You are on page 1of 101

FACULDADES ASSOCIADAS DE UBERABA-FAZU BIBLIOTECA “DORA SIVIERI”

MANUAL TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO E NORMATIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAZU

6. ed. revista e ampliada

Organização: Sônia Maria Rezende Paolinelli Bibliotecária CRB-6/1191

UBERABA 2012

M251

Manual técnico para elaboração e normatização de trabalhos acadêmicos da FAZU / Organizado por Sônia Maria Rezende Paolinelli. -- 6. ed. rev. ampl. -Uberaba : FAZU, 2012. 99 f. : il.

1. Documentos-Normatização. 2. Trabalhos acadêmicos-Elaboração. I. Paolinelli, Sônia Maria Rezende. IІ. Título.
CDD 025.00218

Este trabalho é dedicado a todos os alunos da FAZU, na esperança de que seus esforços terão garantia de um futuro melhor.

como a agulha da linha. o professor atua apenas como uma agulha. Os Passos do tigre) . Como seu mentor.” (SECRETAN. K. posso ajudá-lo. porque a força. devo me separar de você no fim. a fibra e a capacidade de juntar todas as partes devem ser suas.“Quando se está aprendendo. o aluno é a linha. apontando-lhe a direção correta. Mas. Lance H.

....................................................1 Título ............1........... .............3.....................................6 1........................................5 1........ Autoria ................................ DEFINIÇÃO ..................................SUMÁRIO 1 1....2.......1..4 1...................3...............................7 1............. Edição ..................2 1..........................................1.....................2 1............ empresas..13 Entidades coletivas e denominação específica ...........3..................... Até três autores ..........................10 Sobrenome composto ligado por hífen ..... Imprenta ...........3 1..... Mais de um título ...........11 Entidades coletivas (Órgãos governamentais................... 1..3.................. etc........ Autoria desconhecida ...... 12 12 12 13 13 13 13 14 14 14 15 15 15 15 16 16 16 16 17 17 17 17 17 18 18 18 18 19 19 1..1........3...........4 1...................................3............2 1......... Abreviatura ..............................................................) ...............................................3.......3.............. Local de publicação ..............3.........2 1............3 1. Destaque .....................................1..........4 1....................... Padronização do nome do autor .............................1......................................3........3.............. ELEMENTOS DE UMA REFERÊNCIA ..............................................3..................................................2 1........2.................................................................. 1. Sobrenome composto ..... Responsável intelectual .........................1 1...........4.....................................................................1 1...3 1...................... Títulos longos ................................. 1..................................3............. 1............................3................................................................1................................3.....1............1............1....3......1...........1... REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO ........................3...3...3....... Título de seriados (periódicos) .............................................................................................................8 1............1 1....3........1 1............3 1.........................3....................................................... Denominação de família ......3....12 Entidades coletivas e nomes geográficos .... 1.1....................................................9 REFERÊNCIAS .............3......................... Mais de três autores .......... Pseudônimo ............ Entrada simples ...............................................3........2....1...........................................................................................................3..........3...2..........3...............14 Congressos..... Acréscimos ......................................................... seminários e outros eventos .............................1 1......

1 1.... 1......................................................................4 1.... 1................................................................... 1.2...4..............3..............................1.......................3 Local e editor indeterminado .........................3 Local indeterminado ...1 Descrição física ......4..................1.................................................................. 1................5....1.................1 Data indeterminada ........................... 1...................................3 Estações do ano ..............4................................................ Mesmo autor e mesma data ...1................... Páginas inicial-final ..........4......................................1.............2 Mais de um local ........3...... 1..................3............................1.......4...2 Editor (a) ......................3.......................4......... 19 19 19 20 20 20 20 20 20 21 21 21 21 21 22 22 22 22 22 23 23 23 23 23 23 24 24 24 24 24 25 1.....6............1 1..............1 Com um autor .......3 1....................2 Autor do capítulo é o mesmo da obra ........3......................4. Mesmo autor e títulos diferentes .. 1....... Ordenação das referências................................2....1........................................ Consideradas no todo ......2 Consideradas em parte ..4..............1..........1................... .............................3.....4.... Publicações avulsas ou monografias .......................5.........2 Editor/Autor ........... 1........3...................................................3 Com três autores ......................... 1.. 1...............................................6.............1..............6 1.....................................4.................................3.......................................2......................4..........................5 1...3......................3....2 1............. 1....3........................3....3............6.........4...........3.........3...................................................3 1.........3.....................1.............1....................................................................................3..................................................6...... 1..3......2 1.......................................................................................................................5.........4 Com mais de três autores .....4...................1................. Referência com mesmo sobrenome ............ Mesmo autor e data diferente ....................2.. 1.....................4.........2 Meses .....4....... 1......1 Homônimos .......4 1..........3.........................3.....1 1.....4................4.......4..............................................................3..3...5..............................4 1...1 Editor indeterminado ...........................3.........2 Com dois autores .............. Publicação não paginada ........................1.......................... 1.....................................1.............4...............3 Data . APRESENTAÇÃO DAS REFERÊNCIAS .. 1.................... 1....................1 Autor do capítulo é diferente do autor da obra ................................2...3............. Vários volumes . Volume único ...............................................1....4.........

....4.............11 1................. 1........................... 1.............................. Publicações avulsas ou monografias on line ..1 Teses.........1 Considerados em parte ...........4.....................................1 1.........4 1....4.............4..........4................... Fitas de vídeo .........................................................5.. Jornais .................... 1...2 1.......9 1.5..4...............2 Revistas .........................2............1 1............4............2........................4................................................................9................. dissertações.........................5.........................5..4..1.. Materiais especiais ...1.....4.....4....................... DVD ................8 1........................ Documentos traduzidos ..................10 1............1...............3.....................1................4..........2 Fascículo de revista ..............8.......................................................... Documentos eletrônicos .................................... simpósios e outros eventos ......................................................13.........4............... decretos .........4.............. Trabalhos apresentados em congressos..............4..................... monografias e TCCs ........ Pesquisa em Andamento...........................................3 Artigo de jornal sem autor .....................4......... Portarias....................5 1.......12 1...............................2 1.9..........2.........................................................................................4..............................................9..................................................................3 1.4......... seminários............................................ ................... deliberações .........9.4......4..........2 Verbete de dicionário ......8..........4.............6.........................13 1................3 1...4....1 1..................................... Circular Técnica Publicações periódicas .. Congressos...5............................5.........4........................................ Leis.4..... Verbete de dicionário eletrônico ..............4............................. resoluções...... 1.............. 25 26 26 26 27 27 27 27 27 28 28 28 28 29 29 30 30 30 30 31 31 31 31 32 32 32 33 34 34 34 35 1.........6 1.......4...... Artigo de periódico eletrônico ..4... 1.............. Entrevistas .......................4 1..................................... 1..1 1......................4.....2 Artigo de jornal com autor .....4.................2 1.. 1.............13........ 1...................................4............................................................1 1..5..7 1....................... seminários....... Apostilas .................................................3 Consideradas em parte .................5... e outros eventos Comunicado técnico..................4..... CD-ROM ...........1 Consideradas no todo ...... Mapas e cartas topográficas ................. Referência legislativa .....................1 Artigo de revista sem autoria .......................2............................. Patentes ..................................................13....

..............5 2............ Decretos....................... Entidades coletivas ...................2 2.3.......................1 2.........1............................................3.......................4...............3. 1.... Congressos...............................................4.................1 Trabalhos apresentados em eventos ........7 Mensagens eletrônicas (e-mail) ......................1 2.........13.............. Três autores .............................3...3..... 2 2.... Vários documentos de um mesmo autor e datas diferentes ......4............3........5 Bases de Dados .............4 Leis........................2 2............................ Citação de documentos eletrônicos .............................................................4........3 2...........12 2...................3 Eventos em meio eletrônico ..........7 2........ Citação de documentos sem data ........2......... etc............ ...............................2.....4.......8 2................. 35 35 36 36 37 37 38 39 39 39 39 39 40 40 40 41 41 41 41 42 42 43 43 43 43 44 44 44 44 45 45 1. Dados de palestras................................................................2 Artigo de jornal eletrônico ........ Citação de citação .................. ............................................ 1.................................................3...................................3.....................3..........1 2...................... Mais de três autores ........13.....................10 2.....................13 CITAÇÕES ..............2............ seminários e outros eventos ...........................13.......................11 2.....9 2......................................2...3.........13......1....................................1 2............. Citação de anexos ...................................................................13......................................5 2.......... TIPOS DE CITAÇÃO ............2.......... Coincidência de sobrenomes de autores e mesma data .............................................. Citações curtas ... Duas ou mais obras ............. Um autor .....6 2.........................3.....4 2...... Citação indireta .............................. Citações longas ......................................... 1..................................3.....................4.....6 Sites .......................13............................................3.............. 1.................2... FORMAS DE APRESENTAÇÃO DAS CITAÇÕES ......................................................................................2 2........4........................... debates e comunicações orais ...................................2.... DEFINIÇÃO .........................................3 2.................................... Dois autores .................................................2...................................4 2.... 1.................................1............................ Citação direta ................................................... Autoria desconhecida ............................13..............................................................2 2........3 2..........................3.......... Vários documentos de mesmo autor e data .

........2........................................................................................................................2 6....2 6............ Resumo na língua estrangeira ...............................................4 5............. Notas de rodapé .............1 3...2.....1 6....2........3 5......2 6...............4 6.... Verso da folha de rosto ....3 6................................................................. NUMERAÇÃO PROGRESSIVA ................................................................ QUADROS ................................................................................14 3 3........3 5.......................... Lista de abreviaturas e ................... Títulos sem indicativo numérico ................................. 54 55 55 56 56 56 57 57 57 57 58 58 58 6...1.........................1 5.................................................................6 PARTE EXTERNA ...............................................2...... ESTRUTURA FÍSICA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAZU ....................................................................................................2 5.......................................2.................................................2. comentários ...............2........3..........2........................3....................... Indicativos de seção ...3 6..........................2.....................2................................... ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS .................... GRÁFICOS ... TABELA ........ 45 46 46 47 48 50 50 50 51 51 51 52 52 52 53 5........................................... Epígrafe ......................................................................1 6......................................................................... REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAZU .... ILUSTRAÇÕES . ESPAÇAMENTO .................................................................... Elementos sem títulos e sem indicativo numérico ...2 4 5 Supressões....2....2....5 6............................................ Capa ............................................................................. Dedicatória ........................................................................................................... Folha de aprovação ................................ PAGINAÇÃO .........................................................2.................................. Lista de ilustrações................1 5............................................ Folha de rosto ......................................1 6..2 5.......... IDIOMA DO TEXTO ......... Lista de tabelas....................................................................................4 5...................... Páginas preliminares .......................3............... Agradecimentos .................................................. interpolações........................... Resumo na língua vernácula ......................1.....5 6 FORMATAÇÃO ...........................................1 6..........................2......2........3..........1 6..............

................2 7............................2..........1 7... ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ......................................................... Material e métodos ........................................................................ Resumo na língua vernácula......... Lista de símbolos........................................................ Apêndices e anexos .............. Introdução ......................... Resultados e discussão ..............3......................................... Capa .............................................4.........................2 PARTE EXTERNA ............................................................1 6.3...................... ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS ........................ 58 59 60 60 61 61 61 61 62 62 62 62 63 63 63 64 64 64 65 65 65 65 66 66 66 67 67 68 ......................4 7..............3...................................2.........................3 6...............3 6......................................................... Anexos ou apêndices .............3 6.......4......................1 6.........3..................... Sumário ..............................3...1 7................ Título e subtítulo .......7 6.....2.......siglas..........................................................................2 7 Sumário ....................1 7....................................................................... Introdução .............3......... NORMATIZAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS .............................................. ESTRUTURA FÍSICA DOS RELATÓRIOS DE ESTÁGIO DA FAZU .1 6........................1 7.............................................................................................................................................................2 7.. Conclusão .............. Agradecimentos.....................2 6............................. Lista de símbolos ..............2 8 8.... Referências ............................4 6............................ 7........... Lista de abreviaturas e siglas........................... Conclusões finais ........ Referências .......... Lista de ilustrações.....................................................................................2 6................................................2..........................................3 7..........................1 7..........................................4.....................3...........1 ELEMENTOS TEXTUAIS ......................... Folha de rosto .........................1............................... ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS .................2........................................................................................ Atividades desenvolvidas .. Desenvolvimento ...............................3............ 7...............................................2............ ELEMENTOS TEXTUAIS ....... Lista de tabelas... ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ...................3............................. Revisão de literatura ............ 6...............................................3 7........4....................1 8.....................................................1..

........................................ Glossário ............1 9..........7 8......... Desenvolvimento ............................................................................... Conclusão .............. Título e subtítulo em língua estrangeira .......................................................... Resultados e discussão ou Desenvolvimento .....................1...2..7 ESTRUTURA ...............................1 8.....................1................................................. Resumo na língua do texto ......................................................... Nome do(s) autor(es) ................... Introdução .........................................3......2.........................................3...........3 9..1......... Introdução ...........................3 8.......5 9... Conclusão ....... Referências ...........................................2 9................................... Material e Métodos ..................3 8................5 8............ Agradecimentos .....................1........................................1.........................4 9.....................4 9............................8. Objetivo .......... 68 68 68 69 69 69 69 69 70 70 70 71 71 71 71 71 73 73 73 73 73 74 74 74 74 74 75 75 75 75 9...............................................3.........5........................... Referências ............................................................. REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO ...........1....5.....1.............. Palavras-chave em língua estrangeira ....... ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS .........1................2 8...................................3 8...........1......................................................................................1 9........................ Agradecimentos .....................1...............2 9............................. Palavras-chave na língua do texto .................................................................................................... ELEMENTOS TEXTUAIS ..................................1.2 8....................................................3...4 9 Nome do(s) autor(es) ..............................2 8...............2 8.................. Logomarca ................................ Resumo em língua estrangeira ......................5...4 8.......................1....................................5 9........................................6 8............... Curso ou evento ao qual o trabalho será submetido ............................................... Título e subtítulo .............................................1............. NORMATIZAÇÃO DE PÔSTERES TÉCNICOS E CIENTÍFICOS ...................1...............................3 8......................2..........................................1 8............5.........1.........................4 8................................5....6 9.........1......................................................................3 9.................... Conteúdo ....................... .................................1 9........................................................1...............................................1............. Apêndices e anexos .....................

. APÊNDICE J – EPÍGRAFE .. 96 99 . APÊNDICE D – VERSO DA FOLHA DE ROSTO – TCC....... APÊNDICE H – DEDICATÓRIA ..............................................2............................... APÊNDICE G – FOLHA DE APROVAÇÃO .................................2.... Fonte ............................ APÊNDICE N – FOLHA DE ROSTO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO .......................................3 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO DO PÔSTER ........... APÊNDICE B – FOLHA DE ROSTO ........................................... ANEXOS ..... APÊNDICE L – LISTAS ........................................... APÊNDICE C – FOLHA DE ROSTO ..........................................MONOGRAFIA ........................................................................................................................................... ANEXO C – ABREVIATURAS E SÍMBOLOS DE UNIDADES ...........2 9..............2....................................................................TCC ............ APÊNDICE P – MODELO DE PÔSTER TÉCNICO CIENTÍFICO .............................................................. APÊNDICES ............................................................................................................................................................TCC .............. APÊNDICE A – CAPA DO TCC E MONOGRAFIA ...................................................MONOGRAFIA ......................... APÊNDICE I – AGRADECIMENTOS .............................................. 76 76 76 76 77 78 78 79 80 83 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 REFERÊNCIAS ...... ANEXO A – ABREVIATURA DE PERIÓDICOS ............................................................................................................ APÊNDICE E – VERSO DA FOLHA DE ROSTO ....... Margens e espacejamento .................................... APÊNDICE O – MODELO DE FORMATO DE ARTIGO TÉCNICOCIENTÍFICO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUA ÇÃO DA FAZU ..... APÊNDICE M – CAPA DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO ...........................................................................9............................................... APÊNDICE F – FOLHA DE APROVAÇÃO ............. Dimensões ...2 9........ ANEXO B – ABREVIATURA DOS MESES .........................................................1 9....MONOGRAFIA ................

719 Além destas alterações foram acrescentados mais dois capítulos: Capítulo 8 – Normatização de Artigos Cientificos (para publicação na “FAZU em Revista” e “Cadernos de Pós-Graduação da FAZU”) e Capítulo 9 – Normatização de Pôsteres Técnico e Científicos. elaboradas pela ABNT. também. Pesquisa e Extensão da FAZU. relatórios de estágio. Alessandra Costa Vilaça. Na elaboração destes dois capítulos agradeço a colaboração da Professora MSc. Alteração na apresentação de ilustrações. numeração progressiva e notas de rodapé. alcance um resultado positivo no fortalecimento do processo ensinoaprendizagem desta Instituição de Ensino Superior. também. Esperamos que este esforço em garantir um maior rigor científico à produção acadêmica da FAZU. O Capítulo 7 – Estrutura Física dos Relatórios de Estágio da FAZU foi revisado de acordo com nova versão da NBR 10. A Organizadora . artigos de periódicos científicos e posters e. Coordenadora de Pós-Graduação. Houve alteração na apresentação das referências assim como a inserção de novos modelos.APRESENTAÇÃO O presente manual tem como objetivo estabelecer algumas diretrizes e normas para a estruturação e apresentação dos trabalhos técnico-científicos. Nesta sexta edição todas as páginas foram revisadas e receberam nova formatação. orientar de forma simplificada sobre as normas de citações e referências. devido às atualizações das normas da ABNT-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. A revisão foi necessária devido à demanda dos cursos da FAZU em relação à elaboração do TCC-Trabalho de Conclusão de Curso dos cursos de graduação e pósgraduação e.

data. Edição.12 1 REFERÊNCIAS “Se os meus escritos valem alguma coisa. ] utilizá-los do melhor modo que entenderem. As referências devem seguir as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. 1.2 ELEMENTOS DE UMA REFERÊNCIA AUTOR(ES).. Trajetória política do Brasil: 1500-1964. NBR-6023 de 2002. . Tem por finalidade apresentar ao leitor as obras e autores que serviram de base para a elaboração do trabalho. A relação das referências deve ser apresentada no final do trabalho. Título: subtítulo. oferecendo uma idéia geral de toda a documentação consultada e ainda oferecer a possibilidade de aprofundamento do tema mediante consulta pessoal às fontes originais. os elementos que constituem as Referências e as regras gerais de apresentação das mesmas. 2. F. Volume ou paginação. possam os que os tiverem [. São Paulo: Companhia das Letras. ed.. 1. Local: Editora. 316 p. Exemplo: IGLÉSIAS.” (Descartes). sob o título de Referências. de documentos impressos ou registrados em diversos tipos de materiais.1 DEFINIÇÃO Referência é um conjunto de elementos que permite a indicação de publicações no todo ou em parte. Neste capítulo serão abordados a definição. 2001.

