You are on page 1of 5

Auto de Prisão em Flagrante Delito

Às 8h do dia 13 do mês de junho de 2013, na sede do Plantão Policial do 17º Distrito Policial, onde presente se achava a Autoridade Policial Doutor Bruno Gabriel, comigo, Escrivão de Polícia, ai compareceu o CONDUTOR, Emanuel França RG/RE 546213, conduzindo o preso Randerson Barbosa Dias, por infração, em tese, ao artigo 33 da lei 11.343/06, haja vista ter sido este surpreendido oferecendo substância entorpecente à um aluno, tendo sido apreendido consigo a importância de 20 reais e uma pedra de maconha, ocasião em que o mesmo foi informado de sua prisão em flagrante por Trafico de Drogas, não tendo o mesmo resistido à prisão que ocorreu na: A.E.n.5 e 6 Setor C Norte em frente à faculdade projeção de taguatinga, circunscrição da 17ª D.P. de taguatinga, do que foram testemunhas Juarez Moreira e Érica Silva. Entrevistada a parte e formado seu convencimento jurídico, deliberou a Autoridade Policial por dar voz de prisão em virtude de investigação policial, fundamentada por uma escuta telefonica, consedida pela MM Juiza de Direito da 1ª Vara Criminal de Taguatinga, após cientificar o preso quanto aos seus direitos individuais previstos no artigo 5º da Constituição Federal (em especial os de receber assistência de familiares ou de advogado que indicar, de não ser identificado criminalmente senão nas hipóteses legais, de ter respeitadas suas integridades física e moral, de manter-se em silêncio e/ou declinar informações que reputar úteis à sua autodefesa, de conhecer a identidade do autor de sua prisão e, se admitida, prestar fiança e livrar-se solto) determinou a lavratura deste AUTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO, providenciando-se, conforme documentação adiante acostada, que fica fazendo parte integrante deste: 1) oitiva das testemunhas; 2) interrogatório do conduzido Resultando demonstradas, pelos elementos de convicção colhidos, a autoria e a materialidade da infração penal, julgou a Autoridade Policial subsistente este auto de prisão em flagrante delito, determinando ainda a expedição de nota de culpa ao preso. Nada mais havendo, determinou a Autoridade Policial o encerramento deste auto que assina com o autuado e comigo, Escrivão de Polícia, que o digitei e imprimi. Autoridade Policial__________________________________ Autuado __________________________________________ Escrivão de Polícia__________________________________

Termo de Depoimento em Auto de Prisão em Flagrante Delito

Às 8h do dia 13 do mês de junho de 2013, na sede do Plantão Policial do 17º Distrito Policial, onde presente se achava a Autoridade Policial Doutor Bruno Gabriel, comigo, Escrivão de Polícia, na seqüência do auto de prisão em flagrante delito em que é paciente Randerson Barbosa Dias passou-se à inquirição da testemunha Juarez Moreira, residente e domiciliado na QNM 40 CONJUNTO S CASA 29, M NORTE. Alfabetizada. Compromissada, às de costume nada disse. Indagada, às perguntas respondeu: Que estava chegando para aula na faculdade, em que percebeu uma movimentação estranha à de todos os dias, que viu Randerson conversando com uma pessoa, que não sabe identificar, ato continuo, viu o momento em que esta pessoa lhe passou uma certa quantia em dinheiro, que não sabe precisar o quanto era. Momento em que pode presenciar a prisão do acusado. Nada mais disse nem lhe foi perguntado. Lido e assinado, fica este termo fazendo parte integrante do auto de prisão em flagrante delito epigrafado. Autoridade Policial________________________________ Testemunha _____________________________________ Escrivão de Polícia________________________________

Termo de Depoimento em Auto de Prisão em Flagrante Delito

Às 8h do dia 13 do mês de junho de 2013, na sede do Plantão Policial do 17º Distrito Policial, onde presente se achava a Autoridade Policial Doutor Bruno Gabriel, comigo, Escrivão de Polícia, na seqüência do auto de prisão em flagrante delito em que é paciente Randerson Barbosa Dias passou-se à inquirição da testemunha Érica Silva, residente e domiciliada na QNH 07 CASA 36, TAGUATINGA NORTE. Alfabetizada. Compromissada, às de costume nada disse. Indagada, às perguntas respondeu: Que tinha conhecimento de que alguém estaria vendendo drogas perto da faculdade, mas nao tinha conhecimento de quem seria e não conhece a pessoa de Randerson. Na data de hoje viu a pessoa do acusado entregar um objeto, de cor escura e com aparência retângular, à outra pessoa, ato continuo, percebeu uma movimentação estranha e se afastou, tendo percebido que o acusado teria sido preso. Nada mais disse nem lhe foi perguntado. Lido e assinado, fica este termo fazendo parte integrante do auto de prisão em flagrante delito epigrafado. Autoridade Policial________________________________ Testemunha _____________________________________ Escrivão de Polícia________________________________

Termo de Interrogatório em Auto de Prisão em Flagrante Delito
Às 8h do dia 13 do mês de junho de 2013, na sede do Plantão Policial do 17º Distrito Policial, onde presente se achava a Autoridade Policial Doutor Bruno Gabriel, comigo, Escrivão de Polícia, na seqüência do auto de prisão em flagrante delito em que é paciente Randerson Barbosa Dias, passou-se ao interrogatório do preso de nome Randerson Barbosa Dias, R.G.nº 2266594, de nacionalidade brasileira, natural de brasília-DF, nascido aos 10 de maio de 1995, filho de Maria das Graças Moreira Dias e pai não sabido, de profissão estudante, residente na C 5 Residencial Ventura Apartamento 504. Sabendo ler e escrever. Preliminarmente foi o interrogado cientificado pela Autoridade Policial quanto aos seus direitos individuais constitucionalmente previstos, em especial os de receber assistência de familiares ou de advogado que indicar, de não ser identificado criminalmente senão nas hipóteses legais, de ter respeitadas suas integridades física e moral, de manter-se em silêncio e/ou declinar informações que reputar úteis à sua autodefesa, de conhecer a identidade do autor de sua prisão e, se admitida, prestar fiança e livrar-se solto. Cientificado da imputação que lhe é feita nestes autos e das provas contra si existentes, ao ser interrogado pela Autoridade Policial, às perguntas respondeu: QUE IRIA EXERCER SEU DIREITO CONSTITUCIONAL DE PERMANECER EM SILÊNCIO. Nada mais disse nem lhe foi perguntado. Lido e assinado, fica este termo fazendo parte integrante do auto de prisão em flagrante delito epigrafado. Autoridade Policial_______________________________ Conduzido _____________________________________ Escrivão de Polícia_______________________________

Distrito Policial: 17º DP – TAGUATINGA B.O. s/n. 123546/13 NOTA DE CULPA O Doutor Bruno Gabriel, Delegado de Polícia, faz saber a Randerson Barbosa Dias, que se acha preso em flagrante delito por haver transgredido o(s): Artigo 33 da lei 11343/06. Em 13 de junho de 2013, às 7:20 horas, na A.E.n.5 e 6 Setor C Norte, Taguatinga Norte, DF, de que foram condutor e testemunhas: Emanuel França, e Juarez Moreira e Érica Silva, do que se lhe dá ciência, nesta oportunidade, para que possa tomar as providências que entender de seu interesse, a fim de ser processado na forma legal. Taguatinga, 13 de junho de 2013 _______________ Delegado de Polícia Recebi a via original deste documento na data de hoje. Taguatinga, 13 de junho de 2013.