LINGUAGEM MUSICAL

UNIDADE 2 RUÍDO, SILÊNCIO E SOM

12

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAS DR. EDMUNDO ULSON - UNAR

2012

CONHECENDO A PROPOSTA DA UNIDADE Objetivos: Discutir definições de ruído, som e silêncio, buscando limpeza de ouvidos e maior sensibilização da escuta e da produção de sons.

ESTUDANDO E REFLETINDO Seguindo os passos de Murray Schafer (2011), vamos iniciar pelo negativo, ou seja, aquilo que gostaríamos de eliminar, se possível fosse, de nossa audição: o ruído.

Ruído Costumamos definir ruído como som de que não gostamos. Apesar de não ser exatamente isso, faz sentido, pois ruído é todo som indesejado. Por exemplo: alunos falando enquanto explicamos; um alto-falante, com

propaganda de políticos, quando tentamos assistir a nosso programa favorito; pessoas tossindo durante o concerto de uma orquestra sinfônica; um arrastar de cadeiras no meio da aula, dentre outros. Mas estes sons, em outros contextos, podem não ser necessariamente ruídos. Alunos falando pode ser um ótimo indício de participação, quando o professor faz uma pergunta ou estimula uma discussão; o alto-falante pode ser uma forma de informar sobre tal candidato; a tosse pode ajudar no diagnóstico para o médico numa consulta e, por fim, o arrastar de cadeiras pode ser uma experiência dirigida pelo professor para que os alunos descubram sons dos objetos que utilizam cotidianamente. E assim por diante. Portanto, ruído é um som indesejado num determinado contexto, é o som que interfere, destrói o que queremos ouvir. Encontramos exemplos clássicos em composições do músico multiinstrumentista Hermeto Pascoal que, além de tocar sanfona, flauta, piano e outros instrumentos, utiliza ainda em suas músicas: bacias de alumínio, chaleiras, máquinas de costura, correntes, bonecos e até mesmo porcos. Ele costuma dizer que todos os objetos têm sons esperando para serem descobertos. Se estivermos ouvindo uma música que não utiliza esses objetos como instrumentos e de repente ouvirmos um som de bacias, correntes, esses sons
13

mas nem sempre para os nossos ouvidos. Por exemplo: geralmente. Ruídos em um bar ou shopping são esperados e menos notados que ruídos em uma biblioteca. se incomoda mais com ruídos do que os desinteressados. por isso em queimas de fogos ficam tão agitados. Na sala de aula. alguém que está estudando e precisa se concentrar. Dois exemplos: elefantes emitem infrassons (sons muito graves). Será que essa classificação está correta? Na verdade. o aluno que quer aprender. com medo e muitas vezes com dor nos ouvidos: eles estão ouvindo além do que estamos ouvindo e o som muito agudo chega a ferir os seus ouvidos. então não serão mais considerados ruídos. Há animais capazes de emitir e/ou de escutar esses sons. sala de concertos ou sala de aula.serão ruídos a nossos ouvidos. se constituírem parte da proposta. Nesta tabela. que podem ser detectados a uma distância de até 2 km e cachorros conseguem ouvir ultrassons (sons muito agudos). Existem sons muito graves ou muito agudos que o ouvido humano não consegue perceber. que mal notam os ruídos. Silêncio Geralmente classificamos o silêncio como a ausência de som. podemos comparar a audição de diferentes animais: 14 . se incomodará mais com os ruídos do ambiente do que pessoas que estejam conversando descontraidamente. Mas se fizerem parte do rol de instrumentos da composição. Importante também salientar que ruídos incomodam mais às pessoas sensíveis e atentas. tudo que vibra transforma-se em som.

Vejamos exemplos de nível sonoro em situações dadas: 15 .http://www.com/8f_07. embora seja mais comum utilizar-se o deciBel (dB).aulas-fisica-quimica.html As unidades utilizadas para quantificar o Nível Sonoro são o Bel (B). que corresponde a um décimo do Bel.

em busca do “silêncio total”. uma sala projetada de tal modo a cancelar todos os 16 . Sons humanos.. que é uma cabine totalmente à prova de sons.com/8f_07. E é interessante experimentar a tentativa de ficar em silêncio. realizou uma experiência muito interessante. de máquinas.aulas-fisica-quimica. nos anos 40: ele queria vivenciar a sensação de plenitude silenciosa e. Faça silêncio por dois minutos e observe quantos sons você ainda pode ouvir. procurou a Universidade de Harvard para entrar em sua câmara anecoica.. isto é.http://www. basicamente. músico norte-americano. John Cage. sons da natureza.html O silêncio absoluto não existe.

