Universidade Federal do Ceará Campus de Sobral Curso de Engenharia Elétrica Tendências do Mercado de Fontes Alternativas de Energia

Professor: Nelber X. Melo

Conceitos Importantes
Fontes Primárias de Energia
• São as fontes naturais de energia, isto é, a forma como a energia é encontrada na natureza, natureza, antes de qualquer conversão eletromecânica

Fontes Convencionais de Energia Elétrica
• Aquelas que dominam a matriz energética (hidrelétrica, termelétricas a combustíveis fósseis e nuclear)

Conceitos Importantes
Fontes Alternativas de Energia
• Aquelas emergentes, que surgem como alternativa à complementação ou substituição das convencionais

Fontes Renováveis de Energia
• Aquelas cuja fonte primária se reconstitui em velocidade muito mais rápida que a de sua exploração (eólica, solar, biomassa)

O que você acha?
As hidrelétricas podem ser consideradas renováveis?
Sim. . A construção de barragens e • Sim alteração do curso dos rios possui impactos ambientais, entretanto não diminui o volume de água no planeta. planeta.

A energia nuclear pode ser considerada renovável?
• Não Não. . A formação dos elementos radiotavos, radiotavos , usados nas usinas nucleares pode levar milhares ou milhões de anos. anos.

Conceitos Importantes
Energia Limpa
• Aquelas cuja exploração não provoca a produção de gases danosos à natureza ou cujo ciclo de carbono seja nulo

Energia Sustentável
• Modo de exploração que atende às não necessidades atuais e que compromete as necessidades das gerações posteriores

Matriz Energética
• Composição exploradas das formas de energia

O que você acha?
As hidrelétricas podem ser consideradas energia limpa?
Sim. . Durante o processo de produção • Sim de energia nas hidrelétricas não há a liberação de gases do efeito estufa estufa. .

A energia nuclear pode ser considerada limpa?
• Sim Sim. . Embora haja um produto ecologicamente incorreto (o resíduo nuclear), não há a liberação de gases do efeito estufa durante o processo produtivo. produtivo .

Panorama Mundial das Fontes de Energia Alternativa
Século XVII
• 1698 – Máquina a vapor (usando carvão) carvão )

Século XVIII
• Revolução Industrial • 1800 – Pilha de Volta

Panorama Mundial das Fontes de Energia Alternativa
Século XIX
• 1885 – Exploração comercial do petróleo • 1885 – Motor a explosão (diesel (diesel) ) • 1886 – Gerador elétrico

Panorama Mundial das Fontes de Energia Alternativa
Século XX
• Fim da segunda guerra mundial– mundial–Criação da OPEP • Oferta farta de energia a partir de combustíveis fósseis • Questões ambientais • Protocolo de Quioto (1992) • Matriz Energética: 65% térmicas a carvão

Panorama Mundial das Fontes de Energia Alternativa
Século XXI
• Necessidade de um desenvolvimento sustentável • Novo crescimento da economia e aumento da demanda de energia

Matriz Energética Mundial 2006 (%)
11.741 10tep
OUTRAS RENOVÁVEIS 0,6% PETRÓLEO 34,4%
6

HIDRÁULICA 2,2%

BIOMASSA 10,1%

NUCLEAR 6,2%

CARVÃO MINERAL 26,0% GÁS 20,5%

Oferta Interna de Energia (106 Tep Tep) )
250
Crise Elétrica 2001

200

Plano Real 1994 Plano Collor 1990

150

Plano Cruzado 1986 Barril petróleo 12 para 40 U$(79)

100

Barril petróleo 3 para 12 U$(73) crise crescimento

50

1995

2001

1941

1947

1953

1959

1965

1971

1977

1983

1989

2007

0

Oferta Interna de Energia (%)
OUTRAS

100%
PRODUTOS DA CANA

80%

LENHA & C.VEGETAL URÂNIO

60%

HIDRÁULICA

40%
CARVÃO MINERAL

GÁS NATURAL

20%

PETRÓLEO E DERIVADOS

1995

2001

1941

1947

1953

1959

1965

1971

1977

1983

1989

2007

0%

Oferta Interna de Energia (%)
100% BIOMASSA 31,5 80% 44,8 HIDRÁULICA E ELETRICIDADE 13,9 0,0 40% 6,1 3,1 0,4 10,2 1,5 5,7 CARVÃO MINERAL GÁS NATURAL 20% 45,6 37,3 PETRÓLEO e DERIVADOS 0% 1973 milhões tep 82,1 2008 251,5 URÂNIO

60%

Dependência Externa de Energia (Milhões Tep) Tep)
250
OFERTA INTERNA DE ENERGIA

200

150
DEPENDÊNCIA EXTERNA

100
PRODUÇÃO PRIMÁRIA

50

2001

2004

1971

1974

1977

1980

1983

1986

1989

1992

1995

1998

2007

0

Dependência Externa de Energia (%)
90 80 70 60 50 40 30 20
ELETRICIDADE DEPENDÊNCIA TOTAL PETRÓLEO CARVÃO MINERAL

10 2001 2004 1971 1974 1977 1980 1983 1986 1989 1992 1995 1998 2007 0 -10

Consumo Final de Energia por Setor (%)
100%
RESIDENCIAL COMERCIAL+PÚBLICO

80%
TRANSPORTES

60%
AGROPECUÁRIO USOS NÃO-ENERGÉTICOS

40%

20%

INDÚSTRIAL+ENERGÉTICO

2001

2004

1971

1974

1977

1980

1983

1986

1989

1992

1995

1998

2007

0%

Consumo Industrial de Energia por Fonte (%)
100%
ELETRICIDADE CARVÃO & DERIVADOS GÁS NATURAL

80%

60%

OUTROS DER. PETRÓLEO OLÉO COMBUSTÍVEL

40%

OUTRAS BAGAÇO

20%

CARVÃO VEGETAL LENHA

1971

1974

1977

1980

1983

1986

1989

1992

1995

1998

2001

2004

2007

0%

Matriz Elétrica 2008 (%)
IMPORTAÇÃO 8,4% GÁS INDUSTRIAL 0,9%
TOTAL HIDRO GÁS NATURAL DER. PETRÓLEO NUCLEAR CARVÃO BIOMASSA GÁS INDUST. IMPORTAÇÃO TWh 498,8 365,1 29,6 15,6 14,0 8,2 20,0 4,4 42,1

BIOMASSA 4,8% DERIVADOS DE PETRÓLEO 3,1% CARVÃO MINERAL 1,6% GÁS NATURAL 5,9% NUCLEAR 2,8% HIDRO 73,2%

RENOVÁVEIS: Brasil: 86% OECD: 16% Mundo: 18%

Nota: inclui Autoprodutores (50,1 TWh)

Matriz Energética Brasileira
BEN 2010

Matriz Energética Brasileira
BEN 2010

Matriz Energética Brasileira
BEN 2010

Matriz Energética Brasileira
PDE 2019

Matriz Energética Brasileira
PDE 2019

Matriz Energética Brasileira
PDE 2019

Aumento das Eólicas

Aumento das Eólicas
Leilão de dez/2009

Aumento das Eólicas

Aumento das Eólicas

Aumento das Fotovoltaicas

Custo das Tecnologias

Maturidade das Tecnologias

Fonte: CAESB

OBRIGADO! PERGUNTAS?

nelber@dee.ufc.br

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful