You are on page 1of 7

ELETRIFICAÇÃO DE RODOVIA PARA O TRANSPORTE DE CARGA PESADA E DE PASSAGEIROS NA HINTERLÂNDIA DO PORTO DE SANTOS

Denialdo de Carvalho
Engenheiro Eletricista e estudante de Tecnologia em Logística de Transportes da FATEC-BS denialdo@uol.com.br

SUMÁRIO

Resumo Esse artigo tem por finalidade comparar os custos no transporte de cargas dentro da hinterlândia do Porto de Santos, em situações hipotéticas baseadas em dados reais extraídos de diversas fontes de notícias utilizando tração elétrica em rodovias. 1. Introdução Segundo MAURÍCIO PIMENTA LIMA

(1977), em seu artigo publicado na Internet, aponta o modal rodoviário como o mais utilizado mesmo sendo mais oneroso que ferroviário ou aquaviário. Com gargalo ferroviário no acesso ao Porto de Santos, seguindo a situação hipotética de eletrificação de rodovia, tema esse que já fora abordado durante a crise mundial do petróleo nos anos 70 aqui no Brasil por Eduardo D. Toledo em seu livro “Tração elétrica Vol 2”. De fato, no 2º semestre de 2007 o mundo enfrentava o custo do petróleo a US$ 200 o barril, o que

3 milhões de toneladas/ ano (importação/ exportação) segundo informações oficiais da CODESP. A poluição em grandes centros urbanos e o desmatamento descontrolado co-existem na consciência da sociedade mundial e. muito semelhante à crise dos anos 70. atendido por duas linhas ferroviárias no trecho de serra e cinco rodovias: Padre Manoel da Nóbrega (SP-055). iniciou-se já o aprofundamento do canal de acesso dos navios. obriga a 76 % das cargas a moverem-se no modal rodoviário. pois de importadores passaremos em poucos anos a exportadores. PiaçagüeraGuarujá (SP-041). Foto 1: vista aérea do Porto de Santos . Imigrantes (SP-160). que já demonstram sérias preocupações com as mudanças climáticas já ocorrendo de maneira diferente do habitual em várias partes do planeta.Santos (BR101). mas. aumentando significativamente o volume de cargas nesse complexo. tendo um excelente mix de operacionalidade aos usuários do transporte marítimo. a idéia continuou em ebulição. arrefeceram o valor internacional do barril do petróleo fortemente. é o mais importante porto da América do Sul e também entre os maiores do mundo no quesito valor das cargas de importação e exportação. 82.2 afetava diretamente os custos no transporte. Apresentação da Questão O porto de Santos tem 13 km de extensão em ambos os lados o que totaliza aproximadamente 26 km. a questão ambiental passou a ser objeto de programas de estudos em pesquisas de fontes energéticas alternativas nos países de 1º mundo. o Porto de Santos tem seu acesso dificultado pela barreira física de 600 metros de altura. operou em 2009. e da altitude média de 300 metros do planalto paulista onde ficam os centros de consumo e produção de mercadorias no estado de São Paulo. Plano de Aceleração do Crescimento. granéis e líquidos. em águas tranqüilas os navios fazem suas operações de carga e descarga nos terminais marítimos para sólidos. bem sintetizada em explanação contida no artigo de Lima. Rio. Tem seu acesso por um braço de mar em forma de canal cujas características para navegação apresentam 14 metros de calado e largura máxima de 150 metros e. com vistas a forte e rápida expansão diante da necessidade de atender as demandas do Pré-Sal no estado de São Paulo além da crescente expansão econômica do país sob o PAC. Localizado na encosta da Serra do Mar ao nível do oceano. porém. Esse gargalo. De lá para cá com as descobertas do Pré-Sal no Brasil e a crise econômica mundial oriunda nos EUA. Com isso. aumentando os custos no transporte e conseqüentemente o Custo Brasil. Anchieta (SP-150). passaram a ser importantes devido à questão ambiental dando motivação assim a continuação da pesquisa na idéia hipotética relatada acima. que permitirá a operação de cargueiros de porte mais elevado como os classificados de PANAMAX. agravando gargalo logístico de transporte nos acessos rodoviário e ferroviário existentes servindo o porto. mais custoso. os custos com base no petróleo que a priori perdia importância com a queda do valor do barril no pós-crise. autoridade portuária responsável pela organização das atividades dos operadores marítimos portuários dentro desse complexo. principalmente ferroviário.

A analogia delimita peso transportado e a fonte energética entre modais em questão.75 kg por litro diesel queimado no transporte de 1 tonelada por quilometro. no modal rodoviário R$ 0. 1.15012 conforme cálculo utilizando dados extraídos do artigo de Pimenta. o uso de caminhões elétricos já é realidade no porto de Los Angeles nos EUA com intuito de diminuir a poluição do ar dentro da área portuária. ao longo do tempo foi ganhando novas formas de uso em centro urbanos (trolebus no transporte de passageiros). a eletricidade na matriz energética do Brasil gerada em sua grande maioria por fonte limpa (hidrelétrica).1 Desenvolvendo a hipótese A utilização da energia elétrica. freqüência. cuja emissão de poluentes é de 2. não atendendo à variáveis como índices de qualidade. segundo dados da tese de LEANDRO PUGLIESI DE SOUZA (2009). aferidos principalmente em proporção por comparação de dados do consumo de energia pela CPTM . Exposto isso e avaliando o gargalo já mencionado no modal ferroviário devido à barreira física da Serra do Mar. minas de minério na África do Sul e nos EUA no transporte de carga (caminhão híbrido-elétrico). Há também o caminhão híbrido diesel-elétrico. Hipótese A eletrificação de rodovia por intermédio de infra-estrutura a ser implantada pode baratear o Custo Brasil? Segundo dados da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres o custo para transportar 1 Ton x km no modal ferroviário é R$ 0. sendo um deles a questão do custo no transporte diretamente ligado a modal e combustível utilizados. com grande consumo de energia (carvão/ diesel/ atômico/ hidrelétrico) na produção do gás. Com base em estudos das teses de CASSIANO LOBO PIRES (2002 e 2006) versando sobre o sistema ferroviário eletrificado no Brasil.Agência Nacional de Transportes Terrestres. por intermédio de caminhões elétricos. poderia atender a essa necessidade se não fosse algumas questões técnicas e operacionais que podem ser suplantadas conforme hipótese a ser explorada logo abaixo. salientando o híbrido hidrogênio-eletricidade. visando a questão ambiental e barateando os custos nos transportes. 1. uso de ar condicionado nos vagões. uma analogia será desenvolvida de tal forma a produzir os custos envolvendo à implantação. transformação e operação de caminhões elétricos em rodovias do acesso ao porto de Santos dentro do trecho de 500 Km.3 Apresentação da Proposta Esse Custo Brasil hoje causa impacto em nossas exportações diminuindo nossas divisas no mercado internacional e. informados no Anuário Estatístico 2008 em site da ANTT . tecnologia já testada como fonte energética em locomotivas nos EUA e EUROPA há décadas. mas.1. operadora de transporte de passageiros na Grande São Paulo. esta ganhando os grandes centros urbanos paulatinamente.04244. no início do século passado e. A eletricidade utilizada na rodovia já fora testada na Itália.1 Os custos no transporte ferroviário eletrificado Foram percebidos custos hipotéticos de R$ 0. com sua baixa emissão de poluentes durante a operação e menor consumo de diesel e.013 / Ton * Km no transporte ferroviário eletrificado (832 toneladas de carga útil em 500 km) através de cálculos produzidos por dados de Cassiano e. Outras tecnologias com energias alternativas. as vias que atendem o porto pelo modal rodoviário eletrificado passam a ser a hipótese a ser desenvolvida a seguir. . pode ser economicamente viável? Inicialmente. cuja emissão é ZERO poluente já é parte de nosso cotidiano. infra-estrutura de estações de embarque e desembarque entre outros. 1.

evitando sobrecarga nas subestações no sistema de potência.017.1 Infra-estrutura Baseada ao longo da estrada do lado esquerdo da pista de mão única de uma ou mais faixas de rolamento (Fig. 18 ou 30 toneladas cujo parâmetro característico de motorização convencional. 1. permitirá o deslocamento dos mesmos nos moldes atuais. linhas e subestações de energia ao longo da mesma.1. utilizando tecnologia de comunicação e controle por radiofreqüência espalhados no percurso. atento porém à questão de velocidade variável em função do controle de demanda de energia pelas subestações sob influência e.VEE A conversão de caminhões de carga pesada de 12 . o que encareceria os custos de implantação. Isso se faz necessário devido a menor distância entre o suporte das linhas de eletrificação e a faixa de circulação do caminhão elétrico que. 3).2. O custo por quilometro para instalação dessa infra- .1. fila a ser cumprida dentro do itinerário sob cronograma operacional prévio estabelecido pelo operador desse modal rodoviário elétrico.2. passa a ser adotada na motorização elétrica baseada por analogia. se estivesse à direita teria que transpor a faixa de acostamento. com todos os dispositivos necessários para esse novo fim.4 estrutura foi estimado em R$ 204 mil Reais. relação peso x potência.2 Veículo Especial Elétrico . seria já um complicador a ser ultrapassado perante a legislação de trânsito onde hoje exige o tráfego de veículos lentos à direita. nela se implantaria a infra-estrutura de posteamento.2 Eletrificação da rodovia 1. Sob a tecnologia híbrido dieselelétrico. Fonte: site Low-tech Magazine Foto 2: trem de carga a tração elétrica 1. mas não sua viabilidade. de forma a atender o fornecimento energético para a demanda de veículos especiais elétricos cargueiros.1. Supondo uma única via composta das rodovias Anchieta/ Rodoanel/ Anhaguera. O custo envolvido para essa conversão de 1 VEE está estimado em R$ 200 mil Reais. necessária para operar em manobras fora das linhas de energia das estradas. O custo para transportar 1 Ton x Km foi estimado em R$ 0.

Instituto de Física. 2002. OLIVEIRA. Custo por Ton x Km modal ferroviário a diesel R$ 0. KAGAN. MONTICELLI. PIRES. “Sabedoria e felicidade” breviário de meditação.Ferroviária. só a energia. Nelson.04244 . só a energia. Alexandre de Matos. São Paulo. incluso todos os custos (valor do frete). Sistema de Tração de um Ônibus Elétrico Híbrido com Pilhas a Combustível e Baterias. aliando-se a essa necessidade de . • • É nítida a necessidade de ampliar o uso do modal ferroviário em função do baixo custo operacional e. Custo por Ton x Km modal rodoviário elétrico R$ 0. Francisco Martins dos. São Paulo. Instituto de Eletrotécnica e Energia. São Paulo. ROBBA. Cassiano Lobo.017 . Custo por Ton x Km modal ferroviário eletrificado R$ 0. E. Edgard Bluchen..013 . Escola Politécnica. Fernando Martins.Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2008. Unicamp.. História de Santos e Poliantéia Santista Volumes 01 e 02 Educadora Caudex1986 389 págs MARTINS. R.. PEREIRA. Universidade de São Paulo. Alternativa para Inserção do Gás da Bacia de Santos na Matriz Energética Estudo de Caso: Cidade de Santos. Universidade de São Paulo.B. O uso da tração elétrica vem em muito a contribuir com a questão ecológica através de tecnologia já disponível. em função da questão ambiental. São Paulo. José da Silva. Geovane Anselmo Silveira. Tese (Dissertação de Doutorado em Engenharia Elétrica) – Escola Politécnica. Referências Bibliográficas AWAZU. Situação de Marcha de Composição Ferroviária Acionada por Motores de Indução e PWM.. C. A. Faculdade de Economia e Administração. 2005 LICHTI. 1994. São Paulo. J.1502 . Operação de Sistemas de Potência . Introdução a Sistemas de Energia Elétrica. Introdução a Sistemas de Distribuição de Energia Elétrica . 2009. Cassiano Lobo.Tese (Dissertação de Mestrado em Engenharia Elétrica) . 2000.C. COPPE. Simulação de Tração Elétrica Metrô.. Tese (Dissertação em Mestrado de Energia). São Paulo: 2006.Tese (Dissertação em Mestrado em Ciências em Engenharia Elétrica) .5 diminuição de custos nos transportes terrestres. Ricardo Mello. PIRES. H. CAPUTO. 2007. 3ª edição revisada e ampliada MILLER. McGraw-Hill. São Paulo. Universidade de São Paulo. SANTOS. incluso todos os custos (valor do frete). Rio de Janeiro. Tese (Dissertação de Mestrado em Engenharia Elétrica) Fonte: site Low-tech Magazine Foto 3: veículo especial elétrico em rodovia eletrificada Conclusão • • Custo por Ton x Km modal rodoviário R$ 0. Um Estudo de Planejamento da Expansão da Transmissão em Sistemas de Potência Considerando a Incerteza. Brasília.Universidade de Brasília Faculdade de Tecnologia Departamento de Engenharia Elétrica.

Associação Brasileira de Veículos Elétricos Disponível em: < http://www. Análise de Decisão Multicritério na Localização de Usinar Termoeléricas Utilizando SIG. Metodologia Simplificada de Cálculo das Emissões de Gases do Efeito Estufa de Frotas de Veículos no Brasil. Análise Prospectiva da Capacidade de Processamento de Cargas pela Ferrovia no Porto de Santos. 189-210. LINKE. 24 de maio de 2010. STIEL.br/InformacoesTecnicas/ae tt/aett_2008/principal. Disponível em: < http://www. BNDES Apoio a Projetos Energética PROESCO de Eficiência Artigos BAYMA. COPPE. Universidade de São Paulo – Campus São Carlos. Dezembro/ 2005.. página 38 Revista Brasil Econômico. Waldemar Corrêa. Os Postes: Novos Sócios das Teles.antt. STEWENSON Jr. P. Brasília 17 de junho de 2008.antt. ANTT Agência Terrestres Nacional de Transportes Disponível em: < http://www.br > (Acessado em 04/ 04/ 2010). Pesquisa Operacional – CESP e Universidade de São Paulo. Centro de Estudos em Logística CEL . W. São Paulo. Tese (Dissertação em Mestrado de Engenharia Civil) – Universidade de São Paulo . 1988. Maurício Pimenta. Logística Ferroviária do Porto de Santos: A Integração Operacional da Infra-Estrutura Compartilhada. AETT 2008 . Finanças. Um Modelo para Análise de Compatibilidade de Tráfego entre um Caminhão ou uma Combinação de Veículos de Carga e um Trecho de Rodovia. Rio de Janeiro. 2007. São Carlos.asp > (Acessado em 24/ 05/ 2010). 2005. Editora Nobel.003533/2008-02. N.abve. . Gisele de Moraes. página 64. Ônibus. Janeiro / 2006.D.bndes. Universidade de São Paulo.Campus São Carlos. Crédito de Carbono à Espera de Novas Disponível em: < http://www. Rio de Janeiro. LACERDA.6 – Escola Politécnica. Tração elétrica Vol 2. Processos de Licitação 48500/005499/2002-08 e 48500. Maria Luiza.2001.org.gov. São Paulo. JUNIOR. Romeu Donizete. Relatório Anual da Administração CODESP 2009 PORTO DE SANTOS. LIMA. Regras. Custos Logísticos na Economia Brasileira. Internet ABVE . Sander Magalhães. RAMOS. BNDES Departamento de Transporte e Logística.html > (Acessado em 05/ 05/ 2010). São Carlos. Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista CTEEP. São Paulo.12. Renato Ricardo Antônio. 1986. São Paulo TOLEDO. V.teses. Edgard Dutra.br/ > (Acessado em 15/ 03/ 2010). São Carlos. Mariana. Kátia Lívia. ZAMBON. SOUZA. Elementos de Análises de Sistemas de Potência .usp.Tese (Dissertação em Mestrado em Ciências em Engenharia Elétrica) Universidade Federal do Rio de Janeiro. SEGALA. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP Disponível em: < http://www. Artigo do Partido dos Trabalhadores . 2003. 2009 .Anuário Estatístico Transportes Terrestres 2008 dos Documento RUFINO. São Paulo.McGraw-Hill. Olímpio de Melo Álvares. SERRA. Tese (Dissertação em Mestrado de Engenharia de Transportes) – Escola de Engenharia São Carlos.24. Brasília.Câmara dos Deputados FILGUEIRAS. Uma história do transporte coletivo e desenvolvimento.gov.br/SiteBNDES/bndes/bn des_pt/Institucional/Apoio_Financeiro/Produto s/FINEM/proesco. 1999. Leandro Pugliesi. São Carlos. Revista do BNDES. Israel Fernando de Carvalho.gov.Copead/ UFRJ Revista Tecnologística. José Roberto Correia.br > (Acessado em 12/ 05/ 2010). São Paulo.

net/site/default.pdf > (Acessado em 05/ 05/ 2010). Ficha Técnica Caminhão modelo Actros 2646 da Mercedes Benz do Brasil Disponível em: <http://www.aspx > (Acessado em 07/ 05/ 2010). Low-Tech Magazine Disponível em < http://www.mercedesbenz.7 CTPM . .br/pdzps/PDZP S2006.cptm.br/pdfs/caminhoes/Actros_2646.org/wiki/Transporte_ferrovi %C3%A1rio_no_Brasil > (Acessado em 17/05/2010) Disponível em: < http://www.com.br/site/default.gov.Concessionária de Distribuição de Energia no Estado de São Paulo Disponível em: < http://www.enaex.cpfl. METRÔ de São Paulo http://wwwMetro.asp? TroncoID=907492&SecaoID=508074&Subsec aoID=948063&Template=. Reportagem .br/arquivos/Francisco_ Costa_PNLT.com./artigosnoticias/use r_exibir.sp.com..gov.portodesantos.html > (Acessado em 20/05/2010) Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Santos Disponível em: < http://www.wikipedia.Sp.Wikipedia Disponível em : < http://pt.com.br/Informa %C3%A7%C3%B5es/TaxaseTarifas/tabid/299 /Default.intelog.com/2009/07/troll eytrucks-trolleybuses-cargotrams.pdf > (Acessado em 29/ 05/ 2010).br/empresa html PNLT Plano Nacional Transportes de Logística e Disponível em: < http://www.asp Tarifas CPFL .com.Companhia Metropolitanos Paulista de Trens Transporte Ferroviário no Brasil .lowtechmagazine.asp&ID=539271&Titulo=Ipea %20divulga%20hinterl%E2ndia%20do %20Porto%20de%20Santos > (Acessado em 04/ 03/ 2010).br > (Acessado em 04/ 05/ 2010). IPEA Divulga Hinterlândia do Porto de Santos Disponível em: < http://www.PDF > (Acessado em 04/ 03/ 2010).newslog.Teleférico de Cargas http://www.