You are on page 1of 5

SEMEANDO COM LÁGRIMAS Salmo 126 Provavelmente, o salmo se refira à volta do exílio da Babilônia, fato memorável da história do antigo

Israel, narrado no livro de Esdras. O contexto nos ajuda a entender o salmo, mas seu significado aplica-se ao alívio de qualquer situação aflitiva, o que inclui os que amam a Deus; nós também, em nosso país e em nossa casa, podemos estar na condição de exilados ou de exexilados. Muitas vezes em nossas vidas, "a alegria parece morar no passado, porque o presente é feito só de lágrimas". (MOTYER, J.A. Salmos. Comentário bíblico Vida Nova, 2008, p. 868) Podemos estar exilados de Deus e voltar para Ele. 1. Precisamos celebrar as nossas libertações (versos 1-3) "Quando o Senhor trouxe os cativos de volta a Sião, foi como um sonho. Então a nossa boca encheu-se de riso, e a nossa língua de cantos de alegria. Até nas outras nações se dizia: 'O Senhor fez coisas grandiosas por este povo'. Sim, coisas grandiosas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres". (Salmo 126.1-3) O poeta olha para o seu presente e talvez se aflija (como parece indicar o verso 4: "restauranos"). Então, olha para o passado do seu povo e fica extasiado diante do que Deus fez. Ele diz que a libertação (a volta para casa) foi tão esperada (esperada, porque desejada) e tão inesperada (inesperada, porque não dependeu das ações das pessoas, mas da providência de Deus) que pareceu um sonho, algo irreal. Voltar para casa é uma das experiências mais sublimes de uma pessoa. Chico Buarque perenizou o sonho dos anistiados voltando ao Brasil de 1977: "Pode ir armando o coreto e preparando aquele feijão preto Eu tô voltando Põe meia dúzia de brahma prá gelar, muda a roupa de cama Eu tô voltando Leva o chinelo prá sala de jantar Que é lá mesmo que a mala eu vou largar Quero te abraçar, pode se perfumar porque eu tô voltando" (Chico Buarque de Hollanda) Depois de tantos anos impedidos de pisar no Brasil, os refugiados políticos foram voltando. Parecia um sonho, para ele, seus familiares, seus amigos, seus partidários. Precisamos da memória da nossa libertação. Precisamos cantar a nossa libertação. O poeta bíblico celebra a libertação, comparando-a a um sonho. Precisamos saber que a nossa libertação pareceu um sonho, de tão extraordinária, mas aconteceu de fato. Se ainda nos parece um sonho, precisamos acordar do sonho. E às vezes demora percebermos o que Deus fez. Acostumamos tanto em pedir que, quando Deus faz, não acreditamos, como se estivéssemos anestesiados. Muitas vezes, precisamos de um tempo para a restauração plena após a vitória. De um tempo para despertar do sonho da vitória. De um tempo para o coração se acostumar com a nova realidade. De um tempo para o corpo se tranqüilizar. Também precisamos sonhar a com a nossa libertação. São os sonhadores que preparam as grandes mudanças. Não há mudança sem desejo. Não há mudança se alguém não a sonhar. Nossas vidas não mudam se não sonhamos em muda-las. 2. Precisamos continuar orando para que a ação de Deus seja plena (verso 4) "Senhor, restaura-nos, assim como enches o leito dos ribeiros no deserto". (Salmo 126.4) O poeta, depois de agradecer a libertação, pede restauração. Por que? Será que ele não tinha ainda se acostumado com a vitória? Será que ele ora por aqueles que ficaram na Babilônia, logo em dificuldade ainda (como sugeriu Atanásio de Alexandria, no século 4)?

