TWITTER: @CAIOBARTINE profcaiobartine@gmail.

com

PRÁTICA TRIBUTÁRIA PARA EXAME DA OAB CONSIDERAÇÕES NA REALIZAÇÃO DA PROVA NA 2ª FASE 1.Utilização da legislação tributária sem comentários: considerações básicas. 2.Realização da prova da 2ª fase: 1 peça processual e 4 questões discursivas 3.Observância das legislações tributárias importantes e relevantes para a 2ª fase mais

BIBLIOGRAFIA BÁSICA DE SALA DE AULA - VADE MECUM RT 2012 - Mini Código RT Legislação Tributária ou simular - PRÁTICA TRIBUTÁRIA. Caio Bartine. Editora RT. 1ª edição. BIBLIOGRAFIA DE PROVA - VADE MECUM RT 2012 - Mini Código Legislação Tributária RT BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR - Curso de Direito Tributário. José Eduardo Soares de Mello. Ed. Dialética - Direito Tributário. Coleção Elementos do Direito. Caio Bartine. Editora RT

capacidade de interpretação e exposição .ortografia e correção gramatical . Peça Prático-Profissional .adequação da peça ao problema apresentado .técnica profissional .ANÁLISE DO EXAMINADOR DA 2ª FASE 1.fundamentação e consistência .raciocínio lógico jurídico .

2. Análise das questões práticas .raciocínio lógico-jurídico .objetividade .clareza de informações .

PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO Ações de Iniciativa do Fisco .

AÇÃO DE EXECUÇÃO FISCAL Considerações importantes Lei 6.MEDIDA CAUTELAR FISCAL Considerações importantes Lei 8.397/92 .I .830/80 II .

PROCESSO JUDICIAL TRIBUTÁRIO Ações de Iniciativa do Contribuinte

I – AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICO-TRIBUTÁRIA - possibilidade de cumulação com AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO FISCAL II – AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL III – MANDADO DE SEGURANÇA IV – AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO FISCAL V – AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO VI – EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL VII – EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE

RECURSOS PROCESSUAIS I – APELAÇÃO II – AGRAVO DE INSTRUMENTO III – RECURSO ESPECIAL IV – RECURSO EXTRAORDINÁRIO V – RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL

ESTRUTURA DA PEÇAPROCESSUAL COMPETÊNCIA DE ENDEREREÇAMENTO .

estadual ou municipal. 1ª INSTÂNCIA (salvo nos casos de Embargos ou Exceção)  Federal: Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da ___ Vara Cível da Seção Judiciária de _____(quando nas capitais) ou Subseção Judiciária ______ (nas demais regiões) .COMPETÊNCIA PARA ENDEREÇAMENTO 1. se federal. O candidato deve analisar o tributo em questão.

quando for tributo federal: Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da ___ Vara das Execuções Fiscais Federais da Seção Judiciária de _______ (em se tratando das capitais) ou Subseção Judiciária (em se tratando de outras regiões)  Estadual/Municipal: Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da ___ Vara da Fazenda Pública da Comarca de ___ (local onde exista vara especializada) ou Vara Cível (em local onde não há varas especializadas)  .em se tratando de embargos ou exceção.

para tributos estaduais/municipais: Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito do Anexo Fiscal da Comarca de _____. Em se tratando de embargos ou exceção. .

PREÂMBULO DA PEÇA .

cidade. .QUALIFICAÇÃO DAS PARTES PESSOA FÍSICA “Contribuinte”. Estado. por meio de seu advogado que esta subscreve (instrumento de mandato incluso). profissão. residente e domiciliado na _____. nacionalidade. estado civil. portador da Cédula de Identidade RG nº _____ e devidamente inscrito no CPF/MF sob o nº ____. bairro.

. onde receberá as devidas intimações. I do CPC. Estado. conforme os artigos (colocar os artigos da fundamentação da ação) ... vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência... bairro. nos termos do art. cidade. 39. com escritório na ____.

pessoa jurídica de direito privado. representada neste ato por seus sócios. cidade. por meio de seu advogado que esta subscreve (instrumento de mandato incluso)...PESSOA JURÍDICA “Empresa”. devidamente inscrita no CNPJ sob o nº _____.... .. bairro. com escritório na ____ . com sede na ____. Estado..

DEMAIS PESSOAS JURÍDICAS IGREJAS “IGREJA”. com sede na ____. representada por ____ (continua) . devidamente inscrita no CNPJ sob o nº ____. organização religiosa sem finalidade lucrativa.

.Não “criar” os fatos. apenas transcrevê-los.FATOS DO PROBLEMA 1) COMO DESCREVÊ-LOS NO PROBLEMA? . de forma a indicar a terminologia adequada a ação proposta.

oposição dos presentes embargos. para indicar um início. meio e fim. . etc)”. Como um exemplo de DESFECHO. impetração do presente mandamus. podemos memorizar o seguinte: “Não concordando com a referida exação. não restou outra alternativa senão a (propositura da presente ação.Os FATOS devem ter um desfecho.

145 a 162) e outros direitos individuais do contribuinte (art.DOS FUNDAMENTOS DE DIREITO 1) ANÁLISE INICIAL a) A primeira análise será da Constituição Federal. observando o estudo do sistema tributário nacional (art. deverá o candidato prestar muita atenção nas LIMITAÇÕES AO PODER DE TRIBUTAR (princípios e imunidades) . 5º) b) Nesta análise constitucional.

c) Após a análise constitucional. Tópicos como responsabilidade tributária e crédito tributário podem ser questionados. devendo ser analisada alguma afronta aos tributos em espécie. . bem como na parte relativa as normas gerais. deverá ser analisado o Código Tributário Nacional.

.d) Análise da LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. que pode ser específica de determinado tributo. tais como a LC 87/96 (ICMS). Poderá ainda ter observância de legislações que trazem regras específicas ( Lei 10833/03 que rege a não cumulatividade da COFINS) dentre outras. LC 116/03 (ISS).

Exemplificando: . iniciando pelas súmulas vinculantes. o candidato poderá iniciar contando a história do tributo.e) Análise de súmulas. depois das súmulas do STF e por fim súmulas do STJ. TRANSCREVENDO O FUNDAMENTO DE DIREITO Caso haja dificuldade em iniciar o fundamento de direito.

“O imposto sobre a circulação de mercadorias e serviços (ICMS) é um imposto de competência estadual. conforme preleciona a Constituição Federal em seu artigo 155. II. Observando os fatos acima transcritos (…)” .

PEÇAS PROCESSUAIS POSSUEM LIMINAR OU ANTECIPADA QUE TUTELA .Abertura de um tópico específico dentro dos fundamentos de direito. explicando quais os motivos da concessão .

