You are on page 1of 13

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABORATÓRIO DE PROJETOS EM COMUNICAÇÃO

PROPAGANDA NAZISTA ANÁLISE SEMIÓTICA DE CARTAZES

Autor: Herik Bianke Braga E-mail: herikbbra@gmail.com Matrícula: UC110801363 Tel: 61-93588322 Professor: Joadir Foresti

Brasília 2013

Orientador indicado: Luís Carlos Assis Iazbeck Brasília 2013 .HERIK BIANKE BRAGA PROPAGANDA NAZISTA ANÁLISE SEMIÓTICA DE CARTAZES Trabalho apresentado à disciplina Laboratório de Projetos e Comunicação do Curso de Bacharelado em Comunicação Social – Habilitação em Publicidade e Propaganda da Universidade Católica de Brasília.

...................................................6 ESPECÍFICOS..........................12 LIVROS..................................................................................8 REFERENCIAL TEÓRICO.....................................................4 OJETO DE PESQUISA..........................................................................................................................................6 GERAIS.........................................................................................................................................................................6 OBJETIVOS.......................................................................................................................................11 ANEXOS............................................9 CRONOGRAMA.........................5 HIPÓTESES...................................................13 ..........................................................................................................................SUMÁRIO DELIMITAÇÃO DO TEMA.......................................................11 REFERÊNCIAS.........................................................................12 INTERNET........................................7 METODOLOGIA........................................................................................................................4 PROBLEMATIZAÇÃO......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

onde o foco será buscar cartazes que possam ser comparados com os da época de Hitler. faz uma aproximação entre o nazismo e as suas ideias demonstrando como algumas características da chamada persuasão política são utilizadas para que o texto publicitário envolva emocionalmente o cidadão. Esse estudo. cartazes convites em redes sociais. tanto em redes sociais quanto em sites de busca ou comerciais. Serão buscados na internet e em livros especializados. nos anos 20 e os cartazes veiculados na internet. período esse onde o Nazismo teve maior influência entre a população alemã com os atuais cartazes divulgados na internet em forma de pop-ups. o projeto tem como objeto de pesquisa os cartazes alemães produzidos durante o regime nazista. onde se relata uma grande influência dos meios de comunicação nas decisões individuais e coletivas do povo alemão. fazendo com que ele se identifique com o Partido Nacional Socialista. analisa o texto publicitário direto e subliminar e a mídia que o reforça e dá destaque a sua forma mais redutível: o slogan e as suas frases e as cores como o vermelho e preto da bandeira nazista. reduzindo o campo de pesquisa às peças disponíveis na internet. No segundo caso. apresenta uma visão da publicidade do Partido Nazista. Em seguida. 4 . OJETO DE PESQUISA Conforme apresentado. Far-se-á ainda uma comparação entre os cartazes veiculados na década de 20. bem como será efetuada uma pesquisa na própria internet. cartazes políticos e cartazes publicitários. busca identificar se existem ainda técnicas utilizadas nos cartazes nazistas ainda presentes nas divulgações dos dias atuais. cartazes que façam referências à propaganda nazista. Será analisado o processo técnico e ideológico da confecção dos cartazes nazistas por meio de pesquisa teórica e bibliográfica.DELIMITAÇÃO DO TEMA O projeto de pesquisa analisará o processo envolvido durante a exposição da propaganda no regime nazista. precedido de algumas notas históricas.

Segundo Marabini (1989.. harmonia. p. não exatamente por técnicas que provavelmente possam ter sido inventadas pelo nacional-socialismo. Seu olhar também era uma poderosa arma da qual dispunha. 5 . na Inglaterra. p. mas pela combinação de elementos coletados de várias fontes. uma chama quase insustentável. A inovação na propaganda Hitlerista até hoje impressiona por sua inovação. reflete um brilho ardente.seu olhar. além do cartaz. 23). . ópera. estabelecendo a transformação da sociedade da época pelo capitalismo.PROBLEMATIZAÇÃO A história do cartaz publicitário começou com a Revolução Industrial no século XVIII. tornando a sociedade uma massa incapaz de terem pensamentos próprios. discursos do próprio Hitler e também pelo já citado cartaz. propaganda política e dos meios de comunicação de massa que acabavam de nascer nos anos 20. seu carisma e o fascínio da população pelo Führer são objetos de estudo e impressionam pelo grau de complexidade no tange a seu entendimento. tipografia e cor permitindo aos artistas gráficos da época produzir propagandas eficientes. Nesse período houve evolução técnica e tecnológica nos métodos de produção. que faz dele um magnetizador temível.. cinemas. o modo de se portar. Sabe-se que palavras de ordem como “esmagar”. ficando reféns das ideologias apresentadas por meio das propagandas veiculas nos rádios. “cruel”. (DIEHL. O cartaz publicitário foi a essência da arte publicitária. 1996. “força” e “ódio” permeavam toda a sua fala. Deve-se citar ainda que durante o regime nazista. tais como equilíbrio. se o partido nazista fosse eleito. os cartazes que eram produzidos exclusivamente para a massa. como teatro. acabariam os problemas de humilhação e miséria depois da Primeira Grande Guerra. de um azul muito claro. passavam a mensagem de que. incorporando os princípios básicos do design. Numa visão geral. diversos meios de persuasão foram utilizados. 85) Os gestos.

