You are on page 1of 11

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A JUVENTUDE EM PARINTINS: uma análise sobre o Programa ProJovem Urbano

RESUMO Debates a respeito da população juvenil culminaram em Políticas Públicas no Brasil, na criação da Secretaria Nacional de Juventude e do Conselho Nacional de Juventude, além de fortalecerem a criação de inúmeros programas emergenciais. Neste sentido, este estudo abordará as características referentes ao Projovem Urbano realizado no município de Parintins/AM no período de abril/2009 a dezembro/2010 e propõe-se a identificar os impactos sociais do programa no cotidiano dos jovens inscritos e da eficácia de suas atividades, considerando as condições socioeconômicas e a falta de oportunidades para a conclusão da sua formação básica destes sujeitos. Palavras-Chaves: Cidadania, Juventude, Políticas Públicas. ABSTRACT Discussions about the youth population culminated in Public Policy in Brazil, the creation of the National Youth and National Youth Council, and strengthen the creation of many emergency programs. Thus, this study will address the characteristics concerning Urban Projovem held in the city of Parintins / AM in the period from April of 2009 to December 2010 and proposes to identify the social impacts of the program in the daily life of young people enrolled and the effectiveness of their activities, considering the socioeconomic conditions and lack of opportunities for the completion of their basic training these subjects. Key Words: Citizenship, Youth and Public Policy.

1. INTRODUÇÃO

O programa Projovem Urbano é de caráter emergencial e visa garantir que ainda jovens seus usuários consigam elevar seu grau de ensino. É coordenado pela Secretaria Nacional de Juventude – Geral da Presidência da República em parceria com o Ministério da Educação, o Ministério do Trabalho e Emprego e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. O curso tem 1.600 horas de atividades, sendo distribuídas em 1.200 para a parte pedagógica e 350 para a formação profissional. Aos participantes, oferece a elevação da escolaridade e qualificação profissional de acordo com a vocação e possiblidades de trabalho de cada município. Em Parintins, os cursos oferecidos foram: Arco Operacional Turístico e Metal Mecânica.

mas capacita seus usuários para o mundo do trabalho visando a participação cidadã dos jovens em ações coletivas e produtivas para o mercado profissional. portanto. e esta deve ser construída coletivamente a fim de garantir os mínimos necessários para sobrevivência.Neste sentido. que estabeleceu aos homens . O Princípio da cidadania nasce na pólis grega como espaço democrático de direitos e deveres. Esta problemática se deu no processo do estágio supervisionado em Serviço Social. DESENVOLVIMENTO Atualmente. que culminou na pesquisa apresentada no Trabalho de Conclusão de Curso. para conclusão do Curso de Serviço Social. da Universidade Federal do Amazonas. o presente trabalho objetiva contribuir para o conhecimento a respeito da estrutura funcional do Projovem Urbano no contexto geral. 2. Temos como referência a aprovação da Declaração dos Direitos Humanos. Consideramos neste estudo. bem como. fortalecidos pelos direitos políticos. Juventude e Políticas Públicas. em Parintins/AM. no que diz respeito à inserção no mercado do trabalho. foi possível ser analisado os impactos sociais que o programa Projovem Urbano ocasionou no cotidiano dos jovens inscritos sendo possível a avaliação da promoção do bem estar social e a integração dos jovens nas diversas esferas da rede pública. tal política visa além da conclusão do Ensino Fundamental e reinserção do jovem na escola. e assim. onde através do Programa Projovem Urbano se objetiva a emancipação social dos jovens inscritos levando em consideração os critérios estabelecidos pelo programa. No contexto parintinense. conhecer os impactos sociais causados no cotidiano dos mesmos. Educação e Zootecnia. no Instituto de Ciências Sociais. Falar de cidadania é compreendê-la como direito à vida em seu sentido pleno. enfatizando o cenário atual como uma estratégia cujos determinados objetivos foram alcançados e outros ficaram sobre as dificuldades do processo de implantação e execução. a existência de políticas públicas destinadas à juventude no município de Parintins. Dessa forma. Para isso destacamos neste estudo categorias fortalecerão nossa pesquisa quanto aos impactos sociais das políticas e seus usuários. buscamos especificamente conhecer as políticas públicas para a juventude no município de Parintins de forma a analisar as atividades desenvolvidas no programa Projovem Urbano. como um estudo acerca da Cidadania. identificar a situação socioeconômica dos usuários inscritos. Através das políticas públicas voltadas à juventude. é importante analisar o crescimento das políticas públicas no atual cenário brasileiro. civis e sociais.

Neste sentido. Se nos anos 1960 a população jovem representava um problema diante da crise econômica. onde através do Programa Projovem Urbano se . compreendemos as politicas voltadas à juventude como sinônimo de estratégias societárias para orientar a formação dos jovens e minimizar seu envolvimento em situação de risco. também estão relacionadas aos problemas sociais vividos por eles em outros momentos. tendo como referência o alto índice de desemprego muito superior ao índice entre adultos. tendo acesso à educação. Dentre as dificuldades enfrentadas pelos jovens. saúde e trabalho. Possuem livre expressão de si mesmo e tem o direito a um salário que garanta sua sobrevivência e a promoção de sua vida. habitação e lazer. Realizar um estudo acerca da juventude não é tarefa fácil. que são determinadas pela faixa etária e seu processo de desenvolvimento físico e psicológico sofrido naturalmente.direitos iguais. É reconhecer a conquista da democracia como garantia da sobrevivência perante todos de maneira igual conforme o que estabelece a Carta dos Direitos da Organização das Nações Unidas (ONU). a existência de políticas públicas destinadas à juventude no município de Parintins. sendo consciente de que seus deveres estão atrelados às reivindicações dos direitos quando estes não lhes são garantidos. onde ações são articuladas com recursos próprios – financeiros e humanos – num dado espaço de tempo e que objetiva ocasionar impactos voltadas ao sucesso de suas propostas. Entendemos portanto. As políticas públicas são tomadas como um conjunto de decisões voltadas à resolução dos problemas políticos. mas considerá-los como parte integrante do processo de crescimento econômico e social. Assim. portanto. tendo como foco a juventude e principalmente a resolução de problemas de inserção social voltadas ao acesso à educação. nos anos 1970 passou a ser considerada como instrumento de movimentação de capital. Ser cidadão é usar de seus direitos e deveres na forma coletiva e individual como forma de emancipação social. sem discriminação de cor. principalmente pelas inúmeras influências históricas e culturais que passam ao longo do tempo. o acesso ao mercado de trabalho é apontado como crítico. que a juventude compreende uma condição social representada por características próprias e mutáveis. saúde. fala-se em politicas públicas. Todas as mudanças sofridas pelos jovens ao longo da história. Neste espaço de implantação das políticas públicas é de suma importância a presença do aparelho público-estatal no monitoramento e avaliação do estabelecimento dessas políticas. Consideramos neste estudo. sujeitos à normas estabelecidas socialmente. raça ou credo. possibilitando usar de seus princípios para reivindicar direitos individuais e coletivos socialmente. Não podemos considerar a população jovem como sujeitos de deveres. onde todos são iguais perante a lei.

A pesquisa foi dividida em dois momentos. num desenvolvimento recíproco de algo novo diariamente. que foram necessários durante a pesquisa. 1987). e assim. onde coletamos as informações necessárias para subsidiar o objetivo proposto por esta pesquisa que é analisar o Projovem Urbano em Parintins. o estudo abordou uma análise quantiqualitativa. além de um roteiro com perguntas semi-dirigidas direcionadas ao coordenador municipal do Projovem Urbano em Parintins. realizamos a pesquisa de campo.1 Metodologia A trajetória metodológica da pesquisa desenvolveu-se num processo de investigação dos fatos no sentido de descobrir respostas para os problemas através de métodos científicos de comprovação ou aproximação da realidade a ser investigada (MINAYO. por meio de uma entrevista semi-dirigida que foi realizada com o coordenador do programa. consideramos que os caminhos traçados para o desenvolvimento desta pesquisa foram metodologicamente satisfatórios na formulação de mecanismos para a aproximação da realidade investigada. A análise qualitativa permitiu uma melhor aproximação com objeto a ser investigado. A presente pesquisa teve como base a abordagem dialética. No segundo momento. 2. É sob este discurso das políticas públicas voltadas à juventude. . A pesquisa de campo foi realizada a partir da aplicação de formulários com questões semiabertas. tem o objetivo de suscitar dos informantes respostas por escrito ou verbalmente sobre assuntos que saibam opinar. algo que desagrega e se transforma naturalmente sobre influências sociais (GIL. 2010). avaliamos a promoção do bem estar social e a integração dos jovens nas diversas esferas da rede pública. Para a pesquisa documental foi necessário um levantamento junto a Coordenação geral do Projovem Urbano em Parintins.objetiva a emancipação social dos jovens inscritos levando em consideração os critérios estabelecidos pelo programa. que segundo Chizzotti (2003). primeiramente a pesquisa bibliográfica e documental. onde tudo é visto em constantes mudanças. Frente a esta concepção. A análise quantitativa possibilitou um avanço significativo no conhecimento das propriedades especificas do objeto pesquisado. que analisamos os impactos sociais que o programa Projovem Urbano tem ocasionado no cotidiano dos jovens inscritos. possibilitando uma análise do discurso dos entrevistados. o que trouxe uma relevante contribuição para a construção deste estudo. Para atingir os objetivos da pesquisa. onde identificamos autores que tratam das categorias principais discutidas no trabalho. considerando que este método está subordinado ao conhecimento dos contrários.

no entanto. o ensino fundamental foi importante para que voltassem a ter estímulos pelo estudo. Para estes jovens que estão em processo de construção de conhecimento. a fim de concluírem o ensino médio e ingressarem numa faculdade. porém.2 Contribuições do Projovem Urbano para a promoção da cidadania no contexto parintinenses O Projovem Urbano desenvolvido em Parintins. apenas o ensino fundamental não é suficiente para garantir melhores condições de vida na sua estrutura familiar. uma amostra de 13% do universo proposto.Segundo os dados do Projovem Urbano. que em sua maioria encontram-se distribuídos nas escolas da rede estadual de ensino. no entanto em virtude do índice de desistência. É necessário buscar cada vez mais . sendo assim. tendo em vista o atraso no inicio das aulas em decorrência da r eforma na Escola Estadual “Aderson de Menezes”. os jovens concluintes representam o universo desta pesquisa. Escola Estadual “São José Operário” (10 entrevistados) e Escola Estadual “Aderson de Menezes”. a matrícula inicial foi de 800 jovens. em Parintins. Considerando o quantitativo do universo da pesquisa. Para sistematizar os dados. conforme ressalta o Entrevistado 37: Eu voltei a estudar pra me formar e conseguir um emprego pelo menos se eu tirar o ensino médio já dá pra conseguir um emprego e poder da uma vida melhor pra minha família. Porém. inicialmente foi decidido que seriam entrevistados os alunos matriculados nas seguintes escolas: Escola Estadual “Irmã Sá” (30 entrevistados). Durante a coleta de dados foram encontradas algumas dificuldades em virtude da definição do universo da pesquisa. auxiliou na conclusão do ensino fundamental de cerca de 317 jovens. só foi possível a coleta de dados nas outras duas escolas selecionadas. por isso eles buscam a conclusão do ensino médio como forma de garantir um emprego. apenas 600 jovens iniciaram e 317 concluíram o curso. os jovens são conscientes de que o conhecimento é complexo e finito. Sendo portanto. 2. foi necessário também definir critérios para a amostra. Definimos ainda que os sujeitos da pesquisa são os jovens entre 18 e 29 anos que concluíram o Projovem Urbano e efetivaram suas inscrições na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. foi necessário um levantamento junto à secretarias das escolas para identificar os alunos advindos do Projovem Urbano. e que melhores condições de vida estão atreladas ao nível de conhecimento que adquirimos ao longo tempo. Este sem dúvida foi um estímulo para que voltassem a estudar conforme os relatos durante a pesquisa.

