You are on page 1of 6

A concepção de infância, a importância do planejar, importância dos métodos e a presença do lúdico na Educação Infantil

A Educação Infantil sofreu grandes transformações nos últimos tempos. O processo de aquisição de uma nova identidade para as instituições que trabalham com crianças foi longo e difícil. Durante este processo surge uma nova concepção de criança totalmente diferente da visão tradicional. Se por séculos a criança era vista como um ser quase invisível, hoje ela é considerada em todas as suas especificidades com identidade pessoal e histórica. No Brasil, essa temática ganha força a partir da promulgação da Constituição (1998) e da aprovação da LDB/96, que garantem o atendimento á criança pequena em Educação Infantil, caracterizadas como ações de cuidar e educar de forma integrada . A palavra cuidar é de origem latina, derivada e é sinônimo de pensar, supor, imaginar, ou tornar a pensar em alguma coisa. O termo cuidado e diferencia seu significado e referese á atividade de pensamento do verbo cuidar. Pode-se citar como exemplo: O recémnascido, que tem suas necessidades biológicas atendidas por meio de emoções ( choro, riso) que contagiam o outro, o adulto cuidador, o que vem a confirmar o componente emocional ás práticas de cuidado e educação. A expressividade da criança possibilita uma intervenção do professor ou adulto próximo por meio de mimica, da respiração facial da respiração, da postura, cujo modo de funcionamento se constitui inclusive da sua disposição cognitiva. As emoções são formas privilegiadas de comunicação da criança. O professor deve compreender e ler tais expressões, assim como deve saber administrar o fluxo emocional no interior dos espaços pedagógicos infantis. Pois as emoções não são consideradas nas práticas pedagógicas, pois na maioria das vezes, apresentam um caráter contagiante e anárquico. Tais argumentos expressam a complexidade e a importância das ações voltadas para a primeira infância e expressam também, que as práticas de cuidado/educação são ao mesmo tempo atitudes permeadas

uma sintonia entre quem cuida e quem é cuidado. sentimentos. precisa resgatar no trabalho docente os procedimentos que envolve o saber do professor e o saber fazer. sendo que as interações sociais.por aspectos afetivos. e atender ás suas necessidades de proteção. o que confirma a integração das mesmas no âmbito da Educação infantil. por meio da qual o professor é capaz de ler as múltiplas expressões de crianças. Portanto é evidente que o educador infantil deve planejar sua aula. e que permita descobertas e aguce sua curiosidade O desenvolvimento psíquico da criança se traduz a partir da interação entre a criança e seu contexto. Em relação aos métodos. com professores. contribuindo para o desenvolvimento integral da mesma . intervém no sentido de acolher e envolver a criança no espaço educativo. suas formas diferenciadas de comunicação e ação. não devendo conceber o planejamento como uma mera formalidade burocrática sem finalidade educacional. bem-estar. e se dá de modo mais significativo de ludicidade e afetividade se acontecer de modo e forma prazerosa. emoções. subjetivos e por aspectos racionais/objetivos. físico e social. Planejar um espaço que estimule sua inteligência e imaginação. educadores. prazeroso quando há um envolvimento real. e partindo de uma concepção de leitura como produção de sentidos. o que pressupõe a indissociabilidade de ambas as ações. É estar atento aos seus afetos. A questão é que o professor precisa resgatar a compreensão de que o planejamento não é uma ação neutra. tendo como fundamento o conhecimento que o leitor tem da linguagem e do mundo. que envolve as múltiplas possibilidades da leitura produzidas por diferentes objetivos e . a leitura passa a ser uma parte importante de um processo mais amplo. superando dificuldades e controlando a improvisação. saúde. segurança. Esse processo de cuidado e educação das crianças pequenas se torna mais afetivo e por conseguinte. e demais crianças assumem o papel privilegiado na construção do conhecimento. sempre com a visão de que seus objetivos propostos sejam alcançados. com as coisas. com o ambiente. além de sua atitude frente ao seu trabalho como educador e . ás relações com os outros. ligados portanto á sua competência técnica e ao seu compromisso profissional.

as instituições de educação infantil se preocupam em que a criança desenvolva a escrita e acaba “queimando” etapa do desenvolvimento infantil. como atividades ao ar livre. Cabe a escola. ampliar as práticas da leitura da escola. A importância da escola como mediação cultural. a ação pedagógica privilegia na parte teórica da deficiência cultural em que os alunos são considerados não leitores. e por outro lado. esquecendo que a criança aprende também por meio de brincadeiras e que o lúdico é de vital importância para a criança. Para que a escola contribua para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita. para que sejam avaliados durante o processo de aprendizagem. Na sala de aula. Mas ela é comum em processos iniciais de alfabetização na escola em que.Conhecimentos prévios. diante de diferentes tipos de textos e em ambientes socioculturais diversificados. onde possam expressar suas dúvidas e sugestões para melhorar o processo. conhecer as práticas. apresenta-se como fundamental na formação desses alunos. onde as crianças observam os ambientes . primeiro. que é uma prática cada vez mais cotidiana nas sociedades letradas. Sabe-se que a leitura implica. O inusitado é que os alunos não estão em processo inicial de alfabetização. por um lado. comunicar e expressar desejos. não a maneira erudita de ver ou realizar o armazenamento passivo das informações. para. só então efetivamente ler. como passeios ao ar livre fora da escola. mas também a demonstração concreta de que é possível saber pensar para compreender e para melhor intervir como cidadão. brincar. incluindo a leitura virtual. Muitas vezes. há formas bastante simples e interessantes de colocar a criança em contato com o lúdico e com brinquedos. Temos alguns exemplos de como usamos a linguagem oral para conversar. alegando-se a falta de hábito de leitura. e ao mesmo tempo a escrita representa a realização de autonomia do sujeito que encontra na leitura. munida de informações proporcionar maior número de oportunidades para a participação de pais na vida escolar dos seus filhos e na leitura conjunta. aprende-se a ler. Dessa forma as crianças poderão reconhecer algumas com as quais tem alguma familiaridade e conhecer aquelas que não fazem parte de seu meio. É preciso no entanto. possibilidades e potencialidades de leitura com as quais a criança interage em seu meio familiar e social. E para que a leitura se frutifique na devida cidadania e na devida competência. precisa da escrita da redação própria e da formulação pessoal na produção de um outro texto. desse modo.

