ACADEMICOS: Lília Goldschimidt, Nélio Torchelsen e Tatiane Brum.

O QUE É WEB 2.0?
Web 2.0 é um termo popularizado por Tim O’Reilly para uma série de conferências sobre desenvolvimento Web que começou em Outubro de 2004. O termo designa o que alguns chamam de “nova fase do desenvolvimento de aplicações para a Web”. Esses sites normalmente possuem as seguintes características: => Envolvimento do usuário A experiência em qualquer aplicação Web deve ser focada no usuário. A interação é parte essencial, por exemplo, em blogs e wikis, onde o conteúdo é feito pelo usuário.

=>O conteúdo é que importa Ninguém acessa um site pra ver este dançar na tela a cada clique dado. O conteúdo que deve ir atrás do usuário seja no próprio site (melhor arquitetura da informação) ou através de feeds. E tudo no site deve ter relação com o conteúdo, ou seja, nada de anúncios de tratores numa página sobre música.

=> Melhor organização do conteúdo A Web 2.0 também é uma significativa mudança na arquitetura da informação. Já que o conteúdo é feito pelo usuário e deve ser de fácil acesso, por que não deixar o próprio usuário fazer a AI. Daí surge a folksonomia (substituindo a Taxonomia), onde, ao invés de grandes categorias e subcategorias, a organização é feita por palavras não só podendo por uma página dentro de uma categoria, porém dentro de várias tags.

=>Acessibilidade

Web 2.0 é a Web como plataforma. Você pode acessar as aplicações independente de Sistema Operacional, navegador ou hardware e de qualquer lugar que esteja.

A profusão de sites assentes nas ferramentas sociais que compõem essa "nova" paisagem virtual tem crescido exponencialmente. Possibilitam níveis e padrões de interação, partilha e troca de opinião até recentemente apenas possíveis offline. A imaginação é quase sempre o limite e muitos têm sido os sites que casam o canal "Internet" com as ferramentas sociais para oferecer funcionalidades nunca antes possíveis.

Alguns desses sites: del.icio.us – local para arquivo e partilha de sites favoritos. Digg – site composto por notícias encontradas pelos utilizadores e por eles sugeridas como de interesse / qualidade (site do mesmo gênero no Brasil: rec6). Flickr – site para partilha e pesquisa de fotografias tiradas pelos próprios utilizadores. My Space-comunidade que permite encontrar pessoas com interesses semelhantes e partilhar idéias, fotos e vídeos. Netvibes – crie a sua própria página com o conteúdo de que gosta. Technorati – pesquisa de blog posts e tagged social media. Twitter – site usado por pessoas em todo o mundo para informarem outras, amigas ou não, sobre o que estão a fazer em cada momento. Wikipedia - uma enciclopédia escrita em colaboração pelos seus leitores. You Tube – site que permite aos utilizadores ver e partilhar vídeos.

EMPRESA 2.0
O conceito de “Empresa 2.0” sugere coloca-la lado a lado a implementação da Web 2.0, comunicações unificadas e aplicações de negócios existentes podem permitir a existência de novas formas de trabalho. Uma empresa 2.0 é aquela que faz uso da web 2.0 buscando usufruir com sabedoria as inovações e tecnologias e aplicando-as a rotina da empresa na busca de vantagem competitiva com informação farta e acessível, procurando sempre a busca pelo bom relacionamento com o cliente.

GERAÇÃO C

Os indivíduos que nasceram depois da Internet, numa era em que a conexão à grande rede, os celulares e o download de músicas já eram comuns, têm sido chamados de Geração C. “C” de conteúdo, de conectada, de colaboração e de “cash”: O "C" vêm de Conteúdo (Content em Inglês), ou seja, Geração Conteúdo, mas pode ser encarado também como Geração Conectada ou da Conectividade. Todo esse Buzz existe porque eles possuem a capacidade de produzir e veicular seu próprio conteúdo. Sua interferência na mídia e na sociedade em geral tem gerado e alimentado fenômenos como o YouTube, os Blogs, a Wikipedia e o Orkut. Em virtude de ter crescido sob a presença da Internet, a Geração "C" tem um DNA diferente, uma atitude não-linear, viral, horizontal, esculpida e lapidada pela sua própria atuação na rede.

A Geração C tem o cérebro desenhado como nenhuma outra, com sua revolucionária capacidade de editar e produzir informação.

SABEDORIA DAS MULTIDÕES

A Sabedoria das Multidões (The Wisdom of Crowds), primeiramente publicado em 2004, é um livro escrito por James Surowecki sobre a agregação de informação em grupos, resultando em decisões que, como ele argumenta, são quase sempre melhores do que as que poderiam ser feitas por qualquer membro do grupo. O livro apresenta numerosos casos e anedotas para ilustrar seus argumentos, recorrendo a diversas áreas do conhecimento, principalmente economia e psicologia.

A Sabedoria das Multidões é relativo ao conjunto e agregação de informações entre um grupo de indivíduos que resulta em um conhecimento maior ou decisões consideradas melhores que qualquer membro do grupo seria capaz de expressar individualmente.