You are on page 1of 68

www.embalagemmarca.com.

br

Para vender mais, indústrias diversificam


suas estratégias de embalagem utilizando

PAPEL CARTÃO E FLEXÍVEIS

SUCOS
Bolsas plásticas
com bico estréiam
no mercado nacional

PET FOOD
Em evidência,
snacks ganham
apresentações nobres
Inscrições abertas para o

ENTREVISTA: A necessidade da inovação • RECICLAGEM: Os efeitos da queda de preços


eDITorIaL }}} UMA CONVERSA COM O LEITOR

Todos os momentos são oportunos


entre as práticas mais à nada saudosa crise monetária brasileira

D
abominadas no jornalis- de 1999, que vinha na seqüência da russa
mo (tomara que pegue em de 1998, da asiática de 1997... Dissemos
outras áreas!) estão a bati- então: “Se dependesse dos momentos
da na mesma tecla e o uso incertos da economia, o Brasil talvez
do lugar-comum. Às vezes não há como ainda estivesse vivendo o ciclo da cana-
fugir, como agora, ao tema da crise, mas de-açúcar. A história econômica do País
também não é preciso ficar repetindo cli- não registra muitos períodos de bonança.
chês. Ultimamente têm nos servido esse Nem por isso se deixou de investir, nem
prato como se fosse carne de vaca (até os negócios pararam”.
porque o preço andou caindo), dando a O que queremos lembrar (e que no
impressão de que nada haveria de melhor final das contas acaba sendo um clichê)
para estimular os negócios do que a atual é um fator básico da dinâmica do capita-
crise econômica e financeira. “Crise é lismo: a de que as empresas não podem
oportunidade!”, repete-se alegremente e parar de crescer, pois do contrário mor-
com ares de descoberta. rem. É um assunto que será debatido, de
Se fosse assim, o Brasil seria hoje forma mais elaborada e mais profunda,
uma das primeiras economias do mundo, no Seminário Internacional “Desmisti-
pois crises, tirando um curto período ficando a Inovação em Embalagem”, “Oportunidades
nos últimos anos, sempre fizeram parte dia 3 de junho próximo, um dos eventos são maiores
do dia-a-dia nacional. De nossa parte do ciclo dE conhEcimEnto organizados
achamos que as oportunidades sempre para este ano pela Bloco de Comunica- em ocasiões de
são maiores em ocasiões de bons ventos,
como todos pudemos constatar nos refe-
ção. O Seminário integra o programa de
comemorações de décimo aniversário de
bons ventos, como
ridos anos recentes. Mas elas existem em EmbalagEmmarca. Mais detalhes podem se viu em anos
qualquer época, inclusive nas crises. Ou ser vistos na página 48 e na entrevista
seja: todos os momentos são oportunos com Maria Ângela R. Barros, presidente recentes. Mas elas
para investir, se prevalecer a precaução. da Anpei, nesta edição. Até maio. existem em
O próprio lançamento de Embala-
gEmmarca, há dez anos, se deu em meio Wilson Palhares qualquer época,
inclusive nas crises”

EMBALAGEMMARCA é Diretor de Redação: Público-Alvo


uma publicação mensal da Wilson Palhares | palhares@embalagemmarca.com.br
EMBALAGEMMARCA é dirigida a profissionais que
Bloco de Comunicação Ltda. Reportagem: redacao@embalagemmarca.com.br
Rua Arcílio Martins, 53 Andréa Espírito Santo | andrea@embalagemmarca.com.br ocupam cargos de direção, gerência e super-
CEP 04718-040 Flávio Palhares | flavio@embalagemmarca.com.br visão em empresas integrantes da cadeia de
São Paulo, SP Guilherme Kamio | guma@embalagemmarca.com.br embalagem. São profissionais envolvidos com
Marcella Freitas | marcella@embalagemmarca.com.br
Tel.: (11) 5181-6533 o desenvolvimento de embalagens e com poder
Fax: (11) 5182-9463 Departamento de arte: arte@embalagemmarca.com.br de decisão colocados principalmente nas indús-
www.embalagemmarca.com.br Diretor de arte: Carlos Gustavo Curado | carlos@embalagemmarca.com.br trias de bens de consumo, tais como alimentos,
Assistente de arte: José Hiroshi Taniguti | hiroshi@embalagemmarca.com.br
bebidas, cosméticos e medicamentos.
FOtO de caPa: stUdiO ag – andrÉ gOdOY

Filiada ao Administração:
Eunice Fruet | eunice@embalagemmarca.com.br
Marcos Palhares | marcos@embalagemmarca.com.br O conteúdo editorial de EMBALAGEMMARCA é
resguardado por direitos autorais. Não é
Departamento Comercial: comercial@embalagemmarca.com.br
permitida a reprodução de matérias editoriais
Juliana Lenz | juliana@embalagemmarca.com.br
Karin Trojan | comercial@embalagemmarca.com.br publicadas nesta revista sem autorização
Wagner Ferreira | wagner@embalagemmarca.com.br da Bloco de Comunicação Ltda. Opiniões
PRÊMIO EMBALAGEMMARCA
2009

2009

TECNOLOGIAPRODUTIVIDADEGIROCONVENIÊNCIAINOVAÇÃOREDUÇÃODECUSTOSIMPACTOAMBIENTAL
VIDADEPRATELEIRAAGREGAÇÃODEVALORLOGÍSTICAMATERIAISDESIGNCOMUNICAÇÃOSEGURANÇA
Circulação e Assinaturas (Assinatura anual: R$ 99,00): expressas em matérias assinadas não refletem
Grandes cases de embalagem
Marlyan Dulz | assinaturas@embalagemmarca.com.br necessariamente a opinião da revista.
semInÁrIo InTernaCIonaL
DesmIsTIFICanDo a Ino
3 de junho
Local: amCHam business Center, são paulo, sp

Uma discussão com profissionais da cadeia de embalagens sobre a importância

de ser inovador de verdade. Hoje, o que se vê é uma forte presença da palavra

“inovação” nos discursos corporativos. Na prática, contudo, muitas das “inovações”

se restringem a extensões de linhas ou outras coisas que agregam pouco ou nenhum

valor às empresas. Este seminário irá discutir a inovação como parte da estratégia

empresarial e como instrumento para a


Evento inte
grante das
dos 10 ano
s da revista
comemora
ções obtenção de resultados positivos
EMBALAGEMM
ARCA
para as empresas, a fim de responder à

seguinte pergunta: “por que as empresas

não inovam mais?”

Preços Seminário “Desmistificando a Inovação em Embalagem”


Até 30 de Abril Até 31 de Maio
Nº Convites Desconto
Unitário Total Unitário Total
1 0 600,00 600,00 665,00 665,00
2 5% 570,00 1.140,00 631,75 1.263,50
3 5% 570,00 1.710,00 631,75 1.895,25
4 5% 570,00 2.280,00 631,75 2.527,00
5 10% 540,00 2.700,00 598,50 2.992,50
10 15% 510,00 5.100,00 565,25 5.652,50
15 20% 480,00 7.200,00 532,00 7.980,00

w w w . c i c l o d e c o n h
to p a r a s a b er como
ta
Entre em con a a e s se evento
m a r c
associar sua m a r c a .com.br
la g e m
ciclo@emba

VaÇÃo em embaLaGens
programa*
Karim Rashid (foto)
Designer anglo-egípcio, residente em
Nova York e responsável por inúmeros
projetos de embalagem premiados.
Paulo Villas
Packaging manager/supply chain da
Coca-Cola
Renato Wakimoto
Diretor de embalagens da
Johnson & Johnson
Maria Ângela R. Barros
Presidente da Anpei – Associação
de Pesquisa e Desenvolvimento das
Empresas Inovadoras
Luís Serafim
gerente de comunicação corporativa da
3M do Brasil
Lucia Maria Klein
Analista de projetos da Finep –
Financiadora de Estudos e Projetos
* Palestrantes confirmados até 31/03/2009

paTRocínio

ciclo@embalagemmarca.com.br
(11) 5181-6533

e c i m e n t o . c o m . b r
suMáRio }}} Nº 116 }}} ABRIL 2009

10 Sucos prontos 12 Lynn Dornblaser


estréia linha nacional da bebida em especialista discorre sobre as
stand-up pouch dotada de bico mensagens embutidas nas
embalagens menos comuns

Hortifrutigranjeiros 16 Reciclagem 17
“caixa gigante” diminui perdas e sacos ecologicamente corretos
facilita transporte de frutas pesadas aprimoram a atividade

Coleta Seletiva 18
Queda nos valores dos recicláveis
causa apreensão e perdas ao setor

FOtOs: divULgaçãO
Chás prontos 30
Lata de alumínio leva Matte

22
Leão a novos mercados
Reportagem de capa: Marketing
32 Pet Food
disputa entre embalagens de papel cartão e flexíveis plásticas mostra
o desafio das marcas para ganhar a atenção dos consumidores

46
snacks ganham
Internacional
36
espaço nas
prateleiras e
conquistam Entrevista Karim rashid dá seu toque
donos de pets de midas no design de
em grande estilo Maria Ângela barros,
chocolate premium turco
presidente da anpei, fala
de incentivos à inovação
tecnológica

42 Internacional
Ações
48
garrafa de “papel” surge como
solução ecológica para envase de água Institucionais
bloco de comunicação
comemora interesse
crescente por seminário
internacional de inovação
e PRÊMIO EMBALAGEMMARCA

6 EmbalagemMarca abril 2009


Editorial 3
Uma conversa com o leitor

Só na web 8
O que a seção de notícias de www.embalagemmarca.com.br
e a e-newsletter semanal levam aos internautas

Espaço aberto 9
Opiniões, críticas e sugestões de nossos leitores

Panorama 52
Movimentação do mundo das embalagens e das marcas

Painel gráfico 56
Produtos e processos da área gráfica para a produção de
rótulos e embalagens

Display 60
Lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagens

Almanaque 66
Fatos e curiosidades do mundo das marcas e das embalagens

www.embalagemmarca.com.br
só na web
Amostra da seção diária de notícias de www.embalagemmarca.com.br e da e-newsletter semanal da revista

flexíveis
EmbalagemMarca no
Abief tem nova diretoria
Tomou posse no
último dia 7 de
Fique por dentro do que acontece
abril, no Salão
no mundo das embalagens. Recebe as
Nobre da Fiesp,
notícias de EmbalagemMarca pelo Twitter.
a nova diretoria
http://twitter.com/embalagemmarca da Associação

Fotos: divulgação
Brasileira da
Indústria de
almanaque
Embalagens
Primeira garrafa da Coca-Cola faz 115 anos Plásticas Flexíveis
(Abief), eleita para o exercício 2009/2011. O
Criada em 1886, a Coca-Cola era
novo presidente da entidade é Alfredo Schmitt
vendida a granel, em pequenos barris
(foto), da FFS Filmes. Leia mais em
de madeira ou em copos. A idéia
www.embalagemmarca.com.br/abiefposse
de vender a bebida em garrafas só
surgiu doze anos depois. A primeira
garrafa de Coca-Cola, vendida no dia equipamentos
12 de março de 1894 em Vicksburg,
Mississippi, era standard, muito
Bekum fecha fábrica no Brasil
diferente da garrafa contour que se Depois de demitir sessente dos seus 84 funcionários, a Bekum
tornou o ícone da marca. do Brasil, subsidiária da fabricante alemã de sopradoras por
Leia mais em extrusão contínua, anunciou a desativação da sua fábrica
www.embalagemmarca.com. na Zona Sul de São Paulo. A empresa passa a importar os
br/115cocacola equipamentos. Leia mais em
www.embalagemmarca.com.br/bekumdesativacao

display
internacional
Moça vai para a caixinha
Topless na cerveja
O consumidor dos Estados do A cerveja Skinny Blonde Beer é a
Sul do Brasil já encontra o Leite nova sensação na Austrália. A pin-up
Condensado Moça, da Nestlé, em desenhada no rótulo faz um topless
caixinhas da Tetra Pak. O produto conforme a temperatura da garrafa vai
chega com a mesma quantidade subindo. O efeito é conseguido graças
da lata de aço, 395 gramas. Leia à tinta termossensível utilizada na
mais em impressão. Leia mais em
www.embalagemmarca.com.br/ www.embalagemmarca.com.br/
mocatetrapak cervejaloira

Para visitar: alguns sites e blogs recomendados pela redação de EmbalagemMarca


http://www.shelflife.com.br http://dieline.typepad.com/blog http://ikoni.wordpress.com

8 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


espaÇo aberTo

Luxo

S onho com um Brasil que exporte seus produtos com


valor agregado, como um café instantâneo já embalado
e em diferentes sabores, em vez de exportá-lo em tone-
ladas de grãos. Assim como os Estados Unidos exportam
a Starbucks, e os italianos exportam o seu Parmigiano-
Reggiano, tenho esperança que o Brasil irá cada vez
mais vender os seus produtos em embalagem de luxo, e
cada vez menos como commodities.
Walmir Rocha
RotoMetrics
Vendas internacionais
Eureka, Estados Unidos

Parabéns pelas reportagens na revista. A clareza de


informações fará com que o público-alvo tenha um
entendimento imediato dos produtos, não deixando
dúvidas para serem dirimidas em outras ocasiões. A
competência para inovação não é para qualquer um.
Desejo sucesso a todos e um abraço.
Flávio Gasparoto
Birigui, SP

A revista EmbalagEmmarca é interessantíssima e


muito útil. A edição em espanhol nos brinda com um
excelente conteúdo sem nenhum encargo. É um víncu-
lo de conhecimento e ajuda aos profissionais do setor.
Felicitações por esta iniciativa. Esforços dessa natureza
deveriam proliferar em nossa região. Sigam adiante.
Guadalupe Cornejo
Buenos Aires, Argentina

CORREÇÃO
• A agência de publicidade que realizou o design dos
potes plásticos da Parmalat (“De boca em boca”, pág.
20, EMBALAGEMMARCA nº 115) é a A10 (www.a10.com.br) e
não Dez, como foi publicado na reportagem

www.embalagemmarca.com.br
}}} sucos prontos

A primeira bicada
Empresa gaúcha promove a estréia do stand-up pouch com bico,
sucesso em outros países, no mercado nacional de sucos prontos para beber

U
m novo episódio na série em pontos-de-venda do Sul e do Sudes- tando fornecedores potenciais, listados
do “até que enfim”, aquela te, numa iniciativa da Shelby, fabricante numa reportagem de EmbalagemMarca
que coleciona as adoções, de frutas em calda e geléias sediada em sobre stand-up pouches para alimentos”,
no Brasil, de conceitos de Pelotas (RS). conta Amílcar Zanotta, diretor da Shelby.
embalagem bem-sucedi- A entrada no negócio de sucos, diver- A empresa então adquiriu, por valor não
dos no exterior: estréia, ainda em abril, a sificando as atividades, era uma idéia em revelado, uma máquina envasadora para
primeira linha nacional de sucos prontos gestação na Shelby há alguns anos. O uso o sistema, e fechou um contrato de abas-
acondicionados nos chamados stand-up de spouted pouches começou a ser cogi- tecimento de embalagens com a MAN
spouted pouches – bolsas plásticas que tado durante uma visita de profissionais Ferrostaal – representante de diversos
param em pé dotadas de bico (spout) para da empresa gaúcha à edição de 2005 da convertedores asiáticos e europeus.
consumo direto. Já populares na Europa, Anuga, famosa feira alemã de tecnologia Com formato cinturado, para facilitar
na Ásia, nos Estados Unidos e até nos para indústrias de alimentos e bebidas. o manuseio, e impressos com oito cores
vizinhos Chile e Argentina, os sucos em “Meses depois, iniciamos um estudo de por rotogravura, os spouted pouches da
spouted pouch irão desencantar no País, viabilidade do conceito no Brasil consul- Shelby são importados pré-formados,
fotos: carlos curado – bloco de comunicação

