You are on page 1of 5

AULA XI - QUESTÕES FAMÍLIA, SUCESSÕES E ECA – OAB 2013.1 – PROF.ª: GEÓRGIA SCHITINI X - DIREITO DE FAMÍLIA: X.

1 – CASAMENTO E UNIÃO ESTÁVEL: 1. (MA/2012 – Delegado) A respeito do instituto do casamento, analise as afirmativas a seguir. I. Os pais, tutores ou curadores podem revogar a autorização até à data da celebração do casamento. II. Quando injusta, a denegação do consentimento, pode ser suprida pelo juiz. III. Será permitido, excepcionalmente, o casamento de quem ainda não alcançou a idade núbil para evitar imposição ou cumprimento de pena criminal ou em caso de gravidez. Assinale: (A) se somente a afirmativa I estiver correta. (B) se somente a afirmativa II estiver correta. (C) se somente a afirmativa III estiver correta. (D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas. (E) se todas as afirmativas estiverem corretas. 2. (OAB/2011.3) João foi registrado ao nascer com o gênero masculino. Em 2008, aos 18 anos, fez cirurgia para correção de anomalia genética e teve seu registro retificado para o gênero feminino, conforme sentença judicial. No registro não constou textualmente a indicação de retificação, apenas foi lavrado um novo termo, passando a adotar o nome de Joana. Em julho de 2010, casou-se com Antônio, homem religioso e de família tradicional interiorana, que conheceu em janeiro de 2010, por quem teve uma paixão fulminante e correspondida. Joana omitiu sua história registral por medo de não ser aceita e perdê-lo. Em dezembro de 2010, na noite de Natal, a tia de Joana revela a Antônio a verdade sobre o registro de Joana/João. Antônio, não suportando ter sido enganado, deseja a anulação do casamento. Conforme a análise da hipótese formulada, é correto afirmar que o casamento de Antônio e Joana (A) só pode ser anulado até 90 dias da sua celebração. (B) poderá ser anulado pela identidade errônea de Joana/João perante Antônio e a insuportabilidade da vida em comum. (C) é inexistente, pois não houve a aceitação adequada, visto que Antônio foi levado ao erro de pessoa, o que tornou insuportável a vida em comum do casal. (D) é nulo; portanto, não há prazo para a sua arguição. 3. (OAB/2010.3) Rejane, solteira, com 16 anos de idade, órfã de mãe e devidamente autorizada por seu pai, casa-se com Jarbas, filho de sua tia materna, sendo ele solteiro e capaz, com 23 anos de idade. A respeito do casamento realizado, é correto afirmar que é (A) nulo, tendo em vista o parentesco existente entre Rejane e Jarbas. (B) é anulável, tendo em vista que, por ser órfã de mãe, Rejane deveria obter autorização judicial a fim de suprir o consentimento materno. (C) válido. 4. (OAB/2011.1) Mathias, solteiro e capaz, com 65 anos de idade, e Tânia, solteira e capaz, com 60 anos de idade, conheceram-se há um ano e, agora, pretendem se casar. A respeito da situação narrada, é correto afirmar que Mathias e Tânia (A) deverão, necessariamente, celebrar pacto antenupcial optando expressamente pelo regime da separação de bens. (B) poderão casar-se pelo regime da comunhão parcial de bens, desde que obtenham autorização judicial, mediante a prévia demonstração da inexistência de prejuízo para terceiros. (C) poderão optar livremente dentre os regimes de bens previstos em lei, devendo celebrar pacto antenupcial somente se escolherem regime diverso da comunhão parcial de bens. (D) somente poderão se casar pelo regime da separação obrigatória de bens, por força de lei e independentemente da celebração de pacto antenupcial. 5. (OAB/2010.2). Jane e Carlos constituíram uma união estável em julho de 2003 e não celebraram contrato para regular as relações patrimoniais decorrentes da aludida entidade familiar. Em março de 2005, Jane recebeu R$ 100.000,00 (cem mil reais) a título de doação de seu tio Túlio. Com os R$ 100.000,00 (cem mil reais), Jane adquiriu em maio de 2005 um imóvel na Barra da Tijuca. Em 2010, Jane e Carlos se separaram. Carlos procura um advogado, indagando se tem direito a partilhar o imóvel adquirido por Jane na Barra da Tijuca em maio de 2005. Assinale a alternativa que indique a orientação correta a ser exposta a Carlos. (A) Por se tratar de bem adquirido a título oneroso na vigência da união estável, Carlos tem direito a partilhar o imóvel adquirido por Jane na Barra da Tijuca em maio de 2005. (B) Carlos não tem direito a partilhar o imóvel adquirido por Jane na Barra da Tijuca em maio de 2005 porque, salvo contrato escrito entre os companheiros, aplica-se às relações patrimoniais entre os mesmos o regime da separação total de bens. (C) Carlos não tem direito a partilhar o imóvel adquirido por Jane na Barra da Tijuca em maio de 2005 porque, em virtude da ausência de contrato escrito entre os companheiros, aplicase às relações patrimoniais entre os mesmos o regime da comunhão parcial de bens, que exclui dos bens comuns entre os consortes aqueles doados e os sub-rogados em seu lugar. (D) Carlos tem direito a partilhar o imóvel adquirido por Jane na Barra da Tijuca em maio de 2005 porque, muito embora o referido bem tenha sido adquirido com o produto de uma doação, não se aplica a sub-rogação de bens na união estável. 6. (OAB/2011.2). Em relação à união estável, assinale a alternativa correta. (A) Para que fique caracterizada a união estável, é necessário, entre outros requisitos, tempo de convivência mínima de cinco anos, desde que durante esse período a convivência tenha sido pública e duradoura. (D) anulável, tendo em vista o parentesco existente entre Rejane e Jarbas.

assinale a afirmativa correta. Posteriormente. não poder ser restituída ou compensável e ser intransmissível. mas o casal manteve a nomeação. casados. se demonstrar sua dificuldade em ingressar no mercado de trabalho em razão do longo período que permaneceu afastada do desempenho de suas atividades profissionais para se dedicar integralmente aos cuidados do lar. X. Em 2010. apesar da condenação criminal. serão devidos alimentos gravídicos até o nascimento da criança. Ralph e Randolph receberão cada um R$ 45. . que. prevendo manifesta vantagem negocial em virtude do aumento dos preços dos imóveis. solteiro. apesar de ter curso superior completo.00. haverá simples concubinato. Ralph e Randolph. na data de 15/4/2005. não exerceu atividade profissional para se dedicar integralmente aos cuidados da casa e dos filhos. imediatamente. C) A nomeação de Lúcio como tutor é válida. (C) Não há presunção legal de paternidade no caso de filho nascido na constância da união estável. dispensa ‐se o consentimento destes. em razão da continuação do poder familiar que esses exercem sobre os filhos necessitados. mas também para preservar a condição social de quem os pleiteia. A) A nomeação de Lúcio como tutor é inválida em razão de ter sido condenado criminalmente. Lúcio.4 – TUTELA E CURATELA: 10. D) Caso Natália descubra. (D) A possibilidade de os filhos maiores pedirem alimentos aos pais continua a existir após se atingir a maioridade.00. Eduardo e Mônica. rigorosamente formal e sempre público. mostrou conduta socialmente adequada. irmão mais velho de Eduardo. na hipótese de ser acionado judicialmente para pagar débito alimentar atual aos seus filhos Gabriela e Bruno. XI – SUCESSÕES: 11. José veio a falecer em 1º/5/2006. B) A nomeação de Lúcio como tutor é válida. (OAB/2012. ocorrendo a constituição de nova família por parte de Henrique. X. é ilícita. todo o dinheiro obtido na negociação em uma conta de poupança. a dissolução do anterior vínculo conjugal. independentemente do cumprimento da pena. casados sob o regime de comunhão parcial de bens. quando estes hajam deixado descendentes. sem prévia avaliação e autorização judicial. C) não admite o reconhecimento de filhos já falecidos. 