XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA XIII ABEQUA Congress - The South American Quaternary: Challenges

and Perspectives

45 mm

COLEÇÃO DE REFERÊNCIA DE FITÓLITOS DA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA (FOM) NO SW DO PARANÁ: PRIMEIRA APROXIMAÇÃO Marcia Regina Calegari1,2; Edenilson Raitz 1,4; Júlio Cesar Paissani1,1,5 marciareg_calegari@hotmail.com 1 - Universidade Estadual do Oeste do Paraná; 2-Laboratório de Extração de Fitólito, 3Laboratório de Microscopia Ótica;4-Programa de Pós-graduação em Geografia – Campus Francisco Beltrão5 Rua Pernambuco, 1777-Centro – Marechal Candido Rondon, CEP 85960-000, Cx Postal 91. Resumo. As plantas podem acumular Si absorvida do solo e depositá-lo dentro e entre diferentes estruturas celulares, resultante de um processo de mineralização, geralmente é irreversível na planta. Essas biomenralizações são chamadas de fitólitos ou silicofitólitos. Podem ser preservados por longos períodos de tempo no solo e podem ser fontes potenciais de informações para estudos de identificação e reconstrução da flora do registro fóssil. Em plantas modernas (atuais) os fitólitos podem ser extraídos para elaboração de coleções de referêencias, para trabalhos de comparação entre diferentes registros, áreas e períodos. Para a vegetação do Brasil são raros os trabalhos desta natureza. Este trabalho tem como questão central conhecer quais as espécies de um fragmento de Floresta Ombrófila Mistas – FOM são produtoras de fitólitos para elaboração de uma coleção de referência. Os resultados preliminares indicam que a distribuição relativa do teor de cinza recuperado nas espécies analisadas no estrato herbáceo (A) apresentou a maior concentração de fitólitos por lâmina, sobretudo nas espécies de Poaceae. O estrato arbustivo (B) apresentou a maior média de produção de cinzas, com ocorrência variando entre média (100 a 300 fitólitos por lâminas) e /abundante (> 300 fitólitos). O estrato C apresentou baixo valor médio de produção de cinzas. As observações e a contagem preliminar indicaram haver, para as espécies representativas deste estrato produção de fitólitos entre pouco (10- 100 fitólitos por lâamina) e média. Assim, constata-se que as plantas amostradas na FOM apresentam contribuições potenciais para o registro fitólitos no solo e os resultados preliminares de ocorrência/produção variam entre as diferentes espécies. Palavras-chave: Fitólitos, Biomineralizações, Coleções de Referências Abstract. The plants can take up silica in the soil, whereupon it is deposited within different intracellular and extracellular structures of the plant resultant of the mineralization process that generally is irreversible in the plant. These biomineralization are called phytoliths or silicophytoliths. They can be preserved by long periods of time in the soil and can be considered a potential source of information to identification and reconstruction studies of the flora of the fossil register. In modern plants (current) the phytoliths can be extracted to elaborate references collections to help in researches of the comparison between different record of areas and times. For the Brazilian vegetation this studies are scares. This research