13

1.3 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO a) Lista completa de documentos utilizados na construção do trabalho acadêmico, independente de terem sido citados ou não no texto; b) Os elementos necessários para montar uma referência devem ser retirados sempre que possível da folha de rosto; c) Toda referência, sempre que possível, deve começar pelo autor (pessoa física) ou equipes (responsável intelectual); d) As referências são colocadas no final do trabalho, em ordem alfabética, alinhadas à margem esquerda, e cada referência é digitada em espaço simples, e separadas entre si, por um espaço de 1,5; e) Os elementos autor, título, edição, imprenta (local, editora, data), paginação e série devem ser separados entre si, por “ponto final” e “um espaço”. Ex.: Autor. Título. Edição. Imprenta. Paginação. (Série). f) Os sub-elementos (local, editora, data) devem ser separados entre si, por “dois pontos”, “um espaço”, “vírgula” e “um espaço”. Após a data, “ponto final”. Ex.: Local: Editora, Data. g) Subtítulo deve ser separado por dois pontos e espaço. Ex.: Título: subtítulo.

1.3.1 Autoria Pessoa(s) física(s) responsável(eis) pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de um documento.

1.3.1.1 Entrada simples A entrada do autor se faz pelo último sobrenome em letra maiúscula, seguido de vírgula e do(s) prenome(s) abreviado(s). Ex.: Luiz Eduardo Dias DIAS, L. E. 1.3.1.2 Até três autores

14

Quando a obra tem até três autores, mencionam-se todos os autores, na ordem em que aparecem na publicação, pelo sobrenome em letra maiúscula, separados por “ponto e vírgula”, seguidos de um “espaço”. Ex.: Michael J. Pelczar E. C. S. Chan Noel R. Krieg PELCZAR, M. J.; CHAN, E. C. S.; KRIEG, N. R. 1.3.1.3 Mais de três autores Se há mais de três autores, menciona-se o primeiro autor, seguido da expressão et al. Ex.: Semírames Pedrosa de Almeida Carolyn Elinore B. Proença Sueli Matiko Sano José Felipe Ribeiro ALMEIDA, S. P. de et al. 1.3.1.4 Responsável intelectual Obra constituída pela contribuição de vários autores, entra pelo responsável intelectual (organizador, coordenador, editor), seguida da respectiva abreviatura, entre parênteses.

Ex.: David C. Church – Editor CHURCH, D. C. (Ed.) OBS.: Essa regra não é válida quando se tratar de referência de capítulo de livro, em que o autor do capítulo é diferente do autor da obra, como mostra a página 24. 1.3.1.5 Autoria desconhecida No caso de obra publicada com autoria desconhecida, dá-se a entrada pelo título, sendo a primeira palavra em letra maiúscula. Ex.: Reprodução controlada gera neuroses REPRODUÇÃO controlada gera neuroses

15

1.3.1.6 Padronização do nome do autor Os nomes dos autores devem ser descritos como aparecem, porém, se o nome de um mesmo autor aparece de formas diferentes, deve-se padronizar. Ex.: MAESTRELLI, Therezinha Pedrosa e MAESTRELLI, Therezinha MAESTRELLI, Therezinha Pedrosa 1.3.1.7 Denominação de família Quando o sobrenome do autor for acompanhado de denominações de família (Neto, Filho, Sobrinho, Júnior), coloca-se tal denominação junto ao sobrenome.

Ex.: Antônio José Ribeiro Júnior RIBEIRO JÚNIOR, A. J. OBS.: O nome NETTO não é denominação de família. 1.3.1.8 Pseudônimo No caso de obra publicada sob pseudônimo, esse deve ser adotado na referência. Quando o verdadeiro nome for conhecido, deverá ser indicado entre colchetes depois do pseudônimo. Ex.: Marcelo Tupinambá – Pseudônimo Fernando Lobo – Autor TUPINAMBÁ, M. [Fernando Lobo]

1.3.1.9 Sobrenome composto Em caso de sobrenome composto, deve-se adotar a seguinte entrada:

Ex.: Camilo Castelo Branco CASTELO BRANCO, C. Humberto Espírito Santo ESPÍRITO SANTO, H.

etc. coloca-se entre parênteses no final. Em caso de ambigüidade.1. Ministério da Agricultura Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo SÃO PAULO. tem-se geralmente a entrada pelo título.: Osório Duque-Estrada DUQUE-ESTRADA. O. Ex.3. entra-se diretamente pelo seu nome. 1.1. embora vinculada a um órgão maior.: INSTITUTO GEOGRÁFICO DE ESTATÍSTICA (Brasil) INSTITUTO GEOGRÁFICO DE ESTATÍSTICA (Portugal) . 1.1.: Ministério da Agricultura BRASIL.3. empresas. etc. seu nome é precedido pelo órgão superior em letra maiúscula. Edgard Roquete-Pinto ROQUETE-PINTO.: BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). tem uma denominação específica que a identifica.11 Entidades coletivas (Órgãos governamentais. Ex. com exceção de anais de congressos e de trabalhos de cunho administrativo.13 Entidades coletivas e denominação específica Quando a entidade coletiva. Ex. Secretaria de Agricultura 1.3. adota-se a seguinte entrada: Ex.3. E.16 1. o nome da entidade geográfica a que pertence.12 Entidades coletivas e nomes geográficos Quando a entidade coletiva tem uma denominação genérica.1. Relatório de diretoria-geral. legal.) Nas obras de responsabilidade de entidades coletivas.10 Sobrenome composto ligado por hífen Nesse caso.

1. 1.3. se necessário. . seguido do número. Ex. devendo ser padronizado.2.3.14 Congressos. A supressão é feita por reticências.3 Mais de um título Se há mais de um título ou ele aparece em mais de uma língua. 1.3.: Aspectos da vegetação urbana e algumas características culturais do sul do Estado de Minas Gerais ASPECTOS da vegetação . desde que a supressão não incida sobre as primeiras e não altere o sentido. 2.3.2 Títulos longos Em títulos demasiadamente longos. 1999. Ex. conferências.17 INSTITUTO MÉDICO LEGAL (RJ) INSTITUTO MÉDICO LEGAL (SP) 1..: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE COCCIDIOSE AVIÁRIA. transliterado. 1. entra-se pelo nome do evento em letra maiúscula. registra-se aquele que estiver em destaque ou em primeiro lugar.1.2 Título O título é reproduzido tal como se apresenta na folha de rosto da obra referenciada.1 Destaque O título é destacado na referência por grifo ou destaque tipográfico (negrito).2.2... simpósios e outros). ano e local de realização.3. seminários e outros eventos No caso de eventos (congressos. pode-se suprimir algumas palavras. Foz do Iguaçu.

2 Acréscimos . (francês) 2. em algarismo (s) arábico (s). (italiano) 1.3. Ex. 1. produzidas diretamente ou por outros métodos.3.3. (inglês) 2e é.18 1.2.4 Título de seriados (periódicos) No caso de periódicos como um todo (coleção). (português e espanhol) 2nd ed.3.3. seguido (s) de ponto.3 Edição Todos os exemplares produzidos a partir de um original ou matriz. (ANEXO A). independentemente do período decorrido desde a primeira publicação. etc. (alemão) 2ª ed. abreviam-se os títulos dos periódicos. quando mencionada na obra (sempre a partir da segunda edição). mesmo quando há um autor.3. Pertencem à mesma edição de uma obra todas as suas impressões..: Segunda edição 2. No caso de periódico com título genérico. pessoa física ou entidade coletiva. ed. entre colchetes.: BOLETIM MENSAL [da Bolsa de Valores do Paraná] 1. Ex. Aufl. ligados por uma flexão gramatical. Ex. tiragens. conforme a NBR 6032 de 1989.: REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO Quando necessário.1 Abreviatura Indica-se a edição. o título é sempre o primeiro elemento da Referência. reimpressões. sem modificações. incorpora-se o nome da entidade autora ou editora. espaço e da abreviatura da palavra “edição” no idioma da publicação.

indica-se o mais destacado. PR San Juan. 1996.l. acrescenta-se o nome do país.4.1.]: José Olympio. Ex. MG Viçosa. rev. de forma abreviada.4. 1. que significa “Sine loco”. deve-se indicar entre colchetes [s.3. etc.1.1 Local de publicação O nome do local (cidade) deve ser indicado tal como se apresenta na folha de rosto da publicação referenciada.4. Ex. a editora e a data da publicação. 1.3. Ex.1 Homônimos No caso de homônimos.2 Mais de um local Quando há mais de um local. 1.l.3.3. e aum. Chile San Juan.3 Local indeterminado Quando a cidade não aparece na publicação. bem como de cidades do interior.4.4 Imprenta Compreende o local. estado.3. .]. 1. Porto Rico 1.1. ed.: Viçosa.: Segunda edição revista e aumentada 2.19 Indicam-se os acréscimos à edição.: [S.

3.d. 1997. Na falta de editor e impressor.4.1 Editor indeterminado Quando o editor não é mencionado.3.3. distribuição.2.: s. 1. impressão. Ex.].4. que significa “sine nomine”.20 1.4.2 Editor (a) O nome do(a) editor(a) deve ser grafado tal como se apresenta na folha de rosto da obra referenciada.2 Editor/Autor Não se indica o nome do editor quando ele é autor.]. “copyright”.: [1981?] [ca. desde que dispensáveis à sua identificação.2.n.4. Ex..: José Olympio Editora José Olympio Livraria Nobel Nobel 1. puder ser determinada. 1998. 1.3.3 Data Indica-se sempre o ano da publicação em algarismos arábicos.4.n.3 Local e editor indeterminado Quando o local e o editor não aparecem na publicação. suprimindo-se os elementos que designam a natureza jurídica ou comercial do mesmo. Ex. indica-se entre colchetes [s.: [S. 1.].3.l. pode-se indicar o impressor.: São Paulo: [s. 1. etc. sem data. indica-se: Ex.3.].3. 1960] para data provável para data aproximada (cerca de) . registre uma data aproximada entre colchetes.1 Data indeterminada Se nenhuma data de publicação.n. Não se usa a expressão [s.2.4.

semestre. transcrevem-se as primeiras tal como se apresentam na folha de rosto da publicação e abreviam-se as últimas.4.5.5.3.3. Ex. em lugar dos meses. as estações do ano ou as divisões em bimestre.5 Descrição física Summer 1987 A descrição física refere-se ao número de páginas.3 Estações do ano Se na publicação aparecer.” Ex. NBR-6023.3.. .2 Vários volumes Quando a publicação tem mais de um volume. sem.3. 1.2 Meses para década certa para década provável para século certo para século provável Os meses devem ser abreviados no idioma original da publicação de acordo com recomendações da ABNT. trimestre. (ANEXO B).: 3 v.21 [197-] [197-?] [18--] [18--?] 1. indica-se o número de páginas.4. (FRANÇA.: 260 p. indica-se o número desses seguido da abreviatura “v. 1. seguido da abreviatura “p.1 Volume único Quando a publicação só tem um volume.3.: Segundo semestre de 1995 2. 1. 1995 1. folhas ou volumes do documento que deve ser registrado da forma que aparece na obra.” Ex.3.3. etc. 2004).

p.3.: v. .3. de CARVALHO. A. e pelo título. Ex. 2.: CARVALHO. vem antes do respectivo nº .1 Referência com mesmo sobrenome No caso de autores com mesmo sobrenome. seguido de ponto final.5. ou paginada irregularmente.” Ex. inicial e final.3. 1-3. n. pelo sobrenome do autor (pessoal ou entidade coletiva). quando for o caso. por um travessão (de até 5 dígitos). “número” e “página”. 25.3 Páginas inicial-final Os números das páginas.3. Ex. 35-100 1. 1. a posição das letras de “volume”.22 OBS. 1. seguir a ordem de nome e prenome.: p.: “não paginado” “paginação irregular” 1.3. 1. A.5. registra-se da seguinte forma: Ex.6.6 Ordenação das referências O sistema mais utilizado para a ordenação das referências citadas em um trabalho é a ordem alfabética. em ordem alfabética. P. de parte de publicações avulsas e de artigos de periódicos são precedidos da abreviatura “p.4 Publicação não paginada Quando a publicação não for paginada. J.: No caso de periódicos.2 Mesmo autor e títulos diferentes O nome do autor de várias obras referenciadas sucessivamente deve ser substituído nas referências seguintes à primeira.6. e o título.

(Série) Exemplo: JARDIM. L. Título (em negrito): subtítulo (se houver). W. Adubação de pastagem. Manejo de pastagem. 1.12. 1.4.1.4.23 Ex.1 Com um autor AUTOR. 1976. Edição (a partir da 2ª). São Paulo: Agronômica Ceres. 112 p. A. Suplementos protéicos. PEIXOTO. 1. V.1 Consideradas no todo Quando o documento foi utilizado na íntegra. M.3. 1987b. data.1. . 1. M.: PEIXOTO. Piracicaba: FEALQ.6.4. (Agropecuária). R.1 a 1. em formato convencional e eletrônico. 1.4 APRESENTAÇÃO DAS REFERÊNCIAS Os modelos de referências estão exemplificados conforme itens 1. Alimentos e alimentação de gado bovino. _____. Piracicaba: FEALQ. 337 p. Total de páginas.4. Local: Editora. 1987a.: BOSE.3 Mesmo autor e mesma data Nesse caso.3. 231 p. Ex. colocam-se as letras “a” e “b” após a data da publicação. Concentrados energéticos.1. M.4. 1. A.6.4 Mesmo autor e data diferente Seguir a ordem cronológica da referência.1 Publicações avulsas ou monografias Compreendem os livros e folhetos.

Local: Editora. FERNANDES. A.. data. 1. FERNANDES. 1.1. Exemplo: SANTINATO. Irrigação na cultura do café.. 1998. Total de páginas.F.. Edição (a partir da 2ª). 220 p. Brasília. T.1.1 Autor do capítulo é diferente do autor da obra . R.4. P. 3. Exemplo: CARVALHO. Exemplo: FERREIRA. R.2 Consideradas em parte Quando se tratar de capítulos. data.4. Ciências no ensino fundamental: o conhecimento físico. [199-?].4 Com mais de três autores PRIMEIRO AUTOR (seguido da expressão .1. 1. D.1. D. GRATTAPAGLIA.2 Com dois autores AUTOR(ES) (separados por “ponto e vírgula”). Título (em negrito): subtítulo (se houver).4.. Local: Editora.3 Com três autores AUTOR(ES) (separados por “ponto e vírgula”).1.4. A. de et al. Total de páginas. D. São Paulo: Scipione. L.1. 199 p. com autor(es) ou títulos próprios. Local: Editora. 146 p. (Série) (se houver). Edição (a partir da 2ª).1.4. E. Introdução ao uso de marcadores moleculares em análise genética. Campinas: Arbore. volumes ou fragmentos de uma obra.24 1.1. 1998. M. Título (em negrito): subtítulo (se houver). ed. 1.et al). data. Total de páginas.: EMBRAPA. Título (em negrito): subtítulo (se houver).. (Pensamento e ação no magistério). Edição (a partir da 2ª).2. M.

Total de folhas. página inicial e final do capítulo. a) Exemplo de dissertação de mestrado CARVALHO FILHO. OBS. A. 1999. p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias. Universidade Estadual Paulista. GRADOLÍ.Entidade onde o documento foi apresentado. 1999. 1996. Indicação (Tese ou Dissertação) seguido do respectivo nível. (Org. Título do capítulo: subtítulo (se houver Notação In: + um travessão de 6 dígitos. Local. 1998. Data. cap. R. D. Exemplo: TRONCO. Local: Editora. Título da obra (em negrito). para Mestrado e MONOGRAFIA. Número do capítulo. Título do capítulo: subtítulo (se houver). L.4. Notação In: + AUTOR (ES) da obra. 107-126. A. -. Vigotsky. para graduação e especialização. para doutorado. Conservação do leite na propriedade rural. p. entre parênteses. V. P.: Agropecuária. Levantamento detalhado e alterações de alguns atributos provocados pelo uso e manejo dos solos da Faculdade de Agronomia de Ituverava/SP. Guaíba.2 Autor do capítulo é o mesmo da obra AUTOR(ES) do capítulo. Aproveita-mento do leite e elaboração de seus derivados na propriedade rural. S.2. 1.: Adotam-se as expressões TESE.1. In: ______. Exemplo: REIG. Edição (a partir da 2ª). data. página inicial e final do capítulo. data. Jaboticabal. M. data. cap. monografias e TCCs AUTOR.). Número do capítulo.. Local: Editora. Título (em negrito): subtítulo (se houver). A Construção do conhecimento na educação. b) Exemplo de monografia de curso de especialização . 88 f. 4. DISSERTAÇÃO. Edição (a partir da 1ª). Título da obra (em negrito).4. 33-42. In: MINGUET. A Construção humana através da zona de desenvolvimento potencial: L. dissertações. 1. 2.2 Teses.S.25 AUTOR(ES) do capítulo. Porto Alegre: ArtMed.