Eles sabiam muito bem que a mensagem que queriam passar ao povo. . porém. HIPÓTESES De acordo com o apresentado. ou que faça referência ao movimento e que atualmente são veiculados na internet. especialmente da comunicação. podemos afirmar que os mesmos são direcionados à massa. favorece uma falta de compreensão sobre o Nazismo. Quanto aos cartazes e outras propagandas de cunho nazista.os cartazes foram uma importante ferramenta de persuasão no decorrer do nazismo. faz-se necessário saber como eles impactam nas decisões de seus receptores. 6 . no entanto. sugiro as hipóteses abaixo para esse estudo. com técnicas e modos de construção diferentes.o fato de não se utilizarem os cartazes desse estudo no espaço acadêmico. explorando o sentimento e trabalhando psicologicamente para que houvesse essa identificação obcecada pelo “Führer”. que era a maioria. deveria ser adequada as pessoas menos favorecidas. OBJETIVOS GERAIS • Mostrar como o uso dos cartazes durante o regime nazista exerceu poder de influência sobre o povo alemão e ainda hoje continua a exercer poder através da internet. . levando-se em consideração o que foi exposto na problematização: .as imagens utilizadas nos cartazes representam um poder de decisão.

E entenderemos a palavra apenas se pudermos conhecer a língua a que pertence. • Comprovar que atualmente muitos ainda são aqueles que se utilizam de técnicas nazistas para a construção de suas propagandas. um sinal ou um som qualquer. para vê-la. basta não ser cego. Neste sentido: É a televisão que modifica primeiro e fundamentalmente a própria natureza da comunicação. 7 . • Mostrar que os cartazes foram de suma importância para a concretização do poderio hitlerista no sentido de orientar uma grande massa em direção a um único ideal. JUSTIFICATIVAS Ainda hoje. “A televisão. basta possuir o sentido da visão. a muito deixou seu caráter de mero instrumento de comunicação para transformar-se num meio idôneo a produzir um novo tipo de ser humano: o homo videns”. A diferença é radical. e. A imagem se vê e isso é suficiente. a imagem é pura e simples: representação visual. Por sua vez. Por exemplo: A mídia atualmente é marcada por funções que não vão além das características informativas. A palavra é um símbolo que se resume no que significa. tamanho seu cuidado e técnica. caso contrário é letra morta.ESPECÍFICOS • Estudar os cartazes sob os diversos aspectos da Publicidade e Propaganda como forma de levantamento de informações sobre a quantidade de informações difundidas e prontamente recebidas pelo povo sob a ótica da teoria hipodérmica. no que nos faz entender. vê-se e é suficiente. muitas propagandas baseiam-se nas técnicas utilizadas durante o regime nazista. antes mesmo de sua divulgação nas ruas da Alemanha. • Descrever como era o processo de confecção e veiculação dos cartazes e como o seria o seu impacto no povo. A imagem não se vê em chinês árabe ou inglês. como já foi dito. pois a transfere do contexto da palavra (impressa ou radio-transmitida) ao da imagem.