(iii) classificação e metodologia de tratamento do solo e das espécies atuais para criação de coleções de referêencias (Zurro. presented low average of ashes production. as vezes.nH20) resultante de um processo de mineralização que . A deposição do silício ocorre entre e dentro das células do tecido vegetal (Piperno. Em plantas modernas (atuais) os fitólitos podem ser extraídos mediante uma variedade de técnicas laboratoriais (Thorn.. de espécies (Twiss et al.The South American Quaternary: Challenges and Perspectives 45 mm has as central question to know which the species of a area of Floresta Ombrófila Mista FOM produce phytoliths to elaborate one reference collection. of the trees. e/ou para esclarecer suas funções na planta. sob três perspectivas: (i) atualista. com ou sem significado taxonômico. para fins de comparação entre dados de estudos em diferentes áreas e tempos. Keywords: Phytolith. (ii) histórico. 1. Referene Collection . INTRODUÇÃO As plantas acumulam Si em forma de fitólitos ou silicofitólitos ao longo se deu ciclo vegetativo e estes são corpos de sílica amorfa (SiO 2. Albert. Essas coleções constituem uma maneira de organizar e expor os morfotipos encontrados numa determinada espécie ou em amostras de solos. 2007) para elaboração de coleções de referêencias. The shrub level (B) presented the greater average of ashes production and phytolith occurrence between moderate (the 100 300 phytoliths for slide) and abundant (> 300 fitólitos). Thus. ou de parte dela. 2006). Para a vegetação do Brasil são raros os trabalhos voltados para elaboração de coleções de referência com espécies modernas. quando os fitólitos encontrados no material arqueológico são usados para reconstrução do meio ambiente e. Silva & Labouriau (1970). is possible to observe that the plants showed in the FOM present important informations for the phytolith register in the soil and the preliminary results of occurrencecould varied between the different species. geralmente é irreversível na planta (Epstein 1994). os restos orgânicos são incorporados ao solo e os silicofitóltios passam a fazer parte da fração mineral. exitosamente. . for the representative species of level C a lphytolith production between little (10 . Os exemplos mais completos são os de Sendulsky & Labouriau (1966). Zurro (2006) destaca que a análise fitolítica tem sido aplicada. Biomineralization. The level C. The preliminary observations s and counting had indicated there are. Campos & Labouriau (1969). Podem ser preservados por longos períodos de tempo no solo e podem ser fontes potenciais de informações para estudos de identificação e reconstrução da flora atravéz do registro fóssil.100 phytoliths) and mediun. Söndahl & Labouriau (1970) para a vegetação do Cerrado. Após a morte da planta. 1969. The preliminary results indicate that the relative distribution of the ash recouped for the species analyzed in the grass level (A) presented the biggest phytolith concentration for slides of the Poaceae. 1995). abarcando períodos que podem extrapolar o do Cenozóico até os mais recentes (Piperno. uma vez produzido. com morfologias e dimensões (entre 5 e 200 μm) que variam em função da célula onde foram formados e apresentam grande importância taxonômica. quando se busca identificar as espécies produtoras e as não produtoras. 2006). 2006). haja vista que muitas formas são diagnósticas de determinadas famílias e.XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA XIII ABEQUA Congress .

tem-se empregado. representativo da região Sudoeste do Paraná no município de Francisco Beltrão (26º04’21”S e 53º11’28”W) a aproximadamente 660 m a. 2. (iv) 2ª. (iii) tratamento com ácido com HCl (5%) a 70º C e lavagem com H2O água destilada para eliminação dos carbonatos e. Localização da área e sistema de amostragem. Para a obtenção da frequência relativa.XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA XIII ABEQUA Congress . foram coletadas no fragmento de FOM. divididas em 38 gêneros e 41 espécies que foram identificadas de acordo com o Sistema de Classificação Botânica. 3. do Museu Botânico em Curitiba. devido a ausência ou escassez de algumas dessas Proxy. foi determinada uma unidade amostral mínima. 2. de recorrência por m2 e por estrato da floresta. inserida em uma unidade de relevo local conhecida como patamar intermediário (Paisani et al. a priori. Partes das amostras foram enviadas ao especialista Osmar dos Santos Ribas. em cada lâmina.n. Este trabalho foi desenvolvido em um fragmento de Floresta Ombrólia Mi sta (FOM). 28 famílias. Foram estimados e fotografados os fitólitos encontrados em cada amostra. No total.3 Identificação e contagem A exploração das morfologias foi realizada em microscópio óptico petrográfico Leica © com magnificação de 40X e 63X. Extração de Fitólitos de Plantas Modernas A extração dos fitólitos das plantas foi realizada no Laboratório de Formações Superficial da UNIOESTE – FB e seguiu as etapas preconizadas por Campos & Labouriau. quando possível.The South American Quaternary: Challenges and Perspectives 45 mm Neste trabalho. (1969) e modificados por Piperno (2006): (i) limpeza e secagem do material (ii) 1ª.. Desta forma foram amostradas folhas de espécies arbóreas.400º C por 4 horas. Campus Francisco Beltrão e Marechal Cândido Rondon. calcinação a 500º. 2. MATERIAL E MÉTODO 2. que nesse caso foi de pelo menos 300 fitólitos. para identificação. análises isotópicas e palinológicas. Para a elaboração da coleção de referência de foram selecionadas as espécies modernas mais representativas em termos taxonômicos. agora. com auxílio da literatura botânica específica disponível. RESULTADOS . cujo objetivo é saber quais espécies de um fragmento de Floresta Ombrófila Mistas – FOM são produtoras de fitólitos (resultados preliminares de extrações de fitólitos de plantas modernas) o enfoque utilizado é o de classificação e metodologia de tratamento das espécies atuais para elaboração de uma coleção de referêencia da Floresta Ombrólifa Mista para subsidiar. os estudos de reconstrução (paleo) ambiental desenvolvidos pelos membros do Grupo de Ppesquisa Gênese e Evolução de Superfícies Geomórficas e Formações Superficiais da Unioeste. 2008). visando saber quais plantas são produtoras de fitóltos. calcinação 500º600ºC por 2 horas. Estes estudos. tradicionalmente se baseiam em microfósseis. arbustivas e gramíneas.m e pertence a uma pequena reserva particular que apresenta área de 86.3. a análise fitolítica (Calegari. com êxito. 2008). datação C-14.1.350 m2 de mata.

