ANDRÉ AUGUSTO PIMENTEL DE SOUZA

PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL MINERAÇÃO DE ARGILA

MEIO AMBIENTE NA MINERAÇÃO TURMA 3725

orientado pelo Professor José Cleuton Batista.Palmas – TO 2012 ANDRÉ AUGUSTO PIMENTEL DE SOUZA PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL MINERAÇÃO DE ARGILA Trabalho apresentado como requisito parcial da disciplina Meio Ambiente na Mineração do curso de Engenharia de Minas. Palmas – TO 2 .

2012 3 .

TO 2012 4 .Plano De Controle Ambiental .PCA ARGILA TOCANTINS Extração de Argila Fazenda Boa Fé Município de Lagoa da Confusão Estado do Tocantins Responsável Técnico André Augusto Pimentel de Souza Palmas.

..................................................................................6 INTRODUÇÃO.......................7 Proposição De Medidas De Controle E Mitigação Dos Impactos Ambientais...............................................................................10 Controle de Ruídos e Vibrações.........................................................9 Medidas de Controle de Erosão / Resíduos Sólidos...........................16 5 .................................Sumário Sumário............................................14 Conclusões E Recomendações.........................................8 Medidas de Controle da poluição das águas...........................................................................................................................11 Medidas de Controle da Saúde Humana................5 APRESENTAÇÃO.........10 Proteção a Fauna e Flora........................................................................................10 Medidas de controle da Poluição Atmosférica.....................................................................................................................12 Cronograma De Execução ...........................................................................................................................................................................................................................................................................11 Plano De Acompanhamento E Monitoramento .........................

zona rural do município Lagoa da Confusão . considerada área de influência direta.TO. bem como a área de influência indireta que envolve o município atingido. devido não haver necessidade de beneficiamento dos bens minerais explorados e foi elaborado para uma área de 48.6 hectares.DNPM através do Processo DNPM n° 864.APRESENTAÇÃO A empresa Argila Tocantins foi criada para atuar na extração e comercialização de argila. A mesma possui junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral .PCA se aterá apenas à parte de lavra e transporte da argila. localizada na. na região Central do Tocantins. .599/2009 de Requerimento de Registro de Licença Mineral uma área de 48.localizada na Fazenda Boa Fé. com lavra no município de Lagoa da Confusão.09 hectares para pesquisa e extração de Argila. . 6 . O Plano de Controle Ambiental .

definidos conforme o Decreto Lei N° 222/67 e posteriormente a apresentação do Plano de Controle Ambiental . as condições visual/paisagísticas e sanitárias do meio ambiente. para emissão da Licença de Instalação . contida na Resolução 001/86 do CONAMA.INTRODUÇÃO O estudo ambiental vem atender as Resoluções 009/90 e 010/90 do CONAMA. que estabelecem a necessidade da apresentação de um Relatório de Controle Ambiental . químicas e biológicas do meio ambiente. especificadamente para minerais da "antiga Classe II". com descrição dos impactos ambientais inerentes aos empreendimentos. 7 .PCA. que prevê no seu artigo 1°.LP para atividades de extração mineral. seguindo a definição de impacto ambiental. e principalmente a segurança.LI. é definida como impacto ambiental. as atividades sócio-econômicas. à Lei 261/91 e ao Decreto Lei 10459/94 do NATURATINS. saúde e bem estar da comunidade instalada na proximidade do empreendimento. proporcionado por atividades quaisquer que direta ou indiretamente afete: as qualidades dos recursos naturais.RCA. e proposição de medidas mitigadoras e/ou de proteção e recuperação para os sítios estudados. e deve ser apresentado um estudo ambiental da área. que qualquer alteração das condições físicas. para emissão da Licença Prévia .