. Título do trabalho.4. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) – Faculdades Associadas de Uberaba. Botucatu: SBZ. 1989. Local da publicação do anais: Editora. p. 2007. Anais . (Instituição. Nº do evento em algarismo (s) arábico(s) seguido de um ponto final. Monografia (Pós-graduação em Assessoria Organizacional com Ênfase em Gestão Organizacional) – Faculdades Associadas de Uberaba.. Data da publicação do anais. seminários.. 1990. Título da publicação (em negrito).3 Congressos. Data da publicação do anais. Edição (a partir da 1ª). Tipo e nº da publicação entre parênteses). Paginação da parte referenciada. 1. Circular Técnica. 35. 4 v. 18. Título da publicação (em negrito). Botucatu. Local da realização do evento. Tecnologia de aplicação de herbicida.26 REIS. simpósios e outros eventos TÍTULO DO EVENTO (em letra maiúscula). Total de páginas. Local: Instituição. Exemplo: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA.4. Data da realização do evento... data da realização do evento. Pesquisa em Andamento. Notação In: + TÍTULO DO EVENTO em letra maiúscula. Uberaba. S.1 Trabalhos apresentados em congressos. 1998. Local da realização do evento.4. Exemplo: MORAES. Anais . seminários. 2007. AUTOR(ES). 34-67. C. M. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA. Florianópolis: SBMV. dos. e outros eventos AUTOR (ES) do trabalho. nº do evento em algarismo (s) arábico(s) seguido de um ponto final. c) Exemplo de TCC de graduação BORGES JÚNIOR. data. 113 f. 1.. S. 1. Local da publicação do anais: Editora.3. Balneário de Camboriú. Treinamento e desenvolvimento de pessoas: as concepções dos profissionais atuantes nesta área sobre a necessidade da avaliação deste processo. Níveis de cobre e ferro em fígado de bovinos. Título (em negrito): subtítulo (se houver).4 Comunicado técnico.. 1998. 2007. Uberaba. 2007. 49 f. Paginação ou Volume. etc.

fascículo. podendo ter periodicidade regular ou irregular.5. Folha de São Paulo. Campo Grande: EMBRAPA-CNPGC.1. (EMBRAPA-CNPGC. semanal. bimestral. semanal.5 Publicações periódicas São publicações editadas em partes. quinzenal ou mensal Seu conteúdo pode variar de genérico. será diário. São Paulo. Sendo regular.5. Circular Técnica.5. pois publicam notícias e informações de interesse público. 1. ou especializados em assuntos específicos destinados a públicos segmentados.1 Considerados em parte Quando se tratar de um volume. recensões. número especial ou suplemento.1. trimestral. bimensal. p. Exemplo: FREITAS. ano). 6 mar. resenhas e outros. Descrição física (número ou título do caderno. 1. 1979. J. Considerações gerais sobre suplementação mineral para gado de corte. suplemento. mensal.4.4. quinzenal. Local da Publicação. J.27 Exemplo: SOUZA. seção. semestral ou anual. 13 p. C.3 Artigo de jornal sem autor .1 Jornais Os Jornais podem ter periodicidade diária. editorial. 2).4. bi-semanal. Inclui comunicações. mês. entrevistas.5. A Hora do vencedor. Brasil. 1.4. páginas e número de ordem de colunas). 1.1. 8. de.4. 2005. reportagens. Título do Jornal (em negrito). Titulo do artigo. Data (dia. 1. quadrimestral.2 Artigo de jornal com autor AUTOR (ES) do artigo.

5. ano). Exemplos: AVALIAÇÃO. Data (dia. 176 p.2 Fascículo de revista: TÍTULO DA REVISTA (em letras maiúsculas). Número de páginas total do fascículo. p.4. jan. Exemplo: O FUTURO é poupar. 1. 2001. 2004. Periodicidade.5.2 Revistas Publicação periódica de cunho informativo ou científico.1.2..4. Local da publicação: Editora. com periodicidade regular (semanal.28 TITULO do artigo (primeira palavra em letra maiúscula). 9.5. quinzenal. Local da publicação: Editora. Exemplo: FAZU EM REVISTA. ano. Rio de Janeiro: ANPAD. Campinas: RAIES.3 Consideradas em parte . Título do Jornal (em negrito).5.5. São Paulo. volume. mensal ou anual) ou irregular. páginas e número de ordem de colunas). e. número. ISSN. 7. 222 p. ISSN 1806-1699. Uberaba: FAZU. seção. 2005. suplemento. 2004. Descrição física (número ou título do caderno. v. Economia. 4. 14-20 fev. Anual.1 Consideradas no todo TÍTULO DA REVISTA (em letras maiúsculas).2. REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO CONTEMPORÂNEA. coloque o último ano da publicação. Folha Universitária. 1. v. n. n. mês.4.2. se a publicação cessou. Local da Publicação./abr.4. Ano do 1º volume seguido de quatro espaços vazios. 1. 1.

com título e ou autor(es) próprios. editorial. 1.11. 36. recensões. Rio de Janeiro: Objetiva. Local. Página do verbete. A. de A. b) Artigo de revista sem autoria TITULO do artigo (primeira palavra em letra maiúscula): subtítulo (se houver). J. Dicionário Houais da língua portuguesa. n. 1928. Título da revista (em negrito). volume. Notação In: + AUTOR (ES) do dicionário.1 Verbete de dicionário eletrônico . 2001. nov.6. Título do artigo: subtítulo (se houver). reportagens. Exemplo: MINUTA. p. Exemplo: CARUSO NETO. 12. 60. M.4. jul./dez. Local: Editora. página inicial e final do artigo. Título do dicionário (em negrito). 56-68. Revista Brasileira de Informática na Educação. número. 1. v. v.. Local./dez. Exemplo: OPORTUNIDADE para todos. VILLAR. página inicial e final do artigo.4. a) Artigo de revista com autoria AUTOR(ES) do artigo (em letras maiúsculas). Título da revista (em negrito). resenhas e outros). R. 2004. Data. Agitação. AMAZONAS. J. M.6 Verbete de dicionário VERBETE (em letras maiúsculas). número. volume. Porto Alegre. FRANCO. p.. São Paulo. de M. 2.29 Inclui partes de publicações periódicas (comunicações. 2004. Edição (se houver).. p. entrevistas. mês e ano da publicação. As Redes de acesso e o impacto das mídias digitais em treinamentos via telecomunicação. mês e ano da publicação. n. In: HOUAIS. F. de S. A.

1 CD-ROM. Apostila apresentada no módulo 2 do Curso de Pós-Graduação em Manejo da Pastagem.7 Apostilas AUTOR(ES). em letras maiúsculas. Título (em negrito). nº e data (dia. Língua portuguesa: dicionário eletrônico Barsa. Ementa. 1. Exemplo: AGUIAR. Notação In: + Dados da publicação que transcreveu: AUTOR (ES). Título (especificação da legislação. Título (em negrito): subtítulo (se houver). P. . deliberações ENTIDADE responsável pelo documento (em letra maiúscula). 6009. 1. Tipo de documento. Data.4.1 Leis. pt. resoluções. São Paulo: Barsa Planeta Internacional. Uberaba. 8 abr. Exemplo: BRASIL. Local: Data. estado. Nota explicando a origem da apostila. 72 p. Uberaba.4. Diário Oficial da União. decretos NOME DO LOCAL (país. 1. 2004. D.4. Indicação da publicação oficial. 66. Seção 1. A..30 TAUTOLOGIA. Estabelecimento e renovação de pastagem. 2004. ou seja. Local: Editora. 1. 126. M. In: GARSCHAGEN. A. 1988. Paginação. nº e data).4.). Estabelece critérios para pagamento de gratificações e vantagens pecuniárias aos titulares de cargos e empregos da administração direta e autárquica e dá outras providências. jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretação dos textos legais). de 07 de abril de 1988. 1. mês. OBS.8.2 Portarias. v. [2004]. (Ed. Decreto-lei nº 2423. por se tratar de informações sem autoria definida e em constante alteração em seu conteúdo digital. n. dados da obra que publicou o documento. Paginação inicial-final.8. cidade). Brasília.: A WIKIPÉDIA não será aceita como embasamento científico. ano). DF.8 Referência legislativa Inclui legislação. p.

son. cor. A. INSTALAÇÃO. Direção: José Dermeval Saraiva Lopes.. V.3 DVD .: CPT. J. color.4. 1.: Vana. Descrição física e outros detalhes como: duração. 1 Fita de vídeo (35 min. p.: CPT. Local: Gravadora. Data de publicação ou distribuição. distribuidora. som. DVD. Taubaté. Descrição física do material. Viçosa.4.). tais como CD-ROM. [199-]. 1. M. 1. Indicação de responsabilidade (se houver). Agrofit 98. RAMBELLI.). VHS. 1996. son. Mapas e Cartas topográficas. VHS.9. Título (em negrito): subtítulo (se houver). Exemplo: BRASIL. Local de distribuição: Distribuidora. 485-492.G.P. 1 Fita de vídeo (60 min. Viçosa. Exemplo: ÁGUA: fonte de vida.4. Lima. color. Fitas de Vídeo. etc.9 Materiais especiais São os materiais multimídia. [1998?]. de 05 de maio de 1981. M. Data da distribuição. Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior. ou marca registrada.G. S. [199-].9. Legislação federal sobre meio ambiente. ou marca registrada. comando e proteção de motores elétricos. São Paulo: Sonopress Rimo. Ministério da Agricultura. 1 CD-ROM.1 CD-ROM NOME DO COMPOSITOR/RESPONSÁVEL pelo Material (em letras maiúsculas).31 Exemplo: INSTITUTO BRASILEIRO DE DESENVOLVIMENTO FLORESTAL. Portaria nº 269-P.. In: VENTURA. Direção: José Mauro S. Intérprete (forma normal). M. editora.9.2 Fitas de vídeo TÍTULO PRINCIPAL em letra maiúscula: subtítulo (se houver)..4. 1.

Produção: Saul Zaentz. nomenclatura. Christine Ebersole.10 Patentes ENTIDADE RESPONSÁVEL. Orlando de Souza. color.4. Título. 1. dimensão. Direção de fotografia: Miroslav Ondricek. 24.. 2002. Intérpretes. Escala: 1:100. Invólucro vedante para um processador de alimentos. Exemplos: THYSSENKRUPP FORDERTECHNIK GMBH (DE). PI0917415-0 A2.. 2009.000. 1 mapa. 86 cm x 1. Produção. Título do livro (em negrito). 2010. . Paginação total ou volume. out. 18 fev.F. Roy Dotrice. c1998.9. Local. Charles Kay.). Descrição física e outros detalhes como: duração.11 Documentos traduzidos AUTOR(ES) do livro. Elizabethe Berridge. Jeffrey Jones. Exemplo: AMADEUS. Produtora. Número da patente.32 TÍTULO PRINCIPAL (em letra maiúscula): subtítulo (se houver). Tradução de: (coloca-se somente um nome por extenso). Tom Hulce. Exemplo: BRASIL. 13 ago. Ministério da Agricultura. som. color. D. Intérpretes: F. PI0209167-4. Direção de Fotografia. Música. cor. Mapa de aptidão agrícola dos solos do Distrito Federal. Detlef Papajewski. escala. legendado. Triturador de cilindros múltiplos. Produtores Executivos. [s.l]: Warner Home Vídeo-Brasil. 1.4. etc. 3 abr. Título (em negrito): subtítulo (se houver). Local: Editora.: EMBRAPA. widescreen. Data. Roteiro. Simon Callow. Descrição física e outros detalhes da descrição física como: cor. Data. Produtores executivos: Michael Hausman e Bertil Ohlsson. Música: Neville Marriner. Direção:Milos Forman. VITA-MIX CORPORATION (US). data. Edição (se houver). Brasília.4 Mapas e cartas topográficas AUTOR (pessoa física ou entidade coletiva). 1 DVD (160 min. 2003. Roteiro: Peter Shaffer. datas (do período do registro). Autor.4. Local: Editora.20 cm. 1978. Peter Schatz. 1. Murray Abraham. Diretor.

v. 1996. DVD. 351 p. 45. Título da entrevista: subtítulo. O. Exemplo de entrevista publicada: LAQUEUR. [mês da entrevista. 5. . 2 cassetes sonoros. Entrevistador: Nome do Entrevistador. Exemplo: No texto: As Bibliotecas universitárias estão passando por uma grande transformação: de híbridas para inteiramente digitais.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. p.12 Entrevistas Referenciam-se as entrevistas se forem publicadas ou se foram gravadas. Entrevistadores: V. No caso de entrevistas pessoais e ou informações orais. n. etc. Tradução: Nelson Penteado Júnior. (Informação verbal)1. Acesso em: dia mês e ano. São Paulo: SENAI-SP. Entrevistador: Tatiana Gianni.4. W. ano da entrevista]. 2012]. São Paulo. faz-se uma nota de rodapé. 15-19. NOME DO ENTREVISTADO. Garcia. O Futuro modesto da Europa. Luiz Inácio Lula da. com os dados da entrevista. Exemplo de entrevista gravada: SILVA.33 Exemplo: REECE. [fev. conforme modelos abaixo. 1991. 1991]. São Paulo: Roca. Luiz Inácio Lula da Silva: depoimento [abr. 2012. Entrevista concedida ao Projeto Memória do SENAI-SP. 1. Tremel e M. 1 fev. W. Fisiologia dos animais domésticos. Dados de onde foi publicada a entrevista e ou descrição física do meio eletrônico (CDROM. Veja.

concedida pelo Bibliotecário Roberto de Souza. São Paulo: Fundação Cargill.2 Artigo de periódico eletrônico . Acesso em: 22 nov.13.4. Sugere-se não referenciar material eletrônico de curta duração nas redes. apresentado entre os sinais < >.4. 2011. [200-].bn. E-book.4. 1. Título.4. Não é recomendável referenciar material de curta duração nas redes. Quando se tratar de obras consultadas on line. S. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional. A. 1. 2. 2007.13.pdf>. ed.34 Em nota de rodapé: ______________________ 1 Entrevista não publicada. precedido da expressão “Disponível em:” e a data de acesso ao documento precedida da expressão “Acesso em:”. Disponível em: <http://objdigital.13. Local: Editora.13 Documentos eletrônicos As normas para referências de documentos eletrônicos são apresentadas nos itens 1. R. data. 1.1 Publicações avulsas ou monografias on line Os elementos essenciais para referenciar monografias ou partes de monografias.13. Em seguida. MOREIRA. Banana: teoria e prática de cultivo. Disquete ou Endereço Eletrônico).4. 1 CD-ROM.7. Exemplo: AZEVEDO. obtidas em meio legível por computador. devem-se acrescentar as informações relativas à descrição física do meio ou suporte (CD-ROM. em Belo Horizonte. O Cortiço. são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico.1 a 1. no dia 20 dez.br/Acervo_Digital/livros_eletronicos/cortico. são os mesmos utilizados para monografias em meio convencional: AUTOR. 1999.

ano).htm>.gadosimental. CD-ROM. n. local de realização (cidade). página inicial e final do artigo. ano). Data do acesso ao documento (dia. J. Disponível em: <http://Ewww. Genotypic effects on meat quality traits. página inicial e final do artigo. v. ano). mês. Título do Jornal (em negrito). volume. 77. Sci. número. B.13. mês.com.2.asas. Acesso em 25 nov. ano). 1.org/pena_morte_nascituro. A. Data (dia. IL. n. (para os documentos on-line). número. Anim. 1. Gado Simental. Savoy.html >.13.. Exemplo: FREKING. 9.2 Artigo de jornal eletrônico: AUTOR (ES) do artigo. ano. 1.4. volume. Local de publicação (cidade): Editora. 2001. São Paulo.providafamilia. Disponibilidade de Acesso (entre “brakets”< > ). Acesso em: dia mês e ano. 50. mês.4. Local da Publicação. Evaluation of the ovine Callipyge Locus: III.4.3 Eventos em meio eletrônico NOME DO EVENTO. G. 1998.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. Exemplo: SILVA. Disponível em: <http://www.org/jas/abs/1999/sep2336. O Estado de São Paulo. 5. 1999. 19 set. etc. Titulo do artigo. Data do acesso ao documento (dia. Título da revista (em negrito). Londrina. Título da revista (em negrito). . mês e ano da publicação. Descrição física do meio eletrônico (DVD. mês. Data do acesso ao documento (dia. Acesso em: 3 set. Disponibilidade de Acesso (entre “brakets”< > ). sept.35 AUTOR(ES) do artigo (em letras maiúsculas). Título: subtítulo da publicação. 2001. data de publicação.1 Artigo de revista sem autoria TÍTULO do artigo (primeira palavra em letras maiúsculas): subtítulo (se houver). v. Disponibilidade de Acesso (entre “brakets”< > ). Pena de morte para o nascituro. Disponível em: <http://www. Exemplo: RECORDE mundial de animais na pista. Local. 1999.13. número do evento seguido de “ponto final”.2. Acesso em: 13 jul.br>. Título do artigo: subtítulo (se houver). et al. 1998. Local. I. mês e ano da publicação.

4. atualiza e consolida a legislação . ano. safra 1993. Anais eletrônicos . Anais eletrônicos. estado ou município) ou NOME DA ENTIDADE.br/scripts/anais2000/Pequenos/156. 2000. Título do trabalho apresentado: subtítulo do trabalho apresentado. Ementa. (para os documentos on-line). 2001. 37. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. Acesso em: dia mês e ano. DVD. p.4 Leis.. Páginas inicial-final (do trabalho). 1.sbz. Viçosa.. 2000.. Viçosa. Anais eletrônicos . In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA. 2000. 2000. Lei nº 9.13. TANAKA.asp>.. mês por extenso e ano). Acesso em: 13 jul. RS: DFS/FAEM/UFPel. número do evento.4. Exemplo: BRASIL. Pelotas... Notas. SP.. Levedura seca na alimentação de alevinos de tilápia do nilo (Oreoch-romis niloticus) revertidos sexualmente. MG: SBZ. Título da publicação: subtítulo. SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PATOLOGIA DE SEMENTES. 37.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>. 6. 2001. Local: Editora. M. Casa Civil.. numeração e data (dia.. Presidência da República. Altera. 2000. F. Sanidade de sementes de cultivares de trigo produzidas em Capão Bonito. 2000. local de realização do evento. de 19 de fevereiro de 1998. Subchefia de Assuntos Jurídicos. Anais eletrônicos. 2000. Exemplos: MEURER. Pelotas. 2000. (Série ou Coleção).sbz. Disponível em: <http://www. 1 CD-ROM.36 Exemplos: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA.org. etc. et al.1 Trabalhos apresentados em eventos AUTOR. 6. A.. v.3. ano. Pelotas.. S.. Título da publicação. Título. MG: SBZ. 1.br/scripts/anais2000/index. In: NOME DO EVENTO. Pelotas.13. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PATOLOGIA DE SEMENTES.pdf>. Acesso em: 13 jul. 1 CD-ROM. RS: DFS/FAEM/UFPel. data de publicação.610. Viçosa. Decretos. Cidade de publicação..org. JURISDIÇÃO (nome do país. Viçosa.. etc. Disponível em: <http://www.

Informações complementares (Coordenação. estrutura.br/ccivil_03/leis/l9610. Acerola. projetos e pubicações. In: EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA.5 Bases de Dados AUTOR (ES). DF.57. Exemplos: FRANCO. Base de Dados da Pesquisa Agropecuária-Agrobase. 2001.fazu.br/cgi-bin/wxis. data (se houver). v.J. A.. 2001. PONTE. Disponível em: <http://www. Acesso em: 13 jul. 2007. p. In: CENTRO LATINO-AMERICANO E DO CARIBE DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAUDE. quando houver. SciELO. formas de ingresso. Disponível em: <endereço eletrônico>. etc.exe/iah/>. Nematologia Brasileira. Uberaba. Peri. Malpighia glabra L. 2001. Disponível em: <http://www. Belo Horizonte. 1.embrapa. Versão (se houver). Disponível em: <http://www. Campinas. Acesso em: dia mês e ano.planalto.4. 1999.. v. Título: subtítulo (se houver).gov.13.37 sobre direitos autorais e dá outras providências. um novo hospedeiro de nematoides das galhas. Faculdade de Letras. Bragantia. Versão (se houver). Campinas.ufmg/biblioteca> Acesso em: 03 fev. Versão 3. Diário Oficial da União. apresentado por. (para os documentos on-line).7. incentivo ao aluno. Acesso em: 13 fev. DVD..scielo. 20 fev. 2007. Brasília.br/novo>.13. n. Avaliação de ruído e vibração em motosserra: resultados parciais.) ou Disponível em: <endereço eletrônico>..cnptia. I.4. Apresenta informações sobre cursos.html>. Acesso em: 13 jul. etc.letras. Biblioteca. 13. Exemplos: FACULDADES ASSOCIADAS DE UBERABA. Acesso em: dia mês e ano. 181-183. 20052011.. Descrição física do meio eletrônico (CD-ROM. . Acesso em: 31 out. Disponível em: < https://www. et al. Disponível em: <http://www. Local (se houver): Editora (se houver).). desenvolvida por. 1998. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. MG.br/serviços/bdpa/frame_bdpa.6 Sites AUTOR (ES). CUNHA. 1998. data (se houver). J. 1989. Título do serviço ou produto: subtítulo (se houver).htm>. Local (se houver): Editora (se houver).1. 1.

RUBENS COSTA ROMANELLI”.com. PMGZ . Desenvolvido por Fabiano Roberto e Rosângela Costa.br> em 08 jan. Acesso em : 27 nov. 2002. Acesso em: 13 dez. Uberaba.letras. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE GADO ZEBU.br/>.4.br/sisbiframe/servicos.ufmg. Disponível em: <http://www.br/oamis/civitas>. Desenvolvido pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. . 1995-1998.ufu. Coordenação de Simão Pedro P.gcsnet. Título ou assunto da mensagem [tipo de mensagem].br/biblioteca>. Marinho. Vestibular agendado.pmgz. Setor de Marketing.com.13. [200-]. Exemplo: FACULDADES ASSOCIADADAS DE UBERABA.7 Mensagens eletrônicas (e-mail) AUTOR. 1998. 1. 2012. Acesso em: 20 jan. Mensagem recebida por <biblioteca@fazu. Mensagem recebida por <correio eletrônico do receptor> em dia mês ano.bibliotecas. 2007. Apresenta textos sobre urbanismo e desenvolvimento de cidades. 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Acesso em: 14 fev. Serviços oferecidos pelo sistema de bibliotecas da UFU.38 CIVITAS. . [Mensagem pessoal]. Apresenta produtos e serviços oferecidos pela Biblioteca da Faculdade de Letras da UFMG.Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos. 2002. Disponível em: < http://www. BIBLIOTECA “PROF. Sistemas de Bibliotecas.htm>. Disponível em : <http://www. Disponível em: <http://www.

2. 127).520. São introduzidas no texto com o propósito de esclarecer ou complementar as idéias do autor. As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior da citação. A fonte de onde foi extraída a informação deve ser citada obrigatoriamente. respeitando-se dessa forma os direitos autorais. 2.1 Citações curtas As citações curtas (até 3 linhas) devem ser inseridas no texto entre aspas duplas. 2002.1. p.: “A experiência ensina e investigações confirmam que todos nós recordamos melhor aquilo que fazemos ativamente. no texto. 119). p. Este capítulo apresenta recomendações para as citações nos trabalhos acadêmicos e estão de acordo com a NBR 10. 2. (FRANÇA et al. p. É reproduzida entre aspas duplas. Ex. 2. As citações são trechos transcritos ou informações retiradas das publicações consultadas para a realização do trabalho.2. da ABNT (2002). Por isso. 1). .1 DEFINIÇÃO “É a menção. . ninguém sabe tudo. (Paulo Freire).2.” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS-ABNT. entre parênteses. aprendemos sempre”.1 Citação direta É a transcrição literal das próprias palavras do texto citado. 1999.39 2 CITAÇÕES “Ninguém ignora tudo. de uma informação colhida em outra fonte.2 TIPOS DE CITAÇÃO As citações bibliográficas podem ser diretas (textuais) ou indiretas (livres). com indicação da fonte consultada.” (SALOMON. 2004.

154 ).2.2. reproduzindo idéias e informações sem contudo transcrever as próprias palavras do autor. 132). com recuo de 4 cm da margem esquerda.2 Citação indireta É a citação livre do texto. 1999. 2004. em qualquer área do conhecimento. quando o mesmo não for parte integrante do texto. é fundamental o emprego de volumosos e concentrados na dieta do bezerro jovem. 2. Ex. espaço simples de entrelinhas e sem as aspas.: É oportuno lembrar ao aluno que o trabalho científico modela-se na estrutura do processo de pesquisa. 35). p. Entre o texto que a antecede e sucede. devem constituir parágrafo independente. 2.40 2. precisa ser qualitativa e inteligentemente seletiva. por sua vez. O estudo e a aprendizagem. Se o nome do autor (es) fizer parte integrante do texto. p. com fonte menor que a utilizada no texto (fonte 11). o (s) sobrenome (s) é (são) citado (s) com letras maiúsculas e minúsculas e a data da publicação é mencionada logo após o (s) sobrenome (s) do (s) autor (es) entre parênteses.2. Ex.1.3 Citação de citação .: Como lembra Neiva (1998. com mais de três linhas. p.5 cm. seguido pelo número da página inicial.2 Citações longas As citações longas. A assimilação. colocar um espaço 1. são plenamente eficazes somente quando criam condições para uma contínua e progressiva assimilação pessoal dos conteúdos estudados. dada a complexidade e a enorme diversidade das várias áreas do saber atual (SEVERINO. (SALOMON. A indicação do autor vem em letras maiúsculas entre parênteses no final da citação.

13.1 Entidades coletivas .3. citar o sobrenome do autor do documento não consultado. ou “apud” (expressão latina) e o sobrenome do autor do documento.14.3.: Goffau (1980 citado por MULLER.41 É a reprodução de informação já citada por outros autores. “segundo”. cujos documentos tenham sido efetivamente consultados.: De acordo com o Anexo B. as quais estão descritas nos itens 2. 1982.2. é necessário citar a fonte. A Forma de apresentação da fonte deve seguir os modelos de referência de documentos eletrônicos que se encontram nos itens 1. 2.4. a abreviatura de “meses” deve seguir as normas da ABNT.4.2. que o leitor possa percorrer o mesmo caminho. e data entre parênteses. sem contudo ter tido acesso ao documento original. seguido das expressões “citado por”. efetivamente consultado. observa que a duração do ciclo estral prolonga-se sob o efeito de altas temperaturas. “conforme”. ou A abreviatura de “meses” deve seguir as normas da ABNT. Ex.5 Citação de documentos eletrônicos Para as informações relativas aos documentos eletrônicos. Ex.4 Citação de anexos Para a citação de anexos.3. adota-se a mesma regra das outras citações. p. (ANEXO B).1 a 1. possibilitando. Deve ser feito da seguinte forma: No texto. 2.3 FORMAS DE APRESENTAÇÃO DAS CITAÇÕES Existem várias formas de citação de documentos. 59). 2. 2.13. dessa forma.1 a 2.7.

acompanhado da sigla. p. Quando se tratar de documento de autoria de órgão da administração direta do governo. seguida de reticências e data entre parênteses.: BRASIL.: As matrizes tecnológicas regionais foram construídas tomando por base dados levantados junto à unidade de exploração agrícola. 1998.42 Quando o documento citado for de autoria de uma entidade coletiva conhecida por sigla. estado ou município.. 1979. de publicação periódica referenciada no todo. ou Conforme constatado em Análise . 115). p. Ex. 2. a citação é feita usando-se a primeira palavra do título. 1996. a partir daí.. 114).3 Um autor . Ministério da Agricultura. na primeira citação e. 1996.. p.3.2 Autoria desconhecida Quando se tratar de documento sem autoria conhecida. (ANÁLISE . (1979. 114). cuja referência bibliográfica se inicia pelo nome geográfico do país. (BRASIL. 2. deve-se citar o nome geográfico seguido da data do documento.: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE ZEBU-ABCZ (1998. as matrizes tecnológicas .. e depois (ABCZ. 109). ou dos casos em que a norma recomenda a entrada da referência pelo título..3. Ex. 115).. deve-se citar o nome por extenso. p. usar apenas a sigla. p. Ex. em letras maiúsculas.

89) concluíram .. a separação é pelo “e” quando a citação estiver inserida no texto.. (CARVALHO. 101) .43 Ex.4 Dois autores Na citação de documento de dois autores. 58)..5 Três autores Quando a citação é referente a três autores. ou .. 2. FRANCO. 2. seguidos do ano de publicação e página inicial.: SALOMON (1999. Ex.7 Duas ou mais obras Indicam-se os autores separados por “ponto e vírgula”. (PEIXOTO et al. 1992. 2. ou .: Valicente e Cruz (1991. indica-se o primeiro autor.. (1993. Franco (1992. p. 58).”. . (VALICENTE.3. p. Bertoldi. entre parênteses e em ordem alfabética.” (ponto e vírgula) quando vir entre parênteses: Ex..3. p.. 67).... 1993. p. CRUZ. seguido da expressão “et al. 89)..6 Mais de três autores Neste caso. BERTOLDI. separando-os também por “ponto e vírgula”: Ex: Carvalho.3.: Peixoto et al.. 2. e do ano da publicação. p. p. p.. ou .3. 101) analisou os processos ou Os processos analisados em Salomon (1999. E por “. indicam-se todos. 67) . 1991. p.

.3. 11) 2. 34. 2. a citação deve ser feita pela primeira palavra do nome do evento em letra maiúscula. 74) 2. 1993. (COUTINHO. 45) . 2. 34). 211 ) CARVALHO. Ex. p.: (PEIXOTO. p. 193). (1993. 1990. (1990.11 Vários documentos de um mesmo autor e datas diferentes Cita-se o sobrenome do autor. SANTOS. p. em ordem cronológica e separadas por “vírgula”.. C.: CARVALHO.. 114) CARVALHO. p. P. p. Ex. 53. usa-se o prenome por extenso. p. p. p. 19) (PEIXOTO. se ainda coincidir. p. publicados em um mesmo ano. 1991b.. 53). . p.10 Coincidência de sobrenomes de autores e mesma data Nesse caso. seguida de reticências e do ano da publicação. 45). Ex. (1990.. Paulo de (1990.: CONGRESSO .9 Vários documentos de mesmo autor e data As citações de diversos documentos de um mesmo autor. seguido das datas entre parênteses. são distinguidas pelo acréscimo de letras minúsculas após a data e sem espaços. 1995. p. Santos (1990.. acrescentam-se as iniciais do prenome e. PEIXOTO.3. 1991a. ou De acordo com Coutinho (1993.3.8 Congressos. p. Peixoto (1995.44 Ex.3. seminários e outros eventos Quando referenciada no todo.: .

.] a técnica é a maneira mais adequada de se vencer as etapas indicadas pelo método” (GALLIANO. 1992.: A Biblioteca universitária da UFMG pretende elaborar um projeto de acesso às bases de dados nacionais na área de Biologia (informação verbal)1. Belo Horizonte. Ex.. p. 1991.3. somente em notas de rodapé.3.12 Dados de palestras.3. 112). C. _______________ 1 CARVALHO.1 da página 19. mencionando-se os dados disponíveis. 1995. p. p.3. Ex. p. 86). 88). usam-se reticências entre colchetes. comentários Quando houver necessidade de se suprimirem partes de uma citação. 2. Para as interpolações ou comentários.14 Supressões.] para as generalidades ou para as referências a condições estáveis” (REY. 77. 1979. 2. p. 83. usam-se reticências nesses locais. 121). Biblioteca Central da UFMG. .: [. 2.: “Recomendam-se expor os resultados das observações e experiências do passado [.45 Ex..3. Ex. interpolações.. Ex.: WIESE (1989. 1972.4. indicar a data conforme indicado no item 1. p.: MACHADO ([1981].13 Citação de documentos sem data Quando não for possível determinar a data do documento citado. no início ou no final do trecho. debates e comunicações orais A citação é feita indicando-se a expressão “informação verbal” entre parênteses.

organogramas. P. Devem ser centradas na página e impressas em local tão próximo quanto possível do trecho onde são mencionadas no texto. é preciso saber querer”. (Goethe). A abreviatura é “FIG. Ex: Fonte: CARVALHO. plantas. esquemas. 2011. dela se separando por hífen. Não é bastante querer.46 3 ILUSTRAÇÕES “Não basta saber. 2011. se ela foi publicada. inclusive livros. tabelas e quadros elaborados pelo próprio autor do TCC ou Monografia. 15. mapas. ou localizar-se entre parênteses no final da frase. os quadros podem ser a . isto é. logo após a designação e sua respectiva numeração. 2012. obtidos de fontes como o IBGE e outros. coloca-se da seguinte forma: Ex: Fonte: Elaborado pelo Autor. localizado na parte superior. Quando se tratar de gráficos. A legenda. revistas etc Desta forma. em letra minúscula (exceto a inicial da frase). a fonte e as notas das ilustrações devem ser digitadas usando-se uma fonte menor do que a utilizada para o texto (fonte 11). a data e a página. Ex.1 QUADROS Os quadros são elaborados tendo por base dados secundários. Qualquer que seja seu tipo (desenhos. e outros) são designadas e mencionadas no texto como “Figuras” e sua indicação pode integrar o texto. 3. A Fonte de onde se retirou a ilustração vem na parte inferior da figura. 2011 ou Do Autor. No caso de fotografia. coloca-se o sobrenome do autor da publicação. na mesma margem da figura.: FIG. é preferível saber aplicar. na mesma posição do título. O Título deve ser breve. Quando a autoria da foto for o próprio autor do TCC ou Monografia.” e é usada somente no singular. 5 e 6. fluxogramas. fotografias. coloca-se da seguinte forma: Ex: Fonte: O Autor.

2006 Jul. INF. A citação no texto será pela indicação “Quadro”. São também definidos como um tipo de figura ou ilustração utilizada para a apresentação de informações especificamente textuais e suas estruturas básicas são constituídas de colunas e linhas. Quadro 1 – Empréstimo domiciliar por curso Categoria Usuários AGRO ZOO ENAL LETRAS SEC. Out. tipo “pizza” e pontos numerados com algarismos arábicos.594 Total 3509 2565 1058 2881 4208 305 656 1304 973 17. quando então necessitam indicação da fonte. Colocar o título precedido da palavra “Gráfico” e do número. São desenhos constituídos de traços.2 GRÁFICOS Os gráficos constituem um recurso para apresentação de dados estatísticos. (não tem abreviatura) acompanhada do número a que se refere. logo acima do gráfico.2 00 6 Fonte: FAZU. Set. PROF. 2006.459 3. COMP.47 transcrição literal desses dados. 777 605 973 814 267 609 517 602 582 176 226 217 243 191 122 627 587 594 627 243 858 911 832 891 409 88 64 61 76 16 186 135 131 120 43 240 228 217 240 190 188 190 192 175 128 3799 3454 3845 3716 1. acompanhada do número a que se refere. . TOTAL Fonte: FAZU. Nov. barras. Gráfico 1 – Crescimento do acervo de livros . colunas. Dez. separado por hífen. bem como os gráficos citados de outros autores. aqueles oriundos de dados inéditos do próprio pesquisador. A citação no texto será pela indicação GRAF. Nesse caso é necessário citar a fonte. São considerados gráficos. 73 79 59 203 307 0 41 189 100 1051 2º Semestre/2006 Ago. EXE.2º semestre/2007 1 80 00 1 60 00 1 40 00 1 20 00 1 00 00 80 00 60 00 40 00 20 00 0 20 00 20 01 20 02 20 03 20 04 20 05 2º Se m . FUNC. SIST.

para o registro ordenado de cálculos antecipadamente feitos e que indicam os respectivos resultados. As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente. enquanto os quadros contêm informações textuais agrupadas em colunas. . O termo adotado para citação é TAB. em números absolutos e/ou percentagens.48 4 TABELA “Poucos rios surgem de grandes nascentes. O título é localizado acima da tabela e a fonte abaixo. 2001 41 840 30 292 840 600 Uma tabela recebe o nome de “Tabela Modificada” quando o autor modifica/altera os dados da mesma.000) 11 67 4 Abaira Baixa Grande Barra da Estiva Fonte: IBGE. e não se colocam traços horizontais separando os dados numéricos. além da natureza do assunto. Ela é construída utilizando-se dados estatísticos obtidos ou não pelo próprio pesquisador/autor. tabela não é considerada ilustração. Uma tabela recebe o nome de “Tabela Adaptada” quando alguns dados são convertidos ou retirados. Bahia. (Ovídio) Segundo a NBR 14. O título deve indicar. Quantidade produzida. 2001 Municípios Área Plantada (ha) 140 1.724 (2006). Rendimento médio e Valor das culturas temporárias. São utilizadas para a apresentação de variáveis textuais e numéricas. As tabelas não devem ser fechadas lateralmente. Tabela 1 – Área plantada e colhida. acompanhado do respectivo número a que se refere. É facultativo o emprego de traços verticais para separação das colunas no corpo da tabela. servindo. mais especificamente. as abrangências geográfica e temporal dos dados numéricos. segundo os municípios. mas muitos crescem recolhendo filetes de água”.000 50 Quantidade Produzida (t) Rendimento Médio (kh/ha) Valor da Produção (R$ 1.

: Tabela 2 – Papéis funcionais dos micronutrientes Micronutriente Papel Cobalto Controle hormonal (ácido abscísico. etileno) Cobre Metabolismo de fenóis e lignificação Ferro Síntese de clorofila Fonte: Elaborado pelo Autor. 2010.49 Ex. (1982) . nos locais correspondentes às informações por eles fornecidas.: ml para km S$ para R$ Numa tabela criada por vários dados. Referência VENKATARAYAPPA et al. BUSSLER (1974) MILLER et al. deve-se inserir uma coluna específica para colocar os nomes de todos os autores. (1980) RAIIMI. Ex.

1 FORMATAÇÃO Todo o texto do trabalho acadêmico deve ser digitado na cor preta. blog. A apresentação de trabalhos acadêmicos deve ser elaborada conforme 5.520/2002. “apud”. no formato A 4. . As citações de mais de três linhas. o nome da instituição a que é submetida e a área de concentração. 5. O hífen usado para separar sílabas no final da linha deve ser colocado após a letra. A numeração progressiva deve seguir as recomendações da seção 5. Deve-se usar papel branco. e não abaixo dela.2 ESPAÇAMENTO Todo o texto deve ser digitado com espaço 1. Mesmo estando grafados normalmente no dicionário. não são grafadas em itálico. usando-se o espaço 1. o objetivo. de um lado só do papel. as notas. as referências. com o tipo de letra Times New Roman em todo o trabalho.50 5 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAZU “Se você mudar a sua maneira de pensar. devem ser digitados ou datilografados em espaço simples de entrelinhas. e para os estrangeirismos. citações textuais e titulações.5 de entrelinhas. a natureza do trabalho. como por exemplo: site. tamanho 12. tal como. Nos parágrafos. as legendas das ilustrações e tabelas. adota-se a tabulação (2 cm) do microcomputador a partir da margem esquerda. A grafia itálica é usada para nomes científicos de animais e plantas. talvez possa mudar sua vida” (Claire Safran). As margens devem ser de 3 cm na superior e esquerda e 2 cm para as margens inferior e direita. as expressões latinas. hardware. De acordo com a NBR 10. As variações tipográficas são permitidas apenas para notas de rodapé. 5. a ficha catalográfica.4 deste Manual.5. ainda não foram incorporados à nossa língua.1 a 5.5 entre as linhas. software. mouse.

sumário. Os títulos sem indicativo numérico. referências. lista de abreviaturas e siglas. e devem ser grafados conforme seção 5. é alinhado à esquerda. a partir da margem esquerda. a 5 cm da margem superior. centralizados na página. a 5 cm da margem superior. sumário.1 Notas de rodapé As notas devem ser digitadas com espaço simples de entrelnhas e fonte tamanho 11. resumos. grafados em letra maiúscula e negrito. referências e anexos. ficando separadas do texto por um espaço 1. Na folha de rosto e na folha de aprovação. devem abrir uma nova página e terem seus títulos grafados em letra maiúscula e negrito. que precede o título de uma seção (Introdução. lista de símbolos.51 Para as citações. serão adotados 4 cm da margem esquerda. As referências ao final do trabalho devem ser separadas entre si por um espaço 1. digitados com espaço simples de entrelinhas. 5. o nome da instituição a que é submetida e a área de concentração devem ser alinhados no meio da mancha para a margem direita. a natureza do trabalho.3 Títulos sem indicativo numérico Os títulos.5 após a margem superior. separado por um espaço de caractere. Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede ou que os sucede por um espaço 1. listas.2 Indicativos de seção O indicativo numérico. alinhados à esquerda da página. lista de ilustrações. agradecimento. e devem ser justificadas à esquerda da página.5 deste capítulo. resumos.2. glossário.2. anexo(s) e índice(s) – devem ser centralizados. sem indicativo numérico – errata.5 de entrelinhas. Neste caso.5 de entrelinhas. devem iniciar em folha distinta. Desenvolvimento e Conclusão). 5. Os títulos das seções primárias (Introdução. apêndice(s). e grafadas com espaço simples (um) e fonte tamanho 11.5 de entrelinhas e por filete de 5 cm. acrescentar dois espaços 1. . o objetivo. 5. dentro das margens. por serem as principais divisões de um texto.2. tais como agradecimentos. Desenvolvimento e Conclusão).

e devem iniciar em folha distinta. Na numeração progressiva. todas as seções devem conter um texto relacionado a elas.2. 5.52 5. Havendo anexo. A numeração é colocada. bem como facilitar a localização de cada uma de suas partes. agradecimentos e a epígrafe. Destacam-se gradativamente os títulos das seções. ambos separados por “ponto”. ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha. a dedicatória. seguindo a série natural de números inteiros. na primeira folha da parte textual (Introdução). Devese limitar a numeração progressiva até a seção quinária. as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal. no canto superior direito da folha. Para a numeração dos capítulos (seções primárias) são utilizados algarismos arábicos. caixa alta ou versal.3 PAGINAÇÃO Todas as folhas do trabalho.4 NUMERAÇÃO PROGRESSIVA A numeração progressiva de um documento tem por objetivo proporcionar o desenvolvimento claro e coerente de um texto. em algarismos arábicos. a folha de aprovação (que é emitida pela Coordenação do Curso). mas não numeradas.4 Elementos sem títulos e sem indicativo numérico Fazem parte desses elementos. a partir de 1 (um). itálico e redondo. O indicativo das seções seguintes (até a seção quinária) será formado pelo número do capítulo mais o número de cada parte. devem ser contadas seqüencialmente. a partir da folha de rosto. 5. Exemplo de seção primária (grafada em letras maiúsculas e negrito) 2 DADOS GEOGRÁFICOS DE UBERABA Exemplo de seção secundária (grafada em letras maiúsculas sem negrito) . a 2 cm da borda superior. utilizando os recursos de negrito.

etc.).53 2. 5.1 Número de idosos Exemplo de seção quaternária (grafada em letras minúsculas em itálico) 2. como neste exemplo. c).estas iniciam com hífen colocado abaixo da primeira letra do texto da própria alínea e terminam em vírgula (como neste exemplo). A disposição gráfica das alíneas deve ser assim: a) deve ser com recuo de 2 cm (seguir a mesma tabulação do parágrafo). com dois pontos ao final. e) devem ser ordenadas em ordem alfabética: a). c) o texto que a antecede deve terminar em dois pontos (:). b). g) quando necessário. d) o texto começa em letra minúscula e termina em ponto e vírgula (.. quadrados. emprega-se o uso de alíneas e subalíneas.1.1.1 Número de idosos que moram sozinhos Caso exista mais alguma subdivisão dentro do mesmo contexto. b) com texto justificado. .). .1. É necessário que exista um texto antecedendo as alíneas.não devem ser utilizados outros marcadores como círculos. exceto a última que termina em ponto (.1. etc.1.1 POPULAÇÃO URBANA Exemplo de seção terciária (grafada em letras minúsculas em negrito) 2.1 Numero de idosos que moram em família Exemplo de seção quinária (grafada em letras minúsculas e mornais) 2. pode-se usar sub-alíneas: .1. f) a segunda e as próximas linhas do texto da alínea começam sob a primeira palavra do texto da própria alínea.5 IDIOMA DO TEXTO O texto dos TCCs e Monografias da FAZU deverá ser redigido somente em língua portuguesa.

2.4. com maior rigor científico.2.3.3.3 6. especialistas designados e/ou outros).2 6. no que se refere a elementos textuais e sumário.2 Seção Pré-textuais Textuais Pós-textuais As diferenças dos elementos textuais nos trabalhos de pesquisa e nos trabalhos de revisão bibliográfica são as seguintes: . elementos textuais e elementos pós-textuais.7 6. Nesse sentido. dissertações e teses. como por exemplo.4.1 6. A Elaboração do Trabalho de conclusão de curso (TCC e Monografia) deve seguir as recomendações da NBR 14.3 6. comissão examinadora de professores.4.2 6.4.1 6.2.2 6.2.1 6. mas a chave para ela”. proceder à investigação científica e fazer a apresentação dos resultados. visando sua apresentação à FAZU (banca.724 da ABNT. Estrutura Parte Externa Elemento Capa Folha de rosto Folha de aprovação Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo na língua vernácula Resumo em língua estrangeira Listas (opcional) Súmário Introdução Desenvolvimento Conclusão Referências Anexos e Apêndices 6.4. tendo regras específica para cada um deles. Tem por objetivo fazer o aluno escolher um tema específico. (Mallock). o aluno estará se preparando para a realização de trabalhos mais elaborados.2. TCC.3 6.1 6.2.54 6 ESTRUTURA FÍSICA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAZU “A Cultura não é um substituto para a vida.6 6.1.2.2.2.1 6. monografias.5 6. Este trabalho poderá ser de revisão bibliográfica ou de pesquisa. A estrutura de um trabalho acadêmico compreende: elementos pré-textuais.3.

Não há necessidade de colocar o termo DESENVOLVIMENTO Resultados e Discussão como título) Conclusão Conclusão 6. Ficou definido.1 PARTE EXTERNA A parte externa do TCC compreende a capa.55 ELEMENTOS TEXTUAIS Trabalhos de pesquisa Revisão de literatura Introdução Introdução Revisão de literatura Desenvolvimento (Este item não deve se ater apenas ao capítulo 2.1.1. são transcritas na ordem descrita abaixo: a) nome da instituição.1 Capa É uma parte integrante do trabalho.1. . em reunião das Coordenações de Curso da FAZU. conforme Anexo A. pois dá subsídio ao leitor para a sua localização e composição bibliográfica. b) nome do autor. 6. conforme descrito em 6. Ele pode se Material e métodos estender a quantos capítulos forem necessários. Para fins de padronização. além de proteger o material. que as cores das capas seguirão o seguinte critério: Curso Agronomia Engenharia de Alimentos Licenciatura em Computação Licenciatura em Letras Secretariado Executivo Bilíngüe Sistema de informação Zootecnia Pós-Graduação Cor de capa Azul Azul Preta Vinho Prata/cinza Preta Verde Preta As informações que constituem a capa. a capa deve ser de material rígido (encadernado em percalux). por ser mais resistente.

centrado um em cada linha. objetivo (requisito parcial para graduação ou obtenção do título de especialista no curso). escrito em letras maiúsculas. em tamanho menor do que as utilizadas para o título.1 Folha de rosto É a segunda página do trabalho e dá segurança às informações contidas na capa. na mesma posição na folha. e) Professor da disciplina: o nome do professor da disciplina “Trabalho de Conclusão de Curso”. observando-se uma margem vertical de 3 cm. vem logo abaixo do nome do orientador (se houver) e do colaborador (se houver). c) Natureza e Objetivo: a natureza (trabalho de conclusão de curso ou Monografia).8.2.2. d) subtítulo. escrito com tipo maior do que o usado para o nome do autor. Este item não se aplica para a monografia de pós-graduação.2 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Os elementos pré-textuais são apresentados conforme itens 6. b) Título: deve ser preciso e significativo. f) ano de depósito (da entrega). colocado no centro da página. d) Orientador e colaborador: os nomes do orientador e colaborador (se houver) do trabalho devem suceder à informação da natureza do trabalho.1 a 6.56 c) título.1. 6.2. na mesma posição da folha. devem ser alinhados do meio da folha para a margem direita. 6. observando-se a margem inferior de 2 cm. f) Notas tipográficas: constitui-se do local e data (ano) da entrega.1 Verso da folha de rosto .2. como mostram os Apêndices B e C Contém os seguintes dados necessários à identificação: a) Autor: o nome completo do autor deverá ser centrado no alto da folha de rosto. nome da instituição a que é submetido. 6. se houver. e) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado.

nome da instituição a que é submetido. que juntos indicarão um professor convidado. titulação e assinatura dos componentes da banca examinadora e instituições a que pertencem. 6. coloca-se a ficha catalográfica. pelo professor da disciplina. A data de aprovação e assinaturas dos membros componentes da banca examinadora deverão ser colocadas após a entrega da versão final do TCC.2 Folha de aprovação Deve conter o nome do autor do trabalho.1 Dedicatória Texto geralmente curto no qual o autor presta uma homenagem ou dedica seu trabalho a alguém (APÊNDICE H).2. data de aprovação. título e subtítulo (se houver). 6. devendo constar cada uma delas em páginas separadas. constituída pelo professor orientador (escolhido pelo aluno e professor da disciplina). O Trabalho de Conclusão de Curso será aprovado pelos membros da banca examinadora.2.3. nome.3. objetivo.2. 6. (Apêndices F e G). elaborada por um profissional bibliotecário. constituída por dois convidados e um orientador (escolhidos pela Coordenação da Pós-Graduação da FAZU). que deve seguir as normas do AACR2 (Código de Catalogação Anglo Americano). como mostram os Apêndices D e E. preferencialmente ligado a outra instituição. 6.57 No verso da folha de rosto. na parte inferior da página. após as orientações da banca. devidamente corrigida pelo aluno. natureza. A Monografia será aprovada pelos membros da banca examinadora. sendo que a seqüência dos nomes dos membros da banca deve seguir o modelo dos apêndices F (TCC) e G (Monografia). Os interessados devem entrar em contato com a Biblioteca Dora Sivieri para a elaboração da ficha catalográfica.3 Páginas preliminares São as que antecedem ao sumário.2 Agradecimentos .2.

separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto. com as mesmas características do resumo em língua vernácula. não ultrapassando 500 palavras. em espanhol RESUMEN. 6. 6.6 Lista de ilustrações. logo abaixo do resumo. antecedidas da expressão: Key Words:.4 Resumo na língua vernácula Elemento obrigatório. adotando-se a tabulação de 2 cm.5 Resumo na língua estrangeira Elemento obrigatório.5 de entrelinhas (seguindo as mesmas recomendações para o texto do TCC). limitando-se a apenas um parágrafo. constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos. 6. adotando-se a tabulação de 2 cm. É digitado em letra times new roman fonte 12. a partir da margem esquerda. com citação do autor (APÊNDICE J). separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto.3 Epígrafe Citação de um pensamento que. usando-se o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. com espaço 1. Deve ser redigido. Lista de tabelas. antecedidas da expressão: Palavras-chave:.3. embasou a gênese da obra. Usa-se o cabeçalho RESUMO e recomenda-se a inclusão de palavras-chave logo abaixo do resumo. com espaço 1.2. É digitado em letra times new roman fonte 12.5 de entrelinhas (seguindo as mesmas recomendações para o texto do TCC). de certa forma. em francês RÉSUMÉ. de alguma forma. colaboraram para a execução do trabalho (APÊNDICE I). Só serão aceitos resumos em língua estrangeira: inglês e espanhol. na língua. 6. Recomenda-se também a inclusão de palavras-chave. digitado em folha separada (em inglês ABSTRACT. por exemplo).2. Lista de símbolos .2.58 Manifestação de agradecimento às pessoas e às instituições que.2. a partir da margem esquerda. Lista de abreviaturas e siglas. limitando-se a apenas um parágrafo.

deve-se adotar o mesmo no sumário. (APÊNDICE L). acompanhado do respectivo nº de página. na ordem em que aparecem no texto. o retorno na 2ª linha é debaixo da 1ª letra do título. conforme modelo apresentado no Quadro 2. Deve indicar o nº correspondente aos capítulos e suas divisões. 2003). refletindo suas divisões ou seções. 6. com cada item designado por seu nome específico (não utilizar o termo “Figura” para todos os tipos de ilustração). . o título de cada parte e respectiva paginação. Quando o título de uma seção for muito extenso. se os itens são grafados em negrito no texto. Os títulos e subtítulos de cada seção devem seguir os indicativos numéricos e devem ser alinhados pela margem do título do indicativo mais extenso. A apresentação dos itens na lista não é em ordem alfabética e. No caso de lista de abreviaturas e siglas (elemento opcional). A subordinação dos itens do sumário deve ser destacada pela apresentação tipográfica utilizada no texto. sim. Usa-se o termo “sumário” e não as palavras “índice” ou “listas” para designar esta parte. elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto. a ordenação é alfabética e sem indicação de página.7 Sumário Indicação do conteúdo do documento. na mesma ordem e grafia em que aparecem no texto.59 Elemento opcional. segundo a NBR 6027 (ABNT.2. ou seja. No sumário deve-se colocar o título dos anexos ou apêndices.

6. Desenvolvimento e Conclusão.2.3 ELEMENTOS TEXTUAIS Como todos os trabalhos científicos.1 3.1 O Aumento da demanda por cursos de RESULTADOS E DISCUSSÃO 3 graduação à distância no Brasil A INTRODUÇÃO DA TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR CONCLUSÃO 3. dividindo-se em capítulos.1 4.60 Quadro 2 – Modelo de sumário ELEMENTOS TEXTUAIS Trabalhos de pesquisa Revisão de literatura INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO REVISÃO DE LITERATURA 2 A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL 2.1 A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS 4 CONCLUSÃO 1 2 2. conforme a natureza do assunto.2 5 REFERÊNCIAS ANEXO A – Abreviatura de periódicos ANEXO B – Abreviatura de meses APÊNCICE A – Capa de TCC APÊNDICE B – Folha de rosto APÊNDICE C – Verso da folha de rosto REFERÊNCIAS ANEXO A – Abreviatura de periódicos ANEXO B – Abreviatura de meses APÊNCICE A – Capa de TCC APÊNDICE B – Folha de rosto APÊNDICE C – Verso da folha de rosto 6.2 O DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA NO SEC.1 Introdução .1 MATERIAL E MÉTODOS 2.1 2.3.2 3. a organização do texto deve obedecer à uma seqüência de Introdução.2 3 3. XX O CENÁRIO INICIAL DA EAD SOB A NOVA ADMINISTRAÇÃO 2.3 4 4.

essa parte corresponde aos seguintes itens: revisão de literatura. discussão dos resultados. A literatura citada deve ser apresentada em ordem cronológica.3. propiciando ao leitor a percepção completa dos resultados obtidos. Essa descrição deve ser breve. de acordo com as normas do capítulo 1 deste manual.3. resultados. analisam os problemas principais e secundários.2.2 Desenvolvimento Compreende todos os capítulos.2. delimitações do assunto tratado e os objetivos. Deve-se incluir ilustrações como quadros e gráficos. Todo documento analisado deve constar na listagem bibliográfica. Em se tratando de trabalhos de pesquisas. mostrando a evolução do tema de maneira integrada. em blocos de assuntos. com capítulos necessários ao desenvolvimento do tema proposto. É onde se verifica como se processou a discussão.3. 6. porém completa e clara das técnicas e processos empregados. como a metodologia proposta vai se realizando.1 Revisão de literatura O autor deve demonstrar conhecimento da literatura básica sobre o assunto.3. material e métodos. incluindo a formulação de hipóteses.61 Deve fornecer uma visão global. 6.2. onde se discutem. bem como o delineamento experimental.2 Material e métodos Descreve a metodologia adotada para o desenvolvimento do trabalho. como as soluções foram sendo encontradas.3 Resultados e discussão Deve ser apresentado de forma detalhada. resumindo os resultados de estudos feitos por outros autores. É uma das partes mais importantes do trabalho. 6. 6. decorrentes da sua colocação. e também .

6. o termo Anexo ou Apêndice vem livre de parênteses (FRANÇA. São identificados por letras maiúsculas seqüenciais. seguidos de seus respectivos títulos. enquanto o anexo é de autoria de outro(s).3 Conclusão Síntese final do trabalho e constitui-se de uma resposta à hipótese enunciada na introdução. O apêndice difere do anexo por ser elaborado pelo próprio autor.4. compara-se os resultados alcançados pelo estudo com aqueles descritos na revisão de literatura. 6.4. 2011).1 e 6.4.4. Neste item. 1 deste manual. É a discussão e demonstração das “novas verdades” a partir de “verdades garantidas”. Se inserido na redação.3. com informações esclarecedoras. . Devem ser citados no texto seguido da letra de ordem. Não se permite a inclusão de dados novos neste capítulo. Consultar o cap.2 Anexos e apêndices Documentos complementares e ou comprobatórios do texto. 6. tabelas ou dados colocados à parte.1 Referências Consiste na listagem alfabética das publicações utilizadas na elaboração do trabalho.62 tabelas. sendo apresentados entre parênteses quando vierem no final da frase. O autor manifesta seu ponto de vista sobre os resultados obtidos e sobre o alcance dos mesmos. 6.4 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Os elementos pós-textuais são apresentados conforme itens 6.2. para não prejudicar a seqüência lógica da leitura.

719. 2011).1 Seção Pré-textuais 7.1 7.4.3. (ABNT.2 7.4.2 A Parte externa do trabalho de conclusão de curso é constituída pela capa e pela lombada (elemento opcional). se couberem. Trata-se de uma comunicação destinada ao registro do desenvolvimento do Programa Individual de Estágio e deve conter a descrição das atividades realizadas. margens e espaços e numeração progressiva e sua estrutura física é recomendada pela NBR 10.63 7 ESTRUTURA FÍSICA DOS RELATÓRIOS DE ESTÁGIO DA FAZU “Os livros nos dão conselhos que nossos amigos não se atreveriam a dar-nos”.3. Estrutura Parte externa Elemento Capa Folha de rosto Agradecimentos Resumo na língua vernácula Lista de ilustrações Lista de tabelas Lista de abreviaturas e siglas Lista de símbolos Súmário Introdução Desenvolvimento Considerações finais Referências Anexos (se houver) 7.1 PARTE EXTERNA 7.2 Textuais Pós-textuais 7.1.3 7.1 7.2. sua discussão e recomendações.3. (Baudet Numa) O Relatório de estágio é exigido de todos os alunos da FAZU.1 7.1 Capa .1. Deve seguir as mesmas recomendações dos outros trabalhos quanto à apresentação tipográfica. 7.2.

Sumário .2. Resumo na língua vernácula. pois não será encadernado. os itens 7. devem ser alinhados do meio da folha para a margem direita. Lista de ilustrações.2. um em cada linha.64 A capa do Relatório de Estágio não deve ser de material rígido.2. d) Notas tipográficas: constitui-se do Local e Data da entrega. d) Professor da disciplina: o nome do professor da disciplina “Estágio Supervisionado” vem logo abaixo da natureza e objetivo. observando-se a margem inferior de 2 cm. observando-se a margem inferior de 2 cm (APÊNDICE M). f) Notas tipográficas: constitui-se do Local e Data da entrega. c) Natureza e Objetivo: a natureza (relatório de estágio). centrado. escrito em letras maiúsculas. serão considerados elementos pré-textuais. escrito em letras maiúsculas.2. (APÊNDICE N). e deve conter as seguintes informações: a) Nome da instituição: centralizado no alto da folha. b) Título: o título deverá ser centralizado na folha. escrito em letras maiúsculas. 7. logo abaixo do nome da instituição. c) Título: o título deverá ser centralizado na folha. Lista de tabelas Lista de abreviaturas e siglas. observando-se uma margem vertical de 3 cm.5 de entrelinhas. digitados com espaço 1.1 a 7. um em cada linha. 7. centrado.2. b) Autor: o nome completo do autor deverá ser centrado na folha.2 Agradecimentos. o objetivo (requisito parcial para graduação no curso). o nome da instituição a que é submetido. na mesma posição da folha. Lista de símbolos.2 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Para os relatórios de estágio. 7.1 Folha de rosto A folha de rosto do relatório de estágio deve conter as seguintes informações: a) Autor: o nome completo do autor deverá ser centrado na folha. escrito em letras maiúsculas.

as apreciações e observações ensejadas. instalações. setores onde estagiou. 7. de parte do relatório. posição e influência na região. 7. etc.3 ELEMENTOS TEXTUAIS Os elementos textuais dos relatórios de estágio são apresentados nos itens 7.2 Atividades desenvolvidas São subdivididas em diversos seções. econômico e social da região. a metodologia do trabalho. sua capacidade de interpretação crítica da realidade e de solucionar problemas. Cabe ainda a descrição dos diferentes aspectos físico. Antes de redigir. elementos de informações e discussão da realidade capaz de evidenciar. enfim. descrevendo o elenco das atividades e tarefas programadas e executadas. projetos. as dificuldades e sua superação. setores de expansão.1 a 7.3. produção e produtividade. sua importância e valor para as partes envolvidas. as experiências oportunizadas.). Selecionar as informações e o alcance da importância dos fatores bem como suas inter-relações. Recomenda-se ao estagiário que proceda registros diários das atividades e observações realizadas.3. Conterá. a fim de facilitar a elaboração do relatório. preparar um esquema do que foi executado.3. atuação.3.1 Introdução Mencionar a finalidade do trabalho e fazer uma síntese descritiva da Instituição ou local do estágio (historia.3.65 Estes elementos devem seguir as mesmas recomendações constantes no capítulo 6 deste Manual. 7. perspectiva de expansão. discriminando sua qualidade e quantidade. 7. como e por que foi executado e os resultados do trabalho.3. estrutura administrativa. finanças. porte econômico. a amplitude e a profundidade de seus conhecimentos específicos e vinculados.3 Considerações finais .

São materiais ilustrativos.4. descrições de equipamentos. 7.66 É a análise do trabalho e de sua validade e oportunidade para a formação profissional. plantas e quaisquer outros materiais que auxiliam em eventuais consultas e elucidações.4. 7.4. organogramas.1 Referências É a referência das obras realmente consultadas para o desenvolvimento das atividades realizadas. .2. tabelas. tais como gráficos. complementares ao texto. formulários e modelos em geral.1 e 7. conforme consta no capítulo 1 deste manual. análise geral.4 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Os elementos pós-textuais dos relatórios de estágio compreendem os itens 7. Seguir as mesmas recomendações do item 6.4. inclusive para a elaboração do relatório. diagramas. As conclusões deverão estar baseadas em fatos apresentados no relatório. devendo obedecer as normas da ABNT.2. fotografias.2 Apêndices e anexos Elementos opcionais.4. 7. críticas e sugestões. especificações de produtos.

ao contrário.(ABNT. fizemos algumas adaptações para melhor entendimento pela comunidade acadêmica FAZU.2 8. Pode ser ainda um artigo original. 2003.1.3.1.6 8.1. etc. p.3. e foi adaptado da NBR 6022 (ABNT.1.7 8. A estrutura de um artigo é constituída de elementos pré-textuais.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS .1. (Ralph Waldo Emerson). Este capítulo descreve a estrutura do artigo científico.2. métodos. 2) o artigo científico é “parte de uma publicação com autoria declarada. textuais e póstextuais. técnicas.1. O artigo científico pode ser um artigo de revisão quando for “parte de uma publicação que resume. 2).4 Pré-textuais Textuais Pós-textuais 8. Segundo a ABNT (2003. que apresenta e discute idéias. vá por onde não haja estrada e deixe uma trilha”. em língua estrangeira Resumo em língua estrangeira Palavras-chave em língua estrangeira Introdução Desenvolvimento Conclusão Referências Glossário Apêndice(s) e Anexos Agradecimentos Seção 8.3 8.2 8.67 8 NORMATIZAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS “Não siga a estrada.4 8.3 8.2.3 8. tais como relatos de experiência de pesquisa. apenas.3.23). estudo de caso.1 8.1. processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento”. Neste Manual.5 8. quando for “parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens originais.1 8. p. p.2. 2003). 2003.1 8. analisa e discute informações já publicadas” (ABNT. conforme destacamos a seguir: Estrutura Elemento Título e subtítulo Nome do(s) autor(es) Resumo na língua do texto Palavras-chave na língua do texto Título e subtítulo.3. Para publicação de artigos o(s) autor(es) devem seguir as normas estipuladas pelas próprias revistas.2 8.

2 Graduando em Zootecnia. Uberaba (MG). O resumo não deverá repetir o título.e-mail: rpda@fazu.1.1. e-mail: abt@hotmail.1.1. Uberaba (MG).3 (um espaço) Mestre em Engenharia de Alimentos.1.1 Título e subtítulo O título se localiza na página de abertura do artigo e é centralizado no alto da folha.com. Faculdades Associadas de Uberaba.7.1 a 8. por dois pontos. 8.br. PEREIRA NETO. O texto deverá ter no máximo 250 palavras. Se houver subtítulo.2 Nome do(s) autor(es) Localiza-se logo após o título.4 Palavras-chave na língua do texto .68 Os elementos textuais são compostos dos itens 8. Exemplo: ARRANJOS DE PLANTAS DE MANDIOCA E MILHO EM CULTIVO SOLTEIRO E CONSORCIADO: CRESCIMENTO. Deve ser composto por frases claras e sucintas e conter as conclusões mais importantes do trabalho. logo após os próprios nomes. entrada pelo sobrenome com chamada númerica para o currículo.2. O texto deve ser justificado em parágrafo único e espaçamento simples e digitado em fonte Times New Roman 10. BELTRANO. em letras maiúsculas.1. F. com apenas a palavra inicial RESUMO em caixa alta e em negrito. C. 1 8.br. 8.T 1. Uberaba (MG). 3 Doutor em Fisiologia Vegetal. o mesmo é separado do título. DESENVOLVIMENTO E PRODUTIVIDADE.3 Resumo na língua do texto Elemento obrigatório constituído de uma sequência de frases concisas e objetivas. A chamada númerica do(s) autor(es) não aparece como nota de rodapé e. Exemplo: MODELO DE FORMATO DE ARTIGO TÉCNICO-CIENTÍFICO PARA O PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO DA FAZU (TÍTULO DO TRABALHO)* (dois espaços) DA SILVA. grafado em letras maiúsculas e em negrito. e-mail: spdc@embrapa. M. Faculdades Associadas de Uberaba. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária . contendo um breve currículo e endereço eletrônico. sim.EMBRAPA. 8.

6 Resumo em língua estrangeira O Abstract aparece logo após o título em língua estrangeira. Exemplo: PALAVRAS-CHAVE: Diagnose foliar. 8. com as mesmas recomendações das palavras-chave. grafado em letras maiúsculas e em negrito. Para os artigos de pesquisa. Material e Métodos. Resultados e Discussão e Conclusão. Macronutrientes. 8. 8. No último parágrafo deverão ser destacados preferencialmente os objetivos do trabalho. Desenvolvimento e Conclusão.5 Título e subtítulo em língua estrangeira Localiza-se logo após as palavras-chave.69 Devem figurar logo abaixo do resumo. O texto deve ser justificado em parágrafo único.7 Palavras-chave em língua estrangeira As Key-words devem figurar logo abaixo do ABSTRACT. centralizado. Adubação nitrogenada. espaçamento simples e digitado em fonte Times New Roman 10. 8.1.2 ELEMENTOS TEXTUAIS Os elementos textuais variam de acordo com o tipo de artigo científico. compreendem Introdução.1 Introdução A introdução deverá conter uma breve explanação do problema. 8. Para os artigos de revisão bibliografica compreendem a Introdução.1. sua pertinência e relevância social e científica. . separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto. Devem iniciar com letra maiúscula e conter no mínimo três palavras-chave e no máximo cinco. com as mesmas recomendações do resumo na língua do texto.1.2.

b) Resultados e discussão: neste item deverão ser discutidos e explicados os resultados obtidos com a pesquisa. Não poderão ser utilizados subtítulos no Material e Métodos. a fim de argumentar e sustentar o que foi encontrado. Corresponde aos objetivos propostos. TABELAS e EQUAÇÕES). Glossário (opcional). bem como os instrumentos de coleta de dados e classificação dos dados justificando-os a partir do objetivo do trabalho.3 Conclusão As conclusões não devem repetir os resultados e sim ressaltar a importância e aplicação dos resultados fundamentados no que foi apresentado anteriormente. Poderão conter se necessárias ilustrações (FIGURAS. portanto. O autor deverá descrever a metodologia utilizada no estudo. No último parágrafo o autor. os método. Divide-se em seções e sub-seções que exigem logicidade com sentido determinado e variam em função da abordagem do tema e do método. poderá manifestar seu ponto de vista e apresentar recomendações e sugestões para trabalhos futuros. os procedimentos de rotina e os instrumentos de coleta de dados.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Os elementos pós-textuais são constituídos de Referências. se necessário. TABELAS e EQUAÇÕES). 8. . apresentando um debate entre os autores pesquisados.2. o desenvolvimento do texto é subdivido da seguinte forma: a) Material e métodos: devem ser referenciadas as técnicas. que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto tratado. Anexo(s) e Agradecimentos.2 Desenvolvimento Parte principal do artigo. explica e argumenta sobre a abordagem do tema e o que deseja demonstrar e defender.70 8. Poderão conter se necessárias ilustrações (FIGURAS. utiliza-se referencial teórico. O autor descreve. 8. É elaborado na forma de uma revisão de literatura. extraído das mais diversas fontes de informação atualizadas. Os artigos de pesquisa requerem uma subdivisão mais detalhada e.2. Apêndice(s).

pelo fornecimento dos dados para a realização deste trabalho.1 Referências Referências.3. 8. e Ilustrações devem seguir as recomendações dos capítulos 1.2 Glossário Glossário é um elemento opcional e caso seja necessário. São agradecimentos a pessoas e ou empresas que contribuiram com a pesquisa. deve ser apresentado em ordem alfabética. no caso de artigo científico não tem espaço entre as referências.3. Citações.3.3 Apêndices e anexos Elementos opcionais e quando necessário devem ser apresentados conforme item 6. 8.4 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO Os artigos científicos a serem publicados na “FAZU em Revista” e nos “Cadernos de Pós-Graduação da FAZU”.3.4 Agradecimentos Elemento opcional. sendo que para maiores esclarecimentos sugerimos a leitura do Apêndice O. 8. . fornecendo dados e ou orientações. o texto é alinhado à esquerda da página e.71 8. 8. devem seguir a algumas recomendações específicas de formatação. lembrando apenas que o espaçamento entre linhas é simples.3.2 deste Manual. 2 e 3 deste Manual. Exemplo: AGRADECIMENTOS: À Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba.

O artigo deverá ter no mínimo 5 (cinco) e no máximo 15 (quinze) páginas. texto alinhado à esquerda da página.72 “Modelo de formato de artigo técnico-científico para o programa de pós-graduação da FAZU”. margens direita e esquerda: 1.6 cm de espaçamento entre as colunas. devem ser apresentadas com espaçamento simples de entrelinhas.4 cm de largura cada e 0. . A partir da introdução o texto deverá vir em duas colunas com 8.8 cm. margens superior e inferior: 2. Todo novo parágrafo deverá ter margem – (comando . sem espaçamento entre as referêncais.5 cm. espaçamento entre linhas simples.Formatar parágrafo Recuo – PRIMEIRA LINHA – 1 cm). Todo o texto do artigo deverá ser digitado em papel A4. Com relação às referências apresentadas ao final do artigo. fonte Times New Roman tamanho 10.

.73 9 NORMATIZAÇÃO DE PÔSTERES TÉCNICOS E CIENTÍFICOS “Você tem à sua disposição dez minutos para colocar uma ideia em prática antes que ela retorne para o mundo dos sonhos” (Richard Fuller).1 Logomarca Os pôsteres técnicos e científicos a serem apresentados nos cursos e eventos da FAZU.1.1. Logo abaixo do(s) nome(s) do(s) autor(es) devem ser colocados o(s) nome(s) do(s) professor(es) orientador(es) e respectivos e-mails. 9. em letras maiúculas. 9. logo abaixo do título. exibido em diversos suportes.437 da ABNT (2006) e foram adaptadas para este Manual. devem conter o logotipo da FAZU. posicionado na margem superior direita do pôster.1 a 9.1. 9.2 Título e subtítulo Elemento obrigatorio e deve ser centralizado na mesma posição do logotipo da Instituição.1.3 Nome(s) dos autor(es) O(s) nome(s) dos autor(es) (autoria pessoal ou entidade) devem aparecer centralizados. Segundo a ABNT (2006.1 ESTRUTURA A estrutura do pôster segue as recomendações da NBR 15. seguidos do(s) respectivo(s) e-mail(s). p. Destamos nos 9. com entrada pelo sobrenome.1. que sintetiza e divulga o conteúdo a ser apresentado”. 9.7 as nomas para apresentação de Pôsteres na FAZU. A fonte a ser utilizada para os autores é Arial 42. grafado em letras maiúsculas. 1) poster é um “instrumento de comunicação. e fonte Arial 51.

O título INTRODUÇÃO deve ser grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 30.7. em letras versais e fonte Arial 30. Nesta sessão.1. .5 Conteúdo O Conteúdo deve apresentar as ideias centrais do trabalho.1. Instrumentos de Coleta de Dados e Classificação dos Dados) justificando-os a partir do objetivo do trabalho. 9. O tíutlo OBJETIVO deve ser grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 30.1.1.3 Material e Métodos Item obrigatório apenas para os trabalhos de Pesquisa.5.1. a introdução deve apresentar o assunto de objeto de estudo.1 a 9.1 Introdução Na introdução deve-se expor a justificativa e relevância do trabalho de modo que o leitor tenha uma visão geral do tema abordado.5.5. Todo o texto. em forma de texto. 9. O tíutlo MATERIAL E MÉTODOS deve ser grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 30. 9. tabelas e ou ilustrações. Podem ser apresentados conforme itens 9. 9. Todo o texto. O autor deverá escrever ou citar a metodologia utilizada no estudo. o ponto de vista sob o qual o assunto foi abordado.1. Todo o texto.2 Objetivo Neste item são expostos os objetivos do trabalho de forma clara e concisa.4 Curso ou evento ao qual o trabalho será submetido O nome do curso ou evento ao qual o pôster será submetido deverá ser posicionado abaixo dos nomes dos autores grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 42.1. em letras versais e fonte Arial 30.74 9. é necessário definir o tipo de pesquisa e os procedimentos metodológicos (Amostra.5. De modo geral. em letras versais e fonte Arial 30.

O tíutlo RESULTADOS E DISCUSSÃO ou DESENVOLVIMENTO devem ser grafados em letras maiúsculas e fonte Arial 30. Todo o texto. O tíutlo REFERÊNCIAS deve ser grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 26.75 9. As conclusões devem responder às questões da pesquisa. Porém.5. para melhor aproveitamento dos espaços.4 Resultados e discussão ou Desenvolvimento Itens obrigatórios apenas para os trabalhos de Pesquisa.1. em letras versais e fonte Arial 30. 9. Bem como os instrumentos de coleta de dados e classificação dos dados justificando-os a partir do objetivo do trabalho. Deve ser breve podendo apresentar recomendações e sugestões para trabalhos futuros. Nesta parte serão discutidos.1. 2 e 3 deste Manual. em letras versais e fonte Arial 30. No último parágrafo o autor poderá fazer uma auto-crítica em relação ao estudo como um todo. Todo o texto.5. para os trabalhos de pesquisa. 9. correspondentes aos objetivos. Para os trabalhos de revisão os subtítulos deverão seguir a logicidade e desenvolvimento proposto no trabalho realizado e a metodologia utilizada no estudo. a formatação do texto deverá ter espaçamento entre linhas simples e ausência de espaço entre as referências.1. os resultados encontrados e a relevância deles para a construção do conhecimento considerando a teoria pesquisada e os resultados levantados. O tíutlo CONCLUSÃO deve ser grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 30. Citações e Ilustrações devem seguir as recomendações dos capítulos 1. 9.6 Referências Referências. Todo o texto.7 Agradecimentos .1. em letras versais e fonte Arial 26.5 Conclusão Parte final do texto onde se apresentam os resultados ou as considerações finais correspondentes aos objetivos que partem do problema.

9.3.1.90 m.2 Fonte A fonte utilizada para a estruturação do banner também deverá ser visível.2. São agradecimentos a pessoas e ou empresas que contribuiram com a pesquisa. esquerda.3 Margens e espacejamento As Margens superior. Todo o texto.0 cm assim como o espacejamento das seções do pôster. variando o tamanho conforme descrito nas seções 9. devendo ser padronizada como fonte Arial. O tíutlo AGRADECIMENTOS deve ser grafado em letras maiúsculas e fonte Arial 20. em letras versais e fonte Arial 20.1 a 9.2.2.2 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO DO PÔSTER O Pôster deve ser apresentado impresso em lona e deverá seguir as recomendações propostas nos itens 9. fornecendo dados e ou orientações.2.1.2.7. as seguintes dimensões: a) largura: 0.1 a 9. .5.20 m. 9. b) altura: 1.1 Dimensões Para proporcionar a visibilidade do texto a pelo menos 2m de distância. recomendamse para pôster impresso.76 Elemento opcional. inferior e direita devem ser de 2. 9. ou seja. 2 cm separando cada seção do texto que a antecede e sucede. 9.

77 REFERÊNCIAS “Se tiveres uma biblioteca como jardim.apresentação. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 2003. 2011. 61 p. 1993. 2002. São Paulo: Atlas. NBR 6027: informação e documentação – sumário . 7. 3. ______. Rio de Janeiro. São Paulo: Martins Fontes. A. Rio de Janeiro. 2002. 2004. ed.elaboração. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 7p. 2006. NBR 14724: informação e documentação – trabalhos acadêmicos – apresentação. 11 p. 2 p. et al. Normas de apresentação tabular. PROVENZA. Paginação irregular. 11 p. ______. R. 1999. Rio de Janeiro. ed. J. L. V. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 1982. FRANÇA. Projetista de máquinas. 7. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2 p. RUIZ. NBR 6032: abreviação de títulos de periódicos e publicações seriadas. NBR 6028: informação e documentação .citações em documento . ed.apresentação. tens tudo” (Cicero). Belo Horizonte: UFMG. NBR 10719: informação e documentação – Relatório técnico e ou científico Apresentação. Como fazer uma monografia. 24 p. 11 p. 412 p. ______. ______. Rio de Janeiro. 1993. 2011. 3. ______. . [São Paulo]: Escola Pro-tec. ______. NBR 15437: informação e documentação – pôsteres técnicos e científicos – apresentação. 177 p. ed. 2003. ______.resumo . J. SALOMON. 242 p. 1989. FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. NBR 10520: informação e documentação . NBR 6023: informação e documentação – referências . D. Rio de Janeiro.apresentação. Manual para normalização de publicações técnico-científicas.

Suinocultura Industrial Suinocult. desenv. The Journal of Animal Science J. Problemas Brasileiros Probl. Solo Revista Brasileira de Reprodução Animal Rev. Fonte: ABNT. Arroz. econ. Biol. Industr. Corte Pesquisa Agropecuária Brasileira Pesq. agropec. SBCS Boletim de Indústria Animal Bol. Minas Gerais Finanças e Desenvolvimento Fin. Informativo Agropecuário Coopercitrus Inf. Revevista Agropecuária Bovinos Rev. zoot. Genetics and Molecular Biology Genet. zoot. bras. agropec. med. Anim. bras. UFU Revista Ceres R. agríc. Catarinense Arquivos Brasileiros de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFMG Arq. 1989. pol. UFMG ARS Veterinaria de Jaboticabal ARS vet. agríc. armaz. bras. Avicultura Industrial Avic. Bov. sci. Revista dos Criadores Rev. USP Zootecnia da USP Revista do Centro de Ciências Biomédicas da UFU Rer. mol. reprod. Vet. Revista Brasileira de Ciência do Solo Rev. Pecuaria de Corte Pec. anim. Veterinária Noticias Vet. ceres Revista da SBZ R. inf. med. cent. Informações Economicas Inf. Carne Rumos do Desenvolvimento Rum. adm. Boletim Informativo da SBCS Bol. bras. ci. desenv. UFMG Correio Agrícola C. bras. vet. rur. coopercitrus Informe Agropecuário Inf. bioméd. Cadernos de Administração Rural Cad. industr. apic. Extensão em Minas Gerais Exten. industr. nac. not. Informações Agronomicas Inf. Revista Brasileira de Armazenamento Rev.78 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 ANEXOS ANEXO A – ABREVIATURA DE PERIÓDICOS TÍTULO TÍTULO ABREVIADO Agropecuaria Catarinense Agropec. Revista Brasileira de Apicultura Rev. agropec. bras. ci. bras. . agron. Veterinária e Zootecnia Vet. zoot. téc. anim. Lavoura Arrozeira Lav. fac. Revista Nacional da Carne Rev. agropec. Revista da Faculdade de Medicina Veterinária e Rer. SBZ Revista de Política Agrícola Rev. Criad. Cadernos Técnicos da UFMG Cad.

Settembre set. Setembro set. Agosto ago. Agosto ago. March mar. Maio maio Junho jun. Julho jul. Noviembre nov. November nov. Julio jul. Oktober okt. Agosto ago. INGLÊS January jan. Octobre oct. Novembro nov. . Aprile apr. Fevrier fév. Mai Mai Juni Juni Juli Juli August aug. Ottobre ott. ESPANHOL Enero ene. ALEMÃO Januar jan. Dezembro dez. November Nov. Outubro out. Decembre dec. Novembre nov. Marzo mar. February feb. Septiembre set. September sept. October Oct. May May June June July July August Aug. Abril abr. December Dec. Giuglio giugl. Februar feb. Dezember dez. Giugno giug. FRANCÊS Janvier jan. Octubre oct. Marzo mar. Febbraio feb. Mars mars Avril avr. Mayo Mayo Junio jun. Decembre dec. Febrero feb. Fevereiro fev. Diciembre dic. Maggio mag. Marz Marz April apr. Março mar. Fonte: ABNT. Dicembre dic. September Sept. Abril abr. Novembre nov. Mai mai Juin juin Juillet juil Août août Septembre sept. ITALIANO Gennaio gen. April apr. 2002.79 ANEXO B – ABREVIATURA DOS MESES PORTUGUÊS Janeiro jan.

ft. ou p. ft.i. Mile milha terrestre Mile cadeia Chain vara Rod braça Fathom VOLUME Metro cúbico decímetro cúbico milímetro cúbico hectolitro Litro Mililitro acre feet jarda cúbica pé cúbico polegada cúbica galão seco. US galão inglês Buschel pint líquido. yd. in. gal./sq. US galão líquido. cu.) quart (Engl. Water . inglês quarter inglês quart inglês quart líquido. in./sq. US PRESSÃO Torricelli Atmosfera Bar Milibar metro de coluna d’água mm de coluna mercúrio quilograma por cm2 libra por pé quadrado libra por pol.80 ANEXO C – ABREVIATURAS E SÍMBOLOS DE UNIDADES COMPRIMENTO quilômetro Km hectômetro Hm decâmetro Dam Metro M decímetro Dm centímetro Cm milímetro Mm micron µ jarda (yard) yd./sq. polegada (inch) in.) quarter (Engl. (liq. sq. Rod sq.in. gal. oz. US) quart (dry. milha marítima naut.) quart (liq. yd. (imp. oz. Mile Acre sq./sq. oz.ft.) oz. US) 2 m dm3 mm3 hl l ml acre feet cu. inglesa onça fluída. US pint líquido. in. sq. Pé (feet) ft. cu.s.ft. Quadrada onça por pé quadrado onça por pol.in. US ÁREA quilômetro quadrado hectômetro quadrado decâmetro quadrado metro quadrado decímetro quadrado centímetro quadrado milímetro quadrado Hectare Are Centiare milha quadrada Acre vara quadrada jarda quadrada pé quadrado polegada quadrada circular mil barril (barrel) onça fluída. Hg in. (liq. Quadrada polegada de mercúrio polegada de água km hm2 dam2 m2 dm2 cm2 mm2 Há Are Ca sq. US quart seco. US) Torr Atm B Mb m H2 O mm Hg kg/cm2 lb. Mil bbl. (dry) gal.) buschel 3 pint (US) pint (Engl. cir. Engl. lb.

Por pé cúbico libra por pé cúbico libra por pol. (pound) libra troy lb. 3 DENSIDADE grama por cm3 quilograma por dm3 quilograma por m3 tonelada por m3 libra por galão ton./cu. BTU/sec POTÊNCIA cavalo vapor quilocaloria por segundo quilogrâmetro por segundo poncelet megawatt quilowatt watt joule por segundo horse power pferdestarke libra-pé por segundo BTU por segundo TEMPERATURA grau centígrado grau Fahrenheit grau Reaumur grau Kelvin O C O F O R O K . lb./cu. lb.) onça troy oz. Por jarda cúbica ton.ft. (troy) onça avoirdupois oz.cu.) TEMPO hora minuto segundo Sno (year) Mês (month) Dia segundo (second) Dina Sth G N Kg T Poundal FORÇA Dina Esteno grama força Newton quilograma força Tonelada força Poundal g/cm kg/dm3 kg/m3 t/m3 lb/gal ton.lb/sec.) Grão troy grain (troy) dram Dram pennyweight dwt.81 MASSA E PESO tonelada métrica T quilograma Kg decagrama Dag grama G miligrama Mg quilate Quilate tonelada longa ton (long) tonelada curta ton (short) libra avoirdupois lb. cúbica H Min Seg Yr Mo Day Sec VELOCIDADE ANGULAR radiano por segundo rad/seg rotação por minuto Rpm rotação por segundo Fps Hertz Hz CV kcal/seg kgm/seg poncelet Mw kw w j/Seg HP PS ft./cu.in. stone Stone quarter US quarter (US) quarter inglês quarter (Engl.ft. (av. (troy) Grão avoirdupois grain (av.yd ton.

m /h l/h l/min cu. CALOR quilocaloria kcal caloria cal Erg erg Joule j quilogrâmetro kgm quilowatt-hora kwh Watt-hora wh Watt-segundo ws atm-l atmosfera-litro cavalo vapor-hora CVh HP hora HPh pé-libra ft./sec. ft./sec. polegada-libra BTU British Thermal Unit ACELERAÇÃO metro por segundo2 centímetro por segundo2 quilômetro por hora por seg. ft./sec/sec. ft. ./sec.lb. gal.ft. VELOCIDADE Quilômetro por hora metro por segundo Centímetro por segundo metro por minuto Nó milha por hora milha por minuto pé por hora pé por minuto pé por segundo ELETRICIDADE Ampere miliampere ampere-hora Quilovolt Volt Ohm Megaohm Farad Microfarad volt-ampere Quilovolt-ampere Henry VAZÃO metro cúbico por hora litro por hora litro por minuto pé cúbico por segundo galão por segundo ÂNGULO Grado Grau Minuto Segundo Ângulo reto Radiano A mA Ah kV V Ω MΩ F µF VA kVA H TRABALHO.82 km/h m/Seg cm/Seg m/min nó mile/h mile/min ft./h.lb. ENERGIA. in. 3 M K H Da D C M µ N P MÚLTIPLO E SUBMÚLTIPLO mega 106 quilo 103 hecto 102 deca 10 deci 10-1 centi 10-2 mili 10-3 micro 10-6 nano 10-9 pico 10-12 gr (º) (‘) (“) r rad Fonte: PROVENZA. milha por hora por segundo pé por segundo2 m/seg2 cm/seg2 km/h/seg Mile/h/sec. 1982./min.

83

APÊNDICES APÊNDICE A – CAPA DO TCC E MONOGRAFIA

FACULDADES ASSOCIADAS DE UBERABA DANIELA MENEZES FERREIRA

ACEITABILIDADE DE QUEIJO TIPO “PETIT SUISSE” À BASE DE RICOTA E À BASE DE TOFU SABOR MARACUJÁ

UBERABA 2004

84

APÊNDICE B – FOLHA DE ROSTO - TCC

DANIELA MENEZES FERREIRA

ACEITABILIDADE DE QUEIJO TIPO “PETIT SUISSE” À BASE DE RICOTA E À BASE DE TOFU SABOR MARACUJÁ

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado às Faculdades Associadas de Uberaba-FAZU, como requisito parcial para graduação no Curso de Engenharia de Alimentos.

Orientador: Profª Adriana Cristina Mancin Professora: Fernanda B. Borges Jardim

UBERABA 2004

85

APÊNDICE C – FOLHA DE ROSTO - MONOGRAFIA

MARX ALEXANDRE CORRÊA GABRIEL

RECUPERAÇÃO DA PASTAGEM ATRAVÉS DA IMPLANTAÇÃO DE PASTEJO ROTACIONADO E ADUBAÇÃO Monografia apresentada às Faculdades Associadas de UberabaFAZU, como requisito parcial para obtenção do título de especialista em Manejo da Pastagem.

Orientador: M. Sc. Maurício Fonseca Pimentel de Ulhôa

UBERABA 2005

Drª Maria Alice Figueiredo M. 43 f.73 Localização: centrada a 10 cm da margem inferior . 1. 2011. Curso de Agronomia. III. 2.TCC Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Dora Sivieri / Faculdades Associadas de Uberaba R367c Ribeiro. Bicho mineiro. I. II. 4. Café-Cultivo. CDD 633. Controle de pragas. : il. Bonilha. 3. – 2011. Maria Alice Figueiredo M. Bonilha Trabalho de Conclusão de Curso – Faculdades Associadas de Uberaba-FAZU.86 APÊNDICE D – VERSO DA FOLHA DE ROSTO . Faculdades Associadas de Uberaba. Controle biológico. Adriles Ferreira Controle do bicho-mineiro (Leucoptera coffeella) na cultura do café / Adriles Ferreira Ribeiro. Orientadoara: Prof. Título. Uberaba.

Orientador: Prof. Euler. Euler Rabelo Monografia (especialização) – Faculdades Associadas de Uberaba. Título. 2. Leite-Produção. II. 2010. 1.MONOGRAFIA Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Dora Sivieri / Faculdades Associadas de Uberaba F925p Fravet. Ana Maria Morato Fávero de Projeto Fazenda Forquilha / Ana Maria Morato Fávero de Fravet. -.214 Localização: centrada a 10 cm da margem inferior . I.: il. Rabelo. 43 f. Dr. Bovinocultura de leite. 2010. III.Uberaba. Faculdades Associadas de Uberaba.87 APÊNDICE E – VERSO DA FOLHA DE ROSTO . CDD 636. Uberaba.

____ de _______________ de 2004 _____________________________________ Prof. Drª Adriana Cristina Mancin .TCC DANIELA MENEZES FERREIRA Aceitabilidade de queijo tipo “petit suisse” à base de ricota e à base de tofu sabor maracujá Trabalho de Conclusão de Curso apresentado às Faculdades Associadas de Uberaba-FAZU.FAZU Orientador ______________________________________ Profª Fernanda B. Borges Jardim . aprovado pela banca examinadora constituída pelos seguintes membros: Uberaba.88 APÊNDICE F – FOLHA DE APROVAÇÃO . José Mauro Valente Paes .EPAMIG Convidado _____________________________________ Profª.FAZU Professor da Disciplina . Dr. Curso de Engenharia de Alimentos.

MONOGRAFIA MARX ALEXANDRE CORRÊA GABRIEL Recuperação de pastagem através da implantação de pastejo rotacionado e adubação Monografia apresentada às Faculdades Associadas de Uberaba-FAZU. Maurício Fonseca Pimentel de Ulhôa . Leonardo de Oliveira Fernandes – EPAMIG Convidado _____________________________________ Prof. ___ de ________________ de _____ . no Curso de Pósgraduação em Manejo de Pastagem. Dr. Luís César Dias Drumond .FAZU Orientador ______________________________________ Prof. aprovada pela banca examinadora constituída pelos seguintes membros: ___________________________________________ Prof. Dr.FAZU Coordenador do Curso Uberaba.89 APÊNDICE G – FOLHA DE APROVAÇÃO .

. passados.90 APÊNDICE H – DEDICATÓRIA A todos os alunos da FAZU. presentes e futuros.

. em especial Simone Carneiro Souza. direta ou indiretamente. Aos funcionários de campo do Departamento de Zootecnia da FAZU. Arthur Queirós de Souza que me ajudaram durante o experimento. A todos os colegas do curso. colaboraram na realização deste trabalho. A Maria Gonçalves Ribeiro pela oportunidade de realização deste curso e ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) pela bolsa de estudo concedida. pelas sugestões na elaboração do trabalho. Ao pesquisador Alfredo Silva Nunes pelo aceite na orientação.91 APÊNDICE I – AGRADECIMENTOS AGRADECIMENTOS A Deus. em especial José Maria Camargo. pelo apoio e incentivo em todas as etapas do curso. Josué Dias Cardoso pela colaboração na condução do experimento. A todos que.

(Sócrates).92 APÊNDICE J – EPÍGRAFE “Só sei que nada sei”. .

..................... moderado.....7 Figura 2 .... organograma e outros) Figura 1 .........Comparação da resistência do solo à penetração em função das formas de uso no Latossolo Roxo ácrico . fotografias........................15 Gráfico 2 ...35 Gráfico 1 – Situação do município de Ituverava no Estado de São Paulo.....Mapa esquemático de ocorrência de Latossolo Roxo no Brasil ....................... quadros.........22 Gráfico 3 .... argiloso. mapas....................................................Comparação da porosidade total em função das formas de uso no Latossolo Roxo ácrico ....Vegetação primária : mata do tipo cerrado ................................Comparação dos valores de Matéria Orgânica em função das formas de uso no Latossolo Roxo ácrico ........... 44 Gráfico 4 ............................. plano a ondulado ................. cerrado.Comparação da saturação por bases em função das formas de uso no Latossolo Roxo ácrico ..............48 Quadro 1 ..........23 Quadro 2 ...32 Quadro 3 ..........................39 ........17 Figura 3 ............Comparação da densidade do solo em função das formas de uso no Latossolo Roxo ácrico .Comparação da macroporosidade em função das formas de uso no Latossolo Roxo ácrico ..........Perfil do Latossolo Roxo distrófico........................................93 APÊNDICE L – LISTAS LISTA DE ILUSTRAÇÕES (Gráficos..

94 APÊNDICE M – CAPA DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO FACULDADES ASSOCIADAS DE UBERABA CLÁUDIA CRISTINA PEREIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADES ASSOCIADAS DE UBERABA .BIBLIOTECA DORA SIVIERI UBERABA 2004 .

95 APÊNDICE N – FOLHA DE ROSTO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CLÁUDIA CRISTINA PEREIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADES ASSOCIADAS DE UBERABA .BIBLIOTECA DORA SIVIERI Relatório de Estágio Supervisionado apresentado às Faculdades Associadas de Uberaba-FAZU. Profª Andréa Medina Coeli UBERABA 2004 . como requisito parcial para graduação no Curso de Secretariado Executivo Bilíngüe.

O resumo não deverá repetir o título. os método. esquema. fonte Times New Roman tamanho 10. seguida pelo número de ordem em algarismo arábico e é referida no texto como Tab. 2 Graduando em Zootecnia. Deve ser composto por frases claras e sucintas e conter as conclusões mais importantes do trabalho. O artigo deverá ter no mínimo 5 (cinco) e no máximo 15 (quinze) páginas. As legendas recebem inicialmente a . 3 Doutor em Fisiologia Vegetal. OBS: Deverão ser inseridos os nomes dos autores e do orientador. O termo refere-se a qualquer ilustração constituída ou que apresente linhas e pontos: desenho. BELTRANO.br. fotografia. e-mail: abt@hotmail. Serão construídas apenas com linhas horizontais de separação no cabeçalho e ao final da tabela. Faculdades Associadas de Uberaba. os procedimentos de rotina e os instrumentos de coleta de dados. separadas e finalizadas por ponto.3 (um espaço) Mestre em Engenharia de Alimentos. C.EMBRAPA. margens superior e inferior: 2.2. (um espaço) RESUMO: O texto deverá ter no máximo 200 palavras e continuar na mesma linha da palavra RESUMO (a palavra resumo deverá vir em caixa alta e em negrito). espaçamento entre linhas simples. Figura. PEREIRA NETO. Tabela. A partir da introdução o texto deverá vir em duas colunas com 8. TABELAS e EQUAÇÕES). Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária . deverão ser utilizadas no máximo cinco.Recuo – PRIMEIRA LINHA – 1 cm).e-mail: rpda@fazu. Uberaba (MG). devem ser nítidas e de bom contraste.. (um espaço) PALAVRAS CHAVE: (deverão vir imediatamente após o resumo. INTRODUÇÃO (um espaço) Todo o texto do artigo deverá ser digitado em papel A4. mesmo quando se referir a várias tabelas. sua pertinência e relevância social e científica. margens direita e esquerda: 1. devem ser feitos com tinta preta . 1 *Projeto financiado por.com. Os resultados poderão ser descritos como elementos do texto ou como ILUSTRAÇÕES (FIGURAS. (um espaço) MATERIAL E MÉTODOS (um espaço) Devem ser referenciadas as técnicas. Os desenhos. sem saltar espaço. O termo refere-se ao conjunto de dados alfanuméricos ordenados em linhas e colunas. (um espaço) KEY WORDS: idem as palavras-chave em inglês. M.8 cm. TABELAS e EQUAÇÕES). gráficos etc.5 cm. A introdução deverá conter uma breve explanação do problema.96 APÊNDICE O – MODELO DE FORMATO DE ARTIGO TÉCNICO-CIENTÍFICO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FAZU COMO FORMATAR ARTIGO TÉCNICO-CIENTÍFICO PARA O PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO DA FAZU (TÍTULO DO TRABALHO)* (dois espaços) DA SILVA. A legenda recebe inicialmente a palavra Tabela. e-mail: spdc@embrapa.4 cm de largura cada e 0. No último parágrafo deverão ser destacados preferencialmente os objetivos do trabalho. Poderão conter se necessárias ilustrações (FIGURAS.br. As fotografias. etc. a fim de argumentar e sustentar o que foi encontrado. fluxograma. no tamanho de 10 x 15 cm.6 cm de espaçamento entre as colunas. utiliza-se referencial teórico.. F. gráfico. (um espaço) TÍTULO DO TRABALHO EM INGLÊS (um espaço) ABSTRACT: idem ao resumo em inglês. Todo novo parágrafo deverá ter margem – (comando Formatar parágrafo .T 1. Uberaba (MG). Não poderão ser utilizados subtítulos no Material e Métodos. Faculdades Associadas de Uberaba.. (um espaço) (um espaço) RESULTADOS E DISCUSSÃO (um espaço) Neste item deverão ser discutidos e explicados os resultados obtidos com a pesquisa. Uberaba (MG).

S. Utilizar a norma da ABNT (NBR 14724). : il. Florianópolis: SBMV. No último parágrafo o autor. 77. devem ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição. Capítulo de livro (autor do capítulo é o mesmo autor do livro): TRONCO. que está disponível no site www. 1999. seguida do número de ordem em algarismo arábico e é referida no texto como Fig. 1996.. As equações devem ser numeradas cronologicamente.asas. AMAZONAS. A Construção do conhecimento na educação. 146 p. In: ______. p. Universidade Estadual Paulista. L. Aproveitamento do leite e elaboração de seus derivados na propriedade rural. na ordem apresentada a seguir: GLOSSÁRIO: deve ser elaborado em ordem alfabética. 107-126. com os números entre parênteses e colocados rente á margem direita. S. Sci. (Pensamento e ação no magistério). 1999. Trabalhos publicados em congressos e eventos: MORAES. 199 p. P. (um espaço) CONCLUSÃO (um espaço) As conclusões não devem repetir os resultados e sim ressaltar a importância e aplicação dos resultados fundamentados no que foi apresentado anteriormente. A Construção humana através da zona de desenvolvimento potencial: L.fazu. p. T. no menu Biblioteca/Documentos.. (Org). 1999. Equações. v. Jaboticabal. Níveis de cobre e ferro em fígado de bovinos. de et al. Conservação do leite na propriedade rural. Utilizar a norma da ABNT (NBR 14724). Teses e Dissertações: CARVALHO FILHO. FERNANDES. Disponível em: <http://www. A. poderá manifestar seu ponto de vista e apresentar recomendações e sugestões para trabalhos futuros. Porto Alegre: ArtMed. GRADOLÍ. 4. Revista Brasileira de Informática na Educação. Balneário de Camboriú. 1990. p. Guaíba. L. B. Após as REFERÊNCIAS fica a critério do autor inserir componentes (opcionais) chamados pós-textuais. Livros (com mais de três autores): CARVALHO. 33-42. 1998. Orientações de acordo com as normas da ABNT. Exemplo: (um espaço) x2 + y2 =z2 (x2 + y2)/4= n (1) (2) (um espaço) Quando fragmentadas em mais de uma linha. cap. Corresponde aos objetivos propostos. IL. Assim. R. subtração. 2004. Ciências no ensino fundamental: o conhecimento físico. J. V. Porto Alegre. esses elementos também serão reduzidos e podem ficar ilegíveis. 5668. A. et al. n. n. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias. Irrigação na cultura do café. Artigo de revista eletrônica: FREKING. Anais . jul. M. São Paulo: Scipione. R. E ILUSTRAÇÕES devem seguir as recomendações dos capítulos 1. quando pertinente. sept.. 9. mesmo se referir a mais de uma figura. extensão . devem ser enviadas em arquivo separado. A.. 88 f. Além de impressas. identificado. por falta de espaço../dez. Devem ser escritas alinhadas à esquerda com o início do parágrafo.. 34-67.. 1989. (um espaço) REFERÊNCIAS (um espaço) REFERÊNCIAS. números e dimensões totais da figura: caso haja necessidade de redução. 18. A. Acesso em: 3 set. de A. se necessário. • Espaçamento entre linhas: simples. Artigo de revista: CARUSO NETO. P. Livros (com três autores): SANTINATO. R. Anim. • Texto alinhado à esquerda da página.97 palavra Figura.org/jas/abs/1999/sep2336.br. Genotypic effects on meat quality traits. v. A. p. 2. é bom que o tamanho dos desenhos apresentados pelos autores se aproxime do tamanho final impresso. Capítulo de livro (autor do capítulo é diferente do autor do livro) REIG. CITAÇÕES. Levantamento detalhado e alterações de alguns atributos provocados pelo uso e manejo dos solos da Faculdade de Agronomia de Ituverava/SP. As equações devem ser separadas por um espaço do texto anterior e posterior e anterior. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA. In: MINGUET. . 12..S. Evaluation of the ovine Callipyge Locus: III. APÊNDICE: texto ou documento elaborado pelo autor a fim de complementar o texto principal. [1999]. FERNANDES. 1998. NBR 6022/2003. As Redes de acesso e o impacto das mídias digitais em treinamentos via telecomunicação.html >. Chama-se a atenção para as proporções entre letras. 1999. R.bmp. Savoy. 2 e 3 do “Manual técnico para elaboração e normatização de trabalhos acadêmicos da FAZU”. em Corel Draw ou compatível. D. Vigotsky.: Agropecuária. • Ausência de espaço entre as referências. Campinas: Arbore. D. J. A. multiplicação ou divisão. J. M.

Utilizar a norma da ABNT (NBR 14724). que serve de fundamentação.98 AGRADECIMENTOS: A pessoas ou a Instuições que de alguma maneira contribuiram para a realização da pesquisa. comprovação e ilustração. ANEXOS: texto ou documento não elaborado pelo autor. .

99 ANEXO P – MODELO DE PÔSTER TÉCNICO CIENTÍFICO .