Administração de Ativos Permanentes Análise do projeto financeiro

 Prof. Laercio Braga

Fluxo de caixa equivalente
 Dois fluxos de caixa são ditos equivalentes a uma determinada taxa de juros se os valores presentes, a esta taxa de juros, forem iguais.  Por exemplo:

Taxa de 8% a.a.
Ano 0 1 2 3 4 Soma VP 1.360,49 1.360,49 1.000,00 80,00 80,00 80,00 1.080,00 1.320,00 1.000,00 301,92 301,92 301,92 301,92 1.207,68 1.000,00 330,00 310,00 290,00 270,00 1.200,00 1.000,00 Fluxo A Fluxo B Fluxo C Fluxo D

VP X VF  VF = VP x (1 + i)n  Onde n ou t = períodos  i ou r = taxa de juros  (1 + i)n = fator de capitalização  VP = VF/(1+i)n .

.49/(1..08)3+1.08)4 .+ Pn  (1+i)t1 (1+i)t2 (1+i)tn  Fluxo a : VP = 1.VP  VP = P1 + P2 +.08)2+80/(1.360.080/(1.08)1+80/(1.08)4  Fluxo b :  VP = 80/(1.

Anuidades (séries uniformes)  Anuidade é uma série de pagamentos ou recebimentos iguais e consecutivos dentro de uma mesma frequência de capitalização. com o objetivo de liquidar ou constituir um montante. .

a uma taxa de juros de 20% a.20 = R$ 12.500/0.?  VP = 2.Anuidade perpetua  VP = PMT / i  Onde: PMT – parcela de pagamento ou recebimento  Ex: qual o valor presente de uma perpetuidade de R$2.00 .500.00 anuais.a.500.

Ex2  O fluxo de caixa perpetuo da empresa é de R$ 1.200.361.3% ao ano.163 = R$ .00 por ano.000.000. calcule o valor da empresa se o primeiro retorno do fluxo de caixa será recebido daqui a um ano e os restantes todos os anos seguintes.00 7.19 / 0.200.  PV = 1.963. Considerando a taxa de juro de 16.

O VF (montante) produzido pelas aplicações poderá servir como poupança ou para aquisição de bens.  Temos:  VF  Deposito ou pagamento (PMT)  Juros (i)  Número de depósitos ou pagamentos (n) (periódicos. iguais e antecipados) .Série de formação de capital  É a série que mostra a acumulação de capital através de depósitos iguais e periódicos.

 PMT = VF x  i (1+i)n – 1  VF = PMT x  (1+i)n – 1 i .

iguais e consecutivas. ou seja. no valor de R$ 100. n = 5. a uma taxa de juros de 4% ao mês. a 30 dias da data tomada como base (“momento zero”) e que a última.  PMT = 100. de uma série de 5 aplicações mensais. é coincidente com o momento em que é pedido o montante. no final do 5º mês. FV ? . i = 4%.Ex1  Determinar o valor do montante. no final do 5º mês.00 cada uma.

Resolução  FV = 100 x (1+0.415 .04)5 – 1  4       NA HP g end 100 Pmt 4 i 5 n FV 5.

ex2  Quanto uma pessoa terá de aplicar mensalmente num fundo de renda fixa. n=60.m.?  FV = 200. Pmt? .00 no final de 60 meses.000. i = 2. sabendo que o fundo proporciona um rendimento de 2% a.000. durante 5 anos para que possa resgatar r$ 200.

000 x       G end 200.000 FV 2 i 60 n PMT 1.02 (1. PMT = 200.59 0.02)60-1 .753.

O que é análise de um projeto financeiro?

 A análise de investimento diz respeito a quais projetos aceitar e quais rejeitar. É talvez a parte mais importante de um projeto, pois é a partir daí que se percebe se o projeto é viável ou não.