9. Faleceram.1) A respeito da perfilhação é correto dizer que A) constitui ato formal. hoje. pretendendo salvaguardar os interesses do menor colocado sob sua tutela. pois somente bens móveis de alto valor necessitam de prévia avaliação e autorização judicial. em virtude de acidente automobilístico. A) Uma vez homologado judicialmente o valor da prestação alimentícia devida por Henrique em favor de seus filhos Gabriela e Bruno. nesse caso. assinale a alternativa correta. por ser bem de família. Pouco antes da nomeação por testamento. aberta em nome do menor. pois após este fato a obrigação alimentar somente será exigida em ação judicial própria. Natália. (OAB/2012. desde então. D) em se tratando de filhos maiores. possui três irmãos: Raul. B) se torna perfeita exclusivamente por escritura pública ou instrumento particular. irretratável. Raul era pai de Mauro e Mário. José. depositando. incondicional e personalíssimo. decide alienar a terceiros um dos bens imóveis do patrimônio de Renato. Henrique e Natália. ser pessoa jovem e capaz para o trabalho. (OAB/2010.2). de livre vontade. antes. D) A nomeação de Lúcio é inválida em razão de ter sido condenado criminalmente. mas a alienação do imóvel é lícita.3).3 – ALIMENTOS: 8. pois atende ao princípio do melhor interesse do menor. como tutor do menor para o caso de alguma eventualidade. Dois anos depois do acidente. E. (C) A obrigação alimentar possui como característica básica ser irrenunciável. Considerando a hipótese acima e as regras atinentes à prestação de alimentos. no percentual de um salário mínimo para cada um. mas a alienação do imóvel. fizeram os respectivos testamentos e nomearam Lúcio. B) Henrique poderá opor a impenhorabillidade de sua única casa. pois atende ao princípio do melhor interesse do menor.(B) Quem estiver separado apenas de fato não pode constituir união estável. decidiram se divorciar após 10 anos de união conjugal. Mário era pai de Augusto e Alberto.000. mas a alienação do imóvel é lícita. como ficará a partilha de seus bens? (A) Como José não possui descendente. (B) No atual Código Civil. após dois meses de separação de fato. X. 163 do Código Penal). Diante do caso narrado. e a alienação do imóvel é lícita.3) Em relação aos alimentos. como não há direito de representação entre os filhos de irmão. Por orientação de um advogado. Eduardo e Mônica morreram em um acidente aéreo.000. Enquanto esteve casada. a partilha deverá ser feita entre os irmãos. que espera um filho de Henrique.2 – PARENTESCO. respectivamente. Raul e Mário. acreditando no arrependimento de Lúcio. com 8 e 6 anos. o cônjuge eventualmente declarado culpado pela separação não sofre qualquer restrição em seu direito de pedir alimentos ao outro cônjuge. (OAB/2012. C) Natália poderá pleitear alimentos transitórios e por prazo razoável. Do relacionamento nasceram Gabriela e Bruno. (OAB/2011. PODER FAMILIAR E FILIAÇÃO: 7.2). em 2005. apesar da condenação criminal. assinale a afirmativa correta. Eduardo e Mônica. Sabendo-se que a herança de José é de R$ 90. (D) O contrato de união estável é solene. Lúcio fora definitivamente condenado pelo crime de dano (art. automaticamente será minorado o valor dos alimentos devido aos filhos do primeiro casamento. tinham um filho menor chamado Renato. sendo necessária. (A) Eles não servem apenas para garantir as necessidades básicas do alimentando.

000. (OAB/2010. ainda é viva e que Roberto possui um filho. O restante.3) José. C) A deserdação é forma de afastar do processo sucessório tanto o herdeiro legítimo quanto o legatário. D) Os efeitos da indignidade não retroagem à data da abertura da sucessão. (OAB/2012. (A) Roberto não pode renunciar à herança. Distrito Federal ou União. e Leonardo. faleceu deixando bens. Casou-se com Roberta. ocasionando a transferência de seu quinhão para Margarida. D) O quinhão de Lúcio se equipara. que tinha um patrimônio de R$ 200. No mês de julho de 2010. 17.00.3) Josefina e José. e Alberto e Augusto devem receber R$ 7.2). sua avó. C) O quinhão de Lúcio será acrescido à parte da herança a ser recebida por seu irmão. Moacir teve duas filhas: Isolda e Isabel. Sabendo‐se que Lúcio possui um filho menor.000. (B) A herança seria dividida em três partes de R$ 300. chamado Miguel. Falecendo Roberta. Assinale a alternativa que indique a quem caberá a herança de Joaquim. portanto. à herança jacente. (D) Josefina receberia R$ 450.2). pois acarretará prejuízos a seu filho.000.000.00 cada um. a divisão do monte seria a seguinte: A) José recebe R$ 250. Mauro deve receber R$ 15. solteiro e pai de dois filhos também solteiros (Roberto. (C) Ralph e Randolph receberão R$ 30. João. é pai de Mauro e Mário.00 cada uma. e.000. efeito ex nunc. . viúvo.00.00. por direito de representação de seu pai pré-morto. casados pelo regime da comunhão universal de bens. Edgar. morreram Mário e Mauro.000.000. por sua vez.2). Os filhos de Mauro receberiam R$ 50. E.500. 16.00. solteiro. 12. (OAB/2011. tiveram três filhos: Mário. menor de idade. Com relação ao direito sucessório. Em 2006. capazes e também solteiros. ficando sob a guarda e administração de um curador. Bruno e Brian receberiam. Joaquim. Leonardo. mesmo se constituir nova família. Breno. E. João. (C) Ana. conforme apurado na esfera criminal. E. R$ 100. Sendo Mário pré-morto.00) será entregue a Mauro. Mauro e Moacir.00 cada. (D) Ralph e Randolph receberão R$ 30. Heitor.00. tendo. deixando um patrimônio de R$ 900. (B) Roberto pode renunciar à herança. sem deixar testamento.00.00 cada um.00. será entregue ao Município. Isabel e Isolda receberiam cada uma a importância de R$ 150. Arthur. cada um.00. Breno. O restante (R$ 30. até a sua entrega ao sucessor devidamente habilitado ou à declaração de sua vacância.1). Rubens. Lúcio e Arthur. de dois anos de idade. mãe de Heitor.000. Em 2004. (B) Catarina. por tê‐lo acusado caluniosamente em juízo.00. A parte que caberá a Raul deve ser repartida entre Mauro e Mário. A) O quinhão de Lúcio será acrescido à parte da herança a ser recebida por seu irmão.000.(B) Ralph e Randolph devem receber R$ 30. Paulo e Pedro receberiam cada um R$ 75. que não tinha herdeiros necessários. não tendo interesse em receber a herança deixada pelo pai. Assim.000. Mário. as filhas de Moacir receberiam R$ 75.000. R$ 100.000.000. mas sem deixar testamento e contando com dois filhos maiores. arrependido.00. (D) A herança será vacante. José e Roberta tiveram dois filhos. tendo em vista que a exclusão do herdeiro produz os mesmos efeitos da renúncia à herança.00 e Mauro. Em 2008. B) A exclusão por indignidade pode ocorrer a partir da necessidade de que o herdeiro tenha agido sempre com dolo e por uma conduta comissiva. (D) Roberto pode renunciar à herança.0000. (OAB/2010.000. deixando uma filha Catarina. seu filho. nomeando como seu herdeiro universal Sérgio. faleceu Joaquim.000. assinale a afirmativa correta. Bruno e Brian. com trinta anos de idade. Mário teve dois filhos: Paulo e Pedro.00 cada um. na falta de outro colateral vivo.000. muito triste com a perda dos filhos. seus filhos Alberto e Augusto devem receber a quantia que lhe caberia. pelo regime da comunhão universal de bens. Em um acidente automobilístico. seu filho. (A) Rubens. manifesta inequivocamente o seu interesse em receber a herança que lhe caiba. Nesse caso hipotético. tendo em vista que Lúcio é considerado como se morto fosse antes da abertura da sucessão.00. (C) Roberto pode renunciar à herança. A) O cônjuge sobrevivente. Joaquim revogou o testamento de 2004. Bruno e Breno. vem a falecer. por fim. Paulo e Pedro receberiam cada um R$ 150. com isso. (OAB/2012. desde que ela aceite receber a herança.000.000.00. (OAB/2012.000. lavrou um testamento contemplando como sua herdeira universal Ana.00. por fim.000. Sabendo-se que Margarida. o que ocasionará a transferência de seu quinhão para João.00. Bruno e Brian receberiam. cada um. seu irmão. Breno. maior e capaz. por representação.00.000. com vinte e oito anos de idade). faleceu logo em seguida.00. para todos os efeitos legais.000.00 cada um. B) O quinhão de Lúcio será herdado por Miguel. 13.000. a ela renuncia formalmente por meio de instrumento público. tendo em vista que Lúcio é considerado como se morto fosse antes da abertura da sucessão. Lúcio foi regularmente excluído da sucessão de Edgar. assinale a alternativa correta. Bruno e Brian receberiam cada um R$ 50. o seu quinhão será acrescido à parte da herança a ser recebida por Leonardo. O único parente vivo de Joaquim era seu irmão. 15.500. Roberto. Mauro teve três filhos: Breno. José.00. Moacir receberia R$ 150. possuindo um patrimônio de R$ 300. Moacir receberia R$ 300. Arthur. Sérgio faleceu. continuará a ter direito real de habitação sobre o imóvel em que residiu com seu finado cônjuge. Bruno e Breno recebem cada um R$ 62. Os filhos de Mário receberiam cada um R$ 75. como ficaria a divisão do monte? (A) Josefina receberia R$ 450. assinale a alternativa correta.00. por fim. 14. (C) Paulo e Pedro receberiam cada um R$ 150.

assinale a afirmativa correta. receber e expandir informações e ideias. não a procurando mais e jamais exercendo o poder familiar. A) O casal poderá hospedar‐se na pousada reservada sem quaisquer restrições. inclusive. 8.00.666. seu namorado de 25 anos. por ser adolescente. a importância de R$ 125. B) Deve haver o encorajamento dos órgãos de comunicação social a levar em conta as necessidades linguísticas das crianças indígenas ou que pertençam a um grupo minoritário. maior de idade. pode. Como destino. resolvem realizar uma viagem para comemorar o aniversário de um ano de namoro. 19. isentando os funcionários e gerentes. omissão ou abuso dos pais. sem portar expressa autorização de seus pais ou responsável.00. por ser adolescente e estar em companhia de Gustavo. independentemente de estar em companhia de Gustavo.B) O monte. João e Maria. em uma pousada do balneário. ou seja. em procedimento contraditório. XII ESTATUTO ADOLESCENTE: DA CRIANÇA E DO (E) A criança ou o adolescente tem direito a ser criado e educado no seio de sua família e. Juliana deu a luz a uma menina na Maternidade São Judas Tadeu. Bruno e Breno 1/3 do monte.2). relativamente capazes para a prática desse tipo de ato civil. Mauro. José. estudante de 17 anos. Acerca da política de informação envolvendo menores. R$ 166. Acerca de possíveis intercorrências ao longo da viagem.00 e Bruno e Breno recebem. ou seja. B) Juliana. o jovem casal elege Armação dos Búzios.000. ambos adolescentes. (C) As medidas de proteção à criança e ao adolescente somente serão aplicáveis quando os seus direitos forem ameaçados ou violados por falta. cada um. C) A proibição da legislação especial refere ‐se apenas às crianças. no valor total de R$ 500. (OAB/2012. Breno e Bruno recebem. portanto. funcionário público federal. em comemoração a sua recente aprovação no vestibular de uma renomada universidade. sem restrições. sendo. na definição do ECA consideradas como as pessoas de até doze anos de idade incompletos. qualquer que seja