sua oração é para que Deus complete o que começou a fazer ou que faça de novo. É passar fome hoje para ter amanhã. lhe perguntou se precisava de algo e. embora em outro contexto. Ouço diretores de empresas reclamarem de jovens que já querem começar pelo topo.Semear com lágrimas é para quem sabe que a vida é feita de lágrimas e sorrisos. mais tarde. Ninguém formará uma biblioteca. se não fizer a viagem. como quem lança pão sobre as águas (Eclesiastes 11. É acordar de madrugada. como já fez no passado. de sonhos e frustrações. para preparar a marmita que talvez esteja fria na hora do almoço. se não abrir mão de muitas coisas. mas plantou e colheu. se não faltar a festas. se não o vencer página por página. sem tropeçar. Ninguém colherá.Não: ele sabe que o Deus que agiu no passado agirá no presente. "Restaura-nos" é oração de quem sabe que pode desanimar. se não nadar ou tomar um barco. muitos anos depois. "Restaura-nos" é oração de quem olha para o seu problema e vê a solução que Deus providencia. de medo e paz. porque Deus faz convergirem as coisas para aqueles que O amam. . lhe deu um emprego. se não colocar nela livro por livro. até mesmo contra a esperança de colher. "Restaura-nos" é oração de quem reconhece que precisa de Deus. (Salmo 126. Precisamos semear. senão com lágrimas. Semear chorando é semear sem saber que vai colher.5-6) Semear com lágrimas é semear sem ver a colheita. trazendo os seus feixes".Semear chorando é viver de um modo em que não há vergonha nas suas práticas. 3. colheu. Ninguém alcançará uma coisa. Não há como semear. sim. mas missão a ser realizada. para trabalhar. sem passar pela semeadura. porque a semeadura precede a colheita. o Rio de Janeiro. de insônias e sonos. Ninguém chega ao topo da montanha. Essa professora semeou. Semeia assim aquele para quem plantar faz parte do seu estilo de vida. ofereceu trabalho para uma de suas filhas e lhe alugou uma casa em condições muito favoráveis. É um pedido por plenitude. Para o bem delas. deixando sua rotina alegre para construir uma outra rotina sisuda dominada pelo verbo estudar. Ela viveu de um modo que gerou gratidão. Sua vida e a de seus alunos seguiram seus naturais cursos. voltou a ter contato com vários de seus alunos. se não plantar. mas viver de tal modo que será reconhecido. Um deles. É viver não para ser reconhecido em seu valor. se não subir e ninguém sobe sem suar. o cântico da colheita será entoado "só quando a cansativa semeadura tiver sido completada e os campos estiverem maduros para a colheita. . se não puser tijolo após tijolo na obra. empresário. Ah esta é a ordem: primeiro a semeadura. "Restaura-nos" é oração de quem está certo que não há plenitude fora do amor de Deus. contra a vontade. Ninguém participará da sua própria formatura (num curso) ou passará num concurso. Por isto. Ela deu aulas por muito tempo em escolas particulares da sua cidade. Este seu aluno disse que jamais poderia esquecer a atenção que recebeu quando era estudante. depois de estar exilado.Semear com lágrimas é semear colocando no solo o grão que falta para a boca hoje. . para estudar.1). Ninguém terminará de ler um livro. com cantos de alegria colherão. depois a colheita. Não importa se valerá a pena ou não: ele planta. Só então haverá júbilo. Ninguém construirá uma casa. ela não plantou para colher. mas sem emprego. Através de uma comunidade no Orkut. Ninguém atravessa o rio. de derrotas e vitórias. É saber que a vida é feita de esforço. de vales e montanhas. Lembro de uma professora do ensino médio cuja vida deu muitas voltas. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente voltará com cantos de alegria. indo logo para a colheita. "Restaura-nos" é oração de quem confia por ter visto a libertação.Semear chorando é plantar sabendo que não há missão impossível. Suas filhas cresceram e alcançaram a universidade. a família voltou ao Rio de Janeiro. sem se cansar. Ninguém chega ao seu destino. É neste ponto que nos . mesmo depois de tudo o que viu Deus fazer. . de sombra e luz. sem se perder. "Restaura-nos" é oração de quem se volta para Deus. mesmo em lágrimas (versos 5-6) "Aqueles que semeiam com lágrimas.

Aos brados de alegria e júbilo. e por isto estamos alegres” As correntes de águas do sul de Israel O sul de Israel sempre foi marcado pela presença de desertos secos. Salmos. não havendo chuvas. aos brados de júbilos. ÁGUAS EM ABUNDÂNCIA REPRESADAS por outro lado. no sentido de feito para Deus.encontramos no plano perfeito de Deus". Nego. emocionais ou espirituais. figueiras. Pois. oliveiras. os proprietários de vinhas. como as correntes das águas no sul” Semeando em lágrimas em cativeiro babilônico em domínios de babilônia território de Bel. mesmo que com muitas dificuldades. Aleluia! As divindades sagradas de Babilônia. A LIBERTAÇÃO deve ser recebida como CHUVAS TORRENCIAIS em terra seca e sem vida. Continuemos orando para que Deus complete o que começou em nós e através de nós. os rios tornavam-se transbordantes face à presença das chuvas no sul de Israel. em ocasiões chuvosas. J. Nego. junto a Zorobabel.7). p. a terra. Só depois de celebrarmos o que Deus nos deu é que devemos Lhe pedir mais. irmãos. infelizmente.A. uma vez que era possível encontrar por longo tempo GRANDES AÇUDES. a atmosfera. o indomável monarca babilônico. depois de 70 anos em cativeiro babilônico. Sejam materiais. Mas. do cativeiro. tais como Bel. O Salmo 126 aponta para o encerramento do cativeiro do povo Judeu no ano 538 aC. Entretanto. vazios. exprimia: “Grandes coisas fez o Senhor por nós. Plantemos. Nesse tipo de cativeiro o homem ama e pratica o pecado. Prossigamos semeando. Maldito cativeiro . trigais. do cativeiro. sejam pacientes até a vinda do Senhor. “A nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico”. Deus. Maldito cativeiro 2. mesmo banhado em lágrimas. O Cativeiro Satânico – identificado em alguns tipos de doenças e na prática do pecado. também estavam os riachos sempre secos aos olhos dos colonos do sul. LIBERTAÇÃO deve ser vista com júbilos e alegria. fornalha de fogo. Fruamos as vitórias alcançadas. O povo judeu. como as correntes das águas no sul”. idolatrias. sem correntes de águas. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera" (Tiago 5. Nebo. Quando os tempos são bons para a lavoura nada dificulta a semeadura tudo favorece: o clima. Nebo. . O Cativeiro Religioso – trata-se de um processo usado pela religião para prender suas vítimas em heresias. Desfrutemos as bênçãos recebidas. era possível ver os colonos judeus. Os ferrolhos de Babilônia para deter cativo estavam literalmente quebrados para sempre. “Estávamos como os que sonham”. Lá estavam os desertos de Judá Destacando os desertos de Berseba e o Neguev Dentre essas dificuldades. Foram derrotados pelo Todo-Poderoso Senhor dos Exércitos de Israel. nada podiam oferecer. Não há missão impossível. estava morto. etc. água em abundância DIFÍCIL é semear em território debaixo de maldições de cativeiros DESTAQUEMOS 6 TIPOS DE CATIVEIRO 1. feitiçarias. por isto estamos alegres”. Trata-se da marcha da vitória em direção a Jerusalém. NOSSO COMPROMISSO Celebremos nossas libertações.Semear com lágrimas é fazer o que precisa ser feito e consagra-lo a Deus. AS CHUVAS além de dar vida aos desertos. Deve ser louvada como CHUVAS EM ABUNDÂNCIA em rios secos. Belsazar É até fácil semearmos em tempos propícios para semeaduras. Comentário bíblico Vida Nova. enganos. dependiam dos rios que. 868) O conselho de Tiago é inspirador: "Portanto. “Traze-nos outra vez. somente Deus é o autor da grande proeza. ó SENHOR. “Grandes coisas fez o senhor por nós. Como precisavam das chuvas. Belsazar. face à seca. Setenta anos de cativeiro estavam encerrados. 2008. (MOTYER. A colheita virá. OREMOS COMO O POVO DE JUDÁ: “Traze-nos outra vez. ó Senhor. etc.

certamente nos fará sofrer de forma amarga. sem vida. etc.Salmo 126 A nossa tendência de sermos levados de roldão pelas crises da vida faz com que a vida. O que Deus fez no passado é o mínimo que Ele pode fazer por nós no presente. de nos tornar cidadãos do ontem. De repente. O que isto significa? Significa que as grandes bênçãos do passado são medidas de bênção para nós no presente. sem dúvida. Não obstante. a Palavra de Deus nos diz que o salmista descobriu esta grande . 4. O Cativeiro Eterno – identificado no Lago de Fogo e Enxofre preparado para o Diabo e seus anjos. emocionais. Paulo. BENDITO CATIVEIRO. Caminhar no deserto era o mesmo que incursionar na sua própria história. mesmo que seja o Cativeiro Divino. O Cativeiro do Homem – identificado em diversos tipos de prisões. conduziu os antepassados do povo do Sl 126 ao Cativeiro Babilônico. Conferir o Sl 126 com Jeremias 25:12. já esquecidas. Maldito cativeiro. prisioneiro de Jesus Cristo”. andando e chorando. o nosso mundo vai ficando árido. O Lugar do servo de Deus é no Cativeiro de Cristo. de nos fazer conjugar a vida sempre na perspectiva do que passou. Não podiam ver a cidade santa. Em que cativeiro encontramo-nos? O Cativeiro de Cristo precisa ser uma prisão eterna a todos os servos de Deus em todos os lugares. O terreno do nosso existir em nada se assemelha a um jardim florido. o próprio Jesus Cristo é o Senhor desse cativeiro que só deixará de