118 Telefónica. os clientes de pós-pago representam 37% do total frente a 35. foi 4. A base de clientes alcança 18. Em 2007 o ganho líquido dos clientes de pós-pagos foi 591. | Relatório Anual 2007 . Em termos comparáveis o crescimento haveria sido 2.000 até alcançar os 11. registrou um aumento ano-a-ano de 1. A margem OIBDA em 2007 aumentou em 26. enquanto o ARPU do exercício. OIBDA e OI não incluem receitas e gastos excepcionais não previsíveis em 2007.6% com relação ano anterior em moeda local). enquanto o churn do pós-pago para o acumulado do exercício é 1. No Reino Unido foram cumpridos os objetivos traçados para o exercício de 20073.7% em moeda local em comparação com o período de 11 meses até 31 de dezembro 2006.2 euros (+4.18%). O mercado continua sendo muito competitivo. A O2 Reino Unido voltou a registrar resultados comerciais superiores ao mercado. o que significa um aumento de 8.000). O churn do pós-pago diminuiu 1.9 euros. o que significa um crescimento de 63. foi 4.1% superior em moeda local ao do quarto trimestre do ano anterior. O CapEx não inclui os investimentos associados aos Planos Imobiliários.4 euros (+3.6% em comparação com 2006 (frente ao objetivo de 9% . Os Programas de Adequação de base de empregados.8% (27.3% do mesmo período do ano anterior. alcançando um total de 6. como também o forte crescimento das vendas dos terminais tradicionais restantes. o que representa um crescimento em moeda local de 10.7% em comparação com 2006. com um crescimento ano-a-ano em moeda local de 9. principalmente nas áreas de TI e Tecnologia por um aporte de 20. As receitas de serviço do trimestre alcançaram 1.2 euros. enquanto o ARPU do exercício foi 18.790 milhões de euros. o que significa um aumento de 18. Para efeitos comparativos. estão inclusos como receitas/gastos operacionais com exceção dos decididos com posterior comunicação dos objetivos financeiros no início do ano.5% no trimestre.8 milhões (+9.0% em moeda local. o crescimento das receitas totais foi 9.5% em moeda local. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) correspondente ao quarto trimestre foi 503 milhões de euros. ao aumento dos custos de retenção e à diminuição de receitas de roaming nacional provenientes de clientes de “3”.O2 Reino Unido O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do último trimestre de 2007 foi 1. havendo registrado um crescimento das receitas em 18.3% em termos comparáveis. especialmente no seguimento do pré-pago.4% superior em moeda local ao quarto trimestre do ano anterior.2% em moeda local devido ao incremento do MoU e ao maior uso de serviços distintos de voz. e de 749. A margem OIBDA do quarto trimestre foi 26. Em termos comparáveis. é 1.7% em moeda local com relação ao período de fevereiro-dezembro de 2006.000 clientes em todo o exercício (-54. S.4% excluídos os gastos de adequação de base de empregados do exercício.0% com relação ao ano anterior em moeda local).702 milhões de euros.000. Em termos comparáveis. As receitas correspondentes ao exercício atingiram 7. o OIBDA cresceu 1. Excluindo os custos de adequação da base de empregados correspondentes no exercício. Essa cifra não só reflete o êxito do iPhone. O quatro trimestre registrou um ganho líquido positivo de clientes de pré-pago (207.9% em 2006. e no trimestre aumentaram as altas brutas em aproximadamente 22% com relação ao mesmo período de 2006.3% registrados no mesmo período em 2006.8% em moeda local. O ARPU de pré-pago do trimestre. principalmente graças ao êxito da tarifa “Simplicity” da O2. o que reflete o maior peso na base do segmento 3 As cifras base de 2006 incluem onze meses da O2 Reino Unido (consolidado desde fevereiro de 2006). de 33. As receitas de serviço para o acumulado do ano alcançaram 6.7% frente a 1.7% em moeda local em comparação com o período de 11 meses até 31 de dezembro de 2006.4 milhões (excluídos da base os clientes da Tesco Mobile). que consiste em um único pós-pago SIM com um período de aviso de cancelamento do mesmo em 30 dias.8% em moeda local em relação ao mesmo período do ano anterior. 18. O OIBDA em 2007 atingiu 1. dada a alta penetração do mercado).000. o que representa um crescimento de 4. O ganho líquido de clientes móveis da O2 Reino Unido no quarto trimestre foi 483. o que significa mais que o dobro do registrado no quarto trimestre de 2006 e consiste em um recorde absoluto da operadora. e um crescimento de OIBDA de 10. Os objetivos para 2007 assumem taxas de câmbio constantes em 2006 e excluem alterações no âmbito da consolidação.0%.403 milhões de euros. de 61.12%).5% em relação ao ano anterior).8% em relação ao ano anterior.9% em moeda local em comparação com o mesmo período de 2006.0 euros.6% em relação ao ano anterior (frente ao objetivo de 15% .2% em relação ao ano anterior. o que significa um declínio de 4.7% devido ao forte e continuado crescimento da base de clientes e do ARPU.8% excluídos os custos de adequação da base de empregados) frente a 30. apesar do contínuo aumento das migrações para o pós-pago. assim como Planos Imobiliários. O OIBDA do trimestre inclui custos adicionais para adequação da base de empregados e outros gastos não recorrentes.0 euros. O ARPU do pós-pago no trimestre.877 milhões de euros.

em sua maior parte. a elasticidade do preço continua acima de um.6% em relação ao ano anterior). as receitas totais alcançaram 3.1% em relação ao ano anterior. havendo registrado 59. No acumulado do ano foi contabilizado um ganho líquido de 691. estão incluídos como receitas/gastos operacionais com exceção dos decididos posteriormente à comunicação dos objetivos financeiros no início do ano. atingindo a base de clientes em 200.A. 6.2% em relação ao ano anterior).000 atualmente. com um volume de altas 63% superior ao mesmo período do exercício anterior. Excluindo os gastos não recorrentes anteriormente mencionados. O MoU do trimestre aumentou ano-a-ano 9. e as cifras comparáveis de 2006 foram reformuladas sobre essa base. sendo que a rede de banda larga já alcança 52% da população. O OIBDA para exercício completo atingiu um total de 473 milhões de euros. Do ponto de vista dos clientes.8%. O incremento do uso se deveu a propostas como o “Call Freedom”.18 milhões no final do ano. por um lado. o que foi parcialmente compensado pelo crescimento da base de clientes. a manutenção da debilidade do ARPU no mercado alemão e. Ao final do exercício. elevando a base atingindo 12.1% com relação ao ano anterior).8% no OIBDA (frente ao objetivo 21% . Os Programas de Adequação de Base de Empregados. e o correspondente a todo o exercício. O corte de tarifa de terminação reduziu as receitas de serviços do quarto trimestre em aproximadamente 0. A base de clientes da Tchibo Mobile aumentou em 81. O ganho líquido em pós-pago na O2 Alemanha foi 244. Os objetivos financeiros da O2 Alemanha4 para o exercício completo de 2007 foram cumpridos parcialmente.9% em comparação com o mesmo período de 2006.2%.5 milhões de clientes (+13. OIBDA e OI não incluem receitas e gastos excepcionais não previstos em 2007. juntamente com outros gastos de adequação da base de empregados para alcançar maiores eficiências no futuro.6% inferiores ao mesmo período do ano anterior.Resultados Janeiro .8% alcançando 197 minutos. e após deixar de contabilizar 310. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do quatro trimestre foi 929 milhões de euros.000 clientes da telefonia móvel.000 clientes a mais no final do exercício. o impacto do corte de aproximadamente de 10% das tarifas de terminação em novembro de 2007.000 altas brutas de clientes pré-pago.Dezembro 2007 de clientes de pós-pago. Essa cifra inclui gastos não recorrentes de um total de 151 milhões de euros que.000 clientes no final do ano desde o seu lançamento em outubro. Isso reflete.14 milhões de clientes no final do exercício. Assim. assim como a adoção por parte destes de novos produtos e serviços e o crescimento contínuo tanto do ARPU de dados como de voz. A margem OIBDA no quarto trimestre foi 1.000 clientes no período depois de uma análise da contribuição destes clientes na geração de receitas. Isto reflete o impacto do corte de tarifa de terminação de aproximadamente 10% em novembro de 2007 e o alto nível de competição no mercado alemão e migração da base de clientes a novas ofertas.5%. essas margens haveriam sido 18. assim como Planos Imobiliários. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) correspondente ao último trimestre de 2007 foi 17 milhões de euros. Para efeitos comparativos. por outro lado. o OIBDA em 2007 haveria crescido ano-a-ano 15.3%.7% (frente ao objetivo de 7% . O ARPU de 2007 foi 34.7% superiores aos registrados no período de 11 meses até 31 de dezembro de 2006.3%.4% em termos comparáveis e 23. O ARPU do exercício foi 11.9%.1%.10%) e 23. O MoU do exercício foi 190 minutos (+10.9% em comparação com o período de 11 meses até 31 de dezembro de 2006. O ARPU de pós-pago no trimestre ficou em 32.3%. O seriviço Genion S/M/L conta com 2. Em termos comparáveis.5% frente ao período de 11 meses até 31 de dezembro de 2006.0 euros (+8. as receitas diminuíram 1. o que significa uma diminuição de 18.000 clientes de pré-pago seguindo os critérios mais O2 Alemanha A O2 Alemanha inclui a Telefónica Deutschland.1% e 20.000 clientes de banda larga. A O2 Reino Unido desenvolveu a cobertura ULL até alcançar 833 centrais ao final do trimestre. a O2 Reino Unido registra 71. a redução haveria sido 24. refletem o cancelamento antecipado do pós-pago nacional de roaming com a T-Mobile.000 até alcançar 1. Em 2007. o ganho líquido do trimestre foi 303.1 euros (13.4 milhões no acumulado do ano. respectivamente. o que significa um declínio ano-a-ano de 6. Excluindo os gastos de reestruturação não recorrentes registrados durante o exercício (247 milhões de euros). Em termos comparáveis. As receitas de serviços para o acumulado do exercício foram 2.1 euros cresceu ano-a-ano em moeda local 9.7% inferiores ao do ano anterior). No trimestre foram alcançados um total de 369.000 clientes. o que significa um declínio de 77. e 1.3 euros. O novo pacote de dados de uso “ilimitado” teve grande aceitação.901 milhões de euros.6%.000 para o acumulado no exercício. 17. o ganho líquido do trimestre foi 59. Em termos de cálculo de objetivos. No quarto trimestre a atividade comercial foi boa. Telefónica. | Relatório Anual 2007 119 . as receitas/gastos extraordinários equivalentes registrados em 2006 também foram deduzidos das cifras reportadas. o que significa um declínio de 5. 4 As cifras base de 2006 incluem onze meses de O2 Alemanha (consolidado desde fevereiro de 2006). enquanto que a marca Fonic somou 129. e 100. assim como ao maior uso de serviços de dados não baseados em mensagens SMS. S.000. o que significa uma diminuição ano-a-ano de 0. Esse aumento se deveu ao maior volume de mensagens de texto (21% no trimestre). O ARPU de dados do trimestre de 11.25%) com o respectivo exercício anterior. Os objetivos para 2007 assumem taxas de câmbio constantes de 2006 e excluem alterações no âmbito de consolidação. As receitas de serviço do trimestre foram 725 milhões de euros.541 milhões de euros.000 no trimestre e 756. 13. havendo registrado um crescimento da cifra das receitas em 6.