o estágio de compreensão da criança. poderá se hospedar no local livremente por eles escolhido. já que ambos estão desacompanhados dos pais ou responsável e desprovidos. D) O titular da pousada. respectivamente. ou. Juliana e o pai da criança. desacompanhadas de seus pais ou responsável. em família extensa. pensão ou estabelecimento congênere. (OAB/2012. (MA/2012 – Delegado). devendo assegurar o acesso da criança à informação. cada um. Mário. já que ambos são maiores de dezesseis anos e. não podendo ser exigido que estejam acompanhados dos pais ou responsáveis nem que apresentem autorização destes. é incabível. cabendo a José. . 18.66 para cada um. da autorização específica exigida pelo ECA. deve ser dividido em cinco partes. motel. maior de idade. legitimamente e fundado na legislação especial que tutela a criança e o adolescente. Considerando a normativa acerca da prevenção especial contida na Lei n. saiu em viagem com Gustavo. D) A herança deve ser dividida em três partes. por telefone. (B) A falta ou a carência de recursos materiais não constituem motivo suficiente para a perda ou a suspensão do poder familiar. no estado do Rio de Janeiro. de 13 de julho de 1990. assinale a afirmativa correta. ou um de seus prepostos. é correto afirmar que A) Juliana. guarda e educação dos filhos menores. por não terem condições financeiras para a criar a filha e por serem viciados em tóxicos. 21.000. D) A criança tem direito à liberdade de expressão. A) No que concerne às Medidas Específicas de Proteção. C) Juliana. não poderá se hospedar no local livremente por eles escolhido.3). e efetua a reserva. independentemente de portar ou não autorização de seus pais. A Convenção sobre os Direitos da Criança estabelece que os Estados ‐partes reconheçam a importância da função exercida pelos órgãos de comunicação social. assim como poderá ingressar em local que explore jogos de bilhar. C) José recebe R$ 250. portanto. autorizados por estes para a regular hospedagem. que compreende. apenas nos casos de descumprimento dos deveres e obrigações de sustento. em companhia de Gustavo. igualmente.069. dispensável que os adolescentes estejam acompanhados dos pais ou responsáveis. prestar‐lhe informações sobre os motivos que determinam a intervenção. o que será informado apenas aos pais e responsáveis. excepcionalmente. C) Os proprietários das lojas que explorem a locação de fitas de programação respondem pela falta de informação no invólucro sobre a natureza da obra e faixa etária a que se destinam. uma vez que estes são obrigados a manter regularmente o registro de entrada de seus hóspedes. liberdade de procurar. B) O Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe apenas a hospedagem de crianças e adolescentes em motel. (A) Os casos de perda e de suspensão do poder familiar serão decretados judicialmente. (OAB/2012.000. de forma oral ou por qualquer outro meio à escolha da criança. onde é realizado um show de música ao vivo no primeiro piso e há um salão de jogos de bilhar no segundo piso. (D) A criança ou o adolescente tem direito a ser criado e educado no seio de sua família. assinale a afirmativa correta. a abandonaram na porta da casa dos avós maternos. D) Juliana poderá se hospedar em hotel.00. R$ 100. 20. sendo permitida a hospedagem em hotéis ou estabelecimentos congêneres. assegurada a convivência familiar e comunitária. se portar expressa autorização dos seus pais ou responsável. Considerando o fato narrado. com dezessete e dezesseis anos. poderá ingressar em um badalado bar do local. mesmo em ambiente com a presença de pessoas dependentes de substâncias entorpecentes. Do mesmo modo o Estatuto da Criança e do Adolescente assegura que a informação é um direito da criança e do adolescente. ainda.000. negar‐se a promover a hospedagem do jovem casal.2). Juliana.

considerando sua natureza não jurisdicional. o adotando já encontrar-se sob a tutela. ao passo que para a adoção nacional inexiste prazo mínimo.B 4-C 12 . mantidos pela Justiça da Infância e da Juventude.C 18 . que. 23. não é competente para encaminhar ao Ministério Público as ocorrências administrativas ou criminais que importem violação aos direitos da criança e do adolescente. a quem pretende adotar. (OAB/2011. C) O período do estágio de convivência será fixado pela autoridade judiciária. se encantou por Caio. (OAB/2012. (D) a adoção internacional é medida excepcional.A 20 .D 8-A 16 . guarda legal ou de fato. concluiu que o melhor para o filho era ser adotado. é correto afirmar que (A) a adoção só é concedida quando for impossível manter a criança ou o adolescente em sua família. que será deferido caso represente o melhor interesse de Caio. orientação e tratamento a alcoólatras e toxicômanos. cumulativamente. em observância as peculiaridades do caso. em virtude do consentimento de Isabel para a adoção de seu filho pelo famoso casal. consentir com a adoção. razão pela qual pode ser dispensado se.D 5-C 13 . A) O Conselho Tutelar. razão pela qual o consentimento de Isabel é irrelevante para a apreciação do pedido do famoso casal. Acerca das atribuições do Conselho Tutelar determinadas no Estatuto da Criança e do Adolescente. A) O período do estágio de convivência será fixado pela autoridade judiciária. destaca‐se no aconselhamento e na orientação à família ou responsável pela criança ou adolescente. Acerca do estágio de convivência precedente a adoção. de 4 anos. o famoso casal terá prioridade em sua adoção em face de outros casais já previamente inscritos nos cadastros de interessados na adoção. inclusive na hipótese de inclusão em programa oficial ou comunitário de auxilio. (B) independentemente da manifestação de vontade de Isabel. este só não terá prioridade se houver casal de brasileiro. após uma longa conversa com o casal.2). em audiência. D) O Conselho Tutelar não poderá promover a execução de suas decisões.B 3-C 11 . em decorrência de sua natureza jurisdicional não autônoma. D) O período do estágio de convivência prévio a adoção internacional deverá ser cumprido no Brasil e terá prazo mínimo 30 dias. a guarda legal ou de fato do adotante durante tempo suficiente para a avaliação da conveniência da constituição do vínculo.A 24 – D .22. B) A finalidade do estágio de convivência é permitir a avaliação da conveniência da constituição do vínculo familiar entre adotante e adotado. inclusive.C 2-B 10 . salvo a hipótese de convivência prévia em decorrência de tutela. C) O Conselho Tutelar pode assessorar o Poder Executivo local na elaboração da proposta orçamentária para planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente. Caio teve sua filiação reconhecida exclusivamente pela mãe Isabel. podendo. tendo em vista que o famoso casal possuía condições infinitamente melhores de bem criar e educar Caio.3). GABARITO: 1-E 9-C 17 . B) O Conselho Tutelar. guarda legal ou de fato do adotante e. em viagem ao Brasil para o lançamento do seu mais novo filme. razão pela qual só lhe resta encaminhar ao Ministério Público notícia de fato que constitua infração administrativa ou penal contra os direitos da criança ou adolescente. assinale a afirmativa correta. Isabel ficou convencida do amor espontâneo e sincero que o casal de imediato nutriu pelo menino. entretanto. residente no Brasil. 24. habilitado para a adoção.A 7-A 15 .B 23 .D 21 . (C) tendo em vista o consentimento da mãe de Caio.A 6-C 14 . ser dispensado na hipótese de prévia convivência familiar em decorrência da guarda legal ou da tutela. não podendo este ser inferior a 60 dias para os casos de adoção internacional e de 30 dias para adoção nacional. Ante a situação hipotética. Além disso. depois de esgotadas todas as possibilidades de colocação de Caio em uma família brasileira.C 19 . sendo dispensado na hipótese de o adotando encontrar-se sob a tutela.C 22 .3). o famoso casal terá prioridade na adoção de Caio. (OAB/2012. em consequência de sua natureza não jurisdicional. Um famoso casal de artistas residente e domiciliado nos Estados Unidos. assinale a alternativa correta.