You are on page 1of 23

DOUTRINA DOS ANJOS

Por Fabio José da Silva No decorrer da história da humanidade, o homem com frequência tem se perguntado se é o único ser inteligente no universo, e se a vida tal como a conhecemos está limitada comente ao Planeta Terra unicamente. Um dos campos de investigação cientifica mais recentes é a busca de vida em outros planetas. Ele tem envido mensagens em código a lugares desconhecidos do espaço por meio de telescópios radiais. Os cientistas esperam ansiosamente resultados de sua sondagem audaz. Será que seus sinais serão recebidos por ouvintes não terrestres? Se existe vida fora do planeta terra, será esta amigável ou inimiga? A luz de tudo isso é trágico que o homem não se volte para a Palavra de Deus em sua busca, porque a Bíblia contesta esta pergunta claramente, assim como todas as demais perguntas que inquietam a humanidade. Existe vida inteligente no universo? Existe outras criaturas viventes e racionais lá fora além do homem? Se supormos que sim: São estas amigáveis ou inimigas? São ambas as coisas? Sua civilização será ela mais antiga que a nossa? E se for será que algum dia aprenderemos a nos comunicar com ela? Não somente nos comunicaremos como já alguns seres humanos já as conheceram e falaram com elas. Quem são estas criaturas cósmicas? Se chamam anjos. A crença nos anjos se encontram na história de todas as civilizações e nações. Os egípcios os fenícios e gregos antigos e outros, todos expressaram sua crença nos anjos. A.S. Joppie escreve em sua obra “Tudo sobre os Anjos”: “Os maometanos creem nos anjos. Acreditam que existe dois anjos designados para cada pessoa. O anjo da direita registra todas as suas boas ações. Já o anjo da esquerda registra todas as suas más ações. Os hebreus ensinavam que havia quatro grandes anjos: (1) Gabriel, revelador dos segredos de Deus aos homens. (2) Miguel, que lutou contra os inimigos de Deus e se vingou deles. (3) Rafael, é quem recebe os espíritos que saem dos mortos. (4) Uriel, será aquele que chamará a todos no juízo.” (All About Angels, p. 43) (tradução livre). No livro apócrifo (deuterocanônico) existe um relato sobre um anjo chamado Rafael. O jovem que o anjo estava acompanhando estava em grande perigo de ser devorado por um grande peixe. O anjo o salvou. Então disse ao jovem que usasse o coração e o fígado do peixe contra a influência demoníaca, e o fel para a enfermidade dos olhos, etc.

Segundo a lenda muçulmana, quando Maomé foi levado ao céu, veio até ele um anjo com “70.000 cabeças; cada uma delas tinha 70.000 faces; cada face tinha 70.000 bocas; cada boca tinha 70.000 línguas, e cada língua fala 70.000 idiomas “. Isso daria um total de mais de 31.000 bilhões de idiomas e quase 5.000 milhões de bocas. A evidência arqueológica mais antiga sobre os anjos atualmente aparece no código de Ur-Nammus (2250 a.C.), que mostra anjos voando sobre a cabeça do rei enquanto este estava orando. Enfim chega de tradição e história. O que a Bíblia diz sobre os anjos?

I.

A existência dos anjos.
Trinta e quatro livros da Bíblia falam mencionam sobre os anjos, tendo uma soma de 273 vezes (108 no AT e 165 no NT)1. (Cf. Sl 91:11; At 12:22; Sl 104:4; Sl 148:2).

II.

A origem dos anjos.
A. A fonte de sua origem.
Os anjos, como todos os demais seres do universo, foram feitos por Deus o Pai, mediante Jesus Cristo e na ação do Espírito Santo. (Ver Gn 1:1-2; 2:1; Ne 9:6; Jo 1:1-3; Ef 3:9; Cl 1:16).

B. O método de sua origem. Os anjos como o homem foram criados por um ato especial de Deus. Não Evoluíram. (Ver Sl 148:2-5).
Portanto, cada anjo é uma criação direta de Deus. Talvez seja por isso que se referem a eles como filhos de Deus (Gn 6: 2-4; Jó 1:6; 2:1). A palavra filho parece indicar uma criação direta de Deus, assim como Adão foi chamado “filho de Deus” (Lc 3:38). Este termos é utilizado para os crentes, já que são criados de novo em Cristo, individualmente como filhos de Deus (Jo 3:3; Gl 3:26; Ef 2:8-10; 4:24; 1Jo 3: 1-2). Seu número completo foi fixado na criação para sempre. Isto é deduzido porque não se relata na Bíblia que Deus criou mais, e Jesus disse que não se reproduzem (Mt. 22:30). Ademais, também é afirmado que estes não podem morrer (Lc. 20:36), concluímos que o número original jamais aumentará ou será reduzido sua quantidade. Por este motivo devem ser considerados companhia de seres, e não uma raça.

C.

O momento de sua origem.
“Então o Senhor respondeu a Jó do meio da tempestade. Disse ele: "Quem é esse que obscurece o meu conselho com palavras sem conhecimento? Prepare-se como simples homem; vou fazer-lhe perguntas, e você me responderá. "Onde você estava quando lancei os alicerces da terra? Responda-me, se é que você sabe tanto. [...]

1

Esta soma é baseada na versão da Bíblia em Inglês King James. Já na versão espanhola Reina-Valera, 1960, os anjos são mencionados 114 vezes no AT e 174 no NT. Cabe ressaltar que, as versões espanholas as vezes se referem aos anjos também como “espíritos”, “mensageiros”, “ministros”, “carros”, “santos”, “serafins” e “querubins”. (Anotações minhas)

enquanto as estrelas matutinas juntas cantavam e todos os anjos se regozijavam?” (Jó 38:1-4, 7). Nestes versículos Deus declara que a criação dos anjos aconteceu antes da criação do mundo.

D.

O propósito de sua origem.
Os anjos foram criados para glorificar a Jesus Cristo. (Ver Cl 1:16; At 1:6; Ap 4:11).

III.

A natureza dos anjos.
A. São seres espirituais. (Ver Sl 104:4; At 1:7, 14)
Embora Cristo mesmo nos informou que os seres espirituais não tem carne e ossos (Lc 24:39), prova isso que os anjos não tem nenhum tipo de corpo? Parece que não, porque teólogos devotos e capacitados tem expressado ambas opiniões sobre este assunto nos séculos passados. Portanto, não se pode ser dogmático quanto a isto. Alguns tem apontado 1 Cor 15:40 como uma indicação estes possuem corpos: Há corpos celestes e há também corpos terrestres; mas o esplendor dos corpos celestes é um, e o dos corpos terrestres é outro. 1 Coríntios 15:40 De qualquer forma, em duas ocasiões específicas se relata que os anjos tomaram alimento físico (Gn 18: 1-8; 19:1-3) e em uma ocasião em que usaram a força física (At 12:7).

