A história do Funcionalismo A psicologia funcionalista surge nos Estados Unidos em oposição à psicologia titcheneriana.

É representada por autores como J. Dewey, (1859), J. Angel (1869-1949) e H. A. Carr (1873-1954). O funcionalismo é considerado como a primeira sistematização americana de conhecimentos em Psicologia. Para a escola funcionalista de William James, importa responder “O que fazem os homens?”, e “Porque o fazem?”, ao contrário de que “O que é?”. E para isso, James elege uma consciência como o centro de suas preocupações e busca a compreensão de seu funcionamento, na medida em que o homem a usa para adaptar-se ao meio. Os pesquisadores associados à fundação do Funcionalismo não tinham a ambição de criar uma nova escola de Psicologia. Eles protestavam contra as limitações da Psicologia de Wundt e do Estruturalismo de Titchener , mas não desejavam substituí-los. Complexamente, foi o próprio Titchener que pode ter "fundado" a Psicologia Funcionalista ao adotar a palavra Estrutural em oposição a Funcional , assinalando as diferenças entre ambas. Ao estabelecer o Funcionalismo como oponente, Titchener acabou por torná-lo visível, dando nome ao novo movimento, contribuindo para a sua divulgação.  O termo funcionalismo foi usado primeiramente por Titchener, em 1898 (6 anos depois de chegar nos EUA e 8 depois da publicação de “Princípios ...” de James) , para diferenciar do estruturalismo.  O Funcionalismo consistiu: 1) interesse pelas funções da consciência 2) aplicação da psicologia à adaptação do homem ao ambiente.  Funcionalismo na Escola de Chicago: Dewey, Angell e Carr Funcionalismo na Universidade de Columbia: Thorndike e Woodworth Objetivo e as características do Funcionalismo A Psicologia Funcional, como o próprio nome indica, interessa-se pelo funcionamento da mente. Os psicólogos funcionalistas estudavam a mente. Eles não se interassavam pela composição - uma estrutura de elementos mentais – da mente. O interesse desses psicólogos era estudar o modo como um aglomerado de funções ou processos, levam a consequências práticas no mundo real. De fato, os funcionalistas adotaram muitas das descobertas feitas nos laboratórios dos estruturalistas. Não faziam objeções à introspecção nem se opunham ao estudo experimental da consciência. A sua oposição voltavase para as definições anteriores de Psicologia que eram desprovidas das considerações acerca das funções utilitárias e práticas da mente. A atual

pois não se restringia ao objeto de estudo e à metodologia do estruturalismo. Abordagem funcionalista Os psicólogos funcionalistas definem a psicologia como uma ciência biológica interessada em estudar os processos. relacionava-se com a definição de Psicologia. como a pesquisa fisiológica . por vezes. não se refere apenas a um meio físico. sejam elas quais forem. e passa a significar uma “melhor vivência neste”. Essa melhor vivência. . operações e atos psíquicos (mentais) como formas de interação adaptativa. A Psicologia Funcionalista incorpora também estudos de bebes. esse equilíbrio. O Funcionalismo permitiu que os psicólogos combinassem o método da introspecção com outras técnicas de obtenção de dados. O principal interesse dos psicólogos funcionalistas era a utilidade dos processos mentais para o organismo nas suas permanentes tentativas de se adaptar ao meio ambiente. Outros críticos censuram o interesse dos psicólogos funcionais por atividades de natureza prática ou aplicada.Psicologia americana é Funcionalista tanto em termos de orientação como de atitude. mas antes de tudo. Estar adaptado é antes de tudo estar ajustado às demandas do meio social. Os estruturalistas afirmavam que o funcionalismo nada tinha de Psicologia. segundo o qual os seres vivos sobrevivem se têm as características orgânicas e comportamentais adequadas a sua adaptação ao ambiente. usarem o termo função para descrever uma atividade e outras vezes para se referirem à utilidade. Ela já deixou a sua marca na Psicologia americana contemporânea. Evidencia-se a ênfase nos testes . Esses processos mentais eram considerados atividades que levavam a consequências práticas. De acordo com Titchener. testes mentais . Uma das críticas foi ao próprio termo que não estava claramente definido. crianças e indivíduos com atrasos mentais. questionários e descrições objetivas do comportamento. apresentada especialmente por Titchener. especialmente coma a ênfase na aplicação dos métodos e das descobertas da Psicologia a problemas do mundo real Críticas ao Funcionalismo Os ataques ao movimento funcionalista vieram dos estruturalistas. não era Psicologia. na percepção e em outros processos funcionais que ajudam a nossa adaptação e nos ajustam ao ambiente. Devido ao seus sucesso. Voltam-se os psicólogos para os problemas do mundo real. Os estruturalistas não viam com bons olhos a Psicologia aplicada. um conceito qualitativo. tornan do-se. na aprendizagem . O conceito de adaptação deixa de expressar uma relação de sobrevivência em um meio. No entanto. Partem do pressuposto da biologia evolutiva. a um meio social. Na abordagem funcionalista a adaptação está ligada à adaptação individual. qualquer abordagem que não fosse a análise introspectiva da mente em seus elementos. pois. Os funcionalistas foram acusados de. Uma outra crítica. já não há necessidade de se manter como uma escola. o Funcionalismo já não existe hoje como escola distinta de pensamento. no entanto era exatamente esta a definição de Psicologia que os funcionalistas questionavam e se empenhavam em substituir.