Estudos e levantamento de dados técnicos e bibliográficos sobre a região e em relação a obra específica. Para que possa ser feita de maneira correta e eficiente deve ser realizado um Estudo de Impacto Ambiental. As medidas que devem ser tomadas servirão para deixar a área com paisagem semelhante à do início da extração. 3. 2. para que assim possam ser tomadas medidas necessárias para prevenção. portanto o objetivo é a redução e compensação dos impactos causados.Proposição De Medidas De Controle E Mitigação Dos Impactos Ambientais A elaboração do estudo ambiental. seguiu-se a metodologia clássica para elaboração de estudos ambientais.Plano de Controle Ambiental. forma de monitoramento e cronograma de execução destas medidas. bem como sobre cada assunto a ser abordado. 5. antes do desenvolvimento da ação impactante e geração do impacto ambiental. Os impactos ambientais promovidos pelo empreendimento devem ser analisados e avaliados na fase de planejamento do empreendimento. mitigação e compensação de impactos.Relatório de Controle Ambiental e do PCA . onde é evidenciado claramente todos os problemas encontrados. para confecção do RCA . Nova etapa de campo para avaliação se o Diagnóstico Ambiental e a caracterização dos impactos ambientais estão de conformidade com o que está previsto e descrito no RCA . e das alterações ambientais passíveis de ocorrerem pela implantação das atividades do empreendimento. Tratamento de dados levantados e confecção de minuta do Plano de Controle Ambiental. Medidas Necessárias Para Prevenir. Confecção do relatório final. Nesse caso o empreendimento já está em funcionamento. individualizada nas seguintes etapas: 1. 4.Relatório de Controle Ambiental. levantamento dos dados de campo e avaliação do ecossistema local. Desta forma as medidas de controle e mitigação serão medidas simplificadas e de fácil aplicação e deverão ter primordialmente um caráter preventivo. para posterior avaliação do mesmo no campo e. As medidas tomadas para a melhoria tanto ambiental como social do empreendimento foram tomadas. com descrição das medidas de controle e recuperação. Compensar E Minimizar Os Impactos Negativos. Visitas técnicas a área. considerando os meios físico e antrópico. para isso 8 .

O monitoramento das medidas mitigatórias dar-se-á por meio das ações descritas no Quadro 1. A manutenção da mata ciliar dos mananciais e das faixas de preservação permanente dos mesmos. Medidas de Controle da poluição das águas Os recursos hídricos. gerado a partir da avaliação dos impactos ambientais analisados. 9 . com plantio de gramíneas nas áreas desnudas. como também a diminuição do impacto visual. instalação de cobertura no depósito de combustível para evitar a ação dos raios solares e chuva. Para a retirada da cobertura vegetal. Para mitigar a remoção da camada fértil do solo será necessário a inserção de um solo fertil horizonte A e bem como a plantação de gramíneas e espécies frutíferas. Esta mitigação poderá atingir não apenas o impacto da emissão de poeira. a utilização de caixa separadora de água e óleo. principalmente nos taludes das barragens de contenção dos pátios de estocagem. para que possa ser evitada a erosão. no entanto medidas de controles deverão ser implementadas. tanto os superficiais. como os subterrâneos serão pouco afetados pelas atividades do empreendimento. Já os impactos gerados nos recursos hídricos próximos ao local de extração requerem uma melhoria do sistema de condução das águas superficiais e de lavagem dos equipamentos.serão utilizadas técnicas de reflorestamento na área impactada. para contenção dos processos erosivos. Nesse caso o empreendimento já possui esta área. Para mitigar a emissão de poeira será necessária a implantação de asfalto e aspersores na área do empreendimento bem como cortinamento vegetal. Também tem que haver uma manutenção da cobertura arbórea. A fauna silvestre necessitaria da utilização de um viveiro para as espécies encontradas para que os mesmos fiquem protegidos. a medida compensatória será a aquisição de novas áreas para a prática de reflorestamento que servirá para compensar a extração da argila. ruídos e vibrações causadas pela extração na área. numa faixa marginal mínima de 50 metros.