Como material de análise foram escolhidos os cartazes da "Liberação Alemã" que sugeria uma confraternização para continuar o movimento Nazista no momento em que a Festa dos Trabalhadores era proibida. Partindo-se das informações coletadas. sob certo aspecto ou modo. O terceiro e último cartaz é o das Eleições do Parlamento que resume a ideologia nazista em uma imagem: A espada nazista cravada sobre a estrela de Davi na cabeça da cobra. representa algo para alguém. 8 . METODOLOGIA O método escolhido para a elaboração deste trabalho será através de análise semiótica de imagens. Um signo é aquilo que. tais como Facebook. de alguma forma. Linkedin. As teorias de Peirce. faz-se necessário para que assim. foi referência entre os designers nazistas. a comunicação possa ser um pouco mais destrinchada. onde a análise nos permitirá identificar alguns aspectos que podem estar escondidos aos olhos daqueles que somente veem a imagem exposta sem a devida preocupação em uma análise técnica. possibilitando maior compreensão sobre seu discurso e também sobre seu poder sobre o público-alvo. O cartaz traz os dizeres "Socialismo Nacionalista: o Espírito de Organização da Nação". a fim de atingir o objetivo proposto. construindo assim um artigo. entre outros. o segundo cartaz desenhado por Mjölnir. Twitter. Revelar o que existe. porém de forma mascarada.A mensagem apelativa ainda é vista de diversas formas nas grandes mídias. semioticamente falando. Além dos cartazes citados acima e posteriormente anexados a este projeto. serão analisados cartazes disponibilizados em redes sociais. estabelecerão uma base sólida de pesquisa e de levantamento de informações. a análise será fundamentada no campo de visão Peirciano. como referência.

a técnica passou a ser vista também como ilustração. desenhavam as letras na matriz de pedra para serem impressos com as imagens. Nessa época. A partir da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). p. seu primeiro cartaz foi fixado nas ruas de Paris. nas décadas de 1880 e 1890. Foi ele quem criou a cromolitografia. Desde o início. tratando-a como tática política.REFERENCIAL TEÓRICO No final do século XIX. nascendo ali o novo conceito publicitário. mas também do que era vendido. se destacava um pintor ganhando espaço e reconhecimento. 82) Os meios de comunicação já exerciam papel social importante no início do século XX.. como parte fundamental da cena que se desenvolva no plano do cartaz. Outro artista gráfico Jules Chéret. jornal e rádio. a história alemã entre o período da ascensão nazista e a morte de seu maior ditador. Tanto Lautrec quanto Chéret usavam estilos tipográficos próprios. estabelecendo no novo padrão a concepção não só do produto gráfico. foi responsável pela popularização dessa mídia no período. pelos seus cartazes para o Moulin Rouge pela sua rebeldia e sua paixão pela vida noturna. demonstrando a estratégia de propaganda para influenciar intensamente a emoção do povo alemão em sua ideologia nazista. a propaganda estimulava a coletividade no sentido de uma ideia.. 1996. Desde a Primeira Guerra. Touluose-Lautrec compreendeu que a essência do cartaz era a simplicidade e que ela poderia captar a atenção do público e transmitir sua mensagem antes que o passageiro fosse levado adiante pela carruagem. preparando-a para a vitória da mesma. o papel da comunicação vinha sendo amplamente discutido por sociólogos e psicólogos. como o cartaz. Dessa forma. isto é. “. Hitler tratou de dar ênfase especial para a propaganda. Para ele. Henri Touluose-Lautrec. Em 1891. ou antes que o pedestre fosse distraído por outra visão na cidade agitada. Desde 9 . a possibilidade de impressão com várias cores e matrizes de pedra.” (DIEHL. surgiu na capital francesa o cartaz publicitário que tornou o estilo Belle Époque conhecido mundialmente.

“O fervor e a sinceridade impressos na fala de Hitler. econômico. a Alemanha nazista mantinha programas orientados aos povos de língua inglesa. sin-signo e legi-signo. religioso. O argumento proposto por Hitler de que a Alemanha não havia sido derrotada em campo de batalha. entoaram no discurso de Hitler a convicção sobre a humilhação e o desespero daquele povo derrotado. cresceu e arremessou a Alemanha na Segunda Guerra Mundial e também o resto do mundo. A propaganda nazista foi parte dos apocalípticos fatos acontecidos no século passado. aliados à profunda compreensão da situação do povo alemão. O mais impressionante é a intensidade com que movimento nazista nasceu. 1986) Hitler idealizou os princípios da estrutura e a força da propaganda que levou o nazismo ao poder ao lado do Ministro da Propaganda. o Holocausto de judeus. dava às pessoas exatamente aquilo que desejavam: um alvo para seus ressentimentos. compreendendo três níveis de análise. movimentos culturais e o contexto histórico para posterior recorte dos cartazes a serem selecionados. político. ciganos e homossexuais que foram apontados pelos nazistas os culpados da guerra mais sangrenta na história da humanidade. ideológico. Atualmente temos na internet uma grande abertura para manifestação de várias ideologias e pensamentos. Diante dessa situação optei por apresentar a análise dos signos presentes nos cartazes a partir da visão principais da semiótica de Pierce: a classificação do signo em si e em relação ao objeto. algo para odiar e culpar pelos problemas da nação”. A pesquisa delimitou e investigou as produções cinematográficas. ainda a serem definidos dentre os vários confeccionados. A poderosa ferramenta. o qualisigno. como forma de persuasão para alcançar o topo. analisar a importância da propaganda durante o regime nazista na Alemanha é importante para verificar o processo de persuasão existente nos cartazes propagandísticos veiculados durante o nacional-socialismo. Como material de análise serão escolhidos três cartazes. a desumanidade de Hitler. e vários ativistas nazistas buscam na grande rede 10 . mas sim havia sido traída pelos comunistas e pelos judeus. (MARCONDES. foi utilizada pelos homens do poder. como a forma de cativar simpatia. Joseph Goebbels. a propaganda.1933. Portanto.