B.

São seres invisíveis.
Embora algumas vezes se manifestam, normalmente permanecem invisíveis. Uma razão básica disto é evitar que os homens, tanto não salvos como os salvos, os adorem. (Ver Rm 1:18-32; Cl 2:18; Ap. 19:10; 22:9.)

C.

São inumeráveis.
Somente Deus conhece sua quantidade, nós seres humanos sabemos somente que eles inumeráveis. Pode ser que existam tantos anjos como existe estrelas nos céus, porque os anjos estão associados com as estrelas. (Jó 38:7; Sl 148:13; Ap 9:1-2; 12:3-4,7-9). Sendo assim, existiriam bilhões incontáveis destes seres celestiais. Marcos 5:9 nos dá uma ideia de uma grande quantidade de anjos que existe, pois Satanás atribuir a 6.000 dos caídos para atormentar um pobre lunático. Veja também: Ele disse: "O Senhor veio do Sinai e alvoreceu sobre eles desde o Seir, resplandeceu desde o monte Parã. Veio com miríades de santos desde o sul, desde as encostas de suas montanhas. Deuteronômio 33:2. Sem dúvida que os “santos” aqui são os anjos. (Veja também Dn 7:9-10; Sl 68:17; Mt 26:53; At 12:22; Ap 5:11). Um dos motivos (talvez o motivo principal) da dispensação da graça de Deus a todos os pecadores arrependidos se encontra nas palavras de Paulo na carta aos Efésios: “Para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus”. Efésios 2:7. Não é de duvidar que grande parte desta mostra de graça será

para o benefício dos anjos. Portanto, se seu número é tão grande como parece, então cada pecador redimido terá uma enorme congregação de milhões e milhões de anjos a quem pregar e testemunhar.

D. Possuem personalidade distinta e individual; provavelmente não existem dois iguais.
Possuem três características a saber:

1. 2. 3.

Inteligência (Dn 9:21-22; 10:14; Ap 19:10; 22:8-9); Vontade (Is 14:12-15; Jd 6); Emoção. Expressam gozo (Jó 38:7; Lc 2:13) e desejo (1Pd 1:12).

E. São superiores aos homens (por causa da queda de Adão). (Veja Sl 8:4-5; At 2:6-11).
1. 2. 3. São mais fortes que os homens. (Sl 103:20; 2Ts 1:7; 2Pd 2:11). São mais inteligentes que os homens. (Dn 9:21-22; 10:14). São mais velozes que os homens. (Dn 9:21; Ap 14:6).
Sua superioridade nestas áreas parecem surgir de duas coisas: a) b) Não ser prejudicado por uma natureza caída; Não estar limitado pelas leis da gravidade e do tempo;

F.

No entanto, são inferiores a Deus.
1. Não são onipresentes (Dn 10:12).
O anjo relatado em Daniel capitulo 10 estava no céu no momento da oração de Daniel e foi enviado por Deus para o ajudar.

2.

Não são onipotentes (Dn 10:13; Jd 9).
Este mesmo anjo estava sob pressão satânica, o que lhe impediu por três semanas.

3.

Não são oniscientes. (Mt 24:36).

G. Do mesmo modo que o homem, puderam ter sido criados com a imagem de Deus.
De que maneira o homem foi criado a imagem de Deus? Muitos estudiosos sugerem que esta imagem consistem em duas coisas: personalidade e santidade.

1. A Personalidade concede a capacidade básica de ter comunhão com a pessoa de Deus, porque somente as pessoas reais podem ter comunhão. 2. A Santidade provê o requisito para disfrutar dessa comunhão porque duas pessoas não podem ter comunhão a não ser que estejam moralmente de acordo. (At 12:14).
Se a definição anterior é correta, então pode-se dizer também que os anjos foram criados a imagem e semelhança de Deus.

IV.

A classificação moral dos anjos.

Acredita-se que todos os anjos foram criados originalmente sem falta e, e como Adão no jardim, tiveram algum tipo de prova. Sua categoria teológica durante esse tempo era posse non pecarre (capazes de não pecar). Porém o período de prova terminou quando o anjo principal do céu, Lúcifer, instigou uma grande rebelião contra o Senhor Deus Javé. (ver: Is 14:12-15; Ez 28:11-19). Apocalipse 12:3-4 sugere que pode persuadir um terço dos anjos do céu a se unir a Ele nesta terrível rebelião. Os que fizeram entraram na categoria de non posse non pecarre (incapazes de não pecar), enquanto que os dois terços restantes foram declarados na de non posse pecarre (Incapazes de pecar). Daqui em diante fala-se de dois anjos fiéis como santos e escolhidos (Mc 8:38; 1Tm 5:21), enquanto que os anjos caídos, são conhecidos como anjos do diabo (Mt 25:41; Ap 12:9).

V.

Características dos anjos fiéis.
A. Sua Posição.
1. Os Arcanjos.
a) Miguel. Seu nome significa “Quem como Deus”. Isto deveria se contradizer com o desejo maligno de Satanás de ser “semelhante ao Altíssimo” (Is 14:14). A Bíblia menciona o nome de Miguel em quatro ocasiões: (1) Ajuda um anjo de uma posição menor a responder a oração de Daniel (Dn 10: 13,21). (2) Acompanhará Israel durante a tribulação (Dn 12: 1). (3) Disputa com Satanás pelo corpo de Moisés (Jd 9). (4) Luta contra Satanás no céu (Ap 12:7). Gabriel. Seu nome significa “o poderoso de Deus ou o homem forte de Deus”2. (1) Explicou a visão do carneiro e do bode a Daniel (Dn 8:16). (2) Explicou as setenta semanas a Daniel (Dn 9:21). (3) Anunciou o nascimento de João Batista a Zacarias (Lc 1:19). (4) Anunciou o nascimento de Jesus a Maria (Lc 1:26). (5) (6) (7) Assegurou José sobre a pureza de Maria (Mt 1:20). Advertiu José sobre o complô de Herodes (Mt 2:13). Disse a José sobre a morte de Herodes (Mt 2:19). Alguns estudiosos da Bíblia tem identificado Gabriel com as diferentes aparições do Anjo do Senhor nas páginas restantes do Novo Testamento. Sendo assim Gabriel aparece nas 10 ocasiões seguintes.

b)

2

Butler, Trent C. Editor, Holman Bible Dictionary, Broadman & Holman, 1991, verbete Gabriel

(8) (9)

Anuncia o nascimento de Cristo aos pastores (Lc 2:9). Fortalece Cristo no jardim de Getsemani (Lc 22:43).

