You are on page 1of 6

Balanço Energético em Caldeiras

Balanço Energético em Caldeiras
Rubens Stuginski Jr
rubens@upf.br
Universidade de Passo Fundo
Faculdade de Engenharia e Arquitetura
Engenharia Mecânica
Geração e Utilização de Vapor
junho/2013
Balanço Energético em Caldeiras
Sumário
1 Introdução
2 Balanços de Massa e Energia
Balanço de massa
Balanço de energia
Balanço de energia por unidade de massa de combustível
3 Energia Útil
4 Cálculo da Energia Perdida
5 Taxa de Evaporação e Rendimento Térmico
6 Recomendações Finais
Balanço Energético em Caldeiras
Introdução
Introdução
Objetivos:
Garantir controle do equipamento;
Melhor aproveitamento energético.
Necessidades:
Calor gerado na fornalha;
Calor absorvido pela água/vapor;
Calor associado aos gases de combustão;
Qualidade da combustão (Combustão parcial);
Calor perdido para o meio ambiente.
3
Balanço Energético em Caldeiras
Balanços de Massa e Energia
Balanço de massa
Balanço de Massa
Balanço de massa
_
_
Massa
que
entra
_
_
=
_
_
Massa
que
sai
_
_
4
Notas
Notas
Notas
Notas
Balanço Energético em Caldeiras
Balanços de Massa e Energia
Balanço de massa
Balanço de Massa
Fluxos:
Ar +combustível ⇒
Câmara de
combustão
⇒ Gases de exaustão
Água +Condensado ⇒
_
¸
¸
¸
¸
_
¸
¸
¸
¸
_
Vapor
Purgas
Sopradores de fuligem
Vapor para nebulização
. . .
5
Balanço Energético em Caldeiras
Balanços de Massa e Energia
Balanço de energia
Balanço de Energia
Balanço de energia ou 1
a
lei da termodinâmica
_
_
Energia associada
aos fluxos mássicos
que entram
_
_
=
_
_
Energia associada
aos fluxos mássicos
que saem
_
_
Basicamente:
Energia = ˙ mc
p
∆T
ou
Energia = ˙ m∆h
6
Balanço Energético em Caldeiras
Balanços de Massa e Energia
Balanço de energia
Balanço de Energia
Lado do combustível
Energia liberado pelo combustível (combustão);
Energia associada aos fluxos mássicos de ar e combustível;
Energia associada à umidade do ar, vapor de nebulização,
sopradores de fuligem, etc;
Energia associa a outros fluxos...
Energia total fornecida ( ˙ q
f
)
˙ q
f
= ˙ m
cb
(PC
s
+∆h
cb
)
. ¸¸ .
Combustão
+ ˙ m
ar
(∆h
ar
+w
ar
∆h
vp
)
. ¸¸ .
Ar de combustão
+· · ·
Note o PC
s
é usado no lugar do PC
i
. A Energia Disponível na
Câmara de Combustão considera PC
i
.
7
Balanço Energético em Caldeiras
Balanços de Massa e Energia
Balanço de energia
Balanço de Energia
Energia disponível ( ˙ q
d
)
˙ q
d
= ˙ m
cb
(PC
i
+∆h
cb
)
. ¸¸ .
Combustão
+ ˙ m
ar
(∆h
ar
+w
ar
∆h
vp
)
. ¸¸ .
Ar de combustão
+· · ·
˙ q
f
- Energia total fornecida [kW]
˙ q
d
- Energia disponível na fornalha [kW]
PC
s
- Poder calorífico superior [kJ/kg]
PC
i
- Poder calorífico inferior [kJ/kg]
˙ m
cb
- Fluxo mássico de combustível [kg/s]
˙ m
ar
- Fluxo mássico de ar de combsutão [kg/s]
w
ar
- Umidade absoluta do ar [kg/kg ar seco]
∆h
cb
- Entalpia do combustível [kJ/kg]
∆h
ar
- Entalpia do ar de combustão [kJ/kg]
∆h
vp
- Entalpia do vapor presente no ar [kJ/kg]
8
Notas
Notas
Notas
Notas
Balanço Energético em Caldeiras
Balanços de Massa e Energia
Balanço de energia por unidade de massa de combustível
Balanço de energia por umidade de massa de combustível)
Energia total fornecida (q
f
)
q
f
= (PC
s
+∆h
cb
)
. ¸¸ .
Combustão
+(∆h
ar
+w
ar
∆h
vp
)
. ¸¸ .
Ar de combustão
+· · ·
Energia disponível (q
d
)
q
d
= ˙ m
cb
(PC
i
+∆h
cb
)
. ¸¸ .
Combustão
+m
ar
(∆h
ar
+w
ar
∆h
vp
)
. ¸¸ .
Ar de combustão
+· · ·
Atenção O uso do PC
s
ou PC
i
implicará em mudanças no balanço
de massa e energia do gás de exaustão.
9
Balanço Energético em Caldeiras
Energia Útil
Energia útil
Onde a energia é utilizada?
1
No gerador de vapor;
2
No economizador (pré-aquecimento da água);
3
No super-aquecedor (quando disponível);
4
No reaquecedor (quando disponível).
Atenção: A energia ganha no pré-aquecedor de ar deve ser constar
no balanço térmico do lado do combustível.
10
Balanço Energético em Caldeiras
Energia Útil
Enegia útil
Energia útil: Energia que sai no vapor!
˙ q
u
= ˙ m
v
(h
v
−h
a
)
˙ q
u
- Energia útil [kW]
˙ m
v
- Fluxo mássico de vapor gerado [kg/s]
h
v
- Entalpia do vapor gerado [kJ/kg]
h
a
- Entalpia da água de alimentação [kJ/kg]
Note:
˙ m
v
= ˙ m
a
− ˙ m
pg
− ˙ m
n
−· · ·
˙ m
a
- Fluxo mássico de água de alimentação [kg/s]
˙ m
pg
- Fluxo mássico das purgas [kg/s]
˙ m
n
- Fluxo mássico de vapor de nebulização [kg/s]
· · · - · · ·
11
Balanço Energético em Caldeiras
Energia Útil
Enegia útil
A entalpia do vapor
h
v
= h
s
= (1 −x)h
ls
+xh
vs
h
v
- Entalpia do vapor que deixa a caldeira [kJ/kg]
h
s
- Entalpia do vapor que deixa a caldeira [kJ/kg]
h
ls
- Entalpia do líquido saturado [kJ/kg]
h
vs
- Entalpia do vapor saturado [kJ/kg]
x - Título do vapor
12
Notas
Notas
Notas
Notas
Balanço Energético em Caldeiras
Energia Útil
Enegia útil
Com aproveitamento do condensado a entalpia da água de
alimentação fica:
˙ m
ag
h
ag
+ ˙ m
cd
h
cd
= ( ˙ m
ag
+ ˙ m
cd
)h
m
h
m
=
˙ m
ag
h
ag
+ ˙ m
cd
h
cd
( ˙ m
ag
+ ˙ m
cd
)
˙ m
ag
- Massa de água de reposição (fria) [kg/s]
˙ m
cd
- Massa de condensado [kg/s]
h
ag
- Entalpia da água de reposição [kJ/kg]
h
cd
- Entalpia do condensado [kJ/kg]
13
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo da Energia Perdida
Fontes de perdas:
Gases de combustão Secos: CO
2
, SO
2
, N
2
, O
2
, . . . ;
Umidade (H
2
O) presente nos gases de exaustão: (combustão
+ umidade do ar);
Cinzas;
Combustão parcial. Aparece CO nos gases de combustão;
Purgas e vapor de nebulização;
Perda de calor pelas paredes/isolantes.
14
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo das perdas
Gases de combustão secos: CO
2
, SO
2
, N
2
, O
2
,. . .
˙ q
gs
= ˙ m
cb
_
q
CO
2
+q
SO
2
+q
N
2
+q
O
2
_
ou
q
gs
=
_
q
CO
2
+q
SO
2
+q
N
2
+q
O
2
_
por kg de combustível
Detalhando:
q
CO
2
= m
CO
2
∆h
CO
2
= 44
_
c
12
_
. ¸¸ .
massa de CO
2
∆h
CO
2
q
SO
2
= m
SO
2
∆h
SO
2
= 64
_
s
32
_
. ¸¸ .
massa de SO
2
∆h
SO
2
15
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo das perdas
q
N
2
= m
N
2
∆h
N
2
= (n +0,7685 e m

ar
)
. ¸¸ .
massa de N
2
∆h
N
2
q
O
2
= m
O
2
∆h
O
2
= 0,2315(e −1)m

ar
. ¸¸ .
massa de O
2
∆h
O
2
Assim:
q
gs
= 44
_
c
12
_
∆h
CO
2
+64
_
s
32
_
∆h
SO
2
+(n +0,7685 e m

ar
) ∆h
N
2
+0,2315(e −1)m

ar
∆h
O
2
ou
q
gs
≈ m
gs
c
par
(T
g
−T
o
) Forma muito simplificada
16
Notas
Notas
Notas
Notas
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo das perdas
Calor perdido com a umidade
Umidade formada na combustão q
hcb
= 18
_
h
2
_
∆h
vp
Unidade do combustível q
ucb
= 18
_
w
18
_
∆h
vp
;
Umidade que entra com o ar de combustão
q
war
= (w
ar
e m

ar
) ∆h
vp
;
Vapor de nebulização (somente combustíveis líquidos)
q
vn
= v
n
∆h
vp
;
Vapor do soprador de fuligem (quando existir) q
sf
= v
sf
∆h
vp
;
. . .
˙ q
um
= ˙ m
cb
(q
hcb
+q
ucb
+w
war
+q
vn
+q
sf
+· · · )
17
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo das perdas
Calor perdido com a umidade
q
um
=
_
18
_
h
2
+
w
18
_
+w
ar
e m

ar
+v
n
+v
sf
+· · ·
_
∆h
vp
+ 2440 (v
n
+v
sf
)
. ¸¸ .
Entalpia de mudança de fase
dos fluxos de vapores de utilidades
+ 2440 (9h +w)
. ¸¸ .
Entalpia de mudança de fase
dos produtos de combustão
18
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo das perdas
Outras perdas
Calor perdido com as cinzas
˙ q
cz
= z ˙ m
cb
∆h
cz
q
cz
= z ∆h
cz
⇐= por 1 kg comb.
Calor perdido com combustível não queima e combustão
parcial
˙ q
cp
= ˙ m
cb
(q
Cnq
+q
CO
)
q
cp
= C
nq
(33900 +∆h
C
) +126V
gs
%CO ⇐= por 1 kg comb.
Calor perdido com as purgas
˙ q
pg
= ˙ m
pg
(h
ls
−h
a
) =⇒ q
pg
=
˙ m
pg
˙ m
cb
(h
ls
−h
a
)
19
Balanço Energético em Caldeiras
Cálculo da Energia Perdida
Cálculo das perdas
Perdas por radiação e convecção
difíceis de ser calculadas;
exigem modelagem especial;
cada caso é um caso;
não é possível realizar tratamento genérico
Cálculos aproximados indicam de 0,5% a 1% do calor total
disponível.
em caldeiras pequenas normalmente situa-se entre 1% e 3%.
20
Notas
Notas
Notas
Notas
Balanço Energético em Caldeiras
Taxa de Evaporação e Rendimento Térmico
Taxa de evaporação e Rendimento Térmico
Taxa de evaporação
m
v
=
Massa de vapor gerado num intervalo de tempo
Combustível consumido nesse intervalo de tempo
m
v
=
˙ m
v
˙ m
cb
21
Balanço Energético em Caldeiras
Taxa de Evaporação e Rendimento Térmico
Taxa de evaporação e Rendimento Térmico
Rendimento Térmico
η =
Energia realmente aproveitada
Energia investida no equipamento
Energia investida
energia disponível ⇒ baseada no PC
i
;
energia fornecida ⇒ baseada no PC
s
;
Baseado na energia disponível:
η =
_
˙ q
u
˙ q
d
_
100 =
_
1 −
˙ q
p
˙ q
d
_
100
Valores aproximados fornece:
η =
˙ m
v
(h
v
−h
a
)
˙ m
cb
PC
i
Na energia útil não foi computada a energia absorvida
pelo reaquecedor.
22
Balanço Energético em Caldeiras
Recomendações Finais
Outros Pontos Importantes
Para obtenção de um bom desempenho:
Tratamento químico da água para manter os níveis de sólidos
dentro das especificações.
Manutenção periódica de limpeza dos tubos para livrar as
incrustações em parte causada pela má qualidade da água.
Provoca:
queda no rendimento térmico;
superaquecimento localizado; ⇒ redução da resistência
mecânica
aumento do risco de acidentes devido a rupturas de tubos
aumento do risco de corrosão;
Queimar adequadamente o combustível, utilizando o mínimo
de excesso de ar;
23
Balanço Energético em Caldeiras
Recomendações Finais
Outros Pontos Importantes
Operar com pressão e temperatura dentro do permitido;
Manter a instrumentação e dispositivos de controle da caldeira
em bom estado;
Treinar adequadamente o pessoal para operar e manter a
caldeira em bom funcionamento.
24
Notas
Notas
Notas
Notas