You are on page 1of 6

INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E ARTES

GONTIJO, Gustavo SILVA, Roger Henrique Ferreira da

Análise e Crítica da Mídia

Belo Horizonte

Segundo fontes do site oficial da Rádio Inconfidência, a mesma está no ar a mais de 75 anos1. Foi fundada em 3 de setembro de 1936 na frequência AM 880 e tinha como função integrar o estado de Minas Gerais. Com o passar dos anos, mais especificamente entre as décadas de 1980/1990, consagrou-se A Brasileiríssima FM 100,9, uma rádio diferenciada por divulgar Musica Popular Brasileira, principalmente os artistas mineiros. O programa Bazar Maravilha é um dos programas mais tradicionais da Rádio Inconfidência (Brasileiríssima) FM 100,9. Apresentado por Ailton José Machado, mais conhecido como Tutti Maravilha. Apresentado de segunda à sexta, o programa Bazar Maravilha é apresentado de 14h00 as 16h00, trazendo uma programação extremamente brasileira, informativa e com um grande repertório musical. De acordo com a Biografia do apresentador encontrada no siteMuseu Clube da Esquina2, Tutti Maravilha nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, em 13 de fevereiro de 1950. Formou-se em Jornalismo em 1984. Na década de 70, tornou-se produtor musical, trabalhando com shows e espetáculos teatrais ao lado de artistas consagrados, como Gal Costa, Maria Bethania, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes entre outros. Além disso, foi grande amigo da cantora Elis Regina, a qual considerava como sua comadre. Toda essa bagagem cultural influenciou na origem do seu programa, que veio ao ar em 1983. Desde a sua criação, Tutti Maravilha aborda um pouco da história da Música Popular Brasileira, contando detalhes da vida artística de alguns músicos além de divulgar as suas canções. O programa Bazar Maravilha abre as suas portas aos ouvintes, que podem ligar ou interagir via web no decorrer de sua apresentação. Além de dar espaço para que bandas e músicos divulguem sobre novos lançamentos de músicas e shows prestes a acontecer.
1

Acesso em 20/06/2013 (http://www.inconfidencia.com.br/modules/programacao/index.php?op=homePrograma&prog_id =10010) 2 Acesso em 20/06/2013 (http://www.museuclubedaesquina.org.br/o-movimento/amigos/tutti-maravilha/)

A postura assumida pelo programa Bazar Maravilha é voltada ao seu tema principal, que é levar aos ouvintes músicas que marcaram o cenário da Música Popular Brasileira no país. Em meio a isso, outra postura inserida em seu modelo de comunicação é a integração com o público, a abertura de espaço para que os ouvintes possam se dirigir para fazer pedidos e até mesmo relatar o seu ponto de vista sobre o programa e as canções que ali estão sendo apresentadas. Embora a essência do programa seja a transmissão de músicas populares brasileiras, tanto antigas quanto novas, surge uma duvida: será mesmo que o programa, ao divulgar estas bandas e cantores independentes, está apenas divulgando novos trabalhos ou pensando principalmente na publicidade e no lucro que podem surgir com essas oportunidades? Os fatos que direcionam a esse questionamento se apresentam no momento em que o programa para de transmitir os clássicos da MPB e abre um espaço de mídia para a divulgação do trabalho dos novos artistas, seja um novo CD, evento ou show que irá acontecer em Belo Horizonte, a duvida surge em como é feita essa seleção, será que há algum pré-requisito antes ou os artistas que divulgam seu trabalho no decorrer do programa são selecionados pela própria equipe interna da rádio? Sabe-se que o Bazar Maravilha é um programa de rádio tradicional de Minas Gerais. Devido a isso, há interesse por diversos artistas em participar do programa para divulgar o seu trabalho, e esse espaço de fato existe. Todos os dias algum artista participa da programação para falar um pouco mais do seu novo trabalho, e através disso, os ouvintes do programa tomam conhecimento deste novo trabalho e podem ou não se identificar com eles. Hipoteticamente falando, a seleção que é feita através do programa para levar esses artistas ao ar podem ou não ter fins lucrativos. Se houver fins lucrativos, o artista deve pagar um valor X ao programa para ter o seu espaço, se não houver, qual seria a seleção? Será que o valor cobrado pelo programa é alto demais para alguns artistas? As hipóteses precisam ser confirmadas para um melhor entendimento do funcionamento dessa seleção.

Para que as hipóteses fossem confirmadas, nos direcionamos ao site do programa a fim de encaminhar um e-mail com nossas duvidas referentes aos questionamentos levantados. Ao encaminhar nossas dúvidas, esperamos a fim de que uma resposta chegasse, mas não obtivemos sucesso. Outra tentativa foi realizada através de ligações feitas tanto para o telefone da rádio Inconfidência quanto para o telefone do programa Bazar Maravilha para esclarecer as dúvidas, porém ninguém atendia as ligações. Sem sucesso, um e-mail foi encaminhado na opção de críticas e sugestões no site da rádio, aonde relatamos a nossa dificuldade na comunicação com alguém do programa, informamos também a importância destas informações para a conclusão da nossa analise, e levantamos nossa frustração com o mesmo. Na manhã do dia 04/06 foi dada uma resposta pela equipe do fale conosco do programa, o mesmo se desculpou pelo descuido de não ter respondido o nosso e-mail, e completou:
Tente entrar em contato direto com o produtor do Bazar, Flávio Henrique: (31) 32983420, a partir das 12h00. Você também pode entrar em contato direto no e-mail do programa: bazarmaravilha@inconfidencia.com.br. Todos os e-mail que chegam para o programa Bazzar maravilha são encaminhados para o e-mail citado.

No mesmo dia entramos em contato com o número de telefone informado pela equipe na tentativa de falar com o produtor Flávio Henrique, porém, quem atendeu ao telefonema não quis se identificar, então, foram feitas algumas perguntas referentes a maneira de seleção de artistas independentes que aparecem no decorrer do programa. A pessoa informou que essa seleção é feita através de release que o próprio artista envia para a equipe do programa juntamente com o seu cd, que será avaliado pela produção do programa e depois é feito contato com o artista. O programa não cobra por essa divulgação, uma vez que é um programa de rádio público. Depois de obter as informações necessárias, recebemos um outro e-mail do Flávio Henrique, produtor do programa Bazar Maravilha, que esclareceu:

Recebemos muitos e-mails e a cada duas três semanas no máximo eles vão sendo apagados, porque lotam a nossa caixa postal. O seu e-mail pode ter passado despercebido e ter sido apagado sem que eu tenha visto. Isso não costuma acontecer, mas é uma possibilidade. Se isso aconteceu, infelizmente, eu peço desculpas. Há algum tempo tivemos um problema no servidor, durante alguns dias, e muitos e-mails foram encaminhados para o spam. Infelizmente, muitos e-mails que foram para esta pasta foram deletados antes que eu pudesse lê-los e, assim, ficaram sem resposta.

Contudo, pode-se concluir através das informações adquiridas que há um processo de seleção para a apresentação desses novos artistas no decorrer do programa. A oportunidade de mostrar o seu trabalho depende do release e o cd que é encaminhado do artista para a produção do Bazar Maravilha. Após feita a verificação do material pela produtora, o artista é acionado se possuir um trabalho relevante a ser apresentado. Não havendo fins lucrativos para que essa divulgação seja feita, é uma ótima oportunidade para que novos artistas tenham um espaço em um programa de rádio tão tradicional de Minas Gerais.

FONTE: INCINFIDÊNCIA, Bazar Maravilha; http://www.inconfidencia.com.br/modules/programacao/index.php?op=homePro grama&prog_id=10010 (Acessado no dia 09/05/013 às 19h00) INCONFIDÊNCIA, A Rádio; http://www.inconfidencia.com.br/modules/wfchannel/index.php?pagenum=8 (Acessado no dia 09/05/013 às 19h00) MUSEU CLUBE DA ESQINA, O movimento, Amigos, MARAVILHA Tutti; http://www.museuclubedaesquina.org.br/o-movimento/amigos/tutti-maravilha/ (Acessado no dia 09/05/013 às 19h00)