OBJETIVO: declarar a existência ou inexistência de relação jurídica entre o Fisco e o contribuinte ou responsável. MOMENTO DA PROPOSITURA: antes do lançamento tributário. inserir o 273 do mesmo diploma).AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA FUNDAMENTO: art. 4º. . 282 do CPC (caso haja pedido de tutela antecipada.

querendo. contestar a ação e acompanhá-la até o seu final. .Condenação em custas processuais e honorários advocatícios.Citação da Ré.Concessão de tutela antecipada (se houver). . para os fins de declarar a inexistência da relação jurídica tributária entre o Autor e a Ré (…) . na pessoa de seu representante legal para.PEDIDO .Procedência do pedido. .

. VALOR DA CAUSA Apenas indicar o valor se o problema indicar.: “Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos. caso o contrário. especialmente pela prova documental já acostada aos autos e outras que se fizerem necessárias ao esclarecimento do Douto Juízo”. utilizar apenas o R$ _______.PROVAS Ex.

data. nome e assinatura do advogado OAB/___ nº_______ Observação muito importante: o candidato. pois tal fato poderá levar à reprovação. utilizando-se de dados fictícios.DESFECHO Ex. Pede deferimento. poderá identificar a peça processual. Local.: “Termos em que. de modo algum. .

.AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA C/C REPETIÇÃO DO INDÉBITO FISCAL FUNDAMENTO: art. 282 do CPC e 165 CTN TUTELA ANTECIPADA: cabível para a suspensão da exigibilidade do crédito tributário OBJETIVO: declarar a inexistência de relação jurídica entre o Fisco e o contribuinte ou responsável com a repetição dos valores pagos à maior ou indevidamente monetariamente corrigidos. MOMENTO DA PROPOSITURA: quando da declaração de ilegalidade e inconstitucionalidade de uma norma e consequentemente do tributo ou da existência de benefícios fiscais não observados pelo contribuinte. 4º.

ESTRUTURA DA PEÇA 1)Endereçamento: domicílio do autor 2)Preâmbulo 3)Fatos 4)Fundamento de Direito .

Concessão da Tutela Antecipada. monetariamente corrigidos. para os fins de declarar a inexistência da relação jurídica tributária entre o Autor e a Ré (…) e a devolução dos valores pagos à maior ou indevidos. PEDIDO . . . no endereço já indicado para acompanhar a ação até o seu final.OBS: Nesta ação é imprescindível a apresentação das guias de pagamento do tributo indevido.Citação da Ré. na pessoa de seu procurador. .Procedência do pedido.Condenação em custas processuais e honorários advocatícios. para fins de suspender a exigibilidade do crédito tributário. .

: “Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos.PROVAS Ex. VALOR DA CAUSA Apenas indicar o valor se o problema indicar. Ex: Dá a presentre causa o valor de R$ … (valor por extenso) . utilizar apenas o R$ _______. especialmente pela prova documental já acostada e outras que se fizerem necessárias ao esclarecimento do Douto Juízo”. caso o contrário.

nome e assinatura do advogado OAB/___ nº_______ .: “Termos em que. data. Pede deferimento.DESFECHO Ex. Local.

esse tributo.QUESTÃO PARA DISCUSSÃO EM SALA O Presidente da República. o importe de R$ 100. iniciou o recolhimento do tributo.222. mas não concorda com esta incidência tributária sobre imóveis que adquire para o exercício de suas atividades. mensalmente. por intermédio da Lei Complementar n. a partir de 01 de janeiro de 2011. instituiu o Imposto Sobre Grandes Fortunas (IGF). O Partido Político ABC.000. . QUESTÃO: Como advogado.00 (cem milhões de reais).000. das pessoas jurídicas e físicas. mediante a incidência da alíquota de 0. sediado no Rio de Janeiro. de 31 de agosto de 2010 (lei fictícia).º 22. ajuíze medida cabível para defesa dos interesses de seu cliente.3% sobre o montante estimado a esse título. elegendo como base de cálculo exclusivamente o valor da aquisição de imóveis urbanos adquiridos que supere. passando a exigir.

isenção. a a empresa empresa não não vinha vinha efetuando efetuando o o recolhimento recolhimento desse desse imposto. RLBO. que que tomou tomou posse posse no no dia dia 01 01 de de janeiro janeiro de de 2010. manipule manipule o o instituto instituto judicial judicial hábil hábil a a garantir garantir à à empresa empresa o o benefício benefício da da isenção. Desde Desde o o exercício exercício de de 2009. por por força força da da Lei Lei Municipal Municipal nº nº 98/2008. Considere Considere para para tanto tanto que que o o fórum fórum local local não não possui possui vara vara privativa privativa da da Fazenda Fazenda Pública. Ltda.. Salto-SP. sujeita sujeita ao ao recolhimento recolhimento do do ISS. nessa nessa qualidade. Todavia. Todavia. sociais. imposto. semana. tanto. mês. dedica-se dedica-se ao ao ramo ramo de de prestação prestação de de serviços serviços técnicos técnicos de de engenharia engenharia e e estaria. a a fim fim de de angariar angariar receita receita necessária necessária para para financiar financiar projetos projetos sociais. publicado publicado no no Diário Diário Oficial Oficial do do Município Município desta desta semana.QUESTÃO QUESTÃO PARA PARA DISCUSSÃO DISCUSSÃO EM EM SALA SALA A A RLBO RLBO Ltda. que que determinou determinou a a todas todas as as empresas empresas beneficiárias beneficiárias da da isenção isenção que que voltassem voltassem a a efetuar efetuar o o recolhimento recolhimento do do ISS ISS já já a a partir partir do do próximo próximo mês. Pública. região. pretende pretende revogar revogar aquele aquele benefício benefício fiscal. . Prefeito. ISS. 2010. Para Para tanto. qualidade.. 01/11. 98/2008. tendo tendo em em vista vista isenção isenção específica específica concedida concedida às às empresas empresas da da região. QUESTÃO: QUESTÃO: Como Como advogado advogado da da RLBO. estaria. fiscal. baixou baixou o o Decreto Decreto nº nº 01/11. 2009. o o novo novo Prefeito. empresa empresa situada situada no no Município Município de de Salto-SP.

830/80. . inserir o art.AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL FUNDAMENTO: art. 273 do CPC) OBJETIVO: anular o lançamento tributário MOMENTO DA PROPOSITURA: depois do lançamento e antes da execução fiscal. 282 do CPC (caso haja pedido de tutela antecipada. Pode ainda ser cabível mesmo quado haja execução fiscal. mas não se procedeu a citação do devedor. 38 da Lei 6.

. na pessoa de seu procurador . V do CTN. nos termos do art. para os fins de anular o débito fiscal.. b) Procedência do pedido. para os fins de suspender a exigibilidade do crédito tributário. 151.PEDIDO a) Concessão de tutela antecipada. d) Condenação da Ré nas custas processuais e honorários advocatícios. nos termos do art (colocar os artigos da fundamentação de direito) c) Citação da Ré.. .