Similares estrangeiros, vistos na Alemanha, inspiraram Shelby a apostar nos sucos em bolsas com válvula

10 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


Pouches, impressos com oito cores por rotogravura, são fornecidos pré-formados, já com o bico

com bico já selado ao corpo. “O enva- latino de bebidas”. Indo além no cotejo, o
samento ocorre justamente pelo bico, e diretor da Shelby entende que o pouch é
a aplicação posterior da tampa ativa um também vantajoso em termos industriais.
sistema de lacre”, explica Roberto Hin- “O pouch conta com uma malha mais
richsen, executivo da MAN Ferrostaal. ampla de fornecedores.”
A fornecedora prefere não divulgar a Inicialmente, a cadência da linha de
origem das embalagens. Zanotta também sucos da Shelby será de 250 mil uni-
mantém a discrição, evitando falar sobre dades/mês, somadas as produções dos
a estrutura das embalagens e sobre a tec- quatros sabores. A fabricante está à pro-
nologia de envasamento empregada para cura de distribuidores para suas bebidas,
os sucos, livres de conservantes e lança- e informa que investirá em marketing,
dos em quatro sabores (pêssego, abacaxi, sobretudo em ações de sampling em
laranja e uva). pontos-de-venda, para “ativar” o lança-
mento. Zanotta acredita que o conceito
Consumo paulatino cairá no gosto do brasileiro. “Apostamos
Os spouted pouches da Shelby acondi- numa aceitação do consumidor nos mol-
cionam 200 mililitros e miram os sucos des daquela que ocorreu recentemente
acondicionados em cartonadas assépticas com os molhos de tomate em embalagem
do mesmo volume. “Diferentemente das flexível.” (GK)
caixinhas longa vida com essa capaci-
dade, que geralmente acoplam canudi-
MAN Ferrostaal
nhos”, lembra Zanotta, “os pouches com
(11) 5522-5999
bico e tampa propiciam o consumo pau- www.manferrostaal.com.br

Em AGoSto dE 1999... SÉRIE


Conhaque experimentou
A estréia em sucos prontos mesma família fundadora
é um novo alento para os da Companhia Metalúrgica
spouted pouches na seara Prada, importante fabricante
das bebidas nacionais. de embalagens metálicas
Nessa área, tais embalagens – forneceu no País, por
já foram alvo de algumas alguns anos, spouted
experiências locais que não pouches para isotônicos
se firmaram no mercado. e bebidas alcoólicas
Em parceria com a destiladas. Um dos adeptos
multinacional italiana guala, foi o conhaque Dreher, cujo
a antiga Companhia Prada lançamento foi registrado
de Embalagens – operação por EmbalagEmmarca nº 3 Dreher em spouted pouch:
mantida até 2000 pela (agosto de 1999). lançamento há dez anos

www.embalagemmarca.com.br abril 2009 EmbalagemMarca 11


ARTIGO }}} LYNN DORNBLASER

A mensagem embutida nas


embalagens menos comuns
C
om o inegável status que alcan- O primeiro produto apresentado é um kit
çaram nos dias atuais para a da fabricante de produtos para animais de
apresentação e o posiciona- estimação Cain & Able, dos Estados Unidos,
mento de produtos, as embala- o Dog Spa Take Out!. Ele foi desenvolvido
gens são berço de criatividade com a premissa de que “Cada Cachorro tem
e sobram motivos para que despertem no o seu Dia”, e a embalagem, destinada à mon-
consumidor um sentido de extravagância, tagem de um kit de higiene que inclui um
sensações de diversão ou, até mesmo, de xampu, um condicionador e um spray para
aventura. aplicar entre os banhos, assemelha-se a uma
Também observamos embalagens, como caixa utilizada para acondicionamento de
“A semelhança os dois exemplos mostrados nesta edição, comida chinesa para entregas em domicílio
encontrada inspiradas em outras categorias de produtos, (para verossimilhança do kit com a idéia da
mas com alterações em sua funcionalidade. comida chinesa, o fabricante agregou ainda
entre emba- Essas embalagens apresentam visual fami- ao box um biscoito da sorte, acondicionado
liar, mas trazem modificações em relação ao em uma embalagem flexível), com formas
lagens de seu uso original, criando um senso de diver- mais quadradas e uma alça de arame.
são e familiaridade. Fabricada em papel cartão, a embalagem
produtos de tem uma trava manual na parte superior
categorias e uma alça metálica integrada para pos-
sibilitar a pega. Os produtos desse kit
distintas ou são decorados com rótulo wrap around
impresso em offset sobre substrato plás-
associação a tico, e tampa produzida por processo de
marcas conso- injeção. A embalagem contém produtos
de higiene nas versões com cerca de 59
lidadas auxilia mililitros – no total, somando todo o con-
teúdo, obtém-se 177 mililitros de produto
na estratégia –, por um preço em torno de 15 dólares
de vendas pela (cerca de 35 reais).
Avaliando o segmento de produtos para
criatividade ” animais de estimação, constata-se que encon-
tramos no mercado produtos cada vez mais

Embalagem da Cain
açãO

& Able: surpresa à


chinesa na hora do
divULg

banho dos bichos


de estimação
FOtOs:

12 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


indulgentes, luxuosos e exclusivos. Com framboesas, se espalhe pelo ar.
freqüência, esses produtos imitam o que os A embalagem deste produto, que faz a
donos dos bichinhos comprariam para si “dobradinha” vela-aromatizador, auxilia a
próprios: aliás, esse é um recurso comum no Snapple a perpetuar de maneira inusitada
mercado americano. sua marca e seu visual distinto na mente dos
Outro exemplo de embalagem bem inco- consumidores (share of mind). A empresa
mum que ajuda a transmitir uma mensagem- tem ação semelhante de licenciamento de seu
chave sobre o produto foi utilizado pela nome para uso em batons protetores e outros
Global Gift, empresa americana que cria itens de cuidados pessoais.
presentes com nomes licenciados de mar-
cas fortes. Recentemente, a empresa lançou Lynn Dornblaser é diretora da divisão CPG Trend
uma vela aromática batizada de Snapple Insight da consultoria Mintel International, com
escritórios em Chicago e Londres. Com mais de
Luminations.
vinte anos dedicados a análises de tendências glo-
O que faz essa embalagem se destacar é,
bais de consumo, ela pode ser contatada pelo
justamente, sua semelhança com a garrafa de
e-mail lynnd@mintel.com
sucos Snapple. Os sucos Snapple começaram
a ganhar popularidade nos Estados Unidos
no início dos anos 1990, quando o fabricante
usou a personagem Snapple Lady como parte
de uma conhecida campanha de marketing.
Nas duas últimas décadas, a Snapple tem
feito um excelente trabalho ao se manter
na vanguarda em termos de tendências em
bebidas. Além de sua extensa linha de sucos,
a empresa está expandindo sua atuação para


o segmento de bebidas funcionais, oferecen-
do benefícios imunológicos, metabólicos e
hidratantes, e adicionando a elas ingredientes
como vitaminas e minerais essenciais. Para
fortalecer sua linha de sucos e manter-se à
frente da concorrência, a empresa lançou,
ainda, diferentes tipos de chás e de águas
saborizadas.
FOtOs: divULgaçãO

A embalagem para a vela aromática é de


vidro e está dividida em duas partes. A por-
ção inferior contém a vela propriamente dita,
com aroma de frutas. Já a parte superior, um
frasco, transforma-se em um aromatizador de
ambientes. Um anel de borracha encaixa-se
entre as duas partes da embalagem para aju-
dar a proteger as superfícies do atrito.
Para utilizar o produto, o consumidor
deve desrosquear a tampa do frasco da parte
superior para permitir que o cheiro do aro- A dobradinha vela-aromatizador (à direita, desmontada em duas partes):
matizador, contido em pequenas imitações de associação à garrafa de sucos Snapple reforça o share of mind da marca

14 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


}}} hortifrutigranjeiros

Menos rudeza, mais eficácia


Caixa especial diminui as perdas e facilita as exportações de frutas pesadas

O
ssim como acontece com
outros itens hortifrutigran-
jeiros no Brasil, frutas
pesadas como melancias
e abóboras também pade-
cem de perdas enormes em virtude de
processos rudimentares de transporte
e de acondicionamento. Além disso, o

divulgação
emprego em larga escala de processos
de manuseio ao longo de suas cadeias de
produção e distribuição costuma causar
elevados níveis de problemas ocupacio-
nais e de absenteísmo dos trabalhadores.
Uma solução para tornar esse tipo de
atividade mais produtiva e menos hostil
foi adotada pela distribuidora paulista de Benassi racionalizou
aquisições de embalagens Rigesa
frutas Benassi. e o transporte de frutas de (19) 3707-4000
Para aprimorar os padrões de exporta- grande porte, como melancias www.rigesa.com.br
ção de melancias, cocos verdes e abóbo-
ras e agilizar o abastecimento de navios dade era muito mais custoso, pela neces- náveis de plástico, metal ou madeira
de passageiros que atracam na costa bra- sidade de aquisição de maior número de utilizadas nos embarques para países
sileira durante o verão, a empresa passou caixas devido ao baixo aproveitamento com rigorosas exigências quanto a emba-
a empregar caixas de grande porte de do recipiente”, conta Eduardo Benassi, lagens com tratamentos fitossanitários
papelão ondulado, especialmente proje- sócio-proprietário da Benassi. “O pro- (para o controle de pragas agrícolas).
tadas para frutas pesadas. cedimento antigo impactava também o “No Brasil, sua aplicação está restrita à
Criadas pela Rigesa, as caixas levam transporte, que era mal dimensionado, exportação”, comenta Perucci.
em sua composição fibras virgens e lon- exigindo maior número de viagens dos A própria Benassi prefere utilizar as
gas e são laminadas com ondas duplas caminhões.” chamadas gaiolas – contentores arama-
para reforço de resistência. De fácil mon- Além da racionalização das cargas, dos metálicos retornáveis – para a distri-
tagem, podem ser fabricadas em diversas as “caixas gigantes” também proporcio- buição no território nacional. A alegação
gramaturas e têm as paredes encaixáveis, naram outros benefícios aos processos é de que tais embalagens apresentam
dispensando cola para fixação. Também logísticos da empresa. “Ela é prática de menor custo para o fluxo de trabalho no
podem receber perfurações, de modo a armazenar, por ser desmontável, tem mercado doméstico, bem mais intenso
facilitar a refrigeração do conteúdo. boa resistência à compressão do fundo e que o das exportações, que ainda deman-
é dotada de tratamento hidro-repelente, dam somente 300 “caixas gigantes” por
Melhor aproveitamento fundamental para suportar embarques ano. A Rigesa, contudo, ressalta que a
Com capacidades que variam entre 300 marítimos”, conta Benassi. “Ademais, as caixa já é utilizada como padrão domés-
e 600 quilos, dependendo da fruta, as cargas ganharam um visual mais nobre tico em outros países. “Produtores dos
caixas adotadas pela Benassi são movi- com elas.” Estados Unidos, por exemplo, a utilizam
mentadas por empilhadeiras, eliminando Marcelo Perucci, especialista de pro- para o transporte interno e para a exposi-
a mão-de-obra antes exigida para manu- duto da Rigesa, argumenta que o tipo de ção das frutas nos pontos-de-venda, devi-
seio de caixas menores de capacidade caixa adotado pela Benassi, descartável, do à alta resistência na armazenagem”,
unitária. “Acondicionar frutas por uni- é uma opção vantajosa às soluções retor- ilustra Perucci. (AES)

16 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


}}} REciclagEM

Coleta mais correta


Logística reversa passa a contar com sacos “verdes”

M
ais conhecida pela fabri- oxigênio, à luz ou ao calor (o aditivo é
cação de embalagens de o d2w, da inglesa Symphony Plastics,
filme plástico termoenco- representada no mercado nacional pela
lhível (shrinks) para bebi- Res Brasil). Existe também uma versão
das, a Ladal, de Rio Claro para resíduos orgânicos, fabricada com
(SP), começa a divulgar uma linha de o plástico compostável Ecoflex, da
produtos cujo objetivo é aprimorar a Basf, que começa a se degradar após
coleta seletiva. Trata-se da STeeL, uma dois meses em ambiente adequado de
família de sacos para a forração de compostagem.
receptáculos de resíduos (coletores). As Os sacos, confeccionados nos
embalagens permitem que os descartes dimensionais aprovados pela legislação
continuem identificados após a retirada e dentro das normas ABNT NBR/Inme-
dos coletores, facilitando a logística tro, estarão disponíveis em diferentes
reversa dos materiais recicláveis. “A tamanhos na faixa dos 15 aos 200
idéia é aprimorar principalmente a reci- litros, para aplicações em indústrias,
clagem de embalagens”, diz Roberto órgãos governamentais, atacadistas e
Araújo Lacerda, diretor da Ladal. varejistas. A linha STeeL tem também
O destaque da linha STeeL é a sua cunho sócio-ambiental. Os versos das
composição por sacos ecologicamente embalagens dos sacos trazem anexadas
corretos. Há dois tipos de sacos para lâminas com informações sobre pre-
resíduos sólidos: um fabricado a partir servação ambiental. Além disso, 2%
da reciclagem de embalagens plásticas, da renda com as vendas da linha serão
cujas fontes de captação são justamente doados ao Grupo de Apoio à Criança
os clientes da Ladal, e outro oxi-biode- com Câncer (GACC). (GK)
gradável – dotado de um aditivo que o
Basf Ladal Res Brasil
faz começar a se desintegrar em seis (11) 3043-2745 (19) 3522-5400 (19) 3871-5185
ou oito meses se houver exposição ao www.basf.com.br www.ladal.com.br www.resbrasil.com.br
FOtOs:bLOcO de cOMUnicaçãO

Sacos, produzidos com


materiais ecologicamente
corretos, transmitem
mensagens de preservação
ambiental (no destaque)
}}} colETa sElETiVa

Reflexos do viés de baixa


Queda de valor dos materiais pós-consumo causa apreensão quanto
à reciclagem de embalagens, mas também evidencia oportunidades