Formulou duas leis da aprendizagem  Lei do efeito: Associação entre respostas que produziam satisfação e a situação em que a resposta produzia satisfação. atraída pelo fogo. percepção. sentimento. e não um defeito. O objeto de estudo da psicologia de Dewey é o organismo inteiro e seu funcionamento no ambiente. julgamento e vontade) como objeto de estudo da psicologia.  Projetou uma caixa-problema para gatos (eles tinham que abrir uma porta puxando uma alavanca ou uma corrente. primeiramente. não se deve estudar o arco reflexo por meio apenas de seus elementos sensórios/motores: Estímulo e resposta. Ambos (estímulo e resposta) devem ser vistos como uma unidade. Ficavam.  Utilizou-se de vários métodos para estudar a consciência e o comportamento: experimental. mudando assim sua percepção do objeto). análise das criações culturais (arte. Escola de Chicago . retenção. um círculo (a mesma criança que é. a Psicologia aplicada está muito disseminada e isto pode ser considerado uma contribuição do funcionalismo. que permite o organismo sobreviver. . e entre o organismo e seu ambiente.Atualmente. para alcançar a comida) e mostrou que os animais faziam movimentos de tentativa e erro. literatura). o repele quando se queima. pois não apenas o funcional precede e produz o estrutural.Dewey  Escreveu em 1896 um artigo (o conceito de arco reflexo na psicologia) que foi o ponto de partida da psicologia funcional. A consciência gera o comportamento adequado.  2) Afirmou que a função da atividade mental é a aquisição. no entanto.  Lei do exercício (uso e desuso): quanto mais o comportamento é realizado mais forte se torna a associação entre comportamento e situação.  Angel – Descreveu os principais temas do funcionalismo:  1) modus operante do processo mental. como também ambos representam duas faces de um mesmo fato. introspectivo. gravados os movimentos que produziam satisfação.  2) utilidades da consciência (e de outras funções como o julgamento e a vontade).  3) relações entre a mente e o corpo. organização e avaliação das experiências e a sua utilização para determinar a ação (ie. Car  1) Definiu a atividade mental (memória. o comportamento de adaptação). Consciência e comportamento trabalham para o organismo. Para Angell a psicologia se torna mais funcional do que a biologia.  Para ele. imaginação. fixação. pesquisa com animais.