 Conceituamos investimento como sendo todo o gasto em bens mantidos no ativo, visando a geração de benefícios em períodos futuros.  Nesse módulo, vamos focar os investimentos em ativos permanentes, ou seja, aqueles destinados a gerar resultados no longo prazo, dentre eles: • • • • Máquinas e equipamentos Edifícios e instalações Pesquisa processos e desenvolvimento de produtos ou

Participações em empresas controladas ou coligadas.

    

Abertura de uma nova fábrica Lançamento de um novo produto Abertura de uma filial Projetos de redução de custos Aquisição de uma empresa

plano financeiro sólido para cobrir período de implementação  2.assegurar que lucros adequados serão gerados para investidores .Investimento: visão privada  Exige avaliação financeira:  1.assegurar que terão recursos financeiros disponíveis para operação  3.

Investimento: visão pública  Exige avaliação econômica e social  Mede os efeitos sobre os objetivos fundamentais da economia  Monopólio e oligopólio causam divergências entre interesses sociais e privados  O governo defende a maximização do consumo total agregado  Preferem projetos que contribuem para a melhoria da distribuição de renda .

Valor do Dinheiro no Tempo Fluxo Fluxo de de Caixa Caixa Análise Análise de de Investimento Investimento Taxa Taxa de de Desconto Desconto .

valor atual líquido e a taxa interna de retorno e. ver a viabilização do projeto.Objetivo da análise  O objetivo da análise financeira é utilizar as previsões do cash-flow (fluxo de caixa) do projeto para calcular as taxas de rentabilidade apropriada. . com isto.

compreendendo as saídas (investimento inicial) e as entradas de dinheiro geradas pelo investimento realizado. decisões mais conscientes e com maior grau de segurança. Diante da importância de tomadas de decisão dessa natureza.  Para todos os métodos que analisaremos a seguir. . aos gestores ou investidores. alguns métodos de avaliação de investimento permitem. pressupõe-se a elaboração de um fluxo de caixa do projeto.

mas complementares. ou seja. Eles não devem ser encarados como excludentes. O VPL e a TIR baseiam-se no conceito de fluxo de caixa descontado .  Nenhum dos métodos pode ser apontado como o melhor. levam em consideração o valor do dinheiro no tempo em que ocorrem as entradas e saídas de caixa. .

Fluxo de Caixa FCL FCL FCL FCL FCL 0 1 2 3 4 5 Io .

000 200.Fluxo de Caixa 200.000 200.000 200.000 0 1 2 3 4 5 500.000 Que taxa de desconto ( i) usar? .000 200.

.Os fluxos podem ser:  Convencionais: um gasto inicial seguido de uma série de entradas  Não convencional : um desembolso inicial seguido de uma série de entradas e saídas de fundos.

Custo de Oportunidade É a melhor remuneração que seria obtida em uso alternativo. CDI. Taxa de Desconto Taxa Mínima de Atratividade ( SELIC. IGP-M) .

Projeção dos Fluxos de Caixa 2. VPL e TIR). . Avaliação dos Fluxos de Caixa 3.Etapas na Análise de Investimentos 1. Escolha da melhor alternativa de investimento através do uso de técnicas (PAYBACK. Cálculo da Taxa de Desconto 4.

 A análise de investimento deve:  A) dimensionar os fluxos de caixa de cada proposta de investimento  B) avaliar economicamente os fluxos de caixa – técnicas de análise  C) definir a taxa de retorno exigida pelos proprietários  D) análise de risco a cada projeto de investimento .

Motivos que levam para gastos em ativos  Ampliação do volume de operação  Substituição de ativos fixos que ficaram obsoletos  Modernização dos ativos fixos  Outros investimentos que tem impacto no longo prazo .

Tipos de investimento  1) projetos economicamente independentes – não competem pelos recursos da empresa. nunca os dois. . A empresa pode selecionar um ou outro ou ambos (observando a rentabilidade)  2) projetos mutuamente exclusivos – investimentos que competem pelos recursos da empresa – pode selecionar um ou outro.

As decisões de investimento  Pressuposto: todo investidor racional: minimizador de riscos maximizador de retorno é e  Risco: é a capacidade de se mensurar o estado de incerteza de uma decisão mediante o conhecimento das probabilidades de ocorrência de determinados resultados. .

 O risco está associado à variabilidade do retorno de um investimento e resulta na possibilidade de ganhos ou prejuízos  O retorno corresponde aos ganhos ou prejuízos proporcionados por um investimento .

 Os ativos que apresentam maior probabilidade de perda são considerados mais arriscados do que os ativos com probabilidade menor .

.Tipos de risco  Risco operacional: possibilidade da empresa não pagar ou não seja capaz de cobrir seus custos de operação  Risco financeiro: possibilidade de que a empresa não seja capaz de honrar as suas obrigações financeiras.

Técnicas para Avaliação de Investimento de Capital PAYBACK Simples  PAYBACK Descontado  Valor Presente Líquido (VPL)  Taxa Interna de Retorno (TIR) .

Análises de Prazos de recuperação do capital investido .

Payback simples  Avaliação de propostas de investimento de capital  Período de payback  É o tempo necessário (número de anos ou meses) para que a empresa recupere o investimento inicial em um projeto. o período de payback pode ser encontrado dividindo-se o investimento inicial pela entrada de caixa anual. . é o tempo necessário para que o fluxo de caixa fique positivo. ou seja.  Calculado a partir das entradas de caixa  No caso de uma anuidade.

Exemplo1  O payback se dá antes do final do 4º. fazemos: . Ano.  Admitindo-se que as entradas líquidas ocorrem de maneira uniforme durante o ano.

1 meses  O payback é. de 3 anos e 10 meses. . portanto. 220.000/260.000 x 12 (meses) = 10.

 O payback é um método muito simples de avaliação e muito fácil de se calcular.  Porém. tem limitações para tomada de decisão por não considerar: • 1.o valor do dinheiro no tempo .

particularmente importante quando o foco é a liquidez. Entretanto. . esse método permite avaliar a velocidade com que ocorre o retorno do investimento.

 Contras: costuma ser considerado uma técnica pouco sofisticada de análise de orçamento de capital  Motivo: por não considerar explicitamente o valor do dinheiro no tempo  Critérios de decisão:  Se o período de payback for menor do que o período máximo aceitável do payback. aceitar o projeto  Se o período for maior do que o período máximo aceitável. rejeita-se o projeto .

percepeção do risco do projeto e relação percebida entre o período de payback e o valor da ação. A duração do período máximo aceitável de payback é definida pela direção da empresa  Subjetivamente  Fatores: tipo do projeto. .

maior será a possibilidade de que ocorram imprevistos  Menor período – menor risco . Empresas de grande porte costumam usar para avaliar pequenos projetos  As pequenas usam para maioria dos projetos  Popularidade: simplicidade do cálculo e por usar fluxo de caixa  Quanto mais tempo for preciso esperar para recuperar os fundos investidos.

Exemplo2  Pitombeira está pensando em investir R$20. em dinheiro. com essa participação  25% do imposto de renda por um bom tempo  Fluxo de caixa após imposto de renda = (1alíquota)* fluxo de caixa antes do IR .  Estimativa de receber entre R$4.000 em uma participação de 5% em um imóvel para locação.000 e R$6.000 por ano.

500 = 4.000 por cada um dos fluxos de caixas estimados depois do IR  Período de payback = investimento inicial/ fluxo de caixa depois do IR  = R$20.25)* R$ 6.25)* R$ 4.000 = 6. = (1-0.500  Esses são os valores dos fluxos de caixa depois do IR  Dividindo o investimento inicial de R$ 20.44 anos .67 anos  = R$ 20.000  = (1-0.000 = R$ 3.000/R$3.000 = R$ 4.000/R$4.

44 anos e 6. Como o investimento proposto no imóvel para aluguel levará entre 4. estando portanto abaixo do payback máximo de 7 anos projetado pela empresa.67 anos para se pagar. o investimento é aceitável .

900 = 2.000 .100 . Investimento 150.34.900 57.900 Anuais ANO 0 1 2 3 4 5 FL CX .92.500 • O PAYBACK está entre os anos 2 e 3 como podemos observar pelo fluxo de caixa acumulado.200 + 23.700 + 81.900 57.59 anos .900 57.900 57.900 FL CX ACUM .150.150.600 + 139.Exemplo de Fluxos de Caixa iguais:   Investimento = 150.3.000 PAYBACK = Fluxo de Caixa = 57.000 Fluxo de Caixa = 57.000 57.

durante 10 anos. de 18 milhões que gerasse resultados líquidos de R$ 6 milhões por ano.300 Anuais  EX5.000 Fluxo de Caixa = 6.Considere um investimento IA de R$ 20 milhões que gere retornos líquidos anuais de R$ 5 milhões. EX4. Como seria diagrama de fluxo de caixa:  Se dependesse apenas do payback.É usado para valores pequenos. O diagrama de fluxo de caixa desta alternativa de investimento é:  Ex6. durante 4 anos.  Investimento = 25. Outro exemplo seria o investimento IB. mas não assume valor e dinheiro no tempo. a partir do final do primeiro ano. qual o investimento seria preferido  .

 Ex8. $ 220.000.000. $ 200. Analise o fluxo de caixa a seguir e calcule o payback (considere que não há incidência de juros). sucessivos.Ex7. $ 150. de $ 120. .000. $ 180.000.: Se uma empresa está interessada em investir $ 600.000 num projeto. $ 150.000 e $ 80. que apresenta os retornos anuais líquidos (descontados os impostos). faça o fluxo de caixae calcule o PBS.000.000.

 PB > Padrão da empresa --> Rejeita-se o projeto.Resumo:  Regra de decisão:  PB < Padrão da empresa --> Aceita-se o projeto. .  Problemas:  Não considera o valor do dinheiro no tempo.  A análise se restringe ao período do investimento.  PB = Padrão da empresa --> Aceita-se o projeto.

ser aprimorado quando incluímos o conceito do valor do dinheiro no tempo.  Exemplo  Investimento = 150. Isso é feito no método do PAYBACK DESCONTADO que calcula o tempo de PAYBACK ajustando os fluxos de caixa por uma taxa de desconto.000  Fluxos de Caixa = 57. também. dividido por(1 + 0.PAYBACK Descontado O método do PAYBACK pode. ou seja.18)j. onde j é o ano de ocorrência do fluxo .900 iguais para 5 anos  Taxa de Desconto = 18% ao ano  Cada fluxo de caixa deverá ser descontado.

150.900 57.309 .100.900 49.068 41.864 25.240 .583 ano 3 = (1+0.150.900 57.109 5.240 29.583 35.900 57.000 .349 24.ANO FL CX ANUAL FL CAIXA AJUSTADO FL CX ACUM AJUST 0 1 2 3 4 5 .18)3 = 35.068 ano 2 = (1+0.18)1 = 49.064 Ano 1 = (1+0.000 57.18)2 = 41.932 + 59.755 + 31.900 57.

Assim. O PAYBACK está entre ano 3 e o ano 4. temos: PAYBACK = 3 + 24.109 / 29. como podemos observar pelo fluxo de caixa acumulado ajustado.81 anos.864 = 3.  .

 Assim uma análise mais apurada do mercado deve levar essa taxa em conta. . que é mais simplificado. Diferente do payback simples.  Porém este método revela algumas fraquezas dos modelos de avaliação de investimento. o payback descontado leva em consideração a taxa de juros e o fato de que nem sempre os fluxos esperados são constantes.

não se preocupando com os possíveis fluxos de caixa após o tempo de recuperação do investimento.  Determinar o período de Payback é um tanto arbitrário. pois para que o Payback seja o desejado pode incorrer em taxas de juros que não são as praticadas pelo mercado.As principais limitações desse método são:  Ter o enfoque total na variável tempo. pois para ele não importa a "sobra" do investimento. .  Não desconta os fluxos de caixa adequadamente.

