You are on page 1of 19

FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4, N.

2 – 2012 - - ISSN 2177-6636

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO TEMA JUSTIÇA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO
SCHUSTER, MARCELO DA SILVA, Mestrando em Gestão de Organizações Públicas/PPGA/UFSM, marcelo.schuster@gmail.com BATTISTELLA, LUCIANA FLORES Professora Doutora Adjunto IV do Departamento de Ciências Administrativas e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFSM, lutti@ufsm.br DIAS, VALÉRIA DA VEIGA Mestre em Administração pelo PPGA/UFSM e Professora da FAPAS, valeriaadm@hotmail.com

RESUMO Este estudo tem por objetivo principal realizar um levantamento a respeito da temática de Justiça Organizacional e a evolução de suas publicações internacionais, ao longo dos 10 últimos anos (2001- 2011), destacando sua relevância nos estudos do comportamento humano nas organizações. Para isso, foi realizado um levantamento bibliométrico para verificar a quantidade de publicações internacionais por meio de pesquisa na base de dados Web of Science procurando identificar as principais áreas temáticas, autores, metodologia utilizada, ano das publicações. A pesquisa evidenciou que o interesse pela Justiça Organizacional no período evidenciado é crescente, aumentando ano após ano na produção internacional com destaque para os últimos três anos (2009 a 2011). O EUA é o país que mais pesquisa na área e a língua inglesa apresentando um domínio quase que total sobre as publicações do tema. Em relação à temática não existe um consenso entre os pesquisadores sobre os tipos e quantidades de dimensões existentes para uma análise do ambiente organizacional. A relevância do tema para os estudos de gestão fica evidente, notadamente, em pesquisas sobre comprometimento organizacional, satisfação no trabalho, saúde dos trabalhadores, burnout e comportamento do consumidor, entre outros. Conclui-se que o assunto vem apresentando uma evolução, nos estudos nos últimos dez anos, e seu entendimento vem se aprimorando, apoiado em novos modelos e no estreitamento da relação com o comportamento organizacional. Palavras-chave: Justiça Organizacional; Justiça Distributiva; Justiça Processual; Justiça Interacional, Justiça Interpessoal 1 INTRODUÇÃO A complexidades das relações organizacionais vem aumentando de forma exponencial ao longo dos últimos séculos, uma prova disso é a evolução das teorias da administração que buscam explicações e métodos de obterem os melhores resultados frente aos desafios organizacionais expostos. Guimarães (2003 apud Schuster e Dias, 2012) aponta que esse momento resulta em significativas alterações no que se refere a estrutura de trabalho, relacionado a: i) as práticas

Os estudos sobre justiça se desenvolveram sobre a base das percepções da distribuição dos recursos e recompensas. onde comparações entre salário e esforço realizado. . evoluindo para o estudo das relações entre os trabalhadores e seus supervisores e após as questões de como as informações eram difundidas nas organizações. atentando-se ao impacto sobre os cargos remanescentes. podem influenciar nas relações de trabalho. 2006). 2005). já que interfere diretamente no comportamento do colaborador dentro da organização (Coetzee.. dando lugar a novas formas de contratos de trabalho.ISSN 2177-6636 dos empregos. A luz deste entendimento a respeito do comportamento organizacional novos estudos foram desenvolvidos até a criação da teoria da Justiça Organizacional.2 – 2012 . Adams (1965) diante deste contexto e do desenvolvimento dos estudos relacionados às pessoas e motivação para o trabalho. Um conceito fundamental para a interação social humana é a justiça. ii) o conteúdo e a divisão das tarefas destes postos que permaneceram à reestruturação. Tais comparações realizadas pelos colaboradores das organizações são baseadas em percepções pessoais influenciadas por fatores diversos. apresentou a teoria da equidade. as atribuições de recompensas ou apenas sobre qualquer outro tipo de intercâmbio social. Esse fato tornou mais difícil a tarefa de entender e controlar as interferências dessas percepções no ambiente de trabalho. A Justiça Organizacional tem relação direta com temas que influenciam na gestão das organizações e atingimento das metas estabelecidas e se mostram difíceis de controlar. Tendo em vista o reconhecimento generalizado da importância da justiça como um problema nas organizações. justiça distributiva. surge a demanda de aplicação das teorias de justiça social e interpessoal para a compreensão do comportamento nas organizações. N.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4.. questões de justiça são uma constante. iii) a divisão do trabalho e a configuração da estrutura. esse desenvolvimento na direção conhecer o constructo justiça organizacional deu-se pela necessidade da compreensão dos critérios de alocação de recompensas percebidas como justas e o impacto dessas sobre o desempenho dos trabalhadores. iv) e. que foca-se no nível de percepção de justiça por parte dos trabalhadores das organizações (Gibson et al. pois a percepção é um fator a nível individual e pode desencadear reações a nível organizacional. o que pode ser compreendido como mais um fator atenuante de instabilidade e conflito organizacional. Quer se trate de uma decisão de promoção. por último. a atribuição de tarefas. Para Siqueira e Tamayo (2008). mas essa teoria deixa brechas o que levou ao estudo do processo de distribuição dessas recompensas. as relações de hierarquia e de autoridade no que restou de trabalho.