existir no arrebatamento da Igreja 6. ao contrário. da terra fissurada pelo calor..lembrai-vos das minhas prisões”. Jerusalém. onde parece que Deus evaporou-Se com o resto de vida que havia. voltará. vez por outra. Não tinham montes sagrados tais como Moriá.Restaurando os desertos da vida . O deserto do Neguebe tornara-se o retrato do seu mundo interior. BENDITO CATIVEIRO. por outro lado. Em dias difíceis A SEMENTE CONDUZIDA DEBAIXO DE LÁGRIMAS “Aquele” que leva a preciosa semente. o próprio Deus é o Senhor desse cativeiro. trazendo consigo os seus molhos “AQUELE” – Esse “Aquele” identifica o próprio Deus. Existem as prisões judiciais. vamos perdendo o viço.Mas. Sim. ENTÃO. É interessante como os versos 1-3 só apresentam verbos conjugados no passado. jurídicas. o que fazer quando a nossa vida se torna um deserto? O que fazer quando tudo ao nosso lado descreve o cenário árido de nossa própria agonia? O salmista descobriu algumas verdades maravilhosas da graça de Deus. “Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria”. é no Cativeiro Divino que seremos os servos que realmente Deus almeja muito mais: APRENDEREMOS A NOS COMPORTAR COMO O POVO QUE DEVERÁ SER ARREBATADO. e que são suficientemente fortes para restaurar os desertos de nossa vida.. . Pois. Carmelo. etc. causticante e o cenário de nossa vida vai tomando a fisionomia do ermo. em meio às grandes carências intercediam em busca de um milagre que os conduzisse de volta a Jerusalém. O Cativeiro de Cristo – identificado no Evangelho de Jesus.Este fato um dia se deu com o salmista do salmo 126. o próprio Deus. sou o prisioneiro de Jesus Cristo”. Por que? Porque os nossos desertos são assim: têm o poder de tornar as nossas mentes cativas do passado. Pois. Palavras do Apóstolo Paulo em Ef 3:1 "eu. ENTRETANTO. 1. O versículo de nº 4 nos mostra de modo explícito essa situação vivida pelo mesmo. . mesmo a contragosto. com alegria. Maldito cativeiro 5. sentimentais ou amorosas. vá se tornando um verdadeiro deserto. SEGAR é colher É TEMPO DE SEGAR frutos cujas sementes foram semeadas em dias de lágrimas. Não possuíam altares especiais para o exercício de queima de sacrifícios. O cativeiro Divino – trata-se do processo divino para disciplinar filhos Seus – 2 Sm 24:9-25.3. NO CATIVEIRO DE BABILÔNIA os judeus não possuíam templo e nem sacerdotes. a topografia da sua alma.Fm 1:1 “Paulo. de nos fazer olhar para a graça de Deus como um álbum de fotos envelhecidas. Qualquer outro cativeiro. carnais. muito se assemelha a um lugar esquecido. Estudo Biblico .Cl 4:18 “.

3. se torna em manancial de bênçãos.manancial de bênçãos. A água que descia trazia vida ao deserto. voltará com júbilo.. E nós precisamos crer nisso para ver os nossos desertos existenciais restaurados também. por mais que insista o pranto. Quem sabe nós não estejamos vivendo. O mesmo Deus que havia restaurado o povo um dia (v. com júbilo ceifarão. Isto era o mínimo que Deus podia fazer no presente. . quando invadido pelas águas que desciam dos montes do sul da Palestina.. vez por outra. ela se tornará um lindo jardim . Hoje somos desafiados a olhar para o Deus do Salmo 126. era o Deus que os podia restaurar hoje (v. Quem sai andando e chorando. O Neguebe era um deserto. de acreditar. as nossas lágrimas. quando invadido pela graça de Deus. o que Ele havia feito no passado. hoje. 2. As grandes crises da vida são prenúncios de grandes milagres. Nossa vida pode ser um deserto. pelo fato de não vermos nada para além da dor e da agonia. vivemos nos alimentando de nossas próprias lágrimas. 4).verdade: o que Deus fez no passado é o mínimo que ele pode fazer por no presente. Todo Deserto. um ermo sem brilho nem luz. tornando-nos cidadãos do ontem. diante de Deus as nossas lágrimas são sementes que anunciam o tempo de um ceifar de grande alegria. mas quando invadida pela graça de Deus. se torna em manancial de bênçãos. ". ou quem sabe. que aos poucos ia cedendo lugar a um jardim florido. enquanto semeia. que nos fez perder a capacidade de esperar. todo o sofrimento tornam-se prenúncios de grandes bênçãos. trazendo os seus feixes". num imenso deserto. tornava-se um lindo manancial de vida. a nossa dor. 2). O salmista olha para o Neguebe florido e encontra o seu paralelo na graça de Deus: todo Deserto (por pior que seja).como as correntes no Neguebe" (v. 1). "Os que com lágrimas semeiam. para contemplarmos essas maravilhosas verdades que são capazes de restaurar os desertos de nossas vidas. O salmista descobriu que quando nós olhamos os nossos desertos na perspectiva do Deus restaurador. quando invadido pela graça de Deus. Por mais que doa.