100 fitólitos por lâamina) e média (100 -300 fitólitos por lâaminas).0 (MADELLA et al. O estrato C. angustifolia.XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA XIII ABEQUA Congress . neste estudo. As observações e a contagem preliminar indicaram haver. Este resultado. A forma crater shaped. (resultado a obter). A confirmação desta tendencia será constada a partir da contagem do número de fitóolitos por grama de massa seca (TSARTSIDOU et al.2%).The South American Quaternary: Challenges and Perspectives 45 mm Constata-se que a distribuição relativa (%) do teor de cinza (material final) nas espécies analisadas. Nesta análise as estruturas tratadas para a extração dos fiólitos . Não foram observados fitólitos no material obtido das folhas de Araucaria angustifoólia Bertol. subdivididas em estratos (A. et al.9%) Paspalum dilatum (6. foi o que apresentou menor valor médio produção em cinzas (3.9% do material iníicial) e o mais alto teor de biomineralizações nas folhas foi registrado para as amostrada da Setaria poiretiana (6. apresentou <10 fitólitios por lâmina. isto é. As espécies que se destacaram quanto a produção de cinzas foram a Achyrocline satureioides (12. e a Piper guaudichandianum Kunth (7. pode-se concluir que tal morfotipo pode ser produzido em outra estrutura vegetativa e não nas folhas da A. apresenta no estrato herbáceo (A) maior concentração de fitóltios por lâamina. Embora a Achyrocline satureioides tenha produzido muita cinza seu índice de silicificação foi muito baixo. é encontrada nos gêneros Araucaria e Wollemia da família Araucariaceae (Parr e Watson. Kuntz. C.6%) aquelas que apresentaram os maiores valores percentuais de cinza em relação a massa seca neste estrato. mesmo quando em ambiente de floresta. 2007) e da classificação taxonôomica dos morfotipos conforme ICPN 1.2%). sobretudo nas espécies de Poaceae. CONSIDERAÇÕES FINAIS De modo geral observa-se que as plantas amostradas na FOM apresentam contribuições potenciais para o registro fitolíticoólitos e os resultados preliminares desta produção/ocorreência/produção variam entre as diferentes espécies.9 gramas (3. O estrato arbustivo (B) foi o que apresentou maior média de produção de cinzas (4. B. sendo as espécies a Luehea divaricata (5. Sabe-se que esta família é produtora de morfotipos típicos nominados como crater shaped. 1995). respectivamente. 2007). 1969. Assim será possível conhecer e comparar a produção de fitólito por e entre espécies. Já para as espécies arbóoreas (estrato C) a produção de cinzas foi mais baixa foi decom 1.7%) .1%) que após uma primeira observação e estimativa visual a cerca da ocorrencia/ausêencia e abundância de fitólitos nas lâminas constatou-se que esta família apresenta alta taxa de silicificação. D e epífitas) de acordo com seu hábito ambiental.com produção variando entre média (100 a 300 fitólitos por lâminas) e muitos/abundante (> 300 fitólitos). Albert. à exceção do estrato D e epífitas. Syagrus romanzoffiana (6..1%) Cupanea vernalis (5. 2005). ainda que qualitativo vêem ao encontro da literatura corrente para zonas tropicais e subtropicais que definem a família Poaceae como grande produtora (Twiss.3%) das famílias Asteraceae e Piperaceae. para as espécies representativas deste estrato produção de fitólitos entre pouco (10. foram encontrados mais de 300 fitólitos por lâmina. enquanto que a Piper guaudichandianum mostrou-se como uma espécie muito produtora. Morfologia crater shaped foi encontrada em estudo de reconstrução a partir dos fitólitos encontrados em solos e interpretados como presença de árvores do gênero Araucaria por Calegari (2008) nas regiões Sul e Sudeste do Brasil..0%)..