Calcule o valor do payback descontado: .

 PB > Padrão da empresa --> Rejeita-se o projeto.Resumo:  Da mesma forma:  PB < Padrão da empresa --> Aceita-se o projeto.  PB = Padrão da empresa --> Aceita-se o projeto. .  Problema:  A análise se restringe ao período do investimento.

Valor Atual = Valor Presente  É o valor total do projeto no tempo presente. considerando o tempo de estudo do projeto e um determinado custo de capital.  O cálculo do VPL consiste em se apurar em uma mesma data (em geral no início do projeto) o valor de todas as saídas e entradas de caixa. .

poderá somar os positivos e subtrair os negativos (investimentos) para obter o VPL .Valor Presente Líquido  O analista estimará o montante a investir. o horizonte de tempo do projeto e os fluxos de caixas que o projeto renderá no futuro  Depois trará todos os fluxos de caixa a valor presente  Com todos os fluxos na data zero.

 O critério de aceitação ou rejeição é simples  Aceita-se o projeto se o VPL for maior ou igual a zero  Um projeto com valor zero está remunerando o investimento à taxa mínima de atratividade .

 VPL é encontrado subtraindo-se o investimento inicial de um projeto (FCo) do valor presente de suas entradas de caixa (FCt). . descontadas à taxa de custo de capital da empresa r ou K.

aplicando-se a seguinte fórmula para cada fluxo futuro:  VPL = Fluxo futuro . Faz-se.Io   Sendo. portanto.  i = taxa de desconto (ou custo do capital)  n = número do período em que ocorre o fluxo futuro (mês ou ano) (1+i) . o cálculo do valor presente das entradas e saídas.

. pois o montante a ser investido poderá ter um retorno superior em outras alternativas de aplicação. significa que o projeto deve ser recusado. A taxa de desconto (i) significa o valor mínimo de retorno que o investidor está disposto a obter para aquele projeto. o VPL for menor que zero.  Portanto. se para a taxa de desconto estabelecida.

EX R$ 90 mil R$ 45mil Ano 0 Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 R$ 75mil R$ 85 mil R$ 60 mil R$ 200mil .

770.2)1+75/ (1+0.2)2+90/(1+0.83  ACEITA-SE o Projeto .2)3+85/(1+.2)5  VPL = R$6.2)4+60/ (1+0. VPL = -200 + (45)/(1+0.

000 .000 Projeto B: Ano 0 = -40.000 Ano 3 = + 35.000 Ano 1 = +15.000 Ano 3 = + 35.000 Ano 2 = +25.000 Ano 1 = +25.Avaliando dois projetos pelo VPL: risco de 30% ao ano           Projeto A: Ano 0 = -40.000 Ano 2 = +15.

...Resultados  O projeto A e B tem o VPL positivo de (...) e (.) respectivamente  Significa que o Valor presente dos embolsos supera o valor dos desembolsos  Significa também que o projeto tem uma taxa de remuneração superior a taxa de desconto utilizada  O projeto B é melhor que o projeto A? ..

 Vamos calcular o VPL para diversas taxas?  25%. 40% para os dois projetos. 35%. .

00 Mês 4 = 150.00 Mês 1 = 100.00 Mês 2 = 150.00 Mês 3 = -100.00 i = 7% a. R.       Exemplo : Mês 0 = -300.: -42.72 .m.

Taxa interna de retorno (TIR) É a taxa que iguala o valor atual líquido dos fluxos de caixa de um projeto a zero. É a taxa que faz com que o valor atual das entradas seja igual ao valor das saídas. .

 O método de cálculo é semelhante ao do VPL  O analista estimará o horizonte de tempo do projeto. os fluxos positivos e negativos  Calculará a taxa que fará o VPL ser nulo  Aceita-se o projeto se a TIR for maior ou igual à taxa mínima de atratividade .