o que significa um aumento de 3. 0. O ARPU de pré-pago foi 29. 26.9% inferior ao registrado no exercício anterior. A O2 Irlanda teve um bom comportamento no trimestre.8% a mais do que o quarto trimestre do exercício anterior. como o serviço Genion S/M/L/XL e novas tarifas de pré-pago.7 euros.000 clientes de pré-pago no exercício 2006.6% superior ao do ano anterior).000 registradas em dezembro do ano anterior.500 ao final do exercício. As receitas por serviços móveis no exercício atingiram 935 milhões de euros. Em 2007.000 clientes durante o trimestre. com um aumento de 12.1 euros.2% com relação ao ano anterior.9%. O ARPU total do quarto trimestre foi 19. com um aumento nas altas brutas em 4.4%. Ao final de dezembro.0% superior ao exercício anterior. o ganho líquido de pós-pago alcançou 70. O ARPU total do quarto trimestre.000 linhas ao final do quarto trimestre de 2006.6 milhões. 2. 23. O ARPU de dados do trimestre foi 5. alcançando 134 minutos. O OIBDA do exercício atingiu 316 milhões de euros.000 clientes de pós-pago no trimestre. que se compara com a perda líquida de 26. a base total de clientes atingiu 1.4 euros.000 clientes. O ARPU de pré-pago do trimestre.2 milhões de euros).000 clientes. O ARPU de dados para o acumulado do exercício foi 5.0% superiores ao registrado no período de 11 meses finalizado em 31 de dezembro de 2006 e 6. enquanto que o ARPU em 2007 foi 29. O corte da tarifa de terminação reduziu o crescimento das receitas de serviço do quarto trimestre em menos de 1%. A perda líquida no exercício foi 56. o OIBDA haveria sido 333 milhões de euros.4 euros (15. foi 3. S.8% inferior ao do quarto trimestre do ano anterior devido ao maior número de usuários pré-pago com menor gasto na base total de clientes e ao aumento do tráfego de voz frente ao SMS como conseqüência da introdução de tarifas planas de voz. 3. depois que foi lançado em julho de 2007 o serviço com excelentes resultados. Excluindo gastos de adequação da base de empregados (no total. foi 22.A.7 euros.1 milhões. enquanto o ARPU do exercício foi 82. O ARPU total do exercício foi 20. apesar das receitas por serviços de dados tenha permanecido estável com relação ao exercício anterior.6% euros superior ao quarto trimestre do exercício anterior.9% a mais que o mesmo período do ano anterior.9% em comparação com o período de 11 meses até 31 de dezembro de 2006. As receitas acumuladas do exercício de 2007 foram de 991 milhões de euros. O MoU para o consolidado do ano aumentou para 131 minutos.8%. o que supõe um declínio de 1.1%. frente a 619. As linhas ADSL equivalentes em serviço alcançaram as 837. devido ao crescimento na base de clientes e ao aumento do ARPU total.000 clientes. o que significa um declínio de 1.0 % em termos comparáveis. trimestre foi 63 milhões de euros. A margem OIBDA do quarto trimestre aumentou para 25.3 euros. Esta cifra inclui custos de 13. A O2 DSL encerrou o exercício com 75.1% inferior ao de 2006 devido à introdução de novas ofertas e promoções. O2 Irlanda O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do quarto trimestre foi 250 milhões de euros.4 milhões de euros relativos aos gastos da adequação da base de empregados da divisão de TI e redes para aumentar as eficiências no futuro. O exercício finalizou com uma base de clientes de pré-pago de 6. 33. esta haveria sido 30.7% inferior ao do ano anterior). o que significa um aumento ano-a-ano de 4. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) do 120 Telefónica. O ARPU do trimestre.2% inferior ao mesmo período de 2006. já que a empresa estabeleceu negociações exclusivas com a IBM para aprimorar e gerenciar os serviços de TI da O2 Irlanda.1 euros. o que significa um aumento de 24. O ganho líquido do trimestre foi 14. 12. A O2 Irlanda somou um total de 22. As receitas de serviço do trimestre foram de 231 milhões de euros. impulsionado por novas promoções.0 euros. O MoU do trimestre cresceu 3. a base de clientes de pré-pago reduziu em 8.9% com relação ao mesmo período do ano anterior.23 milhões.9% até alcançar 1. o que significa um aumento ano-a-ano de 1. 17. Telefónica Deutschland contava com 671.8% ano-a-ano em termos comparáveis. inferior em 1.000 clientes.6% em comparação com o quarto trimestre do exercício anterior. o que representa um aumento de 11. de 45.7% com relação ao ano anterior. 3.5% inferior ao registrado em 2006.8% inferior ao do mesmo trimestre do ano anterior.5%.000 linhas ULL no final de dezembro. Excluídos os gastos mencionados. o OIBDA haveria alcançado 76 milhões de euros no trimestre.2% em detrimento ao ano anterior.8% ano-a-ano em volume de dados não SMS. frente a cerca de 187. Em termos comparáveis. com uma sólida carteira de pedidos em torno de 50.0 euros. O ARPU de pré-pago em 2007 foi 6. 16. devido principalmente à maior base de clientes pós-pago. refletindo os fatores mencionados anteriormente. de 78.000 ao final de dezembro. A base de clientes de pré-pago decresceu ano-a-ano 4. 15. Excluindo os custos da adequação da base de empregados anteriormente mencionados.000 que não foram refletidos na cifra de novos clientes do período.8 euros.6% inferiores em comparação ao exercício anterior.6% excluindo os gastos de adequação de base de empregados.exigentes do mercado quanto à definição de clientes ativos. foi aproximadamente 1.9% inferior ao do mesmo trimestre do ano anterior. A margem OIBDA em 2007 foi 31.7% em comparação com o mesmo período do ano anterior. de 6. Devido ao impacto de uma maior atividade da competição.4 euros. | Relatório Anual 2007 .3% inferior ao quarto trimestre do ano anterior. em termos comparáveis.9 euros (1. O número de clientes de banda larga móvel ficou em 24. 10. as receitas cresceram ano-a-ano 2. enquanto o ARPU do exercício foi 45.

salvo aqueles que foram decididos depois de estabelecer os objetivos no início do ano (Programa Imobiliário na Telefónica O2 República Tcheca).000 clientes no quarto trimestre. principalmente devido ao maior peso de pós-pago na base. A adequação da base de empregados e os Programas Imobiliários incluem-se como receitas/gastos de operação. Os clientes de pós-pago representaram 43.4 euros. o que significa um declínio ano-a-ano de 8. o que significa um crescimento de 3.3%). enquanto em 2007 o OIBDA atingiu 1. com um aumento ano-a-ano de 14.4%. 4. O número de clientes de pré-pago declinou ano-a-ano 3. As prioridades do negócio móvel da Telefónica O2 República Tcheca seguiram centradas tanto do desenvolvimento de pacotes de voz e dados.7 euros (+19. com um crescimento de 2.Resultados Janeiro .0%). 4.7% em comparação a 2006 devido principalmente ao maior número de clientes de contrato. Em 2007.8% registrada em 2006.3% em moeda local.Dezembro 2007 O MoU do trimestre aumentou 2.4% em moeda local. com um aumento de 2.5% em relação ao ano de 2006 em moeda local.7% em moeda local com relação ao quarto trimestre de 2006. o que confirma a tendência observada desde o primeiro trimestre do ano. No exercício de 2007. principalmente devido à contínua migração de clientes de pré-pago para pós-pago. A Telefónica O2 República Tcheca5 cumpriu os objetivos financeiros do exercício de 2007. o negócio móvel tcheco se converteu no principal motor deste crescimento. Devido ao êxito da comercialização de tarifas planas de dados. seu CapEx é de 274 milhões de euros (frente ao objetivo de. o ARPU de dados aumentaram ano-a-ano em 2. atingindo 2. com um ganho líquido anual de 369. No quarto trimestre. S.5% relativo ao ano anterior em moeda local.2 milhões. o que significa um aumento ano-a-ano de 1.5% superior ao do quarto trimestre do ano anterior devido a um maior uso dos serviços não SMS.5% registrados no final de 2006. com uma perda líquida de 108. que correspondem a aproximadamente 2 pontos porcentuais na mencionada margem.173 milhões de euros. Em 2007. as receitas atingiram 2. | Relatório Anual 2007 121 .8% em moeda local em comparação com o quarto trimestre de 2006. A base de clientes de pós-pago atinge 2.5% com relação ao ano anterior.000 clientes no ano.8% em moeda local.117 milhões de euros em 2007. O MoU do quarto trimestre alcança 122 minutos. 310 milhões de euros). e um declínio do OIBDA de 0. como no fomento da migração de pré-pago para pós-pago. o ARPU total atingiu 20. A base de clientes móveis da Telefónica O2 República Tcheca aumentou ano-a-ano 5.1 milhões no final de dezembro de 2007.5% em moeda local relativo a 2006.1% em comparação com 2006 (frente ao objetivo de –1% . O ARPU de pré-pago no trimestre foi 9. A margem OIBDA em 2007 foi 44.9 milhões no final de 2007. O ARPU de dados no SMS representa 43% do total do ARPU de dados em 2007. as cifras publicadas tampouco incluem outras receitas/gastos excepcionais equivalentes registrados em 2006. com um aumento de 14. Telefónica.1% do quarto trimestre de 2006. com um aumento de 11.9% no trimestre. As previsões para 2007 supõem que as taxas de câmbio se mantêm constantes nos níveis de 2006 e excluem alterações no âmbito da consolidação. com um crescimento de 2. As receitas de serviço aumentaram ano-aano em 4.9% com relação ao ano anterior em moeda local. fundamentalmente devido aos altos custos incorridos na mudança de marca realizada em 2006. O ARPU mensal de dados do trimestre foi 12. enquanto que o ARPU do exercício foi 11. frente a 38. aproximadamente.7% em moeda local no quarto trimestre. em comparação com 41% em 2006. até alcançar 1.8% em moeda local atingindo 4.6% com relação ano anterior).8% em comparação ao ano anterior (frente ao objetivo de 1% .6%. baseadas nas tecnologias GPRS/UMTS e CDMA. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) totalizou 247milhões de euros no quarto trimestre de 2007.5 euros.4 euros em 2007. com um aumento ano-a-ano de 5 As cifras declaradas de 2006 incluem três meses as perdas do início das operações na Eslováquia.7% em moeda local. havendo registrado um crescimento das receitas em 2.7 euros. atingindo 5.9% em comparação com 37. alcançando 252 minutos.9% ano-a-ano. As receitas do negócio tcheco de telefonia fixa mantiveram-se em 2007 em relação às cifras registradas em 2006. o ARPU total atingiu 19.000 clientes (+12.5 euros.4% no ganho líquido. Para efeitos de comparação. que geraram um maior MoU por usuário. Telefónica O2 República Checa O valor líquido da cifra de negócios (receitas) no quarto trimestre de 2007 atingiu 590 milhões de euros. explicado por um impacto da migração de clientes ao segmento de pós-pago a modalidade de pré-pago. o MoU foi 248 minutos. o que significa um declínio de 7. Em paralelo com os primeiros nove meses do ano.5 euros. O ARPU de pós-pago em 2007 atinge 34.8% frente a 45.8% da base total de clientes no final de 2007.9% superior ao do ano anterior. e um incremento de 1.257 milhões de euros.A. O declínio da margem OIBDA do grupo em 2007 com relação ao exercício anterior foi devido principalmente ao impacto das operações na Eslováquia. 23. Além disso. o que significa um crescimento de 2. A margem OIBDA no quarto trimestre de 2007 foi 41. O MoU em 2007 foi 117 minutos. o que significou um aumento de 0. O ARPU de pré-pago em 2007 atingiu 9.4 euros. O OIBDA não inclui outras receitas/gastos excepcionais não previstos em 2007.010 milhões de euros. com um crescimento ano-a-ano de 1. O ARPU de pós-pago no trimestre atingiu 34.000 clientes. apesar de o quarto trimestre ter registrado um ganho líquido de 75. As receitas procedentes do negócio móvel em 2007 atingiram 1. registrando um crescimento ano-a-ano de 38. e a tarifas desenhadas para estimular o tráfego.3% em moeda local com relação ao mesmo período do ano 2006.7%.1% frente a 2006) e de 83.7% em moeda local.9 euros. o que representa um crescimento ano-a-ano de 19.

000 clientes no quarto trimestre.1 milhões em 2007. 122 Telefónica. As perdas líquidas diminuíram atingindo 65.000 clientes no trimestre anterior. até alcançar 1. Em consonância com os trimestres anteriores.000 acessos (-42. A Telefónica O2 Eslováquia tem continuado com o desdobramento da sua própria rede.000 acessos (-49%). como conseqüência do aumento do número de altas brutas e da diminuição da cifra de desconexões.000. as perdas líquidas anuais de acessos fixos se reduziram a 333.000 no quarto trimestre.000 no final de 2007. 16 franquias e cerca de 3. o que representou um ganho líquido de 20. que se relaciona favoravelmente com o ganho líquido de 16. em serviços de valor adicionado e serviços de TI. O objetivo da companhia é aumentar a atividade dos clientes quanto ao uso de serviços de rede e. | Relatório Anual 2007 .068 milhões de euros.2% em moeda local.5%). assim como a melhora da atenção ao cliente. A rede de vendas constava de 14 lojas de marca própria. No final do quarto trimestre.500 pontos de venda adicionais. No quarto trimestre. apesar do bom comportamento das receitas procedentes de serviços baseados no acesso à Internet por Banda Larga. o que permitirá a migração gradual do tráfego de roaming nacional com o conseqüente efeito positivo nas margens.9% relativa ao ano anterior.000 registradas em 2006. a Telefónica O2 Eslováquia continua aumentando sua presença no mercado eslovaco ao longo do quarto trimestre.000. o total de clientes da telefonia móvel registrados na Eslováquia atingiu 565. alcançando uma quota de mercado de clientes ativos superior a 5% apesar de uma parte significativa dos clientes utilizarem a SIM da O2 como sua segunda ou terceira opção. Após o lançamento de novos produtos em pacote o número total de clientes de O2 TV aumentou atingindo 73.000 em 2007 frente a 506. o que significa uma diminuição de 13. na área de ICT/Soluciones Empresariales. a maioria dos quais eram clientes de pré-pago. com um aumento de 21.1% em moeda local. O número total de acessos de telefonia fixa atingiu 2.O negócio fixo da Telefónica O2 República Tcheca manteve seu foco no desenvolvimento dos serviços de banda larga e cada vez mais. Em 2007.A. frente aos 135.3% relativo a 2006.000 no final de 2007. S. após a iniciativa da companhia de melhorar a qualidade das linhas fixas mediante a extensão da banda larga e as ofertas de pacotes. Não obstante. No ano. as receitas do negócio tcheco de telefonia fixa declinaram 0. o ganho líquido foi 100. Assim. As principais atividades se centraram na comercialização das ofertas de pré-pago e das recentemente introduzidas tarifas de pós-pago. No final de 2007. enquanto que para o quarto trimestre foi 25. a companhia possuía aproximadamente 550 estações base em funcionamento. com o objetivo de ampliar a base de clientes e a melhora do mix de clientes mediante a migração de tarifas de pós-pago. e transportava sobre sua própria rede em torno de 60% do tráfego total.000 registrados no quarto trimestre de 2006. o ARPU e os resultados financeiros. o declínio do número de acessos de telefonia fixa experimentou uma desaceleração em 2007. principalmente como conseqüência do processo de substituição fixo-móvel. O número total de clientes com pacotes de produtos quase alcançou 100. Em 2007 o número total de acessos ADSL (varejo e atacado) alcançou os 570. portanto. reduziram ano-a-ano 1.

Nota: "Provisões de tráfego" se encontra reclassificada desde "Outras receitas (despesas) líquidas" até "Gastos operacionais".7) 8.225.6 670.0 2.5 329. 1 2 Nota: Os números de 2006 estão apresentados considerando a Dotação de Preço da Compra da O2.7 451.2 21.3) 34.4) n.399) 309 9.4 572.752. S. Deutschland.310.662) 9 (8) (9) 3.8 73.725 57 (2.5 21.2 35.3 41.458 200 (10.8 7.708 (3.2 41. Nota: Os Acessos de celulares.A.5) 13. (99.263.341.868) 3 1 (7) 910 (937) (27) (1.8 627.2 c.6 14.s.s. (93.8) (9.9 (8.4 2.Dezembro 2007 TELEFÓNICA EUROPA ACESSOS Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa1 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago TV Paga Acessos Atacado 2 Total Acessos 1 2 38.201.0 13.5 (13.3 7.2 11.4) c.7 37.9 14.5) 20.386) 1. o Grupo O2 (fevereirodezembro) e O2 Alemania (fevereiro-dezembro).9 505.159 219 (9.866.987) 14 1.3 7.081.8 22.7 21.907.9 (60.5 15.399.s.972.5 39. 8.977 (3.7 38.2 2.682 44 (2.643.6 21.6 243.s.6 35.0 (17.2 637.267. Valores de OIBDA excluindo "brand fee". a T.5 39. TELEFÓNICA EUROPA RESULTADOS CONSOLIDADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 janeiro-dezembro 2006 % Var 2007 outubro-dezembro 2006 % Var Valor líquido da cifra dos negócios Capitalização de despesas1 Gastos operacionais Outras receitas (despesas) líquidas Resultado da venda de ativos Amortização do ágio e ativos fixos Resultado operacional antes de amortizações (OIBDA)2 Depreciação e Amortizações Resultado operacional (OI) 14.3) 1.1) (22.0 734.292 (0) 4. Telefónica. Inclui milhas desagregadas correspondentes à T. Nota 1:A Telefónica Europa incluiu em 2006 a Telefónica O2 República Checa (janeiro-dezembro).347.2 (0.0 14.935.7 52.462.9 11.6 540.5 10.865. Acesso Básico RDSI x1.5 410.8 39. | Relatório Anual 2007 123 .0) c.9 648.9 2. Inclui obras em andamento.143.896) 2 (6) (0) 826 (820) 6 3.3 2.7 RTB (incluindo TUP) x1.9 607.9 36.2 n.3 (36.8 37.3 53.9 40.239.5 25.680.s.8 38. 3.554.419.Resultados Janeiro . Deutschland (janeiro-dezembro).136.1 143.2 706.s.6 6.6) 48.195.3 110.504. n.0 543.2) (12.591 13.2 40.194.9 68.7 15. Inclui uso próprio.361. Acessos de telefonia fixa e Acessos de Banda larga incluem os clientes da MANX.0 85.755. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.2 56.2 15. desde fevereiro de 2006.3 38.267.130.

9 24.024.5 560.7 18.0 37.382.893.7 18.4 7.992.0) (13.4 305.9 4.632.2 7. | Relatório Anual 2007 .8 5.6 4.3 (60.574. S.207.4 63.471.5 1.646.1 12.1 1.6 7.1 2.5 68.133.4 n.442. Inclui últimas milhas alugadas pela Telefónica Deutschland.0 2.1 5.650.7 435.3 11.8 15.098.6 94.9 73.0 19.6 11.0 455.4 11. 16.8 533.146.646.0 565.205.s.7) 5.7 1.573.c.5 2.452.4 17.808.7 12.183.218.5 102.0 17.3 10.591.7 11.6 475.142.0 16.2 573.s.6) 19.8 4.0 17.774.4 17.3 56.5 7.750.881.8 85.0 6.4 6.1 1.9) 2.6 0.235.s.632. n.792.2 31.5 2.5 1.0 12.4 7.0 12.366.557.839.236.822.4 502.2 227.076.5 1.1 6.4 5.546.0 11.7 405. n.069.966.6 n.7 485.2 1.5 0. Inclui uso próprio.7 33.6 11.967. Acesso Primário RDSI e Acessos Digitais 2/6 x30.168.7 2.4 (3.9 37.7 30.0 17.2 11. 13.2 17.533.9 110.287.7 11.842.243.748.714.631.2 110.9 17.1 37.841.A.2 4.s.7 1.9 2.815.7 n.3 143.8 70.698.806.0 38.4 30.c.0 7.0 24. Acesso Básico RDSI x1.8 n.814.402.8 0.9 437.452.9) 14.2 1.3 5.6 596.8 1.7 17.7 149.9 (4.7 512.815.864.5 1.6) 25.7 74.5 559.2 74.3 2.1 17.1 11.s.7 4.5 1.TELEFÓNICA EUROPA ACESSOS POR PAÍS Dados não auditados (Mil) 2006 dezembro março junho setembro 2007 dezembro % Var Anual REINO UNIDO Acessos Clientes Finais Acessos de dados e internet Banda larga Acessos celulares Pré pago Pós pago Total Accesos 17.816.8 19.9 19.c. 4.989.118.0 386.043.5 2.6 12.1 11.951.c.9 11.2 1.090.6 5.2 (0.125. 124 Telefónica.7 (36.2 ESLOVÁQUIA Acessos celulares Pré pago Pós pago Total Acessos 1 2 – – – – 386.7 2.4 2.9 11.0 1.5 4.6 559.6 463.5 6.633.1 7. n.452.937.0 495.938.874.6 499. 17.5 1.8 5.215.6 565.5 n.631.7 7.609.5 13.4 11.4 38.9 12.803.712.s.1 11.7 495.641.3 13. RTB (incluindo TUP) x1.374.480.9 REPÚBLICA CHECA Acessos Clientes Finais Acessos de telefonia fixa2 Acessos de dados e internet Banda estreita Banda larga Outros Acessos celulares Pré pago Pós pago TV Paga Acessos Atacado Total Accesos 7.410.8 7.632.873.8 16.0 18. n.8 5.7 1.650.938.0 454.415.896.0 13.8 17.4 2.2 559.765.5 33.7 6.193.175.4 6.4 IRLANDA Acessos celulares Pré pago Pós pago Total Acessos 1.5 105.9 6.4 9.4 5.7 1. n.632.9 555.8 386.0 108.3 25.631.544.8 455.0 1.1 11.1 17.1 6.4 31.9 53.134.298.6 2.1 0.774.899.160.7 70.6 2.631.6 509 7.5 ALEMANHA Acessos Clientes Finais Acessos de dados e internet Banda larga Acessos celulares Pré pago Pós pago Acessos Atacado1 Total Acessos 11.4 483 7.

7) 1. KPIs do negócio de celular da República Checa não inclui a Eslováquia.0 45.1 18.9) (3.2 63.1 24.0 78.0 29.7 (17.7 34.8 41.7 30.0p.7 8.1 32.0% 117 19.9 5.Resultados Janeiro .0 11.9% 133 20.7% 3.4 6.0 13.0% 109 17.6 81.2 5. S.2 25.5 10.0 82.5 9.7 29.2 11.5 18.0 11.4 42.8p.4% 189 34.3 32.8 34.8 (7.8) (17.9 18.7 12.p.2 28.8 35.7 8.9% 249 46.6) (12.4% 2.1 25.5% 179 33.0 4.0 19.1p.2 3. Telefónica.8 8.1 3.9) (22.9% 9.p.3 17.5 8.3) 23.4 31.2% 193 35.6 (1.5 4.1 1.8 11.6% 129 20.0 83.7 35.6% 240 44.5 11.6 4.9% 134 19.8 4.0% 128 20.5 1.3 2. 1 Nota: O MoU e o ARPU estão calculados como a média mensal do trimestre.9 11.8 12.8) 3.8 32.0 14. TELEFÓNICA O2 REPÚBLICA CHECA1 MoU (minutos) ARPU (EUR) Pré pago Pós pago ARPU de dados % Receitas no-P2P SMS s/receitas dados 109 18.7 2.p.3 5. O2 ALEMANHA MoU (minutos) ARPU (EUR) Pré pago Pós pago ARPU de dados % Receitas no-P2P SMS s/receitas dados 129 23.0% 11.1 15.8 6.4 32.2 3.9 22.6 26.0 40.2 9.4 10.8 11.1 25.5% 252 45.p.2 5.2 63.Dezembro 2007 TELEFÓNICA EUROPA DADOS OPERACIONAIS DE OPERADORAS DE CELULARES POR PAÍS Dados não auditados (Mil) 2006 4T 1T 2T 3T 2007 4T % Var M Local O2 REINO UNIDO MoU (minutos) ARPU (EUR) Pré pago Pós pago ARPU de dados % Receitas no-P2P SMS s/receitas dados 180 34.2 23.2 84.0% 122 20.9 6.0 63.8 2.4 p. O2 IRLANDA MoU (minutos) ARPU (EUR) Pré pago Pós pago ARPU de dados % Receitas no-P2P SMS s/receitas dados 246 45.1 15.5 19.2 5.9 42.0 29.4 4.0% 120 18.9 11.3 39.A.2% 197 33.5 6.3 64.4% 250 47.2 9. | Relatório Anual 2007 125 .0 61.8 34.7 19.

256.7 (18. Inclui em 2006 o período de fevereiro a dezembro.6% 1.1p.148.p.0 O2 ALEMANHA2 Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 3.2p.9% 117 885 310 35.010 44. Local O2 REINO UNIDO1 Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 7.) 22.p.A.p.TELEFÓNICA EUROPA DADOS FINANCEIROS SELECIONADOS Dados não auditados (Milhões de euros) 2007 2006 % Var janeiro-dezembro % Var M.0% 832 6.5 1.320 583 17.9 0.6) O2 IRLANDA1 Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 991 316 31.7 (18.9) (4. 126 Telefónica.265 1. tanto da O2 Alemanha como da Telefónica Deutschland.224 6.9) (30.923 26.1) 11.6 2.5 18.777 28.9 2. Inclui em 2006 o período de fevereiro a dezembro.403 1.7 10.) (30.541 473 13.) (17.3% 850 3.5 20. | Relatório Anual 2007 .9 2.6) 6.4p.2 8.0) TELEFÓNICA O2 REPÚBLICA CHECA Valor líquido da cifra dos negócios OIBDA Margem OIBDA CapEx 2.0 (3.8% 281 2.4% 760 18.1p.8% 229 5.p.1 1 2 Valores do OIBDA excluindo "brand fee".0 985 45.0 (18.1 2.7 8.0% 141 11.) 9. S.2 (2.6 (1.

o crescimento do mercado multi-setor tanto dos clientes atuais (Alcatel. Argentina e Venezuela. o crescimento dos serviços de força de vendas presencial e a expansão dos serviços descentralizados do mercado espanhol.017 milhões de euros. Estes fatores compensam o aumento dos custos de estrutura pelo reconhecimento de gastos por arrendamento de capacidade associada ao crescimento de negócio.Resultados Janeiro . a expansão do BBVA.4% com relação a 2006. o crescimento da atividade com o Grupo CANTV e Movistar. apesar de mostrarem certa desaceleração durante o último trimestre do ano (+14.5% frente ao quarto trimestre de 2006) como resultado da gestão de serviços descentralizados do mercado espanhol até a América Latina (com menores custos de pessoal) e a alteração do mix que supõe uma menor participação da Espanha dentro do Grupo. principalmente no Brasil e no México.0 c. consolidando o crescimento ano-a-ano das receitas e da margem OIBDA. S. totalizando 1.5 n.Dezembro 2007 GRUPO ATENTO RESULTADOS CONSOLIDADOS Dados não auditados (Milhões de euros)) 2007 janeiro . diversificação da carteira de clientes e crescimento com clientes multi-setor.4 n. unido à expansão com a Telefónica (Telefónica Móveis Argentina e Telefónica de Argentina).027 0 (885) (0) (0) 0 142 (28) 113 14. P&G. melhorando sua tendência no quarto trimestre do ano (margem OIBDA 14. Microsoft.5% durante o quarto trimestre de 2007). n. O resultado operacional em dezembro de 2007 atinge 131 milhões de euros.s. o que significa um aumento de 14. Lan. alcançando 50. A evolução das receitas do grupo tem sido motivada pelo crescimento da atividade dos principais clientes.9% do exercício anterior. Na Venezuela.2% e a 12. YPF) como da captação de novos clientes (Lexmark. SAP.8 15. fundamentalmente no Brasil. Banco IBI.174 milhões de euros no final do ano 2007. principalmente nos serviços de Hipoteca. Resultados por unidades de negócio Outras Sociedades Grupo Atento Em 2007 a evolução dos resultados do Grupo Atento tem sido muito favorável.s.0 Inclui obras em andamento.0% obtidos no ano anterior. n. Brasil e Espanha correspondem a 44.s. em linha com o final do exercício anterior.s. Telefónica. junto com a captação do Banesco. assim como pela captação de novas contas em quase todos os países. 14. Na Argentina.1% das receitas procedentes de clientes multi setoriais (externos ao Grupo Telefónica) em comparação aos 47. | Relatório Anual 2007 127 . 15.s. Sera e Cobranças) e o crescimento do setor financeiro (Itaú. No México. Atento México continua com um significativo crescimento e chega a 20. Bosh). alcançado pelo quinto ano consecutivo crescimento rentável do negócio. equivalente a um crescimento ano-a-ano de 13. devido à descentralização de tráfego do mercado espanhol até a América Latina e Marrocos. Bradesco. Speedy. c.6 n.3% das receitas totais respectivamente. c. Unibanco e Redecard).A. a maior atividade com a Telefônica (serviços Atento ao Cliente.s. México.5 12. O resultado operacional antes de amortizações (OIBDA) do Grupo Atento atingiu 161 milhões euros em 2007. Os gastos operacionais têm apresentado um crescimento ano-aano de 15. Os principais clientes que contribuíram para este crescimento têm sido: No Brasil.dezembro 2006 % Var 2007 2006 outubro .2%. 13.0%. O valor líquido da cifra de negócios (receitas) do Grupo Atento alcançou 1.5% ano-a-ano e uma margem sobre as receitas de 11. A diversificação da carteira continuou se reforçando em 2007.017) 2 2 0 161 (30) 131 1. Estes efeitos compensam a redução da atividade na Espanha. A execução da estratégia de diferenciação tem sido chave para obter tais resultados. Peru.9 7. O investimento (CapEx) em dezembro de 2007 alcançou 39 milhões de euros frente a 35 milhões de euros de 2006.5 305 0 (261) (0) 0 0 44 (8) 36 269 0 (228) (2) 0 0 39 (7) 32 13.7%. A margem OIBDA foi 13. Nokia.s.s.1 12.174 0 (1. 12. (OIBDA) Depreciação e Amortizações Resultado operacional (OI) 1 1.dezembro % Var Valor líquido da cifra dos negócios Capitalização de despesas1 Gastos operacionais Outras receitas (despesas) líquidas Resultado da venda de ativos Amortização do ágio e ativos fixos Resultado operacional antes de amort.9% gerado por o aumento da atividade e pela contenção de custos de estrutura. No Peru. pelas maiores necessidades de CapEx requeridas para suportar o crescimento de negócio.2% das receitas frente a 15. Financiamento e Cobranças e Seguros. apresentando um crescimento de 15.

| Relatório Anual 2007 .287 posições construídas. 13.O fluxo de caixa operacional (OIBDA-CapEx) melhorou substancialmente com relação à cifra acumulada em dezembro de 2006.A.1% em comparação a 2006. 128 Telefónica. As posições médias ocupadas do exercício 2007 alcançam 42. um aumento de 15. Do ponto de vista operacional. totalizando 122 milhões de euros. S.971. o Grupo Atento contava em 31 de dezembro de 2007 com 53.6% a mais que no exercício de 2006.

a porcentagem de direitos de voto do Grupo Telefónica alcançaria 9.00 44.00 100.03 100.59% e a Telefónica.00 0.A.53 100. S. A Telefónica Móveis Chile ampliou o capital no mês de maio.23 8.79 13. possui 92. aproximadamente.21 4 T. Telefónica. a participação indireta da Telefónica sobre a Telecom Italia seria de 6.00 50.36 13. Móveis Soluciones y Aplicac.00 100. (Chile) 1 2 3 Mobipay España1 Hispasat Portugal Telecom3 China Netcom Group BBVA Amper 1 100. Sem considerar os interesses minoritários.A.00 100.Resultados Janeiro .00 100. Móveis Guatemala Telcel (Venezuela) T. A Telefónica de Contenidos.00 99.9%.00 100. detalhado por unidade de negócio TELEFÓNICA ESPAÑA % Part TELEFÓNICA EUROPA % Part Telefónica España Telefónica Móveis España Telyco Telefónica Telecomunic.30 43. S. (62.92 32. Sociedade participada pela Telefónica Latinoamérica.00 Sociedade participada através da Telefónica S.Dezembro 2007 Resultados Janeiro Dezembro 2007 Anexos Participações mais significativas do Grupo Telefónica.94%).00 100. TELEFÓNICA LATINOAMÉRICA % Part OUTRAS PARTICIPAÇÕES % Part Telesp 1 Telefónica del Perú Telefónica de Argentina TLD Puerto Rico Telefónica Chile Telefónica Telecom Telefónica USA T.00 100.41 100.18 Group 3G (Alemanha)3 Telefónica O2 República Checa Telefónica O2 Eslovaquia2 1 2 3 69.49%. a porcentagem de participação do Grupo Telefónica seria de 8.00 51.00 1 100. A Joint Venture que consolida pelo método de integração global a filial Vivo. Sociedades participadas direta ou indiretamente pela Telefónica Móveis España. Intern.A.01%. Se computássemos as "acciones de ahorro" (azioni di risparmio).16%.20%.00 O2 UK O2 Alemanha1 O2 Irlanda Manx Be 100.00 4 3G Mobile AG (Suiza) Grupo Atento Telefónica de Contenidos (Espanha) Mobypay Internacional Telco SpA (Itália) Tempos 211 IPSE 2000 (Itália) Lycos Europe Sogecable 2 1 5 100.00 5. Porcentagem efetiva do Grupo Telefónica.00 100.00 100. Móveis México Telefónica Móveis Chile T. (TIWS) 2 Brasilcel 3 87. S. tem 15. Móveis Panamá T.00 100.18 98. Móveis Argentina T.10 2 3 4 5 4 Participação efetiva 88.69 39. Móveis Uruguay Telefonía Celular Nicaragua T.97 6.00 100. que não conferem direitos políticos.95 98.00 100. Sociedade participada através da Telefónica O2 República Checa. Móveis Perú T.00 42.00 32. Soluciones de Informática y Comunicaciones de España Iberbanda Medi Telecom 100. que foi dissolvida em 1 de julho de 2007.A. Públicas T. Wholesale Serv. através de uma participação na Vivo Participações.00 100.A.00 100. A Telefónica possui uma participação indireta no capital ordinário (com direito a voto) da Telecom Itália através da Telco de. | Relatório Anual 2007 129 .00 100.00 98. Móveis Colombia Otecel (Ecuador) T.00 100.32%. Sociedade participada pela O2 Alemanha.A.04 98.00 50. 10%.89 52.00 100. S.A.51% e a Telefónica DataCorp possui 7. S.00 100. A Telefónica.10 16.08 100. Móveis El Salvador T. Tendo em conta as ações próprias da sociedade portuguesa e sem considerar os acionistas minoritários. S. resultado pelo qual passou a ser o único acionista da Telefónica Móveis do Chile.00 100. tem 1.

Com data de 28 de novembro de 2007. Eva Castillo Sanz e de D. e prévio informe favorável da Comissão de Nomeação. Retribuição e Governança Corporativa. acordou. até a data Conselheiro Delegado da O2 UK plc. D. Em 18 de Janeiro de 2008. aprova. o Conselho aprovou a nomeação de Guillermo Ansaldo como Diretor Geral da Telefónica España. Por sua vez. S. acordou a realização de um novo programa de recompra de ações próprias por um total de 100 milhões de ações. A execução da citada aquisição está condicionada a previa obtenção das aprovações regulatórias necessárias. como novo Conselheiro Delegado da Companhia. 130 Telefónica. Por outro lado. a nomeação de Julio Linares. S. Retribuição e Governança Corporativo. S. e que estará vigente durante o exercício de 2008 e o primeiro semestre de 2009. S..22% do capital social da companhia chinesa de telecomunicações.A. e ocuparão as vagas propiciadas pela saída do Órgão de Governo da Companhia de Enrique Used e Maximino Carpio.22%.A. Manuel Pizarro Moreno e D. que deixa a Companhia a pedido próprio e por razões pessoais. Com isto. em sua reunião ordinária.Eventos Significativos No marco da política de retribuição ao acionista da Companhia. de acordo com o previsto no “Plan de entrega de acciones 2006” (Performance Share Plan 2006) autorizado pela Assembléia Geral Ordinária de Acionistas da Companhia na reunião celebrada em 21 de junho de 2006. Neste caso. a proposta da Comissão de Nomeação.U. ambos com o caráter de Conselheiros independentes. Ansaldo substitui a Antonio VianaBaptista. através de sua filial TELEFÓNICA INTERNACIONAL.A.. Em 19 de dezembro de 2007. realizou um acordo para a aquisição de uma participação adicional equivalente a aproximadamente 2. Peter Erskine anuncia que deixa o posto de Diretor Geral da Telefónica O2 Europa. e de sua Comissão Delegada. em sua reunião celebrada em 23 de janeiro de 2008. o Conselho de Administração da Telefónica S. Desenvolvimento de Negócio e Sinergias. permanecendo como membro do Conselho de Administração da Telefónica.776). destinar as ações correspondentes ao segundo ciclo do citado Plano aos Conselheiros executivos e Diretivos da Companhia. S. prévio informe da Comissão de Nomeação. o Conselho de Administração acordou por unanimidade. CHINA NETCOM GROUP CORPORATION (HONG KONG) LIMITED (“CNC”). Da mesma forma. representativas de aproximadamente 2. Matthew Key. a participação do grupo TELEFÓNICA na CNC passaria a ser de aproximadamente 7. as nomeações por cooptação como novos membros do Conselho de Administração de Dona. Em 29 de novembro de 2007. a aquisição desta participação adicional no capital da CNC representará um investimento total de 309 milhões de euros aproximadamente (em função da taxa de câmbio aplicável ao final da operação).A. Retribuição e Governança Corporativa. até o momento Diretor Geral de Coordenação. o Conselho de Administração da TELEFÓNICA.095% de seu capital social. e comunicado em 13 de novembro de 2006 (número de registro 113. como Conselheiro não executivo. O Conselho de Administração da Companhia. o substitui como Diretor Geral da Telefónica O2 Europa e como membro do Comitê Executivo da Companhia.A. com o caráter de Conselheiros independentes. Manuel Pizarro e Javier de Paz foram nomeados novos Conselheiros da Telefónica. o Conselho de Administração. Depois da aquisição. D.A. a TELEFÓNICA. aceitou as renúncias ao cargo de Conselheiro apresentadas por D. em sua reunião celebrada em 27 de fevereiro de 2008. Antonio Viana-Baptista. Luiz Fernando Furlán.. | Relatório Anual 2007 .

assinou um acordo para a venda de sua participação de 99.V. Outras sociedades No mês de dezembro de 2007.p.9%. Após esta venda. | Relatório Anual 2007 131 . e que representavam 31. (na qual a Telefónica tem uma participação de 42.p.A.A.A alienou 18. que se incorporava ao âmbito de consolidação do Grupo Telefónica pelo método de consolidação global.A.500 milhões de euros. Capital Partners VI Fund.A. como sócio único. A sociedade continua incorporando-se às contas consolidadas do Grupo Telefónica pelo método de equivalência patrimonial. L. As ações foram subscritas e desembolsadas na sua totalidade mediante o aporte não monetário da totalidade das ações da sociedade holandesa Atento. obtendo um ágio de 1. S. A sociedade. S.V. S.A. No mês de dezembro de 2007. sendo a participação indireta da Telefónica com direito a voto da Telecom Italia. a Telefónica Europe PLC. através de um dividendo em espécie nor valor de 8. Em 3 de julho foi formalizada esta venda. o Grupo Telefónica diminuiu sua porcentagem de participação no seu capital social da sociedade portuguesa atingindo 8.A.98% correspondente a 6. S.V.32%.932 milhões de libras esterlinas (equivalentes a 2. S.181 ações da sociedade portuguesa Portugal Telecom. filial 100% da Telefónica. (PT).841 milhões de euros na data da operação). Inc. 9. S. SGPS.A. S. No mês de agosto de 2007 se procedeu à alienação de 100% que o Grupo Telefónica possuía na sociedade espanhola Azeler Automoción. S. em 9..V. era acionista única.06 milhões de euros.A.A.7% na sociedade holandesa Endemol Investment Holding B. S. causou a baixa da mesma. sendo seu capital social inicial 24 milhões de euros e com uma primeira emissão de 138. Telefónica. sociedade participada pelo Grupo em 75%. que se incorporava ao âmbito de consolidação do Grupo Telefónica pelo método de equivalência patrimonial.558.L. A sociedade foi incorporada aos demonstrativos financeiros do Grupo Telefónica pelo método de equivalência patrimonial.p. e Sintonia. a Telefónica.A.16% se levarmos em conta as ações em tesouraria da PT.A. A sociedade. No mês de fevereiro de 2007 ocorreu a venda de 100% das ações da Endemol France para a sociedade Endemol.p. subscrito em sua totalidade pela sociedade Atento Teleservicios España. S. em outubro de 2007 através da sociedade italiana Telco.6%. Um consórcio criado pela Telefónica..A. possuía sobre a sociedade brasileira Mercador. para um consórcio de nova criação formado em partes iguais por Mediacinco Cartera S. A sociedade se incorporou ao âmbito de consolidação do Grupo Telefónica pelo método de consolidação global. a Telefónica. No mês de junho de 2007. A sociedade.A. alienou a totalidade das ações que possuía na sociedade espanhola Sistemas Técnicos de Loterías do Estado.A. No mês de maio de 2007. S. S. constituiu no mês de junho de 2007 a sociedade americana Contact US Teleservices Inc. aportando 100% do capital social inicial por um valor de 0. A citada sociedade que se incorporava ao âmbito de consolidação pelo método de consolidação global. N. por um valor de 2. causou uma baixa no âmbito de consolidação.1 milhão de dólares americanos. a Telefónica. que se incorporava ao âmbito de consolidação do Grupo Telefónica pelo método de consolidação global.A. No mês de abril se procedeu a alienação de 54% que a sociedade americana Katalyx. constituiu.A..314 milhões de euros. S.3%). Cyrte Fund II B. da qual a Telefónica. Inversiones e Teleserviços. N. por um valor de 0.S. causou a baixa do mesmo. e sua filial 100% O2 Holdings LTD venderam 100% do capital social da sociedade britânica Airwave O2 Ltd.A.p. Durante o primeiro trimestre de 2007. S.. uma companhia de nova criação participada pela sociedade italiana Mediaset e sua filial espanhola cotada Gestevisión Telecinco. Posteriormente.37 milhões de euros. o que significa um desembolso de 2. A sociedade espanhola Atento Teleservicios España. A sociedade.A. S. a Telefónica. S.A. causou a baixa do mesmo. S. a sociedade espanhola Atento Holding. S.Resultados Janeiro . S.55 milhões de dólares americanos. o Grupo O2 transferiu a propriedade legal a totalidade de seu negócio na Alemanha à Telefónica. Procedeu-se a liquidação e dissolução da sociedade espanhola Communicapital Gestión. No mês de abril. Intesa Sanpaolo. durante o mês de agosto..A. e G.p.P. que se incorporava aos demonstrativos financeiros do Grupo Telefónica pelo método de equivalência patrimonial. A sociedade foi incorporada ao âmbito de consolidação pelo método de integração global. S. A sociedade que se incorporava ao âmbito de consolidação do Grupo Telefónica pelo método de consolidação global. e as sociedades Assicurazioni Generali. por um valor de 1. causou a baixa da mesma. foi baixada da mesma. o Grupo Telefónica procedeu a alienação de ações da sociedade italiana Ipse 2000 S.Dezembro 2007 Mudanças no Âmbito e Critérios de Consolidação Contábil Durante o transcurso do exercício de 2007 ocorreram as seguintes variações no âmbito de consolidação: Telefónica Europa Em 20 de dezembro de 2007.629 milhões de euros. esta sociedade ampliou o capital por um valor de 0.75% do capital social desta. A sociedade continua sendo incorporada aos demonstrativos financeiros do Grupo Telefónica pelo método equivalência patrimonial. S. adquiriram 100% da sociedade Olimpia.A. que conta com uma participação de aproximadamente 23.A.88% dos direitos econômicos.34 milhões de euros. S.296.A. reduzindo seu percentual direto e indireto sobre a sociedade italiana para 39. S.

principalmente sobre taxas de câmbio. Risco de preço de ações. e da existência de dívida em moedas diferentes das dos países onde os negócios são realizados ou onde estão sediadas as sociedades endividadas. 2. taxas de juros e ações. O custo da obtenção de recursos também pode ser afetado por variações nas margens de crédito (sobre as taxas de referência) solicitadas pelos credores. econômica e social nos países onde o Grupo Telefónica opera. O valor dos recursos próprios. cabe destacar o chamado “risco país” (associado aos riscos de mercado e de liquidez). como conseqüência (i) de seus negócios usuais. | Relatório Anual 2007 . compromissos de financiamento por entidades financeiras e operações em mercados de capitais). O Grupo Telefónica administra ativamente os riscos mencionados. com investimentos e negócios em países com moedas diferentes do euro (fundamentalmente na América Latina. Risco de taxa de câmbio. a administração financeira do Grupo avalia qual deverá prevalecer. 1. Para a gestão de riscos. 3. que decorre da possibilidade de desajuste entre as necessidades de recursos (por despesas operacionais e financeiras. A demonstração de resultados. Risco de taxa de juros. o Grupo enfrenta o risco de liquidez. dos produtos derivados das mesmas. investimentos. Por último. Decorre principalmente da presença internacional da Telefónica. Decorre da variação no valor das participações acionárias que podem ser objeto de transações. S.A. que consiste na possibilidade de desvalorização dos ativos ou de redução dos fluxos gerados ou enviados para a controladora.. desinvestimentos. (iii) de participações em empresas. protegendo o valor do investimento realizado. vencimentos de dívidas e dividendos comprometidos) e suas origens (receitas. como conseqüência de instabilidade política. Nos casos em que esses objetivos forem mutuamente excludentes. na República Checa e no Reino Unido). e (iv) de outros instrumentos financeiros relacionados com os itens anteriores. a Telefónica utiliza derivativos. Manifesta-se na variação (i) dos custos financeiros da dívida com taxa variável (ou com vencimento a curto prazo e renovação previsível). das ações próprias em tesouraria e dos derivativos sobre ações. com o objetivo de estabilizar: Os fluxos de caixa. para facilitar o planejamento financeiro e o aproveitamento de oportunidades de investimento. como conseqüência das variações nas taxas de juros e (ii) do valor dos passivos a longo prazo com taxas de juros fixas.Gestão de Riscos Derivativos e política de gestão de riscos O Grupo Telefónica está exposto a diversos riscos de mercado financeiro. para facilitar sua compreensão e previsão pelos investidores. especialmente na América Latina. (ii) da dívida contraída para financiar seus negócios. 132 Telefónica. Os principais riscos de mercado que afetam as sociedades do Grupo são: Além disso.

o Grupo tem dívida sintética denominada em coroas checas em um montante que.932 milhões de libras esterlinas. maior for a liquidez do mercado de divisas e derivativos.702 milhões de euros. Em 31 de dezembro de 2007. valor superior aos 1. essa dívida não está repartida uniformemente como proporção dos fluxos gerados em cada país. como foi comentado anteriormente. A administração do risco de câmbio procura minimizar os impactos negativos sobre a demonstração de resultados. | Relatório Anual 2007 133 . (iii) por decisões próprias.462 milhões de euros em 2006). como conseqüência da valorização esperada da coroa checa em relação ao euro. No entanto.A. Estas posições surgem por três tipos de motivos: (i) pela limitação de alguns dos mercados de derivativos ou pela dificuldade de obter financiamento em moeda local. sem prejuízo de que sejam mantidas posições abertas.Gestão de Riscos Risco de taxa de câmbio O objetivo fundamental da política de administração do risco de câmbio é compensar (ao menos parcialmente) as possíveis desvalorizações dos ativos relacionados ao negócio da Telefónica em decorrência de depreciações da taxa de câmbio frente ao euro. a dívida líquida em dólares do Grupo eqüivalia a 1.095 milhões de euros equivalentes no encerramento de 2006.968 milhões de euros (7. a correlação estimada entre o valor do ativo e a cotação da divisa é maior quanto maior for o peso dos fluxos de caixa gerados nos primeiros anos como porcentagem do valor estimado para o ativo.997 milhões de euros equivalentes correspondentes ao encerramento de 2006. Telefónica. Adicionalmente. tanto na Espanha (associado ao investimento enquanto for considerado que a cobertura é eficaz) como nos próprios países. de 70% para 50%. Este aumento é conseqüência de uma mudança no objetivo de cobertura em 2007. com um tratamento contábil do risco de câmbio diferente do financiamento com aportes de capital. Em relação à proteção do investimento no Reino Unido.306 milhões de euros em 2006). a dívida financeira líquida1 em divisas latino-americanas alcançava cerca de 6. não se mostra uma análise de sensibilidade de variação das diferenças de conversão (patrimônio) por efeito de uma depreciação das moedas frente ao euro. o que não permite uma cobertura a baixo custo (como ocorre na Argentina e na Venezuela). Se fosse considerada constante durante 2008 a posição cambial com impacto na demonstração de resultados existente no encerramento de 2007 e as moedas latino-americanas se depreciassem em relação ao USD. S. e menor for o custo estimado da cobertura (calculado como diferencial entre os custos financeiros adicionais por financiamento em divisa local e a depreciação esperada para a divisa em relação ao euro). considerando a ausência de um mercado de financiamento em moeda local ou de hedges suficientemente profundo. o Grupo modificou o objetivo de cobertura. Portanto. Porém. com as economias resultantes do menor valor em euros da dívida em divisas (com a desvalorização destas). em 31 de dezembro de 2007. Para alguns investimentos. a proteção contra desvalorizações dos ativos latino-americanos em decorrência de câmbio é complementada com endividamento em dólares. como conseqüência do desinvestimento na Airwave por 1. montante inferior aos 11. o impacto na demonstração de resultados seria uma despesa de 69 milhões de euros. sua efetividade futura em relação à proteção de riscos cambiais dependerá de onde ocorram as eventuais depreciações. e o restante das moedas em relação ao euro em 10%. (ii) por financiamento mediante empréstimos intragrupo.481 milhões de euros líquidos do efeito dos derivativos contratados e dos ativos financeiros em dólares (1. Para a proteção dos investimentos na República Checa. a referência ou "benchmark" de cobertura é uma porcentagem do custo de aquisição (caso da Libra e da Coroa Checa). no total de 7. foram obtidos resultados positivos pela gestão de taxa de câmbio. corresponde a 3. Em 31 de dezembro de 2007.102 milhões de euros. Considerando que o objetivo de gestão não é uma magnitude contábil. Em 2007. de 50% a 70% do custo inicial de aquisição. com as economias resultantes do menor valor em euros da dívida em divisas (com a desvalorização destas). 1 Dívida Financeira Líquida = Dívida financeira a LP + Dívida financeira a C/P – Investimentos financeiros temporais – Caixa e equivalentes de caixa – Imobilizações financeiras e outros ativos a LP. é realizada no Grupo uma gestão dinâmica destinada a reduzir esses impactos.3 milhões de euros (61 milhões de euros em 2006). A dívida denominada em libras em 31 de dezembro de 2007 eqüivale a 6. Já comentamos que o objetivo fundamental da política de administração do risco de câmbio é compensar (ao menos parcialmente) as possíveis desvalorizações dos ativos relacionados ao negócio da Telefónica em decorrência de depreciações da taxa de câmbio frente ao euro. Em geral. enquanto para outros é definida em termos dos fluxos esperados nos 2 próximos anos (principalmente na América Latina). O grau de cobertura (porcentagem de dívida em divisa sobre o valor dos ativos) implantado tende a ser tanto maior quanto: maior for a correlação estimada entre o valor do ativo e a cotação da divisa.

mediante cumprimento prévio dos requisitos definidos. condicionado à geração de fluxos de caixa e à evolução do preço da ação. com cumprimento prévio dos requisitos legais estabelecidos para esse fim. A possibilidade de entregar ações aos empregados no futuro. por um montante estimado de 6. em conceito de remuneração variável (vide Nota 20. Com o objetivo de reduzir o risco mencionado no parágrafo anterior e dispor das ações necessárias no encerramento do ciclo iniciado no exercício de 2006. Por outro lado. se estes subissem 100 pontos básicos em todas as divisas onde temos uma posição financeira e considerarmos a posição de encerramento do ano constante em sua composição em divisas e saldos. que consiste na entrega aos participantes selecionados para esse fim.615 ações.234. devido ao aumento do número de ações em circulação. S. a Telefónica obterá um número de ações determinado em função do mesmo nível de êxito estabelecido para o plano. em tesouraria. No caso de emissão de novas ações para entrega aos beneficiários do plano. A Assembléia Geral Ordinária de Acionistas da Telefónica. 46 pontos percentuais tinham a taxa de juros definida por um prazo superior a um ano (ou 27% da dívida a longo prazo).368 ações próprias (vide Nota 12).795 milhões de euros em 2006.A. novos compromissos de recompra..A.A.8% da dívida líquida média total (3. 50. em comparação com os 45. o aumento nas despesas financeiras seria de 182 milhões de euros. Por fim. possuía 64. No ano de 2007.3% da dívida a longo prazo) que havia em 2006. Em 31 de dezembro de 2007. e de outras sociedades do Grupo Telefónica. Este aumento resulta de dois fatores contrapostos. a Telefónica. se isso fosse considerado oportuno pela Assembléia Geral de Acionistas. enquanto em 31 de dezembro de 2006 estavam definidos 41 pontos percentuais da dívida a taxa flutuante ou fixa com vencimento inferior a 1 ano (23% da dívida de longo prazo). O valor de liquidação das ações em tesouraria poderia ser modificado para alta ou baixa em função das variações do preço da ação da Telefónica. S. com o que seria observado um aumento de 2% nos custos financeiros ajustados de 2007 em relação de 2006. ao finalizar o ciclo. S. enquanto que no segundo ciclo o número máximo de ações designadas seria de 5.000 milhões de euros até 2007 (inclusive). O aumento das taxas implicou em uma redução do valor dos passivos. a atualização financeira dos passivos de aposentadorias antecipadas foi realizada ao longo do ano com a curva de taxas de juros implícita nos mercados de swaps. O montante das despesas financeiras de 2007 implica em um custo médio de 5.471. O resultado financeiro líquido de 2007 foi uma perda de 2.556. a Libor da libra (devido à aquisição da O2 plc).. euro e dólar norteamericano em relação a 2006.1% da dívida líquida nominal a longo prazo) tinham a taxa fixada por um período superior a um ano.A.a). e 5.471 milhões de euros) envolveria uma despesa reduzida de 200.A. a Libor do dólar e a UVR colombiana. Em 31 de dezembro de 2007.4% da dívida total2 (46. as despesas financeiras aumentaram em 257 milhões de euros como conseqüência de: a) um aumento de 38 pontos básicos no custo médio da dívida.530. de um determinado número de ações da Telefónica. Se forem excluídos os resultados devidos às diferenças cambiais. No que se refere ao primeiro ciclo (1 de julho de 2006).61% se forem excluídos os resultados por taxa de câmbio. 4% superior ao de 2006.A.972 milhões de euros equivalentes. que tenham sido adquiridas pela própria Telefónica. cuja aquisição (no caso de compra no mercado) no futuro poderia implicar em uma saída de caixa superior à que seria necessária na data de início de cada ciclo se o preço da ação estiver acima do preço correspondente à data de início do ciclo. Este plano de incentivos consta de vários ciclos. O plano define que a procedência das ações pode ser (a) ações da Telefónica. S. os valores seriam de 2.59% sobre a dívida líquida média total do ano. a Telefónica adquiriu um instrumento de uma entidade financeira mediante o qual. ou (b) novas emissões de ações.6% restantes (dívida a taxa flutuante ou fixa com vencimento inferior a um ano). Dos 49. para aumentar e estender o prazo da dívida. Embora no encerramento do exercício de 2007 não houvesse nenhum outro compromisso de recompra de ações. ou por quaisquer sociedades do grupo. Por um lado. as taxas de curto prazo com maior volume de dívida exposta foram fundamentalmente a Euribor.844 milhões de euros. foram contratadas estruturas de Caps e Floors pelo montante de 7. no futuro. a taxa SELIC brasileira. a Telefónica poderia estabelecer. Em 2007.A. Risco de preço de ações A Telefónica concluiu em 2007 o programa de recompra de ações comunicado em outubro de 2003 e renovado em abril de 2005. S. e b) de um lucro menor de 50 milhões de euros em resultados não recorrentes e as despesas associadas às posições contabilizadas a valor de mercado. aprovou a aplicação de um plano de incentivos a longo prazo dirigido aos Conselheiros Executivos e ao Pessoal Diretivo da Telefónica.4 milhões de euros.Risco de taxa de juros Os custos financeiros da Telefónica estão expostos às oscilações das taxas de juros. | Relatório Anual 2007 . 2 Dívida Total = Dívida Financeira Líquida + Garantias financeiras não consideradas na dívida financeira líquida + Compromissos líquidos por redução do quadro de pessoal. seria produzido um efeito dilutivo para o acionista comum. a redução de 5. S. 134 Telefónica. Para dar uma idéia da sensibilidade dos custos financeiros à variação das taxas de juros de curto prazo.4% da dívida líquida nominal total (ou 51.851 milhões de euros em 2007 e 2. S. o número máximo de ações designadas foi de 6. em reunião realizada em 21 de junho de 2006. em função da remuneração ou do lucro relativo recebido pelo acionista. implica em um determinado risco que poderia existir na obrigação de entregar o número máximo de ações ao final de cada ciclo. devido principalmente a que a dívida líquida média consta a taxas de juros superiores à média de 2006 devido ao maior peso relativo da dívida latino-americana e ao aumento das taxas em libra esterlina.