e para executar experiências psicoacústicas. As pessoas que tiveram a oportunidade de vivenciar a experiência de entra numa câmara anecoica descrevem sintomas de falta de equilíbrio e perda de controle.ruídos ambientes. a fala parece acontecer dentro da cabeça da pessoa. 'escutar' tanto silêncio pode mesmo levar à loucura. Por não ter eco (por isso o nome anecoica = sem eco). concluem os investigadores que estudaram os efeitos ao longo do tempo que as pessoas conseguiram ficar dentro da câmara. afirmam que qualquer pessoa começaria a ter alucinações e poderia enlouquecer se passasse muito tempo em tal câmara – o máximo que alguém conseguiu foi 45 minutos. As câmaras anecoicas são usadas para medir as propriedades acústicas de instrumentos e microfones. Ao sair da câmara. descreveu ao engenheiro de som. Cage entrou nessa câmara com o intuito de ouvir o silêncio absoluto. mas ele ouviu os sons do próprio corpo. dois sons que ele teria ouvido: um agudo e um grave.es/2009/03/12/la-camara-anecoica/ 17 . http://kastanienallee. o engenheiro lhe informou que o som alto (agudo) era do seu sistema nervoso e o baixo (grave) era o som do seu sangue em circulação.

pois mesmo quando surge após um som. até que o próximo o desaloje ou até que o som anterior se perca na memória. Movimento. O mesmo autor nos mostra que poucas pessoas lidam bem com o silêncio.RJ . falando muito.No Brasil. temos uma câmara anecoica no INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia.jpg Schafer (2011) afirma que o silêncio é a característica mais cheia de possibilidades da música.gov. ele reverbera esse último som.br/museu/imagens/historico-xerem/hx28.. O último silêncio é a morte. só na morte o silêncio existe. dizendo que o silêncio soa. Qualidade e Tecnologia. Não há nada tão sublime ou atordoante na música como o silêncio. se até o corpo tem seus próprios sons.Brasil http://www2. p. a maioria das pessoas se rodeia de sons e/ou músicas. 60) 18 . Câmara Anecoica da Divisão de Metrologia Acústica e Vibrações Inmetro – Campus Xerém . 2011.. televisão. ligando rádio. som fazem com que nos sintamos vivos – afinal. O homem teme a ausência de som como teme a ausência de vida. E vai além.inmetro. (SCHAFER.

A velocidade do som é de aproximadamente 1200 km/hora. por exemplo: no vácuo. Essas vibrações se propagam pelo ar ou por qualquer outro meio de condução. madeira. não há som. é movimento. Podemos ainda comparar silêncio com escuridão e som com luz. Por meio do timbre identificamos “o que” está produzindo o som. Mas a velocidade da luz é ainda maior. som é vida. o som necessita de um condutor: ar. “personaliza” o som. Tudo o que existe pode vibrar. por isso que numa tempestade vemos primeiro o clarão do raio para depois ouvirmos o som do trovão. O timbre diferencia. 19 . com os sons é a mesma coisa: ondas invisíveis se propagam até que o som chegue a nossos ouvidos. água. Por exemplo: quando ouvimos uma pessoa falar. É como uma vemos quando jogamos água: se pedrinha as na ondas propagando.. com foco principalmente na linguagem musical: Timbre É a propriedade do som que nos permite reconhecer sua origem.. a velocidade de um avião de caça.Som Se o silêncio remete à morte. chegam aos nossos ouvidos e são transmitidas ao cérebro para que possam ser identificadas. ferro. basta entrar em movimento. vibração. propagá-lo. pois ali não há um veículo que possa conduzi-lo. plástico. Sons apresentam diversas das características abaixo. vamos procurar compreendê-las. A ciência diz que som é o resultado de vibrações. um celular tocando ou mesmo um gatinho miando podemos saber qual fonte sonora produziu o som por causa do timbre. Para se propagar.