PROVAS VALOR DA CAUSA DESFECHO .

QUESTÃO: como advogado(a) da Empresa X Ltda. . com sede no Estado de São Paulo. Em novembro de 2.PROBLEMA EM SALA DE AULA Empresa X Ltda atua no ramo de indústria de cosméticos. propor a medida judicial cabível. estando na iminência da inscrição em dívida ativa.011 fora surpreendida com um auto de infração e imposição de multa (AIIM) exigindo o pagamento do IPI sobre a exportação de cosméticos para os EUA.

a empresa deveria manter o pagamento regular dos demais tributos em dia. por 4 (quatro) meses consecutivos. . em março de 2010. com os códigos de receita invertidos. porém. Além do recolhimento das parcelas mensais do REFIS. PIS e COFINS. A impugnação ao auto de infração foi protocolada extemporaneamente. Por tal motivo. Ocorre que a empresa recolheu pontualmente. QUESTÃO: Como advogado. a empresa foi notificada da lavratura de auto de infração relativo à falta de recolhimento integral da COFINS. resultando na inscrição do débito em dívida ativa e intimação da empresa para imediato pagamento do débito.PROBLEMA EM SALA A empresa X aderiu ao Programa de Recuperação Fiscal – REFIS. sob pena de exclusão do REFIS. adote as medidas judiciais cabíveis. visando assegurar a reinclusão da empresa no REFIS.

165 do CTN c/c art. 282 e seguintes do CPC Competência para ajuizamento: domicílio do Autor Partes: Autor e Réu Momento da propositura: quando ocorrer o pagamento do tributo a maior ou indevidamente.AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO Fundamento: art. .

DOS PEDIDOS Diante do todo o exposto. tendo em vista que referido tributo viola de maneira flagrante preceitos constitucionais e legais. pede e requer a Autora: a) A procedência do pedido da Ação de Repetição do Indébito para condenar a Ré a restituir à Autora os valores pagos indevidamente. .

no endereço já indicado.b) A citação da Ré. na pessoa de seu procurador. c) A condenação da Ré ao pagamento das custas processuais e honorários advocatícios. para que apresente defesa. .

DAS PROVAS Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos (.) VALOR DA CAUSA ...

da data da extinção do crédito tributário. CTN .O direito de pleitear a restituição extingue-se com o decurso do prazo de 5 anos. ART.. Da data da decisão definitiva.. contado: No caso de reforma. 168. anulação ou rescisão de decisão condenatória... administrativa ou judicial. No caso de erro de fato ou de direito no pagamento.

no momento do pagamento antecipado de que trata o §1º do art. no caso de tributo sujeito a lançamento por homologação. 168 da Lei 5. de 25 de outubro de 1966 – Código Tributário Nacional.LC 118/05 – publicada no dia 9/02/2005 – entrou em vigor 120 dias após – 19/06/2005 Art. 3º.172. a extinção do crédito tributário ocorre. . 150 da referida Lei”. “Para efeito de interpretação do inciso I do art.

da Lei 5. quanto ao art. 4º. “Esta lei entra em vigor 120 (cento e vinte) dias após a sua publicação.172. observado. 3º. de 25 de outubro de 1966 – Código Tributário Nacional”.LC 118/05 – publicada no dia 9/02/2005 – entrou em vigor 120 dias após – 19/06/2005 Art. . o disposto no art. 106. inciso I.

mas. ao contrário. do ato jurídico perfeito e da coisa julgada. ofendendo os princípios da autonomia. inova no plano normativo. da garantia do direito adquirido. da independência dos poderes.)”.“Por ocasião do julgamento da Arguição de Inconstitucionalidade do EREsp 644.. .736/PE. 3º da LC 118/05 não contém disposição meramente interpretativa.(.. a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça assentou que o art.

. os recolhimentos indevidos. submetem-se ao ditame da contagem do prazo decadencial de cinco anos para a homologação e mais cinco para o exercício do direito de restituição. pois assim estatuía a lei em vigor na época. totalizando dez anos.Conclusão: Os fatos jurídicos tributários que ocorreram anteriormente à vigência da LC 118/2005. ou seja.

166 CTN.Restituição de Tributo Indireto Art. estar por este expressamente autorizado a recebê-la”. “A restituição de tributos que comportem. por sua natureza. ou. no caso de tê-lo transferido a terceiro. Exemplo: ICMS e IPI . a transferência do respectivo encargo financeiro somente será feita a quem prove haver assumido o referido encargo.

recomeçando o seu curso. CTN . 169. por metade.Prescreve em dois anos a ação anulatória da decisão administrativa que denegar a restituição. Art. a partir da data da intimação (citação) feita ao representante judicial da Fazenda Pública. O prazo de prescrição é interrompido pelo início da ação judicial.

74 (quaisquer tributos e contribuições administrados pela Receita Federal) . 66 (tributos da mesma espécie) Lei 9. 170 e 170-A Lei 8383/91: art.430/96: art.COMPENSAÇÃO CTN: art.

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO FUNDAMENTO: art. 164 CTN. com a extinção do crédito tributário MOMENTO DA PROPOSITURA: quando ocorrer recusa do recebimento. 890 e ss e 282 do CPC OBJETIVO: realizar o depósito judicial para pagamento do valor indicado pelo juízo. dúvida ou bitributação .

PEDIDO Obs: nos casos de dúvida ou bitributação... extinguindo o crédito tributário. b) Citação dos entes públicos. . c) Condenação em custas e honorários advocatícios. na pessoa de seus procuradores . a citação dos entes públicos é obrigatória a) Procedência do pedido. para os fins de declarar o ente público competente para levantamento do depósito judicial realizado.

PROVAS VALOR DA CAUSA DESFECHO .

DISCUSSÃO DE QUESTÕES DIREITO TRIBUTÁRIO 2ª FASE DA OAB .

bem como pela emissão de notas fiscais. e que está isento do recolhimento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal (ICMS). consulta com a finalidade de saber se continua obrigado pela escrituração e manutenção dos livros contábeis.Questão 1 Cliente que atua no ramo farmacêutico. por força de Lei. Qual a orientação a ser prestada? .

constatou a existência de débito para com o Fisco Estadual. referente ao IPVA. ao tentar licenciar seu veículo em 2007. de janeiro de 2006 (antigo proprietário) sujeito passivo direto deste tributo. exercício de 2006.00. do ano de 2005. Diante dessa situação. no valor de R$ 2. data em que o IPVA cobrado já deveria ter sido recolhido pelo proprietário do veículo em 1o. Questão 2  Pompílio. proprietário do veículo marca BMW Modelo M3. cujo contribuinte é o antigo proprietário? Na hipótese de uma resposta afirmativa. está Pompílio obrigado ao recolhimento do IPVA/06. há que se ressaltar o fato de Pompílio ter adquirido o indigitado automóvel em dezembro de 2006. No entanto.000. poderá a Fazenda Estadual executá-lo objetivando a cobrança deste tributo? Se a resposta for afirmativa como poderá Pompílio agir? .

Diante da falta de pagamento por parte da empresa.A Prefeitura do Município de Acarajé. a Municipalidade consultou-o(a) sobre qual a medida judicial pertinente à cobrança das importâncias devidas.. prestou serviços à empresa XYZ Ltda. mediante celebração de contrato formalizado por escrito. . por uma de suas autarquias. Indique e fundamente a sua sugestão.

sob o fundamento de que o valor recolhido foi insuficiente. A cobrança é legítima? Explique. Mesmo não sendo cobrada ou fiscalizada desde então. pois não embutiu o valor da multa moratória. a empresa efetuou o recolhimento da contribuição atrasada. devidamente corrigida e acrescida de juros de mora. deixou de efetuar o respectivo pagamento durante todo o exercício de 2010.A LMN S/A está sujeita ao recolhimento da Contribuição ao PIS – Programa de Integração Social. Todavia. . no início do ano. A Receita Federal acaba de expedir aviso de cobrança de diferenças do PIS relativo àquele exercício.

a fundação pretende efetuar o pagamento de participação nos resultados aos seus empregados. contratar novos empregados.A Fundação Rouxinol. deseja aumentar o nível de atendimento sem. instituição educacional e de assistência social. Qual o seu parecer? . O conselho deliberativo da fundação questiona-o sobre se essa estratégia pode comprometer a imunidade tributária de que desfruta. sem fins lucrativos. no entanto. A fim de aumentar a produtividade.

Indaga. a meação da viúva atingiu o montante de R$ 400. quando faleceu.00 cada. Concluída a partilha.00.000.00.000. expõe o seguinte caso : "A". no montante de R$ 200. a final. se o filho menor também responde pelo crédito tributário do falecido. na qualidade de herdeiros.Um cliente em consulta. referente a tributos. Uma filha maior e um filho menor. . receberam seus quinhões.000. devia à Fazenda Pública Municipal a quantia de R$ 10.

correspondente ao chamado "caixa dois". para apurar o imposto devido. A sociedade pergunta-lhe se é possível que a fiscalização adote. procedimento este que passou a ser permitido por lei promulgada em 2009. A fiscalização detectou a omissão de declaração em março de 2011. após confrontar a movimentação bancária da sociedade. . procedimento administrativo que não era permitido à época da ocorrência do fato gerador. A falta de recolhimento deveu-se ao fato de a empresa não haver declarado à Receita Federal parcela substancial de seu faturamento.Em agosto de 2008." deixou de recolher a COFINS incidente sobre seu faturamento. a sociedade "Sonho Meu Comércio de Alimentos Ltda.

a Cruzeiro do Sul Indústria e Comércio Ltda.SP: a matriz. exigindo o recolhimento do imposto sobre a mencionada transferência do estoque. decidiu-se pela cisão da sociedade.. cujo capital social seria integralizado com os ativos constantes do estabelecimento filial.. transferiu-se para a filial todo o estoque de produtos. a fiscalização estadual lavrou auto de infração e imposição de multa contra a Estrela do Norte Ltda.A Indústria Estrela do Norte Ltda. Para acomodar divergências entre os sócios. sem recolhimento de ICMS. e a filial. caracteriza fraude fiscal. possui dois estabelecimentos situados no Município de São Paulo . em que se desenvolve o comércio. em que se desenvolve a atividade produtiva. com a criação de uma nova pessoa jurídica. Antes da formalização da cisão. consultam-no para saber se é devido o imposto e se a operação. Após a cisão. da forma como foi organizada. Os sócios da Estrela do Norte Ltda. Qual seu aconselhamento? . que estava no estabelecimento matriz.

a referida empresa é fiscalizada por autoridade competente. Durante o período de vigência da liminar. . Comentar a situação. Assim. que constata não estarem sendo cumpridas as obrigações acessórias atinentes à obrigação principal objeto da citada liminar. decide a autoridade autuar a empresa por descumprimento das obrigações acessórias.Uma determinada empresa impetra mandado de segurança e obtém a concessão de medida liminar em conformidade com o pedido formulado.

Pode ser preventivo ou repressivo MOMENTO DA IMPETRAÇÃO: antes do lançamento (preventivo) ou depois do lançamento (repressivo). 5.MANDADO DE SEGURANÇA FUNDAMENTO: art. LXIX da CF.016/09 e art. 282 do CPC OBJETIVO: ameaça ou lesão à direito líquido e certo. Lei n. desde que dentro do prazo de 120 dias (decadencial) . não amparado por habeas corpus ou por habeas data. 12.

) contra ato ilegal e abusivo do ilustríssimo Senhor Inspetor da Receita Federal do Brasil em . nos termos do art.. pelas razões de fato e de direito a seguir aduzidas .. 6º da Lei 12016/09.Conforme artigo 6° da Lei 12. Exemplo: (. a pessoa jurídica que esta integra. à qual se acha vinculada ou da qual exerce atribuições. ou quem lhe faça às vezes no exercício da coação impugnada... agente público vinculado a Secretaria da Receita Federal do Brasil (qualificação completa).016/09. a petição inicial do Mandado de Segurança deverá indicar além da autoridade coatora..

devemos gravar o seguinte: TRIBUTOS FEDERAIS Aduaneiros: Inspetor Alfandegário da Receita Federal do Brasil Não aduaneiros: Delegado da Receita Federal do Brasil TRIBUTOS ESTADUAIS Delegado Regional Tributário .IDENTIFICAÇÃO DA AUTORIDADE COATORA NO MANDADO DE SEGURANÇA Sendo o problema omisso quanto a autoridade coatora.

TRIBUTOS MUNICIPAIS Mobiliários: Diretor do Departamento de Rendas Mobiliárias Imobiliários: Diretor do Departamento de Rendas Imobiliárias ÓRGÃOS PÚBLICOS DE VINCULAÇÃO DAS AUTORIDADES COATORAS TRIBUTOS FEDERAIS: Secretaria da Receita Federal do Brasil TRIBUTOS ESTADUAIS: Secretaria da Fazenda do Estado TRIBUTOS MUNICIPAIS: Secretaria de Finanças do Município .

2. sociedades de economia mista e concessionárias de serviços públicos Não concessão de MS ato que caiba recurso administrativo com efeito suspensivo.1.atos de gestão comercial praticados pelos administradores de empresas públicas. independente de caução . Não cabimento do MS .

reclassificação ou equiparação de servidores públicos .extensão de vantagens ou pagamento de qualquer natureza.compensação de créditos tributários .decisão judicial da qual caiba recurso com efeito suspensivo . . .3.entrega de mercadorias e bens provenientes do exterior .decisão judicial transitada em julgado Não cabimento de liminar .

condenação em honorários advocatícios. Não cabimento em processo de MS .4. 5. .interposição de embargos infringentes. Direito líquido e certo .

PEDIDO a) Concessão de liminar b) Procedência do pedido. . para os fins de conceder a segurança em definitivo (juntamente com os artigos que fundamentam o direito) c) Notificação da autoridade coatora para prestar as informações no prazo legal.

para integrar a lide na condição de litisconsorte passivo. e) Condenação ao pagamento de custas judiciais. Municipalidade). f) Citação da (União. . Fazenda Pública Estadual. para manifestação nos termos da lei.d) Oitiva do Ministério Público. na pessoa de seu procurador.

a empresa deveria manter o pagamento regular dos demais tributos em dia. QUESTÃO: Como advogado. porém. A impugnação ao auto de infração foi protocolada extemporaneamente. em março de 2010. Ocorre que a empresa recolheu pontualmente. resultando na inscrição do débito em dívida ativa e intimação da empresa para imediato pagamento do débito. a empresa foi notificada da lavratura de auto de infração relativo à falta de recolhimento integral da COFINS. por 4 (quatro) meses consecutivos. Por tal motivo. Além do recolhimento das parcelas mensais do REFIS. adote as medidas judiciais cabíveis.PROBLEMA EM SALA DE AULA A empresa X aderiu ao Programa de Recuperação Fiscal – REFIS. sob pena de exclusão do REFIS. visando assegurar a reinclusão da empresa no REFIS. PIS e COFINS. com os códigos de receita invertidos. .

valor originário da dívida e a forma de cálculo dos juros e demais encargos .origem.I – Teoria Geral da Execução Fiscal 1. natureza e o fundamento legal ou contratual da dívida . Requisitos do termo de inscrição de dívida ativa . Termo de inscrição na dívida ativa .suspensão da prescrição por 180 dias ou até a distribuição da execução fiscal 2.nome do devedor e dos co-responsáveis .

data e número da inscrição no Registro da inscr Dívida Ativa . assegurando ao executado a devolução do prazo de embargos .nº do processo administrativo ou do auto de administrat infração 3..até a decisão de primeira instância. Emenda ou Substituição da CDA .

4.fiador . quando houver vara especializada ou Vara Cível . Sujeição Passiva na Execução Fiscal . Competência para julgamento da ação de execução fiscal .devedor .sucessores a qualquer título 5.responsável .massa .espólio .Fazenda Pública.

Garantia da Execução Fiscal .nomeação de bens à penhora na ordem indicada na lei .6. desde que aceitos pela Fazenda Pública .depósito em dinheiro (caução) .indicação de bens de terceiro à penhora.fiança bancária .

7.dinheiro .pedras e metais preciosos .navios e aeronaves . Ordem dos bens oferecidos à penhora .veículos .móveis ou semoventes .direitos e ações .títulos da dívida pública e títulos de crédito com cotação em bolsa .imóveis .

a)

Penhora sobre estabelecimento comercial ou industrial, plantações ou edifícios em construção

8. Defesa do Executado a) Oferecimento de embargos b) Prazo de trinta dias contados do depósito, da juntada da fiança bancária ou da intimação da penhora

9. Suspensão da Execução Fiscal - quando não localizado o devedor - quando não forem encontrados bens sobre os quais possa recair a penhora, não correndo o prazo de prescrição - decorrido o prazo máximo de um ano sem que seja localizado o devedor ou encontrado bens penhoráveis, o juiz ordenará o arquivamento do processo - encontrados, a qualquer tempo, o devedor ou os bens, o processo será desarquivado para prosseguimento

- se da decisão que ordenar o arquivamento tiver decorrido o prazo prescricional, o juiz depois de ouvida a Fazenda Pública poderá, de ofício, reconhecer reconhece a prescrição intercorrente e decretá-la de imediato

16 da Lei 6.830/80 e art.EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL FUNDAMENTO: art. 282 do CPC OBJETIVO: desconstituir a CDA para extinção do crédito tributário MOMENTO DA OPOSIÇÃO: 30 dias contados da intimação da penhora .

739-A. O candidato deve demonstrar que há garantia e o dano grave de incerta reparação . 16 LEF -Aceitação mediante garantia do juízo -Prazo para oposição: 30 dias a contar da garantia -Pode ser alegada toda a matéria de defesa -Existe dilação probatória -Distribuição por dependência a execução fiscal -Efeito suspensivo deve ser requerido – art.ESTRUTURA DA PEÇA -art. §1º CPC.

.. Vara das Execuções Fiscais Federais da Seção Judiciária ou Subseção Judiciária de . ...ENDEREÇAMENTO OBS: Somente usado de o problema não indicar o juízo das execuções competente Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da .. Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito do Anexo Fiscal da Comarca de ..

nos termos do art. já devidamente qualificada.) vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência.ESQUEMA DA PEÇA ENDEREÇAMENTO Distribuição por Dependência a Execução Fiscal nº PREÂMBULO (. pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos: .. pessoa jurídica de direito público. por meio de seu procurador. 16 da Lei 6830/80 e 282 do CPC.. opor tempestivamente EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL que lhe move a (indicar o ente público competente).

Demonstre que a situação é tão grave que não há como aguardar o julgamento final dos embargos. Mostre ao examinador o que pode acontecer se a execução prosseguir. 739-A. §1º CPC . Explique os motivos pelos quais o prosseguimento da execução fiscal gerará danos graves ou de incerta reparação ao executado.I – DOS FATOS II – DO DIREITO a)Da concessão do efeito suspensivo Demonstrar o porquê do pedido de suspensão no trâmite da execução fiscal. Base da fundamentação: art. justificando ainda a possibilidade da concessão do efeito na existência de garantia do juízo.

III – DO PEDIDO a)Presentes embargos sejam recebidos e processados por dependência a Execução Fiscal para os fins de conceder o efeito suspensivo imediato. com o consequente levantamento da garantia dada em juízo d)A intimação do . para manifestar-se sobre os presentes embargos e)Condenação da Embargada nas custas processuais e honorários advocatícios IV – DAS PROVAS V – DO VALOR DA CAUSA DESFECHO . para os fins de desconstituicão do título executivo e a consequente extinção da Execução fiscal c)Requer a exclusão do executado. na pessoa de seu representante legal. b)Sejam acolhidos e julgados procedentes..(indicar o ente público).. suspendendo-se o trâmite da Execução Fiscal até a decisão final.

a.EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE FUNDAMENTO: art. XXXV da CF XXXIV. 5º. . segundo entendimento. sem a necessidade de garantir o juízo MOMENTO DA ARGÜIÇÃO: não existe um momento pré-definido. dentro do prazo de 05 dias para realização do dépósito. CF OBJETIVO: argüição de nulidades absolutas ou matéria de ordem pública. mas é comum após o ajuizamento da execução fiscal e.

todas as provas na petição. 798 CPC .Deverá ser alegada nulidade do processo executivo ou temas de ordem pública – súmula 393 STJ IMPORTANTE: A prova é pré-constituída e inequívoca. portanto. O Efeito suspensivo pode ser requerido com base no poder geral de cautela do juiz – art. assim como no mandado de segurança. deve-se trazer.

.ESQUEMA DE PEÇA ENDEREÇAMENTO Processo nº Execução Fiscal PREÂMBULO (. XXXIV.. com fundamento no art. a. XXXV da Constituição Federal aguir EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE . por meio de seu procurador. nos autos da Execução Fiscal em epígrafe que lhe move a (indicar o ente público). 5º.)vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência. já devidamente qualificada.

justificando ainda a possibilidade da concessão do efeito na existência do poder geral de cautela presente – art. 798 CPC .I – DOS FATOS Excipiente e Excepta (terminologia adequada) II – DO DIREITO a)Da concessão do efeito suspensivo Demonstrar o porquê do pedido de suspensão no trâmite da execução fiscal. Demonstre que a situação é tão grave que não há como aguardar o julgamento final da exceção. Explique os motivos pelos quais o prosseguimento da execução fiscal gerará danos graves ou de incerta reparação ao excipiente. Mostre ao examinador o que pode acontecer se a execução prosseguir.

III – DOS PEDIDOS a)Concessão do efeito suspensivo até a apreciação final – art. decretando sua extinção (exclusão do pólo passivo. 798 CPC b)Acolhida a presente exceção e julgado procedente o pedido para os fins de reconhecer a nulidade da execução. se for o caso) c)Intimação da Excepta para manifestação de praxe d)Condenação da Excepta ao pagamento de custas processuais e honorários advocatícios e)Autorização para a juntada de documentos que comprovam o alegado IV – VALOR DA CAUSA DESFECHO .

. 513 e ss do CPC Momento da Interposição: quando de sentença que põe a termo o processo. Endereçamento ao Tribunal competente: analisar o tributo em questão.RECURSOS EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA APELAÇÃO Fundamento: art. Formalidades: peça de interposição ao juízo a quo e razões de apelação ao juízo ad quem.

.TRIBUTOS FEDERAIS: Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Federal Presidente do Egrégio Tribunal Regional Federal da ___ Região TRIBUTOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS: Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de _____.

tais como nome do apelante e da apelada. utilizando-se de forma bem simples. . nº do processo e vara de origem. Razôes: deverá ser observadas as formalidades.Peça de Interposição: não precisa qualificar o sujeito passivo. conforme modelo na apostila.

522 e ss do CPC Cabimento: decisões interlocutórias no processo. Formalidades: para facilitar o candidato. tais como negativa de tutela antecipada e liminar. podendo ser remetida diretamente ao Tribunal. uma vez que o juízo competente é o ad quem. não precisa fazer a peça de interposição. ATENÇÃO: observar os documentos obrigatórios que devem compor o recurso . nada obsta de ocorrer a peça de interposição e a minuta de Agravo. Mas.AGRAVO DE INTRUMENTO Fundamento: art.

DIREITO MATERIAL TRIBUTÁRIO IMPOSTOS EM ESPÉCIE .

Aspecto Espacial: Território Nacional. a que corresponda o território aduaneiro Aspecto Temporal: Em regra. na data do registro da declaração de importação da mercadoria submetida a despacho para consumo. 19 do CTN). .IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO Regra-Matriz de Incidência do II Aspecto Material: entrada do produto estrangeiro no território nacional (art.

de um ponto a outro do território aduaneiro. . no caso de utilização econômica. com suspensão total do pagamento dos tributos. com a suspensão do pagamento de tributos.REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS Trânsito Aduaneiro: é o que permite o transporte de mercadoria. Admissão Temporária para aperfeiçoamento ativo: é o que permite o ingresso para permanência temporária no país. de mercadorias estrangeiras ou desnacionalizadas. Admissão Temporária: é o que permite a importação de bens que devam permanecer no Pais durante prazo fixado. sob o controle aduaneiro. ou com suspensão parcial. com suspensão do pagamento de tributos. destinadas a operações de aperfeiçoamento ativo e posterior reexportação.

total ou parcial. isenção dos tributos exigíveis na importação de mercadoria. e pode ser aplicado nas seguintes modalidades: suspensão do pagamento dos tributos exigíveis na importação de mercadoria a ser exportada após beneficiamento ou destinada a fabricação. dos tributos pagos na importação de mercadoria exportada após beneficiamento. fabricação. complementação ou acondicionamento de outra a ser exportada. . ou utilizada na fabricação. em quantidade ou qualidade equivalente à utilizada no beneficiamento.Drawback: é considerado incentivo à exportação. complementação ou acondicionamento de produto exportado e a restituição. complementação ou acondicionamento de outra exportada.

Alíquotas: fixadas na Tarifa Externa Comum ou alíquotas específicas fixadas na legislação federal. . 22 do CTN) Aspecto Quantitativo: Base de Cálculo (quando a alíquota for ad valorem) será o valor aduaneiro apurado segundo as normas da GATT (OMC) ou (quando a alíquota for específica) a quantidade de mercadoria expressa na unidade de medida estabelecida.Aspecto Pessoal: Sujeito Ativo (União) Sujeito Passivo: é o importador ou quem a lei a ele equiparar (art.

desembaraço aduaneiro ou arrematação em hasta pública .IPI Regra-Matriz de Incidência Tributária Aspecto Material: promover operações relativas a produtos industrializados Aspecto Espacial: Território Nacional Aspecto Temporal: saída do estabelecimento.IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS .

o preço do produto no mercado atacadista. não havendo. .Aspecto Pessoal: Sujeito Ativo (União) Sujeito Passivo é o industrial ou quem a lei assim equiparar. o arrematante de produtos levados à hasta pública e o comerciante de produtos sujeitos ao imposto. Aspecto Quantitativo: Base de Cálculo é o valor da operação ou. que os forneça aos industriais contribuintes. o importador ou quem a lei equiparar. Alíquotas: fixadas pela lei federal.

CARACTERÍSTICAS PRODUTO INDUSTRIALIZADO: resultante de qualquer operação definida como industrialização. PRINCÍPIO DA NÃO-CUMULATIVIDADE MAJORAÇÃO DE ALÍQUOTA PELO PODER EXECUTIVO IMUNIDADE ESPECÍFICA . mesmo incompleta. parcial ou intermediária.

tais como aposentadoria e pensões. Proventos: tudo aquilo que é excluído do conceito de renda. . de caráter pessoal.III CF Renda: acréscimo patrimonial. 153.IMPOSTO SOBRE A RENDA E PROVENTOS (IR) Dispositivo Constitucional: art.

 Fato Gerador: previsão do art. 43 do CTN Base de cálculo: lucro real. 2.1. 3. presumido e arbitrado Outras características relevantes resultados obtidos no exterior: lei 9430/96 .

incluindo o principal e os juros) – câmbio (valor em moeda nacional) – seguro (montante do prêmio) – títulos ou valores mobiliários (na emissão é o valor nominal mais o ágio. valor nominal e a cotação) – resgate (preço) Alíquotas: fixadas pela lei federal . na forma da lei.Aspecto Pessoal: Sujeito Ativo (União) Sujeito Passivo é qualquer das partes na operação. na transmissão é o preço. Aspecto Quantitativo: Base de Cálculo – crédito (montante da obrigação.

IOF Regra-Matriz de Incidência Tributária Aspecto Material: promover operações de crédito. .IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES FINANCEIRAS . títulos ou valores mobiliários (emissão. câmbio. seguro (momento da emissão da apólice ou recebimento do prêmio). câmbio (momento em que a moeda ou documento representativo é entregue ou está disponível ao interessado). transmissão. pagamento ou resgate). seguros. títulos ou valores mobiliários e operações com ouro ativo financeiro ou instrumento cambial Aspecto Espacial: Território Nacional Aspecto Temporal: Crédito (momento em que o valor é entregue ou disponível ao tomador).

IMPOSTO TERRITORIAL RURAL . Aspecto Espacial: Fora da zona urbana do Município Aspecto Temporal: fixado pela legislação federal (1º de janeiro) Aspecto Pessoal: Sujeito Ativo (União) Sujeito Passivo é o proprietário do imóvel. como definido na lei civil. o titular de seu domínio útil ou seu possuidor a qualquer título Aspecto Quantitativo: Base de cálculo é o valor fundiário Alíquotas: fixadas por lei federal. o domínio útil ou a posse de imóvel por natureza. .ITR Regra-Matriz de Incidência Tributária Aspecto Material: a propriedade.

o Estado onde se processar o inventário ou o arrolamento e no caso de doação no Estado onde tiver domicílio o doador. Sujeito Passivo: é o herdeiro ou legatário quando da transmissão causa mortis e qualquer das partes. Aspecto Pessoal: Sujeito Ativo é. no caso de bens móveis. títulos e créditos. no Estado onde se encontrar. no caso de imóveis e direitos relativos.IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO CAUSA MORTIS E DOAÇÕES DE QUALQUER NATUREZA .ITCMD Aspecto Material: transmitir por causa mortis ou por doação de quaisquer bens ou direitos Aspecto Espacial: Território do Estado ou do Distrito Federal tributante Aspecto Temporal: o momento da transmissão do bem ou do direito. . quando da doação.

Aspecto Quantitativo: Base de cálculo é o valor do bem ou direito transmitido Alíquotas são fixadas pela lei estadual. sendo que o Senado fixa o teto por resolução. .

FG do imposto ASPECTO ESPACIAL: devido anualmente no local onde o veículo deva ser registrado.IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES (IPVA) REGRA-MATRIZ DE INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA FATO GERADOR: propriedade de veículo automotor MOMENTO DA OCORRÊNCIA DO FG: data da primeira aquisição ou na data do desembaraço aduaneiro POSSE DO VEÍCULO: não representa por si só. inscrito ou matriculado .

Veículos Usados: tabela de valores venais .Adquirente (em relação ao veículo adquirido sem o pagamento do imposto) .Titular do domínio ou o possuidor a qualquer título . Veículos novos é o valor da NF ou documento de transmissão da propriedade.Proprietário de veículo de qualquer espécie que o alienar e não comunicar a ocorrência em órgão público encarregado do registro e licenciamento.RESPONSÁVEIS . inscrição ou matrícula de veículo de qualquer espécie BASE DE CÁLCULO: valor venal do veículo.

todas as operações que promova o impulso de mercadorias desde a produção até o consumo. 1.IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES RELATIVAS À CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS E SERVIÇOS DE TRANSPORTE INTERESTADUAL. INTERMUNICIPAL E DE COMUNICAÇÃO PREVISÃO. REGRAMENTO. . FATO GERADOR (aspecto material) a) Operações relativas à circulação de mercadorias . REPARTIÇÃO DE RECEITA E FUNÇÃO 2.

- imposto plurifásico - mercadoria e o art. 110 CTN NÃO INCIDÊNCIA - operações internas de leasing ou arrendamento mercantil, as quais não promovam circulação de mercadorias. Havendo opção de compra pelo arrendatário, incidirá o imposto. - venda de bens componentes do ativo fixo de empresas. - bens salvados de sinistro e mudança da súmula 152 STF - serviços farmacêuticos (lista de serviços de ISS) - demais serviços compreendidos na competência tributária dos Municípios

QUESTIONAMENTOS RELEVANTES - incidência de ICMS sobre fornecimento de bebidas em bares, restaurantes e similares (STJ, sum 163) - não se pode tributar o fornecimento, pela empresa, de alimentação a seus empregados, porquanto não integra sua atividade-fim - incidência de ICMS sobre comercialização de exemplares de obras cinematográficas, gravados em fitas de videocassete (sum 662 STF), aplicando-se por analogia o enunciado à comercialização de filmes em DVD.

- fita de videocassete ou DVD gravados por encomenda para determinado cliente tem incidência de ISS (sum 135 STJ) - comercialização de produtos de computador produzidos em série e disponibilizado para o público em geral (software de prateleira) possui incidência de ICMS. Afasta-se a incidência no caso de licenciamento ou cessão de direito de uso - fornecimento de água canalizada por empresas concessionárias de serviços públicos não pode sofrer tributação de ICMS, uma vez que água não se caracteriza como mercadoria, mas como prestação de serviços públicos

a CF e art. 155. a circulação com transferência de domínio (sum 166 STJ e 573 STF) b) Importação de bens Súmula 198 e 155 STJ e entendimento diverso na súmula 660 STF Advento da EC 33 e art. ou seja. §2º. IX.entendimento jurisprudencial no sentido de se exigir. LC 87/96 . §1º.comercialização de água mineral engarrafada sofre a incidência de ICMS . 2º. para fins de incidência. I. a circulação econômica da mercadoria.

155.não incidência sobre o autosserviço (empresa que transporta os produtos por ela comercializados) .prestação de serviços de transporte aéreo não pode sofrer tributação de ICMS. §2º. art.somente tributa-se o serviço remunerado . uma vez que a formatação da LC 87/96 inviabiliza a repartição do imposto entre os Estados. X.c) Serviços de transporte interestadual e intermunicipal .não incidência sobre serviços de transporte prestados à destinatários no exterior (CF. não havendo como aplicar as alíquotas internas e externas pertinentes . a) .

d) Serviços de comunicação .incide ICMS sobre a cobrança de assinatura básica mensal de telefonia fixa. já que sua previsão legal é de estabelecer valor mínimo que justifique a viabilidade econômica do serviço com contrapartida de franquia de utilização .não incidência sobre provedores de acesso a internet (sum 334 STJ) .incidência depende do regime de comunicação ser oneroso .

.não incide ICMS sobre pagamentos relativos a atividades meramente preparatórios ou de acesso aos serviços de comunicação (ex: taxa de adesão cobrada das operadoras de TV a cabo) 3) MOMENTO DA OCORRÊNCIA GERADOR (aspecto temporal) Art.não incide ICMS sobre o ato ou serviço de habilitação de aparelho celular (Sum 350 STJ) . 12 da LC 87/96 DO FATO .

bebidas e similares: no fornecimento por qualquer estabelecimento Mercadoria depositada em armazém geral ou em depósito fechado: momento da transmissão a terceira pessoa Inaplicabilidade da Sum 577 STF. uma vez que o fato gerador ocorre quando do desembaraço aduaneiro (sum 661 STF) .Em se tratando de operações relativamente à circulação de mercadorias: na saída do estabelecimento do empresário Alimentação.

.circulação interestadual de lubrificantes e combustíveis líquidos e gasosos derivados de petróleo e energia elétrica não destinados à comercialização ou à industrialização: momento da entrada no território do Estado destinatário .serviço de transporte que se inicie no exterior: ato final do transporte .serviço de comunicação: quando da ocorrência da prestação .

quando em situação irregular pela falta do documento fiscal No local do estabelecimento que transfira a propriedade ou o título que represente Local do estabelecimento do destinatário quando se tratar de importação Local do domicílio do adquirente da mercadoria ou do bem importado. quando não estabelecido d) . No local onde se encontra a mercadoria.LOCAL DA OCORRÊNCIA DO FATO GERADOR (aspecto espacial) Considera-se ocorrido o FG: No local do estabelecimento onde a mercadoria se encontre no momento da ocorrência do FG.

quando não considerado como ativo financeiro ou instrumento cambial No local do desembarque do produto. crustáceos e moluscos . nas operações interestaduais com energia elétrica e petróleo quando não destinados à industrialização ou à comercialização No Estado onde o ouro tenha sido extraído.- - - - Local onde seja realizada a licitação. na hipótese de captura de peixes. inclusive consumidor final. no caso de arrematação de mercadoria ou bens importados do exterior e apreendidos ou abandonados No Estado onde estiver localizado o adquirente.

No local em que tenha sido iniciada a prestação .Prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal. considera-se ocorrido o FG: .No local onde se encontrar o transportador . 12 Em se tratando de serviços de comunicação.Local da prestação do serviço de radiodifusão sonora ou de imagens . na hipótese do inciso XIII do art. o local do FG será: .No local do estabelecimento do destinatário do serviço.

- - - - Local do estabelecimento da concessionária ou da permissionária que forneça cartão ou assemelhado com que o serviço é pago Local do estabelecimento do destinatário do serviço Local do estabelecimento do tomador de serviço quando prestado por meio de satélite Onde seja cobrado o serviço nos demais casos Serviços de Comunicações iniciados no exterior: local do estabelecimento ou domicílio do destinatário .

variavél e progressiva. estabelecida por lei municipal). titular do seu domínio útil ou possuidor a qualquer título) ESPACIAL: território urbano do Município TEMPORAL: estabelecido em lei municipal MATERIAL: propriedade predial e territorial urbana QUANTITATIVO: BC (valor venal do imóvel) e Alíquota (fixa. .IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE PREDIAL E TERRITORIAL URBANA ASPECTOS DO FATO GERADOR PESSOAL: Ativo (Municípios e DF) e Passivo (proprietário do imóvel.

EXCETO OS DE GARANTIA. POR NATUREZA OU ACESSÃO FÍSICA. o espaço aéreo e o subsolo. POR ATO ONEROSO DE BENS IMÓVEIS. BEM COMO CESSÃO DE DIREITOS A SUA AQUISIÇÃO REGRA-MATRIZ DE INCIDÊNCIA BENS IMÓVEIS POR NATUREZA: são os imóveis que se formaram por força da natureza. A QUALQUER TÍTULO. DE DIREITOS REAIS SOBRE BENS IMÓVEIS. . compreendendo as árvores e os frutos pendentes. os seus acessórios e adjacências naturais. compreendendo o solo com a sua superfície.PLANTA GENÉRICA DE VALORES PROGRESSIVIDADE: Análise da EC 29/00 IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO INTER VIVOS.

habitação e as rendas expressamente constituídas sobre os imóveis. servidões.ACESSÃO FÍSICA: tudo quanto o homem incorporar permanentemente ao solo. fratura ou dano. modificação. de lei ou de livre acordo entre o cedente e o cessionário. usufruto. como a semente lançada a terra. CESSÃO DE DIREITOS: através de sentença judicial. DIREITOS REAIS SOBRE BENS IMÓVEIS: são a enfiteuse (aforamento ou emprazamento). . os edifícios e construções. de modo que não se possa retirar sem destruição. uso.

por ato oneroso. QUANTITATIVO: BC (o valor venal dos imóveis transmitidos ou direitos cedidos) e alíquota (estabelecida por lei municipal).ASPECTOS DO FATO GERADOR PESSOAL: Ativo (Município e DF) e Passivo (qualquer das partes na operação tributada) ESPACIAL: território do município da situação do bem TEMPORAL: momento da transmissão ou da cessão MATERIAL: transmissão inter vivos. . exceto os de garantia. por natureza ou acessão física e de direitos reais sobre os imóveis. de bens imóveis. a qualquer título.

realizada pelo adquirente. ou parte dela. realizada inequivocadamente pelo promitente comprador. SÚMULA 326 – é legítima a incidência de ITBI sobre a transferência do domínio útil.POSICIONAMENTO DO STF SÚMULA 110 – não incide ITBI sobre a construção. ou parte dela. . mas sobre o valor do que tiver sido construído antes da promessa de venda. SÚMULA 470 – o ITBI não incide sobre a construção. mas sobre o que tiver sido construído ao tempo da alienação do terreno.

LC 116/03. 5º da LC 116/03) ESPACIAL: território do município TEMPORAL: serviço efetuado MATERIAL: serviços de qualquer natureza. 8º) .IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA ASPECTOS DO FATO GERADOR PESSOAL: Ativo (Municípios e DF) e Passivo (prestador de serviço – art. não compreendidos na competência do ICMS QUANTITATIVO: BC (preço do serviço) e alíquota (máxima 5%. art.

Exemplo: licenciamento ou cessão do direito de uso. SOFTWARE: está sujeito ao ISS. está sujeito ao IPI/ICMS.HARDWARE: por tratar-se de produto industrializado/mercadoria. conforme o caso. Quando estará sujeito ao ICMS: na comercialização (software de prateleira) .