Colocação das fossas sépticas longe do dos poços (mínimo 30 m) de captação de água. de preferência em altos topográficos. Medidas de controle da Poluição Atmosférica Mesmo a área tendo baixa densidade demográfica. A coleta e armazenagem do lixo doméstico tem que haver um controle e destino adequado. Controle de Ruídos e Vibrações As atividades do empreendimento são geradoras de ruídos e vibrações. não acarretará serio danos. que permitem uma rápida dissipação das emanações atmosféricas. principalmente CO e CO2. Deve-se também acompanhar e regularizar problemas de vazamentos dos equipamentos e máquinas utilizados na área trabalhada. principalmente no período de verão. realizando longe dos recursos hídricos. na área de manutenção do empreendimento (base de apoio) ou em postos de combustíveis da região. através de carro-pipa.Os pátios de estocagem devem ser desenvolvidos. Se houver uma manutenção periódica das vias de acesso e do pátio de estocagem. ocasionados 10 . evitando a contaminação do solo e/ou da água por resíduos graxos. Como acondicionamento em sacos plásticos e encaminhamento para o aterro sanitário da cidade mais próxima – Lagoa da Confusão. É necessária também a manutenção constante dos equipamentos e maquinário utilizados nos trabalhos de lavra e transporte. serão necessárias medidas de controle da emissão de gases poluentes e de poeiras fugitivas. evita assim a contaminação do solo. Utilização de água. longe dos recursos hídricos superficiais. com as atividades acontecendo ao ar livre. ou seja. apenas resumindo a compactação destes nas vias de acesso e pátio de estocagem. Realização da manutenção dos maquinários. quando possível. onde haja movimentação de veículos. diminuindo desta forma a emissão de gases poluentes. Realização da manutenção dos equipamentos em postos de combustíveis ou empresas qualificadas e o controle periódico de vazamentos dos mesmos. para manutenção da qualidade do ar dentro das áreas estudadas. como troca de óleo lubrificante e reabastecimento com óleo combustível. evitando a emissão de poeiras fugitivas. Medidas de Controle de Erosão / Resíduos Sólidos Os trabalhos da mineradora não acarretarão danos significativos aos solos. se possível fora da área trabalhada. nas vias de acesso e pátios de estocagem. fora das áreas de preservação permanentes. bem como longe dos mananciais. Controle dos efluentes sanitários e domésticos através da utilização de fossas sépticas e sumidouros.

luvas e botas.00 h. nos locais onde os ruídos e as vibrações são mais intensos. pois quase não haverá necessidade de retirada da vegetação nativa e/ou antrópica para desenvolvimento da lavra. Medidas de Controle da Saúde Humana As atividades das empresas potencializarão principalmente aspectos positivos ao meio socioeconômico. mas nada de alta intensidade e frequência que não possam ser sanadas por medidas de controle simplificadas. Controle dos resíduos graxos. Fiscalização por parte do empreendedor. Os estudos realizados no sítio trabalhado evidenciaram que as atividades da empresa empreendedora não acarretarão alterações à flora local. mas medidas de controle são necessárias para atender os impactos previstos.pelo funcionamento e movimentação de equipamentos. • Restringir o máximo possível a circulação e tráfego de maquinários dentro do sítio minerado e evitar o funcionamento dos mesmos antes da 8:00 h e após a 18. da caça e pesca predatória. potencializam os danos à saúde individual dos trabalhadores e saúde pública regional. • Manutenção dos maquinários. As condições locais onde se desenvolverão as atividades de extração. Mesmo assim deve-se evitar o emprego de queimadas e desmatamentos desnecessários na área do empreendimento. prevenindo a ocorrência de acidentes com os animais nativos. domésticos e sanitários para que não haja contaminação dos solos e dos recursos hídricos e consequentemente alterando a capacidade reprodutiva e desenvolvimento das espécies faunísticas. Proteção a Fauna e Flora Medidas se fazem necessárias para proteção das espécies faunística. se não forem implementadas as 11 . com regulagem dos motores. visando diminuir a emissão de ruídos. visando à manutenção e desenvolvimento das espécies animais dentro do sítio. Evitar o emprego de queimadas na área do projeto. destacando a utilização e capacitação da mão-de-obra local. Manutenção das Áreas De Preservação Permanente – APP. lubrificação de engrenagem e colocação de canos de abafamentos (canos de escape). As medidas serão a que descreveremos abaixo. • Utilização pelos trabalhadores envolvidos dos EPIs (equipamentos de proteção individual) tipo protetores auriculares. Evitar o uso de cercas na área do projeto. o recolhimento de impostos e o fornecimento de produtos de qualidade. com exposição dos trabalhadores a um ambiente insalubre. tanto no aspecto quantitativo como qualitativo dos números de indivíduos e espécies.

