A Relatividade e o Tempo

As leis da Física aplicam-se em quatro domínios distintos, conforme a tabela abaixo:

Baixas velocidades Mundo macroscópico Mundo microscópico Física Newtoniana Mecânica Quântica

Altas velocidades Teoria da Relatividade Mecânica Quântica Relativística

(Há que se notar que as velocidades são consideradas baixas ou altas em relação à máxima velocidade permitida no Universo: a velocidade da luz.)

Nós vivemos sob o domínio da Física Newtoniana e nele fica impossível entender alguns efeitos banais da Teoria da Relatividade (como um astronauta pode não envelhecer 50 anos se passou 50 anos viajando?). E isto porque a Física Newtoniana usa as transformações de Galileu para relacionar dois corpos em movimento.

Ao tratarmos objectos que têm movimento relativo — um ou ambos se movem — precisamos de uma série de equações que relacionem as medidas feitas por um às medidas feitas por outro. Algo do tipo: se eu, parado, meço a velocidade de um carro andando a 40km/h para a direita, outra pessoa movendo-se a 20km/h para a esquerda vai "visualizar" o carro à velocidade de 60km/h para a direita.

Para dois corpos com velocidade relativa numa dada direcção, que chamaremos de transformações de Galileu são descritas por:

, estas

E aqui já vemos porque não faz sentido o desfazamento temporal: o tempo medido por um é absolutamente igual ao medido pelo outro.

Mas quando aceleramos para velocidades próximas às da luz, as transformações de Galileu deixam de ser válidas e necessitamos de utilizar um novo conjunto de equações, chamadas transformações de Lorentz.

teremos: E aqui já podemos começar a entender como é possível este aparente paradoxo descrito naquela pergunta atrás formulada sobre o astronauta. Substituindo o valor de por metade da velocidade da luz. Temos que: . onde é obviamente muito grande.2 Para o mesmo caso anterior. Vamos dizer que se o astronauta viajar a metade da velocidade da luz ( ). Mas. temos: . 100 anos para chegar a uma estrela que estivesse a 50 anos-luz de nós. . . ele levaria para nós aqui na Terra.

a massa de um corpo qualquer torna-se absurdamente grande e. Só a luz viaja à velocidade da luz. o seu tempo pararia de facto. Como? . (Isso não é lá muito bom. Situação 1 Repare que se o nosso astronauta viajar à velocidade da luz ( ). obteremos as equações de Galileu. A razão será um número muito pequeno. a que relaciona a coordenada ? O que nos diz ela? A Relatividade e o Espaço Quando falamos sobre o tempo. o astronauta só envelheceu 87. A transformação para a coordenada espacial diz-nos que o espaço se contrai na direção do movimento. pois ele estaria literalmente congelado no tempo. Situação 3 Neste breve exemplo. e ele não mais envelheceria. respirar ou pensar!) Felizmente isso não pode acontecer. menos irá envelhecer. as baixas velocidades. Muito próximo da velocidade da luz. podemos perceber algo muito interessante. E quanto mais próximo da velocidade da luz ele viajar. válido somente para velocidades muito baixas quando comparadas à velocidade da luz. "brincamos" apenas com a segunda das equações de Lorentz aqui representadas (que relaciona os diferentes tempos). Podemos ver ainda a elegância da Teoria da Relatividade.3 Assim. podemos dizer que as transformações de Galileu são um caso especial das transformações de Lorentz. pois a massa de um corpo também se altera com a velocidade. devemos relacioná-los através de um conjunto de equações conhecido como transformações de Lorentz. a força necessária para que este acelere (e atinja por fim a velocidade máxima) é igualmente absurda. paralela ao eixo . concordando sempre com a boa e velha Física Newtoniana para velocidades baixas. Situação 2 Se voltarmos o nosso olhar para o outro extremo. pois ela não possui massa. portanto. Esta equação dá-nos a dilatação temporal (o tempo passa mais lentamente para quem se move). quase zero. sem se poder mover. E a primeira equação. um sistema terrestre e um sistema que é um foguete) é muito grande. Assim. teremos: A equação do tempo mostrou-nos que relógios em movimento medem o tempo mais lentamente do que relógios em repouso. que expandiu os domínios da Física rumo às altas velocidades. vimos que quando a velocidade relativa entre dois sistemas de referência (digamos. aumentando à medida que esta aumenta. Se a substituirmos por zero nas equações de Lorentz. Se considerarmos uma velocidade relativa . vemos que enquanto quem ficou na Terra envelheceu 100 anos.

. Portanto e: .4 Imaginemos uma régua de um metro. medirá: Mas uma medição de um certo comprimento deve ser feita simultaneamente em ambos os lados. teremos: . Substituindo os valores. Quem estiver parado. vai medir o comprimento da régua de um metro como sendo de apenas 87 centímetros. que será acelerada até atingir metade da velocidade da luz. Quem estiver com ela em movimento obviamente a verá parada: . Mas quem estiver parado.