N
uma trajetória que se sustentou o ano passado, não davam conta de atender.
durante anos até meados de 2008, a A questão que se coloca, então, é se a recicla-
reciclagem de embalagens no Brasil gem de embalagens no Brasil corre risco.
vinha sendo beneficiada pela valo- No caso das latinhas de alumínio, a Associa-
rização dos materiais pós-consumo. ção Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta
As turbulências na economia mundial, contudo, Reciclabilidade (Abralatas) diz que não. “Não
mudaram a situação. Com a recessão e as quedas acreditamos numa redução dos níveis de coleta”,
dos custos das commodities, o mercado de resí- afirma Renault de Freitas Castro, diretor execu-
duos sólidos passou a sofrer progressiva depre- tivo da entidade. Segundo a Abralatas, além da
ciação. O preço do papelão ondulado descartado, queda nos preços internacionais das commodities,
por exemplo, despencou 70% em poucos meses. a depreciação do alumínio pós-consumo se deveu
Menina-dos-olhos dos catadores, a latinha de alu- a uma redução na demanda da indústria de bebi-
mínio hoje vale 57% menos do que há um ano. O das, que experimentou leve queda de vendas no
baque foi geral (veja o quadro). último verão, e pela desaceleração do setor auto-
O atual cenário alimenta preocupações. Ocorre mobilístico, que num passado recente já chegou a
que, no Brasil, as cotações das sucatas influenciam ser responsável pela compra de 40% da sucata em
fortemente a coleta, uma vez que ela é lastreada circulação no mercado. Castro estima que o índice
em boa parte na informalidade. Com as quedas de 97% de reciclagem de latinhas de alumínio em
acentuadas de preços, não é incoerente supor que 2007, recorde mundial, será mantido em 2008 – e
muitos catadores possam passar a priorizar outros aposta na manutenção desse nível em 2009.
tipos de resíduos, ou até mesmo abraçar atividades
diferentes, momentaneamente mais rentáveis. De Retomada possível
acordo com notícias veiculadas em jornais e em Apesar da conjuntura desfavorável, outros seg-
outros meios de comunicação, as cooperativas mentos da indústria de embalagens não demons-
vêm se ressentindo de acúmulos repentinos de tram pessimismo. A Associação Técnica Brasileira
produtos, contrastantes com as demandas que, até das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro),

QUEDA LIVRE
Preço da tonelada de materiais recicláveis
despencou em São Paulo a partir do segundo semestre de 2008
FOnte: ceMPre - MarçO/2009

papEl laTas VidRo plásTico plásTico longa


papElÃo BRanco dE aço aluMínio incoloR Rígido pET FilME Vida
JANEIRO/  * ***
FEVEREIRO 2008 540
*
500 300 3500 220 900* 1100 600 280
*

SETEMBRO/  ** *** *** ** **


OUTUBRO 2008 200 400 320 3200 150  900 1150
***
470 200***
JANEIRO/ *** ** ***
FEVEREIRO 2009

120 240
**
80 1800 ** 100 200 750*** 400*** 120
(EM REAIS - POR TONELADA) (*)PRENSADO (**)LIMPO (***)PRENSADO E LIMPO

18 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


por exemplo, diz que a reciclagem de embalagens
de vidro não sofreu abalos sérios, devido a uma
grande tradição de reuso do material. A entidade
projeta um índice de reciclagem de cerca de 47%
em 2009 – taxa que vem se mantendo na média de
45% desde 2003.
Por sua vez, Alfredo Sette, presidente da Asso-
ciação Brasileira da Indústria do PET (Abipet),
visualiza uma recuperação do preço da resina
pós-consumo em curto prazo, impulsionada por
aumentos das demandas de fabricantes de roupas,
tintas, vassouras e acessórios automotivos.
O dirigente da Abipet, entretanto, adverte

Fotos: divulgação
que, para que a indústria nacional da reciclagem
se desenvolva de forma saudável e sustentável,
gerando ainda mais benefícios sociais, econô-
micos e ambientais, é preciso incrementar os Castro, da Abralatas: baseados em materiais recicláveis, ante os preços
“Índice recorde de
programas de coleta seletiva no país. O diretor reciclagem de latas em queda, poderia estar mais clara para o setor
executivo do Compromisso Empresarial para em 2007 deve se produtivo. Há quem defenda que, apesar dos pesa-
repetir em 2008 e,
Reciclagem (Cempre), André Vilhena, concorda espera-se, em 2009” res, essa possibilidade continua latente. “Sob o
com Sette, entendendo que a fase crítica pode cenário atual, temos chance de impulsionar o sta-
escancarar a necessidade de se aprimorar o reco- tus de matéria-prima industrial que os recicláveis
lhimento criterioso dos resíduos sólidos – apon- adquiriram ao longo dos anos”, avalia Vilhena.
tado, não de hoje, como o grande obstáculo para “Aplicações em embalagens, para o lançamento
o crescimento da reciclagem no País (apenas 405 de produtos, estão entre as principais oportunida-
dos mais de 5 500 municípios brasileiros pos- Abipet des ao alcance das indústrias.” (AES)
suem programas dessa natureza). “A ineficiência (11) 3078-1688
www.abipet.org.br
da coleta seletiva repercute como um demérito
para a atividade”, lamenta Vilhena.
Se a coleta seletiva estivesse mais avançada
Abividro
(11) 3255-3033
Depois de tombo,
no Brasil, assegurando o abastecimento dos reci-
www.abividro.org.br
papéis aguardam alta
cladores, a atratividade de se investir em produtos Abralatas
(61) 3327-2142 Reduções drásticas dos valores dos materiais reci-
www.abralatas.com.br
cláveis também afetaram o setor de papéis. Em
Bracelpa um ano, o preço da tonelada dos papéis brancos
(11) 3018-7800 pós-consumo caiu mais que pela metade. Para o
www.bracelpa.org.br papelão ondulado, o tombo foi ainda pior: a tone-
lada do produto pós-consumo valia em janeiro
Cempre
(11) 3889-7806 de 2008 4,5 vezes mais que hoje. A Associação
www.cempre.org.br Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa) aponta a
desvalorização do dólar, antes da crise, como um
dos responsáveis pela derrubada dos valores dos
recicláveis. Com o aumento das importações, relata
o responsável pela área de estatísticas da entidade,
Pedro Vilas Boas, o volume de material (aparas)
tornou-se maior que a demanda interna, forçando
a derrubada dos preços. “Entretanto, com a atual
valorização do dólar e a redução das importações,
Para Vilhena, do Cempre, os preços já estão estáveis e prevemos que eles se
é hora de consolidar a recuperem a partir de maio”, comenta Vilas Boas.
posição dos recicláveis
como matéria-prima

20 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


}}} reportagem de capa

UM (EN)CONTR Papel cartão e filmes plásticos são armas poderosas à


disposição da indústria usuária para ganhar batalhas na
guerra das gôndolas. Aproveitar as melhores
características de cada material é o desafio
de quem desenvolve embalagens

Por Andréa Espírito Santo

22 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


RA O OUTRO
N
a batalha travada pela atenção do consu-
midor, cortejado nos pontos-de-venda por
um número cada vez maior de marcas,
inventar e reinventar produtos tornou-se
uma regra de ouro para as indústrias. Em
variadas categorias esse imperativo tem provocado
quebras de padrões de apresentação de bens de con-
sumo, não raro vistas pela indústria do packaging
com tintas dramáticas, como se fossem duelos entre
materiais de embalagem que fatalmente redundarão
em desfechos com um prevalecendo sobre o outro.
Mas para quem efetivamente comanda as
mudanças de paisagem das gôndolas, as empre-
sas usuárias de embalagens, os confrontos nada
mais são que disputas entre estratégias que pro-
curam valer-se de todos os artifícios para vender
mais. Movimentações ocorridas nos últimos anos
em certas categorias de produtos deixam claro que
cresce, entre as usuárias de embalagens, a noção de
que nem sempre utilizar um material em detrimento
de outro é a melhor solução – e sim saber explorar
os principais atributos de cada um. Pode-se tirar essa
conclusão pelo que vem ocorrendo, por exemplo, com
o papel cartão e com os filmes plásticos.
Esses dois materiais vêm progressivamente ocu-
pando espaços comuns nas gôndolas de uma série
de produtos, mas não simplesmente como soluções
antagônicas. Cada vez mais eles são utilizados simul-
FOtO: stUdiO ag – andrÉ gOdOY

taneamente por empresas – e, em alguns casos, até se


combinam numa mesma embalagem.

www.embalagemmarca.com.br abril 2009 EmbalagemMarca 23


Um exemplo de emprego tático das embala-
gens cartonadas e das flexíveis plásticas, sem o
emprego de uma no lugar da outra, é dado pelo
mercado de sabões em pó. Apegado há décadas
aos cartuchos de papel cartão, esse segmento
foi tomado por uma propagação, mais ou menos
cinco anos atrás, das bolsas plásticas – até então
utilizadas somente em ações isoladas dos fabri-
cantes, principalmente no Nordeste. Ana Decot,
gerente de marketing corporativo da Dixie Toga,
importante fornecedora de embalagens plásticas
e cartonadas, explica que as flexíveis caíram
nas graças dos fabricantes e dos consumidores Apesar de renovar a
de sabão em pó devido à capacidade de baixar apresentação de sabões
em pó, o cartucho
custos produtivos e preços finais – um trunfo dos “horizontalizado” não
fechou as portas para as
plásticos. bolsas plásticas
época, em 2005, o cartucho clássico de sabão
No entanto, a ascensão das bolsas plásticas em pó, com formato de paralelepípedo estreito e
não varreu os cartuchos de papel cartão das gôn- alto, começou a ser substituído por uma versão
dolas de lava-roupas. Mais ou menos na mesma “horizontalizada”, mais baixa e larga. Essa “racio-
nalização” criou um novo padrão de cartucho
para sabões em pó, que se popularizou por per-
mitir o acondicionamento dos mesmos volumes
das versões antigas (1 quilo e 500 gramas) com
economia de material e ganhos logísticos (um
estudo da Sociedade Brasileira de Matemática,
disponível em http://www.rpm.org.br/conheca/60/
embalagens.pdf, demonstra a economia alcançada
com esse tipo de redimensionamento).
“Com o cartucho horizontal ganhamos maior
exposição nos pontos-de-venda e até 30% mais
espaço para estoque nas gôndolas”, diz Priya
Patel, diretora de marketing da área de Higiene
e Limpeza da Unilever. “É uma embalagem mais
fácil de manusear e de armazenar que a antiga, e
garante que o sabão em pó fique ‘soltinho’ por
mais tempo.”
Embora tenha diminuído a disparidade de
Matinais seguem a trilha dos sabões preço em relação às econômicas bolsas plásticas,
Uma iniciativa nos moldes da que sucedeu com os detergentes em pó no Brasil o formato “horizontalizado” não surgiu para ser
está ocorrendo nos Estados Unidos, numa outra categoria tradicionalmente ape- uma redenção do cartucho de sabão em pó. A
gada ao cartucho de papel cartão. Lá, a multinacional Kellogg acaba de introduzir,
marca líder Omo, da Unilever, adotou o novo car-
em mercados-piloto, cartuchos mais baixos e largos para seus cereais matinais.
tucho com sucesso (fruto de um projeto chamado
Como no caso dos sabões em pó nacionais, não houve alteração de volumes entre
Vitrine, conduzido em parceria com a Dixie Toga
as embalagens antiga e nova. “A variação dos formatos tem ainda como objetivo
reduzir o uso de matéria-prima, gerando menos material para descarte”, informa,
no ano de 2005), mas também ganhou versões em
por meio de assessoria de comunicação, a área de marketing da subsidiária bra- bolsas plásticas (produzidas pela Plastifica), com
sileira da Kellogg. A empresa avisa que, por ora, acredita na força do papel cartão volumes de 1,6 quilo a 4 quilos. “Os formatos
como embalagem vendedora de seus produtos. Mas avisa que acompanha a evo- diferentes atendem canais de vendas específicos e
lução do mercado, “disposta a se adaptar a novos desafios impostos por embala- perfis variados do consumidor”, explica Patel.
gens alternativas como as flexíveis”. Entre muitos outros, segmentos como os de

24 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


cervejas, cafés, sabonetes e chocolates também
evidenciam como se tornou inadequado colocar
na balança as adoções de embalagens cartonadas
e flexíveis, interpretando-as exclusivamente sob a
óptica do “toma lá, dá cá” entre materiais. No caso
das cervejas, houve quem decretasse o fim do uso
do papel cartão em multipacks (embalagens para
múltiplas unidades) de bebidas, devido à escalada
dos shrinks (multipacks produzidas com filme
plástico termoencolhível) a partir do fim dos anos
90. Até aquela época, o papel cartão era o material
hegemônico para a produção de multipacks.
A popularização dos shrinks navegou na cor-
rente do crescimento das vendas de cervejas em
lata. “Comparado ao papel cartão, o shrink garan-
te resistência na formação segura de multipacks
com maior número de latinhas, proporcionando
exposição diferenciada do produto no ponto-de-
venda”, ressalta Douglas Costa, gerente de marke-
ting da Cervejaria Petrópolis. “Porém, não se pode
negar que seus maiores atrativos são o baixo custo
e a alta velocidade que possibilita à produção, fun-

Latas e long necks de cerveja


abrem espaços para shrinks
e multipacks cartonadas
Fotos: bloco de comunicação

www.embalagemmarca.com.br
Em outubro de 1999... SÉRIE

Ice Packs já
garantiam bebida gelada
As multipacks que funcionam como uma geladeira
portátil, permitindo a adição de gelo, já faziam sucesso
há dez anos. Em sua edição nº 5, de outubro de 1999,
EmbalagemMarca abordou iniciativas da Kaiser e da
Papel cartão Coca-Cola com embalagens desse gênero (à dir.).
propicia conveniência:
multipack vira cooler

damentais para manutenção da competitividade premium, responsável por cerca de 6% do total de


frente à concorrência acirrada.” cervejas consumidas no País e que tem crescido
No caso das cervejas em garrafas de vidro nos últimos anos, é um canal de escoamento pro-
long neck, as multipacks cartonadas mantiveram pício para o material. A Femsa, destaca Morici,
popularidade devido ao apelo premium desses promoveu uma recente migração das latas de
produtos, comercializados a preços maiores que Heineken dos shrinks para uma multipack carto-
os das versões em lata. Mesmo assim, não estão nada com formato de maleta, buscando revigorar
livres da concorrência: a Schincariol, por exem- a apresentação da marca.
plo, utiliza shrinks para agrupar long necks de
cerveja. Em contrapartida, algumas iniciativas Combinação em cafés
têm buscado reafirmar o valor do papel cartão em O apelo de enobrecimento vem também cavando
multipacks para latinhas através de atributos de espaços para o papel cartão no mercado de cafés –
funcionalidade. É o caso da Petrópolis, que lançou mas não em substituições de embalagens flexíveis,
em 2008 uma multipack cartonada especial para que reinam absolutas nessa área. As oportunidades
a cerveja Itaipava Premium. Produzida pela Gra- compreendem usos conjugados com as embala-
phic Packaging, ela possui dimensões adequadas gens flexíveis a vácuo, responsáveis por acondi-
para o armazenamento na geladeira, funcionando cionar 42% dos cafés brasileiros (só perdendo em
como dispenser para dez latinhas da bebida. Por participação para as flexíveis conhecidas como
sua vez, a Femsa adotou multipacks cartonadas almofadas, nas quais são acondicionados 43% da
do tipo fridge pack, produzidas pela Rigesa, para produção destinada ao varejo). “O papel cartão
sua cerveja Sol. São caixas cartonadas capazes de vem sendo utilizado como sobre-embalagem para
se transformar em recipientes térmicos para o res- ocultar a rugosidade característica das flexíveis
friamento, com gelo, de latinhas. O papel cartão
empregado leva revestimento impermeabilizante.
Riccardo Morici, diretor de marketing
da Femsa, argumenta que esse
tipo de conveniência é o
que mantém o papel car-
tão “vivo” como multi-
pack para cervejas. Ele
lembra que o segmento
o
açã
nic
omu
de c

Papel cartão e
co
blo

flexíveis dividem
os:

espaço em
Fot

embalagens de
cafés a vácuo

26 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


a vácuo”, aponta Nathan Herszkowicz, diretor
executivo da Associação Brasileira da Indústria
de Café (Abic).
Já no caso dos sabonetes, o papel cartão expe-
rimentou um boom de utilização para as versões
em barra com posicionamento de maior valor
agregado. Marcas como Dove e Lux Luxo, da
Unilever, e Francis e Hydratta, da Bertin, puxa-
ram esse fenômeno nos últimos anos. “O cartucho
acondiciona o produto de forma segura, garantin-
do suas características até o momento da compra”,
defende Fernanda Conejo, gerente de marketing Depois do avanço dos
cartuchos entre os
da Unilever para Dove e Lux Luxo (sabonetes que sabonetes, flexíveis
utilizam cartuchos confeccionados pela Brasilgra- contra-atacaram com
filmes mates
fica). “Ademais, é uma embalagem que se destaca
das commodities no ponto-de-venda, o que se
alinha ao nosso objetivo.”
As embalagens plásticas flexíveis, no entanto,
passaram a disputar espaços com os cartuchos há
mais ou menos quatro anos a partir da difusão dos
filmes de polipropileno bi-orientado (BOPP) com
acabamento fosco (mate), cuja aparência lembra

www.embalagemmarca.com.br
a do papel. Cláudio Garcia, gerente comercial Flow packs predominam entre os
chocolates, mas papel cartão tem
da Peeqflex Embalagens, fornecedora dos flow abocanhado nacos no segmento premium
packs produzidos com filme mate empregados
nos sabonetes da Nívea desde 2004, quando a
empresa optou por migrar da embalagem de
papel cartão para os flexíveis, destaca que, a seu
favor, eles conferem ar de nobreza à embalagem.
“A textura do material, acetinada, é agradável ao
toque”, diz.
Flávia Carro, gerente das marcas Francis e
Hydratta da Bertin, compartilha da opinião de
Garcia, apontando que a empresa elegeu flow-
packs de filme mate, produzidos pela Itap Bemis
e pela Inapel, como uma forma de inovar na
embalagem da linha Biogurt de sabonetes para
tratamento da pele, pelas características de moder- os empregados no Brasil apresentam impressão de
nidade e jovialidade que a embalagem empresta alta qualidade e acabamentos rebuscados, como
ao produto. “O brilho natural das flexíveis plásti- hot stamping (metalizações) e gravações em alto
cas seria inadequado ao produto, e o papel cartão relevo.
seria tradicional demais”, analisa a gerente. “O papel cartão é a melhor tradução de emba-
lagem para produtos premium, cada vez mais Praticidade agregada com
Diversificação de chocolates consumidos pelos brasileiros”, enfatiza Renata sistema de resselagem em
tabletes da Lacta
Já no segmento de chocolates, amplamente domi- Vieira, responsável pela área de marketing da
nado pelas flow packs plásticas, tem se conso- Hershey’s – que em 2007 lançou a linha de choco-
lidado a tendência de utilização de envelopes lates Special Dark em cartonadas. “A tendência é
de papel cartão para linhas premium, estratégia que a cartonada ganhe cada vez mais espaço, pois
candente entre fabricantes como Lacta, Nestlé, proporciona ótima exposição no ponto-de-venda e
Arcor e Hershey’s. Trata-se de uma replicação do é um reforço na proteção”, entende a profissional.
que consagradas marcas européias já fazem há A Hershey’s, porém, também trabalha com choco-
muito tempo. Assim como os cartuchos europeus, lates acondicionados em flow packs plásticas.

Papel cartão e embalagens plásticas flexíveis: dúvidas freqüentes


O papel cartão possibilita tra- As embalagens plásticas O papel cartão garante melhor O cartão garante embalagens
balhar com maior variedade de flexíveis asseguram melhor qualidade de impressão? mais nobres que as flexíveis?
formatos? conservação do produto? Por muito tempo prevaleceu Em flexíveis é possível trabalhar
O papel cartão pode ser trabalha- Uma das principais razões da a tese de que, por poder ser com formatos, estruturas multica-
do como uma dobradura. O pro- popularização dos plásticos é a impresso em offset, o papel cartão madas, acabamentos e dispositi-
cesso de corte-e-vinco possibilita garantia de barreiras contra oxi- possibilita visuais mais refinados. vos (zíperes ou selos refecháveis,
a criação de poliedros dos mais gênio, umidade, aromas e outros O offset, contudo, vem avançan- por exemplo) que resultam em
diversos – embora o formato de agentes que diminuem a vida útil do na área dos filmes plásticos. embalagens premium. O papel
cartucho predominante no merca- de alimentos e outros produtos. Ademais, a flexografia e a rotogra- cartão, por sua vez, possibilita
do seja o paralelepípedo comum. No entanto, o papel cartão, por vura, sistemas de impressão asso- a utilização de acabamentos
As flexíveis, por sua menor rigidez, ser semi-rígido, oferece maior pro- ciados aos filmes, vêm evoluindo sofisticados, como relevo e hot
não permitem tantas variações. teção mecânica aos produtos. notavelmente. stamping.

Alcan Packaging Dil Brands Graphic Packaging Itap Bemis Plastifica


(11) 4512-7000 (11) 4191-9711 (11) 4589-4500 (11) 2928-2000 (31) 3503-1342
www.alcan.com.br www.dilbrands.com www.graphicpkg.com.br www.dixietoga.com.br
Brasilgrafica Dixie Toga Inapel Peeqflex Embalagens Rigesa
(11) 4133-7777 (11) 2928-9497 (11) 2462-8800 (11) 5693-5400 (19) 3707-4000
www.brasilgrafica.com.br www.dixietoga.com.br www.inapel.com.br www.empax.com.br www.rigesa.com.br

28 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


o
çã
ca
ni
comu
de
co
lo
b
s:
to
Fo

Mas, ao mesmo tempo que alguns chocolates


se agarram ao atributo de enobrecimento do papel
cartão, uma linha demonstra como é também pos-
sível agregar valor utilizando-se embalagens plás-
ticas flexíveis. No ano passado, a Lacta ganhou
destaque ao lançar tabletes de chocolate de 170
gramas, com sua própria marca, acondicionados
em flow packs com um sistema especial de aber-
tura e resselagem, desenvolvido pela Alcan. O
dispositivo, baseado num adesivo especial aplica-
do à selagem longitudinal característica das flow
packs (“barbatana”), permite o consumo paulatino
e evita o rompimento do envoltório, garantindo a
preservação das qualidades do chocolate após a
abertura da embalagem.
A conclusão é que, dado o dinamismo das
empresas em suas estratégias de marketing, não
há como não relativizar o que se apregoa como
virtude infalível deste ou daquele material. “Pode
parecer óbvio, mas a escolha da embalagem deve
ser baseada no posicionamento do produto no
mercado e às necessidades de produção da empre-
sa”, afirma Marina Sanchez, diretora da agência
de design Dil Brands. “As oportunidades de
inovar surgem onde há domínio de um material, e
o end-user pode optar pela mudança, adotar uma
variável dentro de um mesmo material ou, ainda,
combinar dois ou mais deles para compor a solu-
ção final”. Tudo depende da conveniência – da
indústria usuária e, é claro, do consumidor.

www.embalagemmarca.com.br
}}} chás prontos

Rugido metálico
Matte Leão pronto adota lata de alumínio para se impor em novos canais

D
esde o seu lançamento, há 23
anos, a versão pronta para beber
do chá Matte Leão vinha sendo
acondicionada exclusivamente em
embalagens plásticas – o copinho
termoformado de 300 mililitros, embalagem ori-
ginal que se transformou em marca registrada da
bebida, e a garrafa de PET de 1,5 litro, lançada
em 1997 com vistas a facilitar o consumo casei-
ro. Para ampliar vendas, a fabricante Leão Junior
(controlada pela Coca-Cola) acaba de anunciar o
lançamento de uma extensão de linha do produto
apresentada em lata de alumínio.
Inicialmente, as latinhas de 335 mililitros,
com design gráfico da Santa Clara Nitro e fabri-
cadas pela Rexam em sua unidade de Extrema

Fotos: divulgação
(MG), serão utilizadas para o envasamento das
versões natural e com limão da bebida. Ainda
neste ano a Leão Junior deve lançar uma versão
em lata do chá verde.

Sinal verde
A empresa admite: adota a lata de alumínio “com
certo atraso”. Segundo explica o diretor comer- Latinha: extensão de linha para debelar as restrições de alguns
cial da Leão Junior, Gothardo Gouvêa, essa pontos-de-venda ao copo plástico (abaixo), embalagem clássica da bebida

demora está ligada a uma diretriz da empresa de


consolidar o maior domínio possível do mercado da Leão Junior. Ao mesmo tempo, a embalagem
de chás prontos para beber antes de diversificar a metálica surge como um facilitador da logística
estratégia de embalagem. de distribuição a pontos mais distantes das fábri-
Os resultados recentes dão coerência a essa cas do produto, como a região Nordeste, onde a
justificativa. Em 2008, as vendas do Matte Leão empresa busca ampliar negócios. “Consideramos
pronto cresceram mais de 10% no mercado este ano muito propício para testar a penetração
nacional de chás prontos, estabelecendo um da nova embalagem junto ao público. A lata de
market share de 49,1% para a Leão Junior – os alumínio reforça o apelo de refrescância da bebi-
dados são da Nielsen, que calcula que no ano da”, entende Gouvêa.
passado foram consumidos 53,7 milhões de litros A produção inicial das latinhas de Matte Leão
de chá pronto no País. será de 800 mil unidades por mês. Além da venda
Gouvêa explica que a nova versão tem o unitária, o produto será encontrado no varejo de
objetivo de difundir o Matte Leão em estabeleci- auto-serviço em multipacks de filme termoenco-
mentos comerciais que dão preferência às latas. lhível com 24 latas. (AES)
“São os casos de algumas lojas pequenas e dos
Rexam Santa Clara Nitro
restaurantes, que demonstram restrição ao traba- (21) 2104-3300 (11) 3304-0400
lho com a versão em copo”, exemplifica o diretor www.rexam.com www.santaclara.net

30 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


}}} pET Food

Arrojo nos petiscos dos pets


Snacks para cães e gatos conquistam os donos com apresentações de qualidade
Por Guilherme Kamio

P
roliferação de marcas, tes”, aponta a Nestlé para justifi-
seções maiores nos car o esmero dispensado à apre-
supermercados, multi- sentação da família de biscoitos
plicação de lojas espe- para cães Dog Chow Biscuits
cializadas. Os sinais do com conteúdo de 1 quilo (pro-
bom momento vivido no Brasil pelos fissionais da empresa cotizaram-
alimentos para animais de estimação se para atender à reportagem
são claros. Segundo dados oficiais, de EmbalagEmmarca, pedindo
o faturamento desse setor quase para o esforço ser creditado
quintuplicou nos últimos quatro “como pessoa jurídica”).
anos, alcançando a cifra de 3,22 Apesar de a fabricante afir-
bilhões de dólares em 2008*. O mar que suas embalagens de
ganho de musculatura não se deve pet food seguem “os mesmos
somente a volume, mas também padrões rígidos de qualida-
a qualidade – ou a valor agrega- de estabelecidos para aquelas
do, no linguajar do marketing. de alimentos para o consumo
Com produtos mais sofisticados, humano”, é difícil lembrar de
lançados em embalagens atraen- flexíveis tão ou mais capricha-
tes e práticas, os fabricantes têm das em seu extenso portfólio.
conseguido cativar o consumidor e
ampliar margens. “Tamanho-matilha”
É interessante o que sucede, por A embalagem empregada para
exemplo, na cada vez mais forte a versão “tamanho-matilha”
subcategoria de petiscos (snacks) dos biscoitos da Nestlé para
para cães e gatos. Trata-se de uma cães é uma bolsa plástica que
seara dominada por itens acondicio- pára em pé nas gôndolas, dota-
nados em embalagens que, curio- da de alça para facilitar o manu-
samente, poderiam ser – a bem da seio e de selo auto-adesivo do
verdade, muitas vezes são – consi- tipo abre-fecha, confeccionado
deradas caras e inexeqüíveis para pela Indexflex – acessório uti-
os tira-gostos “de humanos”. Duas lizado com certa parcimônia em flexíveis
linhas de produtos lançadas no ano PURINA DOG CHOW BISCUITS 1 KG de alimentos “de gente”. A embalagem
FOtOs: divULgaçãO

passado, a Purina Dog Chow Biscuits de também possui uma janela lateral trans-
FABRICANTE: Nestlé
1 quilo, da Nestlé, e a Whiskas Tempta- parente para que o conteúdo possa ser
EMBALAgEM: Bolsa plástica com alça que
tions, da Mars Brasil, são representantes visualizado. “Quem adquire snacks para
facilita o manuseio, janela lateral
modelares dessa situação. seu animal de estimação gosta de ver o
transparente para a visualização do
“No segmento de snacks, em que a produto na hora da compra”, entende a
conteúdo e selo auto-adesivo que permite a
compra se dá por impulso, a embalagem resselagem do pacote
multinacional suíça.
tem papel ainda mais importante. Além Embora a Purina seja um guarda-
da boa conservação do alimento, a prati- chuva global da Nestlé, a embalagem não
cidade e a inovação são bastante relevan- replica experiências internacionais da

32 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


marca. O design estrutural foi concebido
pela empresa em parceria com a Inco-
plast, convertedora da bolsa. Já o projeto
gráfico é uma adaptação, feita pela Jota-
cê, de identidade visual criada por outra
agência, a B+G Designers. A Nestlé não
revela números, mas confirma que a
linha “tem apresentado boa performan-
ce de vendas”, ganhando proeminência
entre seus demais biscoitos caninos.
Por sua vez, a linha de snacks para
gatos Whiskas Temptations, lançada pela
Mars Brasil em meados de 2008, inovou
ao adotar como embalagem para pet food
a lata cartonada multifoliada, popular
entre salgadinhos de batata. WHISKAS TEMPTATIONS
A fornecedora, inclusive, é a Sonoco
FABRICANTE: Mars Brasil
For-Plas, subsidiária brasileira da ame-
ricana Sonoco, referência na confecção EMBALAgEM: Lata cartonada multifoliada
com capacidade para 80 gramas, dotada
desse tipo de recipiente. A idéia é genui-
de selo metálico de fácil abertura e de
namente nacional. Em outros países, o
sobretampa plástica para resselagem
Whiskas Temptations é acondicionado
em bolsas plásticas. “O uso de latas
cartonadas multifoliadas para pet food é desempenho de vendas do produto. Mas
uma tendência na Europa e nos Estados afirma que ele “é um sucesso absoluto”
Unidos e uma grande novidade no Bra- em São Paulo e na região Sul, onde
sil”, situa Maria Célia Sanchez Laserna, é por ora encontrado. Na Grande São
gerente de vendas da Sonoco For-Plas. Paulo, diz a fabricante, o Temptations já
alcançou a liderança do mercado de sna-
Ruído atraente cks para gatos. “Todos os contatos com
Bianca Sabatino, gerente de marketing o nosso SAC foram para fazer elogios
de Whiskas, explica que a Mars Brasil ao produto ou para perguntar quando o
quis “fazer algo impactante para o con- lançaremos em outras regiões”, relata
sumidor brasileiro”. Ao se decidir pelo Bianca. “O consumidor quer dar ao seu
conceito, a fabricante exigiu da Jeter bichano os mesmos benefícios de quali-
Design um projeto gráfico esmerado para dade que recebe para si.”
a embalagem.
No entender de Bianca, a latinha “é * Os números são da Associação Nacio-
inovadora e traz benefícios relevantes nal dos Fabricantes de Alimentos para
de conservação do produto e de apro- Animais de Estimação (Anfal Pet).
ximação afetiva com os felinos”. “A
embalagem conserva o sabor, a crocân- B+G Designers Indexflex
cia e o aroma. Quando é aberta, o aroma (11) 5090-1460 (11) 3618-7100
‘salta’ para o consumidor”, afirma a www.bmaisg.com.br www.indexflex.com.br

executiva da Mars Brasil. “Ademais, o Jotacê Jeter Design


(11) 3255-9575 (12) 3911-6509
barulhinho emitido ao agitar-se a latinha
jotacejc@uol.com.br www.jeterdesign.com.br
atrai os gatinhos.”
Incoplast Sonoco For-Plas
Assim como a Nestlé, a Mars Brasil (48) 3657-3000 (11) 5097-2750
prefere não divulgar números sobre o www.incoplast.com.br www.sonocoforplas.com.br

www.embalagemmarca.com.br
INSCRIÇÕES

Não é concurso de beleza.


