You are on page 1of 156

É expressamente proibido cópia, reprodução parcial, reprografia, fotocópia ou qualquer forma de extração de informações deste sem prévia autorização

dos autores conforme legislação vigente.

Abril/2009

2

Índice

1-) NOÇÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO _________________________________________ 3
1.1-) ASPECTOS BÁSICOS ICMS / IPI / ISS __________________________________________ 8

2-) ENQUADRAMENTO DOS CONTRIBUINTES _________________________________ 10
2-1) F E D E R A L ______________________________________________________________ 10
2.1.1-) Lucro-Presumido: _________________________________________________________________10 2.1.2-) Lucro-Real: _______________________________________________________________________10 2.1.3-) Lucro Arbitrado __________________________________________________________________11 2.1.4-) Simples Nacional __________________________________________________________________11

2.2-) 2.3-)

E S T A D U A L ____________________________________________________________ 20 M U N I C I P A L ___________________________________________________________ 22

3- ) CÁLCULOS DE TRIBUTOS________________________________________________ 24
3.1-) ICMS _______________________________________________________________________ 24 3.2-) IPI __________________________________________________________________________ 30 3.3-) PIS / COFINS – Não-Cumulativo ______________________________________________ 34 3.3.2-) PIS / COFINS – Cumulativo _________________________________________________ 37 3.4-) IRPJ e CSLL no Lucro Presumido ____________________________________________ 46 3.5-) ISS – Prestação de Serviço ___________________________________________________ 51 3.6- ) Simples Nacional ___________________________________________________________ 51

4-) DOCUMENTOS FISCAIS __________________________________________________ 59 5-) OBRIGAÇÕES ACESSÓRIOS ______________________________________________ 76 7-) OPERAÇÕES E EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS_____________________________ 117

Municípios PAGA Sujeito Passivo . taxa de inspeção sanitária. à disciplina da produção e do mercado. O benefício não é individual. disciplinando direito. Estados e Municípios e o Distrito Federal podem. II. em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir.Tratados e Convenções Internacionais Leis Complementares Leis Ordinárias. IE.Exemplo de impostos: ICMS. IPVA TAXAS – Utilizadas para retribuir o ônus inerente ao exercício regular do poder de polícia1 e os serviços específicos e divisíveis (coleta de lixo. que não constitua sanção de ato ilícito. regula a prática de ato ou abstenção de fato. interesse. IPI. instruções Normativos Tributo é toda prestação pecuniária compulsória.Distrito Federal . resultante da imposição. assim divididos: IMPOSTOS – Serve para atender as necessidades gerais da Coletividade. Em outro conceito podemos dizer que Direito Tributário é a disciplina da relação entre o Tesouro Público e o contribuinte. CONTRIBUIÇÕES DE MELHORIA – São aquelas instituídas em razão de valorização do particular. etc). (Prefeitura construiu uma Praça próxima de um terreno particular e valoriza o local do particular). Poder Contribuinte Originário: Constituição Federal Emenda Constitucional. em função da realização de uma obra pública. a atividade da Administração Pública que.Pessoa Jurídica Divisão de espécies de Tributos: Os tributos são divididos em 5 espécies.União .Estados . instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada (artigo 3º da CTN) A União. aos costumes. arrecadação e fiscalização dos tributos. licenciamento de veículos. em razão de interesse público referente à segurança. e sim para a toda a comunidade. Considera-se poder de polícia.3 1-) NOÇÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO Direito Tributário é um ramo do direito administrativo que estuda os princípios e as regras aplicadas ao exercício do poder de tributos do Estado Democrático de Direito. instituir os tributos de sua competência. RECEBE Sujeito Ativo . 1 . Essa competência é dada pela Constituição Federal.Pessoa Física . à higiene. à ordem. por Lei. Medidas Provisórias Resoluções no Senado Federal Convênios Firmados Atos.

IPVA e etc. CONTRIBUIÇÕES – Que objetivam a regulamentação da economia. DIRETOS. Multa. Classificações De Tributos: DIRETOS e INDIRETOS. são aqueles em que a carga financeira decorrente da obrigação tributária é transferida para terceiros ficando sujeito passivo obrigado a recolher o respectivo valor.4 EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS – São instituídos visando atender as calamidades públicas ou guerra externa e investimento público relevante para o interesse nacional. Empréstimos Compulsórios (art. LEGALIDADE (Art. IPTU. Exemplo : IPI. Os impostos diretos incidem sobre o patrimônio e a renda. VII. os interesses de categorias profissionais e o custeio da seguridade social e educacional. 150. § 4º. CF) 2. Exemplo : IRPF. da CF88 c/c art. IRPJ. 97 do CTN) Os entes tributantes só poderão criar ou aumentar um tributo por meio de LEI. Base de Cálculo.vendedor ou prestador de serviço. I. ICMS. Impostos Residuais da União (art. CF) 3. ISS. Distrito Federal. COFINS e etc. Os impostos indiretos são aqueles que incidem sobre a produção e a circulação de bens e serviços e são repassados para o preço. EXCEÇÕES : ¾ Tributos majorados por Ato do Executivo – Função Regulatória (têm caráter extrafiscal – regulam a econômia ou o mercado do país) . mas o ônus fica transferido para outrem. pelo produtor. INDIRETOS. seus elementos criados deverão conter obrigatoriamente é Alíquota. I. ITR. Princípios Gerais do Direito Tributário A Constituição Federal de 1988 determina alguns princípios que impedem a União. Fato Gerador. A lei apta a instituir ou aumentar um tributo é LEI ORDINÁRIA ou Medida Provisória. e são considerados tributos de responsabilidade pessoal. 148. 195. são aqueles em que o valor econômico da obrigação tributária é suportado exclusivamente pelo contribuinte sem que o ônus seja repassado para terceiros. ¾ Há 04 (três) tributos federais exigem criação por LEI COMPLEMENTAR: 1. Contribuições Previdenciárias Novas (art. CF) 4. e Municípios a instituírem tributos que são: 1. Imposto sobre Grandes Fortunas (art. Estados. Sujeito Passivo. 153. 154.

III. 150. § 4º. II. obedecendo o prazo de 90 dias. CF88) 2. ANTERIORIDADE OU EFICÁCIA DIFERIDA (Art. Isso foi feito para não pegar contribuinte de surpresa e garantir a Segurança Jurídica. Empréstimo compulsório 2. por igual período Tributo criado ou majorado por MP somente será devido no ano seguinte ao da conversão da MP em Lei (art. b. §2º. 62. Exercício Financeiro é o interregno entre 1º janeiro e 31 de dezembro. IOF e IR 3. LEMBRE: Onde a Lei Complementar versar. b. CF88) ¾ ICMS – Combustíveis (art. 155. c. ANTERIORIDADE MÍNIMA (Art. que acrescentou esse princípio.5 ¾ Imposto de Importação ¾ Imposto de Exportação ¾ Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) ¾ Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) ¾ CIDE – Combustíveis (art. é necessário também observar se da data que instituiu ou majorou o tributo já decorreram 90 dias. 149. e o pagamento do tributo. IV. além de observar o exercício financeiro seguinte. Imposto Extraordinário de Guerra 4. Porém são exceções: 1. que intermediará a lei. fruto da conversão da MP. CF88). § 2º. 150. a Medida Provisória não irá disciplinar. 177. c/c art. IE. §4º. Segundo essa nova regra. Fixação de base de cálculo do IPVA e do IPTU . III. ] ƒ 3. II. da CF88) Trata-se de regra constitucional introduzida pela EC 42/03 . • IMPOSTO DE RENDA Exercício seguinte sem 90 dias. MEDIDAS PROVISÓRIAS ƒ ƒ ƒ Podem ser usadas para instituição ou majoração de tributos desde que não sejam matérias reservadas a Lei Complementar Têm validade por 60 (sessenta) dias e podem ser reeditadas 01 só vez.da CF88) Os entes tributantes não podem cobrar tributos no mesmo exercício financeiro em que tenha sido publicada a lei.

9. CF88) Os entes tributantes não podem instituir tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situação equivalente. CF88) É vedado aos entes tributantes estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens. 7. . Esse é o fundamento constitucional da progressividade de alíquotas que encontramos. 150. 150. c/c art. IV. 150. mais se paga. a. LIBERDADE DE TRÁFEGO DE PESSOAS E BENS (Art. UNIFORMIDADE GEOGRÁFICA (Art. Quanto mais se ganha. por exemplo. IRRETROATIVIDADE (Art. CTN) Os entes tributantes não podem cobrar tributos em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei que os aumentou ou criou. Confisco é a tributação excessiva ou exacerbada. CF88) Obriga a UNIÃO a instituir tributos federais de forma uniforme no Brasil. por meio de tributos interestaduais ou intermunicipais. VEDAÇÃO DE CONFISCO (Art. 6. no tocante à fixação de alíquotas diferenciadas. Apregoa a graduação de incidência quanto aos impostos pessoais. 145. com o fito de promover a justiça fiscal. CAPACIDADE CONTRIBUTIVA (Art. II. I. III.da CF88) É um sub-princípio que reforça o princípio da ISONOMIA. 118 c/c 126 do CTN) • • Todos que realizarem o fato gerador pagarão o Tributo Não se avalia a nulidade do ato jurídico. 19.6 4. III. logo cabe ou não a aplicação do princípio da vedação de confisco 8. 150.da CF88 c/c art. É o judiciário que irá definir no caso concreto se um tributo está ou não sendo utilizado como meio de confisco. Lei anterior Fato Gerador (posterior) 5. proibida qualquer distinção em razão de ocupação funcional ou função por eles exercida. 151. ressalvada a cobrança de pedágio pela utilização de vias conservadas pelo Poder Público. Multa não é tributo. a capacidade civil do sujeito passivo ou mesmo a licitude do ato. Em razão desse princípio derivam os Princípios da Interpretação Objetiva ou Princípio da Cláusula Non Olet (arts. IGUALDADE (Art. CF88) É vedado aos entes tributantes utilizar tributo com efeito de confisco. V. § 1º. no IPTU e IR. 144.

155. ISS. COFINS e PIS/Pasep observado o disposto no inciso XII do § 1º deste artigo. 2 . existe exceção. NÃO-CUMULATIVIDADE (Arts. Estadual e Municipal. inclusive o derivado de gás natural e de nafta. gás liquefeito de petróleo (GLP). observado o disposto no inciso XII do § 1º deste artigo. IR . é o caso do IPI e do ICMS. IPI.Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e a comercialização de gasolina e suas correntes. I. diesel e suas correntes. O recolhimento desses tributos que o SN abrange exclui a incidências de imposto e contribuições nos termos do § 1º do artigo 13 da mesma LC.Imposto sobre operações Financeiras ITR . querosene de aviação e outros querosenes.Imposto de Renda II .Imposto sobre Importação IOF . §2º. SELETIVIDADE (ARTS 155 §§6º e 2º incisos II. Contribuição Patronal Previdenciária . e álcool etílico combustível. que são destinados a promover o equilíbrio sócio-econômico entre as diferentes regiões do País.Imposto Territorial Rural INSS . Quanto mais a necessidade de um produto menor será sua alíquota . Os Impostos e Contribuições dos entes federado são os seguintes: Competência FEDERAL IPI – Imposto Produtos Industrializados PIS/PASEP – Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público COFINS – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social Cide Combustíveis .Contribuição Social sobre o Lucro Líquido SIMPLES NACIONAL2 – Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Conforme artigo 12 e 13 da Lei Complementar 123/06 o Simples Nacional abrange os seguintes impostos e contribuições: IRPJ. Ex: Zona Franca de Manaus (área de livre comércio) 10. III CF) Tem a condição de selecionar os bens tributários aplicando-lhes alíquotas difeirentes de acordo com seu grau de essencialidade. compensando-se o que for devido em cada operação relativa à circulação de mercadorias ou prestação de serviço com o montante cobrado anteriores pelo mesmo ou outro Estado ou pelo Distrito Federal.CPP para a Seguridade Social nos termos do inciso VI do artigo 13 dessa LC. 153. Porém. relativo as Contribuições Previdenciárias CSLL . e o ICMS. CF88) Visa evitar o efeito cascata dos tributos. 154. 10. CSLL . óleos combustíveis (fuel-oil).7 Os tributos federais devem conter a mesma alíquota em todo o território nacional. II. pois a atenuação existe para os incentivos fiscais.Instituto Nacional do Seguro Social. I. §3º. O Sistema Tributário de Arrecadação divide-se em três esferas: Federal.

1-) ASPECTOS BÁSICOS ICMS / IPI / ISS Contribuinte : É a pessoa física ou jurídica que por ter relação direta com o fato gerador. .É o prestador de serviços.Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores ITCMD . a lei atribui a obrigação de recolher o imposto. ICMS É qualquer pessoa física ou jurídica que realize operações relativas a circulação de mercadorias ou preste serviço de transporte intermunicipal e interestadual e comunicação. Base de Cálculo: Conjunto de Valores.” 1. utilizado para cálculo de Tributos. com ou sem estabelecimento fixo. Fato Gerador : Motivo da Incidência do Tributo. ICMS Na saída da mercadoria do estabelecimento contribuinte ou no início da prestação de serviço de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação.8 Competência ESTADUAL ICMS – Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação IPVA. de competência dos Municípios.Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos. Competência MUNICIPAL ISSQN – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza NOTA: “O Distrito Federal.Quando ocorre a prestação de serviços.Na saída do produto industrializado do estabelecimento industrial ou equiparado a industrial. ICMS Para estabelecimento de comercialização e industrialização integra a base de cálculo o valor dos produtos. possui a competência tributária para instituir todos os tributos de competência dos estados e municípios. Quando se destinar a uso e/ou . ISS . IPI . de acordo com a constituição Federal. ISS . mais as despesas acessórias (frete e seguro) menos descontos incondicionais. por empresa ou profissional autônomo. IPI É qualquer pessoa jurídica que execute operações de industrialização.

. o Imposto de Importação também integra a base de cálculo.... é considerada como usuário final. 12%.. IPI ... Operações ou Prestações Interestaduais que destinarem mercadorias ou serviços a contribuintes localizados nos Estados da regiões NORTE..no caso de importação aplica-se a alíquota interna. ou seja........ sociedade civil e construtoras........... CENTRO-OESTE e no Estado do ESPÍRITO SANTO............ No caso de mercadoria recebida do exterior.......... 12%.. resultando assim o tributo para o recolhimento.. órgãos governamentais.... ISS .. Alíquota: Percentual aplicado sobre a base de cálculo............A alíquota serviços prestados é estabelecida conforme Lei Municipal................... NORDESTE.... podendo variar de 2 a 5% conforme Emenda Constitucional nº 33/2002.....12% Quando se tratar de retornos e devoluções.......... Quando a pessoa jurídica adquire mercadoria para uso e/ou consumo próprio (uso na manutenção e conservação)..7% Operações ou Prestações Interestaduais que destinarem mercadorias ou serviços a contribuintes localizados nos Estados das regiões Sul e Sudeste..006 de 28 de dezembro de 2006... 18% ou 25% Todas Notas Fiscais de ENTRADAS de operações INTERESTADUAIS com destino ao Estado de SÃO PAULO – SP a alíquota será de...... ao passo que a pessoa física é considerada consumidor final....... ICMS Operações ou Prestações Internas – verificar a alíquota interna do produto: 7%. ..........9 consumo próprio ou ativo imobilizado do destinatário o IPI integra a base de cálculo do ICMS.... IPI . ISS – É o valor do serviço prestado.. não sujeitos a inscrever-se no cadastro de contribuintes da Secretaria da Fazenda Estadual................ aplica-se a alíquota da operação original....A base de cálculo do IPI é o valor do produto.... mais o valor do frete e das demais despesas acessórias.. Nota: NÃO CONTRIBUINTE: É a pessoa física..........7%. associações de classe.....12% Operações INTERESTADUAIS para NÃO-CONTRIBUINTES: Utilizar a alíquota interna do produto..........As alíquotas do IPI e suas respectivas classificações fiscais constam na TABELA DE INCIDÊNCIA – TIPI... Decreto 6................... 18% ou 25% ....

000. fusão ou cisão.2-) Lucro-Real: O “Lucro Real” é uma forma de recolhimento de tributário que a pessoa jurídica que aufira receita bruta total. NOTAS: Excepcionalmente.10 2-) ENQUADRAMENTO DOS CONTRIBUINTES De acordo com a LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA 2-1) F E D E R A L 2.000. no ano-calendário seja superior ao limite de R$ 48.718/98 com nova Redação dada pela Lei 10. código Lucro Presumido. sendo definitiva a tributação pelo lucro presumido relativa aos 2 (dois) primeiros trimestres (Lei nº 11.000. distribuidoras de títulos e valores mobiliários. de investimento. no ano-calendário seja igual ou inferior a R$ 48. de 2004.1.1-) Lucro-Presumido: O Lucro Presumido é uma forma de recolhimento tributário que o sujeito passivo poderá escolher desde que esteja dentro de algumas regras: a)a pessoa jurídica cuja receita bruta total. em relação ao 3º (terceiro) e ao 4º (quarto) trimestres-calendário de 2004. 2.000. 517). de arrendamento mercantil. art. b) que não estejam obrigadas à tributação pelo lucro real em função da atividade exercida ou da sua constituição societária ou natureza jurídica. caixas econômicas.033. Assim.00 (quarenta e oito milhões). sendo que durante o ano-calendário não pode alterar a opção para o Lucro Real. crédito imobiliário. cooperativas de crédito. empresas de seguro privadas e capitalização e entidades de previdência privada aberta (as sociedades corretoras de seguros não se enquadram como “empresas de seguros privados”). 8º). corretoras de títulos de câmbio. art. mesmo que a empresa tenha prejuízo na sua atividade deve pagar o IRPJ e a CSSL nos quatro trimestres do ano em que optou pelo presumido.718/98) As pessoas jurídicas que tenham iniciado suas atividades ou que resultarem de incorporação.(Artigo 13 Lei 9.637/02) . Regra geral são empresas cuja atividade exercida seja banco comercial. a pessoa jurídica submetida ao lucro presumido poderá apurar o Imposto de Renda com base no lucro real trimestral. financiamento e investimentos. ocorrida a partir do segundo trimestre do ano-calendário. A opção pelo Lucro Presumido se dá mediante o pagamento da DARF.1. (artigo 13 da Lei 9. . sociedades de crédito.00 (quarenta e oito milhões). outros bancos. poderão manifestar a sua opção por meio do pagamento da primeira ou única quota relativa ao trimestre de apuração correspondente ao início de atividade (RIR/1999.

receita bruta igual ou inferior a R$ 240.000.406. de 10 de janeiro de 2002. desde que: I – no caso das ME. conforme o caso. (arts. aufira. a pessoa jurídica.3-) Lucro Arbitrado: Fica responsável pela tributação com base no lucro arbitrado.1. Quando conhecida a receita bruta. 966 da Lei nº 10. sendo irretratável para todo o ano-calendário Somente a pessoa jurídica que se enquadrar no conceito de ME ou de EPP é que poderá optar pelo Simples Nacional. receita bruta superior a R$ 240. . o contribuinte poderá efetuar o pagamento do imposto de renda correspondente com base nas regras do lucro arbitrado. desde que ocorrida qualquer das hipóteses de arbitramento previstas na legislação fiscal. Lei 9.00 (dois milhões e quatrocentos mil reais). II – no caso das EPP. ou a ela equiparada. ou a ela equiparada.00 (duzentos e quarenta mil reais).1. conforme o caso. autorizadas pela legislação tributária.11 Contribuintes que auferiram rendimentos ou ganho de capital e lucros provenientes do exterior.400. Empresas que usufruíram de benefícios fiscais relativos a isenção ou redução de impostos.4-) Simples Nacional A opção pelo Simples Nacional dar-se-á por meio da internet. em cada anocalendário. e. a sociedade simples e o empresário a que se refere o art. 2. Empresas que efetuaram pagamento mensal do imposto de renda pelo regime de Estimativa. devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro Civil de Pessoas Jurídicas. o contribuinte que : De acordo com a Receita Federal do Brasil o arbitramento de lucro é uma forma de apuração da base de cálculo do imposto de renda utilizada pela autoridade tributária ou pelo contribuinte. Contribuintes que prestaram serviços de assessoria creditícia. em cada ano-calendário. “Artigo 2º Consideram-se microempresas (ME) ou empresas de pequeno porte (EPP) a sociedade empresária.249/95) Nota: qualquer pessoa jurídica poderá escolher esse regime tributário se assim lhe convier.00 (duzentos e quarenta mil reais) e igual ou inferior a R$ 2. gestão de créditos. É aplicável pela autoridade tributária quando a pessoa jurídica deixar de cumprir as obrigações acessórias relativas à determinação do lucro real ou presumido. 247 547 do RIR/1999.000. 2. o empresário. mercadológica e enquadra-se como factoring. a pessoa jurídica. aufira.000. o empresário.

1. exceder o limite de receita bruta anual previsto no inciso I passa. a pessoa jurídica ingressa com processo administrativo no órgão de administração tributária federal.5. com o código de arrecadação de outro tributo. mas. na realidade. no ano-calendário seguinte.1.5. ao mesmo tempo. Cabe ao órgão de administração tributária que se situar no pólo passivo da ação judicial incluir a pessoa jurídica no Simples Nacional. solicitando revisão do indeferimento. automaticamente. exercer atividade econômica permitida e atividade econômica vedada não poderá optar pelo Simples Nacional.1-) Por opção O ingresso por opção ocorre quando a própria pessoa jurídica formaliza a sua opção no Portal do Simples Nacional na internet e o sistema de processamento de dados defere essa opção. por equívoco. no ano-calendário seguinte. 2. Esse é o modo normal de uma pessoa jurídica ingressar no regime de tributação. automaticamente. independentemente de essa atividade econômica ser considerada principal ou secundária. 2.1.5.12 § 1º A ME que no ano-calendário. 2.1. distrital ou municipal que indeferiu. .1.3-) Inclusão judicial O ingresso por inclusão judicial é ato praticado pela administração tributária da União.2-)Inclusão administrativa (de ofício) O ingresso por inclusão administrativa (de ofício) é ato praticado pela administração tributária e se dá quando a pessoa jurídica formaliza a sua opção e ela é indeferida. É um ato que decorre da vontade da pessoa jurídica. Neste caso. dos Estados. não ultrapassar o limite de receita bruta anual previsto no inciso I passa. O Anexo II da Resolução CGSN nº 006 relaciona os códigos de atividades econômicas previstos que abrangem concomitantemente atividade impeditiva e permitida ao Simples Nacional.5. à condição de EPP. estadual. a pessoa jurídica pode efetuar a opção. de uma pessoa jurídica que teve a sua opção indeferida por débito no Estado. Ou seja um único código inclui atividades vedadas e permitidas. § 2º A EPP que no ano-calendário. Não poderão optar pelo Simples Nacional as ME e as EPP que.1-) O ingresso da ME e da EPP no Simples Nacional se dá por um dos seguintes modos: 2. Não concordando com o indeferimento da opção.1.1. também exerçam pelo menos uma atividade vedada. sob condição de declaração de que exerce tão-somente atividades permitidas no Simples Nacional. É o caso. por exemplo. do Distrito Federal ou dos Municípios em decorrência de um mandado judicial. o débito já fora pago. à condição de ME.” Fonte: Resolução CGSN nº 04/2007 A pessoa jurídica que. embora exerçam diversas atividades permitidas.

13 Observação: Além dos três modos mencionados, no segundo semestre do ano de 2007, existiu o ingresso no Simples Nacional por migração automática. Simples Federal Simples Nacional

Esse modo de ingresso no regime consistiu em transferir automaticamente as pessoas jurídicas que eram optantes pelo Simples Federal para o Simples Nacional, desde que elas não incorressem nas vedações previstas para o novo regime de tributação destinado às ME e às EPP. As pessoas jurídicas sem pendências foram migradas automaticamente para o Simples Nacional, com data de efeito de 01/07/2007, e tiveram a oportunidade de cancelar essa migração, caso não desejassem permanecer no Simples Nacional. Já as pessoas jurídicas que incorreram em alguma vedação e não migraram automaticamente para o Simples Nacional puderam, dentro do prazo estabelecido, regularizar suas pendências e, mediante opção, ingressarem no regime. Esse modo de ingresso no Simples Nacional, por migração automática, só ocorreu no segundo semestre de 2007.

2.1.5.1.4-)Por prazos Os prazos para a pessoa jurídica optar pelo Simples Nacional são os seguintes: a) No caso de pessoa jurídica em início de atividade, a opção pode se dar em qualquer mês do ano, desde que dentro do prazo de trinta dias contados da data do deferimento da última inscrição da matriz no Município e, se exigível, no Estado. b) Na hipótese de pessoa jurídica que já iniciou atividade, será exclusivamente no mês de janeiro, até o seu último dia útil. ( Estava em outro enquadramento, exemplo: Lucro Real ou Presumido) Pessoa jurídica em início de atividade é aquela cujo tempo decorrido entre a data da abertura da matriz no CNPJ e a data da formalização da opção pelo Simples Nacional é menor ou igual a 180 dias. A data da abertura da matriz no CNPJ é sempre igual à data do registro do ato constitutivo da matriz no órgão competente (Junta Comercial ou Cartório do Registro Civil de Pessoa Jurídica). Vencido o prazo de 180 dias não há mais que se falar em pessoa jurídica em início de atividade. Se o trigésimo dia do prazo de opção cair depois do prazo de 180 dias, a pessoa jurídica não será considerada em início de atividade, mas sim pessoa jurídica que já iniciou suas atividades, ou seja, a sua opção só poderá ser formalizada no mês de janeiro. Excepcionalmente, caso o trigésimo dia do prazo de opção caia no mês de janeiro e a pessoa jurídica perca esse prazo de trinta dias para optar, a pessoa jurídica poderá formalizar a sua opção no mês de janeiro, até o seu último dia útil, na condição de pessoa jurídica que já iniciou atividade. Vejamos os seguintes exemplos de determinação do prazo de trinta dias para a pessoa jurídica em início de atividade formalizar a sua opção pelo Simples Nacional.

14

Antes, porém, é conveniente esclarecer que todo estabelecimento (matriz ou filial) da pessoa jurídica é obrigado a se inscrever no Município em virtude da taxa de licença e funcionamento, só sendo obrigado a se inscrever no Estado caso seja contribuinte do ICMS.
Exemplo 1: A matriz da pessoa jurídica está obrigada à inscrição no Município e no Estado. A inscrição no Município foi deferida no dia 02/03/2009 e, no Estado, no dia 17/03/2009. Observe que a última inscrição deferida foi a do Estado, em 17/03/2009. A partir dessa data, 17/03/2009, conta-se, de acordo com as regras de contagem de prazo do Código Tributário Nacional, trinta dias. Portanto, o trigésimo dia, 16/04/2009, é o último dia para a pessoa jurídica em início de atividades formalizar a sua opção pelo Simples Nacional. Exemplo 2: a matriz da pessoa jurídica está obrigada à inscrição no Município, mas não está obrigada a se inscrever no Estado. O deferimento da inscrição no Município ocorreu no dia 02/04/2009. A partir dessa data, 02/04/2009, conta-se, de acordo com as regras de contagem de prazo do Código Tributário Nacional, trinta dias. Observe que o trigésimo dia caiu num sábado (02/05/2009), dia que não há expediente no órgão de administração tributária municipal. Assim, o prazo de trinta dias fica prorrogado para o primeiro dia útil seguinte, no caso, segunda-feira, dia 04/05/2009. Então, o dia 04/05/2009(segunda-feira) é o último dia para a pessoa jurídica em início de atividade formalizar a sua opção pelo Simples Nacional.

2.1.5.1.5-) Data de efeito da opção Data de efeito da opção é a data a partir da qual a pessoa jurídica estará no Simples Nacional, sujeitando-se a todas as suas regras. O ingresso da pessoa jurídica por opção no Simples Nacional surtirá efeito: 1) no caso de pessoa jurídica que já iniciou atividade, a partir do dia 1º de janeiro do próprio ano-calendário da formalização da opção; 2) na hipótese de pessoa jurídica em início de atividade: a) na data do deferimento da última inscrição da matriz no Município e, se exigível, no Estado, se a data da abertura da matriz da pessoa jurídica no CNPJ for menor ou igual a 31/12/2007; b) na data da abertura da matriz da pessoa jurídica no CNPJ, se a data da abertura da matriz da pessoa jurídica no CNPJ for maior ou igual a 01/01/2008. Em se tratando de pessoa jurídica em início de atividade que formalizar a sua opção no mês de janeiro, dentro do prazo de trinta dias contado da data do deferimento da última inscrição municipal e, se exigível, da estadual, e que tenha data da abertura da matriz no CNPJ no ano-calendário anterior ao da formalização da opção, a data de efeito da opção poderá ser, à escolha da pessoa jurídica: - a data da abertura da matriz no CNPJ; ou - 1º de janeiro do próprio ano-calendário da formalização da opção. Observe que a data do deferimento da última inscrição da matriz no Município e, se exigível, no Estado:

15

a) serve para a contagem do prazo de trinta dias para a pessoa jurídica em início de atividade optar pelo Simples Nacional. b) é a data de efeito da opção pelo Simples Nacional, quando a data da abertura da matriz da pessoa jurídica no CNPJ é menor ou igual a 31/12/2007. A pessoa jurídica que ingressou no Simples Nacional não terá a necessidade de formalizar opção a cada ano. Por exemplo, uma pessoa jurídica que ingressou no regime em janeiro de 2008 não necessita formalizar outras opções a cada mês de janeiro dos anos subseqüentes. O ingresso da pessoa jurídica no Simples Nacional se dá por prazo indeterminado, só saindo desse regime: por opção, por comunicação obrigatória, por exclusão de ofício ou por decisão judicial.

2.1.5.2-) Está proibida de ingressar no Simples Nacional, a pessoa jurídica que constar dos seguintes ocasiões:

2.1.5.2.1-) Por Natureza Jurídica . as associações privadas, as associações públicas, as fundações privadas, as fundações públicas e as autarquias; . a pessoa jurídica, no Brasil, com sede no exterior; . a sociedade cooperativa, exceto a de consumo; . a sociedade por ações (sociedade anônima ou sociedade em comandita por ações). 2.1.5.2.2-) Excesso de Receita Bruta A pessoa jurídica que ganhou, no ano-calendário anterior, receita bruta superior a R$ 200.000,00 x N, onde N é o número de meses de atividade da pessoa jurídica dentro do anocalendário, incluídas as frações de meses. Observação: o excesso ao limite diferenciado (R$ 100.000,00 x N ou 150.000,00 x N) não exclui a pessoa jurídica do Simples Nacional, apenas obriga o estabelecimento localizado na UF onde ocorreu o excesso a apurar e pagar o ICMS e o ISS "por fora" do Simples Nacional.

2.1.5.2.3-) Por debito . A pessoa jurídica que possua débito com as Fazendas Públicas Federal, Estadual ou Municipal, cuja exigibilidade não esteja suspensa; 2.1.5.2.4-) Sócio . A pessoa jurídica que tenha como sócio outra pessoa jurídica; . Pessoa jurídica que seja sócia de outra pessoa jurídica; .Exceções: participações em cooperativa de crédito, centrais de compras, bolsas de subcontratação, associações assemelhadas, sociedade de interesse econômico, sociedade de

” Fonte: Sitio eletrônico da Secretaria da Receita Federal do Portal do Simples Nacional de Perguntas Exceções: participações em cooperativa de crédito. . Exemplo 1: Paula possui 25% das cotas da empresa Paula & Carolina EPP Ltda cujo faturamento no anocalendário de 2007 foi de R$ 2. cujo faturamento no ano-calendário de 2007 foi de R$ 10 milhões.000.4 milhões. Ela adquiriu 20% dessa sociedade anônima. Pessoa jurídica cujo titular ou sócio pessoa física participe com mais de 10% do capital de outra empresa não beneficiada pela Lei Complementar nº 123/2006. desde que a receita bruta global ultrapasse o limite de R$ 2. A legislação não permite que seja considerada ME ou EPP.. direta ou indireta. bolsas de subcontratação. ambas poderão permanecer como optantes pelo Simples Nacional.300. não poderá optar pelo Simples Nacional se a receita bruta global ultrapassar R$ 2. Em janeiro de 2008 José resolve abrir outra empresa. a empresa Paula & Carolina EPP Ltda pode permanecer no Simples Nacional.400.00. SÓCIO DE UMA ME OU EPP OPTANTE PELO SIMPLES NACIONAL PODE SER SÓCIO DE OUTRA ME OU EPP OPTANTE PELO SIMPLES NACIONAL? Depende da receita bruta global das duas empresas.00. Como a participação em XYZ é maior do que 10% e a receita bruta global ultrapassa o limite de R$ 2. OPTANTE PELO SIMPLES NACIONAL POSSUI UM SÓCIO COM MENOS DE 10% DAS COTAS DA EMPRESA E ESTE SÓCIO TAMBÉM É ADMINISTRADOR (NÃO É SÓCIO) DE OUTRA EMPRESA COM FINS LUCRATIVOS NÃO OPTANTE.00.. Essa empresária decide entrar de sócia na empresa XYZ S. centrais de compras. associações assemelhadas.000.000. A pessoa jurídica de cujo capital participe pessoa física que seja inscrita como empresário ou seja sócia de outra empresa optante pelo Simples Nacional.400.000. Ela adquiriu 1% dessa sociedade anônima.00. desde que a receita bruta global ultrapasse o limite de R$ 2. A RECEITA BRUTA GLOBAL DAS DUAS EMPRESAS SUPERA O LIMITE DE R$ 2. 2. . seja federal. 2.400.000.000.000. Exemplo: José possui 50% das cotas da empresa José & João EPP Ltda cujo faturamento no ano-calendário de 2007 foi de R$ 1.A. .A. sociedade de garantia solidária e em outras sociedades que tenham como objetivo social a defesa exclusiva dos interesses econômicos das ME e EPP. Como a participação em XYZ é menor do que 10%.000. . quando a receita bruta global ultrapassa o limite R$ 2.16 garantia solidária e em outras sociedades que tenham como objetivo social a defesa exclusiva dos interesses econômicos das ME e EPP.400. Pessoa jurídica que tenha sócio pessoa física domiciliada no exterior. com expectativa de faturamento para o ano-calendário de 2008 de R$ 100. A pessoa jurídica cujo titular ou sócio participe com mais de 10% do capital de outra empresa não optante pelo Simples Nacional (e não beneficiada pela LC 123.17. a pessoa jurídica cujo titular ou um de seus sócios participe de outra pessoa jurídica com fins lucrativos na condição de administrador ou equiparado. Essa empresária decide entrar de sócia na empresa WWW S.000.000.00.16. SÓCIO DE UMA ME OU EPP OPTANTE PELO SIMPLES NACIONAL PODE SER SÓCIO DE OUTRA ME OU EPP NÃO OPTANTE PELO SIMPLES NACIONAL? Depende da receita bruta global das duas empresas.00.00. A previsão do inciso V do § 4º da Lei Complementar nº 123. bem como da participação societária dos sócios.200.00.00. a José & Maria ME Ltda. Enquanto a receita bruta global das duas empresas não ultrapassar o limite de R$ 2.18.00. não faz referência à quantidade de cotas de participação na ME ou EPP. Pessoa jurídica cujo titular ou sócio pessoa física participe do capital de outra empresa beneficiada pela LCP nº123/2006. . sociedade de interesse econômico. Pessoa jurídica que tenha sócio entidade da administração pública.400. estadual ou municipal.200. e conseqüentemente participe do Simples Nacional.4 milhões. Exemplo 2: Paula possui 25% das cotas da empresa Paula & Carolina EPP Ltda cujo faturamento no anocalendário de 2007 foi de R$ 2. de 2006. “2. mas tão-somente quanto à participação nessa outra ser na condição de administrador ou de função equiparada à de administrador. cujo faturamento no ano-calendário de 2007 foi de R$ 10 milhões.000. mesmo com a receita bruta global ultrapassando o limite de R$ 2.400.400.00. de 2006) não poderá optar pelo Simples Nacional se a receita bruta global ultrapassar o limite de R$ 2. a empresa Paula & Carolina EPP Ltda não pode permanecer no Simples Nacional. ISSO PODE AFETAR O ENQUADRAMENTO DA EMPRESA OPTANTE PELO SIMPLES NACIONAL? Sim.

alcoólicas. Pessoa jurídica cujo sócio ou titular seja administrador ou equiparado de outra pessoa jurídica com fins lucrativos. Pessoa jurídica que seja geradora. cigarros. 2. de corretora ou de distribuidora de títulos. seleção e riscos. de caixa econômica. administração de contas a pagar e a receber. filtros para cigarros. Pessoa jurídica que exerça atividade de importação de combustíveis. para elaboração de bebida refrigerante. valores mobiliários e câmbio.preparações compostas. financiamento e investimento ou de crédito imobiliário. desde que a receita bruta global ultrapasse o limite de R$ 2. explosivos e detonantes. Pessoa jurídica que exerça atividade de produção ou venda no atacado de: a) bebidas alcoólicas. compras de direitos creditórios resultantes de vendas mercantis a prazo ou de prestação de serviços factoring . cigarrilhas. distribuidora ou comercializadora de energia elétrica. b) bebidas a seguir descritas: 1. armas de fogo. Pessoa jurídica que realize atividade de consultoria. . Observações: pode ingressar no Simples Nacional a pessoa jurídica que preste serviço de: a) transporte municipal de passageiros e/ou de cargas. 4. Pessoa jurídica que preste serviço de transporte intermunicipal e interestadual de passageiros. c) transporte internacional de passageiros e/ou de cargas.cervejas sem álcool. 3. gestão de crédito.17 . .1. asset management. com capacidade de diluição de até dez partes da bebida para cada parte do concentrado.2. . .4 milhões. . Pessoa jurídica que explore atividade de prestação cumulativa e contínua de serviços de assessoria creditícia. charutos. de investimentos e de desenvolvimento.refrigerantes. . de empresa de arrendamento mercantil. Pessoa jurídica que exerça atividade de importação ou fabricação de automóveis e motocicletas. transmissora.5-) Por Atividade Econômica A pessoa jurídica que exerça atividade de banco comercial.5. de sociedade de crédito. inclusive águas saborizadas gaseificadas. bebidas tributadas pelo IPI com alíquota específica. 2. Pessoa jurídica que realize cessão ou locação de mão-de-obra. b) transporte intermunicipal e interestadual de cargas. . . de seguros privados e de capitalização ou de previdência complementar. não alcoólicas (extratos concentrados ou sabores concentrados). munições e pólvoras.

Serviços de instalação.1. de artes. artística ou cultural. preparatórios para concursos. agência terceirizada de correios. motonetas e bicicletas.18 . pessoa jurídica cuja situação cadastral no CNPJ é inapta (omissa contumaz. c) preste serviço de corretor.7-) Funcionamento da Opção . Pessoa jurídica que: a) tenha por finalidade a prestação de serviços decorrentes do exercício de atividade intelectual. Creche. desportiva. de línguas estrangeiras.2. . manutenção e reparação de máquinas de escritório e de informática. agência lotérica. cursos técnicos de pilotagem. . Pessoa jurídica que se dedique ao loteamento e à incorporação de imóveis. exceto quando se referir a prestação de serviços tributados pelo ISS. . . tratores. exceto as previstas nos incisos II e III do § 5º-D deste artigo.5.5. Serviços de instalação e manutenção de aparelhos e sistemas de ar condicionado. ônibus. A pessoa jurídica resultante ou remanescente de cisão ou qualquer outra forma de desmembramento de pessoa jurídica que tenha ocorrido em um dos 5 (cinco) anos-calendários anteriores. . 2. refrigeração. b) preste serviço de instrutor. elétricos. caminhões.2. científica. . Serviços de reparos hidráulicos. ventilação. agência de viagem e turismo. Serviços de instalação. gerenciais e escolas livres. Exceções: . outros veículos pesados. . profissionais e de ensino médio. que constitua profissão regulamentada ou não. 2. inexistente de fato e com prática de operações irregulares em comércio exterior). de natureza técnica. máquinas e equipamentos agrícolas. despachante ou de qualquer tipo de intermediação de negócios. Construção de imóveis e obras de engenharia em geral. Exceções: .1. pintura e carpintaria em residências ou estabelecimentos civis ou empresariais. (inclui o representante comercial e o corretor de seguros => veto ao inciso XXVIII do § 1º do art. . . manutenção e reparação de acessórios para veículos automotores. Centro de formação de condutores de veículos automotores de transporte terrestre de passageiros e de carga. aquecimento e tratamento de ar em ambientes controlados. Serviços de manutenção e reparação de automóveis. escolas técnicas. . Serviços de manutenção e reparação de motocicletas. inclusive sob a forma de subempreitada. 17) d) que realize atividade de locação de imóveis próprios. omissa e não localizada. bem como manutenção e reparação de aparelhos eletrodomésticos.6-) Outras Hipóteses . . . pré-escola e estabelecimento de ensino fundamental.

Não haverá resposta (deferimento ou indeferimento) no momento da formalização da opção. selecionar o aplicativo "Solicitação da Opção pelo Simples Nacional" e formalizar a sua opção. estadual: .2 somente o Relatório de Pendências.2. respeitado o prazo de 180 dias da data da abertura da matriz no CNPJ. A pessoa jurídica. quando a opção for aceita.19 A pessoa jurídica deverá providenciar. A partir do dia 1º e até o dia 9 A partir do dia 10 e até o dia 19 A partir do dia 20 e até o dia 31 16 do próprio mês da formalização da opção.1 somente o Termo de Deferimento. clicar no serviço "outros serviços" e. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.gov. dentro do prazo estabelecido para a opção. inicialmente. Nos dias 16. o Sistema Simples Nacional disponibilizará em seu Portal na internet um dos seguintes documentos: 3. se a pessoa jurídica formalizar a sua opção no dia 15/03/2009. somente sendo disponibilizada a resposta no Portal do Simples Nacional na internet para consulta nos dias abaixo mencionados: Se a data da formalização da opção A resposta será disponibilizada a ocorrer. se exigível. ficando por tempo indeterminado.1. 2. Nas hipóteses dos subitens 3. .3. 6 do mês seguinte ao mês da formalização da opção Por exemplo. dentro do prazo de trinta dias contado da data do deferimento da última inscrição municipal e. No período de 15/03/2009 até 25/03/2009 a opção ficará em análise (pendente) por parte da Receita Federal do Brasil. no Estado. a inscrição de todos os seus estabelecimentos no CNPJ e no Município e. mas incorrer em vedação nos Municípios e/ou Estados e/ou Distrito Federal. no endereço eletrônico www8. quando a pessoa jurídica não incorrer em hipótese de vedação na Receita Federal do Brasil e na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. partir do dia.receita. mediante código de acesso ou certificado digital.3 o Relatório de Pendências mais o Termo de Indeferimento. conforme a tabela da tela 25. 26 do próprio mês da formalização da opção. A solicitação da opção ficará em análise (pendente)... a pessoa jurídica deverá. 3.fazenda. se exigível. desde que dentro do prazo de 30 dias contado do deferimento da última inscrição. 3.5. deverá acessar o Portal do Simples Nacional na internet.2 e 3. Pessoa jurídica formaliza a sua opção no Portal do Simples Nacional na internet em qualquer época do ano.. então a resposta somente será disponibilizada para consulta no Portal do Simples Nacional na internet no dia 26/03/2009.br/simplesnacional. 26 e 6. Distrito Federal e Municípios. 2. 3. não sendo possível a consulta do seu resultado.8-) Opção de pessoa jurídica em início de atividade 1.. Estados.

1 Termos de Deferimento. até o último dia útil do próprio mês de janeiro. 150.3 Ultrapassados os prazos de 30 dias ou de 180 dias sem que a pessoa jurídica tenha regularizado todas as suas pendências. 2. § 7º. que a lei poderá atribuir a sujeito passivo de obrigação tributária a condição de responsável pelo pagamento de impostos. 2.1 regularizar todas as suas pendências constantes do Relatório de Pendências. só sendo possível optar no mês de janeiro. por conseqüência.5.1-) RPA – REGIME PERIÓDICO DE APURAÇÃO (COMÉRCIO): Para um contribuinte do ICMS enquadrar-se como RPA não existe qualquer tipo de condição. 2. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. O cálculo do ICMS corresponde às operações de Entradas (Créditos). o Sistema Simples Nacional disponibilizará no Portal um dos seguintes documentos: 2. Distrito Federal e Municípios.2. Na hipótese 2. assegurada a imediata e preferencial restituição da quantia paga. ou seja. Estão obrigados a enquadrar-se como RPA os contribuintes de ICMS que auferirem durante o ano ou no ano-calendário anterior. então o prazo de opção estará encerrado.1-) Substituição Tributária A Constituição Federal estabelece. a pessoa jurídica deverá. não sendo possível a formalização de outra opção. na condição de pessoa jurídica que já iniciou atividade.9-) Opção de pessoa jurídica que já iniciou atividade 1.2. cujo fato gerador deva ocorrer posteriormente.2. . receita bruta superior a R$ 2.2.00 (Dois milhões e Quatrocentos Mil Reais). A opção ficará em análise (pendente) e a resposta (deferimento ou indeferimento) somente será disponibilizada para consulta no Portal do Simples Nacional na internet a partir de data a ser divulgada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional (normalmente em meados do mês de fevereiro do próprio ano da formalização da opção). 3.400.2-) E S T A D U A L 2. 2. No momento da formalização da opção.2 Relatório de Acompanhamento. menos as Saídas (Débitos). se a pessoa jurídica tiver pendência perante a Receita Federal do Brasil.2 formalizar nova opção no Portal do Simples Nacional na internet e consultar a resposta dessa nova opção na data constante da tabela do item 2.000. qualquer contribuinte do ICMS poderá enquadrar-se como RPA.20 4. em seu art. caso não se realize o fato gerador presumido. estará incluída no Simples Nacional. regularizar todas as suas pendências. e 4.2. Pessoa jurídica formaliza a sua opção no Portal do Simples Nacional na internet exclusivamente no mês de janeiro.1. até o seu último dia útil. Estados. 4. A responsabilidade tributária Estadual dos contribuintes enquadrados como RPA é o ICMS. caso a pessoa jurídica não tenha pendência e. 2.

ao importador ou ao distribuidor. e não àquele que esteja realizando a operação/prestação. na qual o legislador atribui a determinado contribuinte a responsabilidade pelo pagamento do ICMS em relação às operações anteriores.1996. Os governos estaduais. caso não houver. O instituto da Substituição Tributária surgiu quando os Estados verificaram que existiam muitos revendedores para determinadas mercadorias e poucos fabricantes. a lei altera a responsabilidade pelo cumprimento da obrigação tributária. mas a legislação o dispensa de recolhimento. instituíram. conforme o caso.21 A Constituição determina ainda que cabe à lei complementar dispor sobre a Substituição Tributária do ICMS (art. pois atribui ao substituto a obrigação.nal. foi aprovado o Convênio ICMS nº 81. Contribuinte substituído é aquele que dá causa ao fato gerador. ou seja. foi acrescentado ao Regulamento do ICMS de São Paulo. o contribuinte substituto necessita saber qual foi o último preço de venda a ser praticado na cadeia de comercialização e. para alguns produtos. Nessa espécie. por exemplo. o artigo 426-A que .1993. Portanto. a Lei Complementar nº 87. calcular o ICMS que chamamos de imposto retido por substituição. querendo garantir o recolhimento do ICMS até o consumidor fi.o devido pelas operações próprias e o devido pelas operações subseqüentes anteriores à ocorrência do fato gerador. sorvetes etc. Poderá ser o preço sugerido pelo fabricante. “b”). Nesse sentido. a base de cálculo definida em convênio ou protocolo que trata da substituição tributária. Esse preço de venda final será utilizado como base de cálculo da Substituição Tributária (operações subseqüentes). de 10. de 13. atribuindo ao fabricante. refrigerantes. que não aquele que praticou o fato gerador diretamente. mas que possui vinculação indireta com aquele que deu causa ao fato. mediante aplicação de margem de lucro. concomitante à ocorrência do fato gerador.515/2007. • • Contribuinte substituto é aquele que a legislação determina como responsável pelo recolhimento do imposto. ou. dispôs que a adoção do regime de Substituição Tributária em operações interestaduais dependerá de acordo específico celebrado pelos Estados interessados. conferindo-a a terceiro. encontra-se a Substituição Tributária dos serviços de transportes. encontra-se o DIFERIMENTO. Para tanto.09. o recolhimento do imposto das operações subseqüentes a serem realizadas pelos revendedores até o consumidor final. Existe a Substituição Tributária “para trás”. Na Substituição Tributária “para frente”. A Substituição Concomitante caracteriza-se pela atribuição da responsabilidade pelo pagamento do ICMS a outro contribuinte. então. de cigarros. § 2º. XII. através do Decreto nº 52. Para disciplinar as normas gerais a serem observadas nesses acordos entre os Estados. A Substituição Tributária é um regime por meio do qual a responsabilidade pelo ICMS devido em relação às operações ou às prestações é atribuída a outro contribuinte. o regime de Substituição Tributária. o sujeito passivo recolhe os dois impostos .09. os Estados querem garantir do comerciante o pagamento antecipado do ICMS da sua operação seguinte. 155. Nessa espécie. Na Antecipação e Substituição Tributária.

(a partir de 01/05/2008) 14) materiais de construção e congêneres.364/07. e a Lei nº 12. os estabelecimentos comerciais que possuirem mercadorias sem a Substituição Tributária deverão efetuar o levantamento do estoque existente no dia imediatamente anterior a vigência do regime e calcular o ICMS de Substituição Tributária dessas mercadorias. (a partir de 01/02/2008) 3) produtos de perfumaria. (a partir de 01/02/2008) 4) produtos de higiene pessoal. 52. (a partir de 01/02/2008 5) ração animal.esses produtos estão sujeitas a substituição tributária das classificações existentes no regulamento do ICMS/SP pelos Decretos nºs 52. (a partir de 01/04/2008) 11) lâmpadas elétricas.374/1989).785/2007 instituiu a possibilidade de aplicação do regime de Antecipação Tributária na Lei do ICMS do Estado de São Paulo (Lei nº 6. (a partir de 01/04/2008) 9) autopeças.105/09 Conforme determina a legislação estadual.3.681/2007 inseriu no regime de Substituição Tributária os seguintes produtos: 1) medicamentos (a partir de 01/02/2008) 2) bebidas alcoólicas. na aquisição de mercadorias de outros Estados pelo contribuinte paulista sem a retenção do imposto estadual. (a partir de 01/04/2008) 10) pilhas e baterias. ainda que estes não constituam atividade preponderante do prestador. o ISSQN tem como fato gerador a prestação de serviços. 2. (a partir de 01/04/2008) 6) produtos de limpeza. Como vimos anteriormente. Base de Cálculo A base de cálculo do ISSQN é o preço do serviço. A Lei nº 12. 54.3-) M U N I C I P A L 2. (a partir de 01/04/2008) 12) papel. (a partir de 01/02/2008) 8) produtos fonográficos.921/08. 52. Alíquotas . (a partir de 01/04/2008) 13) produtos da indústria alimentícia.804/08. (a partir de 01/05/2008) 15) Produtos de colchoaria ( a partir de 01/04/2009) 16) Ferramentas (a partir de 01/04/2009) 17) Bicicletas (a partir de 01/04/2009) 18) Instrumentos Musicais (a partir de 01/04/2009) Obs:.1-) PRESTADORES DE SERVIÇOS Contribuintes São contribuintes do ISSQN os prestadores dos serviços constantes da Lista de Serviços anexa à Lei Complementar nº 116/2003.22 dispõe sobre o recolhimento do ICMS por antecipação e substituição tributária numa mesma operação.

.] § 3o O imposto de que trata esta Lei Complementar incide ainda sobre os serviços prestados mediante a utilização de bens e serviços públicos explorados economicamente mediante autorização. Responsável Tributário O Responsável Tributário é aquele definido em LC 116/03 onde poderá ser tomador ou o próprio prestador. no local do domicílio do prestador. Construção civil. segurança ou monitoramento de bens e pessoas. Alguns exemplos de serviços : Cessão de andaimes. exceto nas hipóteses previstas nos incisos I a XXII do artigo 3º da Lei Complementar 116/03. na falta do estabelecimento. 1º [. Vigilância. 1º: [. as atividades de prestação de serviços. palcos. com o pagamento de tarifa. as alíquotas do ISSQN podem variar entre 2% e 5% (Emenda Constitucional 37/2002). poderão atribuir de modo expresso a responsabilidade pelo crédito tributário a terceira pessoa (artigo 6º da Lei Complementar 116/03).... cada município definirá a correspondente alíquota para o tipo de serviço. de modo permanente ou temporário.23 Conforme definido em legislação Federal. Demolição. mesmo em caráter temporário. sendo irrelevantes para sua caracterização as denominações de sede. Considera-se estabelecimento prestador de serviços o local onde são exercidas. tendo em vista que a norma cita em seu art. filial.” O serviço considera-se prestado e o imposto devido no local do estabelecimento prestador ou. mediante lei. Porém. § 4o A incidência do imposto não depende da denominação dada ao serviço prestado. agência sucursal. Os municípios e o Distrito Federal. Serviço de limpeza. quando o imposto será devido no local onde foi prestado. coberturas e outras estruturas de uso temporário. etc . escritório de representação ou contato ou quaisquer outras que venham a ser utilizadas. preço ou pedágio pelo usuário final do serviço. O cálculo do ISS é o valor do serviço prestado multiplicado pelo percentual de alíquota aplicada para tal serviço.] “Art.. Fornecimento de mão-de-obra. permissão ou concessão.

.1-) ICMS (alíquotas) Para calculo do ICMS as empresas enquadradas como RPA utilizam as seguintes alíquotas internas e interestaduais: Operações ou Prestações Internas – verificar a alíquota interna do produto: 7%.......... 3...........12% Operações INTERESTADUAIS para NÃO-CONTRIBUINTES: Utilizar a alíquota interna do produto...7%.....no caso de importação também aplica-se a alíquota interna......... ou seja....... 12%.. Débitos Créditos Se os Débitos Se os Créditos = = > > a pagar / recolher (devedor) a compensar (credor) Créditos Débitos = = a pagar a compensar = = Saídas Entradas Nos tributos que iremos estudar podemos dizer que o ICMS.. O cálculo dos tributos que utilizam o princípio da não-cumulatividade é composto pelos débitos subtraindo os créditos......... Operações ou Prestações Interestaduais que destinarem mercadorias ou serviços a contribuintes localizados nos Estados da regiões NORTE.........24 3.......... obedecem os critérios da não-cumulatividade......... 18% ou 25% .......... NORDESTE. 18% ou 25% ...... A não-cumulatividade serve para não haver bi-tributação.) CÁLCULOS DE TRIBUTOS Não-Cumulatividade – Efetiva-se a não-cumulatividade.. não recolher/pagar duas ou mais vezes pelo mesmo tributo.7% Operações ou Prestações Interestaduais que destinarem mercadorias ou serviços a contribuintes localizados nos Estados das regiões Sul e Sudeste......... 12%.... PIS e a COFINS das empresas de tributação pelo LUCRO REAL....... CENTRO-OESTE e no Estado do ESPÍRITO SANTO. o momento da apuração do valor do imposto a ser pago....... As entradas/recebimentos geram um crédito e as saídas ou prestações de serviços geram um débito.............. IPI .........

00 (ICMS a recolher) Exemplo de ICMS a Compensar Débitos Operações de Saídas Créditos Operações de Entradas Saldo Credor do período anterior SALDO CREDOR / COMPENSAR 10.96 (ICMS a recolher) Exemplo de ICMS a Pagar COM CRÉDITO ANTERIOR Débitos Operações de Saídas Créditos Operações de Entradas Saldo Credor do período anterior SALDO DEVEDOR / PAGAR 25.00 (ICMS a Compensar) . O cálculo do ICMS é: Débitos . compensando-se o que for devido em cada operação relativa a circulação de mercadorias ou prestação de serviços com o montante cobrado nas anteriores.500.00) 19.00) ( 1.00 14.500. ou seja.91 ( 4.000.1.25 3.448.000.00 1.1-) ICMS (identificação da base de cálculo) As empresas enquadradas no regime RPA para recolhimento do icms obedecem o principio da não-cumulatividade.00 ( 5.95) 0.Créditos Se os Débitos Se os Créditos > > Créditos Débitos = = a pagar a compensar No exemplo abaixo teremos : Exemplo de ICMS a Pagar Débitos Operações de Saídas Créditos Operações de Entradas Saldo Credor do período anterior SALDO DEVEDOR / PAGAR 19.000.689. pelo mesmo ou outro Estado ou Distrito Federal.00 ( 7.000.000.758.000.00) 4.

. Só devemos preencher a GARE-ICMS quando após apurar as operações de Entradas e Saídas o resultado for DEVEDOR / RECOLHER. Sendo devedor / recolher preencher o valor a pagar nos campos 09 e 14 se o mesmo for pago até o dia do vencimento.26 Figura: Modelo Impresso pelo Sistema de Escrita Fiscal : G5 PHOENIX O CÓDIGO DE RECOLHIMENTO DA GARE DE ICMS é 046-2.

....................................................................................... comprou mercadorias Estado de Santa Catarina.............R$ 12............. 1º) Entradas de Mercadorias (Compras) 10 Camisetas à R$ 10...........................................................80 Exemplo do Cálculo do ICMS CREDOR: Empresa Revendedora de Roupas situada no Estado de São Paulo......................R$ 28.20 Entradas – CRÉDITO DE ICMS.........................................00 Alíquota da Nota Fiscal de Santa Catarina .................00 Alíquota Interna do Estado de São Paulo...... que posteriormente revendeu tais produtos para o Estado de São Paulo.........................................................(R$ 12...... totalizando-se uma NF de Valor Total/Valor Contábil de ........................... totalizando-se uma NF de Valor Total / Valor Contábil de...................................................00 2º) Saídas de Mercadorias (Vendas) 08 Camisetas à R$ 20..............................20 Resumo das Operações Saídas – DÉBITO DE ICMS.............................................................................................................80 .........R$ 7.12% Valor do ICMS (Crédito)............12% Valor do ICMS (Crédito).......................................18% Valor do ICMS (Débito).............. comprou mercadorias no estado de Santa Catarina..................R$ 160.......................R$ 12...........................................................................................R$ 100......................................................18% Valor do ICMS (Débito).....00) SALDO CREDOR / ICMS À COMPENSAR.......................................00 Alíquota Interna do Estado de São Paulo.................00) SALDO DEVEDOR / ICMS À PAGAR...R$ 28....................................80 Entradas – CRÉDITO DE ICMS..........................................00 cada..........R$ 7.....................................................................................00 cada............................00 2º) Saídas de Mercadorias (Vendas) 02 Camisetas à R$ 20..................R$ 100............................ ............27 Exemplificaremos abaixo cálculos de ICMS para RPA : Exemplo do Cálculo do ICMS à Pagar: Empresa Revendedora de Roupas situada no Estado de São Paulo.......................................80 Resumo das Operações Saídas – DÉBITO DE ICMS.............................................................................................................00 Alíquota da Nota Fiscal de Santa Catarina .............00 cada............................ totalizando-se uma NF de Valor Total / Valor Contábil de........R$ 16................................................00 cada.............................(R$ 12...................................R$ 4..................... que posteriormente revendeu tais produtos para o Estado de São Paulo.................................................................R$ 40. totalizando-se uma NF de Valor Total/Valor Contábil de .......................... 1º) Entradas de Mercadorias (Compras) 10 Camisetas à R$ 10.................................

3. O saldo credor pode ocorre esporadicamente O crédito acumulado é resultante da aplicação de alíquotas do ICMS diversificadas na saída de mercadorias (alíquota das entradas maior que das saídas). equiparandose às tributadas. regulares e tributadas pelo ICMS. tais como remessa para conserto. ou seja. será obtido multiplicando-se o valor total do respectivo crédito. ou seja. O crédito acumulado transferível é calculado com base no custo das mercadorias produzidas o que não se deve confundir com o saldo credor a ser compensado no período seguinte.1. é permitido transferir o crédito acumulado do ICMS para seus fornecedores na aquisição de insumos e bens do ativo permanente (limitado a 30% no caso de bens do ativo permanente). Para fins de apuração dos valores das operações de saídas e prestações. saídas amparadas pelo diferimento do ICMS. Deverão ser utilizadas na sua atividade industrial e/ou comercial ou de prestação de serviços. as saídas ou prestações que tiverem destinado mercadorias ou serviços ao exterior e as operações ou prestações isentas ou não-tributadas com previsão legal de manutenção de crédito.3-) Créditos nas compra de Ativo imobilizado (CIAP) Como foi explicado anteriormente. as quais não reduzem estoques. ou não o sendo. o princípio da não-cumulatividade. como também o valor correspondente ao diferencial de alíquota (aquisições de ativo permanente em operações interestaduais) recolhido na forma regulamentar (artigo 117 do RICMS). Todo o procedimento para apuração e transferência do crédito acumulado do ICMS encontrase disciplinado pela Portaria CAT nº 53/96 e nos artigos 71 a 73 do RICMS/00-SP. em cada período de apuração. que transferem a titularidade. constituem simples deslocamentos físicos. para industrialização. sendo a carga tributária das entradas maior que das saídas. em razão de operações ou prestações por ele realizadas. relativamente a mercadoria entrada ou a prestação de serviço recebida.28 3.1. devendo ser desconsideradas as saídas provisórias. sem implicações de ordem patrimonial . isenção ou não-incidência. Ao contribuinte do ICMS enquadrado no Regime Periódico de Apuração – RPA. emitido por contribuinte em situação regular perante o fisco" inclui o crédito referente as mercadorias destinadas ao ativo permanente. segundo o valor constante no documento fiscal escriturado/lançado no livro Registro de Entradas (sem direito a crédito do imposto).2-) Saldo Credor e Crédito Acumulado do ICMS Quando uma empresa possui mais créditos do que débitos de ICMS. quando o montante de crédito do imposto for superior ao débito o resultado será saldo credor ou a compensar no livro Registro de Apuração do ICMS. O valor do crédito a ser apropriado. para esse fim. acompanhada de documento fiscal hábil. pelo fator igual a 1/48 (um quarenta e oito avos) da relação entre o valor das operações de saídas e prestações tributadas e o total das operações de saídas e prestações do período. pois o crédito do ICMS que ora "anteriormente cobrado por este ou outro Estado. substituição tributária. devem ser computados apenas os valores das saídas que afiguram caráter definitivo. haja expressa previsão/autorização regulamentar para o crédito fiscal ser mantido.

do RICMS. [ R$ 15......00 b) valor do ICMS correspondente ao diferencial de alíquota..00 g) cálculo do valor a que tem direito o contribuinte a título de crédito do ICMS relativo à entrada ou aquisição de ativo permanente. R$ 13.RAICMS no item "Outros Créditos".000. [ (R$ 2..000....00 + R$ 1....00) / 48] ..50 .75} = R$ R$ 28.12 a ser lançado diretamente no livro Registro de Apuração do ICMS ....12 Ou então [(1 .. conforme segue { [ (R$ 600...50 .. R$ 5. com fundamento no que dispõe o artigo 61.00) : R$ 20.....00 + R$ 13.12 .000.00] } = = {R$ 37. [ (d+ f) : c] } = valor do ICMS a ser lançado como crédito no RAICMS Então.. R$ 600.000.. R$ 20..000..000... R$ 2.29 Exemplificando a) valor do ICMS constante do documento fiscal ...(5.e).800.....000.00 d) valor das saídas ou prestações destinadas ao exterior . têm-se o valor de R$ 28.00 f) valor das saídas ou prestações tributadas (c ..00 c) valor Total de saídas ou prestações (d + e + f).00 e) valor das saídas ou prestações isentas ou não-tributadas.000.200..d .000..000.00 = 28...00 : R$ 20...000..00] } = = {R$ 37....200... R$ 1.. à vista dessa equação matemática. conforme a seguinte sugestão de equação matemática { [ (a + b) / 48] ..00)) / 48] x 1.00 / 20.... 0. § 10...

87. porém ainda existem alguns produtos que continuam com a Apuração Decendial conforme tabela abaixo: Produto Bebidas do capítulo 22 da Tipi.32.29. obedece os mesmos critérios da NÃO-CUMULATIVIDADE. 87.2-) IPI O IPI.20.134. Desde Outubro de 2004 a apuração do IPI é MENSAL. Até o último dia útil do decêndio subseqüente ao de ocorrência dos fatos geradores. Cigarros do código 2402.90.03 e 87. Débitos Operações de Saídas Créditos Operações de Entradas Saldo Credor do período anterior SALDO DEVEDOR / PAGAR ( 1. 87.90. 84.00 e 2402. cigarros (códigos 2402.00) 0.01.29. Cigarros do código 2402. Até o último dia útil da quinzena subseqüente ao mês de ocorrência dos fatos geradores.06 da Tipi. 84.02. * O prazo de pagamento para as micro-empresas e empresas de pequeno porte é o último dia útil do mês subseqüente ao de ocorrência dos fatos geradores.82 .32.33.00 da Tipi.00 9.05 e 87.00) e os das posições 84. 87. Veículos das posições 87.04. Todos os produtos. Produtos das posições 84.11 da Tipi.82 10.00 da Tipi.06 e 87.11 da Tipi. Até o último dia útil do decêndio subseqüente ao de ocorrência dos fatos geradores. Período de Apuração Decendial Decendial Mensal Decendial Decendial Mensal Prazo para Pagamento Até o terceiro dia útil do decêndio subseqüente ao de ocorrência dos fatos geradores. que segue a mesma metodologia do ICMS.30 3.042. dos estabelecimentos Industriais ou Equiparados a Industrial. Até o terceiro dia útil do decêndio subseqüente ao de ocorrência dos fatos geradores.20. com exceção de bebidas (Capítulo 22).01 a 87. Até o último dia útil da quinzena subseqüente ao mês de ocorrência dos fatos geradores.33. 87. A seguir o cálculo do IPI do 1ª Quinzena (do dia 01 à 15/01). 84. 84.092.

da empresa ou de terceiros. exercida sobre produto usado ou parte remanescente de produto deteriorado ou inutilizado. importe na obtenção de espécie nova. salvo quando a embalagem colocada se destine apenas ao transporte da mercadoria. o acabamento ou a aparência do produto. ou o aperfeiçoe para consumo. Assim. peças ou partes e de que resulte um novo produto ou unidade autônoma. ainda que sob a mesma classificação fiscal. a apresentação ou a finalidade do produto. renove ou restaure o produto para utilização. ainda que em substituição da original. exercida sobre matérias-primas ou produtos intermediários. o acabamento. 3 Insumos – Combinação dos fatores de produção (matéria-prima. o funcionamento. pois há cinco modalidades: Transformação Que. de qualquer forma. a utilização. alterar o funcionamento.2. ou por outro. Acondicionamento ou Reacondicionamento Que importe em alterar a apresentação do produto. horas-trabalhadas.31 Figura: Modelo Impresso pelo Sistema de Escrita Fiscal : G5 PHOENIX 3.. aperfeiçoar ou. pela colocação da embalagem. Renovação ou Recondicionamento Que. energia consumida.1 Indústria ou Equiparada a Indústria São considerados contribuintes INDUSTRIAIS aqueles que comercializarem produtos cuja industrialização haja sido executada no próprio estabelecimento. Beneficiamento Que importe em modificar. etc) que entram na produção de determinada quantidade de bens ou serviços. Montagem Que consista na reunião de produtos. . a industrialização é qualquer operação que modifique a natureza. mediante a remessa dos “insumos”3 necessários.

.......................... e -As cooperativas........ para estabelecimentos industriais ou revendedores..........................20... . de código de NCM Nomenclatura Comum do Mercosul 4812..00 2º) Saídas de Produtos Acabados (Vendas) – Empresa Y..... constituídas nos termos da Lei nº 5............... art......................................................00 Alíquota de IPI.00 Alíquota de IPI................................................................................... O cálculo do IPI se resume no seguinte : Operações de Entradas (Créditos)..................... efetuou os processos de industrialização e vendeu os seus produtos acabados para a Empresa Y..15% Valor do IPI (Débito). recebidos de seus associados para comercialização......... .... de 1966... Para as empresas consideradas Indústria ou Equiparada a Indústria..... totalizando-se uma NF de Valor Total/Valor Contábil de...............01 de alíquota do IPI de 15%....10..................00... e Decreto-lei nº 34.....R$ 300.. Exemplo do Cálculo do IPI a Pagar: Empresa Industrial que comprou matéria-prima da Empresa X.................................00 de alíquota do IPI de 12%... ou seja.. Equiparam-se a estabelecimento industrial........ menos as Operações de Saídas (Débitos). os: -Estabelecimentos comerciais que derem saídas a bens de produção..R$ 3....000 pacotes do produto Fraldas Descartáveis de código de NCM Nomenclatura Comum do Mercosul 6209...764........................ Importação é a aquisição produtos estrangeiros para o mercado nacional..500.......1...... 2º...... 1º) Entradas de Matéria-Prima(Compras) – Empresa X... Veremos adiante alguns exemplos de cálculo de IPI... acrescenta-se à responsabilidade tributária do IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados........ alteração 1º.................... sendo R$ 0...... de 16 de dezembro de 1971. de pasta de papel..50 cada pacote. 4º..00 4 Lei nº 4............... de 1964.... art.... por opção4...........................R$ 2........................25 Kg.................. que se dedicarem a venda em comum de bens de produção.............000 Kgs do produto Blocos e Chapas. sendo R$ 3..........R$ 525.......12% Valor do IPI (Crédito).....500... inciso IV... Filtrantes........... ................ importação é quando o produto tem origem do exterior com destino para o Brasil.....502..32 Equiparação à Indústria São considerados contribuintes EQUIPARADO A INDÚSTRIA os estabelecimentos importadores........... totalizando-se uma NF de Valor Total/Valor Contábil de........................................................

.

......... ............00 Alíquota de IPI......................................R$ 262........R$ 2.... Filtrantes......................................................R$ 225..........00) _________ SALDO CREDOR / IPI À COMPENSAR.750...50 Entradas – CRÉDITO DE IPI.....R$ 262.00 de alíquota do IPI de 12%...........................500 pacotes do produto Fraldas Descartáveis de código de NCM Nomenclatura Comum do Mercosul 6209.......................................................................... ..............33 Resumo das Operações Saídas – DÉBITO DE IPI.............. sendo R$ 3.......50 cada pacote...00..............................................................R$ 1......................................(R$ 300.........................25 Kg...........................(R$ 300.............. 1º) Entradas de Matéria-Prima(Compras) – Empresa X.............20................. sendo R$ 0.................................50 ...........................12% Valor do IPI (Crédito)..............................................00) _________ SALDO DEVEDOR / IPI À PAGAR........................500.......................................................................................... efetuou os processos de industrialização e vendeu os seus produtos acabados para a Empresa Y.....................00 Entradas – CRÉDITO DE IPI.................000 Kgs do produto Blocos e Chapas...............................................................................................................................................................50 Resumo das Operações Saídas – DÉBITO DE IPI......................10................................ de código de NCM Nomenclatura Comum do Mercosul 4812................................00 Alíquota de IPI.........R$ 37............15% Valor do IPI (Débito)....... de pasta de papel.........................00 2º) Saídas de Produtos Acabados (Vendas) – Empresa Y........... totalizando-se uma NF de Valor Total/Valor Contábil de......R$ 525........... totalizando-se uma NF de Valor Total/Valor Contábil de.R$ 300.....00 Exemplo do Cálculo do IPI CREDOR: Empresa Industrial que comprou matéria-prima da Empresa X................................01 de alíquota do IPI de 15%.......................

65% 7. Mercadorias adquiridas de terceiros para revenda.. Combustíveis e lubrificantes para consumo no processo produtivo ou revenda.604 Aquisição de ativo imobilizado. Insumos.6 % Ao calcular os impostos FEDERAIS (seja PIS. este deverá ser acumulado para o próximo recolhimento do respectivo tributo.34 9 Principais créditos: É permitido o crédito do imposto referente à aquisição de: ƒ ƒ ƒ ƒ ƒ ƒ Matéria-prima. . Serviços de telecomunicações referente ao uso relacionado ao processo produtivo em percentual equivalente às exportações. ƒ ƒ ƒ ƒ Na compra de material para uso e/ou consumo próprio registramos a nota fiscal no livro Registro de Entradas sem crédito do ICMS e do IPI. que tenha o remetente como tomador de serviço. Para o crédito de cada parcela deverá ser emitida nota fiscal de entrada com CFOP 1. O Faturamento das Saídas é composto: FATURAMENTO DE SAÍDAS = VENDAS – IPI DE VENDAS – DEVOLUÇÕES DE VENDAS + IPI DE DEVOLUÇÕES DE VENDAS + (Prestação de Serviços) O Faturamento das Entradas: FATURAMENTO DE ENTRADAS = COMPRAS – IPI DE COMPRAS – DEVOLUÇÕES DE COMPRAS + IPI DE DEVOLUÇÕES DE COMPRAS A alíquota aplicada é: PIS (para LUCRO REAL) COFINS (para LUCRO REAL) = = 1. etc.00. COFINS. Devoluções e retornos. mesmo destacado na nota fiscal. Energia elétrica aplicada no processo produtivo. Produtos intermediários. bem como o transporte de mercadorias saídas do estabelecimento. Material de embalagem. mesmo destacado na nota fiscal. e sobre o Faturamento de Entradas (Compras) para as empresas Tributadas pelo MÉTODO do LUCRO REAL..) os que forem de valor a pagar inferior a R$ 10. O crédito do ICMS poderá ser efetuado em 48 parcelas. 3.. Na compra de bens para o ativo imobilizado registramos a nota fiscal no livro Registro de Entradas sem crédito do ICMS e do IPI.3-) PIS / COFINS – Não-Cumulativo A Base de Cálculo do Pis e Cofins não – cumulativos será feito mediante aplicação das respectivas alíquotas sobre o Faturamento de Saídas (Vendas). IPI. Serviço de transporte referente aos produtos adquiridos para aplicação no processo produtivo ou para revenda.

101 VC .101 VC .828.9.734.20 9.59 6912 x 1.028.00) 88.65% COFINS Não – Cumulativo (LUCRO REAL) Código de recolhimento do DARF Alíquota SAÍDAS ENTRADAS RESULTADO 88.618.59 (31.80 IPI .922 VC .00) 88.20 CFOP 6.828.00 Faturamento Bruto IPI – 731.59 1.618.694.66 112.101 VC – 28.09 112.2.00 Sub-total VC – 31.00 CFOP 6.900.000.618.372.890.35 = = = = = = = 85.83 Faturamento Bruto CFOP 1.990.74 Total do Faturamento Líquido SAÍDAS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS = = 111.00 IPI – 261.59 (31.317.14 a recolher x 1.890.458.285.062.10.518.00 30.00 CFOP 2.00 2.00 Total do Faturamento Líquido ENTRADAS = 30.6% = = = = 119.6% .372.25 Sub-total VC – 121.372.00 IPI 7.201 VC – 1.65% = = = = 119.518.35 No EXEMPLO ABAIXO TEMOS : Faturamento de Saídas CFOP 5.716.285.31 a recolher x 7.09 (900.1.00 IPI – 100.385.372.59 5856 x 7.639.605.00 PIS Não-Cumulativo (LUCRO REAL) Código de recolhimento do DARF Alíquota SAÍDAS ENTRADAS RESULTADO 88.00 30.59 IPI – 9.051.59 6.38 CFOP 5.20 8.610.594.979.03 8.59 27.101 VC – 93.00 = = = = = 118.564.710.09 7.108 VC .00 IPI – 992.50 TOTAL Faturamento de Entradas CFOP 1.623.00) IPI 367.8.279.

3.36 DARFs PIS e COFINS – NÃO CUMULATIVOS ( LUCRO REAL ) 3.1-)_Apuração do PIS e COFINS Não-Cumulativos Figuras: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 PHOENIX .

637/2002 e 11 da lei 10. ¾ As reversões de provisões. 3% para a COFINS – Código da Receita . para apuração do PIS/PASEP e da COFINS cumulativos. ¾ As devoluções de vendas. Se o dia do vencimento for dia não útil antecipar o vencimento.2172. ¾ O ICMS Substituição Tributária. e ¾ O ganho de capital decorrentes das vendas de bens do ativo permanente. (artigos 10 da lei 10. ¾ O IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados. ¾ O resultado positivo derivados de investimento objeto de Sociedade em Conta de Participação – SCP. independente da classificação contábil registrada na escrituração ou atividade econômica exercida pelo sujeito passivo. aplicar-se-á as seguintes alíquotas sobre a receita bruta total. os seguintes valores: ¾ Exportações.8109.3. ALÍQUOTAS Regra geral. ¾ As recuperações de créditos baixados como perdas.37 3.65% para o PIS – Código da Receita . ¾ O resultado positivo dos investimentos avaliados pelo método de equivalência patrimonial.2-) PIS/PASEP / COFINS – Cumulativo BASE DE CÁLCULO A base de cálculo do PIS/PASEP e da COFINS cumulativos corresponde ao faturamento.833/2003) DARF . PERIODICIDADE E PRAZO PARA PAGAMENTO O pagamento do PIS/PASEP e da COFINS deverá ser efetuado até o vigésimo quinto dia do mês seguinte à ocorrência dos fatos geradores. Entendendo-se como faturamento a receita Bruta Total auferida. ¾ Os dividendos derivados de investimentos avaliados pelo método de custo. ¾ Os descontos incondicionais concedidos (descontos comerciais). Podem-se deduzir da Receita Bruta total. considerando as deduções: a) b) 0. ¾ As vendas canceladas.

deve ser preenchido com os seguintes dados: a) Campo 01 . 11 AUTENTICAÇÃO BANCARIA (Somente nas 1º e 2º vias) . h) Campo 08 – Valor da multa. adicione esse valor ao tributo de mesmo código de períodos subseqüentes. d) Campo 04 – Código da receita que está sendo paga.025/69.025/69 10 VALOR TOTAL ATENÇÃO É vedado o recolhimento de tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) cujo valor total seja inferior a R$ 10. ou encargos do DL 1. até que o total seja igual ou superior a R$ 10.38 O Documento de Arrecadação de Receitas Federais – DARF. e) Campo 05 – Preencher conforme orientações da RFB para receitas que exigem o preenchimento deste campo.Nome e Telefone do contribuinte. k) Campo 11 – Autenticação do agente arrecadador Veja modelo abaixo: 02 PERIODO DE APURAÇÃO MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEEITA FEDERAL DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE RECEITAS FEDERAIS 03 NÚMERO DO CPF OU CNPJ 04 CODIGO DA RECEITA 05 NÚMERO DE REFERENCIA 06 DATA DE VENCIMENTO 07 VALOR DO PRINCIPAL 08 VALOR DA MULTA DARF 01 NOME DA EMPRESA / TELEFONE 09 VALOR DOS JUROS E OU ENCARGOS DL. c) Campo 03 – Número de inscrição do Cadastro de Pessoas Físicas – CPF ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ. b) Campo 02 – Data da ocorrência ou do encerramento do período base no formato DD/MM/AAAA. g) Campo 07 – Valor do principal da receita.00. Ocorrendo tal situação. 1. i) Campo 09 – Valor dos juros de mora. f) Campo 06 – Data de vencimento da receita no formato DD/MM/AAA.00. j) Campo 10 – Soma dos campos 07 a 09.

tais como: a) Receitas financeiras.Levantar. também totalizando os lançamentos.Não incluir nos cálculos: a) As reversões de provisões. o sujeito passivo deverá: I .Excluir dos valores acima: a) As exportações. III . d) Receita proveniente de aluguéis de imóveis II . Para tanto. IV . f) O ICMS Substituição Tributária. tais como: a) Venda de produção própria. c) Prestação de serviços de qualquer natureza. c) Vendas de sucata. e) O IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados. os valores mensais que representam o faturamento de suas atividades próprias. e) O resultado positivo derivados de investimento objeto de Sociedade em Conta de Participação – SCP. e . totalizando os lançamentos no mês de apuração. na base de cálculo. d) As devoluções de vendas. d) Os dividendos derivados de investimentos avaliados pelo método de custo. outras receitas. (Pessoa Jurídica Optante pelo Lucro Presumido) b) Indenizações. através dos registros contábeis ou fiscais. cumulativos. incidentes sobre a receita bruta total são eminentemente simples. c) Os descontos incondicionais concedidos (descontos comerciais). b) As recuperações de créditos baixados como perdas. O período de apuração é mensal. c) O resultado positivo dos investimentos avaliados pelo método de equivalência patrimonial. b) As vendas canceladas.39 APURAÇÃO Os cálculos para apurarão do PIS/PASEP e da COFINS.Considerar. b) Revenda de mercadorias adquirida de terceiros.

00 1.00) 1.) Despesas Operacionais Despesas com Vendas Despesas Administrativas Despesas Financeiras Receitas Financeiras ( .00 (1.00 150.00 43.200.067.00 25.000.100.200.00 300.00) (15.00 .258.00) 3.00 33.106.200.200.000.000.00) ( = ) Receita Líquida de Vendas ( .00) (4.00) (50.00 3.000.942.000.00) (384.00 100.727.00 ( = ) Resultado do Exercício Antes dos Tributos 161.000.000.000.000.Substituição tributária ISS (5.00) (1.00 30.00 482.558.00 136. suponha os seguintes valores extraídos dos documentos contábeis e fiscais: COMPANHIA BRASILEIRA DE PAPÉIS DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO EM 31 DE JANEIRO DE 2.451.000.000.00) (97.00 (111.) Deduções da Receita Bruta Vendas canceladas Devoluções de vendas Descontos incondicionais concedidos IPI ICMS ICMS .960.700.00) (20.200.) Custos das Mercadorias Vendidas ( = ) Lucro Bruto ( .00) (659.500.00 400.00 1.000.300.00) (104.00) 30.00 ( = ) Lucro Operacional ( + ) Resultados não Operacionais Ganho de capital na venda de ativo imobilizado 25.816.000.742.) Outros Resultados Operacionais Dividendos avaliados pelo método de custo Resultado positivo avaliado pela equivalência patrimonial Resultado positivo em investimento em SCP Indenizações Vendas de sucata 25.000.0X0 Receita Bruta de Vendas De produtos no mercado nacional De produtos para o exterior De mercadorias no mercado nacional De mercadorias para o exterior De serviços no mercado nacional De serviços para o exterior De alugueis de imóveis ( .000.350.742.00 500.40 f) O ganho de capital decorrentes das vendas de bens do ativo permanente g) Como exemplo.642.816.00 (1.197.000.00 230.000.000.