por exemplo o planejamento pedagógico que superou as expectativas e conseguiram transmitir e incentivar o processo de construção de conhecimento em cada um dos alunos. onde ingressar na universidade é sinônimo de conquistas e reconhecimento de seu potencial conforme as palavras do Entrevistado 5: “Voltei a estudar para concluir meus estudos e conseguir entrar numa faculdade é o meu sonho por isso estou correndo atrás assim acredito que poderei da uma vida melhor para os meus filhos. conforme enfatiza (BRASIL apud GARCIA. Pelos resultados já apresentados.conhecimento. No entanto. A busca por melhores condições de vida para os alunos do Projovem Urbano representam ir mais além na busca do saber. .” Assim. De acordo com os dados da coordenação local. e que a educação básica não basta. da busca pelo conhecimento estimulado pelo Projovem Urbano. é necessário ir um pouco mais. como mostra o gráfico 11. perguntamos aos mesmos se estes tinham dificuldade em continuar as atividades e 72% dos jovens ressaltaram encontram dificuldades. 2009). para um patamar societário que tem como esteios a busca contínua de melhor qualidade de vida. Neste sentido. mas devido a falta de recursos para a compra de material. A qualificação profissional foi um dos fatores que incentivaram os jovens a permanecerem no programa. foi identificado que a maioria dos entrevistados buscam ir mais além da conclusão da formação básica. as universidades podem ser entendidas como espaço de oportunidade de conhecimentos que estão dando um salto civilizatório. Neste contexto. e que objetivam chegar a uma faculdade como forma de maximizar seus conhecimentos e os reconhecer mais preparados para mudanças do mundo trabalho. Vale ressaltar ainda que muitos dos alunos foram incentivados a entrar no programa pelo auxilio que iriam receber durante sua participação. 2000). sabemos que os sujeitos da pesquisa passam por inúmeras dificuldades e estas impactam em sua permanência nas atividades desenvolvidas na Educação de Jovens e Adultos. porém. 90% do curso foi todo de fase teórica o que fragmentou a questão profissional que deveria ser desenvolvida com os jovens. sua permanência esteve atrelada a incentivos que foram além do auxilio financiado pelo governo. e a valorização dos processos coletivos por meio de políticas públicas voltadas para o fortalecimento da cidadania (FREITAS. o processo de qualificação profissional deveria acontecer com carga horária de 50% de teoria e 50% prática. CORREA. a realidade de Parintins não proporcionou a estes jovens esta oportunidade.

e a localização da escola. Fonte: Pesquisa de campo 2011. Fonte: Pesquisa de campo 2011. . Como resultado. 32 e 36 ressaltam que as maiores dificuldades são o cuidado com os filhos. venho pra cá mas fico muito preocupada. Várias vezes meu marido não me deixou ir com medo que acontecesse alguma coisa.(entrevistada 18) Não tenho com quem deixar meu filho. sei que é importante terminar os estudos. (entrevistada 36) Durante a pesquisa realizamos um comparativo perguntando aos alunos se eles sentem diferença entre as atividades que foram desenvolvidas no Programa Projovem Urbano e aquelas que são realizadas na Educação de Jovens e Adultos. mas também fica difícil quando se tem filhos (entrevistada 24) Passo o dia trabalhando. 24. o cansaço noturno. Não tenho com quem deixar meus filhos. (entrevistado 32) A escola fica longe de casa. Este resultado requer o conhecimento dos motivos pelos quais estes jovens sentem dificuldade em continuar suas atividades e as falas dos entrevistados 18. Durante o dia o trabalho é pesado e a noite o cansaço bate. temos que 55% dos alunos apontaram que sentem dificuldades nas atividades da Educação de Jovens e Adultos e 45% não sente esta dificuldade. Distribuição percentual pelas diferenças entre o Projovem Urbano e EJA 45% 55% Sim Não Gráfico 12. chego muito cansado e é difícil sair de casa e ir pra uma sala de aula sentar e não dormir. o local onde eu moro é perigoso e eu volto muito tarde. Antes o problema para continuar a estudar eram os meus filhos e hoje também é a mesma coisa pois eu não tenho com quem deixar.Distribuição percentual pelas dificuldades para prosseguimento dos estudos 28% 72% Sim Não Gráfico 11. 23.