diminui a audição. Numa orquestra. um foguete decolando. 2011. Um som muito forte (ou seja. esvanecendo como neblina. para o silêncio. (SCHAFER. Sons graves são os que chamamos de sons mais “grossos”. Tensões agudas acontecem quando uma melodia forte tenta subir com força. sons médios e agudos são os que dizemos ser mais “finos”. 15 dB. p. que nos dá a ilusão de perspectiva. Por exemplo: um grito é um som forte. diferenciamos um violino de uma clarineta ou um contrabaixo. 66) O volume é medido em decibéis (dB). É o grau de volume sonoro. Altura Altura diz respeito a graves e agudos. No som. assim como o fraco parece se afastar do mesmo. O som forte parece ir em direção ao ouvinte. Uma linha delicada sobe sem esforço. Um som forte pode também ser caracterizado como carregando um grande peso em direção ao peso de gravidade. A velocidade da 20 . de um volume muito alto) que dure bastante tempo pode provocar surdez.O timbre é o que dá cor ao som. por bastante tempo. 180 dB. escapando dele mesmo. a terceira dimensão é sentida devido à amplitude. A amplitude do som depende da força empregada para produzir as vibrações. Um som fraco está constantemente se dissolvendo. devido ao timbre próprio de cada um. enquanto um sussurro é um som fraco. Amplitude É a propriedade que nos permite distinguir sons fortes e sons fracos. folhas de uma árvore na brisa. Há estudos que comprovam que ouvir música com fones de ouvidos em um volume alto. Exemplos: um trovão tem cerca de 120 dB. As formas e os materiais de que são feitos os instrumentos determinam seu timbre. Procura voar acima do horizonte.

tensões dinâmicas. uma voz mais aguda que outra é porque as cordas vocais desta se movimentam mais rapidamente que daquela. é previsível. mantendo uma clareza no discurso. como podemos dizer que a melodia é o lado “cantante”. pelos passos de alguém subindo escada. As vibrações lentas produzem sons graves e as vibrações rápidas produzem sons agudos. com identidade. muitas vezes opostas. até mesmo opostos. porque ele bate as asas mais rápido. Se transferirmos esse pensamento para a música. 21 . divide o todo em partes. Exemplos: o zumbido do mosquito é mais agudo que o do besouro. muitas vezes. as composições podem ter efeitos diferenciados. regulador. Podemos comparar a uma discussão. criando uma identidade. O irregular não apresenta nenhum padrão. que se movem no tempo. emitem opiniões diversas. Ritmo pode ser regular ou irregular.vibração dos objetos é que vai definir sua altura. É preciso tomar cuidado para não confundir altura com volume. Podemos arriscar dizer que o ritmo é o lado “dançante” da música. p. mas mantendo uma clareza. pode parecer estranho. 69). é imprevisível. mas ainda abordam um mesmo assunto. que é uma sequência de sons e silêncios. Textura Contraponto. não estamos nos referindo à sua altura e sim ao seu volume. uma melodia é como levar um tom a um passeio (Schafer. uma conversa em que os interlocutores discordam. ainda. Melodia Podemos dizer que melodia pode ser qualquer combinação de sons ou. Parafraseando Paul Klee. 2011. Professores de matemática utilizam ritmo. O regular é bem exemplificado pelo relógio mecânico e seu tique-taque. Ritmo É a divisão do som. sua amplitude. para explicar fração. mas quando falamos “som alto”.

BUSCANDO CONHECIMENTO Nesta unidade. mas representam bem essa geração que questionou as definições prontas de música e as formas de se ensinar música. o que é som. Qual a proximidade entre eles? Por que aparecem juntos numa unidade de uma disciplina intitulada Linguagem Musical? Além de todos serem músicos. ríspida. suave. influenciando muitos músicos e educadores em vários países. Murray Schafer e John Cage. 22 . o que é silêncio e propõem novas formas de se ouvir e produzir música. Não dão receitas. leve. Vamos conhecer um pouco mais sobre cada um deles. Certamente não são os únicos. seja através de seus escritos ou de suas músicas. o segundo canadense e o terceiro.. além da utilização de objetos inusitados como instrumentos musicais. citamos Hermeto Pascoal. os três questionam o que é música. nos colocando para refletir e rever nossos pensamentos e atos em relação à linguagem musical. mas provocam. O primeiro é brasileiro.. estadunidense. como se fosse realmente tátil.A textura de uma música (assim como de qualquer som) pode ser descrita como pesada. inclusive no Brasil. longe disso. nenhum deles é um músico comum ou conformado.