em locais que haja exposição ao material particulado em suspensão. As medidas de proteção e de segurança do trabalho. 2. principalmente contra a dengue e febre amarela. tipo máscaras de pó.IBAMA e o Instituto 12 . 3. Exames médicos periódicos. com encaminhamento para tratamento e comunicação às autoridades de saúde pública. especialmente na área de lavra e transporte para evitar o desenvolvimento de doenças do aparelho respiratório. Acompanhamento de qualquer doença que apareça na área da mineradora. evitando desta forma a proliferação de agentes patogênicos. pela exposição à agentes físicos. em veículos e instalações físicas da empresa. devido as atividades da mesma serem causadoras de danos a integridade física dos operários. Há outras medidas de suma importância: • • Instalação de extintores de incêndio. transmissores de doenças endêmicas. biológicos e mecânicos. Controle e preservação da fauna. Controle da retirada da vegetação nativa.seguintes medidas de controle: 1. nos casos mosquitos. conforme determina normas da ABNT. serão necessárias para controle do aparecimento de riscos à saúde dos trabalhadores na área da mineradora. uma vez ao ano. Colocação pelo empreendedor de placa indicativas da necessidade de utilização dos equipamentos de segurança e exigir a sua utilização pelos operários envolvidos Plano De Acompanhamento E Monitoramento Os trabalhos de implantação dos empreendimentos deverão ser acompanhados e monitorados pela empresa mineradora e pelos órgãos fiscalizadores da política ambiental no Estado do Tocantins. baratas e moscas. com vacinações preventivas dos trabalhadores e de animais domésticos. nos casos ratos. para acompanhamento e controle de doenças relacionadas as atividades da empresa. pois os animais silvestres são predadores naturais de lavras e mosquitos transmissores de doenças patogênicas. o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente . e 5. Controle e armazenamento adequado do lixo industrial e doméstico evitando a proliferação de animais e insetos patogênicos. para o não aparecimento de doenças patogênicas. para manutenção do equilíbrio ecológico natural. 4. químicos. A empresa disponibilizará equipamentos de proteção coletivos e/ou individuais. Programa de vacinação preventiva para todo o pessoal envolvido nos trabalhos da empresas.

Oxigênio Dissolvido. compactação e lixiviação dos solos. no que se refere à qualidade das águas. controle de lançamento de resíduos graxos. sanitários e domésticos e principalmente o controle do escoamento das águas pluviais. contaminação por efluentes líquidos e sólidos. Qualquer alteração observada. destacando dentre elas o controle da retirada da vegetação. controle das águas superficiais. exalação de odores. No caso das águas subterrâneas. Sólidos em suspensão. analisando os parâmetros físicos. destacando-se a retirada da vegetação nativa. em especial as medidas de controle do solo e dos processos erosivos. O acompanhamento das medidas de proteção dos recursos hídricos será através do monitoramento de ações impactantes que poderão levar ao comprometimento dos mananciais.NATURATINS.°C Turbidez. mudança do regime hídrico e da vazão pelo assoreamento e perda de capacidade de desenvolvimento da fauna pela diminuição do nível de oxigênio. contaminação. 13 . tanto nas águas superficiais. O monitoramento dos recursos hídricos será bastante simplificado. Coliformes fecais. Esta ação visa acompanhar se as medidas de proteção aos recursos hídricos estão sendo satisfatórias. desde a sua implantação até a solidificação dos efeitos propostos e comprovação de sua eficácia na mitigação do dano ambiental. pois atividades do empreendimento interferem muito pouco neste recurso natural. Sólidos totais. Estreptococos fecais. Ph. alteração dos taludes naturais. deverá então realizar a coleta de uma amostra de água para análise. O monitoramento dos processos erosivos e de proteção dos solos será desenvolvido pelo acompanhamento visual de focos erosivos e de qualquer ação impactante que poderá desencadear processos de desagregação. perda da capacidade autodepurativa pelo aumento da turbidez. sabor. como mudança de cor. como nas águas subterrâneas. volume e vazão dos mesmos. deve-se acompanhar se a recarga do lençol freático não será comprometida pela impermeabilização dos solos nas áreas de circulação de veículos e se não haverá contaminação deste por efluentes graxos e sanitários. químicos e biológicos descritos abaixo: • • • • • • • • • Temperatura . Presença de óleo e graxas.Natureza do Tocantins . lixiviação dos solos.