(10) Retira a pedra depois da ressurreição de Cristo (Mt 28:2). (11) Liberta os Apóstolos da prisão (At 5:19). (12) Manda Felipe ao deserto de Gaza para se encontrar com o Eunuco (At 8:26). (13) Disse a Cornélio para que mandasse buscar a Pedro (At 10:3). (14) Liberta Pedro da Prisão (At 12:7). (15) Executa o malvado Herodes por blasfêmia (At 12: 23). (16) Reconforta Paulo no convés do barco que está afundando (At 27:23). (17) Tocará a trombeta no dia do Arrebatamento (1Ts 4:16).

2.

Os Querubins (Gn 3:24; Ex 25:18-20; Ez 1:4-28; 10:1-22).
a) A descrição dos querubins: (1) Cada um tem quatro rostos. (a) O rosto dianteiro é como o de um homem; (b) O rosto da direita é como o de um leão; (c) O rosto da esquerda é como o de um boi; (2) (d) O rosto posterior é como de uma águia; Cada um tem dois pares de asas. (a) Um par se estende até a metade das costas.e (b) O outro par é usado para cobrir o corpo; Estas asas fazem um ruído como o das ondas que se quebram contra a praia.

b)

(3) Tem pernas de homem, porém seus pés estão divididos como as patas dos bezerros, e brilham como bronze polido. (4) Tem quatro mãos humanas debaixo de cada asa. (5) Aparentemente vão em grupos de quatro. As asas estendidas de cada querubim tocam aquelas dos três restantes, de modo que formam um quadrado. Quando se movem, o fazem em grupo, sem girar os corpos. Os deveres dos querubins. (1) Impediram que Adão chegasse até a árvore da vida depois da queda, para que não comessem dele e vivessem para sempre em seu pecado (Gn 3:24). Nota: existe uma analogia interessante entre os querubins guardiões da entrada do paraíso e os touros e leões alados da Babilônia e Assíria, figuras colossais com rostos humanos guardando as entradas dos templos e palácios. Ambas as nações ocuparam a localização onde pode ter se situado o jardim do Édem

original, alguns até afirmam que estes querubins são cópias pervertidas dos querubins verdadeiros. (2) Dois querubins de ouro foram construídos por ordem de Deus e colocados um em cada extremidade superior da tampa da Arca no lugar Santíssimo do Tabernáculo (Ex 25:1820; At 9:5). (3) Apareceram a Ezequiel (Ez 1:10). (4) Antes de sua queda, Satanás (conhecido então como Lúcifer) era o principal anjo querubim (Is 14:12; Ez 28:14).

3.

Os Serafins (Is 6:1-7).
A palavra hebraica para serafins significa “os que queima”, e provavelmente se refere a devoção ardente a Deus referente estes seres angelicais. Estes seres são mencionados somente uma vez na Bíblia. Sua descrição e seus deveres são os seguintes: a) Possuem seis asas. Duas são utilizadas para cobrir seu rosto, duas para cobrir seus pés e duas para voar. b) Proclamam a majestade de Deus em um grande coro, cantando: “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia de sua glória” (Is 6:3). c) O impressionante som de seus grandes louvores estremece o fundamento do templo celestial. d) Isaías, o grande profeta, viu tudo isso em uma visão. Imediatamente sente uma convicção quanto a seu próprio pecado e ao pecado da nação de Israel. e) Um dos serafins lhe ministra, voltando ao altar celestial e tomando na mão uma brasa incandescente como uma tenaz (pinça). Então tocou os lábio de Isaias como ele e disse: “A partir do momento em que isto tocou os teus lábios, a tua falta está removida, teu pecado está apagado3” (Is 6:7).

4.

Os seres viventes (Ap 4:6-9; 5:8; 6:1,3,5,7).
Estes seres celestiais especiais tem algumas semelhanças tanto com os querubins como com os serafins, porem parecem estar em uma classe a parte. Parece estar limitado ao número de quatro. Alguns estudiosos sugerem que estes possuem os privilégios e as responsabilidades que uma vez foram designadas a Lúcifer, antes de se converter no diabo.

3

O termo utilizado aqui como apagado muitas vezes é traduzido por expiado ou perdoado, tem um sentido técnico que se refere a absolvição do pecado (cf. Ex 29: 36-37; Is 22:14; Jr 18:23). A palavra Kippur (cf. Lv 16 tem a mesma raiz).

a) O apostolo João ve estes quatro parados diante do brilhante mar de cristal no céu que está ao redor do trono de Deus. b) Estão coberto de olhos, tanto na frente como atrás. c) Cada um tem uma cara diferente. (1) Um tem a cara de um Leão; (2) Um tem a cara de um Boi; (3) Um tem a cara de um Homem; (4) Um tem a cara de uma águia; d) Cada Criatura tem seis asas. Nota: Como já se tem dito, existem semelhanças entre os querubins e os seres viventes. Porém, podemos também notar diferenças. Os querubins possuem quatros rostos cada um, enquanto que os seres viventes somente tem um. Os querubins tem quatro asas cada um, enquanto que os seres viventes tem seis. e) Sem cessar dia e noite proclamam a adoração de Deus, dizendo: “Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus todo Poderoso, o que era, o que é e o que há de vir” (Ap 4:8). f) Cada um dos seres viventes anunciará um dos primeiros quatro grandes juízos da tribulação do livro com os sete selos (Ap 6:1,3,5,7). g) Alguns estudiosos sugerem que tanto o rosto dos querubins como o dos seres viventes servem para recordar ao eleitos por toda a eternidade os ministérios terrenos realizados pelo nosso bendito Senhor. Estes rostos correspondem a quadrupla apresentação de Cristo nos evangelhos. (1) Mateus o apresenta como o homem perfeito. (2) Marcos o apresenta como o Leão da Tribo de Judá. (3) Lucas o apresenta como o humilde touro. (4) João o apresenta como a poderosa águia divina.

5.

Anjos Governantes (Ef 1:21; 3:10; Cl 1:16; 2:10; 1Pd 3:22).
Estas passagens organização. a) b) c) d) e) f) mencionam as seguintes características de

Principados; Potestades; Tronos; Autoridades; Soberanias; Poderes; Embora seja impossível distinguir claramente os seis, é obvio, no entanto, que descrevem diversos níveis de posições governáveis designadas aos anjos, sendo talvez (usando uma analogia humana) desde gerais generais até soldados rasos.

6.

Anjos guardiães. (Anjo da Guarda)
A Bíblia não menciona se cada crente possui um anjo da guarda especifico ou se vários anjos simplesmente protegem e ajudam os herdeiros da salvação em diferentes momentos. (Ver Mt 18:10; At 1:14).

7.

Anjos associados com carros e cavalos.
Se alguns versículos da Bíblia são interpretados literalmente , temos que concluir que (apesar dos problemas envolvidos) que certos anjos trabalham em estreita colaboração com criaturas do reino animal no reino celestial (2Rs 2:11; 2Rs 6:17; Sl 68:17; Zc 1:8-11; Ap 19:14).

B.

Seu aspecto.
Já vimos uma descrição detalha dos querubins e dos serafins. Porém, quais são os aspectos gerais dos anjos? Cabe ressaltar que considerando seu deslumbrante esplendor e grande glória, não é difícil entender porque tantos homens não salvos (Cl 2:18) como salvos (Ap 19:10; 22:8,9) tem tentado adorar os anjos. Com base neste fato destacamos alguns textos que as Escrituras oferecem sobre as descrições dos anjos: “Sua aparência era como um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve”. Mateus 28:3 “Entrando no sepulcro, viram um jovem vestido de roupas brancas assentado à direita, e ficaram amedrontadas”. Marcos 16:5 “Ficaram perplexas, sem saber o que fazer. De repente dois homens com roupas que brilhavam como a luz do sol colocaram-se ao lado delas”. Lucas 24:4 “Então vi outro anjo poderoso, que descia do céu. Ele estava envolto numa nuvem, e havia um arco-íris acima de sua cabeça. Sua face era como o sol, e suas pernas eram como colunas de fogo”. Apocalipse 10:1 “Saíram do santuário os sete anjos com as sete pragas. Eles estavam vestidos de linho puro e resplandecente, e tinham cinturões de ouro ao redor do peito”. Apocalipse 15:6 “Depois disso vi outro anjo que descia do céu. Tinha grande autoridade, e a terra foi iluminada por seu esplendor”. Apocalipse 18:1

C.

Seus nomes e títulos.
1. 2. 3. 4. 5. Ministros (Sl 103:20-21; 104:4).
Isto representa seus deveres religiosos e seu serviço espiritual.

Hostes (Gn 32:1-2; Js 5:14; 1Sm17:45; Sl 89:8).
Este nome refere-se ao seu serviço militar.

Carros (2 Rs 6:16-17; Sl 68:17; Zc 6:5).
Isto pode referir-se a sua rapidez.

Vigilantes (Dn 4:13-17).
Refere-se sobre seus deveres como supervisores e agentes.

Filhos dos poderosos (Sl 29:1; 89:6).
Este título pode referir-se a sua impressionante fortaleza e poder.

6.

Filhos de Deus (Gn 6:2-4; Jó 1:6; 2:1; 38:7).
O doutor L.S.Chafer escreve: “Na fraseologia do AT as vezes os anjos são denominados como filhos de Deus, enquanto os homens são chamados de servos de Deus. No NT esta terminologia é vista de modo reverso. Os anjos são os servos e os cristãos são os filhos de Deus. Esta ordem peculiar deve-se ao fato de que no AT o homem é visto em uma esfera onde os anjos são seres superiores; enquanto que no NT se vê os santos em relação a seu estado final de exaltação a semelhança de Cristo, em um estado superior ao dos anjos”. (Teologia Sistemática, Tomo II, Publicações Espanholas, p. 443.) (tradução minha).

7. 8.

Santos (Sl 89:7; Dn 8:13; Zc 14:5).
Refere-se a sua separação total para a vontade de Deus.

Estrelas (Jó 38:7; Sl 148:2-3; Ap 12:3-4).
Isto pode indicar tanto o número como seu resplendor.

D.

Sua obra e ministério.
1. Sua atividade no céu.
a) Adoram a pessoa de Deus (1Rs 22:19; Sl 29:1-2; Is 6:3; Ap 4:8; 19:4). b) Observam o povo de Deus (Lc 12:8-9; 15:10; 1 Cor 4:9; 11:10; Ef 3:10; 1Tm 5:21; 1Pd 1:12). c) Investigam o plano profético de Deus (Dn 12:5-6). d) Regozijam-se nas obras de Deus. (1) Sua obra de criação (Jó 38:7; Ap 4:11); (2) Sua obra de redenção (1 Tm 3:16; Ap 5:11-12). e) Cumprem a vontade de Deus (Gn 28:12; Sl 103:29; 104:4; Dn 7:10). f) Testificam a ira de Deus (Ap 14:10).

2.

Suas atividades na terra.
a) Em relação com os salvos (Veja especificamente At 1:14; Ap 22:16). (1) Informam, instruem e interpretam tanto a vontade como a Palavra de Deus. As seguintes pessoas receberam este tipo de ministério dos anjos: (a) Daniel (Dn 7:16; 10:5:11); (b) Zacarias (O profeta) (Zc 1:9-14,19; 2:3; 5:5-10; 6:4-5). (c) Zacarias (Pai de João Batista)(Lc 1:11-17). (d) Maria (Lc 1:26-33). (e) José (Mt 1:20; 2:13-19); (f) Os pastores (Lc 2:9-13); (g) As mulheres no sepulcro vazio (Lc 24:4-7); (h) Os Apóstolos (At 1:10-11); (i) Filipe (At 8:26); (j) Cornélio (At 10:3-6) (2) (k) João (Ap 17:1, 21:9) Protegem (Sl 34:7; 91:11). (a) Os anjos protegeram Ló dos Sodomitas (Gn 19:10-11); (b) Os anjos protegeram Eliseu dos Sírios (2 Rs 6:15-17). Consolam (1Rs 19:5; At 27:23-24); Resgatam (At 5:19; At 12:7);

(3) (4)

(5) Ministram para o crente no momento da morte (Lc 16:22). b) Em relação aos não salvos. (1) Julgaram os egípcios (Ex 12:13,23); (2) Julgaram os sodomitas (Gn 19:13);

(3) (4) (5)

Julgaram os assírios (2 Rs 19:35); Julgaram Herodes (At 12:23);

c)

Julgarão a terra durante a tribulação. (a) Retém os quatro ventos do céu (Ap. 7:1); (b) Pronunciam os juízos das sete trombetas (Ap 8:2); (c) Lançam Satanás e seus anjos para fora do céu (Ap 12:7-8); (d) Anunciam o inferno eterno que esperam todos os incrédulos (Ap. 14:10). (e) Previram a queda da Babilônia (Ap 14:8). (f) Anunciam a queda da Babilônia (Ap 18:1-2). (g) Derramam os juízos das sete taças (Ap 15:1). (h) Anunciam o Armagedom (Ap 16:7). (i) Acompanham Cristo em sua segunda vinda (2Ts 1:7-8). (j) Reúnem os salvos para o inferno eterno (Mt 13:39-43). (k) Prendem Satanás no abismo (Ap 20:1). Em relação a Israel. (1) Os anjos lutaram por Israel (Jz 5:20); (2) Deram a lei a Israel (Dt 33:2; At 7:53; Gl 3:19; Hb 2:2). (3) Selam os 144.000 israelitas (Ap 7:1-3). (4) Voltaram reunir o Israel que permaneceu fiel (Mt 24:31). Em relação ao Salvador. (1) O adoram (Hb 1:6); (2) Foram criados por Ele e para Ele (Cl 1:17); (3) Predisseram o seu nascimento (Mt 1:20-21; Lc 1:31); (4) Anunciaram o seu nascimento (Lc 2:9-13); (5) Ajudaram a protege-lo (Sl 91:11; Mt 2:13); (6) Serviram-lhe no deserto (Mt 4:11); (7) Serviram-lhe no horto (Lc 22:43); (8) Retiram a pedra do sepulcro (Mt 28:2); (9) Anunciaram sua ressurreição (Mt 28:6); (10) Predisseram sua segunda vinda (At 1:10-11); (11) O acompanharam na segunda vida (2Ts 1:7-8); (12) Estão totalmente sujeitos a Ele (1Pd 3:22).

d)

E.

Seu Destino.
1. Passar a eternidade na Nova Jerusalém junto com os escolhidos (At 12:22-23; Ap 22:10-12); 2. Aprender no decorrer da eternidade sobre a graça de Deus mostrada pelos escolhidos (Ef 2:4-7; 3:10:11);

VI.

As Características dos anjos maus.
A. Os nomes dos Anjos Caídos.
1. Shedim. (Dt 32:17; Sl 106:37; 1 Co 10:20) – A palavra hebraica aqui nestes textos traduzida por demônios é shedim. 2. Seirim, Sair, Satyr (Lv 17:7; Is 13:21) – As palavras “bodes4” é satyr em hebraico, e expressa uma relação com algum tipo de criatura demoníaca.
O doutor Fred Dickson escreve: “Os hebreus tinham que sacrificar no altar do tabernáculo e não aos demônios-bezerros no deserto (LXX, daimonia). Jeroboão designou a adoração aos seirim (2Cr 11:15) e Josias “derrubou os altares das portas [shearim]”, que deve ler-se seirim (2Rs 23:8).” (Los ángeles: Escogidos y malignos, Editorial Portavoz, p.145).

3. Elilim (Sl 96:5). 4. Gad (Is 65:11). – A palavra “fortuna”é gad em hebraico.t 5. Qeter (Sl 91:5-6). – A frase “que no meio do dia destruía” pode referir-se a uma atividade demoníaca. 6. Os anjos do diabo (Mt 25:41; Ap 12:9). 7. Os anjos que não guardaram seu primeiro estado (2Pd 2:4; Jd 6). 8. Espíritos familiares (Dt 18:11; Is 8:10; 19:3). 9. Espíritos Imundos (Mt 10:1; Mc 1:27; 3:11; 5:13; At 5:16; 8:7; Ap 16:13). 10. Espíritos maus (Lc 7:21; At 19:12-13). 11. Espíritos Sedutores (1Tm 4:1). 12. Espíritos malvados (Lc 11:26). 13. Demônios.
A palavra daimon mais de setenta e cinco vezes no NT grego. Existem várias teorias sobre a origem dos demônios. Entre elas se encontram as seguintes:

4

Este termo aqui utilizado pelo profeta possui uma significação demoníaca (Is 34:14). Sobre os sátiros dançantes, cf. os saltantes satyri de Virgilio (Ecl.V. 73). Esta passagem da zoologia à demonologia é paralela à passagem do histórico para o cósmico. O profeta que fazer contrastar o luxo dos palácios com a desolação presente. (Bíblia TEB, 1994, p. 626).

a) São os espíritos dos homens maus que morreram. No entanto, isto não pode ser, porque a Bíblia declara que os mortos não salvos estão no Hades e não nos rodeando pela terra (Sl 9:17; Lc 16:23; Ap 20:13). b) São espíritos de uma raça pré-adâmica. Porém não existe nenhum fundamento Bíblico para este ponto de vista. A Bíblia declara que Adão foi o primeiros homens (1Cor 15:45). c) São espíritos da união antinatural entre os anjos e as mulheres em Gênesis 6. No entanto, este ponto de vista, como os anteriores, carece de um fundamento bíblico melhor. A conclusão mais lógica é que a palavra “demônio” é simplesmente outro título ou nome dos anjos caídos. Os :seguintes versículos descrevem as atividades dos demônios: Mt 4:24; 7:22; 8:16; 9:32; 10:8; 12:22; 15:22; 17:18; Mc 1:32-34,39; 3:13; 6:13; 9:38; 16:9,17; Lc 4:33,41; 8:2; 11:14; Jo 7:20; 8:48; 1 Cor 10:20-21; 1Tm 4:1 Tg 2:19; Ap 9:20.

B.

A Localização dos Anjos Caídos.
1. Os anjos que não estão acorrentados possuem uma medida de liberdade em nossa época atual (Sl 78:49; Ef 6:12; Ap 12:7-9). 2. Os anjos acorrentados não possuem nenhuma liberdade em nossa época atual.
a) b) c) Os anjos no inferno (2 Pd 2:4; Jd 6); Os anjos no abismo (Lc 8:31; Ap 9:1-2,11; 11:7; 17:8; 20:1-3). Os anjos presos junto ao Rio Eufrates (Ap 9:14);

C.

O pecado dos anjos presos.
Já foi observado acima que um terço dos anjos do céu se uniram a lúcifer em sua rebelião contra Deus. Supostamente estes, são os anjos caídos da Bíblia. Algum dia serão julgados por Deus e lançados no inferno da Geena. Porém, porque alguns deles estão trancados em prisões? Muitos estudiosos da Bíblia creem que a resposta se encontra em Gn 6:1-2,4. Existem muitas controvérsias em torno destes versículos. Quem eram os “filhos de Deus” que se casaram com as filhas dos homens? Existem duas interpretações básicas: A interpretação simples é que os filhos de Deus eram aqueles indivíduos descendentes de Set, enquanto que as filhas dos homens eram as mulheres não salvas que pertenciam a linhagem de Caim. A segunda interpretação é mais complicada, ou seja, afirma-se que os filhos de Deus eram seres angelicais maus e caíram pelo fato de terem cometido atos físicos imorais e antinaturais com as mulheres em geral.

1.

Argumentos básicos para a primeira posição.
a) Esta é a forma mais natural de se interpretar esta passagem. b) A declaração de Jesus em Mt 22:30; c) A lei da biogêneses: uma vida gera outra vida. Note-se a frase “segundo o seu gênero ou sua espécie” em Gn 1:11-12, 21,24-25. d) A declaração de Paulo em 1 Cor 15:38-40, indicaria que os dois nunca poderiam unir-se. e) Moisés não utilizou o termo hebraico normal para anjos (malak) que depois é utilizada pelo menos 28 vezes no Pentateuco. f) “Os Valentes” (suposta descendência dos anjos e mulheres) é o termo hebraico gibbor (Gn 6:4) que é utilizada dezenas de vezes no AT e sempre se refere a homens humanos (Jz 6:12).

2.

Argumentos básicos para a segunda posição.
a) A linguagem hebraica parece favorece-la. (1) A frase hebraica bne-elohin (filhos de Deus) sempre refere-se aos anjos no AT (Jó 1:6; 2:1; 38:7; Dn 3:25). (2) A palavra hebraica nephilim (traduzida por “gigantes” em Gn 6:4) na realidade deveria ser “os caídos”. A palavra normalmente usada para homem enorme é rapha. Os homens como Ogue e Golias foram descritos com a palavra rapha (Dt 3:11; 1 Cr 20:6). Lendas pagãs antigas. Quase sempre uma base para as lendas antigas comuns, por estranhas e distorcidas em nossa volta. Em 6:4 lemos sobre “varões de fama”, que alguns acreditam ser a base histórica para as lendas de Hércules e outros filhos dos deuses da mitologia. Também corresponde a figuras babilônicas tais como Gilgamesh, o suposto filho de uma deusa e um mortal. Era chamado de “metade Deus e metade homem”. A opinião dos judeus eruditos. Josefo, um grande historiador judeu, ressaltou isto em seus escritos. A Septuaginta (a tradução grega do AT hebraico e a Bíblia utilizada pelos judeus) traduz Gn 6:2 como os “anjos de Deus”. A interpretação da igreja primitiva. Não foi senão até o século IV que se ofereceu outro ponto de vista oposto ao da teoria dos anjos. O falecido Dr James M. Gray (ex presidente do Instituto Bíblico Moody) escreveu: “Há razões para crer que este ponto de vista não teria mudado... senão tinha sido por certas opiniões e práticas errôneas do cristianismo” (Spiritism and Fallen Angels). Gray sugere duas destas razões: (1) A adoração dos anjos. Em algum momento depois do século IV, a Igreja começou a adorar os anjos, assim que o mais natural

b)

c)

d)

seria negar que qualquer anjo faria coisas tão vil com a humanidade. (2) O celibato. Se estes filhos de Deus eram realmente homens humanos, então os monges e padres teriam justificação bíblica para participar de atos sexuais apesar de seus votos oficiais de celibato.

e)

Várias passagens neotestamentárias (1Pd 3:18-20). Alguns pensam que estes espíritos eram os filhos de Deus de Gn 6. O motivo de sua iniquidade foi uma tentativa satânica de corromper a carne humana e assim evitar que a encarnação prometida (Gn 3:15) fosse levada a cabo. Porém, aqui Pedro mostra Cristo dizendo-lhes que seu plano maléfico não havia funcionado. Para outras passagem sobre o tema veja Jd 5-7.

f) O fato de que existe dois anjos caídos, os que estão soltos e os que estão presos. Os soltos agora possuem acesso aos lugares altos e aos corpos dos homens salvos (Mc 1:23; Lc 8:27; Ef 6:12). Os presos estão encarcerados atualmente (2 Pd 2:4; Jd 5-7). A ideia é que estão presos por sua participação em Gn 6. Concluindo deveria se notar que recentemente se tem proposto um terceiro ponto de vista onde se diz que os filhos de Deus realmente eram anjos caídos que controlaram e possuíram totalmente os homens malvados que viveram antes do dilúvio. Estes demônios até poderiam ter tentado mudar (por meio da engenharia genética, como a que vemos hoje), o código DNA dos futuros bebês como algum tipo de vírus mortal.

D. 30).

A organização e a classificação dos anjos caídos (Ef 6:12; Mt 12:24Estes versículos indicam que o reino dos anjos maus de Satanás está tão organizado como o grupo angelical escolhido por Deus.

1. Existem anjos maus que governam as nações deste mundo Dn 10:13). 2. O anjo mau chamado legião encabeçava um grande grupo de espíritos caídos que haviam possuído o endemoniado gadareno (Mc 5:9). 3. O abismo é controlado por um anjo chamado Abadom (em hebraico) e Apoliom (em grego); (Ap 6:11). 4. Quatro anjos militares conduziram um exercito infernal de 200 milhões durante a última parte da tribulação (Ap 9:15). 5. Três anjos organizam os acontecimentos que levam a batalha do Armagedom (Ap 16:13-14).

E.

O aspecto dos Anjos caídos.
Os anjos caídos como os anjos bons, são seres espirituais e invisíveis. No entanto, as vezes se manifestam. Existem 03 passagens do NT que nos oferecem uma descrição destas criaturas corrompidas:

1. Apocalipse 9:7-10 – A forma destas criaturas é absolutamente horrível. São como cavalos preparados para a batalha. Parecem ter coroas de ouro na cabeça. Seu rosto é como de homem, seu cabelo como de mulher, seus dentes como de leão. Tem couraças como que de ferro. Sua cauda é como a de um escorpião e o ruído de suas asas é como o de muitos carros correndo para a batalha. 2. Apocalipse 9:13-21 – Estes demônios estão montados sobre uma espécie de cavalo infernal. A cabeça dos cavalos parece a cabeça de um leão, com fumaça, fogo e enxofre saindo de sua boca. Os cavaleiros usam couraças de um vermelho vivo. 3. Apocalipse 16: 13 - Então vi saírem da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs.

F.

A personalidade dos anjos caídos.
O autor John Phillips escreve: “O homem moderno professa não acreditar nos demônios, porém existem de todos os modos. Ademais, são astutos com sua artimanha diabólica. A atitude do homem diante do mundo demoníaco pode ser comparada com a atitude do homem medieval com respeito as baterias. Se pudéssemos nos transportar a Londres no ano de 1666, nos encontraríamos no mundo de pesadelo. A peste bubônica está em seu apogeu. As imagens e os sons da cidade são como o cume terrível de um filme de terror. A crença geral era que o ar fresco é o culpado. A academia de médico recomendava que se atirasse com armas de fogo para se purificar o ar nocivo. As pessoas se trancavam em suas casas e queimavam misturas fedorentas para se aumentar o ar fresco. Fechavam as lareiras e os quartos estavam cheios de cinza e fumaça, e as pessoas se sufocavam no meio do fedor sufocante. Fora, densas nuvens de fumaça negra estão sobre a cidade. As pessoas se sentam nos quartos herméticos, firmes em sua decisão de suportar a fumaça ardente, convencidas de que desta forma estariam imunes da peste. Dizemos-lhes que estavam equivocados, que a

peste não era causada pelo ar fresco, mas por germes, organismos microscópicos propagados pelas pulgas e eles riram de nós. O homem moderno adotou uma atitude similar diante do mundo dos demônios. Dizemos que Satanás possui inumeráveis hostes de demônios invisíveis que lhe ajudam em seus desígnios obscuros contra a humanidade. Dizemos que estes seres que não são vistos, são inteligentes, e que a eles prontamente se uniram inumeráveis seres de seu tipo ainda pior que eles. Esta gente nos olham com olhar de desdém e lastima, e nos sugerem que vendamos nossas teorias e as editoras de livros de ficção científica. Porém, de todos os modos é certo, uma vez que o poço é aberto, o mundo dos homens será invadido por um vírus muito pior que a peste bubônica, um vírus todavia mais mortal, porque pode pensar e dirigir seu ataque contra a alma ao invés do corpo.” (Exploring Revelation, p. 137). (Tradução minha)

1. 2. 3.

Os anjos caídos possuem nome (Lc 8:30; Ap 9:11). Falam (Lc 4:34,41; 8:28; Mt 8:29; Mc 5:12; 3:21; At 19:15). Possuem inteligência.
a) Sabem quem é Jesus (Lc 4:34); b) Sabem de sua condenação futura (Mt 8:29). c) Podem distinguir entre os salvos e os não salvos (At 16:15; Ap 9:4). d) São capazes de formular uma teologia sistemática em torno de Satanás (1Tm 4:1).

4.

Possuem emoções.
a) b) Medo (Lc 8:28; Tg 2:19); Indiferença (At 16:15);

5. Possuem muita força (Ex 8:7; 7:11-12; Dn 10:13; Mc 5:2-4; 9:1726; At 19:16; 2 Cor 10:4-5; Ap 9:15-19).

G.

As atividades dos anjos caídos.
1. 2. 3. 4. Se opõe ao propósito de Deus (Dn 10:10-14; Ef 6:12). Executam o propósito de Satanás (1Tm 4:1; Ap 9; 16:12-14). Propagam doutrinas falsas (2 Ts 2:2, 1Tm 4:1). Afligem os seres humanos.
a) Alguns causam loucura (Mt 8:28; 17:15,18; Mc5:15; Lc 8:27-29). b) Alguns causam a mudez (Mt 9:33). c) Alguns causam a imoralidade (Mt 10: 1; Mc 1:23-26; 3:11; Lc 4:36; At 5:16; 8:7; Ap 16:13). d) e) f) g) h) i) Alguns causam surdez (Mc 9:25). Alguns causam epilepsia (Mt 17:15-18). Alguns causam cegueira (Mt 12:22). Alguns causam suicídio (Mc 9:22). Alguns causam danos pessoal (Mc 9:18). Alguns causam defeitos físicos (Lc 13:21).

5.

Podem possuir os seres humanos.
Na Bíblia existem pelo menos 12 exemplos importantes de indivíduos possuídos por anjos caídos. a) Saul, o primeiro rei de Israel, frequentemente era atormentado por um espírito mal (1Sm 16:14; 18:10; 19:9). Se voltou loucamente de ciúmes contra Davi (1 Sm 18:8) e tentou mata-lo várias vezes: (1) Através de uma lança (1 Sm 18:11; 19:10). (2) Enganando-o (1Sm 18:25). (3) Perseguindo-o como um animal selvagem no deserto de Judá por uns treze anos (1 Sm 24:1,2,11; 24:11; 26:1,2). Tratou de matar seu próprio filho, Jonatan, por ser amigo de Davi (1Sm 20:33). Assassinou 85 sacerdotes de Deus por terem ajudado Davi (1Sm 22:17). Foi desprezado por Deus (1Sm

28:6). Visitou a feiticeira de En-Dor na hora de sua morte (1Sm 28:7). b) As sete pessoas possuídas por Demônios e libertadas por Jesus. (1) Um homem com um espírito imundo em Cafarnaum (Mc 1:25; Lc 4:35); (2) Um endemoniado gadareno (Mt 8:32; Mc 5:8; Lc 8:33). (3) Um endemoniado mudo (Mt 9:33). (4) Uma menina endemoniada (Mt 15:28; Mc 7:29). (5) Um menino endemoniado (Mt 17:18; Mc 9:25; Lc 9:42). (6) Um endemoniado cego e surdo (Mt 12:22; Lc 11:14). (7) Uma mulher enferma por 18 anos (Lc 13:10-17). Note-se especialmente os resultados terríveis da possessão demoníaca descritos nos dois estudos de caso do endemoniado gadareno e o menino endemoniado. c) O Lunático. (1) Era tão feroz a ponto de nenhum homem poder controla-lo; (2) Havia quebrado todas as cadeias em que o colocaram; (3) Constantemente gritava e se cortava com as pedras; (4) Andava nu e era controlado por 6000 demônios. (5) Estava possuído por muitos tempo. O Menino. (1) Estava possuído desde a sua infância; (2) O demônio o feria e o golpeava; (3) Se jogava na água e no fogo; (4) Sofria convulsões severas; (5) Muitas vezes se jogava no chão com violência e se rolava e soltava espuma pela boca; (6) Caiu inconsciente, e tiveram medo que estivesse morto quando Jesus expulsou o demônio. Maria de Madalena (Mc 16:9; Lc 8:2). Maria estava possuída por sete demônios antes de sua conversão. Simão (At 8:18-24). Um demônio possuiu Simão para que distorcesse a mensagem do evangelho em um sistema pervertido de ganancia. Elimas (At 13:8-11). Este mago endemoniado tentou frustrar os esforços de Paulo, para ganhar o governador de Chipre para Cristo.

d)

e)

f)

g)

h)

Uma jovem escrava (At 16:16-18). Neste assombroso relato, um demônio, (através de uma menina possuída) tratou de identificar-se com a obra de Paulo, para confundir a mensagem de Cristo na mente dos filipenses. Nesta lista poderíamos agregar as inúmeras pessoas possuídas que foram libertadas pelos apóstolos (Veja At 5:16; 8:7; 19:12).

6. Os Demônios infligiram uma terrível tortura a humanidade não salva durante a grande tribulação.
O nono capítulo do Apocalipse, que contém os juízos da quinta e sexta trombetas, pode ser a seção mais reveladora de toda a Bíblia quanto a questão da demonologia. a) O tormento dos demônios (Ap 9:3-4). J.A. Seiss escreveu: “A dor da picada do escorpião, mesmo que geralmente não seja mortal, é, no entanto, é talvez a dor mais intensa que um animal pode infligir ao corpo humano. O inseto mesmo é o mais ... maligno que existe, e seu veneno é como ele mesmo. Conta-se que um menino picado por um escorpião no pé, rolava no chão rangendo os dentes e soltando espuma pela boca. Passou muito tempo antes que moderasse os seus gemidos, e ainda não conseguia utilizar o seu pé que se encontrava muito inflamado. E tal é a natureza do tormento que estas lagostas do abismo infligem. Também é difícil proteger-se delas Se é que tinha alguma proteção porque voam por onde querem, se lançam pelo ar e vivem na obscuridade (The Apocalypse, p. 83). A duração destes demônios. Charles Ryrie escreveu: “Embora o tormento seja horrível, Deus limitará em certo modo a atividade dos demônios Limitara o quanto poderão danificar e até onde poderão chegar e por quanto tempo poderão fazer o que farão. Não atacarão a vegetação da terra (como fazer o gafanhotos em nossos dias), somente podem atacar certos homens, é dizer, aqueles que não possuem a marca de Deus (os 144.000). Os malvados perseguiram os servos de Deus, os 144.000, porem, em troca eles serão atormentados com a praga que Deus permite. As locustasdemônios, também serão limitadas no tocante a matar os homens, senão somente tortura-los. Mais ainda a duração desta praga será de cinco meses (cp. 10). Resultado, v.6. O resultado deste tormento será levar as pessoas ao suicídio, porém não poderão morrer. Apesar dos homens preferirem a morte, a agonia de viver, a morte não será possível. Os corpos não se afundarão para poder se afogar; Os venenos não terão efeito; De alguma maneira as munições de armas e as facas

b)

não terão o efeito desejado.” (Apocalypsis, Editorial Portavoz, p.63) Provavelmente, a razão pela qual as pessoas não poderão morrer é pelo fato de que Satanás possui a chave do poço e não permitiram que seus seguidores deixem a face da terra onde está sendo travado uma batalha entre a luz e a escuridão. c) A descrição destes demônios (Ap 9:7-10) Parece que o apostolo João descreve dois tipos de demônios que invadiram a terra durante a grande tribulação. A sexta trombeta anuncia a segunda invasão. (1) Os líderes desta invasão. Quatro anjos satânicos especiais. Estes podem cumprir a mesma função com respeito a Satanás que os quatro seres viventes cumprem para com Deus. (Ap 4:6-8). Os exércitos desta invasão. O número: Duzentos milhões. Segundo as medidas normais, este grande exército ocuparia um território de 1 milha de altura por 87 milhas de largura (1,6 Km de altura e 140 km de largura). A descrição. Estes demônios, a diferença dos da primeira invasão, parece que estes estarão montados em algum tipo de cavalo infernal. A cabeça dos cavalos parecem muito com a de um leão, soltando fumaça, fogo e enxofre pela boca. Os cavaleiros portam uma couraça de vermelho vivo. (3) A fontes desta invasão: o rio Eufrates. Muitos afirmam que foi ali que começou o mal na terra (Gn 3; Zc 5:8-11), onde iniciou a falsa religião (Gn 4:3; 10:9-10; 11:4) e onde terá o seu fim (Ap 17-18). A duração desta invasão: três meses. Os danos causados por esta invasão. Um terço da humanidade morrerá pelos danos causados pelo fogo, fumaça e enxofre. Um quarto já teria morrido pelo quarto selo (Ap 6:8) que seria aproximadamente milhões de pessoas. Agora morrer um terço, é dizer que morrem outros milhões. A invasão é então o oposto ao juízo da quinta trombeta, durante o qual nenhum homem poderá morrer. Os resultados desta invasão (Ap 9:20-21). Mais da metade da população mundial será eliminada. E, qual é a resposta dos sobreviventes? Uma falta total de arrependimento e uma rebeldia intensa. É provável que neste mesmo ano os informantes do FBI apresentem um aumento de 1000% na idolatria,

(2)

(4) (5)

(6)

homicídios, crimes relacionados com drogas (a palavra “feitiçarias” vem do grego pharmakeion, de onde obtemos nossa palavra “farmácia”; é a palavra grega que se utiliza para drogas), sexo, delitos graves e roubos. d) O rei destes demônios (9:11). É chamado de Apoliom, que significa destruidor. Aqui encontra-se a versão infernal de Satanás em relação ao arcanjo Miguel.

7. No entanto, Deus utiliza os demônios para cumprir o seu proposito divino.
a) Um demônio foi utilizado para castigar o malvado rei Abimeleque (Jz 9:23); b) Um demônio foi utilizado para preparar a execução do rei Acabe durante a batalha (1Rs 22:19-23). c) Um demônio fez ressaltar a verdadeira natureza ímpia do rei Saul (1Sm 16:14). d) Os demônios foram utilizados para castigar as rebeliões de Israel durante o tempo de peregrinação no deserto (Sl 78:49). e) Os demônios serão utilizados para levar as nações ímpias ao Armagedom para a morte no final da tribulação (Ap 16:13-16).

H.

O destino dos anjos não salvos.
1. Serem julgados por Cristo e sua Igreja (1Cor 6:3); 2. Serem lançados no lago de fogo para sempre (Mt 25:41; 2Pd 2:4; Jd 6);