É um reconhecimento à competência.
O Prêmio EmbalagemMarca – Grandes Cases de Embalagem diferencia-se das demais
premiações existentes por avaliar os resultados concretos que as embalagens trazem para a
indústria usuária. Melhor desempenho em linha, aumento nas vendas, menor impacto ambiental
são algumas possibilidades. O aspecto visual das embalagens é importante.
Mas uma embalagem de sucesso é muito mais que apenas beleza.

Veja o regulamento e faça suas inscrições em


www.grandescases.com.br
Se você tiver dúvidas, entre em contato conosco:
premio@embalagemmarca.com.br
(11) 5181-6533
Cerimônia de Premiação: 8 de outubro VAGAS LIMITADAS!
Local: Espaço APAS (Rua Pio XI, 1200 - São Paulo, SP) Garanta já seu convite*

* Empresas com cases inscritos têm 20% de desconto nos convites para o evento, e cada inscrição efetuada
online gerará um crédito adicional de R$ 20,00. Para mais detalhes, consulte o Regulamento.
ABERTAS!

Patrocínio Premium

Patrocínio Master

Patrocínio Especial

Apoio Operacional Organização


ENTREVISTA }}} MaRia ÂngEla R. BaRRos

“Inovar é trazer resultados”

FOtO: divULgaçãO
Presidente da Anpei,
associação empresarial
dedicada a estimular a
inovação tecnológica
nas empresas, ressalta
a importância dessa
ferramenta competitiva
e afirma que muitos
instrumentos de
incentivo disponíveis
deixam de ser
aproveitados por falta
de conhecimento dos
empresários

S
ujeita a interpretações ca nas empresas”), se empenha, entre Empresas pela Faculdade de Adminis-
equivocadas de todo outros objetivos, em mostrar ao mundo tração e Economia da Universidade de
tipo, a expressão “inova- corporativo como utilizar os programas São Paulo, funções que acumula com o
ção” é comumente asso- oficiais de incentivo à inovação tecno- cargo de gerente de relações governa-
ciada a “invenção”, ou a lógica. Ocorre, como lembra a entre- mentais da Motorola Industrial.
mudanças radicais. Mas o potencial de vistada, que “por desconhecimento, Nesta entrevista, Maria Ângela adian-
confusão diminui significativamente o empresário brasileiro não aproveita ta um pouco do teor da apresentação
quando se reduz o conceito de inova- os inúmeros instrumentos colocados à que fará, dia 3 de junho próximo, em
ção a “mudanças que tragam resultados sua disposição para esse fim”. Além São Paulo, no Seminário Internacio-
para a empresa”, como explica nesta de presidente da Anpei, Maria Ângela nal “Desmistificando a Inovação em
entrevista Maria Ângela R. Barros, pre- é coordenadora do Grupo de Pesqui- Embalagem”, organizado pela revista
sidente da Associação Nacional de Pes- sa e Desenvolvimento da Associação EMBALAGEMMARCA. Faz ainda refe-
quisa, Desenvolvimento e Engenharia Brasileira da Indústria Eletroeletrônica rência a outro importante evento que
das Empresas Inovadoras (Anpei), que (Abinee). É mestre pela Universidade ocorrerá alguns dias depois: a IX
este ano completa 25 anos. de São Paulo no Prolan (Programa de Conferência Anpei de Inovação Tec-
A Anpei, cuja missão é sintetizada numa Pós-Graduação em Integração da Amé- nológica, programado para 8 a 10 de
frase (“Estimular a inovação tecnológi- rica Latina) e em Administração de junho em Porto Alegre. (WP)

36 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


De modo geral as pessoas associam tenção e crescimento, mas como um zacional, como enfoque, como gestão.
inovação a invenção, ou a criativida- fator essencial de sobrevivência da Dentro da Anpei, tratamos o assunto
de. Como a Anpei define inovação? empresa. É missão da empresa inovar do ponto de vista de inovação tec-
É algo bem claro: é o produto ou o para ter continuidade. Há vantagem nológica, de inovação dentro de um
processo novo que vai para o mercado competitiva? Com certeza, porque é círculo mais restrito, e não tão amplo,
e traz retorno para a empresa. a única maneira de ela se manter. tão genérico.
Empresa sem inovação pode até encer-
Ou seja: uma invenção ou uma inicia- rar suas atividades. A inovação não pode ocorrer também
tiva com muita criatividade nem sem- na gestão, trazendo resultados para a
pre traz necessariamente resultados Nota-se em diferentes setores de mer- empresa?
para a empresa... cado muita atividade e principalmente Sim. Pode-se mudar o modelo de
Exatamente. Criar algo inusitado e muita comunicação focadas em inova- negócio, sair de um produto específico
deixar numa prateleira, com patente, ção, que parece ter se tornado a bola e começar a trabalhar, por exemplo, o
não é inovação. da vez no mundo corporativo.Trata-se serviço desse produto. Um exemplo
de mais uma moda ou o mundo cor- é o case da IBM. A empresa inovou,
Qual a importância da inovação para porativo está tomando consciência da mudou completamente. Só que as coi-
a manutenção e o crescimento das importância da inovação? sas se dão em momentos diferentes
empresas? Ser uma empresa inovado- São ondas. No momento tem muita sob esse grande guarda-chuva que foi
ra representa vantagem competitiva? gente falando sobre inovação e fazen- a onda da inovação. Especificamente,
Vemos a inovação não só como manu- do isso do ponto de vista mais organi- em sua trajetória a Anpei trabalha com
pesquisa, desenvolvimento e inovação. da empresa a atuar como empreen- lizado. Se o esforço por inovação
A entidade agregou inovação dentro dedores, incentivá-los para que não não encontra um catalisador, ele fica
desse canal que chamamos de inova- vejam a inovação como um bicho de diluído na organização como um todo.
ção tecnológica. Nós vamos chegar a sete cabeças. É preciso dar condições A organização tem de formalmente
incorporar inovação em serviços, ou para que todos atuem no sentido de mostrar que dá importância àquilo.
inovação em organização. Isso vem A inovação entra então na estratégia
sendo discutido com os associados. de negócio. Do contrário o esforço se
perde e vira uma questão de aproveita-
Num momento como o atual, em que
“As empresas estão mento de incentivo fiscal, tributário, e
se fala até em recessão, é oportuno, ou a inovação não existe na verdade. Ela
necessário, investir em inovação? Ou
sempre inovando, ocorreu naquele exercício e não teve
é mais indicado “aguardar para ver o continuidade. Daí a importância de o
ainda que não
que acontece”, como muitas empresas núcleo de pesquisa, desenvolvimento e
estão fazendo? imaginem isso. É inovação ser formal, estruturado e com
É exatamente na hora da crise que se importância dentro da empresa. Ele
identifica a cabeça do empreendedor importante hoje pode indicar como utilizar os diver-
e a do negociante. O empreendedor sos elementos que podem transformar
vai realmente transformar a crise em em dia ter uma despesas em vantagens de incentivos
oportunidade de crescimento. É nessa à inovação.
hora que ele vai investir na área de função que possa
inovação, conseguir mudar a trajetória Que elementos são esses? O que se
da empresa e crescer. transformar essa ouve são queixas contra excesso de
burocracia, de dificuldades em con-
Neste momento alega-se que as vendas atividade em uma seguir financiamentos, que o BNDES
caíram, o faturamento caiu. Como só financia grandes empreendimen-
as empresas vão investir quando têm coisa mais visível” tos, que conseguir financiamentos na
menos capital para isso? Finep é muito complicado...
Existem alguns mecanismos governa- Existe um leque enorme de possibi-
mentais de auxílio de que se pode fazer lidades, desde financiamentos incen-
uso. O que se vê muito no Brasil é o desenvolver idéias próprias, de levar tivados e verbas subvencionadas até
total desconhecimento de mecanismos essas idéias para o ambiente de traba- incentivos diretos de abatimento de
de apoio governamental. E existem lho e daí para a corporação inteira. A impostos. São dadas facilidades con-
formas criativas de utilizar esse inves- melhor forma de fazer isso é com uma cretas para que a inovação aconte-
timento. Mesmo que se tenha redução função de pesquisa e desenvolvimento ça. Claro que há dificuldades, mas o
de investimentos, pode-se usá-los de centralizada, consciente da responsa- empresário tem de entendê-las como
forma mais direcionada. Todos são bilidade dela para a preservação da naturais, já que o gestor da coisa públi-
afetados pela crise. Se todos fugirem empresa enquanto instituição e tam- ca precisa ser cauteloso sobre onde
para o mesmo lado e não fizerem nada, bém motivação interna de um intra- está colocando o dinheiro. Mas sempre
e se um só fizer, pode ter certeza de empreendedorismo que possa levar há campo para a facilitação, para a
que é esse que vai sair ganhando. a resultados positivos. As empresas desburocratização, e a Anpei luta há
estão sempre inovando, ainda que não muitos anos para que isso aconteça.
O debate sobre inovação se divide imaginem isso. É importante hoje em São bandeiras da associação desde que
basicamente em duas grandes corren- dia ter uma função que possa transfor- ela existe, assim como são bandeiras
tes: as que listam cases de inovação mar essa atividade em uma coisa mais os incentivos que agora estão sendo
e as que enveredam por discursos transparente, mais visível. implementados e adotados pelo gover-
motivacionais. O que, efetivamente, as no. Nas empresas, desde que a inova-
empresas devem fazer para inovar? Deve então ser uma coisa formal? ção seja coordenada de forma bastante
De partida, motivar os funcionários Sim, esse núcleo tem de ser forma- profissional, é possível usufruir de

38 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


tudo que é colocado à disposição. O Em alguns segmentos eles consegui- de pesquisa, ciência e tecnologia, que
que acaba inibindo o fluxo das coisas ram se enraizar e ampliar, mas não em no Brasil é sempre ligada à área aca-
é a dispersão do conceito de inovação, todos. De alguns anos para cá, a partir dêmica. A Anpei teve todo acesso ao
a falta de perceber o que é novo. da tomada de consciência da ques- governo, e interferiu – e muito – na
tão da inovação, passou a existir um elaboração da Lei de Inovação, depois
Apesar desse trabalho sem dúvida plano governamental, uma política de na Lei do Bem, depois nos decretos
importante, a Anpei não é muito conhe- governo para a inovação. Foi a partir de regulamentação, e ainda estamos lá
cida por empresários e executivos com de 2004 que se começou a falar mais batalhando muitas coisas.
poder de decisão em várias empresas intensamente de inovação.
de expressão, pelo menos no setor de A Anpei vê a embalagem como ferra-
embalagem. A que se deve isso? A Anpei teve então influência na pos- menta de inovação? Busca ou já bus-
A Anpei nasceu de um grupo de exe- tura do governo? cou estimular ações e programas de
cutivos da área de P&D que promovia Total. Esse é um dos pontos que esta- inovação centrados na embalagem?
algumas reuniões na Faculdade de Eco- mos deixando bem claros na come- A questão da embalagem sem dúvida é
nomia e Administração da USP. Eram moração dos 25 anos da entidade. A fundamental. Dependendo do produto,
colegas, amigos, que enfrentavam os Anpei é muito mais conhecida insti- ela é o produto. Não consigo dissociar
mesmos problemas. Durante um bom tucionalmente do que no meio empre- produto de consumo da embalagem.
tempo não havia nenhuma situação por sarial, porque ela nasceu ligada às Embalagem e produto se confundem. É
parte dos empresários brasileiros para instituições. Ela estava dentro de uma importante observar que a embalagem
que essa idéia pudesse ser trabalhada. instituição acadêmica ligada à parte é feita de alguma matéria-prima. Para
citar só um exemplo, há uma enorme compras governamentais. Aqui temos mente fazendo essa open innovation.
contribuição de empresas associadas esse mecanismo, mas ele acaba não Aí veio a onda da open innovation e o
da Anpei que produzem polipropile- sendo utilizado. pessoal de fora fez o que já se fazia na
no, polietileno, PET, material vinílico. Anpei. A política industrial estimulava
Tudo isso está nas embalagens. É Uma tendência dos últimos anos, prin- a interação universidade-empresa e
tudo contribuição de associados pre- cipalmente nos Estados Unidos e na outros prestadores de serviço também,
ocupados em fornecer produtos que Europa, são os programas de inova- porque open innovation não ocorre
realmente atendam às necessidades do ção aberta (open innovation), em que só entre empresa e universidade. Ela
mercado e mantenham a qualidade e a empresas se abrem a contribuições de se dá também com outras empresas,
imagem do produto que está dentro da pessoas ou empresas fora de seus qua- com pesquisadores autônomos. Temos
embalagem. Isso abrange a cadeia pro- dros tradicionais de colaboradores. entre nossos associados empresas que
dutiva do começo ao fim. Aborda-se, Isso já é utilizado no Brasil? praticam a open innovation na sua
por exemplo, o que fazer com a caixa Já. O primeiro instrumento legal foi a essência. É totalmente aberto. Open
de papelão que precisa ser usada como Lei de Informática, que estipulava uma innovation sempre existiu. É que agora
identidade visual, como ela pode ser a onda está sendo identificada. O ponto
melhor desenvolvida, como pode ser principal na open innovation é voltar
melhor reutilizada, ou reciclada. “A questão da àquele tema de criação de um núcleo
de pesquisa, desenvolvimento e inova-
Essa questão é tratada em que âmbito
embalagem ção dentro da empresa. A proposta da
na Anpei? Como é canalizada para as Anpei é: se você não sabe o que preci-
é fundamental.
empresas? sa e o que quer, não consegue contratar
Esse será um dos focos básicos na corretamente com seus parceiros as
Dependendo do
nossa IX Conferência, que ocorrerá competências deles.
em junho e tem por tema a inovação produto, ela é
sustentando a empresa e o planeta tam- Seria uma terceirização da inovação?
bém. Gostaria de adicionar mais uma o produto. Não Não é uma simples terceirização. Na
coisa que deveria ser vista com muita verdade o núcleo tem de se manter
atenção por todos nós. Por que o Bara- consigo dissociar ligado à estratégia da empresa. Não se
ck Obama destinou trilhões de dóla- vai terceirizar na estratégia da empre-
res para pesquisa e desenvolvimen- produto de consumo sa. Mas essa interação com todos os
to? Primeiro para garantir a liderança atores hoje disponíveis traz um ganho

Veja mais em www.embalagemmarca.com.br/116entrevistaanpei


tecnológica das empresas americanas; da embalagem. fenomenal para qualquer empresa que
segundo, para fixar dentro dos Estados precisa do conhecimento.
Unidos os cérebros de que dispõem; Ambos se
e terceiro, para crescer diante da con- Este ano a Anpei comemora 25 anos
corrência. Em outras palavras: se o confundem” de fundação. O que está programado
mundo lá fora está encolhendo, vamos para comemorar esse jubileu?
tentar aglutinar as competências que contrapartida para determinado ganho Nós temos a nossa Conferência Anual,
existem lá fora e trazê-las para dentro, de realização de tributos. Deveria estamos evidenciando esse aniversá-
com investimentos em inovação. Isso haver uma contrapartida em investi- rio, vamos ter um jantar com os asso-
não é futuro, é presente. Já foram assi- mentos em pesquisa e desenvolvimen- ciados e a entrega do Prêmio Mérito
nadas as leis que elevam os orçamen- to. Desse percentual, de 1992 para cá, que a gente faz a cada dois anos. Nós
tos para pesquisa e desenvolvimento. metade tinha de ser terceirizado com temos alguns elementos que estão em
Cabe lembrar que nos Estados Unidos institutos e universidades. Isso formou conjunto durante a Conferência e que
há certa resistência do empresário em todo um espaço de troca natural. As vão evidenciar a associação. Este ano
recorrer ao governo, mas é o país onde empresas desse setor se entrosaram foi lançado o selo Anpei de Inovação e
mais o governo apóia a iniciativa pri- com os institutos, criaram seus pró- temos também um selo específico para
vada com recursos financeiros, com prios institutos e transitam normal- os 25 anos.

40 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


}}} internacional

Hidratação sustentável
Garrafa “de papel” candidata-se a solução ecológica
para o envasamento e a distribuição de água mineral

C
om a água mineral colo- amido de milho) é empregado como
cada no paredão pelos revestimento no lado interno das canoas
ambientalistas, seus engar- celulósicas, tornando-as impermeáveis e
rafadores, patrulhados, permitindo, com selagem a quente, que
intensificaram buscas por elas sejam coladas como uma concha,
embalagens mais leves e até por inova- dando forma à embalagem.
ções baseadas em plásticos “verdes”. De acordo com a Brandimage, a 360o
Mas por que não atender ao clamor por Paper Water Bottle é envasada pela base,
se acondicionar água de modo mais “através de uma cavidade de enchimento
ecológico com uma garrafa radicalmente convencional”. A inventora garante que
diferente, que não seja mais uma estiliza- o sistema é compatível com as linhas
ção de resina? de garrafas de PET, porém resguarda
Esse wishful thinking, trabalhado por detalhes sobre o método de envasamento.
profissionais da Brandimage – empresa Realça, no entanto, que a embalagem é
criada em 2008 com a fusão entre duas fornecida comprimida, de modo a otimi-

fotos: divulgação
renomadas agências de design, a francesa zar o transporte, “inflando” à medida que
Desgrippes Gobé e a americana Laga –, é enchida.
resultou na criação da 360o Paper Water
Bottle. Trata-se de uma embalagem com- Olhar holístico
posta em grande parte por polpa celuló- A abertura da embalagem ocorre ao se
sica de bambu ou de palma (dendê). Daí destacar a parte superior do gargalo, que
sua definição como “de papel”. é dotada de um semicorte. Retirado, o
A garrafa é constituída por duas cano- topo se desmonta em duas partes. Uma
as simétricas de polpa, moldada por pres- delas se encaixa ao bocal, funcionando
são a partir de chapas. Um filme ultrafi- como tampa. A outra pode ser presa a um
no de PLA (ácido poliláctico, polímero orifício lateral da garrafa semelhante a 360o Paper Bottle: garrafa para água
compostável e biodegradável obtido do uma “orelha”, para assegurar o descarte mineral obtida de recursos renováveis

Distribuição peculiar
A 360o Paper Water Bottle pode ser pro-
duzida em tiras, com unidades contínuas
agregadas pelas laterais. Isso permite o
agrupamento de múltiplas unidades de
garrafas em multipacks com alça integra-
da, que dispensam o uso de embalagens
secundárias. Para a distribuição, as multipa-
cks podem ser dispostas em embalagens de
despacho especiais, compostas por quatro
pranchas estruturais (imagem à direita). A
“caixa de expedição” pode ser usada como
embalagem de reposição de gôndola.

42 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


insighTs
conjunto de todos os componentes da diretor da área de design industrial da IDÉIAS LÁ DE FORA
embalagem (veja o gráfico abaixo). agência franco-americana.
O projeto também se atém à distribui- O projeto foi desenvolvido sem apoio
ção. A 360o Paper Water Bottle pode ser de fornecedores de materiais ou de engar-
produzida em tiras, com unidades agre- rafadores. “Agora queremos encontrar
gadas em série pelas laterais, permitindo marcas parceiras”, avisa o designer da
agrupamentos em multipacks com alça, Brandimage. “Mas sob a condição de
econômicas, que dispensam embalagens que o apelo natural do conceito não seja
secundárias. A Brandimage também pro- conspurcado”, avisa, dando um exemplo:
Acordeon. A Dannon acaba de lan-
jetou embalagens de despacho para as para a decoração da garrafa, a agência só
çar, nos Estados Unidos, iogurtes
multipacks. São formadas por duas alças concorda com gravações em baixo rele-
infantis da linha Danimals acondi-
e duas pranchas estruturais, consumindo vo ou com inscrições com tintas à base
cionados em CrushPaks. São potes
menos material que uma caixa conven- de água ou de soja. Rótulos, só aqueles termoformados dotados de paredes
cional de papelão ondulado. confeccionados com materiais biodegra- sanfonadas, que permitem às crian-
Segundo a Brandimage, o nome 360o dáveis. “Não queremos que a 360o acabe ças comprimi-los com a mão, con-
representa o “olhar holístico” da emba- por ser uma coisa que não é: artificial”, sumindo o produto diretamente da
lagem para a água mineral. “Ademais, a pontifica Warner. (GK) embalagem. “Essa solução é lúdica
representação geométrica de 360 graus e prática para o consumo on-the-go,
Brandimage
cria um círculo, que é ilustrativo do for- +33 (1) 4418-4418 pois dispensa o uso de colheres”,
mato do planeta”, explica Jim Warner, www.brand-image.fr diz Michael Neuwirth, diretor de rela-
ções-públicas da Dannon. Invenção
de uma empresa homônima (www.
A garrafa dissecada crushpak.com), o CrushPak já havia
Conheça os detalhes estruturais da 360o Paper Water Bottle sido adotado pelo laticínio neozelan-
dês Fonterra (veja EmbalagEmmarca nº
A “tampa” do produto Anel para 95, julho de 2007).
(veja abaixo) prender uma
parte da tampa
Sem queimar a imagem. Uma família
de líquidos de sabor para panificação
caseira é uma das novidades com
O lado externo
pode receber A garrafa é formada marca própria da rede supermerca-
decoração direta, com a união de duas
canoas simétricas de
dista britânica Asda. Os produtos
como gravações
em baixo relevo polpa moldada inovam ao adotar garrafinhas de PET
customizadas, de 38 mililitros, como
embalagem – no Reino Unido, flavo-
rizantes desse tipo são geralmente
O interior é revestido comercializados em vidro. Fabricadas
por um filme de PLA
O enchimento (resina de milho), pela RPC Containers (www.rpc-con-
ocorre por uma que envolve a água tainers.co.uk), as embalagens foram
cavidade na e impermeabiliza a
base da garrafa. embalagem escolhidas por serem transparentes,
Detalhes do leves e inquebráveis. “O uso seguro
sistema são
resguardados é importante, porque muitos pais
assam pães com crianças por perto”,
explica a Asda.
  
FOtOs: divULgaçãO

Acima, o esquema de abertura: um semicorte permite destacar o topo (1), que se desmonta em duas peças
(2). Uma delas se transforma em tampa. A outra pode ser presa à “orelha” (anel) presente na garrafa (3)

44 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


}}} internacional

O designer virou doce


Chocolate premium criado por Karim Rashid é aposta de indústria turca

P
opularizar produtos criativos e Num trabalho que durou dois anos, Rashid
requintados, “democratizando” o foi incumbido de projetar não apenas uma emba-
design, é uma espécie de ban- lagem, mas o produto como um todo. O resulta-
deira de Karim Rashid, que em do foi a criação de um bombom com formato de
junho próximo estará no Brasil Y, cujas três ramificações simbolizam e home-
para participar de uma nova rodada do Ciclo nageiam os elementos de matéria, movimento
de Conhecimento EmbalagemMarca, sobre ino- e tempo presentes na metafísica de Aristóteles.
vação (veja detalhes na pág. 48). Faz sentido, “Já o nome Eternity (‘eternidade’, em inglês)
portanto, que o festejado designer anglo-egípcio busca definir o produto como atemporal, além
tenha sido escolhido pela empresa turca Şölen de comunicar a noção de que as escolhas que
para desenvolver – e assinar – o Eternity by fazemos são ilimitadas”, explica o designer.
Karim Rashid, recém-lançado sob a epígrafe de Esse conceito de transcendentalidade é repre-
“primeiro chocolate industrial concebido por sentado também pelo projeto gráfico aplicado à
um designer”. “É pioneirismo: um chocolate de embalagem do chocolate (um estojo de papel
butique com produção em massa”, assegura Elif cartão laminado com filme plástico, em forma
Çoban, diretor executivo da Şölen. de triângulo sem cantos vivos, montado à mão
pela irlandesa SmurfitKappa e dotado de um
berço para o acondicionamento de dezoito bom-
Eternity: bombom e caixa bons). “O principal ornamento da caixa sugere
com referências à infinitude infinitude”, comenta Rashid. “A idéia é de um
e à cultura turca
fluxo de energia contínuo, que é glorificado pela
cor dourada.”

Influência seljúcida
O desenvolvimento da embalagem foi precedido
por uma extensa pesquisa. Segundo Rashid, a
apresentação do produto é inspirada em ele-
mentos típicos da cultura turca, com especial
influência da Era Seljúcida – dinastia turco-
persa que dominou grandes territórios da Ásia
Central entre os séculos 11 e 14 e que fundou as
bases daquilo que viria a ser o Império Turco. “A
Şölen queria comunicar sua marca com um forte
apelo de ‘turquiedade’, e os seljúcidas são apon-
tados por muitos como os patronos culturais dos
turcos ocidentais”, justifica o designer.
Rashid considera o projeto do Eternity um
exemplo de como o design de embalagem pode
amalgamar diversas disciplinas estéticas – arte,
arquitetura, moda, música, culinária. “Vislumbro
um futuro no qual todos esses ramos do conheci-

46 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


mento possam se fundir para gerar grandes expe- Berço do estojo cartonado,
montado à mão, acomoda
riências de prazer para nossas vidas materiais e dezoito bombons
imateriais”, imagina o padrinho do chocolate.
Fabricado com cacau venezuelano e ingre-
dientes exóticos, como ginseng e bergamota
(não a tangerina, como é chamada em algu-
mas regiões do Brasil, e sim uma espécie de
pêra típica do Sudeste Asiático), o Eternity
by Karim Rashid custará cerca de 30 dólares.
Cosmopolita, poderá ser encontrado não só
na Turquia, mas também em pontos-de-venda
selecionados em Nova York, Londres, Paris e
Milão. Com o produto, a Şölen quer disputar
mercado com prestigiados chocolates europeus
e consolidar-se como uma marca turca de fama
internacional. Os envolvidos no projeto relevam
a situação econômica aparentemente desfavorá-
vel. “O prazer do chocolate ajuda as pessoas a Karim Rashid
+1 (212) 929-8657
lidar com problemas e produz felicidade mesmo www.karimrashid.com
em tempos de crise global”, brinca Rashid. “É
Smurfit Kappa (EUA)
uma doce solução para se livrar de pensamentos +1 (954) 514-2600 Fotos
: divul
negativos.” (GK) www.smurfitkappa.com
gação

www.embalagemmarca.com.br abril 2009 EmbalagemMarca 47


}}} ações institucionais

É cada dia maior o interesse


por Inovação em Embalagem
Cresce a procura pelo seminário internacional organizado por EmbalagemMarca

O
interesse despertado pelo opinião realizadas nos dois seminários
anúncio da realização do inaugurais dessa iniciativa (“Embala-
Seminário Internacional gens Flexíveis – da Matéria-Prima ao
“Desmistificando a Ino- Ponto-de-Venda” e “Sustentabilidade na
vação em Embalagem”, Área de Embalagens”), no ano passado,
a realizar-se dia 3 de junho próximo deram esmagador resultado de “ótimo”
em São Paulo, no âmbito do ciclo de e “bom”. Indicaram também expectativa
Conhecimento, está sendo visto com muito favorável do público para futuros
otimismo e, ao mesmo tempo, com eventos.
uma ponta de preocupação pela equipe Do ponto de vista qualitativo, nas
da Bloco de Comunicação responsável pesquisas foi registrada de modo muito
pela organização do evento. Seminário Internacional expressivo a opinião de que, por fugi-
O otimismo se deve a que essa “Desmistificando a rem à mesmice observada em iniciati-
ação já conta o patrocínio da Bericap vas similares, aqueles eventos “vale-
Inovação em Embalagem” ram totalmente a pena”. Tal opinião
e da Tetra Pak, ao mesmo tempo que
crescem os pedidos de informações por 3 de Junho de 2009 fundamentou-se numa convergência de
parte de potenciais novos apoiadores e Até o fechamento desta edição estavam fatores, como conteúdo de alto nível,
futuros participantes, o que não deixa confirmados os seguintes palestrantes: expressividade dos palestrantes, boa
de preocupar um pouco – felizmente, organização e forte presença de assis-
Karim Rashid (EUA), criador de
pelo lado positivo. O tentes com poder de
embalagens de inúmeras marcas
número de consultas e decisão em suas empre-
mundiais
de reservas de convites sas. Paralelamente, a
tem sido muito gran- Paulo Villas, Packaging Manager/ extensa cobertura dos
Supply Chain da Divisão Brasil da seminários na revista
de, e isso parece indi-
Coca-Cola
car que haverá muita embalagemMarca e
procura às vésperas Lucia Maria Klein, analista de a oferta da íntegra –
do seminário. Ou seja, projetos da Finep – Financiadora de editada – das palestras
casa cheia. Estudos e Projetos com exclusividade aos
Renato Wakimoto, diretor de embala- participantes ampliaram significativa-
Fugindo à mesmice gens da Johnson & Johnson mente o alcance dos eventos.
Não surpreende que Outra razão para
Maria Ângela R. Barros,
seja assim, por duas o interesse despertado
presidente da Anpei – Associação
razões básicas. A pri- Nacional de Pesquisa e
pelo seminário “Des-
meira é a boa opinião Desenvolvimento das Empresas Ino- mistificando a Inova-
que os agentes do vadoras (veja entrevista na pág. 36) ção em Embalagem”
mercado vêm tendo tem sido o anúncio dos
Fotos: divulgação