.00 Total .00 100.00 30...) Exportações Receita Bruta de Vendas no Mercado Interno ( ....200.876. da seguinte forma: COMPANHIA BRASILEIRA DE PAPÉIS APURAÇÃO DO PIS/PASE E DA COFINS EM 31 DE JANEIRO DE 2..00 400...00 30.Substituição tributária (5.00) 2.00) (50.000.699..466.00 (1.00 230.000.00 410.. apura-se o PIS/PASEP e a COFINS.00 ( .000..200.00) (260.Alíquota de 0.900........65% .00 3.00 150...300.000.900.000.000..466.....00 230.000.00) Receita Líquida de Vendas no Mercado Interno ( + ) Receitas Financeiras ( + ) Indenizações ( + ) Vendas de sucata 2..000.100.727.000...00 2.00) (104.Sobre Base de Cálculo COFINS .00 500..000..00 18. Resumo da Receita Bruta Total ( + ) Receita Líquida de Vendas no Mercado Interno ( + ) Receitas Financeiras ( + ) Indenizações ( + ) Vendas de sucata ( = ) Base de cálculo do PIS/PASEP e COFINS PIS/PASEP .....307..900...000..000.....Alíquota de 3% .0X0 Receita Bruta de Vendas De produtos no mercado nacional De produtos para o exterior De mercadorias no mercado nacional De mercadorias para o exterior De serviços no mercado nacional De serviços para o exterior De alugueis de imóveis 1.00 300...) Deduções da Receita Bruta Vendas canceladas Devoluções de vendas Descontos incondicionais concedidos IPI ICMS ....000.000..000....00) (97.200..197..00 1..00 150.00) (4..00 2...00 ..876.000.Sobre Base de Cálculo 2.727.000..200.000.....900...41 Dos valores extraídos do demonstrativo anterior..200..85 86.00 30.

5555 ATENÇÃO É vedado o recolhimento de tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) cujo valor total seja inferior a R$ 10.85 08 VALOR DA MULTA 01 NOME DA EMPRESA / TELEFONE CIA BRASILEIRA DE PAPEIS FONE: 5555.00 11 AUTENTICAÇÃO BANCARIA (Somente nas 1º e 2º vias) .42 Veja preenchimento dos DARF’S.00 08 VALOR DA MULTA DARF 01 NOME DA EMPRESA / TELEFONE CIA BRASILEIRA DE PAPEIS FONE: 5555. 1. adicione esse valor ao tributo de mesmo código de períodos subseqüentes.00.307.025/69 10 VALOR TOTAL 86. até que o total seja igual ou superior a R$ 10.000/0001-00 04 CODIGO DA RECEITA 2172 05 NÚMERO DE REFERENCIA 06 DATA DE VENCIMENTO 25/02/20X0 07 VALOR DO PRINCIPAL 86.307.00. PIS/PASEP e COFINS. respectivamente: 02 PERIODO DE APURAÇÃO MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEEITA FEDERAL DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE RECEITAS FEDERAIS 31/01/20X0 03 NÚMERO DO CPF OU CNPJ 00. Ocorrendo tal situação. Ocorrendo tal situação.699. 09 VALOR DOS JUROS E OU ENCARGOS DL. adicione esse valor ao tributo de mesmo código de períodos subseqüentes.699.00.025/69 10 VALOR TOTAL 18.00.85 11 AUTENTICAÇÃO BANCARIA (Somente nas 1º e 2º vias) 02 PERIODO DE APURAÇÃO MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEEITA FEDERAL DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE RECEITAS FEDERAIS 31/01/20X0 03 NÚMERO DO CPF OU CNPJ 00. 1.5555 ATENÇÃO É vedado o recolhimento de tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) cujo valor total seja inferior a R$ 10.000. 09 VALOR DOS JUROS E OU ENCARGOS DL.000/000100 8109 DARF 04 CODIGO DA RECEITA 05 NÚMERO DE REFERENCIA 06 DATA DE VENCIMENTO 25/02/20X0 07 VALOR DO PRINCIPAL 18. até que o total seja igual ou superior a R$ 10.000.

00 43.00) (12.300. calcule o PIS/PASEP e a COFINS de forma cumulativa e preencha os DARF’S: COMPANHIA BRASILEIRA DE PAPÉIS DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO EM 28 DE FEVEREIRO DE 2.00 182.450.500.00 322.320.) Outros Resultados Operacionais Dividendos avaliados pelo método de custo Resultado positivo avaliado pela equivalência patrimonial Resultado positivo em investimento em SCP Indenizações Vendas de sucata 25.480.200.300.444.565.300.310.00 (1.800.378.00 120.300.450.430.121.00) (73.00) 50.000.42 493.00 422.00) 1.678.000.) Deduções da Receita Bruta Vendas canceladas Devoluções de vendas Descontos incondicionais concedidos IPI ICMS ICMS .00) (378.00) (627.0X0 Receita Bruta de Vendas De produtos no mercado nacional De produtos para o exterior De mercadorias no mercado nacional De mercadorias para o exterior De serviços no mercado nacional De serviços para o exterior De alugueis de imóveis ( .243.300.42 (1.894.350.00 ( = ) Resultado do Exercício Antes dos Tributos 526.684.300.42 (105.58) (55.00 32.00 30.00 .43 EXERCÍCIOS Dados os valores do demonstrativo abaixo.00) (1.Substituição tributária ISS (13.00) 2.460.437.) Custos das Mercadorias Vendidas ( = ) Lucro Bruto ( .00) (21.000.00) (69.42 850.300.00) (16.00 253.00 ( = ) Lucro Operacional ( + ) Resultados não Operacionais Ganho de capital na venda de ativo imobilizado 32.654.58) ( = ) Receita Líquida de Vendas ( .) Despesas Operacionais Despesas com Vendas Despesas Administrativas Despesas Financeiras Receitas Financeiras ( .200.000.00 1.000.220.00 33.000.115.159.00 475.329.00 235.00 3.521.994.

......Sobre Base de Cálculo COFINS ........Alíquota de 0...Sobre Base de Cálculo _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ ...............) Exportações Receita Bruta de Vendas no Mercado Interno ( ... Resumo da Receita Bruta Total ( + ) Receita Líquida de Vendas no Mercado Interno ( + ) Receitas Financeiras ( + ) Indenizações ( + ) Vendas de sucata ( = ) Base de cálculo do PIS/PASEP e COFINS PIS/PASEP .................) Deduções da Receita Bruta Vendas canceladas Devoluções de vendas Descontos incondicionais concedidos IPI ICMS ...44 Apure o PIS/PASEP e a COFINS: COMPANHIA BRASILEIRA DE PAPÉIS APURAÇÃO DO PIS/PASE E DA COFINS EM 28 DE FEVEREIRO DE 2.....Alíquota de 3% ..0X0 Receita Bruta de Vendas De produtos no mercado nacional De produtos para o exterior De mercadorias no mercado nacional De mercadorias para o exterior De serviços no mercado nacional De serviços para o exterior De alugueis de imóveis _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ ( ...........65% ..Substituição tributária _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ Receita Líquida de Vendas no Mercado Interno ( + ) Receitas Financeiras ( + ) Indenizações ( + ) Vendas de sucata _____________________ _____________________ _____________________ _____________________ Total ....

45 Preencha os DARF’S ABAIXO:

02 PERIODO DE APURAÇÃO

MINISTÉRIO DA FAZENDA
SECRETARIA DA RECEEITA FEDERAL
DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE RECEITAS FEDERAIS

03 NÚMERO DO CPF OU CNPJ 04 CODIGO DA RECEITA

DARF

05 NÚMERO DE REFERENCIA 06 DATA DE VENCIMENTO 07 VALOR DO PRINCIPAL 08 VALOR DA MULTA

01 NOME DA EMPRESA / TELEFONE

09 VALOR DOS JUROS E OU
ENCARGOS DL. 1.025/69

10 VALOR TOTAL ATENÇÃO
É vedado o recolhimento de tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) cujo valor total seja inferior a R$ 10,00. Ocorrendo tal situação, adicione esse valor ao tributo de mesmo código de períodos subseqüentes, até que o total seja igual ou superior a R$ 10,00.

11 AUTENTICAÇÃO BANCARIA (Somente nas 1º e 2º vias)

02 PERIODO DE APURAÇÃO

MINISTÉRIO DA FAZENDA
SECRETARIA DA RECEEITA FEDERAL
DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE RECEITAS FEDERAIS

03 NÚMERO DO CPF OU CNPJ 04 CODIGO DA RECEITA

DARF

05 NÚMERO DE REFERENCIA 06 DATA DE VENCIMENTO 07 VALOR DO PRINCIPAL 08 VALOR DA MULTA

01 NOME DA EMPRESA / TELEFONE

09 VALOR DOS JUROS E OU
ENCARGOS DL. 1.025/69

10 VALOR TOTAL ATENÇÃO
É vedado o recolhimento de tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) cujo valor total seja inferior a R$ 10,00. Ocorrendo tal situação, adicione esse valor ao tributo de mesmo código de períodos subseqüentes, até que o total seja igual ou superior a R$ 10,00.

11 AUTENTICAÇÃO BANCARIA (Somente nas 1º e 2º vias)

46

3.4-) IRPJ e CSLL no Lucro Presumido A pessoa jurídica tributado no Lucro Presumido, pagará o Imposto de Renda e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido à alíquota de 15% (quinze por cento) e 9% ( nove porcento) respectivamente sobre o lucro presumido, apurado em conformidade com a Legislação. A parcela do lucro presumido que exceder o valor resultante da multiplicação de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) pelo número de meses do respectivo período de apuração, sujeitase à incidência de adicional de imposto à alíquota de 10% (dez por cento). O adicional de que trata este item será pago juntamente com o imposto de renda apurado pela aplicação da alíquota geral de 15%. O IRPJ e a CSLL devidos com base no Lucro Presumido deverão ser pagos até o último dia útil do mês subsequente ao do encerramento do período de apuração trimestral. Assim, o IR devido no 1o. trimestre/20XX deverá ser pago até 30.04.20XX (se este dia não houver expediente bancário, então o vencimento deve ser antecipado). Utiliza-se o DARF normal (cor preta), com os seguintes códigos: 2089 – IRPJ 2372 - CSLL Na hipótese do IRPJ ou CSLL ser superior a R$ 2.000,00, poderá ser pago em até 3 quotas iguais, mensais e sucessivas, observado o seguinte: a) as quotas deverão ser pagas até o último dia útil dos meses subsequentes ao do encerramento do período de apuração;

b) nenhuma quota poderá ter valor inferior a R$ 1.000,00; c) o valor de cada quota (excluída a primeira, se paga no prazo) será acrescido de juros SELIC, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do segundo mês subsequente ao do enceramento do período de apuração até o último dia do mês anterior ao do pagamento, e de 1% no mês de pagamento. Os coeficientes fixados pelo art.15, da Lei 9.249/95 relativo ao IRPJ para a aplicação sobre a receita bruta da atividade são:
Atividades Atividades em geral (RIR/1999, art. 518) Revenda de combustíveis Serviços de transporte (exceto o de carga) Serviços de transporte de cargas Serviços em geral (exceto serviços hospitalares) Serviços hospitalares Percentuais (%) 8,0 1,6 16,0 8,0 32,0 8,0

47 Intermediação de negócios Administração, locação ou cessão de bens e direitos de qualquer natureza (inclusive imóveis) 32,0 32,0

. As atividades de corretagem (seguros, imóveis, etc.) e as de representação comercial são consideradas atividades de intermediação de negócios. Nota: Para as pessoas jurídicas exclusivamente prestadoras de serviços, exceto as que prestam serviços hospitalares e as sociedades civis de prestação de serviços de profissão legalmente regulamentada, cuja receita bruta anual não ultrapassar R$120.000,00 (cento e vinte mil reais), o percentual a ser considerado na apuração do lucro presumido será de 16% (dezesseis por cento) sobre a receita bruta de cada trimestre (RIR/1999, art. 519, § 4º). A pessoa jurídica que houver utilizado o percentual reduzido cuja a receita bruta acumulada até determinado mês do ano-calendário exceder o limite de R$120.000,00 ficará sujeita ao pagamento da diferença do imposto, apurada em relação a cada mês transcorrido, até o último dia útil do mês subseqüente aquele em que ocorrer o excesso, sem acréscimos (RIR/1999, art. 519, §§ 6o e 7o). O exercício de profissões legalmente regulamentadas, como as escolas, inclusive as creches, mesmo com receita bruta anual de até R$120.000,00 (cento e vinte mil reais), não podem aplicar o percentual de 16% (dezesseis por cento) sobre a receita bruta para fins de determinação do lucro presumido, devendo, portanto, aplicar o percentual de 32% (trinta e dois por cento) (ADN Cosit no 22, de 2000). Esta diferença deve ser paga em quota única, por meio de Darf separado, no código 2089, até o último dia útil do mês subseqüente ao trimestre em que ocorrer o excesso. Após este prazo, a diferença será paga com os acréscimos legais. A base de cálculo da CSLL, em cada trimestre, será aplicada o porcentual sobre a Receita Bruta conforme a tabela abaixo (art.88 e 89 da IN SRF 390/2004):

Aplicação porcentual 32% (trinta e dois por cento),

Receitas por atividades a) prestação de serviços em geral, exceto serviços hospitalares e de transporte; b) intermediação de negócios; c) administração, locação ou cessão de bens imóveis, móveis e direitos de qualquer natureza;

12% (doze por cento)

as demais atividades, inclusive serviços hospitalares e de transporte

48

Obs: No caso de atividades diversificadas será aplicado o percentual correspondente a cada atividade
O Caso da Contrução Civil O percentual a ser aplicado sobre a receita bruta para apuração da base de cálculo do lucro presumido na atividade de prestação de serviço de construção civil é de 32% (trinta e dois por cento) quando houver emprego unicamente de mão-de-obra, e de 8% (oito por cento) quando houver emprego de materiais, em qualquer quantidade (ADN Cosit no 6, de 1997).

Exemplos: IRPJ Faturamento (atividade em Geral) no 1º trimestre: 1.250.000,00 Lucro Presumido ( 1.250.000,00 x 8%) R$ 100.000,00 no 1º trimestre de 2009: a) IRPJ á alíquota normal = R$ 100.0000,00 x 15% = R$ 15.000,00 b) IRPJ Adicional = R$ 100.000,00 do lucro presumido menos R$ 60.000,00 (R$ 20.00 x período de apuração de 3 meses) x 10% = R$ 4.000,00 Valor a Recolher (a+b) = R$ 15.000,00 + R$ 4.000 = R$ 19.000,00

CSLL Faturamento (atividade em Geral) no 1º trimestre: 1.250.000,00 Lucro Presumido (1.250.000,00 x 12%) R$ 150.000,00 no 1٥ Trimestre de 2009 a) CSLL à alíquota = R$ 150.000,00 x 9% = R$ 13.500,00

00 1.00 213.600..65% 3...IRPJ ..00 671......270........800..00 0....100............300.00 39..476........... ALÍQUOTA ADICIONAL DE 10% SOBRE ( 262..00 213..CODIGO 8109 .300.VENC ATÉ O ÚLTIMO DIA DO TRIM SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS GANHOS DE CAPITAL VALOR 1....00 18.....00 80..00 80.00 3% 14.......00 3% 20.......... ALÍQUOTA 15% ....00 % 12% 32% 100% 100% B......20 FEV 438...334.270..00 262....195.CODIGO 2172 ...40 MAR 546......800......00 213.200.......334. CSLL ....334......APURAÇÃO TRIM ..CSLL PIS ..400..00 64.............200...464...800..00 68..CODIGO 2372 .......00 315..00 25...00 491......00 23...611...50 BASE DE CÁLCULO DO IRPJ .....00 0.......200....00 448............ ALÍQUOTA .......300..60.600....00 25..760....100...00 64..00 TOTAIS 1.........500.....10 TOTAIS 1..363....00 32.....VENC ATÉ O DIA 25 DO MÊS SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS BASE DE CALCULO DO PIS ALÍQUOTA COFINS A RECOLHER JAN 350.......000...00 ) .................200.100..100...142.270.......00 64.....00 3% 48.....00 9% 28........00 1.....917....18 BASE DE CÁLCULO DO CSLL ...500....65% 4....APURAÇÃO TRIM ...800.VENC ATÉ O ÚLTIMO DIA DO TRIM SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS GANHOS DE CAPITAL VALOR 1....20 59.00 64.748.000.....49 Exemplo com os tributos Pis Cofins IRPJ e CSLL: CÁLCULO DOS TRIBUTOS FEDERAIS PELO LUCRO PRESUMIDO: PIS .00 213..70 COFINS .... CÁLCULO 160......802.100....00 23.... CÁLCULO 106.00 68.......500..200........422...364........400.....00 IRPJ ........00 491.. CSLL A RECOLHER .800..334.00 ....00 100........00 100.800...................100..00 18..00 FEV 438..30 20....00 0...COFINS .192..000...600...VENC ATÉ O DIA 25 DO MÊS SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS BASE DE CALCULO DO PIS ALÍQUOTA PIS A RECOLHER JAN 350..500........422........00 3% 13.............000.APURAÇÃO MENSAL ...................500....270.00 20.....00 32...605.... .242....500.00 20...........611.192.......200...00 64............00 % 8% 32% 100% 100% B.200...140......00 671......00 64.00 23.600.....CODIGO 2089 ....00 MAR 546.....00 = 202...200.354..APURAÇÃO MENSAL ..............00 448.......65% 2.........300.........00 0........000.. IRPJ A RECOLHER ...422....65% 10.........00 23..422..

.......CODIGO 2089 ...00 38.000..................00 15......... CSLL .......... conforme demonstrativo abaixo: RECEITA BRUTA TOTAL RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS GANHOS DE CAPITAL TOTAIS PIS .....00 88.......................000.VENC ATÉ O ÚLTIMO DIA DO TRIM SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS GANHOS DE CAPITAL BASE DE CÁLCULO DO IRPJ ...000.......................00 5...........CODIGO 2372 ............000...........000...........00 FEV 510. CSLL A RECOLHER .................................. CÁLCULO JAN FEV MAR TOTAIS JAN FEV MAR TOTAIS JAN 400................50 Exercício: Calcular os tributos federais: PIS/PASEP.. CÁLCULO VALOR % B........VENC ATÉ O DIA 25 DO MÊS SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS BASE DE CALCULO DO PIS ALÍQUOTA PIS A RECOLHER COFINS ......... ALÍQUOTA 15% .......... COFINS...00 5.......000...............................................000..00 MAR 600.....VENC ATÉ O DIA 25 DO MÊS SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS BASE DE CALCULO DO PIS ALÍQUOTA COFINS A RECOLHER IRPJ .............. IRPJ e CSLL.................................000.....................VENC ATÉ O ÚLTIMO DIA DO TRIM SEGUINTE RECEITAS VENDAS SERVIÇOS APLICAÇÕES FINANCEIRAS GANHOS DE CAPITAL BASE DE CÁLCULO DO CSLL ..........APURAÇÃO TRIM ..........00 10...........00 6.............00 TOTAIS .... ALÍQUOTA ...............000.........................APURAÇÃO MENSAL ....APURAÇÃO MENSAL ..000......... ALÍQUOTA ADICIONAL DE 10% SOBRE IRPJ A RECOLHER ...000..............................APURAÇÃO TRIM ..................00 20........00 55.......................000.......CODIGO 8109 ...........CODIGO 2172 . VALOR % B.........................

as filiais).50 x 5% ISS DEVIDO do código 01732 = = 1. receita de aplicações financeiras etc). sendo essa opção irretratável para todo o ano-calendário.) Simples Nacional O reconhecimento da base de cálculo mensal é realizado segundo o regime de competência ou o regime de caixa. classifica-se a receita bruta mensal da pessoa jurídica que será tributada por dentro do Simples Nacional por estabelecimento (matriz e.00 125. obrigatoriamente. Nesse caso. deverá. A pessoa jurídica. Posteriormente. deve-se classificar a receita bruta mensal da pessoa jurídica em dois grupos: a) receita bruta mensal que será tributada por fora do Simples Nacional (ganhos de capital.00 x 5% ISS DEVIDO do código 01040 = = = = Prestação de Serviços 5% 2.28 55. b) receita bruta mensal que será tributada por dentro do Simples Nacional.500. a base de cálculo de cada mês.105. O valor devido mensal do Simples Nacional será calculado exclusivamente mediante a utilização do aplicativo PGDAS.500. para cada estabelecimento da pessoa jurídica. antes de iniciar a primeira apuração do anocalendário correspondente.105. além de reconhecer a receita bruta mensal por esse regime.28 3. deverá reconhecer a base de cálculo mensal pelo regime de competência. A pessoa jurídica deverá formalizar a opção a cada ano-calendário. se existirem. classifica-se a receita bruta mensal nos seguintes tipos: .00 125.6. Quando a pessoa jurídica optar pelo regime de caixa.50 55. optar por um desses dois regimes de reconhecimento. com o objetivo de determinar a alíquota. a partir de 01/01/2009. reconhecida segundo o regime de competência. disponível no Portal do Simples Nacional na internet.00 Prestações de Serviços Código de Serviço 01732 1. Inicialmente. servirá para compor a receita dos últimos doze meses.5-) ISS – Prestação de Serviço ISS Base de Cálculo Alíquota Prestações de Serviços Código de Serviço 01040 2.51 3. Em seguida.

de creche. 3 . bem como decoração de interiores. • serviço de vigilância.de agência terceirizada de correios. ônibus. • de escolas livres.de transportes intermunicipais e interestaduais de cargas. de radiodifusão sonora e de sons e imagens. exceto as previstas nos incisos II e III do § 5º-D da Lei Complementar nº 123/2006. 7 . tratores. c. escolas técnicas. 6 .escritórios de serviços contábeis. bem como manutenção e reparação de aparelhos domésticos. ventilação. d. gerenciais e escolas livres. 11 . de artes.de serviços de manutenção e reparação de motocicletas. para fatos geradores ocorridos a partir de 01/01/2008. As atividades com incidência simultânea de IPI e de ISS serão tributadas na forma do Anexo II. e 8 . elétricos. deduzida a parcela correspondente ao ICMS e acrescida a parcela correspondente ao ISS prevista no Anexo III. de línguas estrangeiras.agência terceirizada de correios. máquinas e equipamentos agrícolas.de serviços de instalação. refrigeração.de serviços de reparos hidráulicos. limpeza ou conservação e.1) Anexo IV . 12 .de serviços de manutenção e reparação de automóveis. • de produção cinematográfica e de artes cênicas.1) Anexo III . e mídia externa. 5 .centro de formação de condutores de veículos automotores de transporte terrestre de passageiros e de cargas.de agência de viagem e turismo. de reparos e de manutenção em geral. execução de projetos e serviços de paisagismo. inclusive sob a forma de subempreitada.de serviços de instalação.de agências lotéricas.agência de viagem e turismo. manutenção e reparação de máquinas de escritório e de informática 10 . • da construção de imóveis e obras de engenharia em geral. caminhões. tratamento e revestimento em metais. c. outros veículos pesados.2) Anexo IV – Período de apuração a partir de 01/01/2009 • construção de imóveis e obras de engenharia em geral.Período de apuração a partir de 01/07/2007 até 31/12/2008. 2 . 15 . 4 . pré-escola e estabelecimento de ensino fundamental.creche. • de produção cultural e artística.serviços de instalação. desde que a pessoa jurídica não incorra em vedação de opção pelo Simples Nacional. 5 .transporte municipal de passageiros. 7 . 13 . de línguas estrangeiras. 2 .52 Anexo I : Comércio: receita decorrente da revenda de mercadorias. aquecimento e tratamento de ar em ambientes controlados. pintura e carpintaria em residências ou estabelecimentos civis ou empresariais. profissionais e de ensino médio. 1 . motonetas e bicicletas. bem como de usinagem. artes.de serviços de instalação e manutenção de aparelhos e sistemas de ar condicionado. com redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. 6 .1) Anexo V . 4 .de todos os serviços não enquadrados nos anexos IV ou V. 3 . cursos técnicos de pilotagem. cursos técnicos e gerenciais. solda. preparatórios para concursos.2) Anexo III – Período de apuração a partir de 01/01/2009 1. d.Período de apuração a partir de 01/07/2007 até 31/12/2008.de centro de formação de condutores de veículos automotores de transporte terrestre de passageiros e de cargas. 9 . Anexo II : Indústria: receita decorrente da venda de mercadorias industrializadas pela pessoa jurídica.agências lotéricas. • de montagem de estandes para feira. manutenção e reparação de acessórios para veículos automotores.de transporte municipal de passageiros 14 . 8 . pré-escola e ensino fundamental (até 8ª série).de veículos de comunicação.Período de apuração a partir de 01/07/2007 até 31/12/2008 . inclusive sob a forma de subempreitada.

5 . diagnósticos médicos por imagem. Anexo V – Período de apuração a partir de 01/01/2009 • • • • • • • • • • • • 1 . Na apuração da receita bruta mensal.serviços de tomografia. 6 .produção cultural e artística. 8 . Diferencial de Alíquota. ICMS e ISS. 4 . PIS. 8 . manutenção e atualização de páginas eletrônicas. 3 . confecção. desde que realizados em estabelecimento do optante.laboratórios de análises clínicas ou de patologia clínica. para cada tipo (anexo) de receita bruta mensal.licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação. inclusive jogos eletrônicos.• • • • • • • • • 53 1 . de natação e escolas de esportes. limpeza ou conservação. 9 . não será admitida a dedução das seguintes receitas: • • • • • • Não incidência tributária exceto imunidades. • retenções na fonte.cumulativamente administração e locação de imóveis de terceiros. desportivas. 11 . Alíquota zero Isenções do IPI Pis e Cofins Mercadoria e/ou serviços vendidos e não pagos Determinação das Alíquotas . de capoeira. 9 . de ioga e de artes marciais. desde que realizados em estabelecimento do optante.de escritórios de serviços contábeis. Agora. de capoeira. 4 . 7 . Cofins. inclusive imunidade. cumulativamente. • cancelamento de notas fiscais. desde que desenvolvidos em estabelecimento do optante. 6 . 2 .de academias de dança. confecção. bem como ressonância magnética. 2 . Tributação monofásicas de Pis e da Cofins. 10 .de administração e locação de imóveis de terceiros. 12 .) • substituição tributária do IPI. de ioga e de artes marciais. (instituídas pelos Estados.produção cinematográfica e de artes cênicas.planejamento. • isenção do ICMS ou do ISS. 3 .academias de atividades físicas.de licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação. registros gráficos e métodos óticos. desportivas. a partir de 1º de julho de 2007.empresas montadoras de estandes para feiras. inclusive jogos eletrônicos. de natação e escolas de esportes.de transportes intermunicipais e interestaduais de cargas. 5 . desde que desenvolvidos em estabelecimento do optante. • exigibilidade suspensa. Distrito Federal e Municípios. 7 . para fatos geradores ocorridos até o dia 31/12/2007.de serviço de vigilância.academias de dança. na forma definida nas legislações dos respectivos entes federados.elaboração de programas de computadores.de academias de atividades físicas. manutenção e atualização de páginas eletrônicas. classificar a parte da receita que esteja sujeita às seguintes especificidades: • fora do campo de incidência. • devolução de mercadorias. • antecipação com encerramento da tributação do ICMS.de planejamento.de elaboração de programas de computadores.serviços de prótese em geral.

15% = Cofins + 0. a soma dos percentuais dos tributos constantes na faixa dessa receita bruta. se apurar a receita bruta acumulada dos 12 meses anteriores ao período de apuração reconhecida pela regime de competência.28% ( é soma dos porcentuais dos tributos constantes na faixa de receita bruta. então. a receita bruta acumulada dos 12 meses anteriores ao período de apuração é determinada seguindo as seguintes regras: • No mês de início de atividade.00 NOV R$50. Esta é a soma das receitas brutas mensais de todos os estabelecimentos da pessoa jurídica nos 12 meses que antecedem o período de apuração.27% = Pis/Pasep + .00 DEZ R$100.38% = CSLL + 1. Em caso de início de atividades. sendo. será calculada a média aritmética das receitas brutas mensais (reconhecidas pelo regime de competência) multiplicado por 12 (doze) • Exemplo 1: pessoa jurídica que não está em início de atividade cuja receita bruta operacional dos 12 meses anteriores ao período de apuração seja igual a R$650.00 A receita bruta total será igual à média aritmética dos valores correspondentes aos meses de setembro/2007 a janeiro/2008 multiplicado por 12: Média aritmética = (200+150+50+100+200)/5 = R$140 Receita bruta operacional = 140 x 12 = R$1. alíquota é determinada localizando-se na tabela correspondente ao tipo de receita. • • • • 1º localizar a tabela na qual se enquadra a receita bruta acumulada 12 últimos meses 2º como no caso de revenda de mercadoria para mercado interno e sem ST 3º tabela utilizada é Anexo I – Comércio Alíquota 8.000.28% = INSS + 2. tendo como receitas totais mensais (reconhecidas pelo regime de competência) os valores constantes da tabela abaixo.54 Para a determinação da alíquota é necessário.680 .38% = IRPJ + 0.00 OUT R$ 150.será a receita do mês de apuração (reconhecida pleo regime de competência) multiplicada por 12 (doze) Quando a pessoa jurídica tiver menos 12 meses do inicio de atividade. sendo neste caso 0. primeiramente. a faixa da receita bruta total acumulada da pessoa jurídica nos 12 meses anteriores ao período de apuração reconhecida pelo regime de competência.82% = ICMS Exemplo 2: pessoa jurídica iniciou suas atividades em setembro/2007 e deseja efetuar a apuração do mês de fevereiro/2008.00 JAN R$200. SET R$ 200.00 e cuja receita bruta operacional do mês seja decorrente somente da revenda de mercadorias sem substituição tributária do ICMS e todas as vendas sejam para o mercado interno.

10 <= r < 0.30 10.47% e (r) < 0.00 Receita Bruta (em 12 meses): R$ 120.30) Somando-se 10. identificar a alíquota no Anexo V. menor será a alíquota do Anexo V e menor será o valor devido do Simples Nacional.15=< (r) 0.55 Para determinar a alíquota relativa ao Anexo V é necessário: 1.000.15 17.15 <= r < 0.50% 15.25 11.000.40 8.47% ( 0.82% e (r) < 0.25 e receita bruta acumulada nos 12 meses anteriores ao período de apuração = R$ 120. Veja fórmula a seguir: Exemplo: Folha de salários incluídos os encargos (em 12 meses): R$ 30. TABELA V-A 0.000. somar a alíquota identificada no Anexo V com o percentual do ISS do Anexo IV correspondente à mesma faixa de receita bruta.35 9.00. 3.97% e (r) < 0.40 Aplicando a fórmula: 30.70% e (r) < 0.30 <= r < 0.35 0. dependendo do valor do fator “r” calculado conforme fórmula acima.15 0.00.47 % com o percentual do ISS no Anexo IV correspondente à receita bruta acumulada nos últimos 12 meses de 2.25 < 0.20 <= r < 0.35 <= r < 0. calcular o valor da relação ( r): r = Folha de Salários incluídos encargos (nos 12 meses anteriores ao período de apuração) / Receita Bruta (nos 12 meses anteriores ao período de apuração – reconhecida pelo regime de competência) 2.40 8.40 r>=0.30=< (r) 0.00 As alíquotas serão aplicadas. localiza-se no Anexo V a alíquota de 10.000. Quanto maior for a folha de pagamento.25 <= r < 0.35=< (r) (r)<0. serão: r < 0. maior será " r ".25<= 0.00% Fonte: Anexo V da Lei Complementar 123/06 .47%.70% e (r) < 0.000.10 0.25=< (r) 0.10 e (r) < 0.20 13.00 / 120.00 (r) >= 0.25 0.20 0.000. obtém-se a alíquota final de 12.20=< (r) 0.00 = 0.25 = Fator “r” Com r = 0.10=< (r) 0.80% Receita Bruta em 12 meses (em R$) Até 120. As faixas dos valores do fator “r”.30 0.

isenção. independentemente de ter auferido receita no período de apuração. No caso do imposto fixo. antecipação com encerramento de tributação e imposto fixo As receitas sujeitas à imunidade. As isenções/reduções tributárias são aquelas específicas para ME e EPP. no ano-calendário anterior (RBAA) de até R$ 120. este será incluído no valor devido final. A microempresa que possua filiais não pode recolher por valor fixo. O valor fixo não exonera o contribuinte da retenção/substituição tributária. para efeito de comparação com o limite de R$ 120. tributação monofásica. isenção. para microempresa que aufira receita bruta. tributação monofásica. (ver exemplo 16). bem como do imposto devido a outro Município. substituição tributária. assim como aquela que esteja no ano de início de atividades.56 Atenção Imunidade. inclusive por regime de estimativa ou arbitramento. a partir de 1º de julho de 2007. Distrito Federal e Municípios.000. substituição tributária. ficando a microempresa sujeita ao valor fixo durante todo o anocalendário. para recolhimento do ICMS ou ISS. Distrito Federal e Municípios. . na forma definida nas legislações dos respectivos entes federados. instituídas pelos Estados.00. antecipação com encerramento de tributação ou imposto fixo. multiplicada por 12. terão desconsiderados os percentuais dos tributos sobre os quais recaem as respectivas sujeições.000.00. exigibilidade suspensa. ao serem discriminadas. Valores fixos são aqueles determinados pelos Estados. No caso de início de atividades no ano-calendário anterior. utilizar-se-á a média aritmética das receitas brutas do anocalendário anterior. exigibilidade suspensa.

operações interestaduais com contribuintes da região sul e sudeste .57 Exercícios 5-) Qual o conceito de Indústria e Equiparada a Indústria? 6-) Quais tributos das seguintes empresas tem a responsabilidade de pagamento. Atividade operacional: Prestadora de Serviço Municipal Tributos:_____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ Enquadramento: Lucro Presumido Atividade: Prestadora de Serviço Interestadual Tributos_____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ Enquadramento : Lucro presumido Atividade: Indústria ou Equiparada a Indústria : Tributos:_____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ Enquadramento: Simples Nacional Atividade: Comercio Tributos:_____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ 7-) As empresas que são consideradas contribuintes do ISS. nordeste.operações interestaduais com contribuintes da região norte.operações internas . contribuintes do ICMS nas operações de Saída qual alíquota aplica-se a: .operações interestaduais para não-contribuintes . sendo : Enquadramento: Lucro Real. centro-oeste e espírito santo . qual a Base de Cálculo do imposto? 8-) Para as empresas consideradas como Comércio. ou seja.

58 Calcule os seguintes Tributos Federais: Pis – Lucro Presumido Cofins – Lucro Presumido Pis – Lucro Real Cofins – Lucro Real IRPJ – Lucro Presumido CSLL.6% .00 <<< 0.000.65% 3% 1.Lucro Presumido >>> Incluindo a Receita de Prestação de Serviços no valor de R$ 10.65% 7.

Fixa ou Arquivo Fiscal. 3a e 4a vias seguem com a mercadoria em operação interestadual.Fisco Origem.59 4-) DOCUMENTOS FISCAIS Temos diversos tipos de documentos fiscais. 1a. Havendo mais de uma série. nota fiscal de prestação de serviços. 1a e 4a vias seguem com a mercadoria em operação interna.I. ainda. . tais como: nota fiscal.Destinatário/Remetente. ordem de coleta de carga. Nota Fiscal: O Ajuste SINIEF nº 07/2005 instituiu a Nota Fiscal Eletrônica modelo 55 que irá substituir a Nota Fiscal modelo 1 ou 1-A (Portaria CAT nº 104/2007 e alterações posteriores). conhecimento de transporte ferroviário de cargas.R. criar séries para operações internas (dentro do estado) e outra para operações interestaduais e exterior.M. O emitente poderá usar duas séries. DESTINAÇÃO DAS VIAS Deverão ser confeccionadas no mínimo em 4 (quatro) vias. Nesses modelos são vedadas as utilizações de subséries. conforme a situação tributária da mercadoria. nota fiscal de transporte de passageiros. 3a via .Fisco Destino. Somente poderão ser usadas séries designadas por números arábicos. manifesto de cargas. em ordem crescente a partir de 1 (Artigo 188. Parágrafo 1. tendo a seguinte destinação: • • • • 1a via .). desde que autorizadas pelo Fisco Estadual e ainda. conhecimento de transporte rodoviário de cargas.S. conhecimento de transporte multimodal de cargas. ou quantas séries necessárias. 4a via . 2a via . destinando uma exclusivamente para operações de saídas e outra para entradas. Os documentos fiscais e seus respectivos modelos estão previstos no artigo 124 do Regulamento do ICMS do estado de São Paulo.C. etc. Poderá. esta deverá ser impressa imediatamente abaixo do número de ordem da nota fiscal. Itens 1 e 2 .

60 MODELOS DE NOTAS FISCAIS .

61 NOTA FISCAL – Modelo 1 (Inciso I e o § 3° do artigo 124 do RICMS/SP) FORMATO 21cm X 28 cm .

.

62 NOTA FISCAL – Modelo 1-A (Inciso I e o § 3° do artigo 124 do RICMS/SP) .

5 cm X 24.63 FORMATO 31.5 cm NOTA FISCAL DE SERVIÇOS .

64

NOTA FISCAL / CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA - Modelo 6
(a que se refere o inciso V e o § 3° do artigo 124)

TAMANHO NÂO INFERIOR A 9,0 cm X 15,0 cm, EM QUALQUER SENTIDO

65

NOTA FISCAL DE SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO – Modelo 21
(a que se refere o inciso XVIII e o § 3° do artigo 124)

TAMANHO NÃO INFERIOR A 14,8 cm X 21,0 cm, EM QUALQUER SENTIDO

66

CONHECIMENTO DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS
(Inciso VII e o § 3° do artigo 124)

112 6.113 6.102 5.000 Saídas ou Prestações de Serviços para o Estado Saídas ou Prestações de Serviços para Outros Estados Saídas ou Prestações de Serviços para o Exterior CFOP – CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES DE SERVIÇO GRUPO 5 5.103 6. destinada a não contribuinte Venda de produção do estabelecimento.113 5.122 7.114 5. por conta e ordem do adquirente.105 5106 GRUPO 6 6.117 5. efetuada fora do estabelecimento Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros. Venda de produção do estabelecimento. em venda à ordem Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros entregue ao destinatário pelo vendedor remetente.117 6.106 GRUP O 7 7. efetuada fora do estabelecimento.101 5. Aplica-se na SAÍDA 5.118 6.102 DESCRIÇÃO DAS OPERAÇÕES OU PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Venda de produção do estabelecimento Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros (comercialização/revenda).67 Detalhes sobre ICMS – Âmbito Estadual .108 5.111 6. em venda à ordem Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros entregue ao destinatário por conta e ordem do adquirente originário.120 6. em venda à ordem Venda de produção do estabelecimento remetida para industrialização.000 6.106 6.110 6.115 5.104 6.112 5.118 5.115 6.119 5. originada de encomenda para entrega futura Venda de produção do estabelecimento entregue ao destinatário por conta e ordem do adquirente originário.101 7. sem transitar pelo estabelecimento do adquirente .105 7. que não deva por ele transitar Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros. conforme previsto no Anexo V do RICMS/SP.110 5.Estadual CFOP – Código Fiscal de Operações e Prestações Os códigos fiscais de operações são atribuídos para ENTRADAS e SAÍDAS.120 5.116 6.114 6.111 5. Venda de produção do estabelecimento.103 5.119 6.105 6.107 6.122 6. recebida anteriormente em consignação mercantil Venda de produção do estabelecimento originada de encomenda para entrega futura Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros.109 6. destinada à Zona Franca de Manaus ou Áreas de Livre Comércio Venda de produção do estabelecimento remetida anteriormente em consignação industrial Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros remetida anteriormente em consignação industrial Venda de produção do estabelecimento remetida anteriormente em consignação mercantil Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros remetida anteriormente em consignação mercantil Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros.116 5. destinada à Zona Franca de Manaus ou Áreas de Livre Comércio Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros.104 5.101 6.109 5.000 7. que não deva por ele transitar Venda de produção do estabelecimento. destinada a não contribuinte Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros.102 6.

123 6.556 7.402 5. etc) Retorno de bem do ativo imobilizado de terceiro.411 5.915 7.402 6.405 5.556 5. Transferência de material de uso ou consumo Remessa para industrialização.210 7. na condição de contribuinte substituto Venda de produção do estabelecimento de produto sujeito ao regime de substituição tributária.6.901 6.910 5.410 5. Remessa de mercadoria ou bem para conserto ou reparo.155 6.202 7.902 6. 7.551 7. cujo imposto já tenha sido retido anteriormente Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária.408 5.901 5.202 5.553 7.155 5.913 6.208 5.411 6. Transferência de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros (comercialização/revenda) Transferência de produção do estabelecimento. Devolução de compra ou bem para o ativo-imobilizado. Venda de produção do estabelecimento em operação com produto sujeito ao regime de substituição tributária.915 6.152 5.352 5.557 6. Devolução de compra de material de uso ou consumo. sem transitar pelo estabelecimento do adquirente Industrialização efetuada para outra empresa. doação ou brinde.555 6.151 6.352 5.352 6.911 5. na condição de contribuinte substituto Venda de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária. Remessa de amostra grátis Remessa de mercadoria ou bem para demonstração.913 5.552 6.404 5.201 6.401 6.201 7.353 6. Anulação de valor relativo a aquisição de serviço de transporte Devolução de mercadoria recebida em transferência para industrialização ou produção rural Devolução de mercadoria recebida em transferência para comercialização Devolução de compra para utilização na prestação de serviço Devolução de compras para industrialização sob o regime de drawback" Prestação de serviço de transporte para execução de serviço da mesma natureza Prestação de serviço de transporte a estabelecimento industrial Prestação de serviço de transporte a estabelecimento comercial.408 6.125 6. ou produção rural Devolução de compra para comercialização Prestação de serviço de transporte a estabelecimento industrial. que não deva por ele transitar Transferência de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros.911 6.206 Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros remetida para industrialização.156 6.553 5. Retorno de mercadoria ou bem recebido para demonstração. Transferência de bem do ativo-imobilizado.551 5.124 5.352 6. em operação entre contribuintes substitutos do mesmo produto Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária. modelo.553 6.68 5.125 7.410 5.401 5. Retorno de mercadoria utilizada na industrialização por encomenda Remessa em bonificação.912 6.554 5.351 6.910 6.156 5.151 5.202 6.201 5.351 5.554 6.206 5. Devolução de compra para comercialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária Venda de ativo-imobilizado.403 6. recebido para uso no estabelecimento.557 5.912 5.211 .555 5.206 .152 6. que não deva por ele transitar Devolução de compra para industrialização.353 5.209 6.902 5.127 5.209 5.403 6. Remessa de bem do ativo imobilizado para uso fora do estabelecimento (molde.123 5.552 5.556 6.124 6.208 6. por conta e ordem do adquirente. Industrialização efetuada para outra empresa quando a mercadoria recebida para utilização no processo de industrialização não transitar pelo estabelecimento adquirente da mercadoria Venda de produção do estabelecimento sob o regime de "drawback" Transferência de produção do estabelecimento.551 6.210 6.210 5. na condição de contribuinte substituído Transferência de produção do estabelecimento em operação com produto sujeito ao regime de substituição tributária Devolução de compra para industrialização ou produção rural em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária.

903 1.352 2.949 6.202 1. Outras saídas não especificadas (remessa e retorno de teste.69 5. Compra de material para uso ou consumo.557 2.303 2.910 1. Compra de mercadoria pra uso ou consumo cuja mercadoria está sujeita ao regime de substituição tributária.124 2.552 2.920 6.916 6. Aquisição de serviço de comunicação por estabelecimento industrial.553 1.101 1.102 DESCRIÇÃO DAS OPERAÇÕES OU PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Compra para industrialização (aplicação processo produtivo – insumos. etc.916 2. Compra para o ativo-imobilizado.912 1.302 1.152 2.949 .916 5.124 1.151 1. Devolução de venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros (comercialização/revenda).921 5.201 3. Transferência para industrialização.202 2. locação.252 1.403 1.101 2.916 1.920 2.102 1.553 3. Entrada de bonificação. Entrada para industrialização por encomenda.949 Aplica-se na ENTRADA 1.557 1. Compra para industrialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária.401 2.403 2. Industrialização efetuada por outras empresas.302 2.920 5. Devolução de venda de bem adquirido para o ativo-imobilizado. Retorno de vasilhame ou sacaria. locação.921 2. etc) 7.913 1. Remessa de vasilhame ou sacaria.252 2.352 1.911 1.915 1.556 GRUPO 3 3.920 1.102 2.910 3.912 2. garantia.353 1.913 2. Aquisição de serviço de transporte por estabelecimento industrial. 3.352 3.152 1. Compra para comercialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária.353 3.353 2.921 6.551 3. Outras entradas não especificadas ¾ Teste. matéria-prima.551 1. garantia. Transferência de bem do ativo-imobilizado.552 1.406 1. Retorno de mercadoria ou bem remetido para demonstração Entrada de mercadoria ou bem recebido para conserto ou reparo.903 2.911 2.556 2. Retorno de mercadoria remetida para industrialização por encomenda. Entrada de mercadoria ou bem recebido para demonstração.202 3.303 1.551 2.949 GRUPO 2 2.000 2.401 1.556 1. Devolução de venda de produção do estabelecimento.201 2. Entrada de amostra-grátis. Transferência para comercialização. Entrada de mercadoria remetida para industrialização e não aplicada no referido processo.902 2.901 2. Retorno de mercadoria ou bem recebido para conserto ou reparo. Retorno de vasilhame ou sacaria. Entrada de vasilhame ou sacaria.553 2. doação ou brinde. produtos intermediários e embalagem) Compra para comercialização ou revenda. Aquisição de serviço de comunicação por estabelecimento comercial.201 1.101 3.910 2.921 1.902 1. Transferência de material para uso ou consumo.000 3.915 2.151 2.949 Retorno de mercadoria ou bem recebido para conserto.406 2.901 1.000 Entradas ou Aquisições de Serviços do Estado Entradas ou Aquisições de Serviços de Outros Estados Entradas ou Aquisições de Serviços do Exterior CFOP – CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÃO E PRESTAÇÃO GRUPO 1 1.949 3. Compra de energia elétrica por estabelecimento industrial. Aquisição de serviço de transporte por estabelecimento comercial.

70 CST .CÓDIGO DE SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA O código de situação tributária é composto de três dígitos.TRIBUTAÇÃO PELO ICMS Tributada integralmente Tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária Com redução da base de cálculo Isenta ou não-tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária Isenta Não-tributada Suspensão Diferimento ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária Com redução da base de cálculo e com cobrança de ICMS por substituição tributária Outras . 0 1 2 TABELA “A” – ORIGEM DA MERCADORIA Nacional Estrangeira – importação direta Estrangeira – adquirida no mercado interno 00 10 20 30 40 41 50 51 60 70 80 90 TABELA B . com base na Tabela A e os dois últimos dígitos à forma de tributação pelo ICMS. efeitos a partir de 01/01/2001. com base na Tabela B. onde o 1º dígito indica a origem da mercadoria. Redação dada pelo Comunicado CAT 132/00.

porém tal. pois quando ocorrer a sua saída a operação será tributada do IPI. COMO EFETUAR TAL OPERAÇÃO NO G5-PHOENIX ? Se no cadastro da empresa estiver preenchido no campo de Tipo de Empresa Comércio. “O IPI incide na saída do estabelecimento industrial de produtos que nele foram submetidos à operação de industrialização. INDÚSTRIA Por sua vez a Indústria deve lançar a NF com o valor destacado de ICMS.00 O valor que seria a Base de Cálculo do IPI lançar em OUTRAS de IPI. Se no cadastro da empresa estiver preenchido no campo de Tipo de Empresa Indústria e tal produto não fará parte do processo de industrialização ou revenda (não tenho direito ao Crédito). bem como na saída de produtos adquiridos de terceiros. com destino a outros estabelecimentos. porém tal mercadoria.00 . para industrialização ou revenda. BC/ICMS.00.00). Sendo assim o sistema levará automaticamente o valor de IPI para o campo de observações do Registro de Entradas. ICMS e IPI Sendo assim o sistema levará automaticamente o valor de IPI para o campo de observações do Registro de Entradas. PREENCHER os CAMPOS de VC. produto não será utilizado no processo de industrialização e sim para revenda. BC/ICMS. PREENCHER os CAMPOS de VC.ICMS. ALIQ. o lançamento será.71 Entrada (Comércio compra de Indústria) Quando uma empresa NÃO-CONTRIBUINTE do IPI adquire alguma mercadoria na qual veio destacado na NF o valor do IPI deveremos proceder da seguinte forma : COMÉRCIO Deve lançar a NF com o valor destacado de ICMS. O IPI não incide nas operações em que saem do estabelecimento industrial mercadorias revendidas a consumidores finais sem terem sido submetidas a processo de industrialização no dito estabelecimento” (Fonte: Solução de Consulta nº 12 de 12/02/2003). . com o seguinte descritivo Ipi = R$ 100. ALIQ. o valor de IPI deverá ser lançado acredito. com o seguinte descritivo Ipi Não Aproveitável = R$ 100. ICMS e IPI (sendo que o valor de IPI deverá anteceder ao valor um sinal de (-) negativo) Exemplo – 100. o lançamento será. será produto de revenda.ICMS. conseqüentemente valor de IPI deverá constar em OBSERVAÇÕES no Registro de Entradas (Exemplo IPI = R$ 100.

• Recuperação do imposto destacado a maior A Portaria CAT 83/91 estabelece o limite para utilização. o parágrafo 3º reconhecendo a aplicação do uso da carta de correção. • Crédito automático na escrita fiscal . o decreto incorporando a carta de correção. tampouco. Esse formulário pode ser desenvolvido conforme a necessidade do emitente. de imposto indevidamente pago por destaque a maior em documento fiscal e dispõe sobre os pedidos de restituição ou compensação do ICMS. No estado de São Paulo o Decreto 51. quantidade.264.as variáveis que determinam o valor do imposto tais como base de cálculo.612/87 e 27. em relação ao constante no documento fiscal. compete ao remetente ou destinatário. a Portaria CAT 83/91. pelo valor do destaque devidamente corrigido. na hipótese de constatar qualquer erro nesse sentido. Esta comunicação será feita por troca de correspondência. de 12/07/79 da Consultoria Tributária da Secretaria da Fazenda e Decreto 26. que possibilitará a comprovação da regularização efetuada. valor da operação ou da prestação.72 CARTA DE CORREÇÃO Através do Ajuste SINIEF 01/2007 foi criada a carta de correção a nível nacional. diferença de preço.a correção de dados cadastrais que implique mudança do remetente ou do destinatário. ou seja. não revogou o artigo 63. comunicar a outra parte para que este proceda ao creditamento do imposto de forma correta. portanto. como crédito. vejamos quais as providências que devem ser adotadas (fonte: artigo 61. II . inciso VII do RICMS. § 5º do RICMS/2000 e Resposta à Consulta nº 13. III . § 5º do RICMS/2000.412/87): • Providências pelo remetente: Tendo em vista que o artigo 61. Notemos. "§ 3º Fica permitida a utilização de carta de correção para a regularização de erro ocorrido na emissão de documento fiscal." (NR).a data de emissão ou de saída. nem. tanto por parte do remetente quanto por parte do destinatário. bem como servirá de suporte para a recuperação do imposto pago indevidamente em razão do destaque a maior no documento fiscal. desde que o erro não esteja relacionado com (Ajuste SINIEF01/07”): I . estabelece que se o imposto for destacado a maior do que o devido o excedente não poderá ser apropriado como crédito (pelo destinatário). Não foi previsto formulário próprio de carta de correção. alíquota.801 de 09/05/2007 incorporou no Regulamento do ICMS ao artigo 183. Apresentando diferença a maior de preço ou quantidade.

de que não utilizou como crédito da quantia pleiteada. independentemente de autorização. 1º da Portaria CAT 83/91). devendo tal documento ser conservado pelo prazo previsto no artigo 202 do RICMS/2000 e § 2º do art. tomando como referência o valor desse índice no primeiro dia do mês da ocorrência do pagamento indevido (art. até a importância correspondente a 50 UFESPs em função de cada documento fiscal. Demais exigência para restituição ou compensação do imposto deve ser consultada a Portaria CAT nº 83/91. com declaração sobre a sua não-utilização ou seu estorno. pelo destinatário do documento fiscal. Modelo Impresso pelo Sistema de Escrita Fiscal : G5 PHOENIX .73 O contribuinte poderá creditar-se. Esse crédito só poderá ser efetuado à vista de autorização firmada pelo destinatário do documento fiscal. 1º da Portaria CAT nº 83/91. do valor do imposto indevidamente pago em razão do destaque a maior em documento fiscal. A restituição ou a compensação do imposto depende de declaração firmada. • Valor do imposto acima de 50 UFESPs Somente com autorização expressa pelo Fisco.