por exemplo. pode-se citar a comunidade “Fascismo e Nazismo”. que dissemina o nazismo. dos quais quatro têm origem brasileira. rede social destinada a comunicação reduzida a no máximo 140 caracteres. espanhola e portuguesa). também virou espaço dos movimentos neonazistas. a internet. No Twitter. que já angariou 131 assinaturas em pouco mais de 4 meses de criação. Um mapeamento da manifestação desses grupos identificou cerca de 13 mil páginas na rede (em língua inglesa. Vários sites podem ser encontrados em uma simples busca com o termo “nazismo na internet”. destaca-se a página @VNNForum.mundial seguidores que tenham os mesmos princípios. racismo e outras formas de preconceito escancaradamente. (MARIZ. facilitando assim a adesão em massa daqueles que se identifiquem com o movimento. 2007) CRONOGRAMA Atividades Levantamento Bibliográfico Leitura e Fichamento das Obras Coleta e Seleção de Dados Revisão Bibliográfica Análise Crítica do Material Elaboração preliminar do texto Redação provisória Entrega para avaliação do orientador Revisão e Redação Final Entrega ao Coordenador Defesa do Trabalho Jul X Ago X X X X X X X X X X Set Out Nov Dez ANEXOS 11 . São alimentadas por aproximadamente 40 sites principais. No Facebook. O meio mais utilizado para a prática de pedofilia.

158 p. 2007. São Paulo: Ática. DIEHL. 2006. São João da Boa Vista . Monografia (Bacharel) Curso de Comunicação Social. Propaganda e Persuasão na Alemanha Nazista. Propaganda e Persuasão na Alemanha Nazista. 158 p. 1996. Triunfo da Vontade. Diego Vidal de. São Paulo .Sp. 57 f. Alcir. 1996.Sp: Annablume. LENHARO.Sp: Annablume. São Paulo . Paula. DIEHL. 12 . Paula. 2006. Propaganda Nazista.REFERÊNCIAS LIVROS ARAÚJO. Centro Universitário De São João Da Boa Vista – Unifae.

O cartaz publicitário: O seu estudo enquanto imagem. Acesso em: 29 maio 2013. Sobre Hitler e a comunicação visual. Disponível em: <http://chocoladesign. . Acesso em: 1 maio 2013. 1986. Das Letras. Acesso em: 16 abr. MARCONDES FILHO. Paul John. HISTÓRIA DO DESIGN: Design no Século XIX. Disponível em: <http://g1. Jornal nazista volta às bancas na Alemanha: Editora lança coleção de facsímiles de jornais da era nazista na Alemanha. 2013. Ciro.Sp: Cia. Petrópolis: Vozes. Acesso em: 02 maio 2013.br/artedu/histodesign/2_design_secxix. G1.html>. Quem manipula quem?:Poder e massas na indústria da cultura e da comunicação no Brasil. 163 p.slideshare. 1989. 5. Disponível em: <http://www.net/pauljohnvicente/toulouse-lautrec-o-cartazpublicitrio>.MUL956723-5602.com/sobre-hitler-e-a-comunicacao-visual>.00.. Berlim no tempo de Hitler. 13 .globo.MARABINI.. INTERNET BENVENUTTI. Disponível em: <http://www.estagiodeartista. J.com/Noticias/Mundo/0. ed. 2011. VICENTE.htm>. Emanuele.pro. São Paulo .