no município de Arapiraca. Airto Moreira. gravou-o nos Estados Unidos. em Lagoa da Canoa. o que só lhe traz mais carisma junto a seu público. Em seu segundo disco “Slave Mass” (1976). foi criado numa família de sanfoneiros. Quando tinha 14 anos de idade. vem gravando e fazendo shows sempre surpreendendo seu público com a qualidade de suas músicas. “Música Livre” (1973) é o título de seu primeiro disco. Começou tocando flauta e aos 8 anos já dominava a sanfona. Com 11 anos já tocava em bailes da região. com o ingresso no grupo “Quarteto Novo”.com. teve a oportunidade de tocar em programas de rádio. Nascido em 1936.hermetopascoal. formado pelos exímios músicos Heraldo do Monte. com longos cabelos e barba farta.asp Hermeto recebeu o apelido de bruxo por suas habilidades musicais e podemos dizer que até fisicamente faz jus ao título. Sua carreira deslanchou nos anos 60. Theo de Barros e Geraldo Vandré. então. usava som de porcos. mudou-se para Recife com a família.br/galeria. sendo albino.Hermeto Pascoal http://www. como não podia gravar com porcos em estúdios brasileiros. em Alagoas. a originalidade das 23 . sendo capital. De lá para cá.

baião.. é tudo meio maluco..cfm?materia_id=9748).. frevo. Pirateiem os meus discos. Acho que é por causa da minha cor. Se eu fosse cientista e descobrisse a cura do câncer.cartamaior.. em janeiro de 2006. misturado. Para mais informações. choro.composições e os sons inusitados. só que sem truques. disponível em: http://www.hermetopascoal. eu sairia gritando na rua para os meus colegas médicos para curarmos o mundo logo. em abril de 1998). Hermeto publicou em 17 de novembro de 2008 a seguinte declaração: 24 . Quem quiser piratear os meus discos. em abril de 1998). Sabe o que Deus falou? ‘Crescei e multiplicai-vos’. pode ficar à vontade. sem esconder nada.br Para vê-lo em ação: http://www.com.com. em entrevistas: Sou músico. Hermeto conta hoje com mais de 4 mil composições e continua compondo. Devemos crescer na maneira de ser e multiplicar o que tem de bom.com/watch?v=yCJY6AEGL2s Vamos tomar contato com o pensamento do artista.br/templates/materiaImprimir. através de algumas poucas palavras suas.youtube. Quando pego um instrumento sinto que estou flutuando. acesse: http://www. na entrevista cujo trecho transcrevemos acima. passa por várias raças. (Hermeto Pascoal em entrevista à Agência Carta Maior. e o músico é meio mágico também. Sem barreiras. multiplicar. Minha música não segue uma sonoridade. (Hermeto Pascoal em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. Tem horas que nem sinto os pés no chão. maxixe. Como prova dessa afirmação sobre piratear suas músicas ou crescer. (Hermeto Pascoal em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. Todo albino tem a cor universal. Mas as pessoas gostam de guardar os segredos e carregá-los para tirar proveito daquilo. Muita gente pensa que isso é só para transar. Hermeto pode misturar jazz.

com.hermetopascoal.br/img/att/licenciamento_declaracao.http://www.jpg 25 .

mas instiga o educador q descobrir seu modo de trabalhar a música. a partir de 1992. à ampliação de repertórios musicais.philmultic. o que é muito positivo. ministrando palestras e orientando seminários e workshops em São Paulo. da educação infantil ao ensino médio. Esteve no Brasil em 1990.com/composers/schafer. num ótimo momento para a música na educação. O livro “O Ouvido Pensante” tornou-se referência em concursos para professores de Arte. uma vez que não apresenta receitas ou métodos prontos. 26 . publicada em 1983 em inglês (“The Thinking Ear”). artistas e educadores já tinham contato com sua obra original. Muitos músicos.Murray Schafer http://www. quando estava sendo implantada a lei 11. A segunda edição foi lançada em 2011. Ontário. à percepção de sons. quando foi publicada a primeira edição traduzida para o português pela Editora Unesp. seus pensamentos sobre música se propagaram pelo país. em todos os níveis. levando os alunos à sensibilização auditiva. Canadá. que torna música conteúdo obrigatório do currículo escolar. em Sarnia.html Murray Schafer nasceu em 1933.769.

cuja leitura recomendamos. Pretende-se responder à pergunta apresentada com a hipótese de que é necessário. A Pedagogia Musical de Schafer e seus desdobramentos no Brasil. RESUMO O problema levantado é de como ir além da pedagogia musical tradicional se temos esta formação? Objetivos gerais são analisar. por parte do professor. Monografia (Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação em Música) – Instituto Villa-Lobos. pesquisar e 27 . desenvolver e aprofundar a pedagogia de Murray Schafer.Primeira edição no Brasil. e. Centro de Letras e Artes. de 1992 e segunda edição. ampliar a abrangência do conceito do que é música – libertando-se de preconceitos e etnocentrismos. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Monografia que trata do livro de Schafer (2011) e sua repercussão no Brasil. respectivamente. Bruno Luiz de Macedo. sob a orientação do Professor Mestre Humberto Amorim (UNIRIO): PARENTE. de 2011. apresentada como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). 2008. relacionando-a com autores brasileiros que possuem ideias semelhantes.

experimentar a pedagogia de Murray Schafer. http://www.adm.domain.br/dem/licenciatura/monografia/brunoparente.pdf Schafer com alunos em escola de Montreal. nos anos 60: http://artsalive.ca/en/mus/greatcomposers/schafer/bio. adequando-a com a realidade brasileira.html John Cage 28 .

Contava sempre com elementos como a música eletroacústica. e depois a Mallorca. aproximou-se da performance. Em "Paisagem Imaginária nº 4" (1951). Em 1932. que viriam a assinalar uma grande ruptura em toda a tradição musical.Nascido em 1912. Chicago e Nova York. primeiro a Paris. Tornou-se aluno de Schönberg. de Ésquilo. aleatória e simultaneamente. transformando o instrumento numa orquestra de percussão. em 1937. bailarino e coreógrafo de renome internacional. Seu interesse pelo zen-budismo também influenciou suas composições. De volta aos Estados Unidos. como em "Música aquática". John Cage tornou-se compositor de vanguarda. onde começou a pintar e a compor. Cage reuniu 24 aparelhos de rádio ligados. passou a trabalhar criando composições para companhias de dança. cortiça. mas permaneceu apenas por dois anos. datam suas primeiras composições. Shafer se refere a ele várias vezes. escritas num sistema atonal. quando criou seu piano preparado ("prepared piano"). improvisadas no piano. com papel. por doze executantes. o aleatório. madeira e outros materiais entre as cordas do piano. compôs músicas para textos da escritora Gertrude Stein e o coro da tragédia "Os Persas". Cage ingressou na universidade. em Los Angeles. Viajou para a Europa em 1935. Cage fundou uma orquestra de percussão. Em Seatlle. 29 . Dessa época. em seu livro “O Ouvido Pensante” (2011). para o qual criou peças de concerto. a indeterminação e a invenção de novos padrões musicais. como a de Merce Cunningham. atividade a que se dedicaria também em São Francisco. que ele mesmo criou. Além de músico e de ter incursionado por outras artes como a pintura. pois se decepcionou com as condições de ensino. Em 1938.

A sua obra mais polêmi ca e conhecida é intitulada 4′33″ (quatro minutos e trinta e três segundos). como se poderia supor. Embora sua primeira apresentação tenha sido ao piano. por esse tempo. a peça foi composta para qualquer instrumento musical ou conjunto de instrumentos e está estruturada em três movimentos.John Cage (à direita) com David Tudor no Shiraz Arts Festival. ficando imóveis. em 1971. O conteúdo da composição não é quatro minutos e trinta e três segundos de silêncio. A obra não se utiliza de sons dos instrumentos. Os músicos a apresentá-la não tocam nada durante o tempo especificado no título. diante do instrumento. 30 . composta em 1952. mas sim de sons do ambiente ouvidos pelo público durante a audição.

Segundo a concepção oriental de música pesquisada por Cage.pdf Obra de John Cage: 4'33. Filmado no McCallum Theatre. o músico deve colocar-se em posição de execução e permanecer assim durante toda a duração da obra. Para saber mais sobre Cage e o silêncio: http://alb.A partitura de 4'33" contém três movimentos em que o músico não deve executar nenhuma nota em seu instrumento. Após a entrada no palco e os aplausos. CA: http://www. esta seria o som ao qual se presta atenção.com.br/arquivomorto/edicoes_anteriores/anais16/sem14pdf/sm14ss04_08.com/watch?v=JTEFKFiXSx4&feature=related Cage morreu em 1992 em Nova Iorque. performance de William Marx. Palm Desert. A música ouvida na hora de sua execução é o ruído do teatro. 31 .youtube.