levando. considera a distribuição dos resultados e recompensas em relação com a proporção de esforço percebido pelos trabalhadores e as comparações com seus colegas. verificar a autoria. (2006). Diante disto notam-se as relações com temáticas como Comprometimento Organizacional (Filenga e Siqueira. modelos. Rego e Souto. considerações finais e referências utilizadas. 2 JUSTIÇA ORGANIZACIONAL A discussão sobre Justiça Organizacional emergiu de teorias motivacionais de processo.. Os dados analisados serviram para identificar as temáticas abordadas.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. (2002). Silva e Santos.(2006) afirma que os trabalhadores ao perceberem inequidade adotam métodos para tentar reduzir os sentimentos de desconforto e tensão. Ribeiro. (2006). metodologia. Adams (1963). Para Beugré (1998) é vital o estudo dessa interface considerando o contexto dos estudos de Comportamento Organizacional. Adams (1965) evidenciou as percepções dos trabalhadores e inequidade nas distribuições. referencial teórico visando um relato a cerca do tema foco e suas relações. o ano de publicação. a percepção dos indivíduos sobre como dar-se-á a retribuição de seu esforço. N. participação. autores mais citados entre outros. Gibson et al.ISSN 2177-6636 Por estar ligados as recompensas percebidas pelos colaboradores deve-se ter uma maior consideração pelo assunto aqui tratado. Almeida. dimensões. comprometimento. relaciona-se diretamente às percepções e reações dentro da organização e ainda afeta comportamentos como confiança. mais tarde. (2008). . Este estudo tem como objetivos analisar a visibilidade da produção científica sobre Justiça Organizacional presente na base de dados Web Of Science no período de 2001 a 2011 e produzir indicadores bibliométricos que melhor caracterizem a representação desta produção em base de dados da área da administração. isso porque à justiça organizacional apresenta-se como uma constante nas rotinas pessoais e organizacionais. sendo a questão central desta. O estudo estrutura-se a partir da introdução. em sua Teoria da Equidade.2 – 2012 . A idéia da Justiça Organizacional foi apresentada por Homans (1958) com o debate a respeito do justo é aquilo que é proporcional. como as pessoas são responsáveis pela diferenciação das organizações e a sobrevivência da mesma. resultados.

constituindo-se como alicerce para a noção de justiça social apoiada em princípios como liberdade e diferença. Greenberg (1996) categorizou as conceituações diferentes de justiça organizacional em torno de uma taxonomia dimensional (reativa e de processo2) que combinadas resultaram em quatro teorias.. (1993). Silva e Carvalho. Valores Pessoais (Fiuza. et al. Considerando a amplitude de entendimentos a cerca da justiça organizacional. Por outro lado. incentivar comportamentos de cidadania e reduzir os casos de roubo do empregado. . Folger. (1993). comportamentos de cidadania organizacional (Morrison. abordagens estão preocupados com a justiça da decisão resultante ou resultado. De acordo com Coetzee. Para Rawls (1971) o princípio da igual liberdade diz que cada pessoa tem um direito igual às liberdades mais amplas liberdades compatíveis com semelhantes para todos e o princípio da diferença que as desigualdades sociais e econômicas devem ser organizadas de modo que ambos são (a) para o maior benefício dos menos favorecidos pessoas. Oportunidades à Diversidade (Pereira. que tornam-se uma forma de abordagem social de justiça. (2009). confiar na lealdade ao líder (Deluga.. N. (2010). Sousa e Mendonça. (2009).2 – 2012 . Estas orientações concentrar-se na justiça dos métodos e procedimentos utilizados para tomar e implementar decisões organizacionais. melhorar as relações entre supervisores e funcionários. 1994). Teoria Reativa de conteúdo: concentra-se em como as pessoas respondem a decisões injustas. Saúde Organizacional e Burnout1 (Almeida. portanto. precedido de esgotamento físico e mental intenso. 2010). Segundo Rawls.ISSN 2177-6636 Ribeiro e Bastos. Em contraste conteúdo.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. também a beneficiar a organização. (1971) com a teoria da justiça expôs que o manejo do contrato social e seus pressupostos do relacionamento. 1990). Esta teoria verifica como as pessoas vão responder em relações injustas. Cropanzano e Randall. (2005) vários estudos têm examinado a influência de tratamento justo dos empregados sobre as variáveis organizacionais. Greenberg e Greenberg. as teorias pró-ativas se concentrar em comportamentos concebido para promover a justiça. tais como satisfação no trabalho (Bateman e Organ. Almeida. mostrando 1 Distúrbio psíquico de caráter depressivo. (2010). (2006). definido por Herbert J. 1983). O tratamento justo e igualitário dos trabalhadores vai aumentar a satisfação no trabalho. 2011) entre outros temas relacionados. 1994) e roubo (Greenberg. Avaliação de Desempenho (Beuren e Spessatto. A abordagem de processo para a justiça concentra-se na maneira pela qual vários resultados são determinados. Freudenberger como "(…) um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional” 2 Uma teoria da justiça reativa focaliza as tentativas das pessoas para fugir ou evitar os estados percebidos injustas. (1984).

políticas e processos utilizados na tomada decisão e por último a Teoria Proativa de Processo que se concentrar em processos de atribuição e procurar determinar que procedimentos as pessoas usam para alcançar a justiça. a julgar a justiça de uma decisão. justificando a injustiça ou ainda deixando a organização. De acordo com Coetzee (2005) ao longo dos anos nota-se uma tendências nas pesquisas de justiça organizacional indicando que o interesse em teorias reativas e conteúdo se reduziu. se concentrar em como as pessoas tentam criar decisões justas. Conforme Sheppard. Na tentativa de corrigir a injustiça os colaboradores por meio de comportamentos de retaliação buscam restaurar a equidade. para ser justo. (3) eqüidade. iguais atribuições. e refere-se a "justiça" da decisão e abrange elementos de precisão. (2006) refere-se a esta forma de justiça como a justiça processual. Lewicki e Minton (1992 apud Coetzee. O saldo primeiro princípio da justiça. . Comparações de equilíbrio são feitas quando uma pessoa se compara a recompensa que ele ou ela recebe com aquele recebido por alguém. Greenberg e Greenberg. ação ou procedimento requer avaliá-lo contra dois princípios. 2005). as dotações com base nas necessidades. Por sua vez a Teoria Reativa de processo concentra teorias de como as pessoas reagem a procedimentos desleais. Greenberg e Greenberg (1993) refere-se a esta forma de justiça como justiça distributiva.2 – 2012 . (1993). clareza e rigor processual. raiva.ISSN 2177-6636 certas emoções negativas. requer um juízo de equilíbrio. decepção e infelicidade (FOLGER. alocações com base nas contribuições e (4) justiça marxista. ou seja. que incidem sobre a forma como as pessoas respondem a decisões injustas. Segundo ele. funcionários vão percebê-las. (2005)) a teoria motivo justiça reconhece que a justiça é a preocupação pré-eminente de seres humanos. 1984 apud COETZEE. tais como ressentimento. O correto é o segundo princípio da justiça. equilíbrio e correção. paridade. as pessoas fazem uso de quatro princípios ao tomar decisões de alocação ou concorrência (1) alocações com base no resultado de desempenho (2). Isto indica uma mudança de reativo às teorias pró-ativas e uma mudança de conteúdo às teorias do processo. Greenberg. Para Lerner (1982 apud Coetzee. Por sua vez a Teoria Proativa de conteúdo: em contraste com as teorias de conteúdo reativas. insatisfação. Desde que os procedimentos sejam claros e consistentemente aplicados. (2005))..FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. coerência. N. A teoria da preferência de alocação propõe que as pessoas têm expectativas de que certos procedimentos são diferencial no cumprimento de seus objetivos. e concorda que as pessoas distribuem recompensas de acordo com as circunstâncias.

ISSN 2177-6636 As pesquisas subseqüentes levaram a um terceiro tipo de justiça. A bibliometria é uma técnica que permite situar a pesquisa através de diversos indicadores e diversas relações. 2012). 1998. que contribui para o desenvolvimento da ciência. Uma vez que a justiça distributiva.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. com as palavras-chave “organizational justice”. co-autoria. em muitos estudos. ano das publicações. O conteúdo desta pesquisa serviu para compor o referencial teórico deste estudo bem como a descrição dos resultados apresentados. de caráter qualitativo e quantitativo. 2001). a justiça interacional que se concentrou na imparcialidade do tratamento interpessoal e ligado aos procedimentos (BIES e MOAG.. autores. nos últimos 10 anos (20012011).. Com isso foram . destacando sua relevância nos estudos do comportamento humano nas organizações. todos eles fazem parte da justiça organizacional. Justiça interacional aparece.2 – 2012 . Como indicadores podem ser usados o número de trabalhos. número de patentes. pelo fato de se tratar do ano corrente.2011). N. Em um primeiro momento foi realizada a busca na Base de dados da Web Of Science. Trata-se de uma pesquisa descritiva. 2010).. instituições. optou-se por excluir o ano 2012. processual e interacional desempenham um papel na percepção do indivíduo da equidade de tratamento. utilizando o refinador para realizar uma busca especifica nos “topic”. título das fontes. número de citações. metodologia utilizada. A pesquisa dividiu-se em etapas. para verificar a quantidade de publicações internacionais por meio de pesquisa na base de dados Web of Science procurando identificar as principais áreas temáticas. A área mais importante da bibliometria para Araújo (2006) é a análise de citações. apud Oliveira e Branco. Foi realizado um levantamento bibliométrico em 17 de julho de 2012. no intervalo de tempo de 2001 a 2011. 1986 apud AKREMI et al. dividida em justiça informacional (referente às explicações precisas e honestas para os procedimentos e decisões) e justiça interpessoal (tratamento dos funcionários com dignidade e respeito) (COLQUITT et al. bem como podem ser feitos mapas dos campos científicos e dos países (Macias-Chapula. número de citações de patentes. 3 MÉTODO DO ESTUDO Esta pesquisa tem por objetivo principal realizar um levantamento a respeito da temática de Justiça Organizacional e a evolução de suas publicações internacionais ao longo dos 10 últimos anos (2001.

refinando a critério do autor nas seguintes áreas “Management. foram selecionadas as 25 publicações que foram mais citadas. autores. Para cada combinação considerada “hot topic”.1 Perfil geral das publicações A pesquisa bibliométrica realizada na base de dados Web of Science trouxe um relevante número de artigos relacionados com o tema justiça organizacional. apresenta-se o percentual dos resultados que tem relação com os . buscando somente as relações com as áreas de administração.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. das quais foram analisados 16 que puderam ser acessados pelos pesquisadores. De acordo com Hirsch (2005). Ethics. Social work”. 4 RESULTADOS A seguir foram apresentados os resultados do estudo bibliométrico referente as publicações internacionais sobre justiça organizacional na base do Web of Science. Economics. foi feita uma análise da relação do número de publicações por autor e o número de vezes que o autor foi citado com o propósito de averiguar se a quantidade publicada por autor está diretamente relacionada com a relevância da produção científica deste.ISSN 2177-6636 levantadas as informações: número total de publicações. Social Sciences other topics. Social Science Interdiciplinary. ano das publicações.2 – 2012 . tipo de documentos. Foi realizado um refinamento da pesquisa. O último refinamento utilizado foi utilizando as “subject areas”. idiomas e países. totalizando 494 artigos. Public Administration e Social Work” por apresentarem relação direta com Administração. apresentando pela busca das palavras-chave “organizational justice” 939 resultados em diversas áreas. Bussiness. Bussiness Finance. Public Administration. autores. A disposição dos arigos foi elencada por Times Cited – Highest to Lowest que significa a quantidade de citações encontradas. verificando o perfil geral das publicações (áreas. áreas temáticas. onde foram escolhidas as seguintes “Business Economics. Outro parâmetro estabelecido foi a escolha do tipo de documento como somente artigos. com isso.. titulo das fontes. portanto foi refinado utilizando a palavra “article” tendo como resultado ainda 580 articles. ano. N. idiomas e países) e posteriormente. 4. mas não mede a importância e/ou impacto de suas publicações. o número total de artigos publicados mede a produtividade do autor. como segue no Gráfico 1. o número de documentos foi reduzido de 939 para 698 resultados. uma análise mais acurada das publicações mais relevantes encontradas. Psichology Multidisplynary. esta podendo ser referenciada pelo numero de vezes que o mesmo foi citado por outros autores. Por fim. Psycology applied.

ocorreu um crescimento de 273% em relação ao primeiro ano (60 publicações). Em uma análise mais aprofundada por assunto a constatação acima fica mais visível.2%). Após a refinação supracitadas no método obteve-se que no âmbito internacional ocorreu uma evolução no estudo do tema de Justiça Organizacional.2 – 2012 . pois sua soma é maior que 100%. estabelecendo um elo forte entre os assuntos. Se comparados ao primeiro ano obteve-se um crescimento de 318%. porém faz-se necessário esclarecer que muitos artigos apresentam mais de uma área de relação. psicologia social (17%). A partir de 2008. a relação com a saúde ocupacional ( 6.8% ). do primeiro ano de análise (2001) até o quarto ano (2004) as produções relacionadas a justiça organizacional ficaram numa média de 26 publicações/ano. pois. psicologia aplicada ao trabalho (37. dos 939 artigos encontrados 577 estão relacionados com o assunto economia e negócios e 201 com psicologia. pois seu somatório em porcentagem ultrapassa os 100%. negócios (21%). para facilitar a visualização das áreas mais importantes..ISSN 2177-6636 temas apresentados.2%) e a ética (3.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. . sendo que o maior crescimento se deu nos anos de 2010 e 2011 com um total de 70 publicações em cada ano.8%). Gráfico 1:Percentual das relações da temática foco por área Conforme discutido no referencial teórico o tema Justiça Organizacional foi estruturado por meio da área da psicologia do trabalho. sendo assim o gráfico é meramente representativo. N. o que é possível constatar no gráfico com a relação dos artigos com as áreas de gestão (48.

distributiva. 310 artigos dos 494 da pesquisa.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. O Quadro 2 apresenta os artigos analisados. N. ou seja. 2002 e Rupp e Cropanzano. 2002).8% das publicações. Demonstrando a importância dos autores para a área. seguido do Canadá com pouco mais de 8%. tendo 267 citações e 2 (dois) artigos entre os 16 deste estudo. pois seu texto não estava disponível para consulta.. em segundo. bi. foi Cropanzano. Entre os países que mais publicaram sobre o tema novo domínio da língua inglesa. Outro autor destacado pelo presente estudo devido o número de publicações. seu título. seguido e De Cremer com 11 e Colquitt. Quanto ao modelo Bidimensional formado pela justiça distributiva e a justiça Processual (entende que além da recompensa e das decisões envolvidas deve-se . sendo destes referenciados.. tri ou tetra dimensional.5 Análise de dados Após a análise quantitativa e representação dos dados.ISSN 2177-6636 Referente aos autores com maior número de publicações sobre o tema destacam-se Copanzano. autores.3%. foco. 4. nota-se que Colquitt acumula no total mais de 821 citações em outros periódicos. sendo realizada a analise dos outros 16 artigos. nove não puderam ser analisados. lugar vem a China com 8. ou seja. o Brasil não aparece relacionado com nenhuma publicação. Leung e Rupp com 9(nove). sendo uma importante base para a estruturação das 4 (quatro) dimensões de justiça. dimensões de justiças utilizadas. após Países Baixos com 7% e Inglaterra com 4%.2 – 2012 . que aparece na primeira colocação com 12 publicações sobre o assunto. apoiando o modelo tridimensional de justiça. Outros dados relevantes sobre o estudo do tema é sua concentração na língua inglês com 99. processual e interacional (Cropanzano et al. segundo levantamento no Web Of Science. com os EUA em primeiro lugar com uma concentração de 64% das publicações. foram escolhidos os 25 primeiros artigos para sua análise da temática. não estando presente entre os 16 artigos com maior número de referencias ao longo do período estudado. tipos/dimensões da justiça organizacional trabalhadas e autores citados na construção das referências comprovando a discussão apresentada anteriormente sobre a utilização de modelos uni.2% das publicações após vem o idioma Turco com 0. Entendendo-se que modelo Unidimensional é estruturado somente a partir da justiça Distributiva (baseada no entendimento de equidade entre o esforço realizado e a recompensa recebida). com 12 publicações. Seu trabalho serve como base de outros artigos que aparecem na análise deste.

Bibliométrico . Pugh Judge. (1994) Konovsky e Folger (1991) Moorman's (1991) Colquitt’s (2001) Colquitt’s (2001) Hostility. Barclay et al. 2001). 2001.2 – 2012 . Shore. ou a forma como os processos levam até o entendimento de justiça) foi utilizado em um estudo por Wayne et al.. Masterson.. 2003. Prehar. 2007. 2006. foi encontrada em 6 artigos dos 16 analisados (Colquitt. processual.. Skarlicki. (1994) Bies e Moag (1986) Greenberg (1986.ISSN 2177-6636 considerar os meios. Processual e Interacional (considera as relações interpessoais como ponto crucial) foi encontrado em 9 estudos (Cropanzano et al. Sackett Wayne. Ambrose e Schminke. 2005. 2004. Thibaut e Walker (1975) Bies e Moag (1986) Shapiro et al.. 1987b) Brockner e Wuesenfeld (1996) Cropanzano. Shaw et al. Wild. Cropanzano Berry. Titulo On the dimensionality of organizational justice: A construct validation of a measure Using social exchange theory to distinguish procedural from interactional justice The mediating effects of social exchange relationships in predicting workplace outcomes from multifoci organizational justice Interpersonal deviance. O modelo Tetradimensional que é estruturado pelas justiças distributiva. 2006.. Tetrick Barclay. Bommer. organizational deviance. Rupp e Cropanzano. job attitudes. Ilies Shaw. (2002). 1987a. Judge e Colquitt. Greenberg.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. Rupp e Spencer. 2002. Ones.. Chen Rupp. Colquitt Byrne (1999) Bibliométrico Niehoff e Moorman's (1993) Price e Miller's (1986) Brockner et al. Judge et al. O modelo Tridimensional composto por Justiça Distributiva. Elovainio et al. 2002. 2002.. 2006). Berry et al. 2006. Ambrose et al. 2001.. Scott.. Colquitt et al. and their common correlates: A review and meta-analysis The role of fair treatment and rewards in perceptions of organizational support and leader-member exchange Exploring the role of emotions in injustice perceptions and retaliation Organizational justice and stress: The mediating role of work-family conflict Autores Dimensões Distributiva Processual Interpessoal Informacional Distributiva Processual Interacional Processual Interacional Distributiva Processual Interpessoal Informacional Distributiva Processual Processual Interacional Distributiva Processual Interpessoal Informacional Interpessoal Distributiva Processual Colquitt Referência Leventhal (1976) Leventhal (1980). N.2003. and workplace deviance: Test of a multilevel model To justify or excuse?: A meta-analytic Judge. e a divisão da justiça interacional em duas outras Justiça Interpessoal (tratamento dos funcionários com dignidade e respeito) e Justiça Informacional (referente às explicações precisas e honestas para os procedimentos e decisões).

interactional justice.Artigos analisados no estudo Distributiva Processual Interacional Interpessoal Informacional Colquitt's (2001) Greenberg (1993) Interpessoal Informacional Distributiva Processual Interacional Colquitt's (2001) Greenberg (1993) Bies (2001) Price and Mueller's (1986) Moorman's (1991) Moorman's (1991) Dentre os artigos analisados. . N. of the relationship between procedural Schminke justice. Colquitt esta entre os autores que mais publicaram sobre o assunto. job control. encontra-se em primeiro lugar 580 vezes citado o artigo de Colquitt (2001). Seu trabalho serve como base de outros artigos que aparecem na análise deste. (1998b) Leventhal (1980) Vanderbos et al. validando também as quatro dimensões de justiça. (1999) Colquitt’s (2001) Greenberg (1993a) Bies e Moaf (1986) Colquitt’s (2001) Organizational justice evaluations. of customer interactional injustice on Spencer emotional labor and the mediating role of discrete emotions A trickle-down model of organizational justice: Relating Masterson employees' and customers' perceptions of and reactions to fairness Quadro 2. demonstrando a importância do autor para a área.. em que é proposta a construção de um modelo de medida dos tipos de justiça. processual. support. sendo uma importante base para a estruturação das 4 (quatro) dimensões de justiça. and supervisory trust Losing sleep over organizational Greenberg injustice: Attenuating insomniac reactions to underpayment inequity with supervisory training in interactional justice When customers lash out: The effects Rupp. Schminke Colquitt. “On the dimensionality of organizational justice: A construct validation of a measure”. interpessoal e informacional. considerando o critério de maior número de citações.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. segundo levantamento no Web Of Science. distributiva. acumulando no total mais de 821 citações em outros periódicos. conforme o Quadro 2. perceived organizational. Helkama Ambrose. and occupational strain Sabotage in the workplace: The role of organizational injustice Justice and personality: integrative theories to moderators of justice effects Using derive Distributiva Processual Interacional Organization structure as a moderator Ambrose. Kivimaki. aparecendo com 9(nove) artigos e entre os 25 primeiros ele está têm 4(quatro) artigos. Judge.2 – 2012 .ISSN 2177-6636 review of the effects of explanations Colquitt Elovainio. Seabright. Shaw Interpessoal Informacional Processual Interacional Distributiva Processual Interacional Moorman's (1991) Abordagem qualitativa em relatos pessoais de atividades de sabotagem no local de trabalho Greenberg (1993b) Van den Bos et al. proposta esta validada em dois estudos.

hostilidade... utilizando o modelo tetradimensional. Pessoal e Psicologia comprovando a correlação entre os desvios interpessoais e os organizacionais. 2002) e (Rupp e Cropanzano. processual e interacional (Cropanzano et al. através de um estudo bibliométrico na base de dados de Ciências Sociais Citation Index e pesquisas manuais de Academy of Management Jornal. N. (2005) em seu estudo com o modelo tridimensional para estudar as emoções dos colaboradores das empresas.2 – 2012 . (2006) utilizando o modelo tetradimensional de Colquitt 2001 estudaram estresse. (2007) propuseram o estudo dos fatores Desvio Interpessoal e Desvio Organizacional. Barclay et al. Ambrose et al. sobre um modelo de análise com foco em injustiça e utilizando a base do modelo tridimensional. Journal of Organizational Behavior. Neste estudo. relacionando a justiça interacional com retaliação. (2002) examinaram a relação entre a injustiça e a sabotagem no local de trabalho propondo que a injustiça vai ser a causa mais comum de sabotagem.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. 2002). Revista Internacional de Seleção e Avaliação. Journal of Applied Psychology. Wayne et al. Apoio Organizacional (POS) e recompensas contingentes foram relacionados para líder.membro (LMX) em termos de conseqüências. ou seja. (2002) estudaram a justiça organizacional. foi Cropanzano. Wayne et al. Examinando um modelo de antecedentes e conseqüências da percepção de apoio organizacional e líder-membro de câmbio. satisfação no trabalho. e distributiva com destruição de patrimônio. encontram alta correlação entre a execução das justiças e as emoções dos indivíduos. Na mesma linha de estudo Judge e Colquitt (2004) e Judge et al. enquanto que LMX previu classificações de desempenho. tendo 267 citações e 2 (dois) artigos entre os 16 deste estudo.ISSN 2177-6636 Outro autor destacado pelo presente estudo devido o número de publicações. os resultados revelaram que a justiça processual e interpessoal têm forte relação com os fatores supracitados. inclusão e reconhecimento foram relacionados. que aparece na primeira colocação com 12 publicações sobre o assunto. distributiva. Berry et al. . sendo o único artigo entre os analisados que utilizou-se do modelo bidimensional (justiça processual e distributiva). Comprovando assim a relação entre a (in)justiça e a sabotagem. (2002) indicou que a justiça organizacional. apoiando o modelo tridimensional de justiça. atitudes no trabalho e desvio no local de trabalho. POS estava relacionada com o comprometimento dos empregados e da cidadania organizacional comportamento. confirmando que a injustiça foi a causa mais comum de sabotagem.

a teoria da gestão. Rupp e Spencer (2006) utilizaram a relação justiça interacional e comportamento no trabalho para investigar os efeitos da injustiça interacional dos clientes sobre o trabalho emocional e o papel de mediador de emoções dos trabalhadores. (2006) a justiça organizacional foi relacionada com as conseqüências comportamentais. Foi utilizado neste estudo o modelo tridimensional e a integração das teorias da literatura justiça: teoria da equidade heurística. organizacional e de supervisão. abordando a justiça interpessoal e a distributiva. e o comportamento do cliente impacta o esforço exigido dos trabalhadores nos serviços.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. embora muitas vezes de forma interativa. O último dos 16 artigos analisados dos 25 mais citados sobre o modelo de refinamento descrito neste artigo foi o de Masterson (2001) com o objetivo de testar um modelo relacionando o tratamento justo de uma organização com seus funcionários e o seu tratamento . em vez de formas diretas. Este estudo fornece a notícia que a insônia é efetivamente resultante de sentimentos de desigualdade pagamento a menor e que essas reações podem ser suavizadas através de ações de justiça interacional por parte dos supervisores.2 – 2012 . As conclusões do estudo foram que procedimentos imprecisos e inconsistentes.ISSN 2177-6636 No estudo da justiça e personalidade proposto por Colquitt et al. sugerindo que os clientes são uma fonte viável de justiça. foi utilizado nesse estudo o modelo tetradimensional. tratamento desrespeitoso interpessoal e recompensas inesperadamente baixas impactam no comportamento contraproducente e desempenho da tarefa. e as variações na forma como os indivíduos reagem a um tratamento justo e injusto. Ambrose e Schminke (2003) realizaram pesquisa sobre a justiça organizacional reconhecendo o contexto que as organizações desempenham importante papel na percepções de justiça.. os gestores podem tomar medidas para mitigar os efeitos das interações injustas dos clientes sobre as reações dos trabalhadores pela extensão do tratamento mais justo para com eles para compensar situações de injustiça provenientes do cliente. analisaram como a estrutura organizacional afeta a relação entre as percepções de justiça e 2 tipos de relações de troca social. Greenberg (2006) pesquisou os efeitos da justiça organizacional sobre a saúde dos trabalhadores. sobre o foco da insônia. chegando as conclusões que existe a tendência das pessoas a sofrer insônia durante os tempos difíceis. incerteza e teoria da justiça. Chegando ao resultado que as estruturas influenciam a relação entre justiça processual e percepção do suporte organizacional e entre a justiça interacional e confiança de supervisão. os resultados deste estudo apontam que embora as organizações não podem controlar o comportamento de seus clientes. Utilizando o modelo tetradimensional. N.

N. Considerando os autores apresenta-se o total relacionado a todos os artigos analisados na refinação. estruturando um modelo trickle-down da justiça. Rupp e Cropanzano.2% das publicações são escritas nessa língua e o restante em turco. processual e interacional (Cropanzano et al.ISSN 2177-6636 posterior com os clientes. sendo uma importante base para a estruturação das 4 (quatro) dimensões de justiça. dependendo do foco dos autores. sendo que quase 99. não existe um consenso entre os pesquisadores sobre os tipos e quantidades de dimensões existentes para uma análise do ambiente organizacional. O autor com maior número de publicações é Copanzano. fornecendo evidências de que a injustiça que vem de uma fonte (por exemplo. distributiva. Seu trabalho serve como base de outros artigos que aparecem na análise deste. ou seja. resultando em um total de 494 artigos. Em relação à temática de Justiça Organizacional. tendo 267 citações e 2 (dois) artigos entre os 16 deste estudo. e as reações dos clientes aos empregados e da organização. encontrando-se todas as 4 dimensões em utilização ainda. 2002). Masterson utilizou o modelo tridimensional de justiça.2%) e em terceiro lugar negócios (21%). . 2002. segundo levantamento no Web Of Science. o cliente).. A área temática que obteve o maior número de publicações é gestão (48. aumentando ano após ano na produção internacional com destaque para os últimos três anos (2009 a 2011).. com 12 publicações.8%) seguida de psicologia aplicada ao trabalho (37. Estes achados sugerem que o mesmo pode valer para as percepções de justiça provenientes do supervisor como compensar as percepções de injustiça que emanam do cliente. o supervisor) pode escorrer para afetar o comportamento do empregado para outra fonte (por exemplo.2 – 2012 . Como os números de publicações já demonstraram é nos Estados Unidos que se concentra o maior volume de publicações com 310 artigos que representam 64% do total analisado e.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS A pesquisa evidenciou que o interesse pela Justiça Organizacional na última década (2001-2011) encontra-se em uma crescente. Outro destaque é Colquitt. com 9 (nove) e um total mais de 821 citações em outros periódicos. apoiando o modelo tridimensional de justiça. o idioma inglês é o predominante. corroborando com as informações anteriores.

