You are on page 1of 2

Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas Depto.de Comunicação Social Oficina de Diagramação – Prof.

Bruno Martins Aluna: Gabriela Cristina de Souza Silva Fichamento II Robert Bringhurst – Elementos do Estilo Tipográfico, Capitulo 1: Projeto Maior Timothy Samara – Grid, Construção e Desconstrução, Fundamentos do Grid – um workshop de design estrutural.

Projeto Maior
Pergunta:

Robert Bringhurst apresenta no primeiro capítulo do livro Elementos do Estilo Tipográfico, uma visão geral de projeto gráfico editorial. Em tópicos, ele destrincha os pontos básicos a ser pensados para se construir uma relação coerente entre página, conteúdo, elementos gráficos, formato. Tomando como ponto de partida a tipografia, ele coloca o potencial que esta possui de clarificar, honrar, compartilhar ou disfarçar o conteúdo a ser reproduzido. Esse potencial se manifesta de maneira antagônica, uma vez que a tipografia deve chamar a atenção antes do conteúdo e, ao mesmo tempo abdicar dessa atenção em prol do que escreve. Segundo Bringhurst, o que promove a durabilidade das tipografias são alguns princípios, como o da legibilidade, e sua capacidade de dar energia vital às palavras do autor. A tipografia tem potencial de manifestação de estilo, ou seja, está para a literatura assim como a performance musical para a composição. Para que esse potencial inerente à tipografia seja devidamente explorado, o autor apresenta uma metodologia de trabalho para se compor o projeto visual através do que ele denomina de “táticas”. A primeira delas é a leitura do texto antes da elaboração do projeto visual, afim de que o designer possa de fato ser capaz de interpretar e comunicar o texto. Tendo lido e entendido, é necessário fazer uma analise e um mapeamento daquele conteúdo, a fim de que a “lógica externa da tipografia” surja da “lógica interna do texto”. Por último, é importante que se “dê forma à página e emoldure o bloco de texto de modo a revelar e honrar cada elemento, cada relação entre os elementos e cada nuança lógica do texto”. Sendo importante que essas relações fluam de modo natural, sejam dadas pelos próprios elementos.

Fundamentos do Grid – um workshop de design estrutural
Pergunta:

Esse capítulo trata da relação que possui o design com a solução de problemas em níveis visuais e organizativos. O grid, ou grade, trata-se justamente de uma ferramenta para organizar elementos gráficos (texto, figuras, títulos, gráficos, legendas). Ele surgiu da

posteriormente transmitida para livros. a clareza da forma e é formado por colunas com guias horizontais que criam módulos. entre-letras. apesar da sugestão do nome de prisão. Segundo ele o alinhamento entre as massas e os vazios estabelecem ligações ou separações visuais entre os elementos e permitem que se configurem quebras no espaço utilizado. garante maior liberdade co projeto dentro dos limites conceituais que ele abarca. é utlizado quando as informações contidas são descontínuas. que objetivavam a ordem. Samara coloca a importância do vazio como um elemento da composição. economia e identidade nos projetos gráficos. presente no grid de acordo com a forma estruturada.reflexão do designer sobre seu próprio trabalho e que passou a ver nessa ferramenta vantagens como clareza. ou não. entrelinhas. .ou nome dos capítulos. Grid de colunas – compostos por colunas. A largura ideal de coluna é encontrada testando o tipo e seu tamanho. paginação. O grid é composto por algumas partes básicas. São eles: Grid retangular – originado da configuração dos manuscritos. marcadores. A forma como se dispõem esses elementos permite-nos classifica-los em alguns tipos de grid. como é o caso da Bauhaus e do estilo Internacional Suiço. guias horizontais. É bem útli para informações tabulares. zonas espaciais.é utilizada em textos corridos e longos. colunas e módulos. Possui uma estrutura primária retangular em que se localizam o bloco de texto e as margens e uma estrutura secundária que define outras áreas relevantes. esse grid se adapta à exigência da informação. Grid modular – estáassociafo a uma ordem política e social ideal. são elas:margens. Através da associação desses módulos obtém-se zonas espaciais. eficiência. Grid hierárquico – partindo de estudos da interação ótica para se definir uma estrutura de organização. portanto para construí-lo é necessário destrinchar o conteúdo em termos de qualidade visual e semântica do espaço tipográfico. como cabeçalho. O grid pode ser definido como uma malha invisível que.de forma a estimular o observador. Dentro dessa lógica visual. Cada uma delas estará. Nesse tipo de grid as proporções podem ser definidas pelos tipos de elementos ou pela ênfase que se deseja dar.