o profissional que pretende usufruir das possibilidades de desenvolvimento infantil advindas das brincadeiras. ao fazer parte da construção da leitura faça parte da sala de aula. Bom lembrar que isso exige dedicação e sutileza e é necessário conhecer bem a criança. no caso oral. e pensar em superar a passividade que domina a sala de aula. a dança. sem limitar suas possibilidades e contagiar ambientes com entusiasmo. precisa de qualidade como ter sensibilidades para perceber e respeitar a criança. sua alimentação. para que. refletindo sobre sua prática. parte da sua construção e de sua própria identidade social. pode-se constatar que a prática hegemônica configura-se entre as dimensões do cuidado e da educação. Também é importante ressaltar a leitura livre nos quais o professor também leia para si.Na educação infantil. ser determinado mesmo quando parece que não valeu a pena e acima de tudo ser competente. que leia história e que tenha boa e prazerosa relação com a interpretação e que faça da história um final atrativo e de fácil entendimento. e buscar na leitura e na escrita e no lúdico o seu impacto histórico a que está inserido. realizando como sujeito ativo. Só assim ele poderá apresentar-se com competência própria. sua disposição e arrumação se dá através da seleção em determinados espaços e na sua participação na brincadeira. como um bom modelo. sobre o que observaram. sempre que for convidado. O teatro. O objetivo a ser alcançado é o desenvolvimento integral da mesma. folclore.e jardins da escola e depois na sala de aula o professor constrói um texto. Não se concebe uma Educação infantil em que não estejam presentes o cuidado e a educação com seu corpo. Portanto. o grande desafio posto é assegurar no âmbito das instituições de Educação infantil as funções de cuidar/educar. Observando-se a trajetória da Educação infantil no Brasil. e a sua especificidade nas brincadeiras que propõe. É desse processo como elemento que é de transmissão cultural. As préescolas surgem como caráter educativo/pedagógico tendo como finalidade preparar as crianças para o ingresso na vida escolar. A intervenção do professor se dá através da seleção de materiais. seja na família ou na . critico e participativo. motor e afetivo. É importante ressaltar que qualquer atividade que tenha como referência a criança. no entanto pode propiciar á criança. desenvolvimento das linguagens oral e escrita. sua cultura. Para as crianças é fundamental que o professor. saúde. roda de conversa. seu crescimento e seu desenvolvimento cognitivo. o áudio visual são pouco explorados. seu jeito de brincar. Portanto.

e não como uma imposição vinda de fora e que seja apenas o aprendizado de atividade motora.instituição. e a linguagem escrita necessita de um treinamento artificial e por isso é que o aprendizado da leitura e da escrita exercem um papel fundamental no desenvolvimento cultural das crianças que visa ser incorporado como uma tarefa necessária e relevante para a vida. garantida e enriquecida. É fato que o ato da leitura e as brincadeiras tanto para educadores como para as crianças. criatividade. devendo ser incentivada. E também um canal de diálogo entre adultos e crianças. diálogo que se faz com encantamento. É possível concluir que a linguagem oral se desenvolve por si mesmo. participação e cooperação. É parte integrante do processo educativo. é importante e implica em ações educativas e de cuidado. . constitui uma atividade promotora de muitas aprendizagens e experiências de cultura. alegria.

Pedagogia/Lilian Salete Alonso Moreira Lima. Ana Maria de Souza Valle Teixeira. Pedagogia Raizer. Steinle.Ensino da linguagem oral e escrita. Sallete Alonso Moreira .Fundamentos da Alfabetização: Pedagogia/ Ana Paula Pinheiro. Lima. Lilian..-São Paulo: Pearson Prentice Hall. Marlizete Cristina Bonafini.São Paulo: Pearson Prentice Hall.Educação da criança de 0 a 5 anos.2009.-São Paulo: Pearson Prentice Hall.São Paulo:Pearson Prentice Hall./ Silveira. Juliana Telles Faria Suzuki.Organização e Didática na Educação Infantil. Ana Paula Pinheiro da Silveira. Marlizete Cristina Bonafini .2009.Referencias Bibliográficas . Raizer Cassiana Magalhães.. 2009. Pedagogia/ Steinle. . 2009.