Luís Serafim, gerente de comuni-


em relação às ações nomes dos palestran-
cação corporativa da 3M (produtos
do Ciclo de Conheci- de consumo)
tes, um aval de garantia
mento. Pesquisas de de que o conteúdo das

48 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


Reforço à credibilidade
apresentações será de grande proveito
para os participantes, em vários aspec-
tos (veja quadro na página anterior).
Essencialmente, ao convidá-los os orga-
nizadores tiveram a preocupação de Uma premiação que só melhora a cada edição
compor um programa em que cada
módulo complementasse os demais.
Cerimônia de Premiação
PRÊMIO EMBALAGEMMARCA

2009

2009
Para maiores informações, consulte
8 de Outubro,no Espaço
www.ciclodeconhecimento.com.br TECNOLOGIAPRODUTIVIDADEGIROCONVENIÊNCIAINOVAÇÃOREDUÇÃODECUSTOSIMPACTOAMBIENTAL
VIDADEPRATELEIRAAGREGAÇÃODEVALORLOGÍSTICAMATERIAISDESIGNCOMUNICAÇÃOSEGURANÇA
Apas, em São Paulo
Tendências e Perspectivas
Grandes cases de embalagem Inscrições Abertas

Outra iniciativa de peso dentro do ciclo

P
dE conhEcimEnto é o Seminário Estraté- oucos dias depois de 2 gem é considerada do ponto de vista dos
gico “Tendências e Perspectivas” 2009, de março último, quando resultados que traz para a empresa, para o
programado para 15 de setembro. É um foram abertas as inscrições consumidor e para o ambiente.
passo para reforçar o serviço que Emba- do PrÊmio EmbalagEm- Outro ponto importante é a visibilida-
lagEmmarca presta à cadeia de valor marca – grandES caSES de oferecida – sem cobranças adicionais
de embalagem desde seu lançamento, dE EmbalagEm, houve grande número – aos ganhadores. Todos eles serão des-
há dez anos consecutivos, sempre na de consultas por telefone e por internet, critos numa Edição Especial de Embala-
edição de dezembro. e – vale registrar a surpresa dos organi- gEmmarca, que será reproduzida no site
Ao planejar o evento, procurou-se zadores – já foi feita mais de uma dezena do PrÊmio (www.grandescases.com.br)
atingir duas metas. A primeira foi ofe- delas, embora o prazo de encerramento e na versão virtual da revista. Todos os
recer aos profissionais e empresários esteja bem distante (21 de agosto), e o da envolvidos nos cases, desde que citados
envolvidos no planejamento empresa- premiação, ainda mais (8 de outubro). nas fichas de inscrição, são destacados. É
rial que participarem do seminário uma Empenhados em aprimorar perma- mais uma forma de estimular a integração
previsão antecipada e exclusiva dos nentemente o PrÊmio EmbalagEmmarca da cadeia de embalagem. (WP)
rumos da economia e dos negócios para e diferenciá-lo cada vez mais dos demais
o exercício seguinte. Além de assistirem existentes na cadeia de valor de emba- Patrocínio Premium
ao vivo às apresentações (feitas por lagem, seus organizadores, a Bloco de
pessoas do alto escalão do setor), os Comunicação e a SPR International, têm
participantes poderão interagir com os tomado uma série de providências nessa
apresentadores e com os demais assis- direção, como pode ser observado no
tentes, que se buscará sejam, em número Regulamento. Todas as medidas visam a
hegemônico, de nivel de decisão nas tornar mais claras para os interessados os
Patrocínio Master
empresas. A segunda meta, automati- principais pontos que dão à premiação a
camente alcançada, é que o evento em credibilidade que já conquistou.
si constituirá uma sólida base, a ser Um desses pontos é o fato de a esco-
ampliada com mais pesquisas e entre- lha dos cases vencedores pelos jurados
vistas, para a elaboração da edição espe- seguir critérios objetivos. No julgamento Patrocínio Especial
cial de Tendências e Perspectivas, na são levados em conta não só aspectos Patrocínio Especial
edição de dezembro da revista. (WP) isolados das embalagens, mas o conjunto
dos atributos que fazem delas cases ven-
Patrocínio cedores. Assim, não são analisadas, por
Seminário Internacional exemplo, apenas a beleza visual, a novi-
“Desmistificando a Inovação em Embalagem”
dade do lançamento ou a conveniência
propiciada. Embora isoladamente todos Apoio Logístico
esses aspectos sejam importantes, é sua
eficácia dentro do sistema de embalagem
que conta. Em outras palavras, a embala-

50 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


panorama }}} movimentação no mundo das embalagens e das marcas

MEDICAMENTOS

Com sincronia, doses certas


Sistema de rotulagem que calcula a dosagem
de remédios pediátricos busca interessados no Brasil

Para solucionar aquilo que considera sistema de dosagem da empresa foi


uma epidemia do setor farmacêutico, a homologada no Brasil. “A conquista
indicação de doses de medicamentos da patente é importantíssima”, diz

Fotos: Divulgação
pediátricos isentos de prescrição Terwilliger. “O Brasil é um mercado
de acordo com a idade, e não com com enorme potencial, possuindo
o peso das crianças, o laboratório cerca de 53 milhões de indivíduos
americano AccuDial Pharmaceutical entre dois e 12 anos de idade”. Mais
criou frascos dotados de um informações podem ser obtidas no site
engenhoso sistema de cálculo de www.accuratedose.com.
dosagem. As embalagens possuem
rótulos giratórios com janelas que
permitem “sincronizar” o peso da
criança enferma com as doses
CARTONADAS ASSÉPTICAS
adequadas de remédios líquidos,
indicadas a partir de tabelas de O saldo do
manejo correto
dosagem impressas diretamente nos
corpos dos frascos. A administração
dos remédios pode então ser feita com Tetra Pak atinge marca de 100
o auxílio de uma colher dosadora que milhões de embalagens
acompanha o sistema. certificadas com selo do FSC
De acordo com a AccuDial, as A Tetra Pak alcançou a marca de 100
dosagens baseadas em faixas etárias milhões de embalagens produzidas
ocorrem principalmente pela falta com a certificação do Forest
de espaço para informação nas Stewardship Council (FSC), entidade
embalagens de medicamentos internacional que atesta o manejo
– diferentemente do que ocorre sustentável de recursos florestais. O
no Brasil, nos Estados Unidos as índice, reconhecido pela certificadora,
bulas não são obrigatórias para foi obtido em um ano. As primeiras
fármacos livres. “Ao ignorar as embalagens da Tetra Pak com o
discrepâncias de pesos entre selo FSC foram utilizadas pela rede
crianças de uma mesma faixa supermercadista britânica Sainsbury’s
etária, esse padrão pode resultar (foto) numa linha de vegetais em
em sub-dosagens de até 90%, conserva (veja EmbalagemMarca nº
comprometendo a eficácia 101, janeiro de 2008). O Brasil é um
de analgésicos, antialérgicos, dos cinco países em que a Tetra Pak
antigripais e de outros produtos”, atua com embalagens certificadas
afirma Bob Terwilliger, CEO da pelo FSC – além do Reino Unido,
AccuDial. elas estão disponíveis na Itália, na
Nos Estados Unidos a AccuDial Dinamarca e nos Estados Unidos.
já utiliza o sistema em nove A fornecedora de embalagens tem
produtos de uma linha própria projetos para utilizar somente papel
de medicamentos pediátricos. cartão com cadeia de custódia
Agora, a empresa busca parceiros certificada a partir de 2015 e para
comerciais em outros países, certificar as cadeias de custódia de
inclusive na América do Sul. No todas as suas plantas mundiais de
fim do ano passado, a patente do impressão e conversão até 2018.

52 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


panorama }}} MOVIMENTAçãO NO MUNDO DAS EMBALAgENS E DAS MARCAS

GENtE

Afipol tem novo presidente


o NÚmEro

600
que as indústrias de alimentos
explicitem quais embalagens diretor da tectextil comandará a entidade
já contêm nanotecnologia,
pois alguns acreditam que a O empresário Marcelo Cocozza Felipe, da
reengenharia molecular pode Tectextil, é o novo presidente da Associação
É a quantidade estimada, no mundo, causar danos a células e tecidos Brasileira dos Produtores de Fibras Poliolefínicas
de embalagens de alimentos com humanos. (Afipol), entidade que congrega fabricantes de
sacaria, contentores flexíveis para transporte
aplicação de nanotecnologia – a
(big bags), fibras e cordas/redes de pesca e de
engenharia de materiais em nível
proteção. Eleito em pleito realizado no dia 12
atômico ou molecular, isto
de março, Felipe declara que o desafio de sua
é, em nível de nanômetro gestão será superar contingências desfavoráveis.
(um bilionésimo de metro).
FONTE: CHOICE (WWW.CHOICE.AU)

“Sentimos fortemente os impactos da crise


Considerada um campo mundial”, afirma. Em 2008, a produção nacional
potencial para inovações, de sacos convencionais caiu 6,5%, totalizando
a nanotecnologia pode ser 879 milhões de unidades, enquanto a de big
utilizada em embalagens, por bags teve crescimento tímido, de 0,5%. Felipe
exemplo, para aumentar barreiras ou sucede a Eli Kattan, da Zaraplast – que agora
inibir proliferações de bactérias. Alguns ocupa um dos postos de vice-presidente
grupos de consumidores vêm defendendo da entidade, ao lado de Ricardo Vívolo, da
Embrasa.

trIbutAÇÃo

Com todos pagando, se pagará menos


Abiplast espera que Nota Fiscal Eletrônica para resinas reduza custos na cadeia do plástico

Começa a vigorar em abril a de matérias-primas e transformadores.


Merheg Cachum:
obrigatoriedade da adesão de “Adaptação à NF-e
fabricantes e importadores de resinas não será coisa do O senhor tem idéia do tamanho da
outro mundo”
termoplásticas à Nota Fiscal Eletrônica sonegação no setor de plásticos?
(NF-e), modelo digital de documento Confesso que desconhecemos o
fiscal que vem sendo adotado por tamanho do problema por completo.
contribuintes do ICMS desde 2006. É um câncer para qualquer indústria,
Merheg Cachum, presidente da complexo e difícil de ser dimensionado.
Associação Brasileira da Indústria do
Plástico (Abiplast), entidade porta-voz O mercado está suficientemente
de convertedores de embalagens e preparado para a adoção do
de outros transformadores, espera sistema?
que o novo sistema garanta redução Não sei se o conhecimento é suficiente,
de custos e dinamize o setor. mas a adaptação à NF-e não será coisa
Cachum deu a seguinte entrevista a de outro mundo. O principal aparelho,
EmbalagEmmarca. arrecadar muito mais. Arrecadando muito o computador, já faz parte de todas as
mais, não será lógico manter as alíquotas empresas. Na Abiplast, promovemos
De que forma a Nota Fiscal nos status em que se encontram. O uma palestra, com auditório cheio,
Eletrônica poderá reduzir os custos princípio é o de que, se todos pagam, para orientar as empresas associadas.
na cadeia do plástico? todos poderão pagar menos. Além Nosso departamento jurídico trouxe
A NF-e é uma forma de controle disso, a operação da NF-e exige mais pessoas altamente qualificadas
FOtOs: divULgaçãO

rigoroso pelo Fisco, através de um automação da cadeia de suprimentos, o para explicar o sistema. Quem não
sistema muito mais difícil de ser que tende a reduzir custos logísticos e participou do evento pode nos procurar.
burlado. Teoricamente, o governo vai aprimorar a interação entre fornecedores Ajudaremos com o maior prazer.

54 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


paIneL GrÁFICo }}} MERCADO DE CONVERSãO E IMPRESSãO DE RÓTULOS E EMBALAgENS
Edição:
Edição:Guilherme
Leandro Haberli
Kamio
Edição: FLÁVIO PALHARES  flavio@embalagemmarca.com.br

Estreitamento de foco
Huhtamaki se desfaz de divisão de materiais para rótulos auto-adesivos

A finlandesa Huhtamaki vendeu sua uni- etiquetas e rótulos auto-adesivos. As


dade de papel, que fazia parte da divi- vendas anuais da unidade chegam a 30
são global de filmes da companhia, para milhões de euros. O negócio, que será
a empresa alemã B.Laufenberg gmbH. concluído em doze meses, não teve seu
A unidade, localizada em Forchheim, na valor divulgado. Segundo a Huhtamaki, a
Alemanha, produz papéis siliconados venda permitirá à empresa concentrar-se
e liners revestidos para a indústria de em negócios de maior relevância.

Um marco para a FlexoWine Box Print recebe


Etirama vende a centésima unidade desse modelo de impressora flexográfica
selo carbono neutro
Certificação será estampada
A Etirama acaba de concretizar a já comercializou unidades da FlexoWine nas embalagens produzidas
venda da centésima máquina flexográ- para mais de dez países da América
fica modelo FlexoWine. A Power Press Latina e da Europa. A Box Print é a primeira gráfica bra-
Rótulos e Etiquetas Adesivas, sileira de papel cartão a receber a
de Diadema (SP), que já certificação Carbono Neutro. O selo
tinha duas FlexoWine insta- é a identificação de instituições que
ladas desde o ano passado, tiveram seus volumes de emissões
firmou a compra da tercei- de gEE (gases de Efeito Estufa)
ra máquina, a centésima neutralizados através de projetos
desse modelo vendida ambientais auditados e reconhecidos
pela Etirama. A FlexoWine, internacionalmente. Com a certifica-
impressora flexográfica ção, a Box Print pode utilizar o selo
de tambor central, foi lan- “Em Dia Com o Planeta” nas embala-
çada em agosto de 2006. gens que confecciona.
Além do Brasil, a Etirama

Espaço para crescer Burti centraliza


Gafor confirma construção de fábrica de auto-adesivos no Brasil
pré-impressão
Unidade da Mooca é desativada
As dificuldades que a crise trouxe para fornecedor do produto, a construir uma
a obtenção de financiamento para fábrica no Brasil. Os italianos concorda- A Burti vai concentrar todas as suas
compra de máquinas não vão atra- ram desde que fossem os sócios majo- operações, exceto de impressão,
palhar os planos do grupo gafor de ritários. Assim, a Arconvert, empresa de que continua na gráfica sediada em
construir uma fábrica de auto-adesivos auto-adesivos do grupo Fedrigoni, ficou Itaquaquecetuba (SP), na unidade
em Jundiaí (SP) ainda este ano. Os com 60% do capital e o grupo gafor BurtiHD, no bairro da Vila Leopoldina,
trabalhos de terraplenagem já foram com os 40% restantes. O investimento zona oeste de São Paulo. A unida-
concluídos, segundo o sócio-diretor da na planta – a primeira da Fedrigoni fora de na Mooca será desativada. Na
gafor Distribuidora, Sílvio Fagundes. As da Itália – é de 40 milhões de reais. Com BurtiHD funcionarão os estúdios
máquinas devem ser instaladas em julho 60 empregados, a fábrica será instalada digitais, Vaticano 3D, premedia e
e os testes de produção podem come- em um galpão de 9 mil metros quadra- desenvolvimento de software para
çar em agosto. dos em um terreno de 30 mil metros gestão de ativos digitais. A alteração
A gafor já era distribuidora de produtos quadrados. O objetivo é atingir pro- na estrutura visa reunir todas as com-
auto-adesivos, importados da Itália. Em dução anual de 90 milhões de metros petências no mesmo ambiente, sim-
2008, a direção da empresa brasileira quadrados, volume nove vezes maior do plificando as ações administrativas e
convenceu o grupo italiano Fedrigoni, que é distribuído hoje pela gafor. agilizando o fluxo de trabalho.