biológicos e mecânicos. aragem e calagem. contaminação da água utilizada pelos trabalhadores e jornada de trabalho excessiva. a partir de outubro de 2013. de 2 em 2 meses. O monitoramento dos fatores físicos. será realizado periodicamente. controle. pelos trabalhadores da empresa.controle de resíduos graxos. cintas. controle de esgotos domésticos e controle da flora. Cronograma De Execução As medidas de controle ambiental e outras após o término dos trabalhos da mineradora em cada frente de lavra e desativação dos pátios de estocagem e vias de acesso. a partir da aprovação do Plano de Controle Ambiental e da emissão da Licença de Instalação pelo NATURATINS. Contagem. conforme descrição abaixo: • Os empreendedores deverão fornecer e fiscalizar a utilização do EPIs. com processo de descompactação. • • • Monitoramento contínuo de todas as etapas. na forma descrita abaixo. será através do acompanhamento das ações potencialmente geradoras de danos a pessoa humana e saúde pública como um todo. novembro de 2012. potencialmente geradores de risco a saúde humana e de acidentes de trabalho. ou seja. • Rodízio de funcionários nas áreas mais nocivas. como luvas. • Cobertura das vias de acesso e pátio de estocagem. 14 . • Controle de áreas potenciadoras de danos à saúde pública. (Equipamento de Proteção Individual). Controle periódico da qualidade da água. com afastamento do operário envolvido do local de trabalho. logo após o fim da lavra. as medidas de recuperação serão implementadas. a partir de novembro de 2012.. nos locais potencialmente agressores a saúde humana. como áreas com águas empoçadas. e em ordem cronológica. com colocação em locais estratégicos de placas indicativas de medidas de segurança e obrigatoriedade da utilização dos equipamentos de proteção. com assistência médica e social durante a fase de reabilitação do trabalhador. reposição e fiscalização quanto ao uso e a qualidade de todos os EPI’s. iniciando em setembro de 2012. capacetes. a partir da implantação de cada uma delas. químicos. com mapeamento das áreas de risco. previstas para novembro de 2012 e desativação da primeira área de lavra em setembro de 2016. máscaras de pó. • Acompanhamento dos acidentes de trabalho. após o inicio da lavra. sempre com caráter preventivo.

As contínuo. medidas de proteção serão implementadas desde a instalação do empreendimento. perdurando durante toda vida útil do mesmo. com monitoramento 15 .

negativos e positivos. medidas estas detalhadas neste Plano de Controle Ambiental. alteração das condições dos solos. possibilidade de danos à saúde pública e ocupacional. 16 . mesmo não desempenhando aspecto relevante no contexto socioeconômico do município. As ações impactantes observadas estão relacionadas a possibilidade do aumento de turbidez. da fauna e flora. levando ao desenvolvimento de impactos diversos. é importante na geração de empregos e divisas. e permite às empresa uma diversificação nas suas atividades com ganho para a mesma e agregação de valores à propriedade rural. possibilidade de contaminação por efluentes graxos. sanitários e domésticos. que serão facilmente contornáveis por medidas simples de mitigação e controle. de baixa magnitude. aproveitamento de mão-de-obra local. desenvolvido para o sítio minerado. em especial das matas ciliares dos mananciais. alterações das relações socioeconômicas.Conclusões E Recomendações Baseado nos levantamentos realizados nas áreas de extração de argila vem tecer algumas conclusões e recomendações: A implantação da área de extração permitirá à empresa o fornecimento de materiais básicos a preços mais acessíveis a indústria. O empreendimento.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful