You are on page 1of 5

Exercício de Parasitologia: 1º Agente Etiologico: 2º Cepa: 3º Fômite: 4º Fonte de infecção: 5º Hábitat: 6º Hospedeiro: 7º Hospedeiro definitivo: 8º Hospedeiro intermediário: 9º Parasita

errático 10º Período de incubação: 11º Período pré patente 12º Profilaxia: 13º Virulência: 14º Parasita Monoxênico 15º Parasita Heteroxênico 16º Parasita Obrigatório 17º Infestação 18º Infecção: 19º Partenogênese: A partenogênese refere-se a um tipo de reprodução assexuada de animais em que
o embrião se desenvolve de um óvulo sem ocorrência da fecundação.

20º Patogenicidade

Glossário de Parasitologia
Agente Etiológico. É o agente causador ou responsável pela origem da doença. Pode ser um vírus, bactéria, fungo, protozoário, helminto. Antropozoonose. Doença primária de animais, que pode ser transmitida aos humanos. Exemplo: brucelose, na qual o homem é um hospedeiro acidental. Cepa. Grupo ou linhagem de um agente infeccioso, de ascendência conhecida, compreendida dentro de uma espécie e que se caracteriza por alguma propriedade biológica e/ou fisiológica.

É aquele que apresenta o parasito em fase larvária ou assexuada. ex. podemos considerar como uma epidemia em potencial. em Belo Horizonte). Epidemia ou Surto Epidêmico. É um organismo que alberga o parasito. Ex. 25 estejam gripados. É o que apresenta o parasito em fase de maturidade ou em fase de atividade sexual. É importante dizer que este equilíbrio pode ser rompido em favor de ambos os lados.Ex.: esquistossomose em Curitiba). Estágio. Normalmente. Por exemplo: roupas. raça. considera-se como endêmica a doença cuja incidência permanece constante por vários anos. Endemia. a epidemiologia trata de dois aspectos fundamentais: a distribuição (idade. É a ocorrência. Hospedeiro. larva ou pupa (portanto. no Brasil. meios de transmissão etc.) de uma doença. Fômite. Estádio. devem ser estudados: idade. Fase Crônica. dando uma idéia de equilíbrio entre a doença e a população. Exemplo: no início do inverno espera-se que.: larva de 1º estádio. com média patogenicidade. ou seja. É representado por utensílios que podem veicular o parasito entre hospedeiros. É a fase intermédia ou intervalo entre duas mudas da larva de um artrópode ou helminto. hábitos da população etc. de casos que ultrapassam nitidamente a incidência normalmente esperada de uma doença e derivada de uma fonte comum de infecção ou propagação. Quando do aparecimento de um único caso em área indene de uma doença transmissível (p. Hospedeiro Intermediário.: a cepa "Laredo" da E. o estágio larva pode passar por dois ou três estádios). de cada 100 habitantes. O número do parasitos mantém uma certa constância. estádio adulto é sinônimo de instar). . distribuição geográfica. É um período de definição: o indivíduo se cura. sexo. geografia etc. sexo. É o estudo da distribuição e dos fatores determinantes da frequência de uma doença (ou outro evento).) e os fatores determinantes da freqüência (tipo de patógeno. histolytica se cultiva bem a temperatura ambiente. É aquele período após a infecção em que os sintomas clínicos são mais marcantes (febre alta etc.: estágio de ovo. raça. Hospedeiro Definitivo. Epidemiologia. espéculos etc. suscetibilidade do molusco. caracteriza-se pela diminuição da sintomatologia clínica e existe um equilíbrio relativo entre o hospedeiro e o agente infeccioso. numa coletividade ou região. estádio adulto (em entomologia. criadouros peridomiciliares. seringas. É a prevalência usual de determinada doença com relação a área. É a que se segue a fase aguda. da mesma forma que o aparecimento de um único caso onde havia muito tempo determinada doença não se registrava (p.). é o número esperado de casos de um evento em determinada época. Exemplo: o hospedeiro do Ascaris lumbricoides é o ser humano. Fase Aguda. ex. larva de 3º estádio. entra na fase crônica ou morre. Ex. Exemplo: na epidemiologia da esquistossomose mansoni. É a forma de transição (imaturos) de um artrópode ou helminto para completar o ciclo biológico. Isto é.: varíola.

É o que pode viver parasitando. Parasito Facultativo. mansoni etc. Parasito Errático. É a freqüência com que uma doença ou fato ocorre num período de tempo definido e com relação à população (casos novos. S. É o que parasita espécies de vertebrados muito diferentes. mas permanece encistado até que o hospedeiro definitivo o ingira. quando não está parasitando. É o alojamento. Exemplos: Trypanosoma cruzi. Por ex.: 100% das pessoas não-vacinadas. 10 adquiriram o parasito no mês de dezembro. É o que possui apenas o hospedeiro definitivo.) Infecção. É o que vive fora do seu hábitat normal. o número de pessoas doentes (incidência) é grande]. a morbidade da gripe é alta [isto é. que podem desenvolver-se em feridas necrosadas ou em matéria orgânica (esterco) em decomposição. Parasito Eurixeno. Expressa o número de pessoas doentes com relação a população. foi de 10%. é chamado vida livre). Exemplo: larvas de moscas Sarcophagidae.). Parasito Obrigatório. de um agente infeccioso dentro do organismo de humanos ou animais (inclusive vírus. Determina o número geral de óbitos em determinado período de tempo e com relação a população. Infestação. (Pode-se dizer também que uma área ou local está infestado de artrópodes. quando atingidas pelo vírus rábico. outras. A.) Letalidade. apenas). ou não. S. um hospedeiro (nesse último caso. Exemplo: o Toxoplasma gondii. Exemplo: na época do inverno. Exemplo: em Belo Horizonte morreram 1 . Morbidade. Parasito Estenoxênico. . Plasmodium. no mês de dezembro. Exemplo: Hymenolepis nana em coleópteros. isto é. Exemplos: Enterobius vermicularis. Exemplo: a incidência de piolho (Pediculus humanus) no Grupo Escolar X. lumbricoides. É o que possui hospedeiro definitivo e intermediário. É o que parasita outro hospedeiro que não o seu normal. Exemplo: Toxoplasma gondii. (Dos 100 alunos com piolho. desenvolvimento e reprodução de artrópodes na superficie do corpo ou vestes. que pode parasitar todos os mamíferos e até aves. Incidência.O32 pessoas no mês de outubro de 2004 (acidentes. Parasito Monoxênico. É aquele incapaz de viver fora do hospedeiro.Hospedeiro Paratênico ou de Transporte. É o que parasita espécies de vertebrados muito próximas. Parasito Heteroxênico. doenças etc. protozoários e helmintos). ou multiplicação. Exemplo: Dipylidium caninum. Parasito Acidental. morrem. Mortalidade. Penetração e desenvolvimento. Expressa o número de óbitos com relação a determinada doença ou fato e com relação a população. em Belo Horizonte. Exemplo: algumas espécies de Plasmodium só parasitam primatas. A letalidade na gripe é muito baixa. parasitando criança. É o hospedeiro intermediário no qual o parasito não sofre desenvolvimento. mansoni. bactérias. só aves etc.

) Reservatório. Vetor Mecânico. aves. Essas medidas são baseadas na epiderniologia de cada doença. Profiaxia. Ex. É o período decorrente entre o tempo de infecção e o aparecimento dos primeiros sintomas clínicos. Zooantroponose. as plantas. mas capaz de transmiti-lo a outrem. é também conhecido como "portador assintomático". Nesse caso. quando uso medidas para evitar o estabelecimento de uma doença. é relacionado com a capacidade de manter a infecção. Patognomônico. sendo vital para este a presença de tais reservatórios e sendo possível a transmissão para outros hospedeiros (OMS). o S. É a habilidade de um agente infeccioso provocar lesões. "portador crônico". Período de Incubação. osolo e qualquer matéria orgânica inanimada onde vive e se multiplica um agente infecioso. É quanto o parasito não se multiplica nem se desenvolve no vetor. isto é. temos o "portador em incubação". Ex. este simplesmente serve de transporte.Patogenicidade.: Tunga penetrans veiculando mecanicamente esporos de fungo.: a esquistossomose mansoni no Brasil. no Biomphalaria glabrata. Ex. ratos e morcegos silvestres frequentando ou morando em residências humanas. É a habilidade de certos animais silvestres (mamíferos. É o período que decorre entre a infecção e o aparecimento das primeiras formas detectáveis do agente infeccioso. Portador. Vetor Biológico. sendo esta pouco patogênica para o reservatório. "portador convalescente". (Prefiro usar os termos "profilaxia". O conceito de reservatório vivo. Ex. Doença primária dos humanos. É um artrópode.: a E. sem manifestar sintomas. quando ocorre doença e o portador pode contaminar outras pessoas em diferentes fases. Ex. molusco ou outro veículo que transmite o parasito entre dois hospedeiros. insetos) frequentar habitações humanas. Sinantropia. Ex. de alguns autores. erradicação ou controle de doenças ou fatos prejudiciais aos seres vivos. que pode ser transmitida aos animais.: esquistossomose mansoni-penetração de cercária até o aparecimento da dermatite cercariana (24 horas). É o conjunto de medidas que visam a prevenção. pela alteração do meio ambiente natural houve uma adaptação do animal que passou a ser capaz de conviver com o homem. Ex. Hospedeiro infectado que alberga o agente infeccioso. Vetor.: esquistossomose mansoni-período entre a penetração da cercária até o aparecimento de ovos nas fezes (formas detectáveis).: moscas. Ex. rapidamente. São o homem.: sinal de Romana.: Leishmania braziliensi tem urna patogenicidade alta. É quando o parasito se multiplica ou se desenvolve no vetor. Taenia saginata tem patogenicidade baixa. 43 dias. os animais. Virulência. Periodo Pré-Patente. mansoni. no T infestans. Exemplos: o T cruzi. histolytica pode provocar lesões severas. quando uso medidas contra uma doença já estabelecida e "prevenção". É a severidade e rapidez com que um agente infeccioso provoca lesões no hospedeiro. Sinal ou sintoma característico de uma doença. aproximadamente."portador temporário". típico da doença de Chagas. O humano é o principal hospedeiro. .

são conhecidas cerca de 100 zoonoses. raiva.: doença de Chagas. brucelose. Ex.Zoonose. . Doenças e infecções que são naturalmente transmitidas entre animais vertebrados e os humanos. Atualmente. toxoplasmose.