27 e 31: O programa deveria continuar porque tem muitas pessoas que estão paradas deixando o tempo passar pela falta de oportunidade que não tiveram para estudar (Entrevistado 11). onde a prática ficou subentendida pela teoria apreendida na maior parte do curso. onde os professores assumem posições e objetivos diferenciados nas atividades interdisciplinares que se apoiam sob cronogramas diferenciados. . Os entrevistados 12 e 29 enfatizam estes entraves: As vezes eu sinto dificuldades nas falas dos professores. por exemplo. além de criar expectativas e estímulos para buscar cada vez mais conhecimentos. no entanto. o programa representou um mecanismo de crescimento social para grande parte dos jovens participantes. porém. consideramos lamentável uma vez que seus resultados são satisfatórios para o público que atende. Isso pode ser evidenciado nas falas dos entrevistados 11. isso requer um planejamento mais especifico a respeito da demanda local e da estrutura funcional do programa. Essas dificuldades tiveram reflexos principalmente na base da qualificação profissional. e também a gente não fazia tanto trabalho como é feito aqui. O Programa Projovem Urbano não continuará a ser desenvolvido no município. os mesmos dão segmento aos seus estudos em busca de qualificação profissional que os habilite a exercer funções dentro do mercado de trabalho e se tornarem referência enquanto sujeitos de direitos e deveres.Os alunos que sentem dificuldades apontaram que o processo metodológico do EJA é um pouco mais difícil. capazes de construir um senso crítico que defina suas escolhas pela razão e sabedoria. segundo a coordenação do programa ainda não foram apresentadas justificativas para tal decisão. A questão de planejamento para o processo de implementação esteve atrelado a dificuldades que transcorreram por todo o programa. Os alunos do Projovem. Evidenciamos que embora haja dificuldades durante a realização das atividades. e um melhor processo de socialização e recuperação do reconhecimento da cidadania. Eu sinto mais dificuldades porque é muito trabalho e tem os seminários e eu tenho vergonha. as vezes eles costumam falar palavras que eu ainda não conheço mas eles são pacientes e a gente sempre pergunta quando não entende(Entrevistado 12). os professores são muito exigentes (Entrevistado 29). lamentam a decisão uma vez que o mesmo pode representar mais que oportunidades educacionais. os seminários e testes de habilidades e outros. isso se justifica pela metodologia diferenciada de um programa social e uma modalidade de educação. Atualmente. Se houveram falhas de implementação. a linguagem dos professores.

que a partir . o mesmo representou um avanço para a educação dos jovens que foram participantes. já que através da modalidade do ensino regular. Devemos ainda considerar o numero expressivo de jovens entre 18 a 29 anos que tem por finalidade elevar seu grau de escolaridade. Quanto ao número de desistentes. O programa foi uma oportunidade pra mim e deveria continuar porque ele conseguiu mudar a vida de muitas pessoas (Entrevistado 31).O programa deveria continuar porque ainda tem muitos jovens fora da escola. considerando a seguinte exposição. CONCLUSÃO Os objetivos propostos no presente estudo se disponham em analisar o Programa Projovem Urbano no contexto parintinense enquanto análise das evidências das politicas públicas desenvolvidas no município de Parintins. é possível concluir que embora o processo de execução do programa tenha passado por dificuldades durante sua realização. como questões metodológicas. De acordo com a pesquisa desenvolvida podemos concluir que estes objetivos foram devidamente alcançados. e mais ainda pela garantia da qualificaçãoz profissional oferecida aos jovens no programa. no entanto. apoio profissional da equipe interdisciplinar do programa. caracterizados pela enchente no ano de 2009 e condições de moradia atreladas a ocupação de terras no atual Bairro da União em janeiro do mesmo ano. 3. grande parte desses jovens que deram segmento no Programa Projovem Urbano conseguiram manter seus objetivos centrais em elevar seu grau de escolaridade a fim de garantir melhores condições de vida. Para estes jovens. Os jovens participantes do Projovem Urbano ingressaram no programa incentivados pelo auxílio recebido. No entanto. no entanto sua permanência esteve atrelada a concepções que foram além da “simples” complementação da renda financeira. sua idade não contempla mais os padrões para as séries normais. visando além da conclusão do Ensino Fundamental e reinserção do jovem na escola. podemos considerar que o atraso do pagamento da bolsa oferecida pelo programa foi um dos fatores para a perca de uma parcela desses jovens. mas capacitando seus usuários para o mundo do trabalho visando a participação cidadã dos jovens em ações coletivas e produtivas para o mercado profissional. Dessa forma. conheço várias pessoas que não puderam participar do programa e que agora queriam voltar a estudar (Entrevistado 27). e o programa representaria uma oportunidade para garantir a formação básica e estímulos para fortalecer os conhecimentos em busca da inserção no mercado de trabalho. grande parte desses alunos abandonaram o programa por fatores socioeconômicos e naturais.

