Qualificação de procedimento de soldagem de aços especificação API 5L X65 e X70, com e sem tratamento térmico pós-soldagem, utilizando

o processo SMAW
Oscar Rosa Mattos, Kioshy Santos de Assis, Leandro Silva Mazzei, Gustavo Balderramas Hulpan Pereira Laboratório de Ensaios Não destrutivos, Corrosão e Soldagem, PEMM/COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil Resumo Aços classificados segundo a norma API 5L apresentam ótimas propriedades mecânicas como: resistência mecânica, resistência à corrosão, soldabilidade, entre outras. Essas propriedades os tornam potenciais candidatos para a confecção de tubos para transporte de petróleo e gás. O presente trabalho tem por finalidade qualificar o procedimento de soldagem para dois tipos de aços, X65 e X70, com e sem tratamento térmico, segundo a norma API 1104 e NACE MR0175. Para isso foram realizados ensaios mecânicos como: Nick Break, tração, dobramento transversal, dureza, Charpy V, caracterização microestrutural e ensaio de corrosão sob tensão. Palavras-chave: microestrutura; soldabilidade; tratamento térmico. Introdução Na indústria do petróleo os tubos são geralmente classificados segundo a norma API em função de sua aplicação e resistência mecânica. No caso de tubulação a especificação é a API 5L. Para os tubos estudados neste trabalho, devido à elevada pressão de projeto, será necessário o emprego de tubos com espessura acima daquelas tradicionalmente empregadas em projetos de dutos terrestres. Além disso, devido à presença de H2S, será necessário utilizar tubos e procedimentos de soldagem adequados para sour service (serviço com H2S). Por este motivo a necessidade de realização de testes prévios de soldagem que servirão como base em um futuro emprego desses materiais. A solda circunferencial será testada com os requisitos de sour service prevendo sua necessidade em campo Materiais e métodos Cada tubo avaliado apresenta dimensões distintas, estas características podem ser observadas na tabela 1. O processo usado para a realização da soldagem circunferencial foi SMAW (Shield Metal Arc Weld), com eletrodos celulósicos para os passes de raiz, enchimento e acabamento e foi realizada com os mesmos procedimentos normalmente empregados na soldagem de campo, a fim de simular as condições reais de fabricação. Dois corpos de prova foram soldados para retirada das amostras (como soldado) e outros dois serão soldados e tratados termicamente antes de seguir para os testes.
Tabela 1: Características dos tubos. Diâmetro Espessura Processo 18” 1,25” SMAW 20” 1” SMAW

Material X65 X70

Os testes realizados foram: ensaio de tração de junta soldada; ensaio de tração de corpo de tubo; ensaio de dobramento; ensaio nick-break; ensaio de Charpy da solda circunferencial; ensaio de Charpy do corpo do tubo; ensaio de dureza; metalografia e SSC(NACE TM 0177). Foram realizados tratamentos térmicos póssoldagem em uma das juntas de aço API 5L X65 e em outra junta de aço API 5L X70. Após os tratamentos térmicos, foram realizadas novas caracterizações microestruturais e novos ensaios mecânicos para avaliar a eficiência do tratamento térmico do ponto de vista metalúrgico e do ponto de vista mecânico. Resultados e discussão As juntas de aço API X65 s/TT( sem tratamento térmico) , X65 c/TT (com tratamento térmico) e X70 s/TT( sem tratamento térmico) foram consideradas

Painel PEMM 2012 - 24, 25 e 26 de outubro de 2012 – PEMM/COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

vol. (2010). Foi possível identificar que esta região.ed.. Spatter injuries and their treatments. Brasil . Rio de Janeiro.aprovadas nos testes mecânicos e de corrosão. – após ataque com nital 3% Conclusões Conforme os resultados apresentados e os requisitos impostos pode se concluir que os parâmetros de soldagem utilizados para confecção das juntas testes qualificaram o procedimento de soldagem.O. LI. A junta de aço API X70 c/TT (com tratamento térmico) foi considerada reprovada no ensaio de tração transversal. apresentou características metalúrgicas semelhantes àquelas encontradas para a amostra sem tratamento térmico (figura 2). 2. pp.. D-B. 25 e 26 de outubro de 2012 – PEMM/COPPE/UFRJ. LIU.. RJ. Journal of Iron and Steel Research. J. 143. tendo em vista o aquecimento na faixa de temperaturas especificadas para o tratamento térmico póssoldagem e o intervalo de tempo considerado de patamar ser suficiente para promover o crescimento dos grãos desta fase no contorno de grão da ferrita pró-eutetóide. Figura 2 – Passe do Enchimento – X70 s/TT – M. Esta ferrita de contorno de grão pode ter sido a responsável pela redução do limite de resistência da amostra retirada para o teste de tração transversal. et al. Isto porque. Thewlis. Materials Science and Technology 2004.H.. SUN. 53-59 Figura 1 – Passe do Enchimento – X70 c/TT – M. [2] YANG. 20. conforme especificações de procedimentos de soldagem preliminares. Para o melhor entendimento da reprovação da junta foi feita uma caracterização microestrutural do cordão de solda.24. – após ataque com nital 3% [3] ANSADO. pois apresentou limite de resistência inferior aquele especificado pela norma API 1104 – 2005. 17. ed. Referências [1] G. na amostra após tratamento térmico (figura 1). Q-Y. 6. que foi reprovada nos testes de tração transversal. Durante a caracterização microestrutural foi possível comparar as micrografias obtidas para a amostra X70 s/TT figura 2. 1986. Vol.O. com as micrografias obtidas para a amostra X70 c/TT figura 1. X-Y. exceto pelas indicações de ferrita de contorno de grão. exceto para a junta de aço API 5L X70 submetida ao tratamento térmico pós-soldagem. J-H. London: S. Paul. Painel PEMM 2012 . Agradecimentos A Tenaris Confab. International.