BOLETIM DO

6 de junho de 2013
STU Sintusp Sinteps Sintunesp Adusp - S. Sind. Adunesp - S. Sind. Adunicamp - S. Sind.
DCE da Unicamp e DCE-Livre da USP

Fórum indica às categorias: paralisação e atos em cada reitoria no dia 11/6
Rodada de assembleias até 12/6 para discutir iniciativas de pressão junto ao Cruesp pela reabertura de negociações da Pauta Unificada
eunidas nesta quinta-feira, dia 6/6, as entidades aprovaram algumas iniciativas para pressionar o Cruesp a reabrir as negociações da Pauta Unificada 2013, encerradas unilateralmente pelos reitores após as duas únicas reuniões realizadas. As assembleias de base mostram que há um descontentamento nas categorias com o índice de 5,39% e com a ausência de discussão dos demais itens da Pauta. Na Unesp, há uma forte greve em curso, envolvendo os três segmentos (veja abaixo).

R

Considerando o fato de que algumas das assembleias de base não aprovaram a paralisação e o ato unificado no dia 11/6, o indicativo foi reformulado. A proposta é que as categorias realizem um dia de paralisação em 11/6, terça-feira, com atos em cada reitoria. Além disso, nova rodada de assembleias até o dia 12/6, quarta-feira, para apontar propostas de pressão para que o Cruesp reabra as negociações. O Fórum volta a se reunir no dia 13/6.

Apoio à greve na Unesp
Deflagrada de forma unificada entre os três segmentos, a greve na Unesp ganhou força nesta semana. Entre os servidores, 13 campi estão parados e vários outros fazem paralisações parciais. Entre os estudantes, já são nove campi em greve. Entre os docentes, o movimento é crescente, com adesão à greve em curso nos campi de Marília, Assis e IA/São Paulo; e paralisações aprovadas para 11/6 em São José do Rio Preto e Rio Claro. Nesta sexta-feira, 7/6, acontece uma negociação entre representantes dos três segmentos e a reitoria da Unesp, em torno aos seis pontos centrais que compõem a pauta comum da greve: - Plano de permanência estudantil, com base nas reivindicações constantes na Pauta Unificada 2013. - Reajuste salarial de 11% para servidores técnicoadministrativos e docentes. - Isonomia de pisos e benefícios.

Ato estudantil em frente à reitoria da Unesp, no dia 17/5

- Não ao Pimesp. - Paridade entre os três segmentos nos órgãos colegiados da Universidade. - Não à repressão aos movimentos sociais.

Boletim do F6

6/6/2013

Tratamento isonômico
O Fórum das Seis considera essencial a adoção de tratamento isonômico entre as universidades estaduais paulistas e é a reivindicação central na Pauta Unificada 2013. Como mostram os quadros abaixo, pisos e “benefícios” apresentam uma expressiva diferença:

Obs: Valores sem a aplicação dos 5,39%

“Benefícios” (R$)

Bolsas estudantis também carecem de isonomia
As bolsas concedidas aos estudantes também não têm valor unificado. Na Pauta Unificada 2013, no item Permanência estudantil/gratuidade ativa, as reivindicações relativas às bolsas são: - Concessão de bolsas de permanência estudantil com adoção do critério puramente socioeconômico, adotando-se o valor do salário mínimo vigente no Estado de São Paulo. - Conversão das bolsas trabalho ou similares em bolsas de permanência estudantil. No próximo boletim, o Fórum divulgará um quadro comparativo dos valores.

No dia 12/6, quarta feira, os estudantes da Unesp realizam um dia de atividades, no campus de Araraquara, contra a criminalização dos movimentos sociais. As entidades que compõem o Fórum das Seis foram convidadas a participar.

Ato contra a criminalização dos movimentos sociais em Araraquara

Audiência pública na Alesp dia 12/6

A Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa de São Paulo marcou para 12/6, quartafeira, audiência pública para debater a greve na Unesp. A atividade está prevista para as 9h, no auditório Paulo Kobayashi. A realização da audiência pública foi solicitada pelo deputado estadual e presidente do PT-SP, Edinho Silva. Serão convidados representantes da reitoria da Unesp, do Cruesp e do governo estadual.

A Resistência Urbana – Frente Nacional de Mo vimentos está preparando uma jor nada nacional de luta contra os crimes da Copa. A proposta é den unciar os despejos, gastos públi cos abusivos e as imposições da Lei Geral da Copa, aprovada pelo Congresso brasileiro. Em várias cid ades do país, serão realizados ato s públicos no dia 14/6. Em São Paulo , será no Vão Livre do MASP, às 16h.

Jornada contra os crimes da Copa