813 Total O detalhamento por vencimentos dos juros futuros estimados sem considerar atualização dos passivos financeiros em vigor em 31 de dezembro de 2007 é: A estimativa das taxas de juros aplicáveis à dívida com taxas variáveis foi obtida com base nas taxas de juros forward das curvas de mercado monetário mais líquidas.257 milhões de euros por ano para poder reembolsar a dívida nesse prazo. Ltd.284 milhões de euros) era de 6. e c) as linhas de crédito comprometidas por entidades bancárias não utilizadas e com um vencimento inicial superior a um ano (por um montante superior a 4.S. o vencimento médio da dívida financeira líquida (45.610 milhões para redução dos compromissos dos planos de aposentadorias antecipadas.809% do capital desta sociedade). Devido ao maior endividamento da Telefónica que ocorreu após a aquisição das ações da O2 e à excessiva concentração dos vencimentos de dívida em prazos curtos. | Relatório Anual 2007 135 .406 ações da PT Multimedia. S. excluindo os derivativos). A folga de liquidez existente como conseqüência da execução do plano de refinanciamento (pressupondo o cumprimento das projeções internas) permite acomodar o restante dos compromissos financeiros que foram adquiridos. que correspondem a cerca de 6. b) a geração de caixa atual prevista para 2008.389 milhões de euros de dívida financeira líquida em 2007 e aproximadamente 1.491 8.V e desinvestiu parcialmente na Portugal Telecom. a Telefónica vendeu completamente sua participação na Airwave O2.24 anos no encerramento de 2007.254 2. na Endemol Investment Holding. Telefónica. 2. como conseqüência. e de aproximadamente 11.055 1. o dólar. o Grupo reembolsaria a totalidade da dívida antes de 6. se aplicasse o caixa integralmente com esse objetivo. ao manter a mesma capacidade de geração de caixa durante o prazo de vida média da dívida. (venda de 1. A geração de caixa de 2007 supera com folga esta cifra e. (3) a redução de aproximadamente 5. Em 31 de dezembro de 2007. O vencimento médio da dívida do Grupo deve ser superior ao tempo necessário para pagar a dívida (supondo que se cumpram as projeções internas e que todos os fluxos gerados sejam dedicados ao pagamento da dívida.43 euros por ação (vide Nota 20).278 2. os próximos 12 meses. em virtude do dividendo não monetário distribuído pela Portugal Telecom.879. Em 2007. concentrar-se no crescimento do negócio através de novos investimentos e/ou acelerar ou aumentar a remuneração ao acionista. Também durante 2007.000 milhões de euros em 31 de dezembro de 2007).495 3.000 milhões de euros no mercado de créditos sindicados e empréstimos. SGPS.75 anos para os 6. Milhões de euros 1 ano 2 anos 3 anos 4 anos 5 anos Mais de 5 anos Total 2. a libra. a Telefónica implementou um ambicioso plano de refinanciamento que originou em 2006 e 2007 as seguintes ações: (1) o refinanciamento de aproximadamente 15. sem necessidade de apelar para novos créditos ou para os mercados de capitais (embora contando com as linhas com compromisso firme de entidades financeiras). O Grupo deve poder pagar todos os seus compromissos nos próximos 12 meses.240 19. (2) o alargamento do perfil de vencimentos da dívida (incluídos os derivativos da dívida adicional incorrida após a aquisição da O2 no Reino Unido) e. O Grupo precisaria gerar cerca de 7. O custo deste instrumento foi de 46 milhões de euros que.24 anos.P.000.974 milhões de euros foram realizados durante o ano de 2007 antes da deterioração dos mercados de crédito (vide Nota 13). a extensão da vida média da dívida financeira líquida passou de 3.776 milhões de euros (incluindo a posição líquida de derivativos).A. e não a dividendos ou aquisições). Na prática.477 milhões de euros. o iene e a coroa checa (dos quais 3. pelo menos. B. isso resultou na adoção de dois critérios: 1. na hipótese de cumprimento orçamentário.977 milhões de euros mediante emissões de bônus e obrigações nos mercados de capitais internacionais como o euro.200. corresponde a 6.A (vide Nota 9). S. medida como soma de: a) investimentos financeiros temporários e tesouraria em 31 de dezembro de 2007 (6. portanto. mantendo certa folga. em valores unitários. Os vencimentos brutos de dívida em 2008.Gestão de Riscos O número máximo de ações que a Telefónica poderia receber é 7.A. o que elimina a necessidade da Telefónica de acesso aos mercados de capitais ou de créditos durante. especialmente na medida em que estas não integram o núcleo de seu negócio e podem ser objeto de desinvestimentos. S. A Telefónica também está exposta às oscilações dos preços das ações de companhias participadas.24 anos se aplicasse a totalidade do caixa com este fim.G. a Telefónica recebeu de forma direta e indireta um total de 16. Risco de liquidez A Telefónica pretende que o perfil de vencimentos de sua dívida seja adequado à sua capacidade de gerar fluxos de caixa para pagá-la. são inferiores à disponibilidade de fundos. S.

Porém. concluídos no fim de 2007. No caso do Equador. espera-se uma maior participação do Estado na economia. | Relatório Anual 2007 . mostra que apenas o Chile pode ser considerado um país majoritariamente livre. os setores públicos de países 136 Telefónica. o dinamismo do comércio. Neste sentido.5%) continuam sendo os países com as maiores taxas de inflação da região. Isso minou o impulso que nos últimos anos foi dedicado a objetivos sociais e humanos com o fim de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. as economias da região reduziram novamente a proporção da dívida externa sobre o PIB. com exceção do México. Ao mesmo tempo. A melhoria no emprego formal foi um dos fatos mais característicos desta tendência (especialmente no Brasil).6%) e o Equador o que cresceu menos (2. De acordo com os dados da CEPAL. basicamente.7%). onde a demanda interna se situa na vanguarda. os países latino-americanos aproveitaram a conjuntura macroeconômica favorável criada pelos altos preços das matériasprimas. Uma análise da qualidade de crédito da região mostra melhoria em 2007. o que se uniu à presença estatal cada vez maior no setor de petróleo. Esta tendência de baixa foi interrompida mais à frente devido à crescente volatilidade nos mercados financeiros. Neste sentido. Esta queda foi acompanhada por uma melhoria na distribuição da renda. Isso representa o aumento consecutivo mais forte desde os anos 70.1%). Este quadro macroeconômico positivo permitiu um crescimento saudável da renda per capita de 4% em 2007. a quantidade mais alta desde 1990 e o dobro da magnitude conseguida em 2006. depois de alcançar níveis mínimos históricos em 2006 (5%). Deste modo. a inflação. as pressões de demanda associadas ao ciclo foram também um fator explicativo. Em alguns casos.5% em 1999 para 35. como se pode observar na tabela abaixo. O Índice de Liberdade Econômica de 2008.58 em 1999 para 0. relacionado na maioria dos casos à incerteza que se deriva de ações inesperadas que implicam em uma mudança notável em relação à situação anterior. a maior participação desde 1990. sendo a Argentina o país com maior crescimento (8. devido. fato que já foi observado nos novos acordos de participação estatal nos lucros das companhias petrolíferas que operam no país. S. os fluxos de capitais (investimentos tanto diretos como de carteira) e as remessas de emigrantes para melhorar seus indicadores externos.55 em 2006. especialmente em países com as maiores taxas de expansão. destacando importantes avanços nos grandes países da região. este desenvolvimento econômico favorável não elimina o risco político que ainda existe em alguns países latinoamericanos. durante 2007. enquanto o restante dos países da América Latina estão entre os majoritariamente não livres ou moderadamente livres. a “Lei Habilitante” permitiu a nacionalização de grandes prestadores de serviços públicos nos setores de energia e telecomunicações. No primeiro. Venezuela (20%) e Argentina (8.5%) fundamentadas em sólidos pilares.8% do PIB). que caiu de 0. Além disso. Por fim. como mostra o índice de Gini. Estas cifras fazem com que a região tenha concluído em 2007 cinco anos consecutivos de taxas de crescimento muito elevadas (os últimos quatro ultrapassando 4. avanços escassos no marco institucional.3% do PIB regional). o que acrescenta incerteza ao cenário de preços relativos. a metade de seu nível há cinco anos (42%). com um balanço fiscal próximo ao equilíbrio em 2007 (-0.A. O aumento na massa salarial contribuiu notavelmente para a expansão do gasto dos lares e para uma forte redução das taxas de pobreza.000 milhões de dólares de reservas internacionais (3. No lado mais negativo.6% (mesma expansão que em 2006). com uma taxa de desemprego que se situou abaixo de 8% (o valor mais baixo desde o início dos anos 90). apesar da bonança econômica. distorcido pelo congelamento das tarifas de muitos serviços públicos desde 2001. Como conseqüência destas melhorias.1% em 2006. Em termos gerais. e o flagelo da corrupção (muito maior do que em outras regiões com um nível semelhante de desenvolvimento humano) deveriam gerar sólidos incentivos que permitam implementar mudanças profundas em toda a região. a porcentagem de pessoas que vivem abaixo da linha de pobreza e indigência na América Latina reduziu-se de 42. com um aumento do PIB de 5. a onda de reformas estruturais deteve-se devido a uma carência de maiorias no Congresso ou à fragmentação política que tem estado presente nas Câmaras de representação popular. enquanto os salários reais cresceram a uma taxa moderada (1. postulados pelo Banco Mundial. com média de 4. aumentou marginalmente em 2007 (6. A conjuntura macroeconômica na região continuou positiva em 2007. na Argentina continuam sendo publicados diferentes índices de inflação cada vez mais díspares entre si. Também melhoraram notavelmente os balanços do setor público ao longo dos últimos cinco anos. Cuba e Venezuela estão no outro extremo do ponto de vista econômico. compilado pela Heritage Foundation. porém.6%) e a aceleração do consumo (6.Risco-país A percepção do risco soberano (medido pelos diferenciais de crédito) na América Latina alcançou níveis recordistas muito baixos em fins de maio de 2007 (168 pontos básicos).5%).8%) foram os fatores determinantes que sustentam esta tendência positiva. até 20%. incluindo o setor de telecomunicações. e acumularam 113.1% do PIB) e uma proporção de dívida governamental em níveis mínimos desde a década passada (31. de modo que o risco-país começou a aumentar até encerrar o ano em 270 pontos básicos. México e Argentina. Também este processo poderia afetar importantes renegociações contratuais. aos altos preços internacionais dos alimentos e da energia. Venezuela e Equador são os países mais expostos a este tipo de risco. em que a Telefónica está imersa atualmente. Na maior parte dos países latino-americanos.1% nos últimos quatro anos. como Brasil. Neste sentido. os crescentes subsídios e a política de repressão de preços que afeta produtos essenciais da cesta básica de consumo. o investimento superou 21% em 2007. Como porcentagem do PIB. o dinamismo do investimento (11. tais como a dívida em mãos de estrangeiros ou o nível dos ativos de reserva. O crescimento robusto do emprego permitiu melhorar a maioria dos indicadores sociais da região.

Gestão de Riscos

CLASSIFICAÇÃO DE CRÉDITO PELA STANDARD & POOR’S
País Classificação

Mudança em níveis desde a janeiro a dezembro de 2007

Cenário

Argentina Brasil Chile Colômbia Equador México Perú Uruguai Venezuela

B+ BB+ A+ BB+ BBBB+ BB+ B+ BB-

= +1 +1 +1 +2 +1 +1 +1 =

Estável Positivo Estável Estável Estável Estável Positivo Positivo Estável

como Chile, Brasil, Peru e Venezuela converteram-se em credores líquidos externos. Como resultado destas melhores perspectivas externas e da boa gestão das posições de dívida (de acordo com estimativas das agências classificadoras, a amortização de obrigações soberanas ao longo de 2007 foi maior do que em 2006), todos os países latino-americanos com exceção de Venezuela e Argentina melhoraram suas classificações de crédito em 2007. Isso deixa três dos maiores países, Brasil, Peru e Colômbia, no mesmo nível de classificação de Grau de Investimento. Se comparamos com a mediana dos países classificados como Grau de Investimento, o Brasil conta com uma dívida externa reduzida, embora sua dívida pública ainda seja demasiado onerosa. Estes dois aspectos têm um papel favorável no Peru, que tem a debilidade de sua excessiva dependência das mercadorias e da falta de reformas em âmbito micro. A deterioração da conta-corrente na Colômbia também é um fator que mancha os bons dados em dívida externa e de curto prazo. Por último, estes três países não obtêm aprovação nos requisitos em matéria de melhoria na qualidade institucional. Por países, as amortizações de dívida ou os swaps de dívida interna em condições mais favoráveis continuaram ocorrendo no Brasil e no Peru, o que permitiu fortalecer ainda mais suas posições externas. O Brasil acumulou 87.500 milhões de dólares em reservas internacionais durante 2007, elevando sua quantidade total de reservas até os 12,5 meses de importações, em comparação com 5,5 em 2000. Este colchão financeiro eqüivale aproximadamente à totalidade da dívida externa do país. A carga do serviço da dívida como porcentagem das exportações situa-se em 36%, caindo de 41,3% em 2006. O Peru também melhorou muito sua vulnerabilidade externa por meio de uma reestruturação da dívida com o objetivo de ampliar os vencimentos e um pagamento antecipado de 1.794 milhões de dólares ao Clube de Paris. Isso permitiu ao país reduzir sua dívida externa de 32,7 para 28,4 como porcentagem do PIB. A classificação da Argentina permaneceu estável em 2007, enquanto o Uruguai melhorou, e as duas economias obtiveram níveis superiores aos que ocorreram antes do inadimplemento da

dívida, no início deste século. Para a Argentina seria muito importante obter um acordo com o Clube de Paris e os portadores de obrigações com o objetivo de continuar melhorando sua classificação de crédito. Este é um desafio capital para a economia argentina, já que os valores pendentes são consideráveis: 4.800 milhões de dólares com o Clube de Paris e 27.100 milhões com o restante dos credores. Chile e México, os dois únicos países com Grau de Investimento na região, obtiveram melhorias em suas classificações de crédito em 2007, depois de dois anos de estabilidade. A revisão do Chile concedeu a este país sua classificação mais alta na história recente. Esta respondeu ao saneamento de suas finanças públicas, que desfrutaram de uma posição credora internacional de 12,9% em 2007. Ajudado pelo aumento contínuo no preço do cobre, o Fundo Fiscal Externo alcançou 22.500 milhões de dólares e se espera que continue crescendo, pelo menos, até 2010. Em 2007, o Chile modificou sua regra de superávit fiscal estrutural, reduzindo-o de 1% para 0,5% do PIB. Esta atua como uma política fiscal contracíclica que protege o país de um possível choque externo que poderia golpear a economia. O México pagou antecipadamente em 2007 uma parcela importante da dívida (6.500 milhões de dólares), reduzindo sua proporção de dívida externa para quase 4% do PIB. As reformas estruturais na frente fiscal, assim como possíveis futuras novas reformas no setor energético, levaram as agências a aumentar a classificação de crédito da economia mexicana. A Colômbia surpreendeu novamente em 2007, com um desenvolvimento econômico e financeiro notável. Por esta razão, sua classificação foi melhorada em maio e agora está no máximo desde 1999, ano em que o país sofreu uma profunda crise financeira que causou a perda de sua condição como economia com Grau de Investimento. A volta a um clima de negócios positivo gerou um crescimento histórico em investimentos produtivos e uma aposta estrangeira nas grandes possibilidades do país, tanto em produtos tradicionais como em não tradicionais. Isso também é estimulado pelo processo de desregulamentação que levou à

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

137

privatização da companhia petrolífera estatal Ecopetrol e a maiores perspectivas de mais privatizações no setor energético em 2008. Isso poderia eventualmente animar os Investimentos Estrangeiros Diretos este ano, avançando um bom comportamento neste aspecto em 2007: mais de 7.600 milhões de dólares. A Venezuela, país com o cenário de crédito menos estável nos últimos 10 anos (14 mudanças de classificação), manteve sua condição BB que alcançou em fevereiro de 2006 (não vista desde 1994). O impacto do aumento do preço do petróleo nos setores público e privado foi o maior causador desta melhoria. O superávit externo (superior a 10% do PIB) tornou possível, pelo segundo ano consecutivo, uma extraordinária acumulação de reservas internacionais, que permitiram ao governo comprar 600 milhões de dólares de obrigações argentinas e aumentar o valor do “Fundo de Desenvolvimento Regional” em mais de 7.000 milhões de dólares. Apesar desses fatos, o regime de controle de capitais através da CADIVI foi mantido, enquanto permaneciam a taxa de câmbio fixa e a inflação acima de 20%. Para evitar uma enorme desvalorização da taxa de câmbio paralelo, a CADIVI autorizou 43.100 milhões de dólares em 2007, 57,5% mais do que em 2006. Isso representa uma cobertura de importações de 88,6%, frente aos 71,1% de 2006. De forma diferente ao que ocorreu em 2006, a classificação do Equador foi aumentada em dois níveis em novembro de 2007, de CCC a B-. Isso indica uma melhoria substancial em relação à média de CCC que o Equador havia mantido durante a década passada, como conseqüência de sua instabilidade política e dos problemas financeiros que desembocaram na reestruturação da dívida. Declarações do novo presidente, assim como do ministro de finanças, que rejeitavam a possibilidade de um inadimplemento seletivo da dívida considerada como “ilegal”, motivaram a melhoria da classificação de crédito. Além disso, as demonstrações financeiras apontam para uma consolidação tanto fiscal como externa. Tanto a dívida pública como a externa caíram dois pontos como porcentagem do PIB de 2006 a 2007, alcançando 39% e 28%, respectivamente. Para administrar ou reduzir o risco-país, a Telefónica continuou atuando em duas grandes linhas (além da administração usual dos negócios): 1. Compensar parcialmente os ativos com passivos nas companhias latino-americanas, não garantidos pela matriz, de modo que uma eventual perda dos ativos seja acompanhada de uma redução dos passivos, e 2. Repatriar os fundos gerados na América Latina e não necessários para abordar novas oportunidades de desenvolvimento rentável do negócio na região. Em referência ao primeiro ponto, as companhias latinoamericanas têm um volume de dívida líquida externa sem garantia por parte de companhias espanholas de 4.385 milhões

de euros, 8,7% sobre a dívida líquida financeira do Grupo, com destaque para Colômbia (2.650 milhões de euros), Brasil (1.292 milhões de euros) e Peru (809 milhões de euros). Quanto ao segundo ponto, a repatriação de recursos, no ano de 2007 foram recebidos em termos líquidos 2.250 milhões de euros da América Latina, a maior parte como empréstimos intragrupo (reembolso de principal e pagamento de juros) e redução de capital (1.398 milhões de euros) e dividendos (852 milhões de euros). O restante por juros e pagamentos de comissões de gestão (“Management Fees”). Neste aspecto, cabe ressaltar que, desde fevereiro de 2003, está em vigor um regime de controle cambial na Venezuela. Para administrar o regime de controle cambial e determinar as autorizações de venda de divisas, foi criada a Comissão de Administração de Divisas (CADIVI). Este organismo determinou diversas normativas ("providências") que regulam as modalidades de venda de divisas na Venezuela à taxa de câmbio oficial. As empresas estrangeiras que estão devidamente registradas como investidores estrangeiros têm direito a solicitar aprovação para adquirir divisas à taxa de câmbio oficial à CADIVI de acordo com a providência Número 029, Artigo 2, item c) "Remessa de lucros, ganhos, rendas, juros e dividendos do investimento internacional". A Telcel, filial do Grupo na Venezuela, obteve em 2006 a aprovação de 137 milhões de dólares por este conceito e, em 2007, por 240 milhões de dólares. Atualmente, está pendente a aprovação do último dividendo solicitado recentemente, por um montante de 365 milhões de dólares. Por conseguinte, no futuro o Grupo deverá continuar obtendo as autorizações necessárias para todas as solicitações que apresenta à CADIVI, esperando que estas sejam produzidas com a mesma diligência e freqüência com que têm sido produzidas no passado, de forma que seja possível continuar com o desenvolvimento normal de nossos negócios na Venezuela e com capacidade para repatriar recursos deste país.

138

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

Gestão de Riscos

Risco de crédito O Grupo Telefónica opera em derivativos com contrapartidas de alta qualidade de crédito. Assim, a Telefónica, S.A., opera com entidades de crédito cuja classificação aplicável à sua "Dívida Sênior" está pelo menos no nível A. Na Espanha, onde reside a maior carteira de derivativos do Grupo, existem acordos de "netting" com as entidades financeiras, de forma que seja possível compensar em caso de quebra as posições devedoras e credoras, sendo o risco apenas pela posição líquida. Na Telefónica, S.A., sempre que a operação permite, tenta-se "netear" as posições de risco com as diferentes contrapartidas ao contratar novas operações. Assim, caso seja considerada uma posição "a pagar" em determinada divisa D, serão buscadas contrapartidas com que tenha uma posição "a receber", fechando com elas sempre que as condições da operação recomendem. Desta forma, é reduzido o risco de crédito potencial. Se a classificação de uma contrapartida fica abaixo de A, será analisado caso a caso se as operações devem ser canceladas. Os fatores a considerar ao analisar são o prazo da operação, se a posição global é devedora (não há risco de crédito atual) ou credora, da nova classificação. Para outras filiais, em especial para as filiais da América Latina, considerando que a classificação soberana estabelece um teto e este é inferior a A, opera-se com entidades financeiras locais cuja classificação para os padrões locais é considerada com Qualidade de Crédito muito alta. Em relação ao risco de crédito comercial, o Grupo Telefónica entende sua gestão como um dos elementos essenciais para contribuir para os objetivos de crescimento do negócio e da base de clientes, de forma coerente com a política de gestão de riscos do Grupo. Assim, o modelo de gestão de risco de crédito comercial do Grupo baseia-se em um acompanhamento constante do risco assumido e dos recursos necessários para administrar as diferentes unidades do Grupo, de forma a otimizar a relação rentabilidaderisco no desenvolvimento e implementação dos planos de negócio implementados em sua gestão periódica. Para isso, são estabelecidas políticas, procedimentos, circuitos de autorização e práticas de gestão homogêneos para todas as empresas do Grupo, considerando suas necessidades específicas e as melhores práticas internacionais nesta matéria, e incorporando este modelo de gestão do risco de crédito comercial nos processos decisórios do Grupo, tanto em nível estratégico, como nas operações do dia-a-dia. Além disso, em relação ao risco de crédito dos itens de caixa e equivalentes de caixa, o Grupo Telefónica coloca seus excedentes de Tesouraria em ativos do mercado monetário com alta qualidade de crédito e máxima liquidez. Essas colocações são reguladas por um Marco Geral que é revisado anualmente em função das condições de mercado e dos países onde o Grupo opera. Neste Marco Geral são definidos (i) os montantes máximos a investir por contrapartida, dependendo do rating (classificação

de crédito a curto e longo prazo) da mesma, (ii) o prazo máximo para realização dos investimentos e (iii) os instrumentos em que se autoriza colocar excedentes. No caso da Telefónica, S.A., que é onde a Companhia coloca a maior parte dos excedentes do Grupo, o prazo máximo de colocação foi limitado em 2007 a 180 dias e a qualidade de crédito das contrapartidas utilizadas, medida em termos de "rating", sempre ficou acima de A- e/ou A3 por S&P e Moody´s, respectivamente. A exposição máxima ao risco de crédito mantida pelo Grupo está principalmente representada pelo valor contábil dos ativos financeiros (Notas 11 e 13), assim como pelas garantias apresentadas pelo Grupo (Nota 20). Gestão do capital A direção financeira da Telefónica, S.A., responsável pela gestão do capital do Grupo, considera vários argumentos para a determinação da estrutura de capital da Companhia. O primeiro, a consideração do custo do capital em cada momento, de forma que nos aproximemos a uma combinação que o otimize. Para isso, o acompanhamento dos mercados financeiros e a atualização da metodologia padrão no setor para seu cálculo (WACC, Weigthed Average Cost of Capital) são os parâmetros considerados para sua determinação. O segundo, uma taxa de alavancagem que nos permita obter e manter a classificação de crédito desejada no médio prazo e com que a Companhia possa compatibilizar o potencial de geração de caixa com os usos alternativos que podem ser apresentados em cada momento. Estes argumentos gerais comentados anteriormente são completados com outras considerações e especificidades que são considerados ao determinar a estrutura financeira da Companhia, como o risco-país em sua acepção ampla, a eficiência tributária ou a volatilidade na geração de caixa.

Telefónica, S.A. | Relatório Anual 2007

139

Em todo caso. Coincidência entre a empresa que contrata o derivativo e a empresa que tem o subjacente. Existência de subjacente claramente identificado. 5. portanto. programas de commercial paper. S. licenciado pela Reuters. em outras ocasiões. em níveis inferiores aos iniciais. embora buscando uma cobertura perfeita dos fluxos. Além disso. Entre os subjacentes aceitáveis.. as coberturas foram efetuadas em entidades holding das empresas onde o subjacente está registrado (Telefónica. Este montante é similar ao correspondente ao ano anterior. é necessário extremar a prudência no uso de derivativos para evitar problemas por erros ou falta de conhecimento da posição real e de seus riscos. A política seguida na utilização de derivativos enfatizou os seguintes pontos: escassa profundidade de certos mercados.. que têm um subjacente designado e que em certas circunstâncias podem compensar as variações de valor do subjacente) nem sempre cumprem os requisitos e testes de efetividade estabelecidos pela normativa contábil para serem tratadas como coberturas. razoavelmente seguros ou previsíveis (programa de capex. se buscará modificar a duração financeira do subjacente em moeda estrangeira.A.). a definição do subjacente ao qual o derivativo é atribuído não coincide com a totalidade temporal de um subjacente contratual. S. no momento da contratação. de forma que o risco em taxa de juros em moeda estrangeira seja o mais reduzido possível. com algumas transações intragrupo. Em geral. as receitas e os fluxos tanto em moeda funcional da empresa como em divisas diferentes da moeda funcional. incluem-se os resultados. A decisão de mantê-las caso o teste de efetividade não seja aprovado ou se determinados requisitos não forem cumpridos dependerá da variabilidade marginal na demonstração de resultados que podem produzir e. S. a 140 Telefónica. as variações são registradas na demonstração de resultados. como forma de anular o risco de oscilações de taxa de câmbio em moeda estrangeira. Como exemplo. Apesar do ajuste da posição para baixo. Neste sentido. com os sistemas de cálculo de valor disponíveis no Grupo..715 milhões de euros. por exemplo..). em especial os associados a divisas latino-americanas. 4. fez com que historicamente existissem desajustes entre as características das coberturas e as dívidas cobertas. Capacidade de avaliação do derivativo a preço de mercado. Venda de opções apenas quando existe uma exposição subjacente.A. a Telefónica passaria parte de sua dívida de taxa variável para taxa fixa. As coberturas com sentido econômico (ou seja. também é considerado como possível subjacente o investimento em filiais com moeda funcional distinta do euro.A. Este volume é tão elevado porque sobre um mesmo subjacente é possível aplicar várias vezes derivativos com um valor igual ao nominal. se as taxas baixarem. Ajuste entre subjacente e um dos lados do derivativo. deste modo. Os principais motivos para a mencionada separação entre a cobertura e o subjacente foram a possibilidade de diferenças na validade legal das coberturas locais frente às internacionais (como conseqüência de mudanças legais imprevistas) e a diferente qualidade de crédito das contrapartidas (tanto das companhias do Grupo envolvidas como as das entidades bancárias). o valor nominal de derivativos existentes contratados com contrapartidas externas era de 130. tendo cobrado um prêmio. Este ajuste é realizado essencialmente para a dívida em moeda estrangeira e os derivativos de cobertura dos pagamentos em moeda estrangeira nas filiais do Grupo.267 milhões de euros equivalentes).7% em relação aos valores apresentados em 2006 (120. é possível realizar uma fixação de taxas mediante um FRA. o prêmio líquido seja maior ou igual a zero. sobre cada um dos períodos de taxa de juros. 1. A consideração como subjacente dos casos mencionados anteriormente não dependerá de serem compatíveis ou não com os critérios exigidos pelas normas contábeis para o tratamento dos subjacentes como itens hedgeados. A intenção do Grupo Telefónica é reduzir esses desajustes. destaca-se o sistema Kondor+. Esses fluxos podem ser contratuais (dívida e pagamento de juros. pagamento de contas a pagar em moeda estrangeira. uma dívida em moeda estrangeira pode ser convertida em euros com taxa variável e posteriormente. Em certas ocasiões. sempre que não implique em custos de transação desproporcionais. Porém. ou ii) esta opção é parte de uma estrutura onde exista outro derivativo que pode compensar a perda. e também as bibliotecas especializadas em cálculo financeiro MBRM. pois só aumentou 8. se busca que o derivativo de cobertura e o subjacente ou risco que cobre estejam na mesma empresa. Entre elas. e Telefónica Internacional. como ocorre. sobre o qual o derivativo é aplicado. A Telefónica utiliza várias ferramentas para a avaliação e gestão de riscos dos derivativos e da dívida. se o ajuste não é possível pelos motivos mencionados. 3. Além disso. inferior ao nível vigente no momento da venda da opção.Política de derivativos Em 31 de dezembro de 2007. Porém. é permitida a venda de opções incluídas em estruturas de opções onde. no caso da controladora. 2. é considerada factível a venda de opções a curto prazo sobre swaps de taxas de juros. que têm como contrapartida o direito de estabelecer um swap recebendo uma taxa fixa determinada. | Relatório Anual 2007 . da dificuldade que pode decorrer de seguir o princípio de estabilizar a conta de resultados. futuras emissões de dívida. de uso abrangente entre diversas organizações financeiras.). A venda de opções só é permitida quando: i) há uma exposição subjacente (registrada no balanço ou associada a um fluxo externo altamente provável) que compensa a perda potencial pelo exercício da opção pela contrapartida. por exemplo.

S.Gestão de Riscos 6. normalmente por limitação dos mercados com referência ao volume das transações ou sobre riscos claramente limitados e reduzidos.A. a entrada de empresas no Grupo como conseqüência de aquisições ou fusões requer um tempo de adaptação. Contabilidade de coberturas:: As diretrizes de gestão de riscos são determinadas pela Direção Geral de Finanças Corporativas do Grupo Telefónica. e implementadas pelos diretores financeiros das companhias (garantindo a correspondência entre os interesses individuais das companhias e os do Grupo). | Relatório Anual 2007 141 . Telefónica. Além disso. A Direção Geral de Finanças Corporativas pode autorizar desvios em relação a essa política por motivos justificados.

1960 A CTNE já era a primeira empresa do país. inauguram o início das comunicações telefônicas transatlânticas.6% do total de ações da CTNE propriedade da ITT. opera em 24 países. 1953 É alcançado o primeiro milhão de telefones na Espanha.A. participada por uma multinacional norte-americana (ITT) na Espanha. 10. milhões de acessos de clientes 1928 Alfonso XIII e o Presidente dos Estados Unidos. participada da International Telephone and Telegraph Corporation (ITT) de Nova York. 1 1924 Constituiu-se em Madri a Companhia Telefónica Nacional da Espanha (CTNE). a Telefónica superou outras companhias que foram referenciais no passado A Telefónica nasceu em 1924.000 funcionários. tem mais de 248. Após uma trajetória de 84 anos. a Companhia é a maior operadora integrada do mundo por número de acessos de clientes (mais de 228 milhões). Calvin Cooling.412 milhões de pesetas de capital e 32. 1967 Início das comunicações por satélite. | Relatório Anual 2007 .000 funcionários e mantém sua identidade como principal empresa multinacional espanhola sob a marca Telefónica.000 acionistas. 1945 O Estado espanhol nacionaliza 79. Apenas onze países no mundo haviam chegado a esta cifra. A Telefónica inaugurou a estação terrena de comunicações de Buitrago de Lozoya. 142 Telefónica. 78.124 telefones existentes. com 100.História Com a marca Telefónica como elemento de vertebração Em mais de 80 anos de história. S.

1988 Entra em vigor a Lei de Ordenação das Telecomunicações (LOT). 1978 Foi instalado o telefone número 10 milhões. O aumento da demanda de circuitos de transmissão de dados favorecia.A. 1985 Foram criadas a nova imagem e a nova denominação da empresa:Telefónica de España. poucos anos depois. O telefone foi oferecido a 5 milhões de clientes.história 5 1971 A Telefónica colocou em serviço a primeira Rede Especial de Transmissão de Dados da Europa. | Relatório Anual 2007 143 . o desenvolvimento do sistema TESYS. S. Telefónica. no Chile e na Argentina.A. milhões de acessos de clientes 10 milhões de acessos de clientes 1974 A CTNE completou 50 anos. 1990 A Telefónica lançou o serviço móvel analógico MoviLine alcançando uma cobertura de 98% do território e da população em três anos. S. 1987 A Telefónica começa a ser negociada na Bolsa de Nova York. A Telefónica adquiriu participações no capital e assumiu a gestão das empresas CTC e ENTEL.

A Telefónica apresentou sua nova imagem corporativa. A Telefónica realizou uma oferta pública de ações na Telefónica de Argentina. 1995 Primeira privatização parcial da Telefónica. a Telefónica.A. Entrada da Telefónica no Peru. A Telefónica privatizou-se totalmente e se organizou como uma holding para administrar linhas de negócios de caráter global. presente em 6 países americanos. deu o saldo para a participação em redes transeuropéias. 144 Telefónica. | Relatório Anual 2007 . S. milhões de acessos de clientes 68 1999 Início da banda larga através da tecnologia ADSL. Isso permite à Telefónica uma gestão integrada das operações de telefonia fixa na América Latina. que opera no estado de São Paulo.32 1993 Com o início da comercialização do primeiro satélite espanhol Hispasat. 2000 Operação Verônica. Auge da Internet A Telefónica lançou a Infovia. 1998 Um consórcio liderado pela Telefónica ganhou o concurso pela empresa Telesp. e Telefónica do Peru. Telesp e Tele Sudeste (Brasil). milhões de acessos de clientes 1994 Lançamento da telefonia móvel digital.

Telefónica formaliza sua entrada na Telecom Itália. Telefónica O2 Eslováquia começa suas operações. com uma participação de 10%. Vivo reforça sua liderança no mercado de telefonia celular no Brasil ao assumir o controle da Telemig e da Amazônia Celular. A Universidade Corporativa da Telefónica é implementada. Telefónica estrutura-se para administrar o cliente de forma integral. 2004 Aquisição dos ativos de telefonia móvel da BellSouth na América Latina. Telefónica. milhões de acessos de clientes 200 2005 milhões de acessos de clientes 228 2007 milhões de acessos de clientes 2003 Telefónica e Portugal Telecom criam uma empresa conjunta que agrupa seus ativos de telefonia móvel no Brasil. Aquisição da Cesky Telecom. Compra de 5% do capital social da China Netcom. Telefónica e China Netcom ampliam sua colaboração estratégica. Fusão de sua plataforma de TV Digital. América Latina e Europa. S. na Alemanha e na Irlanda. 2006 Telefónica compra 51% da Colômbia Telecom. gerando três áreas geográficas: Espanha.A. Lançamento mundial da nova identidade da Movistar. Adjudicação da licença de celular na Eslováquia.História 100 2002 A Telefónica iniciou os desinvestimentos em meios de comunicação. Telefónica adquire os ativos europeus da operadora de telefonia móvel O2 no Reino Unido. | Relatório Anual 2007 145 .

A Telefónica Europa na Eslováquia começa as suas operações. A Telefónica apresenta no “3GSM World Congress Barcelona 2007” a nova tecnologia HSDPA.Cronologia “Queremos melhorar a vida das pessoas. 146 Telefónica. A Telefónica lança a TV por assinatura na Colômbia. Um mundo melhor para Joana”. Organização e estratégia O Presidente do Brasil inaugura em São Paulo o maior contact center da Atento no mundo. que levará os serviços 3G ao domicílio do usuário. alcançando mais de 110. A Telefónica recebe o prêmio “Príncipe Felipe” por Excelência Empresarial. primeira operadora a implantar na Espanha o modelo de tarifas de cobrança por segundos. Responsabilidade Corporativa A Telefónica cria uma Rede Nacional de Computadores para pessoas com incapacidade. A Telefónica. seu compromisso público com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU.000 empregos. que criará 6.A. S. facilitar o desenvolvimento dos negócios e contribuir para o progresso das comunidades onde operamos. O Imagenio incorpora novas funções para facilitar uma navegação mais completa e avançada. A Telefónica América Latina lança em Santiago do Chile seu programa de futuro “Ahora”.” Espírito de Progresso Primeiro Trimestre Desenvolvimento da oferta e Orientação a Clientes A Telefónica firma um acordo para desenvolver na Espanha serviços domóticos para o lar. baseados na Banda Larga. ainda melhores”. A Telefónica apresenta. para alcançar os 170 milhões de clientes na região em 2010. com o lema “Ainda mais. a primeira empresa da Espanha que testa a TV interativa através do celular. junto com o Fórum de Reputação Corporativa. a primeira companhia que lança na Espanha uma oferta exclusiva de telefonia móvel para pessoas com incapacidade. Promovendo a Sociedade da Informação A Telefónica apresenta o relatório “A Sociedade da Informação na Espanha em 2006”. A Movistar. A Telefónica compromete-se em Bruxelas a impulsionar o bom uso da telefonia móvel entre menores.000 clientes ativos nos primeiros 12 dias. | Relatório Anual 2007 . proporcionando-lhes serviços inovadores baseados nas tecnologias da informação e da comunicação. A Telefónica. na categoria de Sociedade da Informação e Tecnologias da Informação e das Comunicações. o projeto “2015.

fórum Emilio Botín e César Alierta fecham um acordo estratégico a favor da educação. prócriança A Telefónica organiza o primeiro fórum dedicado à erradicação do trabalho infantil que é realizado na Espanha. A Telefónica presta serviços aos clientes sem cobertura ADSL através da Iberbanda. | Relatório Anual 2007 147 . Telefónica. segundo a revista Atualidade Econômica. A Telefónica é a primeira companhia que oferece aos anunciantes o telefone celular como suporte publicitário. primeira prestadora de serviços de TI com a certificação UNE: AENOR concede à Telefónica Soluções o padrão mais reconhecido para a gestão e operação da infra-estrutura de TI. A Organização de Estados Americanos premia a Telefónica por seu programa Pró-criança.A. “Resposta Empresários”. premiado pela Federação de Comércio Eletrônico e Marketing Direto com o IMÁN 2007. com tecnologia LMDS e velocidades de até 4 Mbps. A Fundação Telefónica apresenta “DigiWorld América Latina 2007”. A Telefónica. Telefónica vende a companhia britânica Airwave por 2. A Universidade Corporativa da Telefónica é implementada. Acordo entre Telefónica e Sogecable para oferecer serviços de telecomunicações e televisão digital via satélite. A Telefónica Europa recebe o prêmio “Most Desired Employer” de 2007. e “Serviço mais Inovador de 2006”. com uma participação indireta de 10%. A Telefónica e China Netcom ampliam sua colaboração estratégica. A Telefónica participa de um consórcio para se converter em acionista da Telecom Itália. o primeiro estudo regional sobre a Sociedade da Informação na América Latina. A Telefónica vende a Endemol por 2.629 milhões de euros.982 milhões de euros.cronologia Segundo Trimestre O Brasil comercializa os primeiros Duos. S.

pelo quarto ano consecutivo. A Telefónica dá início a seu programa de incubações para o desenvolvimento de projetos e inovação. 148 Telefónica. A Telefónica Europa amplia a rede e revoluciona preços na Eslováquia. A Telefónica revoluciona o mercado da conectividade de Banda Larga para Internet móvel. Organização e estratégia A Telefónica avança no Ranking Fortune Global 500. em 2007. um site que permite aos usuários compartilhar informações.5G Plus Novatel MC950D. DISTRITO C. seu primeiro projeto de web colaborativa.A. fotos e vídeos. no Dow Jones Sustainability. com o modem USB 3. primeira operadora celular que cria uma comunidade de desenvolvedores de software livre. um laboratório virtual de inovação para a comunidade do campus. A Vivo reforça sua liderança no mercado de telefonia celular no Brasil ao assumir o controle da Telemig e da Amazônia Celular. no mundo. Responsabilidade Corporativa A Telefónica figura. Prêmio de Sustentabilidade 2007 por seu compromisso com o meio ambiente. A Telefónica Europa oferece com exclusividade o iPhone no Reino Unido. A Telefónica anuncia um investimento superior a 8 bilhões de euros em infraestruturas e serviços. Promovendo a Sociedade da Informação Movistar. A Telefónica Europa lança na Alemanha sua filial de baixo custo Fonic. S. A Telefónica impulsiona o Campus Lab. A Telefónica populariza na Espanha o correio móvel com as tarifas mais baratas do mercado. A Telefónica participa de um encontro sobre Mudanças Climáticas com Al Gore. das 100 maiores empresas do mundo por receitas. | Relatório Anual 2007 . o índice das companhias líderes por critérios de sustentabilidade.Terceiro Trimestre Desenvolvimento da oferta e Orientação a Clientes O Terra lança o “Canal Viagens”.

A Telefónica revoluciona o mercado de música digital com a primeira tarifa fixa para download de música no celular e no PC. com 76 canais e pacotes personalizados. | Relatório Anual 2007 149 .Quarto Trimestre A Telefónica Europa lança no Reino Unido seus serviços de acesso a Internet de banda larga. A imprensa destaca a gestão de Alierta. A UE confirma a Telefónica como a primeira empresa espanhola por esforço em P&D. A Telefónica apresenta o serviço Gestão Familiar. A Telefónica apresenta uma nova gama de telefones fixos orientados a pessoas idosas ou com alguma incapacidade. Guillermo Ansaldo dirigirá a Telefónica Espanha e Matthew Key a Telefónica O2 Europa Telefónica e China Netcom firmam um acordo de consultoria de gestão e uma carta de intenções para explorar compras conjuntas. Telefónica. Michelle Bachelet.000 voluntários da Telefónica na América Latina e na Espanha dizem NÃO ao trabalho infantil. para fomentar o uso responsável do celular e a segurança da comunicação de pais e filhos. O Brasil estréia sua TV digital. A Telefónica obtém o Prêmio “Best of European Business 2007”. A presidente do Chile. eleito o melhor fundo de pensões espanhol por “Investment Pension Europe”. a melhor empresa para trabalhar do país. Convênio da Fundação Telefónica com a FAD para desenvolver projetos de Cooperação para o Desenvolvimento na América Latina. por contribuir para o impulso da competitividade na Europa.A. 6. S. A Telefónica lança novos serviços para liderar uma Espanha Digital “a toda velocidade”. com cobertura para 50% da população e uma velocidade de acesso de até 20 megas. após a VI Conferência de Investidores. Fonditel. A Telefónica Móveis Colômbia. A Telefónica inicia a Comunidade de inovação “Ambassadors for Innovation” A Telefónica e seus sócios italianos formalizam a entrada no capital da Telecom Itália. A Telefónica aposta em venture capital e entra em Amobee (soluções de publicidade para celulares). reconhece o trabalho do Pró-criança com o Prêmio Selo Bicentenário 2007. Acordo entre Telefónica e Yahoo! para prestar serviços globais móveis a mais de 100 milhões de clientes. Julio Linares é nomeado conselheiro delegado da Telefónica. Kyte (TV no celular) e GestureTek (tecnologia gestual).

telefonica@telefonica.A.A. 18282-2008 Documento impresso em papel 100% reciclado. Relatório Anual 2007 O presente relatório está disponível no site da Telefónica na internet: www. ou pelo correio eletrônico para: accion. | Relatório Anual 2007 . 150 Telefónica.A.es Além disso.Telefónica. está à disposição dos acionistas e do público em geral a informação exigida pela legislação vigente Edição Secretaria Geral Técnica da Presidência Design e Formatação Addison Fotografia Sara Zorraquino Impressão: Egraf S. S. S.telefonica.es Os acionistas podem solicitar também exemplares deste relatório ao Serviço de Atendimento ao Acionista através do telefone gratuito 900 111 004 (para Espanha). Data de edição: Abril de 2008 Depósito Legal: M.

telefonica.es .www.