VPL ou TIR?  Muitas empresas usam as duas técnicas  Pois a tecnologia disponível permite  Mas é difícil a escolha  O VPL é a melhor abordagem ao orçamento de capital .

em vez de retornos em termos monetários . O VPL pressupões que entradas de caixa intermediárias geradas por um investimento sejam reinvestidas ao custo de capital da empresa  TIR pressupõe reinvestimento à elevada taxa especificada pela TIR  Apesar da superioridade teórica do administradores preferem usar a TIR VPL. os  Inclinação das pessoas por taxas de retorno.

 O VPL é menos intuitivo por não medir os benefícios em relação à quantia investida .

aprovaria o projeto. . seria indiferente em relação ao projeto. TIR = Taxa Mínima:  A empresa estaria obtendo uma taxa de retorno exatamente igual à taxa de retorno mínima exigida.TIR > Taxa Mínima:  A empresa estaria obtendo uma taxa de retorno maior que a taxa de retorno mínima exigida.

a teoria considera o VPL como método superior à TIR. No entanto. o cálculo da TIR pode apresentar problemas algébricos e depende de hipóteses que nem sempre são verdadeiras. Por essa razão. Observação: A utilização da TIR produz resultados equivalentes à do VPL na grande maioria dos casos. reprovaria o projeto. .TIR < Taxa Mínima:  A empresa estaria obtendo uma taxa de retorno menor que a taxa de retorno mínima exigida.

.

.

.

 Indicadores de rentabilidade .

 Índices do tipo “QUANTO MAIOR. MELHOR”:  GIRO DO ATIVO  RENTABILIDADE DO ATIVO  RENTABILIDADE DO PARTIMÔNIO LÍQUIDO .Lucratividade  Revela a lucratividade obtida pelo capital investido no período (quanto o investimento rendeu à empresa).

 Margem Bruta • Lucro Bruto / Vendas Líquidas  Margem Operacional • Lucro Operacional / Vendas Líquidas  Margem Líquida • Lucro Líquido após o IR / Vendas Líquidas .

GIRO DO ATIVO *
FÓRMULA  GA = VL / AT VL: Vendas Líquidas; AT: Ativo Total
(AC+RLP+AP)

onde:

* Revela quanto a empresa vendeu em relação ao investimento total (Ativo Operacional) no período.

Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$)
Anos 2006 2005 VL 1.502.961 1.475.307 AT 1.008.509 946.888 Cálculo R$ 1,49 R$ 1,56

Análise  Em 2005, cada R$ 1,00 do Ativo Operacional gerou R$ 1,56 de vendas e R$ 1,49 em 2006. Apesar da piora (4,5%), conceito: BOM, acima da mediana R$ 1,26

 Indica quanto a empresa vendeu para cada $ de investimento total (próprio e de terceiros).

 Quanto maior, melhor.  Quando se verifica uma redução nesse índice, de um período para outro, deve-se analisar a real causa. Uma hipótese seria a decisão da empresa de aumentar o preço de venda, com conseqüente redução nos volumes vendidos. Havendo manutenção ou aumento da margem líquida (próximo índice analisado), há ganho para a empresa (possivelmente provocado por reduções em custos fixos).

.MARGEM LÍQUIDA * FÓRMULA  ML = LL / VL onde LL: Lucro Líquido e VL: Vendas Líquidas * Revela quanto a empresa obteve de lucro no período em relação ao seu faturamento.

88% Análise  Em 2005.07 (6.961 1.475.07 (6. .480 VL 1.88%) de lucro e R$ 0.Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos 2006 2005 LL 100.7%) em 2006 (piorou 2. a Mahle obteve R$ 0.067 ou 6.701 101. Conceito: BOM (mediana 3.7 % 0.62%). de cada R$ 1.1%).502.0688 ou 6.00 vendido.307 Cálculo (índice x 100=%) 0.

. melhor. Indica quanto a empresa obtém de lucro para cada $100 de investimento total (próprio e de terceiros). Quanto maior.RENTABILIDADE DO ATIVO * FÓRMULA  RA = LL / AT onde LL: Lucro Líquido e AT: Ativo Total * Revela quanto a empresa obteve de lucro para cada real investido no ativo (taxa de retorno).

099 = 9.1%).99% 0.509 946.008.10 (9.480 AT 1.7%) de lucro e R$ 0.00 investido.107 = 10. Conceito: BOM (mediana 4. de cada R$ 1.888 Cálculo (índice x 100=%) 0. .81%).7% Análise  Em 2005. a Mahle obteve R$ 0.11 (10.701 101.Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos 2006 2005 LL 100.99%) em 2006 (piorou 6.

RENTABILIDADE do PATRIMÔNIO LÍQUIDO FÓRMULA  RPL = LL / PL onde LL: Lucro Líquido e PL: Patrimônio Líquido Esse índice revela quanto a empresa teve de lucro líquido para cada real de capital próprio. .

Quanto maior.Indica quanto a empresa obteve de lucro para cada $100 de capital próprio investido. Evidente que a decisão deve levar em consideração o comportamento da rentabilidade no longo prazo. a fim de que não seja impulsionada por ocorrências anormais (tanto no mercado de atuação da empresa quanto nos alternativos como bolsa de valores. fundo de renda fixa etc). Representa a remuneração do capital próprio. que deve ser comparada com outros investimentos disponíveis no mercado. . para avaliar a viabilidade de permanência no negócio. melhor.

701 101.15).Exemplo: MAHLE METAL LEVE S/A (em mil R$) Anos 2006 2005 LL 100. Conceito: BOM (mediana 14%). .626 404.15% 0.480 PL 454.481 Cálculo (índice x 100= %) 0.7%. a Mahle obteve lucro de R$ 0.25 (25.25 = 25.09%) em 2005 e em 2006 r$ 0.22 (22. piorou 11.09% Análise  De cada R$ 1.22 = 22.00 capital próprio.

000 = 13.6% . não incluindo juros.000/$ 3. impostos e dividendos de ações preferenciais.074. Margem lucro operacional Mede a proporção de cada unidade monetária de receita de vendas que permanece após a dedução de todos os custos e despesas. MLO = Resultado operacional/Receita de vendas MLO = $ 418.

impostos e dividendos de ações PN. MLL = Lucro disponível aos acionistas ordinários/Receita de vendas MLL = Lucro disponível aos acionistas ordinários/Receita de vendas . Margem de lucro líquido Representa a proporção de cada unidade monetária de receita de vendas restante após a dedução de todos os custos e despesas. incluindo juros.

Esse índice é obtido dividindo o lucro líquido pelo ativo médio da seguinte forma: . pois indica o ganho da empresa.Outros:  Taxa de retorno sobre investimento total (TRSIT)  A taxa de retorno sobre investimento total (TRSIT) é um dos principais indicadores da capacidade econômica da empresa.

466 e o lucro líquido de 2006 é de 115.794 e o ativo total de 2005 é de 775.021 qual o TRSIT? 13% .075.Supondo que o ativo total de 2006 é de 1.

portanto considera-se recursos totais (recursos de terceiros mais recursos próprios).Interpretação  Nesse caso. para cada real investido há um ganho de 0. .13 (treze centavos). Observe que se trata de ativo médio.

Taxa de retorno sobre o patrimônio líquido (TRSPL)  A taxa de retorno sobre o patrimônio líquido (TRSPL) é considerado a mais importante de todas as taxas. Para encontrarmos esse índice basta dividir o lucro líquido pelo patrimônio líquido médio: . pois indica a rentabilidade dos empresários.

Diferente do índice anterior.112 e o patrimônio líquido de 2005 é 417. observe que este revela o ganho do capital próprio. . ou seja.379? R:23%  Para esse caso.23 (vinte e três centavos). para cada real de capital próprio investido na empresa (PL) há um ganho de 23 centavos. para cada real investido pelos empresários há um ganho de 0. Supondo o que o patrimônio líquido de 2006 é de 553.