You are on page 1of 7

http://www.4shared.com/all-images/bwwVrd5Z/atividades_recebidas_professor.

html

MARÍLIA ROCHA (em http://www.jornalpequeno.com.br/2012/4/23/pesquisa-da-unicamp-usa-imagens-e-palavras-na-telapara-treinar-reconhecimento-do-194864.htm)

Um programa para ajudar crianças com dislexia a melhorar o desempenho em leitura e escrita foi desenvolvido por uma pesquisadora da Unicamp e poderá ser usado em sala de aula. O objetivo é estimular a relação entre sons, imagens e palavras.

A dislexia é um transtorno de aprendizagem causado por dificuldade acima do comum para ler e escrever. Segundo a Associação Brasileira de Dislexia, até 7% das crianças em idade escolar têm o transtorno.

Em sua tese de doutorado, a fonoaudióloga Cintia Alves Salgado Azoni formulou um software e desenvolveu o que chamou de Prefon (Programa de Remediação Fonológica).

Participaram da pesquisa 62 crianças, divididas em três grupos: 17 diagnosticadas com dislexia fizeram as atividades do programa; outras 14 com o transtorno não fizeram e 31 sem o problema serviram como grupo-controle.

Após seis meses de sessões semanais, as que utilizaram o Prefon mostraram mais rapidez para nomear cores ou imagens (o tempo caiu de um minuto e meio para 40 segundos, em média) e melhora no nível de leitura.

'No início, algumas crianças dos dois grupos com dislexia só reconheciam as letras, sem conseguir juntá-las. Depois de passar pelo programa, houve quem passou a ler, enquanto algumas das que não participaram da intervenção ainda estavam apenas reconhecendo letras', conta Azoni.

Segundo ela, depois das pesquisas as outras 14 crianças com dislexia também tiveram acesso ao programa. Os exercícios do software não chegam a exigir escrita das crianças, mas envolvem atividades que são pré-requisitos para a alfabetização.

Diante de imagens de cor vermelha, amarela, verde e azul, por exemplo, uma criança sem dislexia pode levar 30 segundos para falar os nomes de cada uma em sequência. Com dislexia, o tempo pode dobrar, e os erros são mais frequentes (como chamar vermelho de verde).

'Não é só isso que mostra dislexia, mas se a criança segue com muitas dificuldades nessa área, ou não consegue identificar rimas ou guardar a ordem de sons de uma palavra, terá maiores problemas para se alfabetizar', disse a pesquisadora.

'Com o software, as crianças se mostraram mais motivadas, e o trabalho do profissional pode ser agilizado.'

ESTÍMULO – Para Cinthia Wilmers de Sá, fonoaudióloga da Associação Brasileira de Dislexia, ferramentas como esse software têm papel fundamental na melhoria das habilidades da criança.

'Ninguém deixa de ser disléxico, mas pode desenvolver estratégias que vão dar a essa pessoa uma condição plena de vida de acordo com o estímulo que recebe', disse.

'Numa era em que tecnologia é preponderante, com certeza essa ferramenta [o Prefon] pode trazer maior interesse e estímulo às habilidades das crianças, mas não se deve restringir o trabalho só ao computador', avalia Sá.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

podem ser solicitados exames complementares (neurológico. TODA A PESSOA DISLÉXICA TEM SEMPRE PROBLEMAS NA LEITURA? O que caracteriza a dislexia é a dificuldade para descodificar os símbolos escritos e reconhecer imediatamente as palavras. compreender o que é falado. como dificuldades para se expressar oralmente. COM QUE IDADE PODE SER FEITO UM DIAGNÓSTICO DE DISLEXIA? QUAIS OS PROFISSIONAIS QUE FAZEM ESSE DIAGNÓSTICO? Podemos suspeitar a presença da dislexia desde cedo. numa sequência temporal. pois não está relacionada com problemas visuais. as letras. avião e sapato). As crianças devem identificar as que rimam. lesões neurológicas. dificuldades na orientação de espaço e tempo. com o som que elas representam. Um diagnóstico mais precisa é feito a partir do 2º ano. Treinamento Linguístico Veja como é o programa de computador usado contra a dislexia NOMEAÇÃO RÁPIDA São apresentadas diversas figuras ou cores de uma vez. mentalmente. As pessoas com dislexia apresentam um funcionamento peculiar do cérebro para os processamentos linguísticos relacionados com leitura. tendo como consequência dificuldades na compreensão dos textos. Mas havendo sinais de dificuldades nas áreas de linguagem. um atendimento adequado deve ser iniciado antes mesmo da alfabetização. Quando necessário. MEMÓRIA FONOLOGICA .A DISLEXIA É UMA DOENÇA? A dislexia não é considerada uma doença. após dois anos de aprendizagem da leitura. É uma dificuldade de linguagem inesperada. EXISTEM SINTOMAS ANTES DA IDADE ESCOLAR? Alguns sintomas podem ser observados desde cedo. Os profissionais que podem realizar este diagnóstico são os Terapeutas da Fala trabalhando conjuntamente com os psicólogos especializados no assunto. e a criança tem que falar o nome de cada uma em sequencia rápida (ex: casa. neuroftalmológico). processamento auditivo central. O disléxico tem dificuldade em associar o símbolo gráfico. auditivos. bicicleta. coração. sendo que duas delas rimam e a terceira não (ex: coração. principalmente na época da alfabetização. neuropsicológico. atraso. dificuldades em identificar rimas e sons nas palavras. e organizá-los. quando a leitura e escrita são formalmente apresentadas à criança. copo). CONSCIENCIA FONOLÓGICA São apresentadas três figuras. problemas psicológicos e sócio culturais.

a falta de atenção. entre outros. Estudos revelam que de cada 10 crianças em sala de aula. A dislexia é mais comum em crianças. duas são disléxicas. porém a mais aceita é a que a dislexia não é nada mais do que uma condição genética. são elas: • Disgrafia: é a dificuldade em escrever. mas é possível encontrar esse distúrbio em um adulto. • Hiporatividade: caracterizada pela baixa atividade psicomotora da criança. • Hiperatividade: quando a criança possui uma atividade psicomotora excessiva. entre outros. MELHORAS Com sessões semanais de 45 minutos. as pessoas associam a dislexia à má alfabetização. condição socioeconômica. leitura. A CRIANÇA DISLÉXICA E O DÉFICIT DE ATENÇÃO A DISLEXIA É uma deficiência de aprendizagem na escrita. . Agatha Christie (autora). Segundo pesquisas realizadas em diversos países. durante 6 meses. desatenção. levando assim a resultados mais consistentes. cerca de 17% da população mundial sofre de dislexia. pois há diversos casos de pessoas bem sucedidas que sofrem com a dislexia como. acomete tanto meninas como meninos. soletração. tio. que também é disléxico. Diferentes áreas do nosso cérebro exercem funções específicas.O programa mostra uma 'não palavra'. escrever. Por estar relacionada a diversos fatores. Normalmente. • Discalculia: é a dificuldade em compreender a linguagem matemática. Thomas Edison (inventor). normalmente numa pessoa disléxica o cérebro tende a processar informações em uma única parte. as crianças com dislexia apresentaram melhora nos três itens e demonstraram mais interesse pela leitura. que apresenta alterações no padrão neurológico do indivíduo. Existem ao todo cinco especificações da dislexia. Pois uma avaliação desse nível gera condições de um acompanhamento mais efetivo e eficaz das dificuldades. cometendo diversos erros ortográficos. Sua incidência não é diferenciada por sexo. por exemplo. formada por sílabas aleatórias (ex: ranomi). desmotivação e/ou baixa inteligência. sendo tratado de acordo com as particularidades de cada indivíduo. Quanto mais rápido for o diagnóstico. a dislexia deve ser diagnosticada por uma equipe multidisciplinar. pai. avô. Tom Cruise (ator). A criança tem que guardar rapidamente a ordem dos sons e repetir em voz alta. Há 40 definições para estabelecer as causas da dislexia. evitando que a criança passe por situações constrangedoras em relação ao modo de falar. A deficiência não pode ser encarada como motivo de vergonha. Sendo assim. mais rápido e eficaz será o tratamento desse transtorno. a criança herda a dislexia. entre outros. • Déficit de Atenção: quando a criança manifesta dificuldades de concentração. portanto ela tem algum parente.

atrás. -Tratamento: . • Confunde direita. • Distúrbios do sono. • Chora muito e parece inquieta ou agitada. • Tolerância muito alta ou muito baixa à dor. • Tem mudanças bruscas de humor. em baixo. • Troca de palavras. entre outros. • Dificuldade de soletração e leitura. • Só faz leitura silenciosa. • Dificuldade com a percepção espacial. esquerda. em cima.Sinais da dislexia: . acrescenta ou omite palavras ao ler e ao escrever. na frente. etc.A partir dos sete anos de idade: • Lentidão ao fazer os deveres escolares.Na primeira parte da infância: • Atraso no desenvolvimento motor. • Tem grande imaginação e criatividade. • Inventa. • A criança apresenta ter dificuldade de entender o que está ouvindo. . • Letra feia. • Atraso na aquisição da fala. • Interrompe constantemente a conversa dos demais.

Por fim. que esta deitada. É muito importante que a criança receba apoio. Segudamente a criança terá de caminhar sobre ela. a estruturação espácio-temporal. uma delas deita-se no colchão e a outra irá desenhar letras sobre o seu corpo. deste modo. Este exercício desenvolve o equilíbrio. tendo a criança. que tenham qualificação para ensiná-la. É importante que a criança disléxica faça leitura em voz alta na presença de um adulto para que esse possa corrigi-la. Exercício "Percorrer as letras" Com a ajuda do técnico/professor a crinça desenha uma letra no chão com uma corda. . figura-fundo. a sensibilidade corporal e a noção das letras. O treino da Percepção Visual inclui o desenvolvimento da coordenação óculo-manual. primeiro com os olhos fechados e depois com os olhos abertos. e sendo esta uma faculdade de extrema importância no processo de aprendizagem. a melhoria da compreensão e fluência na leitura. o desenvolvimento do vocabulário. por último a criança deverá repetir a actividade. Convém mais uma vez referir que a Dislexia não é causada por perturbações visuais. Atividade "Desenhar letras" O técnico/professor mostra a criança cartões com letras. pois um profissional desqualificado pode agravar o problema de dislexia do indivíduo.Não existe um só tratamento para dislexia. cópia. embora possa estar associado a estas. as crianças devem formar pares. familiares. primeiro com os olhos abertos e depois com os olhos fechados. que advinhar qual a letra que foi desenhada. mas sem a orientação da corda no chão. posição no espaço. solicitase à criança que desenhe no ar a letra. Dislexia e Percepção Visual A Percepção Visual é entendida como a capacidade de reconhecer e discriminar os estímulos visuais e de os interpretar. Pois a criança sofre com a falta de autoconfiança. relações espaciais. velocidade visual-motora e constância da forma. amigos e professores. É importante que a criança disléxica seja ensinada por professores capacitados. a praxia global e a integração das letras. ter esse apoio gera uma melhora significativa no comportamento do disléxico. seja atendida com paciência pelos pais. um de cada vez. De seguida. porém a maioria enfatiza a assimilação de fonemas. fechamento visual. a coordenação motora. só depende do profissional e da técnica utilizada no tratamento. A dislexia tem cura. Este exercício desenvolve a estruturação espacial. é fundamental que a criança com Dislexia tenha estes problemas resolvidos ou pelo menos minimizados o mais precocemente possível (a percepção visual desenvolve-se dos 3 anos e meio aos 8 anos). depois que desenhe a letra numa caixa com areia.

c) Imaginar ser um balão que se vai esvaziando gradualmente. O objectivo é controlar a marcha e os membros inferiores. devagar. pesados. diminui a tensão muscular. Neste exercício desenvolve-se o equilíbrio e a capacidade de controlo postural. ajuda na aquisição de uma postura correcta e melhora a capacidade atenção e concentração. de cócoras (joelhos dobrados). alivia os estados de stress e ansiedade. como um pato. b) Fingir ser um soldadinho de chumbo que se transforma num boneco desengonçado. depois ao sinal do técnico/professor e seguindo as suas indicações devem andar: depressa. ela promove a consciencialização corporal.Exercício Modelação Tónica Os alunos devem distribuir-se livremente pelo espaço. Para diminuir este estado de tensão é aconselhável proporcionar às crianças sessões de relaxamento. d) Imaginar ser uma marionete que se vai desmanchando à medida que os cordões que a seguram vão sendo cortados. promove um melhor conhecimento do corpo. A Relaxação tem diversos benefícios. à gigante. a nível físico e mental. permite controlar a força muscular. Este exercício requer a atenção dos alunos para modelarem a marcha de acordo com aquilo que é pedido. em pontas dos pés. O técnico/pai coloca uma música calma e vai dando indicações à criança: a) Imaginar ser um boneco de neve que aos poucos vai se derretendo ao sol. . Exemplo de uma actividade de relaxamento: A criança coloca-se em decúbito dorsal em cima de um colchão e fecha os olhos. ou aos segmentos corporais (braços e pernas). em situações de movimento corporal. A Relaxação As crianças com dislexia apresentam geralmente uma grande agitação nervosa e tensão muscular. A relaxação é um meio óptimo para adquirir o equilíbrio e pode ser aplicada na escola ou em casa. permite a diminuição dos estados de fadiga. sentir os diferentes níveis de tonicidade exigidos em cada forma de marcha e imprimi-los ao corpo. como um robôt. e a atenção. leves.

Seguidamente o técnico ou outra criança (caso o exercício seja aplicado numa sessão em grupo). do pé.e) Imaginar ser uma flor a secar no sol quente. A criança que está a receber o estímulo vai indicando os sítios onde está a ser estimulado (cara. entre outros). os braços e as pernas. g) Esticar e relaxar os dedos da mão. . braço direito. sentam-se ao lado da criança que permanece deitada de olhos fechados e vão-lhe passando objectos com diferentes texturas pelo corpo. perna esquerda. f) Esticar o corpo para pegar numa fruta pendurada na árvore.