Em todas as circunstâncias. disponível no Posto Fiscal Eletrônico . quando se tratar de Pedido de Cessação Total do Uso dos Livros e Documentos relacionados no pedido originalmente cadastrado e acolhido. 5 Convênio ICMS – 142/02 de 13 de Dezembro de 2002. na data de vigência de Janeiro de 20035 da Portaria CAT 92/02. à análise do atendimento de todas as exigências contidas na Portaria CAT 32/96. . já forem usuários do Sistema Eletrônico de Processamento de Dados . o Fisco dará ciência ao interessado no prazo de 30 dias da entrega do pedido.br Normalmente. no endereço “http://pfe. na pasta “Autorização/AIDF/Cadastro/SEPD”. uma via do pedido será impressa e entregue pelo requerente / declarante à Divisão de Tecnologia e Informações da Delegacia da Receita Federal a que estiver subordinado. por contribuinte ou contabilista. O Pedido será acolhido e deferido de plano. em formulário eletrônico. utilizando-se da opção “Cessação de Uso”. quando se tratar de Pedido Inicial. Em caso de indeferimento. deveriam RENOVAR seu pedido. disponível no PFE. condicionando-se. Os contribuintes que. a impressão de alguns registros no qual informaremos abaixo. por contribuinte ou contabilista.SEPD. por meio do formulário eletrônico “Pedido/Comunicação de Uso de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados – SEPD”. Contribuintes que se utilizem de serviços de terceiros. “Autorizações/AIDF/Alterações/SEPD.gov. na redação da Portaria CAT 92/02. ao executar o processo de autorização/pedido de uso junto ao Posto Fiscal. na Pasta: “Autorizações/AIDF/Cadastro/SEPD. deverão informar essa condição e identificá-los em seu pedido no momento do preenchimento de sua autorização.fazenda. por contribuinte ou contabilista. Os dados para seu preenchimento serão extraídos do pedido anteriormente autorizado por meio de formulário em papel.gov . Para obter esta autorização é necessário acessar o site do Posto Fiscal Eletrônico www. porém.fazenda. eletronicamente. “Autorizações/AIDF/Alterações/SEPD. quando se tratar de Pedido de Alteração de qualquer das informações do pedido originalmente cadastrado e acolhido.sp.br”. é solicitado algumas informações a saber : Exemplo: Linguagem de Programação Gerenciador de Banco de Dados Sistema Operacional Processador Memória RAM Delphi Btrieve Windows XP 24 MB RAM PROCEDIMENTOS: Preencher o Pedido/Comunicação de Uso de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados .SEPD para emissão de documentos e escrituração de livros fiscais.pfe.PFE da Secretaria da Fazenda. utilizando-se da opção “Alterar”.sp.74 Pedido de Uso de Impressão de Documentos Fiscais Esta autorização serve para ter validade.

com relação às operações.) . às aquisições e aos serviços prestados e/ou tomados a qualquer título e realizados no exercício de apuração (Sintegra registros 54 e 75 além dos demais exigidos pela Portaria CAT nº 32/96). ser utilizado para solicitação de autorização para emissão de documentos fiscais por processamento eletrônico de dados (exemplo: nota fiscal modelo 1 ou 1-A. Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas. para emissão de outros documentos fiscais ou escrituração de Documentos fiscais que podem ser emitidos pelo Sistema Eletrônico de Processamento de Dados -SEPD:livros fiscais. na redação da Portaria CAT 92/02. Livros Fiscais que podem ser emitidos pelo Sistema Eletrônico de Processamento de Dados -SEPD: Registro de Entradas Registro de Saídas Registro de Controle da Produção e do Estoque Registro de Inventário Registro de Apuração do ICMS Livro de Movimentação de Combustíveis O contribuinte deverá manter o registro fiscal na forma estabelecida na Portaria CAT 32/96. O SEPD poderá ainda. o contribuinte que. etc.75 Fica dispensado da autorização aqui tratada. use exclusivamente equipamento Emissor de Cupom Fiscal e não seja usuário do Sistema Eletrônico de Processamento de Dados – SEPD.

M. 204 E 211 DO ESCRITURAÇÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS CONFECCIONADOS R..C.M.P.S.C. 204. 212 e 224 R. R.I. REGISTRO DE APURAÇÃO DO I.I.M.I.I.S.M.S.S. R.S.S.I. SIMULTANEAMENTE. 345 E 367 FISCAIS PARA TERCEIROS OU USO PRÓPRIO.I.S.M.M. CONTRIBUINTES DO I. ART.I. . 370 DO ESCRITURAÇÃO DOS SALDOS FINAIS DOS ESTOQUE POR DO PROCESSAMENTO DE DADOS. PROCESSAMENTO DE DADOS.I.I.C. 345 E 365 ALGUNS CONTRIBUIES DO I.I. QUE UTILIZAM ART.I. PROCESSAMENTO DE DADOS. 345 e DO R. QUE UTILIZAM ART.P.M. 345 E 359 INDUSTRIAIS.S.C.S.C.M.76 5-) OBRIGAÇÕES ACESSÓRIOS 5. ART. ART..S.P. E I. ART.S. DO R. 204 E 209 DO R.I..1-) Livros Fiscais MODELOS DE LIVROS FISCAIS LIVRO FISCAL REGISTRO DE ENTRADAS REGISTRO DE ENTRADAS REGISTRO DE ENTRADAS REGISTRO DE SAÍDAS REGISTRO DE SAÍDAS REGISTRO DE SAÍDAS REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO DE ESTOQUE REGISTRO DE SELO DE CONTROLE REGISTRO DE IMPRESSÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS REGISTRO DE UTILIZAÇÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS E TERMOS DE OCORRÊNCIAS RIGISTRO DE INVENTÁRIO REGISTRO DE INVENTÁRIO REGISTRO DE APURAÇÃO DO I.M.S.P. DOCUMENTOS 6 ART.M.C.P.I.I.. 224 R. E I. MODELO 1 1-A P-1/P1A 2 2-A P-2/P2A 3 BASE LEGAL QUEM UTILIZA ART. 345 R.I.M.C. ART. 204 E 206 DO R.C. 204 E 210 DO ESTABELECIMENTOS QUE CONFECCIONAM R.I. ART.P.P.I.204 E 205 DO CONTRIBUINTES DO I.S. ART.I.C. e I.P.: ART.I.I.C. E 530 DO CONTRIBUINTES DO I.C. SIMULTANEAMENTE. 204 E 205 DO CONTRIBUINTES DO I. 204 E 205 DO R.C..I. DO R.P.S.M.I. 7 P-7 8 9 ART. E I.I.I.I. 345 E 357 DO R.C.I. 345 E 368 POR GRÁFICAS E LAVRATURA PELO FISCO DE TERMOS DE OCORRÊNCIAS.I.S. 204 R. ART. ART.I. ART.C.M. E I. 224 R.M.M. 345 E DO R.P.P.I.C.I. ART.I.S.I.P.C.P. 345 E 354 DO R. INDUSTRIAIS OU EQUIPARADOS À 4 5 ART.I.M.M.I.S.C.C. ART.I.I.S.S. 204 E 212 R.C.M. ART. DO R.C. CONTRIBUINTES DO I. ART.M.I.P. E 214 DO ESCRITURAÇÃO DOS SALDOS FINAIS DOS ESTOQUES.P.M.M. 204 E 207 DO ESTABELECIMENTOS R. E 530 DO CONTRIBUINTES DO I. ART. ART.C.S..M.CM. DO R.S.S. DO 367 ESTABELECIMENTO INDUSTRIAL.S.C. 204 e 213 R.. INDUSTRIAL OU EQUIPARADO À DO ESTABELECIMENTOS INDUSTRIAIS E COMERCIAIS SUJEITOS AO I.I.

77 TIPOS E MODELOS DE LIVROS E REGISTROS .MANUAIS E ELETRÔNICOS Registro de Entradas Modelo 1 .

78 Registro de Entradas Modelo 1-A .

79 Registro de Entradas Modelo Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

80 Continuação do Registro de Entradas. Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

6 81 Registro de Saídas Modelo 2 6 Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

82 Registro de Saídas Modelo 2-A .

83 Registro de Saídas Modelo Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

84 Continuação do Registro de Saídas Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

85 Continuação do Registro de Saídas Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

86 Livro de Registro de Apuração de Icms Manual .

87 Continuação do Livro de Registro de Apuração de Icms Manual .

88 Registro de Apuração de ICMS Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

89 Continuação do Registro de Apuração de ICMS Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

90 Livro de Registro de Apuração de IPI Manual .

.

91 Continuação Livro de Registro de Apuração de IPI Manual .

92 Registro de Apuração do IPI 1ª Quinzena Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

93 Continuação do Registro de Apuração de IPI 1ª Quinzena Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

o Registro de Inventário MODELO 7. ou seja. Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix . Produtos Intermediários.94 Registro de Inventário Conforme artigo 221 do RICMS. Produtos Manufaturados e Produtos em Fabricação. este registro deve ser escriturado semestralmente. se o Balanço Patrimonial da empresa encerrar semestralmente no exercício calendário. destina-se aos valores compostos na empresa. Estes valores devem ser compostos conforme o encerramento do Balanço Patrimonial da época. contendo o saldo final destes valores nestas respectivas datas. Matérias-Primas. Materiais de Embalagens. sendo os valores de Mercadorias. sendo no mês de JUNHO e DEZEMBRO.

95 MODELOS DE LIVROS E REGISTROS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS – MANUAIS E ELETRÔNICOS Livro de Registro de Prestação de Serviço Manual Modelo 51 .

96 Modelo 53 .

97 Modelo 56 .

98 Livro de Registro de Prestação de Serviço Modelo 51 Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

99 Livro de Registro de Prestação de Serviço Modelo 53 Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

100 Livro de Registro de Prestação de Serviço Modelo 56 Eletrônico Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix .

na hipótese do parágrafo anterior. dos serviços tomados. a série e subsérie. nas colunas próprias.Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações com Crédito de Imposto": . a qualquer título. destina-se à escrituração da entrada.colunas sob o título "Documento Fiscal": a espécie. 2 . o número de ordem e a data da emissão do documento fiscal correspondente à operação ou prestação. ainda.colunas sob os títulos "ICMS . os do remetente. 9 .colunas sob o título "Codificação": a) coluna "Código Contábil": o mesmo código que o contribuinte.101 5.coluna "Data da Entrada": a data da entrada efetiva da mercadoria no estabelecimento ou a data da sua aquisição ou do desembaraço aduaneiro na hipótese do § 1º. o livro Registro de Entradas. 4 . em ordem cronológica das entradas efetivas de mercadoria no estabelecimento ou. serão indicados. estadual e no CNPJ.Os registros serão feitos documento por documento.2-) Escrituração Fiscal Da escrituração do Livro de Entrada Conforme artigo 214 do RICMS/SP dispõe que.coluna "Valor Contábil": o valor total constante no documento fiscal. ainda. de mercadoria no estabelecimento ou de serviço por este tomado 9 . 5 . desdobrados em tantas linhas quantas forem as alíquotas do imposto e as naturezas das operações ou prestações.Serão também escriturados os documentos fiscais relativos a aquisição de mercadoria que não transitar pelo estabelecimento adquirente. 6 . b) coluna "Código Fiscal": o Código Fiscal de Operações e Prestações. eventualmente. em lugar dos dados do emitente. ou. modelo 1 ou 1-A. conforme segue: 1 . a data da utilização do serviço. bem como o nome do emitente e seus números de inscrição.Os registros serão feitos por operação ou prestação.coluna "Procedência": sigla do outro Estado onde estiver localizado o estabelecimento emitente. de sua aquisição ou desembaraço aduaneiro ou. utilizar no seu plano de contas contábil. 3 . 9 . em se tratando de Nota Fiscal emitida em decorrência de entrada de mercadoria. segundo o Código Fiscal de Operações e Prestações.

ocorrendo a hipótese. 9 . quando se tratar de mercadoria ou serviço cuja saída ou prestação tiver sido beneficiada com isenção ou estiver amparada por não-incidência7.Valores Fiscais" e "Operações sem Crédito do Imposto": a) coluna "Isenta ou Não Tributada": o valor da operação. deduzida a parcela do IPI. b) coluna "Alíquota": a alíquota do imposto aplicada sobre a base de cálculo referida na alínea anterior.colunas sob os títulos "IPI . se consignada no documento fiscal.102 a) coluna "Base de Cálculo": o valor sobre o qual incidir o imposto. deduzida a parcela do Imposto sobre Produtos Industrializados . quando se tratar de entrada de mercadoria que não confira ao estabelecimento destinatário crédito do IPI ou quando se tratar de entrada de mercadoria cuja saída do estabelecimento remetente tiver sido beneficiada com suspensão do recolhimento do IPI. quando se tratar de entrada de mercadoria cuja saída do estabelecimento remetente tiver sido beneficiada com isenção do IPI ou estiver amparada por não-incidência9. se consignada no documento fiscal. deste ou de outro Estado. 10 . 8 . se consignada no documento fiscal. b) coluna "Outras": o valor da operação ou prestação. está amparado nos termos do artigo 378 do Decreto 4.544/02 9 A não-incidência do IPI corresponde aos produtos com a notação “NT” (não-tributados) relacionados na TIPI e não se ampara nos termos do artigo 2º do Decreto 4.Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações sem Crédito do Imposto": a) coluna "Isenta ou Não Tributada": o valor da operação ou prestação. deduzida a parcela do IPI.544/02. e a sua destinação: As operações que ampara por não-incidência estão dispostas nos termos do artigo 7º do RICMS/SP Neste caso. no último dia do período de apuração. segundo a sua origem.coluna "Observações": informações diversas. bem como o valor da parcela correspondente à redução da base de cálculo. quando se tratar de entrada de mercadoria ou de serviço tomado que não confira ao estabelecimento destinatário ou ao tomador do serviço crédito do imposto.IPI. 9 . os documentos fiscais relativos a: 1 . c) coluna "Imposto Creditado": o valor do imposto creditado. b) coluna "Imposto Creditado": o valor do imposto creditado. bem como.Poderão ser lançados englobadamente. quando for o caso.Valores Fiscais" e "Operações com Crédito do Imposto":8 a) coluna "Base de Cálculo": o valor sobre o qual incidir o IPI. b) coluna "Outras": o valor da operação. será utilizado o Livro de Registro de Entrada Modelo 1. por ter sido atribuída a outra pessoa a responsabilidade pelo seu pagamento.mercadorias. 7 . O uso desses campos será quando o contribuinte estiver sujeito ao IPI . 8 7 .colunas sob os títulos "ICMS . Assim. o valor da parcela correspondente à redução da base de cálculo. ou quando se tratar de entrada de mercadoria ou de serviço tomado sem lançamento do imposto por ocasião da respectiva saída ou prestação.colunas sob os títulos "IPI .

9 . elaborar demonstrativo por Estado de origem da mercadoria ou de início da prestação de serviço. os documentos fiscais relativos a operações ou prestações originadas ou iniciadas em outro Estado. com desdobramento em tantas linhas quantas forem as alíquotas aplicadas às operações ou prestações de mesma natureza. exceto pelo usuário de sistema eletrônico de processamento de dados b) para integração no ativo imobilizado.serviços de transporte tomados. indicado na coluna "observações". 9 . segundo as datas de emissão dos documentos fiscais.A escrituração do livro deverá ser encerrada no último dia do período de apuração.Será também escriturado o documento fiscal relativo à transmissão de propriedade de mercadoria que não transitar pelo estabelecimento. pelos totais diários. a qualquer título. observado o disposto no inciso II do artigo 136 do RICMS/SP. contendo os totais do valores escriturados nas colunas "valor contábil". em relação às operações e prestações interestaduais realizadas no período. para efeito de lançamento global no último dia do período de apuração. poderá escriturar os documentos correspondentes à aquisição de mercadorias ou aos serviços tomados. o livro Registro de Saídas. sendo permitido o registro conjunto dos documentos de numeração seguida da mesma série e subsérie.O estabelecimento prestador de serviço de transporte que optar por redução da tributação. "base de cálculo". condicionada ao não-aproveitamento de créditos fiscais. ou da prestação de serviço 9 . 2 . conforme segue: . destina-se à escrituração da saída de mercadoria. exceto se o tomador dos serviços for usuário de sistema eletrônico de processamento de dados 3 . totalizando-os segundo a natureza da operação ou prestação e a alíquota aplicada. deverá o estabelecimento. 9 . indicando-se na coluna "Observações" o valor total correspondente à diferença de imposto devida a este Estado. 9 . 9 .Relativamente ao parágrafo anterior. essa circunstância será mencionada. modelo 2 ou 2-A.serviços de comunicação tomados. sem prejuízo do disposto no § 1º do artigo 117 do RICMS/SP. de acordo com o Código Fiscal de Operações e Prestações. "outras" e o valor do imposto pago por substituição tributária. 9 . serão totalizados segundo a alíquota interna aplicável.Após a escrituração de que trata o parágrafo anterior. Da escrituração do Livro de Saída Conforme artigo 215 do RICMS/SP dispõe que.Os registros serão feitos em ordem cronológica.103 a) para uso ou consumo.Os registros serão feitos nas colunas próprias. inexistindo documento a escriturar.

2 . ocorrendo a hipótese. se consignada no documento fiscal.colunas sob o título "Codificação": a) coluna "Código Contábil": o mesmo código que o contribuinte. deduzida a parcela do Imposto sobre Produtos Industrializados .Valores Fiscais" e "Operações com Débito do Imposto":11 a) coluna "Base de Cálculo": o valor sobre o qual incidir o IPI.Valores Fiscais" e "Operações sem Débito do Imposto": a) coluna "Isenta ou Não Tributada": o valor da operação. quando se tratar de mercadoria cuja saída tiver sido beneficiada com isenção do IPI ou amparada por 10 11 As operações que ampara por não-incidência estão dispostas nos termos do artigo 7º do RICMS/SP Neste caso.Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações com Débito do Imposto": a) coluna "Base de Cálculo": o valor sobre o qual incidir o imposto.104 1 . 4 . quando se tratar de mercadoria ou serviço cuja saída ou prestação tiver sido efetivada sem lançamento do imposto. b) coluna "Código Fiscal": o Código Fiscal de Operações e Prestações. b) coluna "Imposto Debitado": o valor do imposto debitado. os números de ordem. se consignada no documento fiscal. por ter sido atribuída a outra pessoa a responsabilidade pelo seu pagamento.colunas sob o título "Documento Fiscal": a espécie. deduzida a parcela do IPI.colunas sob os títulos "IPI . a série e subsérie.colunas sob os títulos "ICMS .544/02. O uso desses campos será quando o contribuinte estiver sujeito ao IPI . está amparado nos termos do artigo 381 do Decreto 4. 5 . será utilizado o Livro de Registro de Saída Modelo 2. bem como. eventualmente. quando se tratar de mercadoria ou serviço cuja saída ou prestação tiver sido beneficiada com isenção ou amparada por não-incidência10. . inicial e final. 6 .IPI.coluna "Valor Contábil": o valor total constante nos documentos fiscais.colunas sob os títulos "IPI . e a data da emissão dos documentos fiscais. b) coluna "Outras": o valor da operação ou prestação. utilizar no seu plano de contas contábil. b) coluna "Alíquota": a alíquota do imposto aplicada sobre a base de cálculo referida na alínea anterior. 3 . o valor da parcela correspondente à redução da base de cálculo. c) coluna "Imposto Debitado": o valor do imposto debitado.colunas sob os títulos "ICMS . 7 . Assim.Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações sem Débito do Imposto": a) coluna "Isenta ou Não Tributada": o valor da operação ou prestação.

Após a escrituração de que trata o parágrafo anterior. emitirão.Na hipótese do inciso III ou IV do artigo 182 do RICMS/SP. 9 . como auxiliar de escrituração do livro Registro de Saídas.RMD. 12 A não-incidência do IPI corresponde aos produtos com a notação “NT” (não-tributados) relacionados na TIPI e não se ampara nos termos do artigo 2º do Decreto4.105 imunidade ou não-incidência12. deverá o estabelecimento. por Estado de destino da mercadoria ou da prestação do serviço. em relação às operações e prestações interestaduais realizadas no período.coluna "Observações": informações diversas. b) coluna "Outras": o valor da operação. deduzida a parcela do IPI. previsto no artigo 174 do RICMS/SP. 9 . o valor da parcela correspondente à redução da base de cálculo. ocorrendo a hipótese. quando se tratar de mercadoria cuja saída do estabelecimento tiver sido beneficiada com suspensão do recolhimento daquele imposto. elaborar demonstrativo.Os prestadores de serviço de transporte de passageiro. contendo os totais dos valores escriturados nas colunas "valor contábil". a ocorrência deverá ser indicada na coluna "Observações". e o valor do imposto cobrado por substituição tributária. "base de cálculo". 9 .544/02. em relação a cada estabelecimento. . indicado na coluna "observações". 8 . possuidores de inscrição única abrangendo mais de um estabelecimento. se consignada no documento fiscal. inexistindo documento a escriturar.A escrituração do livro deverá ser encerrada no último dia do período de apuração. 9 . separando as realizadas com contribuintes daquelas com não-contribuintes. nas linhas correspondentes aos registros do documento fiscal original e do complementar. modelo 18. bem como. o Resumo de Movimento Diário . essa circunstância será mencionada.

IPI COLUNAS Quando tiver como amparo legal: 9 9 9 9 Isenção Imunidade Não-incidência Não-tributada 9 9 9 9 9 Coluna Isenta/não-tributada Fonte: Para o Registro de Entradas Artigo 378 do RIPI – Decreto 4.590/2000. 9 9 9 9 Diferimento Suspensão Compras para ativo-fixo Compras para uso e/ou consumo próprio.544/2002 .106 ICMS COLUNAS Quando tiver como amparo legal: 9 9 9 9 Isenção Imunidade Não-incidência Parcela referente a redução da base de cálculo.544/2002 Suspensão Alíquota Zero Compras para ativo-fixo Compras para uso e/ou consumo próprio. Coluna Outras Fonte: Para o Registro de Saídas Artigo 215 § 3º do RICMS – Decreto 45. Outras situações não previstas Coluna Outras Fonte: Pra o Registro de Saídas Artigo 381 do RIPI – Decreto 4.490/2000. Coluna Isenta/não-tributada Fonte: Para o Registro de Entradas Artigo 214 § 3º do RICMS – Decreto 45.

107 5. faturamentos e etc.M = Nomenclatura Comum do Mercosul = 7318. Exemplo: DIPI Código da Mercadoria = Código do Produto = 1111 N.Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte Obs:Todas essas declaração e outras mais.. Vejamos a seguir: Esfera Federal DCTF .Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais DIPJ . .Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais DIRF . estão disponível seus aplicativos com suas informações detalhadas no sitio da Secretaria da Receita Federal. com os demais dados necessários. deverão apresentar informações referente ao IPI (antiga DIPI) na DIPJ Para que o sistema gere o relatório ou efetue a integração desses dados junto da DIPJ.C. pois dependem de tipo de atividade.Há algumas principais.3-) Declarações obrigatórias São várias as declarações que devem ser entregues.2-) DIPI – Declaração de Imposto de Produtos Industrializados Os contribuintes do IPI optantes pelo LUCRO PRESUMIDO ou pelo LUCRO REAL.1500 Descrição do Produto = Parafusos Base = Base de Cálculo de IPI do produto IPI = Valor do IPI do produto Isento = Valor de ISENTO ou OUTRAS quando não for tributado Com estas informações o sistema gerará os relatórios e um arquivo a ser importado na DIPJ. 13.Declaração de Informações Econômico-fiscais da Pessoa Jurídica (inclusive a imunes e isentas) DACON . será necessário escriturar as notas e as informações na tela da DIPI . enquadramento tributário.

Vamos visualizar algumas fichas com preenchimentos da GIA.108 Figura: Modelo Impresso pelo Sistema Escrita Fiscal : G5 Phoenix Esfera Estadual: Guia de Informação e Apuração do ICMS ( GIA) Uma das principais obrigações acessórias a ser cumprida pelos contribuintes do ICMS do Regime Periódico de Apuração – RPA é a entrega das informações fiscais através da Guia de Informações e Apuração do ICMS – GIA. .

.109 1º ficha: Identificação do contribuinte Observação: Esta ficha deverá ser preenchida com os dados cadastrais do contribuinte.

2. Os valores totais dos créditos e débitos do período de apuração serão transportados automaticamente pelo programa da CONTMATIC para a ficha a ficha de apuração. Esta ficha deverá ser preenchida com os valores totais apurados no período de apuração (mês).110 2ª Ficha: Lançamento de CFOP Observações: 1. com detalhamento por CFOP e de acordo com o resumo constante no livro de apuração do livro fiscais. .

Esta ficha deverão ser discriminados os valores das entradas interestaduais. Esta ficha será habilitada quando houver lançamento de valores nos CFOPs correspondentes a operações interestaduais. 2. . por Estado de origem das mercadorias.111 3ª FICHA: Entrada Interestaduais Observações: 1. .

Esta ficha será habilitada quando houver lançamento de valores nos CFOPs correspondentes a operações interestaduais .112 4ª ficha: Saídas Interestaduais Observações: 1. Nesta ficha deverá ser discriminados os valores das saídas interestaduais. 2. por Estado de origem das mercadorias.

que representa a apuração do ICMS. .113 5º Ficha: Ficha de apuração do ICMS Observação: Esta ficha será demonstrada os valores de entrada e saída.

conforme o modelo apresentado .114 6º Ficha: Guia de Arrecadação Estadual – CARE-ICMS Observação: Após a apuração do ICMS. quando o saldo for devedor. será habilitado à opção para impressão da GARE-ICMS.

896. .. Tipo de arquivo a ser entregue Interestadual: Os contribuintes paulistas que realizaram operações com outras Unidades Federadas e que ainda não foram notificados a entregar arquivos ao Sintegra-SP. que foi instituída através da Resolução CGSN nº 33.“Simples Nacional” o que antes não era obrigatório para micro empresas ME e empresas de pequeno porte EPP. de 11/04/2008 (DOE-SP de 12/04/2008) cujas regras foram disciplinadas pela Portaria CAT nº 50. os serviços prestados por escritório contábil).115 DECLARAÇÕES DO SIMPLES NACIONAL No âmbito estadual há a . devem enviar os arquivos diretamente para as Unidades Federadas com as quais realizaram operações (cláusula 8ª do Convênio ICMS 57/95. de 17/03/2008. Neste arquivo o contribuinte deverá informar as operações realizadas sob quaisquer CFOP sejam elas internas (dentro do estado de São .DSN-SP . descreve que se aplica também ao contribuinte sujeito às normas do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte .é uma obrigação acessória na qual deve ser entregue através de arquivo magnético conforme disposições da Portaria CAT 32/96 e alterada pela Portaria CAT 92/2002. O § 7º do artigo 4º da Portaria CAT 32/96 foi alterada com Redação dada ao parágrafo pelo artigo 1º da Portaria CAT 108/07.. .o contribuinte que mesmo não possuindo sistema eletrônico de processamento de dados próprio.) . Por outro lado. a saber: . utilize serviços de terceiros com essa finalidade (por exemplo. temos no âmbito federal a DASN – Declaração Anual do Simples Nacional. de 11/04/2008 (DOE-SP de 12/04/2008). atualizado pelo Convênio ICMS 69/02). Totalidade das Operações: Deverá entregar um arquivo com a totalidade das operações o contribuinte paulista notificado.o contribuinte que emite documento fiscal e / ou escritura livro fiscal com equipamento de informática (computador e/ou impressora). Sintegra – Arquivos Magnéticos O Sintegra .Convênio ICMS 57/95.Declaração do Simples Nacional de São Paulo: instituída pelo Decreto nº 52.Sistema de Informações sobre Operações interestaduais com Mercadorias e Serviços (. Obrigatoriedade de entrega Este arquivo deve ser entregue pelos contribuintes usuários de processamento eletrônico de dados conforme definidos no artigo 1º da Portaria CAT 32/96 .o contribuinte que utiliza equipamento emissor de cupom fiscal que tenha condições de gerar arquivo magnético quando conectado a outro computador. cuja mesma alterou a Resolução CGSN nº 10/2007 que trata das obrigações acessórias das empresas do Simples Nacional. Assim.

interestaduais. vendas.116 Paulo). transferências. . Este arquivo deverá ser transmitido somente para a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo que ficará encarregada de repassar as informações das operações interestaduais às demais Secretarias de Fazenda. compras. entradas. saídas. Todos estes dados devem estar informados num único arquivo. exceto se o volume de dados impedir a geração do mesmo. hipótese em que o Sintegra/SP deve ser contatado para fornecer orientação. com exterior. etc. devoluções.

