You are on page 1of 6

CONTROLE GRÁFICO DAS CONSTRUÇÕES: O uso adequado de gráficos no controle das construções é de grande importância, mas terá a sua

eficiência, dependendo da facilidade e da exatidão com que os materiais possam ser medidos e da facilidade com que se possa fazer a apropriação da mão-de-obra. Um controle gráfico, por melhor que tenha sido estudado, poderá, todavia, não ser realizado exatamente de acordo com as previsões, feitas por vários motivos que concorrem para uma obra, as previsões não são profeciais, mas tem o objetivo de reduzir o imprevisto Todo o controle gráfico das construções não termina no momento da elaboração dos gráfico, mas sim , depois de um controle diário até o término da obra, realizando ajuste no decorrer da mesma para que seja cumprido o programa a contendo. Diagrama de Gantt Pode ser chamado também de diagrama de barras, mas chama-se Gantt porque foi estudado e desenvolvido por um engenheiro americano H. L. Gantt com finalidade de organizar os transportes bélicos nos E.U.A. durante a Primeira Guerra Mundial. O gráfico de Gantt nos mostra as atividades de um projeto com as suas respectivas durações (sua função principal consiste em indicar as datas de início e término de cada serviço), indicando também os dias de cada mês, de maneira que nos permite comparar as previsões com a realidade; o tempo de cada serviço é representado através de barras horizontais que representam 100% do serviço realizado.
Nº SERVIÇOS MAR . ABR. MAIO JUN. JUL. AGO SET. OUT.

1 2 3 4 5 6 7 8

Escavação das fund. Concretagem das fund. Cimbres Formas Ferragens Concretagem da estrutura Descimbramento Retirada das formas

O campo de aplicação de Gantt é muito grande, se pode emprega-lo para grandes e pequenos projetos, e ainda nos obriga ter uma visão total do projeto. Para aplicação em obras, podemos aumentar as linhas horizontais para podermos colocar o diagrama previsto e logo embaixo o que está sendo realizado, e assim poder analisar o adiantamento ou atraso da obra e ainda podemos introduzir neste gráfico custos referentes a cada serviço passando então a chamar Cronograma-Físico-Financeiro. O cronograma-físico-financeiro, nos dias de hoje, tomou grande avanço devido a sua utilização nos processos de financiamento da casa própria (construção). Descrevemos abaixo um exemplo de planilhas para cronogramas bem como seu preenchimento:

que poderão ser acrescentados dependendo do porte da obra. o valor do orçamento.Nesta coluna deverá constar os títulos de cada item sendo os mesmos da planilha de orçamento. referentes aos gastos de cada mês.São os valores de cada mês acumulados. Valor dos Serviços . Coluna dos Meses . pois em um só mês poderemos efetuar vários serviços.Seria a % do custo de cada mês em relação ao total do orçamento. (% na linha) .(na coluna) . computar a % do custo de cada item em relação ao custo total da obra.No nosso exemplo são 12 meses. % . retirados da última coluna da Planilha de Orçamento (custo do Item).A coluna do item deverá conter as mesmas numerações dos itens da planilha de orçamento (peça importante na elaboração dos conogramas).Nesta coluna são colocados os valores dos custos totais de cada item. 2 . Total do Mês . e totalizando no último mês da obra.Item . e ainda serem divididos em semanas e dias. Valor Acumulado . Serviços .São os valores que deveremos somar.Devemos nesta coluna. Podemos ainda acrescentar mais uma linha e uma coluna referentes aos valores de índices econômicos.

CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO OBRA: PROPR.: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 VALOR DOS SERVIÇOS % Item 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 SERVIÇOS Serviços Preliminares Movimento de Terra Fundações Alvenaria Estrutura Forro Cobertura Revestimento Interno Revestimento Externo Barras Preparação para Pisos Pisos internos Rodapés soleiras e peitoris Esquadrias de Madeira Esquadrias Metálicas Ferragens Instalação Hidráulica Instalação Elétrica Sanitários e Iluminação Pisos externos e Muros Pintura Vidros Limpeza Diversos TOTAL DO MÊS VALOR ACUMULADO % 3 .

mas tem o inconveniente de não definir de forma clara quando se está realizando simultaneamente várias atividades e nem é possível indicar quando começa uma atividade sem que haja terminada a outra.Estes diagramas são de grande utilidade na planificação prévia das obras. Portanto. e a facilidade de se distinguir essas curvas. Exemplos: 1ª Programa para assentamento de uma linha de tubos para esgoto. devemos elaborar outros gráficos de apoio chamados: GRÁFICO DE ANDAMENTO (Gráfico Cartesiano) O gráfico de andamento fornece a quantidade de trabalho feito até uma determinada data. Cada ponto da curva representa o total do serviço feito até a data correspondente a esse ponto. programa execução DIA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Soma PROGRAMA 100 125 150 150 150 675 EXECUÇÀO 75 100 150 180 75 580 % S/ PROGRAMA 75% 80% 100% 120% 50% 86% 4 . conforme o grau de precisão que se estiver em vista. permitindo a comparações com o programa. Pode conter grande número de curvas. As curvas deste gráfico são também denominadas cumulativas ou de massas.

que existam disponibilidades financeiras. nem tornam as necessárias providências visando trazer a realidade para o planejado. com interligações não muito comprovadas ou aparentes . Todas elas Tem em comum a noção de um caminho crítico. peça indispensável numa execução. apesar das variedades de nomes que aparecem para rotular cada sistema. Essas técnicas procuram interligar atividades de execução de acordo com as ocasiões exatas em que essas interligações acontecem. o fator tranqüilizador desses esforços é que. Qualquer realização depende sempre dos recursos de que se dispõe para sua execução. Tal falha somente é descoberta com o "Acompanhamento do Desempenho".2ª Execução de laje de pavimento Tipo TÉCNICAS DE CAMINHO CRÍTICO: 1 . das fases componentes de um empreendimento como se fossem compartimentos estanques. ou quase ótimos. Uma metodologia apropriada foi encontrada na área de análise de rede. a sequência e a utilização dos recursos. em locais diferentes e por diferentes razões. É muito comum planejar-se uma obra para dez pedreiros e vinte serventes e verificar-se posteriormente que a construção tem apenas cinco pedreiros e oito serventes. A partir de 1956 surgiram abordagens diferentes deste problema. temos que saber exatamente qual a quantidade de recursos humanos que se ocupará da execução. O planejador deve ter contato com o responsável pela execução da construção que lhe deve fornecer as informações indispensáveis sobre a realidade da obra. os materiais e os humanos. se o planejamento tiver sido elaborado com os devidos cuidados. que estejam bem determinados os recursos mecânicos e materiais. no gráfico de Gantt. todos resultaram ser fundamentalmente semelhantes. os financeiros. que pode receber grande confiabilidade. Admitindo que não haja impedimento legal. Sem o controle contínuo sobre todos os recursos no desempenho não se poderá confrontar o planejamento com o real. 5 . que resultavam por exemplo. As diferenças entre as abordagens são basicamente consequência do trabalho original para o qual o método foi desenvolvido. Os sistemas antigos. Entre os recursos principais citemos os legais. tratavam muitas vezes. Por intermédio da técnica da rede de planejamento chega-se a um prazo final de execução.Introdução As deficiências do gráfico de Gantt (gráfico de Barras) para o planejamento do projeto provocaram as necessidades de um método que permitisse tornar ótimos.

A aplicação do CPM só é possível quando se conhece como produzir e se conhece o custo de cada atividade associada ao tempo de sua execução. mesmo não técnicos. A utilização do PERT proporcionou redução de mais de um ano na duração do Projeto Polaris. Posteriormente foram introduzidos vários aperfeiçoamentos na utilização do PERT e do CPM. funcionário da Du Pont. No caso da construção civil. 6 .Modelo PERT é probabilístico. são determinadas as probabilidades de executar uma tarefa em certo tempo estimado. ambos partem da representação gráfica da rede ou gráfico. o mesmo mostrou ser de grande valia. Malcon descoberto método PERT. também. Em 1958.Somente dessa forma se disporá de meios para calcular a probabilidade de acerto os prazos de execução das diversas atividades componentes de uma obra. dificilmente as condições são indênticas.CPM. porém. Desde a década de 60. Em 1962 foi desenvolvido um modelo que associa probabilisticamente o tempo ao custo. . estabeleceu o método do caminho crítico . . não se conhece com precisão a sua duração.Diferenças entre PERT e CPM PERT e CPM são utilizados para planejamento. e o CMP (Critical Path Method) . a utilização do PERT (Program Evaluation And Review Techinique) Técnica de Avaliação e revisão de Programas. a marinha norte-americana estava financiando pesquisas com o objetivo de antecipar o prazo de conclusão do Projetil Balístico Polaris. Keley. 2 . J. Em 1956. a não ser os poucos casos de repetição de blocos iguais. G.O Objetivo do CPM é determinador de uma duração para as atividades de forma que o custo total seja mínimo. Portanto: . dando origem ao PERT . No entanto.Método de Caminho Crítico. O PERT de início. programação e controle. Posteriormente. programação e controle e de assuntos simples. Através de um modelo probabilístico.Modelo CPM é determinístico. estudando o fluxo nos gráficos (para a construção de uma fábrica). Outro cálculo verificador que deve ser feito é o relativo. Ford e Fulkerson trabalhando para a Remington desenvolveram inda mais esse modelo. encerram diferenças profundas. Julgamos que a aplicação do PERT seja a de melhores resultados práticos. ao planejamento individual de cada atividade componente. Como a maioria das tarefas em que se utiliza o PERT é composta de atividades nunca antes executadas (nas mesmas condições). tendo D. em casos de planejamento. E. De início o PERT foi idealizado para projetos de grandes proporções. foi imaginado para o planejamento de tempos .CUSTO. Há necessidade de se verificar se cada uma delas pode ser iniciada no tempo previsto na rede de planejamento ou então quais são as medidas que deverão ser tomadas para que isso seja possível. tem sido difundidos nas escolas de todo o mundo revolucionando o campo do planejamento e do controle com novos horizontes.