56 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


Processo simplificado Matrizes nipônicas
com oferta nacional
Imaflora cria cartilha com procedimentos para certificação FSC
Gutenberg irá comercializar chapas
O Imaflora (Instituto de Manejo e Intensidade, vertendo-se do inglês). flexográficas da japonesa Asahi Kasei
Certificação Florestal e Agrícola) dispo- Elaborados pelo FSC, os procedimentos
nibiliza em seu site (www.imaflora.org) SLIMF têm a intenção de simplificar o A Gutenberg Máquinas e Materiais
a versão digital da cartilha Certificação processo e baixar os custos da certifica- Gráficos anunciou o fechamento de uma
florestal FSC: Entenda os procedimentos ção para comunidades, pequenos pro- parceria com a Asahi Kasei Corporation,
simplificados de auditoria SLIMF. dutores e empresas que manejam áreas maior indústria química do Japão, fabri-
A publicação tem o objetivo de facilitar pequenas e/ou as exploram com baixa cante de fotopolímeros, produtos far-
o trabalho de técnicos e de profissio- intensidade. macêuticos e eletrônicos, entre outros.
nais envolvidos com a certificação do A Gutenberg irá comercializar toda a
manejo florestal comunitário FSC (Forest linha de chapas convencionais e digitais
Stewardship Council, ou Conselho de para o mercado de embalagens flexí-
Manejo Florestal, em tradução livre do veis, rótulos e etiquetas, embalagens
inglês) e de pequenos produtores. de papel e corrugados. A parceria foi
O Imaflora traduziu e reuniu na cartilha firmada no dia 16 de março com a pre-
diversos documentos que tratam dos sença de Noriyoshi Shimakata, gerente
procedimentos simplificados de audi- de Vendas para as Américas da Asahi, e

Fotos: divulgação
toria SLIMF (Small and Low Intensity de Klaus Tiedemann e José Fernandez,
Managed Forests, ou Manejo Florestal respectivamente presidente e vice-presi-
em Pequena Área ou Área de Baixa dente da Gutenberg.

www.embalagemmarca.com.br abril 2008 EmbalagemMarca 57


www.embalagemmarca.com.br abril 2009 EmbalagemMarca 58
www.embalagemmarca.com.br abril 2009 EmbalagemMarca 59
DIspLay }}} LANçAMENTOS E NOVIDADES – E SEUS SISTEMAS DE EMBALAgEM

Edição: FLÁVIO PALHARES  flavio@embalagemmarca.com.br

Visibilidade assegurada
Pouches e blisters realçam linha de body care

A Mercur desenvolveu novas embala-


gens para a linha Body Care (joelheiras,
tornozeleiras, luvas, cotoveleiras elásti-
cas e bolsas para água quente), comer-
cializada em lojas de artigos esportivos.
O conceito fotográfico utilizado nas
embalagens mostra os produtos em
situações de uso. Os produtos são acon-
dicionados em stand-up pouches, impor-
tados da Ásia, e em blisters clamshell de
PET com ganhcheiras, fornecidos pela
galvanotek. A identidade visual, desen-
volvida em conjunto pela Mercur e pela
gad’Branding, dá mais visibilidade aos
produtos na gôndola.

Galvanotek Gad’Branding
(45) 3461.9500 (11) 3040-2222
www.galvanotek.com.br www.gad.com.br

Tradição mantida Tudo natural


Brasso revisita grafismos originais Cartuchos “verdes” enobrecem sabonetes

O polidor de metais Brasso, da Reckitt Benckiser, Os sabonetes vegetais da Amazônia Natural


chega aos pontos-de-venda com a emba- chegam aos pontos-de-venda em cartuchos
lagem redesenhada pela DIL Brands. A produzidos pela Idealgraf com o Vitacarta,
agência manteve na lata de aço litogra- papel cartão fabricado pela Papirus com
fada, produzida pela Prada, elemen-

FOtO: divULgaçãO
material reciclado. Criadas pela Brainbox
tos tradicionais da marca, como as Design, as embalagens têm estampas alusi-
cores. O nome do produto passa vas à natureza e à preservação ambiental.
a ser envolvido por um círculo ver- Brainbox Design
melho, como na primeira versão da (41) 3018-1695
www.brainboxdesign.com.br
embalagem, da década de 1930
(ver Almanaque de EMBALAGEMMARCA Idealgraf
nº 104, abril 2008) e os ícones da (41) 3024-2144
www.idealgraf.com.br
parte de baixo da embalagem
foram atualizados. As tampas de Papirus
(11) 2125-3900
polietileno (PE) e polipropileno (PP) www.papirus.ind.br
são fornecidas pela Tecnoplastic.
Veja a embalagem antiga em
www.embalagemmarca.com.br/brasso

DIL Brands Prada Tecnoplastic


(11) 4191-9711 (11) 5682-1000 (11) 5681-8046
www.dilbrands.com www.cabenalata.com.br catiasouza@dsibrasil.com.br

60 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


DISPLAy }}} lançamentos e novidades – e seus sistemas de embala

Imagem ampliada nas gôndolas


Siemens modifica embalagens de espelhos de interruptores

A Siemens reformulou as embala-


gens da linha Delta Mondo
de espelhos para
interruptores.
O produto
é agora
acondiciona-
do em blisters,
fornecidos pela
ZMS Embalagens,
aplicados em car-
telas produzidas
pela Label Sul. A nova
apresentação permite
melhor exposição do pro-
duto no ponto-de-venda.
O design é da Idéia Visual.

Idéia Visual Label Sul ZMS Embalagens


(11) 3057-0707 (11) 3475-4041 (11) 4158-7449
www.ideiavisual.com.br www.labelsul.com.br www.zmsembalagens.com.br

Sai PET, entra vidro


Natura relança base em nova embalagem

As embalagens das bases Extremo Conforto,


da Natura, que eram de PET com tampas de
prolipropileno (PP), passam a ser de vidro, for-
necidas pela SGD, com vávula fabricada pela
Rexam, na França. A decoração da nova
embalagem é feita pela Mega Plast direta-
mente no vidro por processo de silk screen
combinado com hot stamping. Os
cartuchos de papel cartão são
impressos pela Baumgarten.

Baumgarten Mega Plast


(47) 3321-6666 (11) 3623-2323
www.baumgarten.com.br www.megaplast.com.br
fotos: divulgação

Rexam SGD
+33 (1) 5847-5600 (11) 3883-4300
www.rexam.com www.sgdbrasil.com.br

62 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


embalagem

Portfólio diversificado
Tial lança sucos em latas e em caixinhas

O Grupo Pif Paf, dono da marca Tial, apresenta novidades aos con-
sumidores. Os sucos e néctares de frutas, antes comercializados em
embalagens cartonadas assépticas da Tetra Pak, agora também são
encontrados em latas de alumí-
nio de 335 mililitros, fornecidas
pela Rexam. O design foi adap-
tado na própria Tial. A empresa
também apresenta o Tial Kids,
suco destinado ao público
infantil acondicionado em cai-
xinhas de 200 mililitros da Tetra
Pak. O layout das embalagens
é assinado pela New 360.

New 360 Rexam Tetra Pak


(31) 2108-2222 (21) 2104-3300 (11) 5501-3200
www.newhotshop.com.br www.rexam.com www.tetrapak.com.br

Cartonadas para novos coadores


Melitta amplia linha de itens para o preparo do café

A Melitta acaba de lançar os coadores de papel Aroma Max, que


realçam o aroma do café. Os produtos são acondicionados em
cartuchos de papel cartão duplex, com cobertura couché e fundo
creme. A Brasilgrafica, que faz a impressão dos cartuchos em
offset, também utiliza recursos de relevo na logomarca, no nome
do produto e na foto do coador. O projeto gráfico é da Matriz
Escritório de Desenho.

Brasilgrafica Matriz Escritório de Desenho


(11) 4133-7777 (11) 5081-8399
www.brasilgrafica.com.br www.matrizdesenho.com.br

www.embalagemmarca.com.br abril 2009 EmbalagemMarca 63


}}} índice de anunciantes

Anunciante Página Telefone Site


Ápice 9 (11) 4221-7000 www.apicegrafica.com.br
Bericap 13 (15) 3235-4500 www.bericap.com
Betim Química 57 (31) 3358-8500 www.betimquimica.com.br
BIC Label 37 0800 260 434 www.biclabel.com.br
Box Print 2ª Capa (11) 5505-2370 www.boxprint.ind.br
Braskem 41 (11) 3576-9999 www.braskem.com.br
CCL Label 53 (19) 3876-9300 www.ccl.com.br
Comprint 43 (11) 3371-3371 www.comprint.com.br
DuPont 51 0800 171 715 www.dupont.com.br
Expo Pack México 45 +52 (55) 5545-4254 www.expopack.com.mx
Fispal 58-59 (11) 3598-7817 www.fispal.com
Fitatex 11 (31) 3462-3911 www.fitatex.com.br
Frasquim 63 (11) 2412-8261 www.frasquim.com.br
Gallus 4ª Capa (11) 5525-4486 www.gallus.com
Giro News 65 (11) 3675-1311 www.gironews.com
Grand Pack 39 (11) 4053-2143 www.grandpack.com.br
Gysscoding 17 (11) 5622-6794 www.gysscoding.com.br
Ibema 19 (41) 3246-7400 www.ibema.com.br
Indemetal 7 (11) 4013-9600 www.indemetal.com.br
Indexflex 49 (11) 3618-7100 www.indexflex.com.br
Labelexpo 61 +1 (262) 754-6931 brazil.labelsummit.com
Macron 3ª Capa (11) 4393-8366 www.macron.com.br
Markem-Imaje 31 (11) 3305-9455 www.markem-imaje.com.br
Metrolabel 27 (11) 3603-3888 www.metrolabel.com.br
Moltec 63 (11) 5693-4600 www.moltec.com.br
Müller-Martini 47 (11) 3613-1000 www.mullermartini.com.br
Novelprint 63 (11) 3760-1500 www.novelprint.com.br
Optima 33 (19) 3886-9800 www.optima-bra.com
Plastimagen 55 +52 (55) 1087-1650 www.plastimagen.com.mx
Propack 25 (11) 4785-3700 www.propack.com.br
Qualipack 63 (11) 2066-8500 www.qualipack.com.br
Rotatek 9 (11) 3215-9999 www.rotatek.com.br
SIG Combibloc 15 (11) 2107-6744 www.sig.biz/brasil
Simbios-Pack 62 (11) 5687-1781 www.simbios-pack.com.br
Technopack 29 (51) 2139-9000 www.technopack.com.br
Tetra Pak 21 (11) 5501-3200 www.tetrapak.com.br
Vidro Porto 29 (11) 3589-3199 www.vidroporto.com.br

64 EmbalagemMarca abril 2009 www.embalagemmarca.com.br


Almanaque
Uvas, sol e a garota
Criada em 1898, a tradicional marca de
uvas passas da Califórnia (EUA) Sun-
Maid (“feito pelo sol”, ou “com sol”) tem
uma das embalagens mais reconhecidas
no mundo. Desde 1916, a marca utiliza
em suas caixinhas de papel cartão a
figura de uma camponesa sorridente
Lorraine Collet Petersen, em
foto de 1915 e em pintura do segurando uma cesta de uvas, na frente

Cura tudo
mesmo ano (abaixo). Desenho foi
adaptado às caixinhas
de um sol escaldante. O retrato origi-
nal, de Lorraine Collett Petersen, então
com 22 anos, foi pintado pelo artista há 121 anos
Fanny Scafford em 1915, e adaptado
para a caixa de uvas passas no ano Campeão de venda nas farmácias
seguinte. A embalagem passou por populares do Nordeste, o fitote-
três atualizações, em 1923, 1956 e rápico Elixir Sanativo, concebido
1970, porém, sem mudar os traços há 121 anos pelo farmacêutico
Firmino Cândido de Figueiredo,

FOtOs: divULgaçãO
básicos. Lorraine Collet Petersen
morreu aos 90 anos de idade, em de Limoeiro, no interior de
1983. Ela se aposentou como enfer- Pernambuco, é uma das marcas
meira na cidade californiana de mais antigas do Brasil
Fresno, depois de tentar a carreira ainda existentes.
de atriz (participou como figu- Mistura de extratos
rante apenas do filme Trail of the de angico, aroeira,
Lonesome Pine, de 1936). camapu e mandacaru,
vegetais comuns na
caatinga, o remédio
Precursor do engradado teve sua eficácia
comprovada cientifica-
Os primeiros “engradados” de cerveja hoje Saint-Gobain, em São Paulo.
mente em 1888, ano em que foi
do Brasil eram feitos de palhas de Depois, surgiram os engradados de
registrado, pela Inspetoria Geral
espigas de milho, no início do século madeira, que foram substituídos pelos
de Higiene da França. Desde
passado. As garrafas de vidro eram de plástico, em uso até hoje.
então, o Sanativo é utilizado como
acomodadas nas palhas, onde
cicatrizante, anti-hemorrágico e
ficavam protegidas de batidas,
bálsamo no tratamento de cor-
e depois agrupadas em sacos.
tes, extrações de dentes, quei-
O trabalho era feito por mulhe-
maduras, herpes e aftas, entre
res, hoje com a justificativa de
outros males. O produto ainda
que eram mais cuidadosas que
é o carro-chefe do Laboratório
os homens, mas possivelmen-
Pernambucano – Laperli.
te por representarem mão-de-
Recentemente as embalagens
obra mais barata. A foto é do
foram modernizadas pela agência
início do século XX e mostra a
paulistana DiVicenzo Design.
antiga Fábrica Santa Marina,

66 EmbalagemMarca www.embalagemmarca.com.br/almanaque abril 2009


A Gallus TCS 250 continua
imprimindo quando as
outras já chegaram ao limite
Se os seus clientes fazem pedidos sofisticados, em que as especificações Marcelo Zandomenico
dos designers são particularmente complexas, e apenas “o melhor” é Gerente Gallus - Brasil
suficientemente bom, só há uma saída: a Gallus TCS 250. Pequenas e médias São Paulo - SP
quantidades de rótulos premium podem ser impressas e receber acabamentos Fone: (11) 5525-4486
de maneira econômica em uma única operação – de bobina a bobina. Os Fax: (11) 5525-4506
tempos baixos de setup e a alta confiabilidade do processo minimizam as www.gallus.com
paradas de máquina e reduzem as perdas. Para informações mais detalhes,
mande-nos um e-mail e entre no universo de impressão de rótulos de luxo.