Vale destacar ainda que. algumas dificuldades foram evidenciadas. Para as escolas que receberam esses alunos. baseado no trabalho informal que grande parte destes jovens vem assumindo no atual contexto. foi possível verificar na pesquisa de campo. que foram desenvolvidos no programa como proposta de qualificar os jovens após sua saída e contanto com o novo contexto social do mercado local. pois os jovens retornam seus estudos com expectativas de fortalecer seu desempenho . Os alunos evidenciam a importância do espaço no Projovem Urbano. Essa problemática caracteriza o cenário atual como uma das dificuldades que influenciam a continuidade de seus estudos através da Educação de Jovens e Adultos – EJA. Embora esse incentivo profissional fossem uma das bases centrais do programa. O programa garantiu a qualificação profissional em dois arcos operacionais identificados por metal mecânica e turismo e hospitalidade. uma vez que o repasse de verbas para a compra do material necessário para o trato da qualificação profissional no programa foi fragmentado pelas organizações não governamentais implementadas durante a execução do Projovem Urbano. uma vez que. onde a socialização e o processo de cidadania puderam ser bastante enfatizados durante o programa. é de suma importância que maior planejamento no processo de execução do programa seja reformulado dentro das estruturas organizacionais. sinalizando a garantia dos direitos e o reconhecimento dos jovens na sociedade enquanto sujeitos participativos e críticos. As condições socioeconômicas dos alunos estão atreladas a garantia dos mínimos sociais necessários para manter sua estrutura familiar. enfatizando fatores determinantes que garanta os objetivos propostos pelo programa aos jovens quanto a sua elevação do grau de escolaridade. as expectativas são valorosas. que dificultam ainda mais sua permanência no contexto educacional. Dada esta problemática. o Projovem Urbano representou um incentivo para prosseguir com seus estudos e manter uma expectativa de futuras relações sociais no contexto familiar e no mercado de trabalho. é de suma importância para garantir que inúmeros jovens que ainda há no munícipio possam ser incentivados a dar segmento aos estudos e garantir melhores condições de vida. a implantação e a permanência do Programa Projovem Urbano no município de Parintins. além das condições de precarização do trabalho. além da questão dos filhos que necessitam de apoio educacional e crescimento progressivo com apoio da família. além de enfatizarem a questão cidadã como sujeitos de direitos e deveres instituídos socialmente.do perfil socioeconômico evidenciamos condições precárias e mínimas de vida. que os jovens que permaneceram no programa hoje dão segmento aos seus estudos e compreendem que ganharam espaços ocupacionais mais fáceis dentro do município.

São Paulo: Cortez. A solução para a problemática da precarização do trabalho e das condições de vida dos jovens e dos sujeitos em desenvolvimento. 2010. Pesquisa Social: Teoria. FREITAS. Assim. uma vez que constitui uma politica social voltada ao objeto central da emancipação dos sujeitos na sociedade – A Educação. Método e Criatividade. 4. temos que nos preocupar com o desenvolvimento das pessoas. Rio de Janeiro: Vozes. 1987. Métodos e técnicas de pesquisa social.educacional junto a sua família e tornarem-se sujeitos produtivos para o mercado a partir de uma educação em desenvolvimento capaz de fortalecer o senso crítico na sociedade. A Universidade e a Amazônia: reverberações do pensamento ocidental moderno. Antonio. Antônio Carlos. Juventude em tempos de incertezas: enfrentando desafios na educação e no trabalho. 24 ed. Marcílio. REFERÊNCIAS CHIZZOTTI. Petrópolis. onde a questão da responsabilidade social-educacional está no topo da questão. é possível identificar através da análise o quão representativo foi o programa Projovem Urbano. 2003. 2000. 2009. MINAYO. SILVA. Marilene Corrêa da. São Paulo: Annablume. Dirce Maria Falcone. GARCIA. . crescimento econômico e legislação adequada. Manaus: EDUA. 7 ed. GIL. Maria Cecília de Souza (Org). dependem de três fatores essenciais a serem almejados: educação de qualidade. In: Estudos da Amazônia Contemporânea: dimensões da globalização. Antes de pensar no desenvolvimento do Brasil. de modo a questionar o “por quê” da não continuidade de sua execução no município de Parintins. São Paulo: Atlas. Pesquisa em ciências humanas e sociais. Belo Horizonte: Fapemig.