Sabotage in the workplace: The role of organizational injustice. S. REFERÊNCIAS ADAMS.com/content/63/11/1687. Organizational Behavior and ….. Advances in Experimental Social Psychology: Academic Press. ALMEIDA. G. M. AMBROSE.short >. human relations. 422-436. Towards an understanding of inequity. 1963.apa. M. SCHMINKE. D. p. (Ed. interactional justice. ISSN 0096-851X(Print). 2002. M. 2009.sciencedirect. and supervisory trust. o assunto vem apresentando uma evolução nos estudos nos últimos dez anos e seu entendimento vem se aprimorando. Disponível em: < http://www. ISBN 0065-2601.sagepub. IX Semead 2006. M. SCHMINKE. n.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. M. D. D. 67. CARVALHO.267-299. ALMEIDA.Volume 2. SANTOS. A. G.. AMBROSE. XXXIII EnANPAD.. O.com/science/article/pii/S0749597802000377 >. C. A.. D.). M. http://psycnet. D. In: LEONARD. . O. Organization structure as a moderator of the relationship between procedural justice. v. São Paulo/SP. B. 2006. M. 2010.. Justiça Organizacional Relações com a Ineficácia Profissional. v. SILVA. CAMERMAN.. A. O Impacto da Justiça Organizacional no Sentimento de Ineficácia Profissional. Inequity In Social Exchange. Disponível em: < 2003. p. 5. SILVA. D. XXX EnANPAD. J. Journal of Applied Psychology..2 – 2012 . ALMEIDA. D..org/journals/apl/88/2/295/ >. G. AKREMI.ISSN 2177-6636 Sendo assim. US. ______. Disponível em: < http://hum. The role of justice and social exchange relationships in workplace deviance: Test of a mediated model. M. SEABRIGHT. Salvador / BA.. Comprometimento Afetivo e Percepção de Saúde Geral. E. Justiça Organizacional: Implicações para o Burnout e o Comprometimento dos Trabalhadores. Comprometimento Afetivo e Auto Percepção de Saúde Geral. VANDENBERGHE. The Journal of Abnormal and Social Psychology. O.. apoiado em novos modelos e no estreitamento das relações com o comportamento organizacional. D. perceived organizational support. J.. M. N. M. 1965.

short >. R. Justice and personality: Using integrative theories to derive moderators of justice effects.. Injustice and work behavior: A historical review.ac.za/thesis/available/etd-041320052005. Journal of applied ….org/journals/apl/92/2/410/ >. COLQUITT. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais.. ONES. Journal of applied psychology... CROPANZANO. COETZEE. organizational deviance.com/science/article/pii/S0749597805001172 >.org/index. M..org. Disponível em: < Disponível em: < http://upetd.google.org/journals/apl/90/4/629/ >.ISSN 2177-6636 ARAÚJO. 130646/ >.php/revistaemquestao/article/viewArticle/3707 >. CROPANZANO. L.apa. R. 1998. J. RANDALL.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. SPESSATTO. D. C. On the dimensionality of organizational justice: a construct validation of a measure. Using social exchange theory to distinguish procedural from interactional justice. M.apa. G. SACKETT.. P. N. upetd. psycnet.com/content/27/3/324.com. C.. Exploring the role of emotions in injustice perceptions and retaliation. Journal of Applied Psychology.sciencedirect. BARCLAY. . Disponível em: < http://psycnet.univerciencia. BERRY. Disponível em: < ..org/journals/apl/86/3/425/ >. The fairness of affirmative action: an organisational justice perspective..2 – 2012 .. Disponível em: 2006. 2010.org/journals/apl/86/3/386/ >. and their common correlates: a review and meta-analysis. Justice at the millennium: a meta-analytic review of 25 years of organizational justice research. Managing fairness in organizations. Organizational Behavior and …. D. 2006. http://psycnet.. 1993. PUGH. Disponível em: < 2001.apa. PREHAR.ac. http://gom.. Disponível em: < http://psycnet.up. Disponível em: < http://www. Florianópolis / SC. I. http://psycnet. BEUREN. S.za. < http://revistas. Interpersonal deviance.apa. Group & Organization …. J.up. 2002. 2005. books. BEUGRÉ. 2007. COLQUITT.sagepub.apa. VI EnEO. 2001. Percepção da Justiça Organizacional na Avaliação de Desempenho Fundamentada no Balanced Scorecard. ______. C. Journal of Applied Psychology. Em Questão. M. SKARLICKI. et al. C.

estruturas e processos. Políticas de gestão de pessoas. 1984. 2006. Organizações: Comportamento. J.org/psycinfo/1986-21898-001 >. Disponível em: < http://psycnet. O impacto de percepções de justiça em três bases de comprometimento organizacional. Disponível em: < http://psycnet. Losing sleep over organizational injustice: attenuating insomniac reactions to underpayment inequity with supervisory training in interactional justice. GREENBERG. R. Disponível em: < 2001. M. HIRSCH.org/psycinfo/2004-95165-001 >. M. FIUZA. J. and the concept of comparison level. The quest for justice on the job: Essays and experiments. SIQUEIRA.ISSN 2177-6636 ELOVAINIO. Califórnia. G. GIBSON. Perceived injustice. 2006. Disponível em: < http://psycnet. HELKAMA. American journal of sociology.org/doaj?func=abstract&id=657422 >. Rev. FILENGA. Adm. JUDGE.. J.org/journals/apl/91/1/58/ >. et al. 1958. Sage .apa. KIVIMÄKI. 2004. 1996. Organizational justice and stress: the mediating role of workfamily conflict.org/stable/10. The social side of fairness: Interpersonal and informational classes of organizational justice.apa. N. GREENBERG. Brasil 2006.. MCGRAW-HILL. HOMANS. M.2307/2772990 >. … in the workplace: Approaching fairness in …. 2005.apa. T. valores pessoais e justiça organizacional. 1993.apa. 2010. Thousand Oaks. D. Social behavior as exchange. J. http://psycnet. Journal of …. Journal of applied ….doaj.. K. FOLGER.. Disponível em: < http://www. ______.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. job control. São Paulo.jstor. Representative Research in Social Psychology. Journal of Applied Psychology. An index to quantify an individual's scientific research output. Revista de Administração Mackenzie.2 – 2012 . G.. referent cognitions.org/journals/apl/86/3/418/ >. Proceedings of the National Academy of Sciences of …. Disponível em: < http://www. GREENBERG. and occupational strain.. COLQUITT.(São Paulo). Organizational justice evaluations. Publications.. J. Journal of Applied Psychology. J.

2008.2 – 2012 . PEREIRA. RIBEIRO. R. Comprometimento organizacional . SPENCER. B.. 2006. A. G. XXVI EnANPAD. ILIES. J.. Journal of Applied Psychology. et al. A. RIBEIRO. CROPANZANO.. and workplace deviance: test of a multilevel model.apa..com/doc/37961490/Analise-Bibliometrica-UFMG 2006.. Journal of …. Rio de Janeiro/RJ. Disponível em: < http://www. N. S. …. XXXII EnANPAD. job attitudes.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. 2011. Psicologia: ciência e profissão. XXXV EnANPAD.. D. J. 2002.com/science/article/pii/S0749597802000365 >. Organizational Behavior and Human Decision …. Comprometimento Organizacional e Percepção de Justiça: Um estudo sobre a concessão de remuneração e benefícios diferenciados a dois grupos de uma mesma empresa. Journal of Applied Psychology. The mediating effects of social exchange relationships in predicting workplace outcomes from multifoci organizational justice. When customers lash out: the effects of customer interactional injustice on emotional labor and the mediating role of discrete emotions. SCOTT. R. Journal of Applied Psychology. T.org/journals/apl/86/4/594/ >. J. MASTERSON. 2001. Journal of Applied …. Rio de Janeiro/RJ.org/journals/apl/91/1/126/ >. J. http://psycnet. A trickle-down model of organizational justice: relating employees' and customers' perceptions of and reactions to fairness. A. Hostility. Estudo Bibliométrico da Produção Científica daUniversidade Federal de Minas Gerais: publicações no WEB of Science no período de 2004 a 2008. S.Salvador / BA.org/psycinfo/200608435-019 >. BRANCO. 2010.apa.. 1971. Cambridge. BASTOS.. . Theory of Justice. A.. Disponível em: < http://psycnet. Z.scribd. SOUTO.um estudo luso-brasileiro sobre a importância da justiça. MIA. D. Comprometimento e justiça organizacional: um estudo de suas relações com recompensas assimétricas. S. RUPP. A Percepção de Justiça Organizacional Distributiva diante das Ações Organizacionais que Oferecem Recursos e Oportunidades à Diversidade. RAWLS. Disponível em: < >.ISSN 2177-6636 JUDGE. REGO. N..apa. Disponível em: < http://psycnet.sciencedirect. OLIVEIRA. Acesso em: Acesso em: 21/07/2012. 2002. C.. RUPP. B. D. Disponível em: < http://pt.

V. J.php/RAM/article/viewArticle/540 >.org/journals/apl/88/3/444/ >.apa. TAMAYO.ISSN 2177-6636 SCHUSTER. Disponível em: < http://psycnet. SOUSA. To justify or excuse?: A meta-analytic review of the effects of explanations..org/journals/apl/87/3/590/ >.. Journal of Applied …. http://psycnet.php/raimed/article/view/123 >.mackenzie. M. 2009. Journal of Applied Psychology. V. N. SIQUEIRA.br/index. J. et al. H.. Medidas do Comportamento OrganizacionalFerramentas de Diagnóstico e de Gestão. The role of fair treatment and rewards in perceptions of organizational support and leader-member exchange. D.edu.. MENDONÇA. Revista de Administração IMED. Porto Alegre: Artmed. S.com.2 – 2012 . M. SHAW. E.apa. M. WAYNE.. 2008. DIAS. Disponível em: < http://www3.imed. S. 2003. prazer e sofrimento no trabalho: análise de um modelo mediacional. M. WILD. 2002. Plano de Carreira nos Sistemas de Gestão Público e Privado: Uma Discussão a luz das Teorias Motivacionais.br/editora/index. Revista de administração …. Disponível em: < http://seer.. Á. COLQUITT.FACESI EM REVISTA Ano 4 – Volume 4. D. 2012. I. Disponível em: < . Justiça organizacional. O.