Constar na NF: “Operação realizada conforme artigo 129 do RICMS e artigo 333. se devido.120 OU 6. .923 ou 6. bem como a base legal “Operação realizada conforme artigo 129 § 2º.116 Com destaque do ICMS e sem destaque do IPI. alínea “a” do RICMS e artigo 333. ADQUIRENTE EMITE NOTA FISCAL DE VENDA. CFOP 5. se devido. de xx/xx/xx”. 6. 5.922 Sem destaque do ICMS e com IPI.923 Sem destaque do ICMS e do IPI. endereço.119 Com destaque do ICMS e IPI. § 2º. série e a data de emissão. inciso VII do RIPI”.119. TRANSFERÊNCIA. inciso VI do RIPI”. bem como a base legal: “Operação realizada conforme artigo 129.116 ou 6. ADQUIRENTE NATUREZA DE OPERAÇÃO: REMESSA DE ENTREGA FUTURA CFOP 5. inciso VII do RIPI – Mercadoria faturada com a nota fiscal de Simples Faturamento nº xxx. DESTINATÁRIO NATUREZA DE OPERAÇÃO: SIMPLES FATURAMENTO CFOP 5. alínea “a” do RICMS e artigo 333.117 7-) OPERAÇÕES E EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS NATUREZA DE OPERAÇÃO: VENDA À ORDEM CFOP 5.118. Constar na NF: “Operação realizada conforme artigo 129 do RICMS e artigo 333. Nessa nota fiscal deve constar o número.118 ou 6. CFOP 5. inciso VII do RIPI”.120 NATUREZA DE OPERAÇÃO: REMESSA POR CONTA E ORDEM DE TERCEIROS. Nessa nota fiscal deve constar o número. CNPJ e Inscrição Estadual do adquirente originário. série e a data de emissão da nota fiscal de remessa por conta e ordem. ETC.922 ou 6.

C. (ART. • I.544/02. • I.: Não incide conforme Artigo 7o. • I. diferimento. com indicação do dispositivo pertinente da legislação.P. Inciso XIV.S.I. Inciso XI.P.I. Inciso XI Decreto 4. 31.M. • I.I.490/00. 8) EMPRÉSTIMO DE MATERIAL DE ATIVO-FIXO (OPERAÇÃO INTERESTADUAL).M.C. Inciso XI.S 6) EMPRÉSTIMO DE MATERIAL DE ATIVO-FIXO (OPERAÇÃO INTERNA).S.I. .M. suspensão.544/02.: Não incide conforme Artigo 7o.P.: Não incide conforme Artigo 5o.C.544/02. 9) RETORNO DE EMPRÉSTIMO DE ATIVO FIXO (INTERESTADUAL). 7) RETORNO DE EMPRÉSTIMO DE MATERIAL DE ATIVO-FIXO (OPERAÇÃO INTERNA). Decreto 45. Decreto 45.S. • I.M. beneficiada por isenção. não-incidência.C. • I. Inciso X.S.I. • I. Decreto 45.P. 5) DEMONSTRAÇÃO (OPERAÇÃO INTERESTADUAL). Decreto 4.544/02. Inciso IX. 2) RETORNO DE CONSERTO.490/00. Inciso XIV.490/00 4) 30.P.: Não incide conforme Artigo 5o. Decreto 4. • I. • I. Parágrafo 2º do Decreto 45. Inciso XI.490/00. 3) DEMONSTRAÇÃO (OPERAÇÃO INTERNA).: Não incide conforme Artigo 7o. • I. 186 DO RICMS) 1) REMESSA PARA CONSERTO. Inciso XI . Inciso XIV.C.M.: • I.P. Decreto 4.490/00.: Não incide conforme Artigo 5o.P.: Não incide conforme Artigo 5o.C. Decreto 45. • I.S.118 AMPAROS LEGAIS NA EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS Quando o imposto não for destacado na nota fiscal.490/00.: Não incide conforme Artigo 5o.I.S.: Não incide conforme Artigo 7o.490/00. • I.C.: Não incide conforme Artigo 7o.M.S.544/02.: I.I.I.: Suspenso conforme Artigo 319. Decreto 4. Decreto 45.: • I.M. Decreto 4. Inciso XI. Decreto 45.M.P. • I.C.544/02.I. essa circunstância deverá ser mencionada no documento fiscal.P.: Não incide conforme Artigo 5o. RETORNO DE DEMONSTRAÇÃO (OPERAÇÃO INTERNA) I.: Suspenso conforme Artigo 319.

• I. Item 2 do Decreto 45. Item XII. • I. Inciso II.M.P.P.M. fragmento ou resíduo de plástico cuja operação seja interna e destinada à comercialização ou industrialização.: Suspenso conforme Artigo 402.544/02.: Suspenso conforme Artigo 42.: Não incide conforme Artigo 7o. aparas de papéis. 12) RETORNO DE INDUSTRIALIZAÇÃO (OPERAÇÃO INTERNA).544/02.: Suspenso conforme Artigo 402. Inciso IX Decreto 45.I.I.: Suspenso conforme Artigo 42.I. • I. Parágrafo 1º. • I. Inciso VII.M. (Fonte: art.C.544/02.: Não incide conforme Artigo 7o.S.P. sucata de borracha.C.S. cacos de vidro.S. Parágrafo 1º.C. alínea “a” Decreto 4.C. Inciso VI Decreto 4.S.P. • I.M. alínea “b” Decreto 4. (OPERAÇÃO ESTADUAL). • I.544/02. Decreto 4.S. do Decreto 45. Item 2 Decreto 45.490/00.M. 15) REMESSA DE MOLDES (OU MODELOS) PARA ESTABELECIMENTO. retalho. 17) SUCATA . • I.490/00.C.I.: Suspenso Conforme Artigo 42. Decreto 45.490/00 e Convênio 6/99.C. alínea “a” Decreto 4.S.S. 392 do RICMS) • I.490/00.S.I.544/02.544/02.P.: Suspenso conforme Artigo 327 do Decreto 45.P. 119 11) REMESSA PARA INDUSTRIALIZAÇÃO (OPERAÇÃO INTERESTADUAL) • I. • I.M. 16) USO FORA DO REMESSA DE MOLDES (OU MODELOS) PARA USO FORA DO ESTABELECIMENTO (OPERAÇÃO INTERESTADUAL).S. Somente sucata de metais. . • I.C.P.• I.I. 14) LOCAÇÃO DE BENS DO ATIVO-FIXO.092/96.C. papel usado. • I. Inciso VII. 10) REMESSA PARA INDUSTRIALIZAÇÃO (OPERAÇÃO INTERNA).I.: Suspenso conforme Artigo 42.490/2000. • I.: Suspenso conforme Artigo 42.M.490/00.544/02.P. Inciso VI.: Não constitui fato gerador conforme Artigo 37. Decreto 4.: Não-tributado conforme Decreto 2.: Suspenso conforme Convênio no 34/90. • I. Inciso XIV.M. alínea “b” Decreto 4.490/00.C.: Suspenso conforme Artigo 42.M. 13) RETORNO DE INDUSTRIALIZAÇÃO (OPERAÇÃO INTERESTADUAL). • I. • I.: Suspenso conforme Artigo 327.OPERAÇÃO DE VENDA. Item XII.: Diferido conforme Artigo 392 do Decreto 45.I.: Suspenso conforme Convênio no 34/90.

.

.S.P.I...M.... • I. Inciso X Decreto 4.: 2.I.: Não-tributado conforme T..: Suspenso conforme Artigo 42.490/00..490/00.S.P.544/02.C.P. Parágrafo 1o. Decreto 2.I. Inciso II..120 18) REMESSA E RETORNO DE VASILHAME. Transferência de sucatas (operação interestadual) • I.C....C.: Não-incidência conforme artigo 7o. • I. • I. I... alínea “a” do Decreto 4.P. 19) EXPORTAÇÃO.M.544/02.C. Inciso V do Decreto 45.M.I. Inciso V. Não-tributado conforme artigo 37.: Não-tributado conforme Artigo 6 o . I. Anotar no corpo da nota fiscal: Operação realizada conforme decreto-lei 1894/81.544/02.I.M.P.P. REMESSA PARA LOCAÇÃO • I.I. 3.M.I. • I.544/02...I.S. 21) TRANSFERÊNCIA PARA ESTABELECIMENTO DA MESMA EMPRESA: 1.M.490/00.S. Transferência de Ativo Fixo • I. Inciso II do Decreto 4.C. alínea “a” do Decreto 45. Inciso IX do Decreto 45.. Valores que seriam devidos à Fazenda numa operação em mercado interno: I. Inciso XiV do Decreto 45.C.: Isento conforme Artigo 82 .. do Decreto 45.544/02..S. item 1.S.490/00.M.I.P.490/00.I.. Inciso XI do Decreto 4. Inciso XV do Decreto 45.M.S.: Imunidade Tributária conforme Artigo 18. Inciso V.P..C. Não-incidência conforme artigo 7o.C.: R$ .: Diferido conforme Artigo 392 Decreto 45. • I.: Não-incidência conforme Artigo 7o.490/00.M. • I... Inciso I e II do Anexo I... Registro na Secretaria da Fazenda nº .S..C. De materiais de uso e/ou consumo próprio • • I. alínea “a” do Decreto 4.544/02.: Suspenso conforme Artigo 42...P.: Não-incidência conforme Artigo 7o. Registro DECEX nº . • I.S.P. ..: Não-incidência conforme artigo 7o.I. De materiais de industrialização ou comercialização: • I.: R$ . 4. • I.544/02. Inciso XI do Decreto 4. Inciso I do Decreto 4. 20) VENDA A EMPRESAS REEXPORTADORAS OU “TRADING”. • I. • I.: Suspenso conforme Artigo 42..490/00.092/96. 22..: Suspenso conforme Artigo 42..

28. Suspenso conforme artigo 42.: é o valor que serve de base para calcular o imposto e que multiplicado pala alíquota. Não-incidência conforme artigo 7o .P.I.544/02.S.P.I.M. BASE DE CÁLCULO DO I.P.S. Não incidência conforme artigo 7º.I. 24.I.C. REMESSA PARA ARMAZENAGEM (OPERAÇÃO INTERNA) • I.M. Inciso III do Decreto 45. Não-incidência conforme artigo 7o.P. RETORNO DE LOCAÇÃO • I.C.S.121 23. Suspenso conforme artigo 42.C.S. Letra “a” do Decreto 4.490/00. REMESSA E RETORNO PARA EXPOSIÇÃO FEIRA • I.M. • I.C.544/02. VENDA DE ATIVO-IMOBILIZADO • I. Inciso III do Decreto 4.S. Inciso I do Decreto 45.S. Suspenso conforme artigo 42.P.M.C.490/00. Suspenso conforme artigo 42. .544/02. • I. Anexo I. do Decreto 45. 27. 30.C. Inciso X do Decreto 45. Não-tributado conforme artigo 37. Inciso III do Decreto 4.I.S. • I.490/00. 29. • I. Inciso III do Decreto 4. RETORNO SIMBÓLICO DE ARMAZENAGEM (OPERAÇÃO INTERNA) • I.490/00.M.C.490/00.S. Suspenso conforme artigo 42. Não-incidência conforme artigo 7o . RETORNO DE MERCADORIA DEPOSITADA (OPERAÇÃO INTERESTADUAL) • • I. 26.M. Isento conforme artigo 33.M. Não-incidência conforme artigo 7o . Inciso II. • I. Inciso II do Decreto 4.544/02. Inciso III do Decreto 45.544/02.544/02.C. • I. Suspenso conforme artigo 42. REMESSA PARA ARMAZENAGEM (OPERAÇÃO INTERESTADUAL) • I. resultará no valor do imposto. 25. RETORNO DE MERCADORIA DEPOSITADA (OPERAÇÃO INTERNA) • I.544/02.S. inciso XIV do Decreto 45. I.P.M.C.I.M. Inciso III do Decreto 4. Inciso III do Decreto 4.I.490/00.P.

. Produtos Intermediários e Material de Embalagem) BASE DE CÁLCULO VALOR DOS PRODUTOS + DESPESAS ACESSÓRIAS (-) DESCONTO INCONDICIONAL ADQUIRIDOS DE TERCEIROS VALOR DOS PRODUTOS + PARA DESPESAS ACESSÓRIAS (COMERCIALIZAÇÃO/REVENDA ) DESC. Insumos. COMPOSIÇÃO DO TOTAL DA NOTA FISCAL COMPÕE O VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL: VALOR TOTAL DOS PRODUTOS + VALOR TOTAL DO IPI + DESPESAS ACESSÓRIAS + ICMS DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (-) DESCONTO INCONDICIONAL. INCONDICIONAL USO e/ou CONSUMO PRÓPRIO VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL ATIVO-FIXO VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL IMPORTAÇÃO VALOR TOTAL DA NOTA (+) PIS e COFINS (+) MONTANTE DO ICMS.122 APLICAÇÃO DO PRODUTO PROCESSO PRODUTIVO (Matéria-prima.

órgãos governamentais. .123 ALÍQUOTAS DO ICMS UF AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE TO SP ALÍQUOTA 7% 7% 7% 7% 7% 7% 7% 7% 7% 7% 12% 7% 7% 7% 7% 7% 7% 12% 12% 7% 7% 7% 12% 12% 7% 7% 18% ESTADO ACRE ALAGOAS AMAZONAS AMAPÁ BAHIA CEARÁ DISTRITO FEDERAL ESPÍRITO SANTO GOIÁS MARANHÃO MINAS GERAIS MATO GROSSO DO SUL MATO GROSSO PARÁ PARAÍBA PERNAMBUCO PIAUÍ PARANÁ RIO DE JANEIRO RIO GRANDE DO NORTE RONDÔNIA RORAIMA RIO GRANDE DO SUL SANTA CATARINA SERGIPE TOCANTINS SÃO PAULO Quando a mercadoria é enviada a NÃO-CONTRIBUITE DO ICMS (pessoas físicas. Quando o estado de São Paulo recebe mercadoria de outra Unidade de Federação a alíquota atribuída deve ser 12%. a alíquota do ICMS a ser aplicada deve ser a alíquota interna. sociedade civil). pois São Paulo está localizado na região Sudeste. associações de classe.

011 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . 011 DATA SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60. TRIB. INSCRIÇÃO ESTADUAL REMESSA PARA CONSERTO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. SP 669.001.EST.222/0001-03 INSC. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 1. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE .814558/0002-62 BAIRRO / DISTRITO CEP 13 / 13 / 09:30 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Noruega. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.ICMS SUBST. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL ENTR.200.TRIB. ICMS: Não-incide conforme artigo 7º.DE CONTROLE DO FORMULÁRI O 000. EMITENTE 2.0 DADOS ADICIONAIS RESERVADO AO FISCO IPI: Não-incide conforme artigo 5º. Moreira Ltda.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. inciso X do Decreto 45. FISCAL 3229-3030 SIT. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 1 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF ADD-2020 UF SP INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO PESO LÍQUIDO 01 Avulso 10.200. inciso XI do Decreto 4.118 DATA DE EMISSÃO J.200.001.490/00.TRIB.916 CNPJ / CPF 669. ENDEREÇO 67.124 ¾ Remessa para conserto .544/02. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 1. Nº. Nº.ICMS SUBST.0 10. UNID.Somente podemos enviar para conserto bens de nosso uso e/ou consumo próprio ou de ativo imobilizado.200. VL.SUBST.111.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL NOSSO CARRO ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1.000.110 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI Motor trifásico 0 90 PC 01 1.001. QUANT.00 1. 123 MUNICÍPIO FONE / FAX Jardim Europa UF 18046-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.

ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 150.222/0001-03 INSC.001.ICMS SUBST.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. ICMS: Não-incide conforme artigo 7º.TRIB. Moreira Ltda. inciso X do Decreto 45.814558/0002-62 BAIRRO / DISTRITO CEP 13 / 13 / 11:15 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Noruega. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO IPI: Não-incide conforme artigo 5º. QUANT.SUBST.TRIB. . ENDEREÇO 67. EMPRÉSTIMO DE BEM DO ATIVO-IMOBILIZADO 5. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.554 CNPJ / CPF INSCRIÇÃO ESTADUAL 669. VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI Macaco hidráulico AF-6663/1 0 90 PC 01 150. FISCAL 3229-3030 SP 669.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL RETIRA (O PRÓPRIO) ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1. 123 MUNICÍPIO FONE / FAX Jardim Europa UF 18046-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.0 30.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 150. TRIB. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60. 000.125 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA. EMITENTE 2.00 150.118 DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL DATA DE EMISSÃO J.EST.490/00.ICMS SUBST.000.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 2 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF DDI-6768 UF SP INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO PESO LÍQUIDO 01 Avulso 30.111. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.544/02.001. 012 DATA ENTR.012 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .110 SIT. UNID. VL.0 DADOS ADICIONAIS RESERVADO AO FISCO Nº. inciso XI do Decreto 4.001.

SUBST. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 2 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF BBA-9997 SP UF PESO LÍQUIDO INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO 02 PEÇAS 10. inciso XI do Decreto 4.001.ICMS SUBST. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. .0 DADOS ADICIONAIS RESERVADO AO FISCO Nº. FISCAL 3424-1099 SIT. INSCRIÇÃO ESTADUAL REMESSA EM LOCAÇÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.490/00. 000.118 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI 10:00 VALOR DO IPI UNID.ICMS SUBST.EST.056/0001-21 BAIRRO / DISTRITO CEP DATA DE EMISSÃO MODELAÇÃO POPULAR LTDA ENDEREÇO 17/xx/xx DATA DE SAÍDA RUA BOA VISTA.00 500.013 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . VALOR UNITÁRIO Carrinho hidráulico 0 90 PC 02 250. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.118 CNPJ / CPF 71. 100 MUNICÍPIO FONE / FAX TAQUARA UF 14003-005 INSCRIÇÃO ESTADUAL 17/xx/xx HORA DA SAÍDA/EMTRADA JUNDIAÍ DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.949 669.544/02.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO IPI: Não-incide conforme artigo 5º. QUANT.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 500.000. 013 DATA ENTR.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. inciso X do Decreto 45.TRIB. SP 100.202. EMITENTE 2. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 500. ICMS: Não-incide conforme artigo 7º. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.TRIB.111.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL O PRÓPRIO ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1.485. VL. TRIB.126 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.115.0 10.222/0001-03 INSC. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.

TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 800. inciso I e II do Anexo I do Decreto 45.TRIB. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. VL. 17/xx/xx DATA DE SAÍDA Rua Jaguaré. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60. INSCRIÇÃO ESTADUAL REMESSA DE VASILHAME DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL ENDEREÇO 5. QUANT.490/00 RESERVADO AO FISCO Nº.014 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . .220.111.000. recipiente ou embalagem.870/0001-00 BAIRRO / DISTRITO CEP DATA DE EMISSÃO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS QUÍMICOS LTDA.00 800.SUBST.127 ¾ Vasilhame. inclusive sacaria tem como finalidade acondicionar mer ¾ cadorias para facilitar o transporte. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 800. 400 MUNICÍPIO FONE / FAX UF Brilhante 3225-1999 CLAS.EST. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 1 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF DDS-9966 SP UF PESO LÍQUIDO INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO 100 Peças 50.001. IPI: Não-tributado conforme artigo 6º inciso I do Decreto 4.0 50.920 669.0 DADOS ADICIONAIS Segue para acondicionar mercadorias para transporte. FISCAL SIT. EMITENTE 2.115 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI 11:00 VALOR DO IPI UNID. 13004-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL 17/xx/xx HORA DA SAÍDA/EMTRADA Campinas DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS SP 244. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.544/02.118 CNPJ / CPF 61.110. VALOR UNITÁRIO Bombonas de plástico 0 40 PC 100 8.ICMS SUBST. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.ICMS SUBST.TRIB. TRIB. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.582.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL Nosso carro ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1. 014 DATA ENTR. ICMS: Isento conforme artigo 82.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.222/0001-03 INSC.

TRIB.ICMS SUBST.118 DATA DE EMISSÃO J.000. ENDEREÇO 67. Há suspensão do ICMS e do IPI e o prazo de retorno é de 180 dias.0 200.SUBST. item 2 do Decreto 45. § 1º.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. IPI: Suspenso conforme artigo 42.00 460.001. .EST.00 PC 01 460.TRIB.222/0001-03 INSC.544/02. inciso VI do Decreto 4.015 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. SP 669. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 460.128 ¾ Remessa para industrialização: operação caracterizada quando vai sofrer algum processo de transformação. 123 MUNICÍPIO FONE / FAX Jardim Europa UF 18046-001 17/xx/xx HORA DA SAÍDA/EMTRADA INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.110 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI 09:20 VALOR DO IPI UNID.490/00.814.001. FISCAL 3329-3030 SIT. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. renovação ou aperfeiçoar para o consumo. 015 DATA ENTR.901 CNPJ / CPF 669. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.558/0002-62 BAIRRO / DISTRITO CEP 17/xx/xx DATA DE SAÍDA Rua Noruega. ¾ O ICMS dá tratamento de benefício diferenciado entre operação interna e interestadual EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.25. EMITENTE 2. INSCRIÇÃO ESTADUAL REMESSA PARA INDUSTRIALIZAÇÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5. Moreira Ltda.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL Nosso carro ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1. VL.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 460. beneficiamento.111.001. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.0 DADOS ADICIONAIS Segue para tratamento térmico. VALOR UNITÁRIO 00-7010 Chapa de aço 4 mm 7208. montagem. ICMS: Suspenso conforme artigo 402. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 1 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF ADD-4499 SP UF PESO LÍQUIDO INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO 01 Avulso 200. QUANT.TRIB.ICMS SUBST. RESERVADO AO FISCO Nº. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.

TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 300.00 24. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.EST. ENDEREÇO 45.0 kg DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .016 Peso de caixa vazia = 10.400.20.0 3. .0 Caixa 3. QUANT.00 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.099/0001-15 BAIRRO / DISTRITO CEP 17 / 18 / 11:15 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Pará.300.111.400.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 329. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. devemos tomar cuidado em obter informação do cliente quanto a sua aplicação.112.00 200. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.115 PESO BRUTO 30. pois quando se destinar para uso e/ou consumo próprio ou para ativo-fixo / ativo imobilizado. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. o IPI integra a base de cálculo do ICMS.200.000.TRIB. VL.001. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116. 22 MUNICÍPIO FONE / FAX Vila Eucalipto UF 04725-100 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.129 ¾ Venda de mercadoria de produção do estabelecimento ou adquirida/recebida de terceiros: Quando o produto é tributado do IPI.239.00 0 00 0 00 PC PC 10 10 10. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.112 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID.00 20.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 29.453.TRIB.00 18 18 5 12 5. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF ADD-6664 UF SP 60.00 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Revenda RESERVADO AO FISCO Nº.40.000.ICMS SUBST. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 300.101 CNPJ / CPF 669.10 8483.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. 016 DATA ENTR.00 100. FISCAL 3266-2299 SIT.ICMS SUBST. SP 116. TRIB. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. EMITENTE 2.00 VALOR DO FRETE 54.118 DATA DE EMISSÃO Indústrias Melo Ltda. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI 59-4200 59-5000 Engrenagem Mancal 8483.SUBST.222/0001-03 INSC.

111. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI 00-6020 00-9901 Rolamento de esfera Dínamo 8482.453.02 45.SUBST.112 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID.96 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.239.96 1.017 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . 22 MUNICÍPIO FONE / FAX Vila Eucalipto UF 04725-100 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.50.EST.429.115 PESO BRUTO 10 Caixa 510.00 VALOR DO FRETE 4.130 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF AXX-4442 SP UF 60. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.222/0001-03 INSC. .872.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 24.112.200.0 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Insumos RESERVADO AO FISCO Nº.608.TRIB.830.00 18 18 12 15 1. TRIB.10 0 00 0 00 PC PC 400 200 39.001. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.00 9. EMITENTE 2.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. VL.102 CNPJ / CPF 669. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.TRIB. 017 DATA ENTR.0 660.90 8511.000.608.96 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 27. SP 116. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 24.118 DATA DE EMISSÃO Indústrias Melo Ltda. ENDEREÇO 45. FISCAL 3266-2299 SIT.400. QUANT.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.350.ICMS SUBST.608.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 3.099/0001-15 BAIRRO / DISTRITO CEP 17 / 18 / 11:15 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Pará. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.00 15.44 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.222.10.400. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.000.ICMS SUBST.

ICMS SUBST. EMITENTE 2. QUANT. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE. TRIB. ENDEREÇO 45.00 VALOR DO FRETE 62.TRIB. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1. 22 MUNICÍPIO FONE / FAX Vila Eucalipto UF 04725-100 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.099/0001-15 BAIRRO / DISTRITO CEP 23 / 23/ / 17:15 / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Pará.222/0001-03 INSC.0 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Uso e/ou consumo próprio RESERVADO AO FISCO Nº.001.400.000.ICMS SUBST.00 300.10 PC 02 150.239.101 CNPJ / CPF 669.200. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. SP 116.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 45. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF ADD-6664 SP UF 60.EST.115 PESO BRUTO 02 Caixas 10.453. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.00 18 15 45.118 DATA DE EMISSÃO Indústrias Melo Ltda. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5. . ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 300.SUBST.0 10. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI 59-4259 Corrente de transmissão 7315.131 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.10 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.TRIB.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda.112 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 345.018 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .12. VL. 018 DATA ENTR.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 345. FISCAL 3266-2299 SIT.400. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.111.112.

200.222/0001-03 INSC.019 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .200. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF GPA-3030 SP UF 60.200.115 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.116. ENDEREÇO 60.001.111.00 VALOR DO FRETE 4.200.200. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. ou seja. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.20.000.0 6.ICMS SUBST.118 DATA DE EMISSÃO Indústria e Comércio Alvorada Ltda. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. RESERVADO AO FISCO Nº.00 8412. 42005-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL Salvador DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS BA VALOR UNITÁRIO 240. Não se aplica essa operação entre estabelecimentos do mesmo grupo.0 DADOS ADICIONAIS IPI: Suspenso conforme artigo 42.151 CNPJ / CPF 669.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 68.180.000. inciso X do Decreto 4.00 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. 019 DATA ENTR. .00 49. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.EST.00 7 7 7 5 12 0 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. mesmo quadro societário.90 0 00 0 00 0 00 PC PC PC 500 1. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 68. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 68.40.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL Chega Logo Ltda. com o mesmo CNPJ básico e a mesma razão social.10 8483.000. EMITENTE 2.00 12. INSCRIÇÃO ESTADUAL TRANSFERÊNCIA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 6. VL.222/0002-94 BAIRRO / DISTRITO CEP 23 / 23 / 13:30 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Uruguaiana.774.111.TRIB. FISCAL SIT. QUANT. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.31. porém com CNPJ básico e razão social diferente.00 7. VALOR DO IPI 59-4200 59-5000 59-3050 Engrenagem Mancal Cilindro hidráulico 8483.TRIB.132 ¾ Operação de transferência somente pode ser praticada entre estabelecimentos da mesma empresa.000 200 14.00 12.ICMS SUBST.115 PESO BRUTO 12 Caixas 6.112. 440 MUNICÍPIO FONE / FAX UF Nazaré 3345-2239 CLAS.00 246.239.SUBST.000.544/02. TRIB.

TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 2.115 PESO BRUTO 10 Amarrados 1.0 1. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF DDA-4649 SP UF 60.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.133 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA. 42800-000 INSCRIÇÃO ESTADUAL João Pessoa DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS PB VALOR UNITÁRIO 425.ICMS SUBST.TRIB.256. EMITENTE 2.916/0003-26 BAIRRO / DISTRITO CEP 27 / 27 / 13:35 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Acarajé.15.80 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda.550. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 2.404 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.EST.256.116. TRIB.200 300 1.00 8404. 16 MUNICÍPIO FONE / FAX UF Cocada 3242-2020 CLAS.00 KG KG 1.112.00 7 7 5 0 112.00.550.001.998.SUBST.0 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Matéria-prima Base de cálculo para IPI: R$ 2. FISCAL SIT.239.80 . INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 6.10 2. .020 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . VALOR DO IPI 00-7010 00-7050 Chapa de aço 3mm Chapa de estanho 7209. ENDEREÇO 32.88 2.118 DATA DE EMISSÃO Indústria e Comércio Mauá Ltda.102 CNPJ / CPF 669. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.00 RESERVADO AO FISCO Nº. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.886.80 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 2.00 VALOR DO FRETE 202.222/0001-03 INSC. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.111.00 630.TRIB.000. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116. QUANT.125.886.00 Outras R$ 630.200. 020 DATA ENTR.ICMS SUBST. VL.02 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 112.

DESTINATÁRIO MINICÍPIO 140.111/0001-91 BAIRRO / DISTRITO FONE / FAX UF CEP INSCRIÇÃO ESTADUAL 27 / 27 / 09:00 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Avda. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.500.00 DADOS ADICIONAIS IPI: Imunidade tributária conforme artigo 18.000.000. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.112.00 1.420. PIS e COFINS.115 PESO BRUTO 01 Container 16.220. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 7. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.544/02.00 30. ENDEREÇO 11.00 NOME / RAZÃO SOCIAL 50.134 Quando se trata de operação para o exterior.785. ENDEREÇO ADD-8889 SP UF 60. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 950.00 FRETE POR CONTA 1. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.021 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . EX VALOR UNITÁRIO ISENTO VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI 59-7000 59-5050 59-5000 59-3000 Regulador de Voltagem Polia Mancal Caixa de câmbio 8511.101 CNPJ / CPF 669.00 300.20. inciso V do Decreto 45. inciso II do Decreto 4. VL.00 1 São Paulo MARCA NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS Chega Logo Ltda.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 139.222/0001-03 INSC.200.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.ICMS SUBST.00 175.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.90 0 90 0 90 0 90 0 90 PC PC PC PC 4 500 2.SUBST.220.100.239.40.00 21.80.TRIB.100. 021 DATA ENTR. 2.50.EST. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE SP PESO LÍQUIDO 116. TRIB.20 8483. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.00 87.TRIB.246 MUNICÍPIO Los Angeles – USA DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.00 8708. QUANT. .118 DATA DE EMISSÃO Martin Phyladelpha Ltd.001. FISCAL SIT.490/00.10 8483. Washington. RESERVADO AO FISCO Nº. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA. UNID. EMITENTE 2. IPI.111.00 12. há incentivos fiscais não havendo tributação do ICMS.111.500 12 75.ICMS SUBST. ICMS: Não incidência conforme artigo 7º.0 19.

isto é.115 PESO BRUTO 01 Avulso 3.463.135 ¾ Demonstração: essa operação tem por objetivo a remessa de mercadoria com fins de comercialização.200. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.0 DADOS ADICIONAIS RESERVADO AO FISCO Nº. QUANT.0 3. não enviamos cinco carrinhos hidráulicos da mesma espécie.112. 022 DATA ENTR.70 362. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.TRIB.52 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. ENDEREÇO 71. VL.118 DATA DE EMISSÃO Indústria e Comércio Patriarca Ltda. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE. 94200-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL Porto Alegre DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS RS VALOR UNITÁRIO 090/462559 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID. 900 MUNICÍPIO FONE / FAX UF Gaúcho 3297-1212 CLAS.954/0001-89 BAIRRO / DISTRITO CEP 27/ 27 / 09:05 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Lavapés. Nessa operação envia-se mercadoria com quantidade suficiente para demonstração. INSCRIÇÃO ESTADUAL DEMONSTRAÇÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 6. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.00 0 00 PC 01 362.70 VALOR DO FRETE 43.70 12 12 43.222/0001-03 INSC.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 362. FISCAL SIT.70 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 43. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 362. VALOR DO IPI 59-4000 Mancal 8483.000.001.52 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. uma unidade. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.912 CNPJ / CPF 669.ICMS SUBST. .52 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 406.TRIB.022 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .239.111. e sim.20. TRIB.SUBST. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF AXX-7775 SP UF 60.ICMS SUBST. EMITENTE 2.22 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda.EST. Há tratamento diferenciado do ICMS entre operação interna e interestadual. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.

ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 1.500.TRIB. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1. inciso XIV do Decreto 45. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 1. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.136 Venda de ativo imobilizado: essa operação não é tributada do ICMS. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.115 PESO BRUTO 01 Avulso 200.EST.558/0002-62 BAIRRO / DISTRITO CEP 27 / 27 / 09:15 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Noruega.000. RESERVADO AO FISCO Nº. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DE ATIVO IMOBILIZADO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.00 1. IPI. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.118 DATA DE EMISSÃO J. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. SP 669. FISCAL 3229-3030 SIT.0 200.ICMS SUBST.023 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL Chega Logo Ltda.222/0001-03 INSC. EMITENTE 2.TRIB.500.110 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.500. Moreira Ltda.500. QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI Torno horizontal marca XGH 0 90 PC 01 1.239.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. 123 MUNICÍPIO FONE / FAX Jardim Europa UF 18046-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. .814.111.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.490/00. TRIB.ICMS SUBST. VL. ENDEREÇO 67.112.SUBST. 023 DATA ENTR. PIS e COFINS.001.551 CNPJ / CPF 669.001. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF BBC-3455 SP UF 60.001.0 DADOS ADICIONAIS Operação não caracterizada industrialização. ICMS: Não-incidência conforme artigo 7º.200.

111.112 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID. FISCAL 3266-2299 SIT.118 DATA DE EMISSÃO Indústrias Melo Ltda.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 3.000.000.102 CNPJ / CPF 669. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.400.137 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.222/0001-03 INSC. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.EST.000.ICMS SUBST.90 0 00 PC 100 30.453.400. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI 00-6020 Rolamento de esfera 8482.0 DADOS ADICIONAIS Erro no valor do ICMS RESERVADO AO FISCO Nº.200.360. Sp 116. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.00 18 12 360. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda. 024 DATA ENTR.TRIB.115 PESO BRUTO 01 Caixa 60. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.TRIB.00 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.112. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.00 VALOR DO FRETE 640.SUBST.239.024 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . EMITENTE 2.00 3. . QUANT.10.0 70.ICMS SUBST. 22 MUNICÍPIO FONE / FAX Vila Eucalipto UF 04725-000 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 3.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 360. TRIB. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.001.000.099/0001-15 BAIRRO / DISTRITO CEP 27 / 27 / 09:45 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Pará. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 3. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF MCP-2811 SP UF 60. VL.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. ENDEREÇO 45.

QUANT.TRIB. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.912 CNPJ / CPF 669.0 220. EMITENTE 2. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116. RESERVADO AO FISCO Nº.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.112 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID.0 DADOS ADICIONAIS ICMS: Suspenso conforme artigo 319 do Decreto 45.SUBST.118 DATA DE EMISSÃO Indústrias Melo Ltda. VL. 025 DATA ENTR. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF ACL-9925 SP UF 60.40.222/0001-03 INSC. ENDEREÇO 45.111.099/0001-15 BAIRRO / DISTRITO CEP 27 / 27 / 09:45 / / DATA DE SAÍDA Rua Pará.112. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.001.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 100.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.200.00 5 5. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.00 100. TRIB.ICMS SUBST. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI 59-4200 Engrenagem 8483.400.239.400. INSCRIÇÃO ESTADUAL DEMONSTRAÇÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 5.025 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .10 0 00 PC 01 100.000.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 105.138 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.EST. 22 MUNICÍPIO FONE / FAX Vila Eucalipto UF 04725000 INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA/EMTRADA São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. . O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.490/00.453.115 PESO BRUTO 01 Caixa 200.TRIB.ICMS SUBST. Sp 116. FISCAL 3266-2299 SIT.

443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. Sp 116.112. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.150.102 CNPJ / CPF 669.00 1.222/0001-03 INSC.00 1.118 DATA DE EMISSÃO Indústrias Melo Ltda. QUANT.00.112 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI UNID.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.150.60 1.20 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.40.00 350.453.00 450.00 18 12 25 12 18 5 0 45 15 5 8.ICMS SUBST. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.111.10 8462.20 RESERVADO AO FISCO Nº.000.200. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.40.90 8483. TRIB.00 40.10 0 00 0 00 0 00 0 00 0 00 PC PC PC PC PC 10 01 01 02 02 17.ICMS SUBST. VL.139 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.00 12.099/0001-15 BAIRRO / DISTRITO CEP 27 / 27 / 09:45 / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Pará.TRIB. ENDEREÇO 45.20 9302.0 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Revenda 870. VALOR UNITÁRIO VALOR DO IPI 00-4200 00-5000 00-5050 00-3055 00-4200 Engrenagem Prensa para comprimir Revolver “Touro” calibre 38 Termômetro industrial Eixo pinhão 8483.000. 22 MUNICÍPIO FONE / FAX Vila Eucalipto UF 04725-000 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 3. 026 DATA ENTR.239.400. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.00 x 25% = R$ 250. FISCAL 3266-2299 SIT.00 x 12% = R$ 153.50 .EST.400.0 220.00 = R$ 560.000.200. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.TRIB. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.50 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 3.000.SUBST. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF ACL-9925 SP UF 60.50 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda.026 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .00 35.00 80.150.115 PESO BRUTO 01 Caixa 200. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.60 _______________________ 3.00 1.99.200.001.280. EMITENTE 2. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 3.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 505.00 170.655.00 x 18% = R$ 156.00 1.00 9025.00 700.00 1. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE .19.00 VALOR DO FRETE 560.

item 2 do Decreto 45. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.222/0001-03 INSC. 04573-002 INSCRIÇÃO ESTADUAL São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS SP 115.0 16. Retorno total de sua nota fiscal nº 300. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF PPA-4545 sp UF 60. QUANT.400.25.00 0 00 PC 04 55.111.TRIB.000.EST.124 / 5.490/00 IPI: Suspenso conforme artigo 42 item VI alínea “b” do Decreto 4. TRIB.ICMS SUBST. de 21 / Matéria-prima aplicada: R$ 22.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 22.001.00 VALOR DO FRETE 3.027 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .00 18 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.96 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. 027 DATA ENTR.220.00 220. VL. EMITENTE 2.SUBST.115 PESO BRUTO 04 Avulso 16.403/0001-26 BAIRRO / DISTRITo CEP 29 / 29 / / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua China.902 CNPJ / CPF 669.119 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI UNID. § 1º. ENDEREÇO 33.112. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL Chega Logo Ltda. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. .00 RESERVADO AO FISCO Nº.00 Mão-de-obra aplicada: R$ 198.TRIB.205.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.140 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.118 DATA DE EMISSÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL Fábrica Polar Ltda.ICMS SUBST. VALOR UNITÁRIO 00-7020 Chapa de aço 7208.200. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 220. INSCRIÇÃO ESTADUAL INDUSTRIALIZAÇÃO EFETUADA PARA OUTRA EMPRESA 5.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 220. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. FISCAL SIT.239. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.00 Para mão-de-obra aplicada: ICMS diferido conforme artigo 403 do RICMS/SP / no valor de R$ 480.544/02. 32 MUNICÍPIO FONE / FAX UF jujuba 3325-9090 CLAS. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.0 DADOS ADICIONAIS ICMS: Suspenso conforme artigo 402.

ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1. EMITENTE 2.80.141 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.159.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 73.ICMS SUBST.SUBST.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.TRIB.118 DATA DE EMISSÃO Turbinas Hidráulicas Ltda.EST. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF LMC-1010 SP UF 60.331. QUANT. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 70. ENDEREÇO 73.122. 690 MUNICÍPIO FONE / FAX UF Caxias 3322-1596 CLAS.000.500.72 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP. FISCAL SIT.TRIB. .000.001.0 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Insumos ICMS: Base de cálculo reduzida conforme Convênio ICMS 52/91 e 1/2000. ™ Esta nota fiscal consta frete e seguro.000.200. VL. 95410-000 INSCRIÇÃO ESTADUAL Caxias do Sul DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS RS VALOR UNITÁRIO 096/1583593 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI UNID.112.00 RESERVADO AO FISCO Nº.028 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .00 VALOR DO FRETE 6. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / Razão Social 6. 028 DATA ENTR.97 0 20 Pc 02 35. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.0 20.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 51. Completar o exercício.799/0001-62 BAIRRO / DISTRITO CEP 29 / 30 / / / DATA DE SAÍDA HORA DA SAÍDA/EMTRADA Rua Bonjour.101 CNPJ / CPF 669. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.500.222/0001-03 INSC.00 70.115 PESO BRUTO 02 Avulso 20.500. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 3.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda. Isentas: R$ 18.239. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.111. TRIB.00 12 4 3. 59-1818 Válvula de ferro 8481.ICMS SUBST.000.669.

000.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 2. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. RESERVADO AO FISCO Nº.EST. ENDEREÇO BHH-6698 SP UF 60. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 6. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60. 59-1820 Sistema gerenc. EMITENTE 2. TRIB.142 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.111.00 7 7 15 15 75.00 500.00 0 00 PC 20 25. 029 DATA ENTR.0 DADOS ADICIONAIS Aplicação: Processo Produtivo.500.000.000.0 20.00 412.997.TRIB.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.00 VALOR DO FRETE 35.000.101 CNPJ / CPF 669.112.192. ™ A Indústria e Comércio Alvorada adquiriu mercadoria de Rolamentos Pagé.50 1 São Paulo MARCA NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF 578.118 DATA DE EMISSÃO Maringá Equipamentos S/A ENDEREÇO 35.162.412. FISCAL SIT.854/0001-79 BAIRRO / DISTRITO CEP 29 / 30 / / / DATA DE SAÍDA Rua Pacífico.115 PESO BRUTO 02 Caixas 20.239.50 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.SUBST.222/0001-03 INSC.034 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI UNID. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE SP PESO LÍQUIDO 116.50 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.00 NOME / RAZÃO SOCIAL 250.750.ICMS SUBST. de informação IPI sobre despesas acessórias 8517.001.TRIB. VL. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 500. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 75. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.00 FRETE POR CONTA 1.ICMS SUBST. 399 MUNICÍPIO FONE / FAX UF Atlântico 3244-1010 CLAS. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.80.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 502.50 CNPJ / CPF TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS Chega Logo Ltda.000. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE. 42120-000 INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA/EMTRADA salvador DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS BA VALOR UNITÁRIO 240.200. por estar em desacordo do pedido devemos efetuar a devolução . QUANT.029 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .002.

DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF MCP-2811 UF SP 60. ENDEREÇO 43.115 PESO BRUTO 01 Caixa 25.00 1.001.202 CNPJ / CPF 669.750.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda. INSCRIÇÃO ESTADUAL DEVOLUÇÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 1.239. FISCAL 3255-1151 SIT.025 MUNICÍPIO FONE / FAX Papagaio UF 04120-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA/EMTRADA São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.119.200.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 1.604.750.ICMS SUBST.TRIB.111. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 1. 1.000.00 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.90 0 00 PC 50 35.628/0002-90 BAIRRO / DISTRITO CEP 30 / 30 / / / DATA DE SAÍDA Rua Araras.0 27.112.030 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . . SP 115.143 EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.5 DADOS ADICIONAIS Material recebido com sua nota fiscal nº 5590.00 VALOR DO FRETE 315. ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.TRIB.EST.960. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE. QUANT.SUBST. EMITENTE 2.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.118 DATA DE EMISSÃO Rolamentos Pagé Ltda.20. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.220.113 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI UNID. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60. de 30 / / e que estamos devolvendo-lhes por estar em desacordo com nosso pedido (Devolução Parcial) RESERVADO AO FISCO Nº.222/0001-03 INSC. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 210.ICMS SUBST. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.00 18 12 210. 030 DATA ENTR.750. VL. VALOR UNITÁRIO 59-1002 Rolamento cônico 8482. TRIB. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.

00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.490/00.628/0002-90 BAIRRO / DISTRITO CEP 30 / 30 / / / DATA DE SAÍDA Rua Araras. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.144 Amostra Grátis são mercadorias destinadas à distribuição. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60. IPI: Isento conforme artigo 51. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 12. Para aplicação desse benefício devemos seguir alguns critérios: indicação no produto “AMOSTRA GRÁTIS”.222/0001-03 INSC.111.032 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .SUBST.ICMS SUBST.EST. combinado com o artigo 8º do Decreto 45.118 DATA DE EMISSÃO Rolamentos Pagé Ltda.1 0. ENDEREÇO 43. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.TRIB.119. FISCAL 3255-1151 SIT. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº. VL. TRIB. a quantidade não deve exceder a 20% do conteúdo da apresentação comercial. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. Essa operação está isenta da tributação do ICMS e do IPI.113 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI UNID. dentistas e veterinários. inciso III do Decreto 4.001.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 12. SP 115. EMITENTE 2. 1.911 CNPJ / CPF 669. 032 DATA ENTR.025 MUNICÍPIO FONE / FAX Papagaio UF 04120-001 INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA/EMTRADA São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.TRIB.12 DADOS ADICIONAIS ICMS: Isento nos termos do artigo 3º do Anexo I.00 12. Os produtos da indústria farmacêutica somente devem destinar-se exclusivamente a médicos.220.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL Via Sedex ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1.000.544/02. VALOR UNITÁRIO 59-3002 Rolamento cônico (protótipo) 0 40 PC 01 12. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA. QUANT. RESERVADO AO FISCO Nº. INSCRIÇÃO ESTADUAL AMOSTRA GRÁTIS DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.604.ICMS SUBST. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 1 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF UF PESO LÍQUIDO INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO 01 Caixa 0. .

SP 100.111. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.0 10.118 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI 10:00 VALOR DO IPI UNID. item XII do Decreto 4. para fornecimento de trabalho fora do estabelecimento fica suspenso do ICMS e do IPI. 100 MUNICÍPIO FONE / FAX TAQUARA UF 14003-005 INSCRIÇÃO ESTADUAL 30/xx/xx HORA DA SAÍDA/EMTRADA JUNDIAÍ DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS. não integrados ao ativo imobilizado.544/02. modelos e estampos. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE.490/00. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 2 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF BBA-9997 SP UF PESO LÍQUIDO INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO 02 PEÇAS 10.TRIB.EST. INSCRIÇÃO ESTADUAL REMESSA DE MOLDE DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.485. IPI: Suspenso conforme artigo 42.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL O PRÓPRIO ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1.0 DADOS ADICIONAIS Segue para fundir peças devendo retornar ao local de origem. RESERVADO AO FISCO Nº. Prazo de retorno 180 dias. . chapelonas. EMITENTE 2. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.ICMS SUBST. matrizes.00 VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.222/0001-03 INSC.001.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 500. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.000. padrões. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 500. VL. QUANT.033 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR .ICMS SUBST.00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. gabaritos.056/0001-21 BAIRRO / DISTRITO CEP 30/xx/xx DATA DE SAÍDA RUA BOA VISTA.202.SUBST.00 500.554 CNPJ / CPF 669. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA. ICMS: Suspenso conforme artigo 327 do Decreto 45. VALOR UNITÁRIO Molde em forma de aço 0 50 PC 02 250.145 Remessa de bens para uso fora do estabelecimento: Saídas de moldes. Completar a emissão da nota fiscal com CFOP e consultar amparos legais.115. FISCAL 3424-1099 SIT. 033 DATA ENTR. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.118 DATA DE EMISSÃO MODELAÇÃO POPULAR LTDA ENDEREÇO 71. TRIB.TRIB.

80 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.056/0001-21 BAIRRO / DISTRITO CEP 30/xx/xx DATA DE SAÍDA RUA BOA VISTA. EMITENTE 2. Inciso I.ICMS SUBST.410.00 750.TRIB. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.00 5.202. DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000. FATURADO COM A NOTA FISCAL Nº 1. SP 100.00 60. VALOR UNITÁRIO 00-8000 00-6010 00-6300 Macaco hidráulico Rolamento cônico Visor de nível de óleo 8425.00 600. FISCAL 3424-1099 SIT.90 9026. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.115. DESTINATÁRIO MINICÍPIO MARCA NÚMERO 2 PLACA VEÍCULO / UF CNPJ / CPF BBA-9997 SP UF PESO LÍQUIDO INSCRIÇÃO ESTADUAL PESO BRUTO 02 PEÇAS 10. porém deverá ser estornado o crédito da entrada.410.146 Venda de mercadoria adquirida de terceiros enviada para destinatário que aplicará no seu uso e/ou consumo próprio.200 (ESTORNAR O IPI) RESERVADO AO FISCO Nº.00 VALOR DO FRETE 253.00 30.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 1.118 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI 10:00 VALOR DO IPI UNID.90.TRIB.544/02.00 8482.118 DATA DE EMISSÃO MODELAÇÃO POPULAR LTDA ENDEREÇO 71. Nesse caso não há tributação do IPI.222/0001-03 INSC. alínea “f” do Decreto 4. 034 DATA ENTR.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 1.00 18 18 18 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC.111.0 10.001. 100 MUNICÍPIO FONE / FAX TAQUARA UF 14003-005 INSCRIÇÃO ESTADUAL 30/xx/xx HORA DA SAÍDA/EMTRADA JUNDIAÍ DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL O PRÓPRIO ENDEREÇO QUANTIDADE ESPÉCIE FRETE POR CONTA 1. VL. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.90 0 00 0 00 0 00 PC PC PC 05 20 12 150. TRIB.SUBST.034 DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.000.485. .EST.0 DADOS ADICIONAIS APLICAÇÃO: USO E/OU CONSUMO PRÓPRIO IPI: Não-tributado conforme artigo 193.42.102 CNPJ / CPF 669. INSCRIÇÃO ESTADUAL VENDA DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 5.ICMS SUBST.410. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 1. QUANT.10.

FISCAL 3435-2222 SIT. 2320 MUNICÍPIO: SÃO PAULO ESTADO: SP FONE/FAX: 3435-2222 CEP: 18020-000 NATUREZA DE OPERAÇÃO CFOP NOTA FISCAL Nº.001. DESTINATÁRIO MINICÍPIO 1 São Paulo NÚMERO PLACA VEÍCULO / UF MCP-2811 UF SP 60.222/0001-03 INSC.ICMS SUBST. ACESSÓRIAS VALOR TOTAL DO IPI 500.00 CNPJ / CPF Chega Logo Ltda.112. EMITENTE: INDÚSTRIA E COMÉRCIO ALVORADA LTDA.443/0001-89 INSCRIÇÃO ESTADUAL Rua Adamantina.200. TRIB.000. SP 669. INSCRIÇÃO ESTADUAL DEVOLUÇÃO DESTINATÁRIO / REMETENTE NOME 5.TRIB.10. 300 MUNICÍPIO FONE / FAX UF 01256-000 INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA/EMTRADA São Paulo DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS CLAS.TRIBUTÁRIA VALOR TOTAL DOS PRODUTOS 550.556 CNPJ / CPF 669. 345 QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA SP PESO LÍQUIDO 116.0 DADOS ADICIONAIS Mercadoria recebida com sua nota fiscal nº 6500 de 29/xx/xx e que ora estamos devolvendo-lhes por ter sido enviada em excesso ao solicitado (Devolução Parcial). DE CONTROLE DO FORMULÁRIO 000.000.117.115 PESO BRUTO 01 Caixa 30.035 (Fazer estorno de débito na apuração) DADOS DA AIDF E DO ESTABELECIMENTO IMPRESSOR CANHOTO DA NOTA FISCAL COM DATA DO RECEBIMENTO E ASSINATURA E IDENTIFICAÇÃO DO RECEBEDOR . ENDEREÇO FRETE POR CONTA 1.00 VALOR TOTAL DA NOTA FISCAL 50.00 18 10 50.00 500.SUBST.000.00 VALOR DO SEGURO OUTRAS DESP.00 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL 550. O CANHOTO É PARTE INTEGRANTE DA NOTA FISCAL EM SEU TRANSPORTE. EMITENTE 2. SAÍDA LIMITE P/EMISSÃO 00/00/00 CNPJ: 60.EST.0 33. VL.239. 035 DATA ENTR.147 A nota fiscal de devolução deve ser emitida com os mesmos valores e tributação da nota fiscal original.575/0001-43 BAIRRO / DISTRITO CEP 30 / 30 / / / DATA DE SAÍDA Rua Abaeté.TRIB.ICMS SUBST.118 DATA DE EMISSÃO INDÚSTRIA DE MOTORES PENHA S/A ENDEREÇO 56.19 0 00 PC 02 250. .00 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE CÁLC. ENDEREÇO: NOGUEIRA PADILHA.111.118 VALOR TOTAL ALÍQUOTA ICMS IPI VALOR DO IPI UNID.00 VALOR DO FRETE 99. QUANT. RESERVADO AO FISCO Nº. VALOR UNITÁRIO 59-1002 Motor trifásico 8501.

148 Exercícios 1-) Quando falamos de COMPRA. estamos falando de _______________________. como proceder quanto ao ICMS/IPI? . Nº 3 1-) Os CFOP´s Códigos Fiscais de Operações dividem-se em quantos grupos? Explique cada um. 2-) Quando falamos de VENDA. no qual as operações de ICMS/IPI (PIS e COFINS Não Cumulativos) gera-se um ______________________. vende seus produtos acabados para : a) Indústria b) Comércio Como devemos proceder quanto ao lançamento do IPI na aquisição? 4-) Pode ocorrer operações de TRANSFERÊNCIA em qualquer tipo de empresa? 5-) Ao emitir uma nota fiscal de DEVOLUÇÃO quais critérios devo obedecer? 6-) Na venda de ATIVO IMOBILIZADO devo destacar o ICMS / IPI ? 7-) Quando adquiro mercadorias para USO E CONSUMO como devo proceder quanto ao ICMS / IPI caso esteja destacado na nota fiscal ? 8-) Mercadoria destinadas para CONSERTO. 2-) Qual a característica principal da empresa para avaliarmos no momento de escriturar uma nota fiscal? 3-) Uma empresa X(sendo indústria). estamos falando de ____________________. no qual as operações de ICMS/IPI (PIS e COFINS Não Cumulativos) gera-se um ______________________.

149 9-) Em operações de DEMONSTRAÇÃO como proceder quanto ao ICMS / IPI na : REMESSA : RETORNO : 10-) Quando efetuamos a operação de VENDA à ORDEM? 11-) Para operações de EXPORTAÇÃO há um incentivo fiscal. prevista no Ajuste SINIEF 1/2007? 13-) Por qual ou quais motivos devemos efetuar PEDIDO DE USO DE IMPRESSÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS junto ao PFE ? 14-) Quais são os impostos e contribuições que integram no Simples Nacional? . Qual seria este incentivo fiscal ? 12-) O que não corrige a carta de correção.

São Paulo : Dialética. Norberto. ed. SILVEIRA. Paula Duarte. 1999. LEDNICK JUNIOR.fazenda. SANTOS.sp.br www. 2003. www.fazenda. ed. São Paulo : Decisão Multi Eventos. MELO.sp. ed. MACHADO.150 15-) Bibliografia CARVALHO. 6. Sebastião Guedes de. SILVEIRA. 2.gov. São Paulo : Saraiva. Paulo de Barros. Aspectos Teóricos e Práticos do ISS. 2. 8. São Paulo : Dialética. ed. Aspectos Fundamentais do ICMS. Hugo de Brito. São Paulo : Dialética. MELO. 2.br www. Adolfo. São Paulo : IOB – Thomson. Manual de Emissão de Notas Fiscais ICMS/IPI.prefeitura. 2003. ed. Deoclécio Duarte. Curso de Direito Tributário. 3. José Eduardo Soares de. 2000.receita.gov. ICMS/SP e IPI Escrituração Fiscal – Teoria e Prática. ARAÚJO. ICMS Teoria e Prática.br .gov.br www.sintegra. 1996. ed. José Eduardo Soares de.gov. 2001.