de psicologia e filosofia. mas apresentou de forma clara e eficaz as suas idéias dentro da atmosfera funcionalista impregnada na psicologia americana. mas principalmente as motivações Quem foi William James? William James William James nasceu em Nova York.  Influenciou muito o Behaviorismo. Para ele. tornando-se professor de fisiologia e anatomia a partir de 1873. e depois. influenciando o movimento funcionalista e inspirando as gerações posteriores de psicólogos. respiração ofegante e etc.determinam crenças e influenciam a razão e os conceitos.  Enfatizou que o físico afeta o intelecto (por isso devia ser estudada a ação do cérebro sobre a consciência).  Afirmou que as emoções são o mesmo que as reações físicas (e portanto não as antecedem) o medo é o batimento cardíaco. a consciência é um fluxo constante e contínuo.  Foi pragmático. de que o significado das idéias está em suas conseqüências práticas). . como queriam fazer parecer associando sua forma de psicologia à forma da psicologia experimental. combina. e que os aspectos não racionais as emoções.  Afirmou que os hábitos facilitam a execução das repetições e assim exigem menor atenção da consciência. Depois seguiu para a Alemanha e estudou filosofia na Universidade de Berlim.  A psicologia dinâmica deve estudar as relações de causa e efeito.  Método. Woodwhorf  Os psicólogos devem estudar os estímulos/respostas (a parte mais objetiva do estudo) mas também o organismo vivo que de acordo com níveis de energia e experiência passadas e presentes. separa. espiritismo e comunicação com os mortos. seleciona experiências relevantes e rejeita as irrelevantes. o estudo da adaptação dos seres humanos ao seu meio ambiente. Sua importância perdia um pouco de brilho. conseguiu a graduação em medicina em Harvard. as necessidades e os desejos . clarividência. Aceitava e adotava vários métodos: introspectivo. Criticou Wundt afirmando que a sensação simples não existia na experiência da consciência (era artificial). comparativo. na mesma universidade. experimental. Thorndike no seu experimento registrava medidas quantitativas: número de movimentos errados e tempo de aprendizagem. A mente também é contínua e é seletiva: ela filtra. Escrevia com uma clareza rara na ciência. como Peirce (defendeu a idéia de que verdadeiro é o que funciona. sua atitude de pesquisador não tinha nada de experimentalista. Tinha verdadeira aversão pelo método de experimentação em psicologia e pouco trabalho realizou nessa área. James não fundou nenhuma corrente de pensamento ou escola de psicologia nova. atua junto com o estímulo para determinar a resposta (E-O-R). devido ao seu interesse por assuntos místicos como telepatia. Ele não fundou a psicologia funcional.

A consciência é vital para as necessidades dos seres complexos em um ambiente complexo. intelectual ou moralmente. não haveria emoção. de todo o seu organismo físico. que os fatores emocionais determinavam as crenças e que as necessidades e os desejos humanos influenciavam a formação da razão e dos conceitos. Exemplo: se vemos um urso assustamo-nos e fugimos. Supunha-se que a experiência subjetiva de um estado emocional precede a expressão ou a ação corporal física. James não considerava as pessoas seres totalmente racionais. seja física. Elas usam uma parcela ínfima da sua consciência possível…mais ou menos como o homem que adquire o hábito de usar e de mover. assim como de pensamento e razão. uma das consequências deste aspecto foi a pesquisa sobre o comportamento animal. Para validar a sua teoria. que não fazia parte da abordagem estruturalista e que veio a ser um elemento fundamental da Psicologia. de outra forma. num círculo deveras restrito do seu ser potencial. As pessoas eram criaturas dotadas de emoção e paixão. mas sim o estudo sobre a adaptação dos seres humanos ao seu meio ambiente. James recorreu à observação introspectiva de que: se as mudanças corporais como o aumento dos batimentos cardíacos. Assim. apenas o dedo mínimo…Todos nós temos reservatórios de vida a serem aproveitados.A visão que se tornou o ponto central do funcionalismo americano foi a teoria de que a psicologia não tem como meta a descoberta dos elementos da experiência. com que sequer sonhamos”. Mesmo quando discutia os processos puramente intelectuais. Uma das maiores contribuições de James foi a sua Teoria da Emoções . Ele também enfatizava os aspectos não racionais da natureza humana. a evolução humana não ocorreria. Também foi importante a transferência da ênfase da estrutura para a função. a aceleração da respiração e a tensão muscular não ocorressem. – William James . Alegava que a condição física afetava o intelecto. A função da nossa consciência é guiar-nos aos fins necessários para a sobrevivência. logo o medo surge antes da reação corporal de fuga. James destacava o não-racional. “Não tenho nenhuma dúvida de que a maioria das pessoas vivem.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful