You are on page 1of 9

O JOGO NA EDUCAÇÃO: ASPECTOS DIDÁTICO-METODOLÓGICOS DO JOGO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

Profª Drª Regina Célia Grando

As crianças, desde os primeiros anos de vida, gastam grande parte de seu tempo brincando, jogando e desempenhando atividades lúdicas. Os adultos têm dificuldades de entender que o brincar e o jogar, para a criança, representam sua razão de viver, onde elas se esquecem de tudo que as cerca e se entregam ao fascínio da brincadeira. Muitos pais consideram que a brincadeira representa um prêmio e não é compreendida como uma necessidade da criança. A criança pode começar a se desinteressar pelas atividades escolares, pois estas representam um empecilho à brincadeira, uma forma de punição. Ao ser observado o comportamento de uma criança em situações de brincadeira e/ou jogo percebe-se o quanto ela desenvolve sua capacidade de resolver problemas. 2.1- Jogo desenvolvimento A psicologia do desenvolvimento destaca que a brincadeira e o jogo desempenham funções psicossociais, afetivas e intelectuais básicas no processo de desenvolvimento infantil. O jogo se apresenta como uma atividade dinâmica que vem satisfazer uma necessidade da criança. O jogo propicia um ambiente favorável ao interesse da criança pelo desafio das regras impostas por uma situação

O jogo depende da imaginação e é a partir desta situação imaginária que se traça o caminho à abstração. ocorre a representação pela criança. operando com os significados diferentes da simples percepção dos objetos. do objeto ausente. O mais importante é que além da regra. Não se pode apenas observar um fenômeno matemático acontecendo e tentar explicá-lo. o objeto e um elemento imaginado. através de uma representação fictícia. O jogo pode representar uma simulação matemática na medida em que se caracteriza por ser uma situação irreal. Nos jogos simbólicos. É necessário que a escola esteja à importância do processo imaginativo na constituição do pensamento abstrato.imaginária que pode ser considerada como um meio para o desenvolvimento do pensamento abstrato. como acontece com a maioria dos fenômenos físicos ou químicos. A matemática existe no pensamento humano e depende de muita imaginação para definir suas regularidades e conceitos. É a estrutura da atividade de jogo que permite o surgimento de uma situação imaginária. O processo de criação está diretamente relacionado à imaginação. as jogadas dos . É fundamental inserir as crianças em atividades que permitam um caminho que vai da imaginação à abstração de estratégias diversificadas de resolução dos problemas em jogo. desenvolver a sua capacidade de abstração e começar a agir independentemente daquilo que vê. É no jogo e pelo jogo que a criança é capaz de atribuir aos objetos significados diferentes. A regra estabelece o movimento a ser conferido ao jogo. já que se estabelece uma comparação entre um elemento real. criada para significar um conceito matemático a ser compreendido pelo aluno. o que ele corresponde.

resolver conflitos e estabelecer uma ordem. evidencia-se que este representa uma atividade lúdica. É necessário que a atividade de jogo proposta. na busca da vitória. 2. e envolve a competição e o desafio que motivam o jogador a conhecer seus limites e suas possibilidades de superação de tais limites. onde o sujeito necessita coordenar diferentes pontos de vista.adversários também representam um limitador. adquirindo confiança e coragem para se arriscar. motivando-o ainda mais. apresenta-se como uma atividade capaz de gerar situaçõesproblemas provocadoras. . que envolve o desejo e o interesse do jogador pela própria ação do jogo.2 – Jogo no ensino da matemática Ao analisarmos os atributos e/ou características do jogo que pudessem justificar sua inserção em situações de ensino. para o envolvimento com a atividade. estimulando-o à ação. as atividades com jogos de regras representam situações bastante motivadoras e de real desafio. O jogo. O planejamento no jogo de regras é definido pelas várias antecipações e construções de estratégias. apenas com a ação nos jogos. onde a cooperação e interação no grupo social são fontes de aprendizagem. pelo seu caráter propriamente competitivo. Quando são propostas atividades com jogos para alunos. As crianças pequenas aprendem muito. O interesse pelo material do jogo. a reação mais comum é de alegria e prazer pela atividade a ser desenvolvida. represente um verdadeiro desafio ao sujeito despertando-o para a ação. elas regras ou pelo desafio proposto envolvem o aluno. estabelecer várias relações. Para o adolescente. definindo uma interdependência entre as várias jogadas.

testá-las e avaliá-las com autonomia e cooperação. facilitador na aprendizagem de estruturas matemáticas. que esteja fora do objeto. A competição inerente aos jogos garante-lhes o dinamismo. situações que propiciem à criança uma reflexão e análise do seu próprio raciocínio. que represente uma atividade desafiadora ao aluno para o desencadeamento do processo. estabelecer o limite de sua competência enquanto jogador e reavaliar o que precisa ser trabalhado. muitas vezes de difícil assimilação. em seu aspecto pedagógico. levantar hipóteses. desenvolvendo suas potencialidades. propiciando um interesse e envolvimento naturais do aluno e contribuindo para seu desenvolvimento social. consideramos que tenha utilidade em todos os níveis de ensino. analisar. portanto. compreender conceitos matemáticos. o movimento. refletir. a metodologia a ser utilizada seja adequada ao nível que se está trabalhando e. O importante é que os objetivos com o jogo estejam claros. e. pode conhecer-se. nos níveis já representativos. necessitam ser valorizados no processo de ensino-aprendizagem da matemática e o jogo demonstra ser um instrumento importante na dinamização desse processo. se apresenta produtivo ao professor que busca nele um aspecto instrumentador. para evitar uma próxima derrota. principalmente. . e também produtivo ao aluno. Portanto. mesmo que venha a ser derrotado.Quando nos referimos à utilização de jogos nas aulas de matemática como um suporte metodológico. que desenvolveria sua capacidade de pensar. intelectual e afetivo. Considera-se que o jogo. É na ação do jogo que o sujeito.

criado por ele. ele se insere num mundo de fantasia. quando possível. Analisando a relação entre o jogo e a resolução de problemas. onde ele exerce seu poder criador. estas etapas se confundem. através de uma ação comum estabelecida a partir da discussão matemática entre os alunos e entre o professor e os alunos. Não se pode negar a importância dos jogos no desenvolvimento da criatividade. ambos enquanto estratégias de ensino. elaborando estratégias. já que eles representam a própria criação humana. O jogo propicia o desenvolvimento de estratégias de resolução de problemas na medida em que possibilita a investigação. Para efeito de se trabalhar com jogos numa perspectiva de resolução de problemas. regras e cumprindo-as. pelo prazer propiciado pelas atividades lúdicas. irreal. na situação de jogo. que vem satisfazer a necessidade do indivíduo de conhecimento da realidade. só compreende o problema depois que o executa e a avaliação de uma jogada pode vir a acontecer depois de muitas outras jogadas. A inserção de jogos no contexto de ensino-aprendizagem implica em vantagens e desvantagens por inúmeros estudiosos: . o aluno. pois.3 – Cooperação no jogo de regras O desenvolvimento da criatividade é resultante da ação do indivíduo no jogo. muitas vezes. No contexto do jogo. evidenciamse vantagens no processo de criação e construção de conceitos. onde exerce um certo poder e é capaz de criar.2.

. A análise de possibilidades é marcada por tomada de decisões sobre quais estratégias poderiam ser eficazes. na medida em que possibilita o resgate das estratégias de jogo. 2. a partir do programa do aluno. a combinação jogo com a linguagem de programação pode vira facilitar o trabalho do professor-orientador da ação.Para a atividade de jogo em ambiente escolar. quando ele age sobre o jogo e o constante desafio em vencê-lo. novos espaços para a elaboração de estratégias de jogo são abertos.4 – A análise de possibilidades no jogo de regras Diante das situações-problema de jogo que se apresentam ao sujeito.

Os jogos de estratégia favorecem a construção e a verificação de hipóteses. não optando pela melhor. os erros obtidos durante o processo são repensados.5 – O erro na situação de jogo É possível a um jogador errar em uma jogada. 3º) O jogo pelo jogo. 4º) Intervenção pedagógica verbal. dando lugar ao rigor na apresentação. Após a constatação de um fenômeno. . reformulados e abolidos. 2º) Reconhecimento das regras. 2. As possibilidades de jogo são construídas a partir destas hipóteses que vão sendo elaboradas pelos sujeitos. A constatação sobre o conjunto de jogadas mal realizadas. pode levá-lo a refletir sobre ações realizadas e elaborar estratégias a fim de vencer o jogo. e.6 – Momentos de jogo 1º ) Familiarização com o material do jogo. O processo de sistematização dos conceitos e/ou habilidades do pensamento matemático que vão emergindo no decorrer das situações de jogo deve ser desencadeado pelo profissional responsável pela intervenção pedagógica com os jogos. 2. ou mesmo a construção de um sistema. obter a vitória no jogo. A análise do erro do aluno e a construção das estratégias de resolução dos problemas de jogo fornecem ao professor subsídios para a sistematização dos conceitos trabalhados durante a situação de jogo. ao final de um jogo em que o sujeito perde para o adversário. resolver o problema.

como um registro dos cálculos intermediários. a habilidade com o cálculo mental pode fornecer notável contribuição à aprendizagem de conceitos matemáticos e ao desenvolvimento da aritmética. mesmo sendo pouco significativo para o aluno e demonstrando quase nenhum raciocínio empregado. 6º) Intervenção escrita. 7º) Jogar com competência. Além disso. É importante observar que o cálculo mental não exclui a utilização de papel e lápis. estabelecimento de estimativas e para o uso prático nas atividades cotidianas. O registro do cálculo mental possui uma forma específica de ser realizado. resolver um cálculo mental. As estratégias de cálculo mental utilizada pelos sujeitos no seu cotidiano são.5º) Registro do jogo. um método ou uma série de ações a fim de obter um objetivo específico. Para o professor o objetivo da resolução das situaçõesproblema escritas é o registro e análise das formas de . na escola. 2. bem diferentes dos métodos de cálculo aprendidos em aritmética. A matemática escolar valoriza o cálculo do papel e lápis. O cálculo mental está centrado no fato de que um mesmo cálculo pode ser realizado de diferentes formas. na maioria das vezes. As estratégias representam um plano. facilitando a compreensão das regras que determinam os algoritmos do cálculo escrito.7 – Cálculo mental e jogo A importância da habilidade de cálculo mental é apontada por vários autores como sendo necessária para uma significativa compreensão do número e de suas propriedades. O mais importante ao cálculo mental é a reflexão sobre o significado dos cálculos intermediários.

nas PÁGINA PRINCIPAL / VOLTAR .raciocínio que estão sendo situações simuladas de jogo. processadas pelos alunos.