J.XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA XIII ABEQUA Congress .183-207. E. C. v. 272p. Parr. Albert. Soil Science Society of America Proceedings. Andres. Corpos silicosos de gramíneas dos cerrados IV. 2006). San Diego. A. G.. v. limitando assim. L. Agropec. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Nuevo sistema de análisis descriptivo para fitólitos de sílice. V.1973 . 5. J. 1971). Journal of Archaeological Science 34:1262–1275. 1995. v.recent studies in phytoliths analysis.. Smith. S. Tese de Doutorado.. :35-54. J.. Sendulsky & Labouriau. R. Ocorrência e Significado Paleoambiental do Horizonte A Húmico em Latossolos. Madison. M. nº 26. Paisani.61. et al. p.. p.Corpos silicosos de gramíneas dos cerrados III.. 63 (2). People and Places. AGRADECIMENTOS . p. v 5.167-182.19-38.. Twiss. a exitêencia de multiplicidade e redundâancia (ROVNER. 2008. R.33. A organização natural das paisagens inter e subtropicais brasileiras. & ZURRO. Quaternary Research. Australia. n.. Suess. Altamira Press. D. 2006. 27 p. & Laboriau. M. 256 p. New York. Pyrenae. 2007. Anais da Academia Brasileira de Ciências. 143-151. 1995. Superfícies aplainadas em zona morfoclimática subtropical úmida no Planalto Basáltico da Bacia do Paraná (SW Paraná/ NW Santa Catarina): primeira aproximação. p. Thorn. L. Corpos silicosos de gramíneas do Cerrado – I. M. 1969. Plants. E.Corpos silicosos de gramíneas do Cerrado – II...27. Pesq. as demais estruturas nao foram analizadas. Campos. 5. 2007. São Paulo: Instituto de Geografia da Universidade de São Paulo.Morphological classification of grass phytoliths.G. REFERÊNCIAS Ab’Saber. Pontelli. Geociências. p. Zurro. In: MADELLA. Phytoliths: A Comprehensive Guide for Archaeologists and ___Paleoecologists. Pesquisa agropecuária brasileira.541-553. R. Anais da Academia Brasileira de Ciências. northeast Queensland. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”ESALQ/USP. Calegari.R. p.The South American Quaternary: Challenges and Perspectives 45 mm restringiu-se apenas as folhas. 1969. G. A. R. D. 2006. verificar as variações na produção de fitólitos dentro das plantas análisadas e entre familias. Trabajos de Prehistoria.2008. v. El análisis de fitolitos y su papel en el estudio del consumo de recursos vegetales en la prehistoria: Bases para una propuesta metodológica materialista. Labouriau. N. v. p. 2004. M.109–115. 1970. G. isto é . haja visto que a produção dos fitolitos é mais acentuada nas extruturas foliares (PIPERNO. L. Tsartsidou. D. Söndahl.168–180. I. C. The phytolith archaeological record: strengths and weaknesses evaluated based on a quantitative modern reference collection from Greece. 2008 Piperno. 2006. 1970. (1966. Instituto de Botânica.T.5. M. Rio de Janeiro. Watson. v. Silva.4. C. Morphological characteristics observed in the leaf phytoliths of selected Gymnosperms of eastern Australia. Laboriau. Oxbow Books. M. São Paulo – SP. L.C. Phytolith evidence for C4-dominated grassland since the early Holocene at Long Pocket.

.XIII Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário ABEQUA XIII ABEQUA Congress .The South American Quaternary: Challenges and Perspectives 45 mm A programa de pós graduação em Geografia UNIOESTE– Campus Francisco Beltrão e a Fundação Araucária (Convenio 407/2009) pelo apoio financeiro.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful